SlideShare uma empresa Scribd logo
A DISCIPLINA NA IGREJA
(HB 12.11)
E, na verdade, toda a correção, ao presente, não
parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois
produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados
por ela.
• Introdução
• Conceito
• Tipos de disciplina e seus propósitos
• Motivos que levam à disciplina
INTRODUÇÃO
• Desde o início da igreja cristã, fez-se necessário
o uso da disciplina eclesiástica.
• Paulo, apóstolo, ordenou que se aplicasse
disciplina eclesiástica ao faltoso da igreja de
Corinto (1Co 5.1-5,9-13).
(1Co 5.1)

1Geralmente se ouve que há entre vós fornicação, e fornicação
tal, que nem ainda entre os gentios se nomeia, como é haver
quem possua a mulher de seu pai.
2Estais ensoberbecidos, e nem ao menos vos entristecestes por
não ter sido dentre vós tirado quem cometeu tal ação.
3Eu, na verdade, ainda que ausente no corpo, mas presente no
espírito, já determinei, como se estivesse presente, que o que
tal ato praticou,
4Em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, juntos vós e o meu
espírito, pelo poder de nosso Senhor Jesus Cristo,
5Seja, este tal, entregue a Satanás para destruição da carne,
para que o espírito seja salvo no dia do Senhor Jesus.
(1Co 5.9-13)

9Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os
que se prostituem;
10Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste
mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os
idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo.
11Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que,
dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou
maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda
comais.
12Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de
fora? Não julgais vós os que estão dentro?
13Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai pois dentre vós a
esse iníquo.
Ele ensinou constantemente a importância do exercício da
disciplina eclesiástica (2Ts 3.6,14-15; Tt 1.10-14; 3.9-11).
6Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos
aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que
de nós recebeu.
14Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos
mistureis com ele, para que se envergonhe.
15Todavia não o tenhais como inimigo, mas admoestai-o como irmão.
Tito 1:10-14
10Porque há muitos desordenados, faladores, vãos e enganadores, principalmente os
da circuncisão,
11Aos quais convém tapar a boca; homens que transtornam casas inteiras ensinando o
que não convém, por torpe ganância.
12Um deles, seu próprio profeta, disse: Os cretenses são sempre mentirosos, bestas
ruins, ventres preguiçosos.
13Este testemunho é verdadeiro. Portanto, repreende-os severamente, para que sejam
sãos na fé.
14Não dando ouvidos às fábulas judaicas, nem aos mandamentos de homens que se
desviam da verdade.
Tito 3:9-11
9-Mas não entres em questões loucas,
genealogias e contendas, e nos debates
acerca da lei; porque são coisas inúteis e
vãs.
10- Ao homem hereje, depois de uma e
outra admoestação, evita-o,
11- Sabendo que esse tal está pervertido,
e peca, estando já em si mesmo
condenado.
• Jesus instituiu a disciplina na igreja quando
autorizou os apóstolos a proibirem ou
permitirem certos tipos de comportamento; este
é o poder de “ligar” e “desligar” pecados (Mt
18.18).
“Em verdade vos digo: Tudo o que vocês
ligarem na terra terá sido ligado no céu, e tudo
o que vocês desligarem na terra terá sido
desligado no céu.”
As “chaves do Reino” dadas primeiro a
Pedro e definidas com o poder de “ligar”
e “desligar” (Mt 16.19)

“E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na
terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será
desligado nos céus.”

têm sido entendidas comumente como a
autoridade para supervisionar a doutrina
e impor disciplina.
Essa autoridade foi dada por Cristo à
Igreja em geral e à sua liderança
ordenada em particular.
• Enquanto a igreja existir na terra, haverá pecado
no meio dela, porque ela é composta de homens
falhos
• Entretanto, o objetivo de Cristo para com Sua
igreja é apresentá-la a Si mesmo igreja gloriosa,
sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante,
mas santa e irrepreensível (Ef 5.27).
“27 Para a apresentar a si mesmo igreja
gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa
semelhante, mas santa e irrepreensível..”
Efésios 5:27
Daí a necessidade da aplicação da
disciplina eclesiástica. Manter a pureza e
santidade da igreja, pois é exigido dos
crentes que sejam santos (1Pe 1.15).
“Mas,

como é santo aquele que vos chamou,
sede vós também santos em toda a vossa
maneira de viver; (1 Pedro 1:15”)
• O exercício da disciplina na igreja é algo tão
importante, que o reformador João Calvino a
considerou, ao lado da proclamação da Palavra e
da administração dos sacramentos, uma das
marcas que distinguem a igreja verdadeira da
falsa.
Verdadeira
Igreja

Proclama a
Palavra

Ministra o
batismo e a ceia
Exerce a
disciplina
eclesiástica
• João Calvino foi um teólogo cristão francês. Calvino teve uma influência muito
grande durante a Reforma Protestante, uma influência que continua até hoje.
• Portanto, a forma deProtestantismo que ele ensinou e viveu é conhecida por alguns
pelo nome Calvinismo, embora o próprio Calvino tivesse repudiado contundentemente
este apelido. Esta variante do Protestantismo viria a ser bem sucedida em países como a
Suíça (país de origem),e outros.
• Nascido na Picardia, ao norte da França, foi batizado com o nome de Jean Cauvin.
• A tradução do apelido de família "Cauvin" para o latim Calvinus deu a origem ao nome
"Calvin", pelo qual se tornou conhecido.
• Calvino nunca foi ordenado sacerdote. Depois do seu afastamento da Igreja católica, este intelectual começou a ser
visto, gradualmente, como a voz do movimento protestante, pregando em igrejas e acabando por ser reconhecido
por muitos como "padre". Vítima das perseguições aos protestantes na França, fugiu para Genebra em 1536, onde
faleceu em 1564. Genebra tornou-se definitivamente num centro do protestantismo Europeu e João Calvino
permanece até hoje uma figura central da história da cidade e da Suíça1 .
• Martinho Lutero escreveu as suas 95 teses em 1517, quando Calvino tinha oito anos de idade. Para muitos Calvino
terá sido para a língua francesa aquilo que Lutero foi para a língua alemã - uma figura quase paternal. Lutero era
dotado de uma retórica mais direta, por vezes grosseira, enquanto que Calvino tinha um estilo de pensamento
mais refinado e geométrico.
Conceito
Disciplina

Mesma raiz

Latim: discere
= aprender

Discipulado
• Para produzir discípulos maduros, o
aprendizado, a devoção, a adoração, a justiça e o
serviço cristãos devem todos ser ensinados num
contexto de cuidado e responsabilidade entre os
crentes.

Ensino sem
disciplina

Gera

Crentes
imaturos,
descuidados e
sem responsabilidade
• Aurélio: “Ordem que convém ao funcionamento
regular de uma organização”.
• Neste caso, a disciplina é vista também como o
conjunto de ordens regidas num estatuto de uma
igreja.
• Um conjunto de regras a serem observadas para
o bom funcionamento da instituição igreja.
• Aplicação de certas penalidades a membros de
uma igreja por quebrar certas regras.
• Suspensão da comunhão.
O que não é disciplina
• Despotismo
Característica da
Igreja Medieval:
punição sem
explicação.

Característica
presente em muitas
igrejas hoje:
punição sem
motivos.
• Discriminação
Quando o
membro punido é
abandonado pela
igreja.

Quando o
membro punido
se recusa a
receber a
punição.

A família cristã não
deve desistir do seu
membro que caiu
(2Co 2.7,8,11).

