SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO
As Ordenanças de Cristo nas Cartas Pastorais.
Texto básico: (Tt 2.11-14;Tt 3.4-6).
Profº Pb: Antônio Soares
Lição: 13 – A Manifestação da Graça Salvadora
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
Tt 2.11-14; 3.1.4 -6
Tito 2
11 — Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo
salvação a todos os homens,
12 — ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às
concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria,
justa e piamente,
13 — aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento
da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo,
14 — o qual se deu a si mesmo por nós, para nos remir de toda
iniquidade e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas
obras.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
Tt 2.11-14; 3.1.4 -6
Tito 3
4 — Mas, quando apareceu a benignidade e o amor de Deus, nosso
Salvador, para com os homens,
5 — não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas,
segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da
regeneração e da renovação do Espírito Santo,
6 — que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo,
nosso Salvador.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
Resumo do Trimestre - 2015
“ Porque a graça de Deus se há
manifestado, trazendo salvação a
todos os homens." (1 Tt 2.11)
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
A graça de Deus emanou do seu
coração amoroso para salvar o
homem perdido, por meio do
sacrifício vicário de Cristo Jesus.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
Introdução
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
 Nesta última lição do trimestre estudaremos a respeito da graça divina.
 A graça de Deus é a mais extraordinária manifestação do seu amor para
com a humanidade. Mas esta só pode usufruir os benefícios desse
recurso divino, se reconhecer o seu estado miserável, em termos
espirituais, e converter-se mediante a aceitação de Cristo como Salvador.
PONTO CENTRAL
“A graça de Deus alcançou-nos por
intermédio do sacrifício vicário de Jesus”.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
REFLETINDO SOBRE A GRAÇA DIVINA
 Vamos estudar a epifania(manifestação)significa a visível aparição de
alguma coisa ou de alguém que estava invisível. (da graça de Deus).
 No original, graça é charis, donde, “carismático” (no sentido exato),
“caridade”, “agradável”, “atraente”, agradecer”, gratidão”
 A graça de Deus é, primeiramente um favor, ou a disposição bondosa,
generosa da parte de Deus.
 A salvação é sempre apresentada como dom, um favor não merecido,
impossível de ser recompensado; é um benefício legítimo de Deus.
(Rom. 6:23).
 A graça é a benevolência de Deus com o homem, absolutamente
independente da questão de merecer ou não merecer.
 "Graça não é tratar a pessoa como merece, nem tratá-la melhor do que
merece", escreveu L. S. Chafer. "E tratá-la graciosamente sem a mínima
referência aos seus méritos.
 Graça é amor infinito expressando-se em bondade infinita."
“Porquanto a graça de Deus se
manifestou salvadora a todos os
homens” Tito 2.11
“Porque pela graça sois salvos,
mediante a fé; e isto não vem de
vós, é dom de Deus” (Ef 2.8);
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
 A graça sempre existiu. Deus sempre foi gracioso. E em cristo essa graça
despontou majestosamente como o romper da alva.
 A graça de Deus brilhou como sol sobre aqueles que viviam nas regiões da
sombra da morte. Essa graça se manifestou quando Jesus nasceu numa
estrebaria, cresceu num a carpintaria e morreu numa cruz.
 Essa graça brilhou quando de seus lábios se ouviam palavras de vida eterna.
 A graça resplandeceu quando o Filho de Deus entregou sua vida na cruz e a
reassumiu na gloriosa manhã da ressurreição.
 A graça se manifestou para resgatar o homem do seu maior mal e oferecer a
ele o maior bem.
REFLETINDO SOBRE A GRAÇA DIVINA
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
 A graça é o favor superabundante de Deus pelos pecadores indignos.
 Onde abundou o pecado, superabundou a graça.
 Somos salvos pela graça. Vivemos pela graça.
 Dependemos da graça. Nada somos sem a graça. Tudo é pela graça.
 Para Wesley (e consequentemente muitos arminianos) a graça
proveniente é a obra do Espírito Santo no coração de todas as pessoas, o
que lhes dá liberdade para aceitar o evangelho; dessa maneira, a graça
pode ser aceita ou rejeitada.
 Deus atua pela graciosamente pela graça, chamando-o, convencendo,
iluminando e capacitando.
REFLETINDO SOBRE A GRAÇA DIVINA
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS?
COMO POSSO COMPREENDER A GRAÇA SALVADORA DE DEUS
- Compreendo a graça divina através de alguns atos divinos:
Aspectos e tipos da graça de Deus manifestada ao homem
A graça de Deus é um dos temas predominantes em toda a Bíblia e envolve dois aspectos:
O favor imerecido de Deus, por Ele expresso a todos os pecadores,
e o poder divino que refreia o pecado, atrai os homens a Deus e regenera os crentes.
Citamos três tipos da graça de Deus manifesta aos homens:
1 - Graça por Graça: - Não deve se confundir a graça de Deus como uma
“obrigação divina”. É somente o profundo amor de Deus que o constrange a
providenciar a salvação e até a convencer o homem a aceita-la. (João 1.16).
“ Porque todos nós temos recebido da sua
plenitude e graça sobre graça”.(João 1.16).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS?
2 – Graça Comum: - Devido à sua natureza depravada,o homem é incapaz de, por si
mesmo, procurar agradar a Deus. Por este motivo, Deus tem concedido “graça
comum”. Esta “graça comum” não salva automaticamente o homem, mas revela-
lhe a bondade de Deus. Essa “graça comum” Deus concede aos seres humanos as
estações do ano, o dia, a noite, a própria vida, ou seja, todas as coisas (At17.25b).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS?
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS?
2– Graça Especial:
 A “graça comum” concede a cada homem a capacidade de buscar
a Cristo.
 À medida que o homem responde afirmativamente à graça que o
atrai a Deus, ele é beneficiado por uma “graça especial”, que o
ajuda a chegar cada vez mais perto dEle.
 Entretanto, esclarecemos que esta graça especial não garante a
decisão da parte do homem, quanto à sua comunhão com Deus.
 Graça é amor infinito expressando-se em bondade infinita."
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS?
 “Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os
homens” Tt2.11
 “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de
vós, é dom de Deus (Ef 2.8);
3 – Graça Salvadora.
Está à disposição de “todos os
homens”, mas só é alcançada por
aqueles que creem em Deus, e
aceitam a Cristo Jesus como seu
único e suficiente Salvador. Por
intermédio dela, Deus salva, justifica
e adota o pecador como filho (Jo
1.12).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS?
Enquanto continuar a responder afirmativamente à graça de Deus, o homem será o agente
pelo qual receberá
4 – A Graça Justificadora e regeneradora.
A Graça de Deus é a fonte da justificação do homem (Rm 3.21-26). Uma vez nascida de
novo, a pessoa passa a ser “nova criatura” (2Co 5.17), tomando parte na família de Deus:
“Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos Santos e da
família de Deus” (Ef 2.19).
“ Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos
santos,e sois da família de Deus” (Ef 2.19).
a justificação (Tt 3.7), “ a fim que, justificado por graça, nos tornemos
seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna”.
a regeneração (Jo 3.3), Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade
te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de
Deus.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS?
4. Graça santificadora. A graça de Deus só pode ser eficaz, na vida do
convertido, se ele se dispuser a negar-se a si mesmo para ter uma vida de
santidade. A falta de santificação anula os efeitos da regeneração e da
justificação. Diz a Bíblia: “Segui a paz com todos e a santificação, sem a
qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12.14).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS?
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS.
Quais são os relacionamentos que glorificam a Deus? (Tt 3.1-15).
