SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
― A Nível Neurológico ―
CENTRO UNIVERSITÁRIO RITTER DOS REIS
Nome: Emmanuel Miguel
Disciplina: Biofísica - PMA
Professora:Caroline Perinazzo daVeiga
Porto Alegre, Abril de 2013.
Os acidentes radioativos podem ocorrer por três
fatores distintos: os causados por fatores externos
(como por exemplo, fenômenos naturais) e os
causados por falha humana e ainda os que são
causados intencionalmente.
No caso das intoxicações alimentar, elas podem ser
causada pelos seguintes fatores:
 consumo de alimentos estragados;
 ingestão em excesso;
 preparo incorreto .
“As células quando expostas à radiação sofrem ação de
fenômenos físicos, químicos e biológicos. A radiação causa
ionização dos átomos, que afetam moléculas, que poderão afetar
células, que podem afetar tecidos, que podem afetar órgãos e logo
o corpo inteiro”. — Autor Anônimo.
Césio – 137: os íons do césio quando entram em contato com
o organismo podem causar o bloqueio nos canais de sódio de
membranas biológicas, onde adquirem características
bioacumulativas (aumento de concentração de substancias) que
por sua vez acabam prejudicando a funcionalidade da bomba de
sódio/potássio.
Entenda melhor...
O vídeo anterior mostra a propagação de um impulso nervoso, que nada
mais é do que um potencial de ação que é gerado pela diferença de potencial
entre a superfície interna e externa da membrana de um neurônio. No
entanto, isso não acontece porque a bomba de Na/ K,ficou sem energia (em
forma de ATP) por causa da radiação, que bloqueou os canais de Sódio
impedindo a formação de energia.
No ano de 1987, no Brasil, foi descoberta por catadores de
matérias recicláveis, um aparelho de radioterapia, após dias
começaram a apresentar sintomas de contaminação radioativa, como
tonteiras, náuseas e vômitos, mas por desconhecimento do material
radioativo pensaram que eram problemas estomacais.
Interessados no chumbo que revestia a cápsula, venderam a
um dono de ferro velho, que conseguiu abrir a cápsula e
encontrou um tipo de pedra que à noite emitia um brilho azul.
Em seguida mostrou a sua família e amigos, deixando até sua
filha brincar com o produto.
Dias após sua esposa, desconfiada com o surgimento de doenças de pele
e mal estar de sua família resolve levar a cápsula até a Vigilância Sanitária que
então encaminha um grupo de pessoas para o Hospital de Doenças Tropicais,
onde os médicos não constatavam as causas, somente no outro dia com a
ajuda de um físico que fazia a medição de radiação pela área é que foi
descoberta a causa.
Mesmo assim, com o tratamento não impediu à morte de quatro
pessoas desde a descoberta da cápsula até ser entregue a Vigilância
Sanitária. — As vitimas que tiveram contato direto receberão
assistência com remédios até a terceira geração, pois os mesmo
podem apresentar diversos tipos de problemas de saúde.
A casa e o terreno onde se encontravam o ferro velho foram
totalmente demolidos e tudo o que haviam neles foi colocado
em containers, que foram depositados em um buraco e coberto
com concreto e terra.
Já os radioacidentados se distribuem nos seguintes grupos:
Grupo I com 51 pessoas, que possuem 34 filhos e apenas um
neto, Grupo II com 44 pessoas e 30 filhos; e o Grupo III possui 578
pacientes (dados de 2009). Para os Grupos I, II e Filhos, as
consultas eletivas (que não são emergenciais) são realizadas em
consultórios médicos exclusivo a eles.
