SlideShare uma empresa Scribd logo
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ATENÇÃO AO
RECÉM-NASCIDO
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E
O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO
DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
“Não queremos fazer coisas diferentes, precisamos fazer
diferente o que já fazemos”!
(Autor desconhecido)
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
• Apresentar a técnica humanizada para a realização das medidas
antropométricas do recém-nascido pré-termo (peso, comprimento,
perímetro cefálico e perímetro torácico)
• Refletir sobre o papel da equipe de enfermagem no monitoramento do
crescimento do recém-nascido pré-termo
Objetivos dessa apresentação:
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
• A prematuridade é considerada a principal causa de óbito em menores de cinco anos,
especialmente no período neonatal.
• O recém-nascido pré-termo é extremamente vulnerável, visto que esta condição
influencia na redução da velocidade de seu crescimento, na imaturidade metabólica,
gastrointestinal e imunológica, bem como na presença de morbidades e intercorrências
que aumentam o risco nutricional e comprometem o seu desenvolvimento.
Introdução
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
• A nutrição no período intrauterino e pós-natal é fundamental, reforçando a relevância da
avaliação ponderal e a necessidade de vigilância dos fatores que influenciam no ganho ou
na perda de peso.
• A avaliação e monitoramento das medidas antropométricas dos recém-nascidos pré-
termo (peso, comprimento, perímetro cefálico e torácico) e as relações entre eles, são
úteis para acompanhar seu desenvolvimento.
• Estabelecer o monitoramento sistemático das medidas antropométricas, executadas com
precisão por membros da equipe de enfermagem e médica, permite a investigação e a
identificação do estado nutricional de recém-nascidos pré-termo.
Introdução
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
• As medidas antropométricas aferidas ao nascimento são: peso, comprimento, perímetro
cefálico e perímetro torácico
• Essas medidas permitem estabelecer relações e índices antropométricos, cuja principal
vantagem em relação aos valores isolados de peso ou de comprimento é a possibilidade de
avaliar de forma mais adequada o estado nutricional
• Isoladamente, o peso de nascimento é o dado antropométrico mais utilizado para predizer
o prognóstico de crescimento e de saúde em curto e longo prazo
• A frequência das indicações das mensurações podem variar de acordo com as
necessidades do neonato, de maneira geral o peso é um dado monitorado diariamente e o
comprimento e perímetro cefálico semanalmente
Medidas e índices antropométricos usados no período neonatal
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
A realização das medidas antropométricas deve abordar não apenas a acurácia das
mensurações, como também a importância em prover um ambiente adequado, levando em
conta o reflexo de nossas ações no desenvolvimento do neonato.
• Gerenciar as rotinas, elegendo os horários em que o recém-nascido esteja acordado para
realizar a mensuração dos dados antropométricos e preservar seus momentos de sono
profundo
• Manter o ambiente adequado para a prática segura
• Testar previamente os equipamentos e materiais necessários
• Realizar o procedimento com o apoio de outro profissional
• Embrulhar o bebê e efetuar a contenção facilitada
• Se possível, permitir que os pais acompanhem o procedimento
Treinamento da equipe
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
Equipamentos necessários
• Balança infantil digital externa: peso máximo até
15kg, com divisão de 5g e precisão de 1g
• Incubadora integrada com controle de peso:
peso máximo até 10kg com precisão de +/- de
0,2g com indicador de display de 0,2g com função
tara que permite que o bebê esteja embrulhado.
• Estadiômetro infantil tipo esteira: milimetrada
com precisão de medição de 0,5cm, cabeceira
fixa, cursor inferior.
• Fita métrica: marcada em centímetros e
milímetros, não extensível, com precisão de 1mm.
Balança digital externa Incubadora
integrada com
sistema de peso
Estadiômetro infantil
tipo esteira
Fita métrica não extensível
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
Técnica de aferição do peso do recém-nascido pré-termo
Manter em superfície plana,
ligar o equipamento
Uso da balança digital
• Verificar se a balança está em superfície plana, nivelada e
sem obstruções
• Ligar a balança com o equipamento vazio, apertar a tecla
“iniciar” e aguardar até aparecer 0000 no visor;
• Realizar a desinfecção do equipamento com quaternário de
amônio ou outro produto destinado a esta finalidade, de
acordo com protocolo institucional
• Higienizar as mãos
Assista ao vídeo
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
Técnica de aferição do peso do recém-nascido pré-termo
• Colocar um papel toalha sobre o equipamento e um
cueiro/fralda para embrulhar o bebê;
• Realizar a tara do equipamento com o cueiro/fralda;
• Despir e embrulhar o recém-nascido com o cueiro/fralda;
• Posicionar cuidadosamente o RN sobre a balança;
• Avaliar o peso indicado no visor, quando o visor parar de
piscar
• Registrar o peso em gramas.
Realizar a tara do
equipamento com cueiro
Colocar o RN embrulhado
para realização da pesagem
Uso da balança digital
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
• Verificar se a bandeja da incubadora está em posição neutra e sem
obstruções
• Elevar o recém-nascido e realizar a tara do equipamento
• Manter sobre o leito o cueiro/fralda
• Efetuar a tara com o recém-nascido elevado
Manter o RN no
leito em posição
neutra
Certificar que a
bandeja esteja
alinhada sem
encostar na
parede da
incubadora e, sem
obstrução.
Realizar a tara do
equipamento.
Elevar o RN até a finalização do
processo de tara do equipamento
Técnica de aferição do peso do recém-nascido pré-termo
Uso da incubadora integrada com sistema de pesagem
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
• Certifique-se a tara do equipamento pelo visor com apontamento de 0000
• Posicionar cuidadosamente o RN em decúbito dorsal no leito
• Avaliar o peso indicado no visor, quando o visor parar de piscar registre o peso em gramas
