SlideShare uma empresa Scribd logo
Quando um nome ou uma
ideia é representado
visualmente sob
determinada forma,
pode-se dizer que ele tem
uma identidade visual
E, quando uma empresa apresenta
uma mesma imagem em seus
impressos, uniformes e/ou veículos
ela tem uma identidade visual, que
também pode ser chamada de
“IDENTIDADE EMPRESARIAL” ou
corporativa
Identidade Visual é a
forma como uma
empresa (ou um
produto) é
representado
graficamente,
identificando-se e
diferenciando-se dos
concorrentes com
identidade própria e
distinta, concisa com
seu perfil e mercado
Nos negócios vencedores, as marcas vêm se revelando
como um grande patrimônio, capaz de transferir valores
ao que é oferecido ao público e, dessa forma, a sua
IDENTIDADE EMPRESARIAL é de grande importância
Sendo assim pode-se definir a identidade visual de
uma marca como um conjunto de elementos
gráficos que irão formalizar a personalidade visual
de um nome, ideia, produto ou serviço
Principais Componentes de Uma Marca
1. Logotipo: É a particularização da escrita de um nome.
Sempre que vemos um nome representado por um
mesmo tipo de letras (especialmente criado, ou não),
isso é um logotipo. Ou seja, trata-se do nome da empresa
(ou do produto) escrito de forma única e exclusiva
Classificação dos
Logotipos
Fonte Já Existente: a
partir de uma fonte já
criada, é escrito o nome
da empresa ou produto
Fonte Já Existente Modificada: a fonte escolhida é
modificada para se assemelhar mais com a empresa
e símbolo se houver, sendo assim a representação
exclusiva do nome da empresa ou produto
Fonte Desenhada:
fonte fantasia,
desenho exclusivo
do logotipo, sem
referência em
outras fontes
2. Símbolo: É um sinal gráfico, desenho que,
com o uso, passa a identificar um nome, uma
ideia, um produto ou um serviço. Porém, nem
todas as marcas apresentam um símbolo
Classificação
dos Símbolos
Abstratos: Não
apresentam formas
representativas de
signos e símbolos. Não
identifica qualquer
figura, podendo
representar qualquer
segmento. Exemplo:
NIKE
Figurativos: Identifica figura
conhecida que se dividem em: (a)
Ilustrativo: desenho ou fotografia com
detalhes. Exemplo: Quaker
(b) Pictogramas: síntese gráfica do
desenho, redução de detalhes do
desenho; (c) Monogramas: composição
com as iniciais (ou sigla) da empresa ou
do produto
OBSERVAÇÃO:
Existem também
as “Marcas
Compostas” que
são a junção do
Símbolo com o
Logotipo.
Exemplo: ADIDAS
3. Cor: Faz parte do nosso mundo e das nossas vidas.
Todos os dias estamos em contato com as cores e, ao
escolhermos roupas para vestir, tentamos combinar
as meias com o terno, a saia com a blusa, a fivela do
cabelo com a roupa, a camiseta com o jeans, etc.
Podemos Estudar as Cores Sob 2 Aspectos:
1. COR-LUZ: A cor é uma sensação provocada pela luz
sobre o órgão da visão; isto é, sobre nossos olhos. A cor-
luz pode ser observada através dos raios luminosos. Cor-
luz é a própria luz que pode se decompor em muitas
cores, onde a luz branca contém todas as cores
Isaac Newton fez
descobertas sobre a luz e
as cores, relatando as
experiências que constam
nos estudos da Física. Ele
partiu da observação do
arco-íris, quando
"reproduziu" um arco-íris
dentro de sua casa. Com
prismas e lentes ele fez
incidir a luz do sol e
separou as cores para
estudá-las
A faixa colorida que
obteve ao separar
as cores é chamada
de "espectro solar".
Mas nem todas as
cores podem ser
vistas por nós. O
infravermelho e o
ultravioleta, por
exemplo, não são
cores visíveis no
arco-íris
As cores podem ser somadas e, assim,
surgem novas cores. Três cores visíveis do
espectro são chamadas de “primárias” (o
vermelho alaranjado, o verde e o azul
violeta)
Misturando essas 3 cores em
proporções e intensidades
variadas podemos obter todas
as outras, mesmo as que não
estão no espectro solar como os
tons de marrons, por exemplo
2. COR-PIGMENTO: Pigmento
é o que dá cor a tudo o que é
material. Os índios brasileiros
usam semente de urucum para
colorir o corpo, cabelos e
outros artefatos de vermelho,
do jenipapo, que é um fruto,
extraem o azul e também usam
carvão e terra para pintar de
preto, branco e amarelo
Assim como as crianças, os
homens primitivos descobriam
as cores pela experiência, pois
encontramos seus registros
