SlideShare uma empresa Scribd logo
Análise relacional entre princípios FAIR de gestão
de dados de pesquisa e normativas internacionais
de acessibilidade às pessoas com deficiência
Sonia Aguiar Cruz-Riascos
Daniela Francescutti Martins Hott
Laura Vilela Rodrigues Rezende
CONTEXTUALIZAÇÃO
● Movimento crescente de incentivo à curadoria
digital de dados de pesquisa ao nível nacional e
internacional;
● Pessoas com deficiência ainda permanecem
excluídas do acesso e uso destes conteúdos
digitais.
CONTEXTUALIZAÇÃO
Mapa dos Países Signatários e Reconhecedores da Convenção
sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (2017, s.p.)
CONTEXTUALIZAÇÃO
IBGE – CENSO – 2010 (45,6 milhões de brasileiros)
OBJETIVO
• Realizar uma análise relacional entre padrões
internacionais de acessibilidade e o conjunto dos
princípios FAIR, a partir do escopo da acessibilidade e do
contexto da gestão de dados de pesquisa.
CONSIDERAÇÕES
1. Duas normativas de acessibilidade:
• Web Content Accessibility Guidelines (WCAG 2.0) / Diretrizes de
Acessibilidade ao Conteúdo da Web
• Accessibility requirements suitable for public procurement of
Information and Communication Technology (ICT) products and
services in Europe (EN 301 549 v1.1.2) / Requisitos de
acessibilidade adequados aos contratos públicos de produtos e
serviços em Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) na
Europa.
Emanadas pela World Wide Web Consortium (W3C) e pelo
European Telecommunications Standards Institute.
CONSIDERAÇÕES
2. Não se pretende identificar semelhanças, mas sim, diretrizes
complementares ao se produzir dados de pesquisa em ambientes
digitais, considerando aspectos de acessibilidade fundamentais
que proporcionarão o acesso e uso de forma autônoma por
pessoas com deficiência.
METODOLOGIA
• Pesquisa descritiva com abordagem metodológica
qualitativa, e quanto aos objetivos, exploratória.
• Revisão bibliográfica sobre gestão de dados de pesquisa e
acessibilidade para pessoas com deficiência.
• Pesquisa documental e levantamentos em websites
pertinentes para realização de análises.
• Análise relacional conforme explicitado.
RESULTADOS
Princípios FAIR WCAG 2.0
EN 301 549
V.1.1.2
Desde a criação dos
dados de pesquisa
até o seu Acesso
futuro
Desde a criação de
conteúdos Web até o
seu acesso futuro
contemplando
acessibilidade de
pessoas com
deficiência
Baseada no WCAG
2.0, contempla a fase
de concepção e
desenvolvimento de
TIC
SÍNTESE DO OBJETO DE ESTUDO DAS RECOMENDAÇÕES E ORIENTAÇÕES:
As três recomendações enfatizam a importância de dados acessíveis desde a
concepção de conteúdos web com viés de acesso futuro, porém a abordagem
direcionada para a acessibilidade aparece somente em WCAG 2.0 e EN 301 549 v.1.1.2.
RESULTADOS DOS LEVANTAMENTOS
Websites
Princípios
FAIR
WCAG 2.0 EN 301 549
V.1.1.2
ASES
Australian National Data Service Mencionam o uso Mencionam o uso do WCAG - 89,91%
Research Councils
Aparentemente não
adotam
Mencionam a adoção nas prioridades
A e AA
- 80,31%
Projeto Horizon 2020 Não há informação Não há informação - 82,58%
4C Project Não há informação Não há informação - 70,9%
Fundação de Amparo à Pesquisa SP Não há informação Não há informação. - 77,98%
Comissão Nac. Energia Nuclear Não há informação Não há informação. - 64,86%