Certifique-se a tara com o visor
apontando 0000
Retornar o RN em posição dorsal Anotar o peso informado no visor em gramas
Técnica de aferição do peso do recém-nascido pré-termo
Uso da incubadora integrada com sistema de pesagem
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
Técnica de mensuração do comprimento
Realizar o procedimento em
dois profissionais e posicionar
o recém-nascido em
Plano Vertical de Frankfort.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
Técnica de mensuração do comprimento
• Utilizar o estadiômetro para a mensuração do comprimento
• Posicionar o infantômetro sobre uma superfície plana e estável
• Despir o RN da cintura para baixo
• Permanecer ao lado do equipamento e manter as pernas do
bebê esticadas e encostada na prancha com uma mão e mover
o cursor com a outra
• Manter, com auxílio de outro profissional, o alinhamento da
cabeça da criança de forma que a linha vertical entre o canal
auditivo e a parte inferior da órbita esteja perpendicular a placa
horizontal do equipamento (Plano Vertical de Frankfort).
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
Técnica de mensuração do comprimento
• Manter a cabeça posicionada, ombros e quadril paralelos a
cabeceira fixa; pernas e pés devem ser segurados com
movimentos firmes e delicados para a mensuração precisa
• Deslizar o cursor inferior até que toque os pés da criança
• Certificar que os pés estão em posição anatômica
• Registrar a mensuração encontrada após o cursor inferior ter
sido posicionado no último milímetro completo
Deslizar o cursor até que
toque os pés do neonato
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
Técnica de mensuração do perímetro cefálico (PC)
• Utilizar fita métrica não extensível e graduada em
centímetros;
• Certificar-se que a fita está com a face marcada em
centímetros para o lado de fora;
• Posicionar a fita acima da sobrancelha na região da
glabela (região frontal) e posteriormente na
proeminência occipital;
• Manter ponto zero no lado da cabeça do bebê, próximo
de quem faz a medida;
• Registrar a medida encontrada.
Mensuração do PC com fita
métrica não extensível
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
Verificação do perímetro
torácico em RN
• Realizar a mensuração com o neonato em
decúbito dorsal, tomando os mamilos como ponto
de referência
• Atentar para o ajuste da fita métrica.
Técnica de mensuração do perímetro torácico (PT)
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
INTERGROWTH-21st very preterm size at birth reference charts, 2016.
Os recém-nascidos pré-termo podem ser
acompanhados com as curvas de
crescimento pós-natal do INTERGROWTH
para peso, comprimento e perímetro
cefálico. Estas curvas são prescritivas,
multiétnicas, utilizaram a melhor
metodologia antropométrica e se ajustam
perfeitamente às curvas da OMS.
Curvas INTERGROWTH para as dimensões do recém-nascido
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
INTERGROWTH-21st very preterm size at birth reference charts, 2016.
Devem ser utilizadas até 64 semanas pós-
concepcionais, de Idade Gestacional
corrigida (IGc), quando o
acompanhamento das crianças deve ser
transferido para as curvas da
OMS/Ministério da Saúde.
Curvas INTERGROWTH para as dimensões do recém-nascido
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
• Brasil, Organização Mundial de Saúde. Quase 30 milhões de recém-nascidos prematuros e doentes necessitam de tratamento para sobreviver todos os anos. Brasília. WHO, 2018.
Acesso em 27 de Junho de 2020.
• Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Atenção à saúde do recém-nascido: guia para os profissionais de
saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. 4 v. : il. – (Série A. Normas e
Manuais Técnicas).
• SILVEIRA, Rita C.; PROCIANOY, Renato Soibelmann. Padrões de crescimento pós-natal do recém-nascido prematuro: como avaliar. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2019, vol.95, suppl.1,
pp.S42-S48. Epub Apr 18, 2019. ISSN 1678-4782. https://doi.org/10.1016/j.jped.2018.10.006. (fala da curva)
• FRANK, Elaine do Socorro Matos P. et al. O cuidado de enfermagem ao recém - nascido prematuro em unidade de terapia intensiva neonatal. Journal Of Specialist. Belém, p. 1-18.
set. 2018.
• Villar J, Giuliani F, Fenton TR, Ohuma EO, Ismail LC, Kennedy SH et al. INTERGROWTH-21st very preterm size at birth reference charts. Lancet 2016, 387(10021):844-45. doi:
10.1016/S0140-6736(16)00384-6
• Giuliani F, Ohuma E, Spada E, Bertino E, Al Dhaheri AS, Altman DG et al. Systematic review of the methodological quality of studies designed to create neonatal anthropometric
charts. Acta Paediatr 2015, 104(10):987-96.doi: 10.1111/apa.13112
• Villar J, Papageorghiou AT, Pang R, Lambert A, Ohuma EO, Purwar M et al. The likeness of fetal growth and newborn size across non-isolated populations in the INTERGROWTH-21st
Project: Fetal Growth Longitudinal Study and Newborn Cross-Sectional Study. Lancet Diabetes Endocrinol 2014, 2(10):781-92. doi: 10.1016/S0140-6736(16)00384-6)
• Villar J, Puglia F, Fenton T, Cheikh Ismail L, Staines-Urias E, Giuliani F et al. Body composition at birth and its relationship with neonatal anthropometric ratios: the Newborn Body
Composition Study of the INTERGROWTH-21st Project Pediatr Res 2017. doi: 10.1038/pr.2017.52.[Epub ahead of print]
• Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Atenção humanizada ao recém-nascido: Método Canguru : manual
técnico / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – 3. ed. – Brasília : Ministério da Saúde, 2017. 340 p.
• Villar J, Giuliani F, Fenton TR, Ohuma EO, Ismail LC, Kennedy SH et al. INTERGROWTH-21st very preterm size at birth reference charts. Lancet 2016, 387(10021):844-45.
Referências
ATENÇÃO AO
RECÉM-NASCIDO
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Material de 11 de julho de 2020
Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Eixo: Atenção ao Recém-nascido
Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal.
A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO
CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
chirlei ferreira
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologia
Amanda Corrêa
 