nas paredes das cavernas.
Essas pinturas rupestres eram
feitas com os mais variados
tipos de pigmentos naturais:
plantas, terra, carvão, e até o
sangue dos animais que
caçavam
Com o tempo percebeu-se que podia extrair os pigmentos da
natureza e utilizá-los em forma de tinta misturando com resina
das árvores, com a clara e a gema de ovos e diferentes tipos
de óleo para conservar, transportar e fixar as cores
As técnicas de
pintura se
desenvolveram e a
tecnologia criou os
pigmentos
sintéticos. Cores
"artificiais", feitas
em laboratório, mas
tão intensas e belas
como as cores
naturais que tentam
imitar
Seguindo NEWTON, podemos classificar as cores
pigmento inversamente à cor-luz, pois é assim que
nossos olhos podem ver, perceber e misturar as tintas
Note que, ao misturarmos o vermelho
magenta com o amarelo limão temos
o vermelho alaranjado, o azul ciano
com o amarelo limão, temos o verde e
o azul ciano com o vermelho magenta,
temos o azul violeta
Misturando as 3
em proporções
iguais temos o
preto cromático
Cian, magenta,
yellow e black
(ou CMYK)
O sistema CMYK é usado
nas gráficas para impressão
por fotolitos nos jornais,
revistas, livros, cartões e
tudo o que é impresso, pois
a impressão é obtida por
pintura de superfície, assim
como a impressora do
microcomputador, que tem
os 3 cartuchos de tinta com
as cores pigmento primárias
e outro cartucho preto
CORES PRIMÁRIAS: As cores pigmento primárias
também são chamadas de cores puras, pois não
se formam pela mistura de outras cores, mas é a
partir delas que todas as cores são formadas
Para aprender mais sobre as cores
experimente misturá-las no computador que
trabalha com tonalidades exatas. Mas, as
cores que você vai ver no monitor podem ser
diferentes das cores após a impressão
CORES SECUNDÁRIAS: Conseguimos obtê-las pela
combinação das primárias, duas a duas em
proporções iguais. Ou seja, a combinação de
Amarelo e Ciano resulta em Verde; a combinação de
Amarelo e Magenta resulta em Vermelho; já a
combinação de Ciano com Magenta resulta em Azul
CORES TERCIÁRIAS: São a mistura de secundárias
com primárias, terciárias com primárias e
secundárias onde dominará todas as outras cores.
As cores Primárias são Amarelo, Vermelho, Magenta,
Azul-Violeta, Ciano e Verde. Já as cores Terciárias
são Laranja, Vermelho-Violeta, Azul, Vermelho-
Violeta, Verde-Azulado e Amarelo-Esverdeado
CORES QUENTES: Tendem
para o amarelo, e suas
matizes com os alaranjados
e avermelhados. Estimulam
a circulação do observador,
causando um ligeiro
aumento na temperatura do
corpo. O amarelo é uma cor
alegre, é a cor do verão; o
vermelho é o sangue, é vida
CORES FRIAS: Tendem para o azul, e as matizes
entre o verde, azul e violeta. Ao contrário das cores
quentes, diminuem a circulação do observador,
causando uma ligeira queda na temperatura do corpo.
O azul é a calma, a harmonia, a paz, mas também a
tristeza e melancolia
Sensações às Cores A cor exerce papel importante no psicológico de cada um.
As cores são usadas para estimular, acalmar, afirmar,
negar, decidir, curar e, no caso da propaganda, vender
Branco - paz, pureza,
batismo, casamento,
hospital, neve, frio,
palidez, vulnerabilidade,
dignidade, divindade,
harmonia, inocência, etc.
Preto - noite, sujeira, carvão, enterro, medo, morte, maldição,
pessimismo, negação, tristeza, opressão e dor. Pode ser
contraditório, mas na publicidade, está associado à nobreza e
seriedade. Isto é um pouco característico das cores escuras
Cinza - pó,
máquinas, neblina,
chuva, tédio,
tristeza, frieza,
sabedoria,
sobriedade,
seriedade, etc. O
bom do cinza é que
se trata de uma cor
que praticamente
não interfere junto às
cores em geral
Vermelho – É
muito usado em
propaganda por
ser muito
atrativo e
possibilita
contrastes
interessantes,
especialmente
se combinado
com branco e
amarelo
Amarelo - Combinado com o vermelho, azul-
violeta, roxo, verde e preto torna-se tão
atrativo que há com não olhar
Verde - Dependendo da tonalidade, pode estar
associado à energia. O guaraná possui ótima
combinação exatamente por isso. É uma planta
forte, energética
Azul - céu, frio, mar, feminilidade,
tranquilidade, espaço, fantasia, infinito, afeto,
noite, serenidade. Dependendo da tonalidade,
sobriedade, seriedade, credibilidade

