SlideShare uma empresa Scribd logo
Enfrentamento ao abuso sexual de
crianças e adolescentes :
É PRECISO ROMPER O SILÊNCIO
Psicóloga Clínica e Especializanda em Saúde Mental
Camila Moraes
CRP: 07/26053
Abuso Sexual
 Abuso sexual – todo ato ou jogo sexual, relação
heterossexual ou homossexual, cujo o agressor
encontra-se em estágio de desenvolvimento
psicossexual mais adiantado do que a criança ou
adolescente. (AZEVEDO & GUERRA, 1989)
 Estupro – quando há conjunção carnal sem
consentimento e/ou relação sexual forçada. Havendo
então, abuso psicológico, força física, coerção e abuso
de poder. (AZEVEDO & GUERRA, 1989)
Abuso Sexual
 Abuso sexual – é um fenômeno universal, em que não
existem restrições de sexo, idade, etnia ou classe social.
Embora atinja homens e mulheres, as mulheres são as
principais vítimas, em qualquer período de suas vidas.
 E as mulheres jovens e adolescentes apresentam riscos
mais elevado de sofrer esse tipo de violência
(FACURI, 2013).
Abuso Sexual
 O abuso sexual ocorre através de práticas eróticas e
sexuais impostas à criança ou ao adolescente pela
violência física, ameaça ou indução de sua vontade,
podendo variar desde atos em que não se produz o
contato sexual (voyerismo, exibicionismo, produção de
fotos) aos que incluem contato sexual.
(HERSHKOWITZ, 2007)
Sinais Psicológicos do Abuso
 Evita interações sociais;
 Queda no desempenho escolar;
 Introspecção; insônia ou ansiedade
 Ressalta a genitália “masculina” no desenhos que faz;
 Brinca de modo erotizado, por vezes, colocando os brinquedos
em posições sexuais;
 Irritabilidade, Agressividade ou Passividade;
 Apatia;
 A criança pode ter comportamentos de regressão a uma idade
anterior como chupar dedo, urinar na cama ou não conseguir
dormir sozinha.
 Medo, Vergonha ou Culpa
(HERSHKOWITZ, 2007)
Sinais Psicológicos do Abuso
Vitor, de 7 anos, mostra como
era obrigado pelo pai a fazer
sexo oral.
Lucas, 10 anos e fora abusado pelo
pai desde os 3 anos de idade
Sinais Psicológicos do Abuso
Eloá, 10 anos de idade, abusada
pelo professor de educação física
Laura, 6 anos de idade e abusada pelo
pastor durante as aulas de inglês no
berçário da igreja em Montes Claros/
MG.
Aspectos Jurídicos
 Os dispositivos legais, seja no âmbito civil, penal ou de
legislação específica acerca dos direitos da criança e do
adolescente, protegem o indivíduo, contra a prática de abuso
sexuais, dada a sua incontestável gama de sequelas.
 A Constituição Federal de 1988, refere em seu artigo 227 que:
[…] é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar o
menor de idade, com absoluta prioridade, todos os direitos
fundamentais para uma boa vivência , além de coloca-los a salvo
de toda forma de negligência, discriminação, exploração,
violência, crueldade e opressão “, e no parágrafo quarto, cita que”
à punição legal de qualquer espécie de abuso, violência e
exploração sexual contra criança e o adolescente.
Aspectos Jurídicos
 O Estatuto da Criança e do Adolescente, como diploma legal
especificamente destinado a defender os interesses destes, dispõe no
artigo 5º que:
[…] nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de
negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão,
punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus
direitos fundamentais.
 No E.C.A., também dispondo, em seus artigos 240 e 241, que é crime:
[…] o ato de produzir ou dirigir representação teatral, televisiva ou
película cinematográfica, utilizando-se de criança ou adolescente em
cena de sexo explícito ou pornográfica, assim como de fotografar ou
publicar cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança e
adolescente.
Índices Gerais dos Abusos Sexuais
 Podemos dizer que a incidência de violência sexual em relação às
crianças, adolescentes e mulheres é maior do que se divulga. Os
principais episódios de violência ocorrem dentro do espaço doméstico,
partindo de familiares ou pessoas próximas.
 Há uma tendência dessa violência atingir de forma preponderante o
sexo feminino, predominando o tipo de abuso intrafamiliar. No Brasil,
o estudo de Faleiros (2003) verificou que 94% das vítimas tinham uma
estreita convivência com o abusador, que eram familiares ou ligados à
familiares ou ligados à família e conhecidos.
(HERSHKOWITZ, 2007)
Índices Gerais dos Abusos Sexuais
www.gazetaonline.com.br
https://g1.globo.com
https://pioneiro.clicbrs.com.br
Índices Gerais dos Abusos Sexuais
https://noticias.gospelmais.com.br
https://g1.globo.com
https://pioneiro.clicbrs.com.br
https://g1.globo.com
https://osul.com.br
Índices Gerais dos Abusos Sexuais no Brasil (2007)
 Familiaridade com o abusador; 60% dos abusadores eram
pessoas conhecidas das crianças;
 A severidade do abuso; 92% das crianças que sofreram abusos
classificados como toque ou penetração genital não revelaram o
abuso imediatamente;
 72,6% levou mais de um mês para contar sobre o abuso;
 57% dos casos as primeiras pessoas para quem o abuso foi
revelado foram amigos e irmãos,seguidos de 43% para os pais
(HERSHKOWITZ, 2007)
Reações dos pais frente à revelação do abuso
 Foram classificadas como apoiadora (37%),quando
expressaram, compreensão e acolhimento;
 Não apoiadora (63%),quando envolveram
agressividade e culpa.Também foi observado que a
reação dos pais foi menos apoiadora nos casos do
abuso sexual intrafamiliar.
(KOLLER; HABIGZANG, 2009)
Fatores que influenciam a não notificação do
abuso
 Desejo de ter uma família e mantê-la unida;
 Dependência emocional e financeira do companheiro
associada à punição do responsável;
(KOLLER; HABIGZANG, 2009)
REFERÊNCIAS
FACURI, Claúdia de Oliveira. Violência sexual: estudo descritivo sobre as vítimas e o
atendimento em um serviço universitário de referência no Estado de São
Paulo.Caderno de Saúde Pública. maio/2013
KOLLER, Silvia; HABIGZANG, LUÍSA (2009).Violência Contra Crianças e
Adolescentes Teoria, Pesquisa e Prática. Artmed. Porto Alegre.
FALEIROS. Vicente de Paula; FALEIROS. Eva Silveira (2007). Escola que Protege:
enfrentando a violência contra crianças e adolescentes. Ministério da Educação. Brasília.
Disponível em: < http://portal.mec.gov.br>. Acesso em 4 de outubro de 2017.
HACKBARTH. Chayene (2015). PROTOCOLO NICHD: VALIDAÇÃO E
CAPACITAÇÃO EM UMA AMOSTRA DE PROFISSIONAIS BRASILEIROS. São
Carlos/SP. Disponível em: < http://www.ppgpsi.ufscar.br>. Acesso em 6 de outubro de
2017.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Adriananunancom abuso sexual
Adriananunancom abuso sexualAdriananunancom abuso sexual
Adriananunancom abuso sexual
ana311982
 
