SlideShare uma empresa Scribd logo
Agroecologia
Agroecologia
Curso Agroecologia e Tecnologia Social – um caminho
para a sustentabilidade
Módulo 2 – Agroecologia – aspectos teóricos e
conceituais
Agroecologia – aspectos teóricos e conceituais
Capítulo 2 – Origens da Agroecologia
Marcio de Medeiros Gonçalves
Eng. Agrônomo – Dr
Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus Chapecó
marcio.goncalves@uffs.edu.br
Origens da Agroecologia
• Estudar as origens da Agroecologia nos ajudará a
entender o que ela representa hoje.
Uma questão histórica
• Desde 10.000 anos passados até 300 anos
atrás, a agricultura foi sempre muito igual,
com raros momentos de “saltos tecnológicos”
nas alterações nos modos de produção.
Metodologia didático-pedagógica
• Desde 10.000 anos atrás, até meros 300 anos
atrás, a agricultura foi sempre muito igual, com
raros momentos de “saltos” tecnológicos
Agricultura neolítica – 4.500 a 9.000
anos atrás
Imagem da internet
Agricultura neolítica
• O fato do homem passar de uma cultura
de caça e coleta de alimentos para a
agricultura do neolítico representou uma
revolução.
Agricultura neolítica
• Ferramentos ou tecnologias que
possibitaram esta revolução
Imagem da internet
Agricultura Medieval (de 300 a 1300 anos
atrás):
Na agricultura medieval, uma tecnologia que representou um avanço em
relação a agricultura neolítica foi o uso do arado “charrua”. Este arado durante
muitos séculos representou a tecnologia diferencial destes sistemas.
Imagem da internet
Agricultura Medieval:
• Tecnologias que promoveram a revolução, da
agricultura neolítica para a agricultura medieval: o
arado escarificador e a grade de madeira,
juntamente com o uso da tração animal.
Imagem da internet
As bases tecnológicas
• Esta agricultura medieval aproveitava ao
máximo os recursos ecológicos para produzir
alimentos
• O homem que praticava esta agricultura ficou
conhecido como CAMPONES
• Ainda hoje, estudamos a agricultura
camponesa para entender a própria
agricultura
As bases tecnológicas
• Estudar a evolução da agricultura através das
evoluções tecnológicas ajuda a entender suas
implicações sociais, economicas,ambientais,
culturais, tanto no presente como no futuro
da humanidade;
O salto tecnológico definitivo
• A partir de 1800, a Revolução industrial
influenciou a agricultura profundamente.
• Nasce a agricultura industrial
O salto tecnológico definitivo
• Inicialmente através da mecanização – se antes as
revoluções agrícolas foram sutis, devemos entender a
revolução moderna (ou industrialização) como um marco
histórico, que definiu o que somos hoje.
Imagem da internet
O salto tecnológico definitivo
• A mecanização se deu em diferentes períodos nas regiões
do mundo. No brasil, foi tardia: de modo mais intenso a
partir da década de 60
Imagem da internet
O salto tecnológico definitivo
• A mecanização aumentou em muito a capacidade de
trabalho de um homem, possibilitando o cultivo de uma
área maior de terra.
• De um lado possibilitou alimentos mais baratos e
estimulou o aumento da área cultivada por família;
• De outro, provocou o êxodo rural, especialmente, na
direção das grandes cidades, para aqueles que não
tiveram a oportunidade de aumentar sua área de cultivo
O salto tecnológico definitivo
• Inclusão nos sistemas produtivos de adubos
químicos altamente solúveis
• Inclusão nos sistemas produtivos de
agrotóxicos, tais como os inseticidas,
fungicidas e herbicidas, principalmente
Agrotóxicos e adubos químicos
altamente solúveis
Imagem da internet
• Depois da Segunda Guerra (1945), o parque
químico e industrial instalado na Europa,
Estados Unidos e Ásia foi direcionado para a
produção de insumos para a agricultura
Agrotóxicos e adubos químicos
altamente solúveis
O salto tecnológico definitivo
• Este período que durou até a década de 70
ficou conhecido como “Revolução verde”
O salto tecnológico definitivo
• Principais resultados da Revolução Verde:
• Aumento da produtividade
• Barateamento dos alimentos
• Necessidade dos camponeses em aumentar
a área de produção
O salto tecnológico definitivo
• Principais impactos negativos da Revolução
Verde:
• Alimentos com resíduos de agrotóxicos
• Ambiente com resíduos de agrotóxicos e de
adubos químicos
• Perda da biodiversidade, desertificação;
• Concentração da terra.
O salto tecnológico definitivo
• Outro impacto marcante foi o uso muito
mais intensivo dos recursos naturais (solo,
minerais, água)
• Estes aspectos geraram um ambiente
propício para o surgimento da chamada
agricultura alternativa
A agricultura alternativa
• Na década de 70, a agricultura
alternativa tinha como objetivo mudar
elementos no sistema de produção de
alimentos para combater os impactos
negativos da revolução verde
• Este Movimento de AGRICULTURA
ALTERNATIVA deu origem ao que chamamos
de MOVIMENTO AGROECOLÓGICO no Brasil
Enfim, A Agroecologia
• Faziam parte da Agricultura Alternativa
seguimentos importantes da sociedade, que
ainda hoje constroem a Agroecologia:
• Movimentos sociais;
• Agricultores;
• Professores, estudantes, pesquisadores,
extensionistas;
Então, o que é AGROECOLOGIA
• Agroecologia é um campo do conhecimento
que busca contribuir na construção de uma
AGRICULTURA SUSTENTÁVEL
Agricultura sustentável
• Considera-se a agricultura sustentável aquela
que responde de forma integrada aos
pressupostos sociais, ambientais,
econômicos, culturais, políticos e éticos que
embasam a produção agrícola como um
processo de construção social.
Multidimencionalidade da Realidade
• A realidade pressupõe dimensões econômicas, sociais,
ambientais, culturais (múltiplas dimensões), que necessitam
ser analisadas e entendidas em seu conjunto, ou seja, não
basta apenas ser ambientalmente sustentável, como é comum
haver referências acerca do tema.
• A produção agrícola para ser sustentável necessita atender a
todas estas múltiplas dimensões de forma integrada.
Parabéns
• Chegaste ao final do capítulo.
• Nosso objetivo foi demonstrar que a
Agroecologia faz parte de um processo de
construção social e, portanto, faz parte da
propria historia da agricultura.
No próximo capítulo...
• Veremos alguns conceitos teóricos sobre
Agrecologia
• Até lá!!!
Você chegou até aqui!!
Parabéns!!
Passe direto para o
capítulo 3.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

