SlideShare uma empresa Scribd logo
A segunda Carta de João
1 Do Servo de Deus (o mais velho)1
,
para a congregação escolhida e aos
que estão nela como filhos, os quais eu
amo muito.2
E digo que não somente eu
tenho esse amor, mas todos os outros
que também conheceram a verdade. 2 E
por causa deste conhecimento que per-
manece conosco para sempre, 3 tam-
bém haverá em nós o perdão imereci-
do3
e misericórdia, juntamente com a
paz que vem de Deus e também de seu
filho Jesus, o Messias. Que tudo isso
venha sempre com confiança e amor!
4 É uma grande alegria ter encontrado
entre vocês certos discípulos (ou filhos
da senhora) caminhando no novo co-
nhecimento4
que recebemos da parte do
Pai. 5 Desejo, através desta escrita, re-
lembrar a congregação um mandamen-
to que conhecemos desde o princípio:
“que nos amemos uns aos outros”.
6 Sim! E este amor significa continu-
armos a seguir os conselhos de Deus,
pois desde o principio ouvimos que de-
vemos sempre ouvir tais conselhos di-
vinos. 7 Relembro isso porque existem
muito enganadores que andam pelo
1
Ou Ancião, que significa homem mais velho, mas
também pode ser um título religioso (pre-sby-te-ro) e
neste caso seria um significado posterior a congrega-
ção cristã primitiva, como: padre, pastor, bispo etc.
Mas o termo “servo” nos pareceu mais humilde e con-
dizente com a mensagem cristã.
2
Literalmente Se lê “senhora escolhida”. Mas são ins-
truções claras para muitas pessoas, uma congregação
inteira que sofria ataque sistemático de anticristos.
Não podemos deixar de especular que realmente fosse
uma carta para uma mulher, mas não era costume dar
instruções de tal seriedade para as mulheres da época.
Esta segunda carta também nos pareceu ser uma con-
tinuação da primeira, a qual não menciona uma “se-
nhora” e “sua irmã”.
3
Ou “graça de Deus”.
4
Literalmente: “na verdade como mandamento”.
mundo dizendo que Jesus não veio na
carne. Então, estes são de fato trapacei-
ros desmentindo tudo que aprendemos
do Messias! (são anticristo).
8 Por isso tomem cuidado para não per-
derem o conhecimento que foi trabalho-
so para todos, pois continuar a seguir
os conselhos de Deus será uma grande
recompensa. 9 Todo aquele que insistir
em andar com as própria pernas se adi-
anta, afastando-se do conhecimento so-
bre o Messias, e assim não está com
Deus.Não é bom ter sempre a ambos? O
Pai e o Filho? 10 Não deixem tais pes-
soas se aproximarem de vocês ao divi-
dir suas casas com eles.5
11 Pois haverá
no mínimo confusão, ou até mesmo
participação na divulgação de conheci-
mento errado.
12 Eu tenho muitas coisas para dizer a
vocês, mas não será por cartas e sim
pessoalmente, para maior alegria.
13 Recebam os cumprimentos amoro-
sos dos discípulos desta congregação
irmã (no conhecimento) e também es-
colhida. (por Deus).6
5
Ou “Não se alegrem com eles em vossos lares”
6
Literalmente “tua irmã escolhida”, ou, como explica-
mos na nota 1, trata-se de uma referência a congrega-
ções perseguidas, o apóstolo tomando cuidados na
escrita para preservar seus irmãos na fé.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Treinamento para liderança 3 – a liderança vivendo na expectativa da consumaç...
Treinamento para liderança 3 – a liderança vivendo na expectativa da consumaç...Treinamento para liderança 3 – a liderança vivendo na expectativa da consumaç...
Treinamento para liderança 3 – a liderança vivendo na expectativa da consumaç...
Vilmar Nascimento
 
Amai vos uns aos outros joão 15 9-17 (6 dom páscoa-ano b)
Amai vos uns aos outros joão 15 9-17 (6 dom páscoa-ano b)Amai vos uns aos outros joão 15 9-17 (6 dom páscoa-ano b)
Amai vos uns aos outros joão 15 9-17 (6 dom páscoa-ano b)
Paulo Dias Nogueira
 
