SlideShare uma empresa Scribd logo
ANÁLISE DA FLEXÃO VERBAL DE TEMPO NA ESCRITA DOS
SURDOS
Cynara Martins Cotrim CARLOS1
Resumo
Focalizo neste trabalho, sobre as produções escritas dos alunos surdos, questões pertinentes à
marcação do tempo verbal, tomando como referência as experiências significativas como
professora de português como segunda língua, no Centro Estadual de Educação Especial de
Caetité. Este trabalho se soma as discussões e estudos já realizados em torno da produção
escrita de estudantes surdos devido às dificuldades nas construções linguísticas que essa
população específica apresenta (FERNANDES, 1990; GUARINELLO, 2007). O estudo foi
realizado com 02 alunos, com idade de 20 anos e 25 anos, o primeiro cursa a oitava série e o
segundo um projeto de jovens e adultos referente ao ensino fundamental. O material de estudo
foi constituído por produções escritas coletadas em atendimentos individualizados nos quais a
professora atuou como investigadora e mediadora cabendo ressaltar que foi utilizada para
comunicação a Língua de Sinais. Foi solicitado dos alunos a produção de textos a partir de
uma sequência lógica ilustrada em que se destacaram as ações dos personagens no presente,
passado e futuro. Buscando compreender melhor o processo de produção escrita do aluno
surdo, este estudo teve como objetivo analisar a flexão verbal bem como outros marcadores
de tempo usados pelos alunos surdos. Depois de avaliados os dados, notou-se melhor
desempenho na flexão verbal do aluno LA por ter maior grau de escolaridade existindo uma
diferença significante na flexão verbal demonstrando avanço e ampliação do conhecimento da
Língua Portuguesa.
Palavras-chave: Português como Segunda Língua, Língua Brasileira de Sinais, Flexão
Verbal.
1
Professora do Centro Estadual de Educação Especial de Caetité - BA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1 la construcción histórica de la asignatura en el currículo escolar
1 la construcción histórica de la asignatura en el currículo escolar1 la construcción histórica de la asignatura en el currículo escolar
1 la construcción histórica de la asignatura en el currículo escolar
Martha Lucía Salamanca Solis
 
Projeto de planejamento
Projeto de planejamentoProjeto de planejamento
Projeto de planejamento
mooniesaturn
 
Guia de aprendizagem 3a unid out 2017
Guia de aprendizagem 3a unid out 2017Guia de aprendizagem 3a unid out 2017
Guia de aprendizagem 3a unid out 2017
Val Valença
 
12ª mssfi preenchida
12ª mssfi preenchida12ª mssfi preenchida
12ª mssfi preenchida
SEMECDIEDETEF
 
3 circulación de saberes sobre enseñanza en propuestas curriculares
3 circulación de saberes sobre enseñanza en propuestas curriculares3 circulación de saberes sobre enseñanza en propuestas curriculares
3 circulación de saberes sobre enseñanza en propuestas curriculares
Martha Lucía Salamanca Solis
 
O processo de construção da escrita no 1º ano do ensino
O processo de construção da escrita no 1º ano do ensinoO processo de construção da escrita no 1º ano do ensino
O processo de construção da escrita no 1º ano do ensino
Geisa Vieira
 
Erelic - aquecimento global
Erelic - aquecimento globalErelic - aquecimento global
Erelic - aquecimento global
Mayara2018
 
Flavia silva-formacao-inicial
Flavia silva-formacao-inicialFlavia silva-formacao-inicial
Flavia silva-formacao-inicial
Eventos COPESBRA
 
Linguas estrangeiras - Vera Hanna - Mackenzie
Linguas estrangeiras - Vera Hanna - MackenzieLinguas estrangeiras - Vera Hanna - Mackenzie
Linguas estrangeiras - Vera Hanna - Mackenzie
Camila Ferreira
 
Ementas letras (1)
Ementas letras (1)Ementas letras (1)
Ementas letras (1)
Leonice Barbosa
 
Diferença e exemplos de ensino prescritivo
Diferença e exemplos de ensino prescritivoDiferença e exemplos de ensino prescritivo
Diferença e exemplos de ensino prescritivo
Jenifer Ferreira
 
