SlideShare uma empresa Scribd logo
A gestão da oferta cultural nos museus: o uso do digital na gestão integrada da informação Prova de Mestrado de Gestão de Informação Orientador – Professor Doutor Luís Borges Gouveia Universidade de Aveiro Edifício da Alfândega Nova do Porto ©Pedro Canto Brum Paula Moura 6 de Outubro de 2009
 Contexto ,[object Object]
 Adopção de metodologias e técnicas  de trabalho que potenciem a melhor utilização da informação;
 Recurso às Tecnologias de Informação e Comunicação enquanto catalisador neste processo de gestão da informação, criando oportunidades de investimento para as organizações;,[object Object]
 Acesso integrado à informação assegura a qualidade de informação que é produzida, bem como o seu tratamento, recuperação e acesso, de forma controlada e segura;
 exige uma tomada de consciência por parte das organizações, aliada a uma “necessidade” que poderá estar latente.,[object Object]
 Perceber de que forma a gestão integrada da informação nas organizações culturais, com base no uso do digital, podem promover o seu desenvolvimento e, consequentemente, uma melhor organização da sua oferta.
Dá-se destaque aos aspectos de organização , tratamento e recuperação da informação e, à necessidade  de utilização de ferramentas que confiram qualidade aos serviços prestados.,[object Object]
 Processo de investigação
 Processo de investigação
 Processo de investigaçãoUtilizadores de informação em Museus (ORNA, 1998) “Pirâmide de Informação”
 Processo de investigação
 Processo de investigação
Metodologia: Estudo de caso Objecto de estudo - Associação para o Museu dos Transportes e Comunicações – dando especial enfoque à unidade  - Museu Objectivo – estudo de uma organização cultural, enunciando os seus principais aspectos relacionados  com a gestão da informação, com vista à apresentação e justificação da questão que subjaz este trabalho.
Metodologia: Estudo de caso 1.ª fase – estudo da organização, seu surgimento, identificação da sua missão e objectivos, organização interna e distribuição de serviços; 2.ª fase – análise pormenorizada ao nível da identificação, organização e levantamento dos principais processos de informação (negócio), através da ferramenta Business Process Modeling Notation (BPMN)
 Estudo de caso: justificação  Óptima ferramenta quando o objectivo é investigar temas contemporâneos; Em contextos reais, onde as fronteiras entre o fenómeno de análise e o contexto não são muito claros; Onde são usadas uma série de fontes e recursos para a sua concretização; Assim, optámos pelo Estudo de caso explicativo sem experimentação – pois baseia-se na análise de documentos, na observação e na entrevista.
 Estudo de caso: etapas
Associação para o Museu dos Transportes e Comunicações: missão e objectivos ,[object Object]
 a preservação das infra-estruturas de reconhecido interesse histórico, relacionadas com os transportes e comunicações;
 criação e manutenção de um centro de documentação sobre os transportes e comunicações; - o desenvolvimento por todas as formas do interesse do público quanto à problemática dos transportes e comunicações.
Associação para o Museu dos Transportes e Comunicações: estrutura interna
 Serviços (secções) e principais funções (ex. Museu)
Organização interna (perspectiva arquivística) Arquivo misto (manual de gestão de documentos, DGA, 1998) Apenas documentação produzida pelos órgãos sociais e contabilidade é que tem local de armazenamento final Restantes departamentos organizam o seu próprio arquivo Normas administrativas avulsas (correspondência, outros documentos internos)
Plano de Classificação Seguindo as orientações DGA Realização de um diagnóstico Investigação preliminar de conhecimento da instituição: Legal, administrativo, funcional e social (actuação) Consulta de fontes documentais e entrevistas Análise funcional da organização Adopção por um esquema de plano baseado na estrutura orgânico-funcional
Plano de Classificação Adopção por um esquema de plano baseado na estrutura orgânico-funcional Respeito pela missão e objectivos da instituição e desempenho das suas funções (funções meio e funções fim) Sistema de atribuição de códigos de identificação de cada classe (secção) e sub-classe (sub-secção) Ex. 7.2 Gestão de documentos de arquivo 7.2.1 – processos de elaboração de portarias de gestão de documentos

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a A gestão da oferta cultural nos museus

