SlideShare uma empresa Scribd logo
Alexandria
Alexandria
• Informações básicas de Alexandria 
• Ficha Técnica 
•Resenha 
•Eixos Norteadores 
•Mitologia 
•Religiosidade 
•Filosofia 
•Economia
Informações básicas de Alexandria 
•Antigamente era um centro urbano em que se deu origem ao reino egípcio dos 
Ptolomeus. 
•Fundada em 332 A.C, pelo macedônio Alexandre Magno ou Alexandre o 
Grande. 
•Em pouco tempo tornou-se uma das maiores cidades do mundo grego 
•Principal base marítima de mediterrâneo. 
-Abrigava grandes embarcações, permitindo que exportasse sua produção. 
•Tornou-se capital do Egito. 
•Construído grandes palácios, instituições públicas, museus, biblioteca e 
templos.
Ficha Técnica 
Gênero: Drama País: Espanha 
Direção: Alejandro Amenábar 
Roteiro: Alejandro, Meteo Gil 
Elenco: Rachel Weiz (Hipátia) , Max Minghella (Davus), Oscar Isaac (Oreste), 
Ashraf Barhom (Ammonius) , Michael Lonsdale (Theon), Rupert Evans 
(Synesius), Richard Durden (Olympius), Sami Samir (Cirilo). 
Produção: Alvaro Augustin, Fernando Bovaira 
Fotografia: Xavi Giménez 
Trilha Sonora: Dario Marianelli 
Duração: 127 min. 
Ano: 2009
Resenha 
Aspectos de uma cultura iniciada por Alexandre o Grande 
-Depois da dominação Romana 
-Conturbada por ideais religiosos: Cristianismo, convivendo com judaísmo e cultura greco-romana. 
 Filme refere a história da filósofa e professora Hipátia 
-Única mulher do enredo. 
-Ensina filosofia, matemática e astronomia na Escola Alexandria, junto a Biblioteca. 
 Tem um de seus alunos, Oreste, que a ama sem ser correspondido. 
-Não deseja se casar, pois dedica sua vida aos estudos, com sua principal preocupação com 
movimento da Terra em torno do sol. 
 Tem um outro aluno, Sinésio, adepto do cristianismo 
-Ele passa a questionar tudo, mas não questiona o que ele acredita. 
-Afirma que ela não pode se converter ao cristianismo, optando pela neutralidade e o amor 
a filosofia. 
Seu escravo Davus, também a ama, secretamente.
Resenha 
Política e religião acopladas nesta época. 
No decorrer, ocorre enfrentamentos entre cristãos, judeus, e cultura greco-romana. 
-Cristãos se apoderam da situação. 
Cristão passam a dominar territórios. 
Oreste pagão que se tornou cristão, e prefeito 
-Quem não fosse cristão seria morto 
-O líder cristão Cyril (Cirilo), domina a cidade. 
-Encontra em Oreste a ligação com a filósofa, um ponto de fragilidade do poder romano. 
-Usa da escrituras sagradas, um meio para acusá-la. 
-Hipátia foi taxada de bruxa e atéia e por isso pagou caro.
Eixos norteadores 
Aceitar que o sol ocupava o centro do cosmo 
-Contradiz com passagens da bíblia. 
*Terra tinha sido criada por Deus antes do sol. 
*Deus criou 2 luminárias: uma para iluminar a Terra durante o dia e a outra, durante a 
noite. 
Para o novo universo era necessário uma nova física. 
-Começou a ser escrita por Galileu, defensor do RACIONALISMO, observação e 
experimentação possível a chegar a verdade. 
-Igreja o acusou de heresia, já que como descrevia, assim a bíblia estaria errada.
