SlideShare uma empresa Scribd logo
ALGUNS INDICADORES SOCIAIS
COLÉGIO SALESIANO ITAJAÍ
PROFESSORA: CONCEIÇÃO FONTOLAN
NOMES: DAVI ALMEIDA 08, FERNANDA FERNANDES 13, GUILHERME PINHEIRO 14
3° ANO C / 2017
INDICADORES SOCIAIS
• Os indicadores sociais podem ser utilizados para determinar se um
país é rico, está em desenvolvimento ou é subdesenvolvido.
• Acompanhamento estatístico dos programas nacionais de cunho
social
• Famosos indicadores como o IDH (Índice de Desenvolvimento
Humano) e o Metas do Milênio permitem comparar dados de
diferentes populações ao redor do mundo. Esses números ajudam
a orientar ações de auxílio internacional aos países mais pobres,
por exemplo. Dentro desses indicadores amplos, os critérios para a
classificação são estabelecidos por organizações internacionais.
VARIÁVEIS : População, Saúde, Educação, Atividade
Econômica, Renda, Patrimônio, Uso do Tempo,
Segurança Pública, Mobilidade Social e Cultura.
QUE TIPO DE INFORMAÇÃO OS
INDICADORES PODEM DAR SOBRE O
BRASIL?
• A comparação entre as regiões Norte, Nordeste, Sudeste, Sul e
Centro-Oeste é muito útil para que você conheça melhor o país.
Comparando-se os Indicadores Sociais do Nordeste com os do
Sudeste (por exemplo, número de pessoas que têm em casa esgoto
ligado à rede geral, água tratada e coleta de lixo), fica claro que no
Nordeste as famílias vivem em piores condições de vida do que no
Sudeste.
• Ao mesmo tempo, os Indicadores permitem que você avalie com mais
cuidado as ações dos governos no que se refere à administração da
vida das pessoas. Um governo conseguiu melhorar os índices de
educação em várias regiões, outro pode ter incentivado a criação de
novas indústrias – os números mostram o que realmente foi realizado!
8 METAS DO MILÊNIO
• Documento que consolidou várias metas
estabelecidas nas conferências mundiais ocorridas ao
longo dos anos 90, estabelecendo um conjunto de
objetivos para o desenvolvimento e a erradicação da
pobreza no mundo – os chamados Objetivos de
Desenvolvimento do Milênio (ODM) – que devem ser
adotados pelos estados membros das Nações Unidas,
que envidarão esforços para alcançá-los até 2015.
OBJETIVOS
1 - Erradicar a extrema pobreza e a fome.
2 - Atingir o ensino básico universal.
3 - Promover a igualdade de gênero e a autonomia das mulheres.
4 - Reduzir a mortalidade infantil.
5 - Melhorar a saúde materna.
6 - Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças.
7 - Garantir a sustentabilidade ambiental.
8 - Estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento.
DADOS ECONÔMICOS E SOCIAIS (INDICADORES)
• Expectativa de vida (É a média de anos de vida de uma pessoa em determinado país).
• Taxa de mortalidade (Corresponde ao número de pessoas que morreram durante o ano).
• Taxa de mortalidade infantil (Corresponde ao número de crianças que morrem antes de completar 1 ano).
• Taxa de analfabetismo (Corresponde ao percentual de pessoas que não sabem ler e nem escrever).
• Renda Nacional Bruta (RNB) per capita, baseada na paridade de poder de compra dos habitantes.
• Saúde (Refere-se à qualidade da saúde da população).
• Alimentação (Refere-se à alimentação mínima que uma pessoa necessita, cerca de 2.500 calorias, e se essa
alimentação é balanceada).
• Condições médico-sanitárias (Acesso a esgoto, água tratada, pavimentação etc.)
• Qualidade de vida e acesso ao consumo (Correspondem ao número de carros, de computadores, televisores, celulares,
acesso à internet entre outros).
IDH (ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO)
• Foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) para medir o grau de desenvolvimento
econômico e, principalmente, a qualidade de vida oferecida para a população.
O IDH avalia os países em uma escala de 0 a 1 e é calculado com base nos dados econômicos e sociais.
Escala do IDH
0,800 a 1,000 Muito alto
0,700 a 0,799 Alto
0,600 a 0,699 Médio
0,500 a 0,599 Baixo
0,000 a 0,499 Muito baixo
ALGUNS INDICADORES SOCIAIS
IDH DOS PAÍSES
http://www.br.undp.org/content/brazil/pt/home/idh0/rankings/idh-global.html
ÍNDICE DE GINI
• É um parâmetro internacional usado para medir a desigualdade de
distribuição de renda entre os países.
• O coeficiente varia entre 0 e 1, sendo que quanto mais próximo do zero
menor é a desigualdade de renda num país, ou seja, melhor a distribuição
de renda. Quanto mais próximo do um, maior a concentração de renda
num país.
• A representação gráfica do Coeficiente de Gini é realizada a partir da chamada curva de Lorenz. No gráfico
a seguir, observa-se que, no eixo X, são dispostos os percentuais acumulados da população em ordem de
renda crescente. Já no eixo Y, é colocada a renda também em percentuais acumulados.
• A linha reta colocada a 45º representa a hipotética situação de um país totalmente igualitário em termos de
distribuição de renda, ou seja, em que todos os habitantes possuem a mesma aquisição de renda em
termos de distribuição. Dessa forma, quanto mais próxima dessa configuração apresentar-se a curva de
Lorenz, menores serão as desigualdades de renda no território analisado.
ÍNDICE DE GINI DE OUTROS PAÍSES:
- Ucrânia: 0,241
- Eslovênia: 0,256
- Noruega: 0,259
- México: 0,482
- Chile: 0,505
- Haiti: 0,608
- Namíbia: 0,610
- África do Sul: 0,634
O Índice de Gini do Brasil é de 0,515
(ano de 2015) o que demonstra que
nosso país, apesar dos avanços
econômicos dos últimos anos, ainda
tem uma alta concentração de renda.
Porém, devemos destacar um avanço
do Brasil neste índice, já que em
2008 era de 0,544.
PIB
• É uma medida do valor dos bens
e serviços que o país produz
num período, na agropecuária,
indústria e serviços.
• Objetivo: Medir a atividade
econômica e o nível de riqueza
de uma região. Quanto mais se
produz, mais se está
consumindo, investindo e
vendendo
Evolução do PIB brasileiro nos últimos vinte anos