SISTEMAS AGRÍCOLAS
SISTEMAS AGRÍCOLASSISTEMAS AGRÍCOLAS
SISTEMAS AGRÍCOLAS
Henrique Pontes
 
Teoria e métodos em Agroecologia
Teoria e métodos em AgroecologiaTeoria e métodos em Agroecologia
Teoria e métodos em Agroecologia
Diogo Silva
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
Geografia Agrária - Revolução verde
Geografia Agrária - Revolução verdeGeografia Agrária - Revolução verde
Geografia Agrária - Revolução verde
Vinicius Coelho
 
Revolução verde ppt
Revolução verde pptRevolução verde ppt
Revolução verde ppt
Universidade do Estado do Amazonas
 
Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3
UERGS
 
Agricultura sustentável
Agricultura sustentávelAgricultura sustentável
Agricultura sustentável
Kelwin Souza
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
Dell Andrade
 
Sistemas Agrícolas
Sistemas AgrícolasSistemas Agrícolas
Sistemas Agrícolas
joao paulo
 
Recuperação de áreas degradadas
Recuperação de áreas degradadasRecuperação de áreas degradadas
Recuperação de áreas degradadas
UERGS
 
Revolução Verde
Revolução VerdeRevolução Verde
Revolução Verde
Zeca B.
 
Fitossanidade agronegocio mg_agropec
Fitossanidade agronegocio mg_agropecFitossanidade agronegocio mg_agropec
Fitossanidade agronegocio mg_agropec
Embrapa Milho e Sorgo
 
Revolucao verde
Revolucao verdeRevolucao verde
Revolucao verde
Wellington Alvim da Cunha
 
Origem, evolução e domesticação das plantas
Origem, evolução e domesticação das plantasOrigem, evolução e domesticação das plantas
Origem, evolução e domesticação das plantas
UERGS
 
REVOLUÇÃO VERDE
REVOLUÇÃO VERDEREVOLUÇÃO VERDE
REVOLUÇÃO VERDE
Conceição Fontolan
 
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
igor-oliveira
 
Métodos e técnicas de conservação do solo
Métodos e técnicas de conservação do soloMétodos e técnicas de conservação do solo
Métodos e técnicas de conservação do solo
Girleno Oliveira
 
