SlideShare uma empresa Scribd logo
Aborto
Grupo: Neil, Vitor, Juliana e Glauber
Matéria: Afetivo Sexual
Professora: Angela Nogueira
Serie: 9 º Ano EF
• O primeiro dos direitos naturais do homem é o direito de
viver. O primeiro dever é defender e proteger o seu primeiro
direito: a vida.
• O mais elementar direito humano é o de nascer. Os outros
liberdade, educação, saúde, trabalho, justiça, cidadania - só
ganham sentido se houver o ser humano para desfrutá-los.
Cercear o direito à vida é negar todos os demais.
• A Humanidade se divide na hora de definir em qual momento
a vida tem início. Seria na concepção? Seria antes? Seria
depois ? Em torno desta divergência surge a dúvida sobre a
legitimidade do aborto.
Introdução
O que é o aborto?
• O aborto é a
interrupção da
gravidez voluntária ou
não. Que resulta em
morte de um feto ou
embrião.
O que se mata
Tipos de aborto
Aborto Provocado
Aborto Espontâneo
Aborto Espontâneo
Ocorre quando uma gravidez que
parecia estar a desenvolver-se
normalmente termina de maneira
involuntária, ou seja quando o
feto não está em condições de
sobreviver.
Aborto espontâneo
Aborto iminente Aborto inevitável
Aborto Iminente
É quando a mulher tem
um leve
sangramento, seguido
de dores nas costas, e
algumas cólicas
menstruais.
Aborto Inevitável
• É quando há a dilatação
do útero para expulsão
do feto ou embrião.
Seguido de fortes dores
e perda se sangue
Aborto Provocado
• O aborto provocado é
todo aquele que tem
como causador um
agente externo, que
pode ser um
profissional ou um
“leigo”que utiliza
algumas técnicas
Por Envenenamento Salino
Tira-se o líquido amniótico dentro da bolsa, que protege o
bébé, introduzindo uma longa agulha através do abdómen da mãe, até a
bolsa amniótica e injecta-se em seu lugar uma solução salina
concentrada. O bébé ingere esta solução que lhe causará a morte em
12 h, por envenenamento, desidratação, hemorragia do cérebro e de
outros órgãos.
Por Sucção
Põe-se no útero um tubo oco com uma ponta afiada.
Uma forte sucção que despedaça o corpo do bébé que
depois é depositado num balde. O abortista introduz
logo uma pinça para extrair o crânio.
Por Dilatação e Curetagem
• Neste método é utilizada uma faca afiada que vai
cortando o bébé em pedaços, até á morte. Depois o
abortista tira o bébé.
Por “D&X” OU Nascimento
Parcial
• O abortista põe uma pinça que vai tirando o corpo
do bébé por partes, depois tira-se o crânio e suga-
se este.
Por Operação cesariana
• É igual a uma operação cesariana, depois dá –se
uma injecção, o bébé acaba por morrer.
Causas do aborto
Incapacidade financeira (não podendo
alimentar os filhos)
Se for adolescente, medo do que a família
vai dizer.
Medo das dores de parto.
Problemas de saúde da mãe e do feto.
Violação.
Contraceptivos hormonais (mulher que
usa os contraceptivos, e por qualquer
razão fica grávida).
Consequências do
aborto
• Efeitos físicos:
 Infertilidade.
 Abortos espontâneos
 Natimortos
 Hemorragias e infecções
 Choques e Comas
 Útero Perfurado.
 Insónias
 Perda de apetite
 Distúrbios gastro-intestinais.
gastro-intestinais.
• Efeitos psicológicos:
 Sentimentos de culpa
 Impulsos suicidas
 Arrependimento
 Baixa auto-estima
 Receio da morte
 Desespero
 Perda de interesse sexual
 Desejo de acabar a relação
amorosa
 Alto interesse em bebés.
 Ódio por pessoas ligadas ao
aborto.
 Incapacidade de auto-
perdoar.
Estatísticas do Aborto
A cada 24 horas, há 3 835 abortos no Brasil e 137 000 vezes no mundo. Isso
mesmo: calcula-se que ocorram 1,4 milhão de abortos no Brasil e 50 milhões
no mundo, anualmente.
Aborto
Aborto
Aborto
Aborto
A cada 24 horas é feito 3 835 vezes abortos no
Brasil e 137 000 vezes no mundo. Calcula-se
que ocorram 1,4 milhão de abortos no Brasil e
50 milhões no mundo, anualmente.
Aborto
1. SE A VIDA DA MÃE CORRER PERIGO
2. SE A GRAVIDEZ RESULTAR DE ESTUPRO
3. SE A CRIANÇA TIVER ANENCEFALIA (NASCER COM
UMA MÁ FORMAÇÃO DO CELEBRO
 CÓDIGO PENAL PREVÊ DE 1 A 3 ANOS DE
RECLUSÃO PARA A GESTANTE QUE O
PRATICA
 DE 1 A 10 ANOS PARA TERCEIRO QUE
O PROVOCA
Código Penal Brasileiro
• A fim de suplantar o imenso número de abortos feitos a cada segundo em todo o
mundo, propomos as seguintes alternativas:
• . conscientização e orientação sexual – o sexo precoce é extremamente
prejudicial ao sadio desenvolvimento dos jovens e adolescentes, os desfocando
de questões importantes, como os estudos e a correta maturação de suas
vontades;
• . políticas públicas de proteção à maternidade (amparo psicológico, médico...) –
tanto a mãe quanto o bebê precisam ser protegidos na gravidez e atendidos de
forma eficiente pelos serviços públicos de saúde;
• . grupos de apoio a mulheres com gravidez indesejada – como o desejo de ser
mãe, vez por outra, pode variar, o bebê, no início indesejado, pode
ser, pois, motivo de imensa alegria e satisfação na família;
• . prática de valores cristãos, como o abandono da promiscuidade nos
relacionamentos e o fortalecimento da família – precisamos reconhecer que a
Bíblia contem inesgotáveis ensinos para uma vida plena, sendo certo que, como
vimos, a quase totalidade dos abortos ocorre pelo desenfrear das relações
humanas, das quais resultam a gravidez indesejada;
• . adoção – como há muitas famílias na fila à espera de crianças para a
adoção, especialmente na tenra idade, caso a mãe não deseje ficar com a
criança, por qualquer motivo, melhor colocá-la para a adoção do
que, abortando, matá-la.
Alternativas e soluções
• O aborto é um ato que pode ser voluntário ou involuntário.
Cabe a cada mãe decidir se permitirá vida ou arrancara esse
direito de seu possível futuro filho.
Conclusão
Aborto
Aborto

