SlideShare uma empresa Scribd logo
Lição 3
"Portanto, ide, ensinai todas as nações,
batizando-as em nome do Pai, e do
Filho, e do Espírito Santo." (Mt 28.19).
Cremos em um só Deus, eternamente
subsistente em três pessoas distintas: o
Pai, o Filho e o Espírito Santo iguais em
substância, glória, poder e majestade.
1 Coríntios 12.4-6; 2 Coríntios 13.13.
1 Coríntios 12.4-6:
4 Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o
mesmo.
5 E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o
mesmo.
6 E há diversidade de operações, mas é o mesmo
Deus que opera tudo em todos.
2 Coríntios 13.13: A graça do Senhor Jesus Cristo, e o
amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja
com todos vós. Amém.
A doutrina da Trindade é a verdade mais crucial do
pensamento cristão, mas como conciliar o monoteísmo
revelado no Antigo Testamento com a divindade de cada
pessoa da Trindade? Esse é o enfoque da presente lição.
1. A unidade na Trindade
(1Co 12.4-6). Uma leitura superficial dessa
passagem pode levar alguém a
argumentar que o texto não diz que
cada uma dessas pessoas é Deus,
como costumam fazer determinados
grupos tidos como cristãos. O
apóstolo Paulo se refere à Trindade
usando outra linguagem. Ele afirma a
unidade de Deus, uma só essência e
substância, em diversidade de
manifestações de cada Pessoa distinta.
E declara que o Espírito é o mesmo, o
Senhor é o mesmo e o Deus Pai é o
mesmo. É a unidade na diversidade.
2. A bênção apostólica (2 Co 13.13).
Há aqui certo paralelismo com a bênção final não é comum
nas epístolas paulinas. Não parece haver aqui intenção de
explicar a doutrina da Trindade. Trata-se do pronunciamento
habitual do ministro de culto ao despedir os fiéis no fim das
reuniões nas primeiras décadas da história da Igreja. Se isso
puder ser confirmado, significa que os cristãos já estavam
conscientes dessa realidade divina desde muito cedo na vida
da Igreja. A fonte da graça do Senhor Jesus é o amor de Deus
no Espírito Santo. É uma saudação trinitária.
3. O Deus trino e uno revelado (Ef 4.4-6).
Temos aqui a diversidade de operações e funções na unidade
de Deus. É Deus quem nos chama por meio do Espírito Santo.
Jesus é o nosso Senhor, a fonte de nossa fé e esperança. O
Pai, o Filho e o Espírito Santo são iguais em poder, glória e
majestade, que subsistem desde a eternidade em uma só
substância indivisível, mas manifestos na história salvífica em
formas pessoais e funções distintas (1Pe 1.2).
1. Uma questão crucial. A Bíblia mostra com clareza
meridiana a divindade do Filho: "e o Verbo era Deus" (Jo
1.1). Trata-se de uma divindade plena e absoluta:
"porque nele habita corporalmente toda a plenitude da
divindade" (Cl 2.9).
As Escrituras afirmam também que o Espírito Santo é Deus:
"Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito
de Deus habita em vós?" (1 Co 3.16); e é também Senhor:
"Ora, o SENHOR é o Espírito" (2 Co 3.17, ARA).
Como conciliar essa verdade com o monoteísmo ratificado
pelo próprio Senhor Jesus? (Mc 12.29,30). Tal não se trata
de triteísmo, isto é, "três deuses", pois existe um só Deus
e Deus é um só (1Co 8.6; Gl 3.20). A única explicação é a
Trindade.
A santissima trindade um so deus em tres pessoas
2. A Trindade. A Trindade está presente na Bíblia desde o
Antigo Testamento (Gn 1.26; 3.22; Is 6.8). O Senhor Jesus apresenta
o Pai e o Espírito Santo num tipo de relacionamento "eu, tu
ele" (Jo 16.7-16). Antes de sua ascensão ao céu, Jesus mandou
que os discípulos batizassem "em nome do Pai, e do Filho e
do Espírito Santo" (Mt 28.19). Essa é a passagem bíblica
mais contundente em favor da Trindade.
Temos aqui um conceito trinitário muito claro e vívido.
Trata-se de um resumo da realidade divina ensinada
durante seu ministério acerca de si mesmo e do Pai (Mt
11.27) e do Espírito Santo (Mt 12.28).
A Igreja, desde a antiguidade, resume essas passagens
bíblicas na fé em um só Deus que subsiste eternamente em
três pessoas distintas.
1. Os monarquianistas dinâmicos.
Trata-se de um movimento que surgiu
após a metade do segundo século em
torno do monoteísmo cristão.
Tertuliano, um dos líderes cristãos
daquela geração, polemizou com eles,
chamando-os de monarquianistas (do
grego, monarchia, "governo exercido
por um único soberano"). Eles
ensinavam que Jesus recebeu a
dynamis, "poder", em grego, por
ocasião do seu batismo no rio Jordão;
outros afirmavam que Jesus se tornou
divino por ocasião de sua ressurreição.
Todas as ideias do movimento negavam a deidade absoluta
de Jesus e contrariavam a crença desde a Era Apostólica, que
considerava Jesus "o verdadeiro Deus e a vida eterna" (l Jo 5.20).
Eles são os ancestrais do arianismo.
2. Os monarquianistas modalistas. Esses são assim
identificados porque ensinavam que Deus aparece de modos
diferentes. Para eles, Deus aparece com a máscara de Pai na
