SlideShare uma empresa Scribd logo
O PAPEL DA MULHER NO
ESTADO NOVO
ESPOSA
MÃE
DONA DE
CASA
EDUCAÇÃO
 No Estado Novo, as raparigas frequentavam
escolas diferentes dos rapazes; não existia
turmas mistas. Assim, as raparigas tinham
escola de manhã e os rapazes à tarde.
 Nas escolas predominava a ordem, respeito e
disciplina, e as punições eram severas.
 Era obrigatório o uso de farda.
 Porém muitas raparigas não iam à escola,
porque os pais achavam que elas tinham de
aprender a cuidar da casa. Não precisavam
de saber ler nem escrever, apenas precisavam
aprender a cozinhar, decorar o lar, costurar,
amamentar ( a ser mães)…
A FUNÇÃO
 A função da mulher era ser mãe, esposa submissa e dona de casa. Desde pequena
eram treinadas para ser assim, submissa ao poder do pai, do irmão e mais tarde do
marido.
 A utilidade que lhes era atribuída, era de dar à luz, amamentar, criar e educar os
filhos, tratar da casa e do marido. E acima de tudo, manter a família unida e feliz.
O QUE ERA PERMITIDO
Os direitos da mulher eram praticamente nulos;
 O Estado Novo destinou às mulheres o lugar da natureza, ou seja a família ou o
trabalho no campo era o sitio onde se enquadravam.
 A mulher devia acompanhar o marido a todo o lado, exceto ao estrangeiro.
 A mulher só tinha direito ao divórcio, em caso de adultério do marido que
envolvesse escândalo público.
 As mulheres solteiras que vivessem sem família ou com família a cargo, que fossem
maiores de idade e tivessem curso secundário, tinham direito a voto e também era-
lhes facilitado o emprego ( ex: professora ou enfermeiras )
 Por outras palavras, neste tempo era-lhes negado qualquer tipo de individualidade e
de liberdade.
Exemplo do trabalho no campo
Exemplo de uma professora.
O LUGAR NA SOCIEDADE
 A mulher não tinha lugar na sociedade.
 As mulheres não tinham direitos, tinham sim deveres;
LAVAR REZAR TRATAR DA CASA
• Naquela altura as mulheres não podiam casar com quem queriam, estava escrito em
decreto de lei que uma professora só podia casar com um homem de bom
comportamento moral e civil e que tivesse um vencimento superior ao dela. Além disso,
tinham, de pedir autorização ao ministro da Educação Nacional.
• As enfermeiras não podiam casar.
• Uma mulher casada precisava da autorização do marido para ir ao estrangeiro e até
mesmo para trabalhar.
• As mulheres não tinham direito a voto, não podiam exercer nenhum cargo politico, mesmo
em termo de educação dos filhos, não tinham os mesmos direitos.
MULHERES QUE LUTARAM PELOS SEUS DIREITOS
Carolina Beatriz Ângelo
Era viúva e mãe, logo chefe de família.
Em 1911 requereu ao tribunal autorização para votar e
conseguiu.
Foi a primeira cirurgiã a operar no hospital de S.
José.
Pertenceu a várias organizações feministas.
Ana de Castro Osório
Foi pioneira na luta pela igualdade de direitos
e pela educação das mulheres.
É considerada a fundadora da literatura infantil
em Portugal, tendo escrito
Maria Veleda
Foi professora e escritora.
Defendeu publicamente a emancipação e a
participação politica das mulheres..
Guilhermina Suggia
Foi uma grande violoncelista, numa época
em que o violoncelo era considerado
indecoroso para as mulheres.
Foi galardoada em 1923 com ordem de
Santiago da Espada.
 Disciplina: H.G.P
 Professora: Fernanda Vieira
 Trabalho realizado por:
André Silva nº2 6ºD

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estado novo
Estado novoEstado novo
Estado novo
cattonia
 
