SlideShare uma empresa Scribd logo
Treinamento: Adesão às Medidas de Precaução,Uso
correto de EPIs: Paramentação e Desparamentação
e Higiene de Mãos
01 Apresentação da equipe e atuação
do Serviço de Controle de
Infecção Hospitalar
02
03
Precaução Padrão, equipamentos
de proteção individual e uso de
adornos
Higienização das mãos
04 Precauções baseadas nas
transmissões
Apresentação da equipe e
Atuação do Serviço de Controle de
Infecção Hospitalar
Contato: (31) 3330-3177 (31) 3330-3283
Horário de funcionamento: 06:45 às 19:00
(Segunda a Sexta)
01
EQUIPE
•Dra. Bernadete Cattete Bloom – Infectologista
•Dr. Sergio Luiz Lima – Infectologista
•Viviane Castilho Vargas – Coordenadora de Enfermagem
•Luciana Nery Silva – Supervisora de Enfermagem
•Juliana Cristina Cordeiro – Auxiliar Administrativa
• Jéssica Silva de Oliveira – Acadêmica de Enfermagem
Letícia Mendes Ramos – Acadêmica de Enfermagem
• Samuel Lemos Vale – Acadêmico de Enfermagem
Precaução Padrão
Equipamentos de Proteção Individual
Uso de adornos
02
PRECAUÇÃO PADRÃO
São aplicadas PARA TODOS OS PACIENTES, durante toda sua permanência
no hospital, independente de suspeita ou não de infecções.
PROCEDIMENTO 1
1) Higienização das mãos;
2) Uso de luvas, capote, máscara cirúrgica, serão
obrigatórios sempre que houver risco de contaminação
por secreções e fluídos corporais.
3) Descarte correto de perfuro cortante
ORDEM DE COLOCAÇÃO EPI
(CDC, 2014)
ORDEM DE RETIRADA DOS EPIs
1. Luvas
- Higienizar as mãos após retirar as luvas
2. Avental
- Higienizar as mãos após retirar o capote
3. Gorro (se utilizado)
4. (a) óculos de proteção (b) protetor facial
5. (a) Máscara Cirúrgica ou (b) Máscara N-95
- Evite tocar a área externa da máscara
- Higienizar as mãos após retirar a máscara
USO DE ADORNOS
**adornos: alianças, anéis, pulseiras, cordões, relógios, colares, brincos, broches e piercings expostos,
crachás pendurados com cordão, óculos de proteção pendurados com cordinhas.
(NR32, 2002)
NR 32 – PROÍBE O USO
DE ADORNOS: é
proibido o uso de
adornos para
profissional de saúde,
bem como aqueles que
exercem atividades de
promoção e assistência
à saúde expostos ao
agente biológico,
independente da sua
função.
Higienização das Mãos
•Por quê?
•Quando?
•Como?
03
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS
(WHO, 2009; OMS, 2013)
Higienização das Mãos
SCIH
TECNICAS DE HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS
(ANVISA, 2017)
As técnicas empregadas na higienização com uso de sabonete e
preparações alcoólica se assemelham, sendo as únicas
diferenças o produto utilizado e que na higienização com
preparações alcoólicas, não se deve secar as mãos com papel
toalha.
(WHO, 2009; OMS, 2013)
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS
Tempo: 40 a 60 segundos – Água e Sabonete
20 a 30 segundos – Fricção com Álcool
C
Como ocorre a contaminação das mãos?
• Contato direto com o paciente.
• Contato indireto, com produtos e
equipamentos ao seu redor, como bombas
de infusão, barras protetoras das camas,
janelas, dentre outros que estejam sem a
devida higienização.
Higienização com água e sabão
SCIH
Remove sujidade e a microbiota
transitória das mãos.
Tempo: 40 a 60 segundos
Higienização das Mãos
SCIH
Higienização das Mãos
SCIH
Higienização das Mãos
SCIH
Higienização das Mãos
SCIH
Higienização das Mãos
SCIH
Higienização das Mãos
SCIH
Higienização com Álcool
SCIH
Tempo: 20 a 30 segundos
Higienização das Mãos
SCIH
Higienização das Mãos
SCIH
o Deixar punhos e dedos livres, sem adornos como relógios, pulseiras
e anéis.
o Manter as unhas naturais, limpas e curtas.
o Não usar unhas postiças.
o Aplicar regularmente um creme protetor para as mãos (uso individual)
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS
(ANVISA, 2017)
A higienização correta das mãos representa uma prática