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O Aborto
O AbortoO Aborto
O Aborto
Rita Galrito
 
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PECartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
Ana Santos
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legaisAborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legais
Maria Stella
 
Aborto: questões éticas
Aborto: questões éticasAborto: questões éticas
Aborto: questões éticas
Samuel Benjamin
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
Nokas Silva
 
ABORTO
ABORTOABORTO
ABORTO
jekinha
 
Aborto slides
Aborto slidesAborto slides
Aborto
Aborto Aborto
Aborto
SonynhaRegis
 
Aleitamento Materno: Empoderar Mães e Pais, Favorecer a Amamentação
Aleitamento Materno: Empoderar Mães e Pais, Favorecer a AmamentaçãoAleitamento Materno: Empoderar Mães e Pais, Favorecer a Amamentação
Aleitamento Materno: Empoderar Mães e Pais, Favorecer a Amamentação
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Aborto apresentaçao palestra
Aborto apresentaçao palestraAborto apresentaçao palestra
Aborto apresentaçao palestra
Rita Jussara
 
Parto humanizado
Parto humanizadoParto humanizado
Parto humanizado
Lilian Magalhaes
 
Seminário aborto
Seminário  abortoSeminário  aborto
Seminário aborto
Laíz Coutinho
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
Natasha Louise
 
Gravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimentoGravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimento
Letícia Spina Tapia
 
Aborto
AbortoAborto
Bioética aborto
Bioética   abortoBioética   aborto
Bioética aborto
Cristianne94
 
Promoção do Aleitamento Materno no Alojamento Conjunto
Promoção do Aleitamento Materno no Alojamento ConjuntoPromoção do Aleitamento Materno no Alojamento Conjunto
Aborto - História, religião, politica e ética.
Aborto - História, religião, politica e ética.Aborto - História, religião, politica e ética.
Aborto - História, religião, politica e ética.
Ana Santos
 

Mais procurados (20)

O Aborto
O AbortoO Aborto
O Aborto
 
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PECartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legaisAborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legais
 