Emancipação feminina - Anos 20
Emancipação feminina - Anos 20Emancipação feminina - Anos 20
Emancipação feminina - Anos 20
00199600
 
04 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_404 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_4
Vítor Santos
 
A construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoA construção do modelo soviético
A construção do modelo soviético
Carlos Vieira
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
Susana Simões
 
Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.
home
 
9 ano 9_2_as transformações do após-guerra
9 ano 9_2_as transformações do após-guerra9 ano 9_2_as transformações do após-guerra
9 ano 9_2_as transformações do após-guerra
Vítor Santos
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
Rainha Maga
 
Conferência de Berlim
Conferência de BerlimConferência de Berlim
Conferência de Berlim
Margarida Queirós
 
O estado novo power point final
O estado novo power point finalO estado novo power point final
O estado novo power point final
Helena Ferreira
 
Viver no estado novo(carolina vala)
Viver no estado novo(carolina vala)Viver no estado novo(carolina vala)
Viver no estado novo(carolina vala)
Ana Cristina F
 
1ª república
1ª república1ª república
1ª república
eb23ja
 
Do Golpe Militar Ao Estado Novo
Do Golpe Militar Ao Estado NovoDo Golpe Militar Ao Estado Novo
Do Golpe Militar Ao Estado Novo
jdlimaaear
 
I Guerra Mundial
I Guerra MundialI Guerra Mundial
I Guerra Mundial
Carlos Vieira
 
Sociedade de ordens
Sociedade de ordensSociedade de ordens
Sociedade de ordens
Maria Gomes
 
Genética
GenéticaGenética
Revolução liberal portuguesa de 1820
Revolução liberal portuguesa de 1820Revolução liberal portuguesa de 1820
Revolução liberal portuguesa de 1820
Joana Filipa Rodrigues
 
Politica pombalina
Politica pombalinaPolitica pombalina
Politica pombalina
JoanaRitaSilva
 
A queda da monarquia e a 1ª república
A queda da monarquia e a 1ª repúblicaA queda da monarquia e a 1ª república
A queda da monarquia e a 1ª república
Becre Celorico de Basto
 
As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IA
Carlos Vieira
 

Mais procurados (20)

Estado novo
Estado novoEstado novo
Estado novo
 
Emancipação feminina - Anos 20
Emancipação feminina - Anos 20Emancipação feminina - Anos 20
Emancipação feminina - Anos 20
 
04 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_404 história a_revisões_módulo_4
04 história a_revisões_módulo_4
 
A construção do modelo soviético
A construção do modelo soviéticoA construção do modelo soviético
A construção do modelo soviético
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.
 
9 ano 9_2_as transformações do após-guerra
9 ano 9_2_as transformações do após-guerra9 ano 9_2_as transformações do após-guerra
9 ano 9_2_as transformações do após-guerra
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Conferência de Berlim
Conferência de BerlimConferência de Berlim
Conferência de Berlim
 
O estado novo power point final
O estado novo power point finalO estado novo power point final
O estado novo power point final
 
Viver no estado novo(carolina vala)
Viver no estado novo(carolina vala)Viver no estado novo(carolina vala)
Viver no estado novo(carolina vala)
 
1ª república
1ª república1ª república
1ª república
 
Do Golpe Militar Ao Estado Novo
Do Golpe Militar Ao Estado NovoDo Golpe Militar Ao Estado Novo
Do Golpe Militar Ao Estado Novo
 
I Guerra Mundial
I Guerra MundialI Guerra Mundial
I Guerra Mundial
 
Sociedade de ordens
Sociedade de ordensSociedade de ordens
Sociedade de ordens
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Revolução liberal portuguesa de 1820
Revolução liberal portuguesa de 1820Revolução liberal portuguesa de 1820
Revolução liberal portuguesa de 1820
 
Politica pombalina
Politica pombalinaPolitica pombalina
Politica pombalina
 
A queda da monarquia e a 1ª república
A queda da monarquia e a 1ª repúblicaA queda da monarquia e a 1ª república
A queda da monarquia e a 1ª república
 