Abuso sexual contra crianças e adolescentes
Abuso sexual contra crianças e adolescentesAbuso sexual contra crianças e adolescentes
Abuso sexual contra crianças e adolescentes
paulocesarlopes05
 
Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente. Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
Aline Kelly
 
Violência Sexual
Violência SexualViolência Sexual
Violência Sexual
guest849a1d
 
Exploração sexual
Exploração sexual  Exploração sexual
Exploração sexual
Jonathas Augusto
 
Cartilha prevenção ao abuso sexual_sedh_1512
Cartilha prevenção ao abuso sexual_sedh_1512Cartilha prevenção ao abuso sexual_sedh_1512
Cartilha prevenção ao abuso sexual_sedh_1512
Pastora Vanessa
 
Abusos sexuais
Abusos sexuaisAbusos sexuais
Abusos sexuais
Diogo Ferreira
 
A escola e a violência à criança e ao adolescente
A escola e a violência à criança e ao adolescenteA escola e a violência à criança e ao adolescente
A escola e a violência à criança e ao adolescente
Daiane Andrade
 
Palestra Unisul: Abuso Sexual - Alice Bianchini
Palestra Unisul: Abuso Sexual - Alice BianchiniPalestra Unisul: Abuso Sexual - Alice Bianchini
Palestra Unisul: Abuso Sexual - Alice Bianchini
Atualidades Do Direito
 
Abuso sexual na criança e no adolescente
Abuso sexual na criança e no adolescenteAbuso sexual na criança e no adolescente
Abuso sexual na criança e no adolescente
xp cassi
 
