SlideShare uma empresa Scribd logo
A Matemática nas Séries Iniciais do Ensino 
Fundamental: (o começo de tudo) 
Professor Ilydio Pereira de Sá 
www.magiadamatematica.com
“É natural que nossos alunos sintam mais 
prazer quando estão envolvidos em atividades 
desafiadoras, prazerosas e que permitam a 
descoberta. É o que chamamos de heurística. 
Para isso precisam de estímulo, de motivação, 
de provocação.” 
Professor Dr. Ilydio Pereira de Sá (UERJ) 
www.magiadamatematica.com
EDUCAÇÃO MATEMÁTICA 
A Educação Matemática é um campo do conhecimento que 
se dedica a estudar questões relativas ao 
ensino/aprendizagem de Matemática. Trata-se de um campo 
interdisciplinar que faz uso de teorias de outros campos 
teóricos, como a sociologia, a psicologia, a filosofia, etc., 
para a construção de seu conhecimento, além de construir 
suas próprias teorias. 
A Educação Matemática não se restringe a apenas estudar 
meios de fazer alunos a “entenderem” um conhecimento 
previamente estabelecido, mas também problematiza e 
reflete sobre o próprio conhecimento matemático.
A MATEMÁTICA: OS MEDOS 
A QUE REPROVA! 
CHATA ! 
COMBATER OU FOMENTAR O MITO ?
A matemática desde muito enreda-se num processo de 
angústia, receio e pânico por parte dos alunos, tornando-se, 
por vezes, inacessível, complexa e inexplicável, e, em 
função disso caracteriza-se pelas dificuldades 
encontradas no processo de ensino/aprendizagem. 
A Matemática pode e deve ser desvinculada desse pânico 
de aprender e ensinar a qual foi submetida durante 
tantos anos, uma vez que esse medo pode ser gerado pela 
maneira mecânica e decorativa pela qual foi e continua 
sendo ensinada. (GUELLI, Oscar. Matemática. Ática, 
SP: 2001)
A atitude do professor, as 
metodologias usadas e o seu próprio 
modo de “encarar” a matemática são 
fundamentais no combate ou no 
reforço desse “demônio”. 
9
Não podemos esquecer a importância do aspecto 
lúdico, associado ao exercício intelectual, 
característico da matemática. Infelizmente, 
parece que tal aspecto tem sido desprezado. 
Por que não introduzir no currículo uma 
matemática construtiva, lúdica, desafiadora, 
interessante, nova e útil para o mundo moderno? 
(UBIRATAN D’AMBROSIO)
Todos sabemos do medo que a maioria das 
pessoas têm da matemática. Sabemos que o mito 
de ciência difícil, hermética e sem grandes 
atrativos, percorre gerações. 
Sabemos também que a atitude do professor, as 
metodologias usadas e o seu próprio modo de 
“encarar” a matemática são fundamentais no 
combate ou no reforço desse mito. 
Aprender sem pensar é trabalho perdido. 
Confúcio ( 551- 479 a. C. ) – Filósofo Chinês
O que é “Lúdico”? 
Entendemos o Lúdico como a forma de desenvolver a 
criatividade, os conhecimentos, o raciocínio de um 
estudante de todos os níveis, através de jogos, música, 
dança, teatro, filme, leituras, mímica, desafios, 
curiosidades, histórias, etc. 
A proposta é educar matematicamente, permitindo que o 
aluno raciocine, descubra e interaja criticamente com 
colegas e professores.
O que é “Motivar”? 
Motivar é criar e revelar pretextos que facilitem o ensino e 
a aprendizagem. A incentivação relaciona-se com o 
interesse e a atração. 
William James, em “Talkes to teachers”, citado por TAHAN 
in: Roteiro do Bom Professor, Vechi:1969, divide os 
assuntos que devem ser ensinados em dois grupos: 
1. Os que possuem em si um alto potencial de interesse; 
2. Os que não possuem esse potencial. 
Afirma esse autor que os alunos só assimilarão os 
assuntos do 2º grupo se estes foram, inteligentemente 
associados aos do 1º grupo.
Por que aprender Matemática? 
Algumas perguntas que nossos alunos fazem ... 
− Professor, para que serve toda essa Matemática que 
estamos estudando? 
− Todas esses números e fórmulas não são para mim... 
não tenho cabeça para isso! 
Qual o verdadeiro papel da Matemática na 
formação do aluno? Como fazer para motivá-los 
para o estudo da Matemática?
Respostas, às vezes evasivas ... “Tudo 
isso você vai precisar para o que vai 
aprender mais tarde” ... 
... o que nem sempre é verdadeiro, 
todos sabemos.
O professor precisa estar preparado para dar respostas 
que satisfaçam a curiosidade e estimulem o espírito de 
questionamento e investigação dos alunos.
Uma importante tarefa dos professores, enquanto 
Educadores Matemáticos, principalmente nas 
séries iniciais, é tentar produzir no aluno o gosto e o 
prazer pela Matemática. 
Essas primeiras experiências, com certeza, 
acompanharão o aluno ao longo de toda a sua vida 
acadêmica. Por conta disso, atitudes amistosas do 
professor e atividades lúdicas para os alunos, são 
dois importantes antídotos para o mito existente em 
torno da tão temida “MÁ-TEMÁTICA”.
Existem saídas? 
Ajudaria bastante se os professores da Escola 
Básica, trouxessem para a sala de aula 
questões práticas interessantes, histórias, 
desafios, jogos, curiosidades, que sirvam de 
fatores de motivação e investigação. 
Usando atividades lúdicas, problemas heurísticos 
(desafiadores), curiosidades, histórias, tecnologias, 
etc, os educadores matemáticos têm um poderoso 
auxílio para a sua prática docente cotidiana.
O importante é que tais atividades sejam 
trabalhadas e investigadas, resistindo à tentação 
inicial de buscar “regras decoradas” e sem 
significado.
Explorando o lado lúdico da Matemática 
Motivação, desafio Ponto de Partida
POSSIBILIDADES DOS JOGOS, DESAFIOS E 
ATIVIDADES LÚDICAS 
DESENVOLVIMENTO 
DE HABILIDADES 
Tomada de decisões; trabalho 