Esse tópico vamos destacar três relações com as autoridades, com o
próximo e com Deus.
- A vida cristã trata do nosso correto relacionamento com as autoridades,
com o próximo e com Deus, vamos analisar.
2.1 – A RELAÇÃO DO CRISTÃO PARA COM AS AUTORIDADES.(v.1)
Paulo começa o capítulo ordenando que Tito lembre aos cristãos seu
compromisso em relação ao Estado e às autoridades constituídas.
O cristão tem dupla cidadania: é cidadão do céu e Também do mundo. Ele
deve obediência a Deus e também às autoridades constituídas. Duas coisas
são exigidas do cristão em relação às autoridades.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
1 - Em primeiro lugar, submissão (3.1). Aqueles que governam são autoridades
constituídas pelo próprio Deus e devem ser respeitados e obedecidos.
A obediência civil é responsabilidade do cristão. Ele não pode ser anarquista nem agitador
social, uma vez que resistir à autoridade é insurgir-se contra o próprio Deus que a constituiu.
A obediência civil, porém, tem limites.
O Estado não é dono da consciência dos
homens. Sempre que o Estado se torna
absolutista e opressor, invertendo e subvertendo
a ordem, promovendo o mal e coibindo o bem,
os cristãos têm o direito e até o dever de
desobedecer. “Antes, importa obedecer a Deus
do que aos homens” (At 5.29). A autoridade é
constituída por Deus para promover o bem e
coibir o mal (Rm 13.4).
Jesus mandou dar
“a César o que é de César” e “a Deus o
que é de Deus” (Mt 22.21).
II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS. 2.1 – A RELAÇÃO DO CRISTÃO
PARA COM AS AUTORIDADES.(v.1)
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS.
2 - Em segundo lugar, obediência (3.1). A submissão implica
obediência e cumprimento dos deveres. O cristão deve cumprir as leis
e instruções das autoridades civis e pagar seus impostos com
fidelidade (Rm 13.6).
 O cristão deve ser um cidadão exemplar, estando pronto para
toda boa obra.
 Ele não é um problema para a sociedade, mas um benfeitor.
 O cristão deve ser cooperativo nos assuntos que envolvem toda a
comunidade, uma vez que a cidadania celestial (Fp 3.20) não o
isenta de suas responsabilidades como cidadão da terra.
2.1 – A RELAÇÃO DO CRISTÃO
PARA COM AS AUTORIDADES.(v.1)
2.2 - A RELAÇÃO DO CRISTÃO COM SEUS CONCIDADÃOS (seu próximo) (3.2).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS.
O cristão deve relacionar-se positivamente não apenas com as autoridades, mas também com
seus pares, ou seja, com todos os membros da comunidade. Devemos ter relacionamentos
corretos não apenas dentro da igreja, mas também com os não-crentes.
O apóstolo Paulo menciona quatro atitudes que um cristão deve cultivar no trato com
seus concidadãos.
 A difamação é um assassinato moral. É usar a espada da língua para ferir e destruir a
reputação das pessoas.
 O cristão não deve caluniar ninguém. O pecado da língua é um dos mais devastadores na
sociedade.
 A língua é fogo e veneno. Ela mata e destrói. Aqueles que foram alvos da benignidade de
Deus não podem ser instrumentos de maldade para ferir as pessoas.
 Uma das maneiras mais aviltantes de promover a si mesmo é falar mal dos outros.
1º) Não destruir a reputação das pessoas (3.2). A ordem apostólica é enfática: “Não
difamem a ninguém ...”. A palavra grega blasfêmia traduzida por “difamação” traz a ideia de
falar mal com o propósito deferir .
2.2 - A RELAÇÃO DO CRISTÃO COM SEUS CONCIDADÃOS (seu próximo) (3.2).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS.
2º) Não ser contencioso. Contendas nas igrejas geralmente têm resultados muito prejudiciais.
Infelizmente em algumas reuniões, até mesmo de ministros cristãos, vemos pessoas
contendendo umas com as outros, por causa de interesses políticos ou pessoais. Isso não
agrada a Deus (2Tm 2.24).
não destruir o relacionamento com as pessoas
(3.2). O apóstolo continua; “[...] nem sejam
altercadores...”. Altercar é criar confusão,
provocar contendas, envolver-se em
discussões que ferem as pessoas e destroem
os relacionamentos. Devemos pavimentar o
caminho do diálogo em vez de sermos
geradores de conflitos. Aqueles que foram
reconciliados com Deus devem buscar a
reconciliação com as pessoas em vez de serem
altercadores.
2.2 - A RELAÇÃO DO CRISTÃO COM SEUS CONCIDADÃOS (seu próximo) (3.2).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS.
3º) Ser modesto. A modéstia deve ser evidente na vida de homens e mulheres cristãos.
Revela a simplicidade exortada por Jesus, em seu evangelho: “Eis que vos envio como
ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e símplices como as
pombas” (Mt 10.16).
2.2 - A RELAÇÃO DO CRISTÃO COM SEUS CONCIDADÃOS (seu próximo) (3.2).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS.
4º) não cavar abismos, mas construir pontes de contato com as pessoas (3.2).
Paulo prossegue: “[...] mas cordatos...”. O cristão precisa ser uma pessoa
polida. Sua língua deve ser medicina e não espada. Precisamos tratar uns
aos outros com dignidade e respeito. Precisamos viver em paz uns com os
outros.
5º) Mostrar “mansidão para com todos os homens”. Deve ser característica
marcante, do servo de Deus, ser “manso e humilde de coração”, como Jesus
ensinou (Mt 11.29). Além de não ser interessante a contenda, no meio cristão, o
crente precisa ser “manso para com todos, apto para ensinar, sofredor” (2Tm 2.24b).
2.2 - A RELAÇÃO DO CRISTÃO COM SEUS CONCIDADÃOS (seu próximo) (3.2).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS.
Não lutar pelos próprios direitos, mas
entregá-los a Deus (3.2). Paulo conclui:
“[...] dando provas de toda cortesia,
para com todos os homens”. A palavra
grega prauteta usada pelo apóstolo
vem de praus, “manso”. Essa palavra
descreve uma pessoa cujo
temperamento está sempre sob
controle.
 Mansidão é graça.
 Ser manso não é ser frouxo ou ficar impassível diante dos problemas.
 Ser manso não é ser tímido ou covarde.
 Não é manter a paz a qualquer custo .
 Ser manso é não lutar pelos próprios direitos.
 Hans Burki quando afirma que mansidão não é sinal de fraqueza, mas de
verdadeira força.
 Os mansos, e não os violentos, é que tomarão posse da terra.
 Uma pessoa mansa é aquela que entregou seus direitos a Deus.
2.2 - A RELAÇÃO DO CRISTÃO COM SEUS CONCIDADÃOS (seu próximo) (3.2).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS.
2.3 – A LAVAGEM DA RENOVAÇÃO DO ESPIRITO SANTO (V.3).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS.
2.3 – A LAVAGEM DA RENOVAÇÃO DO ESPIRITO SANTO (V.3).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
- A relação de Tito com as pessoas (3.9-15)
Tendo abordado a questão da nossa relação com as autoridades, com o próximo e com
Deus, Paulo agora trata da relação de Tito com as pessoas no contexto das questões
eclesiásticas. Havia várias ordens do apóstolo para Tito.
3.1 – prática das boas(3.14).
 Paulo ainda diz: “Agora, quanto aos nossos, que aprendam também a distinguir-
se nas boas obras a favor dos necessitados, para não se tornarem infrutíferos”.
 A salvação é de graça, mas é demonstrada pelas obras. Recebemos a salvação de
graça, mas a recompensa é recebida pelas obras. Aqueles que foram objetos do
amor de Deus devem agora abrir o coração para os necessitados.
 Aqueles que receberam o derramamento abundante do Espírito devem ser
frutíferos na prática de boas obras.
 E interessante que os cristãos devem trabalhar não apenas para suprir as
próprias necessidades, mas também para ter algo que possam dar aos outros.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
Paulo ensina que devemos evitar os falsos mestres, não nos envolvendo em suas discussões
tolas.
Paulo ensina que devemos evitar os falsos mestres, não nos envolvendo em suas discussões
tolas.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
“ antes, crescei na graça e no
conhecimento de nosso Senhor e
Salvador Jesus Cristo. A Ele seja a glória,
tanto agora como no dia da eternidade”
(2pe 3.18).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015
Tema Geral:
A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais
Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Lição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutíferoLição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Lição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutíferoÉder Tomé
 