Exemplo de Projeto
Exemplo de ProjetoExemplo de Projeto
Exemplo de Projeto
Tatiane Rauber Dedé
 
Especificidade e importância da pratica docente
Especificidade e importância da pratica docenteEspecificidade e importância da pratica docente
Especificidade e importância da pratica docente
Luzivania Cabral
 
Aulade le praticasociallivrodidático
Aulade le praticasociallivrodidáticoAulade le praticasociallivrodidático
Aulade le praticasociallivrodidático
Raquel Salcedo Gomes
 
Novos letramentos e cosmopolitismo na formação de professores
Novos letramentos e cosmopolitismo na formação de professoresNovos letramentos e cosmopolitismo na formação de professores
Novos letramentos e cosmopolitismo na formação de professores
Lourdes Balabuch
 
Da Línguitica Aplicada ao Ensino de Línguas
Da Línguitica Aplicada ao Ensino de LínguasDa Línguitica Aplicada ao Ensino de Línguas
Da Línguitica Aplicada ao Ensino de Línguas
Walber Abreu
 
Esquema PCNs
Esquema PCNsEsquema PCNs
Esquema PCNs
Aldatgalves
 
CLAFPL
CLAFPLCLAFPL
Línguistica aplicada e o professor de língua inglesa
Línguistica aplicada e o professor de língua inglesaLínguistica aplicada e o professor de língua inglesa
Línguistica aplicada e o professor de língua inglesa
Sergiouesc
 
Projeto de pesquia para seleção ao Mestrado
Projeto de pesquia para seleção ao MestradoProjeto de pesquia para seleção ao Mestrado
Projeto de pesquia para seleção ao Mestrado
Jose Arnaldo Silva
 

Mais procurados (20)

1 la construcción histórica de la asignatura en el currículo escolar
1 la construcción histórica de la asignatura en el currículo escolar1 la construcción histórica de la asignatura en el currículo escolar
1 la construcción histórica de la asignatura en el currículo escolar
 
Projeto de planejamento
Projeto de planejamentoProjeto de planejamento
Projeto de planejamento
 
Guia de aprendizagem 3a unid out 2017
Guia de aprendizagem 3a unid out 2017Guia de aprendizagem 3a unid out 2017
Guia de aprendizagem 3a unid out 2017
 
12ª mssfi preenchida
12ª mssfi preenchida12ª mssfi preenchida
12ª mssfi preenchida
 
3 circulación de saberes sobre enseñanza en propuestas curriculares
3 circulación de saberes sobre enseñanza en propuestas curriculares3 circulación de saberes sobre enseñanza en propuestas curriculares
3 circulación de saberes sobre enseñanza en propuestas curriculares
 
O processo de construção da escrita no 1º ano do ensino
O processo de construção da escrita no 1º ano do ensinoO processo de construção da escrita no 1º ano do ensino
O processo de construção da escrita no 1º ano do ensino
 
Erelic - aquecimento global
Erelic - aquecimento globalErelic - aquecimento global
Erelic - aquecimento global
 
Flavia silva-formacao-inicial
Flavia silva-formacao-inicialFlavia silva-formacao-inicial
Flavia silva-formacao-inicial
 
Linguas estrangeiras - Vera Hanna - Mackenzie
Linguas estrangeiras - Vera Hanna - MackenzieLinguas estrangeiras - Vera Hanna - Mackenzie
Linguas estrangeiras - Vera Hanna - Mackenzie
 
Ementas letras (1)
Ementas letras (1)Ementas letras (1)
Ementas letras (1)
 
Diferença e exemplos de ensino prescritivo
Diferença e exemplos de ensino prescritivoDiferença e exemplos de ensino prescritivo
Diferença e exemplos de ensino prescritivo
 
Exemplo de Projeto
Exemplo de ProjetoExemplo de Projeto
Exemplo de Projeto
 
Especificidade e importância da pratica docente
Especificidade e importância da pratica docenteEspecificidade e importância da pratica docente
Especificidade e importância da pratica docente
 
