SlideShare uma empresa Scribd logo
Análise do poema: "O que há em mim é sobretudo cansaço" - Álvaro de Campos
Álvaro de Campos
“O que há em mim é sobretudo cansaço”
Fábio Soares
12º B
Janeiro de 2015
Escola Secundária de Santa Maria da Feira
Fases da poesia de Álvaro de Campos
Álvaro de Campos representa o heterónimo mais próximo de Fernando
Pessoa e, ao contrário de todos os outros heterónimos, este é o único cuja
poesia tem um carácter evolutivo, passando por três fases.
Decadentista Futurista Intimista
Fases de Álvaro de Campos
Álvaro de Campos “O que há em
mim é sobretudo cansaço”
Marcada pelo tédio,
cansaço e necessidade de
novas sensações. Falta de
sentido para a vida e
necessidade de fugir à
rotina.
Imita o Mestre na fruição
das sensações, só que lhe
adiciona a imaginação.
Exaltação da força, da
violência e do excesso.
Apologia da civilização
industrial. Valorização da
máquina e da velocidade
em deterimento da beleza.
Defesa de um Homem
novo, amoral e insensível
que domina o mundo
através da técnica.
Depressão, cansaço e
melancolia perante a
incapacidade das
realizações; saudades da
infância; incompreensão e
desejo de distanciação
dos outros/sociedade.
Nostalgia e desejo de
morte.
O poema
Álvaro de Campos “O que há em
mim é sobretudo cansaço”
O que há em mim é sobretudo cansaço -
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.
A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto em alguém,
Essas coisas todas -
Essas e o que falta nelas eternamente;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.
Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada -
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...
E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço,
Íssimno, íssimo, íssimo,
Cansaço...
1ª Parte – Sensação de cansaço
Álvaro de Campos “O que há em
mim é sobretudo cansaço”
O que há em mim é sobretudo cansaço -
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.
O sujeito poético afirma que
o que domina a sua vida é o
cansaço, um cansaço sem
uma origem ou causa bem
definida;
Fala do cansaço assumido
como coisa em si mesma,
sem já ser condição.
2ª Parte – Racionalização do cansaço
Álvaro de Campos “O que há em
mim é sobretudo cansaço”
A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto em alguém,
Essas coisas todas -
Essas e o que falta nelas eternamente;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.
Embora muito abstractamente, o
“eu” poético tenta explicar a
origem desse cansaço:
as “sensações inúteis”, “as
paixões violentas por coisa
nenhuma”, “os amores intensos
por o suposto em
alguém” (isto é, pelas qualidades
que ele supôs em alguém, mas
depois o desiludiram);
Campos elenca coisas que todos
perseguem - as sensações, as
paixões, o amor - e diz que todas
elas falham em significado.
3ª Parte - Comparação
Álvaro de Campos “O que há em
mim é sobretudo cansaço”
Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada -
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o
possível,
Porque quero tudo, ou um pouco mais, se
puder ser,
Ou até se não puder ser...
Aqui Campos ironiza com aqueles
que pretendem ter maiores
pretensões do que aquelas que ele
acha possível. Há quem ame o
infinito - os amantes do
conhecimento, os filósofos e os
religiosos; há quem deseje o
impossível - os sonhadores, os
ambiciosos; há quem não queira
nada - os pessimistas, os humildes.
Todos eles - segundo Campos -
erram, por serem idealistas. Ele
ama infinitamente o finito - ou seja,
quer tudo no nada, quer a
compreensão subtil do
desconhecido - quer o paradoxo,
inatingível, mas contínuo na sua
loucura.
4ª Parte - Conclusão
Álvaro de Campos “O que há em
mim é sobretudo cansaço”
E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é,
isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço,
Íssimno, íssimo, íssimo,
Cansaço...
Surgem, logicamente, as
consequências para os três
idealistas diferentes dele e para
ele próprio.
Os resultados para os outros são
portanto resumidos na própria vida,
mas para Campos a vida não chega,
em parte porque ele próprio nunca
se sente satisfeito - não tem a
riqueza, a fama, a mãe, a infância,
sobretudo a tranquilidade e a paz
de espírito para trabalhar.
Síntese
Álvaro de Campos “O que há em
mim é sobretudo cansaço”
Os idealistas de que nos fala o poema vivem, cada um à sua maneira, sem ultrapassarem os limites
impostos ao homem (ou seja, mesmo aspirando ao infinito, ou ao impossível, eram sempre
tranquilizados pela esperança de o conseguirem).
Em contrapartida, o sujeito poético, embora desejando o possível e o finito, desejava-os fora dos
limites humanos – procurava sensações brutais.
Enquanto Alberto Caeiro se contentava com as sensações moderadas da Natureza,
Álvaro de Campos quis amar tudo de todas as maneiras, ultrapassando os limites impostos aos
homens.
O seu castigo foi o enormíssimo cansaço. Portanto, este seu cansaço é fruto de um
sensacionismo desmedido.
10
Citação
Álvaro de Campos “O que há em
mim é sobretudo cansaço”
“Campos-Pessoa está cansado por não ter atingido o que para os
outros é tão fácil, porque os outros não duvidam, são empreendedores,
mesmo quando nada desejam. Deixam-se à vida, serenos ou irados, mas
completos, humanos, que vivem e que morrem sem perguntas. Campos-Pessoa
não é um ser assim, pois em si mesmo rumina uma intensa intranquilidade,
que ele justifica como cansaço, não-agir, em razão de não aceitar o seu fracasso
no mundo.”
11