do cuidar em enfermagem reconhecida como a medida
mais importante e eficaz no controle de infecções
relacionadas a assistência em saúde.
Precauções Baseadas
nas Transmissões
04
DISSEMINAÇÃO
DISSEMINAÇÃO
DISSEMINAÇÃO
É PROIBIDO SAIR DO
QUARTO DO PACIENTE
USANDO LUVAS.
AS LUVAS DEVEM SER
RETIRADAS E DESCARTADAS
ANTES DE SAIR DO QUARTO.
O USO DE LUVAS NÃO SUBSTITUI A HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS !!!!
PRECAUÇÃO DE CONTATO
PRECAUÇÃO DE CONTATO
-Bactérias multirresistentes
- Diarreia causada por
Clostridium difficile
Individualizar artigos:
estetoscópios,
termômetros,
oxímetros.
Fricção com álcool a
70% 3x do sentido
proximal para o distal.
PRECAUÇÃO DE GOTÍCULA
PRECAUÇÃO DE GOTÍCULA
- Meningite
-Vírus Influenza (H1N1)
Individualizar artigos:
estetoscópios,
termômetros,
oxímetros.
Quarto privativo
e porta fechada
PRECAUÇÃO AEREA
PRECAUÇÃO AEREA
Tuberculose
Herpes Zoster ativo
Sarampo
Individualizar artigos:
estetoscópios,
termômetros,
oxímetros.
Quarto privativo e
porta fechada
PRECAUÇÃO COVID-19
PRECAUÇÃO COVID-19
CASOS SUSPEITOS OU
CONFIRMADOS
Individualizar artigos:
estetoscópios,
termômetros,
oxímetros.
Quarto privativo e
porta fechada
Procedimentos geradores de aerossol: intubação orotraqueal,
micronebulização, ressuscitação cardiopulmonar, etc.
PRECAUÇÃO PROTETORA
PRECAUÇÃO PROTETORA
PACIENTES
IMUNOSSUPRIMIDOS
Individualizar artigos:
estetoscópios,
termômetros,
oxímetros.
PRECAUÇÃO QUIMIOTERAPIA
PRECAUÇÃO QUIMIOTERAPIA
USO DE QUIMIOTERAPIA
ISOLAMENTO
O primeiro requisito de um hospital é que
ele jamais deveria fazer mal ao doente.
Florence Nightingale
REFERÊNCIAS
• ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Programa Nacional de Prevenção e Controle de Infecções Relacionadas à Assistência
à Saúde (2016-2020). 2016
• ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Práticas seguras para prevenção de Lesão por Pressão em serviços de saúde. NOTA
TÉCNICA GVIMS/GGTES No 03/2017.
• BRASIL. NORMA REGULAMENTADORA 32 - NR 32.2002.
• ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RESOLUÇÃO - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013.
• ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Como posso contribuir para aumentar a segurança do paciente?. 2017
• SCHULMEISTER, L. Patient misidentification in oncology care. Clin J Oncol Nurs. 2008 Jun; 12(3):495-8.
• MINISTÉRIO DA SAÚDE. Protocolo de Segurança na Prescrição, Uso e Administração de Medicamentos, 2014.
• ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Protocolo Prevenção de Quedas, 2013.
• ANVISA. SEGURANÇA DO PACIENTE - Higienização das Mãos. Brasil, 2017.
• ANVISA. Os 5 Momentos para a HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS. Brasil, 2017.
• ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Programa Nacional de Prevenção e Controle de Infecções Relacionadas à Assistência
à Saúde (2016-2020). 2016
• ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC Nº 222/2018 COMENTADA. GERENCIA DE REGULAMENTAÇÃO E
CONTROLE SANITÁRIO EM SERVIÇOS DE SAÚDE - GRECS/GERENCIA GERAL DE TECNOLOGIA EM SERVIÇOS DE SAÚDE -
GGTES/ANVISA.
• BRASIL. NORMA REGULAMENTADORA 32 - NR 32.2002.
• BRASIL. MINISTERIO DA SAÚDE. PORTARIA NO - 204, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2016.
• SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE
• CDC. Centres for Disease Control and Prevention. The White House – Washington. National Strategy for Combating Antibioticresistant
Bacteria. September 2014
• OMS. Organização Mundial de Saúde. Os cinco momentos para a higienização das mãos, 2013
• WHO, World Health Organization. WHO guidelines for safe surgery. Geneva:WHO; 2009
• WHO. World Health Organization. Global Action Plan on Antimicrobial Resistance. 2015.
Adesão ás Medidas de precaução, uso correto de EPI´s