Exame Físico e Avaliação inicial do Recém Nascido
Exame Físico e Avaliação inicial do Recém NascidoExame Físico e Avaliação inicial do Recém Nascido
Exame Físico e Avaliação inicial do Recém Nascido
Samuel Cevidanes
 
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e NascimentoCuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditatoAula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Viviane da Silva
 
Exame Físico do RN
Exame Físico do RNExame Físico do RN
Exame Físico do RN
Herbert Souza
 
Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno
blogped1
 
Exame Físico em Pediatria
Exame Físico em PediatriaExame Físico em Pediatria
Exame Físico em Pediatria
Laped Ufrn
 
Mecanismo do-parto
Mecanismo do-partoMecanismo do-parto
Mecanismo do-parto
Jamilly Onofre
 
Doenças comuns em crianças.
Doenças comuns em crianças.Doenças comuns em crianças.
Doenças comuns em crianças.
Cintia da Cruz Silva
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Eduardo Gomes da Silva
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
blogped1
 
02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
Edna Rúbia Paulino de Oliveira
 
Fisiologia e mecanismo do trabalho de parto
Fisiologia e mecanismo do trabalho de partoFisiologia e mecanismo do trabalho de parto
Fisiologia e mecanismo do trabalho de parto
Karen Kaline
 
Cuidado ao Parto e Nascimento de Risco Habitual
Cuidado ao Parto e Nascimento de Risco HabitualCuidado ao Parto e Nascimento de Risco Habitual
Recem nascido
Recem nascidoRecem nascido
Recem nascido
Camila Nágila
 
Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011
jorge luiz dos santos de souza
 
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEMSAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
Centro Universitário Ages
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
Natasha Louise
 
