SlideShare uma empresa Scribd logo
Biomas
O que é Bioma? 
São as grandes formações vegetais encontradas nos diferentes continentes. Os 
biomas agregam diversos tipos de ecossistemas que compõem diferentes 
florestas do mundo e ainda outras formações não florestais, como o deserto. A 
distribuição dos biomas terrestres está diretamente ligada ao clima, uma vez 
que são diferentes condições de temperatura, chuva e incidência de luz solar 
nas várias regiões do planeta que determinam a existência dos diferentes tipos 
de vida. Desse modo, praticamente cada tipo climático corresponde a um bioma, 
marcado por uma determinada cobertura vegetal. 
2
Biomas Mundiais 
 Floresta Tropical; 
 Savanas; 
 Florestas temperadas; 
 Campos Temperados; 
 Desertos; 
 Tundra; 
 Taiga; 
 Chaparral; 
 Alpes.
Biomas Mundiais
Floresta Tropical 
Florestas tropicais têm como característica principal as chuvas 
constantes. São locais de alta biodiversidade, isto é, com muita riqueza 
de espécies, como a Floresta Amazônica. 
5
Floresta Tropical 
6
Savana 
A vegetação predominante são as gramíneas, plantas rasteiras que 
parecem grama, além de poucas árvores altas e alguns arbustos isolados. 
O clima é tropical, com estação seca. 
7
Savana 
8
Florestas temperadas 
São florestas tropicais que apresentam um período de forte seca. Uma 
característica bastante marcante nesta floresta é que cerca de 70% 
das folhas das árvores caem no período sem chuva. 
9
Florestas temperadas 
10
Campos Temperados 
Ocorrem em todos os continentes. Esses biomas possuem precipitação 
anual de 250 a 750 mm e os verões são muito mais quentes que os 
invernos, com nítida diferença nas estações podendo sofrer secas 
sazonais. A vegetação predominante é herbácea, geralmente baixa. De 
todos os biomas esse é o mais utilizado e transformado por ações 
humanas, muitos dos alimentos são produzidos nestes biomas. 
11
Campos Temperados 
12
Desertos 
Local com pouca precipitação, isto é, onde chove muito pouco. Só animais 
muito adaptados à falta de água conseguem viver neste ambiente. As 
temperaturas do deserto apresentam grandes variações, podendo atingir 
50ºC durante o dia e -1ºC à noite. 
13
Desertos 
14
Tundra 
É a vegetação das regiões de clima polar, com espécies que se 
reproduzem rapidamente e suportam baixas temperaturas. Essa 
vegetação é um enorme bioma que ocupa aproximadamente um quinto da 
superfície terrestre. Apresenta verões muito curtos e temperatura 
média entre -8ºC e -4ºC. 
15
Tundra 
16
Taiga 
Também conhecida por floresta de coníferas ou floresta boreal, é 
encontrada no norte do Alasca, no Canadá, no sul da Groenlândia, em 
parte da Noruega, na Suécia, na Finlândia, na Sibéria e no Japão. O clima 
é frio e quase não chove. As principais árvores são os pinheiros. 
17
Taiga 
18
Chaparral 
Esta floresta lembra um matagal e é encontrada principalmente no 
estado da Califórnia, nos Estados Unidos, e na porção norte da península 
de Baja Califórnia, no México. É um bioma característico de clima 
mediterrâneo, com invernos suaves e úmidos, verões quentes e secos. 
19
Chaparral 
20
Alpes 
Formado por conjunto de montanhas, as cordilheiras. A vegetação varia 
de acordo com a localização da cordilheira e está adaptada a baixas 
temperaturas. 
21
Alpes 
22
Biomas Brasileiros 
 Floresta Amazônica; 
 Mata Atlântica; 
 Cerrado; 
 Caatinga; 
 Pantanal; 
 Pampa; 
 Floresta de Araucárias; 
 Floresta de Cocais; 
 Manguezais.
Biomas Brasileiros
Floresta Amazônica 
Maior e mais diversa floresta tropical do planeta, com quase 7 milhões de 
km2 e abrigando mais de um terço das espécies existentes no mundo. 
Sendo que, mais da metade deste bioma está localizado em terras 
brasileiras. A Amazônia não é só uma floresta, lá está localizado a maior 
bacia hidrográfica do mundo, a bacia amazônica, com mais de 1.100 
afluentes. A Amazônia pode ser dividida em dois tipos de relevo: as 
várzeas que se estendem ao longo dos rios e estão sempre inundadas e 
as florestas de terra firme, que cobrem a maior parte da floresta. 
25
Floresta Amazônica 
26
Floresta Amazônica 
Possui uma das mais ricas biodiversidades do mundo, nessa floresta 
reside uma grande variedade de seres vivos, vegetal e animal. Alguns 
registros e pesquisas revelam que na Floresta Amazônica, existem 
aproximadamente cerca de 1.800 espécies diferentes de aves, 2.500 de 
peixes, 320 de mamíferos e dezenas de espécies de répteis, anfíbios e 
insetos. No entanto, esses números apresentados não são totalmente 
definitivos, pois por falta de pesquisas, muitas espécies de animais ainda 