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Seguranca do Paciente - Medicamentos
Seguranca do Paciente - MedicamentosSeguranca do Paciente - Medicamentos
Seguranca do Paciente - Medicamentos
Emmanuel Souza
 
Manobra Heimlich
Manobra HeimlichManobra Heimlich
Manobra Heimlich
LF Martins
 
Gravidez E Desenvolvimento Fetal
Gravidez E Desenvolvimento FetalGravidez E Desenvolvimento Fetal
Gravidez E Desenvolvimento Fetal
professorasima
 
Classificação de risco
Classificação de riscoClassificação de risco
Classificação de risco
Cristiane Dias
 
5º sinal vital2
5º sinal vital25º sinal vital2
5º sinal vital2
Andréa Dantas
 
Consulta de enfermagem na puericultura
Consulta de enfermagem na puericulturaConsulta de enfermagem na puericultura
Consulta de enfermagem na puericultura
Amanda Thaysa
 
Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011
jorge luiz dos santos de souza
 
Apresentacao accr -_enf._maria_teresa_g._franco
Apresentacao accr -_enf._maria_teresa_g._francoApresentacao accr -_enf._maria_teresa_g._franco
Apresentacao accr -_enf._maria_teresa_g._franco
Hospital e Maternidade Oase
 
Dorothea orem
Dorothea oremDorothea orem
Dorothea orem
rutbert
 
Paciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de EnfermagemPaciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Bruna Guimarães
 
Aula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergênciaAula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergência
Ricardo Augusto
 
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEMSAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
Centro Universitário Ages
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
Viviane da Silva
 
Aula rede de-frio atualizacao-em-imunizacao. (1)
Aula rede de-frio atualizacao-em-imunizacao. (1)Aula rede de-frio atualizacao-em-imunizacao. (1)
Aula rede de-frio atualizacao-em-imunizacao. (1)
Carina Araki de Freitas
 
Enfermagem clínica SLIDE.pptx
Enfermagem clínica SLIDE.pptxEnfermagem clínica SLIDE.pptx
Enfermagem clínica SLIDE.pptx
MirnaKathary1
 
Aula 8 emergencias obstétricas
Aula 8 emergencias obstétricasAula 8 emergencias obstétricas
Aula 8 emergencias obstétricas
SUELLEN SILVA
 
Sala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésicaSala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésica
Rivanilcede
 
SAÚDE INFANTIL: INCLUSÃO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS
SAÚDE INFANTIL: INCLUSÃO SOCIAL E DIREITOS HUMANOSSAÚDE INFANTIL: INCLUSÃO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS
SAÚDE INFANTIL: INCLUSÃO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS
Valdirene1977
 
Vigilância em saúde
Vigilância em saúdeVigilância em saúde
Vigilância em saúde
Anderson da Silva
 
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 

Mais procurados (20)

Seguranca do Paciente - Medicamentos
Seguranca do Paciente - MedicamentosSeguranca do Paciente - Medicamentos
Seguranca do Paciente - Medicamentos
 
Manobra Heimlich
Manobra HeimlichManobra Heimlich
Manobra Heimlich
 
Gravidez E Desenvolvimento Fetal
Gravidez E Desenvolvimento FetalGravidez E Desenvolvimento Fetal
Gravidez E Desenvolvimento Fetal
 
