SlideShare uma empresa Scribd logo
MODELO
TEXTO BÍBLICO
Gênesis 2:2-25
DESTAQUE
• “...Porém eu e a minha família serviremos a Deus, o Senhor...”
(Js 24:15)
DEVOCIONAL
• SEG......................................... Gn 1:27
• TER......................................... Gn 1:28
• QUA........................................ Gn 2:18
• QUI.......................................... Gn 2:16,17
• SEX......................................... Gn 3:1-4
• SAB......................................... Gn 3:15
• DOM........................................ Ef 6:1,2
OBJETIVOS
• Compreender: Que a família é a célula mater da sociedade.
• Saber: Que a família é um lugar de convivência, de acolhimento e de
relacionamento.
I – FAMÍLIA, CÉLULA MATER DA
SOCIEDADEDE
• A família foi criada por Deus.
• É o primeiro e mais importante grupo social a que pertencemos.
• Por isso é chamada célula mater da sociedade.
• Primeiramente, Deus fez e criou o mundo para receber essa instituição tão
especial.
• Depois cria o homem e a mulher.
• Deus criou a família perfeita.
• Seus objetivos eram os melhores possíveis.
• Porém com a queda do homem a família foi afetada sofrendo sérias
conseqüência.
• Desde então, podemos afirmar que não existe uma família
perfeita.
• Nem os heróis da fé tiveram uma família que seja perfeita.
• Fez promessa a abrão que sua descendência seria como as estrelas do
céu (Gn 15.5).
• Porém, a esposa amada de Isaque era estéril (Gn 25.21).
• Deus abençoou com dois filhos; Esaú e Jacó.
• O texto diz: que já no ventre materno os dois irmãos brigavem. (Gn25:22).
• Se fossemos relatar tudo o que a conteceu de ruim na família de Isaque,
Esaú e Jacó.
• O escritor Rui Barbosa (1849 – 1923) afirmou: “família é a célula mater da
sociedade”.
• A família é de fato a primeira sociedade da qual se faz parte.
• Nela vivemos a maior parte da nossa existência.
• Sendo a única que possui laços indissolvíveis, tornando-se assim a mais
importante.
• Diante disso, destruída a família, a sociedade se desfará automaticamente.
• Os sinais de declínio da família são abundantes e evidentes à nossa volta,
os sinais do colapso são: divórcio, revolução sexual, aborto, esterilização,
delinqüência, infidelidade, homossexualidade, feminismo radical, o
movimento dos direitos das crianças, ao lado da banalização dos lares de
pais solteiros; e outros sinais semelhantes.
• A família parece estar à deriva, sem referência, impotente e desprotegida
diante dos embates do consumismo, bombardeada pelos meios de
comunicação e incapaz de dar uma resposta a esses ataques.
CÉLULA MATER
• A sociedade é onde o homem nasce, vive e morre.
• Desde pequeno, normalmente, aquela criança já faz parte de uma família,
que é o principal meio social humano, e por isso, chamamos de célula
mater da sociedade.
• Há um consumismo doentio, uma fobia, pela gastança, que vem
desestruturando relacionamentos, falindo a família que é a célula mater da
sociedade.
II – VIVER E CONVIVER EM FAMÍLIA
• O modelo familiar muda com o passar dos tempos.
• Atualmente, temos visto e vivido um empobrecimento na área da
convivência.
• Estamos ficando cada vez mais superficiais e distante uns dos outros.
A IMPORTÂNCIA DE COMUNICAÇÃO - Salmos 19:14
• A. A Comunicação definida
• Comunicação é o ato ou efeito de comunicar (-se), que é de emitir,
transmitir e receber mensagens. É a capacidade de trocar ou discutir
idéias, de dialogar, de conversar, com vista ao bom entendimento entre
pessoas.
• A comunicação social, próprias dos seres humanos, é baseada em
sistemas de signos em oposição à comunicação baseado em sistemas de
instruções ou comandos, como a se faz entre animais ou máquinas.
• B. Os Exemplos de Comunicação
• 1. Deus fez o homem na sua própria imagem que determina a diferença do
homem de qualquer outra parte da criação. Foi ao homem que Deus dirigiu
quando a sua voz “passeava no jardim pela viração do dia” (Gên. 3:8-12).
Então o primeiro exemplo de comunicação humana na Bíblia é Deus com o
homem. Para ter o sublime exemplo de como comunicar bem e
efetivamente o amor, desgosto, dor, doutrina, repreensão e como dar uma
variedade de lições para grupos diversos de seres tanto humano como
angélico, estude as próprias conversas de Deus relatadas na Bíblia
Sagrada.
• 2. A própria Bíblia é a comunicação de Deus para o homem na qual tudo
que Deus quer revelar para o homem é relatado, e isso para sua esperança
(Rom 15:4). É com palavras que Deus usa para nos comunicar a Sua
mente. Podemos estudar Êxodo 20 (os dez mandamentos) para ver
que quando Deus trata assuntos de altíssima importância, Ele, mesmo
assim, mantém as palavras diretas mas de fácil compreensão.
• 3. O Espírito Santo comunica com o mundo em geral (Sal 145:9; Prov. 21:1;
Atos 17:27,28), e com os eleitos em particular (João 14:26; 15:26; 16:7-14).
Mesmo que o Espírito de Deus reprova ou conforta e isso na Sua maneira
misteriosa Ele comunica trazendo a nós as palavras de Deus (Luc 12:12;
João 14:26). Nisso podemos dizer que Ele também comunica usando
expressão verbal e é um exemplo notável de comunicação (Isa 30:21,
“ouvirão a palavra...”).
• 4. A natureza declara as coisas invisíveis de Deus, “desde a criação do
mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade” de uma voz tão
eficaz que todos “se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que
estão criadas” que eles ficam “inescusáveis” (Rom 1:20). É dita que a
natureza usa uma voz e palavras numa linguagem que “estende por
toda a terra” (Sal 19:1-4). Então podemos dizer que a natureza é ativa
em comunicação também e merece menção como uma meta para nós
imitarmos em nossas conversas.
• O ALVO DA COMUNICAÇÃO
• “..E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do
Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai..” Cl 3:17
• O alvo de comunicação no lar não é nada diferente que o objetivo de viver
que é de glorificar Deus em toda parte das nossas vidas (Ecl. 12;13; Rom
16:28; I Cor 10:31; I Ped 4:11).
• A comunicação pode ser útil para glorificarmos Deus ou pode ser usada
para glorificar-nos a nós mesmos ou um outro homem. A exortação é:
• Efésios 4:24, “E vos revistais do novo homem”
• Colossenses 4:6, “a vossa palavra seja sempre agradável, temperada com
sal”
• Tito 2:7,8, “Em tudo te dá por exemplo de ... linguagem sã e irrepreensível”
A. O QUE A BOA COMUNICAÇÃO NÃO É
• 1. Comunicação corrupta - Col. 3:8
• 2. Manipulação - Juizes 16:16,17 (Num 14:36)
• 3. Murmurações - Fil. 2:14