Laboratório Interinst. Astronomia Não há informação Não há informação. - 81,55%
ADOÇÃO DE REQUISITOS DE ACESSIBILIDADE:
Aplicação da ferramenta ASES “Avaliador e Simulador de Acessibilidade em Sítios” para identificar o
grau de acessibilidade.
CONCLUSÃO
Embora existem semelhanças entre os documentos que
versam sobre requisitos de acessibilidade e os princípios
FAIR, ainda não há visibilidade no tocante à importância da
acessibilidade universal.
Espera-se que ao aplicar as principais recomendações e
diretrizes de gestão de dados de pesquisa em conjunto com
as normativas de acessibilidade, possa ser disponibilizado o
acesso universal para contemplar as pessoas com
deficiência.
CONCLUSÃO
“A deficiência não precisa ser um obstáculo para o sucesso.
Durante praticamente toda a minha vida adulta sofri da
doença do neurônio motor. Mesmo assim, isso não me
impediu de ter uma destacada carreira como astrofísico e
uma vida familiar feliz”.
Professor Stephen W
Hawking (1942-2018)
AGRADECIMENTOS
Sonia Aguiar Cruz-Riascos: sonia.cruzriascos@gmail.com
(Universidade Federal de Pernambuco)
Daniela Francescutti Martins Hott:
daniela.martins@camara.leg.br / francescutti69@gmail.com
(Câmara dos Deputados)
Laura Vilela Rodrigues Rezende: lauravil.rr@gmail.com
(Universidade Federal de Goiás)
REFERÊNCIAS
EUROPEAN TELECOMMUNICATIONS STANDARDS INSTITUTE (ETSI) (2015).
Accessibility requirements suitable for public procurement of ICT products and
services in Europe (EN 301 549 v1.1.2 – 2015-04). [Em linha]. Belgium: France,
2015. [Consult. 30 Mai. 2018]. Disponível na Internet:
<URL:http://www.etsi.org/deliver/etsi_en/301500_301599/301549/01.01.02_60/en_3015
49v010102p.pdf>.
HOTT, Daniela Francescutti Martins; REZENDE, Laura Vilela Rodrigues; CRUZ-
RIASCOS, Sonia Aguiar (2018). [No prelo]. A curadoria de dados de pesquisa: da
criação à reutilização considerando aspectos de acessibilidade às pessoas com
deficiência. In: Congresso Internacional de Humanidades Digitais. Rio de Janeiro
: Fundação Getúlio Vargas.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEORGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE. Censo Demográfico
2010: Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência.
REFERÊNCIAS
UNITED NATIONS – DISABILITY – DEPARTMENT OF ECONOMIC AND SOCIAL
AFFAIRS. Home. Convention on the Rights of Persons with Disabilities (CRPD).
CRPD and Optional Protocol Signatures and Ratifications. Map No. 4496 Rev.8.
[Em linha]. New York: United Nation – Disability, November 2017. [Consult. 30
Ago. 2018]. Disponível na Internet: <URL:
http://www.un.org/disabilities/documents/maps/enablemap.jpg>.
WEB CONTENT ACCESSIBILITY GUIDELINES (WCAG) 2.0. [Em linha]. São Paulo:
W3C Escritório Brasil. [Consult. 21 abr. 2018]. Disponível na Internet: <URL:
https://www.w3.org/Translations/WCAG20-pt-br/>
W3C BRASIL. World Wide Web Brasil. W3C.br. Sobre o W3C. [Em linha]. São
Paulo: W3C Escritório Brasil. [Consult. 21 abr. 2018] Disponível na Internet:
<URL: http://www.w3c.br/Sobre/>.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Análise relacional entre princípios FAIR de gestão de dados de pesquisa e normativas internacionais de acessibilidade às pessoas com deficiência