Aulade le praticasociallivrodidático
Aulade le praticasociallivrodidáticoAulade le praticasociallivrodidático
Aulade le praticasociallivrodidático
 
Novos letramentos e cosmopolitismo na formação de professores
Novos letramentos e cosmopolitismo na formação de professoresNovos letramentos e cosmopolitismo na formação de professores
Novos letramentos e cosmopolitismo na formação de professores
 
Da Línguitica Aplicada ao Ensino de Línguas
Da Línguitica Aplicada ao Ensino de LínguasDa Línguitica Aplicada ao Ensino de Línguas
Da Línguitica Aplicada ao Ensino de Línguas
 
Esquema PCNs
Esquema PCNsEsquema PCNs
Esquema PCNs
 
CLAFPL
CLAFPLCLAFPL
CLAFPL
 
Línguistica aplicada e o professor de língua inglesa
Línguistica aplicada e o professor de língua inglesaLínguistica aplicada e o professor de língua inglesa
Línguistica aplicada e o professor de língua inglesa
 
Projeto de pesquia para seleção ao Mestrado
Projeto de pesquia para seleção ao MestradoProjeto de pesquia para seleção ao Mestrado
Projeto de pesquia para seleção ao Mestrado
 

Semelhante a Análise da flexão verbal de tempo na escrita dos surdos

Construção de Historias por Alunos Surdos
Construção de Historias por Alunos SurdosConstrução de Historias por Alunos Surdos
Construção de Historias por Alunos Surdos
asustecnologia
 
1906 texto do artigo-5343-1-10-20160617
1906 texto do artigo-5343-1-10-201606171906 texto do artigo-5343-1-10-20160617
1906 texto do artigo-5343-1-10-20160617
Adriano Alves de Souza
 
Trabalho projetos
Trabalho   projetosTrabalho   projetos
Trabalho projetos
Espaco_Pedagogia
 
Gêneros textuais e ensino
Gêneros textuais e ensinoGêneros textuais e ensino
Gêneros textuais e ensino
Olivaldo Ferreira
 
12ª mssfi stands
12ª mssfi stands12ª mssfi stands
12ª mssfi stands
SEMECDIEDETEF
 
Relato de experiência hanna e caique
Relato de experiência  hanna e caiqueRelato de experiência  hanna e caique
Relato de experiência hanna e caique
pibid ING
 
Abordagem ao genero textual crônica
Abordagem ao genero textual crônicaAbordagem ao genero textual crônica
Abordagem ao genero textual crônica
Andreia Medeiros
 
PROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIR
PROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIRPROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIR
PROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIR
LOCIMAR MASSALAI
 
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
Luna Karoline
 
PCNs 3 e 4 ciclos para blog
PCNs 3 e 4 ciclos para blogPCNs 3 e 4 ciclos para blog
PCNs 3 e 4 ciclos para blog
Thiagogui
 
Pcn 3 e 4 ciclos para blog
Pcn 3 e 4 ciclos para blogPcn 3 e 4 ciclos para blog
Pcn 3 e 4 ciclos para blog
Thiagogui
 
Pcn 3 e 4 ciclos
Pcn 3 e 4 ciclos Pcn 3 e 4 ciclos
Pcn 3 e 4 ciclos
Thiagogui
 
Letramentos na educação bilingue para surdos
Letramentos na educação bilingue para surdosLetramentos na educação bilingue para surdos
Letramentos na educação bilingue para surdos
Nilda de Oliveira Campos
 
04 ekalinovskitrabalhocompleto
04 ekalinovskitrabalhocompleto04 ekalinovskitrabalhocompleto
04 ekalinovskitrabalhocompleto
Priscila Guimarães
 
Da fala a_escrita
Da fala a_escritaDa fala a_escrita
Da fala a_escrita
Allewerton Silveira
 
Da fala a_escrita
Da fala a_escritaDa fala a_escrita
Da fala a_escrita
Allewerton Silveira
 
Volume xvi 2006
Volume xvi 2006Volume xvi 2006
Volume xvi 2006
estevaofernandes
 
Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?
Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?
Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?
Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda
 