Somos Iguais
Somos IguaisSomos Iguais
Somos Iguais
Pastor Robson Colaço
 
Perdão
PerdãoPerdão
A BEIRA DO CAMINHO NÃO É O MEU LUGAR!!!!!
A BEIRA DO CAMINHO NÃO É O MEU LUGAR!!!!!A BEIRA DO CAMINHO NÃO É O MEU LUGAR!!!!!
A BEIRA DO CAMINHO NÃO É O MEU LUGAR!!!!!
PR MARCIO
 
Como aproveitar melhor nosso tempo palavra para os lideres
Como aproveitar melhor nosso tempo palavra para os lideresComo aproveitar melhor nosso tempo palavra para os lideres
Como aproveitar melhor nosso tempo palavra para os lideres
Marcos De Oliveira Leite
 
A historia de Martinho Lutero parte2
A historia de Martinho Lutero parte2A historia de Martinho Lutero parte2
A historia de Martinho Lutero parte2
Verdadeira
 
Dízimo
DízimoDízimo
Dízimo
Eid Marques
 
Leituras: 13° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Leituras: 13° Domingo do Tempo Comum - Ano ALeituras: 13° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Leituras: 13° Domingo do Tempo Comum - Ano A
José Lima
 
A historia de martinho lutero parte 4
A historia de martinho lutero parte 4 A historia de martinho lutero parte 4
A historia de martinho lutero parte 4
Verdadeira
 
A parábola das dez virgens
A parábola das dez virgensA parábola das dez virgens
A parábola das dez virgens
PrElias Souza
 
Segunda carta do Aposto Paulo aos 2
Segunda carta do Aposto Paulo aos 2Segunda carta do Aposto Paulo aos 2
Segunda carta do Aposto Paulo aos 2
Mensagens Virtuais
 
A parábola das 10 virgens
A parábola das 10 virgensA parábola das 10 virgens
A parábola das 10 virgens
Antonio Maciel Santos
 
Nucleo incubadora
Nucleo incubadoraNucleo incubadora
Nucleo incubadora
melquisedeque Chagas
 
A historia de martinho lutero parte 3
A historia de martinho lutero parte 3A historia de martinho lutero parte 3
A historia de martinho lutero parte 3
Verdadeira
 
A historia de Martinho lutero parte 1
A historia de Martinho lutero parte 1A historia de Martinho lutero parte 1
A historia de Martinho lutero parte 1
Verdadeira
 
Aula Jonatas 42: Levantando a guarda contra o inimigo
Aula Jonatas 42: Levantando a guarda contra o inimigoAula Jonatas 42: Levantando a guarda contra o inimigo
Aula Jonatas 42: Levantando a guarda contra o inimigo
Andre Nascimento
 
02 Casamento Heterossexual
02   Casamento Heterossexual02   Casamento Heterossexual
02 Casamento Heterossexual
Pastor Robson Colaço
 
Mandamentos para o casal esposa
Mandamentos para o casal  esposaMandamentos para o casal  esposa
Mandamentos para o casal esposa
Pr Ismael Carvalho
 
1 tessalonissences 2
1 tessalonissences 21 tessalonissences 2
1 tessalonissences 2
Elva Judy Nieri
 

Mais procurados (20)

Treinamento para liderança 3 – a liderança vivendo na expectativa da consumaç...
Treinamento para liderança 3 – a liderança vivendo na expectativa da consumaç...Treinamento para liderança 3 – a liderança vivendo na expectativa da consumaç...
Treinamento para liderança 3 – a liderança vivendo na expectativa da consumaç...
 
Amai vos uns aos outros joão 15 9-17 (6 dom páscoa-ano b)
Amai vos uns aos outros joão 15 9-17 (6 dom páscoa-ano b)Amai vos uns aos outros joão 15 9-17 (6 dom páscoa-ano b)
Amai vos uns aos outros joão 15 9-17 (6 dom páscoa-ano b)
 
Somos Iguais
Somos IguaisSomos Iguais
Somos Iguais
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdão
 
A BEIRA DO CAMINHO NÃO É O MEU LUGAR!!!!!
A BEIRA DO CAMINHO NÃO É O MEU LUGAR!!!!!A BEIRA DO CAMINHO NÃO É O MEU LUGAR!!!!!
A BEIRA DO CAMINHO NÃO É O MEU LUGAR!!!!!
 
