SlideShare uma empresa Scribd logo
70 O Instalador Dezembro 2017 www.oinstalador.com
Em 1992, cerca de 1.700 cientistas, já preocu-
pados com a dimensão dos problemas am-
bientais, assinaram um artigo, intitulado “Alerta
dos Cientistas do Mundo à Humanidade”,
publicado na revista da Union of Concerned
Scientists. O artigo que foi o primeiro aviso
da comunidade científica, refere o seguinte:
Os seres humanos e o mundo natural estão
em colisão. As actividades humanas causam
danos severos e, por vezes, irreversíveis no
ambiente e nos recursos. Nesse mesmo arti-
go, os cientistas alertaram para o crescimento
rápido da população humana mundial e os
problemas associados, que estavam a fazer-
-se sentir na altura, nomeadamente a destrui-
ção da camada de ozono, do solo arável, dos
recursos hídricos, das zonas costeiras e a ex-
tinção de espécies. As soluções apresentadas
Opinião
AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
A Ciência (que) quer salvar
a Humanidade – porque em
breve será tarde demais
Texto_Jorge Moreira [Ambientalista e Investigador]
Fotos_Internet
Estamos a destruir a natureza e os ecossistemas e é a natureza que nos suporta e fornece
recursos. Quando destruímos, estamos também a destruir-nos. Essa é a mensagem: não está
em causa a Terra como um recurso natural, está em causa a espécie homo sapiens sapiens.
Por isso trata-se de um aviso à humanidade
Cristina Branquinho,
subscritora do “Aviso dos cientistas do mundo à Humanidade: um segundo alerta”
Foto_Plastic Oceans Foundation
[editada pelo The Telegraph]
O Instalador Dezembro 2017 www.oinstalador.com 71
Opinião
AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
recaiam sobre a estabilização da população,
a diminuição do consumo e o controlo das
actividades danosas para o ambiente.
Passados 25 anos, e perante um cenário
ainda mais devastador, os cientistas voltam
a avisar a humanidade, agora em maior nú-
mero e intensidade discursiva. Foram 15.364
elementos da comunidade científica, alguns
deles laureados com o Nobel, de 184 países,
incluindo mais de 200 portugueses.
A nova carta aberta dirigida à Humanidade é
um alerta para a ameaça que paira sobre a
continuidadedanossaespécie.Curiosamente,
não estamos perante um evento catastrófico à
escala global, como de um corpo celeste que
se dirige ameaçador contra o nosso planeta
ou na iminência de uma série de cataclismos
naturais à superfície. Trata-se simplesmente
da ação humana, em franco crescimento
sobre os recursos naturais, que tem levado
à perda desastrosa da biodiversidade e dos
serviços que suportam a vida na Terra. Desde
o primeiro aviso, todos os cenários ambientais
se agravaram, exceto no que concerne à
camada de ozono estratosférico, que nos
protege dos raios ultravioletas nocivos.
Os autores da carta, liderados pelo ecologista
William Ripple e publicada como artigo na
revista BioScience, basearam os seus argu-
mentos em dados recolhidos pelas agências
governamentais, pelas organizações sem
fins lucrativos e investigadores particulares.
Chegaram à conclusão que a quantidade de
água doce teve uma redução per capita para
metade dos níveis que existiam no início dos
anos 60 do século passado; a partir dessa
altura também houve um aumento dramático
das zonas mortas nos oceanos; a captura de
peixe teve um forte declínio desde 1996, de-
vido à falta deste recurso; as florestas tiveram
um decréscimo de 129 milhões de hectares
entre 1990 e 2015, aproximadamente uma
área equivalente à Africa do Sul; a biodiver-
sidade diminuiu perigosamente, com perdas
de 58% dos vertebrados entre 1970 e 2012;
as emissões globais de CO2, provenientes da
queima de combustível fóssil, aumentaram
rapidamente desde 1960, bem como os
níveis médios da temperatura global; desde
1992 a população humana mundial aumentou
35%, contribuindo também para elevar a
produção de animais para consumo, agra-
vando duplamente os impactos ambientais e
climáticos. Resumidamente, desencadeamos
um evento de extinção em massa, o sexto
em cerca de 540 milhões de anos, no âmbito
do qual muitas formas de vida atuais podem
ser aniquiladas ou, ao menos, condenadas à
extinção até o final deste século. Os impactos
ambientais antropogénicos no mundo natural
levarão provavelmente à grande miséria
humana e a danos substanciais e irreversíveis
para a Terra. O Professor Ripple acrescenta:
Aqueles que assinaram este segundo aviso
não estão apenas a levantar um falso alarme.
Eles estão a reconhecer os sinais óbvios de
que estamos a dirigir-nos para um caminho
insustentável. Em breve, será muito tarde para
mudar o curso da nossa trajetória falhada e o
tempo está a acabar.