Prointer oficcial biblioteca virtual
Prointer oficcial   biblioteca virtualProinter oficcial   biblioteca virtual
Prointer oficcial biblioteca virtual
Viviane Macedo
 
Literacia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa Copérnico
Literacia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa CopérnicoLiteracia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa Copérnico
Literacia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa Copérnico
Maria José Amândio
 
1ª Apresentação Intercalar
1ª Apresentação Intercalar1ª Apresentação Intercalar
1ª Apresentação Intercalar
Grupo3ProjBliblio
 
Gestão de Entidades que se relacionam com a LCTDI
Gestão de Entidades que se relacionam com a LCTDIGestão de Entidades que se relacionam com a LCTDI
Gestão de Entidades que se relacionam com a LCTDI
FabioMDias
 
Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecas
Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecasGestão de dados científicos: o papel das bibliotecas
Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecas
Pedro Príncipe
 
As Novas Competências do Profissional da Ciência de Informação
As Novas Competências do Profissional da Ciência de InformaçãoAs Novas Competências do Profissional da Ciência de Informação
As Novas Competências do Profissional da Ciência de Informação
Luis Germano
 
Apresentação Estudo Usuário
Apresentação Estudo Usuário Apresentação Estudo Usuário
Apresentação Estudo Usuário
Rogerio Almeida
 
Ctdi diana
Ctdi dianaCtdi diana
Ctdi diana
Diana Silva
 
CTDI_Vila_Conde
CTDI_Vila_CondeCTDI_Vila_Conde
CTDI_Vila_Conde
Diana Silva
 
Rede Sudeste de Repositórios: relato de experiência
Rede Sudeste de Repositórios: relato de experiênciaRede Sudeste de Repositórios: relato de experiência
Rede Sudeste de Repositórios: relato de experiência
http://bvsalud.org/
 
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...
SIBiUSP
 
Conteudos Digitais
Conteudos DigitaisConteudos Digitais
Conteudos Digitais
UFSC
 
Ufsc ocs ojs
Ufsc ocs ojsUfsc ocs ojs
Ufsc ocs ojs
Elisabeth Dudziak
 
Visibilidade, credibilidade e padronização: o modelo de gestão do Portal de P...
Visibilidade, credibilidade e padronização: o modelo de gestão do Portal de P...Visibilidade, credibilidade e padronização: o modelo de gestão do Portal de P...
Visibilidade, credibilidade e padronização: o modelo de gestão do Portal de P...
Portal de Periódicos UFSC
 
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSCSistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
UFSC
 
Apresentação ecm taxonomia 20102011
Apresentação ecm   taxonomia 20102011Apresentação ecm   taxonomia 20102011
Apresentação ecm taxonomia 20102011
Documentar Tecnologia e Informação
 
Sistematica Planejamento Estratégico BCo UFSCar
Sistematica Planejamento Estratégico BCo UFSCarSistematica Planejamento Estratégico BCo UFSCar
Sistematica Planejamento Estratégico BCo UFSCar
SeABD BCo UFSCar'
 
Preservação digital no Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (R...
Preservação digital no Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (R...Preservação digital no Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (R...
Preservação digital no Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (R...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Werbinar Gestão Documental - Anima Ensino
Werbinar Gestão Documental - Anima EnsinoWerbinar Gestão Documental - Anima Ensino
Werbinar Gestão Documental - Anima Ensino
animaensino
 
Bibliotecas universitarias tendencias_mo
Bibliotecas universitarias tendencias_moBibliotecas universitarias tendencias_mo
Bibliotecas universitarias tendencias_mo
Paula Saraiva
 

Semelhante a A gestão da oferta cultural nos museus (20)

Prointer oficcial biblioteca virtual
Prointer oficcial   biblioteca virtualProinter oficcial   biblioteca virtual
Prointer oficcial biblioteca virtual
 
Literacia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa Copérnico
Literacia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa CopérnicoLiteracia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa Copérnico
Literacia de Informação 2.0 nas BMO: uma abordagem ao Programa Copérnico
 
1ª Apresentação Intercalar
1ª Apresentação Intercalar1ª Apresentação Intercalar
1ª Apresentação Intercalar
 