em equipes; desenvolvimento 
de estratégias, da imaginação 
e da criatividade. 
SITUAÇÕES DO 
COTIDIANO 
Muitas situações diárias se 
assemelham a jogos e 
desafios e que exigem 
tomada de decisões. 
RACIOCÍNIO LÓGICO 
DEDUTIVO 
Essencial na construção dos 
conceitos Matemáticos e em 
situações do dia-a-dia.
EXEMPLO DE PROPOSTA ENVOLVENDO 
RACIOCÍNIO LÓGICO DEDUTIVO
DESAFIOS OU QUEBRA-CABEÇAS 
GEOMÉTRICOS 
“Você consegue formar um retângulo usando as quatro 
peças que aparecem na figura abaixo?”. (O professor ou 
professora já deve levar essas peças recortadas)
Essas peças podem ser construídas a partir 
de papel quadriculado. Abaixo uma possível 
solução para o quebra-cabeças.
Raciocínio Espacial e Visualização 
Existe uma estrela “escondida” no mosaico abaixo. 
Descubra onde está essa estrela, pintando-a de 
vermelho. 
resposta
Poesia e Matemática 
Diversas outras atividades lúdicas, interdisciplinares, podem 
ser importantes no desenvolvimento do raciocínio lógico-matemático 
dos alunos. Mesmo que ainda não saibam ler, 
podemos criar pequenos textos (preferencialmente com 
rimas) e, ao lermos esses textos para nossos alunos, 
estimular que completem com a palavra ou palavras que 
estão faltando. Veja dois exemplos. 
Ana tem duas rosas 
Três margaridas e um jasmim. 
Ela guarda as ......... Flores 
E não dá nenhuma para mim. 
Lá em casa há 8 sorvetes 
Todos eles gostosinhos 
Um é meu, dois são seus 
E os outros .............do Marquinhos. 
seis 
cinco
Quadrinhos e raciocínio lógico 
Todos sabemos que, normalmente, a nossa 
Escola é fragmentada e o conhecimento é 
oferecido ao aluno de forma compartimentada e, 
na maioria das vezes, maçante e árida. 
A matemática, normalmente, só lida com números, 
o Português, com as palavras e, dessa forma, 
perdemos boas oportunidades de mesclar essas 
informações, usando textos bem humorados, onde 
a matemática e o raciocínio lógico façam parte do 
contexto.
Temos, por exemplo, os quadrinhos, que são 
de leitura agradável e de gosto das crianças. 
Histórias em quadrinhos são de fácil 
entendimento, bem humoradas e permitem, 
entre outras coisas, explorar as múltiplas 
inteligências de nossos alunos, bem como sua 
capacidade de interpretação e de raciocínio 
lógico dedutivo.
Importante que as histórias em quadrinhos, sejam 
selecionadas de forma que possam gerar boas 
questões a partir da temática envolvida. 
São muito úteis também as historinhas sem texto, 
só com as figuras, e que provoquemos nossos 
alunos a redigirem suas próprias histórias, 
estimulando que sejam críticos e criativos. 
Vejamos alguns exemplos:
Quais devem ter sido os três desejos do Cebolinha? Por que?
Por que será que o poço dos desejos deu uma senha 
para o Cebolinha?
Qual deve ter sido o motivo da irmãzinha do Cebolinha, de 
repente, ter comido toda a sua papinha?
Que tal você criar um texto para a historinha acima?
Por que será que o Cebolinha quebrou a jarra?
ATITUDES POSITIVAS PARA O ENSINO 
DE MATEMÁTICA 
• É importante investigar práticas matemáticas em 
situações da vida cotidiana dos nossos alunos. 
• Deslocar a importância da Matemática para um misto do 
seu enfoque formativo (estruturação do pensamento e do 
raciocínio lógico) com o funcional (resolução de 
problemas práticos). 
• Atualização em novas temáticas, como: etnomatemática, 
modelagem, resolução de problemas, tecnologias de 
informação e comunicação, contextualização, entre 
outras.
 Não usar as avaliações como “armas”. As avaliações 
devem ser também bons momentos de estudo. 
 O que costuma ocorrer nas avaliações...
Algumas características de um bom problema: 
• Tenha enunciado acessível e de fácil compreensão; 
• Exercite o pensamento matemático dos alunos; 
• Provoque a criatividade na resolução; 
• Possa servir de ponto de partida para a introdução ou 
consolidação de ideias ou conceitos matemáticos; 
• Seja natural e interessante.
Bons problemas desafiam o raciocínio... 
Estimulam a observação, a criação de hipóteses e 
analogias, a tomada de decisões e a elaboração de 
justificativas e conclusões. Favorecem o bom 
desempenho em todas as disciplinas e preparam para 
as situações simples e complexas da vida. 
Uma das grandes dificuldades que os professores (as) 
encontram para desenvolver seu trabalho com 
desafios junto a seus alunos é localizarem problemas 
adequados à faixa etária de sua série.
A resolução de problemas constitui, em 
matemática, um contexto universal de 
aprendizagem e deve, por isso, estar sempre 
presente, associada ao raciocínio lógico e à 
comunicação, assim como integrada 
naturalmente nas diversas atividades de ensino. 
O professor deve se “policiar” de modo a não 
oferecer “gratuitamente” a solução do que foi 
proposto, mesmo porque devemos incentivar a 
diversidade de caminhos e de soluções distintas.
Para saber mais sobre os assuntos abordados nessa 
apresentação, indicamos duas de nossas publicações 
pela Livraria CiênciaModerna (www.lcm.com.br).
A Magia da Matemática: Atividades Investigativas, Curiosidades e 
Histórias da Matemática – 3ª Edição – Ilydio Pereira de Sá 
Editora Ciência Moderna
Raciocínio Lógico – Concursos e Formação de Professores – Ilydio Pereira de Sá 
Editora Ciência Moderna – www.LCM.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alfabetização Matemática ll PNAIC
Alfabetização Matemática ll PNAIC Alfabetização Matemática ll PNAIC
Alfabetização Matemática ll PNAIC
Marlene de Fátima Gonçalves
 