Eixos norteadores. No filme 
Hipátia, grande mulher nascida na época errada. 
-Defendia fervorosamente ao livre pensamento, seus ensinamentos Neoplatônicos, sua 
religiosidade vista como pagã, pontos de vista sobre o cosmo. 
Enquanto Oreste, um ex aluno, fosse prefeito sua vida estaria protegida. 
Mas quando Cirilo, um cristão fanático, árduo defensor da igreja, acirrado do 
adversário dos que ele considerava serem hereges, tornou-se bispo de Alexandria, 
determinado a destruir todo movimento pagão, Hipátia foi um alvo e sua morte 
anunciada. 
O FILME ÁGORA FOI PROIBIDO NO BRASIL PELA IGREJA 
CATÓLICA, ENTRANDO COMO ALEXANDRIA.
Mitologia 
“ O cristianismos é uma religião greco-romana, não judaica’’. Diz Jacyntho Lins 
Brandão. (UFMG) 
“ Ela é fruto de um grupo de judeus helenizados e teve que passar por adaptações. As 
próprias imagens eram coisas que os judeus não tinham, eram proibidas’’ 
A força da mitologia era tão grande que os padres tiveram de engolir a manutenção de 
certos costumes. Sobreviveu algo do paganismos nas maiores datas cristãs.
Mitologia 
Natal não cai dia 25 de Dezembro, Jesus não nasceu nesse dia. 
-Desconhecido a data real. 
-Era comemorado uma grande festa pagã Saturnália, ao deus Saturno,Cronos, Zeus, em 
latim, em 17 a 23 de Dezembro. 
-Igreja decidiu sobrescrever esse festival. 
-Decoravam a casa, davam presentes, faziam um grande banquete com direito a muito 
álcool. 
-A parte mais selvagem de toda essa festança, mudou-se para hoje o Ano Novo. 
-A páscoa cristã, não cai no mesmo dia da judaica. 
-Mesmo propósito para obscurecer antigos festivais pagãos. 
-Deuses da mitologia possuíam endereço físico, ocupavam o Olimpo. Ao alcance dos 
humanos. 
-Deus cristão como sobre humano.
Religiosidade 
Retrata o contexto social vivido pela população da cidade de Alexandria, Edigo 
-Conflitos entre: 
•Pagãos 
•Cristão 
•Judeus 
Hipátia, filósofa, matemática e astrônoma 
•Era diferente das outras mulheres 
•Ela dedicava-se a busca de conhecimento 
•Funcionamento da órbita da Terra 
Davus (escravo), Oreste (prefeito) Sinésio(bispo) 
Biblioteca de Alexandria 
•Templo de saber dedicado ao conhecimento 
•Cultos as divindades das religiões politeísta greco-romana 
•O cristianismo tendia a crescer exponencialmente
Religiosidade 
Postura de Hipátia 
•Assemelha-se a figura do homem justo de Platão 
*Alma racional deveria ser superior 
“A plenitude humana coincidia com aperfeiçoamento da razão” (crescimento) 
*Sem distinção de homens, mulheres e escravos. (Conhecimento) 
“Há mais coisas que nos unem do que nos separam”
DAVUS 
Conflito: Fé x PAIXÃO x RAZÃO 
Alma: 
irascível Desejante 
Racional 
ORESTE: Alma concupiscente e irascível Alma racional 
Cabeça, apetite sexual excessivo 
OBS: Busca em Hipátia o conhecimento que em si não desenvolvia 
SINÉSIO: Alma irascível 
*Equilíbrio entre o bom e o mal. 
Justo e injusto.
Filosofia 
Quesito do centro da Terra e sua rotação. 
A questão central prendia-se com a forma e a localização da Terra no Universo 