No que se refere à evolução clínica dos radioacidentados, há um consenso dos
dados médicos. São observadas as sequelas das radiolesões (amputações,
incapacitação física); doenças comuns da população em geral (diabetes, hipertensão,
cardiopatias, infecções das vias aéreas superiores, osteoporose, alergias, gastrites
etc.); sintomas sem diagnóstico de doença (dores, cefaleia e fraqueza também estão
na lista).
“A intoxicação alimentar ou a gastrintestinal, é um problema de
saúde causado pela ingestão de água ou alimento contaminado
por bactérias, vírus, ou por suas respectivas toxinas, ou ainda por
fungos e contaminantes tóxicos encontrados em vegetais”. – Dr.
DrauzioVarella.
Intoxicação por Baiacu: o preparo incorreto do baiacu pode liberar a
neurotoxina chamada Tetrodotoxina, que na verdade é produzida por uma
bactéria que consegue se alojar por todo o corpo do animal, desde as
escamas até o fígado do animal. O veneno é tão potente que um único peixe
pode matar até 30 pessoas.
A Tetrodotoxina tem a capacidade de bloquear os canais de sódio
dependentes de voltagem da superfície da célula nervosa, ao nível periférico
e central.O resultado é uma alteração na propagação dos impulsos nervosos.
Em 2009, no Japão, sete pessoas foram intoxicadas após consumirem
sashimi de baiacu. Uma das vitimas, de 68 anos, após se sentir mal ainda no
restaurante, foi levada em estado grave para o hospital. As outras seis
somente foram para o hospital quando sentiram amortecimento nos dedos e
lábios, sendo que três delas receberam atendimento quando já estavam
sofrendo de fraqueza muscular, vomito e espasmos percebidos até nos
pulmões.
Felizmente as vitimas foram atendidas antes que a toxina ocasionasse
parada respiratória que os levariam à morte. Também já houve relatos de
casos onde a Tetrodotoxina entrou em sintonia com outras neurotoxinas que
faz com que o corpo seja completamente paralisado fazendo com que as
vitimas pareçam mortas – o caso chama-se “zumbificação”.
G1 GOIÁS, Fotos da época do acidente com o césio-137 em Goiânia. Disponível em:
http://g1.globo.com/goias/fotos/2012/09/veja-fotos-da-epoca-do-acidente-com-o-cesio-
137-em-goiania.html#F563308 Acesso em: 30/03/2013.
WIKIPÉDIA, A Enciclopédia Livre. Césio. Disponível em:
http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A9sio Acesso em: 30/03/2013.
YAHOO RESPOSTA, Césio no corpo humano. Disponível em:
http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20090728110301AAq3y8Y Acesso em:
31/03/2013.
BRASIL ESCOLA, Acidente com o Césio-137. Disponível em:
http://www.brasilescola.com/quimica/acidente-cesio137.htm Acesso em: 31/03/2013.
DR. DRAUZIO, Intoxicação alimentar. Disponível em:
http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas-corpo-humano/intoxicacao-alimentar/
Acesso em: 05/04/2013.
WIKIPÉDIA, A Enciclopédia Livre. Tetrodotoxina. Disponivel em:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Tetrodotoxina Acesso em 07/04/2013.
TECNOMUNDO. Como é a morte por venedo do baiacu. Disponivel em:
http://www.tecmundo.com.br/biologia/18611-como-e-a-morte-por-veneno-de-baiacu-.htm
Acesso em: 06/04/2013.
YOU TUBE, Potencial de acção- potencial Action. Disponível em:
http://www.youtube.com/watch?v=CoQBMyFe7LM Acesso em: 18/04/2013.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 1 conceitos de ecologia
Aula 1   conceitos de ecologiaAula 1   conceitos de ecologia
Aula 1 conceitos de ecologia
Grupo UNIASSELVI
 
Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.
Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.
Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.
Lucas Senna
 
Piores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaPiores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da história
Fernanda Lopes
 
Aula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio Ambiental
Aula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio AmbientalAula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio Ambiental
Aula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio Ambiental
Ronaldo Santana
 
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticos
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticosEcossistema: Fatores bióticos e abióticos
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticos
Carlos Priante
 

Mais procurados (20)

Proteção e Higiene das Radiações
Proteção e Higiene das RadiaçõesProteção e Higiene das Radiações
Proteção e Higiene das Radiações
 
Usina nuclear
Usina nuclearUsina nuclear
Usina nuclear
 
Petróleo e Combustão
Petróleo e Combustão Petróleo e Combustão
Petróleo e Combustão
 
Aula 1 conceitos de ecologia
Aula 1   conceitos de ecologiaAula 1   conceitos de ecologia
Aula 1 conceitos de ecologia
 
Lixo radioativo
Lixo radioativoLixo radioativo
Lixo radioativo
 
Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.
Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.
Radiação: conceito, histórico, aplicações e prevenção.
 
Piores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaPiores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da história
 
Slides quimica forense
Slides quimica forenseSlides quimica forense
Slides quimica forense
 
Quimica ambiental
Quimica ambientalQuimica ambiental
Quimica ambiental
 
Aula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio Ambiental
Aula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio AmbientalAula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio Ambiental
Aula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio Ambiental
 
Lixão X Aterro Sanitário X Aterro Controlado
Lixão X Aterro Sanitário X Aterro Controlado   Lixão X Aterro Sanitário X Aterro Controlado
Lixão X Aterro Sanitário X Aterro Controlado
 
Aula 01 proteção radiológica
Aula 01  proteção radiológicaAula 01  proteção radiológica
Aula 01 proteção radiológica
 
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticos
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticosEcossistema: Fatores bióticos e abióticos
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticos
 
CONCEITOS DE RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO IONIZANTE
CONCEITOS DE RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO IONIZANTECONCEITOS DE RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO IONIZANTE
CONCEITOS DE RADIAÇÃO IONIZANTE E NÃO IONIZANTE
 
Radiação no meio ambiente 3E noturno
Radiação no meio ambiente 3E noturnoRadiação no meio ambiente 3E noturno
Radiação no meio ambiente 3E noturno
 
Radiação e a Vida
Radiação e a VidaRadiação e a Vida
Radiação e a Vida
 
Saúde e meio ambiente
Saúde e meio ambienteSaúde e meio ambiente
Saúde e meio ambiente
 
Apresentação - seminário biorremediação
Apresentação - seminário biorremediaçãoApresentação - seminário biorremediação
Apresentação - seminário biorremediação
 
Ciclos biogeoquímicos e ciclo do oxigenio(minha)
Ciclos biogeoquímicos e ciclo do oxigenio(minha)Ciclos biogeoquímicos e ciclo do oxigenio(minha)
Ciclos biogeoquímicos e ciclo do oxigenio(minha)
 
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
 

Destaque

O Lançamento das bombas atómicas
O Lançamento das bombas atómicasO Lançamento das bombas atómicas
O Lançamento das bombas atómicas
joao
 
Contaminantes químicos intoxicação por substâncias químicas
Contaminantes químicos intoxicação por substâncias químicasContaminantes químicos intoxicação por substâncias químicas
Contaminantes químicos intoxicação por substâncias químicas
João Siqueira da Mata
 
Intoxicação por solventes orgânicos
Intoxicação por solventes orgânicosIntoxicação por solventes orgânicos
Intoxicação por solventes orgânicos
Maria Celeste Moraes
 
Digestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídiosDigestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídios
Emmanuel Souza
 
As bombas atómicas sobre Hiroxima e Nagasaki
As bombas atómicas sobre Hiroxima e NagasakiAs bombas atómicas sobre Hiroxima e Nagasaki
As bombas atómicas sobre Hiroxima e Nagasaki
tiatex
 
Hiroshima e Nagasaki
Hiroshima e NagasakiHiroshima e Nagasaki
Hiroshima e Nagasaki
Sylvio Bazote
 
Apresentação das caracteristicas gerais dos seres vivos
Apresentação das caracteristicas gerais dos seres vivosApresentação das caracteristicas gerais dos seres vivos
Apresentação das caracteristicas gerais dos seres vivos
SitioEscola
 

Destaque (20)

acidente radiológico gamagrafia
acidente radiológico gamagrafiaacidente radiológico gamagrafia
acidente radiológico gamagrafia
 
Acidentes nucleares e radiológicos
Acidentes nucleares e radiológicosAcidentes nucleares e radiológicos
Acidentes nucleares e radiológicos
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Accidentes radiolgicos
Accidentes radiolgicosAccidentes radiolgicos
Accidentes radiolgicos
 
Aplicação da radioatividade na medicina
Aplicação da radioatividade na medicinaAplicação da radioatividade na medicina
Aplicação da radioatividade na medicina
 
Radioatividade na agricultura
Radioatividade na agriculturaRadioatividade na agricultura
Radioatividade na agricultura
 
Detector de Radiacao Ionizante
Detector de Radiacao IonizanteDetector de Radiacao Ionizante
Detector de Radiacao Ionizante
 
