SlideShare uma empresa Scribd logo
FÓRUM NACIONAL
ONCOGUIA 2017
27 E 28 DE JUNHO DE 2017
DEMANDAS E PROPOSTAS
APRIMORAMENTO DAS POLÍTICAS DE ATENÇÃO ONCOLÓGICA
PORTARIA Nº 140, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014
Redefine os critérios e parâmetros para organização, planejamento, monitoramento, controle e
avaliação dos estabelecimentos de saúde habilitados na atenção especializada em oncologia e
define as condições estruturais, de funcionamento e de recursos humanos para a habilitação destes
estabelecimentos no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).
Art. 4º Para ser habilitado como CACON, o estabelecimento de saúde deverá:
I - atender os requisitos para atenção especializada em oncologia dispostos nos Capítulos II, III e IV desta
Portaria e no Capítulo
§ 1º Inclui-se na prestação de atenção especializada em oncologia de que trata o inciso I deste artigo,
consultas e exames para acompanhamento, diagnóstico diferencial e definitivo de câncer e tratamento por
cirurgia, radioterapia, oncologia clínica e cuidados paliativos relativamente a todos os tipos de câncer,
incluindo os hematológicos, não obrigatoriamente os da criança e adolescente.
CONSULTAS
E
EXAMES
DIAGNÓSTICO
DIFERENCIAL E
DEFINITIVO
TRATAMENTO
POR
CIRURGIA
RADIOTERAPIA
ONCOLOGIA
CLÍNICA
CUIDADOS
PALIATIVOS
I
N
T
E
G
R
A
L
I
D
A
D
E
DEMANDAS E PROPOSTAS
CONSULTAS
E
EXAMES
DIAGNÓSTICO
DIFERENCIAL E
DEFINITIVO
TRATAMENTO
POR
CIRURGIA
Procedimento
Compatibilidades
Tabelas
Relatórios
Ministério da Saúde
SIGTAP - Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do
SUS
Download | Fale Conosco | Sair
Usuário: publico
Procedimento
Procedimento:
02.03.02.003-0 - EXAME ANATOMO-PATOLÓGICO PARA CONGELAMENTO / PARAFINA
POR PEÇA CIRURGICA OU POR BIOPSIA (EXCETO COLO UTERINO E MAMA)
Grupo: 02 - Procedimentos com finalidade diagnóstica
Sub-Grupo: 03 - Diagnóstico por anatomia patológica e citopatologia
Forma de Organização: 02 - Exames anatomopatológicos
Competência: 06/2017 Histórico de alterações
Modalidade de Atendimento: Ambulatorial Hospitalar Hospital Dia
Complexidade: Média Complexidade
Financiamento: Média e Alta Complexidade (MAC)
Sub-Tipo de Financiamento:
Instrumento de Registro: BPA (Individualizado) AIH (Proc. Especial)
Sexo: Ambos
Média de Permanência:
Tempo de Permanência:
Quantidade Máxima:
Idade Mínima: 0 meses
Idade Máxima: 130 anos
Pontos:
Atributos Complementares:
Valores
Serviço Ambulatorial: R$ 24,00 Serviço Hospitalar: R$ 24,00
Total Ambulatorial: R$ 24,00 Serviço Profissional: R$ 0,00
Total Hospitalar: R$ 24,00
Descrição CID CBO Leito Serviço Classificação Habilitação Redes Origem
Regra
Condicionada
Renases TUSS
Descrição
CONSISTE NO EXAME MACRO E MICROSCOPIO DE MATERIAL OBTIDO POR PUNCAO OU ASPIRAÇÃO
OU POR BIOPSIA OU POR PROCEDIMENTO CIRURGICO PARA TRATAMENTO OU DIAGNOSTICO
DEFINITIVO. NO CASO DE BIOPSIAS DO APARELHO DIGESTIVO COLHIDAS POR ENDOSCOPIA DEVEM
SER COLETADOS FRAGMENTOS POR REGIÃO ANATÔMICA DO ÓRGÃO ANALISADO, ASSIM COMO
DEVE CONSTAR DO LAUDO ESTAS REGIÕES. NOS CASOS DE BIÓPSIA DE PRÓSTATA DEVE
CORRESPONDER A ANÁLISE DE FRAGMENTOS COLETADOS DE CADA SEXTANTE COM O MÍNIMO DE
OITO.
Ministério da Saúde
Gabinete do Ministro
PORTARIA Nº 2.918, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2007
DEMANDAS E PROPOSTAS
CONSULTAS
E
EXAMES
DIAGNÓSTICO
DIFERENCIAL E
DEFINITIVO
TRATAMENTO
POR
CIRURGIA
Procedimento
Compatibilidades
Tabelas
Relatórios
Ministério da Saúde
SIGTAP - Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS
Download | Fale Conosco | Sair
Usuário: publico
Procedimento
Procedimento: 04.16.01.013-0 - PROSTATOVESICULECTOMIA RADICAL EM ONCOLOGIA
Grupo: 04 - Procedimentos cirúrgicos
Sub-Grupo: 16 - Cirurgia em oncologia
Forma de Organização: 01 - Urologia
Competência: 06/2017 Histórico de alterações
Modalidade de Atendimento: Hospitalar
Complexidade: Alta Complexidade
Financiamento: Média e Alta Complexidade (MAC)
Sub-Tipo de Financiamento:
Instrumento de Registro: AIH (Proc. Principal)
Sexo: Masculino
Média de Permanência: 4
Tempo de Permanência:
Quantidade Máxima: 1
Idade Mínima: 40 anos
Idade Máxima: 130 anos
Pontos: 300
Atributos Complementares: Inclui valor da anestesia Admite permanência à maior CNRAC
Valores
