SlideShare uma empresa Scribd logo
Gestão de processos na Certificação
de Entidades Beneficentes de
Assistência Social
BPM Day Brasília
Assistência Social
Principais marcos legais da Assistência Social:
Sistema
de
Proteção
Social
Previdência
Saúde
Assistência
Social
Política universal e não-contributiva, cujo objetivo é garantir a proteção social aos cidadãos, ou seja, apoio a
indivíduos, famílias e à comunidade no enfrentamento de suas dificuldades, por meio de serviços, benefícios,
programas e projetos.
 Constituição Federal 1988
 Lei Orgânica da Assistência Social 1993
 Política Nacional de Assistência Social
2004
 Norma Operacional Básica/SUAS 2012
O que é CEBAS?
Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social
 Instrumento federal para entidades sem fins lucrativos que atuam com preponderância
ou exclusividade nas áreas de saúde, educação ou assistência social.
 O que representa para as entidades?
 Reconhecimento na rede socioassistencial e sustentabilidade financeira
 Isenção das contribuições sociais (cota patronal, SAT/RAT, terceiros, PIS, COFINS)
 Priorização na celebração de parcerias com o poder público
 Outros benefícios locais (tarifa social de luz, água, etc.)
Quem são as entidades no
CEBAS?
• São 6.840 entidades, sendo que 5.622 usufruem dos efeitos da certificação na data de referência.
aguardando decisão: concessões, originárias ou não, à espera de decisão.
válidas: entidades que tem processo de renovação aguardando decisão de mérito.
vigentes: certificações dentro de seu período de validade.
1.218 1.437
4.185
5.622
-700
300
1.300
2.300
3.300
4.300
5.300
6.300
entidades sem CEBAS entidades com CEBAS
Situação CEBAS MDS (30/09/2015)
aguardando decisão válida vigente
As entidades pelo Brasil (CEBAS)
Entidades por UF e região (CEBAS)
UF Entidades % por UF
SP 2.755 32,3%
MG 1.587 18,6%
PR 905 10,6%
RS 588 6,9%
RJ 520 6,1%
SC 397 4,7%
GO 224 2,6%
BA 201 2,4%
CE 189 2,2%
MA 172 2,0%
ES 146 1,7%
PE 145 1,7%
DF 139 1,6%
MS 127 1,5%
MT 85 1,0%
PA 62 0,7%
RN 45 0,5%
PB 44 0,5%
SE 38 0,4%
AL 32 0,4%
RO 32 0,4%
AM 31 0,4%
TO 27 0,3%
PI 26 0,3%
AC 8 0,1%
AP 5 0,1%
RR 2 0,0%
Total 8.532 100,0%
N CO NE SUL SE
Entidades 167 575 892 1.890 5.008
% Entidades por região 2,0% 6,7% 10,5% 22,2% 58,7%
% pop. brasileira 8,5% 7,5% 27,7% 14,3% 42,0%
Distribuição regional das entidades
• Maior distanciamento entre o número de
entidades nas regiões N e NE em
comparação ao percentual de população na
região.
As entidades pelo Brasil (CEBAS)
pequeno I
pequeno
II
médio grande metrópole
Entidades 1.535 1.488 998 2.019 2.492
% Entidades por
região
18,0% 17,4% 11,7% 23,7% 29,2%
% pop. brasileira 16,7% 16,4% 11,6% 25,9% 29,3%
Distribuição das entidades por porte de
município
# Município Entidades %
1 SAO PAULO/SP 510 6,0%
2 RIO DE JANEIRO/RJ 276 3,2%
3 BELO HORIZONTE/MG 182 2,1%
4 BRASILIA/DF 139 1,6%
5 CURITIBA/PR 134 1,6%
6 SAO LUIS/MA 129 1,5%
7 CAMPINAS/SP 105 1,2%
8 PORTO ALEGRE/RS 102 1,2%
9 FORTALEZA/CE 85 1,0%
10 SALVADOR/BA 72 0,8%
11 BRASILIA DE MINAS/MG 66 0,8%
12 RECIFE/PE 65 0,8%
13 GOIANIA/GO 63 0,7%
14 RIBEIRAO PRETO/SP 50 0,6%
15 UBERLANDIA/MG 44 0,5%
16 FLORIANOPOLIS/SC 41 0,5%
17 LONDRINA/PR 40 0,5%
18 SAO JOSE DOS CAMPOS/SP 40 0,5%
19 CAMPO GRANDE/MS 40 0,5%
20 FRANCA/SP 40 0,5%
• Os 20 municípios com mais entidades concentram
26,1% do universo de entidades da certificação.
7,2% 10,5%
16,8%
29,4%17,5%
14,9%
1,9%
1,8%
a. Até R$ 50 mil
b. De R$ 50 a 100 mil
c. De R$ 100 a 200
mil
d. De R$ 200 a 500
mil
e. De R$ 500 mil a 1
milhão
f. De R$ 1 a 5
milhões
g. De R$ 5 a 10
milhões
h. Acima de R$ 10
milhões
Entidades por receita anual
0,1%
2,8%
4,5%
8,7%
8,9%
18,1%
56,8%
Internacional Pública (países estrangeiros, ONU)
Internacional Privada (entidades e O.I.s)
Privada (doações eventuais)
Própria (prestação de serviços)
Privada (doações e parcerias)
Própria (mensalidades/doações dos membros)
Pública (subvenções, convênios e parcerias)
Principal fonte de financiamento
• 63,9% das entidades na base da certificação
possuem receita anual de até R$ 500 mil.
• 81,4% não ultrapassam de R$ 1 milhão.
• Em relação à origem dos recursos, as fontes
públicas predominam com 56,8% enquanto
as fontes próprias e privadas predominam
como principal fonte em 40,3% das
entidades.
A transformação da
certificação
Justificativa do projeto
Razões de escolha da Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social (CEBAS)
• Gestão por processos numa organização funcional: mudança de paradigma
• Existência de elevado passivo na área
• Escopo restrito com definição clara dos atores envolvidos
• Patrocínio da liderança
Adesão a Ata de Registro de Preços MPOG)
SETEMBRO/14 OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO JANEIRO
Cronograma do projeto
Planejamento
S1 Entendimento da
Situação Atual
S2 Análise de
Alinhamento
S3 Análise de
Melhorias
S6 Plano de
Implantação
S5 Desenho da Situação
Futura
S4 Análise de
Quantidade de Recursos
De jan/2015 a ago/2015 ocorre o período de monitoramento mensal e calibração das melhorias.
Objetivo do Trabalho
A partir da visão de futuro construída junto ao Secretário Executivo do MDS, definimos os objetivos e norte do
trabalho
Objetivo Central:
Cumprir o tempo de
decisão previsto por lei
(6 meses)
Objetivo para o Legado:
Reduzir o tamanho do
Passivo
Objetivo para o Futuro:
Reduzir a quantidade de
Diligências
Norte do Projeto
Aumentar a agilidade,
transparência
e segurança do processo
3. A arrecadação da cota patronal é o
grande risco do CEBAS
4. A política pública é o grande norte
do CEBAS
2. Não depender de
mudanças na legislação
1. Não depender do aumento
do quantitativo de pessoas
Premissas das Soluções
Para a construção das soluções, utilizamos algumas diretrizes como premissas, para que o trabalho realizado
fosse efetivo e as soluções fossem implantadas com maior facilidade
Esforço Realizado
Durante os dois meses iniciais do trabalho, a equipe realizou diversas reuniões com diferentes
atores do processo afim de entender a realidade interna e externa do problema
- Entrevista qualitativa com 9 Entidades
- Reunião do CNAS
- 3 Reuniões com MS
- Reunião com o MEC
- Reunião com um Órgão Gestor e CMAS
- 300+ horas de reunião com a Equipe da DRSP
- Grupos de Trabalho para o desenho das soluções
- Pesquisa quantitativa com Entidades com e sem CEBAS
Estado Número de Entidades %
Acre 14 0%
Alagoas 18 1%
Amapá 7 0%
Amazonas 27 1%
Bahia 116 4%
Ceará 85 3%
Distrito Federal 50 2%
Goiás 91 3%
Espírito Santo 90 3%
Maranhão 35 1%
Mato Grosso 36 1%
Mato Grosso do Sul 80 3%
Minas Gerais 512 18%
Pará 41 1%
Paraíba 37 1%
Paraná 350 12%
Pernambuco 92 3%
Piauí 28 1%
Rio de Janeiro 175 6%
Rio Grande do Norte 36 1%
Rio Grande do Sul 214 7%
Rondônia 23 1%
Roraima 8 0%
São Paulo 1.080 37%
Santa Catarina 148 5%
Sergipe 29 1%
Tocantins 27 1%
A entidade opera a nível Nacional ou
Internacional
63 2%
Representatividade da pesquisa
