SlideShare uma empresa Scribd logo
História
1o bimestre – Aula 05
Ensino Fundamental: Anos Finais
Choque entre dois mundos
● Colonização;
● Encontro entre portugueses
e povos indígenas.
● Compreender o impacto
cultural entre os povos
indígenas e os portugueses
na América Portuguesa;
● Analisar a visão dos
portugueses em relação aos
povos originários;
● Identificar os povos
originários.
1. O que significa "Choque entre dois mundos" quando falamos
sobre a história da América Portuguesa ?
2. Como essa expressão reflete o encontro entre europeus e povos
nativos da América?
3. Como você imagina que tenha sido o primeiro contato entre os
povos indígenas e os portugueses?
4. Quais foram as possíveis reações de ambas as partes?
Vamos iniciar a aula com um diálogo.
Respondam oralmente às questões abaixo:
• As cartas de Américo
Vespúcio e outros
exploradores lançaram
a América Portuguesa no
cenário europeu;
• Narrativas moldaram a
imagem do território e
seus habitantes, criando
expectativas e mitos;
Importante refletir.... sobre as fontes históricas...
• As cartas revelam uma mistura de
observações reais e
interpretações subjetivas;
• É preciso analisar criticamente
esses relatos, reconhecendo seus
vieses e limitações;
• Importante buscar diferentes
perspectivas para compreender a
complexa realidade do território
que viria a ser do Brasil.
Quando os portugueses chegaram nessas terras, que posteriormente
seriam chamadas de Brasil, encontraram povos com cultura, costumes,
organização social e línguas totalmente diferentes do que conheciam na
Europa, na África e no Oriente.
No entanto, o primeiro contato entre portugueses e indígenas não foi
pacífico. Os portugueses relataram conflitos com os indígenas
tupiniquins, que resistiram à presença dos europeus em suas terras. Há
registros de trocas de tiros e de conflitos violentos entre as duas culturas.
Chegada dos portugueses na América
Ao longo dos anos seguintes, os
portugueses estabeleceram um sistema
colonial no território conquistado, baseado
na exploração de recursos naturais.
A colonização portuguesa foi marcada
por conflitos com os povos originários
(povos indígenas), que foram desalojados
de suas terras e submetidos a um processo
de aculturação forçada.
https://www.youtube.com/watch?v=mvH4EjqGeFo
Aprofundamento – O OLHAR DOS ÍNDIOS│ História do Brasil
Cada um desses grupos possuía seus
rituais, crenças, mitos, línguas, formas de
trabalho e organização social.
Alguns estudiosos classificam que as línguas
mais faladas pelos povos originários
(povos indígenas) do Brasil podem ser
agrupadas em quatro troncos linguísticos:
• Tupi
• Macro-jê
• Aruaque
• Caraíba
• Praticavam a agricultura de subsistência, cultivando
mandioca, milho, inhame, abóbora, batata-doce,
entre outros alimentos. Coletavam frutos, caçavam e
pescavam.
• As expressões artísticas dos povos muitas vezes
utilizavam materiais encontrados na natureza, como
troncos de árvores, ossos, fibras vegetais, barro e
madeira. A partir desses materiais, criavam-se
diferentes objetos e artefatos que são importantes
para suas culturas e tradições.
Considerando o depoimento sobre
a produção da cerâmica indígena,
quais são os aspectos do processo
de fabricação que podem revelar
informações sobre a organização
social, tecnológica e econômica
das comunidades indígenas?
Observe e analise a fonte para
responder em seu caderno.
Caro(a) estudante,
Estamos prestes a iniciar uma análise coletiva de algumas
fontes históricas nos próximos slides. Importante destacar que Hans
Staden e André Thevet foram alguns dos autores que associaram texto
e imagens em seus relatos, os quais iremos analisar.
Assim, esteja preparado para mergulhar na investigação histórica de
forma crítica e reflexiva, contribuindo para uma compreensão mais
profunda dos fatos e contextos que moldaram o mundo ao longo do
tempo. Responda oralmente ao seu(sua) professor(a).
Vamos começar nossa jornada pela história!
O imaginário sobre o
indígena no Brasil tem
sido construído ao longo
de séculos de colonização
e dominação e, também,
reflete as visões e os
interesses de diferentes
grupos sociais ao longo
do tempo.
a) Que tipo de informações a imagem
pretendia transmitir ao público europeu
da época?
Ao se depararem com práticas culturais como a antropofagia, os europeus
qualificavam os povos nativos como bárbaros. Sobre isso, o franciscano
André Thevet destaca que os habitantes:
cujas terras vão do Cabo de Santo Agostinho às proximidades do Maranhão,
são os mais cruéis e desumanos de todos os povos americanos, não passando
de uma canalha habituada a comer carne humana do mesmo jeito que
comemos carne de carneiro, se não até mesmo com maior satisfação. (...) Não
há fera dos desertos d’África ou d’Arábia que aprecie tão ardentemente o
sangue humano quanto estes brutíssimos selvagens. Por isso não há nação que
consiga aproximar-se deles, seja cristã ou outra qualquer. (...) Os mais dignos
dentre eles não são merecedores de nenhuma confiança. Eis por que os
espanhóis e portugueses lhes fazem eventuais represálias, em memória das
