SlideShare uma empresa Scribd logo
Sustentabilidade & Agronegócio
Marco Antonio Fujihara 2013
PricewaterhouseCoopers
Índice
1. Overview do Setor
2. Novos Instrumentos para o Agronegócio
3. Conceitos de Sustentabilidade
4. Integrando Sustentabilidade e a Estratégia do
Agronegócio
5. Gestão da Sustentabilidade
PricewaterhouseCoopers
“Overview” do Setor
Page 4
2004
Page 5
2004
Renda AgrícolaRenda AgrícolaRenda AgrícolaRenda Agrícola
Renda Agrícola*
155.265
132.583
109.213
50.000
60.000
70.000
80.000
90.000
100.000
110.000
120.000
130.000
140.000
150.000
160.000
1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008
ValoresemMilhõesR$
Fonte: IBGEElaboração: AGE/MAPA
Com base em preços de abril de 2008. Considera apenas produtos agrícolas, não considera produção animal.
Fernando Gaiger Silveira
Pesquisador do IPEA
Silvio M. Ichihara
Pesquisador da FIPE
Bernardo P. Campolina Diniz
Pesquisador da FIPE
Guilherme R. C. Moreira
Pesquisador da FIPE
Page 6
2004
O Agronegócio Familiar no Brasil e nos seus Estados:
A Contribuição a Agricultura Familiar para a Riqueza Nacional
Page 7
2004
• Joaquim J. M. Guilhoto
• Professor do Departamento de Economia, FEA-USP
• Carlos R. Azzoni
• Professor do Departamento de Economia, FEA-USP
• Fernando Gaiger Silveira
• Pesquisador do IPEA
• Silvio M. Ichihara
• Pesquisador da FIPE
• Bernardo P. Campolina Diniz
• Pesquisador da FIPE
• Guilherme R. C. Moreira
• Pesquisador da FIPE
Page 8
2004
-15%
-10%
-5%
0%
5%
10%
15%
20%
25%
30%
35%
40%
1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005
Variação Acumulada do
PIB do Complexo
Familiar Agrícola
Variação Acumulada do
PIB do Complexo
Familiar Pecuário
Variação Acumulada do
PIB do Complexo
Patronal Agrícola
Variação Acumulada do
PIB do Complexo
Patronal Pecuário
Variações anuais acumuladas do PIB do agronegócio referentes aos
complexos agropecuários familiar e patronal (ano base: 1995)
Page 9
2004
90.3% 89.1% 87.9%
89.3%
87.5% 86.5% 86.0%
83.5% 82.5% 83.3%
85.7%
5.9% 6.8% 8.5% 7.7% 8.7% 9.6% 10.6% 12.9% 13.5% 13.5% 11.3%
3.7% 4.0% 3.5% 2.9% 3.7% 3.8% 3.3% 3.5% 4.0% 3.1% 2.8%
0.0%
20.0%
40.0%
60.0%
80.0%
100.0%
1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005
-50.0%
50.0%
150.0%
250.0%
Total
Fumo
Milho
Soja
Outras Culturas
Var. Acumulada do PIB da
Lavoura: Outras Culturas
Var. Acumulada do PIB da
Lavoura: Fumo
Var. Acumulada do PIB da
Lavoura: Milho
Var. Acumulada do PIB da
Lavoura: Soja
Participação de algumas culturas que formam o setor da agricultura
patronal no Brasil e as respectivas variações acumuladas do PIB (em
relação ao ano base: 1995)
Page 10
2004
Distribuição regional do PIB dos produtos da lavoura
Page 11
2004Fonte: CNA/Decon. (*) a preços de julho/2004, pelo IGP-DI
Distribuição regional do PIB dos produtos da lavoura do segmento familiar
Page 12
2004
Distribuição regional do PIB do agronegócio familiar para os
produtos da pecuária
Distribuição regional do PIB do agronegócio familiar para os
produtos da pecuária
Page 13
2004
Regiões
Taxas de crescimento
Composição Percentual PIB Agronegócio
PIB Agronegócio PIB Agronegócio Familiar
2003 2004 2003 2004 2002 2003 2004
Norte 7,5% 1,6% 9,4% 2,8% 5,9 5,9 5,9
Nordeste 7,3% 0,8% 10,7% -3,3% 13,9 14,0 13,7
Sudeste 1,8% 3,4%
3,6% -1,4%
40,7 38,9 39,2
Sul 11,8% 1,6%
12,1% 0,1%
28,6 30,1 29,8
Centro-Oeste 8,9% 5,1%
12,1% 10,9%
10,9 11,1 11,4
Brasil 6,5% 2,6% 9,4% 0,1% 100,0 100,0 100,0
Tabela 2. Taxas de crescimento do PIB do agronegócio total e familiar, por
macrorregiões – 2003/2002 e 2004/2003
Fonte: dados da pesquisa
Page 14
2004
Brasil: Exportações de carnes – mil toneladas
PricewaterhouseCoopers
Novos Instrumentos para o Agronegócio
Page 16
2004
Inovações :Inovações :
• CDCA – LCA – CRA – novos títulos de recebíveis
• FIA – Fundo de Investimento no Agronegócio
• NC-A – Nota Comercial do Agronegócio (Agrinote)
• Contrato Privado de Opção de Venda
• Contrato de Opção de Compra de Estoques Públicos
• CDA – Certificado de Depósito Agropecuário
• WA – Warrant Agropecuário
• Certificação de Armazéns
• Implantação da Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural e Reformulação
do Proagro
Page 17
2004
Fundos de Investimentos: Patrimônio LíquidoFundos de Investimentos: Patrimônio Líquido
Distribuição R$ bilhões
Renda Fixa 187
DI e Curto Prazo 118
Mistos 145
Ações 34
Previdência 24
Privatização 77
Cambial 5
Outros 2
Total 522Fev.04
Distribuição R$ bilhões
Renda Fixa 187
DI e Curto Prazo 118
Mistos 145
Ações 34
Previdência 24
Privatização 77
Cambial 5
Outros 2
Total 522
Distribuição R$ bilhões
Renda Fixa 187
DI e Curto Prazo 118
Mistos 145
Ações 34
Previdência 24
Privatização 77
Cambial 5
Outros 2
Total 522Fev.04
Page 18
2004
O cenário é promissor…Mas é SUSTENTÁVEL?
Trabalho Infantil Contaminação
Trabalho EscravoPragas e
Doenças
Barreiras Não Tarifárias
Etc...
Etc...
Etc !!!
Sustentabilidade:
Pré- Requisito de toda a Cadeia Produtiva do Agro - Negocio
Page 20
2004
Utilização de recursos para atender às
necessidades do presente sem comprometer a
capacidade das gerações futuras em atender as
suas próprias necessidades. (Desenvolvido por
Gro Brutland em 1990 e aprovado na Rio 92)
Este conceito integra os três vetores da
sustentabilidade: ambiental, econômico e social.
Desenvolvimento
Econômico
Responsabilidade
Social
Sustentabilidade
Gestão
Ambiental
Triple Bottom Line
Sustentabilidade
Relembrando o conceito básico
Page 21
2004
• Maximização do retorno
do capital
• Investidor
• Empreendedor
(Lucratividade no
longo prazo)
• Preservação de recursos naturais
• Eco-Eficiência
• Energia renovável
• Cidadania
• Geração de Emprego
• Engajamento das partes
interessadas
Desenvolvimento
Econômico
Gestão
Ambiental
Responsabilidade
Social Sustentabilidade
Sustentabilidade
Page 22
2004
Sustentabilidade não é
• Meio ambiente
• Acessório, mas sim fundamental para a estratégia de negócios da empresa
• Apenas políticas e procedimentos: é uma cultura, uma atitude
Sustentabilidade é
• Fator estratégico e criação de valor a longo prazo
• A legitimidade da empresa, está além da conformidade (licença de operação e
crescimento)
• A ligação entre diversos fatores (Governança, Transparência, Valor agregado ao
acionistas etc)
• Deslocamento do stakeholder-oriented
para o value-oriented
• Transparência dos seus valores intangíveis
Cidadania Corporativa
Triple Bottom Line
Responsabilidade Corporativa
Desenvolvimento Sustentável
Ética nos Negócios
Responsabilidade Social
Corporativa
“Sustainability”
Page 23
2004
Sustentabilidade & “não financeiro”
 AvaliaçãoAvaliação
retrospectivaretrospectiva
 Explicação de comoExplicação de como
os resultados foramos resultados foram