Gestão de Entidades que se relacionam com a LCTDI
Gestão de Entidades que se relacionam com a LCTDIGestão de Entidades que se relacionam com a LCTDI
Gestão de Entidades que se relacionam com a LCTDI
 
Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecas
Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecasGestão de dados científicos: o papel das bibliotecas
Gestão de dados científicos: o papel das bibliotecas
 
As Novas Competências do Profissional da Ciência de Informação
As Novas Competências do Profissional da Ciência de InformaçãoAs Novas Competências do Profissional da Ciência de Informação
As Novas Competências do Profissional da Ciência de Informação
 
Apresentação Estudo Usuário
Apresentação Estudo Usuário Apresentação Estudo Usuário
Apresentação Estudo Usuário
 
Ctdi diana
Ctdi dianaCtdi diana
Ctdi diana
 
CTDI_Vila_Conde
CTDI_Vila_CondeCTDI_Vila_Conde
CTDI_Vila_Conde
 
Rede Sudeste de Repositórios: relato de experiência
Rede Sudeste de Repositórios: relato de experiênciaRede Sudeste de Repositórios: relato de experiência
Rede Sudeste de Repositórios: relato de experiência
 
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Vania Mara Alv...
 
Conteudos Digitais
Conteudos DigitaisConteudos Digitais
Conteudos Digitais
 
Ufsc ocs ojs
Ufsc ocs ojsUfsc ocs ojs
Ufsc ocs ojs
 
Visibilidade, credibilidade e padronização: o modelo de gestão do Portal de P...
Visibilidade, credibilidade e padronização: o modelo de gestão do Portal de P...Visibilidade, credibilidade e padronização: o modelo de gestão do Portal de P...
Visibilidade, credibilidade e padronização: o modelo de gestão do Portal de P...
 
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSCSistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
 
Apresentação ecm taxonomia 20102011
Apresentação ecm   taxonomia 20102011Apresentação ecm   taxonomia 20102011
Apresentação ecm taxonomia 20102011
 
Sistematica Planejamento Estratégico BCo UFSCar
Sistematica Planejamento Estratégico BCo UFSCarSistematica Planejamento Estratégico BCo UFSCar
Sistematica Planejamento Estratégico BCo UFSCar
 
Preservação digital no Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (R...
Preservação digital no Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (R...Preservação digital no Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (R...
Preservação digital no Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (R...
 
Werbinar Gestão Documental - Anima Ensino
Werbinar Gestão Documental - Anima EnsinoWerbinar Gestão Documental - Anima Ensino
Werbinar Gestão Documental - Anima Ensino
 
Bibliotecas universitarias tendencias_mo
Bibliotecas universitarias tendencias_moBibliotecas universitarias tendencias_mo
Bibliotecas universitarias tendencias_mo
 

Mais de Luis Borges Gouveia

A Sala de Aula como um espaço de oportunidade num tempo pós pandémico
A Sala de Aula como um espaço de oportunidade num tempo pós pandémicoA Sala de Aula como um espaço de oportunidade num tempo pós pandémico
A Sala de Aula como um espaço de oportunidade num tempo pós pandémico
Luis Borges Gouveia
 
Sharing ongoing research from *TRS group on ICT for teaching and learning
Sharing ongoing research from *TRS group on ICT for teaching and learningSharing ongoing research from *TRS group on ICT for teaching and learning
Sharing ongoing research from *TRS group on ICT for teaching and learning
Luis Borges Gouveia
 
Casos de Estudo e Estudos de Caso. Práticas e Operacionalização: como resolve...
Casos de Estudo e Estudos de Caso. Práticas e Operacionalização: como resolve...Casos de Estudo e Estudos de Caso. Práticas e Operacionalização: como resolve...
Casos de Estudo e Estudos de Caso. Práticas e Operacionalização: como resolve...
Luis Borges Gouveia
 
Contribuições para o uso da MVR - Matriz de Valor e Relevância - Indicadores ...
Contribuições para o uso da MVR - Matriz de Valor e Relevância - Indicadores ...Contribuições para o uso da MVR - Matriz de Valor e Relevância - Indicadores ...
Contribuições para o uso da MVR - Matriz de Valor e Relevância - Indicadores ...
Luis Borges Gouveia
 