121 535-1-pb
121 535-1-pb121 535-1-pb
Digital Science e a Demanda por Plataformas Integradoras
Digital Science e a Demanda por Plataformas IntegradorasDigital Science e a Demanda por Plataformas Integradoras
Digital Science e a Demanda por Plataformas Integradoras
Roberto C. S. Pacheco
 
Acesso e uso de dados de pesquisa(uma análise preliminar do figshare)
Acesso e uso de dados de pesquisa(uma análise preliminar do figshare)Acesso e uso de dados de pesquisa(uma análise preliminar do figshare)
Acesso e uso de dados de pesquisa(uma análise preliminar do figshare)
Liber UFPE
 
Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Processos de apropriação tecnológ...
Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Processos de apropriação tecnológ...Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Processos de apropriação tecnológ...
Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Processos de apropriação tecnológ...
AcessaSP
 
Apresentação Polo Nacional - 2º Seminário da Rede de Formação - TelecentrosBR
Apresentação Polo Nacional - 2º Seminário da Rede de Formação - TelecentrosBRApresentação Polo Nacional - 2º Seminário da Rede de Formação - TelecentrosBR
Apresentação Polo Nacional - 2º Seminário da Rede de Formação - TelecentrosBR
Rede de Formação Telecentros.BR
 
Dados Abertos - Transparência e Inovação Governo Sociedade
Dados Abertos - Transparência e Inovação Governo SociedadeDados Abertos - Transparência e Inovação Governo Sociedade
Dados Abertos - Transparência e Inovação Governo Sociedade
Thiago Avila, Msc
 
Palestra na Unirio - Tese de Doutorado
Palestra na Unirio - Tese de DoutoradoPalestra na Unirio - Tese de Doutorado
Palestra na Unirio - Tese de Doutorado
Luiz Agner
 
PROPOSIÇÃO PARA UM PARADIGMA DE ORIENTAÇÃO A ACESSIBILIDADE
PROPOSIÇÃO PARA UM PARADIGMA DE ORIENTAÇÃO A ACESSIBILIDADEPROPOSIÇÃO PARA UM PARADIGMA DE ORIENTAÇÃO A ACESSIBILIDADE
PROPOSIÇÃO PARA UM PARADIGMA DE ORIENTAÇÃO A ACESSIBILIDADE
Os Fantasmas !
 
Proposição para um Paradigma de Orientação a Acessibilidade
Proposição para um Paradigma de Orientação a AcessibilidadeProposição para um Paradigma de Orientação a Acessibilidade
Proposição para um Paradigma de Orientação a Acessibilidade
Ystallonne Alves
 
e-Gov ou e-Governança: tendências e soluções em governo eletrônico contemporâneo
e-Gov ou e-Governança: tendências e soluções em governo eletrônico contemporâneoe-Gov ou e-Governança: tendências e soluções em governo eletrônico contemporâneo
e-Gov ou e-Governança: tendências e soluções em governo eletrônico contemporâneo
Roberto C. S. Pacheco
 
Melhorando o acesso ao governo com o melhor uso da Interner
Melhorando o acesso ao governo com o melhor uso da InternerMelhorando o acesso ao governo com o melhor uso da Interner
Melhorando o acesso ao governo com o melhor uso da Interner
Curso de Tecnologia em Redes da FAMA
 
Gov web
 Gov web Gov web
Acessibilidade Digital para Tecnologias Educacionais focadas em Autistas
Acessibilidade Digital para Tecnologias Educacionais focadas em AutistasAcessibilidade Digital para Tecnologias Educacionais focadas em Autistas
Acessibilidade Digital para Tecnologias Educacionais focadas em Autistas
Talita Pagani
 
ReBEc 2.0 - rumo a uma nova plataforma para dados científicos
ReBEc 2.0 - rumo a uma nova plataforma para dados científicosReBEc 2.0 - rumo a uma nova plataforma para dados científicos
ReBEc 2.0 - rumo a uma nova plataforma para dados científicos
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Políticas Públicas Temáticas e Desafios da Inclusão Digital
Políticas Públicas Temáticas e Desafios da Inclusão DigitalPolíticas Públicas Temáticas e Desafios da Inclusão Digital
Políticas Públicas Temáticas e Desafios da Inclusão Digital
Escola de Governança da Internet no Brasil
 
TCC Tecnologia em Sistemas para Internet
TCC Tecnologia em Sistemas para InternetTCC Tecnologia em Sistemas para Internet
TCC Tecnologia em Sistemas para Internet
Claudeir Novais
 
Using Privacy's Taxonomy to identify activities found on Social Network's ter...
Using Privacy's Taxonomy to identify activities found on Social Network's ter...Using Privacy's Taxonomy to identify activities found on Social Network's ter...
Using Privacy's Taxonomy to identify activities found on Social Network's ter...
Fernando de Assis Rodrigues
 
Categorização de elementos de privacidade identificados nos termos de uso de ...
Categorização de elementos de privacidade identificados nos termos de uso de ...Categorização de elementos de privacidade identificados nos termos de uso de ...
Categorização de elementos de privacidade identificados nos termos de uso de ...
Fernando de Assis Rodrigues
 
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Roberto C. S. Pacheco
 
Erebd suenia bigdata
Erebd suenia bigdataErebd suenia bigdata
Erebd suenia bigdata
Suenia Mendes
 

Semelhante a Análise relacional entre princípios FAIR de gestão de dados de pesquisa e normativas internacionais de acessibilidade às pessoas com deficiência (20)

121 535-1-pb
121 535-1-pb121 535-1-pb
121 535-1-pb
 
Digital Science e a Demanda por Plataformas Integradoras
Digital Science e a Demanda por Plataformas IntegradorasDigital Science e a Demanda por Plataformas Integradoras
Digital Science e a Demanda por Plataformas Integradoras
 
Acesso e uso de dados de pesquisa(uma análise preliminar do figshare)
Acesso e uso de dados de pesquisa(uma análise preliminar do figshare)Acesso e uso de dados de pesquisa(uma análise preliminar do figshare)
Acesso e uso de dados de pesquisa(uma análise preliminar do figshare)
 
Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Processos de apropriação tecnológ...
Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Processos de apropriação tecnológ...Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Processos de apropriação tecnológ...
Conexões Científicas Ciclo III 2006 - 2007: Processos de apropriação tecnológ...
 