Lição 1 - O que é Mordomia Cristã
Lição 1 - O que é Mordomia Cristã Lição 1 - O que é Mordomia Cristã
Lição 1 - O que é Mordomia Cristã Éder Tomé
 
Lição 03 - A Oferta de Manjares
Lição 03 - A Oferta de ManjaresLição 03 - A Oferta de Manjares
Lição 03 - A Oferta de ManjaresÉder Tomé
 
Lição 3 - A Mordomia da Alma e do Espírito
Lição 3 - A Mordomia da Alma e do EspíritoLição 3 - A Mordomia da Alma e do Espírito
Lição 3 - A Mordomia da Alma e do EspíritoÉder Tomé
 
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a SalvaçãoLição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a SalvaçãoÉder Tomé
 
Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na Verdade
Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na VerdadeLição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na Verdade
Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na VerdadeÉder Tomé
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósÉder Tomé
 
Lição 2 - O sacrifício da expiação
Lição 2 - O sacrifício da expiaçãoLição 2 - O sacrifício da expiação
Lição 2 - O sacrifício da expiaçãoÉder Tomé
 
EBD Jovens - Aula 07 - A graça de Deus
EBD Jovens - Aula 07 - A graça de DeusEBD Jovens - Aula 07 - A graça de Deus
EBD Jovens - Aula 07 - A graça de Deusfa.sodre
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoÉder Tomé
 