Aborto: questões éticas
Aborto: questões éticasAborto: questões éticas
Aborto: questões éticas
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
ABORTO
ABORTOABORTO
ABORTO
 
Aborto slides
Aborto slidesAborto slides
Aborto slides
 
Aborto
Aborto Aborto
Aborto
 
Aleitamento Materno: Empoderar Mães e Pais, Favorecer a Amamentação
Aleitamento Materno: Empoderar Mães e Pais, Favorecer a AmamentaçãoAleitamento Materno: Empoderar Mães e Pais, Favorecer a Amamentação
Aleitamento Materno: Empoderar Mães e Pais, Favorecer a Amamentação
 
Aborto apresentaçao palestra
Aborto apresentaçao palestraAborto apresentaçao palestra
Aborto apresentaçao palestra
 
Parto humanizado
Parto humanizadoParto humanizado
Parto humanizado
 
Seminário aborto
Seminário  abortoSeminário  aborto
Seminário aborto
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
 
Gravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimentoGravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimento
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Bioética aborto
Bioética   abortoBioética   aborto
Bioética aborto
 
Promoção do Aleitamento Materno no Alojamento Conjunto
Promoção do Aleitamento Materno no Alojamento ConjuntoPromoção do Aleitamento Materno no Alojamento Conjunto
Promoção do Aleitamento Materno no Alojamento Conjunto
 
Aborto - História, religião, politica e ética.
Aborto - História, religião, politica e ética.Aborto - História, religião, politica e ética.
Aborto - História, religião, politica e ética.
 

Semelhante a Aborto

Gravidez e parto
Gravidez e partoGravidez e parto
Gravidez e parto
Alessandra Vieira da Silva
 
Assistência de enf nos ciclos da vida.pptx
Assistência de enf nos ciclos da vida.pptxAssistência de enf nos ciclos da vida.pptx
Assistência de enf nos ciclos da vida.pptx
TamiresTeixeira25
 
Ng7-Aborto
Ng7-AbortoNg7-Aborto
Ng7-Aborto
AT
 
Douglas e leo
Douglas e leoDouglas e leo
Douglas e leo
lurocha63
 
aborto
 aborto aborto
Diga sim a vida e nao ao aborto 2
Diga sim a vida e nao ao aborto 2Diga sim a vida e nao ao aborto 2
Diga sim a vida e nao ao aborto 2
guest843f1b
 
Aborto
AbortoAborto
Assistência de enfermagem ao recém nascido- nascidos normal.pptx
Assistência de enfermagem ao recém nascido- nascidos normal.pptxAssistência de enfermagem ao recém nascido- nascidos normal.pptx
Assistência de enfermagem ao recém nascido- nascidos normal.pptx
pedroelias74
 
Método de ovulação billings
Método de ovulação billingsMétodo de ovulação billings
Método de ovulação billings
MAE, DONA DE CASA
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
gabrielmonteiroborges
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
SourcerRagna
 
Interrupção Voluntária Da Gravidez Aborto Trabalho Filosofia
Interrupção Voluntária Da Gravidez Aborto   Trabalho FilosofiaInterrupção Voluntária Da Gravidez Aborto   Trabalho Filosofia
Interrupção Voluntária Da Gravidez Aborto Trabalho Filosofia
SNM
 
Manual de-bioetica-para-jovens-jmj-2013
Manual de-bioetica-para-jovens-jmj-2013Manual de-bioetica-para-jovens-jmj-2013
Manual de-bioetica-para-jovens-jmj-2013
Robertha Furlan
 
Aborto
AbortoAborto
A favor do aborto
A favor do abortoA favor do aborto
A favor do aborto
Ká Paganini
 
Gravidez na adolescência catarina
Gravidez na adolescência catarinaGravidez na adolescência catarina
Gravidez na adolescência catarina
catycatesmy
 
Gravidez na adolescência catarina
Gravidez na adolescência catarinaGravidez na adolescência catarina
Gravidez na adolescência catarina
catycatesmy
 
Aborto - Sociologia
Aborto - SociologiaAborto - Sociologia
Aborto - Sociologia
Larissa Azevedo Milward
 
Celebrando a vida
Celebrando a vidaCelebrando a vida
Celebrando a vida
meridam
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
cesar352
 

Semelhante a Aborto (20)