obra criadora, com a máscara de Filho no seu nascimento e
na ascensão, e a partir daí aparece com a máscara de Espírito
Santo. Pai, Filho e Espírito Santo não são três pessoas, mas
três faces, semblantes ou máscaras.
É a doutrina unicista que nega a Trindade, Trata-se de um erro
teológico crasso, pois a Bíblia é clara na distinção dessas
pessoas (Mt 3.16,17; Jo 8.17,18; 2 Jo 3). O bispo Sabélio foi o
principal expoente dessa doutrina, por isso ela é conhecida
como sabelianismo. Seus herdeiros espirituais ainda estão por
aí. O resumo teológico deles é o seguinte: Deus é Jesus; no
entanto, a Bíblia ensina que Jesus é Deus.
O monarquianismo, ou monarquismo como é algumas vezes
chamado, é uma série de crenças que enfatizam a unidade absoluta
de Deus. A crença conflita com a doutrina da Trindade, que vê em
Deus uma unidade composta pelo Pai, Filho e Espírito Santo. Os
modelos propostos pelo monarquianismo foram rejeitados como
heréticos pela Igreja Católica.
O monarquianismo por si mesmo não é uma doutrina completa, mas
um gênero do qual decorrem algumas espécies doutrinárias
teológicas. Há basicamente dois modelos, contraditórios:
•O modalismo ou sabelianismo considera que Deus seja uma pessoa,
manifestando-se e operando em diferentes "modos", como Pai, Filho
e Espírito Santo. O proponente desta visão foi Sabélio..
•O adocionismo entende que Deus é um ser, superior a tudo e
completamente indivisível, defendendo a ideia de que o Filho não foi
co-eterno com o Pai, mas que foi revestido de Deus (adotado) para os
seus planos. Diferente versões do adocionismo divergem quanto à
hora da adoção por Deus, como a hora do seu batismo, ou de sua
ascensão. Um antigo expoente desta crença foi Teódoto de Bizâncio.
3. O arianismo. É o nome da
doutrina formulada por Ário e do
movimento que ele fundou em
Alexandria, Egito, no ano 318. Sua
doutrina contrariava a crença
ortodoxa seguida pelas igrejas
desde o período apostólico. Ário
ensinava que o Senhor Jesus não
era da mesma substância do Pai;
era criatura, criado do nada, uma
classe divina de natureza inferior,
nem divina nem humana, uma
terceira classe entre a deidade e a
humanidade.
A palavra de ordem de seus seguidores era: "Houve tempo
em que o Verbo não existia". Mas o ensino bíblico sustentado
pelas igrejas desde o princípio afirma que o Filho é eterno (Is
9.6), pois transcende a criação: "E ele é antes de todas as
coisas, e todas as coisas subsistem por ele" (Cl 1.17).
1. Esclarecimento. Os unicistas modernos pregam que a
doutrina da Trindade é uma invenção do Concílio de Niceia,
por ordem de um imperador romano pagão. Mas esses
movimentos estão equivocados, pois mais de cem anos
antes Tertuliano já havia formulado a doutrina da Trindade.
Além disso, o tema do referido Concílio, o Filho, reafirma a
deidade de Jesus e a sua consubstancialidade com o Pai.
O Credo não traz informação alguma sobre o Espírito Santo.
O documento aprovado em Niceia tornou-se ponto de
partida, ao invés de ponto de chegada. A controvérsia
prosseguiu por duas razões principais: a volta do arianismo
e a indefinição sobre o Espírito Santo.
2. A definição de Tertuliano. Ele foi o neologista da Igreja
que criou o termo "Trindade", na seguinte declaração:
"Todos são um, por unidade de substância, embora ainda
esteja oculto o mistério da dispensação que distribui a
unidade numa Trindade, colocando em sua ordem os três,
Pai, Filho e Espírito Santo; três contudo,
não em essência, mas em grau; não em
substância, mas em forma; não em poder,
mas em aparência; pois eles são de uma
só substância e de uma só essência e de
um poder só, já que é de um só Deus que
esses graus e formas e aspectos são
reconhecidos com o nome de Pai, Filho e
Espírito Santo (Contra Práxeas, II). Um só
Deus, portanto, a essência, a substância e
o poder são um só; mas a diferença está
no grau, na forma e na aparência que
chamamos de "pessoas" (Mt 28.19).
3. Formulação definitiva da Trindade.
Isso só aconteceu no Concílio de Constantinopla
em 381, com base nos trabalhos de Atanásio
que combateram os arianistas e também os
grupos contrários à doutrina do Espírito Santo,
como os pneumatomacianos e os tropicianos; e
com base nas obras dos chamados pais
capadócios: Basílio de Cesareia, Gregório de
Nissa e Gregório de Nazianzo. O Credo Niceno-
Constantinopolitano reafirma o Credo de Niceia
e define a divindade do Espírito Santo,
estabelecendo de uma vez por todas a doutrina
da Santíssima Trindade.
Diante do exposto, está claro que a doutrina da Trindade é
bíblica e está presente desde o Gênesis até o Apocalipse.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Genesis o livro da criação divina
Genesis   o livro da criação divinaGenesis   o livro da criação divina
Genesis o livro da criação divina
Valmir Nascimento Milomem Santos
 