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a A Identidade Visual na Criação de Uma Marca.pptx

Apostila biojoias
Apostila biojoiasApostila biojoias
Apostila biojoias
Valnei Silva
 
Apostila cor 6o ano 2018
Apostila cor 6o ano 2018Apostila cor 6o ano 2018
Apostila cor 6o ano 2018
Colégio Pedro II - Campus Centro
 
Apostila cor 7o ano 2013
Apostila cor 7o ano 2013Apostila cor 7o ano 2013
Apostila cor 7o ano 2013
Colégio Pedro II - Campus Centro
 
O uso das cores na publicidade
O uso das cores na publicidadeO uso das cores na publicidade
O uso das cores na publicidade
Breno Brito
 
Aula 1 a 6 6º ano
Aula 1 a 6    6º anoAula 1 a 6    6º ano
Aula 1 a 6 6º ano
Angeli Arte Educadora
 
CORES.docx
CORES.docxCORES.docx
CORES.docx
ColegioDrJulival
 
Teoria das cores aplicada ao design
Teoria das cores aplicada ao designTeoria das cores aplicada ao design
Teoria das cores aplicada ao design
Antonio Alves
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
turmatmc13
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
turmatmc13
 
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Doane Castro
 
Apostila cor 7o ano 2015
Apostila cor 7o ano 2015Apostila cor 7o ano 2015
Apostila cor 7o ano 2015
Colégio Pedro II - Campus Centro
 
Cor/Luz
Cor/LuzCor/Luz
Pós - Elementos basicos da comunicação - Estudo das cores.pptx
Pós - Elementos basicos da comunicação - Estudo das cores.pptxPós - Elementos basicos da comunicação - Estudo das cores.pptx
Pós - Elementos basicos da comunicação - Estudo das cores.pptx
OsmarSantanaRibeiro
 
Teoria das cores aula
Teoria das cores   aulaTeoria das cores   aula
Teoria das cores aula
Wellingtonalvesjsatiro Satiro
 
Aula 02 semiótica e cores
Aula 02   semiótica e coresAula 02   semiótica e cores
Aula 02 semiótica e cores
Cristiano Pires Martins
 
Psicologia das Cores Atualizado
Psicologia das Cores AtualizadoPsicologia das Cores Atualizado
Psicologia das Cores Atualizado
Marcelo Vicente
 