continuam desconhecidas pela classe científica e pelo público em geral. 
27
Floresta Amazônica 
28 
Tucano-de-bico-preto (Ramphastos vitellinus) 
Borboleta-azul (Morpha menelaus menelaus) 
Arara-vermelha (Ara macao)
Mata Atlântica 
Já cobriu cerca de 15% do território nacional. Hoje, restam apenas 
cerca de 7% da cobertura original da Mata. A Mata Atlântica, 
juntamente com a Amazônia, compreende um terço da área de florestas 
tropicais da Terra. Este bioma se formou sobre uma extensa cadeia de 
montanhas que acompanha quase todo o litoral brasileiro. Nela são 
encontrados diversos animais ameaçados de extinção. 
29
Mata Atlântica 
30
Mata Atlântica 
Possui uma grande riqueza em sua fauna e flora abrigando centenas de 
espécies, sendo muitas endêmicas, isto é, que são apenas encontradas 
em seu território. O bioma possui atualmente cerca de 20 mil espécies 
de plantas (8 mil delas são endêmicas), 992 espécies de pássaros, 372 
de anfíbios, 350 de peixes, 270 espécies conhecidas de mamíferos 
(podendo haver outras ainda não catalogadas) e 197 espécies de répteis. 
O Brasil possui 633 espécies de animais que estão em pleno risco de 
extinção e deste número 383 estão presentes na Mata Atlântica. 
31
Mata Atlântica 
32 
Mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia) 
Onça-pintada (Panthera onca) 
Pau-brasil (Caesalpinia echinata)
Cerrado 
Se caracteriza por diversas fisionomias. Estas formações variam desde o 
cerradão, que se assemelha a uma floresta, no entanto mais seca, passando pelo 
cerrado mais comum no Brasil central, com árvores baixas e esparsas, até o 
campo cerrado, campo sujo e campo limpo com uma progressiva redução da 
densidade arbórea. Ali, ainda encontram-se as florestas de galeria que seguem 
os cursos dos rios. Apesar de possuir uma aparência árida e ter solo pobre 
apresenta uma rica biodiversidade, sendo considerado o bioma de savana mais 
diverso do planeta com mais de 10 mil espécies de plantas. 
33
Cerrado 
34
Cerrado 
O conjunto de animais que fazem parte do elenco do cerrado é único. 
Desde mamíferos até insetos, este bioma reúne uma capacidade incrível 
de singularidade. As árvores são bastante peculiares, também estando 
presentes os pequenos arbustos. Seus caules e galhos são retorcidos, 
distribuindo-se por um vasto campo coberto por gramíneas, passando a 
uma altura de mais de 15 metros, em média. As suas raízes são 
profundas, com cascas duras e grossas. 
35
Cerrado 
36 
Tapirus ou Antas (Tapirus terrestris) 
Beija-flor-de-gravata-verde (Augastes scutatus) 
Guariroba (Syagrus oleracea)
Caatinga 
É o único ecossistema tipicamente brasileiro e pode ser encontrado em 
regiões de clima semiárido com baixíssimas incidências de chuva, o que 
caracteriza a aparência de sua vegetação. Apesar de raso e conter uma 
grande quantidade de pedras, o solo é razoavelmente fértil. No entanto, 
as secas prolongadas que às vezes podem durar mais de um ano e o da 
maioria dos rios serem sazonais, com exceção do rio São Francisco, a 
agricultura na região só se torna viável com a construção de açudes e 
irrigação do solo. 
37
Caatinga 
38
Caatinga 
A fauna é bastante rica e possui espécies variadas como o gambá, asa 
branca, (inclusive ameaçada de extinção), entre outras como cachorro do 
mato, arara azul insetos, aracnídeos e roedores diversos. São cerca de 
45 espécies diferentes de serpentes, 44 espécies de anuros (sapos e 
rãs), 47 de lagartos sendo 7 de anfíbios e 4 espécies de quelônios 
(família das tartarugas). 
39
Caatinga 
40 
Gambá-de-orelha-branca (Didelphis albiventris) 
Arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) 
Calango-de-cauda-verde 
(Ameivula venetacaudus)
Caatinga 
A flora é caracterizada pela pouca incidência de chuvas na região, o que 
deixa as plantas com aspecto frágil. Elas geralmente possuem galhos 
retorcidos e raízes longas, para poder alcançar a água necessária no 
lençol freático, algumas usam de recursos como pouca ou nenhuma 
folhagem e espinhos para diminuir a transpiração e assim a perda de 
água. Os estratos presentes são: Herbáceo (com plantas de altura 
inferior a 2 metros), o Arbustivo (com plantas que vão de 2 a 5 metros) 
e o Arbóreo (com árvores que podem atingir de 8 a 12 metros de altura). 
41
Caatinga 
42 
Mandacaru (Cereus jamacaru) 
Cumaru-nordestino (Amburana cearensis) 
Braúna-do-sertão 
(Schinopsis brasiliensis)
Caatinga 
Estiagem Época de chuva 
43
Pantanal 
É uma área de inundação contínua, sendo o Pantanal Mato-grossense a 