Panorama do NT - Judas
Panorama do NT - JudasPanorama do NT - Judas
Panorama do NT - Judas
Respirando Deus
 
Historia da igreja
Historia da igrejaHistoria da igreja
Historia da igreja
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Carta à Igreja de Filadélfia no Apocalipse
Carta à Igreja de Filadélfia no ApocalipseCarta à Igreja de Filadélfia no Apocalipse
Carta à Igreja de Filadélfia no Apocalipse
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Cristologia aula01
Cristologia aula01Cristologia aula01
Cristologia aula01
Pastor W. Costa
 
A Doutrina de Cristo
A Doutrina de CristoA Doutrina de Cristo
A Doutrina de Cristo
André Luiz Marques
 
Panorama da História do Cristianismo
Panorama da História do CristianismoPanorama da História do Cristianismo
Panorama da História do Cristianismo
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
Aula 4  - Jesus, o grande SalvadorAula 4  - Jesus, o grande Salvador
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
Ricardo Gondim
 
Panorama do NT - 1Pedro
Panorama do NT - 1PedroPanorama do NT - 1Pedro
Panorama do NT - 1Pedro
Respirando Deus
 
Lição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santoLição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santo
Erberson Pinheiro
 
Carta de tiago
Carta de tiagoCarta de tiago
Carta de tiago
Diana E Junior
 
Panorama do NT - 3João
Panorama do NT - 3JoãoPanorama do NT - 3João
Panorama do NT - 3João
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - ApocalipsePanorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - Apocalipse
Respirando Deus
 
Panorama do NT - 1Tessalonicenses
Panorama do NT - 1TessalonicensesPanorama do NT - 1Tessalonicenses
Panorama do NT - 1Tessalonicenses
Respirando Deus
 
Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado
Geversom Sousa
 
O batismo bíblico
O batismo bíblicoO batismo bíblico
O batismo bíblico
alessenior
 
Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
Respirando Deus
 
Teologia do Pacto
Teologia do PactoTeologia do Pacto
Lição 14 - Entre a Páscoa e o Pentecostes
Lição 14 - Entre a Páscoa e o PentecostesLição 14 - Entre a Páscoa e o Pentecostes
Lição 14 - Entre a Páscoa e o Pentecostes
Éder Tomé
 
Carta aos Hebreus
Carta aos HebreusCarta aos Hebreus
Carta aos Hebreus
Cesar Oliveira
 

Mais procurados (20)

Genesis o livro da criação divina
Genesis   o livro da criação divinaGenesis   o livro da criação divina
Genesis o livro da criação divina
 
Panorama do NT - Judas
Panorama do NT - JudasPanorama do NT - Judas
Panorama do NT - Judas
 
Historia da igreja
Historia da igrejaHistoria da igreja
Historia da igreja
 
Carta à Igreja de Filadélfia no Apocalipse
Carta à Igreja de Filadélfia no ApocalipseCarta à Igreja de Filadélfia no Apocalipse
Carta à Igreja de Filadélfia no Apocalipse
 
Cristologia aula01
Cristologia aula01Cristologia aula01
Cristologia aula01
 
A Doutrina de Cristo
A Doutrina de CristoA Doutrina de Cristo
A Doutrina de Cristo
 
Panorama da História do Cristianismo
Panorama da História do CristianismoPanorama da História do Cristianismo
Panorama da História do Cristianismo
 
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
Aula 4  - Jesus, o grande SalvadorAula 4  - Jesus, o grande Salvador
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
 
