SlideShare uma empresa Scribd logo
Abortar ou não abortar
O que é o aborto? 
Indice 
• O que é o aborto? 
• Tipos de abortos 
• Métodos de Indução do Aborto 
• Aborto em clinicas 
especializadas vs aborto em 
clinicas clandestinas
Aborto é a remoção ou expulsão prematura 
de um embrião ou feto do útero, resultando 
na sua morte
Aborto Espontâneo 
Aborto induzido 
Aborto Ilegal 
Complicações do Aborto
Aborto Espontâneo 
Surge quando a gravidez é interrompida sem que seja por 
vontade da mulher. Pode acontecer por vários fatores 
biológicos, psicológicos e sociais que contribuem para que 
esta situação se verifique.
Aborto induzido 
O aborto induzido é um procedimento usado para interromper 
uma gravidez. 
Pode acontecer quando existem mas formações congénitas, 
quando a gravidez resulta de um crime contra a liberdade e 
autodeterminação sexual, quando a gravidez coloca em perigo a 
vida e a saúde física e/ou psíquica da mulher ou simplesmente 
por opção da mulher. 
É legal quando a interrupção da gravidez é realizada de acordo 
com a legislação em vigor. 
Quando feito precocemente por médicos experientes e em 
condições adequadas apresenta um elevadíssimo nível de 
segurança.
Aborto Ilegal 
O aborto ilegal é a interrupção duma gravidez quando os 
motivos apresentados não se encontram enquadrados na 
legislação em vigor ou quando é feito em locais que não estão 
oficialmente reconhecidos para o efeito. 
O aborto ilegal e inseguro constitui uma importante causa de 
mortalidade e de morbilidade maternas. O aborto 
clandestino é um problema de saúde pública.
Complicações do Aborto 
Entre as complicações do aborto destacam-se as 
hemorragias, as infeções e evacuações incompletas, e, no 
caso de aborto cirúrgico, as lacerações cervicais e perfurações 
uterinas. Estas complicações, muito raras no aborto precoce , 
entre outras
Métodos de Indução ao Aborto 
quimico 
Cirúrgico
Métodos de Indução ao Aborto 
ABORTO QUIMICO 
A gravidez pode ser interrompida medicamente, 
usando uma combinação do anti progestativo 
mifepristone (RU 486) com uma prostaglandina, 
como o misoprostol. A RU 486 (Mifepristone) é 
reconhecida como substância abortiva. 
Atua bloqueando o desenvolvimento fetal, pelo que 
em alguns casos requer uma intervenção cirúrgica 
para finalizar o processo de expulsão . Após um 
aborto químico, a mulher pode ter uma hemorragia 
mais intensa do que a hemorragia causada por um 
aborto cirúrgico.
Métodos de Indução ao Aborto 
ABORTO QUIMICO 
Trata-se de uma hemorragia semelhante a uma 
menstruação. As dores também são mais 
frequentes e pode ocorrer alguma febre e diarreia. 
Se este método falhar, o aborto terá de ser 
completado cirurgicamente. 
O recurso à RU486 encontra-se restrito ao uso 
hospitalar e clínicas especializadas devidamente 
credenciadas para o efeito. Não se deve confundir 
com a pílula de Contraceção de Emergência nem 
com o Misopostol (no mercado, comercializado 
com o nome de Cytotec).
Métodos de Indução ao Aborto 
ABORTO CIRUGICO 
O método consiste na remoção do conteúdo 
uterino por aspiração e curetagem. A intervenção 
pode ser realizada sob método anestésico que 
melhor se adapte à situação (anestesia local ou 
geral), de acordo com a informação médica. 
Uma breve hospitalização é suficiente numa 
situação de interrupção da gravidez, mesmo se 
praticada sob anestesia geral. A intervenção 
decorre no bloco operatório e dura apenas alguns 
minutos.
PROCEDIMENTOS 
Procedimentos 
Cosulta previa 
É obrigatório para todas as mulheres um período 
de reflexão de 3 dias, entre a consulta previa e a 
data da interrupção da gravidez
PROCEDIMENTOS 
Apoio psicologico 
Cosulta previa 
Disponível para as mulheres que o solicitem para 
a tomada de decisão ou que queiram falar com 
um técnico sobre a sua escolha. Este momento de 
escuta e de diálogo pode ser importante para a 
ajudar a tomar a decisão de forma livre e 
consciente
PROCEDIMENTOS 
As escolhas a fazer, caso opte pela I.V.G 
A mulher optar por interromper a gravidez 
num estabelecimento hospitalar público ou 
privado: a interrupção poderá ser 
medicamentosa ou cirúrgica, de acordo com a 
situação clínica e os recursos disponíveis na 
instituição. 
Se a mulher optar por interromper a gravidez 
sem hospitalização, em 
ambulatório: a interrupção da gravidez será 
medicamentosa
PROCEDIMENTOS 
Outras consultas necessária 
Se o método escolhido implicar anestesia, ainda 
que apenas local, poderá ser necessário uma 
consulta por anestesista, antes da intervenção. 
A mulher deve fazer uma revisão ginecológica 15 
dias após a intervenção e deverá ser informada 
acerca dos vários métodos contraceptivos 
existentes de forma a decidir qual o mais 
adequado ao seu caso, à sua relação, estado de 
saúde e idade.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aborto: questões éticas
Aborto: questões éticasAborto: questões éticas
Aborto: questões éticas
Samuel Benjamin
 
