SlideShare uma empresa Scribd logo
Amarelão
A Ancilostomíase e a Necatoríase são duas
doenças semelhantes causadas
pelos nematódeos Ancylostoma duodenale
e Necator americanus e é popularmente
conhecida como amarelão.
Amarelão
o cor branca em forma de C
o 2 pares de dentes cortantes
o macho: extremidade posterior com bolsa copuladora aberta
o fêmea: extremidade posterior em ponta grossa
o cor parda em forma de S
o 1 par de placas cortantes
o macho: extremidade posterior com bolsa copuladora
  fechada
o fêmea: extremidade posterior em ponta delgada
Amarelão
Amarelão
A larva infectante penetra na pele intacta.
Dentro do organismo, invade os vasos linfáticos e
sanguíneos e migram pelas veias para
os pulmões, via o coração. Permanece nos alvéolos
e depois migram (ou é tossida) pelos brônquios até
à faringe, onde é deglutida inconscientemente para
o esôfago. Após passar pelo estômago (a
sua cutícula resistente permite-lhe suportar o
ambiente ácido) passa ao duodeno (intestino).
A larva infectante é ingerida em água ou
alimentos contaminados e percorre todo o trato
gastrointestinal, até atingir o duodeno, habitat do
parasito. Durante esse percurso, sofre as mudanças
necessárias à formação do verme adulto.
Amarelão
o prurido na pele, eritema, erupção papulo-
  veniculosa
o tosse seca ou com expectoração, estertores
  pulmonares, Síndrome de Loeffer, eosinofilia
o náuseas e vômitos, anorexia, mal estar, cólicas,
  diarreia, cansaço, perda de peso, anemia grave,
  dilatação cardíaca, insuficiência respiratória
o anemia (palidez), cansaço, mucosas descoradas,
  fraqueza, tonturas, dores musculares, cefaleia,
  anorexia
Amarelão
Os ovos têm 60 micrometros e são eliminados nas fezes
humanas. Na terra quente e úmida, os ovos eclodem, liberando as
larvas, que sofrerão mudanças (ou ecdises), até atingir a forma
denominada filarióide ou infectante, dentro de uma semana. É capaz
de viver por mais de um mês, procurando encontrar um hospedeiro
humano. Se conseguirem, elas são capazes de penetrar
na pele intacta. Dentro do organismo, invade os vasos linfáticos e
sanguíneos e migram pelas veias para os pulmões. Permanece nos
alvéolos e depois migram até à faringe, de onde vai para o esôfago.
Após passar pelo estômago vão para o intestino. É aí que se
desenvolvem e acasalam as formas adultas, produzindo mais de
100.000.000 ovos por dia. É importante ressaltar que também ocorre
infecção por via oral. Nesse caso, a larva infectante é ingerida em
água ou alimentos contaminados e percorre todo o trato
gastrointestinal, até atingir o duodeno, habitat do parasita.
Amarelão
Amarelão
o
  Utilização de calçados (sapato ou
  sandália), evitando o contato direto com o solo
  contaminado;
o Fornecimento de infra-estrutura básica para a
  população, proporcionando saneamento básico e
  condições adequadas de higienização;
o Ter o máximo de cuidado quanto ao local
  destinado ao lazer das crianças, pois acabam
  brincando com terra;
o Educação da comunidade, bem como o tratamento
  das pessoas doentes.
o mebendazol
o pirantel
o tetracloroetileno

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bacterias Doenças Provocadas
Bacterias Doenças ProvocadasBacterias Doenças Provocadas
Bacterias Doenças Provocadas
Mariana Rei Ferreira
 
Helmintos - Enfermegem
Helmintos - EnfermegemHelmintos - Enfermegem
Helmintos - Enfermegem
João Paulo Viana
 
Ascaris lumbricoides
Ascaris lumbricoidesAscaris lumbricoides
Ascaris lumbricoides
Juliermeson Morais
 
Aula de Parasitologia do dia: 22.09.16
Aula de Parasitologia do dia: 22.09.16Aula de Parasitologia do dia: 22.09.16
Aula de Parasitologia do dia: 22.09.16
Jaqueline Almeida
 