Ensinar Matemática nas séries iniciais
Ensinar Matemática nas séries iniciaisEnsinar Matemática nas séries iniciais
Ensinar Matemática nas séries iniciais
Maristela Couto
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
mtolentino1507
 
Plano de Ação Matemática
Plano de Ação MatemáticaPlano de Ação Matemática
Plano de Ação Matemática
Manuel de Abreu
 
Oficina para o jogos e brincadeiras para matemática
Oficina para o jogos e brincadeiras para matemáticaOficina para o jogos e brincadeiras para matemática
Oficina para o jogos e brincadeiras para matemática
Elizabete Oliveira
 
PNAIC Alfabetização matematica- caderno introdução
PNAIC Alfabetização matematica- caderno introduçãoPNAIC Alfabetização matematica- caderno introdução
PNAIC Alfabetização matematica- caderno introdução
Aline Manzini
 
MPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e Estatística
MPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e EstatísticaMPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e Estatística
MPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e Estatística
profamiriamnavarro
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
Ananda Lima
 
Aula 1 a história e o ensino de matemática
Aula 1   a história e o ensino de matemáticaAula 1   a história e o ensino de matemática
Aula 1 a história e o ensino de matemática
Lidiane Schimitz Lopes
 
Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem
carmensilva723002
 
Jogos Matematicos
Jogos MatematicosJogos Matematicos
Jogos Matematicos
Adriana Sousa
 
MPEMC AULA 2: Matemática na BNCC
MPEMC AULA 2: Matemática na BNCCMPEMC AULA 2: Matemática na BNCC
MPEMC AULA 2: Matemática na BNCC
profamiriamnavarro
 