Como aproveitar melhor nosso tempo palavra para os lideres
Como aproveitar melhor nosso tempo palavra para os lideresComo aproveitar melhor nosso tempo palavra para os lideres
Como aproveitar melhor nosso tempo palavra para os lideres
 
A historia de Martinho Lutero parte2
A historia de Martinho Lutero parte2A historia de Martinho Lutero parte2
A historia de Martinho Lutero parte2
 
Dízimo
DízimoDízimo
Dízimo
 
Leituras: 13° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Leituras: 13° Domingo do Tempo Comum - Ano ALeituras: 13° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Leituras: 13° Domingo do Tempo Comum - Ano A
 
A historia de martinho lutero parte 4
A historia de martinho lutero parte 4 A historia de martinho lutero parte 4
A historia de martinho lutero parte 4
 
A parábola das dez virgens
A parábola das dez virgensA parábola das dez virgens
A parábola das dez virgens
 
Segunda carta do Aposto Paulo aos 2
Segunda carta do Aposto Paulo aos 2Segunda carta do Aposto Paulo aos 2
Segunda carta do Aposto Paulo aos 2
 
A parábola das 10 virgens
A parábola das 10 virgensA parábola das 10 virgens
A parábola das 10 virgens
 
Nucleo incubadora
Nucleo incubadoraNucleo incubadora
Nucleo incubadora
 
A historia de martinho lutero parte 3
A historia de martinho lutero parte 3A historia de martinho lutero parte 3
A historia de martinho lutero parte 3
 
A historia de Martinho lutero parte 1
A historia de Martinho lutero parte 1A historia de Martinho lutero parte 1
A historia de Martinho lutero parte 1
 
Aula Jonatas 42: Levantando a guarda contra o inimigo
Aula Jonatas 42: Levantando a guarda contra o inimigoAula Jonatas 42: Levantando a guarda contra o inimigo
Aula Jonatas 42: Levantando a guarda contra o inimigo
 
02 Casamento Heterossexual
02   Casamento Heterossexual02   Casamento Heterossexual
02 Casamento Heterossexual
 
Mandamentos para o casal esposa
Mandamentos para o casal  esposaMandamentos para o casal  esposa
Mandamentos para o casal esposa
 
1 tessalonissences 2
1 tessalonissences 21 tessalonissences 2
1 tessalonissences 2
 

Destaque

MVEB: A serva de Naamã
MVEB: A serva de NaamãMVEB: A serva de Naamã
MVEB: A serva de Naamã
barducostefane
 
Abrão, isaac e jacó
Abrão, isaac e jacóAbrão, isaac e jacó
Abrão, isaac e jacó
Valul Service Engenharia
 
Histria de-ana-1226880567259804-9
Histria de-ana-1226880567259804-9Histria de-ana-1226880567259804-9
Histria de-ana-1226880567259804-9
danyelysantos
 
Notas de didáctica final
Notas de didáctica finalNotas de didáctica final
Notas de didáctica final
Willy Ernesto Portugal Duran
 
MVEB: Agar e Sara
MVEB: Agar e SaraMVEB: Agar e Sara
MVEB: Agar e Sara
barducostefane
 
Roteiro da Peça
Roteiro da PeçaRoteiro da Peça
Roteiro da Peça
Thiico
 

Destaque (6)

MVEB: A serva de Naamã
MVEB: A serva de NaamãMVEB: A serva de Naamã
MVEB: A serva de Naamã
 
Abrão, isaac e jacó
Abrão, isaac e jacóAbrão, isaac e jacó
Abrão, isaac e jacó
 
Histria de-ana-1226880567259804-9
Histria de-ana-1226880567259804-9Histria de-ana-1226880567259804-9
Histria de-ana-1226880567259804-9
 
Notas de didáctica final
Notas de didáctica finalNotas de didáctica final
Notas de didáctica final
 
MVEB: Agar e Sara
MVEB: Agar e SaraMVEB: Agar e Sara
MVEB: Agar e Sara
 
Roteiro da Peça
Roteiro da PeçaRoteiro da Peça
Roteiro da Peça
 

Semelhante a A segunda carta de joão

O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo CristãoO Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
JUERP
 
A evangelização tem regra
A evangelização tem regraA evangelização tem regra
A evangelização tem regra
felipe_higa
 
Um Chamado à Separação - A. W. Pink
Um Chamado à Separação - A. W. PinkUm Chamado à Separação - A. W. Pink
Um Chamado à Separação - A. W. Pink
Silvio Dutra
 
Pessoas Enganadas.pdf
Pessoas Enganadas.pdfPessoas Enganadas.pdf
Pessoas Enganadas.pdf
Pastor Robson Colaço
 
Portuguese - Second and Third John.pdf
Portuguese - Second and Third John.pdfPortuguese - Second and Third John.pdf
Portuguese - Second and Third John.pdf
Filipino Tracts and Literature Society Inc.
 