A teoria de Hipátia em tese, questionava a teoria Geocêntrica, de Cláudio Ptolomeu, o 
grego, aceita à época pela ciência e pela Igreja. 
Quase todos astrônomos situavam a Terra no Centro do Universo, exceto Aristarco de 
Samos 
-Sistema solar com centro ocupado pelo sol e no qual a Terra percorria uma orbita circular, 
com outros planetas 
 Pensamento da filósofa e seus experimentos estabeleceram as bases da teoria formulada 
por Nicolau Copérnico, séculos depois, que seria a teoria heliocêntrica. 
O heliocentrismo rompe e supera a idéia de que a Terra era o centro e o limite 
Revolucionando assim, os horizontes do conhecimento, fazendo os homens erguer a cabeça 
para observar o ilimitado universo e a profunda dimensão da natureza humana, mesmo que 
para isso, fosse necessário enfrentar a ira dos tribunais da fé católica.
Economia 
O filme mostra cenas em que aparece o comércio e a grandeza da cidade de Alexandria, 
banhada pelo Mar Mediterrâneo. Cidade grande e próspera, vital dentro do Império Romano. 
Comércio marítimo os gregos alcançaram grande desenvolvimento, chegando até mesmo a 
cunhar moedas de metal. 
Baseava-se no cultivo de oliveiras, trigo, vinhedos, artesanato grego, destaque a cerâmica. 
Ânfora gregas transportavam vinhos, azeites e perfumes para os quatro cantos da península. 
Os escravos, devedores ou prisioneiros de guerras foram utilizados como mão-de-obra 
Como mostra nesse filme, a maioria do poder aquisitivo e terras estava nas mãos do 
governante. Devido desigualdade de classes, parâmetro religioso e as intrigas, percebe-se no 
filme um povo em miséria, plena fome. 
O filme mostra conflitos graves causados pelo radicalismo religioso e pela busca do 
domínio político. Pagãos matam cristãos, cristãos (maioria) matam pagãos, judeus matam 
cristãos e vice-versa. Tudo em nome das verdades de fé defendidas pelos religiosos. Os 
conflitos acabam refletindo-se na destruição da Biblioteca de Alexandria.
Fonte bibliográfica. 
HISTÓRIA DO MUNDO: http://www.historiadomundo.com.br/idade-antiga/alexandria.htm 
RESENHA: http://netnature.wordpress.com/2011/03/14/alexandria-critica-do-filme-com-resenha/ 
FILMES ÉPICOS: http//www.filmesepicos.com/2010/03/agora-2009.html?m=1 
AVENTURAS NA HISTÓRIA: http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/saiba-mais-mitologia- 
grega-729488.shtml 
TEORIA DA CONSPIRAÇÃO: http://www.deldebbio.com.br/2010/02/15/hipatia-de-alexandria/ 
MITOLOGIA:http://www.mitologia.templodeapolo.net/textos_ver.asp?Cod_textos=216&value=Os%20Pt 
olomeus%20e%20a%20Biblioteca%20de%20Alexandria&civ=Civiliza%C3%A7%C3%A3o%20Grega 
BIOGRÁFIA CLAUDIO PTOLOMEU: http://www.suapesquisa.com/biografias/claudio_ptolomeu.htm 
IMAGENS: http://www.virginiaplaces.org/ 
ARTIGO HIPÁTIA DE ALEXANDRIA: http://professoraldosantos.blogspot.com.br/2011/08/hipatia-de- 
alexandria-e-o-compromisso.html 
FILOSOFIA NO DIA A DIA: http://filosofianodia-a-dia.blogspot.com.br/2013/10/o-uso-de-filmes-no-ensino- 
de-filosofia.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
Ana Barreiros
 