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Guia do professor sentidos12
Guia do professor sentidos12Guia do professor sentidos12
Guia do professor sentidos12
Maria José Silva
 
Memorial do convento espaço social e a crítica
Memorial do convento   espaço social e a críticaMemorial do convento   espaço social e a crítica
Memorial do convento espaço social e a crítica
António Teixeira
 
Álvaro de Campos
Álvaro de CamposÁlvaro de Campos
Álvaro de Campos
Ana Isabel
 
A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do ConventoA sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
Joana Filipa Rodrigues
 
"Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade""Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade"
MiguelavRodrigues
 
Teste fernando pessoa
Teste fernando pessoaTeste fernando pessoa
Teste fernando pessoa
Ana Acciaioli
 
Análise do poema Nao sei quantas almas tenho
Análise do poema Nao sei quantas almas tenhoAnálise do poema Nao sei quantas almas tenho
Análise do poema Nao sei quantas almas tenho
Ricardo Santos
 
Lista obras textos educação Literária Secundário
Lista obras textos educação Literária  SecundárioLista obras textos educação Literária  Secundário
Lista obras textos educação Literária Secundário
BE123AEN
 
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
FilipaFonseca
 
Memorial do Convento - Cap. III
Memorial do Convento - Cap. IIIMemorial do Convento - Cap. III
Memorial do Convento - Cap. III
12º A Golegã
 
Síntese_ José Saramago - O ano da morte de Ricardo Reis.pptx
Síntese_ José Saramago - O ano da morte de Ricardo Reis.pptxSíntese_ José Saramago - O ano da morte de Ricardo Reis.pptx
Síntese_ José Saramago - O ano da morte de Ricardo Reis.pptx
LaraCosta708069
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento
João Pedro Rodrigues
 
Ficha verificação leitura memorial
Ficha verificação leitura memorialFicha verificação leitura memorial
Ficha verificação leitura memorial
Fernanda Pereira
 
Maria Eduarda-Os Maias
Maria Eduarda-Os MaiasMaria Eduarda-Os Maias
Maria Eduarda-Os Maias
nanasimao
 
Estrutura mensagem
Estrutura mensagemEstrutura mensagem
Estrutura mensagem
ameliapadrao
 
A "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. PessoaA "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. Pessoa
Dina Baptista
 
Ficha de gramática12º
Ficha de gramática12ºFicha de gramática12º
Ficha de gramática12º
quintaldasletras
 
Resumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeResumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verde
Raffaella Ergün
 
O heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto CaeiroO heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto Caeiro
guest155834
 
Poemas de eugénio de andrade
Poemas de eugénio de andradePoemas de eugénio de andrade
Poemas de eugénio de andrade
AnaGomes40
 