O Lançamento das bombas atómicas
O Lançamento das bombas atómicasO Lançamento das bombas atómicas
O Lançamento das bombas atómicas
 
Contaminantes químicos intoxicação por substâncias químicas
Contaminantes químicos intoxicação por substâncias químicasContaminantes químicos intoxicação por substâncias químicas
Contaminantes químicos intoxicação por substâncias químicas
 
Intoxicação por solventes orgânicos
Intoxicação por solventes orgânicosIntoxicação por solventes orgânicos
Intoxicação por solventes orgânicos
 
RadiaçãO E Bomba AtôMica
RadiaçãO E  Bomba AtôMicaRadiaçãO E  Bomba AtôMica
RadiaçãO E Bomba AtôMica
 
Daniel Radiacao
Daniel RadiacaoDaniel Radiacao
Daniel Radiacao
 
Digestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídiosDigestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídios
 
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHOTREINAMENTO INTRODUTÓRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO
 
Aula radioatividade
Aula radioatividadeAula radioatividade
Aula radioatividade
 
As bombas atómicas sobre Hiroxima e Nagasaki
As bombas atómicas sobre Hiroxima e NagasakiAs bombas atómicas sobre Hiroxima e Nagasaki
As bombas atómicas sobre Hiroxima e Nagasaki
 
Aula de características gerais dos seres vivos ensino médio
Aula de características gerais dos seres vivos ensino médioAula de características gerais dos seres vivos ensino médio
Aula de características gerais dos seres vivos ensino médio
 
Hiroshima e Nagasaki
Hiroshima e NagasakiHiroshima e Nagasaki
Hiroshima e Nagasaki
 
Apresentação das caracteristicas gerais dos seres vivos
Apresentação das caracteristicas gerais dos seres vivosApresentação das caracteristicas gerais dos seres vivos
Apresentação das caracteristicas gerais dos seres vivos
 
Características gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivosCaracterísticas gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivos
 

Semelhante a Acidentes radioativos e intoxicação alimentar

Conteúdo programático de bio ENEM
Conteúdo programático de bio ENEMConteúdo programático de bio ENEM
Conteúdo programático de bio ENEM
João Pedro Hage
 
experimentação biomédica e animais venenosos
experimentação biomédica e animais venenososexperimentação biomédica e animais venenosos
experimentação biomédica e animais venenosos
ineslilin
 
Necropsia 2009 2
Necropsia 2009 2Necropsia 2009 2
Necropsia 2009 2
UFPEL
 

Semelhante a Acidentes radioativos e intoxicação alimentar (20)

Ampliando o conceito de saúde - Microbioma - Dra. Maria Emilia Gadelha Serra
Ampliando o conceito de saúde - Microbioma - Dra. Maria Emilia Gadelha SerraAmpliando o conceito de saúde - Microbioma - Dra. Maria Emilia Gadelha Serra
Ampliando o conceito de saúde - Microbioma - Dra. Maria Emilia Gadelha Serra
 
Patologia aula 1
Patologia aula 1Patologia aula 1
Patologia aula 1
 
Patologia aula 1
Patologia aula 1Patologia aula 1
Patologia aula 1
 
AULA 1 - Introdução à Patologia.pdf
AULA 1 - Introdução à Patologia.pdfAULA 1 - Introdução à Patologia.pdf
AULA 1 - Introdução à Patologia.pdf
 
Introdução à Patologia
Introdução à PatologiaIntrodução à Patologia
Introdução à Patologia
 
Seminário Ortomolecular
Seminário OrtomolecularSeminário Ortomolecular
Seminário Ortomolecular
 
Prevalece As Queixas Com A Voz
Prevalece As Queixas Com A VozPrevalece As Queixas Com A Voz
Prevalece As Queixas Com A Voz
 
Vivissecção
VivissecçãoVivissecção
Vivissecção
 
Conteúdo programático de bio ENEM
Conteúdo programático de bio ENEMConteúdo programático de bio ENEM
Conteúdo programático de bio ENEM
 
experimentação biomédica e animais venenosos
experimentação biomédica e animais venenososexperimentação biomédica e animais venenosos
experimentação biomédica e animais venenosos
 