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-
ArtesElisa
 
Arte Egípcia
Arte EgípciaArte Egípcia
Arte Egípcia
Maria Gomes
 
Lourenço Médicis
Lourenço MédicisLourenço Médicis
Lourenço Médicis
Carolina Pardal
 
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.pptTEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
JoaoAlves319493
 
Módulo 1 escultura grega regular
Módulo 1   escultura grega regularMódulo 1   escultura grega regular
Módulo 1 escultura grega regular
Carla Freitas
 
História da Arte - Arte egipcia
História da Arte - Arte egipciaHistória da Arte - Arte egipcia
História da Arte - Arte egipcia
Geraldo Mellado
 
Resumo da Arte Grega
Resumo da Arte GregaResumo da Arte Grega
Resumo da Arte Grega
giselmaramos1
 
Argumento a favor da existência de deus
Argumento a favor da existência de deusArgumento a favor da existência de deus
Argumento a favor da existência de deus
Isabel Moura
 
Historia da musica
Historia da musica Historia da musica
Historia da musica
Shinnayder
 
Crítica ao argumento ontológico
Crítica ao argumento ontológicoCrítica ao argumento ontológico
Crítica ao argumento ontológico
Universidade Católica Portuguesa
 
A arte egípcia
A arte egípciaA arte egípcia
A arte egípcia
Rainha Maga
 
Pablo picasso
Pablo picassoPablo picasso
Pablo picasso
Vania Moreno
 
Módulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágoraMódulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágora
TLopes
 
A escrita egípcia
A escrita egípciaA escrita egípcia
A escrita egípcia
Carlos Vieira
 
Arte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xixArte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xix
Ana Barreiros
 
Cultura do mosteiro contextualização
Cultura do mosteiro   contextualizaçãoCultura do mosteiro   contextualização
Cultura do mosteiro contextualização
cattonia
 
Arquitetura Egipcia
Arquitetura EgipciaArquitetura Egipcia
Arquitetura Egipcia
antonio050291
 
Grecia antiga Arte e Cultura
Grecia antiga Arte e CulturaGrecia antiga Arte e Cultura
Grecia antiga Arte e Cultura
Rita de Cássia Freitas
 
Escultura grega
Escultura gregaEscultura grega
Escultura grega
Ana Barreiros
 

Mais procurados (20)

Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
 
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-
 
Arte Egípcia
Arte EgípciaArte Egípcia
Arte Egípcia
 
Lourenço Médicis
Lourenço MédicisLourenço Médicis
Lourenço Médicis
 
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.pptTEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
TEATRO - O papel do teatro nas culturas.ppt
 
Módulo 1 escultura grega regular
Módulo 1   escultura grega regularMódulo 1   escultura grega regular
Módulo 1 escultura grega regular
 
História da Arte - Arte egipcia
História da Arte - Arte egipciaHistória da Arte - Arte egipcia
História da Arte - Arte egipcia
 
Resumo da Arte Grega
Resumo da Arte GregaResumo da Arte Grega
Resumo da Arte Grega
 
Argumento a favor da existência de deus
Argumento a favor da existência de deusArgumento a favor da existência de deus
Argumento a favor da existência de deus
 
Historia da musica
Historia da musica Historia da musica
Historia da musica
 
Crítica ao argumento ontológico
Crítica ao argumento ontológicoCrítica ao argumento ontológico
Crítica ao argumento ontológico
 
A arte egípcia
A arte egípciaA arte egípcia
A arte egípcia
 
Pablo picasso
Pablo picassoPablo picasso
Pablo picasso
 
Módulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágoraMódulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágora
 
A escrita egípcia
A escrita egípciaA escrita egípcia
A escrita egípcia
 
Arte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xixArte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xix
 
Cultura do mosteiro contextualização
Cultura do mosteiro   contextualizaçãoCultura do mosteiro   contextualização
Cultura do mosteiro contextualização
 
Arquitetura Egipcia
Arquitetura EgipciaArquitetura Egipcia
Arquitetura Egipcia
 
Grecia antiga Arte e Cultura
Grecia antiga Arte e CulturaGrecia antiga Arte e Cultura
Grecia antiga Arte e Cultura
 
Escultura grega
Escultura gregaEscultura grega
Escultura grega
 

Semelhante a Alexandria

ARTE, CULTURA E RELIGIÃO GREGA
ARTE, CULTURA E RELIGIÃO GREGAARTE, CULTURA E RELIGIÃO GREGA
ARTE, CULTURA E RELIGIÃO GREGA
Gabriel Augusto
 
Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média
Luci Bonini
 
5 perseguições e defesa da fé-5ª aula
5  perseguições e defesa da fé-5ª aula5  perseguições e defesa da fé-5ª aula
5 perseguições e defesa da fé-5ª aula
PIB Penha
 
3 a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula
3   a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula3   a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula
3 a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula
PIB Penha
 
Uma história da magia
Uma história da magiaUma história da magia
Uma história da magia
HogwartsSchoolHouseCup
 