As causas para este limiar trágico são bem
conhecidas. O painel de cientistas salienta o
crescimento da população mundial e a visão
distorcida da economia vigente, com o seu
modelo de crescimento infinito, num planeta
de recursos finitos. Alerta que precisamos
de rever urgentemente estes itens e reduzir a
emissão de gases com efeito de estufa e a po-
luição; restaurar os ecossistemas e as flores-
tas autóctones; estabelecer reservas naturais,
corredores ecológicos e proteger habitats;
interromper a desertificação e a alteração dos
espaços naturais para superfícies agrícolas
e áreas urbanas; conter as exóticas, as inva-
soras, a caça furtiva e o tráfico de espécies
ameaçadas; reduzir o desperdício de alimen-
tos e reorientar o regime alimentar na direção
de dietas ricas em vegetais, em detrimento
do consumo de produtos de origem animal;
melhorar a educação ambiental e natural e in-
centivar a fruição da Natureza; desinvestir nos
setores insustentáveis e apostar nas energias
limpas. Tanto os alertas, com as recomenda-
ções apontadas pelo painel têm tido eco nos
diversos artigos que tenho partilhado neste
espaço d’O Instalador. No seguimento desta
segunda carta à Humanidade, o Professor
Ripple e os seus colegas formaram uma nova
organização independente, chamada Alliance
of World Scientists, destinada a divulgar as
questões da sustentabilidade e o destino da
Humanidade.
Com os alertas dos cientistas, começou
uma nova dimensão no movimento ambien-
talista. Rachel Carson foi pioneira a utilizar
dados científicos para retratar a origem dos
problemas ambientais. Mais tarde, o Painel
Intergovernamental para as Alterações Cli-
máticas, criado em 1988, deu talvez o maior
passo para explicar os fenómenos e os
impactos através da ciência. Depois de uma
tentativa de descrédito das instituições cien-
tíficas por parte da administração atual dos
Estados Unidos da América, esta nova carta
vem reforçar o trabalho dos ambientalistas,
que há muito lutam pelo Planeta. Para Helena
Freitas, Professora da Faculdade de Ciências
e Tecnologia da Universidade de Coimbra
e uma das subscritoras portuguesas, estes
avisos com fundamentação científica ajudam
a mobilizar as pessoas. [Antes] penso que o
conhecimento científico não estava tão pre-
sente nos movimentos [ambientais], que eram
movimentos da sociedade civil e impulsiona-
dos por organizações não-governamentais.
Agora é um movimento que tem um apoio
científico grande. Hoje a comunidade científica
é que ergue a bandeira do planeta.
Percebemos a urgência e o conteúdo da
mensagem, mas na verdade, desde o
primeiro aviso, em 1992, caminhamos cada
vez mais para o abismo. A culpa não é só da
Humanidade como um todo, mas de uma
elite macabra que o que tem feito é destruir e
prosperar com a destruição. As florestas, por
exemplo, como diz a segunda carta à Huma-
nidade - são cruciais para a biodiversidade,
a água potável e o sequestro do carbono.
encontram-se ameaçadas por uma conjunto
de personagens e instituições poderosas,
que inclui bancos, celuloses, advogados,
contabilistas e políticos - os senhores do eco-
cídio. Num texto de Scilla Alecci, publicado no
Expresso, em 16 de novembro de 2017, sob
o título “A história de um contributo menos
óbvio das offshore: a destruição de florestas”,
o Consórcio Internacional de Jornalistas de
Investigação (ICIJ) analisou e revelou uma fuga
de informação de registos offshore entregues
ao jornal alemão Süddeutsche Zeitung, onde
retrata como uma empresa de recursos
naturais conseguiu prosperar e explorar
grandes áreas de florestas, graças a uma rede
global de banqueiros de elite, advogados e
contabilistas que as ajudam a navegar os de-
safios empresariais e fiscais. Os documentos
mostram como estas entidades ajudaram a
estruturar as suas operações, mau grado o
cadastro ambiental da empresa de papel e
pasta. O texto publicado prova assim como o
Opinião
AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
72 O Instalador Dezembro 2017 www.oinstalador.com
Opinião
AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
sistema financeiro offshore ajuda a financiar e
expandir empresas envolvidas na destruição
de florestas e noutras práticas que contribuem
para a mudança climática global. Com tudo
isto, também se financiou a corrupção de
políticos e governadores para a emissão de
licenças de concessão da floresta natural.
Este caso ilustra bem o cerne do problema:
a falta de uma ética abrangente que incorpore
as dimensões humana e natural. Melhor
dizendo, uma ética ambiental, que olhe tanto
pelos seres humanos que são explorados
ou expulsos dos seus territórios, bem como
animais, plantas, rios e paisagens naturais,