Serviço Ambulatorial: R$ 0,00 Serviço Hospitalar: R$ 3.466,31
Total Ambulatorial: R$ 0,00 Serviço Profissional: R$ 949,95
Total Hospitalar: R$ 4.416,26
Descrição CID CBO Leito Serviço Classificação Habilitação Redes Origem
Regra
Condicionada
Renases TUSS
Descrição
Resseccao total da prostata, vesiculas seminais ou outras estruturas pelvicas por tumor maligno. Inclui a
linfadenectomia pelvica. Admite procedimento sequencial.
Ministério da Saúde, através da portaria GM nº 2947, de 21 de
dezembro de 2012, atualizou os valores dos procedimentos
cirúrgicos oncológicos do Sistema Único de Saúde (SUS)
DEMANDAS E PROPOSTAS
RADIOTERAPIA
ONCOLOGIA
CLÍNICA
CUIDADOS
PALIATIVOS
Procedimento
Compatibilidades
Tabelas
Relatórios
Ministério da Saúde
SIGTAP - Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do
SUS
Download | Fale Conosco | Sair
Usuário: publico
Procedimento
Procedimento:
03.04.01.029-4 - RADIOTERAPIA COM ACELERADOR LINEAR DE FÓTONS E ELÉTRONS
(POR CAMPO)
Grupo: 03 - Procedimentos clínicos
Sub-Grupo: 04 - Tratamento em oncologia
Forma de Organização: 01 - Radioterapia
Competência: 06/2017 Histórico de alterações
Modalidade de
Atendimento:
Ambulatorial
Complexidade: Alta Complexidade
Financiamento: Média e Alta Complexidade (MAC)
Sub-Tipo de
Financiamento:
Instrumento de
Registro:
APAC (Proc. Principal)
Sexo: Ambos
Média de
Permanência:
Tempo de
Permanência:
Quantidade Máxima:
Idade Mínima: 0 meses
Idade Máxima: 130 anos
Pontos:
Atributos
Complementares:
Exige CNS Admite APAC de Continuidade Exige registro na APAC de dados
complementares
Valores
Serviço Ambulatorial: R$ 35,00 Serviço Hospitalar: R$ 0,00
Total Ambulatorial: R$ 35,00 Serviço Profissional: R$ 0,00
Total Hospitalar: R$ 0,00
Descrição CID CBO Leito Serviço Classificação Habilitação Redes Origem
Regra
Condicionada
Renases TUSS
Descrição
RADIOTERAPIA EXTERNA DE MEGAVOLTAGEM (DE OU MAIS DE 06 MEV) PELO USO DE ACELERADOR
LINEAR DE FÓTONS E ELÉTRONS.PROCEDIMENTO ÚNICO E EXCLUSIVO. PORTANTO EXCLUDENTE COM
OS PROCEDIMENTOS 03.04.01009-0 - COBALTOTERAPIA,E 03.04.01.028-6 - RADIOTERAPIA COM
ACELERADOR LINEAR SÓ DE FÓTONS (POR CAMPO) EM UMA MESMA COMPETÊNCIA DE UMA MESMA
APAC. QUANTIDADE MAXIMA DE CAMPOS POR CID CONFORME TABELA UTILIZADA PARA CRITICA DE
RADIOTERAPIA.
Ministério da Saúde
Secretaria de Atenção à Saúde
PORTARIA Nº 420, DE 25 DE AGOSTO DE
2010
DEMANDAS E PROPOSTAS
RADIOTERAPIA
ONCOLOGIA
CLÍNICA
CUIDADOS
PALIATIVOS
Procedimento
Compatibilidades
Tabelas
Relatórios
Ministério da Saúde
SIGTAP - Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do
SUS
Download | Fale Conosco | Sair
Usuário: publico
Procedimento
Procedimento: 03.04.02.040-0 - QUIMIOTERAPIA DE CARCINOMA UROTELIAL AVANÇADO
Grupo: 03 - Procedimentos clínicos
Sub-Grupo: 04 - Tratamento em oncologia
Forma de Organização: 02 - Quimioterapia paliativa - adulto
Competência: 06/2017 Histórico de alterações
Modalidade de
Atendimento:
Ambulatorial
Complexidade: Alta Complexidade
Financiamento: Média e Alta Complexidade (MAC)
Sub-Tipo de
Financiamento:
Instrumento de
Registro:
APAC (Proc. Principal)
Sexo: Ambos
Média de
Permanência:
Tempo de
Permanência:
Quantidade Máxima: 1
Idade Mínima: 19 anos
Idade Máxima: 130 anos
Pontos:
Atributos
Complementares:
Exige CNS Admite APAC de Continuidade Exige registro na APAC de dados
complementares
Valores
Serviço Ambulatorial: R$ 1.300,00 Serviço Hospitalar: R$ 0,00
Total Ambulatorial: R$ 1.300,00 Serviço Profissional: R$ 0,00
Total Hospitalar: R$ 0,00
Descrição CID CBO Leito Serviço Classificação Habilitação Redes Origem
Regra
Condicionada
Renases TUSS
Descrição
QUIMIOTERAPIA PALIATIVA DO CARCINOMA DE PELVE RENAL, URETER, BEXIGA URINÁRIA E URETRA.
DOENÇA LOCO-REGIONALMENTE AVANÇADA, METASTÁTICA OU RECIDIVADA
Ministério da Saúde
Secretaria de Atenção à Saúde
PORTARIA Nº 420, DE 25 DE AGOSTO DE 2010
DEMANDAS E PROPOSTAS
APRIMORAMENTO DAS POLÍTICAS DE ATENÇÃO ONCOLÓGICA
1) FORMA DE REMUNERAÇÃO PELA INTEGRALIDADE DO SERVIÇO
2) FORMA DE INCENTIVO A ALTA COMPLEXIDADE
3) GESTOR ESTADUAL – AVALIAÇÃO, CONTROLE, REGULAÇÃO DO SISTEMA DE
ONCOLOGIA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins
Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins
Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins
Oncoguia
 