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
Slide projeto violencia e abuso sexual   renataSlide projeto violencia e abuso sexual   renata
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
Fabiana Subrinho
 
Violência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentesViolência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentes
Alinebrauna Brauna
 
Abuso sexual
Abuso sexualAbuso sexual
Abuso sexual
severinoj
 
Abuso sexual.01
Abuso sexual.01Abuso sexual.01
Abuso sexual.01
Artemosfera Cia de Artes
 
Juventude e exploração sexual
Juventude e exploração sexualJuventude e exploração sexual
Juventude e exploração sexual
Ana Paula Ribeiro de Oliveira
 
Palestra para educação infanttil - CONSELHO TUTELAR / TAQ-RS
Palestra para educação infanttil - CONSELHO TUTELAR / TAQ-RSPalestra para educação infanttil - CONSELHO TUTELAR / TAQ-RS
Palestra para educação infanttil - CONSELHO TUTELAR / TAQ-RS
VIROUCLIPTAQ
 
Violencia contra criança e adolescente
Violencia contra criança e adolescenteViolencia contra criança e adolescente
Violencia contra criança e adolescente
tlvp
 
Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil
Combate ao Abuso e à Exploração Sexual InfantilCombate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil
Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil
AntiSaint
 
Projeto ViolêNcia Contra CriançA E Adolescente
Projeto ViolêNcia Contra CriançA E AdolescenteProjeto ViolêNcia Contra CriançA E Adolescente
Projeto ViolêNcia Contra CriançA E Adolescente
guest11c19
 
Violência contra mulher
Violência contra mulherViolência contra mulher
Violência contra mulher
vania morales sierra
 

Mais procurados (20)

Adriananunancom abuso sexual
Adriananunancom abuso sexualAdriananunancom abuso sexual
Adriananunancom abuso sexual
 
Abuso sexual contra crianças e adolescentes
Abuso sexual contra crianças e adolescentesAbuso sexual contra crianças e adolescentes
Abuso sexual contra crianças e adolescentes
 
Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente. Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
 
Violência Sexual
Violência SexualViolência Sexual
Violência Sexual
 
Exploração sexual
Exploração sexual  Exploração sexual
Exploração sexual
 
Cartilha prevenção ao abuso sexual_sedh_1512
Cartilha prevenção ao abuso sexual_sedh_1512Cartilha prevenção ao abuso sexual_sedh_1512
Cartilha prevenção ao abuso sexual_sedh_1512
 
Abusos sexuais
Abusos sexuaisAbusos sexuais
Abusos sexuais
 
A escola e a violência à criança e ao adolescente
A escola e a violência à criança e ao adolescenteA escola e a violência à criança e ao adolescente
A escola e a violência à criança e ao adolescente
 
Palestra Unisul: Abuso Sexual - Alice Bianchini
Palestra Unisul: Abuso Sexual - Alice BianchiniPalestra Unisul: Abuso Sexual - Alice Bianchini
Palestra Unisul: Abuso Sexual - Alice Bianchini
 
Abuso sexual na criança e no adolescente
Abuso sexual na criança e no adolescenteAbuso sexual na criança e no adolescente
Abuso sexual na criança e no adolescente
 
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
Slide projeto violencia e abuso sexual   renataSlide projeto violencia e abuso sexual   renata
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
 
Violência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentesViolência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Abuso sexual
Abuso sexualAbuso sexual
Abuso sexual
 
Abuso sexual.01
Abuso sexual.01Abuso sexual.01
Abuso sexual.01
 
Juventude e exploração sexual
Juventude e exploração sexualJuventude e exploração sexual
Juventude e exploração sexual
 
Palestra para educação infanttil - CONSELHO TUTELAR / TAQ-RS
Palestra para educação infanttil - CONSELHO TUTELAR / TAQ-RSPalestra para educação infanttil - CONSELHO TUTELAR / TAQ-RS
Palestra para educação infanttil - CONSELHO TUTELAR / TAQ-RS
 
Violencia contra criança e adolescente
Violencia contra criança e adolescenteViolencia contra criança e adolescente
Violencia contra criança e adolescente
 
Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil
Combate ao Abuso e à Exploração Sexual InfantilCombate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil
Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil
 
Projeto ViolêNcia Contra CriançA E Adolescente
Projeto ViolêNcia Contra CriançA E AdolescenteProjeto ViolêNcia Contra CriançA E Adolescente
Projeto ViolêNcia Contra CriançA E Adolescente
 
Violência contra mulher
Violência contra mulherViolência contra mulher
Violência contra mulher
 

