SlideShare uma empresa Scribd logo
"Pela fé, Abraão, sendo
chamado, obedeceu, indo para
um lugar que havia de receber
por herança; e saiu, sem saber
para onde ia."
(Hb 11.8)
A fé que Abraão tinha em Deus
fez com que ele vencesse todos
os obstáculos em sua
caminhada.
Terça - Gn 12.2,3 - A promessa divina na vida de Abraão
"Farei de você um grande povo, e o abençoarei. Tornarei famoso o seu nome, e você será uma
bênção.
Abençoarei os que o abençoarem, e amaldiçoarei os que o amaldiçoarem; e por meio de você
todos os povos da terra serão abençoados“.
Quarta - Gn 12.4,5 - Abraão parte acreditando na promessa
Partiu Abrão, como lhe ordenara o Senhor, e Ló foi com ele. Abrão tinha setenta e cinco anos
quando saiu de Harã.
Levou sua mulher Sarai, seu sobrinho Ló, todos os bens que haviam acumulado e os seus
servos, comprados em Harã; partiram para a terra de Canaã e lá chegaram.
Segunda - Gn 12.1- Deus separa e chama Abraão
Então o Senhor disse a Abrão: "Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa de seu
pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei.
Sexta - Gn 15.2 - Abraão tem que aguardar a promessa de
Deus em sua vida
Mas Abrão perguntou: "Ó Soberano Senhor, que me darás, se continuo sem filhos e o herdeiro
do que possuo é Eliézer de Damasco? "
Sábado - Gn 22.1,2 - A difícil prova que Abraão teve que
enfrentar
Passado algum tempo, Deus pôs Abraão à prova, dizendo-lhe: "Abraão! " Ele respondeu: "Eis-
me aqui".
Então disse Deus: "Tome seu filho, seu único filho, Isaque, a quem você ama, e vá para a região
de Moriá. Sacrifique-o ali como holocausto num dos montes que lhe indicarei".
Quinta- Gn 12.7 - Deus confirma a promessa na vida de
Abraão
O Senhor apareceu a Abrão e disse: "À sua descendência darei esta terra". Abrão construiu ali
um altar dedicado ao Senhor, que lhe havia aparecido.
1 - Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, e da tua
parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei.
2 - E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e
engrandecerei o teu nome, e tu serás uma bênção.
3 - E abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te
amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.
4 - Assim, partiu Abrão, como o SENHOR lhe tinha dito, e foi Ló
com ele; e era Abrão da idade de setenta e cinco anos, quando
saiu de Harã.
5 - E tomou Abrão a Sarai, sua mulher, e a Ló, filho de seu irmão,
e toda a sua fazenda, que haviam adquirido, e as almas que lhe
acresceram em Harã; e saíram para irem à terra de Canaã; e
vieram à terra de Canaã. 6 - E passou Abrão por aquela terra até
ao lugar de Siquém, até ao carvalho de Moré; e estavam, então,
os cananeus na terra.
7 - E apareceu o SENHOR a Abrão e disse: À tua semente darei
esta terra. E edificou ali um altar ao SENHOR, que lhe
aparecera.
8 - E moveu-se dali para a montanha à banda do oriente de Betel
e armou a sua tenda, tendo Betel ao ocidente e Ai ao oriente; e
edificou ali um altar ao SENHOR e invocou o nome do
SENHOR.
9 - Depois, caminhou Abrão dali, seguindo ainda para a banda do
Sul.
10 - E havia fome naquela terra; e desceu Abrão ao Egito, para
peregrinar ali, porquanto a fome era grande na terra.
•I. Mostrar como se deu a chamada de Deus na
vida de Abraão;
•II. Compreender como se deu a provisão de Deus
na vida de Abraão;
•III. Explicar as promessas de Deus na vida de
Abraão.
Ressaltar que a fé de Abraão o fez vencer
os obstáculos.
A fé de Abraão fez com que ele vencesse
obstáculos.
Abraão, nona geração depois de Sem, nasceu por volta do ano 2000 a.C.
Abraão foi filho de Terá. e irmão de Naor e Arã. Abraão casou-se com Sarai, e Naor
casou-se com Milca (Gn 11.27.29). Morava com Abraão seu sobrinho Ló, filho de
Arã, que havia falecido (Gn 11.27.28). A família de Abraão era de Ur dos caldeus, na
Mesopotâmia, próximo ao rio Eufrates. Ur era um centro cultural e, também, centro
de uma religião pagã que cultuava a Lua. Através de Josué 24.2 ficamos sabendo
que a família de Abraão era idólatra. A Bíblia não revela o grau de conhecimento de
Deus que Abraão possuía antes de sua chamada. Mais de 350 anos haviam-se
passado desde o Dilúvio, quando Noé, o homem que andava com Deus (Gn 6.9), era
o pregoeiro da justiça (2 Pe 2.5). Noé viveu depois do Dilúvio 350 anos (Gn 9.28).
Embora a Bíblia silencie sobre isto, é possível que Noé tenha continuado a falar do
grande Deus, de cuja justiça ele havia experimentado de modo singular. É possível
que o conhecimento de Deus fosse mantido entre as famílias por meio de tradições
transmitidas de pais a filhos de forma oral. Desse modo, pode ser que Abraão tenha
tido conhecimento de Deus e de sua vontade, apesar de viver em uma sociedade
idólatra. A chamada de Abraão, foi desde o princípio, uma prova de fé e obediência.
Vemos através dela separação, sacrifício, pois teve que deixar a segurança, a certeza
de um presente estável e cômodo, por uma vida futura de incertezas. Entretanto,
Abraão não foi sempre fiel a Deus.
I. A CHAMADA DE DEUS
(Gn 12.1-3)
Deus tinha um projeto para resgatar o
homem pecador. Abraão fazia parte desse projeto.
Nada do que acontece na terra é surpresa para Deus.
Ele tudo sabe e tudo vê. O Senhor não foi pego de
surpresa quando Adão pecou. Abraão fazia parte de
um projeto divino de salvação. A partir dele surgiria
uma família que se tornaria um povo especial do
qual, no tempo próprio, sairia o Salvador do mundo,
Jesus Cristo.
A Bíblia nos apresenta Cristo como o “Cordeiro que foi morto
desde antes da fundação do mundo” (Ap 13.8b) numa prova cabal de
que a queda não foi uma surpresa para Deus. O pecado de Adão trouxe-
nos a morte, mas a morte de Jesus Cristo garante-nos a vida eterna e
plena comunhão com Deus. O homem pecou de modo deliberado contra
Deus, mas o Criador não o deixou entregue à própria sorte. O Senhor
providenciou a sua redenção. Com o pecado veio o sentimento de culpa.
O homem não sabe lidar com esse sentimento, pois não fomos criados
para o pecado, por isso, Adão culpou a Eva e o próprio Deus pelo seu
pecado de desobediência. É difícil aceitar a responsabilidade por nossos
erros. Sempre queremos encontrar um culpado. O pecado além de
afastar Adão da comunhão com Deus, também introduziu as hostilidades
e dificuldades no relacionamento de Adão e Eva. O pecado continua a
nos afastar de Deus e a prejudicar os nossos relacionamentos. O Rev
Hernandes Dias Lopes em seu Devocionário Cada Dia, escreve: “Deus o
chamou de lá e prometeu-lhe uma terra deleitosa e uma numerosa
descendência. Em Abraão todas as famílias da terra seriam abençoadas.
Pela fé ele obedeceu e saiu rumo à terra prometida. O problema é que
Abrão, mesmo tendo o nome de grande pai, não tinha filhos. Depois,
Deus mudou o nome dele para Abraão, pai de uma numerosa nação, e o
fez da promessa ainda não tinha chegado. Para agravar a situação,
Abraão já estava com noventa e nove anos e Sara, sua mulher, além de
já estar em idade avançada, era estéril. A promessa de Deus esbarrava
em obstáculo intransponíveis. Abraão, porém, esperou contra a
esperança e creu no Deus que chama à existência as coisas que não
existem. Quando todas as probabilidades estavam esgotadas, Deus
irrompeu na vida desse patriarca e cumpriu sua promessa. Isaque
nasceu! Por meio dele, uma numerosa descendência foi suscitada.
Abraão tornou-se o pai de todos os que crêem. Nele foram abençoadas
todas as famílias da terra, uma vez que os verdadeiros filhos de Abraão
não são aqueles que têm o sangue de Abraão correndo em suas veias,
mas aqueles que têm a fé de Abraão habitando em seus corações.
Abraão foi desafiado a crer e obedecer, embora
não conhecesse todo o projeto que Deus tinha para sua
vida. Porém, o Senhor estava à frente desse projeto.
Abraão deveria apenas acreditar no plano divino e
obedecer, tendo a certeza de que nada lhe faltaria em
sua jornada de fé. Segundo Lawrence Richards, "o
exame à vida de Abraão nos dá ideias que podem
transformar a nossa própria caminhada com Deus".
O relato bíblico sugere que Abraão falou com sua família
sobre a ordem que havia recebido de Deus, e esta mostrou- se disposta a
ir à mesma terra que Deus prometera mostrar a Abraão. Assim, diz a
Bíblia: “Tomou Terá a Abrão seu filho, e a Ló, filho de Ara, filho de seu
filho, e Sarai sua nora, mulher de seu filho Abrão, e saiu com eles de Ur
dos caldeus, para ir à terra de Canaã; e vieram até Harã. e habitaram ali”
(Gn 11.31). Parece que Abraão nem teve oportunidade de emitir opinião.
Quando Abraão mostrou a sua disposição de obedecer a chamada, Deus
introduziu em seu coração a fé. A fé é um dom de Deus (Ef 2.8). Ela é
uma virtude espiritual. A fé sem obras é morta, isto é, é sem ação (Tg
2.26). Quando Abraão colocou a sua fé em ação, e estava pronto para
deixar a sua terra, a sua fé se tomou viva. Afirma a Escritura: “Pela fé
Abraão sendo chamado obedeceu” (Hb 11.8). Abraão podia sentir a sua
fé nele operando. pois: “Creu Abraão em Deus e isto foi- lhe imputado
como justiça” (Rm 4.3).
Ao escolher Abraão, Deus não queria trazer
favores e privilégio apenas a ele e sua descendência. O
projeto do Senhor era imenso e alcançava todas as
nações da terra (Gn 12.3).
Falando da nação de Israel, Deuteronômio 7:7-9 nos diz:
“Não vos teve o SENHOR afeição, nem vos escolheu porque fôsseis
mais numerosos do que qualquer povo, pois éreis o menor de todos os
povos, mas porque o SENHOR vos amava e, para guardar o juramento
que fizera a vossos pais, o SENHOR vos tirou com mão poderosa e vos
resgatou da casa da servidão, do poder de Faraó, rei do Egito. Saberás,
pois, que o SENHOR, teu Deus, é Deus, o Deus fiel, que guarda a
aliança e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e cumprem os
seus mandamentos.” Deus escolheu a nação de Israel para ser o povo
através do qual Jesus Cristo iria nascer – o Salvador do pecado e da
morte (João 3:16). Deus prometeu o Messias pela primeira vez após a
queda de Adão e Eva no pecado (Gênesis capítulo 3). Deus mais tarde
confirmou que o Messias viria da linhagem de Abraão, Isaque e Jacó
(Gênesis 12:1-3). Jesus Cristo é a razão final pela qual Deus escolheu
Israel para ser o Seu povo escolhido. Deus não precisava ter um “povo
escolhido”, mas decidiu fazer as coisas dessa forma. Jesus tinha que vir
de alguma nação, e Deus escolheu Israel. No entanto, a razão pela qual
Deus escolheu a nação de Israel não foi unicamente para o propósito da
vinda do Messias. O desejo de Deus para com Israel era o de que eles
ensinassem aos outros sobre Ele. Israel deveria ser uma nação de
sacerdotes, profetas e missionários para o mundo. O intento de Deus era
que Israel fosse um povo distinto, uma nação de pessoas que guiassem
os outros em direção a Deus e a Sua providência prometida do Redentor,
Messias e Salvador. Em sua maior parte, Israel falhou nessa tarefa. No
entanto, o propósito final de Deus para Israel, o de trazer o Messias e
Salvador, foi cumprido perfeitamente – na Pessoa de Jesus Cristo.
Abraão
Abrão, cujo nome Deus mais tarde mudou para Abraão, nasceu em
uma das fabulosas cidades do mundo antigo, Ur. Nos dias de Abrão, 4.100 anos
passados, Ur era o centro de uma rica cultura, uma cidade localizada ao longo
do rio Eufrates, que ostentava uma arquitetura monumental, enorme riqueza,
moradia confortáveis, música e arte. Em sua terra natal, Abrão 'servia a outros
deuses' (Js 24.2). No entanto, quando recebeu o chamado de Deus, Abrão
deixou sua civilização e peregrinou para Canaã, onde viveu como nômade em
tendas por quase cem anos.
Abrão trocou a desvanecente glória deste mundo por um
relacionamento pessoal com Deus - e ganhou fama imortal. Hoje ele é
reverenciado por adeptos de três grandes religiões mundiais: judaísmo,
islamismo e cristianismo. O Antigo Testamento o reconhece como patriarca do
povo escolhido de Deus, os judeus. E o Novo Testamento o dignifica como o pai
espiritual de todos que 'andam nas pisadas daquela fé de Abraão, nosso pai'
(Rm 4.12).
II. A PROVISÃO DE DEUS
Abraão saiu da sua terra, Ur dos Caldeus e foi
para Harã. Ele deveria ter saído apenas com sua
mulher, Sarai, mas acabou levando seu pai e seu
sobrinho, Ló.
Os primeiros passos de Abraão revelam tanto
fraqueza pessoal, como um caráter forte e
determinado. Abraão não era perfeito, assim como nós,