Parasitoses
ParasitosesParasitoses
Parasitoses
Débora Neves
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
naiellyrodrigues
 
Strongyloides stercoralis
Strongyloides stercoralisStrongyloides stercoralis
Strongyloides stercoralis
Beatriz Henkels
 
Teníase
TeníaseTeníase
Introdução a Parasitologia
Introdução a ParasitologiaIntrodução a Parasitologia
Introdução a Parasitologia
Safia Naser
 
Doenças causadas por virus
Doenças  causadas por virusDoenças  causadas por virus
Doenças causadas por virus
Adrianne Mendonça
 
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris LumbricoidesAscaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Fernanda Gomes
 
Aula de enterobius vermicularis
Aula de  enterobius vermicularisAula de  enterobius vermicularis
Aula de enterobius vermicularis
Rossana Martins
 
Aula n° 1
Aula n° 1  Aula n° 1
Aula n° 1
Gildo Crispim
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
emanuel
 
Aula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia BásicaAula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia Básica
Jaqueline Almeida
 
Ancilostomídeos
AncilostomídeosAncilostomídeos
Ancilostomídeos
Hugo Fialho
 
Aula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Aula de Parasitologia Médica sobre a MaláriaAula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Aula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Jaqueline Almeida
 
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
Danillo Rodrigues
 
Ascaris lumbricoides
Ascaris lumbricoidesAscaris lumbricoides
Ascaris lumbricoides
Nathália Vasconcelos
 
Plasmodium
PlasmodiumPlasmodium
Plasmodium
WAGNER OLIVEIRA
 

Mais procurados (20)

Bacterias Doenças Provocadas
Bacterias Doenças ProvocadasBacterias Doenças Provocadas
Bacterias Doenças Provocadas
 
Helmintos - Enfermegem
Helmintos - EnfermegemHelmintos - Enfermegem
Helmintos - Enfermegem
 
Ascaris lumbricoides
Ascaris lumbricoidesAscaris lumbricoides
Ascaris lumbricoides
 
Aula de Parasitologia do dia: 22.09.16
Aula de Parasitologia do dia: 22.09.16Aula de Parasitologia do dia: 22.09.16
Aula de Parasitologia do dia: 22.09.16
 
Parasitoses
ParasitosesParasitoses
Parasitoses
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
 
Strongyloides stercoralis
Strongyloides stercoralisStrongyloides stercoralis
Strongyloides stercoralis
 
Teníase
TeníaseTeníase
Teníase
 
Introdução a Parasitologia
Introdução a ParasitologiaIntrodução a Parasitologia
Introdução a Parasitologia
 
Doenças causadas por virus
Doenças  causadas por virusDoenças  causadas por virus
Doenças causadas por virus
 
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris LumbricoidesAscaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
 
Aula de enterobius vermicularis
Aula de  enterobius vermicularisAula de  enterobius vermicularis
Aula de enterobius vermicularis
 
Aula n° 1
Aula n° 1  Aula n° 1
Aula n° 1
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 
Aula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia BásicaAula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia Básica
 
Ancilostomídeos
AncilostomídeosAncilostomídeos
Ancilostomídeos
 
Aula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Aula de Parasitologia Médica sobre a MaláriaAula de Parasitologia Médica sobre a Malária
Aula de Parasitologia Médica sobre a Malária
 
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
 
Ascaris lumbricoides
Ascaris lumbricoidesAscaris lumbricoides
Ascaris lumbricoides
 
Plasmodium
PlasmodiumPlasmodium
Plasmodium
 

Semelhante a Amarelão

Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
Bio
 
008 helmintos
008   helmintos008   helmintos
008 helmintos
Jonatas Barros
 
Filo : Nematelminto ( Ancilostomíase )
Filo : Nematelminto ( Ancilostomíase )Filo : Nematelminto ( Ancilostomíase )
Filo : Nematelminto ( Ancilostomíase )
Guilherme Inacio
 
Animais Invertebrados
Animais InvertebradosAnimais Invertebrados
Animais Invertebrados
M. Cristina Torres Felippin
 