atingidosatingidos
Capacidade financeiraCapacidade financeira
 PioneirismoPioneirismo
 Maneira pela qual osManeira pela qual os
resultados foram e serãoresultados foram e serão
atingidosatingidos
Capacidade estratégicaCapacidade estratégica
• Reputação
• Brand
• Confiança
• Credibilidade
• Integridade
• Capital Intelectual
• Fidelidade do consumidor
• Gestão de risco
• Responsabilidade sócio-
ambiental
• Capital financeiro
• Imobilizado
TangíveisInatingíveis
L I N K
Page 24
2004
Sustentabilidade no Agro Negocio,
será que atualmente é só isso?
Page 25
2004
É a perenidade do empreendimento (empresarial ou social)
com adequada remuneração do capital e/ou continuidade do
cumprimento de sua missão ao longo to tempo.
Adiciona aos vetores básicos de sustentabilidade - econômicos,
ambientais e sociais – outros instrumentos de gestão:
• Governança Corporativa
• Ética e Cultura
• Gestão de Riscos
• Indicadores de Sustentabilidade
• Fatores Críticos de Sustentabilidade
Sustentabilidade do Agro Negocio
Visão :
PricewaterhouseCoopers
Page 26
2004
•Pressões de Leis e Regulamentações
• Legislação Ambiental
• Legislação Trabalhista
• Proteção aos Minoritários
• Código de Defesa do Consumidor
• SEC; CVM, BOVESPA, Sarbannes-Oxley, etc.
•Pressões Sociais
• Aumento do consumo consciente
• Crescimento do conceito de cidadania
• Atuação de organizações não governamentais, etc.
•Pressões do ambiente de negócios
• Movimento internacional de fusões e aquisições
• Concessão de crédito vinculada a critérios de sustentabilidade
• Intensificação dos investimentos de fundos de pensão
• Postura mais ativa dos investidores institucionais, nacionais e internacionais
• Seletividade de fornecedores
• Oportunidades e Riscos de reputação da cadeia de valor, incluindo fornecedores, clientes, parceiros,
etc.
PricewaterhouseCoopers
Partes interessadas no Agronegócio
Clientes Funcionários Sociedade Sócios
Tópico Econômica Cumprir com normas e
garantias
Valor do produto e serviço
comparado à concorrência
Conscientização de tendências
externas
Remuneração comparada à
concorrência
Investimento no futuro dos
funcionários
Evitar práticas corrompidas
Disponibilidade de
compartilhamentode lucro
Participação na tomada de
decisões
Respeitar cultura e legislação
Contribuir com economias locais
Promover feiras comerciais
Sensibilidade na desordem
Alianças estratégicas
Fomentar relacionamentos
justos
Fomentar responsabilidade na
direção
Ambiente Resposta às preocupações do
cliente
Eficiência e, energia e
materiais
Política ambiental
Promover a responsabilidade
ambiental no local de trabalho
Elaborar iniciativas para melhorar
a produção de modo
ambientalmente eficiente
Transparência com relação ao
desempenho
Proteção do ambiente
Resposta às preocupações da
comunidade
Qualidade da interface com a
comunidade
Áreas de projeto de pesquisa e
desenvolvimento
Fomentar responsabilidade
ambiental
Social
Promover saúde e segurança –
na construção, produtos e
serviços
Observação das normas
internacionais
Registros de saúde e segurança
Respeito aos diretos do trabalho e
direitos humanos
Diversidade da força de trabalho e
administração
Oportunidades de aprendizado
Promover saúde e segurança
Respeitar e promover direitos
humanos
Parcerias com partes interessadas
– Criação de empregos
Fomentar responsabilidade na
área de saúde e segurança
Respeitar direitos do trabalho
e direitos humanos
O caminho a seguir – a integração de sustentabilidade na
sua estratégia de negócios
Conexões
Identifique a série completa de
conexões que estão
potencialmente integradas ao
sucesso dos seus negócios–
investidores, sócios,
consumidores e sociedade como
um todo.
Considere quais os melhores
motivadores de reputação e valor
no seu mercado
Diálogo
Defina os mecanismos certos para
conduzir o diálogo em todos os
pontos de conexão em potencial e
considere as implicações
estratégicas do que foi aprendido
a partir dessas conexões
Indicadores
Converta o diálogo em
indicadores relevantes para
estabelecer as implicações de
estratégias futuras
Defina metas para melhoria e
para monitorar desempenho
Apresentação de
relatórios
Desenvolva mecanismos de
apresentação de relatórios
capazes de oferecer
governança e gestão pró-
ativas mediante os fatores
críticos e não-financeiros.
Page 29
2004
Integrando
sustentabilidade
e estratégia do
Agro negócio
Page 30
2004
Integrando sustentabilidade e
estratégia do Agro Negócio
• Fazer da sustentabilidade parte integral da estratégia
de negócio da companhia oferece oportunidades de
benefícios reais :
• Esses benefícios podem ser divididos em:
• Valor
• Crescimento
• Boas Práticas Gerenciais
• Comprometimento
Page 31
2004
Integrando sustentabilidade e estratégia do
Agronegócio
Passos fundamentais:
• Identificar toda a gama de CONEXÕES, que são potencialmente
integrantes do sucesso do seu negócio – investidores, sócios,
consumidores e toda a sociedade.
• Estabelecer os mecanismos corretos para conduzir o DIÁLOGO
com todos os pontos potenciais de conexão.
• Traduzir o diálogo em INDICADORES que tenham significado para
as implicações da futura estratégia.
• Desenvolver mecanismo de REPORTES que são capazes de
apresentar uma visão da boa prática gerencial e gestão pró-ativa
através de uma gama de missões críticas de fatores financeiros e
não financeiros.
Page 32
2004
• “Sustentabilidade é uma jornada, não
um destino. Planos estratégicos para
incluir na estratégia corporativa todos
os elementos para medir custos de
impactos, juntamente com soluções de
negócios à longo prazo, proporcionam
a base para a melhoria continua da
companhia”
PricewaterhouseCoopers
Gestão da Sustentabilidade
• Identificação de fatores
críticos (limitadores) de
Sustentabilidade
• Análise de riscos e
oportunidades
• ‘’Coaching’’ para a
Sustentabilidade
Gestão da Sustentabilidade
no Agro - Negocio - Processo
Fornecedores
Concentração
Matéria-Prima
Tecnologia
Serviços
Capital
Empresa
Recursos Humanos
Processos
Conhecimento
Gestão Corporativa
Clientes
Concentração
Cultura
Valores
Governo
Legislação
Infra-estrutura
Sociedade
Cultura
Educação
Concorrentes
Perfil de Concorrência
Produtos Substitutos
Novos Entrantes
Gestão da Sustentabilidade do Agro Negocio
Elementos (áreas) de Análise (base Porter / Hamel / Prahalad)
1. Governança e Engajamento
 Governança & Gestão
 Engajamento de Partes Interessadas
2. Foco Ambiental
 Melhoria do Processo Ambiental
 Produtos e Serviços Ambientais
3. Desenvolvimento Sócio-Econômico
 Crescimento Econômico Local
 Desenvolvimento da Comunidade
 Gestão de Recursos Humanos
Fatores deFatores de SustentabilidadeSustentabilidade
Modelo Sistêmico de Criação de Valor