Gravidez e parto
Gravidez e partoGravidez e parto
Gravidez e parto
 
Assistência de enf nos ciclos da vida.pptx
Assistência de enf nos ciclos da vida.pptxAssistência de enf nos ciclos da vida.pptx
Assistência de enf nos ciclos da vida.pptx
 
Ng7-Aborto
Ng7-AbortoNg7-Aborto
Ng7-Aborto
 
Douglas e leo
Douglas e leoDouglas e leo
Douglas e leo
 
aborto
 aborto aborto
aborto
 
Diga sim a vida e nao ao aborto 2
Diga sim a vida e nao ao aborto 2Diga sim a vida e nao ao aborto 2
Diga sim a vida e nao ao aborto 2
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Assistência de enfermagem ao recém nascido- nascidos normal.pptx
Assistência de enfermagem ao recém nascido- nascidos normal.pptxAssistência de enfermagem ao recém nascido- nascidos normal.pptx
Assistência de enfermagem ao recém nascido- nascidos normal.pptx
 
Método de ovulação billings
Método de ovulação billingsMétodo de ovulação billings
Método de ovulação billings
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Interrupção Voluntária Da Gravidez Aborto Trabalho Filosofia
Interrupção Voluntária Da Gravidez Aborto   Trabalho FilosofiaInterrupção Voluntária Da Gravidez Aborto   Trabalho Filosofia
Interrupção Voluntária Da Gravidez Aborto Trabalho Filosofia
 
Manual de-bioetica-para-jovens-jmj-2013
Manual de-bioetica-para-jovens-jmj-2013Manual de-bioetica-para-jovens-jmj-2013
Manual de-bioetica-para-jovens-jmj-2013
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
A favor do aborto
A favor do abortoA favor do aborto
A favor do aborto
 
Gravidez na adolescência catarina
Gravidez na adolescência catarinaGravidez na adolescência catarina
Gravidez na adolescência catarina
 
Gravidez na adolescência catarina
Gravidez na adolescência catarinaGravidez na adolescência catarina
Gravidez na adolescência catarina
 
Aborto - Sociologia
Aborto - SociologiaAborto - Sociologia
Aborto - Sociologia
 
Celebrando a vida
Celebrando a vidaCelebrando a vida
Celebrando a vida
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 

Mais de Neil Azevedo

Codevasf
CodevasfCodevasf
Codevasf
Neil Azevedo
 
Apresentacao modulo 5
Apresentacao   modulo 5Apresentacao   modulo 5
Apresentacao modulo 5
Neil Azevedo
 
Palestra ahsfra (1)
Palestra ahsfra (1)Palestra ahsfra (1)
Palestra ahsfra (1)
Neil Azevedo
 
Aula origem da vida
Aula   origem da vidaAula   origem da vida
Aula origem da vida
Neil Azevedo
 
Placa mãe e barramentos
Placa mãe e barramentosPlaca mãe e barramentos
Placa mãe e barramentos
Neil Azevedo
 
Apresentação coca cola
Apresentação   coca colaApresentação   coca cola
Apresentação coca cola
Neil Azevedo
 
10 razões contra o aborto
10 razões contra o aborto10 razões contra o aborto
10 razões contra o aborto
Neil Azevedo
 
Relações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retânguloRelações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retângulo
Neil Azevedo
 
Mi coca cola
Mi coca colaMi coca cola
Mi coca cola
Neil Azevedo
 
148 arq
148 arq148 arq
148 arq
Neil Azevedo
 
Sistema digestório com imagens
Sistema digestório com imagensSistema digestório com imagens
Sistema digestório com imagens
Neil Azevedo
 
Incentivo ao esporte
Incentivo ao esporteIncentivo ao esporte
Incentivo ao esporte
Neil Azevedo
 
Circo
CircoCirco
Variação linguística de são paulo
Variação linguística de são pauloVariação linguística de são paulo
Variação linguística de são paulo
Neil Azevedo
 
Maconha
MaconhaMaconha
Maconha
Neil Azevedo
 
Pena de morte
Pena de mortePena de morte
Pena de morte
Neil Azevedo
 
Apresentao1 ppt-090623093937-phpapp02
Apresentao1 ppt-090623093937-phpapp02Apresentao1 ppt-090623093937-phpapp02
Apresentao1 ppt-090623093937-phpapp02
Neil Azevedo
 