COMISSÃO APROVA ISENÇÃO DE IMPOSTOS PARA
MUNICÍPIOS COM BAIXO IDH
A Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo
do Senado (CDR) aprovou o projeto (PLS 348/2014)
que isenta de impostos os municípios brasileiros com
baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). A
ideia é diminuir desigualdades e incentivar a
economia local. Para o relator da proposta, senador
Humberto Costa (PT–PE), uma das vantagens da
redução das taxas sobre o saneamento básico é o
impacto positivo sobre a saúde. Ouça os detalhes no
áudio da repórter da Rádio Senado, Ana Beatriz
Santos.
12/07/2017, 14h38 - ATUALIZADO EM 12/07/2017, 20h31
http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/07/12/cdr-aprova-desoneracao-de-servicos-de-
infraestrutura-em-municipios-de-baixo-idh
INDICADORES SOCIAIS MOSTRAM QUE PAÍS PODE NÃO
ATINGIR OBJETIVOS DA ONU
8 DE JULHO DE 2017 - 9H52
• Se forem mantidas as atuais tendências em relação à evolução dos indicadores sociais, o Brasil poderá
não atingir os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela Organização das
Nações Unidas (ONU) para o ano de 2030. O alerta é de integrantes da sociedade civil, que elaboraram
um relatório sobre a situação do país que aponta poucos avanços e até mesmo retrocessos em áreas
como redução da pobreza e garantia da saúde.
Uma versão reduzida do relatório "Luz da Sociedade
Civil sobre os Objetivos do Desenvolvimento
Sustentável" foi apresentada nesta sexta-feira (7),
no Rio de Janeiro. Na próxima semana, haverá uma
reunião na ONU, em Nova York, em que a
organização irá avaliar o desenvolvimento de cada
país.
http://www.vermelho.org.br/noticia/299097-1
QUESTÕES DE VESTIBULAR
1- (UFPE) Verifique os dados apresentados a seguir.
Tomando-se por base esses indicadores sociais e econômicos, é correto afirmar que:
a) desses países, apenas dois têm economia desenvolvida.
b) os países 1 e 5 devem estar situados na Europa Ocidental.
c) o país 4 encontra-se numa fase de recessão.
d) os países 2 e 3 devem possuir um sistema econômico socialista.
e) o país 5 é o único que possui uma economia desenvolvida.
2- O Brasil é um país subdesenvolvido e que ainda possui uma significativa quantidade de pessoas vivendo
abaixo da linha da pobreza. Sobre os fatores que contribuem para a construção e permanência da pobreza
no Brasil, assinale a alternativa incorreta:
a) A pobreza no Brasil não é causada por um episódio único, sendo resultado de uma série de fatores
históricos, sociais, conjunturais e políticos.
b) O tipo de colonização ao qual o Brasil foi submetido no passado exerce influência até os dias atuais na
distribuição da riqueza no país.
c) Fatores históricos possuem influência insignificante na expressiva quantidade de pessoas que vivem na
pobreza no Brasil. O principal fator reside em uma tradição cultural de desvalorização do trabalho. A maior
parte dessas pessoas opta por não trabalhar, por comodismo ou escolha.
d) O desenvolvimento tardio do país configura-se como uma das causas do quadro de pobreza brasileiro.
e) A histórica dependência econômica que nosso país tem em relação às nações desenvolvidas e
organismos financeiros internacionais agrava ainda mais a desigualdade social e a pobreza existentes no
Brasil.
3- (Upe 2013) Observe a charge a seguir:
Ela faz referência a uma forma de desigualdade. Acerca das características dessa estrutura social, analise as
alternativas e marque a CORRETA.
a) A hierarquização é rígida, baseada em critérios hereditários, profissionais, étnicos, religiosos, que
determinam as relações entre as pessoas.
b) A tradição é um elemento fundamental na definição das relações estabelecidas entre os diferentes
grupos.
c) A mobilidade de um estrato para outro nessa estrutura é possível, mas é controlada pelos indivíduos que
estão na hierarquia superior da organização.
d) As pessoas se diferem umas das outras pelo lugar ocupado por elas num sistema historicamente
determinado de produção social, de relação com os meios de produção e por seu papel na organização
social do trabalho.
e) A escolha do cônjuge deve ser feita exclusivamente no seio da organização social, com base nos critérios
hereditários.
4-Os três países que apresentam as melhores médias de Índice de Desenvolvimento Humano são,
respectivamente:
a) Noruega, Austrália e Islândia
b) Brasil, Austrália e Japão
c) Níger, Finlândia e Alemanha
d) Estados Unidos, França e Reino Unido
e) Japão, Noruega e Suíça
5- Analise a tabela que expressa a taxa de mortalidade infantil no Brasil e assinale a alternativa correta.
a) De 1930 a 2010, o Nordeste foi a Região brasileira que registrou os mais altos índices de mortalidade
infantil.
b) Atualmente (2010), a taxa de mortalidade infantil da Região Norte é de 24,2 para cada mil nascidos
vivos. Essa média foi atingida pela Região Sul entre 1990 a 2000.
c) Nos últimos 20 anos, o Sudeste conseguiu reduzir a taxa de mortalidade infantil em aproximadamente
20%, se comparado com 1990.
d) A Região Sul sempre apresentou as menores taxas de mortalidade infantil do país.
e) As taxas de mortalidade infantil do Sul e do Sudeste estão abaixo da média nacional, enquanto a taxa do
Centro-Oeste está acima da média brasileira.
GABARITO
1-E
2-C
3-D
4-A
5-B
FONTES
• http://m.brasilescola.uol.com.br/geografia/os-indicadores-sociais.htm
• http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/indicadoresminimos/default_mini
mos.shtm
• http://economia.culturamix.com/banco/indicadores-sociais-e-economicos
• http://www.suapesquisa.com/economia/coeficiente_gini.htm
• http://docplayer.com.br/2871096-Indice-de-gini-e-idh-prof-antonio-carlos-assumpcao.html
• https://www.nexojornal.com.br/especial/2016/09/02/10-%C3%ADndices-econ%C3%B4micos-e-sociais-
nos-13-anos-de-governo-PT-no-Brasil
• https://youtu.be/ITKpvTD2_rU
• https://youtu.be/x_R6UACS1ws
• https://youtu.be/kldtyXBtUKs

