SlideShare uma empresa Scribd logo
ABCdaagriculturafamiliar
ABCdaAgriculturaFamiliar
Cultivo de peixes
Cultivo de
peixes
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Embrapa Informação Tecnológica
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Embrapa Informação Tecnológica
Brasília, DF
2006
Todos os direitos reservados.
A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em
parte, constitui violação dos direitos autorais (Lei no. 9.610).
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação – CIP
Embrapa Informação Tecnológica
Cultivo de peixes. – Brasília, DF : Embrapa Informação Tecnológica, 2006.
19 p. : il. – (ABC da Agricultura Familiar, 8).
Compilação e edição, CW Produções Ltda.
ISBN 85-7383-345-9
1. Piscicultura.
CDD 639.31
Exemplares desta publicação podem ser adquiridos na:
Embrapa Informação Tecnológica
Parque Estação Biológica (PqEB), Av. W3 Norte (final)
CEP 70770-901 Brasília, DF
Fone: (61) 3340-9999
Fax: (61) 3340-2753
vendas@sct.embrapa.br
www.sct.embrapa.br
Coordenação geral
Fernando do Amaral Pereira
Coordenação editorial
Lillian Alvares
Lucilene Maria de Andrade
Compilação e edição
CW Produções Ltda.
Revisão técnica
Marisa de Goes
Revisão de texto
Wesley José da Rocha
1ª edição
1ª impressão (2006): 1.000 exemplares
Editoração eletrônica
Mário César Moura de Aguiar
Capa
Carlos Eduardo Felice Barbeiro
Ilustração da capa
CW Produções Ltda.
(Eloi Neves Gameleira
Paulo Sérgio Soares)
Ilustração do texto
CW Produções Ltda.
(Paulo César Rocha)
©Embrapa2006
Apresentação
Empenhada em auxiliar o pequeno produtor, a
Embrapa lança o ABC da Agricultura Familiar, que
oferece valiosas instruções sobre o trabalho no campo.
Elaboradas em linguagem simples e objetiva,
as publicações abordam temas relacionados à
agropecuária e mostram como otimizar a atividade
rural. A criação de animais, técnicas de plantio,
práticas de controle de pragas e doenças, adubação
alternativa e fabricação de conservas de frutas são
alguns dos assuntos tratados.
De forma independente ou reunidas em
associações, as famílias poderão beneficiar-se
dessas informações e, com isso, diminuir custos,
aumentar a produção de alimentos, criar outras fontes
de renda e agregar valor a seus produtos.
Assim, a Embrapa cumpre o propósito adicional
de ajudar a fixar o homem no campo, pois coloca a
pesquisa a seu alcance e oferece alternativas de
melhoria na qualidade de vida.
Fernando do Amaral Pereira
Gerente-Geral
Embrapa InformaçãoTecnológica
Sumário
Cultive peixes ........................................... 7
Cultivo em gaiolas flutuantes .................... 7
Cultivo em viveiros.................................... 9
Cultivo em água salobra ......................... 10
Que peixe criar? ..................................... 11
Onde obter os alevinos? ......................... 12
Como transportar e soltar os alevinos .... 13
Como alimentar os peixes ...................... 14
Colheita ou despesca............................. 16
6
7
Cultive peixes
Se você mora perto de um açude ou
em local com água suficiente, crie peixes e
reforce a sua alimentação e a de sua família.
Se sobrar algum, você pode vender o
excedente e obter uma renda extra.
No Semi-Árido, os peixes podem ser
criados:
• Emgaiolasflutuantes.
• Em viveiros.
• Em água salobra.
Cultivo em gaiolas
flutuantes
As gaiolas quadradas variam de
tamanho,podendoserde2x2x1m(4metros
cúbicos),comestruturafeitadealgummaterial
que possa ser bem atado e que resista ao
manuseio (bambu, taquara ou varas de
8
madeira resistente, bem amarrados).
As gaiolas podem ser feitas com armação de
metal.
As gaiolas circulares, ou em forma de
cilindros,sãodefácilfabricação,poissãofeitas
com tela ou rede e uma estrutura de metal ao
redor, impedindo que elas se fechem ou se
dobrem.
As gaiolas devem ser fechadas na parte
superior, pois isso impede que pássaros
predadorescomamospeixesconfinados,além
de sombrear a água, o que garante o de-
senvolvimento saudável dos peixes.
O fechamento se faz com telas apropriadas.
As gaiolas flutuam na água por meio de canos
de plástico com as extremidades tapadas,
amarrados em duas laterais opostas, a um
palmo abaixo da borda da gaiola.
O tamanho da malha da gaiola depende
do tamanho ou da idade dos alevinos (filhotes
dos peixes) adquiridos.
9
Dentrodecadagaioladevesercolocado
um comedouro para dar ração aos peixes.
O comedouro pode ficar dentro d´água ou
flutuar, dependendodotipoderaçãoutilizada.
Cultivo em viveiros
A criação em viveiros depende da
existência de água para enchimento e
reabastecimento. Os viveiros devem ter o
comprimento três a quatro vezes superior à
largura. Porexemplo,umtanquede10metros
10
de largura deve ter 30 a 40 metros de
comprimento.Aprofundidade deve ser de um
metro.
Cultivo em água salobra
A Embrapa desenvolveu um sistema de
criação em viveiros com águas de rejeito de
dessalinizadores. Portanto, é possível usar a
água salobra, seja diretamente dos poços ou
como rejeitos dos processos de dessa-
linização. A água deve ser sempre renovada
11
na base de 10 por cento do volume do tanque.
Por exemplo, um tanque de 2.000 metros
cúbicosdeveterumarenovaçãode200metros
cúbicospordia.Osoutroscuidadosdevemser
os mesmos adotados na criação em água
doce.
Que peixe criar?
Um peixe muito criado no Nordeste é a
tilápia nilótica. Ela é muito rústica e de carne
saborosa.Comseismeses,ounomáximooito,
cada peixe pode atingir, em média, meio quilo.
12