Relações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retânguloRelações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retângulo
Neil Azevedo
 
17
1717
Circunferências, arcos e ângulos
Circunferências, arcos e ângulosCircunferências, arcos e ângulos
Circunferências, arcos e ângulos
Neil Azevedo
 

Mais de Neil Azevedo (20)

Codevasf
CodevasfCodevasf
Codevasf
 
Apresentacao modulo 5
Apresentacao   modulo 5Apresentacao   modulo 5
Apresentacao modulo 5
 
Palestra ahsfra (1)
Palestra ahsfra (1)Palestra ahsfra (1)
Palestra ahsfra (1)
 
Aula origem da vida
Aula   origem da vidaAula   origem da vida
Aula origem da vida
 
Placa mãe e barramentos
Placa mãe e barramentosPlaca mãe e barramentos
Placa mãe e barramentos
 
Apresentação coca cola
Apresentação   coca colaApresentação   coca cola
Apresentação coca cola
 
10 razões contra o aborto
10 razões contra o aborto10 razões contra o aborto
10 razões contra o aborto
 
Relações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retânguloRelações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retângulo
 
Mi coca cola
Mi coca colaMi coca cola
Mi coca cola
 
148 arq
148 arq148 arq
148 arq
 
Sistema digestório com imagens
Sistema digestório com imagensSistema digestório com imagens
Sistema digestório com imagens
 
Incentivo ao esporte
Incentivo ao esporteIncentivo ao esporte
Incentivo ao esporte
 
Circo
CircoCirco
Circo
 
Variação linguística de são paulo
Variação linguística de são pauloVariação linguística de são paulo
Variação linguística de são paulo
 
Maconha
MaconhaMaconha
Maconha
 
Pena de morte
Pena de mortePena de morte
Pena de morte
 
Apresentao1 ppt-090623093937-phpapp02
Apresentao1 ppt-090623093937-phpapp02Apresentao1 ppt-090623093937-phpapp02
Apresentao1 ppt-090623093937-phpapp02
 
Relações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retânguloRelações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retângulo
 
17
1717
17
 
Circunferências, arcos e ângulos
Circunferências, arcos e ângulosCircunferências, arcos e ângulos
Circunferências, arcos e ângulos
 

