SlideShare uma empresa Scribd logo
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
Lição 8: A PALAVRA DE HONRA DO CRISTÃO
Texto Básico: Mateus 5.33-37
Texto Devocional: Deuteronômio 23.21-23
Versículo-Chave: Tiago 5.12
Sobretudo, meus irmãos, não jurem pelo céu, nem pela terra,
nem por coisa alguma. Que o “sim” de vocês seja realmente
sim, e o “não” seja não, para que não caiam em condenação.
Alvo da Lição: entender cristão deve ser tão
confiável naquilo que diz que não precisa reforçar
sua palavra com juramentos.
2
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão
VOCÊ JÁ OUVIU UMA
GRANDE MENTIRA?
VOCÊ JÁ CAIU NO
CONTO DE UM
MENTIROSO?
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de
honra do cristão 3
“Possuímos um coração tão altissonante quanto um sino, e a língua é o
badalo, pois o que o coração pensa a língua fala” (William Shahespeare).
Se alguém se considera religioso, mas não refreia a língua, engana a si
mesmo. A sua religião não tem valor algum! Tiago 1:26
Pois todos tropeçamos de muitas maneiras. Se alguém não tropeça no falar,
tal homem é perfeito, capaz de dominar também todo o corpo. Tiago 3:2
Põe, Senhor, um guarda à minha boca; vigia a porta dos meus lábios. Salmos
141.3
Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam
agradáveis a ti, Senhor, minha Rocha e meu Resgatador! Salmos 19.14
INTRODUÇÃO
4
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão
Vocês também ouviram o que foi dito aos seus antepassados: “Não jure
falsamente, mas cumpra os juramentos que você fez diante do Senhor”.
I - OS JURAMENTOS E OS ANTIGOS – Mt 5.33
5
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão
A prática de fazer juramento vem dos tempos mais remotos.
Gn 14:22 Abrão, porém, respondeu ao rei de Sodoma: ― Juro, de mãos
levantadas ao Senhor, o Deus Altíssimo, Criador dos céus e da terra, 23 que
não aceitarei nada do que pertence a você, nem mesmo um cordão ou uma
correia de sandália, para que você jamais venha a dizer: “Eu enriqueci
Abrão”.“
I - OS JURAMENTOS E OS ANTIGOS – Mt 5.33
6
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão
Quando os juramentos eram feitos? Alguns exemplos:
a) Na confirmação de pactos:
Gn 26.28 Eles responderam: ― Vimos claramente que o Senhor está com
você; por isso, pensamos: “Façamos um juramento entre nós”. Queremos
firmar uma aliança com você:
1 Sm 20.16 Assim, Jônatas fez uma aliança com a família de Davi, dizendo: ―
Que o Senhor chame os inimigos de Davi para prestar contas. 17 Jônatas fez
Davi reafirmar o seu juramento de amizade, pois era seu amigo leal.
I - OS JURAMENTOS E OS ANTIGOS – Mt 5.33
7
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão
Quando os juramentos eram feitos? Alguns exemplos:
b) Em decisões nos tribunais:
Êxodo 22.10 Se alguém der ao seu próximo um jumento, ou boi, ou ovelha,
ou qualquer outro animal, para ser guardado e o animal morrer, for ferido ou
for levado sem que ninguém o veja, 11 a questão entre eles será resolvida
prestando-se um juramento diante do Senhor de que um não lançou mão da
propriedade do outro. O dono terá de aceitar isso, e nenhuma restituição
será exigida.
c) Na obrigação de se realizar os deveres sagrados:
Números 30.2 Quando um homem fizer um voto ao Senhor ou um juramento
que o obrigar a algum compromisso, não poderá quebrar a sua palavra, mas
deverá cumprir tudo o que disse.
Ver também: 2Cr 15,14-15; Ne 10,29; Sl 133,1-5
I - OS JURAMENTOS E OS ANTIGOS – Mt 5.33
8
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão
a) Os juramentos não foram ordenados, mas permitidos
Gênesis 24. 2 Ele disse ao servo mais antigo da sua casa, que administrava
todos os seus bens: ― Ponha a mão debaixo da minha coxa 3 e jure pelo
Senhor, o Deus dos céus e o Deus da terra, que não buscará mulher para o
meu filho entre as filhas dos cananeus, no meio dos quais habito (...) 9 Então,