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do Brasil
Luciano Pessanha
 
Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
Leandro A. Machado de Moura
 
Globalização e meio ambiente
Globalização e meio ambienteGlobalização e meio ambiente
Globalização e meio ambiente
Nome Sobrenome
 
Regionalização
RegionalizaçãoRegionalização
Regionalização
Prof. Francesco Torres
 
Atividades sobre a europa
Atividades sobre a europaAtividades sobre a europa
Atividades sobre a europa
Atividades Diversas Cláudia
 
Geografia Do Brasil RegiõEs
Geografia Do Brasil   RegiõEsGeografia Do Brasil   RegiõEs
Geografia Do Brasil RegiõEs
Mateus Silva
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
Cristina Gouveia
 
Estado nação, território e poder
Estado nação, território e poderEstado nação, território e poder
Estado nação, território e poder
Vinicius Coelho
 
Território e Poder
Território e PoderTerritório e Poder
Território e Poder
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Os fluxos migratórios
Os fluxos migratóriosOs fluxos migratórios
Os fluxos migratórios
Jane Mary Lima Castro
 
Região sul do Brasil
Região sul do BrasilRegião sul do Brasil
Região sul do Brasil
Nome Sobrenome
 
Urbanização brasileira
Urbanização brasileiraUrbanização brasileira
Urbanização brasileira
Abner de Paula
 
