SlideShare uma empresa Scribd logo
A primeira Lei de Mendel
• Gregor Mendel, um monge austríaco (séc. XIX)
conduziu brilhantes experiências de
cruzamento entre plantas que o levaram à
descoberta das regras das quais nasceu a
genética.
Primeira Lei de Mendel:
“Cada caráter é condicionado por dois genes,
um deles proveniente do pai e o outro da mãe.
Apenas um dos dois genes é fornecido a cada
gameta produzido.”
A primeira lei de mendel
A primeira lei de mendel
• Mendel iniciava o cruzamento com variedades
diferentes entre si mas sempre puras.
• Na primeira geração de filhos, todos apresentavam
sementes lisas;
• Cruzando essa primeira geração entre si, obteve-se
plantas com sementes lisas o outras com rugosas;
• O caráter liso foi dito dominante, e o rugoso
recessivo.
• Chamou-se de L o fator para liso e de R o fator
para rugoso.
A primeira lei de mendel
Proporção esperada 3:1
• Cromossomos homólogos são idênticos quanto a
forma, mas não necessariamente iguais quanto a
constituição gênica.
Vocabulário
• GENE: é um “pedaço” de DNA que contem a
informação para a produção de uma proteina.
Dois genes que se localizam na mesma região
de um par de homólogos (locus) e que se
comportam de acordo com a primeira lei são
ditos alelos;
• GENÓTIPO: trata-se da composição genética
do indivíduo;
• FENÓTIPO: trata-se da variedade de cada
característica, não é determinado apenas
pelos genes;
• HOMOZIGOTO E HETEROZIGOTO:
homozigoto é o mesmo que “puro”;
heterozigoto é sinônimo de “híbrido”. Os
indivíduos portadores do fenótipo recessivo
são sempre homozigotos;
• DOMINANTE E RECESSIVO: diz-se que um
gene é dominante quando ele em dose
simples, condiciona seu fenótipo, o gene
recessivo é aquele que para fazer o seu
fenótipo prevalecer, tem que estar em dose
dupla.
Dominante ou recessivo: Como
descobrir?
• Imagine que cruzando-se duas cobaias de pêlo
ondulado tenham nascido vários filhotes de
pêlo ondulado e alguns poucos de pêlo liso
a)Qual dos fenótipos é condicionado por um
gene dominante?
b)Qual é o genótipo dos pais?
• Em casos de Primeira Lei de Mendel, quando
diante de um casal de igual fenótipo, que
tenha tido um descendente de fenótipo
diferente, não hesite em considerar que o
fenótipo do filho é condicionado por gene
recessivo, sendo os pais forçosamente
heterozigotos.
Genealogias
Herança sem dominância
Genes Letais
Não obedeciam a proporção esperada.
Era obtido 2:1.
A regra do OU
“ A probabilidade de ocorrência de dois eventos
mutuamente exclusivos é dada pela soma das
probabilidades isoladas”
Qual a probabilidade de, ao jogarmos uma dado,
sair 3 ou 4 ou 5?
A regra do E
“A probabilidade da ocorrência simultânea de
dos eventos independentes, isto é, a
probabilidade da ocorrência de um e outro, é
obtida pelo produto das probabilidades
isoladas”
Qual a probabilidade de, ao jogarmos um dado e
uma moeda, sair ao mesmo tempo cara e 4?
A primeira lei de mendel
Alelos Múltiplos
• Existem casos em que ocorrem para um
determinado caráter , mais de duas
qualidades de genes alelos. Esse genes são
chamados alelos múltiplos.
• Cada indivíduo continua tendo apenas dois
genes, porém os genótipos possíveis são mais
numerosos;
• Esse alelos surgiram, provavelmente por
mutação.
A primeira lei de mendel
O sistema ABO
• Percebeu-se que ao misturar sangue
proveniente de pessoas diferentes, poderia
haver aglutinação das hemácias;
• Verificou-se que o fenômeno da aglutinação é
causado por uma reação do tipo antígeno-
anticorpo;
• Indivíduos de grupos sangüíneos diferentes
têm antígenos (aglutinogênio) diferentes em
suas hemácias;
A primeira lei de mendel
A primeira lei de mendel
O fator Rh
• O sangue é classificado em grupos (positivo e
negativo) pela presença ou ausência de um
antígeno de superfície da hemácia que foi
encontrado primeiramente no macaco
''''Rh'esus'''', dando nome ao fator Rh.
• O sangue Rh negativo não possui este
antígeno na superfície, e o Rh positivo o
possui.
A primeira lei de mendel
Eritroblastose fetal: a doença
hemolítica do recém nascido
• O fator Rh é responsável por essa doença que