A Matematica como um texto
A Matematica como um textoA Matematica como um texto
A Matematica como um texto
Denise Oliveira
 
jogos matemáticos
jogos matemáticosjogos matemáticos
jogos matemáticos
home
 
Slide a importancia dos jogos da matematica
Slide a importancia dos jogos da matematicaSlide a importancia dos jogos da matematica
Slide a importancia dos jogos da matematica
Marlene Alves de Souza
 
2ª formação - Matemática
2ª formação - Matemática2ª formação - Matemática
2ª formação - Matemática
PNAIC UFSCar
 
Plano de aula fraçoes
Plano de aula fraçoesPlano de aula fraçoes
Plano de aula fraçoes
Fernanda Campos
 
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e InovadorasEducação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Universidade Federal de Pernambuco
 
Seminário de Letramento Matemático
Seminário de Letramento MatemáticoSeminário de Letramento Matemático
Seminário de Letramento Matemático
Andréa Thees
 
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTILLUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ritagatti
 

Mais procurados (20)

Alfabetização Matemática ll PNAIC
Alfabetização Matemática ll PNAIC Alfabetização Matemática ll PNAIC
Alfabetização Matemática ll PNAIC
 
Ensinar Matemática nas séries iniciais
Ensinar Matemática nas séries iniciaisEnsinar Matemática nas séries iniciais
Ensinar Matemática nas séries iniciais
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
 
Plano de Ação Matemática
Plano de Ação MatemáticaPlano de Ação Matemática
Plano de Ação Matemática
 
Oficina para o jogos e brincadeiras para matemática
Oficina para o jogos e brincadeiras para matemáticaOficina para o jogos e brincadeiras para matemática
Oficina para o jogos e brincadeiras para matemática
 
PNAIC Alfabetização matematica- caderno introdução
PNAIC Alfabetização matematica- caderno introduçãoPNAIC Alfabetização matematica- caderno introdução
PNAIC Alfabetização matematica- caderno introdução
 
MPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e Estatística
MPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e EstatísticaMPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e Estatística
MPEMC AULA 8: Álgebra, Probabilidade e Estatística
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
 
Aula 1 a história e o ensino de matemática
Aula 1   a história e o ensino de matemáticaAula 1   a história e o ensino de matemática
Aula 1 a história e o ensino de matemática
 
Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem Formação recomposição da Aprendizagem
Formação recomposição da Aprendizagem
 
Jogos Matematicos
Jogos MatematicosJogos Matematicos
Jogos Matematicos
 
MPEMC AULA 2: Matemática na BNCC
MPEMC AULA 2: Matemática na BNCCMPEMC AULA 2: Matemática na BNCC
MPEMC AULA 2: Matemática na BNCC
 
A Matematica como um texto
A Matematica como um textoA Matematica como um texto
A Matematica como um texto
 
jogos matemáticos
jogos matemáticosjogos matemáticos
jogos matemáticos
 
Slide a importancia dos jogos da matematica
Slide a importancia dos jogos da matematicaSlide a importancia dos jogos da matematica
Slide a importancia dos jogos da matematica
 
2ª formação - Matemática
2ª formação - Matemática2ª formação - Matemática
2ª formação - Matemática
 
Plano de aula fraçoes
Plano de aula fraçoesPlano de aula fraçoes
Plano de aula fraçoes
 
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e InovadorasEducação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
 
Seminário de Letramento Matemático
Seminário de Letramento MatemáticoSeminário de Letramento Matemático
Seminário de Letramento Matemático
 
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTILLUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 

Destaque

Ficha da salada de fruta
Ficha da salada de frutaFicha da salada de fruta
Ficha da salada de fruta
lucia Curopos
 
A estação de queda das folhas
A estação de queda das folhasA estação de queda das folhas
A estação de queda das folhas
Alexandra Leal
 
Locais a contactar em caso de emergência
Locais  a contactar em caso de emergênciaLocais  a contactar em caso de emergência
Locais a contactar em caso de emergência
Alexandra Leal
 
Jogando para brincar e aprender brincando
Jogando para brincar e aprender brincandoJogando para brincar e aprender brincando
Jogando para brincar e aprender brincando
PENELOPYPO
 
Kishimoto 6
Kishimoto 6Kishimoto 6
Kishimoto 6
Professores Cedaspy
 
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
SimoneHelenDrumond
 

Destaque (6)

Ficha da salada de fruta
Ficha da salada de frutaFicha da salada de fruta
Ficha da salada de fruta
 
A estação de queda das folhas
A estação de queda das folhasA estação de queda das folhas
A estação de queda das folhas
 
Locais a contactar em caso de emergência
Locais  a contactar em caso de emergênciaLocais  a contactar em caso de emergência
Locais a contactar em caso de emergência
 
Jogando para brincar e aprender brincando
Jogando para brincar e aprender brincandoJogando para brincar e aprender brincando
Jogando para brincar e aprender brincando
 
Kishimoto 6
Kishimoto 6Kishimoto 6
Kishimoto 6
 
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...O lúdico  jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
O lúdico jogos brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprend...
 