Inteligência Artificial e o seu uso em contexto militar
Inteligência Artificial e o seu uso em contexto militarInteligência Artificial e o seu uso em contexto militar
Inteligência Artificial e o seu uso em contexto militar
Luis Borges Gouveia
 
Eventos PhD CI SiTEGI UFP
Eventos PhD CI SiTEGI UFPEventos PhD CI SiTEGI UFP
Eventos PhD CI SiTEGI UFP
Luis Borges Gouveia
 
Information Science PhD event
Information Science PhD eventInformation Science PhD event
Information Science PhD event
Luis Borges Gouveia
 
Curadoria Digital de Conteúdo para Educação a Distância
Curadoria Digital de Conteúdo para Educação a DistânciaCuradoria Digital de Conteúdo para Educação a Distância
Curadoria Digital de Conteúdo para Educação a Distância
Luis Borges Gouveia
 
Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...
Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...
Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...
Luis Borges Gouveia
 
Livro de Resumos do Seminário PhD CI - SiTEGI 2020
Livro de Resumos do Seminário PhD CI - SiTEGI 2020Livro de Resumos do Seminário PhD CI - SiTEGI 2020
Livro de Resumos do Seminário PhD CI - SiTEGI 2020
Luis Borges Gouveia
 
O Digital e um espaço de oportunidades num oceano de desafios
O Digital e um espaço de oportunidades num oceano de desafiosO Digital e um espaço de oportunidades num oceano de desafios
O Digital e um espaço de oportunidades num oceano de desafios
Luis Borges Gouveia
 
Uma análise prévia do ensino de emergência em tempos de pandemia e o impacto ...
Uma análise prévia do ensino de emergência em tempos de pandemia e o impacto ...Uma análise prévia do ensino de emergência em tempos de pandemia e o impacto ...
Uma análise prévia do ensino de emergência em tempos de pandemia e o impacto ...
Luis Borges Gouveia
 
A oportunidade de um novo normal no ensino superior
A oportunidade de um novo normal no ensino superiorA oportunidade de um novo normal no ensino superior
A oportunidade de um novo normal no ensino superior
Luis Borges Gouveia
 
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
Luis Borges Gouveia
 
Transformação digital e gestão da informação
Transformação digital e gestão da informaçãoTransformação digital e gestão da informação
Transformação digital e gestão da informação
Luis Borges Gouveia
 
O momento da Transformação digital
O momento da Transformação digitalO momento da Transformação digital
O momento da Transformação digital
Luis Borges Gouveia
 
Emerging alternatives to leadership and governance in a digital ecosystem
Emerging alternatives to leadership and governance in a digital ecosystemEmerging alternatives to leadership and governance in a digital ecosystem
Emerging alternatives to leadership and governance in a digital ecosystem
Luis Borges Gouveia
 
Sobre Cultura Digital
Sobre Cultura DigitalSobre Cultura Digital
Sobre Cultura Digital
Luis Borges Gouveia
 
O lugar da leitura como espaço de convergência entre o real e o digital
O lugar da leitura como espaço de convergência entre o real e o digitalO lugar da leitura como espaço de convergência entre o real e o digital
O lugar da leitura como espaço de convergência entre o real e o digital
Luis Borges Gouveia
 
Responder a um contexto digital nas IES
Responder a um contexto digital nas IESResponder a um contexto digital nas IES
Responder a um contexto digital nas IES
Luis Borges Gouveia
 

Mais de Luis Borges Gouveia (20)

A Sala de Aula como um espaço de oportunidade num tempo pós pandémico
A Sala de Aula como um espaço de oportunidade num tempo pós pandémicoA Sala de Aula como um espaço de oportunidade num tempo pós pandémico
A Sala de Aula como um espaço de oportunidade num tempo pós pandémico
 
Sharing ongoing research from *TRS group on ICT for teaching and learning
Sharing ongoing research from *TRS group on ICT for teaching and learningSharing ongoing research from *TRS group on ICT for teaching and learning
Sharing ongoing research from *TRS group on ICT for teaching and learning
 
Casos de Estudo e Estudos de Caso. Práticas e Operacionalização: como resolve...
Casos de Estudo e Estudos de Caso. Práticas e Operacionalização: como resolve...Casos de Estudo e Estudos de Caso. Práticas e Operacionalização: como resolve...
Casos de Estudo e Estudos de Caso. Práticas e Operacionalização: como resolve...
 