Pré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção BásicaPré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção Básica
marianagusmao39
 

Mais procurados (20)

AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
 
Assistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologiaAssistência de enfermagem em neonatologia
Assistência de enfermagem em neonatologia
 
Exame Físico e Avaliação inicial do Recém Nascido
Exame Físico e Avaliação inicial do Recém NascidoExame Físico e Avaliação inicial do Recém Nascido
Exame Físico e Avaliação inicial do Recém Nascido
 
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e NascimentoCuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
Cuidado ao Recém-nascido no Parto e Nascimento
 
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditatoAula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
Aula assistência de enfermagem no puerperio imeditato
 
Exame Físico do RN
Exame Físico do RNExame Físico do RN
Exame Físico do RN
 
Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno
 
Exame Físico em Pediatria
Exame Físico em PediatriaExame Físico em Pediatria
Exame Físico em Pediatria
 
Mecanismo do-parto
Mecanismo do-partoMecanismo do-parto
Mecanismo do-parto
 
Doenças comuns em crianças.
Doenças comuns em crianças.Doenças comuns em crianças.
Doenças comuns em crianças.
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
 
02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.02 aula   Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
02 aula Assistência de enfermagem ao recém-nascido normal.
 
Fisiologia e mecanismo do trabalho de parto
Fisiologia e mecanismo do trabalho de partoFisiologia e mecanismo do trabalho de parto
Fisiologia e mecanismo do trabalho de parto
 
Cuidado ao Parto e Nascimento de Risco Habitual
Cuidado ao Parto e Nascimento de Risco HabitualCuidado ao Parto e Nascimento de Risco Habitual
Cuidado ao Parto e Nascimento de Risco Habitual
 
Recem nascido
Recem nascidoRecem nascido
Recem nascido
 
Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011
 
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEMSAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
 
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
5° AULA - Assistência de Enfermagem no PARTO-PUÉRPERIO.pptx
 
Pré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção BásicaPré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção Básica
 

Semelhante a A Equipe de Enfermagem e o Monitoramento do Crescimento do recém-nascido pré-termo

Aula 02- Dados Antoprométricos do RN.pptx
Aula 02- Dados Antoprométricos do RN.pptxAula 02- Dados Antoprométricos do RN.pptx
Aula 02- Dados Antoprométricos do RN.pptx
THAINALIMA25
 
Cuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda Gástrica
Cuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda GástricaCuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda Gástrica
Cuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda Gástrica
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
MANUSEIO MÍNIMO DO RECÉM-NASCIDO
MANUSEIO MÍNIMO DO RECÉM-NASCIDOMANUSEIO MÍNIMO DO RECÉM-NASCIDO
Sinais Vitais - Motta mg _leito_s_2011_sinais_vitais
Sinais Vitais - Motta mg _leito_s_2011_sinais_vitaisSinais Vitais - Motta mg _leito_s_2011_sinais_vitais
Sinais Vitais - Motta mg _leito_s_2011_sinais_vitais
Mônica Peixoto
 
Avaliação nutricional pré natal
Avaliação nutricional pré natalAvaliação nutricional pré natal
Avaliação nutricional pré natal
Ione Milhomem
 
Discutindo a Posição Canguru
Discutindo a Posição CanguruDiscutindo a Posição Canguru
cuidadornpar
cuidadornparcuidadornpar
cuidadornpar
ShesterDamaceno1
 
AULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdf
AULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdfAULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdf
AULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdf
KarineRibeiro57
 
slide_modulo_6.pdf
slide_modulo_6.pdfslide_modulo_6.pdf
slide_modulo_6.pdf
MarianaGevergi
 
Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?
Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?
Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?
Rural Pecuária
 
O leite ideal para o recém-nascido pré-termo e a transição da sonda para o peito
O leite ideal para o recém-nascido pré-termo e a transição da sonda para o peitoO leite ideal para o recém-nascido pré-termo e a transição da sonda para o peito
O leite ideal para o recém-nascido pré-termo e a transição da sonda para o peito
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Ambientes de atenção ao parto
Ambientes de atenção ao partoAmbientes de atenção ao parto
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método CanguruGarantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
admisao da gestante.pptx
admisao da gestante.pptxadmisao da gestante.pptx
admisao da gestante.pptx
DokiNorkis
 
AUXILIOS AO PARTO.pdf
AUXILIOS AO PARTO.pdfAUXILIOS AO PARTO.pdf
AUXILIOS AO PARTO.pdf
DboraSouza260425
 