o servo pôs a mão debaixo da coxa de Abraão, o seu senhor, e lhe fez um
juramento sobre essa questão.
I - OS JURAMENTOS E OS ANTIGOS – Mt 5.33
9
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão
b) Os juramentos muitas vezes eram precipitados.
Provérbios 20.25 É uma armadilha consagrar algo precipitadamente e só
pensar nas consequências depois que se fez o voto.
Exemplos de juramentos precipitados:
• Esaú: jurou e vendeu o seu direito de primogenitura a Jacó.(Gn 25.33);
• Josué: Fez aliança com o inimigo (Js 9,15-16);
• Jefté: Fez voto precipitado e comprometeu a vida da sua filha (Jz 11,30-36);
• Saul: Fez voto precipitado sobre o jejum (1 Sm 14,27.44);
• Herodes: Prometeu dar qualquer coisa a Herodias (Mt 14,7-9);
• Judeus que juraram que não comeriam e nem beberiam até matar Paulo
(At 23,21).
I - OS JURAMENTOS E OS ANTIGOS – Mt 5.33
10
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão
c) Os juramentos exigiam cumprimento.
Ninguém era obrigado a jurar ou fazer votos, mas se obrigava a cumprir
quando os fazia:
Deuteronômio 23.21― Se um de vocês fizer um voto ao Senhor, o seu Deus,
não demore a cumpri-lo, pois o Senhor, o seu Deus, certamente pedirá
contas a você, e você será culpado de pecado se não o cumprir. 22 Se,
porém, você não fizer o voto, de nada será culpado. 23 Faça tudo para
cumprir o que os seus lábios prometeram, pois com a própria boca você fez
espontaneamente um voto ao Senhor, o seu Deus.
Ver também Sl 50,14; 61,8; 66,13-14; Ecl 5,4-6; Ez 17,11-21.
Usar nos juramentos expressões como; “Juro por Deus” (2 Sm 19,7); “Pela
vida de Deus” (2 Sm 2,27); “Tomo a Deus por testemunho” (2Cor 1,23); e
depois deixar de cumprir o voto, era questionar a realidade da própria
existência de Deus.
II - OS JURAMENTOS E JESUS – Mt 5.34
11
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão
Mas eu digo: não jurem de forma alguma; nem pelos céus, porque é o trono
de Deus
Jesus condena os juramentos falsos ou perjúrios.
Jesus também condena a falsa crença dos fariseus que diziam que apenas os
juramentos que incluíam o nome de Deus se tornavam obrigatórios. (Mt
23.16-22)
O alvo de Jesus ao proibir os juramentos é exigir a verdade total de toda e
qualquer palavra do homem.
III - OS JURAMENTOS E O CRISTÃO – Mt 5.37
12
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão
Quando disserem “sim”, que seja realmente sim; quando disserem “não”, que
seja não. O que passar disso vem do Maligno.
A palavra do cristão deve ser sincera e normal, pois todo e qualquer exagero
já constitui uma mentira.
O cristão não deve recorrer a juramentos para receber credibilidade, mas
deve ter uma palavra tão confiável como se fosse um juramento.
O que passar do sim, sim e não, não, será produto da maldade de nossa
natureza caída, como também influencia do maligno, que é “o pai da
mentira”.
Para reflexão: Você tem plena consciência de que sua palavra é aceita com
naturalidade, ou percebe que, quando fala às pessoas, ficam com um “pé
atrás”?
13
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão
CONCLUSÃO
No sermão da montanha Jesus nos ensina que a qualidade de
vida do cristão deve exceder em muito dos religiosos fariseus.
Essa diferença, entre outras coisas, se manifesta naquilo que
falamos, mostrando assim que a mudança é de dentro pra fora.
Ele mesmo disse: “A boca fala do que está cheio o coração” (Mt
12,34).
Tudo o que falamos deve ser verdadeiro e confiável, refletindo
tão somente o sentido daquilo que se quer dizer. Para isso, não
se faz necessário jurar para autenticar a palavra dita. Pois o
caráter do cristão dispensa tal recurso.
Para saber mais:
Livro: Contracultura Cristã. A mensagem do Sermão do Monte. John R. W. Stott. ABU Editora
Vídeo: O Reino de Pureza e Firmeza - Mateus 5.27-37 - Luiz Sayão
https://www.youtube.com/watch?v=cJUnexF9Fqs
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão 14

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12

Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Gerson G. Ramos
 
Lição 2 - Uma salvação grandiosa
Lição 2 - Uma salvação grandiosaLição 2 - Uma salvação grandiosa
Lição 2 - Uma salvação grandiosa
Ailton da Silva
 
U.XI - Salvação em Cristo - Parte I
U.XI - Salvação em Cristo - Parte IU.XI - Salvação em Cristo - Parte I
U.XI - Salvação em Cristo - Parte I
Ramón Zazatt
 
Compromisso com deus
Compromisso com deusCompromisso com deus
Compromisso com deus
Paulo Cesar Machado
 
A Fé que Salva
A Fé que SalvaA Fé que Salva
A Fé que Salva
selofinal
 
Palavras de sabedoria_Lição_original com textos_812015
Palavras de sabedoria_Lição_original com textos_812015Palavras de sabedoria_Lição_original com textos_812015
Palavras de sabedoria_Lição_original com textos_812015
Gerson G. Ramos
 
Aula EBD - Servirei Ao Senhor
Aula EBD - Servirei Ao SenhorAula EBD - Servirei Ao Senhor
Aula EBD - Servirei Ao Senhor
Dilsilei Monteiro
 
Lição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGR
Lição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGRLição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGR
Lição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição 5 Não Tomarás o Nome do Senhor Teu Deus em Vão
Lição 5 Não Tomarás o Nome do Senhor Teu Deus em VãoLição 5 Não Tomarás o Nome do Senhor Teu Deus em Vão
Lição 5 Não Tomarás o Nome do Senhor Teu Deus em Vão
pralucianaevangelista
 
Palavras de sabedoria_812015_GGR
Palavras de sabedoria_812015_GGRPalavras de sabedoria_812015_GGR
Palavras de sabedoria_812015_GGR
Gerson G. Ramos
 
LIÇÃO 9 – Fidelidade, firmes na fé
LIÇÃO 9 – Fidelidade, firmes na féLIÇÃO 9 – Fidelidade, firmes na fé
LIÇÃO 9 – Fidelidade, firmes na fé
Erberson Pinheiro
 
Propositoeterno 100331090457-phpapp01
Propositoeterno 100331090457-phpapp01Propositoeterno 100331090457-phpapp01
Propositoeterno 100331090457-phpapp01
Andrezinho rupereta
 
JESUS FILHO DE DEUS
JESUS FILHO DE DEUSJESUS FILHO DE DEUS
JESUS FILHO DE DEUS
ASD Remanescentes
 
Promessas de Deus
Promessas de DeusPromessas de Deus
Promessas de Deus
cspsferraz
 
Estudo adicional_Cristo, a lei e as alianças_1022014
Estudo adicional_Cristo, a lei e as alianças_1022014Estudo adicional_Cristo, a lei e as alianças_1022014
Estudo adicional_Cristo, a lei e as alianças_1022014
Gerson G. Ramos
 
Lição 07 II Trimestre 2022.pdf
Lição 07 II Trimestre 2022.pdfLição 07 II Trimestre 2022.pdf
Lição 07 II Trimestre 2022.pdf
JORGEROBSONLIMAMORAE
 
Lição 10 – a perda dos bens terrenos
Lição 10  –  a perda dos bens terrenosLição 10  –  a perda dos bens terrenos
Lição 10 – a perda dos bens terrenos
cledsondrumms
 
Não tomarás o nome do Senhor Deus em vão
Não tomarás o nome do Senhor Deus em vãoNão tomarás o nome do Senhor Deus em vão
Não tomarás o nome do Senhor Deus em vão
Ailton da Silva
 