Timoteo 2
Timoteo 2Timoteo 2
Coisas que atrapalham a experiência com Deus
Coisas que atrapalham a experiência com DeusCoisas que atrapalham a experiência com Deus
Coisas que atrapalham a experiência com Deus
prheliom
 
10 coisas que todo católico deve saber
10 coisas que todo católico deve saber10 coisas que todo católico deve saber
10 coisas que todo católico deve saber
Wagner Teixeira Dos Reis
 
Pais e filhos_espirituais
Pais e filhos_espirituaisPais e filhos_espirituais
Pais e filhos_espirituais
Paulo Da Rocha
 
“Andeis como sábios”
“Andeis como sábios”“Andeis como sábios”
“Andeis como sábios”
JUERP
 
Tessalonicenses
TessalonicensesTessalonicenses
Tessalonicenses
Mensagens Virtuais
 
A importância do Estudo Bíblico
A importância do Estudo BíblicoA importância do Estudo Bíblico
A importância do Estudo Bíblico
Eder L. Souza
 
Dos ouvidos aos pés_212015_GGR
Dos ouvidos aos pés_212015_GGRDos ouvidos aos pés_212015_GGR
Dos ouvidos aos pés_212015_GGR
Gerson G. Ramos
 
7 biblia do_discipulado_-_galatas_e_efesios
7 biblia do_discipulado_-_galatas_e_efesios7 biblia do_discipulado_-_galatas_e_efesios
7 biblia do_discipulado_-_galatas_e_efesios
INOVAR CLUB
 
Segunda Epistolaaos Tessalonicenses
Segunda Epistolaaos TessalonicensesSegunda Epistolaaos Tessalonicenses
Segunda Epistolaaos Tessalonicenses
JNR
 
Livro em-defesa-do-adventismo
Livro em-defesa-do-adventismoLivro em-defesa-do-adventismo
Livro em-defesa-do-adventismo
Anderson Santos
 
Paper jair fatin-a revelação do misterio da iniquidade
Paper jair   fatin-a revelação do misterio da iniquidadePaper jair   fatin-a revelação do misterio da iniquidade
Paper jair fatin-a revelação do misterio da iniquidade
Jair de Barros
 
Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)
Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)
Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)
Deonice E Orlando Sazonov
 
Quem é jesus
Quem é jesusQuem é jesus
Quem é jesus
Carla Rodrigo
 
Soe o alarme
Soe o alarmeSoe o alarme
Soe o alarme
Silvio Dutra
 

Semelhante a A segunda carta de joão (20)

O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo CristãoO Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
 
A evangelização tem regra
A evangelização tem regraA evangelização tem regra
A evangelização tem regra
 
Um Chamado à Separação - A. W. Pink
Um Chamado à Separação - A. W. PinkUm Chamado à Separação - A. W. Pink
Um Chamado à Separação - A. W. Pink
 
Pessoas Enganadas.pdf
Pessoas Enganadas.pdfPessoas Enganadas.pdf
Pessoas Enganadas.pdf
 
Portuguese - Second and Third John.pdf
Portuguese - Second and Third John.pdfPortuguese - Second and Third John.pdf
Portuguese - Second and Third John.pdf
 
Timoteo 2
Timoteo 2Timoteo 2
Timoteo 2
 
Coisas que atrapalham a experiência com Deus
Coisas que atrapalham a experiência com DeusCoisas que atrapalham a experiência com Deus
Coisas que atrapalham a experiência com Deus
 
10 coisas que todo católico deve saber
10 coisas que todo católico deve saber10 coisas que todo católico deve saber
10 coisas que todo católico deve saber
 
Pais e filhos_espirituais
Pais e filhos_espirituaisPais e filhos_espirituais
Pais e filhos_espirituais
 
“Andeis como sábios”
“Andeis como sábios”“Andeis como sábios”
“Andeis como sábios”
 
Tessalonicenses
TessalonicensesTessalonicenses
Tessalonicenses
 
A importância do Estudo Bíblico
A importância do Estudo BíblicoA importância do Estudo Bíblico
A importância do Estudo Bíblico
 
Dos ouvidos aos pés_212015_GGR
Dos ouvidos aos pés_212015_GGRDos ouvidos aos pés_212015_GGR
Dos ouvidos aos pés_212015_GGR
 