Semelhante a Abuso sexual - Enfrentamento ao abuso sexual de crianças e adolescentes: É PRECISO ROMPER O SILÊNCIO

Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
IpdaWellington
 
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e AdolescentesProstituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
SousaLeitee
 
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Maria Antonia
 
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Maria Antonia
 
Violência infantil
Violência infantilViolência infantil
Violência infantil
Beatriz Miranda
 
Violência sexual infantil
Violência sexual infantilViolência sexual infantil
Violência sexual infantil
Emanuel Oliveira
 
Violnciasexualcontracrianaseadolescentes 130718011435-phpapp01
Violnciasexualcontracrianaseadolescentes 130718011435-phpapp01Violnciasexualcontracrianaseadolescentes 130718011435-phpapp01
Violnciasexualcontracrianaseadolescentes 130718011435-phpapp01
Marcelly Cley
 
Prevenção dos maus tractos e das aproximações abusivas
Prevenção dos maus tractos e das aproximações abusivasPrevenção dos maus tractos e das aproximações abusivas
Prevenção dos maus tractos e das aproximações abusivas
Marcio Paiva
 
Diversidade, cultura e direitos
Diversidade, cultura e direitosDiversidade, cultura e direitos
Diversidade, cultura e direitos
Andréa Kochhann
 
Abuso
AbusoAbuso
maio laranja.pptx
maio laranja.pptxmaio laranja.pptx
maio laranja.pptx
AntnyoAllysson
 
l5-pemec-palestra-abuso-sexual-e-educao-dre-.pptx
l5-pemec-palestra-abuso-sexual-e-educao-dre-.pptxl5-pemec-palestra-abuso-sexual-e-educao-dre-.pptx
l5-pemec-palestra-abuso-sexual-e-educao-dre-.pptx
ElianeMacedo22
 
Modulo-VIII-–-Conselho-Tutelar-e-o-combate-SLIDES (1).pdf
Modulo-VIII-–-Conselho-Tutelar-e-o-combate-SLIDES (1).pdfModulo-VIII-–-Conselho-Tutelar-e-o-combate-SLIDES (1).pdf
Modulo-VIII-–-Conselho-Tutelar-e-o-combate-SLIDES (1).pdf
joabelimaribeiro0501
 
Projeto da Prof: Eliane de Moraes
Projeto da Prof: Eliane de MoraesProjeto da Prof: Eliane de Moraes
Projeto da Prof: Eliane de Moraes
Terezinha Marques Medeiros
 
Violência contra a mulher.d
Violência contra a mulher.dViolência contra a mulher.d
Violência contra a mulher.d
Artemosfera Cia de Artes
 
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_webCartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Rosemary Batista
 
Violência doméstica
Violência doméstica   Violência doméstica
Cartilha 2
Cartilha 2Cartilha 2
Cartilha 2
LLidiana
 
FACELI: II Simpósio sobre Violência contra a Mulher - A Contribuição da equi...
 FACELI: II Simpósio sobre Violência contra a Mulher - A Contribuição da equi... FACELI: II Simpósio sobre Violência contra a Mulher - A Contribuição da equi...
FACELI: II Simpósio sobre Violência contra a Mulher - A Contribuição da equi...
Jordano Santos Cerqueira
 
Cartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdfCartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdf
GabrieleMachado16
 

Semelhante a Abuso sexual - Enfrentamento ao abuso sexual de crianças e adolescentes: É PRECISO ROMPER O SILÊNCIO (20)

Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e AdolescentesProstituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
Prostituição ou Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes
 
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
 
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
Cartilha da campanha_contra_o_abuso_sexual_e_pedofilia (1)
 
Violência infantil
Violência infantilViolência infantil
Violência infantil
 
Violência sexual infantil
Violência sexual infantilViolência sexual infantil
Violência sexual infantil
 
Violnciasexualcontracrianaseadolescentes 130718011435-phpapp01
Violnciasexualcontracrianaseadolescentes 130718011435-phpapp01Violnciasexualcontracrianaseadolescentes 130718011435-phpapp01
Violnciasexualcontracrianaseadolescentes 130718011435-phpapp01
 
Prevenção dos maus tractos e das aproximações abusivas
Prevenção dos maus tractos e das aproximações abusivasPrevenção dos maus tractos e das aproximações abusivas
Prevenção dos maus tractos e das aproximações abusivas
 
Diversidade, cultura e direitos
Diversidade, cultura e direitosDiversidade, cultura e direitos
Diversidade, cultura e direitos
 