porém confiava que Deus estaria com ele em sua
caminhada. Também tinha plena certeza na provisão
divina. Por isso, não hesitou em levar seu pai e seu
sobrinho. Depois da morte de seu pai, Tera, em Harã,
Abraão ouve a voz de Deus e vai para Siquém, na terra
de Canaã. Deus reafirmou suas promessas e lhe
mostrou toda a terra dos cananeus como a terra
prometida para ele e seus descendentes. Nesta terra
"de leite e mel" não lhe faltou oposição.
As promessas de Deus não são garantia de que
não enfrentaremos crises, dificuldades e oposição. Em
Siquém, Deus lhe apareceu e reafirmou suas
promessas. Abraão precisava de forças para
prosseguir. Ele saiu de Siquém e foi para Betel (Gn
12.8). Ali, edificou um altar, mostrando a sua
comunhão com Deus.
Ur (em sumério: Urim; acádio: Uru) foi uma importante
cidade-estado na antiga Suméria, localizada nas proximidades da atual
cidade de Tell el-Muqayyar, na província de Dhi Qar do Iraque. Embora
na Antiguidade fosse uma cidade litorânea, situada na foz do rio
Eufrates, no Golfo Pérsico, atualmente situa-se no interior do país, ao
sul da margem direita do Eufrates, a 16 quilômetros de Nassíria
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ur. Abraão tinha 75 anos de idade quando
recebeu o chamado do Senhor em Ur dos Caldeus (Gn 12.1). O
Chamado de Abraão se deu em Ur e não em Harã como sugerem alguns,
percebam que Deus fala em Gn 12.1: “Sai da tua terra...”, Harã, por um
acaso era a terra natal de Abraão? Não. Pra corroborar com esta
referência vejamos o que diz o texto do capítulo 15 e versículo 7 de
Gênesis, que diz: “... Eu sou o Senhor que te tirei de (Harã? Não) de Ur
dos Caldeus...”
Deus tinha uma promessa na vida de Abraão,
mas isso não impediu que ele enfrentasse problemas
e provações. A primeira provação foi ter que deixar
sua terra, sua parentela e seus amigos. A segunda
era a esterilidade de sua esposa e a fome na terra. O
crente fiel também enfrenta crises e provações. O
Senhor estava treinando seu servo. Devido à fome,
Abraão tomou a decisão de ir para o Egito. A fartura
que existia no Egito era semelhante a fartura do
mundo, ilusória. No Egito, por pouco não perdeu
sua esposa, pois, com medo, mentiu dizendo que
Sara era sua irmã. Em nossa jornada também somos
passíveis de cometer erros. Mas não temos mais
prazer no pecado. Quando erramos só nos resta uma
alternativa: arrependermos e confessarmos o nosso
pecado e pedir o perdão de Deus (1 Jo 1.9). Deus
não desistiu de seu plano para com Abraão. O
Senhor não desiste de você, ainda que tenha
cometido alguns erros, como Abraão.
“Partiu, pois, Abrão, como lho ordenara o SENHOR, e Ló foi
com ele. Tinha Abrão setenta e cinco anos quando saiu de Harã” (Gn
12.4) – Abraão creu em Deus, em última análise, deixando Ur e Harã
“sem saber para onde ia” (Hb 11.8). Ele caminhou cerca de 800
quilômetros até Damasco, depois até Canaã, a terra que Deus havia
prometido (cf. 12.7). A fome era freqüente em Canaã. Talvez por castigo
divino àqueles povos iníquos, as pastagens para o gado tinham secado,
faltava a preciosa água dos ribeiros e mesmo o trigo para fazer o pão.
Nada se podia fazer para evitar aquela triste situação. O único jeito era
mudar-se para o Egito, onde o Nilo fornecia água abundantemente.
“Havia fome naquela terra; desceu, pois, Abrão ao Egito, para aí ficar,
porquanto era grande a fome na terra” (Gn 12.10) – Isso é mais do que
apenas uma nota geográfica. Egito na Bíblia representa o caminho do
mundo. Descer ao Egito significa deixar a terra prometida e trocá-la
pelos maus caminhos do paganismo. Abraão foi ao lugar que
representava rebelião contra Deus. A ajuda não estava no Egito, estava
no altar. Abraão havia acabado de construí-lo. Sabemos que períodos de
fomes ocorreram frequentemente nos tempos bíblicos (e ainda ocorrem
em partes da África e da Ásia hoje). Esse fato não é incomum. Mas o
momento desse período de fome na terra de Canaã não é comum. Depois
de tudo o que Abraão passou, tanto em Siquém quanto em Ai, seria justo
que Deus lhe desse um período de paz e tranquilidade. Note que não há
registro de que Abraão tenha enfrentado fome em Ur ou Harã; mas agora
que ele estava na terra de Deus, ele não tinha como encontrar alimento
para uma grande quantidade de pessoas, além de ovelhas e gado (ver
14.14).
Deus havia prometido que Abraão teria uma
família numerosa, porém ele já estava com quase 100
anos, e não tinha herdeiros. Esperar o tempo de Deus nem
sempre é fácil. As Escrituras Sagradas afirmam que a
"esperança demorada enfraquece o coração, mas o desejo
chegado é árvore de vida" (Pv 13.12). Quando todas as
possibilidades humanas se esgotaram na vida de Abraão e
Sara, Deus operou um milagre; Sara ficou grávida, e logo
após Isaque nasceu. Isso nos mostra que para o nosso
Deus não existe impossível. Ele é fiel.
Os anjos, a caminho de Sodoma. foram visitar Abraão para
informar-lhe que "por este tempo da vida Sara terá um filho" (Gn
18.10). Sara riu-se ao ouvir isto. Disse o Senhor a Abraão: “Por que se
riu Sara?” (Gn 18.13). E Sara negou dizendo: “Nãome ri”, porquanto
temia (Gn 18.15). Ao cumprir-se o tempo determinado Deus visitou
Sara e ela deu à luz um filho. Ele recebeu o nome de Isaque e foi
circuncidado ao oitavo dia (Gn 21.1-4). Foi grande a alegria no lar de
Abraão. Havia-se confirmado o fato de que Deus ouve as orações e
cumpre as suas promessas. Sara disse: "Deus me tem feito riso. Todo
aquele que ouvir se rirá comigo" (Gn 21.6). Sara estava então com a
idade de noventa anos.
Quando a fome chegou. Abraão foi para o Egito, lugar onde havia
alimento. Por que haveria fome justamente na terra para onde Deus havia
chamado Abrão? Este foi um teste para a fé de Abrão que não questionou a
liderança de Deus ao enfrentar a dificuldade e foi aprovado. Muitos crentes
descobrem que, quando estão determinados a fazer a vontade de Deus,
imediatamente encontram grandes obstáculos. Quando você enfrentar um teste
assim, não tente repensar sobre a vontade de Deus. Use a inteligência que Ele
deu a você e, como fez Abraão ao mudar-se temporariamente para o Egito,
aguarde novas oportunidades" (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio de
Janeiro: CPAD, 2003, p.22).
III. AS PROMESSAS DE DEUS
NA VIDA DE ABRAÃO
Deus prometeu que a família de Abraão seria
numerosa. Mas para que essa promessa se cumprisse, ele
precisava obedecer a Deus. Obedecer a Deus pode
representar um desafio a algumas pessoas, mas quem
confia obedece. A obediência e a confiança em Deus nos
fazem vencer as adversidades. Muitos querem as
promessas do Pai, mas não querem trilhar o caminho da
obediência. Mas devemos nos lembrar de que a
desobediência é pecado e nos impede de recebermos as
bênçãos divinas. Abraão teve uma vida longa e também foi
abençoado com riquezas (Gn 13.2). Mas, a maior bênção
na vida de Abraão foi ele ter experimentado um
relacionamento íntimo com Deus. Abraão conhecia ao
Senhor a ponto de ter sido chamado amigo de Deus. Não
há nada melhor do que uma vida de comunhão e
intimidade com Deus.
Deus mudou o nome dele Gn 17.5, “Abrão já não será o teu
nome, e sim Abraão; porque por pai de numerosas nações te constituí”; a
mudança de nome tem a ver com uma nova fase da vida. A generosidade
da fé, “de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei
o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e
amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as
famílias da terra” (Gn 12.2). O melhor caminho para chegar à benção é
abençoar os outros. Quando Abraão tinha 100 anos, Sara deu à luz
Isaque. Os descendentes de Isaque se tornaram a nação de Israel, que
existe até hoje e é muito numerosa. Além dos descendentes naturais,
Abraão também tem muitos descendentes espirituais. A fé de Abraão é
elogiada e descrita por Paulo como a fé salvadora e geradora da família
de Deus: “Porquanto procede da fé o ser herdeiro, para que seja segundo
a graça, a fim de que a promessa seja firme a toda a descendência, não
somente à que é da lei, mas também à que é da fé que teve Abraão, o
qual é pai de todos nós” (Rm 4.16).
O nome do patriarca Abraão é reverenciado
no judaísmo, cristianismo e islamismo. Dele
descendem dois povos: árabes e judeus. O Senhor é
fiel e cumpriu com a sua promessa. Se Deus
prometeu algo a você, não importa o quanto tenha
que esperar, Ele vai cumprir. Vivemos em uma
sociedade imediatista, onde as pessoas acham que
esperar é perder tempo. Mas na vida espiritual, tudo
acontece no tempo de Deus. Abraão confiou,
obedeceu e foi honrado pelo Senhor.
Abraão, o homem de fé, vivia totalmente isolado dos
diferentes povos de Canaã, principalmente no que diz respeito às
religiões e aos costumes. Contudo gozava de conceito muito elevado.
Quando pediu para comprar um pedaço de terra para ali sepultar sua
Sara. Os filhos de Hete disseram a Abraão: "Príncipe de Deus és no
meio de nós; enterra. o teu morto na mais escolhida de nossas sepulturas
(Gn 23.6), Semelhante conceito a respeito de Abraão demonstrou ter o
rei Abimeleque quando disse a Abraão: "Eis que a minha terra está
diante da tua face; habita onde for bom aos teus olhos" (Gn20.15). A
conduta de Abraão gerava uma verdadeira irradiação espiritual a qual
lhe dava uma posição de liderança sobre os homens entre os quais
peregrinava. Abraão obedeceu e dele surgiu uma grande nação da qual
nós somos benditos como está escrito “De sorte que os que são da fé são
benditos com o crente Abraão” (Gl 3.9). Abraão foi abençoado e
engrandecido o seu nome por causa de Cristo sendo conhecido como
crente Abraão, ou seja, bendito Nome de Cristo. De Abraão surgiu o
embrião da nação de Israel da qual nasceu o Senhor Jesus Cristo.
Jesus, o Salvador, nasceu em Belém e
descendia de Abraão, pai de todos os judeus. A
vinda de Jesus fora predita nessa promessa feita a
Abraão. Em Jesus Cristo, todas as famílias da terra
são benditas, pois seu sacrifício na cruz é suficiente
para salvar tanto judeus como gentios.
Essa foi a maior promessa que Deus fez a Abraão (Gn
12.2,3). Através dos descendentes de Abraão, Deus revelou Seu plano
para salvar o mundo. Jesus, o salvador do mundo, era descendente de
Abraão. Ele veio para salvar todas as pessoas do pecado. Sua morte e
ressurreição abençoa pessoas em todo mundo até hoje! Abraão não viu o
cumprimento dessas três promessas mas ele creu em Deus. Ele já foi
abençoado por conhecer essas promessas e saber que Deus as iria
cumprir (Jo 8.56). As promessas de Deus para Abraão não foram uma
bênção só para ele, são uma bênção para todos nós!
"Em ti serão benditas todas as famílias da terra (Gn 12.3). Esta é a segunda
profecia das Escrituras sobre a vinda de Jesus Cristo a este mundo. O texto fala de uma
bênção espiritual que virá através de um descendente de Abraão. Paulo declara que esta
bênção se refere ao evangelho de Cristo, oferecido a todas as nações.
A promessa de Deus a Abrão revela que, desde os primórdios da raça humana,
o propósito do evangelho era abençoar todas as nações com salvação. Deus está agora
realizando os seus propósitos através de Jesus e seu povo fiel, que compartilha da sua
vontade de salvar os perdidos, enviando pregadores para proclamar o evangelho a todas
as famílias da terra (Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1995, p.51).
Abraão era um homem de fé. Ele trocou a glória
passageira desse mundo para ter um relacionamento
pessoal com Deus. Sua fé não impediu de enfrentar
provações e crises. Todavia, ele continuou olhando para o
céu, contando as estrelas e crendo no milagre de Deus e na
sua provisão para todas as áreas da sua vida. A fé nos faz
vencer as crises e esperar confiantes nas promessas do Pai.
Ur dos Caldeus.
Seu pai, sua esposa e seu sobrinho Ló.
Ele mentiu dizendo que Sara era sua irmã..
"Far-te-ei uma grande nação e abençoar-te-ei;"
"engrandecerei o teu nome" e "em ti serão benditas todas as
famílias da terra".
Era fazer da descendência de Abraão um povo separado, e
da semente dele enviar a Jesus Cristo, para salvar todas as
famílias da Terra..
Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
UEPB
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Apocalipse
ApocalipseApocalipse
Aula 16 - Gálatas
Aula 16 - GálatasAula 16 - Gálatas
Aula 16 - Gálatas
ibrdoamor
 