Generos interpessoais
Generos interpessoaisGeneros interpessoais
Generos interpessoais
Clecio Bunzen
 
Apresentação Projeto Língua Portuguesa.ppt
Apresentação Projeto Língua Portuguesa.pptApresentação Projeto Língua Portuguesa.ppt
Apresentação Projeto Língua Portuguesa.ppt
WanessaCristinaCapon
 

Semelhante a Análise da flexão verbal de tempo na escrita dos surdos (20)

Construção de Historias por Alunos Surdos
Construção de Historias por Alunos SurdosConstrução de Historias por Alunos Surdos
Construção de Historias por Alunos Surdos
 
1906 texto do artigo-5343-1-10-20160617
1906 texto do artigo-5343-1-10-201606171906 texto do artigo-5343-1-10-20160617
1906 texto do artigo-5343-1-10-20160617
 
Trabalho projetos
Trabalho   projetosTrabalho   projetos
Trabalho projetos
 
Gêneros textuais e ensino
Gêneros textuais e ensinoGêneros textuais e ensino
Gêneros textuais e ensino
 
12ª mssfi stands
12ª mssfi stands12ª mssfi stands
12ª mssfi stands
 
Relato de experiência hanna e caique
Relato de experiência  hanna e caiqueRelato de experiência  hanna e caique
Relato de experiência hanna e caique
 
Abordagem ao genero textual crônica
Abordagem ao genero textual crônicaAbordagem ao genero textual crônica
Abordagem ao genero textual crônica
 
PROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIR
PROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIRPROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIR
PROJETO DE ESTÁGIO IV - Graduação em Letras e suas Literaturas pela UAB/UNIR
 
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
 
PCNs 3 e 4 ciclos para blog
PCNs 3 e 4 ciclos para blogPCNs 3 e 4 ciclos para blog
PCNs 3 e 4 ciclos para blog
 
Pcn 3 e 4 ciclos para blog
Pcn 3 e 4 ciclos para blogPcn 3 e 4 ciclos para blog
Pcn 3 e 4 ciclos para blog
 
Pcn 3 e 4 ciclos
Pcn 3 e 4 ciclos Pcn 3 e 4 ciclos
Pcn 3 e 4 ciclos
 
Letramentos na educação bilingue para surdos
Letramentos na educação bilingue para surdosLetramentos na educação bilingue para surdos
Letramentos na educação bilingue para surdos
 
04 ekalinovskitrabalhocompleto
04 ekalinovskitrabalhocompleto04 ekalinovskitrabalhocompleto
04 ekalinovskitrabalhocompleto
 
Da fala a_escrita
Da fala a_escritaDa fala a_escrita
Da fala a_escrita
 
Da fala a_escrita
Da fala a_escritaDa fala a_escrita
Da fala a_escrita
 
Volume xvi 2006
Volume xvi 2006Volume xvi 2006
Volume xvi 2006
 
Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?
Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?
Ensino de português para surdos: O que a linguística aplicada tem a nos ensinar?
 
Generos interpessoais
Generos interpessoaisGeneros interpessoais
Generos interpessoais
 
Apresentação Projeto Língua Portuguesa.ppt
Apresentação Projeto Língua Portuguesa.pptApresentação Projeto Língua Portuguesa.ppt
Apresentação Projeto Língua Portuguesa.ppt
 

Mais de siepex

Pedagogia da terra significados da formação para educadores e educadoras do...
Pedagogia da terra   significados da formação para educadores e educadoras do...Pedagogia da terra   significados da formação para educadores e educadoras do...
Pedagogia da terra significados da formação para educadores e educadoras do...
siepex
 
O curso de extensão “atendimento educacional comum e especializado ao aluno c...
O curso de extensão “atendimento educacional comum e especializado ao aluno c...O curso de extensão “atendimento educacional comum e especializado ao aluno c...
O curso de extensão “atendimento educacional comum e especializado ao aluno c...
siepex
 