Seguindo o mesmo ritmo de decisão de maio a outubro/14, nunca seria possível reduzir o passivo, já que a
quantidade de solicitações era superior ao número de decisões.
Diagnóstico do Passivo
838
308
827
327
190
105
167
72
118
497
595
solicitação autuados análise apreciação
Gargalos do Passivo 2014 (mai-out)
Renovação Concessão Outros Passivo
1.028 531 994 399
-497 +463 -595
Tempo para
zerar
o passivo: ∞
Do início do trabalho até o momento, já houve redução do tempo de decisão no MDS. De 10 para 4,3 meses sem o
passivo, e de 47 para 28 com o passivo.
Solicitar Certificação Realizar Triagem Analisar Solicitações
Solicitação
Recebida
Solicitação
vira
Processo
Processo
entra
na Análise
Retorno
de
Diligência
Término
da Análise
Apreciação
e
Decisão
3 meses 37 meses
Expedição
de
Diligência
TEMPO MÉDIO
ATUAL PARA DECISÃO
mesesmeses
sem passivo com passivo
23,7 meses
10 4728,054,36
3 meses1,4 meses
Tempo de decisão
Processo de Análise As Is
Havia duplicidade de atividades entre pré-análise e análise. Além disso, o ciclo de apreciação e decisão era
longo e se repetia na Coordenação, Departamento e Secretaria. Por último, o tratamento de denúncias era
desconexo com os demais processos
AnálisePré-Análise
Checklist
Documental
Análise Parecer
Apreciação e
Decisão
Tratar denúncias
Processo de Análise To Be
Eliminação de atividades sobrepostas e uso de bases de dados relacionadas às entidades de assistência social
para a apreciação e decisão, além da definição de parâmetros de supervisão.
Requisitos
Legais
Checklist
Documental
Análise de Atividade Parecer
Apreciação e
Decisão
Análise
Classificação
do Risco
Supervisão
Recurso
SISC
CENSO
SUAS
Instrução de
processos
Comunicação externa
(entidades, outros
órgãos federais)
Controle de processos
e documentos
Monitoramento da
certificação
Apreciação (alto risco)
e Decisão
Resumos das Melhorias
A partir do diagnóstico e redesenho, estas melhorias foram implementadas com êxito e estão
agrupadas entre incrementais e disruptivas.
Solicitar
Certificação
Realizar
Triagem
Analisar
Solicitações
Analisar
Recursos
Tratar
Denúncias
ã
Melhorias
Incrementais
Melhorias
Disruptivas
Criação da Cartilha
CEBAS e ativação de
canais de
comunicação
Simplificação do Modelo de
Parecer e Ofício de Diligência
Utilização de Painel de Gestão à Vista
Criação de Ritos de gestão da equipe
Instauração do Processo de
Supervisão
Apreciação
fundamentada em
cruzamento de dados
Criação do e-mail
diligência CEBAS
Revisão do Processo de
Análise de Recursos
Grupos de trabalho
Ritos de
gestão
Análise de
perfil de risco
Supervisão
Comunicação
Painel de
gestão à vista
Diligências
• Participação de toda a equipe (melhoria do clima organizacional).
• Soluções propostas internamente (empoderamento).
Cartilha e canais de comunicação
• Revisão da linguagem utilizada nas comunicações (site,
e-mails de diligências).
• Perguntas e respostas que orientam o pedido de
certificação, identificadas a partir das dúvidas mais
frequentes e com modelos dos documentos
obrigatórios
• Ativação de notícias no site do MDS e publicações nas
redes sociais.
Simplificação de modelos
• Redesenho dos modelos de pareceres, despachos e ofícios.
• Contribuição para melhor gestão das atividades, evitando
sobreposição de tarefas.
Painel de gestão e cruzamentos de dados
• Definição de indicadores para o processo.
• Controle de fluxos.
• Referência em outros bancos de dados da Secretaria Nacional de Assistência Social.
Resultados em 2015
• Evidencia a entrada de requerimentos e as publicações ocorridas anualmente desde 2009.
2.327 2.490
1.291 1.186 751 1.343
1.008
1 123
1.535
162
1.225
4.263
2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 (acum.)
Histórico de requerimentos e publicações CEBAS MDS
REQUERIMENTOS ARQUIVAMENTOS PUBLICAÇÕES
• Arquivados: motivados por perda de objeto ou a pedido da entidade.
• Encaminhados: processos enviados ao MEC ou MS para julgamento de mérito ou a pedido da entidade.
• Publicações: decisões publicadas no D.O.U., incluindo recursos SNAS.
* Em fevereiro e agosto, as publicações ocorreram no mês posterior das análises por restrições de agenda interna.
** Para primeira análise estão sendo distribuídos os processos protocolados em jun/jul de 2015.
jan/15 fev/15 * mar/15 abr/15 mai/15 jun/15 jul/15 ago/15 * set/15
decisões 692 51 667 977 679 869 759 209 851
arquivados 194 0 133 133 56 58 9 19
encaminhados 55 46 14 29 142 221 147 209 5
publicações 443 5 520 815 481 590 603 827
692
51
667
977
679
869
759
209
851
0
200
400
600
800
1.000
1.200
Processos decididos CEBAS MDS
Movimentação de processos
• No último ano, o redesenho permitiu ampliar a movimentação de processos, quase triplicando o volume de
processos analisados.
• Com isso, o número de processos nunca distribuídos foi reduzido e restringe-se a 43 processos. Abaixo o
desdobramento do passivo nas fases.
367
1.401
164
811
374
49 423
146
200
1.063
2.884
0 500 1.000 1.500 2.000 2.500 3.000
30/jun/2014
30/jun/2015
Análise técnica Suspensos Apreciação Aprovação Recursos
43 1.170 120 479 61 185 65 71 15
AGUARDANDO ANÁLISE ANÁLISE TÉCNICA SUSPENSO POR MANIFESTAÇÃO
SUSPENSO POR DILIGÊNCIA APRECIAÇÃO APROVAÇÃO
AGUARDANDO PRAZO RECURSAL RECURSOS SNAS RECURSOS GM
Projeção de fim do passivo CEBAS MDS
• Com uma média de 140 novos protocolos e de 639 decisões por mês, a expectativa é de
encerrar o passivo até dezembro deste ano.
140 140 140 140
2.169
1.530
891
252
639
2.309
1.670
1.031
392
set/15 out/15 nov/15 dez/15
novos requerimentos passivo (saldo últ. dia do mês) média de decisões/mês em 2015
Onde estão as entidades na SNAS?
CNEAS: 17.998
CEBAS: 8.560
SISC: 1.907
CENSO: 4.855
TOTAL: 21.462
entidades
CNEAS: Cadastro Nacional de Entidades de Assistência Social.
CENSO SUAS 2014: recenseamento dos equipamentos privados de acolhimento e de convivência e fortalecimento de
vínculos.
CEBAS: Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social.
SISC: Sistema de Informações do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos.
Próximos passos
Automação do processo de
certificação (SCNEAS)
Supervisão ativa das entidades
certificadas
Integração entre CEBAS e CNEAS
Difusão da experiência dentro
e fora do MDS
Escritório de gestão
Obrigado.
DOUGLAS G. CARNEIRO
douglas.carneiro@mds.gov.br
JAMES T. DA SILVA
james.silva@mds.gov.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reestruturação organizacional do Cebraspe
Reestruturação organizacional do CebraspeReestruturação organizacional do Cebraspe
Reestruturação organizacional do Cebraspe
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Ministério da Defesa - Sistema eletrônico de informações sob a perspectiva da...
Ministério da Defesa - Sistema eletrônico de informações sob a perspectiva da...Ministério da Defesa - Sistema eletrônico de informações sob a perspectiva da...
Ministério da Defesa - Sistema eletrônico de informações sob a perspectiva da...
EloGroup
 