Geografia Agrária
Geografia Agrária Geografia Agrária
Geografia Agrária
Luciano Pessanha
 
Introduo agroecologia
Introduo agroecologiaIntroduo agroecologia
Introduo agroecologia
Adalto Silva
 
Produção de alimentos x fome
Produção de alimentos x fomeProdução de alimentos x fome
Produção de alimentos x fome
Edenilson Morais
 

Mais procurados (20)

SISTEMAS AGRÍCOLAS
SISTEMAS AGRÍCOLASSISTEMAS AGRÍCOLAS
SISTEMAS AGRÍCOLAS
 
Teoria e métodos em Agroecologia
Teoria e métodos em AgroecologiaTeoria e métodos em Agroecologia
Teoria e métodos em Agroecologia
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do Solo
 
Geografia Agrária - Revolução verde
Geografia Agrária - Revolução verdeGeografia Agrária - Revolução verde
Geografia Agrária - Revolução verde
 
Revolução verde ppt
Revolução verde pptRevolução verde ppt
Revolução verde ppt
 
Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3
 
Agricultura sustentável
Agricultura sustentávelAgricultura sustentável
Agricultura sustentável
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
 
Sistemas Agrícolas
Sistemas AgrícolasSistemas Agrícolas
Sistemas Agrícolas
 
Recuperação de áreas degradadas
Recuperação de áreas degradadasRecuperação de áreas degradadas
Recuperação de áreas degradadas
 
Revolução Verde
Revolução VerdeRevolução Verde
Revolução Verde
 
Fitossanidade agronegocio mg_agropec
Fitossanidade agronegocio mg_agropecFitossanidade agronegocio mg_agropec
Fitossanidade agronegocio mg_agropec
 
Revolucao verde
Revolucao verdeRevolucao verde
Revolucao verde
 
Origem, evolução e domesticação das plantas
Origem, evolução e domesticação das plantasOrigem, evolução e domesticação das plantas
Origem, evolução e domesticação das plantas
 
REVOLUÇÃO VERDE
REVOLUÇÃO VERDEREVOLUÇÃO VERDE
REVOLUÇÃO VERDE
 
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
1 agroecossistemas e propriedades estruturais de comunidades
 
Métodos e técnicas de conservação do solo
Métodos e técnicas de conservação do soloMétodos e técnicas de conservação do solo
Métodos e técnicas de conservação do solo
 
Geografia Agrária
Geografia Agrária Geografia Agrária
Geografia Agrária
 
Introduo agroecologia
Introduo agroecologiaIntroduo agroecologia
Introduo agroecologia
 
Produção de alimentos x fome
Produção de alimentos x fomeProdução de alimentos x fome
Produção de alimentos x fome
 

Semelhante a Agroecologia 2.ppt

AULA-01-Relação campo cidad-GEO-IV UNIDADE-ETECS.pptx
AULA-01-Relação campo cidad-GEO-IV UNIDADE-ETECS.pptxAULA-01-Relação campo cidad-GEO-IV UNIDADE-ETECS.pptx
AULA-01-Relação campo cidad-GEO-IV UNIDADE-ETECS.pptx
ProfessorAlamyVerssi
 
Projeto Pesquisa TRANSIÇÃO DA AGRICULTURA CONVENCIONAL PARA AGROECOLÓGICA
Projeto  Pesquisa TRANSIÇÃO DA AGRICULTURA CONVENCIONAL PARA AGROECOLÓGICAProjeto  Pesquisa TRANSIÇÃO DA AGRICULTURA CONVENCIONAL PARA AGROECOLÓGICA
Projeto Pesquisa TRANSIÇÃO DA AGRICULTURA CONVENCIONAL PARA AGROECOLÓGICA
Sirleitr
 
Plano de sessão do cursso de gricultura geral e industrial.pptx
Plano de sessão do cursso de gricultura geral e industrial.pptxPlano de sessão do cursso de gricultura geral e industrial.pptx
Plano de sessão do cursso de gricultura geral e industrial.pptx
horacioelumbo
 
Breve História da Agricultura - considerações iniciais
Breve História da Agricultura - considerações iniciaisBreve História da Agricultura - considerações iniciais
Breve História da Agricultura - considerações iniciais
JoilsonEcheverria
 