causa grande destruição das hemácias do
feto, anemia profunda e icterícia;
• Eritroblastose somente pode ocorrer num
caso: a mãe é Rh-
enquanto o filho é Rh+.
A primeira lei de mendel
Herança e cromossomos sexuais
• Características genéticas que estudamos até
agora: caracteres não relacionados ao sexo;
• Alguns caracteres transmitidos geneticamente
se comportam de maneira diferente, são eles
os caracteres relacionados ao sexo já que sua
ocorrência depende tanto de quem transmitiu
como do sexo de quem recebeu. Ex:
daltonismo.
• Parte-se da hipótese de que todos os genes se
localizam nos cromossomos.
• O par de cromossomos que designam o sexo é
dado pelos cromossomos X e Y. Sendo XX fêmea
(homogamético) e XY macho (heterogamético);
• Um cromossomo X é perfeitamente homólogo ao
outro;
• Os cromossomos X e Y são homólogos apenas
numa região, portanto existe no X uma zona não
homóloga ao Y no qual todos os genes existem
em dose simples, existem no Y uma zona não
homóloga ao X.
A primeira lei de mendel
Daltonismo
• O daltonismo se caracteriza pela confusão na
percepção de cores ( como vermelho e verde);
• O gene que o caracteriza está no cromossomo
X na região não homóloga ao Y, portanto,
sendo o gene Xd
recessivo e determinante da
característica daltonismo, há maior
probabilidade de um homem ter essa doença,
já que ele possui apenas um cromossomo X,
para a mulher ser daltônica seria necessário
que dois cromossomos Xd
estivessem juntos.
IMPORTANTE: meninos nunca herdam do pai
um caráter ligado ao X.
• Herança Ligada ao sexo: causada por genes
localizados no cromossomo X, na região não
homóloga ao Y.
• Herança Restrita ao sexo: causada por genes
localizados no cromossomo Y, na região não
homóloga ao X, portanto trata-se de genes
exclusivos nos machos;
• Herança Parcialmente Ligada ao Sexo:
Relaciona-se aos genes localizados no X e no
Y, nas suas regiões homólogas.
A primeira lei de mendel
Todos os homens afetados por certa anomalia, casados com mulheres
normais têm sempre todos os seus filhos normais e todas as suas
filhas doentes. Qual é o tipo de herança que comanda a anomalia?
A segunda Lei de Mendel
• Mendel começou a realizar cruzamentos em
que acompanhava a transmissão de dois
caracteres ao mesmo tempo através de
gerações;
• Cruzou ervilhas de sementes amarelas e lisas
com ervilhas de sementes verdes e rugosas.
A primeira lei de mendel
A primeira lei de mendel
Segunda Lei de Mendel
“Os genes para dois ou mais caracteres passam
aos gametas de forma totalmente independente
um do outro, formando tantas combinações
gaméticas quanto possível, com igual
probabilidade”.
• Quais os tipos de gametas que produz um
indivíduo AabbCcDd?
O número de tipos de gametas é dado por 2n
, onde n representa o
número de heterozigoses.
• Qual a probabilidade de aparecerem
descendentes verdes e lisos?
• Tratar o assunto como se fosse casos de
Primeira Lei, independentes um do outro
(regra do e).
• Os pares de genes devem localizar-se em
cromossomos diferentes para que a Segunda
Lei se verifique.
As aberrações cromossômicas
• Síndrome do Triplo X : nascimento de
mulheres férteis, podendo apresentar alguns
distúrbios sexuais e certo grau de
retardamento;
• Síndrome de Klinefelter (XXY): nascimento de
homens com estatura um pouco superior à
média, órgãos genitais pouco desenvolvidos,
presença de seios e são estéreis. Podem
apresentar certo retardamento mental.
A primeira lei de mendel
• Síndrome de Turner (X0): existe apenas um
cromossomo do par normal. Portadoras
mulheres com estatura inferior á média e
pescoço “alado”, ovários rudimentares e
mamas não desenvolvidas.
• Síndrome de Down (trissomia do
cromossomo 21): é uma das anomalias mais
freqüentes, ocorre em ambos os sexos. As
mulheres portadoras são férteis. Possuem Qi
muito baixo, língua fissurada, prega palpebral,
inflamação nas pálpebras, prega única no
dedo mínimo, prega transversal contínua da
palma da mão. A maioria nascem com
defeitos cardíacos. As que sobrevivem têm
uma esperança de vida menor do que as
pessoas normais.
A primeira lei de mendel
A primeira lei de mendel