Famílias e comunidades escravas na fazenda itibiraba, século xviii aspectos ...
Famílias e comunidades escravas na fazenda itibiraba, século xviii  aspectos ...Famílias e comunidades escravas na fazenda itibiraba, século xviii  aspectos ...
Famílias e comunidades escravas na fazenda itibiraba, século xviii aspectos ...
siepex
 
Cultura tecnológica, juventude e educação representações de jovens e adulto...
Cultura tecnológica, juventude e educação   representações de jovens e adulto...Cultura tecnológica, juventude e educação   representações de jovens e adulto...
Cultura tecnológica, juventude e educação representações de jovens e adulto...
siepex
 
Concepções de deficiência histórias de mães cuidadoras que participam do ca...
Concepções de deficiência   histórias de mães cuidadoras que participam do ca...Concepções de deficiência   histórias de mães cuidadoras que participam do ca...
Concepções de deficiência histórias de mães cuidadoras que participam do ca...
siepex
 
Biocombustíveis oportunidades e desafios.pdf2
Biocombustíveis   oportunidades e desafios.pdf2Biocombustíveis   oportunidades e desafios.pdf2
Biocombustíveis oportunidades e desafios.pdf2
siepex
 
Banco mundial na política educacional baiana
Banco mundial na política educacional baianaBanco mundial na política educacional baiana
Banco mundial na política educacional baiana
siepex
 
Políticas públicas de emancipação digital possibilidades e avanços à inclus...
Políticas públicas de emancipação digital   possibilidades e avanços à inclus...Políticas públicas de emancipação digital   possibilidades e avanços à inclus...
Políticas públicas de emancipação digital possibilidades e avanços à inclus...
siepex
 
Educação e cultura um caminho para a diversidade
Educação e cultura   um caminho para a diversidadeEducação e cultura   um caminho para a diversidade
Educação e cultura um caminho para a diversidade
siepex
 
A política de irrigação e a reestruturação regional do vale do são francisco
A política de irrigação e a reestruturação regional do vale do são franciscoA política de irrigação e a reestruturação regional do vale do são francisco
A política de irrigação e a reestruturação regional do vale do são francisco
siepex
 
Formação continuada em serviço significados, reflexões e perspectivas
Formação continuada em serviço   significados, reflexões e perspectivasFormação continuada em serviço   significados, reflexões e perspectivas
Formação continuada em serviço significados, reflexões e perspectivas
siepex
 
Distrito de lagoa clara uma análise socioeconômica
Distrito de lagoa clara   uma análise socioeconômicaDistrito de lagoa clara   uma análise socioeconômica
Distrito de lagoa clara uma análise socioeconômica
siepex
 
Diferentes cores semelhantes seres reflexões e práticas.docx
Diferentes cores semelhantes seres   reflexões e práticas.docxDiferentes cores semelhantes seres   reflexões e práticas.docx
Diferentes cores semelhantes seres reflexões e práticas.docx
siepex
 
Ciência experimental em sala de aula determinação da aceleração da gravidad...
Ciência experimental em sala de aula   determinação da aceleração da gravidad...Ciência experimental em sala de aula   determinação da aceleração da gravidad...
Ciência experimental em sala de aula determinação da aceleração da gravidad...
siepex
 
Centro de recuperação vida nova como espaço tempo de práticas educativas nã...
Centro de recuperação vida nova como espaço   tempo de práticas educativas nã...Centro de recuperação vida nova como espaço   tempo de práticas educativas nã...
Centro de recuperação vida nova como espaço tempo de práticas educativas nã...
siepex
 
As geotecnologias nos livros didáticos uma análise para o ensino fundamenta...
As geotecnologias nos livros didáticos   uma análise para o ensino fundamenta...As geotecnologias nos livros didáticos   uma análise para o ensino fundamenta...
As geotecnologias nos livros didáticos uma análise para o ensino fundamenta...
siepex
 
A presença do diálogo na relação professor aluno na educação de jovens e adultos
A presença do diálogo na relação professor aluno na educação de jovens e adultosA presença do diálogo na relação professor aluno na educação de jovens e adultos
A presença do diálogo na relação professor aluno na educação de jovens e adultos
siepex
 
