SlideShare uma empresa Scribd logo
Experimentação de Práticas leitoras nA Terceira Idade “Há duas épocas na vida, infância e velhice, em que a felicidade está numa caixa de bombons.”Carlos Drummond de Andrade
Publico Alvo: Leitores que estão vivendo a/na Melhor Idade.
Objetivo da Prática LeitoraRefletir sobre a Melhor Idade como sendo uma etapa de acúmulo de experiências e conhecimentos, por isso esta etapa deveria ser a de melhor/ produtividade e participação social.
Materiais e Recursos utilizadosLeitura de Músicas: O que é, o que é Gonzaguinha.Minha Vida Rita LeeLeitura de textos literários:Os Ombros Suportam o mundo Carlos Drummond de AndradeA Velhice Pede Desculpas Cecília MeirellesLeitura de filme:O curioso caso de Benjamin Button.
Atividades:O grupo será convidado a realizar a leitura dos poemas, explorando a cadência e o ritmo que esse tipo de texto exige. As temáticas abordadas nos textos serão debatidas nos grupos, tentando construir a imagem  dos Idosos hoje em nossa sociedade.As músicas serão ouvidas e após construiremos um pôster com imagem que representem os sentimentos vivenciados durante a execução da música.
Etapas: texto iMinha VidaRita LeeComposição : John Lennon E Paul Mc CartneyTem lugares que me lembramMinha vida, por onde andeiAs histórias, os caminosO destino que eu mudei...Cenas do meu filmeEm branco e pretoQue o vento levouE o tempo trazEntre todos os amoresE amigosDe você me lembro mais...Tem pessoas que a genteNão esquece, nem se esquecerO primeiro namoradoUma estrela da TVPersonagens do meu livroDe memóriasQue um dia rasgueiDo meu cartazEntre todas as novelasE romancesDe você me lembro mais...Desenhos que a vida vai fazendoDesbotam alguns, uns ficam iguaisEntre corações que tenho tatuadosDe você me lembro maisDe você, não esqueço jamais...
Texto iiGonzaguinhaO Que É, O Que É?          Composição : Gonzaguinha             Eu ficoCom a purezaDa resposta das criançasÉ a vida, é bonitaE é bonita...         Viver!E não ter a vergonhaDe ser felizCantar e cantar e cantarA beleza de serUm eterno aprendiz...        Ah meu Deus!Eu sei, eu seiQue a vida devia serBem melhor e seráMas isso não impedeQue eu repitaÉ bonita, é bonitaE é bonita...E a vida!E a vida o que é?Diga lá, meu irmãoEla é a batidaDe um coraçãoEla é uma doce ilusãoHê! Hô!...E a vidaEla é maravilhaOu é sofrimento?Ela é alegriaOu lamento?O que é? O que é?Meu irmão...Há quem faleQue a vida da genteÉ um nada no mundo É uma gota, é um tempoQue nem dá um segundo...          Há quem faleQue é um divinoMistério profundoÉ o sopro do criadorNuma atitude repleta de amor...         Você diz que é luxo e prazerEle diz que a vida é viverEla diz que melhor é morrerPois amada não éE o verbo é sofrer...         Eu só sei que confio na moçaE na moça eu ponho a força da féSomos nós que fazemos a vidaComo der, ou puder, ou quiser...         Sempre desejadaPor mais que esteja erradaNinguém quer a morteSó saúde e sorte...        E a pergunta rodaE a cabeça agitaEu fico com a purezaDa resposta das criançasÉ a vida, é bonitaE é bonita...
Texto iiiA Velhice pede desculpasTão velho estou como árvore no inverno, vulcão sufocado, pássaro sonolento. Tão velho estou, de pálpebras baixas, acostumado apenas ao som das músicas, à forma das letras. Fere-me a luz das lâmpadas, o grito frenético dos provisórios dias do mundo: Mas há um sol eterno, eterno e brando e uma voz que não me canso, muito longe, de ouvir. Desculpai-me esta face, que se fez resignada: já não é a minha, mas a do tempo, com seus muitos episódios. Desculpai-me não ser bem eu: mas um fantasma de tudo. Recebereis em mim muitos mil anos, é certo, com suas sombras, porém, suas intermináveis  sombras. Desculpai-me viver ainda: que os destroços, mesmo os da maior glória, são na verdade só destroços, destroços. Cecília Meireles, in 'Poemas (1958)'
Texto ivOs Ombros Suportam o Mundo Carlos Drummond de AndradeChega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.Tempo de absoluta depuração.Tempo em que não se diz mais: meu amor.Porque o amor resultou inútil.E os olhos não choram. E as mãos tecem apenas o rude trabalho.E o coração está seco.Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.Ficaste sozinho, a luz apagou-se,mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.És todo certeza, já não sabes sofrer.E nada esperas de teus amigos.Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?Teu ombros suportam o mundoe ele não pesa mais que a mão de uma criança. As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifíciosprovam apenas que a vida prosseguee nem todos se libertaram ainda.Alguns, achando bárbaro o espetáculo,prefeririam (os delicados) morrer.Chegou um tempo em que não adianta morrer.Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.A vida apenas, sem mistificação.Os versos acima foram publicados originalmente no livro "Sentimento do Mundo", Irmãos Pongetti - Rio de Janeiro, 1940.  Foram extraídos do livro "Nova Reunião", José Olympio Editora - Rio de Janeiro, 1985, pág. 78.Conheça o autor e sua obra visitando "Biografias".  
Texto v