maior planície de inundação contínua do planeta. A região é uma área de 
transição e, por isso, apresenta um grande mosaico de ecossistemas 
terrestres. 
44
Pantanal 
45
Pantanal 
Apesar da grande biodiversidade, com 1.647 espécies de plantas e mais 
de 1.000 espécies de vertebrados superiores, o Pantanal apresenta 
baixo endemismo, conceito de espécies exclusiva de uma determinada 
região. 
46
Pantanal 
Tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) 
47 
Piúva (Handroanthus impetiginosus) 
- árvore nativa da Mata Atlântica brasileira. 
Jaburu (Jabiru mycteria)
Pampa 
Bioma de campo temperado que ocorre no sul do Brasil. Esses campos 
são dominados por gramíneas que variam entre 10 e 50 cm de altura e o 
solo é naturalmente fértil. O pampa gaúcho, que corresponde a 63% do 
território do Rio Grande do Sul, é um dos maiores centros de 
biodiversidade campestre do mundo. 
48
Pampa 
49
Pampa 
Na parte brasileira do bioma, existem cerca de 3 000 espécies de 
plantas vasculares, sendo que aproximadamente quatrocentas são 
gramíneas, como capim-mimoso, pelo menos 385 espécies de aves, como 
pica-paus, caturritas e anus-pretos e noventa de mamíferos terrestres, 
como guaraxains, veados e tatus. 
50
Pampa 
51 
Capim-mimoso (Axonopus purpusii) 
Caturrita (Myiopsitta monachus) 
Guaraxaim (Cerdocyon thous)
Floresta de Araucárias 
Bioma com chuva durante o ano todo, normalmente em altitudes 
elevadas, e que contém espécies de angiospermas mas também de 
coníferas. É caracterizada pela presença da Araucaria angustifolia que 
nela imprime um aspecto próprio e único. 
52
Floresta de Araucárias 
53
Floresta de Araucárias 
É um dos ecossistemas mais ricos em relação à biodiversidade de 
espécies animais, contando com indivíduos endêmicos, raros, ameaçados 
de extinção, espécies migratórias, cinegéticas e de interesse econômico 
da Floresta Atlântica e Campos Sulinos. Apresenta 3 estratos bem 
definidos: Arbóreo, Arbustivo e o Herbáceo. 
54
Floresta de Araucárias 
55 
Macuco (Tinamus solitarius) 
Tiê-sangue (Ramphocelus bresilius) 
Araucária (Araucaria angustifólia)
Floresta de Cocais 
É um interespaço transicional brasileiro, que fica entre a floresta 
amazônica e a caatinga e ocupa os estados do Maranhão, Piauí, Ceará, 
Pará e o norte do Tocantins. Tem esse nome pela alta quantia de cocais, 
principalmente o babaçu e a carnaúba. 
56
Floresta de Cocais 
57
Floresta de Cocais 
A fauna é muito diversificada, tendo, porém, poucos mamíferos de 
grande porte. Ao nível do solo há poucos animais, vivendo a maioria nas 
copas das árvores. Nas água dos rios podem ser encontrados o boto, a 
ariranha e o tamanduá-bandeira. A vegetação é composta de florestas 
tropicais e amazonenses secundários, ou, florestas "reconstituídas pós-desmatamento“. 
58
Floresta de Cocais 
59 
Ariranha (Pteronura brasiliensis) 
Babaçu (Orbignya martiana) 
Acará Bandeira 
(Pterophyllum scalare)
Manguezais 
É um ecossistema típico de áreas costeiras alagadas em regiões de clima 
tropical ou subtropical. O Mangue é o tipo de vegetação predominante 
nos manguezais. O Brasil possui a maior faixa de manguezal do planeta 
com cerca de 20 mil km² que se estendem desde o nordeste até o sul do 
país. Seu solo é bastante rico em nutrientes e matéria orgânica com 
características lodosas e, composto por raízes e material vegetal 
parcialmente decomposto (turfa). 
60
Manguezais 
61
Manguezais 
O manguezal desenvolve-se nos estuários e na foz dos rios sendo um 
berçário para muitas espécies de animais. É composto por apenas três 
tipos de árvores: o mangue-bravo ou vermelho, o mangue-seriba ou 
seriúba e o mangue-branco, que podem chegar a até 20 metros de altura 
em alguns lugares do país. 
62
Manguezais 
63 
Carcará (Caracara plancus) 
Caranguejo-uçá (Ucides cordatus) 
Mangue-vermelho 
(Rhizophora mangle)
Ecótono (Ecótone) 
Consiste em áreas de transição ambiental, onde comunidades ecológicas 
diferentes entram em contato. Podem ser mudanças bruscas na 
vegetação em diferentes gradientes ecológicos, e assim são 
considerados potenciais indicadores de respostas a mudanças climáticas 
e reguladores de fluxos nos ambientes e, por isso, possuem uma grande 
biodiversidade sendo encontrados organismos pertencentes aos 
ecossistemas em contato ou a espécies endêmicas do próprio ecótono 
64
Ecótono (Ecótone) 
Caniçais são uma forma comum de ecótono que ocorre em 
litoral de lagos. O fundo do lago tende a acumular matéria 
orgânica que é, então, colonizado por árvores, obrigando os 
juncos a adentrar no lago. 
65