Cartilha SAE 2011
Cartilha SAE 2011Cartilha SAE 2011
Cartilha SAE 2011
nucane
 
Cartilha SAE 2011
Cartilha SAE 2011Cartilha SAE 2011
Cartilha SAE 2011
nucane
 
Perspectiva histórica da agricultura e da agronomia.pdf
Perspectiva histórica da agricultura e da agronomia.pdfPerspectiva histórica da agricultura e da agronomia.pdf
Perspectiva histórica da agricultura e da agronomia.pdf
camilasantos195061
 
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdfAULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
ClaudiaSiano
 
Aula 1 - Homem e Meio Ambiente.pdf
Aula 1 - Homem e Meio Ambiente.pdfAula 1 - Homem e Meio Ambiente.pdf
Aula 1 - Homem e Meio Ambiente.pdf
AnaPaula570951
 
Cartilha SEA 2010
Cartilha SEA 2010Cartilha SEA 2010
Cartilha SEA 2010
nucane
 
Cartilha SAE 2010
Cartilha SAE 2010Cartilha SAE 2010
Cartilha SAE 2010
nucane
 
Programa de pesquisa em agroecologia para a realidade dos países pobres
Programa de pesquisa em agroecologia para a realidade dos países pobresPrograma de pesquisa em agroecologia para a realidade dos países pobres
Programa de pesquisa em agroecologia para a realidade dos países pobres
UN Joint Office of UNDP, UNFPA and UNICEF (Environment Energy and Disaster Prevention Unit)
 
Sebenta de Geografia_Agricultura
Sebenta de Geografia_AgriculturaSebenta de Geografia_Agricultura
Sebenta de Geografia_Agricultura
Idalina Leite
 
Revolução verde
Revolução verdeRevolução verde
Revolução verde
komartiins
 
Geografia sistemas agrícolas em
Geografia sistemas agrícolas emGeografia sistemas agrícolas em
Geografia sistemas agrícolas em
Adriana Gomes Messias
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
maria_aal_costa
 
6a série tecnologias
6a série   tecnologias6a série   tecnologias
6a série tecnologias
SESI 422 - Americana
 
ESPAÇO AGRÁRIO BRASILEIRO-aula - Reparado.pptx
ESPAÇO AGRÁRIO BRASILEIRO-aula  -  Reparado.pptxESPAÇO AGRÁRIO BRASILEIRO-aula  -  Reparado.pptx
ESPAÇO AGRÁRIO BRASILEIRO-aula - Reparado.pptx
CarlosAllanPereira1
 
FAQ - Direito e Humanidades
FAQ - Direito e HumanidadesFAQ - Direito e Humanidades
FAQ - Direito e Humanidades
Carol126724
 
Revolução verde ketlen
Revolução verde ketlenRevolução verde ketlen
Revolução verde ketlen
Rick Harley Mesquita
 

Semelhante a Agroecologia 2.ppt (20)

AULA-01-Relação campo cidad-GEO-IV UNIDADE-ETECS.pptx
AULA-01-Relação campo cidad-GEO-IV UNIDADE-ETECS.pptxAULA-01-Relação campo cidad-GEO-IV UNIDADE-ETECS.pptx
AULA-01-Relação campo cidad-GEO-IV UNIDADE-ETECS.pptx
 
Projeto Pesquisa TRANSIÇÃO DA AGRICULTURA CONVENCIONAL PARA AGROECOLÓGICA
Projeto  Pesquisa TRANSIÇÃO DA AGRICULTURA CONVENCIONAL PARA AGROECOLÓGICAProjeto  Pesquisa TRANSIÇÃO DA AGRICULTURA CONVENCIONAL PARA AGROECOLÓGICA
Projeto Pesquisa TRANSIÇÃO DA AGRICULTURA CONVENCIONAL PARA AGROECOLÓGICA
 
Plano de sessão do cursso de gricultura geral e industrial.pptx
Plano de sessão do cursso de gricultura geral e industrial.pptxPlano de sessão do cursso de gricultura geral e industrial.pptx
Plano de sessão do cursso de gricultura geral e industrial.pptx
 
Breve História da Agricultura - considerações iniciais
Breve História da Agricultura - considerações iniciaisBreve História da Agricultura - considerações iniciais
Breve História da Agricultura - considerações iniciais
 
Cartilha SAE 2011
Cartilha SAE 2011Cartilha SAE 2011
Cartilha SAE 2011
 
Cartilha SAE 2011
Cartilha SAE 2011Cartilha SAE 2011
Cartilha SAE 2011
 
Perspectiva histórica da agricultura e da agronomia.pdf
Perspectiva histórica da agricultura e da agronomia.pdfPerspectiva histórica da agricultura e da agronomia.pdf
Perspectiva histórica da agricultura e da agronomia.pdf
 