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Amigos 2010
Amigos 2010Amigos 2010
Amigos 2010
Isabel Teixeira
 
Amigos
AmigosAmigos
Amigos
babins
 
Amigos 2007
Amigos 2007Amigos 2007
Amigos 2007
Sergio Weiss
 
Amigos 2007
Amigos 2007Amigos 2007
Amigos 2007
QSEJAETERNO
 
Amigos 2007
Amigos 2007Amigos 2007
Amigos 2007
Anjovison .
 
Amigos 2007
Amigos 2007Amigos 2007
Amigos 2007
wellinbisi
 
Amigos 2007
Amigos 2007Amigos 2007
Amigos 2007
lilian.moreira
 
OraçãO Do Amigo
OraçãO Do AmigoOraçãO Do Amigo
OraçãO Do Amigo
guest0836682
 
Não espere a próxima primavera para sentir o perfume de todas as flores..
Não espere a próxima primavera para sentir o perfume de todas as flores..Não espere a próxima primavera para sentir o perfume de todas as flores..
Não espere a próxima primavera para sentir o perfume de todas as flores..
Edson Marques
 
Oração do amigo (ligue o som)
Oração do amigo (ligue o som)Oração do amigo (ligue o som)
Oração do amigo (ligue o som)
Vilson Voigt
 
Oração do-amigo
Oração do-amigoOração do-amigo
Oração do-amigo
André Luiz de Souza
 
Milagresdaamizade
MilagresdaamizadeMilagresdaamizade
Milagresdaamizade
Atílio Vitoreli
 
Amizade
AmizadeAmizade
Amizade
edubh1
 
Milagres da amizade
Milagres da amizadeMilagres da amizade
Milagres da amizade
Angela Rocha
 
Amigos
AmigosAmigos
oração do amigo
oração do amigooração do amigo
oração do amigo
Sergio Ramoz
 
Prece de Divaldo P Franco
Prece de Divaldo P FrancoPrece de Divaldo P Franco
Prece de Divaldo P Franco
Rita Steter
 
Homenagem a pierre weil
Homenagem a pierre weilHomenagem a pierre weil
Homenagem a pierre weil
Amadeu Wolff
 

Mais procurados (18)

Amigos 2010
Amigos 2010Amigos 2010
Amigos 2010
 
Amigos
AmigosAmigos
Amigos
 
Amigos 2007
Amigos 2007Amigos 2007
Amigos 2007
 
Amigos 2007
Amigos 2007Amigos 2007
Amigos 2007
 
Amigos 2007
Amigos 2007Amigos 2007
Amigos 2007
 
Amigos 2007
Amigos 2007Amigos 2007
Amigos 2007
 
Amigos 2007
Amigos 2007Amigos 2007
Amigos 2007
 
OraçãO Do Amigo
OraçãO Do AmigoOraçãO Do Amigo
OraçãO Do Amigo
 
Não espere a próxima primavera para sentir o perfume de todas as flores..
Não espere a próxima primavera para sentir o perfume de todas as flores..Não espere a próxima primavera para sentir o perfume de todas as flores..
Não espere a próxima primavera para sentir o perfume de todas as flores..
 