Você pode colocar até três peixes por
metro quadrado de superfície do viveiro se
houver boa renovação de água.
Em viveiros onde praticamente não
existe renovação de água, deve-se colocar
apenas um peixe por metro quadrado de
superfície do viveiro.
Nas gaiolas, a quantidade deve ficar em
torno de 150 peixes por metro cúbico. Um
metro cúbico é o volume de uma caixa
quadradadeummetrodelado.Portanto,numa
gaiola de 4 metros cúbicos, devem ser
colocados, em média, 600 peixes. Se o açude
for profundo e houver constante renovação de
água,podemsercolocadosaté200peixespor
metro cúbico na gaiola.
Onde obter os alevinos?
Você pode obter os alevinos nas
estações de piscicultura do Departamento
Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs),
nas Unidades da Embrapa, nas empresas
13
estaduais de pesquisa, na Emater, na
Companhia de Desenvolvimento do Vale do
São Francisco (Codevasf) ou nas univer-
sidades.
Como transportar
e soltar os alevinos
O transporte dos alevinos, das estações
até o local de criação, deve ser feito em sacos
de plástico, com cuidados especiais. Quanto
maior a distância, maiores são os cuidados.
Nos transportes mais distantes, deve-se
colocar gás oxigênio na água.
14
Peça orientação aos técnicos sobre a
procedência, o transporte, a alimentação e o
local de criação dos alevinos.
Eviteumchoquedetemperaturasnahora
de soltar os alevinos nos viveiros ou nas
gaiolas. Se houver diferença de vários graus
de temperatura entre a água dos sacos de
transporteeaáguadosviveirosoudasgaiolas,
coloque os sacos flutuando na água do viveiro
para que a temperatura da água do saco vá se
equilibrando com a do viveiro ou da gaiola no
açude. Depois, abra o saco de maneira que a
água do viveiro vá se misturando com a água
dos sacos, para evitar o choque de tem-
peraturas.
Como alimentar os peixes
Nas gaiolas, a alimentação dos peixes
deve ser feita com ração, que é fornecida com
base no tamanho e no peso dos peixes.
Osalevinoscomeçampesando,emmédia,40
gramas e terminam, aos 6 meses, com uma
médiade450gramasporpeixe.Gasta-seuma
15
basede16gramasderaçãoporpeixenoinício
e 68 gramas por peixe no final.
Se a ração industrial for estruzada (que
flutua na água), pode ser fornecida à vontade,
mas sempre observando para evitar des-
perdícios.
Nosviveiros,aalimentaçãopodeserfeita
por meio de adubações feitas a cada 15 dias.
Naprimeiraadubação,deveserusadoodobro
das quantidades de manutenção. Num viveiro
de 30 metros de comprimento por 10 metros
de largura e 1 metro de profundidade,
recomenda-se, para a manutenção: 10 quilos
deestercobovino,250gramasdesuperfosfato
simples e 1 quilo de sulfato de amônia. Você
pode substituir o esterco bovino pelo de
caprino,deporcosoudeaves.Oestercopode
ser usado fresco, mas os resultados serão
melhores se ele estiver curtido.
Se quiser melhorar o crescimento dos
peixes cultivados em viveiros, você pode
fornecer refugo moído de milho, de feijão, de
arroz ou de outros grãos.
16
Colheita ou despesca
Passados mais ou menos seis meses,
vocêpodefazeradespesca,ouseja,acolheita
dospeixesjádesenvolvidos.Issopodeserfeito
esvaziando-seosviveirosouusandoredes.No
caso das gaiolas, a despesca é feita usando
caçuás (landoás).
Renoveaáguadoviveirotrêsasetedias
antes da despesca, para evitar gosto de barro
nos peixes.
Pode-seesperar,acadaseismeses,um
rendimento de 15.000 quilos de tilápias por
hectare de viveiro.
Nas gaiolas de 2 x 2 m de superfície e
1 m de profundidade, ou seja, de 4 metros
cúbicos, pode-se obter 270 quilos de peixes
por gaiola, em seis meses de cultivo,
considerando uma mortalidade de 10 por
cento.
17
Para mais informações e esclarecimentos,
procure um técnico da extensão rural, da
Embrapa, da prefeitura ou de alguma
organização de assistência aos agricultores.
Atenção!
18
19
Forme uma associação
com seus vizinhos
Quando você se associa com outros
membros de sua comunidade, as vantagens
são muitas, pois:
• Fica mais fácil procurar as autoridades
e pedir apoio para os projetos.
• Os associados podem comprar
máquinas e aparelhos em conjunto.
• Fica mais fácil obter crédito.
• Juntos, os associados podem vender
melhor sua produção.
• Os associados podem organizar
mutirões.
A união faz a força!
20
21
Títulos lançados
• Como organizar uma associação
• Como plantar abacaxi
• Como plantar hortaliças
• Controle alternativo de pragas
e doenças das plantas
• Caupi: o feijão do Sertão
• Como cultivar a bananeira
• Adubação alternativa
• Cultivo de peixes
• Como produzir melancia
• Alimentação das criações na seca
• Conservas caseiras de frutas
22
23
Impressão e acabamento
Embrapa Informação Tecnológica
Informação Tecnológica
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
CGPE:5843
ISBN85-7383-345-9
9788573833454
Com o lançamento do ,
a Embrapa coloca à disposição do pequeno produtor
valiosas instruções sobre as atividades do campo.
Numa linguagem simples e objetiva, os títulos abordam
a criação de animais, técnicas de plantio, práticas
de controle de pragas e doenças, adubação alternativa
e fabricação de conservas de frutas, dentre outros
assuntos que exemplificam como otimizar o trabalho rural.
Inicialmente produzidas para atender demandas por
informação do Semi-Árido nordestino, as recomendações
apresentadas são de aplicabilidade prática também
em outras regiões do País.
Com o a Embrapa
demonstra o compromisso assumido com
o sucesso da agricultura familiar.
ABC da Agricultura Familiar
ABC da Agricultura Familiar,