Mediatall Psicologia de Cores
 Mediatall Psicologia de Cores Mediatall Psicologia de Cores
Mediatall Psicologia de Cores
Rodrigomtall
 
Luz e cor
Luz e corLuz e cor
Luz e cor
ascensao
 
Cores aula 2008
Cores aula 2008Cores aula 2008
Cores aula 2008
Meire Falco
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
João Rafael Lopes
 

Semelhante a A Identidade Visual na Criação de Uma Marca.pptx (20)

Apostila biojoias
Apostila biojoiasApostila biojoias
Apostila biojoias
 
Apostila cor 6o ano 2018
Apostila cor 6o ano 2018Apostila cor 6o ano 2018
Apostila cor 6o ano 2018
 
Apostila cor 7o ano 2013
Apostila cor 7o ano 2013Apostila cor 7o ano 2013
Apostila cor 7o ano 2013
 
O uso das cores na publicidade
O uso das cores na publicidadeO uso das cores na publicidade
O uso das cores na publicidade
 
Aula 1 a 6 6º ano
Aula 1 a 6    6º anoAula 1 a 6    6º ano
Aula 1 a 6 6º ano
 
CORES.docx
CORES.docxCORES.docx
CORES.docx
 
Teoria das cores aplicada ao design
Teoria das cores aplicada ao designTeoria das cores aplicada ao design
Teoria das cores aplicada ao design
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
Apostila arte 9 ano.pdf (1) (1)
 
Apostila cor 7o ano 2015
Apostila cor 7o ano 2015Apostila cor 7o ano 2015
Apostila cor 7o ano 2015
 
Cor/Luz
Cor/LuzCor/Luz
Cor/Luz
 
Pós - Elementos basicos da comunicação - Estudo das cores.pptx
Pós - Elementos basicos da comunicação - Estudo das cores.pptxPós - Elementos basicos da comunicação - Estudo das cores.pptx
Pós - Elementos basicos da comunicação - Estudo das cores.pptx
 
Teoria das cores aula
Teoria das cores   aulaTeoria das cores   aula
Teoria das cores aula
 
Aula 02 semiótica e cores
Aula 02   semiótica e coresAula 02   semiótica e cores
Aula 02 semiótica e cores
 
Psicologia das Cores Atualizado
Psicologia das Cores AtualizadoPsicologia das Cores Atualizado
Psicologia das Cores Atualizado
 
Mediatall Psicologia de Cores
 Mediatall Psicologia de Cores Mediatall Psicologia de Cores
Mediatall Psicologia de Cores
 
Luz e cor
Luz e corLuz e cor
Luz e cor
 
Cores aula 2008
Cores aula 2008Cores aula 2008
Cores aula 2008
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 

Mais de PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas

Comportamento em Ambientes de Trabalho
Comportamento em Ambientes de TrabalhoComportamento em Ambientes de Trabalho
Como Utilizar o Marketing nas Redes Sociais
Como Utilizar o Marketing nas Redes SociaisComo Utilizar o Marketing nas Redes Sociais
Como Utilizar o Marketing nas Redes Sociais
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...
Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...
Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Postura e Imagem Profissional em Ambientes Corporativos
Postura e Imagem Profissional em Ambientes CorporativosPostura e Imagem Profissional em Ambientes Corporativos
Postura e Imagem Profissional em Ambientes Corporativos
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...
Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...
Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
O Processo de Transporte de Cargas.pptx
O Processo de Transporte de Cargas.pptxO Processo de Transporte de Cargas.pptx
O Processo de Transporte de Cargas.pptx
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Conceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptx
Conceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptxConceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptx
Conceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptx
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
A Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas Organizacões
A Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas OrganizacõesA Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas Organizacões
A Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas Organizacões
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...
A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...
A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Técnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptx
Técnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptxTécnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptx
Técnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptx
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Gestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptx
Gestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptxGestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptx
Gestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptx
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
A Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptx
A Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptxA Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptx
A Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptx
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Programação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptx
Programação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptxProgramação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptx
Programação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptx
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
DINÂMICA de GRUPO.pptx
DINÂMICA de GRUPO.pptxDINÂMICA de GRUPO.pptx
AUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptx
AUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptxAUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptx
DESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptx
DESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptxDESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptx
DESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptx
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
INTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptx
INTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptxINTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptx
A Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptx
A Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptxA Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptx
A Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptx
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)
Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)
Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
A Negociação e as Principais Etapas de Uma Apresentação de Vendas
A Negociação e as Principais Etapas de Uma Apresentação de VendasA Negociação e as Principais Etapas de Uma Apresentação de Vendas
A Negociação e as Principais Etapas de Uma Apresentação de Vendas
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 