Aborto ronaldo
Aborto ronaldoAborto ronaldo
Aborto ronaldo
Tatyana Rodrigues
 
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERES
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERESO CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERES
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERES
Enfº Ícaro Araújo
 
Aborto slides
Aborto slidesAborto slides
aborto
 aborto aborto
Considerações a respeito do aborto espontâneo e provocado
Considerações a respeito do aborto espontâneo e provocadoConsiderações a respeito do aborto espontâneo e provocado
Considerações a respeito do aborto espontâneo e provocado
Cleiton Ribeiro Alves
 
Direitos Humanos - O Aborto - Grupo4
Direitos Humanos - O Aborto - Grupo4Direitos Humanos - O Aborto - Grupo4
Direitos Humanos - O Aborto - Grupo4
marleneves
 
Aborto
Aborto Aborto
Aborto
SonynhaRegis
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
CriseGreg
 
Curso de g estação
Curso de g estaçãoCurso de g estação
Curso de g estação
Alinebrauna Brauna
 
Abortamento
AbortamentoAbortamento
Abortamento
Maycon Silva
 
Oms boas praticas de atencao ao parto e ao nascimento
Oms   boas praticas de atencao ao parto e ao nascimentoOms   boas praticas de atencao ao parto e ao nascimento
Oms boas praticas de atencao ao parto e ao nascimento
Carina Oliveira de Abreu
 
1193433328 interrupcao voluntaria_da_gravidez_ate_as_10_semanas
1193433328 interrupcao voluntaria_da_gravidez_ate_as_10_semanas1193433328 interrupcao voluntaria_da_gravidez_ate_as_10_semanas
1193433328 interrupcao voluntaria_da_gravidez_ate_as_10_semanas
Pelo Siro
 
Visão cientifica do Aborto, material de apoio
Visão cientifica do Aborto, material de apoio Visão cientifica do Aborto, material de apoio
Visão cientifica do Aborto, material de apoio
Aldy Paula
 
Ng7-Aborto
Ng7-AbortoNg7-Aborto
Ng7-Aborto
AT
 
Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Apresentacao legislacao em enfermagem 1Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Rosimeire Areias
 
Atenção ao parto normal
Atenção ao parto normalAtenção ao parto normal
Atenção ao parto normal
Silvia Luanda Rezende
 

Mais procurados (17)

Aborto: questões éticas
Aborto: questões éticasAborto: questões éticas
Aborto: questões éticas
 
Aborto ronaldo
Aborto ronaldoAborto ronaldo
Aborto ronaldo
 
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERES
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERESO CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERES
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERES
 
Aborto slides
Aborto slidesAborto slides
Aborto slides
 
aborto
 aborto aborto
aborto
 
Considerações a respeito do aborto espontâneo e provocado
Considerações a respeito do aborto espontâneo e provocadoConsiderações a respeito do aborto espontâneo e provocado
Considerações a respeito do aborto espontâneo e provocado
 
Direitos Humanos - O Aborto - Grupo4
Direitos Humanos - O Aborto - Grupo4Direitos Humanos - O Aborto - Grupo4
Direitos Humanos - O Aborto - Grupo4
 
Aborto
Aborto Aborto
Aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Curso de g estação
Curso de g estaçãoCurso de g estação
Curso de g estação
 
Abortamento
AbortamentoAbortamento
Abortamento
 
Oms boas praticas de atencao ao parto e ao nascimento
Oms   boas praticas de atencao ao parto e ao nascimentoOms   boas praticas de atencao ao parto e ao nascimento
Oms boas praticas de atencao ao parto e ao nascimento
 