Mais procurados (20)

Guia do professor sentidos12
Guia do professor sentidos12Guia do professor sentidos12
Guia do professor sentidos12
 
Memorial do convento espaço social e a crítica
Memorial do convento   espaço social e a críticaMemorial do convento   espaço social e a crítica
Memorial do convento espaço social e a crítica
 
Álvaro de Campos
Álvaro de CamposÁlvaro de Campos
Álvaro de Campos
 
A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do ConventoA sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
 
"Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade""Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade"
 
Teste fernando pessoa
Teste fernando pessoaTeste fernando pessoa
Teste fernando pessoa
 
Análise do poema Nao sei quantas almas tenho
Análise do poema Nao sei quantas almas tenhoAnálise do poema Nao sei quantas almas tenho
Análise do poema Nao sei quantas almas tenho
 
Lista obras textos educação Literária Secundário
Lista obras textos educação Literária  SecundárioLista obras textos educação Literária  Secundário
Lista obras textos educação Literária Secundário
 
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
 
Memorial do Convento - Cap. III
Memorial do Convento - Cap. IIIMemorial do Convento - Cap. III
Memorial do Convento - Cap. III
 
Síntese_ José Saramago - O ano da morte de Ricardo Reis.pptx
Síntese_ José Saramago - O ano da morte de Ricardo Reis.pptxSíntese_ José Saramago - O ano da morte de Ricardo Reis.pptx
Síntese_ José Saramago - O ano da morte de Ricardo Reis.pptx
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento
 
Ficha verificação leitura memorial
Ficha verificação leitura memorialFicha verificação leitura memorial
Ficha verificação leitura memorial
 
Maria Eduarda-Os Maias
Maria Eduarda-Os MaiasMaria Eduarda-Os Maias
Maria Eduarda-Os Maias
 
Estrutura mensagem
Estrutura mensagemEstrutura mensagem
Estrutura mensagem
 
A "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. PessoaA "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. Pessoa
 
Ficha de gramática12º
Ficha de gramática12ºFicha de gramática12º
Ficha de gramática12º
 
Resumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeResumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verde
 
O heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto CaeiroO heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto Caeiro
 
Poemas de eugénio de andrade
Poemas de eugénio de andradePoemas de eugénio de andrade
Poemas de eugénio de andrade
 

Destaque

Poema alvaro de campos
Poema alvaro de camposPoema alvaro de campos
Poema alvaro de campos
Maria Teixiera
 
Álvaro de Campos, trabalho sobre o poema "O que há em mim é sobretudo cansaço"
Álvaro de Campos, trabalho sobre o poema "O que há em mim é sobretudo cansaço"Álvaro de Campos, trabalho sobre o poema "O que há em mim é sobretudo cansaço"
Álvaro de Campos, trabalho sobre o poema "O que há em mim é sobretudo cansaço"
MiguelavRodrigues
 
Poema Apontamento de Álvaro de Campos
Poema Apontamento de Álvaro de CamposPoema Apontamento de Álvaro de Campos
Poema Apontamento de Álvaro de Campos
Oxana Marian
 
Características Poéticas de Álvaro de Campos
Características Poéticas de Álvaro de CamposCaracterísticas Poéticas de Álvaro de Campos
Características Poéticas de Álvaro de Campos
Dina Baptista
 
O que há em mim é sobretudo cansaço- Álvaro de Campos
O que há em mim é sobretudo cansaço- Álvaro de CamposO que há em mim é sobretudo cansaço- Álvaro de Campos
O que há em mim é sobretudo cansaço- Álvaro de Campos
RaQuel Oliveira
 
"Segue o teu destino" - Ricardo Reis
"Segue o teu destino" - Ricardo Reis"Segue o teu destino" - Ricardo Reis
"Segue o teu destino" - Ricardo Reis
Razze
 
Tabacaria - Álvaro de Campos
Tabacaria - Álvaro de CamposTabacaria - Álvaro de Campos
Tabacaria - Álvaro de Campos
AMLDRP
 
Álvaro de Campos
Álvaro de CamposÁlvaro de Campos
Álvaro de Campos
Ketlin Stringhini
 
