SlideShare uma empresa Scribd logo
Games to Business
23/05/2015
Agenda
• Objetivo:
• Mostrar a Importância e Apresentar uma Metodologia
de Planejamento de Negócios.
• Metodologia:
• Introdução de alguns Conceitos Fundamentais;
• Aplicação Prática do Business Model Generation
para Planejamento de Negócios.
• Programação:
• Conceitos Fundamentais;
• Apresentação do Business Model Canvas;
• Execução Prática de um Ciclo de Planejamento
utilizando o Canvas.
@fabionl
facebook.com/fabionl
fabionl.wordpress.com
slideshare.net/fabionl
Fábio Nobrega de Lima
Marcus Botelho
facebook.com/marcus.botelho.3
marcus.itec@gmail.com
Alguns Conceitos e Técnicas Relevantes
Planejamento x Plano
4o CINDIEncontro - Games to Business - Planejamento de Negócios
4o CINDIEncontro - Games to Business - Planejamento de Negócios
Níveis de Decisões e Planejamentos
4o CINDIEncontro - Games to Business - Planejamento de Negócios
Ciclo do Planejamento
5 Forças de Porter
Análise SWOT
Finanças
4o CINDIEncontro - Games to Business - Planejamento de Negócios
Business Model Generation
http://startupsorocaba.com/canvas-o-que-e-business-model-canvas/
Business Model Canvas
EGMENTO DE CLIENTES
rimeiro passo no desenvolvimento de um modelo de negócios é o bloco do segmento de clientes. Precisamos
tacar dois aspectos importantes que justificam isso:
palavra “segmento” possui implícita que se trata da escolha de uma fatia do mercado. Em outras palavras,
ecessário que você defina um nicho de clientes. A famosa afirmativa “quem vende para todo mundo, não
de para ninguém” é levada a sério no desenvolvimento de um modelo de negócios.
Um negócio deve ser desenvolvido a partir da perspectiva do cliente. Percebeu que o bonequinho olha para o
delo? Pois é, de nada adianta ter uma boa idéia se você não enxerga por meio dos olhos de quem vai pagar
o produto / serviço que você irá entregar.
Segmentos de Clientes
• Define os Diferentes Grupos de Clientes que se
deseja atingir.
• Podem ser Pessoas ou Empresas.
• Ex: Hardcore gamers, Casual players, etc.
FERTA DE VALOR
segundo passo é definir a oferta de valor do seu negócio. Entenda que “valor” neste caso significa
benefício”. Portanto, é fundamental que você saiba explicitar quais são estes benefícios que seus produtos (ou
erviços) entregam para os seus clientes.
or exemplo, se o seu produto é um sistema financeiro, sua oferta de valor deverá ser “seu financeiro redondo
m apenas 30 minutos por semana”. É claro que isso vai depender de seu sistema. Você pode ter inúmeros
enefícios, mas tente resumi-lo em uma única frase.
ssa reflexão também é fundamental para que você analise seus diferenciais frente a seus concorrentes.
Proposta de Valor
• Valor nesse caso significa Benefício.
• Responde à perguntas como:
• Quais os Benefícios que meus produtos/serviços entregam
aos clientes? (para cada segmento)
• Porque o Consumidor escolheria meu produto/serviço e
não a concorrência? (para cada segmento)
• Ex: p/Casual Players: Diversão rápida para passar o tempo.
ANAIS
nais descrevem quais os caminhos pelos quais a empresa comunica e entrega valor para o cliente. Podemos
zer que pela perspectiva do antigo marketing (os 4 Ps), canais representa o “P” de Praça e o “P” de Promoção.
canais podem ser de comunicação, vendas e distribuição do produto. Ou seja, qualquer tipo de interface da
mpresa com o cliente. Servem para que o segmento definido possa tomar conhecimento e avaliar a
oposição de valor do produto, efetuar a compra e uso do mesmo.
muito importante verificar que este bloco demonstra graficamente a importância do encaixe estratégico em
m modelo de negócios.
Canais
• Descreve como a empresa se Comunica e Alcança seus
Segmentos de Clientes para entregar a Proposta de Valor.
• Comunicação, Distribuição e Vendas são as principais
interfaces com o consumidor.
• São pontos de contato com o consumidor e influenciam a
experiência do consumidor.
• Ex: Suporte pós-venda, Fórum, Facebook Page/Group.
How are our Channels integrated? Which ones work best?
Which ones are most cost-eΩicient? How are we
integrating them with customer routines?
Channels have five distinct phases. Each channel can
cover some or all of these phases. We can distinguish
between direct Channels and indirect ones, as well as
between owned Channels and partner Channels.
Finding the right mix of Channels to satisfy how
customers want to be reached is crucial in bringing
a Value Proposition to market. An organization can
choose between reaching its customers through its
own Channels, through partner Channels, or through
a mix of both. Owned Channels can be direct, such as
an in-house sales force or a Web site, or they can be
indirect, such as retail stores owned or operated by the
organization. Partner Channels are indirect and span a
whole range of options, such as wholesale distribution,
retail, or partner-owned Web sites.
Partner Channels lead to lower margins, but they
allow an organization to expand its reach and benefit
from partner strengths. Owned Channels and particu-
larly direct ones have higher margins, but can be costly
to put in place and to operate. The trick is to find the
right balance between the diΩerent types of Channels,
to integrate them in a way to create a great customer
experience, and to maximize revenues.
Channel Types Channel Phases
Sales force
1. Awareness
How do we raise aware-
ness about our company’s
products and services?
2. Evaluation
How do we help custom-
ers evaluate our organiza-
tion’s Value Proposition?
3. Purchase
How do we allow custom-
ers to purchase specific
products and services?
4. Delivery
How do we deliver a Value
Proposition to customers?
5. After sales
How do we provide
post-purchase customer
support?
Web sales
Own stores
Partner
stores
Wholesaler
IndirectDirect
OwnPartner
Canais
• Os Canais podem abranger até 5 fases distintas.
• Awareness, Evaluation, Purchase, Delivery, After Sales.
• Cada Canal pode abranger 1 ou mais fases.
• Podem ser Diretos ou Indiretos e Próprios ou Mantidos por
Parceiros.
RELACIONAMENTO
O bloco do relacionamento descreve estratégias que evitam que seus clientes corram para o concorrente por
uestões como “preço mais baixo”. Definir boas estratégias de relacionamento é difícil, porém fundamental
ara a retenção de clientes.
Muitas empresas start-ups adotam um relacionamento baseado em “auto-atendimento”, pelo qual o cliente
esolve quase tudo sozinho. No entanto, algumas empresas já perceberam que investir num alto nível de
tendimento garante destaque e maior lucratividade.
Relacionamento com o Cliente
• Descreve os Tipos de Relacionamentos que a empresa
estabelece com cada Segmento de Cliente.
• Pode ser desde Pessoal a Automático.
• Podem ser motivados a: Aquisição de Clientes, Retenção de
Clientes, Aumento de Vendas.
• Tipos de Relacionamentos: Assistência Pessoal, Assist. Pessoal
Dedicada, Self-service, Serviços Automatizados, Comunidades,
Co-creation.
01. O MODELO DE BUSINESS MODEL GENERATION
FLUXO DE RECEITAS
Para fechar o lado direito do modelo de negócios, o fluxo de receitas é o bloco que determina a maneira como o
cliente pagará pelos benefícios recebidos.
Há uma série de modelos de receita que podem ser adotados. Alguns exemplos são: venda de produtos,
assinatura, aluguel, licença, leilão, etc. Para uma lista completa, veja nosso post sobre 12 Formas de Ganhar
Dinheiro.
O fluxo de receitas é atualmente uma das grandes fontes de inovação. Por exemplo, inúmeras empresas estão
transformando seus mercados ao cobrar por assinatura ao invés de por diária e alguns restaurantes passaram
a cobrar por tempo de permanência ao invés de cobrar por prato ou por quilo.
Fluxos de Receitas
• Representa a Entrada de Dinheiro que é gerada por cada
Segmento de Consumidor.
• Quanto cada Segmento de Consumidor aceita pagar pelo produto/
serviço?
• Existem diversos Modelos de Receitas possíveis. Dividem-se em 2
formas de Transação: Transações Únicas e Receitas Recorrentes.
• Ex: Venda; Microtransações; Itens Virtuais; Subscriptions;
Freemium.
01. O MODELO DE BUSINESS MODEL GENERATION
RECURSOS-CHAVE
O primeiro bloco do lado esquerdo é o de recursos-chave, que são os ativos fundamentais para fazer o Modelo
de Negócios funcionar. Aliás, todo o lado esquerdo está relacionado à parte operacional do negócio.
Esse bloco deve ser limitado a descrever o que realmente importa dentro dos ativos de sua empresa. Por
exemplo, em uma siderúrgica os recursos-chave são o forno (caldeira) e o laminador.
Alguns exemplos de recursos são: ativos físicos, como máquinas ou instalações, intelectuais, como patentes,
recursos humanos, como equipe de programadores ou atendimento, etc.
Recursos Fundamentais
• Descreve os Ativos mais importantes necessários ao Modelo de
Negócios.
• Permitem alcançar mercados, manter relações com os segmentos
de cliente, obter Receitas, etc.
• Os Recursos podem ser Físicos, Financeiros, Intelectuais, Humanos.
• Podem ser próprios, financiados, alugados, contratos de terceiros.
• Ex: Equipamentos para Desenvolver e Testar o Jogo; Serviços de
Hospedagem.
01. O MODELO DE BUSINESS MODEL GENERATION
ATIVIDADES-CHAVE
De forma complementar ao recursos-chave, as atividades devem tratar das atividades mais importantes que a
empresa deve fazer de forma constante para que o Modelo de Negócios funcione corretamente. Se uma
empresa possui uma plataforma web como recurso-chave, muito provavelmente terá como atividade-chave a
manutenção desta plataforma.
Alguns exemplos de atividades são: Produção de Bens, Resolução de Problemas, Gestão de Plataformas,
Vendas Consultivas, Desenvolvimento de Produtos, etc.
Atividades Fundamentais
• Descreve as principais atividades necessárias ao Modelo
de Negócios.
• Ex: Desenvolvimento do Jogo; Gestão da Produção e
Distribuição de Caixas; Criação de conteúdo para blog;
Gestão do Relacionamento com o Fornecedor da
Plataforma.
01. O MODELO DE BUSINESS MODEL GENERATION
PARCERIAS-CHAVE
“Parceiros-chave” em um modelo de negócios refere-se primordialmente a terceirizações (fornecedores).
Como dito anteriormente, o lado esquerdo trata de quesitos operacionais, portanto o bloco parcerias lista outras
empresas que ajudam seu negócio a entregar a oferta de valor.
Qualquer tipo de tarefa ou matéria-prima essencial fornecida por outra empresa e que garante o funcionamento
do Modelo de Negócios deve ser listada neste bloco.
Parcerias Fundamentais
• Descreve a rede de suprimentos e parceiros que viabilizam o Modelo
de Negócios.
• 4 Diferentes tipos de Parcerias:
• Alianças Estratégicas entre Não Competidores.
• Coopetição: Parceria Estratégica entre Competidores.
• Joint Ventures para o Desenvolvimento de Novos Negócios.
• Relacionamento Comprador-Fornecedor para garantir Suprimento
Confiável.
01. O MODELO DE BUSINESS MODEL GENERATION
PARCERIAS-CHAVE
“Parceiros-chave” em um modelo de negócios refere-se primordialmente a terceirizações (fornecedores).
Como dito anteriormente, o lado esquerdo trata de quesitos operacionais, portanto o bloco parcerias lista outras
empresas que ajudam seu negócio a entregar a oferta de valor.
Qualquer tipo de tarefa ou matéria-prima essencial fornecida por outra empresa e que garante o funcionamento
do Modelo de Negócios deve ser listada neste bloco.
Parcerias Fundamentais
• Motivações para Criar Parcerias:
• Optimização e Economia de Escala;
• Redução de Riscos e Incertezas;
• Aquisição de Recursos e Atividades Específicas.
• Ex: Programadores/Designers Freelancers; Pessoas-
Chave para Divulgação.
01. O MODELO DE BUSINESS MODEL GENERATION
ESTRUTURA DE CUSTOS
O último bloco do modelo descreve todos os principais custos que têm peso no financeiro e são derivados da
operacionalização do Modelo de Negócios.
Eles serão provavelmente oriundos dos blocos de recursos, atividades e parcerias-chave. Porém, também será
possível que custos de canais sejam considerados como, por exemplo, comissão de vendedores.
Estrutura de Custos
• Descreve os custos necessários para Operar o Modelo de
Negócios.
• Todas as decisões repercutem na Estrutura de Custos.
• Tipos: Custos Fixos; Custos Variáveis; Economias de
Escala; Sinergias, etc.
• Ex: Descontos da Appstore; Custo de Servidor; Licensas
de Softwares; Mão-de-Obra; Freelancers; Divulgação.
Business Model Canvas
http://viversemchefe.com/business-model-canvas-em-portugues/
Skype claims it has over 400 million reg-
istered users who have made more than 100
payment
providers
distribution
partners
telco partners
software
development
free internet &
video calling
cheap calls to
phones
(skypeout)
mass customized
web users
globally
people who want
to call phones
software
developers
software
skype.com
headset
partnerships
software development
complaint management
free
skypeout pre-paid or subscription
hardware sales
Skype
VP CR
CH
CSKP KA
KR
R$C$
Over 90 percent of Skype
Exemplo: Skype
4o CINDIEncontro - Games to Business - Planejamento de Negócios
Bibliografia
• Luz Lab de Ideias. O Analista de Modelos de Negócios - 75 exemplos
para empreendedores dominarem a técnica de modelagem e
prototipagem de negócios inovadores. ebook. 2012. Disponível em:
https://luz.vc/
• OSTERWALDER, Alexander; PIGNEUR, Yves. Business Model Generation:
A Handbook For Visionaries, Game Changers, And Challengers. Wiley,
2010.
• Sites:
• http://www.businessmodelgeneration.com/
• http://startupsorocaba.com/canvas-o-que-e-business-model-canvas/
• http://viversemchefe.com/melhor-do-que-um-plano-de-negocio-o-
business-model-canvas/
• http://viversemchefe.com/business-model-canvas-em-portugues/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