A implantação do ifbaiano em bom jesus da lapa considerações iniciais
A implantação do ifbaiano em bom jesus da lapa   considerações iniciaisA implantação do ifbaiano em bom jesus da lapa   considerações iniciais
A implantação do ifbaiano em bom jesus da lapa considerações iniciais
siepex
 
A família na escola uma experiência no município de riacho de santana
A família na escola   uma experiência no município de riacho de santanaA família na escola   uma experiência no município de riacho de santana
A família na escola uma experiência no município de riacho de santana
siepex
 
A extensão do projeto cat funcionamento, infra-estrutura, apoio instituciona...
A extensão do projeto cat  funcionamento, infra-estrutura, apoio instituciona...A extensão do projeto cat  funcionamento, infra-estrutura, apoio instituciona...
A extensão do projeto cat funcionamento, infra-estrutura, apoio instituciona...
siepex
 

Mais de siepex (20)

Pedagogia da terra significados da formação para educadores e educadoras do...
Pedagogia da terra   significados da formação para educadores e educadoras do...Pedagogia da terra   significados da formação para educadores e educadoras do...
Pedagogia da terra significados da formação para educadores e educadoras do...
 
O curso de extensão “atendimento educacional comum e especializado ao aluno c...
O curso de extensão “atendimento educacional comum e especializado ao aluno c...O curso de extensão “atendimento educacional comum e especializado ao aluno c...
O curso de extensão “atendimento educacional comum e especializado ao aluno c...
 
Famílias e comunidades escravas na fazenda itibiraba, século xviii aspectos ...
Famílias e comunidades escravas na fazenda itibiraba, século xviii  aspectos ...Famílias e comunidades escravas na fazenda itibiraba, século xviii  aspectos ...
Famílias e comunidades escravas na fazenda itibiraba, século xviii aspectos ...
 
Cultura tecnológica, juventude e educação representações de jovens e adulto...
Cultura tecnológica, juventude e educação   representações de jovens e adulto...Cultura tecnológica, juventude e educação   representações de jovens e adulto...
Cultura tecnológica, juventude e educação representações de jovens e adulto...
 
Concepções de deficiência histórias de mães cuidadoras que participam do ca...
Concepções de deficiência   histórias de mães cuidadoras que participam do ca...Concepções de deficiência   histórias de mães cuidadoras que participam do ca...
Concepções de deficiência histórias de mães cuidadoras que participam do ca...
 
Biocombustíveis oportunidades e desafios.pdf2
Biocombustíveis   oportunidades e desafios.pdf2Biocombustíveis   oportunidades e desafios.pdf2
Biocombustíveis oportunidades e desafios.pdf2
 
Banco mundial na política educacional baiana
Banco mundial na política educacional baianaBanco mundial na política educacional baiana
Banco mundial na política educacional baiana
 
Políticas públicas de emancipação digital possibilidades e avanços à inclus...
Políticas públicas de emancipação digital   possibilidades e avanços à inclus...Políticas públicas de emancipação digital   possibilidades e avanços à inclus...
Políticas públicas de emancipação digital possibilidades e avanços à inclus...
 
Educação e cultura um caminho para a diversidade
Educação e cultura   um caminho para a diversidadeEducação e cultura   um caminho para a diversidade
Educação e cultura um caminho para a diversidade
 
A política de irrigação e a reestruturação regional do vale do são francisco
A política de irrigação e a reestruturação regional do vale do são franciscoA política de irrigação e a reestruturação regional do vale do são francisco
A política de irrigação e a reestruturação regional do vale do são francisco
 
Formação continuada em serviço significados, reflexões e perspectivas
Formação continuada em serviço   significados, reflexões e perspectivasFormação continuada em serviço   significados, reflexões e perspectivas
Formação continuada em serviço significados, reflexões e perspectivas
 
Distrito de lagoa clara uma análise socioeconômica
Distrito de lagoa clara   uma análise socioeconômicaDistrito de lagoa clara   uma análise socioeconômica
Distrito de lagoa clara uma análise socioeconômica
 
Diferentes cores semelhantes seres reflexões e práticas.docx
Diferentes cores semelhantes seres   reflexões e práticas.docxDiferentes cores semelhantes seres   reflexões e práticas.docx
Diferentes cores semelhantes seres reflexões e práticas.docx
 
Ciência experimental em sala de aula determinação da aceleração da gravidad...
Ciência experimental em sala de aula   determinação da aceleração da gravidad...Ciência experimental em sala de aula   determinação da aceleração da gravidad...
Ciência experimental em sala de aula determinação da aceleração da gravidad...
 