Produção agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- AlentejoProdução agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- Alentejo
Davide Ferreira
 
Poema - Álvaro de Campos - "ali não havia electricidade"
Poema - Álvaro de Campos - "ali não havia electricidade"Poema - Álvaro de Campos - "ali não havia electricidade"
Poema - Álvaro de Campos - "ali não havia electricidade"
Paula Marçal
 
áLvaro de campos
áLvaro de camposáLvaro de campos
áLvaro de campos
Stelian Ravas
 
Alvaro de campos... portugues
Alvaro de campos... portuguesAlvaro de campos... portugues
Alvaro de campos... portugues
Allane Lima
 
ÁLvaro de campos
ÁLvaro de camposÁLvaro de campos
ÁLvaro de campos
Margarida Tomaz
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Alexandra Canané
 
Alberto Caeiro
Alberto CaeiroAlberto Caeiro
Alberto Caeiro
guestde10d2
 
áLvaro de campos
áLvaro de camposáLvaro de campos
áLvaro de campos
Maria da Paz
 
Ricardo Reis
Ricardo ReisRicardo Reis
Ricardo Reis
guestde10d2
 
Características poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo ReisCaracterísticas poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo Reis
Dina Baptista
 
Ricardo reis
Ricardo reisRicardo reis
Ricardo reis
Bruno Freitas
 

Destaque (19)

Poema alvaro de campos
Poema alvaro de camposPoema alvaro de campos
Poema alvaro de campos
 
Álvaro de Campos, trabalho sobre o poema "O que há em mim é sobretudo cansaço"
Álvaro de Campos, trabalho sobre o poema "O que há em mim é sobretudo cansaço"Álvaro de Campos, trabalho sobre o poema "O que há em mim é sobretudo cansaço"
Álvaro de Campos, trabalho sobre o poema "O que há em mim é sobretudo cansaço"
 
Poema Apontamento de Álvaro de Campos
Poema Apontamento de Álvaro de CamposPoema Apontamento de Álvaro de Campos
Poema Apontamento de Álvaro de Campos
 
Características Poéticas de Álvaro de Campos
Características Poéticas de Álvaro de CamposCaracterísticas Poéticas de Álvaro de Campos
Características Poéticas de Álvaro de Campos
 
O que há em mim é sobretudo cansaço- Álvaro de Campos
O que há em mim é sobretudo cansaço- Álvaro de CamposO que há em mim é sobretudo cansaço- Álvaro de Campos
O que há em mim é sobretudo cansaço- Álvaro de Campos
 
"Segue o teu destino" - Ricardo Reis
"Segue o teu destino" - Ricardo Reis"Segue o teu destino" - Ricardo Reis
"Segue o teu destino" - Ricardo Reis
 
Tabacaria - Álvaro de Campos
Tabacaria - Álvaro de CamposTabacaria - Álvaro de Campos
Tabacaria - Álvaro de Campos
 
Álvaro de Campos
Álvaro de CamposÁlvaro de Campos
Álvaro de Campos
 
Produção agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- AlentejoProdução agrícola nacional- Alentejo
Produção agrícola nacional- Alentejo
 
Poema - Álvaro de Campos - "ali não havia electricidade"
Poema - Álvaro de Campos - "ali não havia electricidade"Poema - Álvaro de Campos - "ali não havia electricidade"
Poema - Álvaro de Campos - "ali não havia electricidade"
 
áLvaro de campos
áLvaro de camposáLvaro de campos
áLvaro de campos
 
Alvaro de campos... portugues
Alvaro de campos... portuguesAlvaro de campos... portugues
Alvaro de campos... portugues
 
ÁLvaro de campos
ÁLvaro de camposÁLvaro de campos
ÁLvaro de campos
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
 
Alberto Caeiro
Alberto CaeiroAlberto Caeiro
Alberto Caeiro
 
áLvaro de campos
áLvaro de camposáLvaro de campos
áLvaro de campos
 
Ricardo Reis
Ricardo ReisRicardo Reis
Ricardo Reis
 
Características poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo ReisCaracterísticas poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo Reis
 