Contribuições para o uso da MVR - Matriz de Valor e Relevância - Indicadores ...
Contribuições para o uso da MVR - Matriz de Valor e Relevância - Indicadores ...Contribuições para o uso da MVR - Matriz de Valor e Relevância - Indicadores ...
Contribuições para o uso da MVR - Matriz de Valor e Relevância - Indicadores ...
 
Inteligência Artificial e o seu uso em contexto militar
Inteligência Artificial e o seu uso em contexto militarInteligência Artificial e o seu uso em contexto militar
Inteligência Artificial e o seu uso em contexto militar
 
Eventos PhD CI SiTEGI UFP
Eventos PhD CI SiTEGI UFPEventos PhD CI SiTEGI UFP
Eventos PhD CI SiTEGI UFP
 
Information Science PhD event
Information Science PhD eventInformation Science PhD event
Information Science PhD event
 
Curadoria Digital de Conteúdo para Educação a Distância
Curadoria Digital de Conteúdo para Educação a DistânciaCuradoria Digital de Conteúdo para Educação a Distância
Curadoria Digital de Conteúdo para Educação a Distância
 
Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...
Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...
Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...
 
Livro de Resumos do Seminário PhD CI - SiTEGI 2020
Livro de Resumos do Seminário PhD CI - SiTEGI 2020Livro de Resumos do Seminário PhD CI - SiTEGI 2020
Livro de Resumos do Seminário PhD CI - SiTEGI 2020
 
O Digital e um espaço de oportunidades num oceano de desafios
O Digital e um espaço de oportunidades num oceano de desafiosO Digital e um espaço de oportunidades num oceano de desafios
O Digital e um espaço de oportunidades num oceano de desafios
 
Uma análise prévia do ensino de emergência em tempos de pandemia e o impacto ...
Uma análise prévia do ensino de emergência em tempos de pandemia e o impacto ...Uma análise prévia do ensino de emergência em tempos de pandemia e o impacto ...
Uma análise prévia do ensino de emergência em tempos de pandemia e o impacto ...
 
A oportunidade de um novo normal no ensino superior
A oportunidade de um novo normal no ensino superiorA oportunidade de um novo normal no ensino superior
A oportunidade de um novo normal no ensino superior
 
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
 
Transformação digital e gestão da informação
Transformação digital e gestão da informaçãoTransformação digital e gestão da informação
Transformação digital e gestão da informação
 
O momento da Transformação digital
O momento da Transformação digitalO momento da Transformação digital
O momento da Transformação digital
 
Emerging alternatives to leadership and governance in a digital ecosystem
Emerging alternatives to leadership and governance in a digital ecosystemEmerging alternatives to leadership and governance in a digital ecosystem
Emerging alternatives to leadership and governance in a digital ecosystem
 
Sobre Cultura Digital
Sobre Cultura DigitalSobre Cultura Digital
Sobre Cultura Digital
 
O lugar da leitura como espaço de convergência entre o real e o digital
O lugar da leitura como espaço de convergência entre o real e o digitalO lugar da leitura como espaço de convergência entre o real e o digital
O lugar da leitura como espaço de convergência entre o real e o digital
 
Responder a um contexto digital nas IES
Responder a um contexto digital nas IESResponder a um contexto digital nas IES
Responder a um contexto digital nas IES
 

Último

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
GiselaAlves15
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
KeilianeOliveira3
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Acrópole - História & Educação
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
MariaFatima425285
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 

Último (20)