Prefeitura de Santos – Prefeitura Digital
Prefeitura de Santos – Prefeitura DigitalPrefeitura de Santos – Prefeitura Digital
Prefeitura de Santos – Prefeitura Digital
EloGroup
 
Resultados organizacionais, avaliação de serviços e sistema de gestão - Uma p...
Resultados organizacionais, avaliação de serviços e sistema de gestão - Uma p...Resultados organizacionais, avaliação de serviços e sistema de gestão - Uma p...
Resultados organizacionais, avaliação de serviços e sistema de gestão - Uma p...
comunidades@ina
 
CAPACITAÇÃO DE MULTIPLICADORES EM GESTÃO DE PROCESSOS NA SES/DF: Estratégia p...
CAPACITAÇÃO DE MULTIPLICADORES EM GESTÃO DE PROCESSOS NA SES/DF: Estratégia p...CAPACITAÇÃO DE MULTIPLICADORES EM GESTÃO DE PROCESSOS NA SES/DF: Estratégia p...
CAPACITAÇÃO DE MULTIPLICADORES EM GESTÃO DE PROCESSOS NA SES/DF: Estratégia p...
EloGroup
 
MP - Transformando Organizações Públicas:O impacto da governança na melhoria ...
MP - Transformando Organizações Públicas:O impacto da governança na melhoria ...MP - Transformando Organizações Públicas:O impacto da governança na melhoria ...
MP - Transformando Organizações Públicas:O impacto da governança na melhoria ...
EloGroup
 
TCE/PE - Governança de processos para melhoria da gestão pública a experiênci...
TCE/PE - Governança de processos para melhoria da gestão pública a experiênci...TCE/PE - Governança de processos para melhoria da gestão pública a experiênci...
TCE/PE - Governança de processos para melhoria da gestão pública a experiênci...
EloGroup
 
[BPM DAY DF 2012] DATAPREV – Indicadores: Ferramenta Essencial da Gestão
[BPM DAY DF 2012] DATAPREV – Indicadores: Ferramenta Essencial da Gestão [BPM DAY DF 2012] DATAPREV – Indicadores: Ferramenta Essencial da Gestão
[BPM DAY DF 2012] DATAPREV – Indicadores: Ferramenta Essencial da Gestão
EloGroup
 
[BPM Global Trends 2014] Vanice Ferreira (Governo de MG) – Núcleo de Gestão I...
[BPM Global Trends 2014] Vanice Ferreira (Governo de MG) – Núcleo de Gestão I...[BPM Global Trends 2014] Vanice Ferreira (Governo de MG) – Núcleo de Gestão I...
[BPM Global Trends 2014] Vanice Ferreira (Governo de MG) – Núcleo de Gestão I...
EloGroup
 
UNIRIO - A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UN...
UNIRIO - A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UN...UNIRIO - A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UN...
UNIRIO - A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UN...
EloGroup
 
Gestao projetos luis_marques_24_ec_finalizado_ead
Gestao projetos luis_marques_24_ec_finalizado_eadGestao projetos luis_marques_24_ec_finalizado_ead
Gestao projetos luis_marques_24_ec_finalizado_ead
Suemi Iarussi
 
Edital 55
Edital 55Edital 55
O cartório dos novos tempos padronizações de procedimentos e qualidade total
O cartório dos novos tempos   padronizações de procedimentos e qualidade totalO cartório dos novos tempos   padronizações de procedimentos e qualidade total
O cartório dos novos tempos padronizações de procedimentos e qualidade total
IRIB
 

Mais procurados (13)

Reestruturação organizacional do Cebraspe
Reestruturação organizacional do CebraspeReestruturação organizacional do Cebraspe
Reestruturação organizacional do Cebraspe
 
Ministério da Defesa - Sistema eletrônico de informações sob a perspectiva da...
Ministério da Defesa - Sistema eletrônico de informações sob a perspectiva da...Ministério da Defesa - Sistema eletrônico de informações sob a perspectiva da...
Ministério da Defesa - Sistema eletrônico de informações sob a perspectiva da...
 
Prefeitura de Santos – Prefeitura Digital
Prefeitura de Santos – Prefeitura DigitalPrefeitura de Santos – Prefeitura Digital
Prefeitura de Santos – Prefeitura Digital
 
Resultados organizacionais, avaliação de serviços e sistema de gestão - Uma p...
Resultados organizacionais, avaliação de serviços e sistema de gestão - Uma p...Resultados organizacionais, avaliação de serviços e sistema de gestão - Uma p...
Resultados organizacionais, avaliação de serviços e sistema de gestão - Uma p...
 
CAPACITAÇÃO DE MULTIPLICADORES EM GESTÃO DE PROCESSOS NA SES/DF: Estratégia p...
CAPACITAÇÃO DE MULTIPLICADORES EM GESTÃO DE PROCESSOS NA SES/DF: Estratégia p...CAPACITAÇÃO DE MULTIPLICADORES EM GESTÃO DE PROCESSOS NA SES/DF: Estratégia p...
CAPACITAÇÃO DE MULTIPLICADORES EM GESTÃO DE PROCESSOS NA SES/DF: Estratégia p...
 
MP - Transformando Organizações Públicas:O impacto da governança na melhoria ...
MP - Transformando Organizações Públicas:O impacto da governança na melhoria ...MP - Transformando Organizações Públicas:O impacto da governança na melhoria ...
MP - Transformando Organizações Públicas:O impacto da governança na melhoria ...
 