Semelhante a A matemática nas séries iniciais do ensino fundamental: reflexões teóricas e atividades sugeridas

Jogos
JogosJogos
Jogos
edsonn
 
I encontro de professores de matemática da rede
I encontro de professores de matemática da redeI encontro de professores de matemática da rede
I encontro de professores de matemática da rede
SEMED
 
A resolução de problemas na educação matemática
A resolução de problemas na educação matemáticaA resolução de problemas na educação matemática
A resolução de problemas na educação matemática
Alessandro Emiliano de Araujo
 
Monografia
MonografiaMonografia
PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA - CADERNO 8 SABERES MATEMÁT...
PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA -  CADERNO 8 SABERES MATEMÁT...PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA -  CADERNO 8 SABERES MATEMÁT...
PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA - CADERNO 8 SABERES MATEMÁT...
Lucineia De Sá
 
Educaçao matematica
Educaçao matematicaEducaçao matematica
Educaçao matematica
pedagogia para licenciados
 
Ativ 3-4-michelconchelima
Ativ 3-4-michelconchelimaAtiv 3-4-michelconchelima
Ativ 3-4-michelconchelima
Michel Conche
 
Curso dw alfabetizaçao2015
Curso dw alfabetizaçao2015Curso dw alfabetizaçao2015
Curso dw alfabetizaçao2015
Kreusa Martins
 
Pnaic mat caderno 8_pg001-080 (12)
Pnaic mat caderno 8_pg001-080 (12)Pnaic mat caderno 8_pg001-080 (12)
Pnaic mat caderno 8_pg001-080 (12)
weleslima
 
FORMAÇÃO.pptx
FORMAÇÃO.pptxFORMAÇÃO.pptx
FORMAÇÃO.pptx
EdileneYolanda1
 
Karina
KarinaKarina
PNAIC - Saberes matemático e outros campos do saber - UNIDADE 8
PNAIC - Saberes matemático e outros campos do saber - UNIDADE 8PNAIC - Saberes matemático e outros campos do saber - UNIDADE 8
PNAIC - Saberes matemático e outros campos do saber - UNIDADE 8
Amanda Nolasco
 
Cadernos do Mathema - 6º ao 9º ano.pdf
Cadernos do Mathema - 6º ao 9º ano.pdfCadernos do Mathema - 6º ao 9º ano.pdf
Cadernos do Mathema - 6º ao 9º ano.pdf
KELLY EHRAT BLASIUS
 
Oficina O Perfil Do Professor
Oficina O Perfil Do ProfessorOficina O Perfil Do Professor
Oficina O Perfil Do Professor
Milton Alvaro Menon
 
Sessão(ppt) 4
Sessão(ppt) 4Sessão(ppt) 4
Sessão(ppt) 4
genarui
 
Fundamentos e metodologia de matemática
Fundamentos e metodologia de matemáticaFundamentos e metodologia de matemática
Fundamentos e metodologia de matemática
Paulo Wanderson
 
Apostila jogos na matematica
Apostila   jogos na matematicaApostila   jogos na matematica
Apostila jogos na matematica
Marcia MMs
 
Powerpoint unid 4 etel
Powerpoint unid 4 etelPowerpoint unid 4 etel
Powerpoint unid 4 etel
Escola estadual Luiz Moschetti
 
Curiosidades Matemáticas
Curiosidades MatemáticasCuriosidades Matemáticas
Curiosidades Matemáticas
jessica
 
Caderno8 parte2-iniciandoaconversa-140907031555-phpapp01
Caderno8 parte2-iniciandoaconversa-140907031555-phpapp01Caderno8 parte2-iniciandoaconversa-140907031555-phpapp01
Caderno8 parte2-iniciandoaconversa-140907031555-phpapp01
Abenair Soares da Silva
 

Semelhante a A matemática nas séries iniciais do ensino fundamental: reflexões teóricas e atividades sugeridas (20)

Jogos
JogosJogos
Jogos
 
I encontro de professores de matemática da rede
I encontro de professores de matemática da redeI encontro de professores de matemática da rede
I encontro de professores de matemática da rede
 
A resolução de problemas na educação matemática
A resolução de problemas na educação matemáticaA resolução de problemas na educação matemática
A resolução de problemas na educação matemática
 
Monografia
MonografiaMonografia
Monografia
 
PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA - CADERNO 8 SABERES MATEMÁT...
PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA -  CADERNO 8 SABERES MATEMÁT...PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA -  CADERNO 8 SABERES MATEMÁT...
PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA - CADERNO 8 SABERES MATEMÁT...
 
