SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
A FLAUTA
Em 1933 nascia na Indiaaquele aquemfoi dadoo nome de Amartya,(que significaimortal),pelo
seupadrinhoo poeta,filósofoe escritorRabindranathTagore,(1861-1941), galardoadoem1913
com o prémioNobel daLiteratura.
AmartyaSen,de seunome completo,viriaigualmenteateruma carreira distintae seriatambém
vencedordoNobel,(Economia-1988).Alémde economistafoi tambémfilósofo,tendotidocomo
preocupaçãocentral da sua vidaacadémicao problemadapobreza,das desigualdadessociaise
da justadistribuiçãodariqueza.
No seulivro“A Ideiade Justiça”ele imaginoucomgrande simplicidade e clarezaumahistória
cujosprotagonistassãotrêscrianças a que chamaremosMaria,Antónioe Joana,como sendouma
maneirade conheceras escolhasque asdiferentesvisõesdaSociedadenosoferecem,
“Três amigos,Maria,Antónioe Joanabrincam juntoscomuma flauta.Antóniofoi quemafez,
Maria é quema sabe tocar e a Joana,que é muitopobre,temnelaa únicacoisa com que pode
brincar.Porémas respectivasfamiliasvãopartirparadestinosdistintose opequenogruposerá
separado.Põe-se portantoaquestão:Quemdeveráficarcom a flauta?”
Diz AmartyaSenque não existe nenhumresultadoque possaserreconhecidouniversalmente
como sendocompletamentejusto,e que adecisãodepende doentendimentoque cadaumtem
sobre o que deve sera Justiça:
A Joana,sendoa maispobre,teriao apoioincondicional dosEgualitários,enquantoque oAntónio
teriado seuladoos Libertários,ficandoaMaria a ser defendidapelosUtilitaristas.
E como a Justiçanãoé um ideal monolítico,masumconceitopluralista,possuindovárias
dimensões,todostêmumaparcelade razão :
Os Libertáriosargumentamque se Antónioconhecesse asregrasque possibilitariamque eleno
futuropudesse viraser privadodofrutodo seutrabalho,a flauta,entãonãoa teriafeito.
Já os Igualitárias,aquelesque queremque sejaaJoana a beneficiadaporserpobre,achamque
cada um deve receberde acordocom as suasnecessidadese lembramoque defendiaAnton
Menger,um dospioneirosnadefesadoEstadoSocial,aolembrarque havendocidadãosmais
vulneráveisdoque outros,algunsmesmoincapazesde seremauto-suficientes,logo osque
produzemnãopoderiamficarcoma totalidade doproduzido,cabendoaoEstadoo papel de
redistribuidordariqueza.
E finalmente osUtilitaristasnãotêmdúvidasde que oque deve prevaleceré adefesadafunção
social da riquezae que estadeve pertenceraquemtemmérito,aquemmelhora saibautilizar.
Logo indiscutivelmente aflautadeveriaserparaMaria, a únicaque a sabe tocar, porque senão
qual seriaa sua utilidade ?
Temosassimque não é possivel condenaràpartidanenhumadestasposiçõesque se baseiamem
argumentosracionaise que sãorespectivamente odesejode realizaropotencial humano(Maria),
a eliminaçãodapobreza(Joana),e odireitode cadaum gozar o frutodo seutrabalho(António).
Mas, segundoAmartyaSen,é no entantonecessárioestablecerprioridadessegundootipode
Sociedade emque queremosvivere se desejarmoseliminarasinjustiçasque estãoaonosso
alcance.O argumentoque usaa impossibilidade de realizarummundototalmentejusto,de
erradicara fome e a pobreza,nãopode justificaracomplacenciaque levaàperpetuaçãode
injustiçasgritantes,comosãooslucrosobscenosde minoriasobtidosàcustada misériade
milhares.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a A flauta

Semelhante a A flauta (20)

Miguel torga gf
Miguel torga gfMiguel torga gf
Miguel torga gf
 
Miguel Torga
Miguel TorgaMiguel Torga
Miguel Torga
 
Miguel Torga
Miguel TorgaMiguel Torga
Miguel Torga
 
Miguel torga gf
Miguel torga gfMiguel torga gf
Miguel torga gf
 
Miguel Torga
Miguel TorgaMiguel Torga
Miguel Torga
 
Miguel Torga
Miguel TorgaMiguel Torga
Miguel Torga
 
Miguel Torga
Miguel TorgaMiguel Torga
Miguel Torga
 
Miguel Torga Gf
Miguel Torga GfMiguel Torga Gf
Miguel Torga Gf
 
Miguel Torga
Miguel TorgaMiguel Torga
Miguel Torga
 
Miguel Torga
Miguel TorgaMiguel Torga
Miguel Torga
 
Miguel Torga
Miguel TorgaMiguel Torga
Miguel Torga
 
Miguel torga
Miguel torgaMiguel torga
Miguel torga
 
felizmentehaluar.pptx
felizmentehaluar.pptxfelizmentehaluar.pptx
felizmentehaluar.pptx
 
felizmentehaluar.pptx
felizmentehaluar.pptxfelizmentehaluar.pptx
felizmentehaluar.pptx
 