O estúpido ama o
pecado e deseja seguilo, então acusa a igreja
de discriminação (Pv
12.1)

7De maneira que pelo contrário deveis antes perdoar-lhe e
consolá-lo, para que o tal não seja de modo algum
devorado de demasiada tristeza.
8Por isso vos rogo que confirmeis para com ele o vosso
amor.
11Porque não ignoramos os seus ardís.

1.O que ama a instrução ama o
conhecimento, mas o que odeia a
repreensão é estúpido.
• Arbitrariedade
Por parte da
liderança, quando
pune por
conveniência.

A liderança não tem o
direito de punir sem
motivo.

Quando o membro
não reconhece a
autoridade
eclesiástica.

A autoridade não vem de
quem pune, mas do
Cabeça da Igreja.
Tipos de disciplina
• Disciplina formativa: é aquela dada no
discipulado ao novo convertido, bem como nos
ensinos bíblicos e as regras que constam nos
estatutos e regimentos da igreja.
• Esta disciplina, como já diz o nome tem o
objetivo de formar o cristão no ensino da palavra
e aperfeiçoamento do caráter, ao obedecer as
regras de sua igreja.
• Disciplina reformativa: é aquela que chama a
atenção do faltoso ao fato de que ele transgride
em alguma(s) das regras que ele já conhece.
Ela pode ser feita em duas etapas
Numa abordagem
individual: aqui é
papel de qualquer
crente, não só do
pastor (Mt 18.15)

15.Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e
repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir,
ganhaste a teu irmão;

Numa admoestação
privada na presença de
testemunhas: isso
intimida o ofensor e o
conscientiza dos efeitos
coletivos de seus
pecados (Mt 18.16)
16.Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um
ou dois, para que pela boca de duas ou três
testemunhas toda a palavra seja confirmada.
• Na abordagem individual, o repreensor deve agir
em amor para com o repreendido (Pv 15.1;
27.5,6; Gl 6.1).
15.1.“A resposta branda desvia o furor, mas a palavra
dura suscita a ira.”
27.5.”Melhor é a repreensão franca do que o amor
encoberto.”
6 Quem fere por amor mostra lealdade, mas o inimigo
multiplica beijos.
6.1.”Irmãos, se algum homem chegar a ser surpreendido
nalguma ofensa, vós, que sois espirituais, encaminhai o
tal com espírito de mansidão; olhando por ti mesmo, para
que não sejas também tentado.”
• Mesmo assim deve haver um confronto do seu pecado
(Mt 18.15). “Arguir”. Quer dizer “denunciar”, “trazer à
luz”, “expor” (entre os dois)
“Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te
ouvir, ganhaste a teu irmão” ( MT 18.15)

Já na admoestação privada na presença de testemunhas,
a objetividade do caso é preservada, o que diminui as
chances de injustiça, e o ofensor é beneficiado, apesar de
estar agora consciente de que há testemunhas de seu
pecado.
Casos de notoriedade pública não
devem ser tratados em segredo,
pois o ofensor não teve receio em
pecar publicamente, também a
liderança não deve ter receio em
puni-lo na presença da igreja
(1Tm 5.20 - inclui os que “vivem”
no pecado).
“Aos que pecarem, repreende-os na presença de todos, para
que também os outros tenham temor.” (1Tm 5.20 )
• Disciplina punitiva: é aquela que pune o
transgressor quando este se mostra impenitente,
ou quando seu pecado é de notoriedade pública
(1Co 5.1). “Geralmente se ouve que há entre vós fornicação, e fornicação
E, se ele
não os
atender,
•
dize-o à
igreja (Mt
18.17a).

tal, que nem ainda entre os gentios se nomeia, como é haver
quem possua a mulher de seu pai.”

Impenitente 1 Que não é penitente. 2 Que continua no             
                       pecado. 3Contumaz no erro ou no crime.

“E, se não as escutar,
dize-o à igreja; e, se
também não escutar a
igreja, considera-o como
um gentio e publicano.”

O fato de dizer à igreja já
indica punição (ainda não a
excomunhão), uma vez que
o impenitente não deu
ouvidos à repreensão feita
antes pelo irmão e pelas
testemunhas. Não deve ser
considerado violação de
segredo, pois o ofensor
deliberadamente recusou
os caminhos prévios do
arrependimento.
• Essa punição pode
restringir a
participação do
ofensor dos privilégios
de membresia da
igreja, bem como da
participação do
sacramento da ceia do
Senhor (1Co 11.27-32)

(1Co 11.27-32)
“Portanto, qualquer que comer este pão,
ou beber o cálice do Senhor
indignamente, será culpado do corpo e
do sangue do Senhor.
Examine-se, pois, o homem a si mesmo,
e assim coma deste pão e beba deste
cálice.
Porque o que come e bebe
indignamente, come e bebe para sua
própria condenação, não discernindo o
corpo do Senhor.
Por causa disto há entre vós muitos
fracos e doentes, e muitos que dormem.
Porque, se nós nos julgássemos a nós
mesmos, não seríamos julgados.
Mas, quando somos julgados, somos
repreendidos pelo Senhor, para não
sermos condenados com o mundo.”
• Disciplina exclusiva: (no sentido de excluir da
comunhão dos santos). Leia Mt 18.17b.
“se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e
publicano.”

• O “considerar como gentio e publicano” no dizer
de Jesus equivale a excomunhão da igreja.
• Esta disciplina torna a pessoa somente uma
ouvinte da palavra de Deus, por se tratar de um
lugar publico, ela somente não faria mais parte
do rol de membresia da igreja.
• Outras expressões bíblicas para a excomunhão:

“Desligar” (Mt 18.18)
“Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e
tudo o que desligardes na terra será desligado no céu.”

“Entregar a Satanás” (1Co 5.5; 1Tm 1.20)
“Seja, este tal, entregue a Satanás para destruição da carne, para que o
espírito seja salvo no dia do Senhor Jesus.”
“E entre esses foram Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás,
para que aprendam a não blasfemar.”
“Reter os pecados” (Jo 20.23)
“aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e àqueles a quem
os retiverdes lhes são retidos.”

“Afastar-se do culpado” (Rm 16.17; 1Co 5.9; 2Ts
3.14; 2Jo 1.10)
“E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos
contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles.”
“Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e
não vos mistureis com ele, para que se envergonhe.”
“Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em
casa, nem tampouco o saudeis.”
“Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se
prostituem;”
Outros tipos de disciplina
Disciplina Divina: Deus mesmo corrige
Seus filhos (At 5.1-11)
1.Mas um certo homem chamado Ananias, com Safira, sua mulher, vendeu uma propriedade,
2.E reteve parte do preço, sabendo-o também sua mulher; e, levando uma parte, a depositou
aos pés dos apóstolos.
3.Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao
Espírito Santo, e retivesses parte do preço da herdade?
4.Guardando-a não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste
este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus.
5.E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E um grande temor veio sobre todos os
que isto ouviram.
6.E, levantando-se os moços, cobriram o morto e, transportando-o para fora, o sepultaram.
7.E, passando um espaço quase de três horas, entrou também sua mulher, não sabendo o
que havia acontecido.
8.E disse-lhe Pedro: Dize-me, vendestes por tanto aquela herdade? E ela disse: Sim, por
tanto.
9.Então Pedro lhe disse: Por que é que entre vós vos concertastes para tentar o Espírito do
Senhor? Eis aí à porta os pés dos que sepultaram o teu marido, e também te levarão a ti.
10.E logo caiu aos seus pés, e expirou. E, entrando os moços, acharam-na morta, e a
sepultaram junto de seu marido.
11.E houve um grande temor em toda a igreja, e em todos os que ouviram estas coisas.
Disciplina Própria: nós mesmos nos
corrigimos, evitando o erro e, quando
erramos nos comprometemos em não
mais errar (1Co 11.31)
“Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos
julgados.”
Disciplina no lar: os pais
corrigem seus filhos (Ef 6.4)
E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na
doutrina e admoestação do Senhor.
Provérbios 22:6 "Ensina a criança o caminho que deve andar e
ainda quando for velho, não se desviará dele.”
(Gálatas 6:7)“Aquilo que o homem semear, isso também
ceifará”
Desobediência precisa ser castigada:
“Castiga o teu filho, enquanto há esperança” (Provérbios 19:18;
cf. 23:13 )
Não se deve perguntar: “com
que direito a igreja disciplina?”
Mas a pergunta a ser feita é:
“Com que direito um membro da
Igreja do Cordeiro profana o
sangue da aliança e ultraja o
Espírito da graça?” (Hb 10.29)
De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor
aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da
aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da
graça?
Propósitos da disciplina
Manter a reputação de Deus
(Rm 2.23,24). Deus é santo
e exige que o seu povo
também o seja e que haja
santidade na sua
congregação (Sl 93.5)