Panorama do NT - 1Pedro
Panorama do NT - 1PedroPanorama do NT - 1Pedro
Panorama do NT - 1Pedro
 
Lição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santoLição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santo
 
Carta de tiago
Carta de tiagoCarta de tiago
Carta de tiago
 
Panorama do NT - 3João
Panorama do NT - 3JoãoPanorama do NT - 3João
Panorama do NT - 3João
 
Panorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - ApocalipsePanorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - Apocalipse
 
Panorama do NT - 1Tessalonicenses
Panorama do NT - 1TessalonicensesPanorama do NT - 1Tessalonicenses
Panorama do NT - 1Tessalonicenses
 
Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado
 
O batismo bíblico
O batismo bíblicoO batismo bíblico
O batismo bíblico
 
Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
 
Teologia do Pacto
Teologia do PactoTeologia do Pacto
Teologia do Pacto
 
Lição 14 - Entre a Páscoa e o Pentecostes
Lição 14 - Entre a Páscoa e o PentecostesLição 14 - Entre a Páscoa e o Pentecostes
Lição 14 - Entre a Páscoa e o Pentecostes
 
Carta aos Hebreus
Carta aos HebreusCarta aos Hebreus
Carta aos Hebreus
 

Semelhante a A santissima trindade um so deus em tres pessoas

A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
Márcio Martins
 
A santissima trindade
A santissima trindadeA santissima trindade
A santissima trindade
Pr Neto
 
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoasLição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Daniel Felipe Kroth
 
Lição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoasLição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoas
Erberson Pinheiro
 
Lição 3 - A Santíssima Trindade: Um só Deus em três Pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: Um só Deus em três PessoasLição 3 - A Santíssima Trindade: Um só Deus em três Pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: Um só Deus em três Pessoas
I.A.D.F.J - SAMAMABAIA SUL
 
A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
Marcianno Teofilo
 
A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
Marcianno Teofilo
 
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoasLição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Éder Tomé
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
Joel Silva
 
Lição 3 ebd- a santissima trindade
Lição 3   ebd- a santissima trindadeLição 3   ebd- a santissima trindade
Lição 3 ebd- a santissima trindade
RODRIGO FERREIRA
 
2017 LBA LIÇÃO 3 - A santíssima trindade, um só Deus em três pessoas
2017 LBA LIÇÃO 3 - A santíssima trindade, um só Deus em três pessoas2017 LBA LIÇÃO 3 - A santíssima trindade, um só Deus em três pessoas
2017 LBA LIÇÃO 3 - A santíssima trindade, um só Deus em três pessoas
Natalino das Neves Neves
 
Lição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas
Lição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três PessoasLição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas
Lição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas
Francisco Barbosa
 
Lição 1 - A Doutrina da Trindade
Lição 1 - A Doutrina da TrindadeLição 1 - A Doutrina da Trindade
Lição 1 - A Doutrina da Trindade
Éder Tomé
 
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoasLição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Ailton da Silva
 
A trindade
A trindadeA trindade
A trindade
Igor Queiroz
 
Desmascarando o Dogma da Trindade a Luz da Biblia
Desmascarando o Dogma da Trindade a Luz da BibliaDesmascarando o Dogma da Trindade a Luz da Biblia
Desmascarando o Dogma da Trindade a Luz da Biblia
ASD Remanescentes
 
A trindade e toda sua origem
A trindade e toda sua origemA trindade e toda sua origem
A trindade e toda sua origem
ASD Remanescentes
 
Deus Triuno - A doutrina da Trindade
Deus Triuno - A doutrina da TrindadeDeus Triuno - A doutrina da Trindade
Deus Triuno - A doutrina da Trindade
Geversom Sousa
 
Trindade Deus Jesus E. santo
Trindade Deus Jesus E. santoTrindade Deus Jesus E. santo
Trindade Deus Jesus E. santo
jb1955
 
AULA_TRINDADE_(1)Elly.pdf
AULA_TRINDADE_(1)Elly.pdfAULA_TRINDADE_(1)Elly.pdf
AULA_TRINDADE_(1)Elly.pdf
AMILTON gomes Gomes
 

Semelhante a A santissima trindade um so deus em tres pessoas (20)

A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
 
A santissima trindade
A santissima trindadeA santissima trindade
A santissima trindade
 
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoasLição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
Lição 03 - a santíssima trindade, um só deus em três pessoas
 
Lição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoasLição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A santíssima trindade - um só Deus em três pessoas
 
Lição 3 - A Santíssima Trindade: Um só Deus em três Pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: Um só Deus em três PessoasLição 3 - A Santíssima Trindade: Um só Deus em três Pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: Um só Deus em três Pessoas
 
A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
 
A doutrina da trindade
A doutrina da trindadeA doutrina da trindade
A doutrina da trindade
 