7º ano unidade 5 - Região Norte
7º ano   unidade 5 - Região Norte7º ano   unidade 5 - Região Norte
7º ano unidade 5 - Região Norte
Christie Freitas
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos Naturais
Diogo Mateus
 
Espaço rural e urbano
Espaço rural e urbanoEspaço rural e urbano
Espaço rural e urbano
Portal do Vestibulando
 
Cap. 5 o continente americano
Cap. 5   o continente americanoCap. 5   o continente americano
Cap. 5 o continente americano
profacacio
 
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
A regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundialA regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundial
Uilson Pereira da Silva
 
Populaçao mundial
Populaçao mundialPopulaçao mundial
Populaçao mundial
Prof.Paulo/geografia
 
Formação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiroFormação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiro
feraps
 

Mais procurados (20)

Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do Brasil
 
Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
 
Globalização e meio ambiente
Globalização e meio ambienteGlobalização e meio ambiente
Globalização e meio ambiente
 
Regionalização
RegionalizaçãoRegionalização
Regionalização
 
Atividades sobre a europa
Atividades sobre a europaAtividades sobre a europa
Atividades sobre a europa
 
Geografia Do Brasil RegiõEs
Geografia Do Brasil   RegiõEsGeografia Do Brasil   RegiõEs
Geografia Do Brasil RegiõEs
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Estado nação, território e poder
Estado nação, território e poderEstado nação, território e poder
Estado nação, território e poder
 
Território e Poder
Território e PoderTerritório e Poder
Território e Poder
 
Os fluxos migratórios
Os fluxos migratóriosOs fluxos migratórios
Os fluxos migratórios
 
Região sul do Brasil
Região sul do BrasilRegião sul do Brasil
Região sul do Brasil
 
Urbanização brasileira
Urbanização brasileiraUrbanização brasileira
Urbanização brasileira
 
7º ano unidade 5 - Região Norte
7º ano   unidade 5 - Região Norte7º ano   unidade 5 - Região Norte
7º ano unidade 5 - Região Norte
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos Naturais
 
Espaço rural e urbano
Espaço rural e urbanoEspaço rural e urbano
Espaço rural e urbano
 
Cap. 5 o continente americano
Cap. 5   o continente americanoCap. 5   o continente americano
Cap. 5 o continente americano
 
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
 
A regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundialA regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundial
 
Populaçao mundial
Populaçao mundialPopulaçao mundial
Populaçao mundial
 
Formação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiroFormação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiro
 

Semelhante a ALGUNS INDICADORES SOCIAIS

DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
Conceição Fontolan
 
DESIGUALDADES SOCIOECONÕMICAS
DESIGUALDADES SOCIOECONÕMICASDESIGUALDADES SOCIOECONÕMICAS
DESIGUALDADES SOCIOECONÕMICAS
Conceição Fontolan
 
Questões da desigualde: Informativo sobre desigualdades nos países BRICS
Questões da desigualde: Informativo sobre desigualdades nos países BRICSQuestões da desigualde: Informativo sobre desigualdades nos países BRICS
Questões da desigualde: Informativo sobre desigualdades nos países BRICS
Oxfam Brasil
 
Desenvolvimento idh x distribuição de renda gini
Desenvolvimento idh x distribuição de renda giniDesenvolvimento idh x distribuição de renda gini
Desenvolvimento idh x distribuição de renda gini
Wesley Germano Otávio
 
GEOGRAFIA: IDH
GEOGRAFIA: IDHGEOGRAFIA: IDH
GEOGRAFIA: IDH
BlogSJuniinho
 
INDICADORES SOCIOECONÔMICO indice de desenvolvimento humano
INDICADORES SOCIOECONÔMICO indice de desenvolvimento humanoINDICADORES SOCIOECONÔMICO indice de desenvolvimento humano
INDICADORES SOCIOECONÔMICO indice de desenvolvimento humano
LucianoPrado15
 
Contrastesde Desenvolvimento[1]
Contrastesde Desenvolvimento[1]Contrastesde Desenvolvimento[1]
Contrastesde Desenvolvimento[1]
isabelsilveira
 
Qualidade de vida em numeros
Qualidade de vida em numerosQualidade de vida em numeros
Qualidade de vida em numeros
Prof.Paulo/geografia
 
Contrastes de desenvolvimento
Contrastes de desenvolvimentoContrastes de desenvolvimento
Contrastes de desenvolvimento
maria
 
Atps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economicoAtps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economico
Eduardo3379
 
Desenvolvimento econômico & idh
Desenvolvimento econômico & idhDesenvolvimento econômico & idh
Desenvolvimento econômico & idh
Wander Lúcio Barreto Barreto
 