A História do povo Hebreus e sua trajetória (Desde a origem até os tempos atu...
A História do povo Hebreus e sua trajetória (Desde a origem até os tempos atu...A História do povo Hebreus e sua trajetória (Desde a origem até os tempos atu...
A História do povo Hebreus e sua trajetória (Desde a origem até os tempos atu...
SidiogenesBispo1
 
Resenha crítica do filme - Ágora
Resenha crítica do filme - ÁgoraResenha crítica do filme - Ágora
Resenha crítica do filme - Ágora
Marcus Leal
 
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - ManausCuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
Portal do Vestibulando
 
As cruzadas set final
As cruzadas set finalAs cruzadas set final
As cruzadas set final
LUCAS CANAVARRO
 
As origens da religiao egipcia
As origens da religiao egipciaAs origens da religiao egipcia
As origens da religiao egipcia
luciana branca silveira lopes
 
é Duro ver milhões de pessoas sendo enganadas pela mitologia cristã
é Duro ver milhões de pessoas sendo enganadas pela mitologia cristãé Duro ver milhões de pessoas sendo enganadas pela mitologia cristã
é Duro ver milhões de pessoas sendo enganadas pela mitologia cristã
Divino Moab
 
Características da cultura grega
Características da cultura gregaCaracterísticas da cultura grega
Características da cultura grega
KAOSBRASILLIS
 
Nos manuscritos do mar morto
Nos manuscritos do mar mortoNos manuscritos do mar morto
Nos manuscritos do mar morto
Francisco Kaupa
 
34470786 albino-pereira-magno-mitologia
34470786 albino-pereira-magno-mitologia34470786 albino-pereira-magno-mitologia
34470786 albino-pereira-magno-mitologia
universidade federal do ceará
 
Filosofia: pós socráticos, cristianismo e idade Média
Filosofia: pós socráticos, cristianismo e idade MédiaFilosofia: pós socráticos, cristianismo e idade Média
Filosofia: pós socráticos, cristianismo e idade Média
Luci Bonini
 
Serrano miguel nacional socialismo
Serrano miguel   nacional socialismoSerrano miguel   nacional socialismo
Serrano miguel nacional socialismo
Alma Heil 916 NOS
 
Jesus cristo um presente de gregos
Jesus cristo um presente de gregosJesus cristo um presente de gregos
Jesus cristo um presente de gregos
leoblevi
 
Jb news informativo nr. 0430
Jb news   informativo nr. 0430Jb news   informativo nr. 0430
Jb news informativo nr. 0430
JB News
 
Grecia
GreciaGrecia
Os mistérios wiccanos (apresentação)
Os mistérios wiccanos (apresentação)Os mistérios wiccanos (apresentação)
Os mistérios wiccanos (apresentação)
Regina Oliveira
 

Semelhante a Alexandria (20)

ARTE, CULTURA E RELIGIÃO GREGA
ARTE, CULTURA E RELIGIÃO GREGAARTE, CULTURA E RELIGIÃO GREGA
ARTE, CULTURA E RELIGIÃO GREGA
 
Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média
 
5 perseguições e defesa da fé-5ª aula
5  perseguições e defesa da fé-5ª aula5  perseguições e defesa da fé-5ª aula
5 perseguições e defesa da fé-5ª aula
 
3 a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula
3   a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula3   a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula
3 a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula
 
Uma história da magia
Uma história da magiaUma história da magia
Uma história da magia
 
A História do povo Hebreus e sua trajetória (Desde a origem até os tempos atu...
A História do povo Hebreus e sua trajetória (Desde a origem até os tempos atu...A História do povo Hebreus e sua trajetória (Desde a origem até os tempos atu...
A História do povo Hebreus e sua trajetória (Desde a origem até os tempos atu...
 
