SlideShare uma empresa Scribd logo
8ºano
8ºANO   ARTE MODERNA
ARTE MODERNA
Arte Moderna é o termo genérico usado para designar a maior parte da produção
artística do fim do Século XIX até meados dos anos 1950 (embora não haja consenso
sobre essas datas), o pensamento e a tradição européia estavam se esgotando, os
novos artistas e pensadores estavam surgindo para mudar radicalmente o que seus
mestres do passado tinham executado e idealizado. Enquanto que a produção mais
recente da arte é chamada freqüentemente de arte contemporânea. A arte moderna
se refere a uma nova abordagem da arte em um momento no qual não mais era
importante que ela representasse literalmente um assunto ou objeto (através da
pintura e da escultura) -- o advento da fotografia fez com que houvesse uma
diminuição drástica na demanda por certos meios artísticos tradicionais, a pintura
especialmente. Ao invés disso, e é aí que a idéia de moderno começa a tomar forma,
os artistas passam a experimentar novas visões, através de idéias inéditas sobre a
natureza, os materiais e as funções da arte, e com freqüência caminhando em direção
à abstração.
Nenhum outro período em uma cultura produziu e sofreu influências de obras tão
diversas como este. O ser humano tem mania de classificar toda forma ou estilo de
alguma produção, mas diante de tanta multiplicidade de trabalhos que foi produzido
no séc. XX, os maiores artistas não chegam a se encaixar em nenhum estilo
específico.
Durante as primeiras décadas, a arte moderna foi um fenómeno exclusivamente
Europeu. As primeiras sementes de idéias modernas na arte vieram dos artistas que
trabalhavam no romântico e movimento realista. Em seguida, representantes do
impressionismo e pós-impressionismo experimentaram começando com as maneiras
novas de representar a luz e o espaço através da cor e da pintura. Nos anos pré-I
Guerra Mundial do século XX, uma explosão criativa ocorreu com fauvismo, cubismo,
expressionismo e abstracionismo.

I Guerra Mundial trouxe um fim a esta fase, mas indicou o começo de um número de
os grupos de artistas como de Stijl e Bauhaus eram seminal no desenvolvimento de
idéias novas sobre o interrelação movimentos anti-arte, como dada e o trabalho de
Marcel Duchamp, e do surrealismo. Também os grupos de artistas como de Stijl e
Bauhaus eram seminal no desenvolvimento de idéias novas sobre o interrelação das
artes, da arquitetura, do projeto e da instrução da arte.
Arte moderna foi introduzida na América durante a I Guerra Mundial quando um
número de artistas de Montmartre e Montparnasse bairros de Paris, França fugiram
da guerra. Francis Picabia (1879–1953), foi o responsável de trazer a Arte Moderna
para a cidade de Nova York. Foi somente após a II Guerra Mundial, no entanto, que
os EUA se transformaram no ponto focal de novos movimentos artísticos. As décadas
de 1950 e 1960 viram emergir o expressionismo abstrato, pop art, op art e arte
mínima. Entre 1960 e 1970, a arte da terra, a arte conceitual Fotorealismo
emergiram.
ROMANTISMO
 O século XIX foi agitado por fortes mudanças sociais, políticas e culturais
causadas por acontecimentos do final do século XVIII que foram a Revolução
Industrial que gerou novos inventos com o objetivo de solucionar os problemas
técnicos decorrentes do aumento de produção, provocando a divisão do
trabalho e o início da especialização da mão-de-obra, e pela Revolução Francesa
que lutava por uma sociedade mais harmônica, em que os direitos individuais
fossem respeitados, traduziu-se essa expectativa na Declaração dos Direitos do
Homem e do Cidadão. Do mesmo modo, a atividade artística tornou-se
complexa.
Os artistas românticos procuraram se libertar das convenções acadêmicas em
favor da livre expressão da personalidade do artista.
O romantismo volta-se para o passado. Desdenhando a frieza e a sujeição às
normas acadêmicas dos neo-classicistas, os artistas buscam o extremo
oposto.Desejam o individualismo, a liberdade de ação,a espiritualidade e o
sentimento.
Características gerais:
a valorização dos sentimentos e da imaginação;
 o nacionalismo;
 a valorização da natureza como princípios da criação artística; e
 os sentimentos do presente tais como: Liberdade, Igualdade e Fraternidade.
ARQUITETURA E ESCULTURA
A escultura e a arquitetura registram pouca novidade. Observa-se, grosso modo, a
permanência do estilo anterior, o neoclássico. Vez por outra retomou-se o estilo gótico da
época medieval, gerando o neogótico.
PINTURA
Características da pintura:
 Aproximação das formas barrocas;
 Composição em diagonal sugerindo instabilidade e dinamismo ao observador;
 Valorização das cores e do claro-escuro; e
 Dramaticidade
  Temas da pintura:
 Fatos reais da história nacional e contemporânea da vida dos artistas;
 Natureza revelando um dinamismo equivalente as emoções humanas; e
 Mitologia Grega
Principais artistas:
Theodore Gericaut , obra: A BALSA DA MEDUSA
Eugène Delacroix, obra: A LIBERDADE GUIANDO O POVO
J.M. William Turner, obra: Chuva, Vapor e Velocidade e O Grande Canal, Veneza.
REALISMO
 Entre 1850 e 1900 surge nas artes européias, sobretudo na pintura francesa, uma nova
tendência estética chamada Realismo, que se desenvolveu ao lado da crescente
industrialização das sociedades. O homem europeu, que tinha aprendido a utilizar o
conhecimento científico e a técnica para interpretar e dominar a natureza, convenceu-se
de que precisava ser realista, inclusive em suas criações artísticas, deixando de lado as
visões subjetivas e emotivas da realidade.
São características gerais:
 o cientificismo
 a valorização do objeto
 o sóbrio e o minucioso
a expressão da realidade e dos aspectos descritivos
ARQUITETURA
Os arquitetos e engenheiros procuram responder adequadamente às novas necessidades urbanas, criadas
pela industrialização. As cidades não exigem mais ricos palácios e templos. Elas precisam de fábricas,
estações, ferroviárias, armazéns, lojas, bibliotecas, escolas, hospitais e moradias, tanto para os operários
quanto para a nova burguesia.
Em 1889, Gustavo Eiffel levanta, em Paris, a Torre Eiffel, hoje logotipo da "Cidade Luz".
ESCULTURA
Auguste Rodin - não se preocupou com a idealização da realidade. Ao contrário, procurou recriar os seres
tais como eles são. Além disso, os escultores preferiam os temas contemporâneos, assumindo muitas vezes
uma intenção política em suas obras. Sua característica principal é a fixação do momento significativo de
um gesto humano.
Camille Claudel - Seu pai, maravilhado com seu estupendo e precoce talento que, ainda na infância,
produziu esculturas de ossos e esqueletos com impressionante verossimilhança, oferta-lhe todos os meios
de desenvolver suas potencialidades.Seu gênio sufocado por dois gigantes:Seu irmão um grande poeta e
seu amor , o escultor Rodin. sua forte personalidade, sua intransigência, seu gênio criativo que
ultrapassou a compreensão de sua época.
PINTURA
Características da pintura:
 Representação da realidade com a mesma objetividade com que um cientista estuda um fenômeno da
natureza, ou seja o pintor buscava representar o mundo de maneira documental;
 Ao artista não cabe "melhorar" artisticamente a natureza, pois a beleza está na realidade tal qual ela é;
 Revelação dos aspectos mais característicos e expressivos da realidade.
Temas da pintura:
 Politização: a arte passa a ser um meio para denunciar uma ordem social que
consideram injusta; a arte manifesta um protesto em favor dos oprimidos.Pintura social
denunciando as injustiças e as imensas desigualdades entre a miséria dos trabalhadores e
a opulência da burguesia. As pessoas das classes menos favorecidas - o povo, em resumo -
tornaram-se assunto freqüente da pintura realista. Os artistas incorporavam a rudeza, a
fealdade, a vulgaridade dos tipos que pintavam, elevando esses tipos à categoria de
heróis. Heróis que nada têm a ver com os idealizados heróis da pintura romântica.
Principais pintores:
 Gustave Courbet ,obra :ENTERRO DE ORNANS, A ORIGEM DO MUNDO
J.B. Corot, obra: BATISMO DE CRISTO
Honoré Daumier, obra: O CARNICEIRO
Jean François Millet, obra: AS COLHEDORAS
IMPRESSIONISMO
O nome Impressionismo, inicialmente teve um cunho pejorativo. Foi um rótulo
colocado ao trabalho de um grupo de artistas que, de acordo com os críticos da
época, acreditavam na impressão do momento como algo tão importante que se
bastava por si mesma, dispensando as técnicas tradicionais acadêmicas. Esses
artistas realizaram inúmeras exposições em Paris entre 1874 e 1886.
Ridicularizados inicialmente pela crítica por não seguirem a tradição pictórica
que vinha sendo solidificada desde o renascimento, acabaram por,
paulatinamente, obter o respeito e aceitação de suas “novas técnicas“ por parte
do público. Os objetos retratados ao ar livre, sob a luz natural, eram bastante
valorizados pelos impressionistas. O volume e solidez, características que a
pintura tradicional pregava como fundamentais para uma obra de arte existir,
começaram a ser desrespeitados, abrindo caminho para as vanguardas
estéticas do Século 19. Com efeito, os impressionistas faziam suas pinturas fora
das convenções artísticas, mas, de preferência, sob os efeitos do olhar e das
mudanças da luz diária.Nesse sentido pode-se dizer que são descendentes do
Realismo. As cores eram de fundamental importância para o grupo, elemento
extremamente expressivo em sua arte.A frescura da impressão que um objeto
causava ao artista deveria ser captada pelas pinceladas. Os objetos retratados
seriam aqueles percebidos pela visão como paisagens, retratos, cenas do
cotidiano. Das influências foram fundamentais para o movimento: as estampas
japonesas que popularizam-se na Europa no final do Século 19, com seu
desrespeito à perspectiva e às normas de composição da academia ocidental -
suas formas repletas de vida encantavam os impressionistas, e a invenção da
fotografia.
Claude Monet (1840 - 1926) é considerado o fundador do Impressionismo. São
famosas suas pesquisas em cima dos ideais impressionistas, como a
representação de um objeto em diferentes horas do dia e sob diferentes luzes
Pierre Auguste Renoir e Edgar Degas são outros dois importantes nomes do
movimento.
Merece citação especial o nome de Édouard Manet (1823 - 1883), que, apesar de
nunca ter exposto com os impressionistas, realizava algumas de suas pinturas
obedecendo a esse estilo. Sua carreira passou por diversas fases e costuma ser
considerado tanto um pintor impressionista como realista. Antes de os
impressionistas começarem a expor, Degas já havia quebrado as regras de
pintura acadêmica, obtendo aceitação da crítica um pouco antes de seus
companheiros. Sua obra “O Balcão“, com damas de cabeças quase que planas,
valorizando as imagens como realmente percebidas pelo olhar e não como
deveriam ser tecnicamente, chocou inicialmente a opinião pública, quando
exposta, em 1869.Além da França, o Impressionismo acaba se espalhando por
outros países. Destaques são americanos como Childe Hassam (1859-1935),
Maurice Prendergast (1859-1924) e James Abbott McNeill Whistler (1834-1903),
este último, um dos primeiros artistas ocidentais a perceber o valor das
estampas japonesas.
Mulheres impressionista:
MORISOT (Berthe), pintora francesa (Bourges, 1841 - Paris, 1895), cunhada de Manet. Praticou um impressionismo
elegante.
CASSATT (Mary), pintora e gravadora norte-americana (Pittsburgh, 1844 - Le Mesnil, França, 1926). Radicada
em Paris, foi amiga de Degas, que a orientou. Juntou-se aos impressionistas da escola de Paris e ganhou reputação
internacional.
FOVISMO OU FAUVISMO
Em 1905, em Paris, no Salão de Outono, alguns artistas foram chamados de fauves (em
português significa feras), em virtude da intensidade com que usavam as cores puras,
sem misturá-las ou matizá-las. Quem lhes deu este nome foi o crítico Louis Vauxcelles,
pois estavam expostas um conjunto de pinturas modernas ao lado de uma estatueta
renascentista.
Se esta história é verdade, Vauxcelles pode se orgulhar de ter batizado duas das
tendências artísticas mais importantes do início do século XX, o FOVISMO e o
CUBISMO. Os pintores fovistas não faziam parte de uma sociedade ou associação. Não
tinham um manifesto nem uma estética coerente. Tratava-se mais de um círculo
informal de amigos, tendo Matisse como chefe reconhecido.
Um crítico disse das obras do grupo fovista que ”não tinha nada a ver com pintura”.
Evidentemente, o que mais ofendia os críticos e o público era a utilização estridente e
não natural da cor, o que parecia ser precisamente a característica do grupo. Os críticos
da época não se esforçaram em fazer distinções entre as obras dos diferentes artistas que
particiaram neste “salão fovista”, ainda que se observarmos com atenção, as diferenças
são tão chamativas quanto as características comuns.
Matisse havia atingido um cromatismo intenso experimentando as cores puras do Neo-
impressionismo.Vlaminck estava mais próximo de Van Gogh que de qualquer pintor
                  Vlaminck
moderno francês. Derain estava mais interessado no uso estrutural da cor que qualquer
de seus contemporâneos. Rouault de alguma maneira situado na periferia do grupo
                            Rouault,
fovista, mostrava mais interesse pelas distorções da forma que pelas da cor, e sua palheta
sempre foi sombria: por isso Alfred H. Barr o considerara “um fovista visto através de
cristais escuros”.
Com exceção de Rouault, no entanto, os demais fvistas dividiam o gosto pelo desenho e
pelosefeitos decorativos da cor. No salão dos Independentes de 1906, dois artistas Othon
Friesz e Raoul Dufy, que representavam a “Escola de le Havre”, foram integrados no
grupo.
Os anos 1906 – 1907 marcam o auge do Fovismo. Curiosamente, s pintores fovistas, e
especialmente Matisse, desfrutaram de maior reputação e fama fora da França que em
seu próprio país. Antes da I Guerra Mundial uma das melhores coleções de pintura
fovista do mundo estava na Rússia.
Características Pictóricas:
Pincelada violenta, espontânea e definitiva
Ausência de ar livre
Colorido brutal, pretendendo a sensação física da cor que é subjetiva, não
correspondendo à realidade
Autonomização completa do real
Uso exclusivo das cores puras, como saem das bisnagas
Pintura por manchas largas, formando grandes planos
Principais artistas :
MAURICE    DE      VLAMINCK(1876-1958),
                   VLAMINCK(              HENRI      MATISSE(1869-1954),
                                                     MATISSE               ANDRÉ   DERAIN(1880-1954),
                                                                                   DERAIN
RAOUL DUFY (1877-1953) e GEORGE ROUAULT
                                ROUAULT(1871-1958)
CUBISMO
Historicamente o Cubismo originou-se na obra de Cézanne, pois para ele a
pintura deveria tratar as formas da natureza como se fossem cones,
esferas e cilindros. Por isso o movimento ganha ironicamente o nome de
cubismo.   Entretanto, os cubistas foram mais longe do que Cézanne.
Passaram a representar os objetos com todas as suas partes num mesmo
plano. É como se eles estivessem abertos e apresentassem todos os seus
lados no plano frontal em relação ao espectador. Na verdade, essa atitude
de decompor os objetos não tinha nenhum compromisso de fidelidade com a
aparência real das coisas.
A tendência foi desenvolvida simultaneamente por Picasso e Braque, e
rapidamente adotada por outros pintores entre eles destacam-se: Lèger e
Juan Gris. Por volta de 1910-1911, havia se transformado na linguagem
vanguardista predominante em Paris, e durante os dois anos seguintes teve
tanta repercussão que influenciou e transformou o aspecto da pintura
avançada em toda a Europa, Rússiae, em parte também na América. Logo se
transformou num estilo moderno e internacional; seu caráter angular
estava em consonância com o desenvolvimento tecnológico da época.
O pintor cubista tenta representar os objetos em três dimensões, numa
superfície plana, sob formas geométricas, com o predomínio de linhas retas.
Não representa, mas sugere a estrutura dos corpos ou objetos. Representa-
os como se movimentassem em torno deles, vendo-os sob todos os ângulos
visuais, por cima e por baixo, percebendo todos os planos e volumes. Ao
pintar, os artistas achatam os objetos, e com isso eliminam a ilusão de
tridimensionalidade. As cores em geral se limitam a preto, cinza, marrom e
ocre.
O movimento surge em Paris em 1907 com a tela Les Demoiselles d'Avignon
(As Senhoritas de Avignon), pintada pelo espanhol Pablo Picasso. Também se
destaca o trabalho do ex-fauvista francês Georges Braque (1882-1963). Em
ambos é nítida a influência da arte africana.