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologia
emanuel
 
Aula lei de mendel mendelismo sandra
Aula lei de mendel  mendelismo sandraAula lei de mendel  mendelismo sandra
Aula lei de mendel mendelismo sandra
Sandra Afonso Afonso
 
2ª lei de mendel
2ª lei de mendel2ª lei de mendel
2ª lei de mendel
Iuri Fretta Wiggers
 
Genética Introdução
Genética   IntroduçãoGenética   Introdução
Genética Introdução
Mateus Domingos
 
Genetica
GeneticaGenetica
2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendel2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendel
bianca
 
Heranças genéticas
Heranças genéticasHeranças genéticas
Heranças genéticas
Flávia Albuquerque
 
Alelos Letais
Alelos LetaisAlelos Letais
Alelos Letais
Nuno Correia
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
Sexo e Herança Genética
Sexo e Herança GenéticaSexo e Herança Genética
Sexo e Herança Genética
Felipe Jeronimo
 
II_A genética antes e depois de Mendel
II_A genética antes e depois de MendelII_A genética antes e depois de Mendel
II_A genética antes e depois de Mendel
Rinaldo Pereira
 
Introduçao a genetica
Introduçao a geneticaIntroduçao a genetica
Introduçao a genetica
emibio
 
3 ano-aula-genetica
3 ano-aula-genetica3 ano-aula-genetica
3 ano-aula-genetica
Luzelena Aires
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
Dalu Barreto
 
9.genetica.ppt.hereditariedade.1
9.genetica.ppt.hereditariedade.19.genetica.ppt.hereditariedade.1
9.genetica.ppt.hereditariedade.1
Kecia Oliveira
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
Adriano Muniz
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
Andreia Maria
 
Ligacao genica
Ligacao genicaLigacao genica
Ligacao genica
Iuri Fretta Wiggers
 
Introdução à genética mendeliana
Introdução à genética mendelianaIntrodução à genética mendeliana
Introdução à genética mendeliana
Felipe Cavalcante
 
Introdução a genetica
Introdução a geneticaIntrodução a genetica
Introdução a genetica
UERGS
 

Mais procurados (20)

Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologia
 
Aula lei de mendel mendelismo sandra
Aula lei de mendel  mendelismo sandraAula lei de mendel  mendelismo sandra
Aula lei de mendel mendelismo sandra
 