O pentateuco
O pentateucoO pentateuco
Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado
Geversom Sousa
 
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua DeidadeLição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Éder Tomé
 
Panorama do NT - Romanos
Panorama do NT - RomanosPanorama do NT - Romanos
Panorama do NT - Romanos
Respirando Deus
 
O Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da IgrejaO Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da Igreja
Márcio Martins
 
Lição 6 - Perseverança e Fé em Tempo de Apostasia
Lição 6 - Perseverança e Fé em Tempo de ApostasiaLição 6 - Perseverança e Fé em Tempo de Apostasia
Lição 6 - Perseverança e Fé em Tempo de Apostasia
Éder Tomé
 
Estudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de JoãoEstudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de João
RODRIGO FERREIRA
 
Profetas menores lição 12 - Zacarias
Profetas menores   lição 12 - ZacariasProfetas menores   lição 12 - Zacarias
Profetas menores lição 12 - Zacarias
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Escatologia_Parte1_IBADEP
Escatologia_Parte1_IBADEPEscatologia_Parte1_IBADEP
Escatologia_Parte1_IBADEP
Natalino das Neves Neves
 
Lição 14 - Israel e a Escatologia Bíblica
Lição 14 - Israel e a Escatologia BíblicaLição 14 - Israel e a Escatologia Bíblica
Lição 14 - Israel e a Escatologia Bíblica
Éder Tomé
 
Livro De Romanos
Livro De RomanosLivro De Romanos
Livro De Romanos
melquisedeque Chagas
 
Panorama do antigo testamento aula1
Panorama do antigo testamento aula1Panorama do antigo testamento aula1
Panorama do antigo testamento aula1
Kairosphb
 
Lição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretas
Lição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretasLição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretas
Lição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretas
Éder Tomé
 
Lição 12 - Voto e dízimo
Lição 12 - Voto e dízimoLição 12 - Voto e dízimo
Lição 12 - Voto e dízimo
Éder Tomé
 
Efésios - Lição 01
Efésios - Lição 01Efésios - Lição 01
Efésios - Lição 01
Eid Marques
 
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Éder Tomé
 

Mais procurados (20)

Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
 
Apocalipse
ApocalipseApocalipse
Apocalipse
 
Aula 16 - Gálatas
Aula 16 - GálatasAula 16 - Gálatas
Aula 16 - Gálatas
 
O pentateuco
O pentateucoO pentateuco
O pentateuco
 
Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado
 
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua DeidadeLição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
 