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimentoPaíses desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
lidia76
 
Idh texto e atividades
Idh   texto e atividadesIdh   texto e atividades
Idh texto e atividades
Erick Schunig
 
Contrastes de desenvolvimento
Contrastes de desenvolvimentoContrastes de desenvolvimento
Contrastes de desenvolvimento
Mariana Sousa
 
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE OS INDICADORES SOCIAIS.
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE OS INDICADORES SOCIAIS.REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE OS INDICADORES SOCIAIS.
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE OS INDICADORES SOCIAIS.
Conceição Fontolan
 
Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)
Rosária Zamith
 
OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS)
OBJETIVOS DE  DESENVOLVIMENTO  SUSTENTÁVEL  (ODS)OBJETIVOS DE  DESENVOLVIMENTO  SUSTENTÁVEL  (ODS)
OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS)
ObsDrFurb
 
Lista+exame
Lista+exameLista+exame
Lista+exame
Bruna Kono
 
indicadoressociais2-170819082142.pdf
indicadoressociais2-170819082142.pdfindicadoressociais2-170819082142.pdf
indicadoressociais2-170819082142.pdf
Anderson Torres Pereira
 
Oficina de elaboração de projetos para captação de
Oficina de elaboração de projetos para captação deOficina de elaboração de projetos para captação de
Oficina de elaboração de projetos para captação de
Marcelo Area Leao
 

Semelhante a ALGUNS INDICADORES SOCIAIS (20)

DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
 
DESIGUALDADES SOCIOECONÕMICAS
DESIGUALDADES SOCIOECONÕMICASDESIGUALDADES SOCIOECONÕMICAS
DESIGUALDADES SOCIOECONÕMICAS
 
Questões da desigualde: Informativo sobre desigualdades nos países BRICS
Questões da desigualde: Informativo sobre desigualdades nos países BRICSQuestões da desigualde: Informativo sobre desigualdades nos países BRICS
Questões da desigualde: Informativo sobre desigualdades nos países BRICS
 
Desenvolvimento idh x distribuição de renda gini
Desenvolvimento idh x distribuição de renda giniDesenvolvimento idh x distribuição de renda gini
Desenvolvimento idh x distribuição de renda gini
 
GEOGRAFIA: IDH
GEOGRAFIA: IDHGEOGRAFIA: IDH
GEOGRAFIA: IDH
 
INDICADORES SOCIOECONÔMICO indice de desenvolvimento humano
INDICADORES SOCIOECONÔMICO indice de desenvolvimento humanoINDICADORES SOCIOECONÔMICO indice de desenvolvimento humano
INDICADORES SOCIOECONÔMICO indice de desenvolvimento humano
 
Contrastesde Desenvolvimento[1]
Contrastesde Desenvolvimento[1]Contrastesde Desenvolvimento[1]
Contrastesde Desenvolvimento[1]
 
Qualidade de vida em numeros
Qualidade de vida em numerosQualidade de vida em numeros
Qualidade de vida em numeros
 
Contrastes de desenvolvimento
Contrastes de desenvolvimentoContrastes de desenvolvimento
Contrastes de desenvolvimento
 
Atps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economicoAtps desenvolvimento economico
Atps desenvolvimento economico
 
Desenvolvimento econômico & idh
Desenvolvimento econômico & idhDesenvolvimento econômico & idh
Desenvolvimento econômico & idh
 
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimentoPaíses desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
 
Idh texto e atividades
Idh   texto e atividadesIdh   texto e atividades
Idh texto e atividades
 
Contrastes de desenvolvimento
Contrastes de desenvolvimentoContrastes de desenvolvimento
Contrastes de desenvolvimento
 
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE OS INDICADORES SOCIAIS.
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE OS INDICADORES SOCIAIS.REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE OS INDICADORES SOCIAIS.
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE OS INDICADORES SOCIAIS.
 
Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)
 
OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS)
OBJETIVOS DE  DESENVOLVIMENTO  SUSTENTÁVEL  (ODS)OBJETIVOS DE  DESENVOLVIMENTO  SUSTENTÁVEL  (ODS)
OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS)
 
Lista+exame
Lista+exameLista+exame
Lista+exame
 
indicadoressociais2-170819082142.pdf
indicadoressociais2-170819082142.pdfindicadoressociais2-170819082142.pdf
indicadoressociais2-170819082142.pdf
 
Oficina de elaboração de projetos para captação de
Oficina de elaboração de projetos para captação deOficina de elaboração de projetos para captação de
Oficina de elaboração de projetos para captação de
 

Mais de Conceição Fontolan

ÁFRICA
ÁFRICAÁFRICA
ÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTALÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTAL
Conceição Fontolan
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
Conceição Fontolan
 