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2008 02 27 Apresentacao Institucional
2008 02 27 Apresentacao Institucional2008 02 27 Apresentacao Institucional
2008 02 27 Apresentacao Institucional
Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário (CCDI)
 
Marfrig - resultados do 3º trimestre de 2010
Marfrig - resultados do 3º trimestre de 2010Marfrig - resultados do 3º trimestre de 2010
Marfrig - resultados do 3º trimestre de 2010
BeefPoint
 
Profarma Aquisição Rosario
Profarma Aquisição Rosario Profarma Aquisição Rosario
Profarma Aquisição Rosario
Profarma
 
Apresentação dos resultados 4 t12
Apresentação dos resultados 4 t12Apresentação dos resultados 4 t12
Apresentação dos resultados 4 t12
MagnesitaRI
 
Teleconferência 3T09
Teleconferência 3T09Teleconferência 3T09
Teleconferência 3T09
JBS RI
 
Mrv apresentação institucional Ago16 - pt
Mrv apresentação institucional Ago16 - ptMrv apresentação institucional Ago16 - pt
Mrv apresentação institucional Ago16 - pt
MRVRI
 
Profarma - Divulgação de resultados 3T16
Profarma - Divulgação de resultados 3T16Profarma - Divulgação de resultados 3T16
Profarma - Divulgação de resultados 3T16
Profarma
 
Profarma - 2T16
Profarma - 2T16Profarma - 2T16
Profarma - 2T16
Profarma
 
Jogos de Negócios Berrini T16
Jogos de Negócios Berrini T16Jogos de Negócios Berrini T16
Jogos de Negócios Berrini T16
Marco Coghi
 
Institucional 4 q13 novo padrão port-final
Institucional 4 q13 novo padrão   port-finalInstitucional 4 q13 novo padrão   port-final
Institucional 4 q13 novo padrão port-final
EquatorialRI
 
Institucional 3 q13 novo padrão port-final
Institucional 3 q13 novo padrão   port-finalInstitucional 3 q13 novo padrão   port-final
Institucional 3 q13 novo padrão port-final
EquatorialRI
 
Profarma Reunião Pública 2016
Profarma Reunião Pública 2016Profarma Reunião Pública 2016
Profarma Reunião Pública 2016
Profarma
 
4 t15
4 t154 t15
4 t15
Profarma
 
Marfrig - relatório de resultados do 2º trimestre de 2010
Marfrig - relatório de resultados do 2º trimestre de 2010Marfrig - relatório de resultados do 2º trimestre de 2010
Marfrig - relatório de resultados do 2º trimestre de 2010
BeefPoint
 
Jogos de Negócios FGV
Jogos de Negócios FGVJogos de Negócios FGV
Jogos de Negócios FGV
Talita De Azevedo
 
Apresentação 4T16
Apresentação 4T16Apresentação 4T16
Apresentação 4T16
Profarma
 
Desafios para manter o crescimento do setor de forma sustentável e competitiva
Desafios para manter o crescimento do setor de forma sustentável e competitivaDesafios para manter o crescimento do setor de forma sustentável e competitiva
Desafios para manter o crescimento do setor de forma sustentável e competitiva
FoodServiceNews
 
Apimec 2010
Apimec 2010Apimec 2010
Apimec 2010
Cia Hering RI
 
Palestra sobre Mercado de Leite –Walter Galan –Milkpoint Mercado
Palestra sobre Mercado de Leite –Walter Galan –Milkpoint MercadoPalestra sobre Mercado de Leite –Walter Galan –Milkpoint Mercado
Palestra sobre Mercado de Leite –Walter Galan –Milkpoint Mercado
APCBRH
 
1 t16 varejo
1 t16 varejo1 t16 varejo
1 t16 varejo
Profarma
 

Mais procurados (20)

2008 02 27 Apresentacao Institucional
2008 02 27 Apresentacao Institucional2008 02 27 Apresentacao Institucional
2008 02 27 Apresentacao Institucional
 