1193433328 interrupcao voluntaria_da_gravidez_ate_as_10_semanas
1193433328 interrupcao voluntaria_da_gravidez_ate_as_10_semanas1193433328 interrupcao voluntaria_da_gravidez_ate_as_10_semanas
1193433328 interrupcao voluntaria_da_gravidez_ate_as_10_semanas
 
Visão cientifica do Aborto, material de apoio
Visão cientifica do Aborto, material de apoio Visão cientifica do Aborto, material de apoio
Visão cientifica do Aborto, material de apoio
 
Ng7-Aborto
Ng7-AbortoNg7-Aborto
Ng7-Aborto
 
Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Apresentacao legislacao em enfermagem 1Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Apresentacao legislacao em enfermagem 1
 
Atenção ao parto normal
Atenção ao parto normalAtenção ao parto normal
Atenção ao parto normal
 

Destaque

Reforma Código Penal Brasileiro 2012 - Aborto Legal
Reforma Código Penal Brasileiro 2012 - Aborto LegalReforma Código Penal Brasileiro 2012 - Aborto Legal
Reforma Código Penal Brasileiro 2012 - Aborto Legal
AADS - Ações Afirmativas em Direitos e Saúde
 
Aborto no brasil
Aborto no brasilAborto no brasil
Aborto no brasil
-
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
Ylla Cohim
 
Aborto - História, religião, politica e ética.
Aborto - História, religião, politica e ética.Aborto - História, religião, politica e ética.
Aborto - História, religião, politica e ética.
Ana Santos
 
Aborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legaisAborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legais
Maria Stella
 
Apresentação aborto
Apresentação abortoApresentação aborto
Apresentação aborto
luciana
 
ABORTO
ABORTOABORTO
ABORTO
jekinha
 

Destaque (7)

Reforma Código Penal Brasileiro 2012 - Aborto Legal
Reforma Código Penal Brasileiro 2012 - Aborto LegalReforma Código Penal Brasileiro 2012 - Aborto Legal
Reforma Código Penal Brasileiro 2012 - Aborto Legal
 
Aborto no brasil
Aborto no brasilAborto no brasil
Aborto no brasil
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto - História, religião, politica e ética.
Aborto - História, religião, politica e ética.Aborto - História, religião, politica e ética.
Aborto - História, religião, politica e ética.
 
Aborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legaisAborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legais
 
Apresentação aborto
Apresentação abortoApresentação aborto
Apresentação aborto
 
ABORTO
ABORTOABORTO
ABORTO
 

Semelhante a Abortar ou não abortar

Aborto ronaldo
Aborto ronaldoAborto ronaldo
Aborto ronaldo
Yaneh Viana
 
Aborto slide
Aborto slideAborto slide
Aborto slide
Marcos Silva
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
CriseGreg
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
CriseGreg
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
AbortoAborto
Aborto
AbortoAborto
Aborto
egmichele
 
Metodos contraceptivoS.ppt.pdf
Metodos contraceptivoS.ppt.pdfMetodos contraceptivoS.ppt.pdf
Metodos contraceptivoS.ppt.pdf
MaykonCesar3
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
PhoenixSportFitness
 
Aborto yane
Aborto yaneAborto yane
Aborto yane
Yaneh Viana
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
Yaneh Viana
 
O aborto
O abortoO aborto
O aborto
100ideias
 
Violência obstetrícia: o que é e os direitos da parturiente
Violência obstetrícia: o que é e os direitos da parturienteViolência obstetrícia: o que é e os direitos da parturiente
Violência obstetrícia: o que é e os direitos da parturiente
Maria Luiza Gorga
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
TesisMaster
 
Tuv12 pag 41_47_atualizacao
Tuv12 pag 41_47_atualizacaoTuv12 pag 41_47_atualizacao
Tuv12 pag 41_47_atualizacao
sandra.pereira
 
Rita Todos Contraceptivos
Rita  Todos ContraceptivosRita  Todos Contraceptivos
Rita Todos Contraceptivos
Ana Abegão
 
O Aborto
O AbortoO Aborto
O Aborto
Rita Galrito
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
Natasha Louise
 
Saúde da mulher
Saúde da mulherSaúde da mulher
Saúde da mulher
Michelle Santos
 
slide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.ppt
slide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.pptslide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.ppt
slide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.ppt
Francielttonsantos
 

Semelhante a Abortar ou não abortar (20)