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoasLição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
 
Lição 3 ebd- a santissima trindade
Lição 3   ebd- a santissima trindadeLição 3   ebd- a santissima trindade
Lição 3 ebd- a santissima trindade
 
2017 LBA LIÇÃO 3 - A santíssima trindade, um só Deus em três pessoas
2017 LBA LIÇÃO 3 - A santíssima trindade, um só Deus em três pessoas2017 LBA LIÇÃO 3 - A santíssima trindade, um só Deus em três pessoas
2017 LBA LIÇÃO 3 - A santíssima trindade, um só Deus em três pessoas
 
Lição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas
Lição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três PessoasLição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas
Lição 3: A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas
 
Lição 1 - A Doutrina da Trindade
Lição 1 - A Doutrina da TrindadeLição 1 - A Doutrina da Trindade
Lição 1 - A Doutrina da Trindade
 
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoasLição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
Lição 3 - A Santíssima Trindade: um só Deus em três pessoas
 
A trindade
A trindadeA trindade
A trindade
 
Desmascarando o Dogma da Trindade a Luz da Biblia
Desmascarando o Dogma da Trindade a Luz da BibliaDesmascarando o Dogma da Trindade a Luz da Biblia
Desmascarando o Dogma da Trindade a Luz da Biblia
 
A trindade e toda sua origem
A trindade e toda sua origemA trindade e toda sua origem
A trindade e toda sua origem
 
Deus Triuno - A doutrina da Trindade
Deus Triuno - A doutrina da TrindadeDeus Triuno - A doutrina da Trindade
Deus Triuno - A doutrina da Trindade
 
Trindade Deus Jesus E. santo
Trindade Deus Jesus E. santoTrindade Deus Jesus E. santo
Trindade Deus Jesus E. santo
 
AULA_TRINDADE_(1)Elly.pdf
AULA_TRINDADE_(1)Elly.pdfAULA_TRINDADE_(1)Elly.pdf
AULA_TRINDADE_(1)Elly.pdf
 

Mais de Hamilton Souza

jogos de estafetas.pdf
jogos de estafetas.pdfjogos de estafetas.pdf
jogos de estafetas.pdf
Hamilton Souza
 
saude em movimento.ppt
saude em movimento.pptsaude em movimento.ppt
saude em movimento.ppt
Hamilton Souza
 
Lição 11: O HOMEM DO PECADO
Lição 11: O HOMEM DO PECADOLição 11: O HOMEM DO PECADO
Lição 11: O HOMEM DO PECADO
Hamilton Souza
 
Lição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANA
Lição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANALição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANA
Lição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANA
Hamilton Souza
 
Lição 9 - O Primeiro Projeto de Globalismo
Lição 9 - O Primeiro Projeto de GlobalismoLição 9 - O Primeiro Projeto de Globalismo
Lição 9 - O Primeiro Projeto de Globalismo
Hamilton Souza
 
Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana
 Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana
Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana
Hamilton Souza
 
Lição 7 - A Queda do Ser Humano
Lição 7 - A Queda do Ser HumanoLição 7 - A Queda do Ser Humano
Lição 7 - A Queda do Ser Humano
Hamilton Souza
 
Lição 4 - Atributos do Ser Humano
Lição 4 - Atributos do Ser HumanoLição 4 - Atributos do Ser Humano
Lição 4 - Atributos do Ser Humano
Hamilton Souza
 
Lição 3: A NATUREZA DO SER HUMANO
Lição 3: A NATUREZA DO SER HUMANOLição 3: A NATUREZA DO SER HUMANO
Lição 3: A NATUREZA DO SER HUMANO
Hamilton Souza
 
Lição 2: A Criação de Eva, a Primeira Mulher
Lição 2: A Criação de Eva, a Primeira MulherLição 2: A Criação de Eva, a Primeira Mulher
Lição 2: A Criação de Eva, a Primeira Mulher
Hamilton Souza
 
Lição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM
Lição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEMLição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM
Lição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM
Hamilton Souza
 
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020
Hamilton Souza
 
Lição 13: A VELHICE DE DAVI
Lição 13: A VELHICE DE DAVI Lição 13: A VELHICE DE DAVI
Lição 13: A VELHICE DE DAVI
Hamilton Souza
 
Lição 12 - A Rebelião de Absalão
Lição 12 - A Rebelião de AbsalãoLição 12 - A Rebelião de Absalão
Lição 12 - A Rebelião de Absalão
Hamilton Souza
 
Lição 11 - As Consequências do Pecado de Davi
Lição 11 - As Consequências do Pecado de DaviLição 11 - As Consequências do Pecado de Davi
Lição 11 - As Consequências do Pecado de Davi
Hamilton Souza
 