Resenha crítica do filme - Ágora
Resenha crítica do filme - ÁgoraResenha crítica do filme - Ágora
Resenha crítica do filme - Ágora
 
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - ManausCuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
 
As cruzadas set final
As cruzadas set finalAs cruzadas set final
As cruzadas set final
 
As origens da religiao egipcia
As origens da religiao egipciaAs origens da religiao egipcia
As origens da religiao egipcia
 
é Duro ver milhões de pessoas sendo enganadas pela mitologia cristã
é Duro ver milhões de pessoas sendo enganadas pela mitologia cristãé Duro ver milhões de pessoas sendo enganadas pela mitologia cristã
é Duro ver milhões de pessoas sendo enganadas pela mitologia cristã
 
Características da cultura grega
Características da cultura gregaCaracterísticas da cultura grega
Características da cultura grega
 
Nos manuscritos do mar morto
Nos manuscritos do mar mortoNos manuscritos do mar morto
Nos manuscritos do mar morto
 
34470786 albino-pereira-magno-mitologia
34470786 albino-pereira-magno-mitologia34470786 albino-pereira-magno-mitologia
34470786 albino-pereira-magno-mitologia
 
Filosofia: pós socráticos, cristianismo e idade Média
Filosofia: pós socráticos, cristianismo e idade MédiaFilosofia: pós socráticos, cristianismo e idade Média
Filosofia: pós socráticos, cristianismo e idade Média
 
Serrano miguel nacional socialismo
Serrano miguel   nacional socialismoSerrano miguel   nacional socialismo
Serrano miguel nacional socialismo
 
Jesus cristo um presente de gregos
Jesus cristo um presente de gregosJesus cristo um presente de gregos
Jesus cristo um presente de gregos
 
Jb news informativo nr. 0430
Jb news   informativo nr. 0430Jb news   informativo nr. 0430
Jb news informativo nr. 0430
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 
Os mistérios wiccanos (apresentação)
Os mistérios wiccanos (apresentação)Os mistérios wiccanos (apresentação)
Os mistérios wiccanos (apresentação)
 

Último

Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 

Último (20)

Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 

Alexandria

  • 3. • Informações básicas de Alexandria • Ficha Técnica •Resenha •Eixos Norteadores •Mitologia •Religiosidade •Filosofia •Economia
  • 4. Informações básicas de Alexandria •Antigamente era um centro urbano em que se deu origem ao reino egípcio dos Ptolomeus. •Fundada em 332 A.C, pelo macedônio Alexandre Magno ou Alexandre o Grande. •Em pouco tempo tornou-se uma das maiores cidades do mundo grego •Principal base marítima de mediterrâneo. -Abrigava grandes embarcações, permitindo que exportasse sua produção. •Tornou-se capital do Egito. •Construído grandes palácios, instituições públicas, museus, biblioteca e templos.
  • 5. Ficha Técnica Gênero: Drama País: Espanha Direção: Alejandro Amenábar Roteiro: Alejandro, Meteo Gil Elenco: Rachel Weiz (Hipátia) , Max Minghella (Davus), Oscar Isaac (Oreste), Ashraf Barhom (Ammonius) , Michael Lonsdale (Theon), Rupert Evans (Synesius), Richard Durden (Olympius), Sami Samir (Cirilo). Produção: Alvaro Augustin, Fernando Bovaira Fotografia: Xavi Giménez Trilha Sonora: Dario Marianelli Duração: 127 min. Ano: 2009
  • 6. Resenha Aspectos de uma cultura iniciada por Alexandre o Grande -Depois da dominação Romana -Conturbada por ideais religiosos: Cristianismo, convivendo com judaísmo e cultura greco-romana.  Filme refere a história da filósofa e professora Hipátia -Única mulher do enredo. -Ensina filosofia, matemática e astronomia na Escola Alexandria, junto a Biblioteca.  Tem um de seus alunos, Oreste, que a ama sem ser correspondido. -Não deseja se casar, pois dedica sua vida aos estudos, com sua principal preocupação com movimento da Terra em torno do sol.  Tem um outro aluno, Sinésio, adepto do cristianismo -Ele passa a questionar tudo, mas não questiona o que ele acredita. -Afirma que ela não pode se converter ao cristianismo, optando pela neutralidade e o amor a filosofia. Seu escravo Davus, também a ama, secretamente.
  • 7. Resenha Política e religião acopladas nesta época. No decorrer, ocorre enfrentamentos entre cristãos, judeus, e cultura greco-romana. -Cristãos se apoderam da situação. Cristão passam a dominar territórios. Oreste pagão que se tornou cristão, e prefeito -Quem não fosse cristão seria morto -O líder cristão Cyril (Cirilo), domina a cidade. -Encontra em Oreste a ligação com a filósofa, um ponto de fragilidade do poder romano. -Usa da escrituras sagradas, um meio para acusá-la. -Hipátia foi taxada de bruxa e atéia e por isso pagou caro.
  • 8. Eixos norteadores Aceitar que o sol ocupava o centro do cosmo -Contradiz com passagens da bíblia. *Terra tinha sido criada por Deus antes do sol. *Deus criou 2 luminárias: uma para iluminar a Terra durante o dia e a outra, durante a noite. Para o novo universo era necessário uma nova física. -Começou a ser escrita por Galileu, defensor do RACIONALISMO, observação e experimentação possível a chegar a verdade. -Igreja o acusou de heresia, já que como descrevia, assim a bíblia estaria errada.
  • 9. Eixos norteadores. No filme Hipátia, grande mulher nascida na época errada. -Defendia fervorosamente ao livre pensamento, seus ensinamentos Neoplatônicos, sua religiosidade vista como pagã, pontos de vista sobre o cosmo. Enquanto Oreste, um ex aluno, fosse prefeito sua vida estaria protegida. Mas quando Cirilo, um cristão fanático, árduo defensor da igreja, acirrado do adversário dos que ele considerava serem hereges, tornou-se bispo de Alexandria, determinado a destruir todo movimento pagão, Hipátia foi um alvo e sua morte anunciada. O FILME ÁGORA FOI PROIBIDO NO BRASIL PELA IGREJA CATÓLICA, ENTRANDO COMO ALEXANDRIA.
  • 10. Mitologia “ O cristianismos é uma religião greco-romana, não judaica’’. Diz Jacyntho Lins Brandão. (UFMG) “ Ela é fruto de um grupo de judeus helenizados e teve que passar por adaptações. As próprias imagens eram coisas que os judeus não tinham, eram proibidas’’ A força da mitologia era tão grande que os padres tiveram de engolir a manutenção de certos costumes. Sobreviveu algo do paganismos nas maiores datas cristãs.
  • 11. Mitologia Natal não cai dia 25 de Dezembro, Jesus não nasceu nesse dia. -Desconhecido a data real. -Era comemorado uma grande festa pagã Saturnália, ao deus Saturno,Cronos, Zeus, em latim, em 17 a 23 de Dezembro. -Igreja decidiu sobrescrever esse festival. -Decoravam a casa, davam presentes, faziam um grande banquete com direito a muito álcool. -A parte mais selvagem de toda essa festança, mudou-se para hoje o Ano Novo. -A páscoa cristã, não cai no mesmo dia da judaica. -Mesmo propósito para obscurecer antigos festivais pagãos. -Deuses da mitologia possuíam endereço físico, ocupavam o Olimpo. Ao alcance dos humanos. -Deus cristão como sobre humano.