Aula Saude da Mulher Puerpério.pptx
Aula Saude da Mulher Puerpério.pptxAula Saude da Mulher Puerpério.pptx
Aula Saude da Mulher Puerpério.pptx
VanessaAlvesDeSouza4
 
AULA 3 - Exame Físico da Criança.pptx
AULA 3 - Exame Físico da Criança.pptxAULA 3 - Exame Físico da Criança.pptx
AULA 3 - Exame Físico da Criança.pptx
AlefyLima2
 
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
Caroline Gomes
 
DNPM DESENVOLVIMENTO NEUROPISICOMOTOR EM CRIANÇAS
DNPM DESENVOLVIMENTO NEUROPISICOMOTOR EM CRIANÇASDNPM DESENVOLVIMENTO NEUROPISICOMOTOR EM CRIANÇAS
DNPM DESENVOLVIMENTO NEUROPISICOMOTOR EM CRIANÇAS
ssuser5b3ebd1
 
AULA 1.pptx promoção da saúde .material de apoio
AULA 1.pptx promoção da saúde .material de apoioAULA 1.pptx promoção da saúde .material de apoio
AULA 1.pptx promoção da saúde .material de apoio
ADELANEROCHA3
 

Semelhante a A Equipe de Enfermagem e o Monitoramento do Crescimento do recém-nascido pré-termo (20)

Aula 02- Dados Antoprométricos do RN.pptx
Aula 02- Dados Antoprométricos do RN.pptxAula 02- Dados Antoprométricos do RN.pptx
Aula 02- Dados Antoprométricos do RN.pptx
 
Cuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda Gástrica
Cuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda GástricaCuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda Gástrica
Cuidados com o Recém-nascido na UTI Neonatal: Posição Canguru e Sonda Gástrica
 
MANUSEIO MÍNIMO DO RECÉM-NASCIDO
MANUSEIO MÍNIMO DO RECÉM-NASCIDOMANUSEIO MÍNIMO DO RECÉM-NASCIDO
MANUSEIO MÍNIMO DO RECÉM-NASCIDO
 
Sinais Vitais - Motta mg _leito_s_2011_sinais_vitais
Sinais Vitais - Motta mg _leito_s_2011_sinais_vitaisSinais Vitais - Motta mg _leito_s_2011_sinais_vitais
Sinais Vitais - Motta mg _leito_s_2011_sinais_vitais
 
Avaliação nutricional pré natal
Avaliação nutricional pré natalAvaliação nutricional pré natal
Avaliação nutricional pré natal
 
Discutindo a Posição Canguru
Discutindo a Posição CanguruDiscutindo a Posição Canguru
Discutindo a Posição Canguru
 
cuidadornpar
cuidadornparcuidadornpar
cuidadornpar
 
AULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdf
AULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdfAULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdf
AULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdf
 
slide_modulo_6.pdf
slide_modulo_6.pdfslide_modulo_6.pdf
slide_modulo_6.pdf
 
Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?
Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?
Como saber o peso das novilhas leiteira sem balança?
 
O leite ideal para o recém-nascido pré-termo e a transição da sonda para o peito
O leite ideal para o recém-nascido pré-termo e a transição da sonda para o peitoO leite ideal para o recém-nascido pré-termo e a transição da sonda para o peito
O leite ideal para o recém-nascido pré-termo e a transição da sonda para o peito
 
Ambientes de atenção ao parto
Ambientes de atenção ao partoAmbientes de atenção ao parto
Ambientes de atenção ao parto
 
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método CanguruGarantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
Garantindo cuidado adequado ao RN com menos de 1.500g: Método Canguru
 
admisao da gestante.pptx
admisao da gestante.pptxadmisao da gestante.pptx
admisao da gestante.pptx
 
AUXILIOS AO PARTO.pdf
AUXILIOS AO PARTO.pdfAUXILIOS AO PARTO.pdf
AUXILIOS AO PARTO.pdf
 
Aula Saude da Mulher Puerpério.pptx
Aula Saude da Mulher Puerpério.pptxAula Saude da Mulher Puerpério.pptx
Aula Saude da Mulher Puerpério.pptx
 
AULA 3 - Exame Físico da Criança.pptx
AULA 3 - Exame Físico da Criança.pptxAULA 3 - Exame Físico da Criança.pptx
AULA 3 - Exame Físico da Criança.pptx
 
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
Planejamento Familiar - Saude da Mulher (Caroline Gomes - Enfermagem 2014.1)
 