Salvar a alma do crente e
restaurá-lo à comunhão
com Deus e com a igreja (Mt
18.15; Tg 5.19,20; 2Co 2.7,8;
10.8; Hb 12.6-11; 2Ts 3.6-15;
2Tm 2.22-26).

Proteger a pureza moral e a
integridade doutrinária da
igreja (1Co 5.6,7; 2Jo 7-11;
1Tm 1.13). A igreja não pode
tolerar o pecado (Ap 2.20).

Dissuadir outros a não
pecarem, temendo a
disciplina (1Tm 5.20; At
5.11).
A disciplina não é
obrigatoriamente sinônimo de
exclusão, assim como o
remédio para tratar um
membro doente não é a
amputação, senão em último
recurso. Isto ocorre
frequentemente por falta de
habilidade para tratar o caso e
por falta de misericórdia por
parte dos crentes. A disciplina
tem o propósito de educar,
corrigir, livrar do mau caminho
(Pv 5.22,23; 6.20,23)
• (Pv 5:22-23) 22-Quanto ao ímpio, as suas iniqüidades o
prenderão, e com as cordas do seu pecado será detido.
23-Ele morrerá, porque desavisadamente andou, e pelo
excesso da sua loucura se perderá.
• (Pv 6:20-23) 20-Filho meu, guarda o mandamento de teu
pai, e não deixes a lei da tua mãe;
21-Ata-os perpetuamente ao teu coração, e pendura-os ao
teu pescoço.
22-Quando caminhares, te guiará; quando te deitares, te
guardará; quando acordares, falará contigo.
23-Porque o mandamento é lâmpada, e a lei é luz; e as
repreensões da correção são o caminho da vida,
Motivos que levam à disciplina
• Divisões e escândalos
• Tt 3.10-1
• Atos 16:17-201). 17-Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava,
dizendo: Estes homens, que nos anunciam o caminho da
salvação, são servos do Deus Altíssimo.
18-E isto fez ela por muitos dias. Mas Paulo, perturbado,
voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te
mando que saias dela. E na mesma hora saiu.
19-E, vendo seus senhores que a esperança do seu lucro
estava perdida, prenderam Paulo e Silas, e os levaram à
praça, à presença dos magistrados.
20-E, apresentando-os aos magistrados, disseram: Estes
homens, sendo judeus, perturbaram a nossa cidade,
• Atos 20: 29-Porque eu sei isto que, depois da minha
partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não
pouparão ao rebanho;
30-E que de entre vós mesmos se levantarão homens que
falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos
após si.
• Romanos 16: 17-E rogo-vos, irmãos, que noteis os que
promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que
aprendestes; desviai-vos deles.
• Tito 3:10 -Ao homem hereje, depois de uma e outra
admoestação, evita-o,
11-Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando
já em si mesmo condenado.
Heresia
• (2 João 1 – 6,10)
6-E o amor é este: que andemos segundo os seus
mandamentos. Este é o mandamento, como já desde o
princípio ouvistes, que andeis nele.
7-Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os
quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este
tal é o enganador e o anticristo.
8-Olhai por vós mesmos, para que não percamos o que
temos ganho, antes recebamos o inteiro galardão.
9-Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina
de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina
de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho.
10-Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina,
não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis.
Imoralidade (1 Co 5.1)

• 1 Coríntios 5:1 -Geralmente se ouve que há entre vós
fornicação, e fornicação tal, que nem ainda entre os
gentios se nomeia, como é haver quem possua a mulher
de seu pai.
Casos que não precisam de punição

• Tropeço
• (Gl 6.1). 1-Irmãos, se algum homem chegar a ser
surpreendido nalguma ofensa, vós, que sois espirituais,
encaminhai o tal com espírito de mansidão; olhando por
ti mesmo, para que não sejas também tentado.
2-Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei
de Cristo.

• Neste caso o pecado não foi planejado e não era
costume da pessoa agir assim.
Dúvidas sobre doutrina

Jd (1:16-23)

• Judas (1:16-23) 16-Estes são murmuradores, queixosos da sua
sorte, andando segundo as suas concupiscências, e cuja boca diz
coisas mui arrogantes, admirando as pessoas por causa do
interesse.
17-Mas vós, amados, lembrai-vos das palavras que vos foram
preditas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo;
18-Os quais vos diziam que nos últimos tempos haveria
escarnecedores que andariam segundo as suas ímpias
concupiscências.
19-Estes são os que a si mesmos se separam, sensuais, que não
têm o Espírito.
• 20-Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre
a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo,
21-Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus,
esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo
para a vida eterna.
22-E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento;
23-E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo,
odiando até a túnica manchada da carne.

• Estas pessoas não são falsos ensinadores, mas precisam de
compaixão e esclarecimento.
Desordenado (2 Ts 3.6-14).
• 6-Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que
vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segundo a
tradição que de nós recebeu.
7-Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos
houvemos desordenadamente entre vós,
8-Nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e
fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós.
9-Não porque não tivéssemos autoridade, mas para vos dar em nós mesmos
exemplo, para nos imitardes.
10-Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se
alguém não quiser trabalhar, não coma também.
11-Porquanto ouvimos que alguns entre vós andam desordenadamente, não
trabalhando, antes fazendo coisas vãs.
12-A esses tais, porém, mandamos, e exortamos por nosso Senhor Jesus
Cristo, que, trabalhando com sossego, comam o seu próprio pão.
13-E vós, irmãos, não vos canseis de fazer o bem.
14-Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e
não vos mistureis com ele, para que se envergonhe.
• Esta pessoa intromete na vida de outros
• passa muito tempo nas casas dos outros falando
o que não deve;
• usa a Palavra publicamente para atacar outros.
• Toda a igreja deve mostrar que não está
gostando do seu comportamento e não deve dar
oportunidades para ele.
Conclusão
• A disciplina visa à restauração. Portanto, o
disciplinado deve ser acompanhado e orientado
pela igreja em todo o tempo da sua disciplina.
• Não deve ser afastado dos cultos de instrução e
oração, pois neste momento ele está fraco e
precisando alimentar seu espírito com as coisas
de Deus.
• O arrependido e disciplinado deve ser
genuinamente perdoado (Lc 17.3).
• Lucas 17:3-Olhai por vós mesmos. E, se teu
irmão pecar contra ti, repreende-o e, se ele se
arrepender, perdoa-lhe.
• REFLEXAO:
• Deus perdoa, mas a igreja local muitas vezes não
esquece, mas isola o irmão e o trata como se não
tivesse sido perdoado.
• A igreja precisa perdoar como Deus o faz (Mq
7.18,19).
18-Quem é Deus semelhante a ti, que perdoa a
iniqüidade, e que passa por cima da rebelião do restante
da sua herança? Ele não retém a sua ira para sempre,
porque tem prazer na sua benignidade.
19-Tornará a apiedar-se de nós; sujeitará as nossas
iniqüidades, e tu lançarás todos os seus pecados nas
profundezas do mar.
• Paulo exorta a igreja para que manifeste
perdão, conforto e reafirmação de amor
para com o arrependido, para que “o
mesmo não seja consumido por excessiva
tristeza” (2 Co 2.7-8).
• 2 Coríntios 2:7-8 De maneira que pelo contrário deveis
antes perdoar-lhe e consolá-lo, para que o tal não seja de
modo algum devorado de demasiada tristeza.
Por isso vos rogo que confirmeis para com ele o vosso
amor.
• Que nós sejamos observadores de nós mesmos e,
se por acaso, nos virmos em situação de
confronto, não nos acovardemos, mas
reconheçamos que temos autoridade espiritual
para levar com amor essa situação a uma
resolução!
• MUITO OBRIGADO E DEUS ABENÇOE AS
SUAS VIDAS !!!
• PB EDERSON APARECIDO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 6 eclesiologia
Aula 6   eclesiologiaAula 6   eclesiologia
Aula 6 eclesiologia
magnao2
 
Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
Luan Almeida
 
MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1
MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1
MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1
Natalino das Neves Neves
 
Lbj lição 3 a organização da igreja
Lbj lição 3   a organização da igrejaLbj lição 3   a organização da igreja
Lbj lição 3 a organização da igreja
boasnovassena
 
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptxSlides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Igreja Evangélica Assembleia de Deus Celebrando o Rei
 
Lição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da SalvaçãoLição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da Salvação
Éder Tomé
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
Ednilson do Valle
 
Slides Lição 12, CPAD, Vivendo no ESPÍRITO.pptx
Slides Lição 12, CPAD, Vivendo no ESPÍRITO.pptxSlides Lição 12, CPAD, Vivendo no ESPÍRITO.pptx
Slides Lição 12, CPAD, Vivendo no ESPÍRITO.pptx
Igreja Evangélica Assembleia de Deus Celebrando o Rei
 
2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
Joel Silva
 
Vida de oração
Vida de oraçãoVida de oração
Vida de oração
Márcio Melânia
 
A disciplina na igreja (Hb 12.11)
A disciplina na igreja (Hb 12.11)A disciplina na igreja (Hb 12.11)
A disciplina na igreja (Hb 12.11)
Pastor Adilson Lopes Oficial
 
Degraus da maturidade espiritual
Degraus da maturidade espiritualDegraus da maturidade espiritual
Degraus da maturidade espiritual
Eduardo Maciel
 
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águasLição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
Éder Tomé
 
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptxLição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
Celso Napoleon
 
Estudo biblico 22
Estudo biblico 22Estudo biblico 22
Estudo biblico 22
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
Lição 18 Apostasia da Fé
Lição 18   Apostasia da FéLição 18   Apostasia da Fé
Lição 18 Apostasia da Fé
Wander Sousa
 
Santa Ceia do Senhor
Santa Ceia do SenhorSanta Ceia do Senhor
Santa Ceia do Senhor
Almy Alves
 
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser SuestimadaLição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Éder Tomé
 
Lição 14 - Missões e a Volta do Senhor Jesus.pptx
Lição 14 - Missões e a Volta do Senhor Jesus.pptxLição 14 - Missões e a Volta do Senhor Jesus.pptx
Lição 14 - Missões e a Volta do Senhor Jesus.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 13 O Propósito de Missões - CPAD.pptx
Lição 13 O Propósito de Missões - CPAD.pptxLição 13 O Propósito de Missões - CPAD.pptx
Lição 13 O Propósito de Missões - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 

Mais procurados (20)

Aula 6 eclesiologia
Aula 6   eclesiologiaAula 6   eclesiologia
Aula 6 eclesiologia
 
Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
 
MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1
MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1
MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1
 
Lbj lição 3 a organização da igreja
Lbj lição 3   a organização da igrejaLbj lição 3   a organização da igreja
Lbj lição 3 a organização da igreja
 
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptxSlides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
 
Lição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da SalvaçãoLição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da Salvação
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
 
Slides Lição 12, CPAD, Vivendo no ESPÍRITO.pptx
Slides Lição 12, CPAD, Vivendo no ESPÍRITO.pptxSlides Lição 12, CPAD, Vivendo no ESPÍRITO.pptx
Slides Lição 12, CPAD, Vivendo no ESPÍRITO.pptx
 
2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
 
Vida de oração
Vida de oraçãoVida de oração
Vida de oração
 
A disciplina na igreja (Hb 12.11)
A disciplina na igreja (Hb 12.11)A disciplina na igreja (Hb 12.11)
A disciplina na igreja (Hb 12.11)
 
Degraus da maturidade espiritual
Degraus da maturidade espiritualDegraus da maturidade espiritual
Degraus da maturidade espiritual
 
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águasLição 07 - A ordenança do batismo em águas
Lição 07 - A ordenança do batismo em águas
 
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptxLição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
Lição 13 – O Mundo de Deus no Mundo dos Homens.pptx
 
Estudo biblico 22
Estudo biblico 22Estudo biblico 22
Estudo biblico 22
 
Lição 18 Apostasia da Fé
Lição 18   Apostasia da FéLição 18   Apostasia da Fé
Lição 18 Apostasia da Fé
 
Santa Ceia do Senhor
Santa Ceia do SenhorSanta Ceia do Senhor
Santa Ceia do Senhor
 
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser SuestimadaLição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
 
Lição 14 - Missões e a Volta do Senhor Jesus.pptx
Lição 14 - Missões e a Volta do Senhor Jesus.pptxLição 14 - Missões e a Volta do Senhor Jesus.pptx
Lição 14 - Missões e a Volta do Senhor Jesus.pptx
 
Lição 13 O Propósito de Missões - CPAD.pptx
Lição 13 O Propósito de Missões - CPAD.pptxLição 13 O Propósito de Missões - CPAD.pptx
Lição 13 O Propósito de Missões - CPAD.pptx
 

Destaque

Ebd Lições bíblicas 2016 aula 6 A lei ,carne e o Espírito.
Ebd Lições bíblicas 2016 aula 6 A lei ,carne e o Espírito.Ebd Lições bíblicas 2016 aula 6 A lei ,carne e o Espírito.
Ebd Lições bíblicas 2016 aula 6 A lei ,carne e o Espírito.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Disciplina: a terceira marca da igreja
Disciplina: a terceira marca da igrejaDisciplina: a terceira marca da igreja
Disciplina: a terceira marca da igreja
Robson Santana
 
Licao6
Licao6Licao6
Simboblo biblico
Simboblo biblicoSimboblo biblico
Simboblo biblico
Giovani Messias da Rosa
 
A Importância Da Sabedoria Humilde
A Importância Da Sabedoria HumildeA Importância Da Sabedoria Humilde
A Importância Da Sabedoria Humilde
Elias Moises
 
LIÇÃO 06 A EFICÁCIA DO TESTEMUNHO CRISTÃO
LIÇÃO 06  A EFICÁCIA DO TESTEMUNHO CRISTÃOLIÇÃO 06  A EFICÁCIA DO TESTEMUNHO CRISTÃO
LIÇÃO 06 A EFICÁCIA DO TESTEMUNHO CRISTÃO
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
 