Ricardo reis
Ricardo reisRicardo reis
Ricardo reis
 

Semelhante a Análise do poema: "O que há em mim é sobretudo cansaço" - Álvaro de Campos

Fernando Pessoa e Heterónimos
Fernando Pessoa e HeterónimosFernando Pessoa e Heterónimos
Fernando Pessoa e Heterónimos
Custódia Rebocho
 
resumos
resumosresumos
resumos
Diogo Tavares
 
Fernando pessoa ortónimos e heterónimos
Fernando pessoa   ortónimos e heterónimosFernando pessoa   ortónimos e heterónimos
Fernando pessoa ortónimos e heterónimos
Mariana338866
 
Fernando Pessoa e heterónimos
Fernando Pessoa e heterónimosFernando Pessoa e heterónimos
Fernando Pessoa e heterónimos
Margarida Rodrigues
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
Josi Motta
 
Resumo Alvaro de Campos.pdf
Resumo Alvaro de Campos.pdfResumo Alvaro de Campos.pdf
Resumo Alvaro de Campos.pdf
Rodrigo Roxo
 
Fp HeteróNimos
Fp HeteróNimosFp HeteróNimos
Fp HeteróNimos
guest9d8027
 
Fernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimoFernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimo
André Andros
 
Alvaro de campos
Alvaro de camposAlvaro de campos
Alvaro de campos
ALYNNE FERREIRA
 
Modernismo em Portugal
Modernismo em PortugalModernismo em Portugal
Modernismo em Portugal
litegatuga
 
Modernismo_em_Portugal_e_Fernando_Pessoa.pptx
Modernismo_em_Portugal_e_Fernando_Pessoa.pptxModernismo_em_Portugal_e_Fernando_Pessoa.pptx
Modernismo_em_Portugal_e_Fernando_Pessoa.pptx
LUCELIOFERREIRADASIL
 
Augusto dos Anjos
Augusto dos AnjosAugusto dos Anjos
Augusto dos Anjos
Sarah Fernandes Mendonça
 
prosas-seguidas-de-odes-mnimas_compress.pdf
prosas-seguidas-de-odes-mnimas_compress.pdfprosas-seguidas-de-odes-mnimas_compress.pdf
prosas-seguidas-de-odes-mnimas_compress.pdf
CarolinaDeCastroCerv1
 
Monografia A eterna busca do Ideal em Florbela espanca
Monografia A eterna busca do Ideal em Florbela espanca Monografia A eterna busca do Ideal em Florbela espanca
Monografia A eterna busca do Ideal em Florbela espanca
Fernanda Pantoja
 
Sentir pensando convergências textuais entre fernando pessoa e álvaro de c...
Sentir pensando    convergências textuais entre fernando pessoa e álvaro de c...Sentir pensando    convergências textuais entre fernando pessoa e álvaro de c...
Sentir pensando convergências textuais entre fernando pessoa e álvaro de c...
Diógenes de Oliveira
 
2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc
2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc
2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc
Paula Duarte
 
Fernado pessoa e seus heteronimos
Fernado pessoa e seus heteronimosFernado pessoa e seus heteronimos
Fernado pessoa e seus heteronimos
tay520
 
Fernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimoFernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimo
Conceicao Mousinho
 
Texto de apoio sobre os heterónimos Fernando Pessoa
Texto de apoio sobre os heterónimos Fernando PessoaTexto de apoio sobre os heterónimos Fernando Pessoa
Texto de apoio sobre os heterónimos Fernando Pessoa
Diogo Reis
 
Apresentação para décimo segundo ano, aula 6
Apresentação para décimo segundo ano, aula 6Apresentação para décimo segundo ano, aula 6
Apresentação para décimo segundo ano, aula 6
luisprista
 

Semelhante a Análise do poema: "O que há em mim é sobretudo cansaço" - Álvaro de Campos (20)

Fernando Pessoa e Heterónimos
Fernando Pessoa e HeterónimosFernando Pessoa e Heterónimos
Fernando Pessoa e Heterónimos
 
resumos
resumosresumos
resumos
 
Fernando pessoa ortónimos e heterónimos
Fernando pessoa   ortónimos e heterónimosFernando pessoa   ortónimos e heterónimos
Fernando pessoa ortónimos e heterónimos
 