TCE/PE - Governança de processos para melhoria da gestão pública a experiênci...
TCE/PE - Governança de processos para melhoria da gestão pública a experiênci...TCE/PE - Governança de processos para melhoria da gestão pública a experiênci...
TCE/PE - Governança de processos para melhoria da gestão pública a experiênci...
 
[BPM DAY DF 2012] DATAPREV – Indicadores: Ferramenta Essencial da Gestão
[BPM DAY DF 2012] DATAPREV – Indicadores: Ferramenta Essencial da Gestão [BPM DAY DF 2012] DATAPREV – Indicadores: Ferramenta Essencial da Gestão
[BPM DAY DF 2012] DATAPREV – Indicadores: Ferramenta Essencial da Gestão
 
[BPM Global Trends 2014] Vanice Ferreira (Governo de MG) – Núcleo de Gestão I...
[BPM Global Trends 2014] Vanice Ferreira (Governo de MG) – Núcleo de Gestão I...[BPM Global Trends 2014] Vanice Ferreira (Governo de MG) – Núcleo de Gestão I...
[BPM Global Trends 2014] Vanice Ferreira (Governo de MG) – Núcleo de Gestão I...
 
UNIRIO - A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UN...
UNIRIO - A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UN...UNIRIO - A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UN...
UNIRIO - A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UN...
 
Gestao projetos luis_marques_24_ec_finalizado_ead
Gestao projetos luis_marques_24_ec_finalizado_eadGestao projetos luis_marques_24_ec_finalizado_ead
Gestao projetos luis_marques_24_ec_finalizado_ead
 
Edital 55
Edital 55Edital 55
Edital 55
 
O cartório dos novos tempos padronizações de procedimentos e qualidade total
O cartório dos novos tempos   padronizações de procedimentos e qualidade totalO cartório dos novos tempos   padronizações de procedimentos e qualidade total
O cartório dos novos tempos padronizações de procedimentos e qualidade total
 

Destaque

Catálogo de serviços das unidades de gestão e mercado da CNI
Catálogo de serviços das unidades de gestão e mercado da CNICatálogo de serviços das unidades de gestão e mercado da CNI
Catálogo de serviços das unidades de gestão e mercado da CNI
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
A implantação do SEI (Sistema Eletrônico de Informações) sob a perspectiva de...
A implantação do SEI (Sistema Eletrônico de Informações) sob a perspectiva de...A implantação do SEI (Sistema Eletrônico de Informações) sob a perspectiva de...
A implantação do SEI (Sistema Eletrônico de Informações) sob a perspectiva de...
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
O desenvolvimento da central eletrônica de serviço no Senado
O desenvolvimento da central eletrônica de serviço no SenadoO desenvolvimento da central eletrônica de serviço no Senado
O desenvolvimento da central eletrônica de serviço no Senado
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Redesenho dos serviços do Programa Negócio a Negócio do SEBRAE/RS
Redesenho dos serviços do Programa Negócio a Negócio do SEBRAE/RSRedesenho dos serviços do Programa Negócio a Negócio do SEBRAE/RS
Redesenho dos serviços do Programa Negócio a Negócio do SEBRAE/RS
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Portal de serviços públicos do Governo Federal
Portal de serviços públicos do Governo FederalPortal de serviços públicos do Governo Federal
Portal de serviços públicos do Governo Federal
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Governança de processos para melhoria da Gestão Pública a experiência do TCE/PE
Governança de processos para melhoria da Gestão Pública a experiência do TCE/PEGovernança de processos para melhoria da Gestão Pública a experiência do TCE/PE
Governança de processos para melhoria da Gestão Pública a experiência do TCE/PE
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Avaliação da qualidade do gasto público e mensuração da eficiência
Avaliação da qualidade do gasto público e mensuração da eficiênciaAvaliação da qualidade do gasto público e mensuração da eficiência
Avaliação da qualidade do gasto público e mensuração da eficiência
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Gestão de processos integrando as diferentes dimensões da Dataprev
Gestão de processos integrando as diferentes dimensões da DataprevGestão de processos integrando as diferentes dimensões da Dataprev
Gestão de processos integrando as diferentes dimensões da Dataprev
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Alinhamento estratégico e resultados desafios do Ministério da Justiça
Alinhamento estratégico e resultados desafios do Ministério da JustiçaAlinhamento estratégico e resultados desafios do Ministério da Justiça
Alinhamento estratégico e resultados desafios do Ministério da Justiça
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UNIRIO
A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UNIRIOA melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UNIRIO
A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UNIRIO
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Santos – Prefeitura digital
Santos – Prefeitura digitalSantos – Prefeitura digital
Santos – Prefeitura digital
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
A implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da Previdência
A implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da PrevidênciaA implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da Previdência
A implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da Previdência
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Inovação aberta na administração pública - O desafio da sustentabilidade no MEC
Inovação aberta na administração pública - O desafio da sustentabilidade no MECInovação aberta na administração pública - O desafio da sustentabilidade no MEC
Inovação aberta na administração pública - O desafio da sustentabilidade no MEC
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Estratégia de Governança Digital, o caso da SLTI
Estratégia de Governança Digital, o caso da SLTIEstratégia de Governança Digital, o caso da SLTI
Estratégia de Governança Digital, o caso da SLTI
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Ata da reunião ordinária do conselho de assistência social n007 2012
Ata da reunião ordinária do conselho de assistência social n007 2012Ata da reunião ordinária do conselho de assistência social n007 2012
Ata da reunião ordinária do conselho de assistência social n007 2012
Vitória Cmas
 

Destaque (15)

Catálogo de serviços das unidades de gestão e mercado da CNI
Catálogo de serviços das unidades de gestão e mercado da CNICatálogo de serviços das unidades de gestão e mercado da CNI
Catálogo de serviços das unidades de gestão e mercado da CNI
 
A implantação do SEI (Sistema Eletrônico de Informações) sob a perspectiva de...
A implantação do SEI (Sistema Eletrônico de Informações) sob a perspectiva de...A implantação do SEI (Sistema Eletrônico de Informações) sob a perspectiva de...
A implantação do SEI (Sistema Eletrônico de Informações) sob a perspectiva de...
 
O desenvolvimento da central eletrônica de serviço no Senado
O desenvolvimento da central eletrônica de serviço no SenadoO desenvolvimento da central eletrônica de serviço no Senado
O desenvolvimento da central eletrônica de serviço no Senado
 
Redesenho dos serviços do Programa Negócio a Negócio do SEBRAE/RS
Redesenho dos serviços do Programa Negócio a Negócio do SEBRAE/RSRedesenho dos serviços do Programa Negócio a Negócio do SEBRAE/RS
Redesenho dos serviços do Programa Negócio a Negócio do SEBRAE/RS
 
Portal de serviços públicos do Governo Federal
Portal de serviços públicos do Governo FederalPortal de serviços públicos do Governo Federal
Portal de serviços públicos do Governo Federal
 
Governança de processos para melhoria da Gestão Pública a experiência do TCE/PE
Governança de processos para melhoria da Gestão Pública a experiência do TCE/PEGovernança de processos para melhoria da Gestão Pública a experiência do TCE/PE
Governança de processos para melhoria da Gestão Pública a experiência do TCE/PE
 