2ª lei de mendel
2ª lei de mendel2ª lei de mendel
2ª lei de mendel
 
Genética Introdução
Genética   IntroduçãoGenética   Introdução
Genética Introdução
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendel2ª Lei De Mendel
2ª Lei De Mendel
 
Heranças genéticas
Heranças genéticasHeranças genéticas
Heranças genéticas
 
Alelos Letais
Alelos LetaisAlelos Letais
Alelos Letais
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
 
Sexo e Herança Genética
Sexo e Herança GenéticaSexo e Herança Genética
Sexo e Herança Genética
 
II_A genética antes e depois de Mendel
II_A genética antes e depois de MendelII_A genética antes e depois de Mendel
II_A genética antes e depois de Mendel
 
Introduçao a genetica
Introduçao a geneticaIntroduçao a genetica
Introduçao a genetica
 
3 ano-aula-genetica
3 ano-aula-genetica3 ano-aula-genetica
3 ano-aula-genetica
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
 
9.genetica.ppt.hereditariedade.1
9.genetica.ppt.hereditariedade.19.genetica.ppt.hereditariedade.1
9.genetica.ppt.hereditariedade.1
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Ligacao genica
Ligacao genicaLigacao genica
Ligacao genica
 
Introdução à genética mendeliana
Introdução à genética mendelianaIntrodução à genética mendeliana
Introdução à genética mendeliana
 
Introdução a genetica
Introdução a geneticaIntrodução a genetica
Introdução a genetica
 

Semelhante a A primeira lei de mendel

Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre GenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Turma Olímpica
 
Genetica conceitos basicos
Genetica conceitos  basicosGenetica conceitos  basicos
Genetica conceitos basicos
JosEzequiel2
 
Herança mendeliana2014 20140520044225
Herança mendeliana2014 20140520044225Herança mendeliana2014 20140520044225
Herança mendeliana2014 20140520044225
Viviane Martins Dos Reis
 
Introdução à genética
Introdução à genéticaIntrodução à genética
Introdução à genética
Andrey Moreira
 
Genetica 110513181400-phpapp01
Genetica 110513181400-phpapp01Genetica 110513181400-phpapp01
Genetica 110513181400-phpapp01
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
genetica conceitos basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
genetica conceitos  basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).pptgenetica conceitos  basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
genetica conceitos basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
HerminioMendes3
 
Introdução à Genética.pptx
Introdução à Genética.pptxIntrodução à Genética.pptx
Introdução à Genética.pptx
VinciusMartinsBrito
 
Segunda Lei de Mendel
Segunda Lei de MendelSegunda Lei de Mendel
Segunda Lei de Mendel
Carlos Priante
 
Herança do Sexo
Herança do SexoHerança do Sexo
Herança do Sexo
Fernando Pereira
 
Genética
GenéticaGenética
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
giovannimusetti
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
giovannimusetti
 
SEXO E HERANÇA GENÉTICA .pptx
SEXO E HERANÇA GENÉTICA .pptxSEXO E HERANÇA GENÉTICA .pptx
SEXO E HERANÇA GENÉTICA .pptx
MARINESADIERSALVESPE
 
Genética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).ppt
Genética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).pptGenética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).ppt
Genética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).ppt
MarceloColodeti
 
Genética pós Mendel
Genética pós MendelGenética pós Mendel
Genética pós Mendel
Elaine
 
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
primeiroanocsl
 
Herança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuaisHerança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuais
César Milani
 
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdfAula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
LuizPereira664309
 
Genetica 01- Introdução
Genetica 01- Introdução Genetica 01- Introdução
Genetica 01- Introdução
Joselito Oliveira Neto
 
Definições de génetica
Definições de géneticaDefinições de génetica
Definições de génetica
diegodduarte
 

Semelhante a A primeira lei de mendel (20)

Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre GenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
 
Genetica conceitos basicos
Genetica conceitos  basicosGenetica conceitos  basicos
Genetica conceitos basicos
 