B. O QUE A BOA COMUNICAÇÃO É
• “..Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu
coração perante a tua face, SENHOR, Rocha minha e Redentor
meu!..”- Salmos 19:14
• 1. Ações de Amor - Mar 12:31; I Cor 13:8
• É bom lembrar que diferenças de opinião não são necessariamente
defeitos numa personalidade. Quem é que nos faz ser diferentes (I Cor
4:7)? As diferenças que existem em cada pessoa enfatiza o fato que
esforços vão precisar ser exercitados para termos boa comunicação
um com o outro.
• Quando consideramos as diferenças de cada pessoa e procuramos de
aproveitar o bom que cada um pode oferecer estamos mostrando
ações de amor tanto para aquela pessoa quanto a seu Criador.
• 2. Escutando - Tiago 1:19
• É bom considerar porque Deus nos deu duas orelhas e uma só boca.
• Pode ser que devemos ouvir duas vezes mais que falamos.
• Um bom conversador sabe bem escutar os outros.
• E por falar de escutar, já percebeu que quando a boca está aberta, a mente
já parou de coletar conhecimento?
• Portanto, para crescer em conhecimento, são os ouvidos que devem
ser abertos e não a boca.
III – Boas maneiras devem fazer parte
do nosso dia a dia
• As diferenças não são prejudiciais, mas a falta de respeito e até mesmo de
boas maneiras no relacionamento familiar são.
• É em casa que temos que aprender a dizer “bom dia”, “com licença”,
“obrigado (a)”, “por favor”, “desculpas”, até logo, etc.
• Palavras são significativas para trazer paz e harmonia a uma família, caso
haja respeito entre os seus membros.
• Muitas pessoas nem gostam de ouvir falar em “etiqueta social” porque
acham desnecessário qualquer conhecimento do assunto.
• Entretanto, vivemos em relacionamentos, sejam eles familiares,
profissionais, com a vizinhança, com amigos e a falta de etiqueta
acarreta muitos transtornos, uma vez que etiqueta significa “boa
educação”.
É INTERESSANTE QUE FIQUE BEM CLARO:
• Pessoa Educada, Cortês, Fina não quer dizer uma pessoa CHIQUE.
• Pessoa Educada, Cortês, Fina não quer dizer uma pessoa RICA,
DIPLOMADA.
• Quando falarmos de etiqueta social, estaremos falando de boas maneiras,
boa educação, gentileza, delicadeza. Nem toda pessoa considerada
“chique”, rica ou diplomada é uma pessoa de boas maneiras, de trato fino.
HÁ MUITAS RAZÕES PARA APRENDERMOS BOAS MANEIRAS:
• 1.Ninguém gosta de se relacionar com pessoas mal educadas que
incomodam e não respeitam a liberdade alheia.
• O cristão tem um motivo muito sublime para ser bem educado, pois ele
precisa demonstrar, no seu viver diário, a pessoa gloriosa de Jesus Cristo
que habita nele. Todo cristão deseja levar a Cristo às pessoas com as quais
se relaciona, portanto, o cristão precisa se educar.
• 2.Ninguém nasce sabendo. Tudo o que sabemos, hoje, foi aprendido.
Por que não aprender a ser uma pessoa bem educada?
• 3. Deus se preocupou com as boas maneiras, pois a bíblia está repleta
de orientações a este respeito.
• O próprio Deus se encarregou de instruir o seu povo sobre como ser
educado com os semelhantes.
• VEJA ALGUMAS ORIENTAÇÕES:
• a.DT. 23: 24-25b - “Quando entrares na vinha do teu próximo comerás
uvas..., porém não as levarás no teu vaso... não meterás a foice na seara
do teu próximo”.
• b.Pv 25:16 - “Achaste mel? Come o que te basta para que, porventura não
te fartes dele e o venhas a vomitar”.
• c. I Tm 5:1 - “Não repreendas asperamente os anciãos, mas admoesta-os
como a pais; ...”
• d.Prov. 27:2 - “Seja outro o que te louve e não a tua boca; o estrangeiro e
não os teus lábios”.
• e.Êxodo 22:5 - “Se alguém fizer pastar o seu animal num campo ou numa
vinha, e o largar para comer em campo de outrem, pagará com o melhor do
seu próprio campo ou o melhor da sua própria vinha”.
• f. Lev. 19:14 - “Não amaldiçoarás o surdo, nem porás tropeço ao cego...”.
IV – A Bíblia e a família
• O Criador estabeleceu para a família alguns princípios que vão ajudá-lo a
viver bem, inclusive para com os filhos.
• A disciplina na família é necessária.
• Um pai que ama, corrige seu filho.
• Todos os males da sociedade, sejam financeiros, políticos, trabalhistas,
escolares ou religiosos têm a sua origem no coração do homem.
• Sabemos como é o coração do homem (Jer. 17:9; Rom 3:10-23).
• A instituição que Deus estabeleceu, ainda no jardim do Éden, que ajuntou
duas pessoas em maneiras especificas para ser uma unidade é o que
chamamos de família.
• O ambiente que é formado pelo amor exercitado entre todos da família cria
o que chamamos de “o lar”.
• O lar tem suma importância na vida humana pois é o berço de costumes,
hábitos, caráter, crenças e morais de cada ser humano, seja no contexto
mundial, nacional, municipal ou familiar.
• Então, podemos dizer, como vai o lar vai o mundo, e também, o que é bom
para a família é bom para o mundo.
I. O QUE É EDUCAÇÃO DOS FILHOS.
• Provérbios 4:23; 20:11
• Educação de almas quer dizer semear e ajudar a implantação de princípios
verdadeiros no coração dos filhos.
• A responsabilidade dos pais é de treinar e desenvolver estas verdades
continuamente até que sejam enraizadas no coração do filho ao ponto que
sejam visíveis no comportamento e o raciocínio das ações dos filhos.
• Entrando no assunto de educação de filhos devemos entender o que
basicamente ela é. Educação de filhos é educação de almas.
• O coração da criança é o alvo de educação. Se o coração de uma criança é
treinado, as ações da vida de um adulto serão influenciadas Pelas ações
de uma pessoa se conhece seu coração (Prov. 20:11).
• Por essa importância dada ao coração de uma pessoa a educação de filhos
deve indicar o treinamento do coração (Prov. 4:23).
II. A Autoridade na Educação dos Filhos
• Há opiniões diferentes sobre a educação dos filhos.
• Cada pai e cada mãe têm uma opinião como a educação deve ser feita,
pelo menos por uma fase ou outra na vida do filho.
• Geralmente essa opinião é uma reação contra a maneira que eles foram
criados ou é uma opinião baseada num método que eles mesmo têm
desenvolvidos.
• Os ‘profissionais’ têm opiniões também. Estas opiniões são diversos e até
entre elas, há conflitos.
• A sociedade dita inferências que podem ou não responder às realidades.
• Os sentimentos no seio dos pais podem também indicar um caminho que
deve ser escolhido neste desafio de educação dos filhos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Educação cristã, responsabilidade dos pais
Educação cristã, responsabilidade dos paisEducação cristã, responsabilidade dos pais
Educação cristã, responsabilidade dos pais
Moisés Sampaio
 
LBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIA
LBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIALBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIA
LBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIA
Natalino das Neves Neves
 
Perigos na família moderna
Perigos na família modernaPerigos na família moderna
Perigos na família moderna
Daniel M Junior
 
Lbj lição 8 a comunicação na família
Lbj lição 8   a comunicação na famíliaLbj lição 8   a comunicação na família
Lbj lição 8 a comunicação na família
Natalino das Neves Neves
 
Curso de capacitação de professores da EBD
Curso de capacitação de professores da EBDCurso de capacitação de professores da EBD
Curso de capacitação de professores da EBD
Sergio Silva
 
Seminário - A Escola Dominical e a Família
Seminário - A Escola Dominical e a FamíliaSeminário - A Escola Dominical e a Família
Seminário - A Escola Dominical e a Família
Sergio Silva
 
2013 1 tri - lição 4 - a família sob ataque
2013   1 tri - lição 4 - a família sob ataque2013   1 tri - lição 4 - a família sob ataque
2013 1 tri - lição 4 - a família sob ataque
Natalino das Neves Neves
 
LBJ LIÇÃO 3 - AS DIFERENTES MUDANÇAS SOCIAIS NA FAMÍLIA
LBJ LIÇÃO 3 - AS DIFERENTES MUDANÇAS SOCIAIS NA FAMÍLIALBJ LIÇÃO 3 - AS DIFERENTES MUDANÇAS SOCIAIS NA FAMÍLIA
LBJ LIÇÃO 3 - AS DIFERENTES MUDANÇAS SOCIAIS NA FAMÍLIA
Natalino das Neves Neves
 
Curso de aperfeiçoamento da ebd
Curso de aperfeiçoamento da ebdCurso de aperfeiçoamento da ebd
Curso de aperfeiçoamento da ebd
Pastor Juscelino Freitas
 
A Importância da EBD para a família (Evangelista Romecir)
A Importância da EBD para a família (Evangelista Romecir)A Importância da EBD para a família (Evangelista Romecir)
A Importância da EBD para a família (Evangelista Romecir)
Ney Bellas
 
Educação Cristã, Responsabilidade dos Pais
Educação Cristã, Responsabilidade dos PaisEducação Cristã, Responsabilidade dos Pais
Educação Cristã, Responsabilidade dos Pais
Rodrigo Fragoso
 
LBJ LIÇÃO 4 - Preparando-se para construir uma família
LBJ LIÇÃO 4 - Preparando-se para construir uma famíliaLBJ LIÇÃO 4 - Preparando-se para construir uma família
LBJ LIÇÃO 4 - Preparando-se para construir uma família
Natalino das Neves Neves
 
A família sob ataque
A família sob ataqueA família sob ataque
A família sob ataque
Luh Silva
 
2013 - 2 tri - lição 8 - educação cristã, responsabilidade dos pais
2013 - 2 tri - lição 8 - educação cristã, responsabilidade dos pais2013 - 2 tri - lição 8 - educação cristã, responsabilidade dos pais
2013 - 2 tri - lição 8 - educação cristã, responsabilidade dos pais
Natalino das Neves Neves
 
Boletim Jovem Julho 2014
Boletim Jovem Julho 2014Boletim Jovem Julho 2014
Boletim Jovem Julho 2014
willams
 
EBF - Em Busca do Tesouro Perdido - Infantil
EBF -  Em Busca do Tesouro Perdido - InfantilEBF -  Em Busca do Tesouro Perdido - Infantil
EBF - Em Busca do Tesouro Perdido - Infantil
Marcia Willemann
 