As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IA
 

Destaque

Rochas quimiogenicas e_biogenicas
Rochas quimiogenicas e_biogenicasRochas quimiogenicas e_biogenicas
Rochas quimiogenicas e_biogenicas
Angela Boucinha
 
Apresentaçãorochas
ApresentaçãorochasApresentaçãorochas
Apresentaçãorochas
Angela Boucinha
 
Apresentação rochas
Apresentação rochasApresentação rochas
Apresentação rochas
Angela Boucinha
 
Trabalhos jardim de infância de porches
Trabalhos jardim de infância de porchesTrabalhos jardim de infância de porches
Trabalhos jardim de infância de porches
Angela Boucinha
 
Apresentação fósseis
Apresentação fósseisApresentação fósseis
Apresentação fósseis
Angela Boucinha
 
B+írbara bernardo 332 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point
B+írbara bernardo 332 novo apresenta+º+úo do microsoft power_pointB+írbara bernardo 332 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point
B+írbara bernardo 332 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point
Angela Boucinha
 
Iara pina 330 m+®todos contraceptivos
Iara pina 330 m+®todos contraceptivosIara pina 330 m+®todos contraceptivos
Iara pina 330 m+®todos contraceptivos
Angela Boucinha
 
Mãe 2
Mãe 2Mãe 2
Apresentaçãorochas
ApresentaçãorochasApresentaçãorochas
Apresentaçãorochas
Angela Boucinha
 
Planeta terra
Planeta terraPlaneta terra
Planeta terra
Angela Boucinha
 
Dinamica interna 2
Dinamica interna 2Dinamica interna 2
Dinamica interna 2
Angela Boucinha
 
Apresentação programa 11º ano
Apresentação programa 11º anoApresentação programa 11º ano
Apresentação programa 11º ano
Angela Boucinha
 
A terra no espaço
A terra no espaçoA terra no espaço
A terra no espaço
Angela Boucinha
 
A mulher en tapadinhas
A mulher en tapadinhasA mulher en tapadinhas
A mulher en tapadinhas
Angela Boucinha
 
Rochas metamorficas
Rochas metamorficasRochas metamorficas
Rochas metamorficas
Angela Boucinha
 
Especie
EspecieEspecie
Geologia 10 sismologia
Geologia 10   sismologiaGeologia 10   sismologia
Geologia 10 sismologia
Nuno Correia
 
Ocupação Antrópica
Ocupação AntrópicaOcupação Antrópica
Ocupação Antrópica
Catir
 
O tempo em geologia - datação relativa e absoluta
O tempo em geologia - datação relativa e absolutaO tempo em geologia - datação relativa e absoluta
O tempo em geologia - datação relativa e absoluta
Ana Castro
 

Destaque (20)

Rochas quimiogenicas e_biogenicas
Rochas quimiogenicas e_biogenicasRochas quimiogenicas e_biogenicas
Rochas quimiogenicas e_biogenicas
 
Apresentaçãorochas
ApresentaçãorochasApresentaçãorochas
Apresentaçãorochas
 
Apresentação rochas
Apresentação rochasApresentação rochas
Apresentação rochas
 
Trabalhos jardim de infância de porches
Trabalhos jardim de infância de porchesTrabalhos jardim de infância de porches
Trabalhos jardim de infância de porches
 
Apresentação fósseis
Apresentação fósseisApresentação fósseis
Apresentação fósseis
 
B+írbara bernardo 332 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point
B+írbara bernardo 332 novo apresenta+º+úo do microsoft power_pointB+írbara bernardo 332 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point
B+írbara bernardo 332 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point
 
Iara pina 330 m+®todos contraceptivos
Iara pina 330 m+®todos contraceptivosIara pina 330 m+®todos contraceptivos
Iara pina 330 m+®todos contraceptivos
 