12 nematelmintos-2
12 nematelmintos-212 nematelmintos-2
12 nematelmintos-2
Ercio Novaes
 
Endoparasitas e ectoparasitas em felinos
Endoparasitas e ectoparasitas em felinosEndoparasitas e ectoparasitas em felinos
Endoparasitas e ectoparasitas em felinos
Evolução Evolução
 
Filo platelminto
Filo platelmintoFilo platelminto
Filo platelminto
Danie Gongui
 
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
Sarah Lemes
 
Aula invertebrados
Aula invertebradosAula invertebrados
Aula invertebrados
Andre Luiz Nascimento
 
MICRO AULA 4 PARASITO.pdf
MICRO AULA 4 PARASITO.pdfMICRO AULA 4 PARASITO.pdf
MICRO AULA 4 PARASITO.pdf
FernandoBrito656910
 
Zoo 1 de poríferos a nematelmintos
Zoo 1    de poríferos a nematelmintosZoo 1    de poríferos a nematelmintos
Zoo 1 de poríferos a nematelmintos
aulasdotubao
 
platelmintes parasitas
platelmintes parasitasplatelmintes parasitas
platelmintes parasitas
Rodrigo
 
Plano de aula 10
Plano de aula 10Plano de aula 10
Plano de aula 10
familiaestagio
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
Flávio Booz
 
Platelmintos & Nematódeos
Platelmintos & NematódeosPlatelmintos & Nematódeos
Platelmintos & Nematódeos
Leandro Mota
 
Pulgas em cães e gatos
Pulgas em cães e gatosPulgas em cães e gatos
Pulgas em cães e gatos
ricardo morita
 
Principais verminoses humanas
Principais verminoses humanasPrincipais verminoses humanas
Principais verminoses humanas
Marcos Santos
 
Resumão - Helmintos Redondos.pdf
Resumão - Helmintos  Redondos.pdfResumão - Helmintos  Redondos.pdf
Resumão - Helmintos Redondos.pdf
MichaelCarmo4
 
Filo Platyhelminthes - Platelmintos
Filo Platyhelminthes - PlatelmintosFilo Platyhelminthes - Platelmintos
Filo Platyhelminthes - Platelmintos
Carla Brígida
 
Parte escrita dtas causadas por parasitas
Parte escrita dtas causadas por parasitasParte escrita dtas causadas por parasitas
Parte escrita dtas causadas por parasitas
Vanessa Queiroz
 

Semelhante a Amarelão (20)

Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
 
008 helmintos
008   helmintos008   helmintos
008 helmintos
 
Filo : Nematelminto ( Ancilostomíase )
Filo : Nematelminto ( Ancilostomíase )Filo : Nematelminto ( Ancilostomíase )
Filo : Nematelminto ( Ancilostomíase )
 
Animais Invertebrados
Animais InvertebradosAnimais Invertebrados
Animais Invertebrados
 
12 nematelmintos-2
12 nematelmintos-212 nematelmintos-2
12 nematelmintos-2
 
Endoparasitas e ectoparasitas em felinos
Endoparasitas e ectoparasitas em felinosEndoparasitas e ectoparasitas em felinos
Endoparasitas e ectoparasitas em felinos
 
Filo platelminto
Filo platelmintoFilo platelminto
Filo platelminto
 
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
 
Aula invertebrados
Aula invertebradosAula invertebrados
Aula invertebrados
 
MICRO AULA 4 PARASITO.pdf
MICRO AULA 4 PARASITO.pdfMICRO AULA 4 PARASITO.pdf
MICRO AULA 4 PARASITO.pdf
 
Zoo 1 de poríferos a nematelmintos
Zoo 1    de poríferos a nematelmintosZoo 1    de poríferos a nematelmintos
Zoo 1 de poríferos a nematelmintos
 
platelmintes parasitas
platelmintes parasitasplatelmintes parasitas
platelmintes parasitas
 
Plano de aula 10
Plano de aula 10Plano de aula 10
Plano de aula 10
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
 