Lição 14 - A bem-aventurada esperança da Igreja
Lição 14 - A bem-aventurada esperança da IgrejaLição 14 - A bem-aventurada esperança da Igreja
Lição 14 - A bem-aventurada esperança da IgrejaÉder Tomé
 
Lição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Lição 3 - Vivendo em Santidade e IntegridadeLição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Lição 3 - Vivendo em Santidade e IntegridadeÉder Tomé
 
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águasLição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águasÉder Tomé
 
Lição 13 – Orando sem Cessar
Lição 13 – Orando sem CessarLição 13 – Orando sem Cessar
Lição 13 – Orando sem CessarÉder Tomé
 
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do SenhorLição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do SenhorÉder Tomé
 
Lição 11 - A Mordomia das Obras de Misericórdia
Lição 11 - A Mordomia das Obras de MisericórdiaLição 11 - A Mordomia das Obras de Misericórdia
Lição 11 - A Mordomia das Obras de MisericórdiaÉder Tomé
 
Lição 2 - Uma Salvação Grandiosa
Lição 2 - Uma Salvação GrandiosaLição 2 - Uma Salvação Grandiosa
Lição 2 - Uma Salvação GrandiosaÉder Tomé
 
Lição 6 – Quem Domina a sua Mente
Lição 6 – Quem Domina a sua MenteLição 6 – Quem Domina a sua Mente
Lição 6 – Quem Domina a sua MenteÉder Tomé
 
A Doutrina da Salvação - A Conversão
A Doutrina da Salvação - A ConversãoA Doutrina da Salvação - A Conversão
A Doutrina da Salvação - A ConversãoJonathan Anderson
 

Mais procurados (20)

Lição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Lição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutíferoLição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Lição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
 
Lição 1 - O que é Mordomia Cristã
Lição 1 - O que é Mordomia Cristã Lição 1 - O que é Mordomia Cristã
Lição 1 - O que é Mordomia Cristã
 
Lição 03 - A Oferta de Manjares
Lição 03 - A Oferta de ManjaresLição 03 - A Oferta de Manjares
Lição 03 - A Oferta de Manjares
 
Lição 3 - A Mordomia da Alma e do Espírito
Lição 3 - A Mordomia da Alma e do EspíritoLição 3 - A Mordomia da Alma e do Espírito
Lição 3 - A Mordomia da Alma e do Espírito
 
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a SalvaçãoLição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
 
Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na Verdade
Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na VerdadeLição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na Verdade
Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na Verdade
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
 
Lição 2 - O sacrifício da expiação
Lição 2 - O sacrifício da expiaçãoLição 2 - O sacrifício da expiação
Lição 2 - O sacrifício da expiação
 
EBD Jovens - Aula 07 - A graça de Deus
EBD Jovens - Aula 07 - A graça de DeusEBD Jovens - Aula 07 - A graça de Deus
EBD Jovens - Aula 07 - A graça de Deus
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
 
Lição 14 - A bem-aventurada esperança da Igreja
Lição 14 - A bem-aventurada esperança da IgrejaLição 14 - A bem-aventurada esperança da Igreja
Lição 14 - A bem-aventurada esperança da Igreja
 
Lição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Lição 3 - Vivendo em Santidade e IntegridadeLição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Lição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
 
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águasLição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
 
Lição 13 – Orando sem Cessar
Lição 13 – Orando sem CessarLição 13 – Orando sem Cessar
Lição 13 – Orando sem Cessar
 
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do SenhorLição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
 
Lição 11 - A Mordomia das Obras de Misericórdia
Lição 11 - A Mordomia das Obras de MisericórdiaLição 11 - A Mordomia das Obras de Misericórdia
Lição 11 - A Mordomia das Obras de Misericórdia
 
Lição 2 - Uma Salvação Grandiosa
Lição 2 - Uma Salvação GrandiosaLição 2 - Uma Salvação Grandiosa
Lição 2 - Uma Salvação Grandiosa
 
Lição 6 – Quem Domina a sua Mente
Lição 6 – Quem Domina a sua MenteLição 6 – Quem Domina a sua Mente
Lição 6 – Quem Domina a sua Mente
 
A Doutrina da Salvação - A Conversão
A Doutrina da Salvação - A ConversãoA Doutrina da Salvação - A Conversão
A Doutrina da Salvação - A Conversão
 
A vida do novo convertido
A vida do novo convertidoA vida do novo convertido
A vida do novo convertido
 

Semelhante a A manifestação da graça da salvação

Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deusLição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deusErberson Pinheiro
 
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de DeusSlide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de DeusÉder Tomé
 
Lição 13 - A manifestação da graça da salvação
Lição 13 - A manifestação da graça da salvaçãoLição 13 - A manifestação da graça da salvação
Lição 13 - A manifestação da graça da salvaçãoRegio Davis
 
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSLIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSIsmael Isidio
 
A Manifestação da Graça da Salvação
A Manifestação da Graça da SalvaçãoA Manifestação da Graça da Salvação
A Manifestação da Graça da SalvaçãoWander Sousa
 
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos OliveiraA Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos OliveiraLuis Carlos Oliveira
 
Lição 07 - A Salvação pela Graça
Lição 07 - A Salvação pela GraçaLição 07 - A Salvação pela Graça
Lição 07 - A Salvação pela GraçaÉder Tomé
 
Lição 13 - A multiforme Sabedoria de Deus
Lição 13 - A multiforme Sabedoria de DeusLição 13 - A multiforme Sabedoria de Deus
Lição 13 - A multiforme Sabedoria de DeusLourinaldo Serafim
 
Lição 13 a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
Lição 13    a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015Lição 13    a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
Lição 13 a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015Andrew Guimarães
 
Juvenis lição 08 - 3º trimestre 2015
Juvenis   lição 08 - 3º trimestre 2015Juvenis   lição 08 - 3º trimestre 2015
Juvenis lição 08 - 3º trimestre 2015Joel Oliveira
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 08
3º trimestre 2015 juvenis lição 083º trimestre 2015 juvenis lição 08
3º trimestre 2015 juvenis lição 08Joel Silva
 