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
CNseg
 
Pesquisa Clínica - Fábio Franke
Pesquisa Clínica - Fábio FrankePesquisa Clínica - Fábio Franke
Pesquisa Clínica - Fábio Franke
Oncoguia
 
Sisreg Secretaria de Saúde de Palmeira das Missões - RS
Sisreg Secretaria de Saúde de Palmeira das Missões - RSSisreg Secretaria de Saúde de Palmeira das Missões - RS
Sisreg Secretaria de Saúde de Palmeira das Missões - RS
darci prado prado
 
Sisreg implantação Palmeira das Missões
Sisreg implantação Palmeira das MissõesSisreg implantação Palmeira das Missões
Sisreg implantação Palmeira das Missões
darci prado prado
 
Desenvolvimento de uma ferramenta eficiente para registro e comunicação de ...
Desenvolvimento de uma ferramenta eficiente para registro e comunicação de ...Desenvolvimento de uma ferramenta eficiente para registro e comunicação de ...
Desenvolvimento de uma ferramenta eficiente para registro e comunicação de ...
Thiago Julio, MD
 
Diário da saúde 3
Diário da saúde 3Diário da saúde 3
Diário da saúde 3
Marketingipm
 
Novos Planos Unimed
Novos Planos UnimedNovos Planos Unimed
Novos Planos Unimed
Duplla Comunicação
 
Diário da saúde 3 (1)
Diário da saúde 3 (1)Diário da saúde 3 (1)
Diário da saúde 3 (1)
Marketingipm
 
Unimed Apresentação
Unimed ApresentaçãoUnimed Apresentação
Unimed Apresentação
Camilo Ferreira
 
UPA 24hs
UPA 24hsUPA 24hs
UPA 24hs
ECO Sistemas
 
12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...
12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...
12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...
Proqualis
 
Cara apresentacao cms - 20marco2013 [modo de compatibilidade]
Cara   apresentacao cms - 20marco2013 [modo de compatibilidade]Cara   apresentacao cms - 20marco2013 [modo de compatibilidade]
Cara apresentacao cms - 20marco2013 [modo de compatibilidade]
José Ripardo
 
Ppt coletiva seguranca_paciente_final
Ppt coletiva seguranca_paciente_finalPpt coletiva seguranca_paciente_final
Ppt coletiva seguranca_paciente_final
Jornal do Commercio
 
II videoconferência "Conitec em evidência"_Inez Gadelha
II videoconferência "Conitec em evidência"_Inez GadelhaII videoconferência "Conitec em evidência"_Inez Gadelha
II videoconferência "Conitec em evidência"_Inez Gadelha
CONITEC
 
Unopar (TrabalhoInterdisciplinar de Grupo) upa 24 horas
Unopar (TrabalhoInterdisciplinar de Grupo) upa 24 horasUnopar (TrabalhoInterdisciplinar de Grupo) upa 24 horas
Unopar (TrabalhoInterdisciplinar de Grupo) upa 24 horas
João Silva
 
Upas
UpasUpas
administração hospitalar
administração hospitalaradministração hospitalar
administração hospitalar
biblisaocamilo
 
2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras
2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras    2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras
2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras
CNseg
 

Mais procurados (19)

Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins
Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins
Lei dos 60 dias, SISCAN e Portaria 140 - Sandro Martins
 
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
 
Pesquisa Clínica - Fábio Franke
Pesquisa Clínica - Fábio FrankePesquisa Clínica - Fábio Franke
Pesquisa Clínica - Fábio Franke
 
Sisreg Secretaria de Saúde de Palmeira das Missões - RS
Sisreg Secretaria de Saúde de Palmeira das Missões - RSSisreg Secretaria de Saúde de Palmeira das Missões - RS
Sisreg Secretaria de Saúde de Palmeira das Missões - RS
 
Sisreg implantação Palmeira das Missões
Sisreg implantação Palmeira das MissõesSisreg implantação Palmeira das Missões
Sisreg implantação Palmeira das Missões
 
Desenvolvimento de uma ferramenta eficiente para registro e comunicação de ...
Desenvolvimento de uma ferramenta eficiente para registro e comunicação de ...Desenvolvimento de uma ferramenta eficiente para registro e comunicação de ...
Desenvolvimento de uma ferramenta eficiente para registro e comunicação de ...
 