Mãe 2
Mãe 2Mãe 2
Mãe 2
 
Apresentaçãorochas
ApresentaçãorochasApresentaçãorochas
Apresentaçãorochas
 
Ppjilagoa
PpjilagoaPpjilagoa
Ppjilagoa
 
Planeta terra
Planeta terraPlaneta terra
Planeta terra
 
Dinamica interna 2
Dinamica interna 2Dinamica interna 2
Dinamica interna 2
 
Apresentação programa 11º ano
Apresentação programa 11º anoApresentação programa 11º ano
Apresentação programa 11º ano
 
A terra no espaço
A terra no espaçoA terra no espaço
A terra no espaço
 
A mulher en tapadinhas
A mulher en tapadinhasA mulher en tapadinhas
A mulher en tapadinhas
 
Rochas metamorficas
Rochas metamorficasRochas metamorficas
Rochas metamorficas
 
Especie
EspecieEspecie
Especie
 
Geologia 10 sismologia
Geologia 10   sismologiaGeologia 10   sismologia
Geologia 10 sismologia
 
Ocupação Antrópica
Ocupação AntrópicaOcupação Antrópica
Ocupação Antrópica
 
O tempo em geologia - datação relativa e absoluta
O tempo em geologia - datação relativa e absolutaO tempo em geologia - datação relativa e absoluta
O tempo em geologia - datação relativa e absoluta
 

Semelhante a A mulher no estado novo

Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Fernanda Caprio
 
Jorge amado
Jorge amadoJorge amado
Jorge amado
Sônia Marques
 
A impotência da mulher na sociedade
A impotência da mulher na sociedade  A impotência da mulher na sociedade
A impotência da mulher na sociedade
Janaina Barbosa
 
Atividade de Letramento - Mulher Grega x Mulher Atual
Atividade de Letramento - Mulher Grega x Mulher Atual   Atividade de Letramento - Mulher Grega x Mulher Atual
Atividade de Letramento - Mulher Grega x Mulher Atual
PIBID HISTÓRIA
 
A família e o casamento no antigo regime
A família e o casamento no antigo regimeA família e o casamento no antigo regime
A família e o casamento no antigo regime
Marianna Ramos
 
Os direitos das mulher como direitos humanos
Os direitos das mulher como direitos humanosOs direitos das mulher como direitos humanos
Os direitos das mulher como direitos humanos
Vanessa Ribeiro
 
Nísia floresta e os direitos das mulheres
Nísia floresta e os direitos das mulheresNísia floresta e os direitos das mulheres
Nísia floresta e os direitos das mulheres
Priscila Aristimunha
 
A instrução feminina na colônia e no império - Heleieth Saffioti
A instrução feminina na colônia e no império - Heleieth SaffiotiA instrução feminina na colônia e no império - Heleieth Saffioti
A instrução feminina na colônia e no império - Heleieth Saffioti
Tatiana Mareto Silva
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
bejr
 
Gravidez na adolescência Gravidez e agora!
Gravidez na adolescência   Gravidez e agora!Gravidez na adolescência   Gravidez e agora!
Gravidez na adolescência Gravidez e agora!
Teresa Monteiro
 
Alexander s neill
Alexander s neillAlexander s neill
Alexander s neill
Perseu Silva
 
Amor, casamento e sexo na Grécia Antiga
Amor, casamento e sexo na Grécia AntigaAmor, casamento e sexo na Grécia Antiga
Amor, casamento e sexo na Grécia Antiga
GuilhermeVillela4
 
Lugar de mulher
Lugar de mulherLugar de mulher
Lugar de mulher
Candida Silva
 
O poder do sim a influência da mulher na humanidade
O poder do sim   a influência da mulher na humanidadeO poder do sim   a influência da mulher na humanidade
O poder do sim a influência da mulher na humanidade
Gulyver Palestras e Treinamentos
 
Educacao tradicional em moc
Educacao tradicional em mocEducacao tradicional em moc
Educacao tradicional em moc
johnbank1
 