Avaliação da qualidade do gasto público e mensuração da eficiência
Avaliação da qualidade do gasto público e mensuração da eficiênciaAvaliação da qualidade do gasto público e mensuração da eficiência
Avaliação da qualidade do gasto público e mensuração da eficiência
 
Gestão de processos integrando as diferentes dimensões da Dataprev
Gestão de processos integrando as diferentes dimensões da DataprevGestão de processos integrando as diferentes dimensões da Dataprev
Gestão de processos integrando as diferentes dimensões da Dataprev
 
Alinhamento estratégico e resultados desafios do Ministério da Justiça
Alinhamento estratégico e resultados desafios do Ministério da JustiçaAlinhamento estratégico e resultados desafios do Ministério da Justiça
Alinhamento estratégico e resultados desafios do Ministério da Justiça
 
A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UNIRIO
A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UNIRIOA melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UNIRIO
A melhoria e implantação dos processos de atendimento ao aluno na UNIRIO
 
Santos – Prefeitura digital
Santos – Prefeitura digitalSantos – Prefeitura digital
Santos – Prefeitura digital
 
A implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da Previdência
A implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da PrevidênciaA implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da Previdência
A implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da Previdência
 
Inovação aberta na administração pública - O desafio da sustentabilidade no MEC
Inovação aberta na administração pública - O desafio da sustentabilidade no MECInovação aberta na administração pública - O desafio da sustentabilidade no MEC
Inovação aberta na administração pública - O desafio da sustentabilidade no MEC
 
Estratégia de Governança Digital, o caso da SLTI
Estratégia de Governança Digital, o caso da SLTIEstratégia de Governança Digital, o caso da SLTI
Estratégia de Governança Digital, o caso da SLTI
 
Ata da reunião ordinária do conselho de assistência social n007 2012
Ata da reunião ordinária do conselho de assistência social n007 2012Ata da reunião ordinária do conselho de assistência social n007 2012
Ata da reunião ordinária do conselho de assistência social n007 2012
 

Semelhante a 5 anos a 180 dias como a gestão de processos transformou a certificação de entidades de assistência social

Gestão de processos na CEBAS - Douglas Carneiro
Gestão de processos na CEBAS - Douglas CarneiroGestão de processos na CEBAS - Douglas Carneiro
Gestão de processos na CEBAS - Douglas Carneiro
EloGroup
 
[BPM DAY Brasília 2015] MDS-Gestão de processos na Certificação de Entidades ...
[BPM DAY Brasília 2015] MDS-Gestão de processos na Certificação de Entidades ...[BPM DAY Brasília 2015] MDS-Gestão de processos na Certificação de Entidades ...
[BPM DAY Brasília 2015] MDS-Gestão de processos na Certificação de Entidades ...
EloGroup
 
MDS-Gestão de processosna Certificação de Entidades Beneficentes de Assistênc...
MDS-Gestão de processosna Certificação de Entidades Beneficentes de Assistênc...MDS-Gestão de processosna Certificação de Entidades Beneficentes de Assistênc...
MDS-Gestão de processosna Certificação de Entidades Beneficentes de Assistênc...
EloGroup
 
[BPM DAY Brasília 2015] Gestão de processos na Certificação de Entidades Bene...
[BPM DAY Brasília 2015] Gestão de processos na Certificação de Entidades Bene...[BPM DAY Brasília 2015] Gestão de processos na Certificação de Entidades Bene...
[BPM DAY Brasília 2015] Gestão de processos na Certificação de Entidades Bene...
EloGroup
 
Sinfe Apresentacao
Sinfe ApresentacaoSinfe Apresentacao
Sinfe Apresentacao
Robson Silva Espig
 
Ges publica 2011
Ges publica 2011Ges publica 2011
Ges publica 2011
christianrosa
 
A implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da Previdência
A implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da PrevidênciaA implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da Previdência
A implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da Previdência
EloGroup
 
Marketing Relacionado a Causas - MRC
Marketing Relacionado a Causas - MRCMarketing Relacionado a Causas - MRC
Marketing Relacionado a Causas - MRC
IDIS
 
Processo de validação da os e sua importância para o financiador (celina yama...
Processo de validação da os e sua importância para o financiador (celina yama...Processo de validação da os e sua importância para o financiador (celina yama...
Processo de validação da os e sua importância para o financiador (celina yama...
FLAC - Festival Latino Americano de Captação de Recursos 2012
 
Abradi cargos salarios_sud
Abradi cargos salarios_sudAbradi cargos salarios_sud
Abradi cargos salarios_sud
Napoleão Furbino
 
Laboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & Kickante
Laboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & KickanteLaboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & Kickante
Laboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & Kickante
Kickante
 
Workshop Redesenho de Serviços Públicos
Workshop   Redesenho de Serviços PúblicosWorkshop   Redesenho de Serviços Públicos
Workshop Redesenho de Serviços Públicos
EloGroup
 
Resultados do Programa DI 2012/13
Resultados do Programa DI 2012/13Resultados do Programa DI 2012/13
Resultados do Programa DI 2012/13
ICom - Instituto Comunitário Grande Florianópolis
 
O Terceiro Setor no Brasil
O Terceiro Setor no BrasilO Terceiro Setor no Brasil
O Terceiro Setor no Brasil
Adriana Ferreira
 
Apresentacao Roteiro Avaliacao Maturidade.pptx
Apresentacao Roteiro Avaliacao Maturidade.pptxApresentacao Roteiro Avaliacao Maturidade.pptx
Apresentacao Roteiro Avaliacao Maturidade.pptx
BelzemiroSantiabo
 
Indicadores de Transparência do Rio de Janeiro
Indicadores de Transparência do Rio de JaneiroIndicadores de Transparência do Rio de Janeiro
Indicadores de Transparência do Rio de Janeiro
institutoethos
 
Defesa
DefesaDefesa
Defesa
George Maia
 
Apresentação tecnologia no terceiro setor ibate 2014
Apresentação tecnologia no terceiro setor ibate 2014Apresentação tecnologia no terceiro setor ibate 2014
Apresentação tecnologia no terceiro setor ibate 2014
Valter Cegal
 
Integração Treinamento Colaboradores
Integração Treinamento ColaboradoresIntegração Treinamento Colaboradores
Integração Treinamento Colaboradores
SINDILOJAS POA
 
(Legado 2016) capacitação em planejamento estratégico dia 2
(Legado 2016) capacitação em planejamento estratégico dia 2(Legado 2016) capacitação em planejamento estratégico dia 2
(Legado 2016) capacitação em planejamento estratégico dia 2
Ink_conteudos
 

Semelhante a 5 anos a 180 dias como a gestão de processos transformou a certificação de entidades de assistência social (20)

Gestão de processos na CEBAS - Douglas Carneiro
Gestão de processos na CEBAS - Douglas CarneiroGestão de processos na CEBAS - Douglas Carneiro
Gestão de processos na CEBAS - Douglas Carneiro
 
[BPM DAY Brasília 2015] MDS-Gestão de processos na Certificação de Entidades ...
[BPM DAY Brasília 2015] MDS-Gestão de processos na Certificação de Entidades ...[BPM DAY Brasília 2015] MDS-Gestão de processos na Certificação de Entidades ...
[BPM DAY Brasília 2015] MDS-Gestão de processos na Certificação de Entidades ...
 