quais só Deus sabe como devem ser tratados pelos selvagens quando estes os
prendem para devorá-los (Thevet, 1978:199).
b) O que está sendo
representado nesta imagem?
c) Qual a mensagem que o
autor estava transmitindo ao
escolher esses elementos?
a) Como podemos identificar os primeiros
sinais do impacto cultural entre os
portugueses e os povos indígenas
representados no Mapa do Brasil Colonial,
de 1557, de Giovanni Batista Ramusio?
b) Como as informações e representações
cartográficas presentes no mapa nos
ajudam a compreender as dinâmicas de
encontro e interação entre esses dois
grupos durante o período colonial?
Responda:
a) Resposta: Na imagem, os primeiros sinais do impacto cultural
entre os portugueses e os povos indígenas são evidenciados de
várias maneiras. Podemos observar indígenas trabalhando na
retirada de árvores, possivelmente em atividades de desbravamento
ou construção, enquanto os portugueses entregam algo para os
nativos, em uma cena de interação comercial ou diplomática. Além
disso, a presença de indígenas realizando ações cotidianas, como o
uso de arco e flechas, descansando em redes dentro de ocas e
mulheres com crianças, também reflete a dinâmica cultural e social
entre esses dois grupos. Esses elementos fornecem pistas
importantes sobre as relações de poder.
Correção
b) Resposta: Por meio da localização e distribuição geográfica,
fortificações e assentamentos, toponímia* e representações
visuais, o mapa permite uma compreensão mais abrangente das
relações econômicas, sociais e culturais entre os dois grupos.
Revela-se a interação entre portugueses e indígenas em atividades
cotidianas, trocas comerciais.
*Toponímia: Estudo dos nomes de lugares, incluindo sua origem,
significado e evolução ao longo do tempo.
Correção
● Hoje, na aula de História, aprendemos a
compreender o impacto cultural entre os povos
indígenas e os portugueses no Brasil, analisando
a visão dos portugueses em relação aos povos
originários e identificando os diferentes grupos
étnicos que habitavam a região.
BURKE, P. Testemunha ocular: O uso de imagens como evidência histórica. São Paulo: Editora Unesp, 2017.
CARVAJAL, G. de. Descobrimento do rio das Amazonas. São Paulo: Ed. Brasiliana, 1941.
COLOMBO, C., 1450-1506. Diários da descoberta da América: as quatro viagens e o testamento/Cristóvão Colombo.
Porto Alegre: L&PM, 2013.
LEMOV, D. Aula Nota 10 2.0: 62 técnicas para melhorar a gestão da sala de aula. Porto Alegre: Penso, 2018.
SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Currículo Paulista: Ensino Fundamental, 2019.
SÃO PAULO (Estado). Secretaria da Educação. Coordenadoria Pedagógica – COPED, 2023. Currículo em Ação.
THÉVET, A, (1558). As singularidades da França Antártica. São Paulo, Ed. Itatiaia e EDUSP, 1978.
Slide 7 – Kaingang, Guarani Nhandewa e Terena: resistência já! fortalecimento e união das culturas indígenas /
editores: Viviane Wermelinger Guimarães, Marília Xavier Cury, Carla Gibertoni Carneiro, Maurício André da Silva. São
Paulo: Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, 2018. Disponível em:
https://www.livrosabertos.sibi.usp.br/portaldelivrosUSP/catalog/view/203/184/862 Acesso 05 fev. 2024.
Cunha, M. C. da. (1990). Imagens de índios do Brasil: o século XVI . Estudos Avançados, 4(10), 91-110. Recuperado
de https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/8582
Lista de imagens e vídeos
Slide 12 – Imagem capa do História naturalis Brasiliae. 1648 Disponível em:
https://www.obrasraras.fiocruz.br/media.details.php?mediaID=35
Slide 14 –
https://digital.bbm.usp.br/handle/bbm/4833 e https://digital.bbm.usp.br/bitstream/bbm/4833/19/017371_IM
AGEM_038.jpg
Slide15 – Imagem: Mapa Giovanni Batista Ramusio Mapa do Brasil colonial,
1557. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me004372.pdf Acesso em: 8 fev.
2024.
Slide 6 –
Mapa Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Potiguaras#/media/Ficheiro:Presen%C3%A7a_ind%C3
%ADgena_na_costa,_s%C3%A9culo_XVI,_Brasil.jpg Acesso em: 8 fev. 2024.
Slide7 –
Mapa Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Potiguaras#/media/Ficheiro:Presen%C3%A7a_ind%C3
%ADgena_na_costa,_s%C3%A9culo_XVI,_Brasil.jpg Acesso em: 8 fev. 2024.
Lista de imagens e vídeos
Slides 8 e 9 – Kaingang, Guarani Nhandewa e Terena: Resistência já! Fortalecimento e união das culturas
indígenas / editores: Viviane Wermelinger Guimarães, Marília Xavier Cury, Carla Gibertoni Carneiro,
Maurício André da Silva. São Paulo: Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo,
2018. Disponível em: https://www.livrosabertos.sibi.usp.br/portaldelivrosUSP/catalog/view/203/184/862
Acesso em: 5 fev. 2024.
Slide 11 – Imagem: Desembarque de Pedro Álvares Cabral em Porto Seguro, 1500. Pintor Óscar Pereira
da Silva (1900) Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Oscar_Pereira_da_Silva_-
_Desembarque_de_Pedro_%C3%81lvares_Cabral_em_Porto_Seguro,_1500,_Acervo_do_Museu_Paulista
_da_USP.jpg Acesso em: 15 fev. 2023.
66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf

Palestra jorge eremites
Palestra jorge eremitesPalestra jorge eremites
Palestra jorge eremites
MarinaMarcos
 
Cultura na Colônia.ppt
Cultura na Colônia.pptCultura na Colônia.ppt
Cultura na Colônia.ppt
bernardoborges
 
Imagens dos índios do Brasil no século XVI - Trabalhando com documentos hist...
Imagens dos índios do Brasil no século XVI  - Trabalhando com documentos hist...Imagens dos índios do Brasil no século XVI  - Trabalhando com documentos hist...
Imagens dos índios do Brasil no século XVI - Trabalhando com documentos hist...
Acrópole - História & Educação
 
Matéria lecionada história fundamental. tudo
Matéria lecionada história fundamental. tudoMatéria lecionada história fundamental. tudo
Matéria lecionada história fundamental. tudo
Atividades Diversas Cláudia
 
Matéria lecionada história fundamental. tudo
Matéria lecionada história fundamental. tudoMatéria lecionada história fundamental. tudo
Matéria lecionada história fundamental. tudo
Atividades Diversas Cláudia
 
HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...
HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...
HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...
Fábio Fernandes
 
Sociodiversidade
SociodiversidadeSociodiversidade
7º a, b douglas-história
7º a, b douglas-história7º a, b douglas-história
7º a, b douglas-história
Fatima Moraes
 
Aspectos socio-históricos dos povos !kung (khoisan) de Angola
Aspectos socio-históricos dos povos !kung (khoisan) de AngolaAspectos socio-históricos dos povos !kung (khoisan) de Angola
Aspectos socio-históricos dos povos !kung (khoisan) de Angola
REVISTANJINGAESEPE
 
Monografia Cintia Pedagogia 2011
Monografia Cintia Pedagogia 2011Monografia Cintia Pedagogia 2011
Monografia Cintia Pedagogia 2011
Biblioteca Campus VII
 
sld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdfsld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdf
SammuelFabricio1
 
Cartilha: História missioneira de São Borja: métodos para o ensino do patrimô...
Cartilha: História missioneira de São Borja: métodos para o ensino do patrimô...Cartilha: História missioneira de São Borja: métodos para o ensino do patrimô...
Cartilha: História missioneira de São Borja: métodos para o ensino do patrimô...
Muriel Pinto
 
Os primeiros habitantes do Brasil.pptx
Os primeiros habitantes do Brasil.pptxOs primeiros habitantes do Brasil.pptx
Os primeiros habitantes do Brasil.pptx
ValdileiGonalvesSant2
 
HISTÓRIA E MEMÓRIA: UM RESGATE DA CULTURA INDÍGENA DO LITORAL PERNAMBUCANO NO...
HISTÓRIA E MEMÓRIA: UM RESGATE DA CULTURA INDÍGENA DO LITORAL PERNAMBUCANO NO...HISTÓRIA E MEMÓRIA: UM RESGATE DA CULTURA INDÍGENA DO LITORAL PERNAMBUCANO NO...
HISTÓRIA E MEMÓRIA: UM RESGATE DA CULTURA INDÍGENA DO LITORAL PERNAMBUCANO NO...
guest243097
 