Marfrig - resultados do 3º trimestre de 2010
Marfrig - resultados do 3º trimestre de 2010Marfrig - resultados do 3º trimestre de 2010
Marfrig - resultados do 3º trimestre de 2010
 
Profarma Aquisição Rosario
Profarma Aquisição Rosario Profarma Aquisição Rosario
Profarma Aquisição Rosario
 
Apresentação dos resultados 4 t12
Apresentação dos resultados 4 t12Apresentação dos resultados 4 t12
Apresentação dos resultados 4 t12
 
Teleconferência 3T09
Teleconferência 3T09Teleconferência 3T09
Teleconferência 3T09
 
Mrv apresentação institucional Ago16 - pt
Mrv apresentação institucional Ago16 - ptMrv apresentação institucional Ago16 - pt
Mrv apresentação institucional Ago16 - pt
 
Profarma - Divulgação de resultados 3T16
Profarma - Divulgação de resultados 3T16Profarma - Divulgação de resultados 3T16
Profarma - Divulgação de resultados 3T16
 
Profarma - 2T16
Profarma - 2T16Profarma - 2T16
Profarma - 2T16
 
Jogos de Negócios Berrini T16
Jogos de Negócios Berrini T16Jogos de Negócios Berrini T16
Jogos de Negócios Berrini T16
 
Institucional 4 q13 novo padrão port-final
Institucional 4 q13 novo padrão   port-finalInstitucional 4 q13 novo padrão   port-final
Institucional 4 q13 novo padrão port-final
 
Institucional 3 q13 novo padrão port-final
Institucional 3 q13 novo padrão   port-finalInstitucional 3 q13 novo padrão   port-final
Institucional 3 q13 novo padrão port-final
 
Profarma Reunião Pública 2016
Profarma Reunião Pública 2016Profarma Reunião Pública 2016
Profarma Reunião Pública 2016
 
4 t15
4 t154 t15
4 t15
 
Marfrig - relatório de resultados do 2º trimestre de 2010
Marfrig - relatório de resultados do 2º trimestre de 2010Marfrig - relatório de resultados do 2º trimestre de 2010
Marfrig - relatório de resultados do 2º trimestre de 2010
 
Jogos de Negócios FGV
Jogos de Negócios FGVJogos de Negócios FGV
Jogos de Negócios FGV
 
Apresentação 4T16
Apresentação 4T16Apresentação 4T16
Apresentação 4T16
 
Desafios para manter o crescimento do setor de forma sustentável e competitiva
Desafios para manter o crescimento do setor de forma sustentável e competitivaDesafios para manter o crescimento do setor de forma sustentável e competitiva
Desafios para manter o crescimento do setor de forma sustentável e competitiva
 
Apimec 2010
Apimec 2010Apimec 2010
Apimec 2010
 
Palestra sobre Mercado de Leite –Walter Galan –Milkpoint Mercado
Palestra sobre Mercado de Leite –Walter Galan –Milkpoint MercadoPalestra sobre Mercado de Leite –Walter Galan –Milkpoint Mercado
Palestra sobre Mercado de Leite –Walter Galan –Milkpoint Mercado
 
1 t16 varejo
1 t16 varejo1 t16 varejo
1 t16 varejo
 

Destaque

Agronegócio Ético e Sustentável:A convergência entre a gestão ética e a sócio...
Agronegócio Ético e Sustentável:A convergência entre a gestão ética e a sócio...Agronegócio Ético e Sustentável:A convergência entre a gestão ética e a sócio...
Agronegócio Ético e Sustentável:A convergência entre a gestão ética e a sócio...
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
O Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no Agronegócio
O Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no AgronegócioO Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no Agronegócio
O Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no Agronegócio
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de ValorCASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...
Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...
Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
Comunicação e Transparência no Agronegócio
Comunicação e Transparência no AgronegócioComunicação e Transparência no Agronegócio
Comunicação e Transparência no Agronegócio
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
Responsabilidade Social no Agronegôcio
Responsabilidade Social no AgronegôcioResponsabilidade Social no Agronegôcio
Responsabilidade Social no Agronegôcio
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
Ética no Agronegócio: Transformando a ética no melhor e maior valor para os n...
Ética no Agronegócio: Transformando a ética no melhor e maior valor para os n...Ética no Agronegócio: Transformando a ética no melhor e maior valor para os n...
Ética no Agronegócio: Transformando a ética no melhor e maior valor para os n...
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
“Melhores Práticas” na cadeia produtiva do Agronegócio. Tendências globais pa...
“Melhores Práticas” na cadeia produtiva do Agronegócio. Tendências globais pa...“Melhores Práticas” na cadeia produtiva do Agronegócio. Tendências globais pa...
“Melhores Práticas” na cadeia produtiva do Agronegócio. Tendências globais pa...
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
O Perfil do CEO Sustentável
O Perfil do CEO SustentávelO Perfil do CEO Sustentável
O Perfil do CEO Sustentável
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
Divulgação dos Resultados da Pesquisa Código de Ética Corporativo 2013
Divulgação dos Resultados da Pesquisa Código de Ética Corporativo 2013Divulgação dos Resultados da Pesquisa Código de Ética Corporativo 2013
Divulgação dos Resultados da Pesquisa Código de Ética Corporativo 2013
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
CASE Siemens - Tema: Ética e Compliance
CASE Siemens - Tema: Ética e Compliance CASE Siemens - Tema: Ética e Compliance
CASE Siemens - Tema: Ética e Compliance
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
CASE Instituto Brasileiro de Ética nos Negócios
CASE Instituto Brasileiro de Ética nos NegóciosCASE Instituto Brasileiro de Ética nos Negócios
CASE Instituto Brasileiro de Ética nos Negócios
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
A situação atual do crédito no agronegócio marcelo fernandes guimarães
A situação atual do crédito no agronegócio   marcelo fernandes guimarãesA situação atual do crédito no agronegócio   marcelo fernandes guimarães
A situação atual do crédito no agronegócio marcelo fernandes guimarães
agro_SEBRAE
 
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Juliano Hoffmann
 
Desafios da Sustentabilidade
Desafios da SustentabilidadeDesafios da Sustentabilidade
Desafios da Sustentabilidade
Fundação Dom Cabral - FDC
 
Ciências naturais 7 desenvolvimento de formas de vida mais complexas
Ciências naturais 7   desenvolvimento de formas de vida mais complexasCiências naturais 7   desenvolvimento de formas de vida mais complexas
Ciências naturais 7 desenvolvimento de formas de vida mais complexas
Nuno Correia
 