Apresentação Polo Nacional - 2º Seminário da Rede de Formação - TelecentrosBR
Apresentação Polo Nacional - 2º Seminário da Rede de Formação - TelecentrosBRApresentação Polo Nacional - 2º Seminário da Rede de Formação - TelecentrosBR
Apresentação Polo Nacional - 2º Seminário da Rede de Formação - TelecentrosBR
 
Dados Abertos - Transparência e Inovação Governo Sociedade
Dados Abertos - Transparência e Inovação Governo SociedadeDados Abertos - Transparência e Inovação Governo Sociedade
Dados Abertos - Transparência e Inovação Governo Sociedade
 
Palestra na Unirio - Tese de Doutorado
Palestra na Unirio - Tese de DoutoradoPalestra na Unirio - Tese de Doutorado
Palestra na Unirio - Tese de Doutorado
 
PROPOSIÇÃO PARA UM PARADIGMA DE ORIENTAÇÃO A ACESSIBILIDADE
PROPOSIÇÃO PARA UM PARADIGMA DE ORIENTAÇÃO A ACESSIBILIDADEPROPOSIÇÃO PARA UM PARADIGMA DE ORIENTAÇÃO A ACESSIBILIDADE
PROPOSIÇÃO PARA UM PARADIGMA DE ORIENTAÇÃO A ACESSIBILIDADE
 
Proposição para um Paradigma de Orientação a Acessibilidade
Proposição para um Paradigma de Orientação a AcessibilidadeProposição para um Paradigma de Orientação a Acessibilidade
Proposição para um Paradigma de Orientação a Acessibilidade
 
e-Gov ou e-Governança: tendências e soluções em governo eletrônico contemporâneo
e-Gov ou e-Governança: tendências e soluções em governo eletrônico contemporâneoe-Gov ou e-Governança: tendências e soluções em governo eletrônico contemporâneo
e-Gov ou e-Governança: tendências e soluções em governo eletrônico contemporâneo
 
Melhorando o acesso ao governo com o melhor uso da Interner
Melhorando o acesso ao governo com o melhor uso da InternerMelhorando o acesso ao governo com o melhor uso da Interner
Melhorando o acesso ao governo com o melhor uso da Interner
 
Gov web
 Gov web Gov web
Gov web
 
Acessibilidade Digital para Tecnologias Educacionais focadas em Autistas
Acessibilidade Digital para Tecnologias Educacionais focadas em AutistasAcessibilidade Digital para Tecnologias Educacionais focadas em Autistas
Acessibilidade Digital para Tecnologias Educacionais focadas em Autistas
 
ReBEc 2.0 - rumo a uma nova plataforma para dados científicos
ReBEc 2.0 - rumo a uma nova plataforma para dados científicosReBEc 2.0 - rumo a uma nova plataforma para dados científicos
ReBEc 2.0 - rumo a uma nova plataforma para dados científicos
 
Políticas Públicas Temáticas e Desafios da Inclusão Digital
Políticas Públicas Temáticas e Desafios da Inclusão DigitalPolíticas Públicas Temáticas e Desafios da Inclusão Digital
Políticas Públicas Temáticas e Desafios da Inclusão Digital
 
TCC Tecnologia em Sistemas para Internet
TCC Tecnologia em Sistemas para InternetTCC Tecnologia em Sistemas para Internet
TCC Tecnologia em Sistemas para Internet
 
Using Privacy's Taxonomy to identify activities found on Social Network's ter...
Using Privacy's Taxonomy to identify activities found on Social Network's ter...Using Privacy's Taxonomy to identify activities found on Social Network's ter...
Using Privacy's Taxonomy to identify activities found on Social Network's ter...
 
Categorização de elementos de privacidade identificados nos termos de uso de ...
Categorização de elementos de privacidade identificados nos termos de uso de ...Categorização de elementos de privacidade identificados nos termos de uso de ...
Categorização de elementos de privacidade identificados nos termos de uso de ...
 