BIZCOOL Canvas - todo o seu negócio em uma única folha
BIZCOOL Canvas - todo o seu negócio em uma única folha BIZCOOL Canvas - todo o seu negócio em uma única folha
BIZCOOL Canvas - todo o seu negócio em uma única folha
Bizcool | Escola Aceleradora
 
Projeto - Astronauta Parte II
Projeto - Astronauta Parte IIProjeto - Astronauta Parte II
Projeto - Astronauta Parte II
Thiago Paiva
 
Go To Market - Ida ao mercado
Go To Market - Ida ao mercadoGo To Market - Ida ao mercado
Go To Market - Ida ao mercado
Luiz Fernando Sardinha de Azevedo
 
Remuneração da Força de Vendas
Remuneração da Força de VendasRemuneração da Força de Vendas
Remuneração da Força de Vendas
Ernesto Costa Santos
 
BIZCOOL - Growth hacking
BIZCOOL - Growth hackingBIZCOOL - Growth hacking
BIZCOOL - Growth hacking
Bizcool | Escola Aceleradora
 
Inovação em vendas
Inovação em vendasInovação em vendas
Inovação em vendas
Sandro Magaldi
 
Fazinova - Canvas
Fazinova - CanvasFazinova - Canvas
Fazinova - Canvas
Augusto E.
 