que são o suporte físico e a essência da vida
humana.
As cartas que os cientistas dirigiram à
humanidade retratam, em primeira mão, as
preocupações para com a continuidade e
o bem-estar da espécie humana. Têm em
conta a preservação dos ecossistemas e a
biodiversidade, mas na perspetiva, de que
sem esses elementos, não há serviços que
suportam a vida humana. Estamos perante
o interesse humano acima de tudo, mesmo
quando queremos preservar o ambiente na-
tural do Planeta. É um elemento válido, mas
parco na verdadeira resolução do problema.
Enquanto tivermos essa visão antropocentra-
da, vamos continuar a ver a Natureza como
algo separado de nós, sem expressão, sem
qualquer outra finalidade do que aquela que
o ser humano deseja e impõe. Nestes docu-
mentos faltam uma perspetiva mais real da
dinâmica dos ecossistemas e do verdadeiro
valor que cada elemento abiótico e biótico
tem na malha da vida. Esta também é uma
visão científica – o ser humano como um
elo na cadeia que tudo une e que de quase
tudo depende. Nesse sentido, circula entre a
comunidade académica uma Declaração de
Compromisso com o Ecocentrismo, desen-
volvido por Haydn Washington, Bron Taylor,
Helen Kopnina, Paul Cryer e John J Piccolo,
com a contribuição editorial de Patrick Curry,
Ian Whyte, Joe Gray, Michelle Maloney e
Mumta Ito. Trata-se de um documento ao
qual subscrevi desde que tive conhecimento
e que já conta com cerca de 600 assinaturas.
Entre os subscritores encontram-se vários
cientistas, filósofos, ambientalistas e artistas.
Alguns são bem conhecidos, como Jane
Goodall (primatologista e ambientalista), J.
Opinião
AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
O Instalador Dezembro 2017 www.oinstalador.com 73
Baird Callicott (filósofo ambiental), Joanna
Macy (ecologista profunda) ou Sarah Darwin
(botánica). O documento defende uma visão
do mundo ecocêntrica que vai ao encontro
do valor intrínseco ou inerente subjacente em
toda a Natureza e na ecosfera. Isto é, que os
elementos da Natureza ou a Natureza como
um todo tem valor independente da utilidade
para o ser humano. O texto esclarece: pode-
mos entender que os elementos da ecosfera
evoluíram para formar uma complexidade
maravilhosa - e afirmam que a natureza tem
valor por si só. O ecocentrismo reconhece
que os seres humanos têm responsabilidade
em relação à ecosfera, sentimentos morais
que se expressam cada vez mais na lingua-
gem dos direitos. Tais ‘direitos da natureza’
são agora consagrados em algumas cons-
tituições nacionais, e são designados como
jurisprudência da Terra (...) O ecocentrismo
encoraja-nos a ver o resto da vida como
um parente, (...) incentiva a empatia com
a vida, (...) e, acima de tudo, agindo para
proteger e curar o planeta, (... dá-nos) uma
sensação de maravilha sobre o mundo que
nos rodeia. Isso pode ajudar-nos a encontrar
a ética que exigimos se quisermos tomar as
ações difíceis necessárias para sustentar
a ecosfera que apoia a nossa sociedade.
Quer se trate de resolver crises globais como
as alterações climáticas ou a extinção em
massa. A Declaração de Compromisso com
o Ecocentrismo é uma ferramenta voluntária
que impulsiona a atenção do subscritor para
comunicar, empreender, promover e inspirar
ações de reconhecimento do valor intrínseco
da Natureza.
Cristina Branquinho, Professora da Fa-
culdade de Ciências da Universidade de
Lisboa e outra das subscritoras da segunda
carta aberta, disse: O mundo não está a
aguentar connosco porque nós não estamos
a aguentar com a responsabilidade de
tratar devidamente do mundo. O paper que
assinou diz ainda: Devemos reconhecer, no
quotidiano das nossas vidas e nas institui-
ções de governo, que a Terra com toda a
vida é a nossa única casa. Se acrescentamos
o reconhecimento do valor intrínseco da
Natureza e o cuidado para com toda a vida,
patente na Declaração de Compromisso
com o Ecocentrismo, teríamos um aviso e
simultaneamente uma nova fórmula de ver
Opinião
AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
o mundo, mais perto da realidade ecológica,
que a visão antropocêntrica não dá. Esta é a
equação que falta para começarmos a per-
cecionar o mundo vivo do qual somos parte.
Qualquer dano ao mundo é um dano a nós
próprios. A solução passa por aí e pela nova
Educação centrada na orgánica do mundo
real. Precisamos de percorrer este caminho
de cura, de autoconsciência e retomar o
florescimento da vida na Terra.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Guerra fria aquecimento_global_agb_revista
Guerra fria aquecimento_global_agb_revistaGuerra fria aquecimento_global_agb_revista
Guerra fria aquecimento_global_agb_revista
leia silva
 