Classificação de risco
Classificação de riscoClassificação de risco
Classificação de risco
 
5º sinal vital2
5º sinal vital25º sinal vital2
5º sinal vital2
 
Consulta de enfermagem na puericultura
Consulta de enfermagem na puericulturaConsulta de enfermagem na puericultura
Consulta de enfermagem na puericultura
 
Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011
 
Apresentacao accr -_enf._maria_teresa_g._franco
Apresentacao accr -_enf._maria_teresa_g._francoApresentacao accr -_enf._maria_teresa_g._franco
Apresentacao accr -_enf._maria_teresa_g._franco
 
Dorothea orem
Dorothea oremDorothea orem
Dorothea orem
 
Paciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de EnfermagemPaciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de Enfermagem
 
Aula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergênciaAula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergência
 
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEMSAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
 
Aula rede de-frio atualizacao-em-imunizacao. (1)
Aula rede de-frio atualizacao-em-imunizacao. (1)Aula rede de-frio atualizacao-em-imunizacao. (1)
Aula rede de-frio atualizacao-em-imunizacao. (1)
 
Enfermagem clínica SLIDE.pptx
Enfermagem clínica SLIDE.pptxEnfermagem clínica SLIDE.pptx
Enfermagem clínica SLIDE.pptx
 
Aula 8 emergencias obstétricas
Aula 8 emergencias obstétricasAula 8 emergencias obstétricas
Aula 8 emergencias obstétricas
 
Sala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésicaSala de recuperação pós anestésica
Sala de recuperação pós anestésica
 
SAÚDE INFANTIL: INCLUSÃO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS
SAÚDE INFANTIL: INCLUSÃO SOCIAL E DIREITOS HUMANOSSAÚDE INFANTIL: INCLUSÃO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS
SAÚDE INFANTIL: INCLUSÃO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS
 
Vigilância em saúde
Vigilância em saúdeVigilância em saúde
Vigilância em saúde
 
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
 

Semelhante a Adesão ás Medidas de precaução, uso correto de EPI´s

Higienizacao de Mãos em Serviços de Saúde
Higienizacao de Mãos em Serviços de SaúdeHigienizacao de Mãos em Serviços de Saúde
Higienizacao de Mãos em Serviços de Saúde
General Clean
 
segurança do paciente
segurança do pacientesegurança do paciente
segurança do paciente
matheuspacheco43
 
Aula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdf
Aula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdfAula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdf
Aula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdf
RaquelOlimpio1
 
Apostila de biossegurança nas ações de enfermagem
Apostila de biossegurança nas ações de enfermagemApostila de biossegurança nas ações de enfermagem
Apostila de biossegurança nas ações de enfermagem
Douglas Oliveira
 
2- biossegurança e higienização das mãos.pdf
2- biossegurança e higienização das mãos.pdf2- biossegurança e higienização das mãos.pdf
2- biossegurança e higienização das mãos.pdf
keyzsilva
 
aulahigienizacaomaos.pptx
aulahigienizacaomaos.pptxaulahigienizacaomaos.pptx
aulahigienizacaomaos.pptx
FelipeCosta315398
 
zamile e equipe.docx
zamile e equipe.docxzamile e equipe.docx
zamile e equipe.docx
cybercom1
 
Biossegurana 2012
Biossegurana 2012Biossegurana 2012
Biossegurana 2012
Silvania Fatima Américo
 
Biosseguranca 2012
Biosseguranca 2012Biosseguranca 2012
Biosseguranca 2012
Euripedes Barbosa
 
Biossegurana 2012
Biossegurana 2012Biossegurana 2012
Biossegurana 2012
Hotanilde Lima
 
2ªaula - biossegurana.ppt
2ªaula  -  biossegurana.ppt2ªaula  -  biossegurana.ppt
2ªaula - biossegurana.ppt
monicamamedes1
 
BIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.pptBIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.ppt
AndriellyFernandadeS
 