Aborto

  • 1. Aborto Grupo: Neil, Vitor, Juliana e Glauber Matéria: Afetivo Sexual Professora: Angela Nogueira Serie: 9 º Ano EF
  • 2. • O primeiro dos direitos naturais do homem é o direito de viver. O primeiro dever é defender e proteger o seu primeiro direito: a vida. • O mais elementar direito humano é o de nascer. Os outros liberdade, educação, saúde, trabalho, justiça, cidadania - só ganham sentido se houver o ser humano para desfrutá-los. Cercear o direito à vida é negar todos os demais. • A Humanidade se divide na hora de definir em qual momento a vida tem início. Seria na concepção? Seria antes? Seria depois ? Em torno desta divergência surge a dúvida sobre a legitimidade do aborto. Introdução
  • 3. O que é o aborto? • O aborto é a interrupção da gravidez voluntária ou não. Que resulta em morte de um feto ou embrião.
  • 4. O que se mata
  • 5. Tipos de aborto Aborto Provocado Aborto Espontâneo
  • 6. Aborto Espontâneo Ocorre quando uma gravidez que parecia estar a desenvolver-se normalmente termina de maneira involuntária, ou seja quando o feto não está em condições de sobreviver.
  • 8. Aborto Iminente É quando a mulher tem um leve sangramento, seguido de dores nas costas, e algumas cólicas menstruais.
  • 9. Aborto Inevitável • É quando há a dilatação do útero para expulsão do feto ou embrião. Seguido de fortes dores e perda se sangue
  • 10. Aborto Provocado • O aborto provocado é todo aquele que tem como causador um agente externo, que pode ser um profissional ou um “leigo”que utiliza algumas técnicas
  • 11. Por Envenenamento Salino Tira-se o líquido amniótico dentro da bolsa, que protege o bébé, introduzindo uma longa agulha através do abdómen da mãe, até a bolsa amniótica e injecta-se em seu lugar uma solução salina concentrada. O bébé ingere esta solução que lhe causará a morte em 12 h, por envenenamento, desidratação, hemorragia do cérebro e de outros órgãos.
  • 12. Por Sucção Põe-se no útero um tubo oco com uma ponta afiada. Uma forte sucção que despedaça o corpo do bébé que depois é depositado num balde. O abortista introduz logo uma pinça para extrair o crânio.
  • 13. Por Dilatação e Curetagem • Neste método é utilizada uma faca afiada que vai cortando o bébé em pedaços, até á morte. Depois o abortista tira o bébé.
  • 14. Por “D&X” OU Nascimento Parcial • O abortista põe uma pinça que vai tirando o corpo do bébé por partes, depois tira-se o crânio e suga- se este.
  • 15. Por Operação cesariana • É igual a uma operação cesariana, depois dá –se uma injecção, o bébé acaba por morrer.
  • 16. Causas do aborto Incapacidade financeira (não podendo alimentar os filhos) Se for adolescente, medo do que a família vai dizer. Medo das dores de parto. Problemas de saúde da mãe e do feto. Violação.
  • 17. Contraceptivos hormonais (mulher que usa os contraceptivos, e por qualquer razão fica grávida).
  • 18. Consequências do aborto • Efeitos físicos:  Infertilidade.  Abortos espontâneos  Natimortos  Hemorragias e infecções  Choques e Comas  Útero Perfurado.  Insónias  Perda de apetite  Distúrbios gastro-intestinais. gastro-intestinais. • Efeitos psicológicos:  Sentimentos de culpa  Impulsos suicidas  Arrependimento  Baixa auto-estima  Receio da morte  Desespero  Perda de interesse sexual  Desejo de acabar a relação amorosa  Alto interesse em bebés.  Ódio por pessoas ligadas ao aborto.  Incapacidade de auto- perdoar.
  • 19. Estatísticas do Aborto A cada 24 horas, há 3 835 abortos no Brasil e 137 000 vezes no mundo. Isso mesmo: calcula-se que ocorram 1,4 milhão de abortos no Brasil e 50 milhões no mundo, anualmente.
  • 24. A cada 24 horas é feito 3 835 vezes abortos no Brasil e 137 000 vezes no mundo. Calcula-se que ocorram 1,4 milhão de abortos no Brasil e 50 milhões no mundo, anualmente.
  • 26. 1. SE A VIDA DA MÃE CORRER PERIGO 2. SE A GRAVIDEZ RESULTAR DE ESTUPRO 3. SE A CRIANÇA TIVER ANENCEFALIA (NASCER COM UMA MÁ FORMAÇÃO DO CELEBRO  CÓDIGO PENAL PREVÊ DE 1 A 3 ANOS DE RECLUSÃO PARA A GESTANTE QUE O PRATICA  DE 1 A 10 ANOS PARA TERCEIRO QUE O PROVOCA Código Penal Brasileiro
  • 27. • A fim de suplantar o imenso número de abortos feitos a cada segundo em todo o mundo, propomos as seguintes alternativas: • . conscientização e orientação sexual – o sexo precoce é extremamente prejudicial ao sadio desenvolvimento dos jovens e adolescentes, os desfocando de questões importantes, como os estudos e a correta maturação de suas vontades; • . políticas públicas de proteção à maternidade (amparo psicológico, médico...) – tanto a mãe quanto o bebê precisam ser protegidos na gravidez e atendidos de forma eficiente pelos serviços públicos de saúde; • . grupos de apoio a mulheres com gravidez indesejada – como o desejo de ser mãe, vez por outra, pode variar, o bebê, no início indesejado, pode ser, pois, motivo de imensa alegria e satisfação na família; • . prática de valores cristãos, como o abandono da promiscuidade nos relacionamentos e o fortalecimento da família – precisamos reconhecer que a Bíblia contem inesgotáveis ensinos para uma vida plena, sendo certo que, como vimos, a quase totalidade dos abortos ocorre pelo desenfrear das relações humanas, das quais resultam a gravidez indesejada; • . adoção – como há muitas famílias na fila à espera de crianças para a adoção, especialmente na tenra idade, caso a mãe não deseje ficar com a criança, por qualquer motivo, melhor colocá-la para a adoção do que, abortando, matá-la. Alternativas e soluções
  • 28. • O aborto é um ato que pode ser voluntário ou involuntário. Cabe a cada mãe decidir se permitirá vida ou arrancara esse direito de seu possível futuro filho. Conclusão