Aborto ronaldo
Aborto ronaldoAborto ronaldo
Aborto ronaldo
 
Aborto slide
Aborto slideAborto slide
Aborto slide
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Metodos contraceptivoS.ppt.pdf
Metodos contraceptivoS.ppt.pdfMetodos contraceptivoS.ppt.pdf
Metodos contraceptivoS.ppt.pdf
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Aborto yane
Aborto yaneAborto yane
Aborto yane
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
O aborto
O abortoO aborto
O aborto
 
Violência obstetrícia: o que é e os direitos da parturiente
Violência obstetrícia: o que é e os direitos da parturienteViolência obstetrícia: o que é e os direitos da parturiente
Violência obstetrícia: o que é e os direitos da parturiente
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
 
Tuv12 pag 41_47_atualizacao
Tuv12 pag 41_47_atualizacaoTuv12 pag 41_47_atualizacao
Tuv12 pag 41_47_atualizacao
 
Rita Todos Contraceptivos
Rita  Todos ContraceptivosRita  Todos Contraceptivos
Rita Todos Contraceptivos
 
O Aborto
O AbortoO Aborto
O Aborto
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
 
Saúde da mulher
Saúde da mulherSaúde da mulher
Saúde da mulher
 
slide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.ppt
slide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.pptslide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.ppt
slide aula síndromes hemorrágicas enp 375 2020.ppt
 

Mais de Sérgio Antao

Transportesetelecomunicações
TransportesetelecomunicaçõesTransportesetelecomunicações
Transportesetelecomunicações
Sérgio Antao
 
0132 t sergio_antao_aspetos fundamentais no crescimento da escrita1
0132 t sergio_antao_aspetos fundamentais no crescimento da escrita10132 t sergio_antao_aspetos fundamentais no crescimento da escrita1
0132 t sergio_antao_aspetos fundamentais no crescimento da escrita1
Sérgio Antao
 
Bigbang
BigbangBigbang
Bigbang
Sérgio Antao
 
Sergio antao 03_s_tc5_final
Sergio antao 03_s_tc5_finalSergio antao 03_s_tc5_final
Sergio antao 03_s_tc5_final
Sérgio Antao
 
India2english
India2englishIndia2english
India2english
Sérgio Antao
 
Modulo 0138 0138-caracterização de varios tipos e formatos de imagem
Modulo 0138 0138-caracterização de varios tipos e formatos de imagemModulo 0138 0138-caracterização de varios tipos e formatos de imagem
Modulo 0138 0138-caracterização de varios tipos e formatos de imagem
Sérgio Antao
 
0132 tarde sergio_antao_ricardo_oliveira_luis_bernardo_tipos de pc
0132 tarde sergio_antao_ricardo_oliveira_luis_bernardo_tipos de pc0132 tarde sergio_antao_ricardo_oliveira_luis_bernardo_tipos de pc
0132 tarde sergio_antao_ricardo_oliveira_luis_bernardo_tipos de pc
Sérgio Antao
 

Mais de Sérgio Antao (7)

Transportesetelecomunicações
TransportesetelecomunicaçõesTransportesetelecomunicações
Transportesetelecomunicações
 
0132 t sergio_antao_aspetos fundamentais no crescimento da escrita1
0132 t sergio_antao_aspetos fundamentais no crescimento da escrita10132 t sergio_antao_aspetos fundamentais no crescimento da escrita1
0132 t sergio_antao_aspetos fundamentais no crescimento da escrita1
 
Bigbang
BigbangBigbang
Bigbang
 
Sergio antao 03_s_tc5_final
Sergio antao 03_s_tc5_finalSergio antao 03_s_tc5_final
Sergio antao 03_s_tc5_final
 
India2english
India2englishIndia2english
India2english
 
Modulo 0138 0138-caracterização de varios tipos e formatos de imagem
Modulo 0138 0138-caracterização de varios tipos e formatos de imagemModulo 0138 0138-caracterização de varios tipos e formatos de imagem
Modulo 0138 0138-caracterização de varios tipos e formatos de imagem
 
0132 tarde sergio_antao_ricardo_oliveira_luis_bernardo_tipos de pc
0132 tarde sergio_antao_ricardo_oliveira_luis_bernardo_tipos de pc0132 tarde sergio_antao_ricardo_oliveira_luis_bernardo_tipos de pc
0132 tarde sergio_antao_ricardo_oliveira_luis_bernardo_tipos de pc
 