Panorama do NT - Romanos
Panorama do NT - RomanosPanorama do NT - Romanos
Panorama do NT - Romanos
 
O Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da IgrejaO Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da Igreja
 
Lição 6 - Perseverança e Fé em Tempo de Apostasia
Lição 6 - Perseverança e Fé em Tempo de ApostasiaLição 6 - Perseverança e Fé em Tempo de Apostasia
Lição 6 - Perseverança e Fé em Tempo de Apostasia
 
Estudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de JoãoEstudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de João
 
Profetas menores lição 12 - Zacarias
Profetas menores   lição 12 - ZacariasProfetas menores   lição 12 - Zacarias
Profetas menores lição 12 - Zacarias
 
Escatologia_Parte1_IBADEP
Escatologia_Parte1_IBADEPEscatologia_Parte1_IBADEP
Escatologia_Parte1_IBADEP
 
Lição 14 - Israel e a Escatologia Bíblica
Lição 14 - Israel e a Escatologia BíblicaLição 14 - Israel e a Escatologia Bíblica
Lição 14 - Israel e a Escatologia Bíblica
 
Livro De Romanos
Livro De RomanosLivro De Romanos
Livro De Romanos
 
Panorama do antigo testamento aula1
Panorama do antigo testamento aula1Panorama do antigo testamento aula1
Panorama do antigo testamento aula1
 
Lição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretas
Lição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretasLição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretas
Lição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretas
 
Lição 12 - Voto e dízimo
Lição 12 - Voto e dízimoLição 12 - Voto e dízimo
Lição 12 - Voto e dízimo
 
Efésios - Lição 01
Efésios - Lição 01Efésios - Lição 01
Efésios - Lição 01
 
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
 

Destaque

A formação do caráter cristão - Lição 1 - 2º Trimestre 2017
A formação do caráter cristão - Lição 1 - 2º Trimestre 2017A formação do caráter cristão - Lição 1 - 2º Trimestre 2017
A formação do caráter cristão - Lição 1 - 2º Trimestre 2017
Pr. Andre Luiz
 
O Socorro de Deus Para Livrar o Seu Povo - Lição 11 - 4ºTrimestre 2016
O Socorro de Deus Para Livrar o Seu Povo - Lição 11 - 4ºTrimestre 2016O Socorro de Deus Para Livrar o Seu Povo - Lição 11 - 4ºTrimestre 2016
O Socorro de Deus Para Livrar o Seu Povo - Lição 11 - 4ºTrimestre 2016
Pr. Andre Luiz
 
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
Pr. Andre Luiz
 
O milagre está em sua casa - Lição 9 - 4º Trimestre 2016
O milagre está em sua casa - Lição 9 - 4º Trimestre 2016O milagre está em sua casa - Lição 9 - 4º Trimestre 2016
O milagre está em sua casa - Lição 9 - 4º Trimestre 2016
Pr. Andre Luiz
 
Paciência, evitando as dissensões - Lição 06 - 1ºTrimestre 2017
Paciência, evitando as dissensões - Lição 06 - 1ºTrimestre 2017Paciência, evitando as dissensões - Lição 06 - 1ºTrimestre 2017
Paciência, evitando as dissensões - Lição 06 - 1ºTrimestre 2017
Pr. Andre Luiz
 
Lição 08 a igreja de cristo
Lição 08  a igreja de cristoLição 08  a igreja de cristo
Lição 08 a igreja de cristo
Pr. Andre Luiz
 
Jônatas, um exemplo de lealdade - lição 6 - 2º Trimestre 2017
Jônatas, um exemplo de lealdade - lição 6 - 2º Trimestre 2017Jônatas, um exemplo de lealdade - lição 6 - 2º Trimestre 2017
Jônatas, um exemplo de lealdade - lição 6 - 2º Trimestre 2017
Pr. Andre Luiz
 
Lição 11 maria mãe de jesus - uma serva humilde
Lição 11  maria mãe de jesus - uma serva humildeLição 11  maria mãe de jesus - uma serva humilde
Lição 11 maria mãe de jesus - uma serva humilde
Pr. Andre Luiz
 
A provisão de Deus no monte do sacrifício - Lição 04 - 4º Trimestre 2016
A provisão de Deus no monte do sacrifício - Lição 04 - 4º Trimestre 2016A provisão de Deus no monte do sacrifício - Lição 04 - 4º Trimestre 2016
A provisão de Deus no monte do sacrifício - Lição 04 - 4º Trimestre 2016
Pr. Andre Luiz
 
A fidelidade de deus - Lição 13 - 4º Trimestre de 2016
A fidelidade de deus - Lição 13 - 4º Trimestre de 2016A fidelidade de deus - Lição 13 - 4º Trimestre de 2016
A fidelidade de deus - Lição 13 - 4º Trimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 
O DIÁCONO QUE DEUS PROCURA
O DIÁCONO QUE DEUS PROCURAO DIÁCONO QUE DEUS PROCURA
O DIÁCONO QUE DEUS PROCURA
Tiago Silveira
 
Sabedoria divina para a tomada de decisões - lição 12 - 4ºTrimestre de 2016
Sabedoria divina para a tomada de decisões - lição 12 - 4ºTrimestre de 2016Sabedoria divina para a tomada de decisões - lição 12 - 4ºTrimestre de 2016
Sabedoria divina para a tomada de decisões - lição 12 - 4ºTrimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 
Deus o nosso provedor - Lição 06 - 4º Trimestre 2016
Deus o nosso provedor - Lição 06 - 4º Trimestre 2016Deus o nosso provedor - Lição 06 - 4º Trimestre 2016
Deus o nosso provedor - Lição 06 - 4º Trimestre 2016
Pr. Andre Luiz
 
sermão os diáconos na Bíblia
sermão os diáconos na Bíbliasermão os diáconos na Bíblia
sermão os diáconos na Bíblia
Djalma C. Filho
 
José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016
José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016
José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016
Pr. Andre Luiz
 
Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016
Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016
Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016
Pr. Andre Luiz
 
As Consequências das Escolhas Precipitadas - Lição 5 - 4º Trimestre 2016
As Consequências das Escolhas Precipitadas - Lição 5 - 4º Trimestre 2016As Consequências das Escolhas Precipitadas - Lição 5 - 4º Trimestre 2016
As Consequências das Escolhas Precipitadas - Lição 5 - 4º Trimestre 2016
Pr. Andre Luiz
 
Rute, Deus trabalha pela família - Lição 08 - 4ºTrimestre 2016
Rute, Deus trabalha pela família - Lição 08 - 4ºTrimestre 2016Rute, Deus trabalha pela família - Lição 08 - 4ºTrimestre 2016
Rute, Deus trabalha pela família - Lição 08 - 4ºTrimestre 2016
Pr. Andre Luiz
 
Abel, exemplo de caráter que agrada a deus - Lição 2 - 2ºTrimestre 2017
Abel, exemplo de caráter que agrada a deus - Lição 2 - 2ºTrimestre 2017Abel, exemplo de caráter que agrada a deus - Lição 2 - 2ºTrimestre 2017
Abel, exemplo de caráter que agrada a deus - Lição 2 - 2ºTrimestre 2017
Pr. Andre Luiz
 
Lição 10 as manifestações do espirito santo
Lição 10  as manifestações do espirito santoLição 10  as manifestações do espirito santo
Lição 10 as manifestações do espirito santo
Pr. Andre Luiz
 

Destaque (20)

A formação do caráter cristão - Lição 1 - 2º Trimestre 2017
A formação do caráter cristão - Lição 1 - 2º Trimestre 2017A formação do caráter cristão - Lição 1 - 2º Trimestre 2017
A formação do caráter cristão - Lição 1 - 2º Trimestre 2017
 
O Socorro de Deus Para Livrar o Seu Povo - Lição 11 - 4ºTrimestre 2016
O Socorro de Deus Para Livrar o Seu Povo - Lição 11 - 4ºTrimestre 2016O Socorro de Deus Para Livrar o Seu Povo - Lição 11 - 4ºTrimestre 2016
O Socorro de Deus Para Livrar o Seu Povo - Lição 11 - 4ºTrimestre 2016
 
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
 
O milagre está em sua casa - Lição 9 - 4º Trimestre 2016
O milagre está em sua casa - Lição 9 - 4º Trimestre 2016O milagre está em sua casa - Lição 9 - 4º Trimestre 2016
O milagre está em sua casa - Lição 9 - 4º Trimestre 2016
 
Paciência, evitando as dissensões - Lição 06 - 1ºTrimestre 2017
Paciência, evitando as dissensões - Lição 06 - 1ºTrimestre 2017Paciência, evitando as dissensões - Lição 06 - 1ºTrimestre 2017
Paciência, evitando as dissensões - Lição 06 - 1ºTrimestre 2017
 
Lição 08 a igreja de cristo
Lição 08  a igreja de cristoLição 08  a igreja de cristo
Lição 08 a igreja de cristo
 
Jônatas, um exemplo de lealdade - lição 6 - 2º Trimestre 2017
Jônatas, um exemplo de lealdade - lição 6 - 2º Trimestre 2017Jônatas, um exemplo de lealdade - lição 6 - 2º Trimestre 2017
Jônatas, um exemplo de lealdade - lição 6 - 2º Trimestre 2017
 
Lição 11 maria mãe de jesus - uma serva humilde
Lição 11  maria mãe de jesus - uma serva humildeLição 11  maria mãe de jesus - uma serva humilde
Lição 11 maria mãe de jesus - uma serva humilde
 
A provisão de Deus no monte do sacrifício - Lição 04 - 4º Trimestre 2016
A provisão de Deus no monte do sacrifício - Lição 04 - 4º Trimestre 2016A provisão de Deus no monte do sacrifício - Lição 04 - 4º Trimestre 2016
A provisão de Deus no monte do sacrifício - Lição 04 - 4º Trimestre 2016
 