MDS-Gestão de processosna Certificação de Entidades Beneficentes de Assistênc...
MDS-Gestão de processosna Certificação de Entidades Beneficentes de Assistênc...MDS-Gestão de processosna Certificação de Entidades Beneficentes de Assistênc...
MDS-Gestão de processosna Certificação de Entidades Beneficentes de Assistênc...
 
[BPM DAY Brasília 2015] Gestão de processos na Certificação de Entidades Bene...
[BPM DAY Brasília 2015] Gestão de processos na Certificação de Entidades Bene...[BPM DAY Brasília 2015] Gestão de processos na Certificação de Entidades Bene...
[BPM DAY Brasília 2015] Gestão de processos na Certificação de Entidades Bene...
 
Sinfe Apresentacao
Sinfe ApresentacaoSinfe Apresentacao
Sinfe Apresentacao
 
Ges publica 2011
Ges publica 2011Ges publica 2011
Ges publica 2011
 
A implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da Previdência
A implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da PrevidênciaA implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da Previdência
A implantação da estratégia integrada ao PPA no Ministério da Previdência
 
Marketing Relacionado a Causas - MRC
Marketing Relacionado a Causas - MRCMarketing Relacionado a Causas - MRC
Marketing Relacionado a Causas - MRC
 
Processo de validação da os e sua importância para o financiador (celina yama...
Processo de validação da os e sua importância para o financiador (celina yama...Processo de validação da os e sua importância para o financiador (celina yama...
Processo de validação da os e sua importância para o financiador (celina yama...
 
Abradi cargos salarios_sud
Abradi cargos salarios_sudAbradi cargos salarios_sud
Abradi cargos salarios_sud
 
Laboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & Kickante
Laboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & KickanteLaboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & Kickante
Laboratório de Financiamento Coletivo - Mobiliza & Kickante
 
Workshop Redesenho de Serviços Públicos
Workshop   Redesenho de Serviços PúblicosWorkshop   Redesenho de Serviços Públicos
Workshop Redesenho de Serviços Públicos
 
Resultados do Programa DI 2012/13
Resultados do Programa DI 2012/13Resultados do Programa DI 2012/13
Resultados do Programa DI 2012/13
 
O Terceiro Setor no Brasil
O Terceiro Setor no BrasilO Terceiro Setor no Brasil
O Terceiro Setor no Brasil
 
Apresentacao Roteiro Avaliacao Maturidade.pptx
Apresentacao Roteiro Avaliacao Maturidade.pptxApresentacao Roteiro Avaliacao Maturidade.pptx
Apresentacao Roteiro Avaliacao Maturidade.pptx
 
Indicadores de Transparência do Rio de Janeiro
Indicadores de Transparência do Rio de JaneiroIndicadores de Transparência do Rio de Janeiro
Indicadores de Transparência do Rio de Janeiro
 
Defesa
DefesaDefesa
Defesa
 
Apresentação tecnologia no terceiro setor ibate 2014
Apresentação tecnologia no terceiro setor ibate 2014Apresentação tecnologia no terceiro setor ibate 2014
Apresentação tecnologia no terceiro setor ibate 2014
 
Integração Treinamento Colaboradores
Integração Treinamento ColaboradoresIntegração Treinamento Colaboradores
Integração Treinamento Colaboradores
 
(Legado 2016) capacitação em planejamento estratégico dia 2
(Legado 2016) capacitação em planejamento estratégico dia 2(Legado 2016) capacitação em planejamento estratégico dia 2
(Legado 2016) capacitação em planejamento estratégico dia 2
 

Mais de Gestão Pública: Pensando Diferente

Mec Planejamento Estratégico
Mec Planejamento Estratégico Mec Planejamento Estratégico
Mec Planejamento Estratégico
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Caso do Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Caso do Tribunal de Justiça de Minas GeraisCaso do Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Caso do Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Gestão como uma visão de resultados da Receita Federal
Gestão como uma visão de resultados da Receita FederalGestão como uma visão de resultados da Receita Federal
Gestão como uma visão de resultados da Receita Federal
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Redesenho de Serviços
Redesenho de ServiçosRedesenho de Serviços
Redesenho de Serviços
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Inovação em Governo
Inovação em GovernoInovação em Governo
Grupo de Gestão em Organizações Públicas de Belo Horizonte
Grupo de Gestão em Organizações Públicas de Belo HorizonteGrupo de Gestão em Organizações Públicas de Belo Horizonte
Grupo de Gestão em Organizações Públicas de Belo Horizonte
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
PASSAPORTE - Melhoria de Serviços para a Sociedade
PASSAPORTE - Melhoria de Serviços para a SociedadePASSAPORTE - Melhoria de Serviços para a Sociedade
PASSAPORTE - Melhoria de Serviços para a Sociedade
Gestão Pública: Pensando Diferente
 
Grupo de Gestão em Organizações Públicas do Rio de Janeiro
Grupo de Gestão em Organizações Públicas do Rio de JaneiroGrupo de Gestão em Organizações Públicas do Rio de Janeiro
Grupo de Gestão em Organizações Públicas do Rio de Janeiro
Gestão Pública: Pensando Diferente
 

Mais de Gestão Pública: Pensando Diferente (8)

Mec Planejamento Estratégico
Mec Planejamento Estratégico Mec Planejamento Estratégico
Mec Planejamento Estratégico
 
Caso do Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Caso do Tribunal de Justiça de Minas GeraisCaso do Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Caso do Tribunal de Justiça de Minas Gerais
 
Gestão como uma visão de resultados da Receita Federal
Gestão como uma visão de resultados da Receita FederalGestão como uma visão de resultados da Receita Federal
Gestão como uma visão de resultados da Receita Federal
 
Redesenho de Serviços
Redesenho de ServiçosRedesenho de Serviços
Redesenho de Serviços
 
Inovação em Governo
Inovação em GovernoInovação em Governo
Inovação em Governo
 
Grupo de Gestão em Organizações Públicas de Belo Horizonte
Grupo de Gestão em Organizações Públicas de Belo HorizonteGrupo de Gestão em Organizações Públicas de Belo Horizonte
Grupo de Gestão em Organizações Públicas de Belo Horizonte
 
PASSAPORTE - Melhoria de Serviços para a Sociedade
PASSAPORTE - Melhoria de Serviços para a SociedadePASSAPORTE - Melhoria de Serviços para a Sociedade
PASSAPORTE - Melhoria de Serviços para a Sociedade
 
Grupo de Gestão em Organizações Públicas do Rio de Janeiro
Grupo de Gestão em Organizações Públicas do Rio de JaneiroGrupo de Gestão em Organizações Públicas do Rio de Janeiro
Grupo de Gestão em Organizações Públicas do Rio de Janeiro
 

5 anos a 180 dias como a gestão de processos transformou a certificação de entidades de assistência social