Abortar ou não abortar

  • 2. O que é o aborto? Indice • O que é o aborto? • Tipos de abortos • Métodos de Indução do Aborto • Aborto em clinicas especializadas vs aborto em clinicas clandestinas
  • 3. Aborto é a remoção ou expulsão prematura de um embrião ou feto do útero, resultando na sua morte
  • 4. Aborto Espontâneo Aborto induzido Aborto Ilegal Complicações do Aborto
  • 5. Aborto Espontâneo Surge quando a gravidez é interrompida sem que seja por vontade da mulher. Pode acontecer por vários fatores biológicos, psicológicos e sociais que contribuem para que esta situação se verifique.
  • 6. Aborto induzido O aborto induzido é um procedimento usado para interromper uma gravidez. Pode acontecer quando existem mas formações congénitas, quando a gravidez resulta de um crime contra a liberdade e autodeterminação sexual, quando a gravidez coloca em perigo a vida e a saúde física e/ou psíquica da mulher ou simplesmente por opção da mulher. É legal quando a interrupção da gravidez é realizada de acordo com a legislação em vigor. Quando feito precocemente por médicos experientes e em condições adequadas apresenta um elevadíssimo nível de segurança.
  • 7. Aborto Ilegal O aborto ilegal é a interrupção duma gravidez quando os motivos apresentados não se encontram enquadrados na legislação em vigor ou quando é feito em locais que não estão oficialmente reconhecidos para o efeito. O aborto ilegal e inseguro constitui uma importante causa de mortalidade e de morbilidade maternas. O aborto clandestino é um problema de saúde pública.
  • 8. Complicações do Aborto Entre as complicações do aborto destacam-se as hemorragias, as infeções e evacuações incompletas, e, no caso de aborto cirúrgico, as lacerações cervicais e perfurações uterinas. Estas complicações, muito raras no aborto precoce , entre outras
  • 9. Métodos de Indução ao Aborto quimico Cirúrgico
  • 10. Métodos de Indução ao Aborto ABORTO QUIMICO A gravidez pode ser interrompida medicamente, usando uma combinação do anti progestativo mifepristone (RU 486) com uma prostaglandina, como o misoprostol. A RU 486 (Mifepristone) é reconhecida como substância abortiva. Atua bloqueando o desenvolvimento fetal, pelo que em alguns casos requer uma intervenção cirúrgica para finalizar o processo de expulsão . Após um aborto químico, a mulher pode ter uma hemorragia mais intensa do que a hemorragia causada por um aborto cirúrgico.
  • 11. Métodos de Indução ao Aborto ABORTO QUIMICO Trata-se de uma hemorragia semelhante a uma menstruação. As dores também são mais frequentes e pode ocorrer alguma febre e diarreia. Se este método falhar, o aborto terá de ser completado cirurgicamente. O recurso à RU486 encontra-se restrito ao uso hospitalar e clínicas especializadas devidamente credenciadas para o efeito. Não se deve confundir com a pílula de Contraceção de Emergência nem com o Misopostol (no mercado, comercializado com o nome de Cytotec).
  • 12. Métodos de Indução ao Aborto ABORTO CIRUGICO O método consiste na remoção do conteúdo uterino por aspiração e curetagem. A intervenção pode ser realizada sob método anestésico que melhor se adapte à situação (anestesia local ou geral), de acordo com a informação médica. Uma breve hospitalização é suficiente numa situação de interrupção da gravidez, mesmo se praticada sob anestesia geral. A intervenção decorre no bloco operatório e dura apenas alguns minutos.
  • 13. PROCEDIMENTOS Procedimentos Cosulta previa É obrigatório para todas as mulheres um período de reflexão de 3 dias, entre a consulta previa e a data da interrupção da gravidez
  • 14. PROCEDIMENTOS Apoio psicologico Cosulta previa Disponível para as mulheres que o solicitem para a tomada de decisão ou que queiram falar com um técnico sobre a sua escolha. Este momento de escuta e de diálogo pode ser importante para a ajudar a tomar a decisão de forma livre e consciente
  • 15. PROCEDIMENTOS As escolhas a fazer, caso opte pela I.V.G A mulher optar por interromper a gravidez num estabelecimento hospitalar público ou privado: a interrupção poderá ser medicamentosa ou cirúrgica, de acordo com a situação clínica e os recursos disponíveis na instituição. Se a mulher optar por interromper a gravidez sem hospitalização, em ambulatório: a interrupção da gravidez será medicamentosa
  • 16. PROCEDIMENTOS Outras consultas necessária Se o método escolhido implicar anestesia, ainda que apenas local, poderá ser necessário uma consulta por anestesista, antes da intervenção. A mulher deve fazer uma revisão ginecológica 15 dias após a intervenção e deverá ser informada acerca dos vários métodos contraceptivos existentes de forma a decidir qual o mais adequado ao seu caso, à sua relação, estado de saúde e idade.