Cubismo Analítico - (1909) caracterizado pela desestruturação da obra em
todos os seus elementos. Decompondo a obra em partes, o artista registra
todos os seus elementos em planos sucessivos e superpostos, procurando a
visão total da figura, examinado-a em todos os ângulos no mesmo instante,
através da fragmentação dela. Essa fragmentação dos seres foi tão
grande, que se tornou impossível o reconhecimento de qualquer figura nas
pinturas cubistas. A cor se reduz aos tons de castanho, cinza e bege.

Cubismo Sintético - (1911) reagindo à excessiva fragmentação dos objetos e
à destruição de sua estrutura. Basicamente, essa tendência procurou
tornar as figuras novamente reconhecíveis. Também chamado de Colagem
porque introduz letras, palavras, números, pedaços de madeira, vidro,
metal e até objetos inteiros nas pinturas. Essa inovação pode ser explicada
pela intenção do artistas em criar efeitos plásticos e de ultrapassar os
limites das sensações visuais que a pintura sugere, despertando também no
observador as sensações táteis.
O cubismo manifesta-se ainda na arquitetura, especialmente na obra de
Corbusier, e na escultura. No teatro, restringe-se à pintura de cenários de
peças e de balés feita por PICASSO. O cubismo não sobreviveu à I Guerra
Mundial.
Principais artistas:
PABLO PICASSO(1881-1973), GEORGES BRAQUE(1882-1963), JUAN CRIS( 1887-1927) e
FERNAND LÉGER ( 1881-1955)
EXPRESSIONISMO
INICIADO NO FIM DO SÉCULO XIX POR ARTISTAS PLÁSTICOS DA ALEMANHA,
ALCANÇA SEU AUGE ENTRE 1910 E 1920 E EXPANDE-SE PARA A LITERATURA, A MÚSICA,
O TEATRO E O CINEMA. EM FUNÇÃO DA I GUERRA MUNDIAL E DAS LIMITAÇÕES
IMPOSTAS PELA LÍNGUA ALEMÃ, TEM MAIOR EXPRESSÃO ENTRE OS POVOS
GERMÂNICO, ESLAVO E NÓRDICO. APÓS O FIM DA GUERRA, INFLUENCIA A ARTE EM
OUTRAS PARTES DO MUNDO. MUITOS ARTISTAS ESTÃO LIGADOS A GRUPOS POLÍTICOS
DE ESQUERDA. MOVIMENTO ARTÍSTICO QUE SE CARACTERIZA PELA EXPRESSÃO DE
INTENSAS EMOÇÕES. AS OBRAS NÃO TÊM PREOCUPAÇÃO COM O PADRÃO DE BELEZA
TRADICIONAL E EXIBEM ENFOQUE PESSIMISTA DA VIDA, MARCADO POR ANGÚSTIA,
DOR, INADEQUAÇÃO DO ARTISTA DIANTE DA REALIDADE EMUITAS VEZES,
NECESSIDADE DE DENUNCIAR PROBLEMAS SOCIAIS.O EXPRESSIONISMO ESTÁ INSERIDO
NO    AMBIENTE    CONTURBADO      QUE    MARCA    A   VIRADA   DO    SÉCULO.
 O PRINCIPAL PRECURSOR DO MOVIMENTO É O PINTOR HOLANDÊS VINCENT VAN
GOGH,
GOGH CRIADOR DE OBRAS DE PINCELADAS MARCADAS, CORES FORTES, TRAÇOS
EXPRESSIVOS, FORMAS CONTORCIDAS E DRAMÁTICAS. EM 1911, NUMA REFERÊNCIA DE
UM CRÍTICO À SUA OBRA, O MOVIMENTO GANHA O NOME DE EXPRESSIONISMO.
AS OBRAS PROPÕEM UMA RUPTURA COM AS ACADEMIAS DE ARTE E O
IMPRESSIONISMO. É UMA FORMA DE "RECRIAR" O MUNDO EM VEZ DE APENAS CAPTÁ-
LO OU MOLDÁ-LO SEGUNDO AS LEIS DA ARTE TRADICIONAL.

AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS SÃO :
   •   DISTANCIAMENTO DA PINTURA ACADÊMICA;
   •   RUPTURA COM A ILUSÃO DE TRIDIMENSIONALIDADE;
   •   RESGATE DAS ARTES PRIMITIVAS E USO ARBITRÁRIO DE CORES FORTES;
   •   DEFORMAÇÃO DA FORMA PARA REALÇAR O CARÁTER DRAMÁTICO;
   •   MUITAS OBRAS POSSUEM TEXTURA ÁSPERA DEVIDO À GRANDE QUANTIDADE DE TINTA NAS
       TELAS.
   •   É COMUM O RETRATO DE SERES HUMANOS SOLITÁRIOS E SOFREDORES, COMO O SER HUMANO
       DESESPERADO SOBRE UMA PONTE QUE SE VÊ EM O GRITO DO NORUEGUÊS EDVARD MUNCH (1863-
                                                   GRITO,
       1944), UM DOS EXPOENTES DO MOVIMENTO.

O EXPRESSIONISMO VIVE SEU AUGE A PARTIR DA FUNDAÇÃO DE DOIS GRUPOS ALEMÃES: O DIE
BRÜCKE (A PONTE), EM DRESDEN, QUE FAZ SUA PRIMEIRA EXPOSIÇÃO EM 1905 E DURA ATÉ 1913;
E O DER BLAUE REITER (O CAVALEIRO AZUL) EM MUNIQUE, ATIVO DE 1911 A 1914. OS ARTISTAS
                                     AZUL),
DO PRIMEIRO GRUPO, COMO OS ALEMÃES ERNST KIRCHNER (1880-1938) E EMIL NOLDE (1867-
1956), SÃO MAIS AGRESSIVOS E POLITIZADOS. COM CORES QUENTES, PRODUZEM CENAS MÍSTICAS
E PAISAGENS DE ATMOSFERA PESADA. OS DO SEGUNDO GRUPO, ENTRE ELES O RUSSO VASSÍLI
KANDÍNSKI (1866-1944), O ALEMÃO AUGUST MACKE (1887-1914) E O SUÍÇO PAUL KLEE (1879-1940),
VOLTAM-SE PARA A ESPIRITUALIDADE. INFLUENCIADOS PELO CUBISMO E FUTURISMO,
DEIXAM      AS    FORMAS     FIGURATIVAS    E   CAMINHAM       PARA   A    ABSTRAÇÃO.
NA AMÉRICA LATINA, O EXPRESSIONISMO É PRINCIPALMENTE UMA VIA DE PROTESTO
POLÍTICO. NO MÉXICO, O DESTAQUE SÃO OS MURALISTAS, COMO DIEGO RIVERA (1886-1957).
A ÚLTIMA GRANDE MANIFESTAÇÃO DE PROTESTO EXPRESSIONISTA É O PAINEL GUERNICA DO
                                                                         GUERNICA,
ESPANHOL PABLO PICASSO. RETRATA O BOMBARDEIO DA CIDADE BASCA DE GUERNICA POR
AVIÕES ALEMÃES DURANTE A GUERRA CIVIL ESPANHOLA. A OBRA MOSTRA SUA VISÃO
PARTICULAR DA ANGÚSTIA DO ATAQUE, COM A SOBREPOSIÇÃO DE FIGURAS, COMO UM
CAVALO MORRENDO, UMA MULHER PRESA EM UM EDIFÍCIO EM CHAMAS, UMA MÃE COM
UMA CRIANÇA MORTA E UMA LÂMPADA NO PLANO CENTRAL. DO MUNDO. MUITOS
ARTISTAS       ESTÃO     LIGADOS      A     GRUPOS     POLÍTICOS     DE     ESQUERDA.
ASSIM COMO A REVOLUÇÃO RUSSA (1917), AS TEORIAS PSICANALÍTICAS DO AUSTRÍACO
SIGMUND FREUD, A EVOLUÇÃO DA CIÊNCIA E A FILOSOFIA DO ALEMÃO FRIEDRICH NIETZSCHE
O EXPRESSIONISMO ESTÁ INSERIDO NO AMBIENTE CONTURBADO QUE MARCA PREOCUPAÇÃO
COM O PADRÃO DE BELEZA TRADICIONAL E EXIBEM ENFOQUE PESSIMISTA DA VIDA,
MARCADO PELA VIRADA DO SÉCULO.
DADAÍSMO
O Dadaísmo foi um movimento originado em 1915, em plena 1ª Guerra Mundial, em
Zurique (cidade que conservou-se neutra com relação à guerra). O movimento, que negava
todas as tradições sociais e artísticas, tinha como base um anarquismo niilista.
NIILISMO s.m. Negação de qualquer crença. / Sistema que tinha partidários na Rússia do
séc. XIX, e cujo objetivo era a destruição radical das estruturas sociais, sem visar a nenhum
estado definitivo.Contrários à burguesia e ao naturalismo, identificado como "a penetração
psicológica dos motivos do burguês", buscavam a destruição da arte acadêmica.
O Dadaismo procurava chocar um público mais ligado a valores tradicionais e libertar a
imaginação via destruição das noções artísticas convencionais.
Acredita-se, ainda, que seu pessimismo venha de uma reação de desilusão causada pela
Primeira Guerra Mundial.
 Apesar de sua curta durabilidade , no período entre guerras, teve grande importância para a
arte do Século 20. Fez parte de um processo, observado nesse século, de libertação da arte de
valores preestabelecidos e busca de experiências e formas expressivas mais apropriadas à
expressão do homem moderno e de sua vida.
Originou-se de um grupo composto por artistas como Tristan Tzara, Hans Harp, Richard
Hülsenbeck, Marcel Janko, Hugo Ball e Hans Richter que se encontravam em cafés de
Zurique.
A idéia inicial era a realização de um espetáculo internacional de Cabaré que contava com
músicas diversas, recitais de poesia e exposição de obras.
 A maneira como surgiu o nome do evento é sugestiva: por acaso Ball e Hülsenbeck abriram
um dicionário de alemão-francês e acabaram se deparando com a palavra dada, que foi
posteriormente adotada pelo grupo e pelo movimento que daí surgiria.
O dadaísmo costuma ser bastante identificado aos READY-MADES de DUCHAMP, como
os urinóis elevados à categoria de obras de arte ou outras proezas do artista, como o acréscimo
de bigodes à Mona Lisa.
Os poemas non-sense, as máquinas sem função de Picabia, que zombavam da ciência, ou a
produção de quadros com detritos, como Merzbilder, de Schwitters, são outras obras
características do dadaísmo.
 Além disso, o dadaísmo, desde o começo, pretendia ser um movimento internacional nas
artes. Picabia era o artista que acabou por fazer a ponte entre o dadaísmo europeu e o
americano, tornando-se, juntamente com Duchamp e Man Ray, uma das principais figuras do
dadaísmo forte em Nova York.
 Na Alemanha, o movimento ganhou características mais próximas de protesto social que de
movimento artístico.
 O dadaísmo forneceu grande inspiração para movimentos posteriores.TZARA (Sami ROSENSTEIN, dito
                                                                       TZARA
Tristan), poeta judeu francês (Moinesti, Romênia, 1896 - Paris, 1963), um dos iniciadores do dadaísmo (O
         ,
homem aproximativo, 1931; O coração de gás, 1938). Defendeu o homem contra as forças da servidão em A
fuga (1947); O fruto permitido (1957); A rosa e o cão (1958). JANCO (Marcel), pintor israelense (Bucareste,
                                                                                ,
1895 – Tel-Aviv, 1984), ilustrou A primeira aventura celeste do Sr. Antipirina (1916), de Tristan Tzara, e os
três primeiros números da Revista Dada. Em 1941, fugindo à perseguição nazista, foi para Israel, onde sua
arte se revitalizou. Prêmio Israel, 1967.
Entre os mais famosos Ready-mades está L.H.O.O.Q que em frânces quando lido, assemelha-se com Elle a
chaud au cul que, traduzido fica: Ela tem fogo no ....uma expressão bem pesada, que critica a obra de
Leonardo.
ABSTRACIONISMO
Surge no início do século XX na Alemanha. A partir das
experiências das vanguardas européias, que recusam a
herança renascentista das academias de arte. As obras
abandonam o compromisso de representar a realidade
aparente e não reproduzem figuras nem retratam temas. O
que importa são as formas e cores da composição. Na
escultura, os artistas trabalham principalmente o volume e
a   textura,   explorando      todas   as    possibilidades     da
tridimensionalidade do objeto. Há dois tipos de abstração: a
informal,
informal que busca o lirismo privilegiando as formas livres,
e a geométrica, que segue uma técnica mais rigorosa e não tem
    geométrica
a    intenção   de    expressar     sentimentos      ou     idéias.
Abstração informal – Recebe influência do expressionismo e
do cubismo. Os artistas abandonam a perspectiva tradicional
e criam as formas no ato da pintura, utilizando-se de linhas e
cores para exprimir emoções. Em geral, o que se vêem são
manchas e grafismos. O marco inicial da arte abstrata é
BATALHA,
BATALHA tela pintada em 1910 por WASSILY KANDINSKI (    (1866-1944),
russo que vivia na Alemanha. Primeiro artista a definir sua
arte como abstrata, ele leva o expressionismo para essa nova
tendência. Outro importante nome da abstração informal é o
suíço              PAUL              KLEE               (1879-1940).
Após a II Guerra Mundial (1939-1945), a partir da abstração
informal surgem outras tendências artísticas, como o
expressionismo abstrato nos EUA e a abstração gestual na
Europa           e         na          América             Latina.
Abstração geométrica –Ao criar pinturas, gravuras e peças de
arte gráfica, os artistas exploram com certo rigor técnico
as formas geométricas, sem a preocupação de transmitir
idéias e sentimentos. Os principais responsáveis pelo início da
abstração geométrica são o russo MALEVITCH (1878-1935) e o
holandês PIET MONDRIAN (1872-1944). A partir de 1915, ao criar
quadros em que figuras geométricas flutuam num espaço sem
perspectiva, Malevitch inaugura um movimento derivado da
abstração, chamado de suprematismo (autonomia da forma).
Um de seus marcos é a tela Quadrado Negro sobre Fundo
Branco.
Branco
Mondrian, que no início da década de 10 estivera próximo dos
cubistas, entre os anos 20 e 40 dedica-se a pintar telas apenas
com linhas horizontais e verticais, ângulos retos e as três
cores primárias (amarela, azul e vermelha), além do preto e
do branco. Para ele, essas formas seriam a essência dos
objetos. O trabalho de Mondrian influencia diretamente a
arte funcional desenvolvida pela Bauhaus Da abstração
                                       Bauhaus.
geométrica derivam o construtivismo o concretismo e, mais
                        construtivismo,
recentemente, o minimalismo
                 minimalismo.
SURREALISMO
O Surrealismo foi um Movimento fundado pelo poeta André Breton que a princípio tinha apenas
expressão literária e caminhava ao lado do Dadaismo.Posteriormente, Breton foi reunindo, em
torno de si, artistas plásticos, muitos saídos do movimento Dadá, que já anunciava sua morte nos
anos 20. O Surrealismo foi profundamente ligado a uma filosofia de pensamento e ação, em que a
liberdade era extremamente valorizada. Apesar de seu ativismo e até incongruência serem bem
próximos ao dadaísmo, difere-se deste principalmente por ter uma vocação construtiva que
faltava ao seu antecessor.
Mesmo após ter sido extinto enquanto movimento, muitos artistas prosseguiram realizando suas
obras a partir de suas premissas, como Miró, Dali e Hans Arp.
É considerado o movimento mais forte e controverso do período entre guerras, tendo se
espalhado pelo mundo inteiro e influenciado várias gerações.
Desde o começo do movimento, Breton pretendia afinar a arte com a política contemporânea. Em
1925, no quinto número da Revista La Révolution Surréaliste, o artista já anuncia a adesão do
Movimento ao Comunismo.
O Surrealismo pretendia explorar a força criativa do subconsciente, valorizando um anti-
racionalismo, a livre associação de pensamentos e os sonhos, norteado pelas teorias psicanalíticas
de Freud.
O automatismo, que buscava lograr o controle da mente racional através da expressão de um
pensamento que não passasse por censuras, era uma das técnicas utilizadas pelos surrealistas.
Seguindo a tradição dos demais movimentos do Século 20, o Surrealismo era composto por
grandes individualidades, que lhe deram importantes e diferenciadas contribuições.
Seus principais expoentes foram:
JOAN MIRÓ, MARCEL DUCHAMP, MAX ERNST, SALVADOR DALI, RENÉ MAGRITTE, entre
outros.
Além disso, parte da incongruência associada ao movimento, além das diferenças pessoais entre
seus vários membros, devia-se a pelo menos duas fortes e contraditórias tendências do
Surrealismo.
Uma delas se achava mais próxima ao dadaísmo e era mais niilista, contrária a todos os conceitos
de arte tradicional (exemplificada por Marcel Duchamp). Quanto à outra, estava ainda sendo
guiada por valores estéticos (que pode ser representada, por exemplo, por Salvador Dali e
Magritte).
O alto grau de beleza estética que os trabalhos possuíam também eram considerados, de certa
forma, contraditórios ao princípio do acaso e do automatismo como métodos de produção.
O frottage desenhos a partir de "decalques" sobre superfícies irregulares e a colagem,
   frottage,
montagens predominantemente incongruentes, eram alguns métodos utilizados pelos surrealistas
para explorar suas potencialidades inconscientes.
  Uma das muitas provas de que as influências do Surrealismo extrapolaram as fronteiras de um movimento
(além da inspiração que forneceu a vários artistas e gerações) pode ser exemplificada por obras de
Picasso, como Guernica, bastante próximas das premissas artísticas propostas pelos surrealistas, apesar de
ele mesmo nunca ter pertencido ao grupo.
BIBLIOGRAFIA
ENCICLOPÉDIAS