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
 
Erebd suenia bigdata
Erebd suenia bigdataErebd suenia bigdata
Erebd suenia bigdata
 

Mais de Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta

Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Pré-Workshop: Formação em Edição Eletrónica
Pré-Workshop: Formação em Edição EletrónicaPré-Workshop: Formação em Edição Eletrónica
Pré-Workshop: Formação em Edição Eletrónica
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
10 anos RCAAP - ConfOA
10 anos RCAAP - ConfOA10 anos RCAAP - ConfOA
Programa de formação modular sobre Ciência Aberta
Programa de formação modular sobre Ciência AbertaPrograma de formação modular sobre Ciência Aberta
Programa de formação modular sobre Ciência Aberta
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Análise da Produção Científica Brasileira em Periódicos de Acesso Aberto
Análise da Produção Científica Brasileira em Periódicos de Acesso AbertoAnálise da Produção Científica Brasileira em Periódicos de Acesso Aberto
Análise da Produção Científica Brasileira em Periódicos de Acesso Aberto
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Acesso aberto como ferramenta para o empoderamento do paciente
Acesso aberto como ferramenta para o empoderamento do pacienteAcesso aberto como ferramenta para o empoderamento do paciente
Acesso aberto como ferramenta para o empoderamento do paciente
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Ciência aberta e revisão por pares aberta: aspectos e desafios da participaçã...
Ciência aberta e revisão por pares aberta: aspectos e desafios da participaçã...Ciência aberta e revisão por pares aberta: aspectos e desafios da participaçã...
Ciência aberta e revisão por pares aberta: aspectos e desafios da participaçã...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Melhorando a citabilidade de programas de computador para pesquisa com o Cita...
Melhorando a citabilidade de programas de computador para pesquisa com o Cita...Melhorando a citabilidade de programas de computador para pesquisa com o Cita...
Melhorando a citabilidade de programas de computador para pesquisa com o Cita...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Técnicas de Search Engine Optimization (SEO) aplicadas no site da Biblioteca ...
Técnicas de Search Engine Optimization (SEO) aplicadas no site da Biblioteca ...Técnicas de Search Engine Optimization (SEO) aplicadas no site da Biblioteca ...
Técnicas de Search Engine Optimization (SEO) aplicadas no site da Biblioteca ...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...
Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...
Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Serviço Nacional de Registo de Identificadores DOI
Serviço Nacional de Registo de Identificadores DOIServiço Nacional de Registo de Identificadores DOI
Serviço Nacional de Registo de Identificadores DOI
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Recursos educacionais abertos na Universidade Aberta. A rede como estratégia ...
Recursos educacionais abertos na Universidade Aberta. A rede como estratégia ...Recursos educacionais abertos na Universidade Aberta. A rede como estratégia ...
Recursos educacionais abertos na Universidade Aberta. A rede como estratégia ...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Infraestrutura OpenAIRE: desenvolvimentos para o fortalecimento da Ciência Ab...
Infraestrutura OpenAIRE: desenvolvimentos para o fortalecimento da Ciência Ab...Infraestrutura OpenAIRE: desenvolvimentos para o fortalecimento da Ciência Ab...
Infraestrutura OpenAIRE: desenvolvimentos para o fortalecimento da Ciência Ab...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Preservação digital, gestão de dados de pesquisa e biodversidade
Preservação digital, gestão de dados de pesquisa e biodversidadePreservação digital, gestão de dados de pesquisa e biodversidade
Preservação digital, gestão de dados de pesquisa e biodversidade
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Dados governamentais na perspectiva da Ciência Aberta: potencialidades e desa...
Dados governamentais na perspectiva da Ciência Aberta: potencialidades e desa...Dados governamentais na perspectiva da Ciência Aberta: potencialidades e desa...
Dados governamentais na perspectiva da Ciência Aberta: potencialidades e desa...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Do acesso à informação aos Dados Parlamentares Abertos em Portugal
Do acesso à informação aos Dados Parlamentares Abertos em PortugalDo acesso à informação aos Dados Parlamentares Abertos em Portugal
Do acesso à informação aos Dados Parlamentares Abertos em Portugal
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Transparência e Dados Abertos do Recife: Uma Estratégia Bem Sucedida de Publi...
Transparência e Dados Abertos do Recife: Uma Estratégia Bem Sucedida de Publi...Transparência e Dados Abertos do Recife: Uma Estratégia Bem Sucedida de Publi...
Transparência e Dados Abertos do Recife: Uma Estratégia Bem Sucedida de Publi...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Revistas científicas brasileiras de acesso aberto: qualidade do ponto de vist...
Revistas científicas brasileiras de acesso aberto: qualidade do ponto de vist...Revistas científicas brasileiras de acesso aberto: qualidade do ponto de vist...
Revistas científicas brasileiras de acesso aberto: qualidade do ponto de vist...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Altmetria e a análise das condições de interação em torno de artigos sobre po...
Altmetria e a análise das condições de interação em torno de artigos sobre po...Altmetria e a análise das condições de interação em torno de artigos sobre po...
Altmetria e a análise das condições de interação em torno de artigos sobre po...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 