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 

A gestão da oferta cultural nos museus

  • 1. A gestão da oferta cultural nos museus: o uso do digital na gestão integrada da informação Prova de Mestrado de Gestão de Informação Orientador – Professor Doutor Luís Borges Gouveia Universidade de Aveiro Edifício da Alfândega Nova do Porto ©Pedro Canto Brum Paula Moura 6 de Outubro de 2009
  • 2.
  • 3. Adopção de metodologias e técnicas de trabalho que potenciem a melhor utilização da informação;
  • 4.
  • 5. Acesso integrado à informação assegura a qualidade de informação que é produzida, bem como o seu tratamento, recuperação e acesso, de forma controlada e segura;
  • 6.
  • 7. Perceber de que forma a gestão integrada da informação nas organizações culturais, com base no uso do digital, podem promover o seu desenvolvimento e, consequentemente, uma melhor organização da sua oferta.
  • 8.
  • 9. Processo de investigação
  • 10. Processo de investigação
  • 11. Processo de investigaçãoUtilizadores de informação em Museus (ORNA, 1998) “Pirâmide de Informação”
  • 12. Processo de investigação
  • 13. Processo de investigação
  • 14. Metodologia: Estudo de caso Objecto de estudo - Associação para o Museu dos Transportes e Comunicações – dando especial enfoque à unidade - Museu Objectivo – estudo de uma organização cultural, enunciando os seus principais aspectos relacionados com a gestão da informação, com vista à apresentação e justificação da questão que subjaz este trabalho.
  • 15. Metodologia: Estudo de caso 1.ª fase – estudo da organização, seu surgimento, identificação da sua missão e objectivos, organização interna e distribuição de serviços; 2.ª fase – análise pormenorizada ao nível da identificação, organização e levantamento dos principais processos de informação (negócio), através da ferramenta Business Process Modeling Notation (BPMN)
  • 16. Estudo de caso: justificação Óptima ferramenta quando o objectivo é investigar temas contemporâneos; Em contextos reais, onde as fronteiras entre o fenómeno de análise e o contexto não são muito claros; Onde são usadas uma série de fontes e recursos para a sua concretização; Assim, optámos pelo Estudo de caso explicativo sem experimentação – pois baseia-se na análise de documentos, na observação e na entrevista.
  • 17. Estudo de caso: etapas
  • 18.
  • 19. a preservação das infra-estruturas de reconhecido interesse histórico, relacionadas com os transportes e comunicações;
  • 20. criação e manutenção de um centro de documentação sobre os transportes e comunicações; - o desenvolvimento por todas as formas do interesse do público quanto à problemática dos transportes e comunicações.
  • 21. Associação para o Museu dos Transportes e Comunicações: estrutura interna
  • 22. Serviços (secções) e principais funções (ex. Museu)
  • 23. Organização interna (perspectiva arquivística) Arquivo misto (manual de gestão de documentos, DGA, 1998) Apenas documentação produzida pelos órgãos sociais e contabilidade é que tem local de armazenamento final Restantes departamentos organizam o seu próprio arquivo Normas administrativas avulsas (correspondência, outros documentos internos)
  • 24. Plano de Classificação Seguindo as orientações DGA Realização de um diagnóstico Investigação preliminar de conhecimento da instituição: Legal, administrativo, funcional e social (actuação) Consulta de fontes documentais e entrevistas Análise funcional da organização Adopção por um esquema de plano baseado na estrutura orgânico-funcional
  • 25. Plano de Classificação Adopção por um esquema de plano baseado na estrutura orgânico-funcional Respeito pela missão e objectivos da instituição e desempenho das suas funções (funções meio e funções fim) Sistema de atribuição de códigos de identificação de cada classe (secção) e sub-classe (sub-secção) Ex. 7.2 Gestão de documentos de arquivo 7.2.1 – processos de elaboração de portarias de gestão de documentos
  • 26. Modelação de ProcessosProcesso-chave (museológico) Comunica com Administração / coordenação do Museu; Dep. Jurídico; companhia de seguros
  • 27. Modelação de ProcessosProcesso-chave (museológico) Comunica com a biblioteca
  • 28.
  • 29. Procedimentos na gestão interna dos processos e dificuldades sentidas;
  • 31. Identificar as interacções dentro do diferentes serviços do Museu, como comunicam e que ferramentas utilizam;
  • 32. Como organiza, gere, prepara informação para os seus públicos, recursos e formas de disseminação;
  • 33.
  • 34. Enveredar por uma abordagem do estudo das necessidades de informação e comportamento informacional;
  • 35. Sob a perspectiva arquivística;
  • 36.
  • 37. Opção por um sistema deve conjugar necessidades funcionais, tecnológicas ou operacionais e estruturais;
  • 38.