Diário da saúde 3
Diário da saúde 3Diário da saúde 3
Diário da saúde 3
 
Novos Planos Unimed
Novos Planos UnimedNovos Planos Unimed
Novos Planos Unimed
 
Diário da saúde 3 (1)
Diário da saúde 3 (1)Diário da saúde 3 (1)
Diário da saúde 3 (1)
 
Unimed Apresentação
Unimed ApresentaçãoUnimed Apresentação
Unimed Apresentação
 
UPA 24hs
UPA 24hsUPA 24hs
UPA 24hs
 
12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...
12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...
12 implantação e disseminação do programa nacional de segurança do paciente: ...
 
Cara apresentacao cms - 20marco2013 [modo de compatibilidade]
Cara   apresentacao cms - 20marco2013 [modo de compatibilidade]Cara   apresentacao cms - 20marco2013 [modo de compatibilidade]
Cara apresentacao cms - 20marco2013 [modo de compatibilidade]
 
Ppt coletiva seguranca_paciente_final
Ppt coletiva seguranca_paciente_finalPpt coletiva seguranca_paciente_final
Ppt coletiva seguranca_paciente_final
 
II videoconferência "Conitec em evidência"_Inez Gadelha
II videoconferência "Conitec em evidência"_Inez GadelhaII videoconferência "Conitec em evidência"_Inez Gadelha
II videoconferência "Conitec em evidência"_Inez Gadelha
 
Unopar (TrabalhoInterdisciplinar de Grupo) upa 24 horas
Unopar (TrabalhoInterdisciplinar de Grupo) upa 24 horasUnopar (TrabalhoInterdisciplinar de Grupo) upa 24 horas
Unopar (TrabalhoInterdisciplinar de Grupo) upa 24 horas
 
Upas
UpasUpas
Upas
 
administração hospitalar
administração hospitalaradministração hospitalar
administração hospitalar
 
2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras
2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras    2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras
2º Fórum da Saúde Suplementar - Edmond Barras
 

Semelhante a 7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Pacoal Marracini

Ampliação da oferta de exames - Lincoln Ferreira
Ampliação da oferta de exames - Lincoln Ferreira Ampliação da oferta de exames - Lincoln Ferreira
Ampliação da oferta de exames - Lincoln Ferreira
Oncoguia
 
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia SampaioInfraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Oncoguia
 
Saúde para os Municípios
Saúde para os MunicípiosSaúde para os Municípios
Saúde para os Municípios
Cogepp CEPAM
 
PLANO-DE-EXPANS--O---APRESENTA----O-SITE-28-10-2015 (2).pptx
PLANO-DE-EXPANS--O---APRESENTA----O-SITE-28-10-2015 (2).pptxPLANO-DE-EXPANS--O---APRESENTA----O-SITE-28-10-2015 (2).pptx
PLANO-DE-EXPANS--O---APRESENTA----O-SITE-28-10-2015 (2).pptx
estantesaude
 
Plano de-expans--o---apresenta----o-site-28-10-2015 (2)
Plano de-expans--o---apresenta----o-site-28-10-2015 (2)Plano de-expans--o---apresenta----o-site-28-10-2015 (2)
Plano de-expans--o---apresenta----o-site-28-10-2015 (2)
estantesaude
 
SIA/SUS- Oncologia 2008
SIA/SUS- Oncologia 2008SIA/SUS- Oncologia 2008
SIA/SUS- Oncologia 2008
Laryssasampaio
 
Redução de espera: Tratar câncer em 60 dias é obrigatório
Redução de espera: Tratar câncer em 60 dias é obrigatórioRedução de espera: Tratar câncer em 60 dias é obrigatório
Redução de espera: Tratar câncer em 60 dias é obrigatório
Ministério da Saúde
 
O Plano de Atenção Oncológica do Estado do Rio de Janeiro
O Plano de Atenção Oncológica do Estado do Rio de Janeiro O Plano de Atenção Oncológica do Estado do Rio de Janeiro
O Plano de Atenção Oncológica do Estado do Rio de Janeiro
Oncoguia
 
Perfil de expressão diferencial de microRNAs plasmáticos como ferramenta para...
Perfil de expressão diferencial de microRNAs plasmáticos como ferramenta para...Perfil de expressão diferencial de microRNAs plasmáticos como ferramenta para...
Perfil de expressão diferencial de microRNAs plasmáticos como ferramenta para...
REBRATSoficial
 
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – A experiência dos Consór...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – A experiência dos Consór...CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – A experiência dos Consór...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – A experiência dos Consór...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Teresa Cristina Cardoso Fonseca
7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Teresa Cristina Cardoso Fonseca7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Teresa Cristina Cardoso Fonseca
7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Teresa Cristina Cardoso Fonseca
Oncoguia
 
Regulação - Elaine Gianotti
Regulação - Elaine GianottiRegulação - Elaine Gianotti
Regulação - Elaine Gianotti
Oncoguia
 
0392-L - Registros hospitalares de câncer - Planejamento e gestão - 2010
0392-L - Registros hospitalares de câncer - Planejamento e gestão - 20100392-L - Registros hospitalares de câncer - Planejamento e gestão - 2010
0392-L - Registros hospitalares de câncer - Planejamento e gestão - 2010
bibliotecasaude
 
Expansão da radioterapia - Marco Aurélio
Expansão da radioterapia - Marco AurélioExpansão da radioterapia - Marco Aurélio
Expansão da radioterapia - Marco Aurélio
Oncoguia
 