Curso de Batismo e Novos Membros.pdf
Curso de Batismo e Novos Membros.pdfCurso de Batismo e Novos Membros.pdf
Curso de Batismo e Novos Membros.pdfDivinoHenriqueSantan
 
Curso de Batismo e Novos Membros.pdf
Curso de Batismo e Novos Membros.pdfCurso de Batismo e Novos Membros.pdf
Curso de Batismo e Novos Membros.pdfJooAlbertoSoaresdaSi
 
A manifestação da Graça da Salvação
A manifestação da Graça da SalvaçãoA manifestação da Graça da Salvação
A manifestação da Graça da SalvaçãoAilton da Silva
 
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?Jonas Martins Olímpio
 

Semelhante a A manifestação da graça da salvação (20)

Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deusLição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
Lição 3 - A maravilhosa e inefável graça de deus
 
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de DeusSlide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
 
Lição 13 - A manifestação da graça da salvação
Lição 13 - A manifestação da graça da salvaçãoLição 13 - A manifestação da graça da salvação
Lição 13 - A manifestação da graça da salvação
 
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUSLIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
LIÇÃO 13 – A MULTIFORME SABEDORIA DE DEUS
 
A Manifestação da Graça da Salvação
A Manifestação da Graça da SalvaçãoA Manifestação da Graça da Salvação
A Manifestação da Graça da Salvação
 
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos OliveiraA Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
 
Boletim 2 jun 2013
Boletim 2 jun 2013Boletim 2 jun 2013
Boletim 2 jun 2013
 
Lição 07 - A Salvação pela Graça
Lição 07 - A Salvação pela GraçaLição 07 - A Salvação pela Graça
Lição 07 - A Salvação pela Graça
 
Lição 13 - A multiforme Sabedoria de Deus
Lição 13 - A multiforme Sabedoria de DeusLição 13 - A multiforme Sabedoria de Deus
Lição 13 - A multiforme Sabedoria de Deus
 
Lição 13 a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
Lição 13    a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015Lição 13    a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
Lição 13 a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
 
Juvenis lição 08 - 3º trimestre 2015
Juvenis   lição 08 - 3º trimestre 2015Juvenis   lição 08 - 3º trimestre 2015
Juvenis lição 08 - 3º trimestre 2015
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 08
3º trimestre 2015 juvenis lição 083º trimestre 2015 juvenis lição 08
3º trimestre 2015 juvenis lição 08
 
Curso de Batismo e Novos Membros.pdf
Curso de Batismo e Novos Membros.pdfCurso de Batismo e Novos Membros.pdf
Curso de Batismo e Novos Membros.pdf
 
Curso de Batismo e Novos Membros.pdf
Curso de Batismo e Novos Membros.pdfCurso de Batismo e Novos Membros.pdf
Curso de Batismo e Novos Membros.pdf
 
curso-de-batismo-pdf-free.pdf
curso-de-batismo-pdf-free.pdfcurso-de-batismo-pdf-free.pdf
curso-de-batismo-pdf-free.pdf
 
A manifestação da Graça da Salvação
A manifestação da Graça da SalvaçãoA manifestação da Graça da Salvação
A manifestação da Graça da Salvação
 
Pré revisão
Pré revisãoPré revisão
Pré revisão
 
Os meios da graça
Os meios da graçaOs meios da graça
Os meios da graça
 
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
 
Santidade
SantidadeSantidade
Santidade
 

Mais de Antonio Filho

Por que crer na bíblia(01)
Por que crer na bíblia(01)Por que crer na bíblia(01)
Por que crer na bíblia(01)Antonio Filho
 
A realidade do inferno.
A realidade do inferno.A realidade do inferno.
A realidade do inferno.Antonio Filho
 
Exposições bíblicas e temáticas
Exposições bíblicas e temáticasExposições bíblicas e temáticas
Exposições bíblicas e temáticasAntonio Filho
 
A importância de conhecer a deus.
A importância de conhecer a deus.A importância de conhecer a deus.
A importância de conhecer a deus.Antonio Filho
 
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”Antonio Filho
 
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017Antonio Filho
 
Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017Antonio Filho
 
Aula( a segunda vinda de cristo)2017
Aula( a segunda vinda de cristo)2017Aula( a segunda vinda de cristo)2017
Aula( a segunda vinda de cristo)2017Antonio Filho
 
Princípios para vida
Princípios para vidaPrincípios para vida
Princípios para vidaAntonio Filho
 
A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)Antonio Filho
 
A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)Antonio Filho
 
Inferno – destino eterno dos ímpios
Inferno – destino eterno dos ímpiosInferno – destino eterno dos ímpios
Inferno – destino eterno dos ímpiosAntonio Filho
 
Lição 07 (ebd)2017
Lição 07 (ebd)2017Lição 07 (ebd)2017
Lição 07 (ebd)2017Antonio Filho
 
Aula(sistema de numeração) 6º ano
Aula(sistema de numeração) 6º anoAula(sistema de numeração) 6º ano
Aula(sistema de numeração) 6º anoAntonio Filho
 
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)Antonio Filho
 
Para que serve a religião
Para que serve a religiãoPara que serve a religião
Para que serve a religiãoAntonio Filho
 
O verdadeiro sentido da páscoa (2)
O verdadeiro sentido da páscoa (2)O verdadeiro sentido da páscoa (2)
O verdadeiro sentido da páscoa (2)Antonio Filho
 
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)Antonio Filho
 

Mais de Antonio Filho (20)

Por que crer na bíblia(01)
Por que crer na bíblia(01)Por que crer na bíblia(01)
Por que crer na bíblia(01)
 
A realidade do inferno.
A realidade do inferno.A realidade do inferno.
A realidade do inferno.
 