Eco 111 - Aula 07
Eco 111 - Aula 07Eco 111 - Aula 07
Eco 111 - Aula 07
Thiago Ribeiro
 
Palestra na SERASA sobre Tecnologia e Inovação
Palestra na SERASA sobre Tecnologia e InovaçãoPalestra na SERASA sobre Tecnologia e Inovação
Palestra na SERASA sobre Tecnologia e Inovação
Richard Chaves
 
Apresentação qualidade
Apresentação qualidadeApresentação qualidade
Apresentação qualidade
Julio Cesar Gonçalves
 
Criar um processo e gerenciar as lições aprendidas
Criar um processo e gerenciar as lições aprendidasCriar um processo e gerenciar as lições aprendidas
Criar um processo e gerenciar as lições aprendidas
Julio Cesar Gonçalves
 

Destaque (20)

Agronegócio Ético e Sustentável:A convergência entre a gestão ética e a sócio...
Agronegócio Ético e Sustentável:A convergência entre a gestão ética e a sócio...Agronegócio Ético e Sustentável:A convergência entre a gestão ética e a sócio...
Agronegócio Ético e Sustentável:A convergência entre a gestão ética e a sócio...
 
O Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no Agronegócio
O Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no AgronegócioO Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no Agronegócio
O Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no Agronegócio
 
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de ValorCASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
 
Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...
Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...
Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...
 
Comunicação e Transparência no Agronegócio
Comunicação e Transparência no AgronegócioComunicação e Transparência no Agronegócio
Comunicação e Transparência no Agronegócio
 
Responsabilidade Social no Agronegôcio
Responsabilidade Social no AgronegôcioResponsabilidade Social no Agronegôcio
Responsabilidade Social no Agronegôcio
 
Ética no Agronegócio: Transformando a ética no melhor e maior valor para os n...
Ética no Agronegócio: Transformando a ética no melhor e maior valor para os n...Ética no Agronegócio: Transformando a ética no melhor e maior valor para os n...
Ética no Agronegócio: Transformando a ética no melhor e maior valor para os n...
 
“Melhores Práticas” na cadeia produtiva do Agronegócio. Tendências globais pa...
“Melhores Práticas” na cadeia produtiva do Agronegócio. Tendências globais pa...“Melhores Práticas” na cadeia produtiva do Agronegócio. Tendências globais pa...
“Melhores Práticas” na cadeia produtiva do Agronegócio. Tendências globais pa...
 
O Perfil do CEO Sustentável
O Perfil do CEO SustentávelO Perfil do CEO Sustentável
O Perfil do CEO Sustentável
 
Divulgação dos Resultados da Pesquisa Código de Ética Corporativo 2013
Divulgação dos Resultados da Pesquisa Código de Ética Corporativo 2013Divulgação dos Resultados da Pesquisa Código de Ética Corporativo 2013
Divulgação dos Resultados da Pesquisa Código de Ética Corporativo 2013
 
CASE Siemens - Tema: Ética e Compliance
CASE Siemens - Tema: Ética e Compliance CASE Siemens - Tema: Ética e Compliance
CASE Siemens - Tema: Ética e Compliance
 
CASE Instituto Brasileiro de Ética nos Negócios
CASE Instituto Brasileiro de Ética nos NegóciosCASE Instituto Brasileiro de Ética nos Negócios
CASE Instituto Brasileiro de Ética nos Negócios
 
A situação atual do crédito no agronegócio marcelo fernandes guimarães
A situação atual do crédito no agronegócio   marcelo fernandes guimarãesA situação atual do crédito no agronegócio   marcelo fernandes guimarães
A situação atual do crédito no agronegócio marcelo fernandes guimarães
 
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
 
Desafios da Sustentabilidade
Desafios da SustentabilidadeDesafios da Sustentabilidade
Desafios da Sustentabilidade
 
Ciências naturais 7 desenvolvimento de formas de vida mais complexas
Ciências naturais 7   desenvolvimento de formas de vida mais complexasCiências naturais 7   desenvolvimento de formas de vida mais complexas
Ciências naturais 7 desenvolvimento de formas de vida mais complexas
 
Eco 111 - Aula 07
Eco 111 - Aula 07Eco 111 - Aula 07
Eco 111 - Aula 07
 
Palestra na SERASA sobre Tecnologia e Inovação
Palestra na SERASA sobre Tecnologia e InovaçãoPalestra na SERASA sobre Tecnologia e Inovação
Palestra na SERASA sobre Tecnologia e Inovação
 
Apresentação qualidade
Apresentação qualidadeApresentação qualidade
Apresentação qualidade
 
Criar um processo e gerenciar as lições aprendidas
Criar um processo e gerenciar as lições aprendidasCriar um processo e gerenciar as lições aprendidas
Criar um processo e gerenciar as lições aprendidas
 

Semelhante a Agronegócio & Pequenos Produtores: De mãos dadas para trilhar o caminho da Sustentabilidade

Finanças pessoais: Renan Lima
Finanças pessoais: Renan LimaFinanças pessoais: Renan Lima
Finanças pessoais: Renan Lima
Cra-es Conselho
 
Créditos de carbono antonio carlos porto araujo
Créditos de carbono   antonio carlos porto araujoCréditos de carbono   antonio carlos porto araujo
Créditos de carbono antonio carlos porto araujo
Antonio Carlos Porto Araujo
 
Valuation da Natura - Turma de 2016.1
Valuation da Natura - Turma de 2016.1Valuation da Natura - Turma de 2016.1
Valuation da Natura - Turma de 2016.1
Felipe Pontes
 
Institutional presentation 080413 ptg final impressão
Institutional presentation 080413 ptg final impressãoInstitutional presentation 080413 ptg final impressão
Institutional presentation 080413 ptg final impressão
vigor_ri
 
ANUÁRIO ABISOLO.pdf
ANUÁRIO ABISOLO.pdfANUÁRIO ABISOLO.pdf
ANUÁRIO ABISOLO.pdf
ssuserc44a301
 
Relatorio - Parte 4
Relatorio - Parte 4Relatorio - Parte 4
Relatorio - Parte 4
MalinkaNav
 
120926 12-wbeef-associacoes-euvaldo-foroni
120926 12-wbeef-associacoes-euvaldo-foroni120926 12-wbeef-associacoes-euvaldo-foroni
120926 12-wbeef-associacoes-euvaldo-foroni
AgroTalento
 
Plano de investimentos 2008 2012
Plano de investimentos 2008 2012Plano de investimentos 2008 2012
Plano de investimentos 2008 2012
Petrobras
 