Mais de Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta (20)

Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
Citações e métricas complementares: um estudo da sua correlação em artigos ci...
 
Pré-Workshop: Formação em Edição Eletrónica
Pré-Workshop: Formação em Edição EletrónicaPré-Workshop: Formação em Edição Eletrónica
Pré-Workshop: Formação em Edição Eletrónica
 
10 anos RCAAP - ConfOA
10 anos RCAAP - ConfOA10 anos RCAAP - ConfOA
10 anos RCAAP - ConfOA
 
Programa de formação modular sobre Ciência Aberta
Programa de formação modular sobre Ciência AbertaPrograma de formação modular sobre Ciência Aberta
Programa de formação modular sobre Ciência Aberta
 
Análise da Produção Científica Brasileira em Periódicos de Acesso Aberto
Análise da Produção Científica Brasileira em Periódicos de Acesso AbertoAnálise da Produção Científica Brasileira em Periódicos de Acesso Aberto
Análise da Produção Científica Brasileira em Periódicos de Acesso Aberto
 
Acesso aberto como ferramenta para o empoderamento do paciente
Acesso aberto como ferramenta para o empoderamento do pacienteAcesso aberto como ferramenta para o empoderamento do paciente
Acesso aberto como ferramenta para o empoderamento do paciente
 
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
 
Ciência aberta e revisão por pares aberta: aspectos e desafios da participaçã...
Ciência aberta e revisão por pares aberta: aspectos e desafios da participaçã...Ciência aberta e revisão por pares aberta: aspectos e desafios da participaçã...
Ciência aberta e revisão por pares aberta: aspectos e desafios da participaçã...
 
Melhorando a citabilidade de programas de computador para pesquisa com o Cita...
Melhorando a citabilidade de programas de computador para pesquisa com o Cita...Melhorando a citabilidade de programas de computador para pesquisa com o Cita...
Melhorando a citabilidade de programas de computador para pesquisa com o Cita...
 
Técnicas de Search Engine Optimization (SEO) aplicadas no site da Biblioteca ...
Técnicas de Search Engine Optimization (SEO) aplicadas no site da Biblioteca ...Técnicas de Search Engine Optimization (SEO) aplicadas no site da Biblioteca ...
Técnicas de Search Engine Optimization (SEO) aplicadas no site da Biblioteca ...
 
Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...
Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...
Café com Ciência – divulgação das publicações técnico-científicas em acesso a...
 
Serviço Nacional de Registo de Identificadores DOI
Serviço Nacional de Registo de Identificadores DOIServiço Nacional de Registo de Identificadores DOI
Serviço Nacional de Registo de Identificadores DOI
 
Recursos educacionais abertos na Universidade Aberta. A rede como estratégia ...
Recursos educacionais abertos na Universidade Aberta. A rede como estratégia ...Recursos educacionais abertos na Universidade Aberta. A rede como estratégia ...
Recursos educacionais abertos na Universidade Aberta. A rede como estratégia ...
 
Infraestrutura OpenAIRE: desenvolvimentos para o fortalecimento da Ciência Ab...
Infraestrutura OpenAIRE: desenvolvimentos para o fortalecimento da Ciência Ab...Infraestrutura OpenAIRE: desenvolvimentos para o fortalecimento da Ciência Ab...
Infraestrutura OpenAIRE: desenvolvimentos para o fortalecimento da Ciência Ab...
 
Preservação digital, gestão de dados de pesquisa e biodversidade
Preservação digital, gestão de dados de pesquisa e biodversidadePreservação digital, gestão de dados de pesquisa e biodversidade
Preservação digital, gestão de dados de pesquisa e biodversidade
 
Dados governamentais na perspectiva da Ciência Aberta: potencialidades e desa...
Dados governamentais na perspectiva da Ciência Aberta: potencialidades e desa...Dados governamentais na perspectiva da Ciência Aberta: potencialidades e desa...
Dados governamentais na perspectiva da Ciência Aberta: potencialidades e desa...
 