Unidade 1 - Aula 2 - Cultura popular, folclore e cultura popular brasileira
Unidade 1 - Aula 2 - Cultura popular, folclore e cultura popular brasileiraUnidade 1 - Aula 2 - Cultura popular, folclore e cultura popular brasileira
Unidade 1 - Aula 2 - Cultura popular, folclore e cultura popular brasileira
Cleverson Sobrenome
 
Indios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do Brasil
Indios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do BrasilIndios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do Brasil
Indios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do Brasil
lilianeducatablet
 
povos indiginas Brasileiros, diversidade
povos indiginas Brasileiros, diversidadepovos indiginas Brasileiros, diversidade
povos indiginas Brasileiros, diversidade
alexasjsantos1
 
Planos de ensino historia 7 ano 2014
Planos de ensino historia 7 ano 2014Planos de ensino historia 7 ano 2014
Planos de ensino historia 7 ano 2014
Atividades Diversas Cláudia
 
Slide africa
Slide africaSlide africa
Slide africa
barbaramartinez2016
 
Trabalho Da Rita
Trabalho Da RitaTrabalho Da Rita
Trabalho Da Rita
richard_romancini
 

Semelhante a 66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf (20)

Palestra jorge eremites
Palestra jorge eremitesPalestra jorge eremites
Palestra jorge eremites
 
Cultura na Colônia.ppt
Cultura na Colônia.pptCultura na Colônia.ppt
Cultura na Colônia.ppt
 
Imagens dos índios do Brasil no século XVI - Trabalhando com documentos hist...
Imagens dos índios do Brasil no século XVI  - Trabalhando com documentos hist...Imagens dos índios do Brasil no século XVI  - Trabalhando com documentos hist...
Imagens dos índios do Brasil no século XVI - Trabalhando com documentos hist...
 
Matéria lecionada história fundamental. tudo
Matéria lecionada história fundamental. tudoMatéria lecionada história fundamental. tudo
Matéria lecionada história fundamental. tudo
 
Matéria lecionada história fundamental. tudo
Matéria lecionada história fundamental. tudoMatéria lecionada história fundamental. tudo
Matéria lecionada história fundamental. tudo
 
HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...
HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...
HISTÓRIA, POVOS INDÍGENAS E EDUCAÇÃO: (RE) CONHECENDO E DISCUTINDO A DIVERSID...
 
Sociodiversidade
SociodiversidadeSociodiversidade
Sociodiversidade
 
7º a, b douglas-história
7º a, b douglas-história7º a, b douglas-história
7º a, b douglas-história
 
Aspectos socio-históricos dos povos !kung (khoisan) de Angola
Aspectos socio-históricos dos povos !kung (khoisan) de AngolaAspectos socio-históricos dos povos !kung (khoisan) de Angola
Aspectos socio-históricos dos povos !kung (khoisan) de Angola
 
Monografia Cintia Pedagogia 2011
Monografia Cintia Pedagogia 2011Monografia Cintia Pedagogia 2011
Monografia Cintia Pedagogia 2011
 
sld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdfsld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdf
 
Cartilha: História missioneira de São Borja: métodos para o ensino do patrimô...
Cartilha: História missioneira de São Borja: métodos para o ensino do patrimô...Cartilha: História missioneira de São Borja: métodos para o ensino do patrimô...
Cartilha: História missioneira de São Borja: métodos para o ensino do patrimô...
 
Os primeiros habitantes do Brasil.pptx
Os primeiros habitantes do Brasil.pptxOs primeiros habitantes do Brasil.pptx
Os primeiros habitantes do Brasil.pptx
 
HISTÓRIA E MEMÓRIA: UM RESGATE DA CULTURA INDÍGENA DO LITORAL PERNAMBUCANO NO...
HISTÓRIA E MEMÓRIA: UM RESGATE DA CULTURA INDÍGENA DO LITORAL PERNAMBUCANO NO...HISTÓRIA E MEMÓRIA: UM RESGATE DA CULTURA INDÍGENA DO LITORAL PERNAMBUCANO NO...
HISTÓRIA E MEMÓRIA: UM RESGATE DA CULTURA INDÍGENA DO LITORAL PERNAMBUCANO NO...
 