Emílio, ou da educação
Emílio, ou da educaçãoEmílio, ou da educação
Emílio, ou da educação
Nataliana Cabral
 
Efa psic saude infantil de margaret mead
Efa psic saude infantil de margaret meadEfa psic saude infantil de margaret mead
Efa psic saude infantil de margaret mead
Bruno Machado
 

Semelhante a A mulher no estado novo (17)

Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
 
Jorge amado
Jorge amadoJorge amado
Jorge amado
 
A impotência da mulher na sociedade
A impotência da mulher na sociedade  A impotência da mulher na sociedade
A impotência da mulher na sociedade
 
Atividade de Letramento - Mulher Grega x Mulher Atual
Atividade de Letramento - Mulher Grega x Mulher Atual   Atividade de Letramento - Mulher Grega x Mulher Atual
Atividade de Letramento - Mulher Grega x Mulher Atual
 
A família e o casamento no antigo regime
A família e o casamento no antigo regimeA família e o casamento no antigo regime
A família e o casamento no antigo regime
 
Os direitos das mulher como direitos humanos
Os direitos das mulher como direitos humanosOs direitos das mulher como direitos humanos
Os direitos das mulher como direitos humanos
 
Nísia floresta e os direitos das mulheres
Nísia floresta e os direitos das mulheresNísia floresta e os direitos das mulheres
Nísia floresta e os direitos das mulheres
 
A instrução feminina na colônia e no império - Heleieth Saffioti
A instrução feminina na colônia e no império - Heleieth SaffiotiA instrução feminina na colônia e no império - Heleieth Saffioti
A instrução feminina na colônia e no império - Heleieth Saffioti
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
 
Gravidez na adolescência Gravidez e agora!
Gravidez na adolescência   Gravidez e agora!Gravidez na adolescência   Gravidez e agora!
Gravidez na adolescência Gravidez e agora!
 
Alexander s neill
Alexander s neillAlexander s neill
Alexander s neill
 
Amor, casamento e sexo na Grécia Antiga
Amor, casamento e sexo na Grécia AntigaAmor, casamento e sexo na Grécia Antiga
Amor, casamento e sexo na Grécia Antiga
 
Lugar de mulher
Lugar de mulherLugar de mulher
Lugar de mulher
 
O poder do sim a influência da mulher na humanidade
O poder do sim   a influência da mulher na humanidadeO poder do sim   a influência da mulher na humanidade
O poder do sim a influência da mulher na humanidade
 
Educacao tradicional em moc
Educacao tradicional em mocEducacao tradicional em moc
Educacao tradicional em moc
 
Emílio, ou da educação
Emílio, ou da educaçãoEmílio, ou da educação
Emílio, ou da educação
 
Efa psic saude infantil de margaret mead
Efa psic saude infantil de margaret meadEfa psic saude infantil de margaret mead
Efa psic saude infantil de margaret mead
 

Mais de Angela Boucinha

Atividades educação saúde
Atividades educação saúde Atividades educação saúde
Atividades educação saúde
Angela Boucinha
 
Ppt obesity 9 d paula rodrigues
Ppt   obesity 9 d paula rodriguesPpt   obesity 9 d paula rodrigues
Ppt obesity 9 d paula rodrigues
Angela Boucinha
 
Pu chen 809 pu-chen
Pu chen 809 pu-chenPu chen 809 pu-chen
Pu chen 809 pu-chen
Angela Boucinha
 
Micaela tavares 813 educa+º+úo sexual
Micaela  tavares 813 educa+º+úo sexualMicaela  tavares 813 educa+º+úo sexual
Micaela tavares 813 educa+º+úo sexual
Angela Boucinha
 
Leonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_b
Leonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_bLeonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_b
Leonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_b
Angela Boucinha
 
La+¡s endo 820 contracetivos masculinos e femininos
La+¡s endo 820 contracetivos masculinos e femininosLa+¡s endo 820 contracetivos masculinos e femininos
La+¡s endo 820 contracetivos masculinos e femininos
Angela Boucinha
 