Liduina carvalho pegada ecológica
Liduina carvalho pegada ecológicaLiduina carvalho pegada ecológica
Liduina carvalho pegada ecológica
joaovictorsoaressampaio
 
Ecologia Humana
Ecologia HumanaEcologia Humana
Ecologia Humana
Stéphanie Lorena Lucca
 
2 e 3 aulas
2 e 3 aulas2 e 3 aulas
2 e 3 aulas
amisonsantana
 
A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...
A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...
A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...
Jorge Moreira
 
Vulnerabhum às ac seminfcsh abril2009
Vulnerabhum às ac seminfcsh abril2009Vulnerabhum às ac seminfcsh abril2009
Vulnerabhum às ac seminfcsh abril2009
Ana Cristina Carvalho
 
Introdução a gestão para sustentabilidade [2014]
Introdução a gestão para sustentabilidade [2014]Introdução a gestão para sustentabilidade [2014]
Introdução a gestão para sustentabilidade [2014]
Diretor Ecos Academia Treinamento e Desenvolvimento.
 
Sustentabilidade mito ou desafio
Sustentabilidade   mito ou desafioSustentabilidade   mito ou desafio
Sustentabilidade mito ou desafio
Universidade Federal Fluminense
 
Educação Ambiental
Educação AmbientalEducação Ambiental
Educação Ambiental
Flávia Smarti
 
Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...
Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...
Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...
Jorge Moreira
 
Consciência Ambiental
Consciência AmbientalConsciência Ambiental
Consciência Ambiental
Graça Moraes
 
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - EcologiaCiências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
elonvila
 
Filosofia sara e mafalda
Filosofia  sara e mafaldaFilosofia  sara e mafalda
Filosofia sara e mafalda
Helena Serrão
 
Recursosnaturaisuautilizacao 10 A
Recursosnaturaisuautilizacao 10 ARecursosnaturaisuautilizacao 10 A
Recursosnaturaisuautilizacao 10 A
Luz Campos
 
A insustentabilidade dos atuais padrões de produção
A insustentabilidade dos atuais padrões de produçãoA insustentabilidade dos atuais padrões de produção
A insustentabilidade dos atuais padrões de produção
Atividades Diversas Cláudia
 
O início da conscientização na Educação ambiental
O início da conscientização na Educação ambientalO início da conscientização na Educação ambiental
O início da conscientização na Educação ambiental
Nanda Santana
 
História ambiental
História ambientalHistória ambiental
História ambiental
Alex Santiago Nina
 
Educação para a água
Educação para a águaEducação para a água
Educação para a água
fernandameneguzzo
 

Mais procurados (18)

Guerra fria aquecimento_global_agb_revista
Guerra fria aquecimento_global_agb_revistaGuerra fria aquecimento_global_agb_revista
Guerra fria aquecimento_global_agb_revista
 
Liduina carvalho pegada ecológica
Liduina carvalho pegada ecológicaLiduina carvalho pegada ecológica
Liduina carvalho pegada ecológica
 
Ecologia Humana
Ecologia HumanaEcologia Humana
Ecologia Humana
 
2 e 3 aulas
2 e 3 aulas2 e 3 aulas
2 e 3 aulas
 
A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...
A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...
A Ciência (que) Quer Salvar a Humanidade II - A Extinção em Massa, Jorge More...
 
Vulnerabhum às ac seminfcsh abril2009
Vulnerabhum às ac seminfcsh abril2009Vulnerabhum às ac seminfcsh abril2009
Vulnerabhum às ac seminfcsh abril2009
 
Introdução a gestão para sustentabilidade [2014]
Introdução a gestão para sustentabilidade [2014]Introdução a gestão para sustentabilidade [2014]
Introdução a gestão para sustentabilidade [2014]
 
Sustentabilidade mito ou desafio
Sustentabilidade   mito ou desafioSustentabilidade   mito ou desafio
Sustentabilidade mito ou desafio
 
Educação Ambiental
Educação AmbientalEducação Ambiental
Educação Ambiental
 
Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...
Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...
Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...
 
Consciência Ambiental
Consciência AmbientalConsciência Ambiental
Consciência Ambiental
 
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - EcologiaCiências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
 
Filosofia sara e mafalda
Filosofia  sara e mafaldaFilosofia  sara e mafalda
Filosofia sara e mafalda
 
Recursosnaturaisuautilizacao 10 A
Recursosnaturaisuautilizacao 10 ARecursosnaturaisuautilizacao 10 A
Recursosnaturaisuautilizacao 10 A
 
A insustentabilidade dos atuais padrões de produção
A insustentabilidade dos atuais padrões de produçãoA insustentabilidade dos atuais padrões de produção
A insustentabilidade dos atuais padrões de produção
 
O início da conscientização na Educação ambiental
O início da conscientização na Educação ambientalO início da conscientização na Educação ambiental
O início da conscientização na Educação ambiental
 
História ambiental
História ambientalHistória ambiental
História ambiental
 
Educação para a água
Educação para a águaEducação para a água
Educação para a água
 

Semelhante a A Ciência (que) quer salvar a Humanidade – porque em breve será tarde demais

Desenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento SustentavelDesenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento Sustentavel
Universal.org.mx
 
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
Almir Caputo
 
Crise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
Crise global vista como um furacão que se aproxima.pptCrise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
Crise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
gleicianedasilvasant1
 
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptxAula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
MrcioHenrique50
 
O cristão e a ecologia
O cristão e a ecologiaO cristão e a ecologia
O cristão e a ecologia
Luciana Lisboa
 
Guerra fria aquecimento_global_agb_revista
Guerra fria aquecimento_global_agb_revistaGuerra fria aquecimento_global_agb_revista
Guerra fria aquecimento_global_agb_revista
leia silva
 
Meio ambiente bases hist. capítulo 1 - marília brandão
Meio ambiente bases hist.  capítulo 1 - marília brandãoMeio ambiente bases hist.  capítulo 1 - marília brandão
Meio ambiente bases hist. capítulo 1 - marília brandão
Edmo Filho
 
Ambiente
AmbienteAmbiente
Ambiente
jopob
 
Texto dos Slide.rev00.ppt
Texto dos Slide.rev00.pptTexto dos Slide.rev00.ppt
Texto dos Slide.rev00.ppt
SilvioBatista14
 
Planeta.em.perigo (guardado automaticamente)
Planeta.em.perigo (guardado automaticamente)Planeta.em.perigo (guardado automaticamente)
Planeta.em.perigo (guardado automaticamente)
Escola Superior de Saúde da Universidade do Algarve
 