LBJ LIÇÃO 5 - DEIXANDO PAI E MÃE
LBJ LIÇÃO 5 - DEIXANDO PAI E MÃELBJ LIÇÃO 5 - DEIXANDO PAI E MÃE
LBJ LIÇÃO 5 - DEIXANDO PAI E MÃE
Natalino das Neves Neves
 
Ibadep a familia crista
Ibadep   a familia cristaIbadep   a familia crista
Ibadep a familia crista
Ricardo819
 
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBDPLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
Ednaldo Santos de Jesus
 
Juniores e primários 2016 lição biblica infantil
Juniores e  primários 2016 lição biblica infantilJuniores e  primários 2016 lição biblica infantil
Juniores e primários 2016 lição biblica infantil
Marilene Rangel Rangel
 

Mais procurados (20)

Educação cristã, responsabilidade dos pais
Educação cristã, responsabilidade dos paisEducação cristã, responsabilidade dos pais
Educação cristã, responsabilidade dos pais
 
LBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIA
LBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIALBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIA
LBJ LIÇÃO 7 - O PAPEL DA ESPOSA NA FAMÍLIA
 
Perigos na família moderna
Perigos na família modernaPerigos na família moderna
Perigos na família moderna
 
Lbj lição 8 a comunicação na família
Lbj lição 8   a comunicação na famíliaLbj lição 8   a comunicação na família
Lbj lição 8 a comunicação na família
 
Curso de capacitação de professores da EBD
Curso de capacitação de professores da EBDCurso de capacitação de professores da EBD
Curso de capacitação de professores da EBD
 
Seminário - A Escola Dominical e a Família
Seminário - A Escola Dominical e a FamíliaSeminário - A Escola Dominical e a Família
Seminário - A Escola Dominical e a Família
 
2013 1 tri - lição 4 - a família sob ataque
2013   1 tri - lição 4 - a família sob ataque2013   1 tri - lição 4 - a família sob ataque
2013 1 tri - lição 4 - a família sob ataque
 
LBJ LIÇÃO 3 - AS DIFERENTES MUDANÇAS SOCIAIS NA FAMÍLIA
LBJ LIÇÃO 3 - AS DIFERENTES MUDANÇAS SOCIAIS NA FAMÍLIALBJ LIÇÃO 3 - AS DIFERENTES MUDANÇAS SOCIAIS NA FAMÍLIA
LBJ LIÇÃO 3 - AS DIFERENTES MUDANÇAS SOCIAIS NA FAMÍLIA
 
Curso de aperfeiçoamento da ebd
Curso de aperfeiçoamento da ebdCurso de aperfeiçoamento da ebd
Curso de aperfeiçoamento da ebd
 
A Importância da EBD para a família (Evangelista Romecir)
A Importância da EBD para a família (Evangelista Romecir)A Importância da EBD para a família (Evangelista Romecir)
A Importância da EBD para a família (Evangelista Romecir)
 
Educação Cristã, Responsabilidade dos Pais
Educação Cristã, Responsabilidade dos PaisEducação Cristã, Responsabilidade dos Pais
Educação Cristã, Responsabilidade dos Pais
 
LBJ LIÇÃO 4 - Preparando-se para construir uma família
LBJ LIÇÃO 4 - Preparando-se para construir uma famíliaLBJ LIÇÃO 4 - Preparando-se para construir uma família
LBJ LIÇÃO 4 - Preparando-se para construir uma família
 
A família sob ataque
A família sob ataqueA família sob ataque
A família sob ataque
 
2013 - 2 tri - lição 8 - educação cristã, responsabilidade dos pais
2013 - 2 tri - lição 8 - educação cristã, responsabilidade dos pais2013 - 2 tri - lição 8 - educação cristã, responsabilidade dos pais
2013 - 2 tri - lição 8 - educação cristã, responsabilidade dos pais
 
Boletim Jovem Julho 2014
Boletim Jovem Julho 2014Boletim Jovem Julho 2014
Boletim Jovem Julho 2014
 
EBF - Em Busca do Tesouro Perdido - Infantil
EBF -  Em Busca do Tesouro Perdido - InfantilEBF -  Em Busca do Tesouro Perdido - Infantil
EBF - Em Busca do Tesouro Perdido - Infantil
 
LBJ LIÇÃO 5 - DEIXANDO PAI E MÃE
LBJ LIÇÃO 5 - DEIXANDO PAI E MÃELBJ LIÇÃO 5 - DEIXANDO PAI E MÃE
LBJ LIÇÃO 5 - DEIXANDO PAI E MÃE
 
Ibadep a familia crista
Ibadep   a familia cristaIbadep   a familia crista
Ibadep a familia crista
 
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBDPLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
 
Juniores e primários 2016 lição biblica infantil
Juniores e  primários 2016 lição biblica infantilJuniores e  primários 2016 lição biblica infantil
Juniores e primários 2016 lição biblica infantil
 

Destaque

Laços familiares
Laços familiaresLaços familiares
Laços familiares
Grupo Espírita Mensageiros
 
Laços familia
Laços familiaLaços familia
Laços familia
Marilice Passos
 
Parentela familiar
Parentela familiarParentela familiar
Parentela familiar
carlos freire
 
Da Lei de Sociedade
Da Lei de SociedadeDa Lei de Sociedade
Da Lei de Sociedade
home
 
Palestra reencarnação e laços de família
Palestra reencarnação e laços de famíliaPalestra reencarnação e laços de família
Palestra reencarnação e laços de família
Anderson Santos
 
A família - seminário
A família - seminárioA família - seminário
A família - seminário
home
 

Destaque (6)