Unidade 1 - Aula 2 - Cultura popular, folclore e cultura popular brasileira
Unidade 1 - Aula 2 - Cultura popular, folclore e cultura popular brasileiraUnidade 1 - Aula 2 - Cultura popular, folclore e cultura popular brasileira
Unidade 1 - Aula 2 - Cultura popular, folclore e cultura popular brasileira
 
Indios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do Brasil
Indios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do BrasilIndios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do Brasil
Indios Brasileiros Apresentação sobre povos indigenas do Brasil
 
povos indiginas Brasileiros, diversidade
povos indiginas Brasileiros, diversidadepovos indiginas Brasileiros, diversidade
povos indiginas Brasileiros, diversidade
 
Planos de ensino historia 7 ano 2014
Planos de ensino historia 7 ano 2014Planos de ensino historia 7 ano 2014
Planos de ensino historia 7 ano 2014
 
Slide africa
Slide africaSlide africa
Slide africa
 
Trabalho Da Rita
Trabalho Da RitaTrabalho Da Rita
Trabalho Da Rita
 

Mais de LEANDROSPANHOL1

grecia-6-anooooooooooooooooooooooooo.pdf
grecia-6-anooooooooooooooooooooooooo.pdfgrecia-6-anooooooooooooooooooooooooo.pdf
grecia-6-anooooooooooooooooooooooooo.pdf
LEANDROSPANHOL1
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
7144GGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG48.pptx
7144GGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG48.pptx7144GGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG48.pptx
7144GGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG48.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
8 ano correlllllllllllllllllllllção.pptx
8 ano correlllllllllllllllllllllção.pptx8 ano correlllllllllllllllllllllção.pptx
8 ano correlllllllllllllllllllllção.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
Incajbiiiiiibjbjbjbjbkjbjkkjbbjkjbkjkbs.pptx
Incajbiiiiiibjbjbjbjbkjbjkkjbbjkjbkjkbs.pptxIncajbiiiiiibjbjbjbjbkjbjkkjbbjkjbkjkbs.pptx
Incajbiiiiiibjbjbjbjbkjbjkkjbbjkjbkjkbs.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
7070ppppppppppppppppppppppppppppp10.pptx
7070ppppppppppppppppppppppppppppp10.pptx7070ppppppppppppppppppppppppppppp10.pptx
7070ppppppppppppppppppppppppppppp10.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
1401555555555555555555555555556 (2).pptx
1401555555555555555555555555556 (2).pptx1401555555555555555555555555556 (2).pptx
1401555555555555555555555555556 (2).pptx
LEANDROSPANHOL1
 
70nnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn6946.pptx
70nnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn6946.pptx70nnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn6946.pptx
70nnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn6946.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
67575555555555555555555555555555569.pptx
67575555555555555555555555555555569.pptx67575555555555555555555555555555569.pptx
67575555555555555555555555555555569.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
70mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7367.pptx
70mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7367.pptx70mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7367.pptx
70mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7367.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
88888888888888888888888888888663342.pptx
88888888888888888888888888888663342.pptx88888888888888888888888888888663342.pptx
88888888888888888888888888888663342.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
70920jjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjj2.pptx
70920jjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjj2.pptx70920jjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjj2.pptx
70920jjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjj2.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
66ssssssssssssssssssssssssssssss4434.pptx
66ssssssssssssssssssssssssssssss4434.pptx66ssssssssssssssssssssssssssssss4434.pptx
66ssssssssssssssssssssssssssssss4434.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
655444444444444444444444444444444265.pdf
655444444444444444444444444444444265.pdf655444444444444444444444444444444265.pdf
655444444444444444444444444444444265.pdf
LEANDROSPANHOL1
 
709255555555555555555555555555555501.pdf
709255555555555555555555555555555501.pdf709255555555555555555555555555555501.pdf
709255555555555555555555555555555501.pdf
LEANDROSPANHOL1
 
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
LEANDROSPANHOL1
 
752HHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH01.pptx
752HHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH01.pptx752HHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH01.pptx
752HHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH01.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
634066666666666666666666666666666666666666637.pdf
634066666666666666666666666666666666666666637.pdf634066666666666666666666666666666666666666637.pdf
634066666666666666666666666666666666666666637.pdf
LEANDROSPANHOL1
 
624583333333333333333333333333333330.pdf
624583333333333333333333333333333330.pdf624583333333333333333333333333333330.pdf
624583333333333333333333333333333330.pdf
LEANDROSPANHOL1
 
640ppppppppppppppppppppppppppppppp08.pdf
640ppppppppppppppppppppppppppppppp08.pdf640ppppppppppppppppppppppppppppppp08.pdf
640ppppppppppppppppppppppppppppppp08.pdf
LEANDROSPANHOL1
 

Mais de LEANDROSPANHOL1 (20)

grecia-6-anooooooooooooooooooooooooo.pdf
grecia-6-anooooooooooooooooooooooooo.pdfgrecia-6-anooooooooooooooooooooooooo.pdf
grecia-6-anooooooooooooooooooooooooo.pdf
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
7144GGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG48.pptx
7144GGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG48.pptx7144GGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG48.pptx
7144GGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG48.pptx
 