Oração do amigo (ligue o som)
Oração do amigo (ligue o som)Oração do amigo (ligue o som)
Oração do amigo (ligue o som)
 
Oração do-amigo
Oração do-amigoOração do-amigo
Oração do-amigo
 
Milagresdaamizade
MilagresdaamizadeMilagresdaamizade
Milagresdaamizade
 
Amizade
AmizadeAmizade
Amizade
 
Milagres da amizade
Milagres da amizadeMilagres da amizade
Milagres da amizade
 
Amigos
AmigosAmigos
Amigos
 
oração do amigo
oração do amigooração do amigo
oração do amigo
 
Prece de Divaldo P Franco
Prece de Divaldo P FrancoPrece de Divaldo P Franco
Prece de Divaldo P Franco
 
Homenagem a pierre weil
Homenagem a pierre weilHomenagem a pierre weil
Homenagem a pierre weil
 

Semelhante a A terceira idade_na_multi_midia[1]

Carlos drummond de andrade
Carlos drummond de andradeCarlos drummond de andrade
Carlos drummond de andrade
Fabi
 
Concurso FaçA Lá Um Poema
Concurso  FaçA Lá Um PoemaConcurso  FaçA Lá Um Poema
Concurso FaçA Lá Um Poema
Biblioteca Escolar Aeob
 
Poemas Ilustrados
Poemas IlustradosPoemas Ilustrados
Poemas Ilustrados
vales
 
Recanto das letras carol
Recanto das letras   carolRecanto das letras   carol
Recanto das letras carol
Rui da Silveira Cruz Ventura
 
Concurso FaçA Lá Um Poema
Concurso  FaçA Lá Um PoemaConcurso  FaçA Lá Um Poema
Concurso FaçA Lá Um Poema
Biblioteca Escolar Aeob
 
Concurso FaçA Lá Um Poema
Concurso  FaçA Lá Um PoemaConcurso  FaçA Lá Um Poema
Concurso FaçA Lá Um Poema
Biblioteca Escolar Aeob
 
MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptxMODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
GustavoSantos252007
 
MODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptxMODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptx
PabloGabrielKdabra
 
AULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
AULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptxAULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
AULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
ProfessoraAline7
 
Poesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernistaPoesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernista
Luciene Gomes
 
Alunos da EJA mostram seus poemas favoritos
Alunos da EJA mostram seus poemas favoritosAlunos da EJA mostram seus poemas favoritos
Alunos da EJA mostram seus poemas favoritos
emefpresidentekennedy
 
Dinamica
DinamicaDinamica
Chuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdfChuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdf
VitorRibeiro261164
 
Fragmentos
FragmentosFragmentos
Fragmentos
FragmentosFragmentos
Revista encontro literário edital 01.2011
Revista encontro literário   edital 01.2011Revista encontro literário   edital 01.2011
Revista encontro literário edital 01.2011
Ailton
 
Escolhendo Poesias
Escolhendo Poesias Escolhendo Poesias
Escolhendo Poesias
Cassiano Santana
 
Desejos obscuros livro III- A intocável
Desejos obscuros livro III- A intocávelDesejos obscuros livro III- A intocável
Desejos obscuros livro III- A intocável
Raquel Alves
 
Como um Estalo
Como um EstaloComo um Estalo
Como um Estalo
Como Um Estalo
 
Carlos drummond de andrade -POEMAS
Carlos drummond de andrade -POEMASCarlos drummond de andrade -POEMAS
Carlos drummond de andrade -POEMAS
Ana Valeria Silva
 