Fermento Velho
Fermento VelhoFermento Velho
Fermento Velho
Izabel Cristina Fonseca
 
Digital | Fermento no Facebook
Digital | Fermento no FacebookDigital | Fermento no Facebook
Digital | Fermento no Facebook
Fermento Promo
 
Lição 4ª Disciplina e pureza na igreja
Lição 4ª Disciplina e pureza na igreja Lição 4ª Disciplina e pureza na igreja
Lição 4ª Disciplina e pureza na igreja
Igreja Presbiteriana Zona Sul
 
Psicofarmacologia seminário
Psicofarmacologia seminárioPsicofarmacologia seminário
Psicofarmacologia seminário
Wesley Rodrigues Santos
 
Sistema energético humano
Sistema energético humanoSistema energético humano
Sistema energético humano
Grupo Espírita Mensageiros
 
Pecado e Disciplina na Igreja
Pecado e Disciplina na IgrejaPecado e Disciplina na Igreja
Pecado e Disciplina na Igreja
Rogério Nunes
 
1 coríntios 4
1 coríntios 41 coríntios 4
1 coríntios 4
Dalila Melo
 
Estudo bíblico 21
Estudo bíblico 21Estudo bíblico 21
Estudo bíblico 21
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
A infidelidade conjugal
A infidelidade conjugalA infidelidade conjugal
A infidelidade conjugal
Moisés Sampaio
 
Prostituicao
ProstituicaoProstituicao
Prostituicao
Tharas On Line
 
Os deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumérios
Os deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumériosOs deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumérios
Os deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumérios
Robson Rocha
 
Prostituição
ProstituiçãoProstituição
Prostituição
breckenfeld
 
Prostituição
ProstituiçãoProstituição
Prostituição
Isabel Cabral
 
Lição 3 - O perigo das obras da carne
Lição 3 - O perigo das obras da carneLição 3 - O perigo das obras da carne
Lição 3 - O perigo das obras da carne
Ailton da Silva
 

Destaque (20)

Ebd Lições bíblicas 2016 aula 6 A lei ,carne e o Espírito.
Ebd Lições bíblicas 2016 aula 6 A lei ,carne e o Espírito.Ebd Lições bíblicas 2016 aula 6 A lei ,carne e o Espírito.
Ebd Lições bíblicas 2016 aula 6 A lei ,carne e o Espírito.
 
Disciplina: a terceira marca da igreja
Disciplina: a terceira marca da igrejaDisciplina: a terceira marca da igreja
Disciplina: a terceira marca da igreja
 
Licao6
Licao6Licao6
Licao6
 
Simboblo biblico
Simboblo biblicoSimboblo biblico
Simboblo biblico
 
A Importância Da Sabedoria Humilde
A Importância Da Sabedoria HumildeA Importância Da Sabedoria Humilde
A Importância Da Sabedoria Humilde
 
LIÇÃO 06 A EFICÁCIA DO TESTEMUNHO CRISTÃO
LIÇÃO 06  A EFICÁCIA DO TESTEMUNHO CRISTÃOLIÇÃO 06  A EFICÁCIA DO TESTEMUNHO CRISTÃO
LIÇÃO 06 A EFICÁCIA DO TESTEMUNHO CRISTÃO
 
Fermento Velho
Fermento VelhoFermento Velho
Fermento Velho
 
Digital | Fermento no Facebook
Digital | Fermento no FacebookDigital | Fermento no Facebook
Digital | Fermento no Facebook
 
Lição 4ª Disciplina e pureza na igreja
Lição 4ª Disciplina e pureza na igreja Lição 4ª Disciplina e pureza na igreja
Lição 4ª Disciplina e pureza na igreja
 
Psicofarmacologia seminário
Psicofarmacologia seminárioPsicofarmacologia seminário
Psicofarmacologia seminário
 
Sistema energético humano
Sistema energético humanoSistema energético humano
Sistema energético humano
 
Pecado e Disciplina na Igreja
Pecado e Disciplina na IgrejaPecado e Disciplina na Igreja
Pecado e Disciplina na Igreja
 
1 coríntios 4
1 coríntios 41 coríntios 4
1 coríntios 4
 
Estudo bíblico 21
Estudo bíblico 21Estudo bíblico 21
Estudo bíblico 21
 
A infidelidade conjugal
A infidelidade conjugalA infidelidade conjugal
A infidelidade conjugal
 
Prostituicao
ProstituicaoProstituicao
Prostituicao
 
Os deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumérios
Os deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumériosOs deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumérios
Os deuses da antiguidade, mesopotamia, fenicios, sumérios
 
Prostituição
ProstituiçãoProstituição
Prostituição
 
Prostituição
ProstituiçãoProstituição
Prostituição
 
Lição 3 - O perigo das obras da carne
Lição 3 - O perigo das obras da carneLição 3 - O perigo das obras da carne
Lição 3 - O perigo das obras da carne
 

Semelhante a A disciplina na igreja (hb 12.11)

PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
Pastor Natalino Das Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
Pastor Natalino Das Neves
 
Novo livro
Novo livroNovo livro
AS DIVISÕES NA IGREJA
AS DIVISÕES NA IGREJAAS DIVISÕES NA IGREJA
AS DIVISÕES NA IGREJA
Mauricio Dos Santos
 
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
IBC de Jacarepaguá
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
Pastor Natalino Das Neves
 
2021 2º trimestre jovem - lição 08
2021   2º trimestre jovem - lição 082021   2º trimestre jovem - lição 08
2021 2º trimestre jovem - lição 08
Joel Silva
 
O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)
Pastor Adilson Lopes Oficial
 
Boletim IPPI 01.12.2013
Boletim IPPI 01.12.2013Boletim IPPI 01.12.2013
Boletim IPPI 01.12.2013
Igreja Presbiteriana do Parque Ipê
 
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCAManual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
MINISTERIO IPCA.
 
Boletim IPPI 01.12.2013 c
Boletim IPPI 01.12.2013 cBoletim IPPI 01.12.2013 c
Boletim IPPI 01.12.2013 c
Igreja Presbiteriana do Parque Ipê
 
Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local
Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local
Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local
Ev.Antonio Vieira
 
Liao11 150911001747-lva1-app6892
Liao11 150911001747-lva1-app6892Liao11 150911001747-lva1-app6892
Liao11 150911001747-lva1-app6892
geraldo eliseu sobral
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
Joel Silva
 
Boletim IPC Limeira 051117
Boletim IPC Limeira 051117Boletim IPC Limeira 051117
Boletim IPC Limeira 051117
Adelson R. Dos Santos
 
9-Marcas-7-Disciplina-Biblica.pptx2_.pdf
9-Marcas-7-Disciplina-Biblica.pptx2_.pdf9-Marcas-7-Disciplina-Biblica.pptx2_.pdf
9-Marcas-7-Disciplina-Biblica.pptx2_.pdf
LucianoGuimaresMacdo
 
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Robson Rocha
 
Livro ebook-10-acusacoes-contra-a-igreja-moderna
Livro ebook-10-acusacoes-contra-a-igreja-modernaLivro ebook-10-acusacoes-contra-a-igreja-moderna
Livro ebook-10-acusacoes-contra-a-igreja-moderna
ETENAC - Escola Teológica Nova Aliança em Cristo
 

Semelhante a A disciplina na igreja (hb 12.11) (20)

PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
Novo livro
Novo livroNovo livro
Novo livro
 