Lição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de Deus
Lição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de DeusLição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de Deus
Lição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de Deus
Hamilton Souza
 
LIÇÃO 9: O REINADO DE DAVI
LIÇÃO 9: O REINADO DE DAVILIÇÃO 9: O REINADO DE DAVI
LIÇÃO 9: O REINADO DE DAVI
Hamilton Souza
 
Lição 8 - O Exílio de Davi
Lição 8 - O Exílio de DaviLição 8 - O Exílio de Davi
Lição 8 - O Exílio de Davi
Hamilton Souza
 
Lição 7: DAVI É UNGIDO REI
Lição 7: DAVI É UNGIDO REILição 7: DAVI É UNGIDO REI
Lição 7: DAVI É UNGIDO REI
Hamilton Souza
 
Lição 5 - A Instituição da Monarquia em Israel
Lição 5 - A Instituição da Monarquia em IsraelLição 5 - A Instituição da Monarquia em Israel
Lição 5 - A Instituição da Monarquia em Israel
Hamilton Souza
 

Mais de Hamilton Souza (20)

jogos de estafetas.pdf
jogos de estafetas.pdfjogos de estafetas.pdf
jogos de estafetas.pdf
 
saude em movimento.ppt
saude em movimento.pptsaude em movimento.ppt
saude em movimento.ppt
 
Lição 11: O HOMEM DO PECADO
Lição 11: O HOMEM DO PECADOLição 11: O HOMEM DO PECADO
Lição 11: O HOMEM DO PECADO
 
Lição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANA
Lição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANALição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANA
Lição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANA
 
Lição 9 - O Primeiro Projeto de Globalismo
Lição 9 - O Primeiro Projeto de GlobalismoLição 9 - O Primeiro Projeto de Globalismo
Lição 9 - O Primeiro Projeto de Globalismo
 
Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana
 Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana
Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana
 
Lição 7 - A Queda do Ser Humano
Lição 7 - A Queda do Ser HumanoLição 7 - A Queda do Ser Humano
Lição 7 - A Queda do Ser Humano
 
Lição 4 - Atributos do Ser Humano
Lição 4 - Atributos do Ser HumanoLição 4 - Atributos do Ser Humano
Lição 4 - Atributos do Ser Humano
 
Lição 3: A NATUREZA DO SER HUMANO
Lição 3: A NATUREZA DO SER HUMANOLição 3: A NATUREZA DO SER HUMANO
Lição 3: A NATUREZA DO SER HUMANO
 
Lição 2: A Criação de Eva, a Primeira Mulher
Lição 2: A Criação de Eva, a Primeira MulherLição 2: A Criação de Eva, a Primeira Mulher
Lição 2: A Criação de Eva, a Primeira Mulher
 
Lição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM
Lição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEMLição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM
Lição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM
 
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020
 
Lição 13: A VELHICE DE DAVI
Lição 13: A VELHICE DE DAVI Lição 13: A VELHICE DE DAVI
Lição 13: A VELHICE DE DAVI
 
Lição 12 - A Rebelião de Absalão
Lição 12 - A Rebelião de AbsalãoLição 12 - A Rebelião de Absalão
Lição 12 - A Rebelião de Absalão
 
Lição 11 - As Consequências do Pecado de Davi
Lição 11 - As Consequências do Pecado de DaviLição 11 - As Consequências do Pecado de Davi
Lição 11 - As Consequências do Pecado de Davi
 
Lição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de Deus
Lição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de DeusLição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de Deus
Lição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de Deus
 
LIÇÃO 9: O REINADO DE DAVI
LIÇÃO 9: O REINADO DE DAVILIÇÃO 9: O REINADO DE DAVI
LIÇÃO 9: O REINADO DE DAVI
 
Lição 8 - O Exílio de Davi
Lição 8 - O Exílio de DaviLição 8 - O Exílio de Davi
Lição 8 - O Exílio de Davi
 
Lição 7: DAVI É UNGIDO REI
Lição 7: DAVI É UNGIDO REILição 7: DAVI É UNGIDO REI
Lição 7: DAVI É UNGIDO REI
 
Lição 5 - A Instituição da Monarquia em Israel
Lição 5 - A Instituição da Monarquia em IsraelLição 5 - A Instituição da Monarquia em Israel
Lição 5 - A Instituição da Monarquia em Israel
 

Último

O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 

Último (20)