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTEÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
Conceição Fontolan
 
PAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTESPAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTES
Conceição Fontolan
 
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEAFLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
Conceição Fontolan
 
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHASVEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
Conceição Fontolan
 
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANASFLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
Conceição Fontolan
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
Conceição Fontolan
 
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAISSAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
Conceição Fontolan
 
FLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAISFLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAIS
Conceição Fontolan
 
RELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTALRELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTAL
Conceição Fontolan
 
SUDESTE ASIÁTICO
SUDESTE ASIÁTICOSUDESTE ASIÁTICO
SUDESTE ASIÁTICO
Conceição Fontolan
 
CONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANOCONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANO
Conceição Fontolan
 
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTEÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
Conceição Fontolan
 
CONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANOCONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANO
Conceição Fontolan
 
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHASVEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
Conceição Fontolan
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
Conceição Fontolan
 
CANADÁ
CANADÁCANADÁ
PAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTESPAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTES
Conceição Fontolan
 

Mais de Conceição Fontolan (20)

ÁFRICA
ÁFRICAÁFRICA
ÁFRICA
 
ÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTALÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTAL
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
 
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTEÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
 
PAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTESPAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTES
 
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEAFLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
 
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHASVEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
 
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANASFLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
 
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAISSAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
 
FLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAISFLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAIS
 
RELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTALRELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTAL
 
SUDESTE ASIÁTICO
SUDESTE ASIÁTICOSUDESTE ASIÁTICO
SUDESTE ASIÁTICO
 
CONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANOCONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANO
 
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTEÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
 
CONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANOCONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANO
 
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHASVEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
 
CANADÁ
CANADÁCANADÁ
CANADÁ
 
PAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTESPAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTES
 

Último

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
Daniel273024
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
Geagra UFG
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 

Último (20)