AS DIVISÕES NA IGREJA
AS DIVISÕES NA IGREJAAS DIVISÕES NA IGREJA
AS DIVISÕES NA IGREJA
 
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
Aula 09 - Seminário Sobre a Igreja (Segunda Temporada)
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
2021 2º trimestre jovem - lição 08
2021   2º trimestre jovem - lição 082021   2º trimestre jovem - lição 08
2021 2º trimestre jovem - lição 08
 
O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)
 
Boletim IPPI 01.12.2013
Boletim IPPI 01.12.2013Boletim IPPI 01.12.2013
Boletim IPPI 01.12.2013
 
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCAManual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
 
Boletim IPPI 01.12.2013 c
Boletim IPPI 01.12.2013 cBoletim IPPI 01.12.2013 c
Boletim IPPI 01.12.2013 c
 
Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local
Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local
Liçao 11 A Organização de Uma Igreja Local
 
Liao11 150911001747-lva1-app6892
Liao11 150911001747-lva1-app6892Liao11 150911001747-lva1-app6892
Liao11 150911001747-lva1-app6892
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
 
Boletim IPC Limeira 051117
Boletim IPC Limeira 051117Boletim IPC Limeira 051117
Boletim IPC Limeira 051117
 
9-Marcas-7-Disciplina-Biblica.pptx2_.pdf
9-Marcas-7-Disciplina-Biblica.pptx2_.pdf9-Marcas-7-Disciplina-Biblica.pptx2_.pdf
9-Marcas-7-Disciplina-Biblica.pptx2_.pdf
 
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
 
Livro ebook-10-acusacoes-contra-a-igreja-moderna
Livro ebook-10-acusacoes-contra-a-igreja-modernaLivro ebook-10-acusacoes-contra-a-igreja-moderna
Livro ebook-10-acusacoes-contra-a-igreja-moderna
 

Último

Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Pastor Robson Colaço
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 

Último (20)

Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 

A disciplina na igreja (hb 12.11)