O MUNDO DA ARTE – Enciclopédia das Artes Plásticas em todos os tempos – ARTE MODERNA – Ed. Expressão e
Cultura ,1966
HISTÓRIA UNIVERSAL DA ARTE –G. Pischel- livros 2 e 3 – Ed. Melhoramentos,1979
HISTÓRIA GERAL DA ARTE – ESCULTURA II e III – Ed. Ediciones Del Prado, 1996
GENIOS DA PINTURA

CD-ROOM
500 ANOS DA PINTURA BRASILEIRA
OUTROS:
CATÁLOGOS DE EXPOSIÇÕES
CATALAGOS DE LEILÕES EVANDRO CARNEIRO
TEXTOS DIVERSOS
TEXTO DE ROSA ARTIGAS EXTRAÍDO DO LIVRO BIENAL 50 ANOS, SÃO PAULO, FUNDAÇÃO BIENAL DE SÃO PAULO, 2001

LIVROS:
       FISCHER,Ernst.A Necessidade da Arte.GUANABARA/KOOGAN 9ªed.2002
       HARRISON,C.,FRASCINA,F. e PERRY G. Primitivismo,Cubismo,Abstração, tradução de Otacílio Nunes.COSAC
&NAIFY,1998
       JAMESON,Fredric.Pós-Modernismo,ÁTICA,
       LEITE, José Roberto Teixeira Leite. 500 anos da Pintura Brasileira,Uma Enciclopédia Interativa.Raul Luiz
Mendes Silva e Log On Informática Ltda,2000
       SANTOS, Jair Ferreira dos.O que é Pós - Moderno.BRASILIENSE,1986
       VALLS,Álvaro.L.M. Estudos de Estética e Filosofia da Arte – Numa perspectiva Adorniana.EDITORA DA
UNIVERSIDADE/UFRGS,2002
       GULLAR, Ferreira. Etapas da arte contemporânea: do cubismo à arte neoconcreta. 3 edição, Rio de
       Janeiro, Revan: 1999.

 SITES:
       www.itaucultural.org.br
       www.pitoresco.com
       www.historiadaarte.com.br
       www.dezenovevinte.com.br
       www.wikipedia.org

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila 6ºano
Apostila 6ºanoApostila 6ºano
Apostila 6ºano
Dulcinea Lisboa Passos
 
Linguagem bidimensional e tridimensional
Linguagem bidimensional e tridimensionalLinguagem bidimensional e tridimensional
Linguagem bidimensional e tridimensional
Kadu Sp
 
Missão Artística Francesa
Missão Artística Francesa Missão Artística Francesa
Missão Artística Francesa
Andrea Dressler
 
Op art
Op artOp art
Op art
Mirna Muniz
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
Michele Pó
 
Slide Impressionismo
Slide ImpressionismoSlide Impressionismo
Slide Impressionismo
Gabi Nery
 
Elementos da Linguagem Visual - Movimento
Elementos da Linguagem Visual - MovimentoElementos da Linguagem Visual - Movimento
Elementos da Linguagem Visual - Movimento
Raphael Lanzillotte
 
Art Nouveau (Arte Nova)
Art Nouveau (Arte Nova)Art Nouveau (Arte Nova)
Art Nouveau (Arte Nova)
Andrea Dressler
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
Lú Carvalho
 
Apresentação mondrian
Apresentação mondrianApresentação mondrian
Apresentação mondrian
Karen Prusch
 
Academicismo no brasil c/ resumo do impressionismo.
Academicismo no brasil c/ resumo do impressionismo.Academicismo no brasil c/ resumo do impressionismo.
Academicismo no brasil c/ resumo do impressionismo.
Gliciane S. Aragão
 
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Raphael Lanzillotte
 
Expressionismo Alemão
Expressionismo AlemãoExpressionismo Alemão
Expressionismo Alemão
Michele Pó
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
Andrea Dressler
 
Introducao arte
Introducao arteIntroducao arte
Introducao arte
Over Lane
 
Pablo Picasso
Pablo PicassoPablo Picasso
Pablo Picasso
hcaslides
 
A figura humana na arte
A figura humana na arteA figura humana na arte
A figura humana na arte
Lismara de Oliveira
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.pptARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
FranciscaFerreira71
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e PontilhismoHISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
Maiara Giordani
 

Mais procurados (20)

Apostila 6ºano
Apostila 6ºanoApostila 6ºano
Apostila 6ºano
 
Linguagem bidimensional e tridimensional
Linguagem bidimensional e tridimensionalLinguagem bidimensional e tridimensional
Linguagem bidimensional e tridimensional
 
Missão Artística Francesa
Missão Artística Francesa Missão Artística Francesa
Missão Artística Francesa
 
Op art
Op artOp art
Op art
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Slide Impressionismo
Slide ImpressionismoSlide Impressionismo
Slide Impressionismo
 
Elementos da Linguagem Visual - Movimento
Elementos da Linguagem Visual - MovimentoElementos da Linguagem Visual - Movimento
Elementos da Linguagem Visual - Movimento
 
Art Nouveau (Arte Nova)
Art Nouveau (Arte Nova)Art Nouveau (Arte Nova)
Art Nouveau (Arte Nova)
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
 
Apresentação mondrian
Apresentação mondrianApresentação mondrian
Apresentação mondrian
 
Academicismo no brasil c/ resumo do impressionismo.
Academicismo no brasil c/ resumo do impressionismo.Academicismo no brasil c/ resumo do impressionismo.
Academicismo no brasil c/ resumo do impressionismo.
 
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
 
Expressionismo Alemão
Expressionismo AlemãoExpressionismo Alemão
Expressionismo Alemão
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Introducao arte
Introducao arteIntroducao arte
Introducao arte
 
Pablo Picasso
Pablo PicassoPablo Picasso
Pablo Picasso
 
A figura humana na arte
A figura humana na arteA figura humana na arte
A figura humana na arte
 
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.pptARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
ARTES VISUAIS – Elementos Visuais as cores e as linhas.ppt
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
Pop Art
 
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e PontilhismoHISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
HISTÓRIA DA ARTE - Século XIX na Europa - Impressionismo e Pontilhismo
 

Destaque

Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembroAvaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Moesio Alves
 
Avaliação diagnóstica arte 9 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 9 ano 2013Avaliação diagnóstica arte 9 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 9 ano 2013
Fabiola Oliveira
 
Como fazer um graffiti em 9 passos
Como fazer um graffiti em 9 passosComo fazer um graffiti em 9 passos
Como fazer um graffiti em 9 passos
Marcelo Costa
 
A Arte do Grafite
A Arte do GrafiteA Arte do Grafite
A Arte do Grafite
Gabriel Caetano
 
Lp 7ano
Lp 7anoLp 7ano
Grafite slides aula oitavas série
Grafite  slides aula oitavas sérieGrafite  slides aula oitavas série
Grafite slides aula oitavas série
cleorosa89
 
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Fabiola Oliveira
 
Prova Artes 6° ano
Prova Artes 6° anoProva Artes 6° ano
Prova Artes 6° ano
Geo Honório
 
Atividades portugues semana-da-patria1
Atividades portugues  semana-da-patria1Atividades portugues  semana-da-patria1
Atividades portugues semana-da-patria1
Atividades Diversas Cláudia
 
01 artes
01 artes01 artes
01 artes
Laís Paiva
 
Aval arte 6 pip
Aval arte 6 pipAval arte 6 pip
PoluiçãO Visual
PoluiçãO VisualPoluiçãO Visual
PoluiçãO Visual
ecsette
 
Século xx no brasil
Século xx no brasilSéculo xx no brasil
Século xx no brasil
matheuslw
 
Graffiti
GraffitiGraffiti
Grafite slide
Grafite slideGrafite slide
Grafite slide
cafumilena
 
Prova de arte 12013
Prova de arte 12013Prova de arte 12013
Prova de arte 12013
Atividades Diversas Cláudia
 