Ciências Moleculares e Celulares.pdf
Ciências Moleculares e Celulares.pdfCiências Moleculares e Celulares.pdf
Ciências Moleculares e Celulares.pdf
 
Patologia 1
Patologia 1Patologia 1
Patologia 1
 
Equilibrio_no_idoso.pdf
Equilibrio_no_idoso.pdfEquilibrio_no_idoso.pdf
Equilibrio_no_idoso.pdf
 
Botulismo
BotulismoBotulismo
Botulismo
 
texto e micro e parasito
texto e micro e parasito texto e micro e parasito
texto e micro e parasito
 
Apostila etec biologia
Apostila etec   biologiaApostila etec   biologia
Apostila etec biologia
 
Célula tronco
Célula troncoCélula tronco
Célula tronco
 
Necropsia 2009 2
Necropsia 2009 2Necropsia 2009 2
Necropsia 2009 2
 
Patologia aula 1
Patologia aula 1Patologia aula 1
Patologia aula 1
 
Esclerose multipla1
Esclerose multipla1Esclerose multipla1
Esclerose multipla1
 

Último

clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
LuanaAlves940822
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 

Último (20)

Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfDiálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalTrabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
 

Acidentes radioativos e intoxicação alimentar

  • 1. ― A Nível Neurológico ― CENTRO UNIVERSITÁRIO RITTER DOS REIS Nome: Emmanuel Miguel Disciplina: Biofísica - PMA Professora:Caroline Perinazzo daVeiga Porto Alegre, Abril de 2013.
  • 2. Os acidentes radioativos podem ocorrer por três fatores distintos: os causados por fatores externos (como por exemplo, fenômenos naturais) e os causados por falha humana e ainda os que são causados intencionalmente.
  • 3. No caso das intoxicações alimentar, elas podem ser causada pelos seguintes fatores:  consumo de alimentos estragados;  ingestão em excesso;  preparo incorreto .
  • 4. “As células quando expostas à radiação sofrem ação de fenômenos físicos, químicos e biológicos. A radiação causa ionização dos átomos, que afetam moléculas, que poderão afetar células, que podem afetar tecidos, que podem afetar órgãos e logo o corpo inteiro”. — Autor Anônimo.
  • 5. Césio – 137: os íons do césio quando entram em contato com o organismo podem causar o bloqueio nos canais de sódio de membranas biológicas, onde adquirem características bioacumulativas (aumento de concentração de substancias) que por sua vez acabam prejudicando a funcionalidade da bomba de sódio/potássio. Entenda melhor...
  • 6. O vídeo anterior mostra a propagação de um impulso nervoso, que nada mais é do que um potencial de ação que é gerado pela diferença de potencial entre a superfície interna e externa da membrana de um neurônio. No entanto, isso não acontece porque a bomba de Na/ K,ficou sem energia (em forma de ATP) por causa da radiação, que bloqueou os canais de Sódio impedindo a formação de energia.
  • 7. No ano de 1987, no Brasil, foi descoberta por catadores de matérias recicláveis, um aparelho de radioterapia, após dias começaram a apresentar sintomas de contaminação radioativa, como tonteiras, náuseas e vômitos, mas por desconhecimento do material radioativo pensaram que eram problemas estomacais.
  • 8. Interessados no chumbo que revestia a cápsula, venderam a um dono de ferro velho, que conseguiu abrir a cápsula e encontrou um tipo de pedra que à noite emitia um brilho azul. Em seguida mostrou a sua família e amigos, deixando até sua filha brincar com o produto.
  • 9. Dias após sua esposa, desconfiada com o surgimento de doenças de pele e mal estar de sua família resolve levar a cápsula até a Vigilância Sanitária que então encaminha um grupo de pessoas para o Hospital de Doenças Tropicais, onde os médicos não constatavam as causas, somente no outro dia com a ajuda de um físico que fazia a medição de radiação pela área é que foi descoberta a causa.
  • 10. Mesmo assim, com o tratamento não impediu à morte de quatro pessoas desde a descoberta da cápsula até ser entregue a Vigilância Sanitária. — As vitimas que tiveram contato direto receberão assistência com remédios até a terceira geração, pois os mesmo podem apresentar diversos tipos de problemas de saúde.