Ebook 289 site (1)
Ebook 289 site (1)Ebook 289 site (1)
Ebook 289 site (1)
Luiza Dayana
 
Ebook 289 site
Ebook 289 siteEbook 289 site
Ebook 289 site
Luiza Dayana
 

Semelhante a 8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12 (20)

Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
 
Lição 2 - Uma salvação grandiosa
Lição 2 - Uma salvação grandiosaLição 2 - Uma salvação grandiosa
Lição 2 - Uma salvação grandiosa
 
U.XI - Salvação em Cristo - Parte I
U.XI - Salvação em Cristo - Parte IU.XI - Salvação em Cristo - Parte I
U.XI - Salvação em Cristo - Parte I
 
Compromisso com deus
Compromisso com deusCompromisso com deus
Compromisso com deus
 
A Fé que Salva
A Fé que SalvaA Fé que Salva
A Fé que Salva
 
Palavras de sabedoria_Lição_original com textos_812015
Palavras de sabedoria_Lição_original com textos_812015Palavras de sabedoria_Lição_original com textos_812015
Palavras de sabedoria_Lição_original com textos_812015
 
Aula EBD - Servirei Ao Senhor
Aula EBD - Servirei Ao SenhorAula EBD - Servirei Ao Senhor
Aula EBD - Servirei Ao Senhor
 
Lição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGR
Lição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGRLição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGR
Lição 712016_Os ensinos de Jesus e o grande conflito + textos_GGR
 
Lição 5 Não Tomarás o Nome do Senhor Teu Deus em Vão
Lição 5 Não Tomarás o Nome do Senhor Teu Deus em VãoLição 5 Não Tomarás o Nome do Senhor Teu Deus em Vão
Lição 5 Não Tomarás o Nome do Senhor Teu Deus em Vão
 
Palavras de sabedoria_812015_GGR
Palavras de sabedoria_812015_GGRPalavras de sabedoria_812015_GGR
Palavras de sabedoria_812015_GGR
 
LIÇÃO 9 – Fidelidade, firmes na fé
LIÇÃO 9 – Fidelidade, firmes na féLIÇÃO 9 – Fidelidade, firmes na fé
LIÇÃO 9 – Fidelidade, firmes na fé
 
Propositoeterno 100331090457-phpapp01
Propositoeterno 100331090457-phpapp01Propositoeterno 100331090457-phpapp01
Propositoeterno 100331090457-phpapp01
 
JESUS FILHO DE DEUS
JESUS FILHO DE DEUSJESUS FILHO DE DEUS
JESUS FILHO DE DEUS
 
Promessas de Deus
Promessas de DeusPromessas de Deus
Promessas de Deus
 
Estudo adicional_Cristo, a lei e as alianças_1022014
Estudo adicional_Cristo, a lei e as alianças_1022014Estudo adicional_Cristo, a lei e as alianças_1022014
Estudo adicional_Cristo, a lei e as alianças_1022014
 
Lição 07 II Trimestre 2022.pdf
Lição 07 II Trimestre 2022.pdfLição 07 II Trimestre 2022.pdf
Lição 07 II Trimestre 2022.pdf
 
Lição 10 – a perda dos bens terrenos
Lição 10  –  a perda dos bens terrenosLição 10  –  a perda dos bens terrenos
Lição 10 – a perda dos bens terrenos
 
Não tomarás o nome do Senhor Deus em vão
Não tomarás o nome do Senhor Deus em vãoNão tomarás o nome do Senhor Deus em vão
Não tomarás o nome do Senhor Deus em vão
 
Ebook 289 site (1)
Ebook 289 site (1)Ebook 289 site (1)
Ebook 289 site (1)
 
Ebook 289 site
Ebook 289 siteEbook 289 site
Ebook 289 site
 

Último

Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
AlexandreJr7
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
luartfelt
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 

Último (20)

Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 

8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12

  • 2. Lição 8: A PALAVRA DE HONRA DO CRISTÃO Texto Básico: Mateus 5.33-37 Texto Devocional: Deuteronômio 23.21-23 Versículo-Chave: Tiago 5.12 Sobretudo, meus irmãos, não jurem pelo céu, nem pela terra, nem por coisa alguma. Que o “sim” de vocês seja realmente sim, e o “não” seja não, para que não caiam em condenação. Alvo da Lição: entender cristão deve ser tão confiável naquilo que diz que não precisa reforçar sua palavra com juramentos. 2 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão
  • 3. VOCÊ JÁ OUVIU UMA GRANDE MENTIRA? VOCÊ JÁ CAIU NO CONTO DE UM MENTIROSO? EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão 3
  • 4. “Possuímos um coração tão altissonante quanto um sino, e a língua é o badalo, pois o que o coração pensa a língua fala” (William Shahespeare). Se alguém se considera religioso, mas não refreia a língua, engana a si mesmo. A sua religião não tem valor algum! Tiago 1:26 Pois todos tropeçamos de muitas maneiras. Se alguém não tropeça no falar, tal homem é perfeito, capaz de dominar também todo o corpo. Tiago 3:2 Põe, Senhor, um guarda à minha boca; vigia a porta dos meus lábios. Salmos 141.3 Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam agradáveis a ti, Senhor, minha Rocha e meu Resgatador! Salmos 19.14 INTRODUÇÃO 4 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão
  • 5. Vocês também ouviram o que foi dito aos seus antepassados: “Não jure falsamente, mas cumpra os juramentos que você fez diante do Senhor”. I - OS JURAMENTOS E OS ANTIGOS – Mt 5.33 5 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão A prática de fazer juramento vem dos tempos mais remotos. Gn 14:22 Abrão, porém, respondeu ao rei de Sodoma: ― Juro, de mãos levantadas ao Senhor, o Deus Altíssimo, Criador dos céus e da terra, 23 que não aceitarei nada do que pertence a você, nem mesmo um cordão ou uma correia de sandália, para que você jamais venha a dizer: “Eu enriqueci Abrão”.“
  • 6. I - OS JURAMENTOS E OS ANTIGOS – Mt 5.33 6 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão Quando os juramentos eram feitos? Alguns exemplos: a) Na confirmação de pactos: Gn 26.28 Eles responderam: ― Vimos claramente que o Senhor está com você; por isso, pensamos: “Façamos um juramento entre nós”. Queremos firmar uma aliança com você: 1 Sm 20.16 Assim, Jônatas fez uma aliança com a família de Davi, dizendo: ― Que o Senhor chame os inimigos de Davi para prestar contas. 17 Jônatas fez Davi reafirmar o seu juramento de amizade, pois era seu amigo leal.
  • 7. I - OS JURAMENTOS E OS ANTIGOS – Mt 5.33 7 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão Quando os juramentos eram feitos? Alguns exemplos: b) Em decisões nos tribunais: Êxodo 22.10 Se alguém der ao seu próximo um jumento, ou boi, ou ovelha, ou qualquer outro animal, para ser guardado e o animal morrer, for ferido ou for levado sem que ninguém o veja, 11 a questão entre eles será resolvida prestando-se um juramento diante do Senhor de que um não lançou mão da propriedade do outro. O dono terá de aceitar isso, e nenhuma restituição será exigida. c) Na obrigação de se realizar os deveres sagrados: Números 30.2 Quando um homem fizer um voto ao Senhor ou um juramento que o obrigar a algum compromisso, não poderá quebrar a sua palavra, mas deverá cumprir tudo o que disse. Ver também: 2Cr 15,14-15; Ne 10,29; Sl 133,1-5
  • 8. I - OS JURAMENTOS E OS ANTIGOS – Mt 5.33 8 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão a) Os juramentos não foram ordenados, mas permitidos Gênesis 24. 2 Ele disse ao servo mais antigo da sua casa, que administrava todos os seus bens: ― Ponha a mão debaixo da minha coxa 3 e jure pelo Senhor, o Deus dos céus e o Deus da terra, que não buscará mulher para o meu filho entre as filhas dos cananeus, no meio dos quais habito (...) 9 Então, o servo pôs a mão debaixo da coxa de Abraão, o seu senhor, e lhe fez um juramento sobre essa questão.