7 biblia do_discipulado_-_galatas_e_efesios
7 biblia do_discipulado_-_galatas_e_efesios7 biblia do_discipulado_-_galatas_e_efesios
7 biblia do_discipulado_-_galatas_e_efesios
 
Segunda Epistolaaos Tessalonicenses
Segunda Epistolaaos TessalonicensesSegunda Epistolaaos Tessalonicenses
Segunda Epistolaaos Tessalonicenses
 
Livro em-defesa-do-adventismo
Livro em-defesa-do-adventismoLivro em-defesa-do-adventismo
Livro em-defesa-do-adventismo
 
Paper jair fatin-a revelação do misterio da iniquidade
Paper jair   fatin-a revelação do misterio da iniquidadePaper jair   fatin-a revelação do misterio da iniquidade
Paper jair fatin-a revelação do misterio da iniquidade
 
Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)
Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)
Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)
 
Quem é jesus
Quem é jesusQuem é jesus
Quem é jesus
 
Soe o alarme
Soe o alarmeSoe o alarme
Soe o alarme
 

Último

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 

A segunda carta de joão

  • 1. A segunda Carta de João 1 Do Servo de Deus (o mais velho)1 , para a congregação escolhida e aos que estão nela como filhos, os quais eu amo muito.2 E digo que não somente eu tenho esse amor, mas todos os outros que também conheceram a verdade. 2 E por causa deste conhecimento que per- manece conosco para sempre, 3 tam- bém haverá em nós o perdão imereci- do3 e misericórdia, juntamente com a paz que vem de Deus e também de seu filho Jesus, o Messias. Que tudo isso venha sempre com confiança e amor! 4 É uma grande alegria ter encontrado entre vocês certos discípulos (ou filhos da senhora) caminhando no novo co- nhecimento4 que recebemos da parte do Pai. 5 Desejo, através desta escrita, re- lembrar a congregação um mandamen- to que conhecemos desde o princípio: “que nos amemos uns aos outros”. 6 Sim! E este amor significa continu- armos a seguir os conselhos de Deus, pois desde o principio ouvimos que de- vemos sempre ouvir tais conselhos di- vinos. 7 Relembro isso porque existem muito enganadores que andam pelo 1 Ou Ancião, que significa homem mais velho, mas também pode ser um título religioso (pre-sby-te-ro) e neste caso seria um significado posterior a congrega- ção cristã primitiva, como: padre, pastor, bispo etc. Mas o termo “servo” nos pareceu mais humilde e con- dizente com a mensagem cristã. 2 Literalmente Se lê “senhora escolhida”. Mas são ins- truções claras para muitas pessoas, uma congregação inteira que sofria ataque sistemático de anticristos. Não podemos deixar de especular que realmente fosse uma carta para uma mulher, mas não era costume dar instruções de tal seriedade para as mulheres da época. Esta segunda carta também nos pareceu ser uma con- tinuação da primeira, a qual não menciona uma “se- nhora” e “sua irmã”. 3 Ou “graça de Deus”. 4 Literalmente: “na verdade como mandamento”. mundo dizendo que Jesus não veio na carne. Então, estes são de fato trapacei- ros desmentindo tudo que aprendemos do Messias! (são anticristo). 8 Por isso tomem cuidado para não per- derem o conhecimento que foi trabalho- so para todos, pois continuar a seguir os conselhos de Deus será uma grande recompensa. 9 Todo aquele que insistir em andar com as própria pernas se adi- anta, afastando-se do conhecimento so- bre o Messias, e assim não está com Deus.Não é bom ter sempre a ambos? O Pai e o Filho? 10 Não deixem tais pes- soas se aproximarem de vocês ao divi- dir suas casas com eles.5 11 Pois haverá no mínimo confusão, ou até mesmo participação na divulgação de conheci- mento errado. 12 Eu tenho muitas coisas para dizer a vocês, mas não será por cartas e sim pessoalmente, para maior alegria. 13 Recebam os cumprimentos amoro- sos dos discípulos desta congregação irmã (no conhecimento) e também es- colhida. (por Deus).6 5 Ou “Não se alegrem com eles em vossos lares” 6 Literalmente “tua irmã escolhida”, ou, como explica- mos na nota 1, trata-se de uma referência a congrega- ções perseguidas, o apóstolo tomando cuidados na escrita para preservar seus irmãos na fé.