Mais de PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas (20)

Comportamento em Ambientes de Trabalho
Comportamento em Ambientes de TrabalhoComportamento em Ambientes de Trabalho
Comportamento em Ambientes de Trabalho
 
Como Utilizar o Marketing nas Redes Sociais
Como Utilizar o Marketing nas Redes SociaisComo Utilizar o Marketing nas Redes Sociais
Como Utilizar o Marketing nas Redes Sociais
 
Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...
Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...
Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...
 
Postura e Imagem Profissional em Ambientes Corporativos
Postura e Imagem Profissional em Ambientes CorporativosPostura e Imagem Profissional em Ambientes Corporativos
Postura e Imagem Profissional em Ambientes Corporativos
 
Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...
Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...
Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...
 
O Processo de Transporte de Cargas.pptx
O Processo de Transporte de Cargas.pptxO Processo de Transporte de Cargas.pptx
O Processo de Transporte de Cargas.pptx
 
Conceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptx
Conceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptxConceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptx
Conceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptx
 
A Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas Organizacões
A Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas OrganizacõesA Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas Organizacões
A Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas Organizacões
 
A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...
A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...
A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...
 
Técnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptx
Técnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptxTécnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptx
Técnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptx
 
Gestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptx
Gestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptxGestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptx
Gestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptx
 
A Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptx
A Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptxA Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptx
A Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptx
 
Programação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptx
Programação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptxProgramação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptx
Programação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptx
 
DINÂMICA de GRUPO.pptx
DINÂMICA de GRUPO.pptxDINÂMICA de GRUPO.pptx
DINÂMICA de GRUPO.pptx
 
AUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptx
AUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptxAUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptx
AUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptx
 
DESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptx
DESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptxDESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptx
DESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptx
 
INTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptx
INTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptxINTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptx
INTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptx
 
A Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptx
A Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptxA Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptx
A Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptx
 
Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)
Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)
Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)
 
A Negociação e as Principais Etapas de Uma Apresentação de Vendas
A Negociação e as Principais Etapas de Uma Apresentação de VendasA Negociação e as Principais Etapas de Uma Apresentação de Vendas
A Negociação e as Principais Etapas de Uma Apresentação de Vendas
 