Abuso
AbusoAbuso
Abuso
 
maio laranja.pptx
maio laranja.pptxmaio laranja.pptx
maio laranja.pptx
 
l5-pemec-palestra-abuso-sexual-e-educao-dre-.pptx
l5-pemec-palestra-abuso-sexual-e-educao-dre-.pptxl5-pemec-palestra-abuso-sexual-e-educao-dre-.pptx
l5-pemec-palestra-abuso-sexual-e-educao-dre-.pptx
 
Modulo-VIII-–-Conselho-Tutelar-e-o-combate-SLIDES (1).pdf
Modulo-VIII-–-Conselho-Tutelar-e-o-combate-SLIDES (1).pdfModulo-VIII-–-Conselho-Tutelar-e-o-combate-SLIDES (1).pdf
Modulo-VIII-–-Conselho-Tutelar-e-o-combate-SLIDES (1).pdf
 
Projeto da Prof: Eliane de Moraes
Projeto da Prof: Eliane de MoraesProjeto da Prof: Eliane de Moraes
Projeto da Prof: Eliane de Moraes
 
Violência contra a mulher.d
Violência contra a mulher.dViolência contra a mulher.d
Violência contra a mulher.d
 
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_webCartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
Cartilha violencia contra_criancas_adolescentes_web
 
Violência doméstica
Violência doméstica   Violência doméstica
Violência doméstica
 
Cartilha 2
Cartilha 2Cartilha 2
Cartilha 2
 
FACELI: II Simpósio sobre Violência contra a Mulher - A Contribuição da equi...
 FACELI: II Simpósio sobre Violência contra a Mulher - A Contribuição da equi... FACELI: II Simpósio sobre Violência contra a Mulher - A Contribuição da equi...
FACELI: II Simpósio sobre Violência contra a Mulher - A Contribuição da equi...
 
Cartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdfCartilha-abuso.pdf
Cartilha-abuso.pdf
 

Abuso sexual - Enfrentamento ao abuso sexual de crianças e adolescentes: É PRECISO ROMPER O SILÊNCIO