Canvas Modelo de Negócios
 Canvas Modelo de Negócios  Canvas Modelo de Negócios
Canvas Modelo de Negócios
Joaquim Marinho neto
 
Canvas aula 02
Canvas aula 02Canvas aula 02
Canvas aula 02
NJS Consultoria
 
Estratégias Básicas de Marketing para Empresas B2B
Estratégias Básicas de Marketing para Empresas B2BEstratégias Básicas de Marketing para Empresas B2B
Estratégias Básicas de Marketing para Empresas B2B
Debora Saldanha
 
BIZCOOL - Estratégias de crescimento de receitas
BIZCOOL - Estratégias de crescimento de receitasBIZCOOL - Estratégias de crescimento de receitas
BIZCOOL - Estratégias de crescimento de receitas
Bizcool | Escola Aceleradora
 
BIZCOOL - Estratégias de aquisição de clientes
BIZCOOL - Estratégias de aquisição de clientes BIZCOOL - Estratégias de aquisição de clientes
BIZCOOL - Estratégias de aquisição de clientes
Bizcool | Escola Aceleradora
 
Retenção de Clientes Corporativos
Retenção de Clientes CorporativosRetenção de Clientes Corporativos
Retenção de Clientes Corporativos
Direct Link Consultoria
 
BMG Canvas palestra na Incubadora
BMG Canvas palestra na IncubadoraBMG Canvas palestra na Incubadora
BMG Canvas palestra na Incubadora
NJS Consultoria
 
Aula 08 - CRM / Prof. Rodrigo Sávio
Aula 08 - CRM / Prof. Rodrigo SávioAula 08 - CRM / Prof. Rodrigo Sávio
Aula 08 - CRM / Prof. Rodrigo Sávio
Rodrigo Sávio
 
BIZCOOL - DATA DRIVEN MARKETING: COMO TRANSFORMAR AÇÕES EM NÚMEROS
BIZCOOL - DATA DRIVEN MARKETING: COMO TRANSFORMAR AÇÕES EM NÚMEROSBIZCOOL - DATA DRIVEN MARKETING: COMO TRANSFORMAR AÇÕES EM NÚMEROS
BIZCOOL - DATA DRIVEN MARKETING: COMO TRANSFORMAR AÇÕES EM NÚMEROS
Bizcool | Escola Aceleradora
 
Vendas B2B B2C
Vendas B2B B2CVendas B2B B2C
Vendas B2B B2C
Sandro Magaldi
 
Estratégia, Marketing e Vendas - aula 01
Estratégia, Marketing e Vendas - aula 01Estratégia, Marketing e Vendas - aula 01
Estratégia, Marketing e Vendas - aula 01
Silvia Pahins
 
Modelo de Negócio - Canvas - Felipe Baeta
Modelo de Negócio - Canvas - Felipe BaetaModelo de Negócio - Canvas - Felipe Baeta
Modelo de Negócio - Canvas - Felipe Baeta
Startup Saúde Brasil
 
Aula 2 - Criando valor para o cliente - Prof. Rodrigo Sávio
Aula 2 - Criando valor para o cliente - Prof. Rodrigo SávioAula 2 - Criando valor para o cliente - Prof. Rodrigo Sávio
Aula 2 - Criando valor para o cliente - Prof. Rodrigo Sávio
Rodrigo Sávio
 

Mais procurados (20)

BIZCOOL Canvas - todo o seu negócio em uma única folha
BIZCOOL Canvas - todo o seu negócio em uma única folha BIZCOOL Canvas - todo o seu negócio em uma única folha
BIZCOOL Canvas - todo o seu negócio em uma única folha
 
Projeto - Astronauta Parte II
Projeto - Astronauta Parte IIProjeto - Astronauta Parte II
Projeto - Astronauta Parte II
 
Go To Market - Ida ao mercado
Go To Market - Ida ao mercadoGo To Market - Ida ao mercado
Go To Market - Ida ao mercado
 
Remuneração da Força de Vendas
Remuneração da Força de VendasRemuneração da Força de Vendas
Remuneração da Força de Vendas
 
BIZCOOL - Growth hacking
BIZCOOL - Growth hackingBIZCOOL - Growth hacking
BIZCOOL - Growth hacking
 
Inovação em vendas
Inovação em vendasInovação em vendas
Inovação em vendas
 
Fazinova - Canvas
Fazinova - CanvasFazinova - Canvas
Fazinova - Canvas
 
Canvas Modelo de Negócios
 Canvas Modelo de Negócios  Canvas Modelo de Negócios
Canvas Modelo de Negócios
 
Canvas aula 02
Canvas aula 02Canvas aula 02
Canvas aula 02
 
Estratégias Básicas de Marketing para Empresas B2B
Estratégias Básicas de Marketing para Empresas B2BEstratégias Básicas de Marketing para Empresas B2B
Estratégias Básicas de Marketing para Empresas B2B
 
BIZCOOL - Estratégias de crescimento de receitas
BIZCOOL - Estratégias de crescimento de receitasBIZCOOL - Estratégias de crescimento de receitas
BIZCOOL - Estratégias de crescimento de receitas
 
BIZCOOL - Estratégias de aquisição de clientes
BIZCOOL - Estratégias de aquisição de clientes BIZCOOL - Estratégias de aquisição de clientes
BIZCOOL - Estratégias de aquisição de clientes
 
Retenção de Clientes Corporativos
Retenção de Clientes CorporativosRetenção de Clientes Corporativos
Retenção de Clientes Corporativos
 
BMG Canvas palestra na Incubadora
BMG Canvas palestra na IncubadoraBMG Canvas palestra na Incubadora
BMG Canvas palestra na Incubadora
 
Aula 08 - CRM / Prof. Rodrigo Sávio
Aula 08 - CRM / Prof. Rodrigo SávioAula 08 - CRM / Prof. Rodrigo Sávio
Aula 08 - CRM / Prof. Rodrigo Sávio
 
BIZCOOL - DATA DRIVEN MARKETING: COMO TRANSFORMAR AÇÕES EM NÚMEROS
BIZCOOL - DATA DRIVEN MARKETING: COMO TRANSFORMAR AÇÕES EM NÚMEROSBIZCOOL - DATA DRIVEN MARKETING: COMO TRANSFORMAR AÇÕES EM NÚMEROS
BIZCOOL - DATA DRIVEN MARKETING: COMO TRANSFORMAR AÇÕES EM NÚMEROS
 