O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 

A santissima trindade um so deus em tres pessoas

  • 2. "Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo." (Mt 28.19).
  • 3. Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas distintas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo iguais em substância, glória, poder e majestade.
  • 4. 1 Coríntios 12.4-6; 2 Coríntios 13.13. 1 Coríntios 12.4-6: 4 Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. 5 E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. 6 E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. 2 Coríntios 13.13: A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós. Amém.
  • 5. A doutrina da Trindade é a verdade mais crucial do pensamento cristão, mas como conciliar o monoteísmo revelado no Antigo Testamento com a divindade de cada pessoa da Trindade? Esse é o enfoque da presente lição.
  • 6. 1. A unidade na Trindade (1Co 12.4-6). Uma leitura superficial dessa passagem pode levar alguém a argumentar que o texto não diz que cada uma dessas pessoas é Deus, como costumam fazer determinados grupos tidos como cristãos. O apóstolo Paulo se refere à Trindade usando outra linguagem. Ele afirma a unidade de Deus, uma só essência e substância, em diversidade de manifestações de cada Pessoa distinta. E declara que o Espírito é o mesmo, o Senhor é o mesmo e o Deus Pai é o mesmo. É a unidade na diversidade.
  • 7. 2. A bênção apostólica (2 Co 13.13). Há aqui certo paralelismo com a bênção final não é comum nas epístolas paulinas. Não parece haver aqui intenção de explicar a doutrina da Trindade. Trata-se do pronunciamento habitual do ministro de culto ao despedir os fiéis no fim das reuniões nas primeiras décadas da história da Igreja. Se isso puder ser confirmado, significa que os cristãos já estavam conscientes dessa realidade divina desde muito cedo na vida da Igreja. A fonte da graça do Senhor Jesus é o amor de Deus no Espírito Santo. É uma saudação trinitária.
  • 8. 3. O Deus trino e uno revelado (Ef 4.4-6). Temos aqui a diversidade de operações e funções na unidade de Deus. É Deus quem nos chama por meio do Espírito Santo. Jesus é o nosso Senhor, a fonte de nossa fé e esperança. O Pai, o Filho e o Espírito Santo são iguais em poder, glória e majestade, que subsistem desde a eternidade em uma só substância indivisível, mas manifestos na história salvífica em formas pessoais e funções distintas (1Pe 1.2).
  • 9. 1. Uma questão crucial. A Bíblia mostra com clareza meridiana a divindade do Filho: "e o Verbo era Deus" (Jo 1.1). Trata-se de uma divindade plena e absoluta: "porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade" (Cl 2.9).
  • 10. As Escrituras afirmam também que o Espírito Santo é Deus: "Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?" (1 Co 3.16); e é também Senhor: "Ora, o SENHOR é o Espírito" (2 Co 3.17, ARA).
  • 11. Como conciliar essa verdade com o monoteísmo ratificado pelo próprio Senhor Jesus? (Mc 12.29,30). Tal não se trata de triteísmo, isto é, "três deuses", pois existe um só Deus e Deus é um só (1Co 8.6; Gl 3.20). A única explicação é a Trindade.
  • 13. 2. A Trindade. A Trindade está presente na Bíblia desde o Antigo Testamento (Gn 1.26; 3.22; Is 6.8). O Senhor Jesus apresenta o Pai e o Espírito Santo num tipo de relacionamento "eu, tu ele" (Jo 16.7-16). Antes de sua ascensão ao céu, Jesus mandou que os discípulos batizassem "em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo" (Mt 28.19). Essa é a passagem bíblica mais contundente em favor da Trindade.
  • 14. Temos aqui um conceito trinitário muito claro e vívido. Trata-se de um resumo da realidade divina ensinada durante seu ministério acerca de si mesmo e do Pai (Mt 11.27) e do Espírito Santo (Mt 12.28). A Igreja, desde a antiguidade, resume essas passagens bíblicas na fé em um só Deus que subsiste eternamente em três pessoas distintas.
  • 15. 1. Os monarquianistas dinâmicos. Trata-se de um movimento que surgiu após a metade do segundo século em torno do monoteísmo cristão. Tertuliano, um dos líderes cristãos daquela geração, polemizou com eles, chamando-os de monarquianistas (do grego, monarchia, "governo exercido por um único soberano"). Eles ensinavam que Jesus recebeu a dynamis, "poder", em grego, por ocasião do seu batismo no rio Jordão; outros afirmavam que Jesus se tornou divino por ocasião de sua ressurreição.
  • 16. Todas as ideias do movimento negavam a deidade absoluta de Jesus e contrariavam a crença desde a Era Apostólica, que considerava Jesus "o verdadeiro Deus e a vida eterna" (l Jo 5.20). Eles são os ancestrais do arianismo.