Alvoradasfeb132012
Alvoradasfeb132012Alvoradasfeb132012
Alvoradasfeb132012
Paolo Salvalaggio
 
7º Fórum Oncoguia - 28/06/2017 - Rafael Kaliks
7º Fórum Oncoguia - 28/06/2017 - Rafael Kaliks7º Fórum Oncoguia - 28/06/2017 - Rafael Kaliks
7º Fórum Oncoguia - 28/06/2017 - Rafael Kaliks
Oncoguia
 
6 de maio__maria_ines_pordeus_gadelha
6 de maio__maria_ines_pordeus_gadelha6 de maio__maria_ines_pordeus_gadelha
6 de maio__maria_ines_pordeus_gadelha
faelabertiny
 
Saúde suplementar - Martha Oliveira
Saúde suplementar - Martha OliveiraSaúde suplementar - Martha Oliveira
Saúde suplementar - Martha Oliveira
Oncoguia
 
Apresentação natal 20_03_2014
Apresentação natal 20_03_2014Apresentação natal 20_03_2014
Doenca de Crohn - PCDT.pdf
Doenca de Crohn - PCDT.pdfDoenca de Crohn - PCDT.pdf
Doenca de Crohn - PCDT.pdf
ssuser073a88
 

Semelhante a 7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Pacoal Marracini (20)

Ampliação da oferta de exames - Lincoln Ferreira
Ampliação da oferta de exames - Lincoln Ferreira Ampliação da oferta de exames - Lincoln Ferreira
Ampliação da oferta de exames - Lincoln Ferreira
 
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia SampaioInfraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
Infraestrutura Ideal em Oncologia - Patrícia Sampaio
 
Saúde para os Municípios
Saúde para os MunicípiosSaúde para os Municípios
Saúde para os Municípios
 
PLANO-DE-EXPANS--O---APRESENTA----O-SITE-28-10-2015 (2).pptx
PLANO-DE-EXPANS--O---APRESENTA----O-SITE-28-10-2015 (2).pptxPLANO-DE-EXPANS--O---APRESENTA----O-SITE-28-10-2015 (2).pptx
PLANO-DE-EXPANS--O---APRESENTA----O-SITE-28-10-2015 (2).pptx
 
Plano de-expans--o---apresenta----o-site-28-10-2015 (2)
Plano de-expans--o---apresenta----o-site-28-10-2015 (2)Plano de-expans--o---apresenta----o-site-28-10-2015 (2)
Plano de-expans--o---apresenta----o-site-28-10-2015 (2)
 
SIA/SUS- Oncologia 2008
SIA/SUS- Oncologia 2008SIA/SUS- Oncologia 2008
SIA/SUS- Oncologia 2008
 
Redução de espera: Tratar câncer em 60 dias é obrigatório
Redução de espera: Tratar câncer em 60 dias é obrigatórioRedução de espera: Tratar câncer em 60 dias é obrigatório
Redução de espera: Tratar câncer em 60 dias é obrigatório
 
O Plano de Atenção Oncológica do Estado do Rio de Janeiro
O Plano de Atenção Oncológica do Estado do Rio de Janeiro O Plano de Atenção Oncológica do Estado do Rio de Janeiro
O Plano de Atenção Oncológica do Estado do Rio de Janeiro
 
Perfil de expressão diferencial de microRNAs plasmáticos como ferramenta para...
Perfil de expressão diferencial de microRNAs plasmáticos como ferramenta para...Perfil de expressão diferencial de microRNAs plasmáticos como ferramenta para...
Perfil de expressão diferencial de microRNAs plasmáticos como ferramenta para...
 
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – A experiência dos Consór...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – A experiência dos Consór...CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – A experiência dos Consór...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – A experiência dos Consór...
 
7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Teresa Cristina Cardoso Fonseca
7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Teresa Cristina Cardoso Fonseca7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Teresa Cristina Cardoso Fonseca
7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Teresa Cristina Cardoso Fonseca
 
Regulação - Elaine Gianotti
Regulação - Elaine GianottiRegulação - Elaine Gianotti
Regulação - Elaine Gianotti
 
0392-L - Registros hospitalares de câncer - Planejamento e gestão - 2010
0392-L - Registros hospitalares de câncer - Planejamento e gestão - 20100392-L - Registros hospitalares de câncer - Planejamento e gestão - 2010
0392-L - Registros hospitalares de câncer - Planejamento e gestão - 2010
 
Expansão da radioterapia - Marco Aurélio
Expansão da radioterapia - Marco AurélioExpansão da radioterapia - Marco Aurélio
Expansão da radioterapia - Marco Aurélio
 
Alvoradasfeb132012
Alvoradasfeb132012Alvoradasfeb132012
Alvoradasfeb132012
 
7º Fórum Oncoguia - 28/06/2017 - Rafael Kaliks
7º Fórum Oncoguia - 28/06/2017 - Rafael Kaliks7º Fórum Oncoguia - 28/06/2017 - Rafael Kaliks
7º Fórum Oncoguia - 28/06/2017 - Rafael Kaliks
 
6 de maio__maria_ines_pordeus_gadelha
6 de maio__maria_ines_pordeus_gadelha6 de maio__maria_ines_pordeus_gadelha
6 de maio__maria_ines_pordeus_gadelha
 
Saúde suplementar - Martha Oliveira
Saúde suplementar - Martha OliveiraSaúde suplementar - Martha Oliveira
Saúde suplementar - Martha Oliveira
 