Bb crédito rural
Bb crédito ruralBb crédito rural
Bb crédito rural
equipeagroplus
 
BB Credito Rural
BB Credito Rural BB Credito Rural
BB Credito Rural
Revista Cafeicultura
 
ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...
ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...
ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...
Felipe Pontes
 
Curso Banco do Brasil - Crédito Rural
Curso Banco do Brasil - Crédito RuralCurso Banco do Brasil - Crédito Rural
Curso Banco do Brasil - Crédito Rural
equipeagroplus
 
Relatório anual brf 2013
Relatório anual brf 2013Relatório anual brf 2013
Relatório anual brf 2013
Gerson Rower
 
Pdp ps evento xii fimai
Pdp ps evento xii fimaiPdp ps evento xii fimai
Pdp ps evento xii fimai
Instituto IDEIAS
 
Minerva - resultados de 2010
Minerva - resultados de 2010Minerva - resultados de 2010
Minerva - resultados de 2010
BeefPoint
 
Valuation: Avaliação de Empresas
Valuation: Avaliação de EmpresasValuation: Avaliação de Empresas
Valuation: Avaliação de Empresas
rodrigoof
 
Apresentação de resultados 3 t12 final pt
Apresentação de resultados 3 t12 final ptApresentação de resultados 3 t12 final pt
Apresentação de resultados 3 t12 final pt
vigor_ri
 
Plano de Negócios - RCS LTDA
Plano de Negócios - RCS LTDAPlano de Negócios - RCS LTDA
Plano de Negócios - RCS LTDA
Lexmüller Carchedi
 
Celso Vegro Apresentação 9º Agrocafé 2008
Celso Vegro Apresentação 9º Agrocafé 2008Celso Vegro Apresentação 9º Agrocafé 2008
Celso Vegro Apresentação 9º Agrocafé 2008
Revista Cafeicultura
 
como-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnq
como-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnqcomo-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnq
como-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnq
Jéssica Cristina
 

Semelhante a Agronegócio & Pequenos Produtores: De mãos dadas para trilhar o caminho da Sustentabilidade (20)

Finanças pessoais: Renan Lima
Finanças pessoais: Renan LimaFinanças pessoais: Renan Lima
Finanças pessoais: Renan Lima
 
Créditos de carbono antonio carlos porto araujo
Créditos de carbono   antonio carlos porto araujoCréditos de carbono   antonio carlos porto araujo
Créditos de carbono antonio carlos porto araujo
 
Valuation da Natura - Turma de 2016.1
Valuation da Natura - Turma de 2016.1Valuation da Natura - Turma de 2016.1
Valuation da Natura - Turma de 2016.1
 
Institutional presentation 080413 ptg final impressão
Institutional presentation 080413 ptg final impressãoInstitutional presentation 080413 ptg final impressão
Institutional presentation 080413 ptg final impressão
 
ANUÁRIO ABISOLO.pdf
ANUÁRIO ABISOLO.pdfANUÁRIO ABISOLO.pdf
ANUÁRIO ABISOLO.pdf
 
Relatorio - Parte 4
Relatorio - Parte 4Relatorio - Parte 4
Relatorio - Parte 4
 
120926 12-wbeef-associacoes-euvaldo-foroni
120926 12-wbeef-associacoes-euvaldo-foroni120926 12-wbeef-associacoes-euvaldo-foroni
120926 12-wbeef-associacoes-euvaldo-foroni
 
Plano de investimentos 2008 2012
Plano de investimentos 2008 2012Plano de investimentos 2008 2012
Plano de investimentos 2008 2012
 
Bb crédito rural
Bb crédito ruralBb crédito rural
Bb crédito rural
 
BB Credito Rural
BB Credito Rural BB Credito Rural
BB Credito Rural
 
ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...
ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...
ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E PRODUTOS AGR...
 
Curso Banco do Brasil - Crédito Rural
Curso Banco do Brasil - Crédito RuralCurso Banco do Brasil - Crédito Rural
Curso Banco do Brasil - Crédito Rural
 
Relatório anual brf 2013
Relatório anual brf 2013Relatório anual brf 2013
Relatório anual brf 2013
 
Pdp ps evento xii fimai
Pdp ps evento xii fimaiPdp ps evento xii fimai
Pdp ps evento xii fimai
 
Minerva - resultados de 2010
Minerva - resultados de 2010Minerva - resultados de 2010
Minerva - resultados de 2010
 
Valuation: Avaliação de Empresas
Valuation: Avaliação de EmpresasValuation: Avaliação de Empresas
Valuation: Avaliação de Empresas
 
Apresentação de resultados 3 t12 final pt
Apresentação de resultados 3 t12 final ptApresentação de resultados 3 t12 final pt
Apresentação de resultados 3 t12 final pt
 
Plano de Negócios - RCS LTDA
Plano de Negócios - RCS LTDAPlano de Negócios - RCS LTDA
Plano de Negócios - RCS LTDA
 
Celso Vegro Apresentação 9º Agrocafé 2008
Celso Vegro Apresentação 9º Agrocafé 2008Celso Vegro Apresentação 9º Agrocafé 2008
Celso Vegro Apresentação 9º Agrocafé 2008
 
como-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnq
como-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnqcomo-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnq
como-atender-requisitos-de-gestão-para-clientes-com-base-no-meg-da-fnq
 

Agronegócio & Pequenos Produtores: De mãos dadas para trilhar o caminho da Sustentabilidade