DNPM DESENVOLVIMENTO NEUROPISICOMOTOR EM CRIANÇAS
DNPM DESENVOLVIMENTO NEUROPISICOMOTOR EM CRIANÇASDNPM DESENVOLVIMENTO NEUROPISICOMOTOR EM CRIANÇAS
DNPM DESENVOLVIMENTO NEUROPISICOMOTOR EM CRIANÇAS
 
AULA 1.pptx promoção da saúde .material de apoio
AULA 1.pptx promoção da saúde .material de apoioAULA 1.pptx promoção da saúde .material de apoio
AULA 1.pptx promoção da saúde .material de apoio
 

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)

Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e InfertilidadeDisbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em PediatriaPrevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Ansiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no ClimatérioAnsiedade e Depressão no Climatério
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no BrasilDesospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto NormalO Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadasDiabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Luto Perinatal
Luto PerinatalLuto Perinatal
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e ManejoAnafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e PuerpérioDiabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no BrasilRetomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na GestaçãoCuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?Fibrose Cística: como diagnosticar?
Osteogênese Imperfeita
Osteogênese ImperfeitaOsteogênese Imperfeita
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Desafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução AlimentarDesafios na Introdução Alimentar

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz) (20)

Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e InfertilidadeDisbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
 
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em PediatriaPrevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
 
Ansiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no ClimatérioAnsiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no Climatério
 
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
 
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
 
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no BrasilDesospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
 
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto NormalO Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadasDiabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
 
Luto Perinatal
Luto PerinatalLuto Perinatal
Luto Perinatal
 
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e ManejoAnafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e PuerpérioDiabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
 
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no BrasilRetomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
 
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na GestaçãoCuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
 
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
 
Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?
 
Osteogênese Imperfeita
Osteogênese ImperfeitaOsteogênese Imperfeita
Osteogênese Imperfeita
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
 
Desafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução AlimentarDesafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução Alimentar
 

A Equipe de Enfermagem e o Monitoramento do Crescimento do recém-nascido pré-termo