Fernando Pessoa e heterónimos
Fernando Pessoa e heterónimosFernando Pessoa e heterónimos
Fernando Pessoa e heterónimos
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
 
Resumo Alvaro de Campos.pdf
Resumo Alvaro de Campos.pdfResumo Alvaro de Campos.pdf
Resumo Alvaro de Campos.pdf
 
Fp HeteróNimos
Fp HeteróNimosFp HeteróNimos
Fp HeteróNimos
 
Fernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimoFernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimo
 
Alvaro de campos
Alvaro de camposAlvaro de campos
Alvaro de campos
 
Modernismo em Portugal
Modernismo em PortugalModernismo em Portugal
Modernismo em Portugal
 
Modernismo_em_Portugal_e_Fernando_Pessoa.pptx
Modernismo_em_Portugal_e_Fernando_Pessoa.pptxModernismo_em_Portugal_e_Fernando_Pessoa.pptx
Modernismo_em_Portugal_e_Fernando_Pessoa.pptx
 
Augusto dos Anjos
Augusto dos AnjosAugusto dos Anjos
Augusto dos Anjos
 
prosas-seguidas-de-odes-mnimas_compress.pdf
prosas-seguidas-de-odes-mnimas_compress.pdfprosas-seguidas-de-odes-mnimas_compress.pdf
prosas-seguidas-de-odes-mnimas_compress.pdf
 
Monografia A eterna busca do Ideal em Florbela espanca
Monografia A eterna busca do Ideal em Florbela espanca Monografia A eterna busca do Ideal em Florbela espanca
Monografia A eterna busca do Ideal em Florbela espanca
 
Sentir pensando convergências textuais entre fernando pessoa e álvaro de c...
Sentir pensando    convergências textuais entre fernando pessoa e álvaro de c...Sentir pensando    convergências textuais entre fernando pessoa e álvaro de c...
Sentir pensando convergências textuais entre fernando pessoa e álvaro de c...
 
2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc
2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc
2782472-Sintese-da-materia-de-12º-ano-Portugues-preparacao-para-o-exame.doc
 
Fernado pessoa e seus heteronimos
Fernado pessoa e seus heteronimosFernado pessoa e seus heteronimos
Fernado pessoa e seus heteronimos
 
Fernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimoFernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimo
 
Texto de apoio sobre os heterónimos Fernando Pessoa
Texto de apoio sobre os heterónimos Fernando PessoaTexto de apoio sobre os heterónimos Fernando Pessoa
Texto de apoio sobre os heterónimos Fernando Pessoa
 
Apresentação para décimo segundo ano, aula 6
Apresentação para décimo segundo ano, aula 6Apresentação para décimo segundo ano, aula 6
Apresentação para décimo segundo ano, aula 6
 

Mais de Escola Secundária de Santa Maria da Feira

Recursos Energéticos
Recursos EnergéticosRecursos Energéticos
Poster científico "COMO PODE COMPROVAR-SE A EXISTÊNCIA DE BACTÉRIAS EM OBJETO...
Poster científico "COMO PODE COMPROVAR-SE A EXISTÊNCIA DE BACTÉRIAS EM OBJETO...Poster científico "COMO PODE COMPROVAR-SE A EXISTÊNCIA DE BACTÉRIAS EM OBJETO...
Poster científico "COMO PODE COMPROVAR-SE A EXISTÊNCIA DE BACTÉRIAS EM OBJETO...
Escola Secundária de Santa Maria da Feira
 
O v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os Lusíadas
O v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os LusíadasO v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os Lusíadas
O v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os Lusíadas
Escola Secundária de Santa Maria da Feira
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Felizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luz
Felizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luzFelizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luz
Felizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luz
Escola Secundária de Santa Maria da Feira
 
Alterações do corpo da mulher durante a gestação
Alterações do corpo da mulher durante a gestaçãoAlterações do corpo da mulher durante a gestação
Alterações do corpo da mulher durante a gestação
Escola Secundária de Santa Maria da Feira
 