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XXPrincipais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Cinthya Nascimento
 
Mensagem a lição da borboleta
Mensagem a lição da borboletaMensagem a lição da borboleta
Mensagem a lição da borboleta
Atividades Diversas Cláudia
 
Sequencia didatica caricatura arte 9º ano
Sequencia didatica caricatura   arte 9º anoSequencia didatica caricatura   arte 9º ano
Sequencia didatica caricatura arte 9º ano
Fabiola Oliveira
 
Gabarito questoes de arte da bebete
Gabarito questoes de arte da bebeteGabarito questoes de arte da bebete
Gabarito questoes de arte da bebete
Atividades Diversas Cláudia
 

Destaque (20)

Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembroAvaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
 
Avaliação diagnóstica arte 9 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 9 ano 2013Avaliação diagnóstica arte 9 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 9 ano 2013
 
Como fazer um graffiti em 9 passos
Como fazer um graffiti em 9 passosComo fazer um graffiti em 9 passos
Como fazer um graffiti em 9 passos
 
A Arte do Grafite
A Arte do GrafiteA Arte do Grafite
A Arte do Grafite
 
Lp 7ano
Lp 7anoLp 7ano
Lp 7ano
 
Grafite slides aula oitavas série
Grafite  slides aula oitavas sérieGrafite  slides aula oitavas série
Grafite slides aula oitavas série
 
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
 
Prova Artes 6° ano
Prova Artes 6° anoProva Artes 6° ano
Prova Artes 6° ano
 
Atividades portugues semana-da-patria1
Atividades portugues  semana-da-patria1Atividades portugues  semana-da-patria1
Atividades portugues semana-da-patria1
 
01 artes
01 artes01 artes
01 artes
 
Aval arte 6 pip
Aval arte 6 pipAval arte 6 pip
Aval arte 6 pip
 
PoluiçãO Visual
PoluiçãO VisualPoluiçãO Visual
PoluiçãO Visual
 
Século xx no brasil
Século xx no brasilSéculo xx no brasil
Século xx no brasil
 
Graffiti
GraffitiGraffiti
Graffiti
 
Grafite slide
Grafite slideGrafite slide
Grafite slide
 
Prova de arte 12013
Prova de arte 12013Prova de arte 12013
Prova de arte 12013
 
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XXPrincipais Movimentos Artísticos do Séc. XX
Principais Movimentos Artísticos do Séc. XX
 
Mensagem a lição da borboleta
Mensagem a lição da borboletaMensagem a lição da borboleta
Mensagem a lição da borboleta
 
Sequencia didatica caricatura arte 9º ano
Sequencia didatica caricatura   arte 9º anoSequencia didatica caricatura   arte 9º ano
Sequencia didatica caricatura arte 9º ano
 
Gabarito questoes de arte da bebete
Gabarito questoes de arte da bebeteGabarito questoes de arte da bebete
Gabarito questoes de arte da bebete
 

Semelhante a 8ºano

O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
Michele Wilbert
 
resumo Movimentos Artísticos séc. XIX
resumo Movimentos Artísticos séc. XIXresumo Movimentos Artísticos séc. XIX
resumo Movimentos Artísticos séc. XIX
Gliciane S. Aragão
 
Evolução das Artes Visuais IV
Evolução das Artes Visuais IVEvolução das Artes Visuais IV
Evolução das Artes Visuais IV
renatomacedo
 
Seminários história da arte 03
Seminários história da arte   03Seminários história da arte   03
Seminários história da arte 03
Gabriela Lemos
 
Ruptura Inovação nas Artes e na Literatura
Ruptura Inovação nas Artes e na LiteraturaRuptura Inovação nas Artes e na Literatura
Ruptura Inovação nas Artes e na Literatura
Margarida Moreira
 
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila 8 A,B e C 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila 8 A,B e C 1ºBEscola CEJAR - Aquidauana - Apostila 8 A,B e C 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila 8 A,B e C 1ºB
Priscila Barbosa
 
A Arte
A ArteA Arte
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
Lú Carvalho
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
Sheila Cristina Carlos
 
Artes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EVArtes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EV
ammarahmonteiro
 
Neoclassicismo realismo romantismo
Neoclassicismo realismo romantismoNeoclassicismo realismo romantismo
Neoclassicismo realismo romantismo
Fabiana Alexandre
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
CEF16
 
Panorama Momentos Artísticos da História
Panorama Momentos Artísticos da HistóriaPanorama Momentos Artísticos da História
Panorama Momentos Artísticos da História
Antonio Abreu
 
Neoclassicismo realismo romantismo
Neoclassicismo realismo romantismo Neoclassicismo realismo romantismo
Neoclassicismo realismo romantismo
Fabiana Alexandre
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
Adventus Net
 
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modestoRuptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
ceufaias
 
Neoclassicismo E Romantismo
Neoclassicismo E RomantismoNeoclassicismo E Romantismo
Neoclassicismo E Romantismo
Auriene
 
Cursinho novo1
Cursinho novo1Cursinho novo1
Cursinho novo1
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Arte e literatura
Arte e literaturaArte e literatura
Arte e literatura
Susana Simões
 
Aula 3 ef - artes
Aula 3   ef - artesAula 3   ef - artes
Aula 3 ef - artes
Walney M.F
 

Semelhante a 8ºano (20)

O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
 
resumo Movimentos Artísticos séc. XIX
resumo Movimentos Artísticos séc. XIXresumo Movimentos Artísticos séc. XIX
resumo Movimentos Artísticos séc. XIX
 
Evolução das Artes Visuais IV
Evolução das Artes Visuais IVEvolução das Artes Visuais IV
Evolução das Artes Visuais IV
 
Seminários história da arte 03
Seminários história da arte   03Seminários história da arte   03
Seminários história da arte 03
 
Ruptura Inovação nas Artes e na Literatura
Ruptura Inovação nas Artes e na LiteraturaRuptura Inovação nas Artes e na Literatura
Ruptura Inovação nas Artes e na Literatura
 
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila 8 A,B e C 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila 8 A,B e C 1ºBEscola CEJAR - Aquidauana - Apostila 8 A,B e C 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila 8 A,B e C 1ºB
 
A Arte
A ArteA Arte
A Arte
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Artes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EVArtes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EV
 
Neoclassicismo realismo romantismo
Neoclassicismo realismo romantismoNeoclassicismo realismo romantismo
Neoclassicismo realismo romantismo
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Panorama Momentos Artísticos da História
Panorama Momentos Artísticos da HistóriaPanorama Momentos Artísticos da História
Panorama Momentos Artísticos da História
 
Neoclassicismo realismo romantismo
Neoclassicismo realismo romantismo Neoclassicismo realismo romantismo
Neoclassicismo realismo romantismo
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modestoRuptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
 
Neoclassicismo E Romantismo
Neoclassicismo E RomantismoNeoclassicismo E Romantismo
Neoclassicismo E Romantismo
 