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 

ALGUNS INDICADORES SOCIAIS

  • 1. ALGUNS INDICADORES SOCIAIS COLÉGIO SALESIANO ITAJAÍ PROFESSORA: CONCEIÇÃO FONTOLAN NOMES: DAVI ALMEIDA 08, FERNANDA FERNANDES 13, GUILHERME PINHEIRO 14 3° ANO C / 2017
  • 2. INDICADORES SOCIAIS • Os indicadores sociais podem ser utilizados para determinar se um país é rico, está em desenvolvimento ou é subdesenvolvido. • Acompanhamento estatístico dos programas nacionais de cunho social • Famosos indicadores como o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) e o Metas do Milênio permitem comparar dados de diferentes populações ao redor do mundo. Esses números ajudam a orientar ações de auxílio internacional aos países mais pobres, por exemplo. Dentro desses indicadores amplos, os critérios para a classificação são estabelecidos por organizações internacionais.
  • 3. VARIÁVEIS : População, Saúde, Educação, Atividade Econômica, Renda, Patrimônio, Uso do Tempo, Segurança Pública, Mobilidade Social e Cultura.
  • 4. QUE TIPO DE INFORMAÇÃO OS INDICADORES PODEM DAR SOBRE O BRASIL? • A comparação entre as regiões Norte, Nordeste, Sudeste, Sul e Centro-Oeste é muito útil para que você conheça melhor o país. Comparando-se os Indicadores Sociais do Nordeste com os do Sudeste (por exemplo, número de pessoas que têm em casa esgoto ligado à rede geral, água tratada e coleta de lixo), fica claro que no Nordeste as famílias vivem em piores condições de vida do que no Sudeste. • Ao mesmo tempo, os Indicadores permitem que você avalie com mais cuidado as ações dos governos no que se refere à administração da vida das pessoas. Um governo conseguiu melhorar os índices de educação em várias regiões, outro pode ter incentivado a criação de novas indústrias – os números mostram o que realmente foi realizado!
  • 5. 8 METAS DO MILÊNIO • Documento que consolidou várias metas estabelecidas nas conferências mundiais ocorridas ao longo dos anos 90, estabelecendo um conjunto de objetivos para o desenvolvimento e a erradicação da pobreza no mundo – os chamados Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) – que devem ser adotados pelos estados membros das Nações Unidas, que envidarão esforços para alcançá-los até 2015.
  • 6. OBJETIVOS 1 - Erradicar a extrema pobreza e a fome. 2 - Atingir o ensino básico universal. 3 - Promover a igualdade de gênero e a autonomia das mulheres. 4 - Reduzir a mortalidade infantil. 5 - Melhorar a saúde materna. 6 - Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças. 7 - Garantir a sustentabilidade ambiental. 8 - Estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento.
  • 7. DADOS ECONÔMICOS E SOCIAIS (INDICADORES) • Expectativa de vida (É a média de anos de vida de uma pessoa em determinado país). • Taxa de mortalidade (Corresponde ao número de pessoas que morreram durante o ano). • Taxa de mortalidade infantil (Corresponde ao número de crianças que morrem antes de completar 1 ano). • Taxa de analfabetismo (Corresponde ao percentual de pessoas que não sabem ler e nem escrever). • Renda Nacional Bruta (RNB) per capita, baseada na paridade de poder de compra dos habitantes. • Saúde (Refere-se à qualidade da saúde da população). • Alimentação (Refere-se à alimentação mínima que uma pessoa necessita, cerca de 2.500 calorias, e se essa alimentação é balanceada). • Condições médico-sanitárias (Acesso a esgoto, água tratada, pavimentação etc.) • Qualidade de vida e acesso ao consumo (Correspondem ao número de carros, de computadores, televisores, celulares, acesso à internet entre outros).
  • 8. IDH (ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO) • Foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) para medir o grau de desenvolvimento econômico e, principalmente, a qualidade de vida oferecida para a população. O IDH avalia os países em uma escala de 0 a 1 e é calculado com base nos dados econômicos e sociais. Escala do IDH 0,800 a 1,000 Muito alto 0,700 a 0,799 Alto 0,600 a 0,699 Médio 0,500 a 0,599 Baixo 0,000 a 0,499 Muito baixo
  • 11. ÍNDICE DE GINI • É um parâmetro internacional usado para medir a desigualdade de distribuição de renda entre os países. • O coeficiente varia entre 0 e 1, sendo que quanto mais próximo do zero menor é a desigualdade de renda num país, ou seja, melhor a distribuição de renda. Quanto mais próximo do um, maior a concentração de renda num país.
  • 12. • A representação gráfica do Coeficiente de Gini é realizada a partir da chamada curva de Lorenz. No gráfico a seguir, observa-se que, no eixo X, são dispostos os percentuais acumulados da população em ordem de renda crescente. Já no eixo Y, é colocada a renda também em percentuais acumulados. • A linha reta colocada a 45º representa a hipotética situação de um país totalmente igualitário em termos de distribuição de renda, ou seja, em que todos os habitantes possuem a mesma aquisição de renda em termos de distribuição. Dessa forma, quanto mais próxima dessa configuração apresentar-se a curva de Lorenz, menores serão as desigualdades de renda no território analisado.
  • 13. ÍNDICE DE GINI DE OUTROS PAÍSES: - Ucrânia: 0,241 - Eslovênia: 0,256 - Noruega: 0,259 - México: 0,482 - Chile: 0,505 - Haiti: 0,608 - Namíbia: 0,610 - África do Sul: 0,634 O Índice de Gini do Brasil é de 0,515 (ano de 2015) o que demonstra que nosso país, apesar dos avanços econômicos dos últimos anos, ainda tem uma alta concentração de renda. Porém, devemos destacar um avanço do Brasil neste índice, já que em 2008 era de 0,544.
  • 14. PIB • É uma medida do valor dos bens e serviços que o país produz num período, na agropecuária, indústria e serviços. • Objetivo: Medir a atividade econômica e o nível de riqueza de uma região. Quanto mais se produz, mais se está consumindo, investindo e vendendo Evolução do PIB brasileiro nos últimos vinte anos