Educaçao matematica
Educaçao matematicaEducaçao matematica
Educaçao matematica
 
Ativ 3-4-michelconchelima
Ativ 3-4-michelconchelimaAtiv 3-4-michelconchelima
Ativ 3-4-michelconchelima
 
Curso dw alfabetizaçao2015
Curso dw alfabetizaçao2015Curso dw alfabetizaçao2015
Curso dw alfabetizaçao2015
 
Pnaic mat caderno 8_pg001-080 (12)
Pnaic mat caderno 8_pg001-080 (12)Pnaic mat caderno 8_pg001-080 (12)
Pnaic mat caderno 8_pg001-080 (12)
 
FORMAÇÃO.pptx
FORMAÇÃO.pptxFORMAÇÃO.pptx
FORMAÇÃO.pptx
 
Karina
KarinaKarina
Karina
 
PNAIC - Saberes matemático e outros campos do saber - UNIDADE 8
PNAIC - Saberes matemático e outros campos do saber - UNIDADE 8PNAIC - Saberes matemático e outros campos do saber - UNIDADE 8
PNAIC - Saberes matemático e outros campos do saber - UNIDADE 8
 
Cadernos do Mathema - 6º ao 9º ano.pdf
Cadernos do Mathema - 6º ao 9º ano.pdfCadernos do Mathema - 6º ao 9º ano.pdf
Cadernos do Mathema - 6º ao 9º ano.pdf
 
Oficina O Perfil Do Professor
Oficina O Perfil Do ProfessorOficina O Perfil Do Professor
Oficina O Perfil Do Professor
 
Sessão(ppt) 4
Sessão(ppt) 4Sessão(ppt) 4
Sessão(ppt) 4
 
Fundamentos e metodologia de matemática
Fundamentos e metodologia de matemáticaFundamentos e metodologia de matemática
Fundamentos e metodologia de matemática
 
Apostila jogos na matematica
Apostila   jogos na matematicaApostila   jogos na matematica
Apostila jogos na matematica
 
Powerpoint unid 4 etel
Powerpoint unid 4 etelPowerpoint unid 4 etel
Powerpoint unid 4 etel
 
Curiosidades Matemáticas
Curiosidades MatemáticasCuriosidades Matemáticas
Curiosidades Matemáticas
 
Caderno8 parte2-iniciandoaconversa-140907031555-phpapp01
Caderno8 parte2-iniciandoaconversa-140907031555-phpapp01Caderno8 parte2-iniciandoaconversa-140907031555-phpapp01
Caderno8 parte2-iniciandoaconversa-140907031555-phpapp01
 

Último

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 

Último (20)

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 

A matemática nas séries iniciais do ensino fundamental: reflexões teóricas e atividades sugeridas