  • 1. Enfrentamento ao abuso sexual de crianças e adolescentes : É PRECISO ROMPER O SILÊNCIO Psicóloga Clínica e Especializanda em Saúde Mental Camila Moraes CRP: 07/26053
  • 2. Abuso Sexual  Abuso sexual – todo ato ou jogo sexual, relação heterossexual ou homossexual, cujo o agressor encontra-se em estágio de desenvolvimento psicossexual mais adiantado do que a criança ou adolescente. (AZEVEDO & GUERRA, 1989)  Estupro – quando há conjunção carnal sem consentimento e/ou relação sexual forçada. Havendo então, abuso psicológico, força física, coerção e abuso de poder. (AZEVEDO & GUERRA, 1989)
  • 3. Abuso Sexual  Abuso sexual – é um fenômeno universal, em que não existem restrições de sexo, idade, etnia ou classe social. Embora atinja homens e mulheres, as mulheres são as principais vítimas, em qualquer período de suas vidas.  E as mulheres jovens e adolescentes apresentam riscos mais elevado de sofrer esse tipo de violência (FACURI, 2013).
  • 4. Abuso Sexual  O abuso sexual ocorre através de práticas eróticas e sexuais impostas à criança ou ao adolescente pela violência física, ameaça ou indução de sua vontade, podendo variar desde atos em que não se produz o contato sexual (voyerismo, exibicionismo, produção de fotos) aos que incluem contato sexual. (HERSHKOWITZ, 2007)
  • 5. Sinais Psicológicos do Abuso  Evita interações sociais;  Queda no desempenho escolar;  Introspecção; insônia ou ansiedade  Ressalta a genitália “masculina” no desenhos que faz;  Brinca de modo erotizado, por vezes, colocando os brinquedos em posições sexuais;  Irritabilidade, Agressividade ou Passividade;  Apatia;  A criança pode ter comportamentos de regressão a uma idade anterior como chupar dedo, urinar na cama ou não conseguir dormir sozinha.  Medo, Vergonha ou Culpa (HERSHKOWITZ, 2007)
  • 6. Sinais Psicológicos do Abuso Vitor, de 7 anos, mostra como era obrigado pelo pai a fazer sexo oral. Lucas, 10 anos e fora abusado pelo pai desde os 3 anos de idade
  • 7. Sinais Psicológicos do Abuso Eloá, 10 anos de idade, abusada pelo professor de educação física Laura, 6 anos de idade e abusada pelo pastor durante as aulas de inglês no berçário da igreja em Montes Claros/ MG.
  • 8. Aspectos Jurídicos  Os dispositivos legais, seja no âmbito civil, penal ou de legislação específica acerca dos direitos da criança e do adolescente, protegem o indivíduo, contra a prática de abuso sexuais, dada a sua incontestável gama de sequelas.  A Constituição Federal de 1988, refere em seu artigo 227 que: […] é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar o menor de idade, com absoluta prioridade, todos os direitos fundamentais para uma boa vivência , além de coloca-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão “, e no parágrafo quarto, cita que” à punição legal de qualquer espécie de abuso, violência e exploração sexual contra criança e o adolescente.
  • 9. Aspectos Jurídicos  O Estatuto da Criança e do Adolescente, como diploma legal especificamente destinado a defender os interesses destes, dispõe no artigo 5º que: […] nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.  No E.C.A., também dispondo, em seus artigos 240 e 241, que é crime: […] o ato de produzir ou dirigir representação teatral, televisiva ou película cinematográfica, utilizando-se de criança ou adolescente em cena de sexo explícito ou pornográfica, assim como de fotografar ou publicar cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança e adolescente.
  • 10. Índices Gerais dos Abusos Sexuais  Podemos dizer que a incidência de violência sexual em relação às crianças, adolescentes e mulheres é maior do que se divulga. Os principais episódios de violência ocorrem dentro do espaço doméstico, partindo de familiares ou pessoas próximas.  Há uma tendência dessa violência atingir de forma preponderante o sexo feminino, predominando o tipo de abuso intrafamiliar. No Brasil, o estudo de Faleiros (2003) verificou que 94% das vítimas tinham uma estreita convivência com o abusador, que eram familiares ou ligados à familiares ou ligados à família e conhecidos. (HERSHKOWITZ, 2007)
  • 11. Índices Gerais dos Abusos Sexuais www.gazetaonline.com.br https://g1.globo.com https://pioneiro.clicbrs.com.br
  • 12. Índices Gerais dos Abusos Sexuais https://noticias.gospelmais.com.br https://g1.globo.com https://pioneiro.clicbrs.com.br https://g1.globo.com https://osul.com.br
  • 13. Índices Gerais dos Abusos Sexuais no Brasil (2007)  Familiaridade com o abusador; 60% dos abusadores eram pessoas conhecidas das crianças;  A severidade do abuso; 92% das crianças que sofreram abusos classificados como toque ou penetração genital não revelaram o abuso imediatamente;  72,6% levou mais de um mês para contar sobre o abuso;  57% dos casos as primeiras pessoas para quem o abuso foi revelado foram amigos e irmãos,seguidos de 43% para os pais (HERSHKOWITZ, 2007)
  • 14. Reações dos pais frente à revelação do abuso  Foram classificadas como apoiadora (37%),quando expressaram, compreensão e acolhimento;  Não apoiadora (63%),quando envolveram agressividade e culpa.Também foi observado que a reação dos pais foi menos apoiadora nos casos do abuso sexual intrafamiliar. (KOLLER; HABIGZANG, 2009)
  • 15. Fatores que influenciam a não notificação do abuso  Desejo de ter uma família e mantê-la unida;  Dependência emocional e financeira do companheiro associada à punição do responsável; (KOLLER; HABIGZANG, 2009)
  • 16. REFERÊNCIAS FACURI, Claúdia de Oliveira. Violência sexual: estudo descritivo sobre as vítimas e o atendimento em um serviço universitário de referência no Estado de São Paulo.Caderno de Saúde Pública. maio/2013 KOLLER, Silvia; HABIGZANG, LUÍSA (2009).Violência Contra Crianças e Adolescentes Teoria, Pesquisa e Prática. Artmed. Porto Alegre. FALEIROS. Vicente de Paula; FALEIROS. Eva Silveira (2007). Escola que Protege: enfrentando a violência contra crianças e adolescentes. Ministério da Educação. Brasília. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br>. Acesso em 4 de outubro de 2017. HACKBARTH. Chayene (2015). PROTOCOLO NICHD: VALIDAÇÃO E CAPACITAÇÃO EM UMA AMOSTRA DE PROFISSIONAIS BRASILEIROS. São Carlos/SP. Disponível em: < http://www.ppgpsi.ufscar.br>. Acesso em 6 de outubro de 2017.