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bufalo e o meio ambiente
Bufalo e o meio ambienteBufalo e o meio ambiente
Bufalo e o meio ambiente
bubrasil
 
Bufalo na economia
Bufalo na economiaBufalo na economia
Bufalo na economia
bubrasil
 
Manual de Criação de Caprinos e Ovinos na Seca
Manual de Criação de Caprinos e Ovinos na SecaManual de Criação de Caprinos e Ovinos na Seca
Manual de Criação de Caprinos e Ovinos na Seca
Sérgio Amaral
 
Abc da agricultura como alimentar enxames
Abc da agricultura como alimentar enxamesAbc da agricultura como alimentar enxames
Abc da agricultura como alimentar enxames
Lenildo Araujo
 
Sistemas de cultivo em piscicultura
Sistemas de cultivo em pisciculturaSistemas de cultivo em piscicultura
Sistemas de cultivo em piscicultura
Anderson Santana
 
Minhocultura
MinhoculturaMinhocultura
Minhocultura
Alexandre Panerai
 
Manual sera-os-aquarios-de-agua-salgada
Manual sera-os-aquarios-de-agua-salgadaManual sera-os-aquarios-de-agua-salgada
Manual sera-os-aquarios-de-agua-salgada
jlna
 
Proteina Do Futuro
Proteina Do FuturoProteina Do Futuro
Proteina Do Futuro
Bufalo brasileiro
 
347 comocriar (1)
347 comocriar (1)347 comocriar (1)
347 comocriar (1)
Agricultura Sao Paulo
 
Abc criação de galinhas caipiras
Abc criação de galinhas caipirasAbc criação de galinhas caipiras
Abc criação de galinhas caipiras
Lenildo Araujo
 
Abc da agricultura barraginhas agua de chuva para todos
Abc da agricultura barraginhas agua de chuva para todosAbc da agricultura barraginhas agua de chuva para todos
Abc da agricultura barraginhas agua de chuva para todos
Lenildo Araujo
 
Aproveitamento da água da chuva na produção de suínos e aves
Aproveitamento da água da chuva na produção de suínos e avesAproveitamento da água da chuva na produção de suínos e aves
Aproveitamento da água da chuva na produção de suínos e aves
Portal Canal Rural
 
Ouronegro
OuronegroOuronegro
Abc da agricultura como capturar enxames em voo
Abc da agricultura como capturar enxames em vooAbc da agricultura como capturar enxames em voo
Abc da agricultura como capturar enxames em voo
Lenildo Araujo
 
ABC Adubação alternativa
ABC Adubação alternativaABC Adubação alternativa
ABC Adubação alternativa
Lenildo Araujo
 
O Mal das Fábricas de Animais
O Mal das Fábricas de AnimaisO Mal das Fábricas de Animais
O Mal das Fábricas de Animais
brasilcomz® - Zootecnia Tropical
 
ABC Alimentação das criações na seca
ABC Alimentação das criações na secaABC Alimentação das criações na seca
ABC Alimentação das criações na seca
Lenildo Araujo
 
Abelhas sem-ferrao
Abelhas sem-ferraoAbelhas sem-ferrao
Abelhas sem-ferrao
Lenildo Araujo
 
Abc da agricultura como capturar enxames com caixais
Abc da agricultura como capturar enxames com caixaisAbc da agricultura como capturar enxames com caixais
Abc da agricultura como capturar enxames com caixais
Lenildo Araujo
 