  • 1. A Matemática nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental: (o começo de tudo) Professor Ilydio Pereira de Sá www.magiadamatematica.com
  • 2. “É natural que nossos alunos sintam mais prazer quando estão envolvidos em atividades desafiadoras, prazerosas e que permitam a descoberta. É o que chamamos de heurística. Para isso precisam de estímulo, de motivação, de provocação.” Professor Dr. Ilydio Pereira de Sá (UERJ) www.magiadamatematica.com
  • 3. EDUCAÇÃO MATEMÁTICA A Educação Matemática é um campo do conhecimento que se dedica a estudar questões relativas ao ensino/aprendizagem de Matemática. Trata-se de um campo interdisciplinar que faz uso de teorias de outros campos teóricos, como a sociologia, a psicologia, a filosofia, etc., para a construção de seu conhecimento, além de construir suas próprias teorias. A Educação Matemática não se restringe a apenas estudar meios de fazer alunos a “entenderem” um conhecimento previamente estabelecido, mas também problematiza e reflete sobre o próprio conhecimento matemático.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7. A MATEMÁTICA: OS MEDOS A QUE REPROVA! CHATA ! COMBATER OU FOMENTAR O MITO ?
  • 8. A matemática desde muito enreda-se num processo de angústia, receio e pânico por parte dos alunos, tornando-se, por vezes, inacessível, complexa e inexplicável, e, em função disso caracteriza-se pelas dificuldades encontradas no processo de ensino/aprendizagem. A Matemática pode e deve ser desvinculada desse pânico de aprender e ensinar a qual foi submetida durante tantos anos, uma vez que esse medo pode ser gerado pela maneira mecânica e decorativa pela qual foi e continua sendo ensinada. (GUELLI, Oscar. Matemática. Ática, SP: 2001)
  • 9. A atitude do professor, as metodologias usadas e o seu próprio modo de “encarar” a matemática são fundamentais no combate ou no reforço desse “demônio”. 9
  • 10. Não podemos esquecer a importância do aspecto lúdico, associado ao exercício intelectual, característico da matemática. Infelizmente, parece que tal aspecto tem sido desprezado. Por que não introduzir no currículo uma matemática construtiva, lúdica, desafiadora, interessante, nova e útil para o mundo moderno? (UBIRATAN D’AMBROSIO)
  • 11. Todos sabemos do medo que a maioria das pessoas têm da matemática. Sabemos que o mito de ciência difícil, hermética e sem grandes atrativos, percorre gerações. Sabemos também que a atitude do professor, as metodologias usadas e o seu próprio modo de “encarar” a matemática são fundamentais no combate ou no reforço desse mito. Aprender sem pensar é trabalho perdido. Confúcio ( 551- 479 a. C. ) – Filósofo Chinês
  • 12. O que é “Lúdico”? Entendemos o Lúdico como a forma de desenvolver a criatividade, os conhecimentos, o raciocínio de um estudante de todos os níveis, através de jogos, música, dança, teatro, filme, leituras, mímica, desafios, curiosidades, histórias, etc. A proposta é educar matematicamente, permitindo que o aluno raciocine, descubra e interaja criticamente com colegas e professores.
  • 13. O que é “Motivar”? Motivar é criar e revelar pretextos que facilitem o ensino e a aprendizagem. A incentivação relaciona-se com o interesse e a atração. William James, em “Talkes to teachers”, citado por TAHAN in: Roteiro do Bom Professor, Vechi:1969, divide os assuntos que devem ser ensinados em dois grupos: 1. Os que possuem em si um alto potencial de interesse; 2. Os que não possuem esse potencial. Afirma esse autor que os alunos só assimilarão os assuntos do 2º grupo se estes foram, inteligentemente associados aos do 1º grupo.
  • 14. Por que aprender Matemática? Algumas perguntas que nossos alunos fazem ... − Professor, para que serve toda essa Matemática que estamos estudando? − Todas esses números e fórmulas não são para mim... não tenho cabeça para isso! Qual o verdadeiro papel da Matemática na formação do aluno? Como fazer para motivá-los para o estudo da Matemática?
  • 15. Respostas, às vezes evasivas ... “Tudo isso você vai precisar para o que vai aprender mais tarde” ... ... o que nem sempre é verdadeiro, todos sabemos.
  • 16.
  • 17. O professor precisa estar preparado para dar respostas que satisfaçam a curiosidade e estimulem o espírito de questionamento e investigação dos alunos.
  • 18. Uma importante tarefa dos professores, enquanto Educadores Matemáticos, principalmente nas séries iniciais, é tentar produzir no aluno o gosto e o prazer pela Matemática. Essas primeiras experiências, com certeza, acompanharão o aluno ao longo de toda a sua vida acadêmica. Por conta disso, atitudes amistosas do professor e atividades lúdicas para os alunos, são dois importantes antídotos para o mito existente em torno da tão temida “MÁ-TEMÁTICA”.
  • 19. Existem saídas? Ajudaria bastante se os professores da Escola Básica, trouxessem para a sala de aula questões práticas interessantes, histórias, desafios, jogos, curiosidades, que sirvam de fatores de motivação e investigação. Usando atividades lúdicas, problemas heurísticos (desafiadores), curiosidades, histórias, tecnologias, etc, os educadores matemáticos têm um poderoso auxílio para a sua prática docente cotidiana.
  • 20. O importante é que tais atividades sejam trabalhadas e investigadas, resistindo à tentação inicial de buscar “regras decoradas” e sem significado.
  • 21. Explorando o lado lúdico da Matemática Motivação, desafio Ponto de Partida