Herança mendeliana2014 20140520044225
Herança mendeliana2014 20140520044225Herança mendeliana2014 20140520044225
Herança mendeliana2014 20140520044225
 
Introdução à genética
Introdução à genéticaIntrodução à genética
Introdução à genética
 
Genetica 110513181400-phpapp01
Genetica 110513181400-phpapp01Genetica 110513181400-phpapp01
Genetica 110513181400-phpapp01
 
genetica conceitos basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
genetica conceitos  basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).pptgenetica conceitos  basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
genetica conceitos basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
 
Introdução à Genética.pptx
Introdução à Genética.pptxIntrodução à Genética.pptx
Introdução à Genética.pptx
 
Segunda Lei de Mendel
Segunda Lei de MendelSegunda Lei de Mendel
Segunda Lei de Mendel
 
Herança do Sexo
Herança do SexoHerança do Sexo
Herança do Sexo
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
SEXO E HERANÇA GENÉTICA .pptx
SEXO E HERANÇA GENÉTICA .pptxSEXO E HERANÇA GENÉTICA .pptx
SEXO E HERANÇA GENÉTICA .pptx
 
Genética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).ppt
Genética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).pptGenética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).ppt
Genética (1ª lei de Mendel e Noção de genética).ppt
 
Genética pós Mendel
Genética pós MendelGenética pós Mendel
Genética pós Mendel
 
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
Biologia - Genetica geral (Kleber Sales)
 
Herança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuaisHerança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuais
 
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdfAula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
 
Genetica 01- Introdução
Genetica 01- Introdução Genetica 01- Introdução
Genetica 01- Introdução
 
Definições de génetica
Definições de géneticaDefinições de génetica
Definições de génetica
 

Mais de Luzineide Oliveira

Fecundação humana
Fecundação humanaFecundação humana
Fecundação humana
Luzineide Oliveira
 
Piaget fases
Piaget   fasesPiaget   fases
Piaget fases
Luzineide Oliveira
 
04 evolução-evidências
04 evolução-evidências04 evolução-evidências
04 evolução-evidências
Luzineide Oliveira
 
Citologia
CitologiaCitologia
Aula 05 divisão celular
Aula 05 divisão celularAula 05 divisão celular
Aula 05 divisão celular
Luzineide Oliveira
 
Componentes químicos da célula 2
Componentes químicos da célula 2Componentes químicos da célula 2
Componentes químicos da célula 2
Luzineide Oliveira
 

Mais de Luzineide Oliveira (6)

Fecundação humana
Fecundação humanaFecundação humana
Fecundação humana
 
Piaget fases
Piaget   fasesPiaget   fases
Piaget fases
 
04 evolução-evidências
04 evolução-evidências04 evolução-evidências
04 evolução-evidências
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Aula 05 divisão celular
Aula 05 divisão celularAula 05 divisão celular
Aula 05 divisão celular
 
Componentes químicos da célula 2
Componentes químicos da célula 2Componentes químicos da célula 2
Componentes químicos da célula 2
 

Último

EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
CamilaSouza544051
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 