A fidelidade de deus - Lição 13 - 4º Trimestre de 2016
A fidelidade de deus - Lição 13 - 4º Trimestre de 2016A fidelidade de deus - Lição 13 - 4º Trimestre de 2016
A fidelidade de deus - Lição 13 - 4º Trimestre de 2016
 
O DIÁCONO QUE DEUS PROCURA
O DIÁCONO QUE DEUS PROCURAO DIÁCONO QUE DEUS PROCURA
O DIÁCONO QUE DEUS PROCURA
 
Sabedoria divina para a tomada de decisões - lição 12 - 4ºTrimestre de 2016
Sabedoria divina para a tomada de decisões - lição 12 - 4ºTrimestre de 2016Sabedoria divina para a tomada de decisões - lição 12 - 4ºTrimestre de 2016
Sabedoria divina para a tomada de decisões - lição 12 - 4ºTrimestre de 2016
 
Deus o nosso provedor - Lição 06 - 4º Trimestre 2016
Deus o nosso provedor - Lição 06 - 4º Trimestre 2016Deus o nosso provedor - Lição 06 - 4º Trimestre 2016
Deus o nosso provedor - Lição 06 - 4º Trimestre 2016
 
sermão os diáconos na Bíblia
sermão os diáconos na Bíbliasermão os diáconos na Bíblia
sermão os diáconos na Bíblia
 
José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016
José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016
José fé em meio as injustiças - Lição 07 - 4º Trimestre 2016
 
Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016
Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016
Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016
 
As Consequências das Escolhas Precipitadas - Lição 5 - 4º Trimestre 2016
As Consequências das Escolhas Precipitadas - Lição 5 - 4º Trimestre 2016As Consequências das Escolhas Precipitadas - Lição 5 - 4º Trimestre 2016
As Consequências das Escolhas Precipitadas - Lição 5 - 4º Trimestre 2016
 
Rute, Deus trabalha pela família - Lição 08 - 4ºTrimestre 2016
Rute, Deus trabalha pela família - Lição 08 - 4ºTrimestre 2016Rute, Deus trabalha pela família - Lição 08 - 4ºTrimestre 2016
Rute, Deus trabalha pela família - Lição 08 - 4ºTrimestre 2016
 
Abel, exemplo de caráter que agrada a deus - Lição 2 - 2ºTrimestre 2017
Abel, exemplo de caráter que agrada a deus - Lição 2 - 2ºTrimestre 2017Abel, exemplo de caráter que agrada a deus - Lição 2 - 2ºTrimestre 2017
Abel, exemplo de caráter que agrada a deus - Lição 2 - 2ºTrimestre 2017
 
Lição 10 as manifestações do espirito santo
Lição 10  as manifestações do espirito santoLição 10  as manifestações do espirito santo
Lição 10 as manifestações do espirito santo
 

Semelhante a Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016

LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉLIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
Andrew Guimarães
 
Ebd aula 3 4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.
Ebd aula 3  4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.Ebd aula 3  4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.
Ebd aula 3 4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
liçao 3 Abraão, a esperança do pai da fé
 liçao 3  Abraão, a esperança do pai da fé liçao 3  Abraão, a esperança do pai da fé
liçao 3 Abraão, a esperança do pai da fé
antonio vieira
 
2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
Joel Silva
 
A fé de abraão
A fé de abraãoA fé de abraão
A fé de abraão
Pr Pedro
 
Abraão a esperança do pai da fé
Abraão a esperança do pai da féAbraão a esperança do pai da fé
Abraão a esperança do pai da fé
Márcio Martins
 
ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
Flavio Luz
 
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da féLição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Natalino das Neves Neves
 
Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé
Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé
Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé
Regio Davis
 
Evangelização versus confiança
Evangelização versus confiançaEvangelização versus confiança
Evangelização versus confiança
Quenia Damata
 
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉLIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
Lourinaldo Serafim
 
Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015
Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015
Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015
Gerson G. Ramos
 
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...
Daniel Felipe Kroth
 
Qual a promessa feita a Abraão
Qual a promessa feita a AbraãoQual a promessa feita a Abraão
Qual a promessa feita a Abraão
Juraci Rocha
 
Abraão: o primeiro missionário_232015
Abraão: o primeiro missionário_232015Abraão: o primeiro missionário_232015
Abraão: o primeiro missionário_232015
Gerson G. Ramos
 
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da féLição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Ailton da Silva
 
Catequese 6
Catequese 6Catequese 6
Catequese 6
cesar2006
 
A promessa de Deus feita a Abraão
A promessa de Deus feita a Abraão A promessa de Deus feita a Abraão
A promessa de Deus feita a Abraão
Juraci Rocha
 
Biografia_de_Abrao.ppsx
Biografia_de_Abrao.ppsxBiografia_de_Abrao.ppsx
Biografia_de_Abrao.ppsx
AlexMax36
 

Semelhante a Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016 (20)

LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉLIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 3 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
 
Ebd aula 3 4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.
Ebd aula 3  4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.Ebd aula 3  4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.
Ebd aula 3 4°trimestre 2016 Abraão,a esperança do Pai da fé.
 
liçao 3 Abraão, a esperança do pai da fé
 liçao 3  Abraão, a esperança do pai da fé liçao 3  Abraão, a esperança do pai da fé
liçao 3 Abraão, a esperança do pai da fé
 
2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx
2016 4º trimestre adultos lição 03.pptx
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
 
A fé de abraão
A fé de abraãoA fé de abraão
A fé de abraão
 
Abraão a esperança do pai da fé
Abraão a esperança do pai da féAbraão a esperança do pai da fé
Abraão a esperança do pai da fé
 
ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
 
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da féLição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
 
Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé
Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé
Lição 03 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé
 
Evangelização versus confiança
Evangelização versus confiançaEvangelização versus confiança
Evangelização versus confiança
 
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉLIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
 
Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015
Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015
Lição orig abraão: o primeiro missionário 232015
 
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...
LIÇÃO 03 - ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ / SUBSÍDIOS / REVISTA DA CLASSE A...
 
Qual a promessa feita a Abraão
Qual a promessa feita a AbraãoQual a promessa feita a Abraão
Qual a promessa feita a Abraão
 
Abraão: o primeiro missionário_232015
Abraão: o primeiro missionário_232015Abraão: o primeiro missionário_232015
Abraão: o primeiro missionário_232015
 
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da féLição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
Lição 3 - Abraão, a esperança do pai da fé
 
Catequese 6
Catequese 6Catequese 6
Catequese 6
 
A promessa de Deus feita a Abraão
A promessa de Deus feita a Abraão A promessa de Deus feita a Abraão
A promessa de Deus feita a Abraão
 
Biografia_de_Abrao.ppsx
Biografia_de_Abrao.ppsxBiografia_de_Abrao.ppsx
Biografia_de_Abrao.ppsx
 

Mais de Pr. Andre Luiz

Lição 09 a necessidade de termos uma vida santa
Lição 09  a necessidade de termos uma vida santaLição 09  a necessidade de termos uma vida santa
Lição 09 a necessidade de termos uma vida santa
Pr. Andre Luiz
 
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 
A evangelização integral nesta última hora - Lição 13 - 3º Trimestre 2016
A evangelização integral nesta última hora - Lição 13 - 3º Trimestre 2016A evangelização integral nesta última hora - Lição 13 - 3º Trimestre 2016
A evangelização integral nesta última hora - Lição 13 - 3º Trimestre 2016
Pr. Andre Luiz
 
A evangelização real na era digital - Lição 12 - 3ºTrimestre 2016
A evangelização real na era digital - Lição 12 - 3ºTrimestre 2016A evangelização real na era digital - Lição 12 - 3ºTrimestre 2016
A evangelização real na era digital - Lição 12 - 3ºTrimestre 2016
Pr. Andre Luiz
 
A evangelização das pessoas com deficiência - Lição 11
A evangelização das pessoas com deficiência - Lição 11A evangelização das pessoas com deficiência - Lição 11
A evangelização das pessoas com deficiência - Lição 11
Pr. Andre Luiz
 
O poder da evangelização na família - Lição 10 - 3º Trimestre 2016
O poder da evangelização na família - Lição 10 - 3º Trimestre 2016O poder da evangelização na família - Lição 10 - 3º Trimestre 2016
O poder da evangelização na família - Lição 10 - 3º Trimestre 2016
Pr. Andre Luiz
 
A evangelização das crianças - Lição 09 - 3º Trimestre 2016
A evangelização das crianças - Lição 09 - 3º Trimestre 2016A evangelização das crianças - Lição 09 - 3º Trimestre 2016
A evangelização das crianças - Lição 09 - 3º Trimestre 2016
Pr. Andre Luiz
 
O evangelho no mundo acadêmico e político - Lição 7 - 3º Trimestre de 2016
O evangelho no mundo acadêmico e político - Lição 7 - 3º Trimestre de 2016O evangelho no mundo acadêmico e político - Lição 7 - 3º Trimestre de 2016
O evangelho no mundo acadêmico e político - Lição 7 - 3º Trimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 
A evangelização dos grupos desafiadores - Lição 6 - 3º Trimestre de 2016
A evangelização dos grupos desafiadores - Lição 6 - 3º Trimestre de 2016A evangelização dos grupos desafiadores - Lição 6 - 3º Trimestre de 2016
A evangelização dos grupos desafiadores - Lição 6 - 3º Trimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 
A evangelização urbana e suas estratégias - Lição 05 - 3º Trimestre de 2016
A evangelização urbana e suas estratégias - Lição 05 - 3º Trimestre de 2016A evangelização urbana e suas estratégias - Lição 05 - 3º Trimestre de 2016
A evangelização urbana e suas estratégias - Lição 05 - 3º Trimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 
Igreja, agência evangelizadora - Lição 03 - 3º Trimestre de 2016
Igreja, agência evangelizadora - Lição 03 - 3º Trimestre de 2016Igreja, agência evangelizadora - Lição 03 - 3º Trimestre de 2016
Igreja, agência evangelizadora - Lição 03 - 3º Trimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 