Cursinho novo1
Cursinho novo1Cursinho novo1
Cursinho novo1
 
Arte e literatura
Arte e literaturaArte e literatura
Arte e literatura
 
Aula 3 ef - artes
Aula 3   ef - artesAula 3   ef - artes
Aula 3 ef - artes
 

Último

Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 

8ºano

  • 2. 8ºANO ARTE MODERNA
  • 3. ARTE MODERNA Arte Moderna é o termo genérico usado para designar a maior parte da produção artística do fim do Século XIX até meados dos anos 1950 (embora não haja consenso sobre essas datas), o pensamento e a tradição européia estavam se esgotando, os novos artistas e pensadores estavam surgindo para mudar radicalmente o que seus mestres do passado tinham executado e idealizado. Enquanto que a produção mais recente da arte é chamada freqüentemente de arte contemporânea. A arte moderna se refere a uma nova abordagem da arte em um momento no qual não mais era importante que ela representasse literalmente um assunto ou objeto (através da pintura e da escultura) -- o advento da fotografia fez com que houvesse uma diminuição drástica na demanda por certos meios artísticos tradicionais, a pintura especialmente. Ao invés disso, e é aí que a idéia de moderno começa a tomar forma, os artistas passam a experimentar novas visões, através de idéias inéditas sobre a natureza, os materiais e as funções da arte, e com freqüência caminhando em direção à abstração. Nenhum outro período em uma cultura produziu e sofreu influências de obras tão diversas como este. O ser humano tem mania de classificar toda forma ou estilo de alguma produção, mas diante de tanta multiplicidade de trabalhos que foi produzido no séc. XX, os maiores artistas não chegam a se encaixar em nenhum estilo específico. Durante as primeiras décadas, a arte moderna foi um fenómeno exclusivamente Europeu. As primeiras sementes de idéias modernas na arte vieram dos artistas que trabalhavam no romântico e movimento realista. Em seguida, representantes do impressionismo e pós-impressionismo experimentaram começando com as maneiras novas de representar a luz e o espaço através da cor e da pintura. Nos anos pré-I Guerra Mundial do século XX, uma explosão criativa ocorreu com fauvismo, cubismo, expressionismo e abstracionismo. I Guerra Mundial trouxe um fim a esta fase, mas indicou o começo de um número de os grupos de artistas como de Stijl e Bauhaus eram seminal no desenvolvimento de idéias novas sobre o interrelação movimentos anti-arte, como dada e o trabalho de Marcel Duchamp, e do surrealismo. Também os grupos de artistas como de Stijl e Bauhaus eram seminal no desenvolvimento de idéias novas sobre o interrelação das artes, da arquitetura, do projeto e da instrução da arte. Arte moderna foi introduzida na América durante a I Guerra Mundial quando um número de artistas de Montmartre e Montparnasse bairros de Paris, França fugiram da guerra. Francis Picabia (1879–1953), foi o responsável de trazer a Arte Moderna para a cidade de Nova York. Foi somente após a II Guerra Mundial, no entanto, que os EUA se transformaram no ponto focal de novos movimentos artísticos. As décadas de 1950 e 1960 viram emergir o expressionismo abstrato, pop art, op art e arte mínima. Entre 1960 e 1970, a arte da terra, a arte conceitual Fotorealismo emergiram.
  • 4. ROMANTISMO O século XIX foi agitado por fortes mudanças sociais, políticas e culturais causadas por acontecimentos do final do século XVIII que foram a Revolução Industrial que gerou novos inventos com o objetivo de solucionar os problemas técnicos decorrentes do aumento de produção, provocando a divisão do trabalho e o início da especialização da mão-de-obra, e pela Revolução Francesa que lutava por uma sociedade mais harmônica, em que os direitos individuais fossem respeitados, traduziu-se essa expectativa na Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Do mesmo modo, a atividade artística tornou-se complexa. Os artistas românticos procuraram se libertar das convenções acadêmicas em favor da livre expressão da personalidade do artista. O romantismo volta-se para o passado. Desdenhando a frieza e a sujeição às normas acadêmicas dos neo-classicistas, os artistas buscam o extremo oposto.Desejam o individualismo, a liberdade de ação,a espiritualidade e o sentimento. Características gerais: a valorização dos sentimentos e da imaginação; o nacionalismo; a valorização da natureza como princípios da criação artística; e os sentimentos do presente tais como: Liberdade, Igualdade e Fraternidade. ARQUITETURA E ESCULTURA A escultura e a arquitetura registram pouca novidade. Observa-se, grosso modo, a permanência do estilo anterior, o neoclássico. Vez por outra retomou-se o estilo gótico da época medieval, gerando o neogótico. PINTURA Características da pintura: Aproximação das formas barrocas; Composição em diagonal sugerindo instabilidade e dinamismo ao observador; Valorização das cores e do claro-escuro; e Dramaticidade Temas da pintura: Fatos reais da história nacional e contemporânea da vida dos artistas; Natureza revelando um dinamismo equivalente as emoções humanas; e Mitologia Grega Principais artistas: Theodore Gericaut , obra: A BALSA DA MEDUSA Eugène Delacroix, obra: A LIBERDADE GUIANDO O POVO J.M. William Turner, obra: Chuva, Vapor e Velocidade e O Grande Canal, Veneza.
  • 5. REALISMO Entre 1850 e 1900 surge nas artes européias, sobretudo na pintura francesa, uma nova tendência estética chamada Realismo, que se desenvolveu ao lado da crescente industrialização das sociedades. O homem europeu, que tinha aprendido a utilizar o conhecimento científico e a técnica para interpretar e dominar a natureza, convenceu-se de que precisava ser realista, inclusive em suas criações artísticas, deixando de lado as visões subjetivas e emotivas da realidade. São características gerais: o cientificismo a valorização do objeto o sóbrio e o minucioso a expressão da realidade e dos aspectos descritivos ARQUITETURA Os arquitetos e engenheiros procuram responder adequadamente às novas necessidades urbanas, criadas pela industrialização. As cidades não exigem mais ricos palácios e templos. Elas precisam de fábricas, estações, ferroviárias, armazéns, lojas, bibliotecas, escolas, hospitais e moradias, tanto para os operários quanto para a nova burguesia. Em 1889, Gustavo Eiffel levanta, em Paris, a Torre Eiffel, hoje logotipo da "Cidade Luz". ESCULTURA Auguste Rodin - não se preocupou com a idealização da realidade. Ao contrário, procurou recriar os seres tais como eles são. Além disso, os escultores preferiam os temas contemporâneos, assumindo muitas vezes uma intenção política em suas obras. Sua característica principal é a fixação do momento significativo de um gesto humano. Camille Claudel - Seu pai, maravilhado com seu estupendo e precoce talento que, ainda na infância, produziu esculturas de ossos e esqueletos com impressionante verossimilhança, oferta-lhe todos os meios de desenvolver suas potencialidades.Seu gênio sufocado por dois gigantes:Seu irmão um grande poeta e seu amor , o escultor Rodin. sua forte personalidade, sua intransigência, seu gênio criativo que ultrapassou a compreensão de sua época. PINTURA Características da pintura: Representação da realidade com a mesma objetividade com que um cientista estuda um fenômeno da natureza, ou seja o pintor buscava representar o mundo de maneira documental; Ao artista não cabe "melhorar" artisticamente a natureza, pois a beleza está na realidade tal qual ela é; Revelação dos aspectos mais característicos e expressivos da realidade. Temas da pintura: Politização: a arte passa a ser um meio para denunciar uma ordem social que consideram injusta; a arte manifesta um protesto em favor dos oprimidos.Pintura social denunciando as injustiças e as imensas desigualdades entre a miséria dos trabalhadores e a opulência da burguesia. As pessoas das classes menos favorecidas - o povo, em resumo - tornaram-se assunto freqüente da pintura realista. Os artistas incorporavam a rudeza, a fealdade, a vulgaridade dos tipos que pintavam, elevando esses tipos à categoria de heróis. Heróis que nada têm a ver com os idealizados heróis da pintura romântica. Principais pintores: Gustave Courbet ,obra :ENTERRO DE ORNANS, A ORIGEM DO MUNDO J.B. Corot, obra: BATISMO DE CRISTO Honoré Daumier, obra: O CARNICEIRO Jean François Millet, obra: AS COLHEDORAS
  • 6. IMPRESSIONISMO O nome Impressionismo, inicialmente teve um cunho pejorativo. Foi um rótulo colocado ao trabalho de um grupo de artistas que, de acordo com os críticos da época, acreditavam na impressão do momento como algo tão importante que se bastava por si mesma, dispensando as técnicas tradicionais acadêmicas. Esses artistas realizaram inúmeras exposições em Paris entre 1874 e 1886. Ridicularizados inicialmente pela crítica por não seguirem a tradição pictórica que vinha sendo solidificada desde o renascimento, acabaram por, paulatinamente, obter o respeito e aceitação de suas “novas técnicas“ por parte do público. Os objetos retratados ao ar livre, sob a luz natural, eram bastante valorizados pelos impressionistas. O volume e solidez, características que a pintura tradicional pregava como fundamentais para uma obra de arte existir, começaram a ser desrespeitados, abrindo caminho para as vanguardas estéticas do Século 19. Com efeito, os impressionistas faziam suas pinturas fora das convenções artísticas, mas, de preferência, sob os efeitos do olhar e das mudanças da luz diária.Nesse sentido pode-se dizer que são descendentes do Realismo. As cores eram de fundamental importância para o grupo, elemento extremamente expressivo em sua arte.A frescura da impressão que um objeto causava ao artista deveria ser captada pelas pinceladas. Os objetos retratados seriam aqueles percebidos pela visão como paisagens, retratos, cenas do cotidiano. Das influências foram fundamentais para o movimento: as estampas japonesas que popularizam-se na Europa no final do Século 19, com seu desrespeito à perspectiva e às normas de composição da academia ocidental - suas formas repletas de vida encantavam os impressionistas, e a invenção da fotografia. Claude Monet (1840 - 1926) é considerado o fundador do Impressionismo. São famosas suas pesquisas em cima dos ideais impressionistas, como a representação de um objeto em diferentes horas do dia e sob diferentes luzes Pierre Auguste Renoir e Edgar Degas são outros dois importantes nomes do movimento. Merece citação especial o nome de Édouard Manet (1823 - 1883), que, apesar de nunca ter exposto com os impressionistas, realizava algumas de suas pinturas obedecendo a esse estilo. Sua carreira passou por diversas fases e costuma ser considerado tanto um pintor impressionista como realista. Antes de os impressionistas começarem a expor, Degas já havia quebrado as regras de pintura acadêmica, obtendo aceitação da crítica um pouco antes de seus companheiros. Sua obra “O Balcão“, com damas de cabeças quase que planas, valorizando as imagens como realmente percebidas pelo olhar e não como deveriam ser tecnicamente, chocou inicialmente a opinião pública, quando exposta, em 1869.Além da França, o Impressionismo acaba se espalhando por outros países. Destaques são americanos como Childe Hassam (1859-1935), Maurice Prendergast (1859-1924) e James Abbott McNeill Whistler (1834-1903), este último, um dos primeiros artistas ocidentais a perceber o valor das estampas japonesas. Mulheres impressionista: MORISOT (Berthe), pintora francesa (Bourges, 1841 - Paris, 1895), cunhada de Manet. Praticou um impressionismo elegante. CASSATT (Mary), pintora e gravadora norte-americana (Pittsburgh, 1844 - Le Mesnil, França, 1926). Radicada em Paris, foi amiga de Degas, que a orientou. Juntou-se aos impressionistas da escola de Paris e ganhou reputação internacional.
  • 7. FOVISMO OU FAUVISMO Em 1905, em Paris, no Salão de Outono, alguns artistas foram chamados de fauves (em português significa feras), em virtude da intensidade com que usavam as cores puras, sem misturá-las ou matizá-las. Quem lhes deu este nome foi o crítico Louis Vauxcelles, pois estavam expostas um conjunto de pinturas modernas ao lado de uma estatueta renascentista. Se esta história é verdade, Vauxcelles pode se orgulhar de ter batizado duas das tendências artísticas mais importantes do início do século XX, o FOVISMO e o CUBISMO. Os pintores fovistas não faziam parte de uma sociedade ou associação. Não tinham um manifesto nem uma estética coerente. Tratava-se mais de um círculo informal de amigos, tendo Matisse como chefe reconhecido. Um crítico disse das obras do grupo fovista que ”não tinha nada a ver com pintura”. Evidentemente, o que mais ofendia os críticos e o público era a utilização estridente e não natural da cor, o que parecia ser precisamente a característica do grupo. Os críticos da época não se esforçaram em fazer distinções entre as obras dos diferentes artistas que particiaram neste “salão fovista”, ainda que se observarmos com atenção, as diferenças são tão chamativas quanto as características comuns. Matisse havia atingido um cromatismo intenso experimentando as cores puras do Neo- impressionismo.Vlaminck estava mais próximo de Van Gogh que de qualquer pintor Vlaminck moderno francês. Derain estava mais interessado no uso estrutural da cor que qualquer de seus contemporâneos. Rouault de alguma maneira situado na periferia do grupo Rouault, fovista, mostrava mais interesse pelas distorções da forma que pelas da cor, e sua palheta sempre foi sombria: por isso Alfred H. Barr o considerara “um fovista visto através de cristais escuros”. Com exceção de Rouault, no entanto, os demais fvistas dividiam o gosto pelo desenho e pelosefeitos decorativos da cor. No salão dos Independentes de 1906, dois artistas Othon Friesz e Raoul Dufy, que representavam a “Escola de le Havre”, foram integrados no grupo. Os anos 1906 – 1907 marcam o auge do Fovismo. Curiosamente, s pintores fovistas, e especialmente Matisse, desfrutaram de maior reputação e fama fora da França que em seu próprio país. Antes da I Guerra Mundial uma das melhores coleções de pintura fovista do mundo estava na Rússia. Características Pictóricas: Pincelada violenta, espontânea e definitiva Ausência de ar livre Colorido brutal, pretendendo a sensação física da cor que é subjetiva, não correspondendo à realidade Autonomização completa do real Uso exclusivo das cores puras, como saem das bisnagas Pintura por manchas largas, formando grandes planos Principais artistas : MAURICE DE VLAMINCK(1876-1958), VLAMINCK( HENRI MATISSE(1869-1954), MATISSE ANDRÉ DERAIN(1880-1954), DERAIN RAOUL DUFY (1877-1953) e GEORGE ROUAULT ROUAULT(1871-1958)
  • 8. CUBISMO Historicamente o Cubismo originou-se na obra de Cézanne, pois para ele a pintura deveria tratar as formas da natureza como se fossem cones, esferas e cilindros. Por isso o movimento ganha ironicamente o nome de cubismo. Entretanto, os cubistas foram mais longe do que Cézanne. Passaram a representar os objetos com todas as suas partes num mesmo plano. É como se eles estivessem abertos e apresentassem todos os seus lados no plano frontal em relação ao espectador. Na verdade, essa atitude de decompor os objetos não tinha nenhum compromisso de fidelidade com a aparência real das coisas. A tendência foi desenvolvida simultaneamente por Picasso e Braque, e rapidamente adotada por outros pintores entre eles destacam-se: Lèger e Juan Gris. Por volta de 1910-1911, havia se transformado na linguagem vanguardista predominante em Paris, e durante os dois anos seguintes teve tanta repercussão que influenciou e transformou o aspecto da pintura avançada em toda a Europa, Rússiae, em parte também na América. Logo se transformou num estilo moderno e internacional; seu caráter angular estava em consonância com o desenvolvimento tecnológico da época. O pintor cubista tenta representar os objetos em três dimensões, numa superfície plana, sob formas geométricas, com o predomínio de linhas retas. Não representa, mas sugere a estrutura dos corpos ou objetos. Representa- os como se movimentassem em torno deles, vendo-os sob todos os ângulos visuais, por cima e por baixo, percebendo todos os planos e volumes. Ao pintar, os artistas achatam os objetos, e com isso eliminam a ilusão de tridimensionalidade. As cores em geral se limitam a preto, cinza, marrom e ocre. O movimento surge em Paris em 1907 com a tela Les Demoiselles d'Avignon (As Senhoritas de Avignon), pintada pelo espanhol Pablo Picasso. Também se destaca o trabalho do ex-fauvista francês Georges Braque (1882-1963). Em ambos é nítida a influência da arte africana. Cubismo Analítico - (1909) caracterizado pela desestruturação da obra em todos os seus elementos. Decompondo a obra em partes, o artista registra todos os seus elementos em planos sucessivos e superpostos, procurando a visão total da figura, examinado-a em todos os ângulos no mesmo instante, através da fragmentação dela. Essa fragmentação dos seres foi tão grande, que se tornou impossível o reconhecimento de qualquer figura nas pinturas cubistas. A cor se reduz aos tons de castanho, cinza e bege. Cubismo Sintético - (1911) reagindo à excessiva fragmentação dos objetos e à destruição de sua estrutura. Basicamente, essa tendência procurou tornar as figuras novamente reconhecíveis. Também chamado de Colagem porque introduz letras, palavras, números, pedaços de madeira, vidro, metal e até objetos inteiros nas pinturas. Essa inovação pode ser explicada pela intenção do artistas em criar efeitos plásticos e de ultrapassar os limites das sensações visuais que a pintura sugere, despertando também no observador as sensações táteis. O cubismo manifesta-se ainda na arquitetura, especialmente na obra de Corbusier, e na escultura. No teatro, restringe-se à pintura de cenários de peças e de balés feita por PICASSO. O cubismo não sobreviveu à I Guerra Mundial. Principais artistas: PABLO PICASSO(1881-1973), GEORGES BRAQUE(1882-1963), JUAN CRIS( 1887-1927) e FERNAND LÉGER ( 1881-1955)
  • 9. EXPRESSIONISMO INICIADO NO FIM DO SÉCULO XIX POR ARTISTAS PLÁSTICOS DA ALEMANHA, ALCANÇA SEU AUGE ENTRE 1910 E 1920 E EXPANDE-SE PARA A LITERATURA, A MÚSICA, O TEATRO E O CINEMA. EM FUNÇÃO DA I GUERRA MUNDIAL E DAS LIMITAÇÕES IMPOSTAS PELA LÍNGUA ALEMÃ, TEM MAIOR EXPRESSÃO ENTRE OS POVOS GERMÂNICO, ESLAVO E NÓRDICO. APÓS O FIM DA GUERRA, INFLUENCIA A ARTE EM OUTRAS PARTES DO MUNDO. MUITOS ARTISTAS ESTÃO LIGADOS A GRUPOS POLÍTICOS DE ESQUERDA. MOVIMENTO ARTÍSTICO QUE SE CARACTERIZA PELA EXPRESSÃO DE INTENSAS EMOÇÕES. AS OBRAS NÃO TÊM PREOCUPAÇÃO COM O PADRÃO DE BELEZA TRADICIONAL E EXIBEM ENFOQUE PESSIMISTA DA VIDA, MARCADO POR ANGÚSTIA, DOR, INADEQUAÇÃO DO ARTISTA DIANTE DA REALIDADE EMUITAS VEZES, NECESSIDADE DE DENUNCIAR PROBLEMAS SOCIAIS.O EXPRESSIONISMO ESTÁ INSERIDO NO AMBIENTE CONTURBADO QUE MARCA A VIRADA DO SÉCULO. O PRINCIPAL PRECURSOR DO MOVIMENTO É O PINTOR HOLANDÊS VINCENT VAN GOGH, GOGH CRIADOR DE OBRAS DE PINCELADAS MARCADAS, CORES FORTES, TRAÇOS EXPRESSIVOS, FORMAS CONTORCIDAS E DRAMÁTICAS. EM 1911, NUMA REFERÊNCIA DE UM CRÍTICO À SUA OBRA, O MOVIMENTO GANHA O NOME DE EXPRESSIONISMO. AS OBRAS PROPÕEM UMA RUPTURA COM AS ACADEMIAS DE ARTE E O IMPRESSIONISMO. É UMA FORMA DE "RECRIAR" O MUNDO EM VEZ DE APENAS CAPTÁ- LO OU MOLDÁ-LO SEGUNDO AS LEIS DA ARTE TRADICIONAL. AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS SÃO : • DISTANCIAMENTO DA PINTURA ACADÊMICA; • RUPTURA COM A ILUSÃO DE TRIDIMENSIONALIDADE; • RESGATE DAS ARTES PRIMITIVAS E USO ARBITRÁRIO DE CORES FORTES; • DEFORMAÇÃO DA FORMA PARA REALÇAR O CARÁTER DRAMÁTICO; • MUITAS OBRAS POSSUEM TEXTURA ÁSPERA DEVIDO À GRANDE QUANTIDADE DE TINTA NAS TELAS. • É COMUM O RETRATO DE SERES HUMANOS SOLITÁRIOS E SOFREDORES, COMO O SER HUMANO DESESPERADO SOBRE UMA PONTE QUE SE VÊ EM O GRITO DO NORUEGUÊS EDVARD MUNCH (1863- GRITO, 1944), UM DOS EXPOENTES DO MOVIMENTO. O EXPRESSIONISMO VIVE SEU AUGE A PARTIR DA FUNDAÇÃO DE DOIS GRUPOS ALEMÃES: O DIE BRÜCKE (A PONTE), EM DRESDEN, QUE FAZ SUA PRIMEIRA EXPOSIÇÃO EM 1905 E DURA ATÉ 1913; E O DER BLAUE REITER (O CAVALEIRO AZUL) EM MUNIQUE, ATIVO DE 1911 A 1914. OS ARTISTAS AZUL), DO PRIMEIRO GRUPO, COMO OS ALEMÃES ERNST KIRCHNER (1880-1938) E EMIL NOLDE (1867- 1956), SÃO MAIS AGRESSIVOS E POLITIZADOS. COM CORES QUENTES, PRODUZEM CENAS MÍSTICAS E PAISAGENS DE ATMOSFERA PESADA. OS DO SEGUNDO GRUPO, ENTRE ELES O RUSSO VASSÍLI KANDÍNSKI (1866-1944), O ALEMÃO AUGUST MACKE (1887-1914) E O SUÍÇO PAUL KLEE (1879-1940), VOLTAM-SE PARA A ESPIRITUALIDADE. INFLUENCIADOS PELO CUBISMO E FUTURISMO, DEIXAM AS FORMAS FIGURATIVAS E CAMINHAM PARA A ABSTRAÇÃO. NA AMÉRICA LATINA, O EXPRESSIONISMO É PRINCIPALMENTE UMA VIA DE PROTESTO POLÍTICO. NO MÉXICO, O DESTAQUE SÃO OS MURALISTAS, COMO DIEGO RIVERA (1886-1957). A ÚLTIMA GRANDE MANIFESTAÇÃO DE PROTESTO EXPRESSIONISTA É O PAINEL GUERNICA DO GUERNICA, ESPANHOL PABLO PICASSO. RETRATA O BOMBARDEIO DA CIDADE BASCA DE GUERNICA POR AVIÕES ALEMÃES DURANTE A GUERRA CIVIL ESPANHOLA. A OBRA MOSTRA SUA VISÃO PARTICULAR DA ANGÚSTIA DO ATAQUE, COM A SOBREPOSIÇÃO DE FIGURAS, COMO UM CAVALO MORRENDO, UMA MULHER PRESA EM UM EDIFÍCIO EM CHAMAS, UMA MÃE COM UMA CRIANÇA MORTA E UMA LÂMPADA NO PLANO CENTRAL. DO MUNDO. MUITOS ARTISTAS ESTÃO LIGADOS A GRUPOS POLÍTICOS DE ESQUERDA. ASSIM COMO A REVOLUÇÃO RUSSA (1917), AS TEORIAS PSICANALÍTICAS DO AUSTRÍACO SIGMUND FREUD, A EVOLUÇÃO DA CIÊNCIA E A FILOSOFIA DO ALEMÃO FRIEDRICH NIETZSCHE O EXPRESSIONISMO ESTÁ INSERIDO NO AMBIENTE CONTURBADO QUE MARCA PREOCUPAÇÃO COM O PADRÃO DE BELEZA TRADICIONAL E EXIBEM ENFOQUE PESSIMISTA DA VIDA, MARCADO PELA VIRADA DO SÉCULO.
  • 10. DADAÍSMO O Dadaísmo foi um movimento originado em 1915, em plena 1ª Guerra Mundial, em Zurique (cidade que conservou-se neutra com relação à guerra). O movimento, que negava todas as tradições sociais e artísticas, tinha como base um anarquismo niilista. NIILISMO s.m. Negação de qualquer crença. / Sistema que tinha partidários na Rússia do séc. XIX, e cujo objetivo era a destruição radical das estruturas sociais, sem visar a nenhum estado definitivo.Contrários à burguesia e ao naturalismo, identificado como "a penetração psicológica dos motivos do burguês", buscavam a destruição da arte acadêmica. O Dadaismo procurava chocar um público mais ligado a valores tradicionais e libertar a imaginação via destruição das noções artísticas convencionais. Acredita-se, ainda, que seu pessimismo venha de uma reação de desilusão causada pela Primeira Guerra Mundial. Apesar de sua curta durabilidade , no período entre guerras, teve grande importância para a arte do Século 20. Fez parte de um processo, observado nesse século, de libertação da arte de valores preestabelecidos e busca de experiências e formas expressivas mais apropriadas à expressão do homem moderno e de sua vida. Originou-se de um grupo composto por artistas como Tristan Tzara, Hans Harp, Richard Hülsenbeck, Marcel Janko, Hugo Ball e Hans Richter que se encontravam em cafés de Zurique. A idéia inicial era a realização de um espetáculo internacional de Cabaré que contava com músicas diversas, recitais de poesia e exposição de obras. A maneira como surgiu o nome do evento é sugestiva: por acaso Ball e Hülsenbeck abriram um dicionário de alemão-francês e acabaram se deparando com a palavra dada, que foi posteriormente adotada pelo grupo e pelo movimento que daí surgiria. O dadaísmo costuma ser bastante identificado aos READY-MADES de DUCHAMP, como os urinóis elevados à categoria de obras de arte ou outras proezas do artista, como o acréscimo de bigodes à Mona Lisa. Os poemas non-sense, as máquinas sem função de Picabia, que zombavam da ciência, ou a produção de quadros com detritos, como Merzbilder, de Schwitters, são outras obras características do dadaísmo. Além disso, o dadaísmo, desde o começo, pretendia ser um movimento internacional nas artes. Picabia era o artista que acabou por fazer a ponte entre o dadaísmo europeu e o americano, tornando-se, juntamente com Duchamp e Man Ray, uma das principais figuras do dadaísmo forte em Nova York. Na Alemanha, o movimento ganhou características mais próximas de protesto social que de movimento artístico. O dadaísmo forneceu grande inspiração para movimentos posteriores.TZARA (Sami ROSENSTEIN, dito TZARA Tristan), poeta judeu francês (Moinesti, Romênia, 1896 - Paris, 1963), um dos iniciadores do dadaísmo (O , homem aproximativo, 1931; O coração de gás, 1938). Defendeu o homem contra as forças da servidão em A fuga (1947); O fruto permitido (1957); A rosa e o cão (1958). JANCO (Marcel), pintor israelense (Bucareste, , 1895 – Tel-Aviv, 1984), ilustrou A primeira aventura celeste do Sr. Antipirina (1916), de Tristan Tzara, e os três primeiros números da Revista Dada. Em 1941, fugindo à perseguição nazista, foi para Israel, onde sua arte se revitalizou. Prêmio Israel, 1967. Entre os mais famosos Ready-mades está L.H.O.O.Q que em frânces quando lido, assemelha-se com Elle a chaud au cul que, traduzido fica: Ela tem fogo no ....uma expressão bem pesada, que critica a obra de Leonardo.
  • 11. ABSTRACIONISMO Surge no início do século XX na Alemanha. A partir das experiências das vanguardas européias, que recusam a herança renascentista das academias de arte. As obras abandonam o compromisso de representar a realidade aparente e não reproduzem figuras nem retratam temas. O que importa são as formas e cores da composição. Na escultura, os artistas trabalham principalmente o volume e a textura, explorando todas as possibilidades da tridimensionalidade do objeto. Há dois tipos de abstração: a informal, informal que busca o lirismo privilegiando as formas livres, e a geométrica, que segue uma técnica mais rigorosa e não tem geométrica a intenção de expressar sentimentos ou idéias. Abstração informal – Recebe influência do expressionismo e do cubismo. Os artistas abandonam a perspectiva tradicional e criam as formas no ato da pintura, utilizando-se de linhas e cores para exprimir emoções. Em geral, o que se vêem são manchas e grafismos. O marco inicial da arte abstrata é BATALHA, BATALHA tela pintada em 1910 por WASSILY KANDINSKI ( (1866-1944), russo que vivia na Alemanha. Primeiro artista a definir sua arte como abstrata, ele leva o expressionismo para essa nova tendência. Outro importante nome da abstração informal é o suíço PAUL KLEE (1879-1940). Após a II Guerra Mundial (1939-1945), a partir da abstração informal surgem outras tendências artísticas, como o expressionismo abstrato nos EUA e a abstração gestual na Europa e na América Latina. Abstração geométrica –Ao criar pinturas, gravuras e peças de arte gráfica, os artistas exploram com certo rigor técnico as formas geométricas, sem a preocupação de transmitir idéias e sentimentos. Os principais responsáveis pelo início da abstração geométrica são o russo MALEVITCH (1878-1935) e o holandês PIET MONDRIAN (1872-1944). A partir de 1915, ao criar quadros em que figuras geométricas flutuam num espaço sem perspectiva, Malevitch inaugura um movimento derivado da abstração, chamado de suprematismo (autonomia da forma). Um de seus marcos é a tela Quadrado Negro sobre Fundo Branco. Branco Mondrian, que no início da década de 10 estivera próximo dos cubistas, entre os anos 20 e 40 dedica-se a pintar telas apenas com linhas horizontais e verticais, ângulos retos e as três cores primárias (amarela, azul e vermelha), além do preto e do branco. Para ele, essas formas seriam a essência dos objetos. O trabalho de Mondrian influencia diretamente a arte funcional desenvolvida pela Bauhaus Da abstração Bauhaus. geométrica derivam o construtivismo o concretismo e, mais construtivismo, recentemente, o minimalismo minimalismo.
  • 12. SURREALISMO O Surrealismo foi um Movimento fundado pelo poeta André Breton que a princípio tinha apenas expressão literária e caminhava ao lado do Dadaismo.Posteriormente, Breton foi reunindo, em torno de si, artistas plásticos, muitos saídos do movimento Dadá, que já anunciava sua morte nos anos 20. O Surrealismo foi profundamente ligado a uma filosofia de pensamento e ação, em que a liberdade era extremamente valorizada. Apesar de seu ativismo e até incongruência serem bem próximos ao dadaísmo, difere-se deste principalmente por ter uma vocação construtiva que faltava ao seu antecessor. Mesmo após ter sido extinto enquanto movimento, muitos artistas prosseguiram realizando suas obras a partir de suas premissas, como Miró, Dali e Hans Arp. É considerado o movimento mais forte e controverso do período entre guerras, tendo se espalhado pelo mundo inteiro e influenciado várias gerações. Desde o começo do movimento, Breton pretendia afinar a arte com a política contemporânea. Em 1925, no quinto número da Revista La Révolution Surréaliste, o artista já anuncia a adesão do Movimento ao Comunismo. O Surrealismo pretendia explorar a força criativa do subconsciente, valorizando um anti- racionalismo, a livre associação de pensamentos e os sonhos, norteado pelas teorias psicanalíticas de Freud. O automatismo, que buscava lograr o controle da mente racional através da expressão de um pensamento que não passasse por censuras, era uma das técnicas utilizadas pelos surrealistas. Seguindo a tradição dos demais movimentos do Século 20, o Surrealismo era composto por grandes individualidades, que lhe deram importantes e diferenciadas contribuições. Seus principais expoentes foram: JOAN MIRÓ, MARCEL DUCHAMP, MAX ERNST, SALVADOR DALI, RENÉ MAGRITTE, entre outros. Além disso, parte da incongruência associada ao movimento, além das diferenças pessoais entre seus vários membros, devia-se a pelo menos duas fortes e contraditórias tendências do Surrealismo. Uma delas se achava mais próxima ao dadaísmo e era mais niilista, contrária a todos os conceitos de arte tradicional (exemplificada por Marcel Duchamp). Quanto à outra, estava ainda sendo guiada por valores estéticos (que pode ser representada, por exemplo, por Salvador Dali e Magritte). O alto grau de beleza estética que os trabalhos possuíam também eram considerados, de certa forma, contraditórios ao princípio do acaso e do automatismo como métodos de produção. O frottage desenhos a partir de "decalques" sobre superfícies irregulares e a colagem, frottage, montagens predominantemente incongruentes, eram alguns métodos utilizados pelos surrealistas para explorar suas potencialidades inconscientes. Uma das muitas provas de que as influências do Surrealismo extrapolaram as fronteiras de um movimento (além da inspiração que forneceu a vários artistas e gerações) pode ser exemplificada por obras de Picasso, como Guernica, bastante próximas das premissas artísticas propostas pelos surrealistas, apesar de ele mesmo nunca ter pertencido ao grupo.
  • 13. BIBLIOGRAFIA ENCICLOPÉDIAS O MUNDO DA ARTE – Enciclopédia das Artes Plásticas em todos os tempos – ARTE MODERNA – Ed. Expressão e Cultura ,1966 HISTÓRIA UNIVERSAL DA ARTE –G. Pischel- livros 2 e 3 – Ed. Melhoramentos,1979 HISTÓRIA GERAL DA ARTE – ESCULTURA II e III – Ed. Ediciones Del Prado, 1996 GENIOS DA PINTURA CD-ROOM 500 ANOS DA PINTURA BRASILEIRA OUTROS: CATÁLOGOS DE EXPOSIÇÕES CATALAGOS DE LEILÕES EVANDRO CARNEIRO TEXTOS DIVERSOS TEXTO DE ROSA ARTIGAS EXTRAÍDO DO LIVRO BIENAL 50 ANOS, SÃO PAULO, FUNDAÇÃO BIENAL DE SÃO PAULO, 2001 LIVROS: FISCHER,Ernst.A Necessidade da Arte.GUANABARA/KOOGAN 9ªed.2002 HARRISON,C.,FRASCINA,F. e PERRY G. Primitivismo,Cubismo,Abstração, tradução de Otacílio Nunes.COSAC &NAIFY,1998 JAMESON,Fredric.Pós-Modernismo,ÁTICA, LEITE, José Roberto Teixeira Leite. 500 anos da Pintura Brasileira,Uma Enciclopédia Interativa.Raul Luiz Mendes Silva e Log On Informática Ltda,2000 SANTOS, Jair Ferreira dos.O que é Pós - Moderno.BRASILIENSE,1986 VALLS,Álvaro.L.M. Estudos de Estética e Filosofia da Arte – Numa perspectiva Adorniana.EDITORA DA UNIVERSIDADE/UFRGS,2002 GULLAR, Ferreira. Etapas da arte contemporânea: do cubismo à arte neoconcreta. 3 edição, Rio de Janeiro, Revan: 1999. SITES: www.itaucultural.org.br www.pitoresco.com www.historiadaarte.com.br www.dezenovevinte.com.br www.wikipedia.org