  • 1. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br ATENÇÃO AO RECÉM-NASCIDO A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
  • 2. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO “Não queremos fazer coisas diferentes, precisamos fazer diferente o que já fazemos”! (Autor desconhecido)
  • 3. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO • Apresentar a técnica humanizada para a realização das medidas antropométricas do recém-nascido pré-termo (peso, comprimento, perímetro cefálico e perímetro torácico) • Refletir sobre o papel da equipe de enfermagem no monitoramento do crescimento do recém-nascido pré-termo Objetivos dessa apresentação:
  • 4. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO • A prematuridade é considerada a principal causa de óbito em menores de cinco anos, especialmente no período neonatal. • O recém-nascido pré-termo é extremamente vulnerável, visto que esta condição influencia na redução da velocidade de seu crescimento, na imaturidade metabólica, gastrointestinal e imunológica, bem como na presença de morbidades e intercorrências que aumentam o risco nutricional e comprometem o seu desenvolvimento. Introdução
  • 5. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO • A nutrição no período intrauterino e pós-natal é fundamental, reforçando a relevância da avaliação ponderal e a necessidade de vigilância dos fatores que influenciam no ganho ou na perda de peso. • A avaliação e monitoramento das medidas antropométricas dos recém-nascidos pré- termo (peso, comprimento, perímetro cefálico e torácico) e as relações entre eles, são úteis para acompanhar seu desenvolvimento. • Estabelecer o monitoramento sistemático das medidas antropométricas, executadas com precisão por membros da equipe de enfermagem e médica, permite a investigação e a identificação do estado nutricional de recém-nascidos pré-termo. Introdução
  • 6. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO • As medidas antropométricas aferidas ao nascimento são: peso, comprimento, perímetro cefálico e perímetro torácico • Essas medidas permitem estabelecer relações e índices antropométricos, cuja principal vantagem em relação aos valores isolados de peso ou de comprimento é a possibilidade de avaliar de forma mais adequada o estado nutricional • Isoladamente, o peso de nascimento é o dado antropométrico mais utilizado para predizer o prognóstico de crescimento e de saúde em curto e longo prazo • A frequência das indicações das mensurações podem variar de acordo com as necessidades do neonato, de maneira geral o peso é um dado monitorado diariamente e o comprimento e perímetro cefálico semanalmente Medidas e índices antropométricos usados no período neonatal
  • 7. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO A realização das medidas antropométricas deve abordar não apenas a acurácia das mensurações, como também a importância em prover um ambiente adequado, levando em conta o reflexo de nossas ações no desenvolvimento do neonato. • Gerenciar as rotinas, elegendo os horários em que o recém-nascido esteja acordado para realizar a mensuração dos dados antropométricos e preservar seus momentos de sono profundo • Manter o ambiente adequado para a prática segura • Testar previamente os equipamentos e materiais necessários • Realizar o procedimento com o apoio de outro profissional • Embrulhar o bebê e efetuar a contenção facilitada • Se possível, permitir que os pais acompanhem o procedimento Treinamento da equipe
  • 8. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO Equipamentos necessários • Balança infantil digital externa: peso máximo até 15kg, com divisão de 5g e precisão de 1g • Incubadora integrada com controle de peso: peso máximo até 10kg com precisão de +/- de 0,2g com indicador de display de 0,2g com função tara que permite que o bebê esteja embrulhado. • Estadiômetro infantil tipo esteira: milimetrada com precisão de medição de 0,5cm, cabeceira fixa, cursor inferior. • Fita métrica: marcada em centímetros e milímetros, não extensível, com precisão de 1mm. Balança digital externa Incubadora integrada com sistema de peso Estadiômetro infantil tipo esteira Fita métrica não extensível
  • 9. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO Técnica de aferição do peso do recém-nascido pré-termo Manter em superfície plana, ligar o equipamento Uso da balança digital • Verificar se a balança está em superfície plana, nivelada e sem obstruções • Ligar a balança com o equipamento vazio, apertar a tecla “iniciar” e aguardar até aparecer 0000 no visor; • Realizar a desinfecção do equipamento com quaternário de amônio ou outro produto destinado a esta finalidade, de acordo com protocolo institucional • Higienizar as mãos Assista ao vídeo
  • 10. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO Técnica de aferição do peso do recém-nascido pré-termo • Colocar um papel toalha sobre o equipamento e um cueiro/fralda para embrulhar o bebê; • Realizar a tara do equipamento com o cueiro/fralda; • Despir e embrulhar o recém-nascido com o cueiro/fralda; • Posicionar cuidadosamente o RN sobre a balança; • Avaliar o peso indicado no visor, quando o visor parar de piscar • Registrar o peso em gramas. Realizar a tara do equipamento com cueiro Colocar o RN embrulhado para realização da pesagem Uso da balança digital
  • 11. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO • Verificar se a bandeja da incubadora está em posição neutra e sem obstruções • Elevar o recém-nascido e realizar a tara do equipamento • Manter sobre o leito o cueiro/fralda • Efetuar a tara com o recém-nascido elevado Manter o RN no leito em posição neutra Certificar que a bandeja esteja alinhada sem encostar na parede da incubadora e, sem obstrução. Realizar a tara do equipamento. Elevar o RN até a finalização do processo de tara do equipamento Técnica de aferição do peso do recém-nascido pré-termo Uso da incubadora integrada com sistema de pesagem