A lei de conservação e a ecologia
A lei de conservação e a ecologiaA lei de conservação e a ecologia
A lei de conservação e a ecologia
Helio Cruz
 
Saúde Ambiental.pptx
Saúde Ambiental.pptxSaúde Ambiental.pptx
Saúde Ambiental.pptx
LucianoSoares624804
 
Sustentabilidade - mito ou desafio
Sustentabilidade - mito ou desafioSustentabilidade - mito ou desafio
Sustentabilidade - mito ou desafio
Universidade Federal Fluminense
 
Historico da ea.
Historico da ea.Historico da ea.
Historico da ea.
Josenete Cardoso
 
Atualidades p bnb aula 06
Atualidades p bnb   aula 06Atualidades p bnb   aula 06
Atualidades p bnb aula 06
IraniceInacio
 
NÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdf
NÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdfNÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdf
NÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdf
Faga1939
 
A sustentabilidade ambiental meus
A sustentabilidade ambiental  meusA sustentabilidade ambiental  meus
A sustentabilidade ambiental meus
Edilaine Garcia
 
AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.pdf
AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.pdfAMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.pdf
AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.pdf
brenoalberton
 
Treinamento Responsabilidade Social e Meio Ambiente
Treinamento Responsabilidade Social e Meio AmbienteTreinamento Responsabilidade Social e Meio Ambiente
Treinamento Responsabilidade Social e Meio Ambiente
joaobcfracassi
 
Sustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambientalSustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambiental
-
 

Semelhante a A Ciência (que) quer salvar a Humanidade – porque em breve será tarde demais (20)

Desenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento SustentavelDesenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento Sustentavel
 
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
Acordos internacionais ambientais sobre meio ambiente e desenvolvimento suste...
 
Crise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
Crise global vista como um furacão que se aproxima.pptCrise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
Crise global vista como um furacão que se aproxima.ppt
 
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptxAula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
 
O cristão e a ecologia
O cristão e a ecologiaO cristão e a ecologia
O cristão e a ecologia
 
Guerra fria aquecimento_global_agb_revista
Guerra fria aquecimento_global_agb_revistaGuerra fria aquecimento_global_agb_revista
Guerra fria aquecimento_global_agb_revista
 
Meio ambiente bases hist. capítulo 1 - marília brandão
Meio ambiente bases hist.  capítulo 1 - marília brandãoMeio ambiente bases hist.  capítulo 1 - marília brandão
Meio ambiente bases hist. capítulo 1 - marília brandão
 
Ambiente
AmbienteAmbiente
Ambiente
 
Texto dos Slide.rev00.ppt
Texto dos Slide.rev00.pptTexto dos Slide.rev00.ppt
Texto dos Slide.rev00.ppt
 
Planeta.em.perigo (guardado automaticamente)
Planeta.em.perigo (guardado automaticamente)Planeta.em.perigo (guardado automaticamente)
Planeta.em.perigo (guardado automaticamente)
 
A lei de conservação e a ecologia
A lei de conservação e a ecologiaA lei de conservação e a ecologia
A lei de conservação e a ecologia
 
Saúde Ambiental.pptx
Saúde Ambiental.pptxSaúde Ambiental.pptx
Saúde Ambiental.pptx
 
Sustentabilidade - mito ou desafio
Sustentabilidade - mito ou desafioSustentabilidade - mito ou desafio
Sustentabilidade - mito ou desafio
 
Historico da ea.
Historico da ea.Historico da ea.
Historico da ea.
 
Atualidades p bnb aula 06
Atualidades p bnb   aula 06Atualidades p bnb   aula 06
Atualidades p bnb aula 06
 
NÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdf
NÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdfNÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdf
NÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdf
 
A sustentabilidade ambiental meus
A sustentabilidade ambiental  meusA sustentabilidade ambiental  meus
A sustentabilidade ambiental meus
 
AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.pdf
AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.pdfAMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.pdf
AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.pdf
 
Treinamento Responsabilidade Social e Meio Ambiente
Treinamento Responsabilidade Social e Meio AmbienteTreinamento Responsabilidade Social e Meio Ambiente
Treinamento Responsabilidade Social e Meio Ambiente
 
Sustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambientalSustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambiental
 

Mais de Jorge Moreira

Da cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOC
Da cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOCDa cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOC
Da cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOC
Jorge Moreira
 
Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...
Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...
Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...
Jorge Moreira
 
Pensar como uma Montanha
Pensar como uma Montanha Pensar como uma Montanha
Pensar como uma Montanha
Jorge Moreira
 
Tvergastein: A cabana de Arne Naess
Tvergastein: A cabana de Arne NaessTvergastein: A cabana de Arne Naess
Tvergastein: A cabana de Arne Naess
Jorge Moreira
 
A «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta Autóctone
A «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta AutóctoneA «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta Autóctone
A «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta Autóctone
Jorge Moreira
 
Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284
Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284
Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284
Jorge Moreira
 
O Sonho de Greta Thunberg
O Sonho de Greta ThunbergO Sonho de Greta Thunberg
O Sonho de Greta Thunberg
Jorge Moreira
 
Educação para a emergência ecológica I
Educação para a emergência ecológica I Educação para a emergência ecológica I
Educação para a emergência ecológica I
Jorge Moreira
 