  • 1. A DISCIPLINA NA IGREJA (HB 12.11) E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela. • Introdução • Conceito • Tipos de disciplina e seus propósitos • Motivos que levam à disciplina
  • 2. INTRODUÇÃO • Desde o início da igreja cristã, fez-se necessário o uso da disciplina eclesiástica.
  • 3. • Paulo, apóstolo, ordenou que se aplicasse disciplina eclesiástica ao faltoso da igreja de Corinto (1Co 5.1-5,9-13).
  • 4. (1Co 5.1) 1Geralmente se ouve que há entre vós fornicação, e fornicação tal, que nem ainda entre os gentios se nomeia, como é haver quem possua a mulher de seu pai. 2Estais ensoberbecidos, e nem ao menos vos entristecestes por não ter sido dentre vós tirado quem cometeu tal ação. 3Eu, na verdade, ainda que ausente no corpo, mas presente no espírito, já determinei, como se estivesse presente, que o que tal ato praticou, 4Em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, juntos vós e o meu espírito, pelo poder de nosso Senhor Jesus Cristo, 5Seja, este tal, entregue a Satanás para destruição da carne, para que o espírito seja salvo no dia do Senhor Jesus.
  • 5. (1Co 5.9-13) 9Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem; 10Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. 11Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais. 12Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? 13Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai pois dentre vós a esse iníquo.
  • 6. Ele ensinou constantemente a importância do exercício da disciplina eclesiástica (2Ts 3.6,14-15; Tt 1.10-14; 3.9-11). 6Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu. 14Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe. 15Todavia não o tenhais como inimigo, mas admoestai-o como irmão. Tito 1:10-14 10Porque há muitos desordenados, faladores, vãos e enganadores, principalmente os da circuncisão, 11Aos quais convém tapar a boca; homens que transtornam casas inteiras ensinando o que não convém, por torpe ganância. 12Um deles, seu próprio profeta, disse: Os cretenses são sempre mentirosos, bestas ruins, ventres preguiçosos. 13Este testemunho é verdadeiro. Portanto, repreende-os severamente, para que sejam sãos na fé. 14Não dando ouvidos às fábulas judaicas, nem aos mandamentos de homens que se desviam da verdade.
  • 7. Tito 3:9-11 9-Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas, e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs. 10- Ao homem hereje, depois de uma e outra admoestação, evita-o, 11- Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando já em si mesmo condenado.
  • 8. • Jesus instituiu a disciplina na igreja quando autorizou os apóstolos a proibirem ou permitirem certos tipos de comportamento; este é o poder de “ligar” e “desligar” pecados (Mt 18.18). “Em verdade vos digo: Tudo o que vocês ligarem na terra terá sido ligado no céu, e tudo o que vocês desligarem na terra terá sido desligado no céu.”
  • 9. As “chaves do Reino” dadas primeiro a Pedro e definidas com o poder de “ligar” e “desligar” (Mt 16.19) “E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.” têm sido entendidas comumente como a autoridade para supervisionar a doutrina e impor disciplina. Essa autoridade foi dada por Cristo à Igreja em geral e à sua liderança ordenada em particular.
  • 10. • Enquanto a igreja existir na terra, haverá pecado no meio dela, porque ela é composta de homens falhos • Entretanto, o objetivo de Cristo para com Sua igreja é apresentá-la a Si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível (Ef 5.27). “27 Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível..” Efésios 5:27
  • 11. Daí a necessidade da aplicação da disciplina eclesiástica. Manter a pureza e santidade da igreja, pois é exigido dos crentes que sejam santos (1Pe 1.15). “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; (1 Pedro 1:15”)
  • 12. • O exercício da disciplina na igreja é algo tão importante, que o reformador João Calvino a considerou, ao lado da proclamação da Palavra e da administração dos sacramentos, uma das marcas que distinguem a igreja verdadeira da falsa. Verdadeira Igreja Proclama a Palavra Ministra o batismo e a ceia Exerce a disciplina eclesiástica
  • 13. • João Calvino foi um teólogo cristão francês. Calvino teve uma influência muito grande durante a Reforma Protestante, uma influência que continua até hoje. • Portanto, a forma deProtestantismo que ele ensinou e viveu é conhecida por alguns pelo nome Calvinismo, embora o próprio Calvino tivesse repudiado contundentemente este apelido. Esta variante do Protestantismo viria a ser bem sucedida em países como a Suíça (país de origem),e outros. • Nascido na Picardia, ao norte da França, foi batizado com o nome de Jean Cauvin. • A tradução do apelido de família "Cauvin" para o latim Calvinus deu a origem ao nome "Calvin", pelo qual se tornou conhecido. • Calvino nunca foi ordenado sacerdote. Depois do seu afastamento da Igreja católica, este intelectual começou a ser visto, gradualmente, como a voz do movimento protestante, pregando em igrejas e acabando por ser reconhecido por muitos como "padre". Vítima das perseguições aos protestantes na França, fugiu para Genebra em 1536, onde faleceu em 1564. Genebra tornou-se definitivamente num centro do protestantismo Europeu e João Calvino permanece até hoje uma figura central da história da cidade e da Suíça1 . • Martinho Lutero escreveu as suas 95 teses em 1517, quando Calvino tinha oito anos de idade. Para muitos Calvino terá sido para a língua francesa aquilo que Lutero foi para a língua alemã - uma figura quase paternal. Lutero era dotado de uma retórica mais direta, por vezes grosseira, enquanto que Calvino tinha um estilo de pensamento mais refinado e geométrico.
  • 15. • Para produzir discípulos maduros, o aprendizado, a devoção, a adoração, a justiça e o serviço cristãos devem todos ser ensinados num contexto de cuidado e responsabilidade entre os crentes. Ensino sem disciplina Gera Crentes imaturos, descuidados e sem responsabilidade
  • 16. • Aurélio: “Ordem que convém ao funcionamento regular de uma organização”. • Neste caso, a disciplina é vista também como o conjunto de ordens regidas num estatuto de uma igreja. • Um conjunto de regras a serem observadas para o bom funcionamento da instituição igreja. • Aplicação de certas penalidades a membros de uma igreja por quebrar certas regras. • Suspensão da comunhão.
  • 17. O que não é disciplina • Despotismo Característica da Igreja Medieval: punição sem explicação. Característica presente em muitas igrejas hoje: punição sem motivos.
  • 18. • Discriminação Quando o membro punido é abandonado pela igreja. Quando o membro punido se recusa a receber a punição. A família cristã não deve desistir do seu membro que caiu (2Co 2.7,8,11). O estúpido ama o pecado e deseja seguilo, então acusa a igreja de discriminação (Pv 12.1) 7De maneira que pelo contrário deveis antes perdoar-lhe e consolá-lo, para que o tal não seja de modo algum devorado de demasiada tristeza. 8Por isso vos rogo que confirmeis para com ele o vosso amor. 11Porque não ignoramos os seus ardís. 1.O que ama a instrução ama o conhecimento, mas o que odeia a repreensão é estúpido.
  • 19. • Arbitrariedade Por parte da liderança, quando pune por conveniência. A liderança não tem o direito de punir sem motivo. Quando o membro não reconhece a autoridade eclesiástica. A autoridade não vem de quem pune, mas do Cabeça da Igreja.
  • 20. Tipos de disciplina • Disciplina formativa: é aquela dada no discipulado ao novo convertido, bem como nos ensinos bíblicos e as regras que constam nos estatutos e regimentos da igreja. • Esta disciplina, como já diz o nome tem o objetivo de formar o cristão no ensino da palavra e aperfeiçoamento do caráter, ao obedecer as regras de sua igreja.
  • 21. • Disciplina reformativa: é aquela que chama a atenção do faltoso ao fato de que ele transgride em alguma(s) das regras que ele já conhece. Ela pode ser feita em duas etapas Numa abordagem individual: aqui é papel de qualquer crente, não só do pastor (Mt 18.15) 15.Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão; Numa admoestação privada na presença de testemunhas: isso intimida o ofensor e o conscientiza dos efeitos coletivos de seus pecados (Mt 18.16) 16.Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada.
  • 22. • Na abordagem individual, o repreensor deve agir em amor para com o repreendido (Pv 15.1; 27.5,6; Gl 6.1). 15.1.“A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.” 27.5.”Melhor é a repreensão franca do que o amor encoberto.” 6 Quem fere por amor mostra lealdade, mas o inimigo multiplica beijos. 6.1.”Irmãos, se algum homem chegar a ser surpreendido nalguma ofensa, vós, que sois espirituais, encaminhai o tal com espírito de mansidão; olhando por ti mesmo, para que não sejas também tentado.”
  • 23. • Mesmo assim deve haver um confronto do seu pecado (Mt 18.15). “Arguir”. Quer dizer “denunciar”, “trazer à luz”, “expor” (entre os dois) “Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão” ( MT 18.15) Já na admoestação privada na presença de testemunhas, a objetividade do caso é preservada, o que diminui as chances de injustiça, e o ofensor é beneficiado, apesar de estar agora consciente de que há testemunhas de seu pecado.
  • 24. Casos de notoriedade pública não devem ser tratados em segredo, pois o ofensor não teve receio em pecar publicamente, também a liderança não deve ter receio em puni-lo na presença da igreja (1Tm 5.20 - inclui os que “vivem” no pecado). “Aos que pecarem, repreende-os na presença de todos, para que também os outros tenham temor.” (1Tm 5.20 )
  • 25. • Disciplina punitiva: é aquela que pune o transgressor quando este se mostra impenitente, ou quando seu pecado é de notoriedade pública (1Co 5.1). “Geralmente se ouve que há entre vós fornicação, e fornicação E, se ele não os atender, • dize-o à igreja (Mt 18.17a). tal, que nem ainda entre os gentios se nomeia, como é haver quem possua a mulher de seu pai.” Impenitente 1 Que não é penitente. 2 Que continua no                                     pecado. 3Contumaz no erro ou no crime. “E, se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano.” O fato de dizer à igreja já indica punição (ainda não a excomunhão), uma vez que o impenitente não deu ouvidos à repreensão feita antes pelo irmão e pelas testemunhas. Não deve ser considerado violação de segredo, pois o ofensor deliberadamente recusou os caminhos prévios do arrependimento.
  • 26. • Essa punição pode restringir a participação do ofensor dos privilégios de membresia da igreja, bem como da participação do sacramento da ceia do Senhor (1Co 11.27-32) (1Co 11.27-32) “Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice. Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor. Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem. Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados. Mas, quando somos julgados, somos repreendidos pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo.”