Semelhante a A terceira idade_na_multi_midia[1] (20)

Carlos drummond de andrade
Carlos drummond de andradeCarlos drummond de andrade
Carlos drummond de andrade
 
Concurso FaçA Lá Um Poema
Concurso  FaçA Lá Um PoemaConcurso  FaçA Lá Um Poema
Concurso FaçA Lá Um Poema
 
Poemas Ilustrados
Poemas IlustradosPoemas Ilustrados
Poemas Ilustrados
 
Recanto das letras carol
Recanto das letras   carolRecanto das letras   carol
Recanto das letras carol
 
Concurso FaçA Lá Um Poema
Concurso  FaçA Lá Um PoemaConcurso  FaçA Lá Um Poema
Concurso FaçA Lá Um Poema
 
Concurso FaçA Lá Um Poema
Concurso  FaçA Lá Um PoemaConcurso  FaçA Lá Um Poema
Concurso FaçA Lá Um Poema
 
MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptxMODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
 
MODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptxMODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptx
MODERNISMO BRASILEIRO 1 (2).pptx
 
AULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
AULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptxAULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
AULÃO LITERATURA - MODERNISMO BRASILEIRO 1.pptx
 
Poesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernistaPoesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernista
 
Alunos da EJA mostram seus poemas favoritos
Alunos da EJA mostram seus poemas favoritosAlunos da EJA mostram seus poemas favoritos
Alunos da EJA mostram seus poemas favoritos
 
Dinamica
DinamicaDinamica
Dinamica
 
Chuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdfChuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdf
 
Fragmentos
FragmentosFragmentos
Fragmentos
 
Fragmentos
FragmentosFragmentos
Fragmentos
 
Revista encontro literário edital 01.2011
Revista encontro literário   edital 01.2011Revista encontro literário   edital 01.2011
Revista encontro literário edital 01.2011
 
Escolhendo Poesias
Escolhendo Poesias Escolhendo Poesias
Escolhendo Poesias
 
Desejos obscuros livro III- A intocável
Desejos obscuros livro III- A intocávelDesejos obscuros livro III- A intocável
Desejos obscuros livro III- A intocável
 
Como um Estalo
Como um EstaloComo um Estalo
Como um Estalo
 
Carlos drummond de andrade -POEMAS
Carlos drummond de andrade -POEMASCarlos drummond de andrade -POEMAS
Carlos drummond de andrade -POEMAS
 

Último

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 

Último (20)

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 

A terceira idade_na_multi_midia[1]