Flores silvestres - O instalador 279
Flores silvestres - O instalador 279Flores silvestres - O instalador 279
Flores silvestres - O instalador 279
Jorge Moreira
 
Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...
Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...
Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...
Jorge Moreira
 
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
Jorge Moreira
 
A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271
A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271
A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271
Jorge Moreira
 
Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270
Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270
Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270
Jorge Moreira
 
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Jorge Moreira
 
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Jorge Moreira
 
O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018
O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018
O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018
Jorge Moreira
 
A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018
A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018
A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018
Jorge Moreira
 
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Jorge Moreira
 
Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20
Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20
Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20
Jorge Moreira
 
A era das catástrofes antrópicas
A era das catástrofes antrópicasA era das catástrofes antrópicas
A era das catástrofes antrópicas
Jorge Moreira
 

Mais de Jorge Moreira (20)

Da cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOC
Da cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOCDa cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOC
Da cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOC
 
Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...
Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...
Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...
 
Pensar como uma Montanha
Pensar como uma Montanha Pensar como uma Montanha
Pensar como uma Montanha
 
Tvergastein: A cabana de Arne Naess
Tvergastein: A cabana de Arne NaessTvergastein: A cabana de Arne Naess
Tvergastein: A cabana de Arne Naess
 
A «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta Autóctone
A «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta AutóctoneA «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta Autóctone
A «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta Autóctone
 
Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284
Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284
Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284
 
O Sonho de Greta Thunberg
O Sonho de Greta ThunbergO Sonho de Greta Thunberg
O Sonho de Greta Thunberg
 
Educação para a emergência ecológica I
Educação para a emergência ecológica I Educação para a emergência ecológica I
Educação para a emergência ecológica I
 
Flores silvestres - O instalador 279
Flores silvestres - O instalador 279Flores silvestres - O instalador 279
Flores silvestres - O instalador 279
 
Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...
Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...
Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...
 
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
 
A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271
A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271
A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271
 
Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270
Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270
Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270
 
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
 
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
 
O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018
O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018
O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018
 
A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018
A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018
A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018
 
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
 
Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20
Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20
Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20
 
A era das catástrofes antrópicas
A era das catástrofes antrópicasA era das catástrofes antrópicas
A era das catástrofes antrópicas
 

Último

representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdfrepresentações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
EVERALDODEOLIVEIRA2
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUSCAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Geagra UFG
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 

Último (9)

representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdfrepresentações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUSCAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 