A lírica de camões medida nova
A lírica de camões   medida novaA lírica de camões   medida nova
A lírica de camões medida nova
Escola Secundária de Santa Maria da Feira
 

Mais de Escola Secundária de Santa Maria da Feira (7)

Recursos Energéticos
Recursos EnergéticosRecursos Energéticos
Recursos Energéticos
 
Poster científico "COMO PODE COMPROVAR-SE A EXISTÊNCIA DE BACTÉRIAS EM OBJETO...
Poster científico "COMO PODE COMPROVAR-SE A EXISTÊNCIA DE BACTÉRIAS EM OBJETO...Poster científico "COMO PODE COMPROVAR-SE A EXISTÊNCIA DE BACTÉRIAS EM OBJETO...
Poster científico "COMO PODE COMPROVAR-SE A EXISTÊNCIA DE BACTÉRIAS EM OBJETO...
 
O v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os Lusíadas
O v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os LusíadasO v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os Lusíadas
O v império - Intertextualidade entre Mensagem e Os Lusíadas
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Felizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luz
Felizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luzFelizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luz
Felizmente há luar! - Didascálias e o efeito cénico da luz
 
Alterações do corpo da mulher durante a gestação
Alterações do corpo da mulher durante a gestaçãoAlterações do corpo da mulher durante a gestação
Alterações do corpo da mulher durante a gestação
 
A lírica de camões medida nova
A lírica de camões   medida novaA lírica de camões   medida nova
A lírica de camões medida nova
 