Vendas B2B B2C
Vendas B2B B2CVendas B2B B2C
Vendas B2B B2C
 
Estratégia, Marketing e Vendas - aula 01
Estratégia, Marketing e Vendas - aula 01Estratégia, Marketing e Vendas - aula 01
Estratégia, Marketing e Vendas - aula 01
 
Modelo de Negócio - Canvas - Felipe Baeta
Modelo de Negócio - Canvas - Felipe BaetaModelo de Negócio - Canvas - Felipe Baeta
Modelo de Negócio - Canvas - Felipe Baeta
 
Aula 2 - Criando valor para o cliente - Prof. Rodrigo Sávio
Aula 2 - Criando valor para o cliente - Prof. Rodrigo SávioAula 2 - Criando valor para o cliente - Prof. Rodrigo Sávio
Aula 2 - Criando valor para o cliente - Prof. Rodrigo Sávio
 

Destaque

Service1.2012pp
Service1.2012ppService1.2012pp
Service1.2012pp
Paulo Oliveira
 
Trainees individual reflection
Trainees individual reflectionTrainees individual reflection
Edital 001.2014 - Processo seletivo TRAINEES NUTEQ
Edital 001.2014 - Processo seletivo TRAINEES NUTEQ Edital 001.2014 - Processo seletivo TRAINEES NUTEQ
Edital 001.2014 - Processo seletivo TRAINEES NUTEQ
André Albano
 
Ateliê jovens talentos
Ateliê jovens talentosAteliê jovens talentos
Tutorial de Cases CEEMPRE Jr
Tutorial de Cases CEEMPRE JrTutorial de Cases CEEMPRE Jr
Tutorial de Cases CEEMPRE Jr
CEEMPRE
 
UNIVERSITUR - Trainee 2011.1
UNIVERSITUR - Trainee 2011.1 UNIVERSITUR - Trainee 2011.1
UNIVERSITUR - Trainee 2011.1
Eduardopsilva
 
KMTURON Business Games
KMTURON Business GamesKMTURON Business Games
KMTURON Business Games
Rafael Turon Balbino
 
Cases de SEO: SEO Camp 2009 / Willie Taminato
Cases de SEO: SEO Camp 2009 / Willie TaminatoCases de SEO: SEO Camp 2009 / Willie Taminato
Cases de SEO: SEO Camp 2009 / Willie Taminato
Willie Taminato
 
Bolsa Estágio e Trainees - abril de 2012
Bolsa Estágio e Trainees - abril de 2012Bolsa Estágio e Trainees - abril de 2012
Bolsa Estágio e Trainees - abril de 2012
Carreira Muller
 
Apresentação Mobile Business - 2014
Apresentação Mobile Business - 2014Apresentação Mobile Business - 2014
Apresentação Mobile Business - 2014
João Teixeira de Carvalho
 
Apresentação Metodologias Enterprise Value Management DOM Strategy Partners ...
Apresentação Metodologias Enterprise Value Management  DOM Strategy Partners ...Apresentação Metodologias Enterprise Value Management  DOM Strategy Partners ...
Apresentação Metodologias Enterprise Value Management DOM Strategy Partners ...
DOM Strategy Partners
 
Cases & Tendências - Educação 2011
Cases & Tendências - Educação 2011Cases & Tendências - Educação 2011
Cases & Tendências - Educação 2011
Gil Giardelli
 
O que é uma startup? Cases de Startups de MS
O que é uma startup? Cases de Startups de MSO que é uma startup? Cases de Startups de MS
O que é uma startup? Cases de Startups de MS
Kenneth Corrêa
 
Praxis Consultoria em Recursos Humanos - Apresentação geral
Praxis Consultoria em Recursos Humanos - Apresentação geralPraxis Consultoria em Recursos Humanos - Apresentação geral
Praxis Consultoria em Recursos Humanos - Apresentação geral
Kleber D. Leal
 
Startups - Conceitos, metodologias e cases de mercado
Startups - Conceitos, metodologias e cases de mercadoStartups - Conceitos, metodologias e cases de mercado
Startups - Conceitos, metodologias e cases de mercado
Mêndel Oliveira
 
Case "Excelência em Treinamento" Prêmio AmBev 2013
Case "Excelência em Treinamento" Prêmio AmBev 2013Case "Excelência em Treinamento" Prêmio AmBev 2013
Case "Excelência em Treinamento" Prêmio AmBev 2013
Fluxo Consultoria
 
Case Projeto Para Trainees 2009
Case Projeto Para Trainees 2009Case Projeto Para Trainees 2009
Case Projeto Para Trainees 2009
bifes
 
Cases de Empresa Júnior de Mato Grosso do Sul - UFMS e UNIDERP
Cases de Empresa Júnior de Mato Grosso do Sul - UFMS e UNIDERPCases de Empresa Júnior de Mato Grosso do Sul - UFMS e UNIDERP
Cases de Empresa Júnior de Mato Grosso do Sul - UFMS e UNIDERP
Kenneth Corrêa
 
Delivery Process
Delivery ProcessDelivery Process
Delivery Process
icxgipbrazil
 
Cibergames Corporativos
Cibergames CorporativosCibergames Corporativos
Cibergames Corporativos
Sautlink
 

Destaque (20)

Service1.2012pp
Service1.2012ppService1.2012pp
Service1.2012pp
 
Trainees individual reflection
Trainees individual reflectionTrainees individual reflection
Trainees individual reflection
 
Edital 001.2014 - Processo seletivo TRAINEES NUTEQ
Edital 001.2014 - Processo seletivo TRAINEES NUTEQ Edital 001.2014 - Processo seletivo TRAINEES NUTEQ
Edital 001.2014 - Processo seletivo TRAINEES NUTEQ
 
Ateliê jovens talentos
Ateliê jovens talentosAteliê jovens talentos
Ateliê jovens talentos
 
Tutorial de Cases CEEMPRE Jr
Tutorial de Cases CEEMPRE JrTutorial de Cases CEEMPRE Jr
Tutorial de Cases CEEMPRE Jr
 
UNIVERSITUR - Trainee 2011.1
UNIVERSITUR - Trainee 2011.1 UNIVERSITUR - Trainee 2011.1
UNIVERSITUR - Trainee 2011.1
 
KMTURON Business Games
KMTURON Business GamesKMTURON Business Games
KMTURON Business Games
 
Cases de SEO: SEO Camp 2009 / Willie Taminato
Cases de SEO: SEO Camp 2009 / Willie TaminatoCases de SEO: SEO Camp 2009 / Willie Taminato
Cases de SEO: SEO Camp 2009 / Willie Taminato
 
Bolsa Estágio e Trainees - abril de 2012
Bolsa Estágio e Trainees - abril de 2012Bolsa Estágio e Trainees - abril de 2012
Bolsa Estágio e Trainees - abril de 2012
 
Apresentação Mobile Business - 2014
Apresentação Mobile Business - 2014Apresentação Mobile Business - 2014
Apresentação Mobile Business - 2014
 
Apresentação Metodologias Enterprise Value Management DOM Strategy Partners ...
Apresentação Metodologias Enterprise Value Management  DOM Strategy Partners ...Apresentação Metodologias Enterprise Value Management  DOM Strategy Partners ...
Apresentação Metodologias Enterprise Value Management DOM Strategy Partners ...
 