A Identidade Visual na Criação de Uma Marca.pptx

  • 1. Quando um nome ou uma ideia é representado visualmente sob determinada forma, pode-se dizer que ele tem uma identidade visual E, quando uma empresa apresenta uma mesma imagem em seus impressos, uniformes e/ou veículos ela tem uma identidade visual, que também pode ser chamada de “IDENTIDADE EMPRESARIAL” ou corporativa Identidade Visual é a forma como uma empresa (ou um produto) é representado graficamente, identificando-se e diferenciando-se dos concorrentes com identidade própria e distinta, concisa com seu perfil e mercado Nos negócios vencedores, as marcas vêm se revelando como um grande patrimônio, capaz de transferir valores ao que é oferecido ao público e, dessa forma, a sua IDENTIDADE EMPRESARIAL é de grande importância Sendo assim pode-se definir a identidade visual de uma marca como um conjunto de elementos gráficos que irão formalizar a personalidade visual de um nome, ideia, produto ou serviço
  • 2. Principais Componentes de Uma Marca 1. Logotipo: É a particularização da escrita de um nome. Sempre que vemos um nome representado por um mesmo tipo de letras (especialmente criado, ou não), isso é um logotipo. Ou seja, trata-se do nome da empresa (ou do produto) escrito de forma única e exclusiva Classificação dos Logotipos Fonte Já Existente: a partir de uma fonte já criada, é escrito o nome da empresa ou produto Fonte Já Existente Modificada: a fonte escolhida é modificada para se assemelhar mais com a empresa e símbolo se houver, sendo assim a representação exclusiva do nome da empresa ou produto Fonte Desenhada: fonte fantasia, desenho exclusivo do logotipo, sem referência em outras fontes 2. Símbolo: É um sinal gráfico, desenho que, com o uso, passa a identificar um nome, uma ideia, um produto ou um serviço. Porém, nem todas as marcas apresentam um símbolo
  • 3. Classificação dos Símbolos Abstratos: Não apresentam formas representativas de signos e símbolos. Não identifica qualquer figura, podendo representar qualquer segmento. Exemplo: NIKE Figurativos: Identifica figura conhecida que se dividem em: (a) Ilustrativo: desenho ou fotografia com detalhes. Exemplo: Quaker (b) Pictogramas: síntese gráfica do desenho, redução de detalhes do desenho; (c) Monogramas: composição com as iniciais (ou sigla) da empresa ou do produto OBSERVAÇÃO: Existem também as “Marcas Compostas” que são a junção do Símbolo com o Logotipo. Exemplo: ADIDAS 3. Cor: Faz parte do nosso mundo e das nossas vidas. Todos os dias estamos em contato com as cores e, ao escolhermos roupas para vestir, tentamos combinar as meias com o terno, a saia com a blusa, a fivela do cabelo com a roupa, a camiseta com o jeans, etc.
  • 4. Podemos Estudar as Cores Sob 2 Aspectos: 1. COR-LUZ: A cor é uma sensação provocada pela luz sobre o órgão da visão; isto é, sobre nossos olhos. A cor- luz pode ser observada através dos raios luminosos. Cor- luz é a própria luz que pode se decompor em muitas cores, onde a luz branca contém todas as cores Isaac Newton fez descobertas sobre a luz e as cores, relatando as experiências que constam nos estudos da Física. Ele partiu da observação do arco-íris, quando "reproduziu" um arco-íris dentro de sua casa. Com prismas e lentes ele fez incidir a luz do sol e separou as cores para estudá-las A faixa colorida que obteve ao separar as cores é chamada de "espectro solar". Mas nem todas as cores podem ser vistas por nós. O infravermelho e o ultravioleta, por exemplo, não são cores visíveis no arco-íris As cores podem ser somadas e, assim, surgem novas cores. Três cores visíveis do espectro são chamadas de “primárias” (o vermelho alaranjado, o verde e o azul violeta) Misturando essas 3 cores em proporções e intensidades variadas podemos obter todas as outras, mesmo as que não estão no espectro solar como os tons de marrons, por exemplo