A Ciência (que) quer salvar a Humanidade – porque em breve será tarde demais

  • 1. 70 O Instalador Dezembro 2017 www.oinstalador.com Em 1992, cerca de 1.700 cientistas, já preocu- pados com a dimensão dos problemas am- bientais, assinaram um artigo, intitulado “Alerta dos Cientistas do Mundo à Humanidade”, publicado na revista da Union of Concerned Scientists. O artigo que foi o primeiro aviso da comunidade científica, refere o seguinte: Os seres humanos e o mundo natural estão em colisão. As actividades humanas causam danos severos e, por vezes, irreversíveis no ambiente e nos recursos. Nesse mesmo arti- go, os cientistas alertaram para o crescimento rápido da população humana mundial e os problemas associados, que estavam a fazer- -se sentir na altura, nomeadamente a destrui- ção da camada de ozono, do solo arável, dos recursos hídricos, das zonas costeiras e a ex- tinção de espécies. As soluções apresentadas Opinião AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS A Ciência (que) quer salvar a Humanidade – porque em breve será tarde demais Texto_Jorge Moreira [Ambientalista e Investigador] Fotos_Internet Estamos a destruir a natureza e os ecossistemas e é a natureza que nos suporta e fornece recursos. Quando destruímos, estamos também a destruir-nos. Essa é a mensagem: não está em causa a Terra como um recurso natural, está em causa a espécie homo sapiens sapiens. Por isso trata-se de um aviso à humanidade Cristina Branquinho, subscritora do “Aviso dos cientistas do mundo à Humanidade: um segundo alerta” Foto_Plastic Oceans Foundation [editada pelo The Telegraph]
  • 2. O Instalador Dezembro 2017 www.oinstalador.com 71 Opinião AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS recaiam sobre a estabilização da população, a diminuição do consumo e o controlo das actividades danosas para o ambiente. Passados 25 anos, e perante um cenário ainda mais devastador, os cientistas voltam a avisar a humanidade, agora em maior nú- mero e intensidade discursiva. Foram 15.364 elementos da comunidade científica, alguns deles laureados com o Nobel, de 184 países, incluindo mais de 200 portugueses. A nova carta aberta dirigida à Humanidade é um alerta para a ameaça que paira sobre a continuidadedanossaespécie.Curiosamente, não estamos perante um evento catastrófico à escala global, como de um corpo celeste que se dirige ameaçador contra o nosso planeta ou na iminência de uma série de cataclismos naturais à superfície. Trata-se simplesmente da ação humana, em franco crescimento sobre os recursos naturais, que tem levado à perda desastrosa da biodiversidade e dos serviços que suportam a vida na Terra. Desde o primeiro aviso, todos os cenários ambientais se agravaram, exceto no que concerne à camada de ozono estratosférico, que nos protege dos raios ultravioletas nocivos. Os autores da carta, liderados pelo ecologista William Ripple e publicada como artigo na revista BioScience, basearam os seus argu- mentos em dados recolhidos pelas agências governamentais, pelas organizações sem fins lucrativos e investigadores particulares. Chegaram à conclusão que a quantidade de água doce teve uma redução per capita para metade dos níveis que existiam no início dos anos 60 do século passado; a partir dessa altura também houve um aumento dramático das zonas mortas nos oceanos; a captura de peixe teve um forte declínio desde 1996, de- vido à falta deste recurso; as florestas tiveram um decréscimo de 129 milhões de hectares entre 1990 e 2015, aproximadamente uma área equivalente à Africa do Sul; a biodiver- sidade diminuiu perigosamente, com perdas de 58% dos vertebrados entre 1970 e 2012; as emissões globais de CO2, provenientes da queima de combustível fóssil, aumentaram rapidamente desde 1960, bem como os níveis médios da temperatura global; desde 1992 a população humana mundial aumentou 35%, contribuindo também para elevar a produção de animais para consumo, agra- vando duplamente os impactos ambientais e climáticos. Resumidamente, desencadeamos um evento de extinção em massa, o sexto em cerca de 540 milhões de anos, no âmbito do qual muitas formas de vida atuais podem ser aniquiladas ou, ao menos, condenadas à extinção até o final deste século. Os impactos ambientais antropogénicos no mundo natural levarão provavelmente à grande miséria humana e a danos substanciais e irreversíveis para a Terra. O Professor Ripple acrescenta: Aqueles que assinaram este segundo aviso não estão apenas a levantar um falso alarme. Eles estão a reconhecer os sinais óbvios de que estamos a dirigir-nos para um caminho insustentável. Em breve, será muito tarde para mudar o curso da nossa trajetória falhada e o tempo está a acabar. As causas para este limiar trágico são bem conhecidas. O painel de cientistas salienta o crescimento da população mundial e a visão distorcida da economia vigente, com o seu modelo de crescimento infinito, num planeta de recursos finitos. Alerta que precisamos de rever urgentemente estes itens e reduzir a emissão de gases com efeito de estufa e a po- luição; restaurar os ecossistemas e as flores- tas autóctones; estabelecer reservas naturais, corredores ecológicos e proteger habitats; interromper a desertificação e a alteração dos espaços naturais para superfícies agrícolas e áreas urbanas; conter as exóticas, as inva- soras, a caça furtiva e o tráfico de espécies ameaçadas; reduzir o desperdício de alimen- tos e reorientar o regime alimentar na direção de dietas ricas em vegetais, em detrimento do consumo de produtos de origem animal; melhorar a educação ambiental e natural e in- centivar a fruição da Natureza; desinvestir nos setores insustentáveis e apostar nas energias limpas. Tanto os alertas, com as recomenda- ções apontadas pelo painel têm tido eco nos diversos artigos que tenho partilhado neste espaço d’O Instalador. No seguimento desta segunda carta à Humanidade, o Professor Ripple e os seus colegas formaram uma nova organização independente, chamada Alliance of World Scientists, destinada a divulgar as questões da sustentabilidade e o destino da Humanidade. Com os alertas dos cientistas, começou uma nova dimensão no movimento ambien- talista. Rachel Carson foi pioneira a utilizar dados científicos para retratar a origem dos problemas ambientais. Mais tarde, o Painel Intergovernamental para as Alterações Cli- máticas, criado em 1988, deu talvez o maior passo para explicar os fenómenos e os impactos através da ciência. Depois de uma tentativa de descrédito das instituições cien- tíficas por parte da administração atual dos Estados Unidos da América, esta nova carta vem reforçar o trabalho dos ambientalistas, que há muito lutam pelo Planeta. Para Helena Freitas, Professora da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e uma das subscritoras portuguesas, estes avisos com fundamentação científica ajudam a mobilizar as