Mais de Pr. Andre Luiz (12)

Lição 09 a necessidade de termos uma vida santa
Lição 09  a necessidade de termos uma vida santaLição 09  a necessidade de termos uma vida santa
Lição 09 a necessidade de termos uma vida santa
 
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
 
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
 
A evangelização integral nesta última hora - Lição 13 - 3º Trimestre 2016
A evangelização integral nesta última hora - Lição 13 - 3º Trimestre 2016A evangelização integral nesta última hora - Lição 13 - 3º Trimestre 2016
A evangelização integral nesta última hora - Lição 13 - 3º Trimestre 2016
 
A evangelização real na era digital - Lição 12 - 3ºTrimestre 2016
A evangelização real na era digital - Lição 12 - 3ºTrimestre 2016A evangelização real na era digital - Lição 12 - 3ºTrimestre 2016
A evangelização real na era digital - Lição 12 - 3ºTrimestre 2016
 
A evangelização das pessoas com deficiência - Lição 11
A evangelização das pessoas com deficiência - Lição 11A evangelização das pessoas com deficiência - Lição 11
A evangelização das pessoas com deficiência - Lição 11
 
O poder da evangelização na família - Lição 10 - 3º Trimestre 2016
O poder da evangelização na família - Lição 10 - 3º Trimestre 2016O poder da evangelização na família - Lição 10 - 3º Trimestre 2016
O poder da evangelização na família - Lição 10 - 3º Trimestre 2016
 
A evangelização das crianças - Lição 09 - 3º Trimestre 2016
A evangelização das crianças - Lição 09 - 3º Trimestre 2016A evangelização das crianças - Lição 09 - 3º Trimestre 2016
A evangelização das crianças - Lição 09 - 3º Trimestre 2016
 
O evangelho no mundo acadêmico e político - Lição 7 - 3º Trimestre de 2016
O evangelho no mundo acadêmico e político - Lição 7 - 3º Trimestre de 2016O evangelho no mundo acadêmico e político - Lição 7 - 3º Trimestre de 2016
O evangelho no mundo acadêmico e político - Lição 7 - 3º Trimestre de 2016
 
A evangelização dos grupos desafiadores - Lição 6 - 3º Trimestre de 2016
A evangelização dos grupos desafiadores - Lição 6 - 3º Trimestre de 2016A evangelização dos grupos desafiadores - Lição 6 - 3º Trimestre de 2016
A evangelização dos grupos desafiadores - Lição 6 - 3º Trimestre de 2016
 
A evangelização urbana e suas estratégias - Lição 05 - 3º Trimestre de 2016
A evangelização urbana e suas estratégias - Lição 05 - 3º Trimestre de 2016A evangelização urbana e suas estratégias - Lição 05 - 3º Trimestre de 2016
A evangelização urbana e suas estratégias - Lição 05 - 3º Trimestre de 2016
 
Igreja, agência evangelizadora - Lição 03 - 3º Trimestre de 2016
Igreja, agência evangelizadora - Lição 03 - 3º Trimestre de 2016Igreja, agência evangelizadora - Lição 03 - 3º Trimestre de 2016
Igreja, agência evangelizadora - Lição 03 - 3º Trimestre de 2016
 

Último

REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 

Último (20)

REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 

Abraão, a esperança do pai da fé - Lição 03 - 4º Trimestre de 2016

  • 1.
  • 2. "Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia." (Hb 11.8)
  • 3. A fé que Abraão tinha em Deus fez com que ele vencesse todos os obstáculos em sua caminhada.
  • 4. Terça - Gn 12.2,3 - A promessa divina na vida de Abraão "Farei de você um grande povo, e o abençoarei. Tornarei famoso o seu nome, e você será uma bênção. Abençoarei os que o abençoarem, e amaldiçoarei os que o amaldiçoarem; e por meio de você todos os povos da terra serão abençoados“. Quarta - Gn 12.4,5 - Abraão parte acreditando na promessa Partiu Abrão, como lhe ordenara o Senhor, e Ló foi com ele. Abrão tinha setenta e cinco anos quando saiu de Harã. Levou sua mulher Sarai, seu sobrinho Ló, todos os bens que haviam acumulado e os seus servos, comprados em Harã; partiram para a terra de Canaã e lá chegaram. Segunda - Gn 12.1- Deus separa e chama Abraão Então o Senhor disse a Abrão: "Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa de seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei.
  • 5. Sexta - Gn 15.2 - Abraão tem que aguardar a promessa de Deus em sua vida Mas Abrão perguntou: "Ó Soberano Senhor, que me darás, se continuo sem filhos e o herdeiro do que possuo é Eliézer de Damasco? " Sábado - Gn 22.1,2 - A difícil prova que Abraão teve que enfrentar Passado algum tempo, Deus pôs Abraão à prova, dizendo-lhe: "Abraão! " Ele respondeu: "Eis- me aqui". Então disse Deus: "Tome seu filho, seu único filho, Isaque, a quem você ama, e vá para a região de Moriá. Sacrifique-o ali como holocausto num dos montes que lhe indicarei". Quinta- Gn 12.7 - Deus confirma a promessa na vida de Abraão O Senhor apareceu a Abrão e disse: "À sua descendência darei esta terra". Abrão construiu ali um altar dedicado ao Senhor, que lhe havia aparecido.
  • 6. 1 - Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. 2 - E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome, e tu serás uma bênção. 3 - E abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra. 4 - Assim, partiu Abrão, como o SENHOR lhe tinha dito, e foi Ló com ele; e era Abrão da idade de setenta e cinco anos, quando saiu de Harã. 5 - E tomou Abrão a Sarai, sua mulher, e a Ló, filho de seu irmão, e toda a sua fazenda, que haviam adquirido, e as almas que lhe acresceram em Harã; e saíram para irem à terra de Canaã; e vieram à terra de Canaã. 6 - E passou Abrão por aquela terra até ao lugar de Siquém, até ao carvalho de Moré; e estavam, então, os cananeus na terra. 7 - E apareceu o SENHOR a Abrão e disse: À tua semente darei
  • 7. esta terra. E edificou ali um altar ao SENHOR, que lhe aparecera. 8 - E moveu-se dali para a montanha à banda do oriente de Betel e armou a sua tenda, tendo Betel ao ocidente e Ai ao oriente; e edificou ali um altar ao SENHOR e invocou o nome do SENHOR. 9 - Depois, caminhou Abrão dali, seguindo ainda para a banda do Sul. 10 - E havia fome naquela terra; e desceu Abrão ao Egito, para peregrinar ali, porquanto a fome era grande na terra.
  • 8. •I. Mostrar como se deu a chamada de Deus na vida de Abraão; •II. Compreender como se deu a provisão de Deus na vida de Abraão; •III. Explicar as promessas de Deus na vida de Abraão. Ressaltar que a fé de Abraão o fez vencer os obstáculos.
  • 9. A fé de Abraão fez com que ele vencesse obstáculos.
  • 10.
  • 11.
  • 12. Abraão, nona geração depois de Sem, nasceu por volta do ano 2000 a.C. Abraão foi filho de Terá. e irmão de Naor e Arã. Abraão casou-se com Sarai, e Naor casou-se com Milca (Gn 11.27.29). Morava com Abraão seu sobrinho Ló, filho de Arã, que havia falecido (Gn 11.27.28). A família de Abraão era de Ur dos caldeus, na Mesopotâmia, próximo ao rio Eufrates. Ur era um centro cultural e, também, centro de uma religião pagã que cultuava a Lua. Através de Josué 24.2 ficamos sabendo que a família de Abraão era idólatra. A Bíblia não revela o grau de conhecimento de Deus que Abraão possuía antes de sua chamada. Mais de 350 anos haviam-se passado desde o Dilúvio, quando Noé, o homem que andava com Deus (Gn 6.9), era o pregoeiro da justiça (2 Pe 2.5). Noé viveu depois do Dilúvio 350 anos (Gn 9.28). Embora a Bíblia silencie sobre isto, é possível que Noé tenha continuado a falar do grande Deus, de cuja justiça ele havia experimentado de modo singular. É possível que o conhecimento de Deus fosse mantido entre as famílias por meio de tradições transmitidas de pais a filhos de forma oral. Desse modo, pode ser que Abraão tenha tido conhecimento de Deus e de sua vontade, apesar de viver em uma sociedade idólatra. A chamada de Abraão, foi desde o princípio, uma prova de fé e obediência. Vemos através dela separação, sacrifício, pois teve que deixar a segurança, a certeza de um presente estável e cômodo, por uma vida futura de incertezas. Entretanto, Abraão não foi sempre fiel a Deus.
  • 13. I. A CHAMADA DE DEUS (Gn 12.1-3)
  • 14. Deus tinha um projeto para resgatar o homem pecador. Abraão fazia parte desse projeto. Nada do que acontece na terra é surpresa para Deus. Ele tudo sabe e tudo vê. O Senhor não foi pego de surpresa quando Adão pecou. Abraão fazia parte de um projeto divino de salvação. A partir dele surgiria uma família que se tornaria um povo especial do qual, no tempo próprio, sairia o Salvador do mundo, Jesus Cristo.
  • 15. A Bíblia nos apresenta Cristo como o “Cordeiro que foi morto desde antes da fundação do mundo” (Ap 13.8b) numa prova cabal de que a queda não foi uma surpresa para Deus. O pecado de Adão trouxe- nos a morte, mas a morte de Jesus Cristo garante-nos a vida eterna e plena comunhão com Deus. O homem pecou de modo deliberado contra Deus, mas o Criador não o deixou entregue à própria sorte. O Senhor providenciou a sua redenção. Com o pecado veio o sentimento de culpa. O homem não sabe lidar com esse sentimento, pois não fomos criados para o pecado, por isso, Adão culpou a Eva e o próprio Deus pelo seu pecado de desobediência. É difícil aceitar a responsabilidade por nossos erros. Sempre queremos encontrar um culpado. O pecado além de afastar Adão da comunhão com Deus, também introduziu as hostilidades e dificuldades no relacionamento de Adão e Eva. O pecado continua a nos afastar de Deus e a prejudicar os nossos relacionamentos. O Rev Hernandes Dias Lopes em seu Devocionário Cada Dia, escreve: “Deus o chamou de lá e prometeu-lhe uma terra deleitosa e uma numerosa
  • 16. descendência. Em Abraão todas as famílias da terra seriam abençoadas. Pela fé ele obedeceu e saiu rumo à terra prometida. O problema é que Abrão, mesmo tendo o nome de grande pai, não tinha filhos. Depois, Deus mudou o nome dele para Abraão, pai de uma numerosa nação, e o fez da promessa ainda não tinha chegado. Para agravar a situação, Abraão já estava com noventa e nove anos e Sara, sua mulher, além de já estar em idade avançada, era estéril. A promessa de Deus esbarrava em obstáculo intransponíveis. Abraão, porém, esperou contra a esperança e creu no Deus que chama à existência as coisas que não existem. Quando todas as probabilidades estavam esgotadas, Deus irrompeu na vida desse patriarca e cumpriu sua promessa. Isaque nasceu! Por meio dele, uma numerosa descendência foi suscitada. Abraão tornou-se o pai de todos os que crêem. Nele foram abençoadas todas as famílias da terra, uma vez que os verdadeiros filhos de Abraão não são aqueles que têm o sangue de Abraão correndo em suas veias, mas aqueles que têm a fé de Abraão habitando em seus corações.
  • 17. Abraão foi desafiado a crer e obedecer, embora não conhecesse todo o projeto que Deus tinha para sua vida. Porém, o Senhor estava à frente desse projeto. Abraão deveria apenas acreditar no plano divino e obedecer, tendo a certeza de que nada lhe faltaria em sua jornada de fé. Segundo Lawrence Richards, "o exame à vida de Abraão nos dá ideias que podem transformar a nossa própria caminhada com Deus".
  • 18. O relato bíblico sugere que Abraão falou com sua família sobre a ordem que havia recebido de Deus, e esta mostrou- se disposta a ir à mesma terra que Deus prometera mostrar a Abraão. Assim, diz a Bíblia: “Tomou Terá a Abrão seu filho, e a Ló, filho de Ara, filho de seu filho, e Sarai sua nora, mulher de seu filho Abrão, e saiu com eles de Ur dos caldeus, para ir à terra de Canaã; e vieram até Harã. e habitaram ali” (Gn 11.31). Parece que Abraão nem teve oportunidade de emitir opinião. Quando Abraão mostrou a sua disposição de obedecer a chamada, Deus introduziu em seu coração a fé. A fé é um dom de Deus (Ef 2.8). Ela é uma virtude espiritual. A fé sem obras é morta, isto é, é sem ação (Tg 2.26). Quando Abraão colocou a sua fé em ação, e estava pronto para deixar a sua terra, a sua fé se tomou viva. Afirma a Escritura: “Pela fé Abraão sendo chamado obedeceu” (Hb 11.8). Abraão podia sentir a sua fé nele operando. pois: “Creu Abraão em Deus e isto foi- lhe imputado como justiça” (Rm 4.3).
  • 19. Ao escolher Abraão, Deus não queria trazer favores e privilégio apenas a ele e sua descendência. O projeto do Senhor era imenso e alcançava todas as nações da terra (Gn 12.3).
  • 20. Falando da nação de Israel, Deuteronômio 7:7-9 nos diz: “Não vos teve o SENHOR afeição, nem vos escolheu porque fôsseis mais numerosos do que qualquer povo, pois éreis o menor de todos os povos, mas porque o SENHOR vos amava e, para guardar o juramento que fizera a vossos pais, o SENHOR vos tirou com mão poderosa e vos resgatou da casa da servidão, do poder de Faraó, rei do Egito. Saberás, pois, que o SENHOR, teu Deus, é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e cumprem os seus mandamentos.” Deus escolheu a nação de Israel para ser o povo através do qual Jesus Cristo iria nascer – o Salvador do pecado e da morte (João 3:16). Deus prometeu o Messias pela primeira vez após a queda de Adão e Eva no pecado (Gênesis capítulo 3). Deus mais tarde confirmou que o Messias viria da linhagem de Abraão, Isaque e Jacó (Gênesis 12:1-3). Jesus Cristo é a razão final pela qual Deus escolheu Israel para ser o Seu povo escolhido. Deus não precisava ter um “povo escolhido”, mas decidiu fazer as coisas dessa forma. Jesus tinha que vir
  • 21. de alguma nação, e Deus escolheu Israel. No entanto, a razão pela qual Deus escolheu a nação de Israel não foi unicamente para o propósito da vinda do Messias. O desejo de Deus para com Israel era o de que eles ensinassem aos outros sobre Ele. Israel deveria ser uma nação de sacerdotes, profetas e missionários para o mundo. O intento de Deus era que Israel fosse um povo distinto, uma nação de pessoas que guiassem os outros em direção a Deus e a Sua providência prometida do Redentor, Messias e Salvador. Em sua maior parte, Israel falhou nessa tarefa. No entanto, o propósito final de Deus para Israel, o de trazer o Messias e Salvador, foi cumprido perfeitamente – na Pessoa de Jesus Cristo.
  • 22. Abraão Abrão, cujo nome Deus mais tarde mudou para Abraão, nasceu em uma das fabulosas cidades do mundo antigo, Ur. Nos dias de Abrão, 4.100 anos passados, Ur era o centro de uma rica cultura, uma cidade localizada ao longo do rio Eufrates, que ostentava uma arquitetura monumental, enorme riqueza, moradia confortáveis, música e arte. Em sua terra natal, Abrão 'servia a outros deuses' (Js 24.2). No entanto, quando recebeu o chamado de Deus, Abrão deixou sua civilização e peregrinou para Canaã, onde viveu como nômade em tendas por quase cem anos. Abrão trocou a desvanecente glória deste mundo por um relacionamento pessoal com Deus - e ganhou fama imortal. Hoje ele é reverenciado por adeptos de três grandes religiões mundiais: judaísmo, islamismo e cristianismo. O Antigo Testamento o reconhece como patriarca do povo escolhido de Deus, os judeus. E o Novo Testamento o dignifica como o pai espiritual de todos que 'andam nas pisadas daquela fé de Abraão, nosso pai' (Rm 4.12).
  • 23.
  • 24. II. A PROVISÃO DE DEUS