  • 1. Gestão de processos na Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social BPM Day Brasília
  • 2. Assistência Social Principais marcos legais da Assistência Social: Sistema de Proteção Social Previdência Saúde Assistência Social Política universal e não-contributiva, cujo objetivo é garantir a proteção social aos cidadãos, ou seja, apoio a indivíduos, famílias e à comunidade no enfrentamento de suas dificuldades, por meio de serviços, benefícios, programas e projetos.  Constituição Federal 1988  Lei Orgânica da Assistência Social 1993  Política Nacional de Assistência Social 2004  Norma Operacional Básica/SUAS 2012
  • 3. O que é CEBAS? Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social  Instrumento federal para entidades sem fins lucrativos que atuam com preponderância ou exclusividade nas áreas de saúde, educação ou assistência social.  O que representa para as entidades?  Reconhecimento na rede socioassistencial e sustentabilidade financeira  Isenção das contribuições sociais (cota patronal, SAT/RAT, terceiros, PIS, COFINS)  Priorização na celebração de parcerias com o poder público  Outros benefícios locais (tarifa social de luz, água, etc.)
  • 4. Quem são as entidades no CEBAS?
  • 5. • São 6.840 entidades, sendo que 5.622 usufruem dos efeitos da certificação na data de referência. aguardando decisão: concessões, originárias ou não, à espera de decisão. válidas: entidades que tem processo de renovação aguardando decisão de mérito. vigentes: certificações dentro de seu período de validade. 1.218 1.437 4.185 5.622 -700 300 1.300 2.300 3.300 4.300 5.300 6.300 entidades sem CEBAS entidades com CEBAS Situação CEBAS MDS (30/09/2015) aguardando decisão válida vigente
  • 6. As entidades pelo Brasil (CEBAS)
  • 7. Entidades por UF e região (CEBAS) UF Entidades % por UF SP 2.755 32,3% MG 1.587 18,6% PR 905 10,6% RS 588 6,9% RJ 520 6,1% SC 397 4,7% GO 224 2,6% BA 201 2,4% CE 189 2,2% MA 172 2,0% ES 146 1,7% PE 145 1,7% DF 139 1,6% MS 127 1,5% MT 85 1,0% PA 62 0,7% RN 45 0,5% PB 44 0,5% SE 38 0,4% AL 32 0,4% RO 32 0,4% AM 31 0,4% TO 27 0,3% PI 26 0,3% AC 8 0,1% AP 5 0,1% RR 2 0,0% Total 8.532 100,0% N CO NE SUL SE Entidades 167 575 892 1.890 5.008 % Entidades por região 2,0% 6,7% 10,5% 22,2% 58,7% % pop. brasileira 8,5% 7,5% 27,7% 14,3% 42,0% Distribuição regional das entidades • Maior distanciamento entre o número de entidades nas regiões N e NE em comparação ao percentual de população na região.
  • 8. As entidades pelo Brasil (CEBAS) pequeno I pequeno II médio grande metrópole Entidades 1.535 1.488 998 2.019 2.492 % Entidades por região 18,0% 17,4% 11,7% 23,7% 29,2% % pop. brasileira 16,7% 16,4% 11,6% 25,9% 29,3% Distribuição das entidades por porte de município # Município Entidades % 1 SAO PAULO/SP 510 6,0% 2 RIO DE JANEIRO/RJ 276 3,2% 3 BELO HORIZONTE/MG 182 2,1% 4 BRASILIA/DF 139 1,6% 5 CURITIBA/PR 134 1,6% 6 SAO LUIS/MA 129 1,5% 7 CAMPINAS/SP 105 1,2% 8 PORTO ALEGRE/RS 102 1,2% 9 FORTALEZA/CE 85 1,0% 10 SALVADOR/BA 72 0,8% 11 BRASILIA DE MINAS/MG 66 0,8% 12 RECIFE/PE 65 0,8% 13 GOIANIA/GO 63 0,7% 14 RIBEIRAO PRETO/SP 50 0,6% 15 UBERLANDIA/MG 44 0,5% 16 FLORIANOPOLIS/SC 41 0,5% 17 LONDRINA/PR 40 0,5% 18 SAO JOSE DOS CAMPOS/SP 40 0,5% 19 CAMPO GRANDE/MS 40 0,5% 20 FRANCA/SP 40 0,5% • Os 20 municípios com mais entidades concentram 26,1% do universo de entidades da certificação.
  • 9. 7,2% 10,5% 16,8% 29,4%17,5% 14,9% 1,9% 1,8% a. Até R$ 50 mil b. De R$ 50 a 100 mil c. De R$ 100 a 200 mil d. De R$ 200 a 500 mil e. De R$ 500 mil a 1 milhão f. De R$ 1 a 5 milhões g. De R$ 5 a 10 milhões h. Acima de R$ 10 milhões Entidades por receita anual 0,1% 2,8% 4,5% 8,7% 8,9% 18,1% 56,8% Internacional Pública (países estrangeiros, ONU) Internacional Privada (entidades e O.I.s) Privada (doações eventuais) Própria (prestação de serviços) Privada (doações e parcerias) Própria (mensalidades/doações dos membros) Pública (subvenções, convênios e parcerias) Principal fonte de financiamento • 63,9% das entidades na base da certificação possuem receita anual de até R$ 500 mil. • 81,4% não ultrapassam de R$ 1 milhão. • Em relação à origem dos recursos, as fontes públicas predominam com 56,8% enquanto as fontes próprias e privadas predominam como principal fonte em 40,3% das entidades.
  • 11. Justificativa do projeto Razões de escolha da Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social (CEBAS) • Gestão por processos numa organização funcional: mudança de paradigma • Existência de elevado passivo na área • Escopo restrito com definição clara dos atores envolvidos • Patrocínio da liderança Adesão a Ata de Registro de Preços MPOG)
  • 12. SETEMBRO/14 OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO JANEIRO Cronograma do projeto Planejamento S1 Entendimento da Situação Atual S2 Análise de Alinhamento S3 Análise de Melhorias S6 Plano de Implantação S5 Desenho da Situação Futura S4 Análise de Quantidade de Recursos De jan/2015 a ago/2015 ocorre o período de monitoramento mensal e calibração das melhorias.
  • 13. Objetivo do Trabalho A partir da visão de futuro construída junto ao Secretário Executivo do MDS, definimos os objetivos e norte do trabalho Objetivo Central: Cumprir o tempo de decisão previsto por lei (6 meses) Objetivo para o Legado: Reduzir o tamanho do Passivo Objetivo para o Futuro: Reduzir a quantidade de Diligências Norte do Projeto Aumentar a agilidade, transparência e segurança do processo
  • 14. 3. A arrecadação da cota patronal é o grande risco do CEBAS 4. A política pública é o grande norte do CEBAS 2. Não depender de mudanças na legislação 1. Não depender do aumento do quantitativo de pessoas Premissas das Soluções Para a construção das soluções, utilizamos algumas diretrizes como premissas, para que o trabalho realizado fosse efetivo e as soluções fossem implantadas com maior facilidade
  • 15. Esforço Realizado Durante os dois meses iniciais do trabalho, a equipe realizou diversas reuniões com diferentes atores do processo afim de entender a realidade interna e externa do problema - Entrevista qualitativa com 9 Entidades - Reunião do CNAS - 3 Reuniões com MS - Reunião com o MEC - Reunião com um Órgão Gestor e CMAS - 300+ horas de reunião com a Equipe da DRSP - Grupos de Trabalho para o desenho das soluções - Pesquisa quantitativa com Entidades com e sem CEBAS