Último

Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 

Análise do poema: "O que há em mim é sobretudo cansaço" - Álvaro de Campos

  • 2. Álvaro de Campos “O que há em mim é sobretudo cansaço” Fábio Soares 12º B Janeiro de 2015 Escola Secundária de Santa Maria da Feira
  • 3. Fases da poesia de Álvaro de Campos Álvaro de Campos representa o heterónimo mais próximo de Fernando Pessoa e, ao contrário de todos os outros heterónimos, este é o único cuja poesia tem um carácter evolutivo, passando por três fases. Decadentista Futurista Intimista Fases de Álvaro de Campos Álvaro de Campos “O que há em mim é sobretudo cansaço” Marcada pelo tédio, cansaço e necessidade de novas sensações. Falta de sentido para a vida e necessidade de fugir à rotina. Imita o Mestre na fruição das sensações, só que lhe adiciona a imaginação. Exaltação da força, da violência e do excesso. Apologia da civilização industrial. Valorização da máquina e da velocidade em deterimento da beleza. Defesa de um Homem novo, amoral e insensível que domina o mundo através da técnica. Depressão, cansaço e melancolia perante a incapacidade das realizações; saudades da infância; incompreensão e desejo de distanciação dos outros/sociedade. Nostalgia e desejo de morte.
  • 4. O poema Álvaro de Campos “O que há em mim é sobretudo cansaço” O que há em mim é sobretudo cansaço - Não disto nem daquilo, Nem sequer de tudo ou de nada: Cansaço assim mesmo, ele mesmo, Cansaço. A subtileza das sensações inúteis, As paixões violentas por coisa nenhuma, Os amores intensos por o suposto em alguém, Essas coisas todas - Essas e o que falta nelas eternamente; Tudo isso faz um cansaço, Este cansaço, Cansaço. Há sem dúvida quem ame o infinito, Há sem dúvida quem deseje o impossível, Há sem dúvida quem não queira nada - Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles: Porque eu amo infinitamente o finito, Porque eu desejo impossivelmente o possível, Porque quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser, Ou até se não puder ser... E o resultado? Para eles a vida vivida ou sonhada, Para eles o sonho sonhado ou vivido, Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto... Para mim só um grande, um profundo, E, ah com que felicidade infecundo, cansaço, Um supremíssimo cansaço, Íssimno, íssimo, íssimo, Cansaço...
  • 5. 1ª Parte – Sensação de cansaço Álvaro de Campos “O que há em mim é sobretudo cansaço” O que há em mim é sobretudo cansaço - Não disto nem daquilo, Nem sequer de tudo ou de nada: Cansaço assim mesmo, ele mesmo, Cansaço. O sujeito poético afirma que o que domina a sua vida é o cansaço, um cansaço sem uma origem ou causa bem definida; Fala do cansaço assumido como coisa em si mesma, sem já ser condição.
  • 6. 2ª Parte – Racionalização do cansaço Álvaro de Campos “O que há em mim é sobretudo cansaço” A subtileza das sensações inúteis, As paixões violentas por coisa nenhuma, Os amores intensos por o suposto em alguém, Essas coisas todas - Essas e o que falta nelas eternamente; Tudo isso faz um cansaço, Este cansaço, Cansaço. Embora muito abstractamente, o “eu” poético tenta explicar a origem desse cansaço: as “sensações inúteis”, “as paixões violentas por coisa nenhuma”, “os amores intensos por o suposto em alguém” (isto é, pelas qualidades que ele supôs em alguém, mas depois o desiludiram); Campos elenca coisas que todos perseguem - as sensações, as paixões, o amor - e diz que todas elas falham em significado.
  • 7. 3ª Parte - Comparação Álvaro de Campos “O que há em mim é sobretudo cansaço” Há sem dúvida quem ame o infinito, Há sem dúvida quem deseje o impossível, Há sem dúvida quem não queira nada - Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles: Porque eu amo infinitamente o finito, Porque eu desejo impossivelmente o possível, Porque quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser, Ou até se não puder ser... Aqui Campos ironiza com aqueles que pretendem ter maiores pretensões do que aquelas que ele acha possível. Há quem ame o infinito - os amantes do conhecimento, os filósofos e os religiosos; há quem deseje o impossível - os sonhadores, os ambiciosos; há quem não queira nada - os pessimistas, os humildes. Todos eles - segundo Campos - erram, por serem idealistas. Ele ama infinitamente o finito - ou seja, quer tudo no nada, quer a compreensão subtil do desconhecido - quer o paradoxo, inatingível, mas contínuo na sua loucura.
  • 8. 4ª Parte - Conclusão Álvaro de Campos “O que há em mim é sobretudo cansaço” E o resultado? Para eles a vida vivida ou sonhada, Para eles o sonho sonhado ou vivido, Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto... Para mim só um grande, um profundo, E, ah com que felicidade infecundo, cansaço, Um supremíssimo cansaço, Íssimno, íssimo, íssimo, Cansaço... Surgem, logicamente, as consequências para os três idealistas diferentes dele e para ele próprio. Os resultados para os outros são portanto resumidos na própria vida, mas para Campos a vida não chega, em parte porque ele próprio nunca se sente satisfeito - não tem a riqueza, a fama, a mãe, a infância, sobretudo a tranquilidade e a paz de espírito para trabalhar.
  • 9. Síntese Álvaro de Campos “O que há em mim é sobretudo cansaço” Os idealistas de que nos fala o poema vivem, cada um à sua maneira, sem ultrapassarem os limites impostos ao homem (ou seja, mesmo aspirando ao infinito, ou ao impossível, eram sempre tranquilizados pela esperança de o conseguirem). Em contrapartida, o sujeito poético, embora desejando o possível e o finito, desejava-os fora dos limites humanos – procurava sensações brutais. Enquanto Alberto Caeiro se contentava com as sensações moderadas da Natureza, Álvaro de Campos quis amar tudo de todas as maneiras, ultrapassando os limites impostos aos homens. O seu castigo foi o enormíssimo cansaço. Portanto, este seu cansaço é fruto de um sensacionismo desmedido.
  • 10. 10 Citação Álvaro de Campos “O que há em mim é sobretudo cansaço” “Campos-Pessoa está cansado por não ter atingido o que para os outros é tão fácil, porque os outros não duvidam, são empreendedores, mesmo quando nada desejam. Deixam-se à vida, serenos ou irados, mas completos, humanos, que vivem e que morrem sem perguntas. Campos-Pessoa não é um ser assim, pois em si mesmo rumina uma intensa intranquilidade, que ele justifica como cansaço, não-agir, em razão de não aceitar o seu fracasso no mundo.”
  • 11. 11