Manual_do_betta_pdf
Manual_do_betta_pdfManual_do_betta_pdf
Manual_do_betta_pdf
uzimage
 

Mais procurados (20)

Bufalo e o meio ambiente
Bufalo e o meio ambienteBufalo e o meio ambiente
Bufalo e o meio ambiente
 
Bufalo na economia
Bufalo na economiaBufalo na economia
Bufalo na economia
 
Manual de Criação de Caprinos e Ovinos na Seca
Manual de Criação de Caprinos e Ovinos na SecaManual de Criação de Caprinos e Ovinos na Seca
Manual de Criação de Caprinos e Ovinos na Seca
 
Abc da agricultura como alimentar enxames
Abc da agricultura como alimentar enxamesAbc da agricultura como alimentar enxames
Abc da agricultura como alimentar enxames
 
Sistemas de cultivo em piscicultura
Sistemas de cultivo em pisciculturaSistemas de cultivo em piscicultura
Sistemas de cultivo em piscicultura
 
Minhocultura
MinhoculturaMinhocultura
Minhocultura
 
Manual sera-os-aquarios-de-agua-salgada
Manual sera-os-aquarios-de-agua-salgadaManual sera-os-aquarios-de-agua-salgada
Manual sera-os-aquarios-de-agua-salgada
 
Proteina Do Futuro
Proteina Do FuturoProteina Do Futuro
Proteina Do Futuro
 
347 comocriar (1)
347 comocriar (1)347 comocriar (1)
347 comocriar (1)
 
Abc criação de galinhas caipiras
Abc criação de galinhas caipirasAbc criação de galinhas caipiras
Abc criação de galinhas caipiras
 
Abc da agricultura barraginhas agua de chuva para todos
Abc da agricultura barraginhas agua de chuva para todosAbc da agricultura barraginhas agua de chuva para todos
Abc da agricultura barraginhas agua de chuva para todos
 
Aproveitamento da água da chuva na produção de suínos e aves
Aproveitamento da água da chuva na produção de suínos e avesAproveitamento da água da chuva na produção de suínos e aves
Aproveitamento da água da chuva na produção de suínos e aves
 
Ouronegro
OuronegroOuronegro
Ouronegro
 
Abc da agricultura como capturar enxames em voo
Abc da agricultura como capturar enxames em vooAbc da agricultura como capturar enxames em voo
Abc da agricultura como capturar enxames em voo
 
ABC Adubação alternativa
ABC Adubação alternativaABC Adubação alternativa
ABC Adubação alternativa
 
O Mal das Fábricas de Animais
O Mal das Fábricas de AnimaisO Mal das Fábricas de Animais
O Mal das Fábricas de Animais
 
ABC Alimentação das criações na seca
ABC Alimentação das criações na secaABC Alimentação das criações na seca
ABC Alimentação das criações na seca
 
Abelhas sem-ferrao
Abelhas sem-ferraoAbelhas sem-ferrao
Abelhas sem-ferrao
 
Abc da agricultura como capturar enxames com caixais
Abc da agricultura como capturar enxames com caixaisAbc da agricultura como capturar enxames com caixais
Abc da agricultura como capturar enxames com caixais
 
Manual_do_betta_pdf
Manual_do_betta_pdfManual_do_betta_pdf
Manual_do_betta_pdf
 

Semelhante a Abc cultivo de peixes

ABC Cultivo de peixes
ABC Cultivo de peixesABC Cultivo de peixes
ABC Cultivo de peixes
Lenildo Araujo
 
Manuel sobre Camarões e crustáceos ornamentais.
Manuel sobre Camarões e crustáceos ornamentais.Manuel sobre Camarões e crustáceos ornamentais.
Manuel sobre Camarões e crustáceos ornamentais.
Aquarium Group
 
Criação de Enquitreia
Criação de EnquitreiaCriação de Enquitreia
Criação de Enquitreia
Cir Premier Hospital
 
Cabras
CabrasCabras
Cabras
Frama Maria
 
Criação e manejo de peixes
Criação e manejo de peixesCriação e manejo de peixes
Criação e manejo de peixes
Rafael Soares Dias
 
Apostila - Caprinos e Ovinos.pdf
Apostila - Caprinos e Ovinos.pdfApostila - Caprinos e Ovinos.pdf
Apostila - Caprinos e Ovinos.pdf
Deborah689757
 
Criação de codornas emater
Criação de codornas ematerCriação de codornas emater
Criação de codornas emater
meinteressoporinformatica
 
CCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdf
CCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdfCCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdf
CCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdf
Ruben Alejandro Ovelar Centurión
 
Maricultura kappaphycus alvarezii na baía da ilha grande rj
Maricultura kappaphycus alvarezii na baía da ilha grande   rjMaricultura kappaphycus alvarezii na baía da ilha grande   rj
Maricultura kappaphycus alvarezii na baía da ilha grande rj
Miguel Sepulveda
 
Zootecnia Geral, Sistema De Criação
Zootecnia Geral, Sistema De CriaçãoZootecnia Geral, Sistema De Criação
Zootecnia Geral, Sistema De Criação
Silvano Rodrigues
 