  • 25. Abraão saiu da sua terra, Ur dos Caldeus e foi para Harã. Ele deveria ter saído apenas com sua mulher, Sarai, mas acabou levando seu pai e seu sobrinho, Ló. Os primeiros passos de Abraão revelam tanto fraqueza pessoal, como um caráter forte e determinado. Abraão não era perfeito, assim como nós, porém confiava que Deus estaria com ele em sua caminhada. Também tinha plena certeza na provisão divina. Por isso, não hesitou em levar seu pai e seu sobrinho. Depois da morte de seu pai, Tera, em Harã, Abraão ouve a voz de Deus e vai para Siquém, na terra
  • 26. de Canaã. Deus reafirmou suas promessas e lhe mostrou toda a terra dos cananeus como a terra prometida para ele e seus descendentes. Nesta terra "de leite e mel" não lhe faltou oposição. As promessas de Deus não são garantia de que não enfrentaremos crises, dificuldades e oposição. Em Siquém, Deus lhe apareceu e reafirmou suas promessas. Abraão precisava de forças para prosseguir. Ele saiu de Siquém e foi para Betel (Gn 12.8). Ali, edificou um altar, mostrando a sua comunhão com Deus.
  • 27. Ur (em sumério: Urim; acádio: Uru) foi uma importante cidade-estado na antiga Suméria, localizada nas proximidades da atual cidade de Tell el-Muqayyar, na província de Dhi Qar do Iraque. Embora na Antiguidade fosse uma cidade litorânea, situada na foz do rio Eufrates, no Golfo Pérsico, atualmente situa-se no interior do país, ao sul da margem direita do Eufrates, a 16 quilômetros de Nassíria https://pt.wikipedia.org/wiki/Ur. Abraão tinha 75 anos de idade quando recebeu o chamado do Senhor em Ur dos Caldeus (Gn 12.1). O Chamado de Abraão se deu em Ur e não em Harã como sugerem alguns, percebam que Deus fala em Gn 12.1: “Sai da tua terra...”, Harã, por um acaso era a terra natal de Abraão? Não. Pra corroborar com esta referência vejamos o que diz o texto do capítulo 15 e versículo 7 de Gênesis, que diz: “... Eu sou o Senhor que te tirei de (Harã? Não) de Ur dos Caldeus...”
  • 28. Deus tinha uma promessa na vida de Abraão, mas isso não impediu que ele enfrentasse problemas e provações. A primeira provação foi ter que deixar sua terra, sua parentela e seus amigos. A segunda era a esterilidade de sua esposa e a fome na terra. O crente fiel também enfrenta crises e provações. O Senhor estava treinando seu servo. Devido à fome, Abraão tomou a decisão de ir para o Egito. A fartura que existia no Egito era semelhante a fartura do mundo, ilusória. No Egito, por pouco não perdeu sua esposa, pois, com medo, mentiu dizendo que
  • 29. Sara era sua irmã. Em nossa jornada também somos passíveis de cometer erros. Mas não temos mais prazer no pecado. Quando erramos só nos resta uma alternativa: arrependermos e confessarmos o nosso pecado e pedir o perdão de Deus (1 Jo 1.9). Deus não desistiu de seu plano para com Abraão. O Senhor não desiste de você, ainda que tenha cometido alguns erros, como Abraão.
  • 30. “Partiu, pois, Abrão, como lho ordenara o SENHOR, e Ló foi com ele. Tinha Abrão setenta e cinco anos quando saiu de Harã” (Gn 12.4) – Abraão creu em Deus, em última análise, deixando Ur e Harã “sem saber para onde ia” (Hb 11.8). Ele caminhou cerca de 800 quilômetros até Damasco, depois até Canaã, a terra que Deus havia prometido (cf. 12.7). A fome era freqüente em Canaã. Talvez por castigo divino àqueles povos iníquos, as pastagens para o gado tinham secado, faltava a preciosa água dos ribeiros e mesmo o trigo para fazer o pão. Nada se podia fazer para evitar aquela triste situação. O único jeito era mudar-se para o Egito, onde o Nilo fornecia água abundantemente. “Havia fome naquela terra; desceu, pois, Abrão ao Egito, para aí ficar, porquanto era grande a fome na terra” (Gn 12.10) – Isso é mais do que apenas uma nota geográfica. Egito na Bíblia representa o caminho do mundo. Descer ao Egito significa deixar a terra prometida e trocá-la pelos maus caminhos do paganismo. Abraão foi ao lugar que representava rebelião contra Deus. A ajuda não estava no Egito, estava
  • 31. no altar. Abraão havia acabado de construí-lo. Sabemos que períodos de fomes ocorreram frequentemente nos tempos bíblicos (e ainda ocorrem em partes da África e da Ásia hoje). Esse fato não é incomum. Mas o momento desse período de fome na terra de Canaã não é comum. Depois de tudo o que Abraão passou, tanto em Siquém quanto em Ai, seria justo que Deus lhe desse um período de paz e tranquilidade. Note que não há registro de que Abraão tenha enfrentado fome em Ur ou Harã; mas agora que ele estava na terra de Deus, ele não tinha como encontrar alimento para uma grande quantidade de pessoas, além de ovelhas e gado (ver 14.14).
  • 32. Deus havia prometido que Abraão teria uma família numerosa, porém ele já estava com quase 100 anos, e não tinha herdeiros. Esperar o tempo de Deus nem sempre é fácil. As Escrituras Sagradas afirmam que a "esperança demorada enfraquece o coração, mas o desejo chegado é árvore de vida" (Pv 13.12). Quando todas as possibilidades humanas se esgotaram na vida de Abraão e Sara, Deus operou um milagre; Sara ficou grávida, e logo após Isaque nasceu. Isso nos mostra que para o nosso Deus não existe impossível. Ele é fiel.
  • 33. Os anjos, a caminho de Sodoma. foram visitar Abraão para informar-lhe que "por este tempo da vida Sara terá um filho" (Gn 18.10). Sara riu-se ao ouvir isto. Disse o Senhor a Abraão: “Por que se riu Sara?” (Gn 18.13). E Sara negou dizendo: “Nãome ri”, porquanto temia (Gn 18.15). Ao cumprir-se o tempo determinado Deus visitou Sara e ela deu à luz um filho. Ele recebeu o nome de Isaque e foi circuncidado ao oitavo dia (Gn 21.1-4). Foi grande a alegria no lar de Abraão. Havia-se confirmado o fato de que Deus ouve as orações e cumpre as suas promessas. Sara disse: "Deus me tem feito riso. Todo aquele que ouvir se rirá comigo" (Gn 21.6). Sara estava então com a idade de noventa anos.
  • 34. Quando a fome chegou. Abraão foi para o Egito, lugar onde havia alimento. Por que haveria fome justamente na terra para onde Deus havia chamado Abrão? Este foi um teste para a fé de Abrão que não questionou a liderança de Deus ao enfrentar a dificuldade e foi aprovado. Muitos crentes descobrem que, quando estão determinados a fazer a vontade de Deus, imediatamente encontram grandes obstáculos. Quando você enfrentar um teste assim, não tente repensar sobre a vontade de Deus. Use a inteligência que Ele deu a você e, como fez Abraão ao mudar-se temporariamente para o Egito, aguarde novas oportunidades" (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, p.22).
  • 35. III. AS PROMESSAS DE DEUS NA VIDA DE ABRAÃO
  • 36. Deus prometeu que a família de Abraão seria numerosa. Mas para que essa promessa se cumprisse, ele precisava obedecer a Deus. Obedecer a Deus pode representar um desafio a algumas pessoas, mas quem confia obedece. A obediência e a confiança em Deus nos fazem vencer as adversidades. Muitos querem as promessas do Pai, mas não querem trilhar o caminho da obediência. Mas devemos nos lembrar de que a desobediência é pecado e nos impede de recebermos as bênçãos divinas. Abraão teve uma vida longa e também foi abençoado com riquezas (Gn 13.2). Mas, a maior bênção na vida de Abraão foi ele ter experimentado um relacionamento íntimo com Deus. Abraão conhecia ao
  • 37. Senhor a ponto de ter sido chamado amigo de Deus. Não há nada melhor do que uma vida de comunhão e intimidade com Deus.
  • 38. Deus mudou o nome dele Gn 17.5, “Abrão já não será o teu nome, e sim Abraão; porque por pai de numerosas nações te constituí”; a mudança de nome tem a ver com uma nova fase da vida. A generosidade da fé, “de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra” (Gn 12.2). O melhor caminho para chegar à benção é abençoar os outros. Quando Abraão tinha 100 anos, Sara deu à luz Isaque. Os descendentes de Isaque se tornaram a nação de Israel, que existe até hoje e é muito numerosa. Além dos descendentes naturais, Abraão também tem muitos descendentes espirituais. A fé de Abraão é elogiada e descrita por Paulo como a fé salvadora e geradora da família de Deus: “Porquanto procede da fé o ser herdeiro, para que seja segundo a graça, a fim de que a promessa seja firme a toda a descendência, não somente à que é da lei, mas também à que é da fé que teve Abraão, o qual é pai de todos nós” (Rm 4.16).
  • 39. O nome do patriarca Abraão é reverenciado no judaísmo, cristianismo e islamismo. Dele descendem dois povos: árabes e judeus. O Senhor é fiel e cumpriu com a sua promessa. Se Deus prometeu algo a você, não importa o quanto tenha que esperar, Ele vai cumprir. Vivemos em uma sociedade imediatista, onde as pessoas acham que esperar é perder tempo. Mas na vida espiritual, tudo acontece no tempo de Deus. Abraão confiou, obedeceu e foi honrado pelo Senhor.
  • 40. Abraão, o homem de fé, vivia totalmente isolado dos diferentes povos de Canaã, principalmente no que diz respeito às religiões e aos costumes. Contudo gozava de conceito muito elevado. Quando pediu para comprar um pedaço de terra para ali sepultar sua Sara. Os filhos de Hete disseram a Abraão: "Príncipe de Deus és no meio de nós; enterra. o teu morto na mais escolhida de nossas sepulturas (Gn 23.6), Semelhante conceito a respeito de Abraão demonstrou ter o rei Abimeleque quando disse a Abraão: "Eis que a minha terra está diante da tua face; habita onde for bom aos teus olhos" (Gn20.15). A conduta de Abraão gerava uma verdadeira irradiação espiritual a qual lhe dava uma posição de liderança sobre os homens entre os quais peregrinava. Abraão obedeceu e dele surgiu uma grande nação da qual nós somos benditos como está escrito “De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão” (Gl 3.9). Abraão foi abençoado e engrandecido o seu nome por causa de Cristo sendo conhecido como crente Abraão, ou seja, bendito Nome de Cristo. De Abraão surgiu o embrião da nação de Israel da qual nasceu o Senhor Jesus Cristo.
  • 41. Jesus, o Salvador, nasceu em Belém e descendia de Abraão, pai de todos os judeus. A vinda de Jesus fora predita nessa promessa feita a Abraão. Em Jesus Cristo, todas as famílias da terra são benditas, pois seu sacrifício na cruz é suficiente para salvar tanto judeus como gentios.
  • 42. Essa foi a maior promessa que Deus fez a Abraão (Gn 12.2,3). Através dos descendentes de Abraão, Deus revelou Seu plano para salvar o mundo. Jesus, o salvador do mundo, era descendente de Abraão. Ele veio para salvar todas as pessoas do pecado. Sua morte e ressurreição abençoa pessoas em todo mundo até hoje! Abraão não viu o cumprimento dessas três promessas mas ele creu em Deus. Ele já foi abençoado por conhecer essas promessas e saber que Deus as iria cumprir (Jo 8.56). As promessas de Deus para Abraão não foram uma bênção só para ele, são uma bênção para todos nós!
  • 43. "Em ti serão benditas todas as famílias da terra (Gn 12.3). Esta é a segunda profecia das Escrituras sobre a vinda de Jesus Cristo a este mundo. O texto fala de uma bênção espiritual que virá através de um descendente de Abraão. Paulo declara que esta bênção se refere ao evangelho de Cristo, oferecido a todas as nações. A promessa de Deus a Abrão revela que, desde os primórdios da raça humana, o propósito do evangelho era abençoar todas as nações com salvação. Deus está agora realizando os seus propósitos através de Jesus e seu povo fiel, que compartilha da sua vontade de salvar os perdidos, enviando pregadores para proclamar o evangelho a todas as famílias da terra (Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1995, p.51).
  • 44. Abraão era um homem de fé. Ele trocou a glória passageira desse mundo para ter um relacionamento pessoal com Deus. Sua fé não impediu de enfrentar provações e crises. Todavia, ele continuou olhando para o céu, contando as estrelas e crendo no milagre de Deus e na sua provisão para todas as áreas da sua vida. A fé nos faz vencer as crises e esperar confiantes nas promessas do Pai.
  • 45. Ur dos Caldeus. Seu pai, sua esposa e seu sobrinho Ló. Ele mentiu dizendo que Sara era sua irmã..
  • 46. "Far-te-ei uma grande nação e abençoar-te-ei;" "engrandecerei o teu nome" e "em ti serão benditas todas as famílias da terra". Era fazer da descendência de Abraão um povo separado, e da semente dele enviar a Jesus Cristo, para salvar todas as famílias da Terra..