  • 2. PricewaterhouseCoopers Índice 1. Overview do Setor 2. Novos Instrumentos para o Agronegócio 3. Conceitos de Sustentabilidade 4. Integrando Sustentabilidade e a Estratégia do Agronegócio 5. Gestão da Sustentabilidade
  • 5. Page 5 2004 Renda AgrícolaRenda AgrícolaRenda AgrícolaRenda Agrícola Renda Agrícola* 155.265 132.583 109.213 50.000 60.000 70.000 80.000 90.000 100.000 110.000 120.000 130.000 140.000 150.000 160.000 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 ValoresemMilhõesR$ Fonte: IBGEElaboração: AGE/MAPA Com base em preços de abril de 2008. Considera apenas produtos agrícolas, não considera produção animal. Fernando Gaiger Silveira Pesquisador do IPEA Silvio M. Ichihara Pesquisador da FIPE Bernardo P. Campolina Diniz Pesquisador da FIPE Guilherme R. C. Moreira Pesquisador da FIPE
  • 6. Page 6 2004 O Agronegócio Familiar no Brasil e nos seus Estados: A Contribuição a Agricultura Familiar para a Riqueza Nacional
  • 7. Page 7 2004 • Joaquim J. M. Guilhoto • Professor do Departamento de Economia, FEA-USP • Carlos R. Azzoni • Professor do Departamento de Economia, FEA-USP • Fernando Gaiger Silveira • Pesquisador do IPEA • Silvio M. Ichihara • Pesquisador da FIPE • Bernardo P. Campolina Diniz • Pesquisador da FIPE • Guilherme R. C. Moreira • Pesquisador da FIPE
  • 8. Page 8 2004 -15% -10% -5% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 Variação Acumulada do PIB do Complexo Familiar Agrícola Variação Acumulada do PIB do Complexo Familiar Pecuário Variação Acumulada do PIB do Complexo Patronal Agrícola Variação Acumulada do PIB do Complexo Patronal Pecuário Variações anuais acumuladas do PIB do agronegócio referentes aos complexos agropecuários familiar e patronal (ano base: 1995)
  • 9. Page 9 2004 90.3% 89.1% 87.9% 89.3% 87.5% 86.5% 86.0% 83.5% 82.5% 83.3% 85.7% 5.9% 6.8% 8.5% 7.7% 8.7% 9.6% 10.6% 12.9% 13.5% 13.5% 11.3% 3.7% 4.0% 3.5% 2.9% 3.7% 3.8% 3.3% 3.5% 4.0% 3.1% 2.8% 0.0% 20.0% 40.0% 60.0% 80.0% 100.0% 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 -50.0% 50.0% 150.0% 250.0% Total Fumo Milho Soja Outras Culturas Var. Acumulada do PIB da Lavoura: Outras Culturas Var. Acumulada do PIB da Lavoura: Fumo Var. Acumulada do PIB da Lavoura: Milho Var. Acumulada do PIB da Lavoura: Soja Participação de algumas culturas que formam o setor da agricultura patronal no Brasil e as respectivas variações acumuladas do PIB (em relação ao ano base: 1995)
  • 10. Page 10 2004 Distribuição regional do PIB dos produtos da lavoura
  • 11. Page 11 2004Fonte: CNA/Decon. (*) a preços de julho/2004, pelo IGP-DI Distribuição regional do PIB dos produtos da lavoura do segmento familiar
  • 12. Page 12 2004 Distribuição regional do PIB do agronegócio familiar para os produtos da pecuária Distribuição regional do PIB do agronegócio familiar para os produtos da pecuária
  • 13. Page 13 2004 Regiões Taxas de crescimento Composição Percentual PIB Agronegócio PIB Agronegócio PIB Agronegócio Familiar 2003 2004 2003 2004 2002 2003 2004 Norte 7,5% 1,6% 9,4% 2,8% 5,9 5,9 5,9 Nordeste 7,3% 0,8% 10,7% -3,3% 13,9 14,0 13,7 Sudeste 1,8% 3,4% 3,6% -1,4% 40,7 38,9 39,2 Sul 11,8% 1,6% 12,1% 0,1% 28,6 30,1 29,8 Centro-Oeste 8,9% 5,1% 12,1% 10,9% 10,9 11,1 11,4 Brasil 6,5% 2,6% 9,4% 0,1% 100,0 100,0 100,0 Tabela 2. Taxas de crescimento do PIB do agronegócio total e familiar, por macrorregiões – 2003/2002 e 2004/2003 Fonte: dados da pesquisa
  • 14. Page 14 2004 Brasil: Exportações de carnes – mil toneladas
  • 16. Page 16 2004 Inovações :Inovações : • CDCA – LCA – CRA – novos títulos de recebíveis • FIA – Fundo de Investimento no Agronegócio • NC-A – Nota Comercial do Agronegócio (Agrinote) • Contrato Privado de Opção de Venda • Contrato de Opção de Compra de Estoques Públicos • CDA – Certificado de Depósito Agropecuário • WA – Warrant Agropecuário • Certificação de Armazéns • Implantação da Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural e Reformulação do Proagro
  • 17. Page 17 2004 Fundos de Investimentos: Patrimônio LíquidoFundos de Investimentos: Patrimônio Líquido Distribuição R$ bilhões Renda Fixa 187 DI e Curto Prazo 118 Mistos 145 Ações 34 Previdência 24 Privatização 77 Cambial 5 Outros 2 Total 522Fev.04 Distribuição R$ bilhões Renda Fixa 187 DI e Curto Prazo 118 Mistos 145 Ações 34 Previdência 24 Privatização 77 Cambial 5 Outros 2 Total 522 Distribuição R$ bilhões Renda Fixa 187 DI e Curto Prazo 118 Mistos 145 Ações 34 Previdência 24 Privatização 77 Cambial 5 Outros 2 Total 522Fev.04
  • 18. Page 18 2004 O cenário é promissor…Mas é SUSTENTÁVEL? Trabalho Infantil Contaminação Trabalho EscravoPragas e Doenças Barreiras Não Tarifárias Etc... Etc... Etc !!!
  • 19. Sustentabilidade: Pré- Requisito de toda a Cadeia Produtiva do Agro - Negocio
  • 20. Page 20 2004 Utilização de recursos para atender às necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras em atender as suas próprias necessidades. (Desenvolvido por Gro Brutland em 1990 e aprovado na Rio 92) Este conceito integra os três vetores da sustentabilidade: ambiental, econômico e social. Desenvolvimento Econômico Responsabilidade Social Sustentabilidade Gestão Ambiental Triple Bottom Line Sustentabilidade Relembrando o conceito básico
  • 21. Page 21 2004 • Maximização do retorno do capital • Investidor • Empreendedor (Lucratividade no longo prazo) • Preservação de recursos naturais • Eco-Eficiência • Energia renovável • Cidadania • Geração de Emprego • Engajamento das partes interessadas Desenvolvimento Econômico Gestão Ambiental Responsabilidade Social Sustentabilidade Sustentabilidade
  • 22. Page 22 2004 Sustentabilidade não é • Meio ambiente • Acessório, mas sim fundamental para a estratégia de negócios da empresa • Apenas políticas e procedimentos: é uma cultura, uma atitude Sustentabilidade é • Fator estratégico e criação de valor a longo prazo • A legitimidade da empresa, está além da conformidade (licença de operação e crescimento) • A ligação entre diversos fatores (Governança, Transparência, Valor agregado ao acionistas etc) • Deslocamento do stakeholder-oriented para o value-oriented • Transparência dos seus valores intangíveis Cidadania Corporativa Triple Bottom Line Responsabilidade Corporativa Desenvolvimento Sustentável Ética nos Negócios Responsabilidade Social Corporativa “Sustainability”