Afigranja
AfigranjaAfigranja
Abc guandu petrolina
Abc guandu petrolinaAbc guandu petrolina
Abc guandu petrolina
pauloweimann
 
Alimentação das criações na seca
Alimentação das criações na secaAlimentação das criações na seca
Alimentação das criações na seca
Lenildo Araujo
 
Criação de codornas emater
Criação de codornas ematerCriação de codornas emater
Criação de codornas emater
Joyce Muzy
 
Abc adubação alternativa
Abc adubação alternativaAbc adubação alternativa
Abc adubação alternativa
pauloweimann
 
abc da agricultura familiar - solos
abc da agricultura familiar - solosabc da agricultura familiar - solos
abc da agricultura familiar - solos
Leonardo Martins Santana
 
Projeto Ranapiscina Rãs em Piscina de lonas
Projeto Ranapiscina Rãs em Piscina de lonasProjeto Ranapiscina Rãs em Piscina de lonas
Projeto Ranapiscina Rãs em Piscina de lonas
fabioladaiane
 
Cartilha cultivo de_tilápias_em_gaiolas
Cartilha cultivo de_tilápias_em_gaiolasCartilha cultivo de_tilápias_em_gaiolas
Cartilha cultivo de_tilápias_em_gaiolas
Gilneydson Nunes de Almeida
 
Ct 08
Ct 08Ct 08
Aves semiconfinadas
Aves semiconfinadasAves semiconfinadas
Aves semiconfinadas
Alexandre Panerai
 

Semelhante a Abc cultivo de peixes (20)

ABC Cultivo de peixes
ABC Cultivo de peixesABC Cultivo de peixes
ABC Cultivo de peixes
 
Manuel sobre Camarões e crustáceos ornamentais.
Manuel sobre Camarões e crustáceos ornamentais.Manuel sobre Camarões e crustáceos ornamentais.
Manuel sobre Camarões e crustáceos ornamentais.
 
Criação de Enquitreia
Criação de EnquitreiaCriação de Enquitreia
Criação de Enquitreia
 
Cabras
CabrasCabras
Cabras
 
Criação e manejo de peixes
Criação e manejo de peixesCriação e manejo de peixes
Criação e manejo de peixes
 
Apostila - Caprinos e Ovinos.pdf
Apostila - Caprinos e Ovinos.pdfApostila - Caprinos e Ovinos.pdf
Apostila - Caprinos e Ovinos.pdf
 
Criação de codornas emater
Criação de codornas ematerCriação de codornas emater
Criação de codornas emater
 
CCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdf
CCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdfCCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdf
CCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdf
 
Maricultura kappaphycus alvarezii na baía da ilha grande rj
Maricultura kappaphycus alvarezii na baía da ilha grande   rjMaricultura kappaphycus alvarezii na baía da ilha grande   rj
Maricultura kappaphycus alvarezii na baía da ilha grande rj
 
Zootecnia Geral, Sistema De Criação
Zootecnia Geral, Sistema De CriaçãoZootecnia Geral, Sistema De Criação
Zootecnia Geral, Sistema De Criação
 
Afigranja
AfigranjaAfigranja
Afigranja
 
Abc guandu petrolina
Abc guandu petrolinaAbc guandu petrolina
Abc guandu petrolina
 
Alimentação das criações na seca
Alimentação das criações na secaAlimentação das criações na seca
Alimentação das criações na seca
 
Criação de codornas emater
Criação de codornas ematerCriação de codornas emater
Criação de codornas emater
 
Abc adubação alternativa
Abc adubação alternativaAbc adubação alternativa
Abc adubação alternativa
 
abc da agricultura familiar - solos
abc da agricultura familiar - solosabc da agricultura familiar - solos
abc da agricultura familiar - solos
 
Projeto Ranapiscina Rãs em Piscina de lonas
Projeto Ranapiscina Rãs em Piscina de lonasProjeto Ranapiscina Rãs em Piscina de lonas
Projeto Ranapiscina Rãs em Piscina de lonas
 
Cartilha cultivo de_tilápias_em_gaiolas
Cartilha cultivo de_tilápias_em_gaiolasCartilha cultivo de_tilápias_em_gaiolas
Cartilha cultivo de_tilápias_em_gaiolas
 
Ct 08
Ct 08Ct 08
Ct 08
 
Aves semiconfinadas
Aves semiconfinadasAves semiconfinadas
Aves semiconfinadas
 

Mais de pauloweimann

Mais e mais receitas
Mais e mais receitasMais e mais receitas
Mais e mais receitas
pauloweimann
 
Receitobas sorvetes e outras
Receitobas sorvetes e outrasReceitobas sorvetes e outras
Receitobas sorvetes e outras
pauloweimann
 
900 piadas
900 piadas900 piadas
900 piadas
pauloweimann
 
Rexetas
RexetasRexetas
Rexetas
pauloweimann
 
Muitas receitas
Muitas receitasMuitas receitas
Muitas receitas
pauloweimann
 
Ataque e defesa astral
Ataque e defesa astralAtaque e defesa astral
Ataque e defesa astral
pauloweimann
 
As ervas de a a z
As ervas de a a zAs ervas de a a z
As ervas de a a z
pauloweimann
 