Exposições bíblicas e temáticas
Exposições bíblicas e temáticasExposições bíblicas e temáticas
Exposições bíblicas e temáticas
 
A importância de conhecer a deus.
A importância de conhecer a deus.A importância de conhecer a deus.
A importância de conhecer a deus.
 
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
 
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
 
Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017
 
Aula( a segunda vinda de cristo)2017
Aula( a segunda vinda de cristo)2017Aula( a segunda vinda de cristo)2017
Aula( a segunda vinda de cristo)2017
 
Princípios para vida
Princípios para vidaPrincípios para vida
Princípios para vida
 
Cultivar virtudes
Cultivar virtudesCultivar virtudes
Cultivar virtudes
 
A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)
 
A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)
 
Inferno – destino eterno dos ímpios
Inferno – destino eterno dos ímpiosInferno – destino eterno dos ímpios
Inferno – destino eterno dos ímpios
 
A igreja de cristo
A igreja de cristoA igreja de cristo
A igreja de cristo
 
Lição 07 (ebd)2017
Lição 07 (ebd)2017Lição 07 (ebd)2017
Lição 07 (ebd)2017
 
Aula(sistema de numeração) 6º ano
Aula(sistema de numeração) 6º anoAula(sistema de numeração) 6º ano
Aula(sistema de numeração) 6º ano
 
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
 
Para que serve a religião
Para que serve a religiãoPara que serve a religião
Para que serve a religião
 
O verdadeiro sentido da páscoa (2)
O verdadeiro sentido da páscoa (2)O verdadeiro sentido da páscoa (2)
O verdadeiro sentido da páscoa (2)
 
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxMartin M Flynn
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docCarolineWaitman
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 

Último (20)