Centro de recuperação vida nova como espaço tempo de práticas educativas nã...
Centro de recuperação vida nova como espaço   tempo de práticas educativas nã...Centro de recuperação vida nova como espaço   tempo de práticas educativas nã...
Centro de recuperação vida nova como espaço tempo de práticas educativas nã...
 
As geotecnologias nos livros didáticos uma análise para o ensino fundamenta...
As geotecnologias nos livros didáticos   uma análise para o ensino fundamenta...As geotecnologias nos livros didáticos   uma análise para o ensino fundamenta...
As geotecnologias nos livros didáticos uma análise para o ensino fundamenta...
 
A presença do diálogo na relação professor aluno na educação de jovens e adultos
A presença do diálogo na relação professor aluno na educação de jovens e adultosA presença do diálogo na relação professor aluno na educação de jovens e adultos
A presença do diálogo na relação professor aluno na educação de jovens e adultos
 
A implantação do ifbaiano em bom jesus da lapa considerações iniciais
A implantação do ifbaiano em bom jesus da lapa   considerações iniciaisA implantação do ifbaiano em bom jesus da lapa   considerações iniciais
A implantação do ifbaiano em bom jesus da lapa considerações iniciais
 
A família na escola uma experiência no município de riacho de santana
A família na escola   uma experiência no município de riacho de santanaA família na escola   uma experiência no município de riacho de santana
A família na escola uma experiência no município de riacho de santana
 
A extensão do projeto cat funcionamento, infra-estrutura, apoio instituciona...
A extensão do projeto cat  funcionamento, infra-estrutura, apoio instituciona...A extensão do projeto cat  funcionamento, infra-estrutura, apoio instituciona...
A extensão do projeto cat funcionamento, infra-estrutura, apoio instituciona...
 

Análise da flexão verbal de tempo na escrita dos surdos

  • 1. ANÁLISE DA FLEXÃO VERBAL DE TEMPO NA ESCRITA DOS SURDOS Cynara Martins Cotrim CARLOS1 Resumo Focalizo neste trabalho, sobre as produções escritas dos alunos surdos, questões pertinentes à marcação do tempo verbal, tomando como referência as experiências significativas como professora de português como segunda língua, no Centro Estadual de Educação Especial de Caetité. Este trabalho se soma as discussões e estudos já realizados em torno da produção escrita de estudantes surdos devido às dificuldades nas construções linguísticas que essa população específica apresenta (FERNANDES, 1990; GUARINELLO, 2007). O estudo foi realizado com 02 alunos, com idade de 20 anos e 25 anos, o primeiro cursa a oitava série e o segundo um projeto de jovens e adultos referente ao ensino fundamental. O material de estudo foi constituído por produções escritas coletadas em atendimentos individualizados nos quais a professora atuou como investigadora e mediadora cabendo ressaltar que foi utilizada para comunicação a Língua de Sinais. Foi solicitado dos alunos a produção de textos a partir de uma sequência lógica ilustrada em que se destacaram as ações dos personagens no presente, passado e futuro. Buscando compreender melhor o processo de produção escrita do aluno surdo, este estudo teve como objetivo analisar a flexão verbal bem como outros marcadores de tempo usados pelos alunos surdos. Depois de avaliados os dados, notou-se melhor desempenho na flexão verbal do aluno LA por ter maior grau de escolaridade existindo uma diferença significante na flexão verbal demonstrando avanço e ampliação do conhecimento da Língua Portuguesa. Palavras-chave: Português como Segunda Língua, Língua Brasileira de Sinais, Flexão Verbal. 1 Professora do Centro Estadual de Educação Especial de Caetité - BA