03 específicos auxiliar de saúde bucal
03   específicos auxiliar de saúde bucal 03   específicos auxiliar de saúde bucal
03 específicos auxiliar de saúde bucal
Janice Ferreira Ferreira
 
Lavadodemanoshgm pt
Lavadodemanoshgm ptLavadodemanoshgm pt
Lavadodemanoshgm pt
University of Miami
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
Centro Universitário Ages
 
seguranadopaciente-171007135224.pdf
seguranadopaciente-171007135224.pdfseguranadopaciente-171007135224.pdf
seguranadopaciente-171007135224.pdf
MarcioCruz62
 
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
resenfe2013
 
Caderno_prevencao_controle_infeccao.pdf
Caderno_prevencao_controle_infeccao.pdfCaderno_prevencao_controle_infeccao.pdf
Caderno_prevencao_controle_infeccao.pdf
CassianoOliveira8
 
AULA TÉCNICA DE HIGIENE DAS MÃOS PARA ENFERMEIROS.pdf
AULA TÉCNICA DE HIGIENE DAS MÃOS PARA ENFERMEIROS.pdfAULA TÉCNICA DE HIGIENE DAS MÃOS PARA ENFERMEIROS.pdf
AULA TÉCNICA DE HIGIENE DAS MÃOS PARA ENFERMEIROS.pdf
lorenaribeiroenferme
 
2. anvs hig das maos
2. anvs   hig das maos2. anvs   hig das maos
2. anvs hig das maos
Simone Cardoso
 

Semelhante a Adesão ás Medidas de precaução, uso correto de EPI´s (20)

Higienizacao de Mãos em Serviços de Saúde
Higienizacao de Mãos em Serviços de SaúdeHigienizacao de Mãos em Serviços de Saúde
Higienizacao de Mãos em Serviços de Saúde
 
segurança do paciente
segurança do pacientesegurança do paciente
segurança do paciente
 
Aula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdf
Aula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdfAula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdf
Aula Unidade 2 - Higiene das Mãos em Serviços de Saúde.pdf
 
Apostila de biossegurança nas ações de enfermagem
Apostila de biossegurança nas ações de enfermagemApostila de biossegurança nas ações de enfermagem
Apostila de biossegurança nas ações de enfermagem
 
2- biossegurança e higienização das mãos.pdf
2- biossegurança e higienização das mãos.pdf2- biossegurança e higienização das mãos.pdf
2- biossegurança e higienização das mãos.pdf
 
aulahigienizacaomaos.pptx
aulahigienizacaomaos.pptxaulahigienizacaomaos.pptx
aulahigienizacaomaos.pptx
 
zamile e equipe.docx
zamile e equipe.docxzamile e equipe.docx
zamile e equipe.docx
 
Biossegurana 2012
Biossegurana 2012Biossegurana 2012
Biossegurana 2012
 
Biosseguranca 2012
Biosseguranca 2012Biosseguranca 2012
Biosseguranca 2012
 
Biossegurana 2012
Biossegurana 2012Biossegurana 2012
Biossegurana 2012
 
2ªaula - biossegurana.ppt
2ªaula  -  biossegurana.ppt2ªaula  -  biossegurana.ppt
2ªaula - biossegurana.ppt
 
BIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.pptBIOSSEGURANÇA.ppt
BIOSSEGURANÇA.ppt
 
03 específicos auxiliar de saúde bucal
03   específicos auxiliar de saúde bucal 03   específicos auxiliar de saúde bucal
03 específicos auxiliar de saúde bucal
 
Lavadodemanoshgm pt
Lavadodemanoshgm ptLavadodemanoshgm pt
Lavadodemanoshgm pt
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
 
seguranadopaciente-171007135224.pdf
seguranadopaciente-171007135224.pdfseguranadopaciente-171007135224.pdf
seguranadopaciente-171007135224.pdf
 
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 
Caderno_prevencao_controle_infeccao.pdf
Caderno_prevencao_controle_infeccao.pdfCaderno_prevencao_controle_infeccao.pdf
Caderno_prevencao_controle_infeccao.pdf
 