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 

A manifestação da graça da salvação

  • 1. ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO As Ordenanças de Cristo nas Cartas Pastorais. Texto básico: (Tt 2.11-14;Tt 3.4-6). Profº Pb: Antônio Soares Lição: 13 – A Manifestação da Graça Salvadora
  • 2. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). Tt 2.11-14; 3.1.4 -6 Tito 2 11 — Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens, 12 — ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, justa e piamente, 13 — aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo, 14 — o qual se deu a si mesmo por nós, para nos remir de toda iniquidade e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras.
  • 3. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). Tt 2.11-14; 3.1.4 -6 Tito 3 4 — Mas, quando apareceu a benignidade e o amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens, 5 — não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas, segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, 6 — que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo, nosso Salvador.
  • 4. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). Resumo do Trimestre - 2015
  • 5. “ Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens." (1 Tt 2.11) (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
  • 6. A graça de Deus emanou do seu coração amoroso para salvar o homem perdido, por meio do sacrifício vicário de Cristo Jesus. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).
  • 7. Introdução (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).  Nesta última lição do trimestre estudaremos a respeito da graça divina.  A graça de Deus é a mais extraordinária manifestação do seu amor para com a humanidade. Mas esta só pode usufruir os benefícios desse recurso divino, se reconhecer o seu estado miserável, em termos espirituais, e converter-se mediante a aceitação de Cristo como Salvador. PONTO CENTRAL “A graça de Deus alcançou-nos por intermédio do sacrifício vicário de Jesus”.
  • 8. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). REFLETINDO SOBRE A GRAÇA DIVINA  Vamos estudar a epifania(manifestação)significa a visível aparição de alguma coisa ou de alguém que estava invisível. (da graça de Deus).  No original, graça é charis, donde, “carismático” (no sentido exato), “caridade”, “agradável”, “atraente”, agradecer”, gratidão”  A graça de Deus é, primeiramente um favor, ou a disposição bondosa, generosa da parte de Deus.  A salvação é sempre apresentada como dom, um favor não merecido, impossível de ser recompensado; é um benefício legítimo de Deus. (Rom. 6:23).  A graça é a benevolência de Deus com o homem, absolutamente independente da questão de merecer ou não merecer.  "Graça não é tratar a pessoa como merece, nem tratá-la melhor do que merece", escreveu L. S. Chafer. "E tratá-la graciosamente sem a mínima referência aos seus méritos.  Graça é amor infinito expressando-se em bondade infinita." “Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens” Tito 2.11 “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus” (Ef 2.8);
  • 9. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).  A graça sempre existiu. Deus sempre foi gracioso. E em cristo essa graça despontou majestosamente como o romper da alva.  A graça de Deus brilhou como sol sobre aqueles que viviam nas regiões da sombra da morte. Essa graça se manifestou quando Jesus nasceu numa estrebaria, cresceu num a carpintaria e morreu numa cruz.  Essa graça brilhou quando de seus lábios se ouviam palavras de vida eterna.  A graça resplandeceu quando o Filho de Deus entregou sua vida na cruz e a reassumiu na gloriosa manhã da ressurreição.  A graça se manifestou para resgatar o homem do seu maior mal e oferecer a ele o maior bem. REFLETINDO SOBRE A GRAÇA DIVINA
  • 10. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).  A graça é o favor superabundante de Deus pelos pecadores indignos.  Onde abundou o pecado, superabundou a graça.  Somos salvos pela graça. Vivemos pela graça.  Dependemos da graça. Nada somos sem a graça. Tudo é pela graça.  Para Wesley (e consequentemente muitos arminianos) a graça proveniente é a obra do Espírito Santo no coração de todas as pessoas, o que lhes dá liberdade para aceitar o evangelho; dessa maneira, a graça pode ser aceita ou rejeitada.  Deus atua pela graciosamente pela graça, chamando-o, convencendo, iluminando e capacitando. REFLETINDO SOBRE A GRAÇA DIVINA
  • 11. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS? COMO POSSO COMPREENDER A GRAÇA SALVADORA DE DEUS - Compreendo a graça divina através de alguns atos divinos: Aspectos e tipos da graça de Deus manifestada ao homem A graça de Deus é um dos temas predominantes em toda a Bíblia e envolve dois aspectos: O favor imerecido de Deus, por Ele expresso a todos os pecadores, e o poder divino que refreia o pecado, atrai os homens a Deus e regenera os crentes. Citamos três tipos da graça de Deus manifesta aos homens: 1 - Graça por Graça: - Não deve se confundir a graça de Deus como uma “obrigação divina”. É somente o profundo amor de Deus que o constrange a providenciar a salvação e até a convencer o homem a aceita-la. (João 1.16). “ Porque todos nós temos recebido da sua plenitude e graça sobre graça”.(João 1.16).
  • 12. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS? 2 – Graça Comum: - Devido à sua natureza depravada,o homem é incapaz de, por si mesmo, procurar agradar a Deus. Por este motivo, Deus tem concedido “graça comum”. Esta “graça comum” não salva automaticamente o homem, mas revela- lhe a bondade de Deus. Essa “graça comum” Deus concede aos seres humanos as estações do ano, o dia, a noite, a própria vida, ou seja, todas as coisas (At17.25b).
  • 13. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS?
  • 14. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS? 2– Graça Especial:  A “graça comum” concede a cada homem a capacidade de buscar a Cristo.  À medida que o homem responde afirmativamente à graça que o atrai a Deus, ele é beneficiado por uma “graça especial”, que o ajuda a chegar cada vez mais perto dEle.  Entretanto, esclarecemos que esta graça especial não garante a decisão da parte do homem, quanto à sua comunhão com Deus.  Graça é amor infinito expressando-se em bondade infinita."
  • 15. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS?  “Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens” Tt2.11  “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus (Ef 2.8); 3 – Graça Salvadora. Está à disposição de “todos os homens”, mas só é alcançada por aqueles que creem em Deus, e aceitam a Cristo Jesus como seu único e suficiente Salvador. Por intermédio dela, Deus salva, justifica e adota o pecador como filho (Jo 1.12).
  • 16. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS? Enquanto continuar a responder afirmativamente à graça de Deus, o homem será o agente pelo qual receberá 4 – A Graça Justificadora e regeneradora. A Graça de Deus é a fonte da justificação do homem (Rm 3.21-26). Uma vez nascida de novo, a pessoa passa a ser “nova criatura” (2Co 5.17), tomando parte na família de Deus: “Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos Santos e da família de Deus” (Ef 2.19). “ Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos,e sois da família de Deus” (Ef 2.19). a justificação (Tt 3.7), “ a fim que, justificado por graça, nos tornemos seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna”. a regeneração (Jo 3.3), Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.
  • 17. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS? 4. Graça santificadora. A graça de Deus só pode ser eficaz, na vida do convertido, se ele se dispuser a negar-se a si mesmo para ter uma vida de santidade. A falta de santificação anula os efeitos da regeneração e da justificação. Diz a Bíblia: “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12.14).
  • 18. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). I – QUAIS SÃO AS MANIFESTAÇÕES DA GRAÇA DE DEUS?
  • 19. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS. Quais são os relacionamentos que glorificam a Deus? (Tt 3.1-15). Esse tópico vamos destacar três relações com as autoridades, com o próximo e com Deus. - A vida cristã trata do nosso correto relacionamento com as autoridades, com o próximo e com Deus, vamos analisar. 2.1 – A RELAÇÃO DO CRISTÃO PARA COM AS AUTORIDADES.(v.1) Paulo começa o capítulo ordenando que Tito lembre aos cristãos seu compromisso em relação ao Estado e às autoridades constituídas. O cristão tem dupla cidadania: é cidadão do céu e Também do mundo. Ele deve obediência a Deus e também às autoridades constituídas. Duas coisas são exigidas do cristão em relação às autoridades.