8 ano correlllllllllllllllllllllção.pptx
8 ano correlllllllllllllllllllllção.pptx8 ano correlllllllllllllllllllllção.pptx
8 ano correlllllllllllllllllllllção.pptx
 
Incajbiiiiiibjbjbjbjbkjbjkkjbbjkjbkjkbs.pptx
Incajbiiiiiibjbjbjbjbkjbjkkjbbjkjbkjkbs.pptxIncajbiiiiiibjbjbjbjbkjbjkkjbbjkjbkjkbs.pptx
Incajbiiiiiibjbjbjbjbkjbjkkjbbjkjbkjkbs.pptx
 
7070ppppppppppppppppppppppppppppp10.pptx
7070ppppppppppppppppppppppppppppp10.pptx7070ppppppppppppppppppppppppppppp10.pptx
7070ppppppppppppppppppppppppppppp10.pptx
 
1401555555555555555555555555556 (2).pptx
1401555555555555555555555555556 (2).pptx1401555555555555555555555555556 (2).pptx
1401555555555555555555555555556 (2).pptx
 
70nnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn6946.pptx
70nnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn6946.pptx70nnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn6946.pptx
70nnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn6946.pptx
 
67575555555555555555555555555555569.pptx
67575555555555555555555555555555569.pptx67575555555555555555555555555555569.pptx
67575555555555555555555555555555569.pptx
 
70mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7367.pptx
70mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7367.pptx70mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7367.pptx
70mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7367.pptx
 
88888888888888888888888888888663342.pptx
88888888888888888888888888888663342.pptx88888888888888888888888888888663342.pptx
88888888888888888888888888888663342.pptx
 
70920jjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjj2.pptx
70920jjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjj2.pptx70920jjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjj2.pptx
70920jjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjj2.pptx
 
66ssssssssssssssssssssssssssssss4434.pptx
66ssssssssssssssssssssssssssssss4434.pptx66ssssssssssssssssssssssssssssss4434.pptx
66ssssssssssssssssssssssssssssss4434.pptx
 
655444444444444444444444444444444265.pdf
655444444444444444444444444444444265.pdf655444444444444444444444444444444265.pdf
655444444444444444444444444444444265.pdf
 
709255555555555555555555555555555501.pdf
709255555555555555555555555555555501.pdf709255555555555555555555555555555501.pdf
709255555555555555555555555555555501.pdf
 
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
 
752HHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH01.pptx
752HHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH01.pptx752HHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH01.pptx
752HHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH01.pptx
 
634066666666666666666666666666666666666666637.pdf
634066666666666666666666666666666666666666637.pdf634066666666666666666666666666666666666666637.pdf
634066666666666666666666666666666666666666637.pdf
 
624583333333333333333333333333333330.pdf
624583333333333333333333333333333330.pdf624583333333333333333333333333333330.pdf
624583333333333333333333333333333330.pdf
 
640ppppppppppppppppppppppppppppppp08.pdf
640ppppppppppppppppppppppppppppppp08.pdf640ppppppppppppppppppppppppppppppp08.pdf
640ppppppppppppppppppppppppppppppp08.pdf
 

66hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh6649.pdf

  • 1. História 1o bimestre – Aula 05 Ensino Fundamental: Anos Finais Choque entre dois mundos
  • 2. ● Colonização; ● Encontro entre portugueses e povos indígenas. ● Compreender o impacto cultural entre os povos indígenas e os portugueses na América Portuguesa; ● Analisar a visão dos portugueses em relação aos povos originários; ● Identificar os povos originários.
  • 3. 1. O que significa "Choque entre dois mundos" quando falamos sobre a história da América Portuguesa ? 2. Como essa expressão reflete o encontro entre europeus e povos nativos da América? 3. Como você imagina que tenha sido o primeiro contato entre os povos indígenas e os portugueses? 4. Quais foram as possíveis reações de ambas as partes? Vamos iniciar a aula com um diálogo. Respondam oralmente às questões abaixo:
  • 4. • As cartas de Américo Vespúcio e outros exploradores lançaram a América Portuguesa no cenário europeu; • Narrativas moldaram a imagem do território e seus habitantes, criando expectativas e mitos; Importante refletir.... sobre as fontes históricas... • As cartas revelam uma mistura de observações reais e interpretações subjetivas; • É preciso analisar criticamente esses relatos, reconhecendo seus vieses e limitações; • Importante buscar diferentes perspectivas para compreender a complexa realidade do território que viria a ser do Brasil.
  • 5. Quando os portugueses chegaram nessas terras, que posteriormente seriam chamadas de Brasil, encontraram povos com cultura, costumes, organização social e línguas totalmente diferentes do que conheciam na Europa, na África e no Oriente. No entanto, o primeiro contato entre portugueses e indígenas não foi pacífico. Os portugueses relataram conflitos com os indígenas tupiniquins, que resistiram à presença dos europeus em suas terras. Há registros de trocas de tiros e de conflitos violentos entre as duas culturas. Chegada dos portugueses na América
  • 6. Ao longo dos anos seguintes, os portugueses estabeleceram um sistema colonial no território conquistado, baseado na exploração de recursos naturais. A colonização portuguesa foi marcada por conflitos com os povos originários (povos indígenas), que foram desalojados de suas terras e submetidos a um processo de aculturação forçada. https://www.youtube.com/watch?v=mvH4EjqGeFo Aprofundamento – O OLHAR DOS ÍNDIOS│ História do Brasil
  • 7. Cada um desses grupos possuía seus rituais, crenças, mitos, línguas, formas de trabalho e organização social. Alguns estudiosos classificam que as línguas mais faladas pelos povos originários (povos indígenas) do Brasil podem ser agrupadas em quatro troncos linguísticos: • Tupi • Macro-jê • Aruaque • Caraíba
  • 8. • Praticavam a agricultura de subsistência, cultivando mandioca, milho, inhame, abóbora, batata-doce, entre outros alimentos. Coletavam frutos, caçavam e pescavam. • As expressões artísticas dos povos muitas vezes utilizavam materiais encontrados na natureza, como troncos de árvores, ossos, fibras vegetais, barro e madeira. A partir desses materiais, criavam-se diferentes objetos e artefatos que são importantes para suas culturas e tradições.
  • 9. Considerando o depoimento sobre a produção da cerâmica indígena, quais são os aspectos do processo de fabricação que podem revelar informações sobre a organização social, tecnológica e econômica das comunidades indígenas? Observe e analise a fonte para responder em seu caderno.
  • 10. Caro(a) estudante, Estamos prestes a iniciar uma análise coletiva de algumas fontes históricas nos próximos slides. Importante destacar que Hans Staden e André Thevet foram alguns dos autores que associaram texto e imagens em seus relatos, os quais iremos analisar. Assim, esteja preparado para mergulhar na investigação histórica de forma crítica e reflexiva, contribuindo para uma compreensão mais profunda dos fatos e contextos que moldaram o mundo ao longo do tempo. Responda oralmente ao seu(sua) professor(a). Vamos começar nossa jornada pela história!
  • 11. O imaginário sobre o indígena no Brasil tem sido construído ao longo de séculos de colonização e dominação e, também, reflete as visões e os interesses de diferentes grupos sociais ao longo do tempo.
  • 12. a) Que tipo de informações a imagem pretendia transmitir ao público europeu da época?
  • 13. Ao se depararem com práticas culturais como a antropofagia, os europeus qualificavam os povos nativos como bárbaros. Sobre isso, o franciscano André Thevet destaca que os habitantes: cujas terras vão do Cabo de Santo Agostinho às proximidades do Maranhão, são os mais cruéis e desumanos de todos os povos americanos, não passando de uma canalha habituada a comer carne humana do mesmo jeito que comemos carne de carneiro, se não até mesmo com maior satisfação. (...) Não há fera dos desertos d’África ou d’Arábia que aprecie tão ardentemente o sangue humano quanto estes brutíssimos selvagens. Por isso não há nação que consiga aproximar-se deles, seja cristã ou outra qualquer. (...) Os mais dignos dentre eles não são merecedores de nenhuma confiança. Eis por que os espanhóis e portugueses lhes fazem eventuais represálias, em memória das quais só Deus sabe como devem ser tratados pelos selvagens quando estes os prendem para devorá-los (Thevet, 1978:199).