Apresentação natal 20_03_2014
Apresentação natal 20_03_2014Apresentação natal 20_03_2014
Apresentação natal 20_03_2014
 
Doenca de Crohn - PCDT.pdf
Doenca de Crohn - PCDT.pdfDoenca de Crohn - PCDT.pdf
Doenca de Crohn - PCDT.pdf
 

Mais de Oncoguia

Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022
Oncoguia
 
Câncer de mama: pontos que merecem atenção!
Câncer de mama: pontos que merecem atenção!Câncer de mama: pontos que merecem atenção!
Câncer de mama: pontos que merecem atenção!
Oncoguia
 
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' PerspectiveFeelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Oncoguia
 
Insights from a Brazilian Patient Group
Insights from a Brazilian Patient GroupInsights from a Brazilian Patient Group
Insights from a Brazilian Patient Group
Oncoguia
 
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Oncoguia
 
Obesidade e câncer nas políticas públicas
Obesidade e câncer nas políticas públicasObesidade e câncer nas políticas públicas
Obesidade e câncer nas políticas públicas
Oncoguia
 
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favelaPesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Oncoguia
 
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileirasPercepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Oncoguia
 
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Oncoguia
 
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadoresImpactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Oncoguia
 
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicasCosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Oncoguia
 
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Oncoguia
 
Por uma oncologia mais atual e justa
 Por uma oncologia mais atual e justa Por uma oncologia mais atual e justa
Por uma oncologia mais atual e justa
Oncoguia
 
Percepções da população brasileira sobre o câncer
Percepções da população brasileira sobre o câncerPercepções da população brasileira sobre o câncer
Percepções da população brasileira sobre o câncer
Oncoguia
 
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdfDatafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Oncoguia
 
Como contribuir em Consulta Pública da Conitec
Como contribuir em Consulta Pública da ConitecComo contribuir em Consulta Pública da Conitec
Como contribuir em Consulta Pública da Conitec
Oncoguia
 
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Oncoguia
 
Study of cancer patient's communication of pain to the health team
Study of cancer patient's communication of pain to the health teamStudy of cancer patient's communication of pain to the health team
Study of cancer patient's communication of pain to the health team
Oncoguia
 
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
Oncoguia
 
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Oncoguia
 

Mais de Oncoguia (20)

Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia2022
 
Câncer de mama: pontos que merecem atenção!
Câncer de mama: pontos que merecem atenção!Câncer de mama: pontos que merecem atenção!
Câncer de mama: pontos que merecem atenção!
 
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' PerspectiveFeelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
 
Insights from a Brazilian Patient Group
Insights from a Brazilian Patient GroupInsights from a Brazilian Patient Group
Insights from a Brazilian Patient Group
 
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
 
Obesidade e câncer nas políticas públicas
Obesidade e câncer nas políticas públicasObesidade e câncer nas políticas públicas
Obesidade e câncer nas políticas públicas
 
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favelaPesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
 
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileirasPercepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
 
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
 
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadoresImpactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
 
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicasCosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
 
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
 
Por uma oncologia mais atual e justa
 Por uma oncologia mais atual e justa Por uma oncologia mais atual e justa
Por uma oncologia mais atual e justa
 
Percepções da população brasileira sobre o câncer
Percepções da população brasileira sobre o câncerPercepções da população brasileira sobre o câncer
Percepções da população brasileira sobre o câncer
 
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdfDatafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
 
Como contribuir em Consulta Pública da Conitec
Como contribuir em Consulta Pública da ConitecComo contribuir em Consulta Pública da Conitec
Como contribuir em Consulta Pública da Conitec
 
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
 
Study of cancer patient's communication of pain to the health team
Study of cancer patient's communication of pain to the health teamStudy of cancer patient's communication of pain to the health team
Study of cancer patient's communication of pain to the health team
 
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
 
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
 

Último

Historia de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagem
Historia de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagemHistoria de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagem
Historia de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagem
sidneyjmg
 
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptxBioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
BeatrizLittig1
 
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na Enfermagem
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na EnfermagemMICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na Enfermagem
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na Enfermagem
sidneyjmg
 
643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx
643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx
643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx
SusanaMatos22
 
AULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptx
AULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptxAULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptx
AULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptx
DiegoFernandes857616
 
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdfTeoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
jhordana1
 
Principios do treinamento desportivo. Ed Física
Principios do treinamento desportivo. Ed FísicaPrincipios do treinamento desportivo. Ed Física
Principios do treinamento desportivo. Ed Física
AllanNovais4
 
doenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptx
doenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptxdoenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptx
doenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptx
ccursog
 
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
WilberthLincoln1
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
jhordana1
 

Último (11)

Historia de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagem
Historia de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagemHistoria de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagem
Historia de FLORENCE NIGHTINGALE na enfermagem
 
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptxBioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
 
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na Enfermagem
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na EnfermagemMICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na Enfermagem
MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA na Enfermagem
 
643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx
643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx
643727227-7233-Afetvidade-e-sexualidade-das-pessoas-com-deficie-ncia-mental.pptx
 
AULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptx
AULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptxAULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptx
AULA BANHO NO LEITO DE ENFERMAGEM...pptx
 
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdfTeoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
 