  • 22. POSSIBILIDADES DOS JOGOS, DESAFIOS E ATIVIDADES LÚDICAS DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES Tomada de decisões; trabalho em equipes; desenvolvimento de estratégias, da imaginação e da criatividade. SITUAÇÕES DO COTIDIANO Muitas situações diárias se assemelham a jogos e desafios e que exigem tomada de decisões. RACIOCÍNIO LÓGICO DEDUTIVO Essencial na construção dos conceitos Matemáticos e em situações do dia-a-dia.
  • 23. EXEMPLO DE PROPOSTA ENVOLVENDO RACIOCÍNIO LÓGICO DEDUTIVO
  • 24. DESAFIOS OU QUEBRA-CABEÇAS GEOMÉTRICOS “Você consegue formar um retângulo usando as quatro peças que aparecem na figura abaixo?”. (O professor ou professora já deve levar essas peças recortadas)
  • 25. Essas peças podem ser construídas a partir de papel quadriculado. Abaixo uma possível solução para o quebra-cabeças.
  • 26. Raciocínio Espacial e Visualização Existe uma estrela “escondida” no mosaico abaixo. Descubra onde está essa estrela, pintando-a de vermelho. resposta
  • 27. Poesia e Matemática Diversas outras atividades lúdicas, interdisciplinares, podem ser importantes no desenvolvimento do raciocínio lógico-matemático dos alunos. Mesmo que ainda não saibam ler, podemos criar pequenos textos (preferencialmente com rimas) e, ao lermos esses textos para nossos alunos, estimular que completem com a palavra ou palavras que estão faltando. Veja dois exemplos. Ana tem duas rosas Três margaridas e um jasmim. Ela guarda as ......... Flores E não dá nenhuma para mim. Lá em casa há 8 sorvetes Todos eles gostosinhos Um é meu, dois são seus E os outros .............do Marquinhos. seis cinco
  • 28. Quadrinhos e raciocínio lógico Todos sabemos que, normalmente, a nossa Escola é fragmentada e o conhecimento é oferecido ao aluno de forma compartimentada e, na maioria das vezes, maçante e árida. A matemática, normalmente, só lida com números, o Português, com as palavras e, dessa forma, perdemos boas oportunidades de mesclar essas informações, usando textos bem humorados, onde a matemática e o raciocínio lógico façam parte do contexto.
  • 29. Temos, por exemplo, os quadrinhos, que são de leitura agradável e de gosto das crianças. Histórias em quadrinhos são de fácil entendimento, bem humoradas e permitem, entre outras coisas, explorar as múltiplas inteligências de nossos alunos, bem como sua capacidade de interpretação e de raciocínio lógico dedutivo.
  • 30. Importante que as histórias em quadrinhos, sejam selecionadas de forma que possam gerar boas questões a partir da temática envolvida. São muito úteis também as historinhas sem texto, só com as figuras, e que provoquemos nossos alunos a redigirem suas próprias histórias, estimulando que sejam críticos e criativos. Vejamos alguns exemplos:
  • 31. Quais devem ter sido os três desejos do Cebolinha? Por que?
  • 32. Por que será que o poço dos desejos deu uma senha para o Cebolinha?
  • 33.
  • 34. Qual deve ter sido o motivo da irmãzinha do Cebolinha, de repente, ter comido toda a sua papinha?
  • 35. Que tal você criar um texto para a historinha acima?
  • 36.
  • 37. Por que será que o Cebolinha quebrou a jarra?
  • 38. ATITUDES POSITIVAS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA • É importante investigar práticas matemáticas em situações da vida cotidiana dos nossos alunos. • Deslocar a importância da Matemática para um misto do seu enfoque formativo (estruturação do pensamento e do raciocínio lógico) com o funcional (resolução de problemas práticos). • Atualização em novas temáticas, como: etnomatemática, modelagem, resolução de problemas, tecnologias de informação e comunicação, contextualização, entre outras.
  • 39.  Não usar as avaliações como “armas”. As avaliações devem ser também bons momentos de estudo.  O que costuma ocorrer nas avaliações...
  • 40. Algumas características de um bom problema: • Tenha enunciado acessível e de fácil compreensão; • Exercite o pensamento matemático dos alunos; • Provoque a criatividade na resolução; • Possa servir de ponto de partida para a introdução ou consolidação de ideias ou conceitos matemáticos; • Seja natural e interessante.
  • 41. Bons problemas desafiam o raciocínio... Estimulam a observação, a criação de hipóteses e analogias, a tomada de decisões e a elaboração de justificativas e conclusões. Favorecem o bom desempenho em todas as disciplinas e preparam para as situações simples e complexas da vida. Uma das grandes dificuldades que os professores (as) encontram para desenvolver seu trabalho com desafios junto a seus alunos é localizarem problemas adequados à faixa etária de sua série.
  • 42. A resolução de problemas constitui, em matemática, um contexto universal de aprendizagem e deve, por isso, estar sempre presente, associada ao raciocínio lógico e à comunicação, assim como integrada naturalmente nas diversas atividades de ensino. O professor deve se “policiar” de modo a não oferecer “gratuitamente” a solução do que foi proposto, mesmo porque devemos incentivar a diversidade de caminhos e de soluções distintas.
  • 43. Para saber mais sobre os assuntos abordados nessa apresentação, indicamos duas de nossas publicações pela Livraria CiênciaModerna (www.lcm.com.br).
  • 44. A Magia da Matemática: Atividades Investigativas, Curiosidades e Histórias da Matemática – 3ª Edição – Ilydio Pereira de Sá Editora Ciência Moderna
  • 45. Raciocínio Lógico – Concursos e Formação de Professores – Ilydio Pereira de Sá Editora Ciência Moderna – www.LCM.com.br