  • 12. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO • Certifique-se a tara do equipamento pelo visor com apontamento de 0000 • Posicionar cuidadosamente o RN em decúbito dorsal no leito • Avaliar o peso indicado no visor, quando o visor parar de piscar registre o peso em gramas Certifique-se a tara com o visor apontando 0000 Retornar o RN em posição dorsal Anotar o peso informado no visor em gramas Técnica de aferição do peso do recém-nascido pré-termo Uso da incubadora integrada com sistema de pesagem
  • 13. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO Técnica de mensuração do comprimento Realizar o procedimento em dois profissionais e posicionar o recém-nascido em Plano Vertical de Frankfort.
  • 14. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO Técnica de mensuração do comprimento • Utilizar o estadiômetro para a mensuração do comprimento • Posicionar o infantômetro sobre uma superfície plana e estável • Despir o RN da cintura para baixo • Permanecer ao lado do equipamento e manter as pernas do bebê esticadas e encostada na prancha com uma mão e mover o cursor com a outra • Manter, com auxílio de outro profissional, o alinhamento da cabeça da criança de forma que a linha vertical entre o canal auditivo e a parte inferior da órbita esteja perpendicular a placa horizontal do equipamento (Plano Vertical de Frankfort).
  • 15. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO Técnica de mensuração do comprimento • Manter a cabeça posicionada, ombros e quadril paralelos a cabeceira fixa; pernas e pés devem ser segurados com movimentos firmes e delicados para a mensuração precisa • Deslizar o cursor inferior até que toque os pés da criança • Certificar que os pés estão em posição anatômica • Registrar a mensuração encontrada após o cursor inferior ter sido posicionado no último milímetro completo Deslizar o cursor até que toque os pés do neonato
  • 16. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO Técnica de mensuração do perímetro cefálico (PC) • Utilizar fita métrica não extensível e graduada em centímetros; • Certificar-se que a fita está com a face marcada em centímetros para o lado de fora; • Posicionar a fita acima da sobrancelha na região da glabela (região frontal) e posteriormente na proeminência occipital; • Manter ponto zero no lado da cabeça do bebê, próximo de quem faz a medida; • Registrar a medida encontrada. Mensuração do PC com fita métrica não extensível
  • 17. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO Verificação do perímetro torácico em RN • Realizar a mensuração com o neonato em decúbito dorsal, tomando os mamilos como ponto de referência • Atentar para o ajuste da fita métrica. Técnica de mensuração do perímetro torácico (PT)
  • 18. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO INTERGROWTH-21st very preterm size at birth reference charts, 2016. Os recém-nascidos pré-termo podem ser acompanhados com as curvas de crescimento pós-natal do INTERGROWTH para peso, comprimento e perímetro cefálico. Estas curvas são prescritivas, multiétnicas, utilizaram a melhor metodologia antropométrica e se ajustam perfeitamente às curvas da OMS. Curvas INTERGROWTH para as dimensões do recém-nascido
  • 19. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO INTERGROWTH-21st very preterm size at birth reference charts, 2016. Devem ser utilizadas até 64 semanas pós- concepcionais, de Idade Gestacional corrigida (IGc), quando o acompanhamento das crianças deve ser transferido para as curvas da OMS/Ministério da Saúde. Curvas INTERGROWTH para as dimensões do recém-nascido
  • 20. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO • Brasil, Organização Mundial de Saúde. Quase 30 milhões de recém-nascidos prematuros e doentes necessitam de tratamento para sobreviver todos os anos. Brasília. WHO, 2018. Acesso em 27 de Junho de 2020. • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Atenção à saúde do recém-nascido: guia para os profissionais de saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. 4 v. : il. – (Série A. Normas e Manuais Técnicas). • SILVEIRA, Rita C.; PROCIANOY, Renato Soibelmann. Padrões de crescimento pós-natal do recém-nascido prematuro: como avaliar. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2019, vol.95, suppl.1, pp.S42-S48. Epub Apr 18, 2019. ISSN 1678-4782. https://doi.org/10.1016/j.jped.2018.10.006. (fala da curva) • FRANK, Elaine do Socorro Matos P. et al. O cuidado de enfermagem ao recém - nascido prematuro em unidade de terapia intensiva neonatal. Journal Of Specialist. Belém, p. 1-18. set. 2018. • Villar J, Giuliani F, Fenton TR, Ohuma EO, Ismail LC, Kennedy SH et al. INTERGROWTH-21st very preterm size at birth reference charts. Lancet 2016, 387(10021):844-45. doi: 10.1016/S0140-6736(16)00384-6 • Giuliani F, Ohuma E, Spada E, Bertino E, Al Dhaheri AS, Altman DG et al. Systematic review of the methodological quality of studies designed to create neonatal anthropometric charts. Acta Paediatr 2015, 104(10):987-96.doi: 10.1111/apa.13112 • Villar J, Papageorghiou AT, Pang R, Lambert A, Ohuma EO, Purwar M et al. The likeness of fetal growth and newborn size across non-isolated populations in the INTERGROWTH-21st Project: Fetal Growth Longitudinal Study and Newborn Cross-Sectional Study. Lancet Diabetes Endocrinol 2014, 2(10):781-92. doi: 10.1016/S0140-6736(16)00384-6) • Villar J, Puglia F, Fenton T, Cheikh Ismail L, Staines-Urias E, Giuliani F et al. Body composition at birth and its relationship with neonatal anthropometric ratios: the Newborn Body Composition Study of the INTERGROWTH-21st Project Pediatr Res 2017. doi: 10.1038/pr.2017.52.[Epub ahead of print] • Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Atenção humanizada ao recém-nascido: Método Canguru : manual técnico / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – 3. ed. – Brasília : Ministério da Saúde, 2017. 340 p. • Villar J, Giuliani F, Fenton TR, Ohuma EO, Ismail LC, Kennedy SH et al. INTERGROWTH-21st very preterm size at birth reference charts. Lancet 2016, 387(10021):844-45. Referências
  • 21. ATENÇÃO AO RECÉM-NASCIDO portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Material de 11 de julho de 2020 Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Eixo: Atenção ao Recém-nascido Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal. A EQUIPE DE ENFERMAGEM E O MONITORAMENTO DO CRESCIMENTO DO RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO