SlideShare uma empresa Scribd logo
A independência das Américas Espanholas




    Professora: Janaína Bindá
             8º ANO
●Napoleão no poder da França revelou-se
contraditório e autoritário, iniciando sua expansão
pela Europa ( como já vimos anteriormente). O único
país que poderia impedir esse projeto expansionista
era a Inglaterra.
●Como as topas francesas não conseguiam
desestabilizar a Inglaterra, a França decretou, em
1806, o bloqueio continental
●Os países que não aceitassem o bloqueio continental
seriam invadidos pelas tropas de Napoleão.
●A Espanha não aceita e por isso, é invadida em 1808.
O rei Fernando VII é deposto e é colocado no poder o
irmão de Napoleão, José Bonaparte (JOSE I).
●No entanto tanto as colônias espanholas como a
Espanha resistiram à ocupação francesa. Com o apoio
da Inglaterra e da elite Criolla (descendentes de
espanhóis nascidos na América), foram organizadas na
colônia Juntas Governativas, que em várias cidades
passaram a defender a idéia de ruptura definitiva com
a metrópole.
Motivos
 A Rev. Industrial estava em pleno desenvolvimento na Inglaterra
 A produção era maior do que a capacidade de consumo interno
Os industriais precisavam encontrar novos compradores para suas
                    mercadorias manufaturadas
ao mesmo tempo precisavam de matéria-prima
(algodão, principalmente) para alimentar suas fábricas
A metrópole atrapalhava

   As colônias seriam ideais tanto para
  comprar os produtos ingleses quanto
       fornecer as matérias primas
  porém o sistema colonial atrapalhava
 a entrada e a saída de mercadorias das
colônias dependiam dos atravessadores
                espanhóis
      (A COLÔNIA DEPENDIA DA SUA
              METRÓPOLE)
O Processo
    As matérias primas
passavam pelos espanhóis
para chegar até os ingleses
   com um valor maior
     (atravessadores)
O mesmo aconteciam com
 os produtos Ingleses que
  eram comprados pelos
 espanhóis e repassados
   também com o valor
           maior
Tanto os ingleses quanto os americanos (colônias) pensaram que a
     melhor forma de acabar com isso seria o comercio direto
Sendo assim a Inglaterra que tinha a hegemonia comercial nos mares
do mundo passou a apoiar e praticar o contrabando de mercadorias
                     entre os dois continentes
Inglaterra resolveu interferir de maneira direta em favor
       das colônias (para o seu beneficio e claro)
       Emprestou dinheiro, vendeu armas, cedeu
navios, emprestou até militares para montar estratégias
    e preparar os homens para os futuros combates
criollos




Mas é importante lembrar que o grupo mais interessado na
independência das colônias espanholas eram os criollos (é
   um termo que historicamente foi usada no passado
   colonial na cidade espanhola para designar a pessoa
nascida na América do país, que descende exclusivamente
             espanhol ou origem espanhola.)
Os criollos mantinham o povo e os escravos sob
controle, deixando as camadas menos favorecidas fora das decisões
                              políticas
 Em razão da separação das pessoas em classes, os colonos tinham
ideais diferentes com relação as colônias depois do desligamento da
                       metrópole espanhola.
Foi exatamente nesse período que a Espanha tentou
   promover mudanças administrativas nas colônias:
    Aumentando os impostos, tendo em visa a crise
econômica e politica desencadeada pelas disputas com as
           quais havia se envolvido na Europa.



  mudanças administrativas
       nas colônias
Essa mudança fez com
      que alguns
cargos, antes ocupados
         só por
peninsulares, passasse
  m a ser assumidos
 pelas elites coloniais
DIVIDIDOS ENTRE SÍ
  Essa situação acarretou na própria divisão dos
 criollos entre si. Alguns apoiando o rompimento
com a metrópole e outros defendendo a situação
atual, a fim de assegurar os privilégios recebidos.




                      X
Por esse motivo nos conflitos armados os criolllos não se
 levantaram apenas contra os exércitos espanhóis mas
promoveram também uma verdadeira guerra civil que se
espalhou por todos os cantos das colônias, todos lutavam
                     contra todos
Os indígenas, escravos e as camadas medias e baixas
aproveitaram a luta contra os espanhóis para tentar
         derrubar o antigo regime colonial
● Assim como o movimento de independência das colônias
espanholas é tradicionalmente visto a partir dos interesses da
elite, costuma-se compara-lo com o movimento que ocorreu
no Brasil, destacando-se:
●A grande participação popular, porém sob liderança dos
criollos
●O caráter militar, envolvendo anos de conflito com a Espanha
●A fragmentação territorial, processo caracterizado pela
transformação de 1 colônia em vários países livres
●Adoção do regime republicano - exceção feita ao México
No ano de 1826, com toda América Latina
                                         independente, as
  novas nações reuniram-se no Congresso do Panamá.
   Nele, Simon Bolívar defendia um amplo projeto de
 solidariedade e integração político-econômica entre as
nações latino-americanas. No entanto, Estados Unidos e Inglaterra se
  opuseram a esse projeto, que ameaçava seus interesses econômicos no
 continente. Com isso, a América Latina acabou mantendo-se fragmentada.

   O desfecho do processo de independência, no entanto, não significou a
 radical transformação da situação socioeconômica vivida pelas populações
   latino-americanas. A dependência econômica em relação às potências
capitalistas e a manutenção dos privilégios das elites locais fizeram com que
    muitos dos problemas da antiga América Hispânica permanecessem
                presentes ao logo da História latino-americana.
Simón José Antonio de la Santísima Trinidad Bolívar Palacios y
  Blanco nasceu em Caracas em 24 de Julho de 1783 e morreu em
  Santa Marta no dia 17 de Dezembro de 1830. Ele foi um militar
venezuelano e líder revolucionário responsável pela independência
  de vários territórios da América Espanhola. Foi importantíssimo
personagem na história da América Latina. Em Homenagem a essa
       figura histórica, postamos duas frases deste lutador:

                                 Compadeçamo-nos mutuamente do povo que
                                    obedece e do homem que manda só.




                                    Os bons costumes, e não a força, são as
                                  colunas das leis; e o exercício da justiça é o
                                            exercício da liberdade.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
Nila Michele Bastos Santos
 
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
Formação dos Estados Nacionais Modernos
Formação dos Estados Nacionais ModernosFormação dos Estados Nacionais Modernos
Formação dos Estados Nacionais Modernos
Murilo Benevides
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
Daniel Alves Bronstrup
 
3° ano Brasil República Velha
3° ano   Brasil República Velha3° ano   Brasil República Velha
3° ano Brasil República Velha
Daniel Alves Bronstrup
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
Portal do Vestibulando
 
A crise do sistema colonial e a independência
A crise do sistema colonial e a independênciaA crise do sistema colonial e a independência
A crise do sistema colonial e a independência
Andreia Regina Moura Mendes
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Paulo Alexandre
 
O populismo no brasil
O populismo no brasilO populismo no brasil
O populismo no brasil
homago
 
Cruzadinha crise de 1929 ok
Cruzadinha crise de 1929 okCruzadinha crise de 1929 ok
Cruzadinha crise de 1929 ok
Viviane Simões
 
Cruzadas
CruzadasCruzadas
Cruzadas
dmflores21
 
Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira República
isameucci
 
3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial
Daniel Alves Bronstrup
 
Os bandeirantes
Os bandeirantesOs bandeirantes
Os bandeirantes
Cristianerocharibas
 
Independência da américa espanhola
Independência da américa espanholaIndependência da américa espanhola
Independência da américa espanhola
Murilo Benevides
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
Claudenilson da Silva
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
Portal do Vestibulando
 
E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.
Privada
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Fabiana Tonsis
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
eiprofessor
 

Mais procurados (20)

Povos pré colombianos
Povos pré colombianosPovos pré colombianos
Povos pré colombianos
 
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
 
Formação dos Estados Nacionais Modernos
Formação dos Estados Nacionais ModernosFormação dos Estados Nacionais Modernos
Formação dos Estados Nacionais Modernos
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
 
3° ano Brasil República Velha
3° ano   Brasil República Velha3° ano   Brasil República Velha
3° ano Brasil República Velha
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
 
A crise do sistema colonial e a independência
A crise do sistema colonial e a independênciaA crise do sistema colonial e a independência
A crise do sistema colonial e a independência
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
O populismo no brasil
O populismo no brasilO populismo no brasil
O populismo no brasil
 
Cruzadinha crise de 1929 ok
Cruzadinha crise de 1929 okCruzadinha crise de 1929 ok
Cruzadinha crise de 1929 ok
 
Cruzadas
CruzadasCruzadas
Cruzadas
 
Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira República
 
3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial
 
Os bandeirantes
Os bandeirantesOs bandeirantes
Os bandeirantes
 
Independência da américa espanhola
Independência da américa espanholaIndependência da américa espanhola
Independência da américa espanhola
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.E.U.A no século XIX.
E.U.A no século XIX.
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 

Destaque

Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Edenilson Morais
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Claudenilson da Silva
 
Independência das colônias da América espanhola
Independência das colônias da América espanholaIndependência das colônias da América espanhola
Independência das colônias da América espanhola
Daniele Lopes
 
SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889
Isabel Aguiar
 
Independência das colônias espanholas
Independência das colônias espanholasIndependência das colônias espanholas
Independência das colônias espanholas
Fatima Freitas
 
7 aula 17 neocolonialismo
7   aula 17 neocolonialismo7   aula 17 neocolonialismo
7 aula 17 neocolonialismo
profdu
 
7 aula 21 os empreendimentos do barão de mauá
7   aula 21 os empreendimentos do barão de mauá7   aula 21 os empreendimentos do barão de mauá
7 aula 21 os empreendimentos do barão de mauá
profdu
 
7 aula 18 lei das terras de 1850
7   aula 18 lei das terras de 18507   aula 18 lei das terras de 1850
7 aula 18 lei das terras de 1850
profdu
 
7 aula 11 revolta dos malês
7   aula 11 revolta dos malês7   aula 11 revolta dos malês
7 aula 11 revolta dos malês
profdu
 
7 aula 19 o café e o processo de abolição da escravidão no brasil
7   aula 19 o café e o processo de abolição da escravidão no brasil7   aula 19 o café e o processo de abolição da escravidão no brasil
7 aula 19 o café e o processo de abolição da escravidão no brasil
profdu
 
7 aula 10 primeiro reinado brasileiro
7   aula 10 primeiro reinado brasileiro7   aula 10 primeiro reinado brasileiro
7 aula 10 primeiro reinado brasileiro
profdu
 
7 aula 7 economia e sociedade brasileira colonial
7   aula 7 economia e sociedade brasileira colonial7   aula 7 economia e sociedade brasileira colonial
7 aula 7 economia e sociedade brasileira colonial
profdu
 
7 aula 3 formação e independência dos eua
7   aula 3 formação e independência dos eua7   aula 3 formação e independência dos eua
7 aula 3 formação e independência dos euaprofdu
 
7 aula 5 formação e independência da américa espanhola
7   aula 5 formação e independência da américa espanhola7   aula 5 formação e independência da américa espanhola
7 aula 5 formação e independência da américa espanhola
profdu
 
7 aula 6 revolução francesa
7   aula 6 revolução francesa7   aula 6 revolução francesa
7 aula 6 revolução francesa
profdu
 
7 aula 16 segundo reinado brasileiro
7   aula 16 segundo reinado brasileiro7   aula 16 segundo reinado brasileiro
7 aula 16 segundo reinado brasileiro
profdu
 
7 aula 12 a consolidação da independência dos eua
7   aula 12 a consolidação da independência dos eua7   aula 12 a consolidação da independência dos eua
7 aula 12 a consolidação da independência dos eua
profdu
 
7 aula 9 a corte portuguesa no brasil
7   aula 9 a corte portuguesa no brasil7   aula 9 a corte portuguesa no brasil
7 aula 9 a corte portuguesa no brasil
profdu
 
7 aula 15 a industrialização no século 19
7   aula 15 a industrialização no século 197   aula 15 a industrialização no século 19
7 aula 15 a industrialização no século 19
profdu
 
7 aula 4 revoluções inglesas
7   aula 4 revoluções inglesas7   aula 4 revoluções inglesas
7 aula 4 revoluções inglesasprofdu
 

Destaque (20)

Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Independência das colônias da América espanhola
Independência das colônias da América espanholaIndependência das colônias da América espanhola
Independência das colônias da América espanhola
 
SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889
 
Independência das colônias espanholas
Independência das colônias espanholasIndependência das colônias espanholas
Independência das colônias espanholas
 
7 aula 17 neocolonialismo
7   aula 17 neocolonialismo7   aula 17 neocolonialismo
7 aula 17 neocolonialismo
 
7 aula 21 os empreendimentos do barão de mauá
7   aula 21 os empreendimentos do barão de mauá7   aula 21 os empreendimentos do barão de mauá
7 aula 21 os empreendimentos do barão de mauá
 
7 aula 18 lei das terras de 1850
7   aula 18 lei das terras de 18507   aula 18 lei das terras de 1850
7 aula 18 lei das terras de 1850
 
7 aula 11 revolta dos malês
7   aula 11 revolta dos malês7   aula 11 revolta dos malês
7 aula 11 revolta dos malês
 
7 aula 19 o café e o processo de abolição da escravidão no brasil
7   aula 19 o café e o processo de abolição da escravidão no brasil7   aula 19 o café e o processo de abolição da escravidão no brasil
7 aula 19 o café e o processo de abolição da escravidão no brasil
 
7 aula 10 primeiro reinado brasileiro
7   aula 10 primeiro reinado brasileiro7   aula 10 primeiro reinado brasileiro
7 aula 10 primeiro reinado brasileiro
 
7 aula 7 economia e sociedade brasileira colonial
7   aula 7 economia e sociedade brasileira colonial7   aula 7 economia e sociedade brasileira colonial
7 aula 7 economia e sociedade brasileira colonial
 
7 aula 3 formação e independência dos eua
7   aula 3 formação e independência dos eua7   aula 3 formação e independência dos eua
7 aula 3 formação e independência dos eua
 
7 aula 5 formação e independência da américa espanhola
7   aula 5 formação e independência da américa espanhola7   aula 5 formação e independência da américa espanhola
7 aula 5 formação e independência da américa espanhola
 
7 aula 6 revolução francesa
7   aula 6 revolução francesa7   aula 6 revolução francesa
7 aula 6 revolução francesa
 
7 aula 16 segundo reinado brasileiro
7   aula 16 segundo reinado brasileiro7   aula 16 segundo reinado brasileiro
7 aula 16 segundo reinado brasileiro
 
7 aula 12 a consolidação da independência dos eua
7   aula 12 a consolidação da independência dos eua7   aula 12 a consolidação da independência dos eua
7 aula 12 a consolidação da independência dos eua
 
7 aula 9 a corte portuguesa no brasil
7   aula 9 a corte portuguesa no brasil7   aula 9 a corte portuguesa no brasil
7 aula 9 a corte portuguesa no brasil
 
7 aula 15 a industrialização no século 19
7   aula 15 a industrialização no século 197   aula 15 a industrialização no século 19
7 aula 15 a industrialização no século 19
 
7 aula 4 revoluções inglesas
7   aula 4 revoluções inglesas7   aula 4 revoluções inglesas
7 aula 4 revoluções inglesas
 

Semelhante a 8º ano - America espanhola apresentação

A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanhola
Nelia Salles Nantes
 
Independências americanas
Independências americanasIndependências americanas
Independências americanas
Colégio Progresso Centro
 
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados NacionaisAmérica Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
Valéria Shoujofan
 
A emancipação Política da América Espanhola.pptx
A emancipação Política da América Espanhola.pptxA emancipação Política da América Espanhola.pptx
A emancipação Política da América Espanhola.pptx
DANILOARAUJOSANTANA
 
Celso blog oitavo ano atv 3
Celso blog oitavo ano atv 3Celso blog oitavo ano atv 3
Celso blog oitavo ano atv 3
DiedNuenf
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Carlos Zaranza
 
Crise do sistema_colonial
Crise do sistema_colonialCrise do sistema_colonial
Crise do sistema_colonial
Uelder Santos
 
Independência das americas
Independência das americasIndependência das americas
Independência das americas
profabiorodrigues
 
2° ano - Processos de Independência na América
2° ano - Processos de Independência na América2° ano - Processos de Independência na América
2° ano - Processos de Independência na América
Daniel Alves Bronstrup
 
A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanhola
Nelia Salles Nantes
 
Resumo historia geral i
Resumo historia geral iResumo historia geral i
Resumo historia geral i
jersonvieira
 
A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanhola
historiando
 
Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007
Jorge Marcos Oliveira
 
Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007
Jorge Marcos Oliveira
 
Historia volume-4
Historia volume-4Historia volume-4
Historia volume-4
Josil Setenta
 
Historia volume-4
Historia volume-4Historia volume-4
Historia volume-4
Josil Setenta
 
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethelResenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Sandra Kroetz
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Luciano Emanuel Silva
 
História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1
História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1
História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1
Privada
 
Apostila eja - unid. 7
Apostila eja - unid. 7Apostila eja - unid. 7
Apostila eja - unid. 7
Marcela Marangon Ribeiro
 

Semelhante a 8º ano - America espanhola apresentação (20)

A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanhola
 
Independências americanas
Independências americanasIndependências americanas
Independências americanas
 
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados NacionaisAmérica Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
América Latina: Da Independência à Consolidação dos Estados Nacionais
 
A emancipação Política da América Espanhola.pptx
A emancipação Política da América Espanhola.pptxA emancipação Política da América Espanhola.pptx
A emancipação Política da América Espanhola.pptx
 
Celso blog oitavo ano atv 3
Celso blog oitavo ano atv 3Celso blog oitavo ano atv 3
Celso blog oitavo ano atv 3
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Crise do sistema_colonial
Crise do sistema_colonialCrise do sistema_colonial
Crise do sistema_colonial
 
Independência das americas
Independência das americasIndependência das americas
Independência das americas
 
2° ano - Processos de Independência na América
2° ano - Processos de Independência na América2° ano - Processos de Independência na América
2° ano - Processos de Independência na América
 
A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanhola
 
Resumo historia geral i
Resumo historia geral iResumo historia geral i
Resumo historia geral i
 
A independência da américa espanhola
A independência da américa espanholaA independência da américa espanhola
A independência da américa espanhola
 
Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007
 
Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007
 
Historia volume-4
Historia volume-4Historia volume-4
Historia volume-4
 
Historia volume-4
Historia volume-4Historia volume-4
Historia volume-4
 
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethelResenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1
História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1
História 2 em-independência-espanhola-2º-ano-em1
 
Apostila eja - unid. 7
Apostila eja - unid. 7Apostila eja - unid. 7
Apostila eja - unid. 7
 

Mais de Janaína Bindá

Revisão de história 9 º ANO GLOBALIZAÇÃO/NEOLIBERALISMO
Revisão de história 9 º ANO GLOBALIZAÇÃO/NEOLIBERALISMORevisão de história 9 º ANO GLOBALIZAÇÃO/NEOLIBERALISMO
Revisão de história 9 º ANO GLOBALIZAÇÃO/NEOLIBERALISMO
Janaína Bindá
 
801 iluminismo - 21.02.2013
801   iluminismo - 21.02.2013801   iluminismo - 21.02.2013
801 iluminismo - 21.02.2013
Janaína Bindá
 
Revisao 8
Revisao 8Revisao 8
Revisao 8
Janaína Bindá
 
Revisão 7º ano
Revisão 7º anoRevisão 7º ano
Revisão 7º ano
Janaína Bindá
 
9º ano - PÓS DITADURA
9º ano - PÓS DITADURA9º ano - PÓS DITADURA
9º ano - PÓS DITADURA
Janaína Bindá
 
Presupuesto Boda - EVENTOS III
Presupuesto Boda - EVENTOS IIIPresupuesto Boda - EVENTOS III
Presupuesto Boda - EVENTOS III
Janaína Bindá
 
Apresentação Dubai
Apresentação DubaiApresentação Dubai
Apresentação Dubai
Janaína Bindá
 
Revisão 9º ano
Revisão 9º ano Revisão 9º ano
Revisão 9º ano
Janaína Bindá
 
Revisão 8º ano - Família Real até Independência
Revisão 8º ano - Família Real até Independência Revisão 8º ano - Família Real até Independência
Revisão 8º ano - Família Real até Independência
Janaína Bindá
 
Revisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão Marítima
Revisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão MarítimaRevisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão Marítima
Revisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão Marítima
Janaína Bindá
 
Revisão 7º ano ASSUNTO: REFORMA E CONTRARREFORMA RELIGIOSA
Revisão 7º ano ASSUNTO: REFORMA E CONTRARREFORMA RELIGIOSARevisão 7º ano ASSUNTO: REFORMA E CONTRARREFORMA RELIGIOSA
Revisão 7º ano ASSUNTO: REFORMA E CONTRARREFORMA RELIGIOSA
Janaína Bindá
 
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma AntigaRevisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Janaína Bindá
 
História 9º ano slide Guerra Fria
História   9º ano slide Guerra FriaHistória   9º ano slide Guerra Fria
História 9º ano slide Guerra Fria
Janaína Bindá
 
9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial
Janaína Bindá
 
7º ano - Renascimento
7º ano - Renascimento7º ano - Renascimento
7º ano - Renascimento
Janaína Bindá
 
6 ano - Esparta e Atenas
6 ano - Esparta e Atenas6 ano - Esparta e Atenas
6 ano - Esparta e Atenas
Janaína Bindá
 

Mais de Janaína Bindá (16)

Revisão de história 9 º ANO GLOBALIZAÇÃO/NEOLIBERALISMO
Revisão de história 9 º ANO GLOBALIZAÇÃO/NEOLIBERALISMORevisão de história 9 º ANO GLOBALIZAÇÃO/NEOLIBERALISMO
Revisão de história 9 º ANO GLOBALIZAÇÃO/NEOLIBERALISMO
 
801 iluminismo - 21.02.2013
801   iluminismo - 21.02.2013801   iluminismo - 21.02.2013
801 iluminismo - 21.02.2013
 
Revisao 8
Revisao 8Revisao 8
Revisao 8
 
Revisão 7º ano
Revisão 7º anoRevisão 7º ano
Revisão 7º ano
 
9º ano - PÓS DITADURA
9º ano - PÓS DITADURA9º ano - PÓS DITADURA
9º ano - PÓS DITADURA
 
Presupuesto Boda - EVENTOS III
Presupuesto Boda - EVENTOS IIIPresupuesto Boda - EVENTOS III
Presupuesto Boda - EVENTOS III
 
Apresentação Dubai
Apresentação DubaiApresentação Dubai
Apresentação Dubai
 
Revisão 9º ano
Revisão 9º ano Revisão 9º ano
Revisão 9º ano
 
Revisão 8º ano - Família Real até Independência
Revisão 8º ano - Família Real até Independência Revisão 8º ano - Família Real até Independência
Revisão 8º ano - Família Real até Independência
 
Revisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão Marítima
Revisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão MarítimaRevisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão Marítima
Revisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão Marítima
 
Revisão 7º ano ASSUNTO: REFORMA E CONTRARREFORMA RELIGIOSA
Revisão 7º ano ASSUNTO: REFORMA E CONTRARREFORMA RELIGIOSARevisão 7º ano ASSUNTO: REFORMA E CONTRARREFORMA RELIGIOSA
Revisão 7º ano ASSUNTO: REFORMA E CONTRARREFORMA RELIGIOSA
 
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma AntigaRevisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
Revisão 6º ano ASSUNTO : Roma Antiga
 
História 9º ano slide Guerra Fria
História   9º ano slide Guerra FriaHistória   9º ano slide Guerra Fria
História 9º ano slide Guerra Fria
 
9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial
 
7º ano - Renascimento
7º ano - Renascimento7º ano - Renascimento
7º ano - Renascimento
 
6 ano - Esparta e Atenas
6 ano - Esparta e Atenas6 ano - Esparta e Atenas
6 ano - Esparta e Atenas
 

Último

Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 

8º ano - America espanhola apresentação

  • 1. A independência das Américas Espanholas Professora: Janaína Bindá 8º ANO
  • 2. ●Napoleão no poder da França revelou-se contraditório e autoritário, iniciando sua expansão pela Europa ( como já vimos anteriormente). O único país que poderia impedir esse projeto expansionista era a Inglaterra. ●Como as topas francesas não conseguiam desestabilizar a Inglaterra, a França decretou, em 1806, o bloqueio continental ●Os países que não aceitassem o bloqueio continental seriam invadidos pelas tropas de Napoleão. ●A Espanha não aceita e por isso, é invadida em 1808. O rei Fernando VII é deposto e é colocado no poder o irmão de Napoleão, José Bonaparte (JOSE I). ●No entanto tanto as colônias espanholas como a Espanha resistiram à ocupação francesa. Com o apoio da Inglaterra e da elite Criolla (descendentes de espanhóis nascidos na América), foram organizadas na colônia Juntas Governativas, que em várias cidades passaram a defender a idéia de ruptura definitiva com a metrópole.
  • 3. Motivos A Rev. Industrial estava em pleno desenvolvimento na Inglaterra A produção era maior do que a capacidade de consumo interno Os industriais precisavam encontrar novos compradores para suas mercadorias manufaturadas
  • 4. ao mesmo tempo precisavam de matéria-prima (algodão, principalmente) para alimentar suas fábricas
  • 5. A metrópole atrapalhava As colônias seriam ideais tanto para comprar os produtos ingleses quanto fornecer as matérias primas porém o sistema colonial atrapalhava a entrada e a saída de mercadorias das colônias dependiam dos atravessadores espanhóis (A COLÔNIA DEPENDIA DA SUA METRÓPOLE)
  • 6. O Processo As matérias primas passavam pelos espanhóis para chegar até os ingleses com um valor maior (atravessadores) O mesmo aconteciam com os produtos Ingleses que eram comprados pelos espanhóis e repassados também com o valor maior
  • 7. Tanto os ingleses quanto os americanos (colônias) pensaram que a melhor forma de acabar com isso seria o comercio direto Sendo assim a Inglaterra que tinha a hegemonia comercial nos mares do mundo passou a apoiar e praticar o contrabando de mercadorias entre os dois continentes
  • 8. Inglaterra resolveu interferir de maneira direta em favor das colônias (para o seu beneficio e claro) Emprestou dinheiro, vendeu armas, cedeu navios, emprestou até militares para montar estratégias e preparar os homens para os futuros combates
  • 9. criollos Mas é importante lembrar que o grupo mais interessado na independência das colônias espanholas eram os criollos (é um termo que historicamente foi usada no passado colonial na cidade espanhola para designar a pessoa nascida na América do país, que descende exclusivamente espanhol ou origem espanhola.)
  • 10. Os criollos mantinham o povo e os escravos sob controle, deixando as camadas menos favorecidas fora das decisões políticas Em razão da separação das pessoas em classes, os colonos tinham ideais diferentes com relação as colônias depois do desligamento da metrópole espanhola.
  • 11. Foi exatamente nesse período que a Espanha tentou promover mudanças administrativas nas colônias: Aumentando os impostos, tendo em visa a crise econômica e politica desencadeada pelas disputas com as quais havia se envolvido na Europa. mudanças administrativas nas colônias
  • 12. Essa mudança fez com que alguns cargos, antes ocupados só por peninsulares, passasse m a ser assumidos pelas elites coloniais
  • 13. DIVIDIDOS ENTRE SÍ Essa situação acarretou na própria divisão dos criollos entre si. Alguns apoiando o rompimento com a metrópole e outros defendendo a situação atual, a fim de assegurar os privilégios recebidos. X
  • 14. Por esse motivo nos conflitos armados os criolllos não se levantaram apenas contra os exércitos espanhóis mas promoveram também uma verdadeira guerra civil que se espalhou por todos os cantos das colônias, todos lutavam contra todos
  • 15. Os indígenas, escravos e as camadas medias e baixas aproveitaram a luta contra os espanhóis para tentar derrubar o antigo regime colonial
  • 16. ● Assim como o movimento de independência das colônias espanholas é tradicionalmente visto a partir dos interesses da elite, costuma-se compara-lo com o movimento que ocorreu no Brasil, destacando-se: ●A grande participação popular, porém sob liderança dos criollos ●O caráter militar, envolvendo anos de conflito com a Espanha ●A fragmentação territorial, processo caracterizado pela transformação de 1 colônia em vários países livres ●Adoção do regime republicano - exceção feita ao México
  • 17. No ano de 1826, com toda América Latina independente, as novas nações reuniram-se no Congresso do Panamá. Nele, Simon Bolívar defendia um amplo projeto de solidariedade e integração político-econômica entre as nações latino-americanas. No entanto, Estados Unidos e Inglaterra se opuseram a esse projeto, que ameaçava seus interesses econômicos no continente. Com isso, a América Latina acabou mantendo-se fragmentada. O desfecho do processo de independência, no entanto, não significou a radical transformação da situação socioeconômica vivida pelas populações latino-americanas. A dependência econômica em relação às potências capitalistas e a manutenção dos privilégios das elites locais fizeram com que muitos dos problemas da antiga América Hispânica permanecessem presentes ao logo da História latino-americana.
  • 18. Simón José Antonio de la Santísima Trinidad Bolívar Palacios y Blanco nasceu em Caracas em 24 de Julho de 1783 e morreu em Santa Marta no dia 17 de Dezembro de 1830. Ele foi um militar venezuelano e líder revolucionário responsável pela independência de vários territórios da América Espanhola. Foi importantíssimo personagem na história da América Latina. Em Homenagem a essa figura histórica, postamos duas frases deste lutador: Compadeçamo-nos mutuamente do povo que obedece e do homem que manda só. Os bons costumes, e não a força, são as colunas das leis; e o exercício da justiça é o exercício da liberdade.