AULA TÉCNICA DE HIGIENE DAS MÃOS PARA ENFERMEIROS.pdf
AULA TÉCNICA DE HIGIENE DAS MÃOS PARA ENFERMEIROS.pdfAULA TÉCNICA DE HIGIENE DAS MÃOS PARA ENFERMEIROS.pdf
AULA TÉCNICA DE HIGIENE DAS MÃOS PARA ENFERMEIROS.pdf
 
2. anvs hig das maos
2. anvs   hig das maos2. anvs   hig das maos
2. anvs hig das maos
 

Adesão ás Medidas de precaução, uso correto de EPI´s

  • 1. Treinamento: Adesão às Medidas de Precaução,Uso correto de EPIs: Paramentação e Desparamentação e Higiene de Mãos
  • 2. 01 Apresentação da equipe e atuação do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar 02 03 Precaução Padrão, equipamentos de proteção individual e uso de adornos Higienização das mãos 04 Precauções baseadas nas transmissões
  • 3. Apresentação da equipe e Atuação do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Contato: (31) 3330-3177 (31) 3330-3283 Horário de funcionamento: 06:45 às 19:00 (Segunda a Sexta) 01
  • 4. EQUIPE •Dra. Bernadete Cattete Bloom – Infectologista •Dr. Sergio Luiz Lima – Infectologista •Viviane Castilho Vargas – Coordenadora de Enfermagem •Luciana Nery Silva – Supervisora de Enfermagem •Juliana Cristina Cordeiro – Auxiliar Administrativa • Jéssica Silva de Oliveira – Acadêmica de Enfermagem Letícia Mendes Ramos – Acadêmica de Enfermagem • Samuel Lemos Vale – Acadêmico de Enfermagem
  • 5. Precaução Padrão Equipamentos de Proteção Individual Uso de adornos 02
  • 6. PRECAUÇÃO PADRÃO São aplicadas PARA TODOS OS PACIENTES, durante toda sua permanência no hospital, independente de suspeita ou não de infecções. PROCEDIMENTO 1 1) Higienização das mãos; 2) Uso de luvas, capote, máscara cirúrgica, serão obrigatórios sempre que houver risco de contaminação por secreções e fluídos corporais. 3) Descarte correto de perfuro cortante
  • 7. ORDEM DE COLOCAÇÃO EPI (CDC, 2014)
  • 8. ORDEM DE RETIRADA DOS EPIs 1. Luvas - Higienizar as mãos após retirar as luvas 2. Avental - Higienizar as mãos após retirar o capote 3. Gorro (se utilizado) 4. (a) óculos de proteção (b) protetor facial 5. (a) Máscara Cirúrgica ou (b) Máscara N-95 - Evite tocar a área externa da máscara - Higienizar as mãos após retirar a máscara
  • 9. USO DE ADORNOS **adornos: alianças, anéis, pulseiras, cordões, relógios, colares, brincos, broches e piercings expostos, crachás pendurados com cordão, óculos de proteção pendurados com cordinhas. (NR32, 2002) NR 32 – PROÍBE O USO DE ADORNOS: é proibido o uso de adornos para profissional de saúde, bem como aqueles que exercem atividades de promoção e assistência à saúde expostos ao agente biológico, independente da sua função.
  • 10. Higienização das Mãos •Por quê? •Quando? •Como? 03
  • 11. HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS (WHO, 2009; OMS, 2013)
  • 13. TECNICAS DE HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS (ANVISA, 2017) As técnicas empregadas na higienização com uso de sabonete e preparações alcoólica se assemelham, sendo as únicas diferenças o produto utilizado e que na higienização com preparações alcoólicas, não se deve secar as mãos com papel toalha.
  • 14. (WHO, 2009; OMS, 2013) HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS Tempo: 40 a 60 segundos – Água e Sabonete 20 a 30 segundos – Fricção com Álcool C Como ocorre a contaminação das mãos? • Contato direto com o paciente. • Contato indireto, com produtos e equipamentos ao seu redor, como bombas de infusão, barras protetoras das camas, janelas, dentre outros que estejam sem a devida higienização.
  • 15. Higienização com água e sabão SCIH Remove sujidade e a microbiota transitória das mãos. Tempo: 40 a 60 segundos
  • 24. Higienização das Mãos SCIH o Deixar punhos e dedos livres, sem adornos como relógios, pulseiras e anéis. o Manter as unhas naturais, limpas e curtas. o Não usar unhas postiças. o Aplicar regularmente um creme protetor para as mãos (uso individual)