  • 15. COMISSÃO APROVA ISENÇÃO DE IMPOSTOS PARA MUNICÍPIOS COM BAIXO IDH A Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado (CDR) aprovou o projeto (PLS 348/2014) que isenta de impostos os municípios brasileiros com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). A ideia é diminuir desigualdades e incentivar a economia local. Para o relator da proposta, senador Humberto Costa (PT–PE), uma das vantagens da redução das taxas sobre o saneamento básico é o impacto positivo sobre a saúde. Ouça os detalhes no áudio da repórter da Rádio Senado, Ana Beatriz Santos. 12/07/2017, 14h38 - ATUALIZADO EM 12/07/2017, 20h31 http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/07/12/cdr-aprova-desoneracao-de-servicos-de- infraestrutura-em-municipios-de-baixo-idh
  • 16. INDICADORES SOCIAIS MOSTRAM QUE PAÍS PODE NÃO ATINGIR OBJETIVOS DA ONU 8 DE JULHO DE 2017 - 9H52 • Se forem mantidas as atuais tendências em relação à evolução dos indicadores sociais, o Brasil poderá não atingir os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o ano de 2030. O alerta é de integrantes da sociedade civil, que elaboraram um relatório sobre a situação do país que aponta poucos avanços e até mesmo retrocessos em áreas como redução da pobreza e garantia da saúde. Uma versão reduzida do relatório "Luz da Sociedade Civil sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável" foi apresentada nesta sexta-feira (7), no Rio de Janeiro. Na próxima semana, haverá uma reunião na ONU, em Nova York, em que a organização irá avaliar o desenvolvimento de cada país. http://www.vermelho.org.br/noticia/299097-1
  • 17. QUESTÕES DE VESTIBULAR 1- (UFPE) Verifique os dados apresentados a seguir. Tomando-se por base esses indicadores sociais e econômicos, é correto afirmar que: a) desses países, apenas dois têm economia desenvolvida. b) os países 1 e 5 devem estar situados na Europa Ocidental. c) o país 4 encontra-se numa fase de recessão. d) os países 2 e 3 devem possuir um sistema econômico socialista. e) o país 5 é o único que possui uma economia desenvolvida.
  • 18. 2- O Brasil é um país subdesenvolvido e que ainda possui uma significativa quantidade de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza. Sobre os fatores que contribuem para a construção e permanência da pobreza no Brasil, assinale a alternativa incorreta: a) A pobreza no Brasil não é causada por um episódio único, sendo resultado de uma série de fatores históricos, sociais, conjunturais e políticos. b) O tipo de colonização ao qual o Brasil foi submetido no passado exerce influência até os dias atuais na distribuição da riqueza no país. c) Fatores históricos possuem influência insignificante na expressiva quantidade de pessoas que vivem na pobreza no Brasil. O principal fator reside em uma tradição cultural de desvalorização do trabalho. A maior parte dessas pessoas opta por não trabalhar, por comodismo ou escolha. d) O desenvolvimento tardio do país configura-se como uma das causas do quadro de pobreza brasileiro. e) A histórica dependência econômica que nosso país tem em relação às nações desenvolvidas e organismos financeiros internacionais agrava ainda mais a desigualdade social e a pobreza existentes no Brasil.
  • 19. 3- (Upe 2013) Observe a charge a seguir: Ela faz referência a uma forma de desigualdade. Acerca das características dessa estrutura social, analise as alternativas e marque a CORRETA. a) A hierarquização é rígida, baseada em critérios hereditários, profissionais, étnicos, religiosos, que determinam as relações entre as pessoas. b) A tradição é um elemento fundamental na definição das relações estabelecidas entre os diferentes grupos. c) A mobilidade de um estrato para outro nessa estrutura é possível, mas é controlada pelos indivíduos que estão na hierarquia superior da organização. d) As pessoas se diferem umas das outras pelo lugar ocupado por elas num sistema historicamente determinado de produção social, de relação com os meios de produção e por seu papel na organização social do trabalho. e) A escolha do cônjuge deve ser feita exclusivamente no seio da organização social, com base nos critérios hereditários.
  • 20. 4-Os três países que apresentam as melhores médias de Índice de Desenvolvimento Humano são, respectivamente: a) Noruega, Austrália e Islândia b) Brasil, Austrália e Japão c) Níger, Finlândia e Alemanha d) Estados Unidos, França e Reino Unido e) Japão, Noruega e Suíça
  • 21. 5- Analise a tabela que expressa a taxa de mortalidade infantil no Brasil e assinale a alternativa correta. a) De 1930 a 2010, o Nordeste foi a Região brasileira que registrou os mais altos índices de mortalidade infantil. b) Atualmente (2010), a taxa de mortalidade infantil da Região Norte é de 24,2 para cada mil nascidos vivos. Essa média foi atingida pela Região Sul entre 1990 a 2000. c) Nos últimos 20 anos, o Sudeste conseguiu reduzir a taxa de mortalidade infantil em aproximadamente 20%, se comparado com 1990. d) A Região Sul sempre apresentou as menores taxas de mortalidade infantil do país. e) As taxas de mortalidade infantil do Sul e do Sudeste estão abaixo da média nacional, enquanto a taxa do Centro-Oeste está acima da média brasileira.
  • 23. FONTES • http://m.brasilescola.uol.com.br/geografia/os-indicadores-sociais.htm • http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/indicadoresminimos/default_mini mos.shtm • http://economia.culturamix.com/banco/indicadores-sociais-e-economicos • http://www.suapesquisa.com/economia/coeficiente_gini.htm • http://docplayer.com.br/2871096-Indice-de-gini-e-idh-prof-antonio-carlos-assumpcao.html • https://www.nexojornal.com.br/especial/2016/09/02/10-%C3%ADndices-econ%C3%B4micos-e-sociais- nos-13-anos-de-governo-PT-no-Brasil

Notas do Editor

  1. feeh
  2. feeh
  3. gui
  4. GUI
  5. GUI
  6. davi
  7. davi
  8. Davi ( só citar as três)
  9. feeh
  10. feeh
  11. feeh
  12. davi
  13. gui
  14. gui