  • 12. Religiosidade Retrata o contexto social vivido pela população da cidade de Alexandria, Edigo -Conflitos entre: •Pagãos •Cristão •Judeus Hipátia, filósofa, matemática e astrônoma •Era diferente das outras mulheres •Ela dedicava-se a busca de conhecimento •Funcionamento da órbita da Terra Davus (escravo), Oreste (prefeito) Sinésio(bispo) Biblioteca de Alexandria •Templo de saber dedicado ao conhecimento •Cultos as divindades das religiões politeísta greco-romana •O cristianismo tendia a crescer exponencialmente
  • 13. Religiosidade Postura de Hipátia •Assemelha-se a figura do homem justo de Platão *Alma racional deveria ser superior “A plenitude humana coincidia com aperfeiçoamento da razão” (crescimento) *Sem distinção de homens, mulheres e escravos. (Conhecimento) “Há mais coisas que nos unem do que nos separam”
  • 14. DAVUS Conflito: Fé x PAIXÃO x RAZÃO Alma: irascível Desejante Racional ORESTE: Alma concupiscente e irascível Alma racional Cabeça, apetite sexual excessivo OBS: Busca em Hipátia o conhecimento que em si não desenvolvia SINÉSIO: Alma irascível *Equilíbrio entre o bom e o mal. Justo e injusto.
  • 15. Filosofia Quesito do centro da Terra e sua rotação. A questão central prendia-se com a forma e a localização da Terra no Universo A teoria de Hipátia em tese, questionava a teoria Geocêntrica, de Cláudio Ptolomeu, o grego, aceita à época pela ciência e pela Igreja. Quase todos astrônomos situavam a Terra no Centro do Universo, exceto Aristarco de Samos -Sistema solar com centro ocupado pelo sol e no qual a Terra percorria uma orbita circular, com outros planetas  Pensamento da filósofa e seus experimentos estabeleceram as bases da teoria formulada por Nicolau Copérnico, séculos depois, que seria a teoria heliocêntrica. O heliocentrismo rompe e supera a idéia de que a Terra era o centro e o limite Revolucionando assim, os horizontes do conhecimento, fazendo os homens erguer a cabeça para observar o ilimitado universo e a profunda dimensão da natureza humana, mesmo que para isso, fosse necessário enfrentar a ira dos tribunais da fé católica.
  • 16. Economia O filme mostra cenas em que aparece o comércio e a grandeza da cidade de Alexandria, banhada pelo Mar Mediterrâneo. Cidade grande e próspera, vital dentro do Império Romano. Comércio marítimo os gregos alcançaram grande desenvolvimento, chegando até mesmo a cunhar moedas de metal. Baseava-se no cultivo de oliveiras, trigo, vinhedos, artesanato grego, destaque a cerâmica. Ânfora gregas transportavam vinhos, azeites e perfumes para os quatro cantos da península. Os escravos, devedores ou prisioneiros de guerras foram utilizados como mão-de-obra Como mostra nesse filme, a maioria do poder aquisitivo e terras estava nas mãos do governante. Devido desigualdade de classes, parâmetro religioso e as intrigas, percebe-se no filme um povo em miséria, plena fome. O filme mostra conflitos graves causados pelo radicalismo religioso e pela busca do domínio político. Pagãos matam cristãos, cristãos (maioria) matam pagãos, judeus matam cristãos e vice-versa. Tudo em nome das verdades de fé defendidas pelos religiosos. Os conflitos acabam refletindo-se na destruição da Biblioteca de Alexandria.
  • 17. Fonte bibliográfica. HISTÓRIA DO MUNDO: http://www.historiadomundo.com.br/idade-antiga/alexandria.htm RESENHA: http://netnature.wordpress.com/2011/03/14/alexandria-critica-do-filme-com-resenha/ FILMES ÉPICOS: http//www.filmesepicos.com/2010/03/agora-2009.html?m=1 AVENTURAS NA HISTÓRIA: http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/saiba-mais-mitologia- grega-729488.shtml TEORIA DA CONSPIRAÇÃO: http://www.deldebbio.com.br/2010/02/15/hipatia-de-alexandria/ MITOLOGIA:http://www.mitologia.templodeapolo.net/textos_ver.asp?Cod_textos=216&value=Os%20Pt olomeus%20e%20a%20Biblioteca%20de%20Alexandria&civ=Civiliza%C3%A7%C3%A3o%20Grega BIOGRÁFIA CLAUDIO PTOLOMEU: http://www.suapesquisa.com/biografias/claudio_ptolomeu.htm IMAGENS: http://www.virginiaplaces.org/ ARTIGO HIPÁTIA DE ALEXANDRIA: http://professoraldosantos.blogspot.com.br/2011/08/hipatia-de- alexandria-e-o-compromisso.html FILOSOFIA NO DIA A DIA: http://filosofianodia-a-dia.blogspot.com.br/2013/10/o-uso-de-filmes-no-ensino- de-filosofia.html