  • 20. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). 1 - Em primeiro lugar, submissão (3.1). Aqueles que governam são autoridades constituídas pelo próprio Deus e devem ser respeitados e obedecidos. A obediência civil é responsabilidade do cristão. Ele não pode ser anarquista nem agitador social, uma vez que resistir à autoridade é insurgir-se contra o próprio Deus que a constituiu. A obediência civil, porém, tem limites. O Estado não é dono da consciência dos homens. Sempre que o Estado se torna absolutista e opressor, invertendo e subvertendo a ordem, promovendo o mal e coibindo o bem, os cristãos têm o direito e até o dever de desobedecer. “Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens” (At 5.29). A autoridade é constituída por Deus para promover o bem e coibir o mal (Rm 13.4). Jesus mandou dar “a César o que é de César” e “a Deus o que é de Deus” (Mt 22.21). II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS. 2.1 – A RELAÇÃO DO CRISTÃO PARA COM AS AUTORIDADES.(v.1)
  • 21. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS. 2 - Em segundo lugar, obediência (3.1). A submissão implica obediência e cumprimento dos deveres. O cristão deve cumprir as leis e instruções das autoridades civis e pagar seus impostos com fidelidade (Rm 13.6).  O cristão deve ser um cidadão exemplar, estando pronto para toda boa obra.  Ele não é um problema para a sociedade, mas um benfeitor.  O cristão deve ser cooperativo nos assuntos que envolvem toda a comunidade, uma vez que a cidadania celestial (Fp 3.20) não o isenta de suas responsabilidades como cidadão da terra. 2.1 – A RELAÇÃO DO CRISTÃO PARA COM AS AUTORIDADES.(v.1)
  • 22. 2.2 - A RELAÇÃO DO CRISTÃO COM SEUS CONCIDADÃOS (seu próximo) (3.2). (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS. O cristão deve relacionar-se positivamente não apenas com as autoridades, mas também com seus pares, ou seja, com todos os membros da comunidade. Devemos ter relacionamentos corretos não apenas dentro da igreja, mas também com os não-crentes. O apóstolo Paulo menciona quatro atitudes que um cristão deve cultivar no trato com seus concidadãos.  A difamação é um assassinato moral. É usar a espada da língua para ferir e destruir a reputação das pessoas.  O cristão não deve caluniar ninguém. O pecado da língua é um dos mais devastadores na sociedade.  A língua é fogo e veneno. Ela mata e destrói. Aqueles que foram alvos da benignidade de Deus não podem ser instrumentos de maldade para ferir as pessoas.  Uma das maneiras mais aviltantes de promover a si mesmo é falar mal dos outros. 1º) Não destruir a reputação das pessoas (3.2). A ordem apostólica é enfática: “Não difamem a ninguém ...”. A palavra grega blasfêmia traduzida por “difamação” traz a ideia de falar mal com o propósito deferir .
  • 23. 2.2 - A RELAÇÃO DO CRISTÃO COM SEUS CONCIDADÃOS (seu próximo) (3.2). (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS. 2º) Não ser contencioso. Contendas nas igrejas geralmente têm resultados muito prejudiciais. Infelizmente em algumas reuniões, até mesmo de ministros cristãos, vemos pessoas contendendo umas com as outros, por causa de interesses políticos ou pessoais. Isso não agrada a Deus (2Tm 2.24). não destruir o relacionamento com as pessoas (3.2). O apóstolo continua; “[...] nem sejam altercadores...”. Altercar é criar confusão, provocar contendas, envolver-se em discussões que ferem as pessoas e destroem os relacionamentos. Devemos pavimentar o caminho do diálogo em vez de sermos geradores de conflitos. Aqueles que foram reconciliados com Deus devem buscar a reconciliação com as pessoas em vez de serem altercadores.
  • 24. 2.2 - A RELAÇÃO DO CRISTÃO COM SEUS CONCIDADÃOS (seu próximo) (3.2). (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS. 3º) Ser modesto. A modéstia deve ser evidente na vida de homens e mulheres cristãos. Revela a simplicidade exortada por Jesus, em seu evangelho: “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e símplices como as pombas” (Mt 10.16).
  • 25. 2.2 - A RELAÇÃO DO CRISTÃO COM SEUS CONCIDADÃOS (seu próximo) (3.2). (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS. 4º) não cavar abismos, mas construir pontes de contato com as pessoas (3.2). Paulo prossegue: “[...] mas cordatos...”. O cristão precisa ser uma pessoa polida. Sua língua deve ser medicina e não espada. Precisamos tratar uns aos outros com dignidade e respeito. Precisamos viver em paz uns com os outros.
  • 26. 5º) Mostrar “mansidão para com todos os homens”. Deve ser característica marcante, do servo de Deus, ser “manso e humilde de coração”, como Jesus ensinou (Mt 11.29). Além de não ser interessante a contenda, no meio cristão, o crente precisa ser “manso para com todos, apto para ensinar, sofredor” (2Tm 2.24b). 2.2 - A RELAÇÃO DO CRISTÃO COM SEUS CONCIDADÃOS (seu próximo) (3.2). (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS. Não lutar pelos próprios direitos, mas entregá-los a Deus (3.2). Paulo conclui: “[...] dando provas de toda cortesia, para com todos os homens”. A palavra grega prauteta usada pelo apóstolo vem de praus, “manso”. Essa palavra descreve uma pessoa cujo temperamento está sempre sob controle.
  • 27.  Mansidão é graça.  Ser manso não é ser frouxo ou ficar impassível diante dos problemas.  Ser manso não é ser tímido ou covarde.  Não é manter a paz a qualquer custo .  Ser manso é não lutar pelos próprios direitos.  Hans Burki quando afirma que mansidão não é sinal de fraqueza, mas de verdadeira força.  Os mansos, e não os violentos, é que tomarão posse da terra.  Uma pessoa mansa é aquela que entregou seus direitos a Deus. 2.2 - A RELAÇÃO DO CRISTÃO COM SEUS CONCIDADÃOS (seu próximo) (3.2). (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS.
  • 28. 2.3 – A LAVAGEM DA RENOVAÇÃO DO ESPIRITO SANTO (V.3). (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS.
  • 29. 2.3 – A LAVAGEM DA RENOVAÇÃO DO ESPIRITO SANTO (V.3). (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). II – A CONDUTA DO SALVO EM JESUS.
  • 30. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES - A relação de Tito com as pessoas (3.9-15) Tendo abordado a questão da nossa relação com as autoridades, com o próximo e com Deus, Paulo agora trata da relação de Tito com as pessoas no contexto das questões eclesiásticas. Havia várias ordens do apóstolo para Tito. 3.1 – prática das boas(3.14).  Paulo ainda diz: “Agora, quanto aos nossos, que aprendam também a distinguir- se nas boas obras a favor dos necessitados, para não se tornarem infrutíferos”.  A salvação é de graça, mas é demonstrada pelas obras. Recebemos a salvação de graça, mas a recompensa é recebida pelas obras. Aqueles que foram objetos do amor de Deus devem agora abrir o coração para os necessitados.  Aqueles que receberam o derramamento abundante do Espírito devem ser frutíferos na prática de boas obras.  E interessante que os cristãos devem trabalhar não apenas para suprir as próprias necessidades, mas também para ter algo que possam dar aos outros.
  • 31. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
  • 32. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
  • 33. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
  • 34. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES Paulo ensina que devemos evitar os falsos mestres, não nos envolvendo em suas discussões tolas.
  • 35. Paulo ensina que devemos evitar os falsos mestres, não nos envolvendo em suas discussões tolas. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
  • 36. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
  • 37. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). III – AS BOAS OBRAS E O TRATO COM OS HEREGES
  • 38. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora). “ antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A Ele seja a glória, tanto agora como no dia da eternidade” (2pe 3.18).
  • 39. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2015 Tema Geral: A IGREJA E O SEU TESTEMUNHO- As ordenanças de Cristo nas cartas Pastorais Lição: 13 (A Manifestação da Graça Salvadora).