  • 14. b) O que está sendo representado nesta imagem? c) Qual a mensagem que o autor estava transmitindo ao escolher esses elementos?
  • 15. a) Como podemos identificar os primeiros sinais do impacto cultural entre os portugueses e os povos indígenas representados no Mapa do Brasil Colonial, de 1557, de Giovanni Batista Ramusio? b) Como as informações e representações cartográficas presentes no mapa nos ajudam a compreender as dinâmicas de encontro e interação entre esses dois grupos durante o período colonial? Responda:
  • 16. a) Resposta: Na imagem, os primeiros sinais do impacto cultural entre os portugueses e os povos indígenas são evidenciados de várias maneiras. Podemos observar indígenas trabalhando na retirada de árvores, possivelmente em atividades de desbravamento ou construção, enquanto os portugueses entregam algo para os nativos, em uma cena de interação comercial ou diplomática. Além disso, a presença de indígenas realizando ações cotidianas, como o uso de arco e flechas, descansando em redes dentro de ocas e mulheres com crianças, também reflete a dinâmica cultural e social entre esses dois grupos. Esses elementos fornecem pistas importantes sobre as relações de poder. Correção
  • 17. b) Resposta: Por meio da localização e distribuição geográfica, fortificações e assentamentos, toponímia* e representações visuais, o mapa permite uma compreensão mais abrangente das relações econômicas, sociais e culturais entre os dois grupos. Revela-se a interação entre portugueses e indígenas em atividades cotidianas, trocas comerciais. *Toponímia: Estudo dos nomes de lugares, incluindo sua origem, significado e evolução ao longo do tempo. Correção
  • 18. ● Hoje, na aula de História, aprendemos a compreender o impacto cultural entre os povos indígenas e os portugueses no Brasil, analisando a visão dos portugueses em relação aos povos originários e identificando os diferentes grupos étnicos que habitavam a região.
  • 19. BURKE, P. Testemunha ocular: O uso de imagens como evidência histórica. São Paulo: Editora Unesp, 2017. CARVAJAL, G. de. Descobrimento do rio das Amazonas. São Paulo: Ed. Brasiliana, 1941. COLOMBO, C., 1450-1506. Diários da descoberta da América: as quatro viagens e o testamento/Cristóvão Colombo. Porto Alegre: L&PM, 2013. LEMOV, D. Aula Nota 10 2.0: 62 técnicas para melhorar a gestão da sala de aula. Porto Alegre: Penso, 2018. SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Currículo Paulista: Ensino Fundamental, 2019. SÃO PAULO (Estado). Secretaria da Educação. Coordenadoria Pedagógica – COPED, 2023. Currículo em Ação. THÉVET, A, (1558). As singularidades da França Antártica. São Paulo, Ed. Itatiaia e EDUSP, 1978. Slide 7 – Kaingang, Guarani Nhandewa e Terena: resistência já! fortalecimento e união das culturas indígenas / editores: Viviane Wermelinger Guimarães, Marília Xavier Cury, Carla Gibertoni Carneiro, Maurício André da Silva. São Paulo: Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, 2018. Disponível em: https://www.livrosabertos.sibi.usp.br/portaldelivrosUSP/catalog/view/203/184/862 Acesso 05 fev. 2024. Cunha, M. C. da. (1990). Imagens de índios do Brasil: o século XVI . Estudos Avançados, 4(10), 91-110. Recuperado de https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/8582
  • 20. Lista de imagens e vídeos Slide 12 – Imagem capa do História naturalis Brasiliae. 1648 Disponível em: https://www.obrasraras.fiocruz.br/media.details.php?mediaID=35 Slide 14 – https://digital.bbm.usp.br/handle/bbm/4833 e https://digital.bbm.usp.br/bitstream/bbm/4833/19/017371_IM AGEM_038.jpg Slide15 – Imagem: Mapa Giovanni Batista Ramusio Mapa do Brasil colonial, 1557. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me004372.pdf Acesso em: 8 fev. 2024. Slide 6 – Mapa Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Potiguaras#/media/Ficheiro:Presen%C3%A7a_ind%C3 %ADgena_na_costa,_s%C3%A9culo_XVI,_Brasil.jpg Acesso em: 8 fev. 2024. Slide7 – Mapa Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Potiguaras#/media/Ficheiro:Presen%C3%A7a_ind%C3 %ADgena_na_costa,_s%C3%A9culo_XVI,_Brasil.jpg Acesso em: 8 fev. 2024.
  • 21. Lista de imagens e vídeos Slides 8 e 9 – Kaingang, Guarani Nhandewa e Terena: Resistência já! Fortalecimento e união das culturas indígenas / editores: Viviane Wermelinger Guimarães, Marília Xavier Cury, Carla Gibertoni Carneiro, Maurício André da Silva. São Paulo: Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, 2018. Disponível em: https://www.livrosabertos.sibi.usp.br/portaldelivrosUSP/catalog/view/203/184/862 Acesso em: 5 fev. 2024. Slide 11 – Imagem: Desembarque de Pedro Álvares Cabral em Porto Seguro, 1500. Pintor Óscar Pereira da Silva (1900) Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Oscar_Pereira_da_Silva_- _Desembarque_de_Pedro_%C3%81lvares_Cabral_em_Porto_Seguro,_1500,_Acervo_do_Museu_Paulista _da_USP.jpg Acesso em: 15 fev. 2023.