Do acesso à informação aos Dados Parlamentares Abertos em Portugal
Do acesso à informação aos Dados Parlamentares Abertos em PortugalDo acesso à informação aos Dados Parlamentares Abertos em Portugal
Do acesso à informação aos Dados Parlamentares Abertos em Portugal
 
Transparência e Dados Abertos do Recife: Uma Estratégia Bem Sucedida de Publi...
Transparência e Dados Abertos do Recife: Uma Estratégia Bem Sucedida de Publi...Transparência e Dados Abertos do Recife: Uma Estratégia Bem Sucedida de Publi...
Transparência e Dados Abertos do Recife: Uma Estratégia Bem Sucedida de Publi...
 
Revistas científicas brasileiras de acesso aberto: qualidade do ponto de vist...
Revistas científicas brasileiras de acesso aberto: qualidade do ponto de vist...Revistas científicas brasileiras de acesso aberto: qualidade do ponto de vist...
Revistas científicas brasileiras de acesso aberto: qualidade do ponto de vist...
 
Altmetria e a análise das condições de interação em torno de artigos sobre po...
Altmetria e a análise das condições de interação em torno de artigos sobre po...Altmetria e a análise das condições de interação em torno de artigos sobre po...
Altmetria e a análise das condições de interação em torno de artigos sobre po...
 

Último

AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 

Análise relacional entre princípios FAIR de gestão de dados de pesquisa e normativas internacionais de acessibilidade às pessoas com deficiência