  • 27. • Disciplina exclusiva: (no sentido de excluir da comunhão dos santos). Leia Mt 18.17b. “se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano.” • O “considerar como gentio e publicano” no dizer de Jesus equivale a excomunhão da igreja. • Esta disciplina torna a pessoa somente uma ouvinte da palavra de Deus, por se tratar de um lugar publico, ela somente não faria mais parte do rol de membresia da igreja.
  • 28. • Outras expressões bíblicas para a excomunhão: “Desligar” (Mt 18.18) “Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu.” “Entregar a Satanás” (1Co 5.5; 1Tm 1.20) “Seja, este tal, entregue a Satanás para destruição da carne, para que o espírito seja salvo no dia do Senhor Jesus.” “E entre esses foram Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para que aprendam a não blasfemar.”
  • 29. “Reter os pecados” (Jo 20.23) “aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e àqueles a quem os retiverdes lhes são retidos.” “Afastar-se do culpado” (Rm 16.17; 1Co 5.9; 2Ts 3.14; 2Jo 1.10) “E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles.” “Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe.” “Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis.” “Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem;”
  • 30. Outros tipos de disciplina Disciplina Divina: Deus mesmo corrige Seus filhos (At 5.1-11) 1.Mas um certo homem chamado Ananias, com Safira, sua mulher, vendeu uma propriedade, 2.E reteve parte do preço, sabendo-o também sua mulher; e, levando uma parte, a depositou aos pés dos apóstolos. 3.Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, e retivesses parte do preço da herdade? 4.Guardando-a não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus. 5.E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E um grande temor veio sobre todos os que isto ouviram. 6.E, levantando-se os moços, cobriram o morto e, transportando-o para fora, o sepultaram. 7.E, passando um espaço quase de três horas, entrou também sua mulher, não sabendo o que havia acontecido. 8.E disse-lhe Pedro: Dize-me, vendestes por tanto aquela herdade? E ela disse: Sim, por tanto. 9.Então Pedro lhe disse: Por que é que entre vós vos concertastes para tentar o Espírito do Senhor? Eis aí à porta os pés dos que sepultaram o teu marido, e também te levarão a ti. 10.E logo caiu aos seus pés, e expirou. E, entrando os moços, acharam-na morta, e a sepultaram junto de seu marido. 11.E houve um grande temor em toda a igreja, e em todos os que ouviram estas coisas.
  • 31. Disciplina Própria: nós mesmos nos corrigimos, evitando o erro e, quando erramos nos comprometemos em não mais errar (1Co 11.31) “Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados.”
  • 32. Disciplina no lar: os pais corrigem seus filhos (Ef 6.4) E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor. Provérbios 22:6 "Ensina a criança o caminho que deve andar e ainda quando for velho, não se desviará dele.” (Gálatas 6:7)“Aquilo que o homem semear, isso também ceifará” Desobediência precisa ser castigada: “Castiga o teu filho, enquanto há esperança” (Provérbios 19:18; cf. 23:13 )
  • 33. Não se deve perguntar: “com que direito a igreja disciplina?” Mas a pergunta a ser feita é: “Com que direito um membro da Igreja do Cordeiro profana o sangue da aliança e ultraja o Espírito da graça?” (Hb 10.29) De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça?
  • 34. Propósitos da disciplina Manter a reputação de Deus (Rm 2.23,24). Deus é santo e exige que o seu povo também o seja e que haja santidade na sua congregação (Sl 93.5) Salvar a alma do crente e restaurá-lo à comunhão com Deus e com a igreja (Mt 18.15; Tg 5.19,20; 2Co 2.7,8; 10.8; Hb 12.6-11; 2Ts 3.6-15; 2Tm 2.22-26). Proteger a pureza moral e a integridade doutrinária da igreja (1Co 5.6,7; 2Jo 7-11; 1Tm 1.13). A igreja não pode tolerar o pecado (Ap 2.20). Dissuadir outros a não pecarem, temendo a disciplina (1Tm 5.20; At 5.11).
  • 35. A disciplina não é obrigatoriamente sinônimo de exclusão, assim como o remédio para tratar um membro doente não é a amputação, senão em último recurso. Isto ocorre frequentemente por falta de habilidade para tratar o caso e por falta de misericórdia por parte dos crentes. A disciplina tem o propósito de educar, corrigir, livrar do mau caminho (Pv 5.22,23; 6.20,23)
  • 36. • (Pv 5:22-23) 22-Quanto ao ímpio, as suas iniqüidades o prenderão, e com as cordas do seu pecado será detido. 23-Ele morrerá, porque desavisadamente andou, e pelo excesso da sua loucura se perderá. • (Pv 6:20-23) 20-Filho meu, guarda o mandamento de teu pai, e não deixes a lei da tua mãe; 21-Ata-os perpetuamente ao teu coração, e pendura-os ao teu pescoço. 22-Quando caminhares, te guiará; quando te deitares, te guardará; quando acordares, falará contigo. 23-Porque o mandamento é lâmpada, e a lei é luz; e as repreensões da correção são o caminho da vida,
  • 37. Motivos que levam à disciplina • Divisões e escândalos • Tt 3.10-1 • Atos 16:17-201). 17-Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo. 18-E isto fez ela por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E na mesma hora saiu. 19-E, vendo seus senhores que a esperança do seu lucro estava perdida, prenderam Paulo e Silas, e os levaram à praça, à presença dos magistrados. 20-E, apresentando-os aos magistrados, disseram: Estes homens, sendo judeus, perturbaram a nossa cidade,
  • 38. • Atos 20: 29-Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho; 30-E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si. • Romanos 16: 17-E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles. • Tito 3:10 -Ao homem hereje, depois de uma e outra admoestação, evita-o, 11-Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando já em si mesmo condenado.
  • 39. Heresia • (2 João 1 – 6,10) 6-E o amor é este: que andemos segundo os seus mandamentos. Este é o mandamento, como já desde o princípio ouvistes, que andeis nele. 7-Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo. 8-Olhai por vós mesmos, para que não percamos o que temos ganho, antes recebamos o inteiro galardão. 9-Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho. 10-Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis.
  • 40. Imoralidade (1 Co 5.1) • 1 Coríntios 5:1 -Geralmente se ouve que há entre vós fornicação, e fornicação tal, que nem ainda entre os gentios se nomeia, como é haver quem possua a mulher de seu pai.
  • 41. Casos que não precisam de punição • Tropeço • (Gl 6.1). 1-Irmãos, se algum homem chegar a ser surpreendido nalguma ofensa, vós, que sois espirituais, encaminhai o tal com espírito de mansidão; olhando por ti mesmo, para que não sejas também tentado. 2-Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo. • Neste caso o pecado não foi planejado e não era costume da pessoa agir assim.
  • 42. Dúvidas sobre doutrina Jd (1:16-23) • Judas (1:16-23) 16-Estes são murmuradores, queixosos da sua sorte, andando segundo as suas concupiscências, e cuja boca diz coisas mui arrogantes, admirando as pessoas por causa do interesse. 17-Mas vós, amados, lembrai-vos das palavras que vos foram preditas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo; 18-Os quais vos diziam que nos últimos tempos haveria escarnecedores que andariam segundo as suas ímpias concupiscências. 19-Estes são os que a si mesmos se separam, sensuais, que não têm o Espírito.
  • 43. • 20-Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo, 21-Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna. 22-E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento; 23-E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne. • Estas pessoas não são falsos ensinadores, mas precisam de compaixão e esclarecimento.
  • 44. Desordenado (2 Ts 3.6-14). • 6-Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu. 7-Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos houvemos desordenadamente entre vós, 8-Nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. 9-Não porque não tivéssemos autoridade, mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes. 10-Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também. 11-Porquanto ouvimos que alguns entre vós andam desordenadamente, não trabalhando, antes fazendo coisas vãs. 12-A esses tais, porém, mandamos, e exortamos por nosso Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando com sossego, comam o seu próprio pão. 13-E vós, irmãos, não vos canseis de fazer o bem. 14-Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe.
  • 45. • Esta pessoa intromete na vida de outros • passa muito tempo nas casas dos outros falando o que não deve; • usa a Palavra publicamente para atacar outros. • Toda a igreja deve mostrar que não está gostando do seu comportamento e não deve dar oportunidades para ele.
  • 46. Conclusão • A disciplina visa à restauração. Portanto, o disciplinado deve ser acompanhado e orientado pela igreja em todo o tempo da sua disciplina. • Não deve ser afastado dos cultos de instrução e oração, pois neste momento ele está fraco e precisando alimentar seu espírito com as coisas de Deus. • O arrependido e disciplinado deve ser genuinamente perdoado (Lc 17.3).
  • 47. • Lucas 17:3-Olhai por vós mesmos. E, se teu irmão pecar contra ti, repreende-o e, se ele se arrepender, perdoa-lhe. • REFLEXAO:
  • 48. • Deus perdoa, mas a igreja local muitas vezes não esquece, mas isola o irmão e o trata como se não tivesse sido perdoado. • A igreja precisa perdoar como Deus o faz (Mq 7.18,19). 18-Quem é Deus semelhante a ti, que perdoa a iniqüidade, e que passa por cima da rebelião do restante da sua herança? Ele não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na sua benignidade. 19-Tornará a apiedar-se de nós; sujeitará as nossas iniqüidades, e tu lançarás todos os seus pecados nas profundezas do mar.
  • 49. • Paulo exorta a igreja para que manifeste perdão, conforto e reafirmação de amor para com o arrependido, para que “o mesmo não seja consumido por excessiva tristeza” (2 Co 2.7-8). • 2 Coríntios 2:7-8 De maneira que pelo contrário deveis antes perdoar-lhe e consolá-lo, para que o tal não seja de modo algum devorado de demasiada tristeza. Por isso vos rogo que confirmeis para com ele o vosso amor.
  • 50. • Que nós sejamos observadores de nós mesmos e, se por acaso, nos virmos em situação de confronto, não nos acovardemos, mas reconheçamos que temos autoridade espiritual para levar com amor essa situação a uma resolução!
  • 51. • MUITO OBRIGADO E DEUS ABENÇOE AS SUAS VIDAS !!! • PB EDERSON APARECIDO