Laços familiares
Laços familiaresLaços familiares
Laços familiares
 
Laços familia
Laços familiaLaços familia
Laços familia
 
Parentela familiar
Parentela familiarParentela familiar
Parentela familiar
 
Da Lei de Sociedade
Da Lei de SociedadeDa Lei de Sociedade
Da Lei de Sociedade
 
Palestra reencarnação e laços de família
Palestra reencarnação e laços de famíliaPalestra reencarnação e laços de família
Palestra reencarnação e laços de família
 
A família - seminário
A família - seminárioA família - seminário
A família - seminário
 

Semelhante a 3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 02

oficinajovem2019-190126015110 (1).pptx
oficinajovem2019-190126015110 (1).pptxoficinajovem2019-190126015110 (1).pptx
oficinajovem2019-190126015110 (1).pptx
Tiago Silva
 
oficinajovem2019-190126015110.pdf
oficinajovem2019-190126015110.pdfoficinajovem2019-190126015110.pdf
oficinajovem2019-190126015110.pdf
Tiago Silva
 
4º trimestre 2015 jovens lição 02
4º trimestre 2015 jovens lição 024º trimestre 2015 jovens lição 02
4º trimestre 2015 jovens lição 02
editorjovens
 
4º trimestre 2015 jovens lição 02
4º trimestre 2015 jovens lição 024º trimestre 2015 jovens lição 02
4º trimestre 2015 jovens lição 02
Joel Silva
 
4º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 014º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 01
Joel Silva
 
4º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 014º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 01
editorjovens
 
Fe e vida-missoes_redentorista
Fe e vida-missoes_redentoristaFe e vida-missoes_redentorista
Fe e vida-missoes_redentorista
Kleber Alves
 
LBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇA
LBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇALBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇA
LBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇA
Natalino das Neves Neves
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
Joel de Oliveira
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
Joel Silva
 
família estudo em guaira
família estudo em guairafamília estudo em guaira
família estudo em guaira
JonatasMLopes
 
LBJ - LIÇÃO 1 - A INSTITUIÇÃO DA FAMÍLIA_2016 2 TRI
LBJ - LIÇÃO 1 - A INSTITUIÇÃO DA FAMÍLIA_2016 2 TRILBJ - LIÇÃO 1 - A INSTITUIÇÃO DA FAMÍLIA_2016 2 TRI
LBJ - LIÇÃO 1 - A INSTITUIÇÃO DA FAMÍLIA_2016 2 TRI
Natalino das Neves Neves
 
Evangelismo parte 4 execução
Evangelismo parte 4   execuçãoEvangelismo parte 4   execução
Evangelismo parte 4 execução
Joel Silva
 
Evangelismo parte 4 execução
Evangelismo parte 4   execuçãoEvangelismo parte 4   execução
Evangelismo parte 4 execução
Joel Silva
 
As famílias e as modernidades
As famílias e as modernidadesAs famílias e as modernidades
As famílias e as modernidades
caselato
 
Jornal ha esperença 13 final.corrigido
Jornal ha esperença 13 final.corrigidoJornal ha esperença 13 final.corrigido
Jornal ha esperença 13 final.corrigido
Edson Rodrigues
 
Lição 10 - A Missão Social da Igreja
Lição 10 - A Missão Social da IgrejaLição 10 - A Missão Social da Igreja
Lição 10 - A Missão Social da Igreja
Erberson Pinheiro
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
guestc5d870
 
O que é discipulado 1.ppt
O que é discipulado 1.pptO que é discipulado 1.ppt
O que é discipulado 1.ppt
zanwashington
 
Lição 2 (jovens) - Relacionamento em família
Lição 2 (jovens) - Relacionamento em famíliaLição 2 (jovens) - Relacionamento em família
Lição 2 (jovens) - Relacionamento em família
boasnovassena
 

Semelhante a 3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 02 (20)

oficinajovem2019-190126015110 (1).pptx
oficinajovem2019-190126015110 (1).pptxoficinajovem2019-190126015110 (1).pptx
oficinajovem2019-190126015110 (1).pptx
 
oficinajovem2019-190126015110.pdf
oficinajovem2019-190126015110.pdfoficinajovem2019-190126015110.pdf
oficinajovem2019-190126015110.pdf
 
4º trimestre 2015 jovens lição 02
4º trimestre 2015 jovens lição 024º trimestre 2015 jovens lição 02
4º trimestre 2015 jovens lição 02
 
4º trimestre 2015 jovens lição 02
4º trimestre 2015 jovens lição 024º trimestre 2015 jovens lição 02
4º trimestre 2015 jovens lição 02
 
4º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 014º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 01
 
4º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 014º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 01
 
Fe e vida-missoes_redentorista
Fe e vida-missoes_redentoristaFe e vida-missoes_redentorista
Fe e vida-missoes_redentorista
 
LBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇA
LBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇALBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇA
LBJ LIÇÃO 8 - A VIDA CRISTÃ E A ESTIMA PELA LIDERANÇA
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
 
família estudo em guaira
família estudo em guairafamília estudo em guaira
família estudo em guaira
 
LBJ - LIÇÃO 1 - A INSTITUIÇÃO DA FAMÍLIA_2016 2 TRI
LBJ - LIÇÃO 1 - A INSTITUIÇÃO DA FAMÍLIA_2016 2 TRILBJ - LIÇÃO 1 - A INSTITUIÇÃO DA FAMÍLIA_2016 2 TRI
LBJ - LIÇÃO 1 - A INSTITUIÇÃO DA FAMÍLIA_2016 2 TRI
 
Evangelismo parte 4 execução
Evangelismo parte 4   execuçãoEvangelismo parte 4   execução
Evangelismo parte 4 execução
 
Evangelismo parte 4 execução
Evangelismo parte 4   execuçãoEvangelismo parte 4   execução
Evangelismo parte 4 execução
 
As famílias e as modernidades
As famílias e as modernidadesAs famílias e as modernidades
As famílias e as modernidades
 
Jornal ha esperença 13 final.corrigido
Jornal ha esperença 13 final.corrigidoJornal ha esperença 13 final.corrigido
Jornal ha esperença 13 final.corrigido
 
Lição 10 - A Missão Social da Igreja
Lição 10 - A Missão Social da IgrejaLição 10 - A Missão Social da Igreja
Lição 10 - A Missão Social da Igreja
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
 
O que é discipulado 1.ppt
O que é discipulado 1.pptO que é discipulado 1.ppt
O que é discipulado 1.ppt
 
Lição 2 (jovens) - Relacionamento em família
Lição 2 (jovens) - Relacionamento em famíliaLição 2 (jovens) - Relacionamento em família
Lição 2 (jovens) - Relacionamento em família
 

Mais de Joel de Oliveira

4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 024º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
Joel de Oliveira
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 014º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
Joel de Oliveira
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 12
3º trimestre 2015 adolescentes lição 123º trimestre 2015 adolescentes lição 12
3º trimestre 2015 adolescentes lição 12
Joel de Oliveira
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 11
3º trimestre 2015 adolescentes lição 113º trimestre 2015 adolescentes lição 11
3º trimestre 2015 adolescentes lição 11
Joel de Oliveira
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 10
3º trimestre 2015 adolescentes lição 103º trimestre 2015 adolescentes lição 10
3º trimestre 2015 adolescentes lição 10
Joel de Oliveira
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 09
3º trimestre 2015 adolescentes   lição 093º trimestre 2015 adolescentes   lição 09
3º trimestre 2015 adolescentes lição 09
Joel de Oliveira
 
3º trimestre 2015 Adolescentes Lição 08
3º trimestre 2015 Adolescentes Lição 083º trimestre 2015 Adolescentes Lição 08
3º trimestre 2015 Adolescentes Lição 08
Joel de Oliveira
 
3º trimestre 2015 Adolescentes Lição 07
3º trimestre 2015 Adolescentes Lição 073º trimestre 2015 Adolescentes Lição 07
3º trimestre 2015 Adolescentes Lição 07
Joel de Oliveira
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 06
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 063° trimestre 2015 Adolescentes Lição 06
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 06
Joel de Oliveira
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 05
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 053° trimestre 2015 Adolescentes Lição 05
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 05
Joel de Oliveira
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 04
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 043° trimestre 2015 Adolescentes Lição 04
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 04
Joel de Oliveira
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 03
 3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 03 3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 03
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 03
Joel de Oliveira
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 01
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 013° trimestre 2015 Adolescentes Lição 01
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 01
Joel de Oliveira
 

Mais de Joel de Oliveira (13)

4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 024º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 014º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 12
3º trimestre 2015 adolescentes lição 123º trimestre 2015 adolescentes lição 12
3º trimestre 2015 adolescentes lição 12
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 11
3º trimestre 2015 adolescentes lição 113º trimestre 2015 adolescentes lição 11
3º trimestre 2015 adolescentes lição 11
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 10
3º trimestre 2015 adolescentes lição 103º trimestre 2015 adolescentes lição 10
3º trimestre 2015 adolescentes lição 10
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 09
3º trimestre 2015 adolescentes   lição 093º trimestre 2015 adolescentes   lição 09
3º trimestre 2015 adolescentes lição 09
 
3º trimestre 2015 Adolescentes Lição 08
3º trimestre 2015 Adolescentes Lição 083º trimestre 2015 Adolescentes Lição 08
3º trimestre 2015 Adolescentes Lição 08
 
3º trimestre 2015 Adolescentes Lição 07
3º trimestre 2015 Adolescentes Lição 073º trimestre 2015 Adolescentes Lição 07
3º trimestre 2015 Adolescentes Lição 07
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 06
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 063° trimestre 2015 Adolescentes Lição 06
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 06
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 05
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 053° trimestre 2015 Adolescentes Lição 05
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 05
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 04
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 043° trimestre 2015 Adolescentes Lição 04
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 04
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 03
 3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 03 3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 03
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 03
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 01
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 013° trimestre 2015 Adolescentes Lição 01
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 01
 

Último

2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 

Último (20)