  • 5. 2. COR-PIGMENTO: Pigmento é o que dá cor a tudo o que é material. Os índios brasileiros usam semente de urucum para colorir o corpo, cabelos e outros artefatos de vermelho, do jenipapo, que é um fruto, extraem o azul e também usam carvão e terra para pintar de preto, branco e amarelo Assim como as crianças, os homens primitivos descobriam as cores pela experiência, pois encontramos seus registros nas paredes das cavernas. Essas pinturas rupestres eram feitas com os mais variados tipos de pigmentos naturais: plantas, terra, carvão, e até o sangue dos animais que caçavam Com o tempo percebeu-se que podia extrair os pigmentos da natureza e utilizá-los em forma de tinta misturando com resina das árvores, com a clara e a gema de ovos e diferentes tipos de óleo para conservar, transportar e fixar as cores As técnicas de pintura se desenvolveram e a tecnologia criou os pigmentos sintéticos. Cores "artificiais", feitas em laboratório, mas tão intensas e belas como as cores naturais que tentam imitar Seguindo NEWTON, podemos classificar as cores pigmento inversamente à cor-luz, pois é assim que nossos olhos podem ver, perceber e misturar as tintas
  • 6. Note que, ao misturarmos o vermelho magenta com o amarelo limão temos o vermelho alaranjado, o azul ciano com o amarelo limão, temos o verde e o azul ciano com o vermelho magenta, temos o azul violeta Misturando as 3 em proporções iguais temos o preto cromático Cian, magenta, yellow e black (ou CMYK) O sistema CMYK é usado nas gráficas para impressão por fotolitos nos jornais, revistas, livros, cartões e tudo o que é impresso, pois a impressão é obtida por pintura de superfície, assim como a impressora do microcomputador, que tem os 3 cartuchos de tinta com as cores pigmento primárias e outro cartucho preto CORES PRIMÁRIAS: As cores pigmento primárias também são chamadas de cores puras, pois não se formam pela mistura de outras cores, mas é a partir delas que todas as cores são formadas Para aprender mais sobre as cores experimente misturá-las no computador que trabalha com tonalidades exatas. Mas, as cores que você vai ver no monitor podem ser diferentes das cores após a impressão
  • 7. CORES SECUNDÁRIAS: Conseguimos obtê-las pela combinação das primárias, duas a duas em proporções iguais. Ou seja, a combinação de Amarelo e Ciano resulta em Verde; a combinação de Amarelo e Magenta resulta em Vermelho; já a combinação de Ciano com Magenta resulta em Azul CORES TERCIÁRIAS: São a mistura de secundárias com primárias, terciárias com primárias e secundárias onde dominará todas as outras cores. As cores Primárias são Amarelo, Vermelho, Magenta, Azul-Violeta, Ciano e Verde. Já as cores Terciárias são Laranja, Vermelho-Violeta, Azul, Vermelho- Violeta, Verde-Azulado e Amarelo-Esverdeado CORES QUENTES: Tendem para o amarelo, e suas matizes com os alaranjados e avermelhados. Estimulam a circulação do observador, causando um ligeiro aumento na temperatura do corpo. O amarelo é uma cor alegre, é a cor do verão; o vermelho é o sangue, é vida CORES FRIAS: Tendem para o azul, e as matizes entre o verde, azul e violeta. Ao contrário das cores quentes, diminuem a circulação do observador, causando uma ligeira queda na temperatura do corpo. O azul é a calma, a harmonia, a paz, mas também a tristeza e melancolia
  • 8. Sensações às Cores A cor exerce papel importante no psicológico de cada um. As cores são usadas para estimular, acalmar, afirmar, negar, decidir, curar e, no caso da propaganda, vender Branco - paz, pureza, batismo, casamento, hospital, neve, frio, palidez, vulnerabilidade, dignidade, divindade, harmonia, inocência, etc. Preto - noite, sujeira, carvão, enterro, medo, morte, maldição, pessimismo, negação, tristeza, opressão e dor. Pode ser contraditório, mas na publicidade, está associado à nobreza e seriedade. Isto é um pouco característico das cores escuras Cinza - pó, máquinas, neblina, chuva, tédio, tristeza, frieza, sabedoria, sobriedade, seriedade, etc. O bom do cinza é que se trata de uma cor que praticamente não interfere junto às cores em geral Vermelho – É muito usado em propaganda por ser muito atrativo e possibilita contrastes interessantes, especialmente se combinado com branco e amarelo Amarelo - Combinado com o vermelho, azul- violeta, roxo, verde e preto torna-se tão atrativo que há com não olhar Verde - Dependendo da tonalidade, pode estar associado à energia. O guaraná possui ótima combinação exatamente por isso. É uma planta forte, energética Azul - céu, frio, mar, feminilidade, tranquilidade, espaço, fantasia, infinito, afeto, noite, serenidade. Dependendo da tonalidade, sobriedade, seriedade, credibilidade