  • 25. HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS (ANVISA, 2017) A higienização correta das mãos representa uma prática do cuidar em enfermagem reconhecida como a medida mais importante e eficaz no controle de infecções relacionadas a assistência em saúde.
  • 29. DISSEMINAÇÃO É PROIBIDO SAIR DO QUARTO DO PACIENTE USANDO LUVAS. AS LUVAS DEVEM SER RETIRADAS E DESCARTADAS ANTES DE SAIR DO QUARTO. O USO DE LUVAS NÃO SUBSTITUI A HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS !!!!
  • 31. PRECAUÇÃO DE CONTATO -Bactérias multirresistentes - Diarreia causada por Clostridium difficile Individualizar artigos: estetoscópios, termômetros, oxímetros. Fricção com álcool a 70% 3x do sentido proximal para o distal.
  • 33. PRECAUÇÃO DE GOTÍCULA - Meningite -Vírus Influenza (H1N1) Individualizar artigos: estetoscópios, termômetros, oxímetros. Quarto privativo e porta fechada
  • 35. PRECAUÇÃO AEREA Tuberculose Herpes Zoster ativo Sarampo Individualizar artigos: estetoscópios, termômetros, oxímetros. Quarto privativo e porta fechada
  • 37. PRECAUÇÃO COVID-19 CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS Individualizar artigos: estetoscópios, termômetros, oxímetros. Quarto privativo e porta fechada Procedimentos geradores de aerossol: intubação orotraqueal, micronebulização, ressuscitação cardiopulmonar, etc.
  • 43. O primeiro requisito de um hospital é que ele jamais deveria fazer mal ao doente. Florence Nightingale
  • 44. REFERÊNCIAS • ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Programa Nacional de Prevenção e Controle de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (2016-2020). 2016 • ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Práticas seguras para prevenção de Lesão por Pressão em serviços de saúde. NOTA TÉCNICA GVIMS/GGTES No 03/2017. • BRASIL. NORMA REGULAMENTADORA 32 - NR 32.2002. • ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RESOLUÇÃO - RDC Nº 36, DE 25 DE JULHO DE 2013. • ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Como posso contribuir para aumentar a segurança do paciente?. 2017 • SCHULMEISTER, L. Patient misidentification in oncology care. Clin J Oncol Nurs. 2008 Jun; 12(3):495-8. • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Protocolo de Segurança na Prescrição, Uso e Administração de Medicamentos, 2014. • ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Protocolo Prevenção de Quedas, 2013. • ANVISA. SEGURANÇA DO PACIENTE - Higienização das Mãos. Brasil, 2017. • ANVISA. Os 5 Momentos para a HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS. Brasil, 2017. • ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Programa Nacional de Prevenção e Controle de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (2016-2020). 2016 • ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC Nº 222/2018 COMENTADA. GERENCIA DE REGULAMENTAÇÃO E CONTROLE SANITÁRIO EM SERVIÇOS DE SAÚDE - GRECS/GERENCIA GERAL DE TECNOLOGIA EM SERVIÇOS DE SAÚDE - GGTES/ANVISA. • BRASIL. NORMA REGULAMENTADORA 32 - NR 32.2002. • BRASIL. MINISTERIO DA SAÚDE. PORTARIA NO - 204, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2016. • SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE • CDC. Centres for Disease Control and Prevention. The White House – Washington. National Strategy for Combating Antibioticresistant Bacteria. September 2014 • OMS. Organização Mundial de Saúde. Os cinco momentos para a higienização das mãos, 2013 • WHO, World Health Organization. WHO guidelines for safe surgery. Geneva:WHO; 2009 • WHO. World Health Organization. Global Action Plan on Antimicrobial Resistance. 2015.