  • 11. A casa e o terreno onde se encontravam o ferro velho foram totalmente demolidos e tudo o que haviam neles foi colocado em containers, que foram depositados em um buraco e coberto com concreto e terra.
  • 12. Já os radioacidentados se distribuem nos seguintes grupos: Grupo I com 51 pessoas, que possuem 34 filhos e apenas um neto, Grupo II com 44 pessoas e 30 filhos; e o Grupo III possui 578 pacientes (dados de 2009). Para os Grupos I, II e Filhos, as consultas eletivas (que não são emergenciais) são realizadas em consultórios médicos exclusivo a eles.
  • 13. No que se refere à evolução clínica dos radioacidentados, há um consenso dos dados médicos. São observadas as sequelas das radiolesões (amputações, incapacitação física); doenças comuns da população em geral (diabetes, hipertensão, cardiopatias, infecções das vias aéreas superiores, osteoporose, alergias, gastrites etc.); sintomas sem diagnóstico de doença (dores, cefaleia e fraqueza também estão na lista).
  • 14. “A intoxicação alimentar ou a gastrintestinal, é um problema de saúde causado pela ingestão de água ou alimento contaminado por bactérias, vírus, ou por suas respectivas toxinas, ou ainda por fungos e contaminantes tóxicos encontrados em vegetais”. – Dr. DrauzioVarella.
  • 15. Intoxicação por Baiacu: o preparo incorreto do baiacu pode liberar a neurotoxina chamada Tetrodotoxina, que na verdade é produzida por uma bactéria que consegue se alojar por todo o corpo do animal, desde as escamas até o fígado do animal. O veneno é tão potente que um único peixe pode matar até 30 pessoas.
  • 16. A Tetrodotoxina tem a capacidade de bloquear os canais de sódio dependentes de voltagem da superfície da célula nervosa, ao nível periférico e central.O resultado é uma alteração na propagação dos impulsos nervosos.
  • 17. Em 2009, no Japão, sete pessoas foram intoxicadas após consumirem sashimi de baiacu. Uma das vitimas, de 68 anos, após se sentir mal ainda no restaurante, foi levada em estado grave para o hospital. As outras seis somente foram para o hospital quando sentiram amortecimento nos dedos e lábios, sendo que três delas receberam atendimento quando já estavam sofrendo de fraqueza muscular, vomito e espasmos percebidos até nos pulmões.
  • 18. Felizmente as vitimas foram atendidas antes que a toxina ocasionasse parada respiratória que os levariam à morte. Também já houve relatos de casos onde a Tetrodotoxina entrou em sintonia com outras neurotoxinas que faz com que o corpo seja completamente paralisado fazendo com que as vitimas pareçam mortas – o caso chama-se “zumbificação”.
  • 19. G1 GOIÁS, Fotos da época do acidente com o césio-137 em Goiânia. Disponível em: http://g1.globo.com/goias/fotos/2012/09/veja-fotos-da-epoca-do-acidente-com-o-cesio- 137-em-goiania.html#F563308 Acesso em: 30/03/2013. WIKIPÉDIA, A Enciclopédia Livre. Césio. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A9sio Acesso em: 30/03/2013. YAHOO RESPOSTA, Césio no corpo humano. Disponível em: http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20090728110301AAq3y8Y Acesso em: 31/03/2013. BRASIL ESCOLA, Acidente com o Césio-137. Disponível em: http://www.brasilescola.com/quimica/acidente-cesio137.htm Acesso em: 31/03/2013. DR. DRAUZIO, Intoxicação alimentar. Disponível em: http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas-corpo-humano/intoxicacao-alimentar/ Acesso em: 05/04/2013. WIKIPÉDIA, A Enciclopédia Livre. Tetrodotoxina. Disponivel em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Tetrodotoxina Acesso em 07/04/2013. TECNOMUNDO. Como é a morte por venedo do baiacu. Disponivel em: http://www.tecmundo.com.br/biologia/18611-como-e-a-morte-por-veneno-de-baiacu-.htm Acesso em: 06/04/2013. YOU TUBE, Potencial de acção- potencial Action. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=CoQBMyFe7LM Acesso em: 18/04/2013.