2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 

3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 02

  • 3. DESTAQUE • “...Porém eu e a minha família serviremos a Deus, o Senhor...” (Js 24:15)
  • 4. DEVOCIONAL • SEG......................................... Gn 1:27 • TER......................................... Gn 1:28 • QUA........................................ Gn 2:18 • QUI.......................................... Gn 2:16,17 • SEX......................................... Gn 3:1-4 • SAB......................................... Gn 3:15 • DOM........................................ Ef 6:1,2
  • 5. OBJETIVOS • Compreender: Que a família é a célula mater da sociedade. • Saber: Que a família é um lugar de convivência, de acolhimento e de relacionamento.
  • 6. I – FAMÍLIA, CÉLULA MATER DA SOCIEDADEDE • A família foi criada por Deus. • É o primeiro e mais importante grupo social a que pertencemos. • Por isso é chamada célula mater da sociedade. • Primeiramente, Deus fez e criou o mundo para receber essa instituição tão especial. • Depois cria o homem e a mulher. • Deus criou a família perfeita. • Seus objetivos eram os melhores possíveis. • Porém com a queda do homem a família foi afetada sofrendo sérias conseqüência. • Desde então, podemos afirmar que não existe uma família perfeita.
  • 7. • Nem os heróis da fé tiveram uma família que seja perfeita. • Fez promessa a abrão que sua descendência seria como as estrelas do céu (Gn 15.5). • Porém, a esposa amada de Isaque era estéril (Gn 25.21). • Deus abençoou com dois filhos; Esaú e Jacó. • O texto diz: que já no ventre materno os dois irmãos brigavem. (Gn25:22). • Se fossemos relatar tudo o que a conteceu de ruim na família de Isaque, Esaú e Jacó.
  • 8. • O escritor Rui Barbosa (1849 – 1923) afirmou: “família é a célula mater da sociedade”. • A família é de fato a primeira sociedade da qual se faz parte. • Nela vivemos a maior parte da nossa existência. • Sendo a única que possui laços indissolvíveis, tornando-se assim a mais importante. • Diante disso, destruída a família, a sociedade se desfará automaticamente. • Os sinais de declínio da família são abundantes e evidentes à nossa volta, os sinais do colapso são: divórcio, revolução sexual, aborto, esterilização, delinqüência, infidelidade, homossexualidade, feminismo radical, o movimento dos direitos das crianças, ao lado da banalização dos lares de pais solteiros; e outros sinais semelhantes. • A família parece estar à deriva, sem referência, impotente e desprotegida diante dos embates do consumismo, bombardeada pelos meios de comunicação e incapaz de dar uma resposta a esses ataques.
  • 9. CÉLULA MATER • A sociedade é onde o homem nasce, vive e morre. • Desde pequeno, normalmente, aquela criança já faz parte de uma família, que é o principal meio social humano, e por isso, chamamos de célula mater da sociedade. • Há um consumismo doentio, uma fobia, pela gastança, que vem desestruturando relacionamentos, falindo a família que é a célula mater da sociedade.
  • 10. II – VIVER E CONVIVER EM FAMÍLIA • O modelo familiar muda com o passar dos tempos. • Atualmente, temos visto e vivido um empobrecimento na área da convivência. • Estamos ficando cada vez mais superficiais e distante uns dos outros.
  • 11. A IMPORTÂNCIA DE COMUNICAÇÃO - Salmos 19:14 • A. A Comunicação definida • Comunicação é o ato ou efeito de comunicar (-se), que é de emitir, transmitir e receber mensagens. É a capacidade de trocar ou discutir idéias, de dialogar, de conversar, com vista ao bom entendimento entre pessoas. • A comunicação social, próprias dos seres humanos, é baseada em sistemas de signos em oposição à comunicação baseado em sistemas de instruções ou comandos, como a se faz entre animais ou máquinas.
  • 12. • B. Os Exemplos de Comunicação • 1. Deus fez o homem na sua própria imagem que determina a diferença do homem de qualquer outra parte da criação. Foi ao homem que Deus dirigiu quando a sua voz “passeava no jardim pela viração do dia” (Gên. 3:8-12). Então o primeiro exemplo de comunicação humana na Bíblia é Deus com o homem. Para ter o sublime exemplo de como comunicar bem e efetivamente o amor, desgosto, dor, doutrina, repreensão e como dar uma variedade de lições para grupos diversos de seres tanto humano como angélico, estude as próprias conversas de Deus relatadas na Bíblia Sagrada. • 2. A própria Bíblia é a comunicação de Deus para o homem na qual tudo que Deus quer revelar para o homem é relatado, e isso para sua esperança (Rom 15:4). É com palavras que Deus usa para nos comunicar a Sua mente. Podemos estudar Êxodo 20 (os dez mandamentos) para ver que quando Deus trata assuntos de altíssima importância, Ele, mesmo assim, mantém as palavras diretas mas de fácil compreensão.
  • 13. • 3. O Espírito Santo comunica com o mundo em geral (Sal 145:9; Prov. 21:1; Atos 17:27,28), e com os eleitos em particular (João 14:26; 15:26; 16:7-14). Mesmo que o Espírito de Deus reprova ou conforta e isso na Sua maneira misteriosa Ele comunica trazendo a nós as palavras de Deus (Luc 12:12; João 14:26). Nisso podemos dizer que Ele também comunica usando expressão verbal e é um exemplo notável de comunicação (Isa 30:21, “ouvirão a palavra...”). • 4. A natureza declara as coisas invisíveis de Deus, “desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade” de uma voz tão eficaz que todos “se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas” que eles ficam “inescusáveis” (Rom 1:20). É dita que a natureza usa uma voz e palavras numa linguagem que “estende por toda a terra” (Sal 19:1-4). Então podemos dizer que a natureza é ativa em comunicação também e merece menção como uma meta para nós imitarmos em nossas conversas.
  • 14. • O ALVO DA COMUNICAÇÃO • “..E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai..” Cl 3:17 • O alvo de comunicação no lar não é nada diferente que o objetivo de viver que é de glorificar Deus em toda parte das nossas vidas (Ecl. 12;13; Rom 16:28; I Cor 10:31; I Ped 4:11). • A comunicação pode ser útil para glorificarmos Deus ou pode ser usada para glorificar-nos a nós mesmos ou um outro homem. A exortação é: • Efésios 4:24, “E vos revistais do novo homem” • Colossenses 4:6, “a vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal” • Tito 2:7,8, “Em tudo te dá por exemplo de ... linguagem sã e irrepreensível”