  • 17. 2. Os monarquianistas modalistas. Esses são assim identificados porque ensinavam que Deus aparece de modos diferentes. Para eles, Deus aparece com a máscara de Pai na obra criadora, com a máscara de Filho no seu nascimento e na ascensão, e a partir daí aparece com a máscara de Espírito Santo. Pai, Filho e Espírito Santo não são três pessoas, mas três faces, semblantes ou máscaras.
  • 18. É a doutrina unicista que nega a Trindade, Trata-se de um erro teológico crasso, pois a Bíblia é clara na distinção dessas pessoas (Mt 3.16,17; Jo 8.17,18; 2 Jo 3). O bispo Sabélio foi o principal expoente dessa doutrina, por isso ela é conhecida como sabelianismo. Seus herdeiros espirituais ainda estão por aí. O resumo teológico deles é o seguinte: Deus é Jesus; no entanto, a Bíblia ensina que Jesus é Deus.
  • 19. O monarquianismo, ou monarquismo como é algumas vezes chamado, é uma série de crenças que enfatizam a unidade absoluta de Deus. A crença conflita com a doutrina da Trindade, que vê em Deus uma unidade composta pelo Pai, Filho e Espírito Santo. Os modelos propostos pelo monarquianismo foram rejeitados como heréticos pela Igreja Católica. O monarquianismo por si mesmo não é uma doutrina completa, mas um gênero do qual decorrem algumas espécies doutrinárias teológicas. Há basicamente dois modelos, contraditórios: •O modalismo ou sabelianismo considera que Deus seja uma pessoa, manifestando-se e operando em diferentes "modos", como Pai, Filho e Espírito Santo. O proponente desta visão foi Sabélio.. •O adocionismo entende que Deus é um ser, superior a tudo e completamente indivisível, defendendo a ideia de que o Filho não foi co-eterno com o Pai, mas que foi revestido de Deus (adotado) para os seus planos. Diferente versões do adocionismo divergem quanto à hora da adoção por Deus, como a hora do seu batismo, ou de sua ascensão. Um antigo expoente desta crença foi Teódoto de Bizâncio.
  • 20. 3. O arianismo. É o nome da doutrina formulada por Ário e do movimento que ele fundou em Alexandria, Egito, no ano 318. Sua doutrina contrariava a crença ortodoxa seguida pelas igrejas desde o período apostólico. Ário ensinava que o Senhor Jesus não era da mesma substância do Pai; era criatura, criado do nada, uma classe divina de natureza inferior, nem divina nem humana, uma terceira classe entre a deidade e a humanidade.
  • 21. A palavra de ordem de seus seguidores era: "Houve tempo em que o Verbo não existia". Mas o ensino bíblico sustentado pelas igrejas desde o princípio afirma que o Filho é eterno (Is 9.6), pois transcende a criação: "E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele" (Cl 1.17).
  • 22. 1. Esclarecimento. Os unicistas modernos pregam que a doutrina da Trindade é uma invenção do Concílio de Niceia, por ordem de um imperador romano pagão. Mas esses movimentos estão equivocados, pois mais de cem anos antes Tertuliano já havia formulado a doutrina da Trindade. Além disso, o tema do referido Concílio, o Filho, reafirma a deidade de Jesus e a sua consubstancialidade com o Pai.
  • 23. O Credo não traz informação alguma sobre o Espírito Santo. O documento aprovado em Niceia tornou-se ponto de partida, ao invés de ponto de chegada. A controvérsia prosseguiu por duas razões principais: a volta do arianismo e a indefinição sobre o Espírito Santo.
  • 24. 2. A definição de Tertuliano. Ele foi o neologista da Igreja que criou o termo "Trindade", na seguinte declaração: "Todos são um, por unidade de substância, embora ainda esteja oculto o mistério da dispensação que distribui a unidade numa Trindade, colocando em sua ordem os três,
  • 25. Pai, Filho e Espírito Santo; três contudo, não em essência, mas em grau; não em substância, mas em forma; não em poder, mas em aparência; pois eles são de uma só substância e de uma só essência e de um poder só, já que é de um só Deus que esses graus e formas e aspectos são reconhecidos com o nome de Pai, Filho e Espírito Santo (Contra Práxeas, II). Um só Deus, portanto, a essência, a substância e o poder são um só; mas a diferença está no grau, na forma e na aparência que chamamos de "pessoas" (Mt 28.19).
  • 26. 3. Formulação definitiva da Trindade. Isso só aconteceu no Concílio de Constantinopla em 381, com base nos trabalhos de Atanásio que combateram os arianistas e também os grupos contrários à doutrina do Espírito Santo, como os pneumatomacianos e os tropicianos; e com base nas obras dos chamados pais capadócios: Basílio de Cesareia, Gregório de Nissa e Gregório de Nazianzo. O Credo Niceno- Constantinopolitano reafirma o Credo de Niceia e define a divindade do Espírito Santo, estabelecendo de uma vez por todas a doutrina da Santíssima Trindade.
  • 27. Diante do exposto, está claro que a doutrina da Trindade é bíblica e está presente desde o Gênesis até o Apocalipse.