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Angela Boucinha
 
Catarina mendes 338 m+®todos contraceptivos
Catarina mendes 338 m+®todos contraceptivosCatarina mendes 338 m+®todos contraceptivos
Catarina mendes 338 m+®todos contraceptivos
Angela Boucinha
 
Ficha+de+revisões
Ficha+de+revisõesFicha+de+revisões
Ficha+de+revisões
Angela Boucinha
 
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentaresFicha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Angela Boucinha
 
Relatório experimental modelo
Relatório experimental modeloRelatório experimental modelo
Relatório experimental modelo
Angela Boucinha
 
Avaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimão
Avaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimãoAvaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimão
Avaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimão
Angela Boucinha
 
Avaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimão
Avaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimãoAvaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimão
Avaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimão
Angela Boucinha
 
1.1.1 ficha de trabalho factores do ambiente (1)
1.1.1  ficha de trabalho    factores do ambiente (1)1.1.1  ficha de trabalho    factores do ambiente (1)
1.1.1 ficha de trabalho factores do ambiente (1)
Angela Boucinha
 
Ficha de estudo
Ficha de estudoFicha de estudo
Ficha de estudo
Angela Boucinha
 
Ficha de estudo
Ficha de estudoFicha de estudo
Ficha de estudo
Angela Boucinha
 
Marcadores livros cris
Marcadores livros  crisMarcadores livros  cris
Marcadores livros cris
Angela Boucinha
 
Alexandre santos
Alexandre santosAlexandre santos
Alexandre santos
Angela Boucinha
 

Mais de Angela Boucinha (20)

Atividades educação saúde
Atividades educação saúde Atividades educação saúde
Atividades educação saúde
 
Ppt obesity 9 d paula rodrigues
Ppt   obesity 9 d paula rodriguesPpt   obesity 9 d paula rodrigues
Ppt obesity 9 d paula rodrigues
 
Pu chen 809 pu-chen
Pu chen 809 pu-chenPu chen 809 pu-chen
Pu chen 809 pu-chen
 
Micaela tavares 813 educa+º+úo sexual
Micaela  tavares 813 educa+º+úo sexualMicaela  tavares 813 educa+º+úo sexual
Micaela tavares 813 educa+º+úo sexual
 
Leonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_b
Leonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_bLeonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_b
Leonardo mendes 418 m+®todos contraceptivos leonardo 8_b
 
La+¡s endo 820 contracetivos masculinos e femininos
La+¡s endo 820 contracetivos masculinos e femininosLa+¡s endo 820 contracetivos masculinos e femininos
La+¡s endo 820 contracetivos masculinos e femininos
 
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
 
Catarina mendes 338 m+®todos contraceptivos
Catarina mendes 338 m+®todos contraceptivosCatarina mendes 338 m+®todos contraceptivos
Catarina mendes 338 m+®todos contraceptivos
 
Ficha+de+revisões
Ficha+de+revisõesFicha+de+revisões
Ficha+de+revisões
 
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentaresFicha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
 
Relatório experimental modelo
Relatório experimental modeloRelatório experimental modelo
Relatório experimental modelo
 
Avaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimão
Avaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimãoAvaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimão
Avaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimão
 
Avaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimão
Avaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimãoAvaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimão
Avaliação da sessão dinamizada pelo maps de portimão
 
1.1.1 ficha de trabalho factores do ambiente (1)
1.1.1  ficha de trabalho    factores do ambiente (1)1.1.1  ficha de trabalho    factores do ambiente (1)
1.1.1 ficha de trabalho factores do ambiente (1)
 
Ficha de estudo
Ficha de estudoFicha de estudo
Ficha de estudo
 
Ficha de estudo
Ficha de estudoFicha de estudo
Ficha de estudo
 
C artão
C artãoC artão
C artão
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
 