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdfAULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
 
Aula 1 - Homem e Meio Ambiente.pdf
Aula 1 - Homem e Meio Ambiente.pdfAula 1 - Homem e Meio Ambiente.pdf
Aula 1 - Homem e Meio Ambiente.pdf
 
Cartilha SEA 2010
Cartilha SEA 2010Cartilha SEA 2010
Cartilha SEA 2010
 
Cartilha SAE 2010
Cartilha SAE 2010Cartilha SAE 2010
Cartilha SAE 2010
 
Programa de pesquisa em agroecologia para a realidade dos países pobres
Programa de pesquisa em agroecologia para a realidade dos países pobresPrograma de pesquisa em agroecologia para a realidade dos países pobres
Programa de pesquisa em agroecologia para a realidade dos países pobres
 
Sebenta de Geografia_Agricultura
Sebenta de Geografia_AgriculturaSebenta de Geografia_Agricultura
Sebenta de Geografia_Agricultura
 
Revolução verde
Revolução verdeRevolução verde
Revolução verde
 
Geografia sistemas agrícolas em
Geografia sistemas agrícolas emGeografia sistemas agrícolas em
Geografia sistemas agrícolas em
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
 
6a série tecnologias
6a série   tecnologias6a série   tecnologias
6a série tecnologias
 
ESPAÇO AGRÁRIO BRASILEIRO-aula - Reparado.pptx
ESPAÇO AGRÁRIO BRASILEIRO-aula  -  Reparado.pptxESPAÇO AGRÁRIO BRASILEIRO-aula  -  Reparado.pptx
ESPAÇO AGRÁRIO BRASILEIRO-aula - Reparado.pptx
 
FAQ - Direito e Humanidades
FAQ - Direito e HumanidadesFAQ - Direito e Humanidades
FAQ - Direito e Humanidades
 
Revolução verde ketlen
Revolução verde ketlenRevolução verde ketlen
Revolução verde ketlen
 