Autores amazonenses
Autores amazonensesAutores amazonenses
Autores amazonenses
 
Murilo Mendes
Murilo MendesMurilo Mendes
Murilo Mendes
 
Bibliografia i de jorge amado
Bibliografia i de jorge amadoBibliografia i de jorge amado
Bibliografia i de jorge amado
 
Grandes Livros : 2 De 1841 em diante
Grandes Livros : 2 De 1841 em dianteGrandes Livros : 2 De 1841 em diante
Grandes Livros : 2 De 1841 em diante
 
Autores prosa modernista 2º fase
Autores prosa modernista 2º faseAutores prosa modernista 2º fase
Autores prosa modernista 2º fase
 
Apresentação sobre a terceira geração do romantismo
Apresentação sobre a terceira geração do romantismoApresentação sobre a terceira geração do romantismo
Apresentação sobre a terceira geração do romantismo
 

Último

EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 

Último (20)

EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 

A flauta

  • 1. A FLAUTA Em 1933 nascia na Indiaaquele aquemfoi dadoo nome de Amartya,(que significaimortal),pelo seupadrinhoo poeta,filósofoe escritorRabindranathTagore,(1861-1941), galardoadoem1913 com o prémioNobel daLiteratura. AmartyaSen,de seunome completo,viriaigualmenteateruma carreira distintae seriatambém vencedordoNobel,(Economia-1988).Alémde economistafoi tambémfilósofo,tendotidocomo preocupaçãocentral da sua vidaacadémicao problemadapobreza,das desigualdadessociaise da justadistribuiçãodariqueza. No seulivro“A Ideiade Justiça”ele imaginoucomgrande simplicidade e clarezaumahistória cujosprotagonistassãotrêscrianças a que chamaremosMaria,Antónioe Joana,como sendouma maneirade conheceras escolhasque asdiferentesvisõesdaSociedadenosoferecem, “Três amigos,Maria,Antónioe Joanabrincam juntoscomuma flauta.Antóniofoi quemafez, Maria é quema sabe tocar e a Joana,que é muitopobre,temnelaa únicacoisa com que pode brincar.Porémas respectivasfamiliasvãopartirparadestinosdistintose opequenogruposerá separado.Põe-se portantoaquestão:Quemdeveráficarcom a flauta?” Diz AmartyaSenque não existe nenhumresultadoque possaserreconhecidouniversalmente como sendocompletamentejusto,e que adecisãodepende doentendimentoque cadaumtem sobre o que deve sera Justiça: A Joana,sendoa maispobre,teriao apoioincondicional dosEgualitários,enquantoque oAntónio teriado seuladoos Libertários,ficandoaMaria a ser defendidapelosUtilitaristas. E como a Justiçanãoé um ideal monolítico,masumconceitopluralista,possuindovárias dimensões,todostêmumaparcelade razão : Os Libertáriosargumentamque se Antónioconhecesse asregrasque possibilitariamque eleno futuropudesse viraser privadodofrutodo seutrabalho,a flauta,entãonãoa teriafeito. Já os Igualitárias,aquelesque queremque sejaaJoana a beneficiadaporserpobre,achamque cada um deve receberde acordocom as suasnecessidadese lembramoque defendiaAnton Menger,um dospioneirosnadefesadoEstadoSocial,aolembrarque havendocidadãosmais vulneráveisdoque outros,algunsmesmoincapazesde seremauto-suficientes,logo osque produzemnãopoderiamficarcoma totalidade doproduzido,cabendoaoEstadoo papel de redistribuidordariqueza. E finalmente osUtilitaristasnãotêmdúvidasde que oque deve prevaleceré adefesadafunção social da riquezae que estadeve pertenceraquemtemmérito,aquemmelhora saibautilizar.
  • 2. Logo indiscutivelmente aflautadeveriaserparaMaria, a únicaque a sabe tocar, porque senão qual seriaa sua utilidade ? Temosassimque não é possivel condenaràpartidanenhumadestasposiçõesque se baseiamem argumentosracionaise que sãorespectivamente odesejode realizaropotencial humano(Maria), a eliminaçãodapobreza(Joana),e odireitode cadaum gozar o frutodo seutrabalho(António). Mas, segundoAmartyaSen,é no entantonecessárioestablecerprioridadessegundootipode Sociedade emque queremosvivere se desejarmoseliminarasinjustiçasque estãoaonosso alcance.O argumentoque usaa impossibilidade de realizarummundototalmentejusto,de erradicara fome e a pobreza,nãopode justificaracomplacenciaque levaàperpetuaçãode injustiçasgritantes,comosãooslucrosobscenosde minoriasobtidosàcustada misériade milhares.