  • 1. Análise relacional entre princípios FAIR de gestão de dados de pesquisa e normativas internacionais de acessibilidade às pessoas com deficiência Sonia Aguiar Cruz-Riascos Daniela Francescutti Martins Hott Laura Vilela Rodrigues Rezende
  • 2. CONTEXTUALIZAÇÃO ● Movimento crescente de incentivo à curadoria digital de dados de pesquisa ao nível nacional e internacional; ● Pessoas com deficiência ainda permanecem excluídas do acesso e uso destes conteúdos digitais.
  • 3. CONTEXTUALIZAÇÃO Mapa dos Países Signatários e Reconhecedores da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (2017, s.p.)
  • 4. CONTEXTUALIZAÇÃO IBGE – CENSO – 2010 (45,6 milhões de brasileiros)
  • 5. OBJETIVO • Realizar uma análise relacional entre padrões internacionais de acessibilidade e o conjunto dos princípios FAIR, a partir do escopo da acessibilidade e do contexto da gestão de dados de pesquisa.
  • 6. CONSIDERAÇÕES 1. Duas normativas de acessibilidade: • Web Content Accessibility Guidelines (WCAG 2.0) / Diretrizes de Acessibilidade ao Conteúdo da Web • Accessibility requirements suitable for public procurement of Information and Communication Technology (ICT) products and services in Europe (EN 301 549 v1.1.2) / Requisitos de acessibilidade adequados aos contratos públicos de produtos e serviços em Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) na Europa. Emanadas pela World Wide Web Consortium (W3C) e pelo European Telecommunications Standards Institute.
  • 7. CONSIDERAÇÕES 2. Não se pretende identificar semelhanças, mas sim, diretrizes complementares ao se produzir dados de pesquisa em ambientes digitais, considerando aspectos de acessibilidade fundamentais que proporcionarão o acesso e uso de forma autônoma por pessoas com deficiência.
  • 8. METODOLOGIA • Pesquisa descritiva com abordagem metodológica qualitativa, e quanto aos objetivos, exploratória. • Revisão bibliográfica sobre gestão de dados de pesquisa e acessibilidade para pessoas com deficiência. • Pesquisa documental e levantamentos em websites pertinentes para realização de análises. • Análise relacional conforme explicitado.
  • 9. RESULTADOS Princípios FAIR WCAG 2.0 EN 301 549 V.1.1.2 Desde a criação dos dados de pesquisa até o seu Acesso futuro Desde a criação de conteúdos Web até o seu acesso futuro contemplando acessibilidade de pessoas com deficiência Baseada no WCAG 2.0, contempla a fase de concepção e desenvolvimento de TIC SÍNTESE DO OBJETO DE ESTUDO DAS RECOMENDAÇÕES E ORIENTAÇÕES: As três recomendações enfatizam a importância de dados acessíveis desde a concepção de conteúdos web com viés de acesso futuro, porém a abordagem direcionada para a acessibilidade aparece somente em WCAG 2.0 e EN 301 549 v.1.1.2.
  • 10. RESULTADOS DOS LEVANTAMENTOS Websites Princípios FAIR WCAG 2.0 EN 301 549 V.1.1.2 ASES Australian National Data Service Mencionam o uso Mencionam o uso do WCAG - 89,91% Research Councils Aparentemente não adotam Mencionam a adoção nas prioridades A e AA - 80,31% Projeto Horizon 2020 Não há informação Não há informação - 82,58% 4C Project Não há informação Não há informação - 70,9% Fundação de Amparo à Pesquisa SP Não há informação Não há informação. - 77,98% Comissão Nac. Energia Nuclear Não há informação Não há informação. - 64,86% Laboratório Interinst. Astronomia Não há informação Não há informação. - 81,55% ADOÇÃO DE REQUISITOS DE ACESSIBILIDADE: Aplicação da ferramenta ASES “Avaliador e Simulador de Acessibilidade em Sítios” para identificar o grau de acessibilidade.
  • 11. CONCLUSÃO Embora existem semelhanças entre os documentos que versam sobre requisitos de acessibilidade e os princípios FAIR, ainda não há visibilidade no tocante à importância da acessibilidade universal. Espera-se que ao aplicar as principais recomendações e diretrizes de gestão de dados de pesquisa em conjunto com as normativas de acessibilidade, possa ser disponibilizado o acesso universal para contemplar as pessoas com deficiência.
  • 12. CONCLUSÃO “A deficiência não precisa ser um obstáculo para o sucesso. Durante praticamente toda a minha vida adulta sofri da doença do neurônio motor. Mesmo assim, isso não me impediu de ter uma destacada carreira como astrofísico e uma vida familiar feliz”. Professor Stephen W Hawking (1942-2018)
  • 13. AGRADECIMENTOS Sonia Aguiar Cruz-Riascos: sonia.cruzriascos@gmail.com (Universidade Federal de Pernambuco) Daniela Francescutti Martins Hott: daniela.martins@camara.leg.br / francescutti69@gmail.com (Câmara dos Deputados) Laura Vilela Rodrigues Rezende: lauravil.rr@gmail.com (Universidade Federal de Goiás)
  • 14. REFERÊNCIAS EUROPEAN TELECOMMUNICATIONS STANDARDS INSTITUTE (ETSI) (2015). Accessibility requirements suitable for public procurement of ICT products and services in Europe (EN 301 549 v1.1.2 – 2015-04). [Em linha]. Belgium: France, 2015. [Consult. 30 Mai. 2018]. Disponível na Internet: <URL:http://www.etsi.org/deliver/etsi_en/301500_301599/301549/01.01.02_60/en_3015 49v010102p.pdf>. HOTT, Daniela Francescutti Martins; REZENDE, Laura Vilela Rodrigues; CRUZ- RIASCOS, Sonia Aguiar (2018). [No prelo]. A curadoria de dados de pesquisa: da criação à reutilização considerando aspectos de acessibilidade às pessoas com deficiência. In: Congresso Internacional de Humanidades Digitais. Rio de Janeiro : Fundação Getúlio Vargas. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEORGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE. Censo Demográfico 2010: Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência.
  • 15. REFERÊNCIAS UNITED NATIONS – DISABILITY – DEPARTMENT OF ECONOMIC AND SOCIAL AFFAIRS. Home. Convention on the Rights of Persons with Disabilities (CRPD). CRPD and Optional Protocol Signatures and Ratifications. Map No. 4496 Rev.8. [Em linha]. New York: United Nation – Disability, November 2017. [Consult. 30 Ago. 2018]. Disponível na Internet: <URL: http://www.un.org/disabilities/documents/maps/enablemap.jpg>. WEB CONTENT ACCESSIBILITY GUIDELINES (WCAG) 2.0. [Em linha]. São Paulo: W3C Escritório Brasil. [Consult. 21 abr. 2018]. Disponível na Internet: <URL: https://www.w3.org/Translations/WCAG20-pt-br/> W3C BRASIL. World Wide Web Brasil. W3C.br. Sobre o W3C. [Em linha]. São Paulo: W3C Escritório Brasil. [Consult. 21 abr. 2018] Disponível na Internet: <URL: http://www.w3c.br/Sobre/>.