Marcadores livros cris
Marcadores livros  crisMarcadores livros  cris
Marcadores livros cris
 
Alexandre santos
Alexandre santosAlexandre santos
Alexandre santos
 

Último

Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 

A mulher no estado novo

  • 1. O PAPEL DA MULHER NO ESTADO NOVO ESPOSA MÃE DONA DE CASA
  • 2. EDUCAÇÃO  No Estado Novo, as raparigas frequentavam escolas diferentes dos rapazes; não existia turmas mistas. Assim, as raparigas tinham escola de manhã e os rapazes à tarde.  Nas escolas predominava a ordem, respeito e disciplina, e as punições eram severas.  Era obrigatório o uso de farda.  Porém muitas raparigas não iam à escola, porque os pais achavam que elas tinham de aprender a cuidar da casa. Não precisavam de saber ler nem escrever, apenas precisavam aprender a cozinhar, decorar o lar, costurar, amamentar ( a ser mães)…
  • 3. A FUNÇÃO  A função da mulher era ser mãe, esposa submissa e dona de casa. Desde pequena eram treinadas para ser assim, submissa ao poder do pai, do irmão e mais tarde do marido.  A utilidade que lhes era atribuída, era de dar à luz, amamentar, criar e educar os filhos, tratar da casa e do marido. E acima de tudo, manter a família unida e feliz.
  • 4. O QUE ERA PERMITIDO Os direitos da mulher eram praticamente nulos;  O Estado Novo destinou às mulheres o lugar da natureza, ou seja a família ou o trabalho no campo era o sitio onde se enquadravam.  A mulher devia acompanhar o marido a todo o lado, exceto ao estrangeiro.  A mulher só tinha direito ao divórcio, em caso de adultério do marido que envolvesse escândalo público.  As mulheres solteiras que vivessem sem família ou com família a cargo, que fossem maiores de idade e tivessem curso secundário, tinham direito a voto e também era- lhes facilitado o emprego ( ex: professora ou enfermeiras )  Por outras palavras, neste tempo era-lhes negado qualquer tipo de individualidade e de liberdade.
  • 5. Exemplo do trabalho no campo Exemplo de uma professora.
  • 6. O LUGAR NA SOCIEDADE  A mulher não tinha lugar na sociedade.  As mulheres não tinham direitos, tinham sim deveres; LAVAR REZAR TRATAR DA CASA • Naquela altura as mulheres não podiam casar com quem queriam, estava escrito em decreto de lei que uma professora só podia casar com um homem de bom comportamento moral e civil e que tivesse um vencimento superior ao dela. Além disso, tinham, de pedir autorização ao ministro da Educação Nacional. • As enfermeiras não podiam casar. • Uma mulher casada precisava da autorização do marido para ir ao estrangeiro e até mesmo para trabalhar. • As mulheres não tinham direito a voto, não podiam exercer nenhum cargo politico, mesmo em termo de educação dos filhos, não tinham os mesmos direitos.
  • 7. MULHERES QUE LUTARAM PELOS SEUS DIREITOS Carolina Beatriz Ângelo Era viúva e mãe, logo chefe de família. Em 1911 requereu ao tribunal autorização para votar e conseguiu. Foi a primeira cirurgiã a operar no hospital de S. José. Pertenceu a várias organizações feministas.
  • 8. Ana de Castro Osório Foi pioneira na luta pela igualdade de direitos e pela educação das mulheres. É considerada a fundadora da literatura infantil em Portugal, tendo escrito
  • 9. Maria Veleda Foi professora e escritora. Defendeu publicamente a emancipação e a participação politica das mulheres..
  • 10. Guilhermina Suggia Foi uma grande violoncelista, numa época em que o violoncelo era considerado indecoroso para as mulheres. Foi galardoada em 1923 com ordem de Santiago da Espada.
  • 11.  Disciplina: H.G.P  Professora: Fernanda Vieira  Trabalho realizado por: André Silva nº2 6ºD