  • 16. Estado Número de Entidades % Acre 14 0% Alagoas 18 1% Amapá 7 0% Amazonas 27 1% Bahia 116 4% Ceará 85 3% Distrito Federal 50 2% Goiás 91 3% Espírito Santo 90 3% Maranhão 35 1% Mato Grosso 36 1% Mato Grosso do Sul 80 3% Minas Gerais 512 18% Pará 41 1% Paraíba 37 1% Paraná 350 12% Pernambuco 92 3% Piauí 28 1% Rio de Janeiro 175 6% Rio Grande do Norte 36 1% Rio Grande do Sul 214 7% Rondônia 23 1% Roraima 8 0% São Paulo 1.080 37% Santa Catarina 148 5% Sergipe 29 1% Tocantins 27 1% A entidade opera a nível Nacional ou Internacional 63 2% Representatividade da pesquisa
  • 17. Seguindo o mesmo ritmo de decisão de maio a outubro/14, nunca seria possível reduzir o passivo, já que a quantidade de solicitações era superior ao número de decisões. Diagnóstico do Passivo 838 308 827 327 190 105 167 72 118 497 595 solicitação autuados análise apreciação Gargalos do Passivo 2014 (mai-out) Renovação Concessão Outros Passivo 1.028 531 994 399 -497 +463 -595 Tempo para zerar o passivo: ∞
  • 18. Do início do trabalho até o momento, já houve redução do tempo de decisão no MDS. De 10 para 4,3 meses sem o passivo, e de 47 para 28 com o passivo. Solicitar Certificação Realizar Triagem Analisar Solicitações Solicitação Recebida Solicitação vira Processo Processo entra na Análise Retorno de Diligência Término da Análise Apreciação e Decisão 3 meses 37 meses Expedição de Diligência TEMPO MÉDIO ATUAL PARA DECISÃO mesesmeses sem passivo com passivo 23,7 meses 10 4728,054,36 3 meses1,4 meses Tempo de decisão
  • 19. Processo de Análise As Is Havia duplicidade de atividades entre pré-análise e análise. Além disso, o ciclo de apreciação e decisão era longo e se repetia na Coordenação, Departamento e Secretaria. Por último, o tratamento de denúncias era desconexo com os demais processos AnálisePré-Análise Checklist Documental Análise Parecer Apreciação e Decisão Tratar denúncias
  • 20. Processo de Análise To Be Eliminação de atividades sobrepostas e uso de bases de dados relacionadas às entidades de assistência social para a apreciação e decisão, além da definição de parâmetros de supervisão. Requisitos Legais Checklist Documental Análise de Atividade Parecer Apreciação e Decisão Análise Classificação do Risco Supervisão Recurso SISC CENSO SUAS Instrução de processos Comunicação externa (entidades, outros órgãos federais) Controle de processos e documentos Monitoramento da certificação Apreciação (alto risco) e Decisão
  • 21. Resumos das Melhorias A partir do diagnóstico e redesenho, estas melhorias foram implementadas com êxito e estão agrupadas entre incrementais e disruptivas. Solicitar Certificação Realizar Triagem Analisar Solicitações Analisar Recursos Tratar Denúncias ã Melhorias Incrementais Melhorias Disruptivas Criação da Cartilha CEBAS e ativação de canais de comunicação Simplificação do Modelo de Parecer e Ofício de Diligência Utilização de Painel de Gestão à Vista Criação de Ritos de gestão da equipe Instauração do Processo de Supervisão Apreciação fundamentada em cruzamento de dados Criação do e-mail diligência CEBAS Revisão do Processo de Análise de Recursos
  • 22. Grupos de trabalho Ritos de gestão Análise de perfil de risco Supervisão Comunicação Painel de gestão à vista Diligências • Participação de toda a equipe (melhoria do clima organizacional). • Soluções propostas internamente (empoderamento).
  • 23. Cartilha e canais de comunicação • Revisão da linguagem utilizada nas comunicações (site, e-mails de diligências). • Perguntas e respostas que orientam o pedido de certificação, identificadas a partir das dúvidas mais frequentes e com modelos dos documentos obrigatórios • Ativação de notícias no site do MDS e publicações nas redes sociais.
  • 24. Simplificação de modelos • Redesenho dos modelos de pareceres, despachos e ofícios. • Contribuição para melhor gestão das atividades, evitando sobreposição de tarefas.
  • 25. Painel de gestão e cruzamentos de dados • Definição de indicadores para o processo. • Controle de fluxos. • Referência em outros bancos de dados da Secretaria Nacional de Assistência Social.
  • 27. • Evidencia a entrada de requerimentos e as publicações ocorridas anualmente desde 2009. 2.327 2.490 1.291 1.186 751 1.343 1.008 1 123 1.535 162 1.225 4.263 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 (acum.) Histórico de requerimentos e publicações CEBAS MDS REQUERIMENTOS ARQUIVAMENTOS PUBLICAÇÕES
  • 28. • Arquivados: motivados por perda de objeto ou a pedido da entidade. • Encaminhados: processos enviados ao MEC ou MS para julgamento de mérito ou a pedido da entidade. • Publicações: decisões publicadas no D.O.U., incluindo recursos SNAS. * Em fevereiro e agosto, as publicações ocorreram no mês posterior das análises por restrições de agenda interna. ** Para primeira análise estão sendo distribuídos os processos protocolados em jun/jul de 2015. jan/15 fev/15 * mar/15 abr/15 mai/15 jun/15 jul/15 ago/15 * set/15 decisões 692 51 667 977 679 869 759 209 851 arquivados 194 0 133 133 56 58 9 19 encaminhados 55 46 14 29 142 221 147 209 5 publicações 443 5 520 815 481 590 603 827 692 51 667 977 679 869 759 209 851 0 200 400 600 800 1.000 1.200 Processos decididos CEBAS MDS
  • 29. Movimentação de processos • No último ano, o redesenho permitiu ampliar a movimentação de processos, quase triplicando o volume de processos analisados. • Com isso, o número de processos nunca distribuídos foi reduzido e restringe-se a 43 processos. Abaixo o desdobramento do passivo nas fases. 367 1.401 164 811 374 49 423 146 200 1.063 2.884 0 500 1.000 1.500 2.000 2.500 3.000 30/jun/2014 30/jun/2015 Análise técnica Suspensos Apreciação Aprovação Recursos 43 1.170 120 479 61 185 65 71 15 AGUARDANDO ANÁLISE ANÁLISE TÉCNICA SUSPENSO POR MANIFESTAÇÃO SUSPENSO POR DILIGÊNCIA APRECIAÇÃO APROVAÇÃO AGUARDANDO PRAZO RECURSAL RECURSOS SNAS RECURSOS GM
  • 30. Projeção de fim do passivo CEBAS MDS • Com uma média de 140 novos protocolos e de 639 decisões por mês, a expectativa é de encerrar o passivo até dezembro deste ano. 140 140 140 140 2.169 1.530 891 252 639 2.309 1.670 1.031 392 set/15 out/15 nov/15 dez/15 novos requerimentos passivo (saldo últ. dia do mês) média de decisões/mês em 2015
  • 31. Onde estão as entidades na SNAS? CNEAS: 17.998 CEBAS: 8.560 SISC: 1.907 CENSO: 4.855 TOTAL: 21.462 entidades CNEAS: Cadastro Nacional de Entidades de Assistência Social. CENSO SUAS 2014: recenseamento dos equipamentos privados de acolhimento e de convivência e fortalecimento de vínculos. CEBAS: Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social. SISC: Sistema de Informações do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos.
  • 32. Próximos passos Automação do processo de certificação (SCNEAS) Supervisão ativa das entidades certificadas Integração entre CEBAS e CNEAS Difusão da experiência dentro e fora do MDS Escritório de gestão