A primeira lei de mendel

  • 1. A primeira Lei de Mendel
  • 2. • Gregor Mendel, um monge austríaco (séc. XIX) conduziu brilhantes experiências de cruzamento entre plantas que o levaram à descoberta das regras das quais nasceu a genética. Primeira Lei de Mendel: “Cada caráter é condicionado por dois genes, um deles proveniente do pai e o outro da mãe. Apenas um dos dois genes é fornecido a cada gameta produzido.”
  • 5. • Mendel iniciava o cruzamento com variedades diferentes entre si mas sempre puras. • Na primeira geração de filhos, todos apresentavam sementes lisas; • Cruzando essa primeira geração entre si, obteve-se plantas com sementes lisas o outras com rugosas; • O caráter liso foi dito dominante, e o rugoso recessivo. • Chamou-se de L o fator para liso e de R o fator para rugoso.
  • 8. • Cromossomos homólogos são idênticos quanto a forma, mas não necessariamente iguais quanto a constituição gênica.
  • 9. Vocabulário • GENE: é um “pedaço” de DNA que contem a informação para a produção de uma proteina. Dois genes que se localizam na mesma região de um par de homólogos (locus) e que se comportam de acordo com a primeira lei são ditos alelos; • GENÓTIPO: trata-se da composição genética do indivíduo; • FENÓTIPO: trata-se da variedade de cada característica, não é determinado apenas pelos genes;
  • 10. • HOMOZIGOTO E HETEROZIGOTO: homozigoto é o mesmo que “puro”; heterozigoto é sinônimo de “híbrido”. Os indivíduos portadores do fenótipo recessivo são sempre homozigotos; • DOMINANTE E RECESSIVO: diz-se que um gene é dominante quando ele em dose simples, condiciona seu fenótipo, o gene recessivo é aquele que para fazer o seu fenótipo prevalecer, tem que estar em dose dupla.
  • 11. Dominante ou recessivo: Como descobrir? • Imagine que cruzando-se duas cobaias de pêlo ondulado tenham nascido vários filhotes de pêlo ondulado e alguns poucos de pêlo liso a)Qual dos fenótipos é condicionado por um gene dominante? b)Qual é o genótipo dos pais?
  • 12. • Em casos de Primeira Lei de Mendel, quando diante de um casal de igual fenótipo, que tenha tido um descendente de fenótipo diferente, não hesite em considerar que o fenótipo do filho é condicionado por gene recessivo, sendo os pais forçosamente heterozigotos.
  • 15. Genes Letais Não obedeciam a proporção esperada. Era obtido 2:1.
  • 16. A regra do OU “ A probabilidade de ocorrência de dois eventos mutuamente exclusivos é dada pela soma das probabilidades isoladas” Qual a probabilidade de, ao jogarmos uma dado, sair 3 ou 4 ou 5?
  • 17. A regra do E “A probabilidade da ocorrência simultânea de dos eventos independentes, isto é, a probabilidade da ocorrência de um e outro, é obtida pelo produto das probabilidades isoladas” Qual a probabilidade de, ao jogarmos um dado e uma moeda, sair ao mesmo tempo cara e 4?
  • 19. Alelos Múltiplos • Existem casos em que ocorrem para um determinado caráter , mais de duas qualidades de genes alelos. Esse genes são chamados alelos múltiplos. • Cada indivíduo continua tendo apenas dois genes, porém os genótipos possíveis são mais numerosos; • Esse alelos surgiram, provavelmente por mutação.
  • 21. O sistema ABO • Percebeu-se que ao misturar sangue proveniente de pessoas diferentes, poderia haver aglutinação das hemácias; • Verificou-se que o fenômeno da aglutinação é causado por uma reação do tipo antígeno- anticorpo; • Indivíduos de grupos sangüíneos diferentes têm antígenos (aglutinogênio) diferentes em suas hemácias;
  • 24. O fator Rh • O sangue é classificado em grupos (positivo e negativo) pela presença ou ausência de um antígeno de superfície da hemácia que foi encontrado primeiramente no macaco ''''Rh'esus'''', dando nome ao fator Rh. • O sangue Rh negativo não possui este antígeno na superfície, e o Rh positivo o possui.
  • 26. Eritroblastose fetal: a doença hemolítica do recém nascido • O fator Rh é responsável por essa doença que causa grande destruição das hemácias do feto, anemia profunda e icterícia; • Eritroblastose somente pode ocorrer num caso: a mãe é Rh- enquanto o filho é Rh+.