  • 9. I - OS JURAMENTOS E OS ANTIGOS – Mt 5.33 9 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão b) Os juramentos muitas vezes eram precipitados. Provérbios 20.25 É uma armadilha consagrar algo precipitadamente e só pensar nas consequências depois que se fez o voto. Exemplos de juramentos precipitados: • Esaú: jurou e vendeu o seu direito de primogenitura a Jacó.(Gn 25.33); • Josué: Fez aliança com o inimigo (Js 9,15-16); • Jefté: Fez voto precipitado e comprometeu a vida da sua filha (Jz 11,30-36); • Saul: Fez voto precipitado sobre o jejum (1 Sm 14,27.44); • Herodes: Prometeu dar qualquer coisa a Herodias (Mt 14,7-9); • Judeus que juraram que não comeriam e nem beberiam até matar Paulo (At 23,21).
  • 10. I - OS JURAMENTOS E OS ANTIGOS – Mt 5.33 10 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão c) Os juramentos exigiam cumprimento. Ninguém era obrigado a jurar ou fazer votos, mas se obrigava a cumprir quando os fazia: Deuteronômio 23.21― Se um de vocês fizer um voto ao Senhor, o seu Deus, não demore a cumpri-lo, pois o Senhor, o seu Deus, certamente pedirá contas a você, e você será culpado de pecado se não o cumprir. 22 Se, porém, você não fizer o voto, de nada será culpado. 23 Faça tudo para cumprir o que os seus lábios prometeram, pois com a própria boca você fez espontaneamente um voto ao Senhor, o seu Deus. Ver também Sl 50,14; 61,8; 66,13-14; Ecl 5,4-6; Ez 17,11-21. Usar nos juramentos expressões como; “Juro por Deus” (2 Sm 19,7); “Pela vida de Deus” (2 Sm 2,27); “Tomo a Deus por testemunho” (2Cor 1,23); e depois deixar de cumprir o voto, era questionar a realidade da própria existência de Deus.
  • 11. II - OS JURAMENTOS E JESUS – Mt 5.34 11 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão Mas eu digo: não jurem de forma alguma; nem pelos céus, porque é o trono de Deus Jesus condena os juramentos falsos ou perjúrios. Jesus também condena a falsa crença dos fariseus que diziam que apenas os juramentos que incluíam o nome de Deus se tornavam obrigatórios. (Mt 23.16-22) O alvo de Jesus ao proibir os juramentos é exigir a verdade total de toda e qualquer palavra do homem.
  • 12. III - OS JURAMENTOS E O CRISTÃO – Mt 5.37 12 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão Quando disserem “sim”, que seja realmente sim; quando disserem “não”, que seja não. O que passar disso vem do Maligno. A palavra do cristão deve ser sincera e normal, pois todo e qualquer exagero já constitui uma mentira. O cristão não deve recorrer a juramentos para receber credibilidade, mas deve ter uma palavra tão confiável como se fosse um juramento. O que passar do sim, sim e não, não, será produto da maldade de nossa natureza caída, como também influencia do maligno, que é “o pai da mentira”. Para reflexão: Você tem plena consciência de que sua palavra é aceita com naturalidade, ou percebe que, quando fala às pessoas, ficam com um “pé atrás”?
  • 13. 13 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão CONCLUSÃO No sermão da montanha Jesus nos ensina que a qualidade de vida do cristão deve exceder em muito dos religiosos fariseus. Essa diferença, entre outras coisas, se manifesta naquilo que falamos, mostrando assim que a mudança é de dentro pra fora. Ele mesmo disse: “A boca fala do que está cheio o coração” (Mt 12,34). Tudo o que falamos deve ser verdadeiro e confiável, refletindo tão somente o sentido daquilo que se quer dizer. Para isso, não se faz necessário jurar para autenticar a palavra dita. Pois o caráter do cristão dispensa tal recurso.
  • 14. Para saber mais: Livro: Contracultura Cristã. A mensagem do Sermão do Monte. John R. W. Stott. ABU Editora Vídeo: O Reino de Pureza e Firmeza - Mateus 5.27-37 - Luiz Sayão https://www.youtube.com/watch?v=cJUnexF9Fqs EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 8: A palavra de honra do cristão 14