Cases & Tendências - Educação 2011
Cases & Tendências - Educação 2011Cases & Tendências - Educação 2011
Cases & Tendências - Educação 2011
 
O que é uma startup? Cases de Startups de MS
O que é uma startup? Cases de Startups de MSO que é uma startup? Cases de Startups de MS
O que é uma startup? Cases de Startups de MS
 
Praxis Consultoria em Recursos Humanos - Apresentação geral
Praxis Consultoria em Recursos Humanos - Apresentação geralPraxis Consultoria em Recursos Humanos - Apresentação geral
Praxis Consultoria em Recursos Humanos - Apresentação geral
 
Startups - Conceitos, metodologias e cases de mercado
Startups - Conceitos, metodologias e cases de mercadoStartups - Conceitos, metodologias e cases de mercado
Startups - Conceitos, metodologias e cases de mercado
 
Case "Excelência em Treinamento" Prêmio AmBev 2013
Case "Excelência em Treinamento" Prêmio AmBev 2013Case "Excelência em Treinamento" Prêmio AmBev 2013
Case "Excelência em Treinamento" Prêmio AmBev 2013
 
Case Projeto Para Trainees 2009
Case Projeto Para Trainees 2009Case Projeto Para Trainees 2009
Case Projeto Para Trainees 2009
 
Cases de Empresa Júnior de Mato Grosso do Sul - UFMS e UNIDERP
Cases de Empresa Júnior de Mato Grosso do Sul - UFMS e UNIDERPCases de Empresa Júnior de Mato Grosso do Sul - UFMS e UNIDERP
Cases de Empresa Júnior de Mato Grosso do Sul - UFMS e UNIDERP
 
Delivery Process
Delivery ProcessDelivery Process
Delivery Process
 
Cibergames Corporativos
Cibergames CorporativosCibergames Corporativos
Cibergames Corporativos
 

Semelhante a 4o CINDIEncontro - Games to Business - Planejamento de Negócios

Modelo de Negocio Canvas_2015.pptx
Modelo de Negocio Canvas_2015.pptxModelo de Negocio Canvas_2015.pptx
Modelo de Negocio Canvas_2015.pptx
JOSELITOFELIXBARBOSA
 
Bootcamp canvas aedb
Bootcamp canvas aedbBootcamp canvas aedb
Bootcamp canvas aedb
Washington Lemos
 
Apresentação Game Dev Day :: Desenvolvimento de Negócios em Game
Apresentação Game Dev Day :: Desenvolvimento de Negócios em GameApresentação Game Dev Day :: Desenvolvimento de Negócios em Game
Apresentação Game Dev Day :: Desenvolvimento de Negócios em Game
Empreendedorismo Senai
 
Canvas tb de piedley - texto
Canvas   tb de piedley - textoCanvas   tb de piedley - texto
Canvas tb de piedley - texto
Priscila Sá
 
Workshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no Insper
Workshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no InsperWorkshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no Insper
Workshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no Insper
Nei Grando
 
Workshop CANVAS Inovação em Modelos de Negócios
Workshop CANVAS Inovação em Modelos de NegóciosWorkshop CANVAS Inovação em Modelos de Negócios
Workshop CANVAS Inovação em Modelos de Negócios
Ana Iara Veras
 
Palestra - Vendas para StartUps (2017) - Fabricio Magayevski
Palestra - Vendas para StartUps (2017) - Fabricio MagayevskiPalestra - Vendas para StartUps (2017) - Fabricio Magayevski
Palestra - Vendas para StartUps (2017) - Fabricio Magayevski
Fabricio Magayevski
 
Webinar Salesforce Catho Empresas: Produtividade em Vendas e RH
Webinar Salesforce Catho Empresas: Produtividade em Vendas e RHWebinar Salesforce Catho Empresas: Produtividade em Vendas e RH
Webinar Salesforce Catho Empresas: Produtividade em Vendas e RH
Salesforce Brasil
 
Palestra Model Canvas
Palestra Model Canvas Palestra Model Canvas
Palestra Model Canvas
Weber Rangel
 
Análise de experiências de criação de negócios
Análise de experiências de criação de negóciosAnálise de experiências de criação de negócios
Análise de experiências de criação de negócios
CRIST1976
 
Business Model Canvas
Business Model CanvasBusiness Model Canvas
Business Model Canvas
Rogério Tadeu
 
Apostila plano de marketingmkt001.v1.2
Apostila plano de marketingmkt001.v1.2Apostila plano de marketingmkt001.v1.2
Apostila plano de marketingmkt001.v1.2
webone
 
Explicando o Modelo de Negócios (canvas) - Virada Empreendedora 2013
Explicando o Modelo de Negócios (canvas) - Virada Empreendedora 2013Explicando o Modelo de Negócios (canvas) - Virada Empreendedora 2013
Explicando o Modelo de Negócios (canvas) - Virada Empreendedora 2013
Nei Grando
 
Aula 04 empreendedorismo
Aula 04 empreendedorismoAula 04 empreendedorismo
Aula 04 empreendedorismo
Homero Alves de Lima
 
Conteúdo de projeto de consultoria vap! vendas de alta performance
Conteúdo de projeto de consultoria   vap! vendas de alta performanceConteúdo de projeto de consultoria   vap! vendas de alta performance
Conteúdo de projeto de consultoria vap! vendas de alta performance
Ernesto Costa Santos
 
Go to-market
Go to-marketGo to-market
Go to-market
Angelica Vieira
 
Ok118 slids como planejar projeto logístico pelo modelo canvas
Ok118 slids  como planejar projeto logístico pelo modelo canvasOk118 slids  como planejar projeto logístico pelo modelo canvas
Ok118 slids como planejar projeto logístico pelo modelo canvas
delano chaves gurgel do amaral
 
Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas
Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas
Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas
Claudia Dias Coach
 
Fundamentos da Técnica Business Model Generation
Fundamentos da Técnica Business Model GenerationFundamentos da Técnica Business Model Generation
Fundamentos da Técnica Business Model Generation
auspin
 
Template_playbook_Vendas-Resultados-Digitais.pptx
Template_playbook_Vendas-Resultados-Digitais.pptxTemplate_playbook_Vendas-Resultados-Digitais.pptx
Template_playbook_Vendas-Resultados-Digitais.pptx
AndreSantos164336
 

Semelhante a 4o CINDIEncontro - Games to Business - Planejamento de Negócios (20)

Modelo de Negocio Canvas_2015.pptx
Modelo de Negocio Canvas_2015.pptxModelo de Negocio Canvas_2015.pptx
Modelo de Negocio Canvas_2015.pptx
 
Bootcamp canvas aedb
Bootcamp canvas aedbBootcamp canvas aedb
Bootcamp canvas aedb
 
Apresentação Game Dev Day :: Desenvolvimento de Negócios em Game
Apresentação Game Dev Day :: Desenvolvimento de Negócios em GameApresentação Game Dev Day :: Desenvolvimento de Negócios em Game
Apresentação Game Dev Day :: Desenvolvimento de Negócios em Game
 
Canvas tb de piedley - texto
Canvas   tb de piedley - textoCanvas   tb de piedley - texto
Canvas tb de piedley - texto
 
Workshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no Insper
Workshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no InsperWorkshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no Insper
Workshop sobre modelos de negocio (canvas) Empreenda-2015 no Insper
 
Workshop CANVAS Inovação em Modelos de Negócios
Workshop CANVAS Inovação em Modelos de NegóciosWorkshop CANVAS Inovação em Modelos de Negócios
Workshop CANVAS Inovação em Modelos de Negócios
 