  • 1. Experimentação de Práticas leitoras nA Terceira Idade “Há duas épocas na vida, infância e velhice, em que a felicidade está numa caixa de bombons.”Carlos Drummond de Andrade
  • 2. Publico Alvo: Leitores que estão vivendo a/na Melhor Idade.
  • 3. Objetivo da Prática LeitoraRefletir sobre a Melhor Idade como sendo uma etapa de acúmulo de experiências e conhecimentos, por isso esta etapa deveria ser a de melhor/ produtividade e participação social.
  • 4. Materiais e Recursos utilizadosLeitura de Músicas: O que é, o que é Gonzaguinha.Minha Vida Rita LeeLeitura de textos literários:Os Ombros Suportam o mundo Carlos Drummond de AndradeA Velhice Pede Desculpas Cecília MeirellesLeitura de filme:O curioso caso de Benjamin Button.
  • 5. Atividades:O grupo será convidado a realizar a leitura dos poemas, explorando a cadência e o ritmo que esse tipo de texto exige. As temáticas abordadas nos textos serão debatidas nos grupos, tentando construir a imagem dos Idosos hoje em nossa sociedade.As músicas serão ouvidas e após construiremos um pôster com imagem que representem os sentimentos vivenciados durante a execução da música.
  • 6. Etapas: texto iMinha VidaRita LeeComposição : John Lennon E Paul Mc CartneyTem lugares que me lembramMinha vida, por onde andeiAs histórias, os caminosO destino que eu mudei...Cenas do meu filmeEm branco e pretoQue o vento levouE o tempo trazEntre todos os amoresE amigosDe você me lembro mais...Tem pessoas que a genteNão esquece, nem se esquecerO primeiro namoradoUma estrela da TVPersonagens do meu livroDe memóriasQue um dia rasgueiDo meu cartazEntre todas as novelasE romancesDe você me lembro mais...Desenhos que a vida vai fazendoDesbotam alguns, uns ficam iguaisEntre corações que tenho tatuadosDe você me lembro maisDe você, não esqueço jamais...
  • 7. Texto iiGonzaguinhaO Que É, O Que É? Composição : Gonzaguinha Eu ficoCom a purezaDa resposta das criançasÉ a vida, é bonitaE é bonita... Viver!E não ter a vergonhaDe ser felizCantar e cantar e cantarA beleza de serUm eterno aprendiz... Ah meu Deus!Eu sei, eu seiQue a vida devia serBem melhor e seráMas isso não impedeQue eu repitaÉ bonita, é bonitaE é bonita...E a vida!E a vida o que é?Diga lá, meu irmãoEla é a batidaDe um coraçãoEla é uma doce ilusãoHê! Hô!...E a vidaEla é maravilhaOu é sofrimento?Ela é alegriaOu lamento?O que é? O que é?Meu irmão...Há quem faleQue a vida da genteÉ um nada no mundo É uma gota, é um tempoQue nem dá um segundo... Há quem faleQue é um divinoMistério profundoÉ o sopro do criadorNuma atitude repleta de amor... Você diz que é luxo e prazerEle diz que a vida é viverEla diz que melhor é morrerPois amada não éE o verbo é sofrer... Eu só sei que confio na moçaE na moça eu ponho a força da féSomos nós que fazemos a vidaComo der, ou puder, ou quiser... Sempre desejadaPor mais que esteja erradaNinguém quer a morteSó saúde e sorte... E a pergunta rodaE a cabeça agitaEu fico com a purezaDa resposta das criançasÉ a vida, é bonitaE é bonita...
  • 8. Texto iiiA Velhice pede desculpasTão velho estou como árvore no inverno, vulcão sufocado, pássaro sonolento. Tão velho estou, de pálpebras baixas, acostumado apenas ao som das músicas, à forma das letras. Fere-me a luz das lâmpadas, o grito frenético dos provisórios dias do mundo: Mas há um sol eterno, eterno e brando e uma voz que não me canso, muito longe, de ouvir. Desculpai-me esta face, que se fez resignada: já não é a minha, mas a do tempo, com seus muitos episódios. Desculpai-me não ser bem eu: mas um fantasma de tudo. Recebereis em mim muitos mil anos, é certo, com suas sombras, porém, suas intermináveis sombras. Desculpai-me viver ainda: que os destroços, mesmo os da maior glória, são na verdade só destroços, destroços. Cecília Meireles, in 'Poemas (1958)'
  • 9. Texto ivOs Ombros Suportam o Mundo Carlos Drummond de AndradeChega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.Tempo de absoluta depuração.Tempo em que não se diz mais: meu amor.Porque o amor resultou inútil.E os olhos não choram. E as mãos tecem apenas o rude trabalho.E o coração está seco.Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.Ficaste sozinho, a luz apagou-se,mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.És todo certeza, já não sabes sofrer.E nada esperas de teus amigos.Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?Teu ombros suportam o mundoe ele não pesa mais que a mão de uma criança. As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifíciosprovam apenas que a vida prosseguee nem todos se libertaram ainda.Alguns, achando bárbaro o espetáculo,prefeririam (os delicados) morrer.Chegou um tempo em que não adianta morrer.Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.A vida apenas, sem mistificação.Os versos acima foram publicados originalmente no livro "Sentimento do Mundo", Irmãos Pongetti - Rio de Janeiro, 1940.  Foram extraídos do livro "Nova Reunião", José Olympio Editora - Rio de Janeiro, 1985, pág. 78.Conheça o autor e sua obra visitando "Biografias".