  • 23. Page 23 2004 Sustentabilidade & “não financeiro”  AvaliaçãoAvaliação retrospectivaretrospectiva  Explicação de comoExplicação de como os resultados foramos resultados foram atingidosatingidos Capacidade financeiraCapacidade financeira  PioneirismoPioneirismo  Maneira pela qual osManeira pela qual os resultados foram e serãoresultados foram e serão atingidosatingidos Capacidade estratégicaCapacidade estratégica • Reputação • Brand • Confiança • Credibilidade • Integridade • Capital Intelectual • Fidelidade do consumidor • Gestão de risco • Responsabilidade sócio- ambiental • Capital financeiro • Imobilizado TangíveisInatingíveis L I N K
  • 24. Page 24 2004 Sustentabilidade no Agro Negocio, será que atualmente é só isso?
  • 25. Page 25 2004 É a perenidade do empreendimento (empresarial ou social) com adequada remuneração do capital e/ou continuidade do cumprimento de sua missão ao longo to tempo. Adiciona aos vetores básicos de sustentabilidade - econômicos, ambientais e sociais – outros instrumentos de gestão: • Governança Corporativa • Ética e Cultura • Gestão de Riscos • Indicadores de Sustentabilidade • Fatores Críticos de Sustentabilidade Sustentabilidade do Agro Negocio Visão : PricewaterhouseCoopers
  • 26. Page 26 2004 •Pressões de Leis e Regulamentações • Legislação Ambiental • Legislação Trabalhista • Proteção aos Minoritários • Código de Defesa do Consumidor • SEC; CVM, BOVESPA, Sarbannes-Oxley, etc. •Pressões Sociais • Aumento do consumo consciente • Crescimento do conceito de cidadania • Atuação de organizações não governamentais, etc. •Pressões do ambiente de negócios • Movimento internacional de fusões e aquisições • Concessão de crédito vinculada a critérios de sustentabilidade • Intensificação dos investimentos de fundos de pensão • Postura mais ativa dos investidores institucionais, nacionais e internacionais • Seletividade de fornecedores • Oportunidades e Riscos de reputação da cadeia de valor, incluindo fornecedores, clientes, parceiros, etc. PricewaterhouseCoopers
  • 27. Partes interessadas no Agronegócio Clientes Funcionários Sociedade Sócios Tópico Econômica Cumprir com normas e garantias Valor do produto e serviço comparado à concorrência Conscientização de tendências externas Remuneração comparada à concorrência Investimento no futuro dos funcionários Evitar práticas corrompidas Disponibilidade de compartilhamentode lucro Participação na tomada de decisões Respeitar cultura e legislação Contribuir com economias locais Promover feiras comerciais Sensibilidade na desordem Alianças estratégicas Fomentar relacionamentos justos Fomentar responsabilidade na direção Ambiente Resposta às preocupações do cliente Eficiência e, energia e materiais Política ambiental Promover a responsabilidade ambiental no local de trabalho Elaborar iniciativas para melhorar a produção de modo ambientalmente eficiente Transparência com relação ao desempenho Proteção do ambiente Resposta às preocupações da comunidade Qualidade da interface com a comunidade Áreas de projeto de pesquisa e desenvolvimento Fomentar responsabilidade ambiental Social Promover saúde e segurança – na construção, produtos e serviços Observação das normas internacionais Registros de saúde e segurança Respeito aos diretos do trabalho e direitos humanos Diversidade da força de trabalho e administração Oportunidades de aprendizado Promover saúde e segurança Respeitar e promover direitos humanos Parcerias com partes interessadas – Criação de empregos Fomentar responsabilidade na área de saúde e segurança Respeitar direitos do trabalho e direitos humanos
  • 28. O caminho a seguir – a integração de sustentabilidade na sua estratégia de negócios Conexões Identifique a série completa de conexões que estão potencialmente integradas ao sucesso dos seus negócios– investidores, sócios, consumidores e sociedade como um todo. Considere quais os melhores motivadores de reputação e valor no seu mercado Diálogo Defina os mecanismos certos para conduzir o diálogo em todos os pontos de conexão em potencial e considere as implicações estratégicas do que foi aprendido a partir dessas conexões Indicadores Converta o diálogo em indicadores relevantes para estabelecer as implicações de estratégias futuras Defina metas para melhoria e para monitorar desempenho Apresentação de relatórios Desenvolva mecanismos de apresentação de relatórios capazes de oferecer governança e gestão pró- ativas mediante os fatores críticos e não-financeiros.
  • 30. Page 30 2004 Integrando sustentabilidade e estratégia do Agro Negócio • Fazer da sustentabilidade parte integral da estratégia de negócio da companhia oferece oportunidades de benefícios reais : • Esses benefícios podem ser divididos em: • Valor • Crescimento • Boas Práticas Gerenciais • Comprometimento
  • 31. Page 31 2004 Integrando sustentabilidade e estratégia do Agronegócio Passos fundamentais: • Identificar toda a gama de CONEXÕES, que são potencialmente integrantes do sucesso do seu negócio – investidores, sócios, consumidores e toda a sociedade. • Estabelecer os mecanismos corretos para conduzir o DIÁLOGO com todos os pontos potenciais de conexão. • Traduzir o diálogo em INDICADORES que tenham significado para as implicações da futura estratégia. • Desenvolver mecanismo de REPORTES que são capazes de apresentar uma visão da boa prática gerencial e gestão pró-ativa através de uma gama de missões críticas de fatores financeiros e não financeiros.
  • 32. Page 32 2004 • “Sustentabilidade é uma jornada, não um destino. Planos estratégicos para incluir na estratégia corporativa todos os elementos para medir custos de impactos, juntamente com soluções de negócios à longo prazo, proporcionam a base para a melhoria continua da companhia”
  • 34. • Identificação de fatores críticos (limitadores) de Sustentabilidade • Análise de riscos e oportunidades • ‘’Coaching’’ para a Sustentabilidade Gestão da Sustentabilidade no Agro - Negocio - Processo
  • 36. 1. Governança e Engajamento  Governança & Gestão  Engajamento de Partes Interessadas 2. Foco Ambiental  Melhoria do Processo Ambiental  Produtos e Serviços Ambientais 3. Desenvolvimento Sócio-Econômico  Crescimento Econômico Local  Desenvolvimento da Comunidade  Gestão de Recursos Humanos Fatores deFatores de SustentabilidadeSustentabilidade Modelo Sistêmico de Criação de Valor