Platelmintos & Nematódeos
Platelmintos & NematódeosPlatelmintos & Nematódeos
Platelmintos & Nematódeos
 
Pulgas em cães e gatos
Pulgas em cães e gatosPulgas em cães e gatos
Pulgas em cães e gatos
 
Principais verminoses humanas
Principais verminoses humanasPrincipais verminoses humanas
Principais verminoses humanas
 
Resumão - Helmintos Redondos.pdf
Resumão - Helmintos  Redondos.pdfResumão - Helmintos  Redondos.pdf
Resumão - Helmintos Redondos.pdf
 
Filo Platyhelminthes - Platelmintos
Filo Platyhelminthes - PlatelmintosFilo Platyhelminthes - Platelmintos
Filo Platyhelminthes - Platelmintos
 
Parte escrita dtas causadas por parasitas
Parte escrita dtas causadas por parasitasParte escrita dtas causadas por parasitas
Parte escrita dtas causadas por parasitas
 

Amarelão

  • 2. A Ancilostomíase e a Necatoríase são duas doenças semelhantes causadas pelos nematódeos Ancylostoma duodenale e Necator americanus e é popularmente conhecida como amarelão.
  • 4. o cor branca em forma de C o 2 pares de dentes cortantes o macho: extremidade posterior com bolsa copuladora aberta o fêmea: extremidade posterior em ponta grossa
  • 5. o cor parda em forma de S o 1 par de placas cortantes o macho: extremidade posterior com bolsa copuladora fechada o fêmea: extremidade posterior em ponta delgada
  • 8. A larva infectante penetra na pele intacta. Dentro do organismo, invade os vasos linfáticos e sanguíneos e migram pelas veias para os pulmões, via o coração. Permanece nos alvéolos e depois migram (ou é tossida) pelos brônquios até à faringe, onde é deglutida inconscientemente para o esôfago. Após passar pelo estômago (a sua cutícula resistente permite-lhe suportar o ambiente ácido) passa ao duodeno (intestino).
  • 9. A larva infectante é ingerida em água ou alimentos contaminados e percorre todo o trato gastrointestinal, até atingir o duodeno, habitat do parasito. Durante esse percurso, sofre as mudanças necessárias à formação do verme adulto.
  • 11. o prurido na pele, eritema, erupção papulo- veniculosa o tosse seca ou com expectoração, estertores pulmonares, Síndrome de Loeffer, eosinofilia o náuseas e vômitos, anorexia, mal estar, cólicas, diarreia, cansaço, perda de peso, anemia grave, dilatação cardíaca, insuficiência respiratória o anemia (palidez), cansaço, mucosas descoradas, fraqueza, tonturas, dores musculares, cefaleia, anorexia
  • 13. Os ovos têm 60 micrometros e são eliminados nas fezes humanas. Na terra quente e úmida, os ovos eclodem, liberando as larvas, que sofrerão mudanças (ou ecdises), até atingir a forma denominada filarióide ou infectante, dentro de uma semana. É capaz de viver por mais de um mês, procurando encontrar um hospedeiro humano. Se conseguirem, elas são capazes de penetrar na pele intacta. Dentro do organismo, invade os vasos linfáticos e sanguíneos e migram pelas veias para os pulmões. Permanece nos alvéolos e depois migram até à faringe, de onde vai para o esôfago. Após passar pelo estômago vão para o intestino. É aí que se desenvolvem e acasalam as formas adultas, produzindo mais de 100.000.000 ovos por dia. É importante ressaltar que também ocorre infecção por via oral. Nesse caso, a larva infectante é ingerida em água ou alimentos contaminados e percorre todo o trato gastrointestinal, até atingir o duodeno, habitat do parasita.
  • 16. o Utilização de calçados (sapato ou sandália), evitando o contato direto com o solo contaminado; o Fornecimento de infra-estrutura básica para a população, proporcionando saneamento básico e condições adequadas de higienização; o Ter o máximo de cuidado quanto ao local destinado ao lazer das crianças, pois acabam brincando com terra; o Educação da comunidade, bem como o tratamento das pessoas doentes.
  • 17. o mebendazol o pirantel o tetracloroetileno