Último

Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 

Agroecologia 2.ppt

  • 2. Agroecologia Curso Agroecologia e Tecnologia Social – um caminho para a sustentabilidade Módulo 2 – Agroecologia – aspectos teóricos e conceituais
  • 3. Agroecologia – aspectos teóricos e conceituais Capítulo 2 – Origens da Agroecologia Marcio de Medeiros Gonçalves Eng. Agrônomo – Dr Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus Chapecó marcio.goncalves@uffs.edu.br
  • 4. Origens da Agroecologia • Estudar as origens da Agroecologia nos ajudará a entender o que ela representa hoje.
  • 5. Uma questão histórica • Desde 10.000 anos passados até 300 anos atrás, a agricultura foi sempre muito igual, com raros momentos de “saltos tecnológicos” nas alterações nos modos de produção.
  • 6. Metodologia didático-pedagógica • Desde 10.000 anos atrás, até meros 300 anos atrás, a agricultura foi sempre muito igual, com raros momentos de “saltos” tecnológicos
  • 7. Agricultura neolítica – 4.500 a 9.000 anos atrás Imagem da internet
  • 8. Agricultura neolítica • O fato do homem passar de uma cultura de caça e coleta de alimentos para a agricultura do neolítico representou uma revolução.
  • 9. Agricultura neolítica • Ferramentos ou tecnologias que possibitaram esta revolução Imagem da internet
  • 10. Agricultura Medieval (de 300 a 1300 anos atrás): Na agricultura medieval, uma tecnologia que representou um avanço em relação a agricultura neolítica foi o uso do arado “charrua”. Este arado durante muitos séculos representou a tecnologia diferencial destes sistemas. Imagem da internet
  • 11. Agricultura Medieval: • Tecnologias que promoveram a revolução, da agricultura neolítica para a agricultura medieval: o arado escarificador e a grade de madeira, juntamente com o uso da tração animal. Imagem da internet
  • 12. As bases tecnológicas • Esta agricultura medieval aproveitava ao máximo os recursos ecológicos para produzir alimentos • O homem que praticava esta agricultura ficou conhecido como CAMPONES • Ainda hoje, estudamos a agricultura camponesa para entender a própria agricultura
  • 13. As bases tecnológicas • Estudar a evolução da agricultura através das evoluções tecnológicas ajuda a entender suas implicações sociais, economicas,ambientais, culturais, tanto no presente como no futuro da humanidade;
  • 14. O salto tecnológico definitivo • A partir de 1800, a Revolução industrial influenciou a agricultura profundamente. • Nasce a agricultura industrial
  • 15. O salto tecnológico definitivo • Inicialmente através da mecanização – se antes as revoluções agrícolas foram sutis, devemos entender a revolução moderna (ou industrialização) como um marco histórico, que definiu o que somos hoje. Imagem da internet
  • 16. O salto tecnológico definitivo • A mecanização se deu em diferentes períodos nas regiões do mundo. No brasil, foi tardia: de modo mais intenso a partir da década de 60 Imagem da internet
  • 17. O salto tecnológico definitivo • A mecanização aumentou em muito a capacidade de trabalho de um homem, possibilitando o cultivo de uma área maior de terra. • De um lado possibilitou alimentos mais baratos e estimulou o aumento da área cultivada por família; • De outro, provocou o êxodo rural, especialmente, na direção das grandes cidades, para aqueles que não tiveram a oportunidade de aumentar sua área de cultivo
  • 18. O salto tecnológico definitivo • Inclusão nos sistemas produtivos de adubos químicos altamente solúveis • Inclusão nos sistemas produtivos de agrotóxicos, tais como os inseticidas, fungicidas e herbicidas, principalmente
  • 19. Agrotóxicos e adubos químicos altamente solúveis Imagem da internet
  • 20. • Depois da Segunda Guerra (1945), o parque químico e industrial instalado na Europa, Estados Unidos e Ásia foi direcionado para a produção de insumos para a agricultura Agrotóxicos e adubos químicos altamente solúveis
  • 21. O salto tecnológico definitivo • Este período que durou até a década de 70 ficou conhecido como “Revolução verde”
  • 22. O salto tecnológico definitivo • Principais resultados da Revolução Verde: • Aumento da produtividade • Barateamento dos alimentos • Necessidade dos camponeses em aumentar a área de produção
  • 23. O salto tecnológico definitivo • Principais impactos negativos da Revolução Verde: • Alimentos com resíduos de agrotóxicos • Ambiente com resíduos de agrotóxicos e de adubos químicos • Perda da biodiversidade, desertificação; • Concentração da terra.
  • 24. O salto tecnológico definitivo • Outro impacto marcante foi o uso muito mais intensivo dos recursos naturais (solo, minerais, água) • Estes aspectos geraram um ambiente propício para o surgimento da chamada agricultura alternativa
  • 25. A agricultura alternativa • Na década de 70, a agricultura alternativa tinha como objetivo mudar elementos no sistema de produção de alimentos para combater os impactos negativos da revolução verde
  • 26. • Este Movimento de AGRICULTURA ALTERNATIVA deu origem ao que chamamos de MOVIMENTO AGROECOLÓGICO no Brasil
  • 27. Enfim, A Agroecologia • Faziam parte da Agricultura Alternativa seguimentos importantes da sociedade, que ainda hoje constroem a Agroecologia: • Movimentos sociais; • Agricultores; • Professores, estudantes, pesquisadores, extensionistas;
  • 28. Então, o que é AGROECOLOGIA • Agroecologia é um campo do conhecimento que busca contribuir na construção de uma AGRICULTURA SUSTENTÁVEL
  • 29. Agricultura sustentável • Considera-se a agricultura sustentável aquela que responde de forma integrada aos pressupostos sociais, ambientais, econômicos, culturais, políticos e éticos que embasam a produção agrícola como um processo de construção social.
  • 30. Multidimencionalidade da Realidade • A realidade pressupõe dimensões econômicas, sociais, ambientais, culturais (múltiplas dimensões), que necessitam ser analisadas e entendidas em seu conjunto, ou seja, não basta apenas ser ambientalmente sustentável, como é comum haver referências acerca do tema. • A produção agrícola para ser sustentável necessita atender a todas estas múltiplas dimensões de forma integrada.
  • 31. Parabéns • Chegaste ao final do capítulo. • Nosso objetivo foi demonstrar que a Agroecologia faz parte de um processo de construção social e, portanto, faz parte da propria historia da agricultura.
  • 32. No próximo capítulo... • Veremos alguns conceitos teóricos sobre Agrecologia • Até lá!!!
  • 33. Você chegou até aqui!! Parabéns!! Passe direto para o capítulo 3.