Apocalipse para mosquitos moscas e afins
Apocalipse para mosquitos moscas e afinsApocalipse para mosquitos moscas e afins
Apocalipse para mosquitos moscas e afins
pauloweimann
 
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychauxAcessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
pauloweimann
 
A arca perdida da alianca tudor parfitt
A arca perdida da alianca   tudor parfittA arca perdida da alianca   tudor parfitt
A arca perdida da alianca tudor parfitt
pauloweimann
 
A abobada energetica k. h. scheer
A abobada energetica   k. h. scheerA abobada energetica   k. h. scheer
A abobada energetica k. h. scheer
pauloweimann
 
666 o limiar do inferno - jay anson
666   o limiar do inferno - jay anson666   o limiar do inferno - jay anson
666 o limiar do inferno - jay anson
pauloweimann
 
50 chás-e-seus-benefícios
50 chás-e-seus-benefícios50 chás-e-seus-benefícios
50 chás-e-seus-benefícios
pauloweimann
 
22 regras-de-ouro-para-adivinhos
22 regras-de-ouro-para-adivinhos22 regras-de-ouro-para-adivinhos
22 regras-de-ouro-para-adivinhos
pauloweimann
 
Receltas
ReceltasReceltas
Receltas
pauloweimann
 
Receituxas
ReceituxasReceituxas
Receituxas
pauloweimann
 
Receituxas variadas
Receituxas variadasReceituxas variadas
Receituxas variadas
pauloweimann
 
Receitouxas
ReceitouxasReceitouxas
Receitouxas
pauloweimann
 
Receitoukas
ReceitoukasReceitoukas
Receitoukas
pauloweimann
 
Receitolas
ReceitolasReceitolas
Receitolas
pauloweimann
 

Mais de pauloweimann (20)

Mais e mais receitas
Mais e mais receitasMais e mais receitas
Mais e mais receitas
 
Receitobas sorvetes e outras
Receitobas sorvetes e outrasReceitobas sorvetes e outras
Receitobas sorvetes e outras
 
900 piadas
900 piadas900 piadas
900 piadas
 
Rexetas
RexetasRexetas
Rexetas
 
Muitas receitas
Muitas receitasMuitas receitas
Muitas receitas
 
Ataque e defesa astral
Ataque e defesa astralAtaque e defesa astral
Ataque e defesa astral
 
As ervas de a a z
As ervas de a a zAs ervas de a a z
As ervas de a a z
 
Apocalipse para mosquitos moscas e afins
Apocalipse para mosquitos moscas e afinsApocalipse para mosquitos moscas e afins
Apocalipse para mosquitos moscas e afins
 
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychauxAcessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
 
A arca perdida da alianca tudor parfitt
A arca perdida da alianca   tudor parfittA arca perdida da alianca   tudor parfitt
A arca perdida da alianca tudor parfitt
 
A abobada energetica k. h. scheer
A abobada energetica   k. h. scheerA abobada energetica   k. h. scheer
A abobada energetica k. h. scheer
 
666 o limiar do inferno - jay anson
666   o limiar do inferno - jay anson666   o limiar do inferno - jay anson
666 o limiar do inferno - jay anson
 
50 chás-e-seus-benefícios
50 chás-e-seus-benefícios50 chás-e-seus-benefícios
50 chás-e-seus-benefícios
 
22 regras-de-ouro-para-adivinhos
22 regras-de-ouro-para-adivinhos22 regras-de-ouro-para-adivinhos
22 regras-de-ouro-para-adivinhos
 
Receltas
ReceltasReceltas
Receltas
 
Receituxas
ReceituxasReceituxas
Receituxas
 
Receituxas variadas
Receituxas variadasReceituxas variadas
Receituxas variadas
 
Receitouxas
ReceitouxasReceitouxas
Receitouxas
 
Receitoukas
ReceitoukasReceitoukas
Receitoukas
 
Receitolas
ReceitolasReceitolas
Receitolas
 

Último

ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FredFringeFringeDola
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 

Último (20)

ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 

Abc cultivo de peixes

  • 2. Cultivo de peixes Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Informação Tecnológica Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Embrapa Informação Tecnológica Brasília, DF 2006
  • 3. Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação dos direitos autorais (Lei no. 9.610). Dados Internacionais de Catalogação na Publicação – CIP Embrapa Informação Tecnológica Cultivo de peixes. – Brasília, DF : Embrapa Informação Tecnológica, 2006. 19 p. : il. – (ABC da Agricultura Familiar, 8). Compilação e edição, CW Produções Ltda. ISBN 85-7383-345-9 1. Piscicultura. CDD 639.31 Exemplares desta publicação podem ser adquiridos na: Embrapa Informação Tecnológica Parque Estação Biológica (PqEB), Av. W3 Norte (final) CEP 70770-901 Brasília, DF Fone: (61) 3340-9999 Fax: (61) 3340-2753 vendas@sct.embrapa.br www.sct.embrapa.br Coordenação geral Fernando do Amaral Pereira Coordenação editorial Lillian Alvares Lucilene Maria de Andrade Compilação e edição CW Produções Ltda. Revisão técnica Marisa de Goes Revisão de texto Wesley José da Rocha 1ª edição 1ª impressão (2006): 1.000 exemplares Editoração eletrônica Mário César Moura de Aguiar Capa Carlos Eduardo Felice Barbeiro Ilustração da capa CW Produções Ltda. (Eloi Neves Gameleira Paulo Sérgio Soares) Ilustração do texto CW Produções Ltda. (Paulo César Rocha) ©Embrapa2006
  • 4. Apresentação Empenhada em auxiliar o pequeno produtor, a Embrapa lança o ABC da Agricultura Familiar, que oferece valiosas instruções sobre o trabalho no campo. Elaboradas em linguagem simples e objetiva, as publicações abordam temas relacionados à agropecuária e mostram como otimizar a atividade rural. A criação de animais, técnicas de plantio, práticas de controle de pragas e doenças, adubação alternativa e fabricação de conservas de frutas são alguns dos assuntos tratados. De forma independente ou reunidas em associações, as famílias poderão beneficiar-se dessas informações e, com isso, diminuir custos, aumentar a produção de alimentos, criar outras fontes de renda e agregar valor a seus produtos. Assim, a Embrapa cumpre o propósito adicional de ajudar a fixar o homem no campo, pois coloca a pesquisa a seu alcance e oferece alternativas de melhoria na qualidade de vida. Fernando do Amaral Pereira Gerente-Geral Embrapa InformaçãoTecnológica
  • 5.
  • 6. Sumário Cultive peixes ........................................... 7 Cultivo em gaiolas flutuantes .................... 7 Cultivo em viveiros.................................... 9 Cultivo em água salobra ......................... 10 Que peixe criar? ..................................... 11 Onde obter os alevinos? ......................... 12 Como transportar e soltar os alevinos .... 13 Como alimentar os peixes ...................... 14 Colheita ou despesca............................. 16
  • 7. 6
  • 8. 7 Cultive peixes Se você mora perto de um açude ou em local com água suficiente, crie peixes e reforce a sua alimentação e a de sua família. Se sobrar algum, você pode vender o excedente e obter uma renda extra. No Semi-Árido, os peixes podem ser criados: • Emgaiolasflutuantes. • Em viveiros. • Em água salobra. Cultivo em gaiolas flutuantes As gaiolas quadradas variam de tamanho,podendoserde2x2x1m(4metros cúbicos),comestruturafeitadealgummaterial que possa ser bem atado e que resista ao manuseio (bambu, taquara ou varas de
  • 9. 8 madeira resistente, bem amarrados). As gaiolas podem ser feitas com armação de metal. As gaiolas circulares, ou em forma de cilindros,sãodefácilfabricação,poissãofeitas com tela ou rede e uma estrutura de metal ao redor, impedindo que elas se fechem ou se dobrem. As gaiolas devem ser fechadas na parte superior, pois isso impede que pássaros predadorescomamospeixesconfinados,além de sombrear a água, o que garante o de- senvolvimento saudável dos peixes. O fechamento se faz com telas apropriadas. As gaiolas flutuam na água por meio de canos de plástico com as extremidades tapadas, amarrados em duas laterais opostas, a um palmo abaixo da borda da gaiola. O tamanho da malha da gaiola depende do tamanho ou da idade dos alevinos (filhotes dos peixes) adquiridos.
  • 10. 9 Dentrodecadagaioladevesercolocado um comedouro para dar ração aos peixes. O comedouro pode ficar dentro d´água ou flutuar, dependendodotipoderaçãoutilizada. Cultivo em viveiros A criação em viveiros depende da existência de água para enchimento e reabastecimento. Os viveiros devem ter o comprimento três a quatro vezes superior à largura. Porexemplo,umtanquede10metros
  • 11. 10 de largura deve ter 30 a 40 metros de comprimento.Aprofundidade deve ser de um metro. Cultivo em água salobra A Embrapa desenvolveu um sistema de criação em viveiros com águas de rejeito de dessalinizadores. Portanto, é possível usar a água salobra, seja diretamente dos poços ou como rejeitos dos processos de dessa- linização. A água deve ser sempre renovada
  • 12. 11 na base de 10 por cento do volume do tanque. Por exemplo, um tanque de 2.000 metros cúbicosdeveterumarenovaçãode200metros cúbicospordia.Osoutroscuidadosdevemser os mesmos adotados na criação em água doce. Que peixe criar? Um peixe muito criado no Nordeste é a tilápia nilótica. Ela é muito rústica e de carne saborosa.Comseismeses,ounomáximooito, cada peixe pode atingir, em média, meio quilo.