  • 15. A. O QUE A BOA COMUNICAÇÃO NÃO É • 1. Comunicação corrupta - Col. 3:8 • 2. Manipulação - Juizes 16:16,17 (Num 14:36) • 3. Murmurações - Fil. 2:14
  • 16. B. O QUE A BOA COMUNICAÇÃO É • “..Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, SENHOR, Rocha minha e Redentor meu!..”- Salmos 19:14 • 1. Ações de Amor - Mar 12:31; I Cor 13:8 • É bom lembrar que diferenças de opinião não são necessariamente defeitos numa personalidade. Quem é que nos faz ser diferentes (I Cor 4:7)? As diferenças que existem em cada pessoa enfatiza o fato que esforços vão precisar ser exercitados para termos boa comunicação um com o outro. • Quando consideramos as diferenças de cada pessoa e procuramos de aproveitar o bom que cada um pode oferecer estamos mostrando ações de amor tanto para aquela pessoa quanto a seu Criador.
  • 17. • 2. Escutando - Tiago 1:19 • É bom considerar porque Deus nos deu duas orelhas e uma só boca. • Pode ser que devemos ouvir duas vezes mais que falamos. • Um bom conversador sabe bem escutar os outros. • E por falar de escutar, já percebeu que quando a boca está aberta, a mente já parou de coletar conhecimento? • Portanto, para crescer em conhecimento, são os ouvidos que devem ser abertos e não a boca.
  • 18. III – Boas maneiras devem fazer parte do nosso dia a dia • As diferenças não são prejudiciais, mas a falta de respeito e até mesmo de boas maneiras no relacionamento familiar são. • É em casa que temos que aprender a dizer “bom dia”, “com licença”, “obrigado (a)”, “por favor”, “desculpas”, até logo, etc. • Palavras são significativas para trazer paz e harmonia a uma família, caso haja respeito entre os seus membros.
  • 19. • Muitas pessoas nem gostam de ouvir falar em “etiqueta social” porque acham desnecessário qualquer conhecimento do assunto. • Entretanto, vivemos em relacionamentos, sejam eles familiares, profissionais, com a vizinhança, com amigos e a falta de etiqueta acarreta muitos transtornos, uma vez que etiqueta significa “boa educação”. É INTERESSANTE QUE FIQUE BEM CLARO: • Pessoa Educada, Cortês, Fina não quer dizer uma pessoa CHIQUE. • Pessoa Educada, Cortês, Fina não quer dizer uma pessoa RICA, DIPLOMADA. • Quando falarmos de etiqueta social, estaremos falando de boas maneiras, boa educação, gentileza, delicadeza. Nem toda pessoa considerada “chique”, rica ou diplomada é uma pessoa de boas maneiras, de trato fino.
  • 20. HÁ MUITAS RAZÕES PARA APRENDERMOS BOAS MANEIRAS: • 1.Ninguém gosta de se relacionar com pessoas mal educadas que incomodam e não respeitam a liberdade alheia. • O cristão tem um motivo muito sublime para ser bem educado, pois ele precisa demonstrar, no seu viver diário, a pessoa gloriosa de Jesus Cristo que habita nele. Todo cristão deseja levar a Cristo às pessoas com as quais se relaciona, portanto, o cristão precisa se educar. • 2.Ninguém nasce sabendo. Tudo o que sabemos, hoje, foi aprendido. Por que não aprender a ser uma pessoa bem educada? • 3. Deus se preocupou com as boas maneiras, pois a bíblia está repleta de orientações a este respeito. • O próprio Deus se encarregou de instruir o seu povo sobre como ser educado com os semelhantes.
  • 21. • VEJA ALGUMAS ORIENTAÇÕES: • a.DT. 23: 24-25b - “Quando entrares na vinha do teu próximo comerás uvas..., porém não as levarás no teu vaso... não meterás a foice na seara do teu próximo”. • b.Pv 25:16 - “Achaste mel? Come o que te basta para que, porventura não te fartes dele e o venhas a vomitar”. • c. I Tm 5:1 - “Não repreendas asperamente os anciãos, mas admoesta-os como a pais; ...” • d.Prov. 27:2 - “Seja outro o que te louve e não a tua boca; o estrangeiro e não os teus lábios”. • e.Êxodo 22:5 - “Se alguém fizer pastar o seu animal num campo ou numa vinha, e o largar para comer em campo de outrem, pagará com o melhor do seu próprio campo ou o melhor da sua própria vinha”. • f. Lev. 19:14 - “Não amaldiçoarás o surdo, nem porás tropeço ao cego...”.
  • 22. IV – A Bíblia e a família • O Criador estabeleceu para a família alguns princípios que vão ajudá-lo a viver bem, inclusive para com os filhos. • A disciplina na família é necessária. • Um pai que ama, corrige seu filho.
  • 23. • Todos os males da sociedade, sejam financeiros, políticos, trabalhistas, escolares ou religiosos têm a sua origem no coração do homem. • Sabemos como é o coração do homem (Jer. 17:9; Rom 3:10-23). • A instituição que Deus estabeleceu, ainda no jardim do Éden, que ajuntou duas pessoas em maneiras especificas para ser uma unidade é o que chamamos de família. • O ambiente que é formado pelo amor exercitado entre todos da família cria o que chamamos de “o lar”. • O lar tem suma importância na vida humana pois é o berço de costumes, hábitos, caráter, crenças e morais de cada ser humano, seja no contexto mundial, nacional, municipal ou familiar. • Então, podemos dizer, como vai o lar vai o mundo, e também, o que é bom para a família é bom para o mundo.
  • 24. I. O QUE É EDUCAÇÃO DOS FILHOS. • Provérbios 4:23; 20:11 • Educação de almas quer dizer semear e ajudar a implantação de princípios verdadeiros no coração dos filhos. • A responsabilidade dos pais é de treinar e desenvolver estas verdades continuamente até que sejam enraizadas no coração do filho ao ponto que sejam visíveis no comportamento e o raciocínio das ações dos filhos. • Entrando no assunto de educação de filhos devemos entender o que basicamente ela é. Educação de filhos é educação de almas. • O coração da criança é o alvo de educação. Se o coração de uma criança é treinado, as ações da vida de um adulto serão influenciadas Pelas ações de uma pessoa se conhece seu coração (Prov. 20:11). • Por essa importância dada ao coração de uma pessoa a educação de filhos deve indicar o treinamento do coração (Prov. 4:23).
  • 25. II. A Autoridade na Educação dos Filhos • Há opiniões diferentes sobre a educação dos filhos. • Cada pai e cada mãe têm uma opinião como a educação deve ser feita, pelo menos por uma fase ou outra na vida do filho. • Geralmente essa opinião é uma reação contra a maneira que eles foram criados ou é uma opinião baseada num método que eles mesmo têm desenvolvidos. • Os ‘profissionais’ têm opiniões também. Estas opiniões são diversos e até entre elas, há conflitos. • A sociedade dita inferências que podem ou não responder às realidades. • Os sentimentos no seio dos pais podem também indicar um caminho que deve ser escolhido neste desafio de educação dos filhos.