Principios do treinamento desportivo. Ed Física
Principios do treinamento desportivo. Ed FísicaPrincipios do treinamento desportivo. Ed Física
Principios do treinamento desportivo. Ed Física
 
doenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptx
doenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptxdoenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptx
doenças transmitidas pelas arboviroses ARBOVIROSES - GALGON.pptx
 
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
 

7º Fórum Oncoguia - 27/06/2017 - Pacoal Marracini

  • 1. FÓRUM NACIONAL ONCOGUIA 2017 27 E 28 DE JUNHO DE 2017
  • 2. DEMANDAS E PROPOSTAS APRIMORAMENTO DAS POLÍTICAS DE ATENÇÃO ONCOLÓGICA PORTARIA Nº 140, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 Redefine os critérios e parâmetros para organização, planejamento, monitoramento, controle e avaliação dos estabelecimentos de saúde habilitados na atenção especializada em oncologia e define as condições estruturais, de funcionamento e de recursos humanos para a habilitação destes estabelecimentos no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).
  • 3. Art. 4º Para ser habilitado como CACON, o estabelecimento de saúde deverá: I - atender os requisitos para atenção especializada em oncologia dispostos nos Capítulos II, III e IV desta Portaria e no Capítulo § 1º Inclui-se na prestação de atenção especializada em oncologia de que trata o inciso I deste artigo, consultas e exames para acompanhamento, diagnóstico diferencial e definitivo de câncer e tratamento por cirurgia, radioterapia, oncologia clínica e cuidados paliativos relativamente a todos os tipos de câncer, incluindo os hematológicos, não obrigatoriamente os da criança e adolescente.
  • 5. DEMANDAS E PROPOSTAS CONSULTAS E EXAMES DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL E DEFINITIVO TRATAMENTO POR CIRURGIA Procedimento Compatibilidades Tabelas Relatórios Ministério da Saúde SIGTAP - Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Download | Fale Conosco | Sair Usuário: publico Procedimento Procedimento: 02.03.02.003-0 - EXAME ANATOMO-PATOLÓGICO PARA CONGELAMENTO / PARAFINA POR PEÇA CIRURGICA OU POR BIOPSIA (EXCETO COLO UTERINO E MAMA) Grupo: 02 - Procedimentos com finalidade diagnóstica Sub-Grupo: 03 - Diagnóstico por anatomia patológica e citopatologia Forma de Organização: 02 - Exames anatomopatológicos Competência: 06/2017 Histórico de alterações Modalidade de Atendimento: Ambulatorial Hospitalar Hospital Dia Complexidade: Média Complexidade Financiamento: Média e Alta Complexidade (MAC) Sub-Tipo de Financiamento: Instrumento de Registro: BPA (Individualizado) AIH (Proc. Especial) Sexo: Ambos Média de Permanência: Tempo de Permanência: Quantidade Máxima: Idade Mínima: 0 meses Idade Máxima: 130 anos Pontos: Atributos Complementares: Valores Serviço Ambulatorial: R$ 24,00 Serviço Hospitalar: R$ 24,00 Total Ambulatorial: R$ 24,00 Serviço Profissional: R$ 0,00 Total Hospitalar: R$ 24,00 Descrição CID CBO Leito Serviço Classificação Habilitação Redes Origem Regra Condicionada Renases TUSS Descrição CONSISTE NO EXAME MACRO E MICROSCOPIO DE MATERIAL OBTIDO POR PUNCAO OU ASPIRAÇÃO OU POR BIOPSIA OU POR PROCEDIMENTO CIRURGICO PARA TRATAMENTO OU DIAGNOSTICO DEFINITIVO. NO CASO DE BIOPSIAS DO APARELHO DIGESTIVO COLHIDAS POR ENDOSCOPIA DEVEM SER COLETADOS FRAGMENTOS POR REGIÃO ANATÔMICA DO ÓRGÃO ANALISADO, ASSIM COMO DEVE CONSTAR DO LAUDO ESTAS REGIÕES. NOS CASOS DE BIÓPSIA DE PRÓSTATA DEVE CORRESPONDER A ANÁLISE DE FRAGMENTOS COLETADOS DE CADA SEXTANTE COM O MÍNIMO DE OITO. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.918, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2007
  • 6. DEMANDAS E PROPOSTAS CONSULTAS E EXAMES DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL E DEFINITIVO TRATAMENTO POR CIRURGIA Procedimento Compatibilidades Tabelas Relatórios Ministério da Saúde SIGTAP - Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Download | Fale Conosco | Sair Usuário: publico Procedimento Procedimento: 04.16.01.013-0 - PROSTATOVESICULECTOMIA RADICAL EM ONCOLOGIA Grupo: 04 - Procedimentos cirúrgicos Sub-Grupo: 16 - Cirurgia em oncologia Forma de Organização: 01 - Urologia Competência: 06/2017 Histórico de alterações Modalidade de Atendimento: Hospitalar Complexidade: Alta Complexidade Financiamento: Média e Alta Complexidade (MAC) Sub-Tipo