Palestra - Vendas para StartUps (2017) - Fabricio Magayevski
Palestra - Vendas para StartUps (2017) - Fabricio MagayevskiPalestra - Vendas para StartUps (2017) - Fabricio Magayevski
Palestra - Vendas para StartUps (2017) - Fabricio Magayevski
 
Webinar Salesforce Catho Empresas: Produtividade em Vendas e RH
Webinar Salesforce Catho Empresas: Produtividade em Vendas e RHWebinar Salesforce Catho Empresas: Produtividade em Vendas e RH
Webinar Salesforce Catho Empresas: Produtividade em Vendas e RH
 
Palestra Model Canvas
Palestra Model Canvas Palestra Model Canvas
Palestra Model Canvas
 
Análise de experiências de criação de negócios
Análise de experiências de criação de negóciosAnálise de experiências de criação de negócios
Análise de experiências de criação de negócios
 
Business Model Canvas
Business Model CanvasBusiness Model Canvas
Business Model Canvas
 
Apostila plano de marketingmkt001.v1.2
Apostila plano de marketingmkt001.v1.2Apostila plano de marketingmkt001.v1.2
Apostila plano de marketingmkt001.v1.2
 
Explicando o Modelo de Negócios (canvas) - Virada Empreendedora 2013
Explicando o Modelo de Negócios (canvas) - Virada Empreendedora 2013Explicando o Modelo de Negócios (canvas) - Virada Empreendedora 2013
Explicando o Modelo de Negócios (canvas) - Virada Empreendedora 2013
 
Aula 04 empreendedorismo
Aula 04 empreendedorismoAula 04 empreendedorismo
Aula 04 empreendedorismo
 
Conteúdo de projeto de consultoria vap! vendas de alta performance
Conteúdo de projeto de consultoria   vap! vendas de alta performanceConteúdo de projeto de consultoria   vap! vendas de alta performance
Conteúdo de projeto de consultoria vap! vendas de alta performance
 
Go to-market
Go to-marketGo to-market
Go to-market
 
Ok118 slids como planejar projeto logístico pelo modelo canvas
Ok118 slids  como planejar projeto logístico pelo modelo canvasOk118 slids  como planejar projeto logístico pelo modelo canvas
Ok118 slids como planejar projeto logístico pelo modelo canvas
 
Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas
Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas
Módulo 1- PEV- Programa de Excelência de Vendas
 
Fundamentos da Técnica Business Model Generation
Fundamentos da Técnica Business Model GenerationFundamentos da Técnica Business Model Generation
Fundamentos da Técnica Business Model Generation
 
Template_playbook_Vendas-Resultados-Digitais.pptx
Template_playbook_Vendas-Resultados-Digitais.pptxTemplate_playbook_Vendas-Resultados-Digitais.pptx
Template_playbook_Vendas-Resultados-Digitais.pptx
 

Mais de Fabio Lima

Palestra Encontro Gamer 2016 - FCS na Indústria de Jogos
Palestra Encontro Gamer 2016 - FCS na Indústria de JogosPalestra Encontro Gamer 2016 - FCS na Indústria de Jogos
Palestra Encontro Gamer 2016 - FCS na Indústria de Jogos
Fabio Lima
 
Palestra - A Dinâmica do Mercado de Jogos Eletrônicos
Palestra - A Dinâmica do Mercado de Jogos EletrônicosPalestra - A Dinâmica do Mercado de Jogos Eletrônicos
Palestra - A Dinâmica do Mercado de Jogos Eletrônicos
Fabio Lima
 
Palestra Indústria de Jogos - Estrutura e Organização da Cadeia Produtiva
Palestra Indústria de Jogos - Estrutura e Organização da Cadeia ProdutivaPalestra Indústria de Jogos - Estrutura e Organização da Cadeia Produtiva
Palestra Indústria de Jogos - Estrutura e Organização da Cadeia Produtiva
Fabio Lima
 
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de NegóciosInstituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
Fabio Lima
 
Slides da Qualificação da Dissertação
Slides da Qualificação da DissertaçãoSlides da Qualificação da Dissertação
Slides da Qualificação da Dissertação
Fabio Lima
 
Seminário de Introdução à Pesquisa Científica com foco no Projeto de Pesquisa
Seminário de Introdução à Pesquisa Científica com foco no Projeto de PesquisaSeminário de Introdução à Pesquisa Científica com foco no Projeto de Pesquisa
Seminário de Introdução à Pesquisa Científica com foco no Projeto de Pesquisa
Fabio Lima
 
Gesfin 04 - sistemas de amortização
Gesfin   04 - sistemas de amortizaçãoGesfin   04 - sistemas de amortização
Gesfin 04 - sistemas de amortização
Fabio Lima
 
Gesfin 03 - taxas equivalentes e taxas efetivas
Gesfin   03 - taxas equivalentes e taxas efetivasGesfin   03 - taxas equivalentes e taxas efetivas
Gesfin 03 - taxas equivalentes e taxas efetivas
Fabio Lima
 
Gesfin 02 - Juros Compostos
Gesfin 02 - Juros CompostosGesfin 02 - Juros Compostos
Gesfin 02 - Juros Compostos
Fabio Lima
 
Gesfin 01 - conceitos gerais de finanças e juros simples
Gesfin   01 - conceitos gerais de finanças e juros simplesGesfin   01 - conceitos gerais de finanças e juros simples
Gesfin 01 - conceitos gerais de finanças e juros simples
Fabio Lima
 
20140313 complexidade
20140313   complexidade20140313   complexidade
20140313 complexidade
Fabio Lima
 
02 técnica quantitativa - survey
02   técnica quantitativa - survey02   técnica quantitativa - survey
02 técnica quantitativa - survey
Fabio Lima
 
01 técnica qualitativa - estudo de caso
01   técnica qualitativa - estudo de caso01   técnica qualitativa - estudo de caso
01 técnica qualitativa - estudo de caso
Fabio Lima
 

Mais de Fabio Lima (13)

Palestra Encontro Gamer 2016 - FCS na Indústria de Jogos
Palestra Encontro Gamer 2016 - FCS na Indústria de JogosPalestra Encontro Gamer 2016 - FCS na Indústria de Jogos
Palestra Encontro Gamer 2016 - FCS na Indústria de Jogos
 
Palestra - A Dinâmica do Mercado de Jogos Eletrônicos
Palestra - A Dinâmica do Mercado de Jogos EletrônicosPalestra - A Dinâmica do Mercado de Jogos Eletrônicos
Palestra - A Dinâmica do Mercado de Jogos Eletrônicos
 
Palestra Indústria de Jogos - Estrutura e Organização da Cadeia Produtiva
Palestra Indústria de Jogos - Estrutura e Organização da Cadeia ProdutivaPalestra Indústria de Jogos - Estrutura e Organização da Cadeia Produtiva
Palestra Indústria de Jogos - Estrutura e Organização da Cadeia Produtiva
 
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de NegóciosInstituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
 
Slides da Qualificação da Dissertação
Slides da Qualificação da DissertaçãoSlides da Qualificação da Dissertação
Slides da Qualificação da Dissertação
 
Seminário de Introdução à Pesquisa Científica com foco no Projeto de Pesquisa
Seminário de Introdução à Pesquisa Científica com foco no Projeto de PesquisaSeminário de Introdução à Pesquisa Científica com foco no Projeto de Pesquisa
Seminário de Introdução à Pesquisa Científica com foco no Projeto de Pesquisa
 