  • 28. Herança e cromossomos sexuais • Características genéticas que estudamos até agora: caracteres não relacionados ao sexo; • Alguns caracteres transmitidos geneticamente se comportam de maneira diferente, são eles os caracteres relacionados ao sexo já que sua ocorrência depende tanto de quem transmitiu como do sexo de quem recebeu. Ex: daltonismo.
  • 29. • Parte-se da hipótese de que todos os genes se localizam nos cromossomos. • O par de cromossomos que designam o sexo é dado pelos cromossomos X e Y. Sendo XX fêmea (homogamético) e XY macho (heterogamético); • Um cromossomo X é perfeitamente homólogo ao outro; • Os cromossomos X e Y são homólogos apenas numa região, portanto existe no X uma zona não homóloga ao Y no qual todos os genes existem em dose simples, existem no Y uma zona não homóloga ao X.
  • 31. Daltonismo • O daltonismo se caracteriza pela confusão na percepção de cores ( como vermelho e verde); • O gene que o caracteriza está no cromossomo X na região não homóloga ao Y, portanto, sendo o gene Xd recessivo e determinante da característica daltonismo, há maior probabilidade de um homem ter essa doença, já que ele possui apenas um cromossomo X, para a mulher ser daltônica seria necessário que dois cromossomos Xd estivessem juntos.
  • 32. IMPORTANTE: meninos nunca herdam do pai um caráter ligado ao X.
  • 33. • Herança Ligada ao sexo: causada por genes localizados no cromossomo X, na região não homóloga ao Y. • Herança Restrita ao sexo: causada por genes localizados no cromossomo Y, na região não homóloga ao X, portanto trata-se de genes exclusivos nos machos; • Herança Parcialmente Ligada ao Sexo: Relaciona-se aos genes localizados no X e no Y, nas suas regiões homólogas.
  • 35. Todos os homens afetados por certa anomalia, casados com mulheres normais têm sempre todos os seus filhos normais e todas as suas filhas doentes. Qual é o tipo de herança que comanda a anomalia?
  • 36. A segunda Lei de Mendel • Mendel começou a realizar cruzamentos em que acompanhava a transmissão de dois caracteres ao mesmo tempo através de gerações; • Cruzou ervilhas de sementes amarelas e lisas com ervilhas de sementes verdes e rugosas.
  • 39. Segunda Lei de Mendel “Os genes para dois ou mais caracteres passam aos gametas de forma totalmente independente um do outro, formando tantas combinações gaméticas quanto possível, com igual probabilidade”.
  • 40. • Quais os tipos de gametas que produz um indivíduo AabbCcDd? O número de tipos de gametas é dado por 2n , onde n representa o número de heterozigoses.
  • 41. • Qual a probabilidade de aparecerem descendentes verdes e lisos? • Tratar o assunto como se fosse casos de Primeira Lei, independentes um do outro (regra do e).
  • 42. • Os pares de genes devem localizar-se em cromossomos diferentes para que a Segunda Lei se verifique.
  • 43. As aberrações cromossômicas • Síndrome do Triplo X : nascimento de mulheres férteis, podendo apresentar alguns distúrbios sexuais e certo grau de retardamento; • Síndrome de Klinefelter (XXY): nascimento de homens com estatura um pouco superior à média, órgãos genitais pouco desenvolvidos, presença de seios e são estéreis. Podem apresentar certo retardamento mental.
  • 45. • Síndrome de Turner (X0): existe apenas um cromossomo do par normal. Portadoras mulheres com estatura inferior á média e pescoço “alado”, ovários rudimentares e mamas não desenvolvidas.
  • 46. • Síndrome de Down (trissomia do cromossomo 21): é uma das anomalias mais freqüentes, ocorre em ambos os sexos. As mulheres portadoras são férteis. Possuem Qi muito baixo, língua fissurada, prega palpebral, inflamação nas pálpebras, prega única no dedo mínimo, prega transversal contínua da palma da mão. A maioria nascem com defeitos cardíacos. As que sobrevivem têm uma esperança de vida menor do que as pessoas normais.