pessoas. [Antes] penso que o conhecimento científico não estava tão pre- sente nos movimentos [ambientais], que eram movimentos da sociedade civil e impulsiona- dos por organizações não-governamentais. Agora é um movimento que tem um apoio científico grande. Hoje a comunidade científica é que ergue a bandeira do planeta. Percebemos a urgência e o conteúdo da mensagem, mas na verdade, desde o primeiro aviso, em 1992, caminhamos cada vez mais para o abismo. A culpa não é só da Humanidade como um todo, mas de uma elite macabra que o que tem feito é destruir e prosperar com a destruição. As florestas, por exemplo, como diz a segunda carta à Huma- nidade - são cruciais para a biodiversidade, a água potável e o sequestro do carbono. encontram-se ameaçadas por uma conjunto de personagens e instituições poderosas, que inclui bancos, celuloses, advogados, contabilistas e políticos - os senhores do eco- cídio. Num texto de Scilla Alecci, publicado no Expresso, em 16 de novembro de 2017, sob o título “A história de um contributo menos óbvio das offshore: a destruição de florestas”, o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ) analisou e revelou uma fuga de informação de registos offshore entregues ao jornal alemão Süddeutsche Zeitung, onde retrata como uma empresa de recursos naturais conseguiu prosperar e explorar grandes áreas de florestas, graças a uma rede global de banqueiros de elite, advogados e contabilistas que as ajudam a navegar os de- safios empresariais e fiscais. Os documentos mostram como estas entidades ajudaram a estruturar as suas operações, mau grado o cadastro ambiental da empresa de papel e pasta. O texto publicado prova assim como o Opinião AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
  • 3. 72 O Instalador Dezembro 2017 www.oinstalador.com Opinião AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS sistema financeiro offshore ajuda a financiar e expandir empresas envolvidas na destruição de florestas e noutras práticas que contribuem para a mudança climática global. Com tudo isto, também se financiou a corrupção de políticos e governadores para a emissão de licenças de concessão da floresta natural. Este caso ilustra bem o cerne do problema: a falta de uma ética abrangente que incorpore as dimensões humana e natural. Melhor dizendo, uma ética ambiental, que olhe tanto pelos seres humanos que são explorados ou expulsos dos seus territórios, bem como animais, plantas, rios e paisagens naturais, que são o suporte físico e a essência da vida humana. As cartas que os cientistas dirigiram à humanidade retratam, em primeira mão, as preocupações para com a continuidade e o bem-estar da espécie humana. Têm em conta a preservação dos ecossistemas e a biodiversidade, mas na perspetiva, de que sem esses elementos, não há serviços que suportam a vida humana. Estamos perante o interesse humano acima de tudo, mesmo quando queremos preservar o ambiente na- tural do Planeta. É um elemento válido, mas parco na verdadeira resolução do problema. Enquanto tivermos essa visão antropocentra- da, vamos continuar a ver a Natureza como algo separado de nós, sem expressão, sem qualquer outra finalidade do que aquela que o ser humano deseja e impõe. Nestes docu- mentos faltam uma perspetiva mais real da dinâmica dos ecossistemas e do verdadeiro valor que cada elemento abiótico e biótico tem na malha da vida. Esta também é uma visão científica – o ser humano como um elo na cadeia que tudo une e que de quase tudo depende. Nesse sentido, circula entre a comunidade académica uma Declaração de Compromisso com o Ecocentrismo, desen- volvido por Haydn Washington, Bron Taylor, Helen Kopnina, Paul Cryer e John J Piccolo, com a contribuição editorial de Patrick Curry, Ian Whyte, Joe Gray, Michelle Maloney e Mumta Ito. Trata-se de um documento ao qual subscrevi desde que tive conhecimento e que já conta com cerca de 600 assinaturas. Entre os subscritores encontram-se vários cientistas, filósofos, ambientalistas e artistas. Alguns são bem conhecidos, como Jane Goodall (primatologista e ambientalista), J. Opinião AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
  • 4. O Instalador Dezembro 2017 www.oinstalador.com 73 Baird Callicott (filósofo ambiental), Joanna Macy (ecologista profunda) ou Sarah Darwin (botánica). O documento defende uma visão do mundo ecocêntrica que vai ao encontro do valor intrínseco ou inerente subjacente em toda a Natureza e na ecosfera. Isto é, que os elementos da Natureza ou a Natureza como um todo tem valor independente da utilidade para o ser humano. O texto esclarece: pode- mos entender que os elementos da ecosfera evoluíram para formar uma complexidade maravilhosa - e afirmam que a natureza tem valor por si só. O ecocentrismo reconhece que os seres humanos têm responsabilidade em relação à ecosfera, sentimentos morais que se expressam cada vez mais na lingua- gem dos direitos. Tais ‘direitos da natureza’ são agora consagrados em algumas cons- tituições nacionais, e são designados como jurisprudência da Terra (...) O ecocentrismo encoraja-nos a ver o resto da vida como um parente, (...) incentiva a empatia com a vida, (...) e, acima de tudo, agindo para proteger e curar o planeta, (... dá-nos) uma sensação de maravilha sobre o mundo que nos rodeia. Isso pode ajudar-nos a encontrar a ética que exigimos se quisermos tomar as ações difíceis necessárias para sustentar a ecosfera que apoia a nossa sociedade. Quer se trate de resolver crises globais como as alterações climáticas ou a extinção em massa. A Declaração de Compromisso com o Ecocentrismo é uma ferramenta voluntária que impulsiona a atenção do subscritor para comunicar, empreender, promover e inspirar ações de reconhecimento do valor intrínseco da Natureza. Cristina Branquinho, Professora da Fa- culdade de Ciências da Universidade de Lisboa e outra das subscritoras da segunda carta aberta, disse: O mundo não está a aguentar connosco porque nós não estamos a aguentar com a responsabilidade de tratar devidamente do mundo. O paper que assinou diz ainda: Devemos reconhecer, no quotidiano das nossas vidas e nas institui- ções de governo, que a Terra com toda a vida é a nossa única casa. Se acrescentamos o reconhecimento do valor intrínseco da Natureza e o cuidado para com toda a vida, patente na Declaração de Compromisso com o Ecocentrismo, teríamos um aviso e simultaneamente uma nova fórmula de ver Opinião AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS o mundo, mais perto da realidade ecológica, que a visão antropocêntrica não dá. Esta é a equação que falta para começarmos a per- cecionar o mundo vivo do qual somos parte. Qualquer dano ao mundo é um dano a nós próprios. A solução passa por aí e pela nova Educação centrada na orgánica do mundo real. Precisamos de percorrer este caminho de cura, de autoconsciência e retomar o florescimento da vida na Terra.