Gesfin 04 - sistemas de amortização
Gesfin   04 - sistemas de amortizaçãoGesfin   04 - sistemas de amortização
Gesfin 04 - sistemas de amortização
 
Gesfin 03 - taxas equivalentes e taxas efetivas
Gesfin   03 - taxas equivalentes e taxas efetivasGesfin   03 - taxas equivalentes e taxas efetivas
Gesfin 03 - taxas equivalentes e taxas efetivas
 
Gesfin 02 - Juros Compostos
Gesfin 02 - Juros CompostosGesfin 02 - Juros Compostos
Gesfin 02 - Juros Compostos
 
Gesfin 01 - conceitos gerais de finanças e juros simples
Gesfin   01 - conceitos gerais de finanças e juros simplesGesfin   01 - conceitos gerais de finanças e juros simples
Gesfin 01 - conceitos gerais de finanças e juros simples
 
20140313 complexidade
20140313   complexidade20140313   complexidade
20140313 complexidade
 
02 técnica quantitativa - survey
02   técnica quantitativa - survey02   técnica quantitativa - survey
02 técnica quantitativa - survey
 
01 técnica qualitativa - estudo de caso
01   técnica qualitativa - estudo de caso01   técnica qualitativa - estudo de caso
01 técnica qualitativa - estudo de caso
 

Último

Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Renan Batista Bitcoin
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Dantas
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
AlfeuBuriti1
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Carlos Eduardo Coan Junior
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 

Último (8)

Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
 
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
 
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 

4o CINDIEncontro - Games to Business - Planejamento de Negócios

  • 2. Agenda • Objetivo: • Mostrar a Importância e Apresentar uma Metodologia de Planejamento de Negócios. • Metodologia: • Introdução de alguns Conceitos Fundamentais; • Aplicação Prática do Business Model Generation para Planejamento de Negócios. • Programação: • Conceitos Fundamentais; • Apresentação do Business Model Canvas; • Execução Prática de um Ciclo de Planejamento utilizando o Canvas.
  • 3. @fabionl facebook.com/fabionl fabionl.wordpress.com slideshare.net/fabionl Fábio Nobrega de Lima Marcus Botelho facebook.com/marcus.botelho.3 marcus.itec@gmail.com
  • 4. Alguns Conceitos e Técnicas Relevantes
  • 8. Níveis de Decisões e Planejamentos
  • 11. 5 Forças de Porter
  • 17. EGMENTO DE CLIENTES rimeiro passo no desenvolvimento de um modelo de negócios é o bloco do segmento de clientes. Precisamos tacar dois aspectos importantes que justificam isso: palavra “segmento” possui implícita que se trata da escolha de uma fatia do mercado. Em outras palavras, ecessário que você defina um nicho de clientes. A famosa afirmativa “quem vende para todo mundo, não de para ninguém” é levada a sério no desenvolvimento de um modelo de negócios. Um negócio deve ser desenvolvido a partir da perspectiva do cliente. Percebeu que o bonequinho olha para o delo? Pois é, de nada adianta ter uma boa idéia se você não enxerga por meio dos olhos de quem vai pagar o produto / serviço que você irá entregar. Segmentos de Clientes • Define os Diferentes Grupos de Clientes que se deseja atingir. • Podem ser Pessoas ou Empresas. • Ex: Hardcore gamers, Casual players, etc.
  • 18. FERTA DE VALOR segundo passo é definir a oferta de valor do seu negócio. Entenda que “valor” neste caso significa benefício”. Portanto, é fundamental que você saiba explicitar quais são estes benefícios que seus produtos (ou erviços) entregam para os seus clientes. or exemplo, se o seu produto é um sistema financeiro, sua oferta de valor deverá ser “seu financeiro redondo m apenas 30 minutos por semana”. É claro que isso vai depender de seu sistema. Você pode ter inúmeros enefícios, mas tente resumi-lo em uma única frase. ssa reflexão também é fundamental para que você analise seus diferenciais frente a seus concorrentes. Proposta de Valor • Valor nesse caso significa Benefício. • Responde à perguntas como: • Quais os Benefícios que meus produtos/serviços entregam aos clientes? (para cada segmento) • Porque o Consumidor escolheria meu produto/serviço e não a concorrência? (para cada segmento) • Ex: p/Casual Players: Diversão rápida para passar o tempo.
  • 19. ANAIS nais descrevem quais os caminhos pelos quais a empresa comunica e entrega valor para o cliente. Podemos zer que pela perspectiva do antigo marketing (os 4 Ps), canais representa o “P” de Praça e o “P” de Promoção. canais podem ser de comunicação, vendas e distribuição do produto. Ou seja, qualquer tipo de interface da mpresa com o cliente. Servem para que o segmento definido possa tomar conhecimento e avaliar a oposição de valor do produto, efetuar a compra e uso do mesmo. muito importante verificar que este bloco demonstra graficamente a importância do encaixe estratégico em m modelo de negócios. Canais • Descreve como a empresa se Comunica e Alcança seus Segmentos de Clientes para entregar a Proposta de Valor. • Comunicação, Distribuição e Vendas são as principais interfaces com o consumidor. • São pontos de contato com o consumidor e influenciam a experiência do consumidor. • Ex: Suporte pós-venda, Fórum, Facebook Page/Group.
  • 20. How are our Channels integrated? Which ones work best? Which ones are most cost-eΩicient? How are we integrating them with customer routines? Channels have five distinct phases. Each channel can cover some or all of these phases. We can distinguish between direct Channels and indirect ones, as well as between owned Channels and partner Channels. Finding the right mix of Channels to satisfy how customers want to be reached is crucial in bringing a Value Proposition to market. An organization can choose between reaching its customers through its own Channels, through partner Channels, or through a mix of both. Owned Channels can be direct, such as an in-house sales force or a Web site, or they can be indirect, such as retail stores owned or operated by the organization. Partner Channels are indirect and span a whole range of options, such as wholesale distribution, retail, or partner-owned Web sites. Partner Channels lead to lower margins, but they allow an organization to expand its reach and benefit from partner strengths. Owned Channels and particu- larly direct ones have higher margins, but can be costly to put in place and to operate. The trick is to find the right balance between the diΩerent types of Channels, to integrate them in a way to create a great customer experience, and to maximize revenues. Channel Types Channel Phases Sales force 1. Awareness How do we raise aware- ness about our company’s products and services? 2. Evaluation How do we help custom- ers evaluate our organiza- tion’s Value Proposition? 3. Purchase How do we allow custom- ers to purchase specific products and services? 4. Delivery How do we deliver a Value Proposition to customers? 5. After sales How do we provide post-purchase customer support? Web sales Own stores Partner stores Wholesaler IndirectDirect OwnPartner Canais • Os Canais podem abranger até 5 fases distintas. • Awareness, Evaluation, Purchase, Delivery, After Sales. • Cada Canal pode abranger 1 ou mais fases. • Podem ser Diretos ou Indiretos e Próprios ou Mantidos por Parceiros.
  • 21. RELACIONAMENTO O bloco do relacionamento descreve estratégias que evitam que seus clientes corram para o concorrente por uestões como “preço mais baixo”. Definir boas estratégias de relacionamento é difícil, porém fundamental ara a retenção de clientes. Muitas empresas start-ups adotam um relacionamento baseado em “auto-atendimento”, pelo qual o cliente esolve quase tudo sozinho. No entanto, algumas empresas já perceberam que investir num alto nível de tendimento garante destaque e maior lucratividade. Relacionamento com o Cliente • Descreve os Tipos de Relacionamentos que a empresa estabelece com cada Segmento de Cliente. • Pode ser desde Pessoal a Automático. • Podem ser motivados a: Aquisição de Clientes, Retenção de Clientes, Aumento de Vendas. • Tipos de Relacionamentos: Assistência Pessoal, Assist. Pessoal Dedicada, Self-service, Serviços Automatizados, Comunidades, Co-creation.
  • 22. 01. O MODELO DE BUSINESS MODEL GENERATION FLUXO DE RECEITAS Para fechar o lado direito do modelo de negócios, o fluxo de receitas é o bloco que determina a maneira como o cliente pagará pelos benefícios recebidos. Há uma série de modelos de receita que podem ser adotados. Alguns exemplos são: venda de produtos, assinatura, aluguel, licença, leilão, etc. Para uma lista completa, veja nosso post sobre 12 Formas de Ganhar Dinheiro. O fluxo de receitas é atualmente uma das grandes fontes de inovação. Por exemplo, inúmeras empresas estão transformando seus mercados ao cobrar por assinatura ao invés de por diária e alguns restaurantes passaram a cobrar por tempo de permanência ao invés de cobrar por prato ou por quilo. Fluxos de Receitas • Representa a Entrada de Dinheiro que é gerada por cada Segmento de Consumidor. • Quanto cada Segmento de Consumidor aceita pagar pelo produto/ serviço? • Existem diversos Modelos de Receitas possíveis. Dividem-se em 2 formas de Transação: Transações Únicas e Receitas Recorrentes. • Ex: Venda; Microtransações; Itens Virtuais; Subscriptions; Freemium.
  • 23. 01. O MODELO DE BUSINESS MODEL GENERATION RECURSOS-CHAVE O primeiro bloco do lado esquerdo é o de recursos-chave, que são os ativos fundamentais para fazer o Modelo de Negócios funcionar. Aliás, todo o lado esquerdo está relacionado à parte operacional do negócio. Esse bloco deve ser limitado a descrever o que realmente importa dentro dos ativos de sua empresa. Por exemplo, em uma siderúrgica os recursos-chave são o forno (caldeira) e o laminador. Alguns exemplos de recursos são: ativos físicos, como máquinas ou instalações, intelectuais, como patentes, recursos humanos, como equipe de programadores ou atendimento, etc. Recursos Fundamentais • Descreve os Ativos mais importantes necessários ao Modelo de Negócios. • Permitem alcançar mercados, manter relações com os segmentos de cliente, obter Receitas, etc. • Os Recursos podem ser Físicos, Financeiros, Intelectuais, Humanos. • Podem ser próprios, financiados, alugados, contratos de terceiros. • Ex: Equipamentos para Desenvolver e Testar o Jogo; Serviços de Hospedagem.
  • 24. 01. O MODELO DE BUSINESS MODEL GENERATION ATIVIDADES-CHAVE De forma complementar ao recursos-chave, as atividades devem tratar das atividades mais importantes que a empresa deve fazer de forma constante para que o Modelo de Negócios funcione corretamente. Se uma empresa possui uma plataforma web como recurso-chave, muito provavelmente terá como atividade-chave a manutenção desta plataforma. Alguns exemplos de atividades são: Produção de Bens, Resolução de Problemas, Gestão de Plataformas, Vendas Consultivas, Desenvolvimento de Produtos, etc. Atividades Fundamentais • Descreve as principais atividades necessárias ao Modelo de Negócios. • Ex: Desenvolvimento do Jogo; Gestão da Produção e Distribuição de Caixas; Criação de conteúdo para blog; Gestão do Relacionamento com o Fornecedor da Plataforma.
  • 25. 01. O MODELO DE BUSINESS MODEL GENERATION PARCERIAS-CHAVE “Parceiros-chave” em um modelo de negócios refere-se primordialmente a terceirizações (fornecedores). Como dito anteriormente, o lado esquerdo trata de quesitos operacionais, portanto o bloco parcerias lista outras empresas que ajudam seu negócio a entregar a oferta de valor. Qualquer tipo de tarefa ou matéria-prima essencial fornecida por outra empresa e que garante o funcionamento do Modelo de Negócios deve ser listada neste bloco. Parcerias Fundamentais • Descreve a rede de suprimentos e parceiros que viabilizam o Modelo de Negócios. • 4 Diferentes tipos de Parcerias: • Alianças Estratégicas entre Não Competidores. • Coopetição: Parceria Estratégica entre Competidores. • Joint Ventures para o Desenvolvimento de Novos Negócios. • Relacionamento Comprador-Fornecedor para garantir Suprimento Confiável.
  • 26. 01. O MODELO DE BUSINESS MODEL GENERATION PARCERIAS-CHAVE “Parceiros-chave” em um modelo de negócios refere-se primordialmente a terceirizações (fornecedores). Como dito anteriormente, o lado esquerdo trata de quesitos operacionais, portanto o bloco parcerias lista outras empresas que ajudam seu negócio a entregar a oferta de valor. Qualquer tipo de tarefa ou matéria-prima essencial fornecida por outra empresa e que garante o funcionamento do Modelo de Negócios deve ser listada neste bloco. Parcerias Fundamentais • Motivações para Criar Parcerias: • Optimização e Economia de Escala; • Redução de Riscos e Incertezas; • Aquisição de Recursos e Atividades Específicas. • Ex: Programadores/Designers Freelancers; Pessoas- Chave para Divulgação.
  • 27. 01. O MODELO DE BUSINESS MODEL GENERATION ESTRUTURA DE CUSTOS O último bloco do modelo descreve todos os principais custos que têm peso no financeiro e são derivados da operacionalização do Modelo de Negócios. Eles serão provavelmente oriundos dos blocos de recursos, atividades e parcerias-chave. Porém, também será possível que custos de canais sejam considerados como, por exemplo, comissão de vendedores. Estrutura de Custos • Descreve os custos necessários para Operar o Modelo de Negócios. • Todas as decisões repercutem na Estrutura de Custos. • Tipos: Custos Fixos; Custos Variáveis; Economias de Escala; Sinergias, etc. • Ex: Descontos da Appstore; Custo de Servidor; Licensas de Softwares; Mão-de-Obra; Freelancers; Divulgação.
  • 29. Skype claims it has over 400 million reg- istered users who have made more than 100 payment providers distribution partners telco partners software development free internet & video calling cheap calls to phones (skypeout) mass customized web users globally people who want to call phones software developers software skype.com headset partnerships software development complaint management free skypeout pre-paid or subscription hardware sales Skype VP CR CH CSKP KA KR R$C$ Over 90 percent of Skype Exemplo: Skype
  • 31. Bibliografia • Luz Lab de Ideias. O Analista de Modelos de Negócios - 75 exemplos para empreendedores dominarem a técnica de modelagem e prototipagem de negócios inovadores. ebook. 2012. Disponível em: https://luz.vc/ • OSTERWALDER, Alexander; PIGNEUR, Yves. Business Model Generation: A Handbook For Visionaries, Game Changers, And Challengers. Wiley, 2010. • Sites: • http://www.businessmodelgeneration.com/ • http://startupsorocaba.com/canvas-o-que-e-business-model-canvas/ • http://viversemchefe.com/melhor-do-que-um-plano-de-negocio-o- business-model-canvas/ • http://viversemchefe.com/business-model-canvas-em-portugues/