  • 13. 12 Você pode colocar até três peixes por metro quadrado de superfície do viveiro se houver boa renovação de água. Em viveiros onde praticamente não existe renovação de água, deve-se colocar apenas um peixe por metro quadrado de superfície do viveiro. Nas gaiolas, a quantidade deve ficar em torno de 150 peixes por metro cúbico. Um metro cúbico é o volume de uma caixa quadradadeummetrodelado.Portanto,numa gaiola de 4 metros cúbicos, devem ser colocados, em média, 600 peixes. Se o açude for profundo e houver constante renovação de água,podemsercolocadosaté200peixespor metro cúbico na gaiola. Onde obter os alevinos? Você pode obter os alevinos nas estações de piscicultura do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), nas Unidades da Embrapa, nas empresas
  • 14. 13 estaduais de pesquisa, na Emater, na Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf) ou nas univer- sidades. Como transportar e soltar os alevinos O transporte dos alevinos, das estações até o local de criação, deve ser feito em sacos de plástico, com cuidados especiais. Quanto maior a distância, maiores são os cuidados. Nos transportes mais distantes, deve-se colocar gás oxigênio na água.
  • 15. 14 Peça orientação aos técnicos sobre a procedência, o transporte, a alimentação e o local de criação dos alevinos. Eviteumchoquedetemperaturasnahora de soltar os alevinos nos viveiros ou nas gaiolas. Se houver diferença de vários graus de temperatura entre a água dos sacos de transporteeaáguadosviveirosoudasgaiolas, coloque os sacos flutuando na água do viveiro para que a temperatura da água do saco vá se equilibrando com a do viveiro ou da gaiola no açude. Depois, abra o saco de maneira que a água do viveiro vá se misturando com a água dos sacos, para evitar o choque de tem- peraturas. Como alimentar os peixes Nas gaiolas, a alimentação dos peixes deve ser feita com ração, que é fornecida com base no tamanho e no peso dos peixes. Osalevinoscomeçampesando,emmédia,40 gramas e terminam, aos 6 meses, com uma médiade450gramasporpeixe.Gasta-seuma
  • 16. 15 basede16gramasderaçãoporpeixenoinício e 68 gramas por peixe no final. Se a ração industrial for estruzada (que flutua na água), pode ser fornecida à vontade, mas sempre observando para evitar des- perdícios. Nosviveiros,aalimentaçãopodeserfeita por meio de adubações feitas a cada 15 dias. Naprimeiraadubação,deveserusadoodobro das quantidades de manutenção. Num viveiro de 30 metros de comprimento por 10 metros de largura e 1 metro de profundidade, recomenda-se, para a manutenção: 10 quilos deestercobovino,250gramasdesuperfosfato simples e 1 quilo de sulfato de amônia. Você pode substituir o esterco bovino pelo de caprino,deporcosoudeaves.Oestercopode ser usado fresco, mas os resultados serão melhores se ele estiver curtido. Se quiser melhorar o crescimento dos peixes cultivados em viveiros, você pode fornecer refugo moído de milho, de feijão, de arroz ou de outros grãos.
  • 17. 16 Colheita ou despesca Passados mais ou menos seis meses, vocêpodefazeradespesca,ouseja,acolheita dospeixesjádesenvolvidos.Issopodeserfeito esvaziando-seosviveirosouusandoredes.No caso das gaiolas, a despesca é feita usando caçuás (landoás). Renoveaáguadoviveirotrêsasetedias antes da despesca, para evitar gosto de barro nos peixes. Pode-seesperar,acadaseismeses,um rendimento de 15.000 quilos de tilápias por hectare de viveiro. Nas gaiolas de 2 x 2 m de superfície e 1 m de profundidade, ou seja, de 4 metros cúbicos, pode-se obter 270 quilos de peixes por gaiola, em seis meses de cultivo, considerando uma mortalidade de 10 por cento.
  • 18. 17 Para mais informações e esclarecimentos, procure um técnico da extensão rural, da Embrapa, da prefeitura ou de alguma organização de assistência aos agricultores. Atenção!
  • 19. 18
  • 20. 19 Forme uma associação com seus vizinhos Quando você se associa com outros membros de sua comunidade, as vantagens são muitas, pois: • Fica mais fácil procurar as autoridades e pedir apoio para os projetos. • Os associados podem comprar máquinas e aparelhos em conjunto. • Fica mais fácil obter crédito. • Juntos, os associados podem vender melhor sua produção. • Os associados podem organizar mutirões. A união faz a força!
  • 21. 20
  • 22. 21 Títulos lançados • Como organizar uma associação • Como plantar abacaxi • Como plantar hortaliças • Controle alternativo de pragas e doenças das plantas • Caupi: o feijão do Sertão • Como cultivar a bananeira • Adubação alternativa • Cultivo de peixes • Como produzir melancia • Alimentação das criações na seca • Conservas caseiras de frutas
  • 23. 22
  • 24. 23 Impressão e acabamento Embrapa Informação Tecnológica
  • 25. Informação Tecnológica Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento CGPE:5843 ISBN85-7383-345-9 9788573833454 Com o lançamento do , a Embrapa coloca à disposição do pequeno produtor valiosas instruções sobre as atividades do campo. Numa linguagem simples e objetiva, os títulos abordam a criação de animais, técnicas de plantio, práticas de controle de pragas e doenças, adubação alternativa e fabricação de conservas de frutas, dentre outros assuntos que exemplificam como otimizar o trabalho rural. Inicialmente produzidas para atender demandas por informação do Semi-Árido nordestino, as recomendações apresentadas são de aplicabilidade prática também em outras regiões do País. Com o a Embrapa demonstra o compromisso assumido com o sucesso da agricultura familiar. ABC da Agricultura Familiar ABC da Agricultura Familiar,