de Financiamento: Instrumento de Registro: AIH (Proc. Principal) Sexo: Masculino Média de Permanência: 4 Tempo de Permanência: Quantidade Máxima: 1 Idade Mínima: 40 anos Idade Máxima: 130 anos Pontos: 300 Atributos Complementares: Inclui valor da anestesia Admite permanência à maior CNRAC Valores Serviço Ambulatorial: R$ 0,00 Serviço Hospitalar: R$ 3.466,31 Total Ambulatorial: R$ 0,00 Serviço Profissional: R$ 949,95 Total Hospitalar: R$ 4.416,26 Descrição CID CBO Leito Serviço Classificação Habilitação Redes Origem Regra Condicionada Renases TUSS Descrição Resseccao total da prostata, vesiculas seminais ou outras estruturas pelvicas por tumor maligno. Inclui a linfadenectomia pelvica. Admite procedimento sequencial. Ministério da Saúde, através da portaria GM nº 2947, de 21 de dezembro de 2012, atualizou os valores dos procedimentos cirúrgicos oncológicos do Sistema Único de Saúde (SUS)
  • 7. DEMANDAS E PROPOSTAS RADIOTERAPIA ONCOLOGIA CLÍNICA CUIDADOS PALIATIVOS Procedimento Compatibilidades Tabelas Relatórios Ministério da Saúde SIGTAP - Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Download | Fale Conosco | Sair Usuário: publico Procedimento Procedimento: 03.04.01.029-4 - RADIOTERAPIA COM ACELERADOR LINEAR DE FÓTONS E ELÉTRONS (POR CAMPO) Grupo: 03 - Procedimentos clínicos Sub-Grupo: 04 - Tratamento em oncologia Forma de Organização: 01 - Radioterapia Competência: 06/2017 Histórico de alterações Modalidade de Atendimento: Ambulatorial Complexidade: Alta Complexidade Financiamento: Média e Alta Complexidade (MAC) Sub-Tipo de Financiamento: Instrumento de Registro: APAC (Proc. Principal) Sexo: Ambos Média de Permanência: Tempo de Permanência: Quantidade Máxima: Idade Mínima: 0 meses Idade Máxima: 130 anos Pontos: Atributos Complementares: Exige CNS Admite APAC de Continuidade Exige registro na APAC de dados complementares Valores Serviço Ambulatorial: R$ 35,00 Serviço Hospitalar: R$ 0,00 Total Ambulatorial: R$ 35,00 Serviço Profissional: R$ 0,00 Total Hospitalar: R$ 0,00 Descrição CID CBO Leito Serviço Classificação Habilitação Redes Origem Regra Condicionada Renases TUSS Descrição RADIOTERAPIA EXTERNA DE MEGAVOLTAGEM (DE OU MAIS DE 06 MEV) PELO USO DE ACELERADOR LINEAR DE FÓTONS E ELÉTRONS.PROCEDIMENTO ÚNICO E EXCLUSIVO. PORTANTO EXCLUDENTE COM OS PROCEDIMENTOS 03.04.01009-0 - COBALTOTERAPIA,E 03.04.01.028-6 - RADIOTERAPIA COM ACELERADOR LINEAR SÓ DE FÓTONS (POR CAMPO) EM UMA MESMA COMPETÊNCIA DE UMA MESMA APAC. QUANTIDADE MAXIMA DE CAMPOS POR CID CONFORME TABELA UTILIZADA PARA CRITICA DE RADIOTERAPIA. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 420, DE 25 DE AGOSTO DE 2010
  • 8. DEMANDAS E PROPOSTAS RADIOTERAPIA ONCOLOGIA CLÍNICA CUIDADOS PALIATIVOS Procedimento Compatibilidades Tabelas Relatórios Ministério da Saúde SIGTAP - Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Download | Fale Conosco | Sair Usuário: publico Procedimento Procedimento: 03.04.02.040-0 - QUIMIOTERAPIA DE CARCINOMA UROTELIAL AVANÇADO Grupo: 03 - Procedimentos clínicos Sub-Grupo: 04 - Tratamento em oncologia Forma de Organização: 02 - Quimioterapia paliativa - adulto Competência: 06/2017 Histórico de alterações Modalidade de Atendimento: Ambulatorial Complexidade: Alta Complexidade Financiamento: Média e Alta Complexidade (MAC) Sub-Tipo de Financiamento: Instrumento de Registro: APAC (Proc. Principal) Sexo: Ambos Média de Permanência: Tempo de Permanência: Quantidade Máxima: 1 Idade Mínima: 19 anos Idade Máxima: 130 anos Pontos: Atributos Complementares: Exige CNS Admite APAC de Continuidade Exige registro na APAC de dados complementares Valores Serviço Ambulatorial: R$ 1.300,00 Serviço Hospitalar: R$ 0,00 Total Ambulatorial: R$ 1.300,00 Serviço Profissional: R$ 0,00 Total Hospitalar: R$ 0,00 Descrição CID CBO Leito Serviço Classificação Habilitação Redes Origem Regra Condicionada Renases TUSS Descrição QUIMIOTERAPIA PALIATIVA DO CARCINOMA DE PELVE RENAL, URETER, BEXIGA URINÁRIA E URETRA. DOENÇA LOCO-REGIONALMENTE AVANÇADA, METASTÁTICA OU RECIDIVADA Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 420, DE 25 DE AGOSTO DE 2010
  • 9. DEMANDAS E PROPOSTAS APRIMORAMENTO DAS POLÍTICAS DE ATENÇÃO ONCOLÓGICA 1) FORMA DE REMUNERAÇÃO PELA INTEGRALIDADE DO SERVIÇO 2) FORMA DE INCENTIVO A ALTA COMPLEXIDADE 3) GESTOR ESTADUAL – AVALIAÇÃO, CONTROLE, REGULAÇÃO DO SISTEMA DE ONCOLOGIA