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
Leandro A. Machado de Moura
 
Origem e formação da terra
Origem e formação da terraOrigem e formação da terra
Origem e formação da terra
karolpoa
 
Clima e vegetação
Clima e vegetaçãoClima e vegetação
Clima e vegetação
Salageo Cristina
 
Brasil – domínios morfoclimáticos
Brasil – domínios morfoclimáticosBrasil – domínios morfoclimáticos
Brasil – domínios morfoclimáticos
Professor
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
Tânia Reis
 
Grandes biomas terrestres
Grandes biomas terrestresGrandes biomas terrestres
Grandes biomas terrestres
João José Ferreira Tojal
 
Manguezais
ManguezaisManguezais
Os biomas brasileiros
Os biomas brasileirosOs biomas brasileiros
Os biomas brasileiros
Portal do Vestibulando
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
Edmar Souza
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
PIBID Joel Job
 
Hábitat e nicho
Hábitat e nichoHábitat e nicho
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos
dela28
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
Maicon Azevedo
 
Biomas cerrado-2
Biomas   cerrado-2Biomas   cerrado-2
Biomas cerrado-2
Vinícius Nonato
 
Fenômenos climáticos
Fenômenos climáticosFenômenos climáticos
Fenômenos climáticos
Maria Olandina Machado
 
Vegetação
VegetaçãoVegetação
Vegetação
Letícia Santos
 
Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos
Giovanna Ortiz
 
Atmosfera
AtmosferaAtmosfera
Atmosfera
Simone Peixoto
 
Estrutura Interna Da Terra
Estrutura Interna Da TerraEstrutura Interna Da Terra
Estrutura Interna Da Terra
Sérgio Luiz
 
Adaptações dos seres vivos
Adaptações dos seres vivosAdaptações dos seres vivos
Adaptações dos seres vivos
Andrea Barreto
 

Mais procurados (20)

Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
 
Origem e formação da terra
Origem e formação da terraOrigem e formação da terra
Origem e formação da terra
 
Clima e vegetação
Clima e vegetaçãoClima e vegetação
Clima e vegetação
 
Brasil – domínios morfoclimáticos
Brasil – domínios morfoclimáticosBrasil – domínios morfoclimáticos
Brasil – domínios morfoclimáticos
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
Grandes biomas terrestres
Grandes biomas terrestresGrandes biomas terrestres
Grandes biomas terrestres
 
Manguezais
ManguezaisManguezais
Manguezais
 
Os biomas brasileiros
Os biomas brasileirosOs biomas brasileiros
Os biomas brasileiros
 
Cerrado
CerradoCerrado
Cerrado
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Hábitat e nicho
Hábitat e nichoHábitat e nicho
Hábitat e nicho
 
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 
Biomas cerrado-2
Biomas   cerrado-2Biomas   cerrado-2
Biomas cerrado-2
 
Fenômenos climáticos
Fenômenos climáticosFenômenos climáticos
Fenômenos climáticos
 
Vegetação
VegetaçãoVegetação
Vegetação
 
Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos
 
Atmosfera
AtmosferaAtmosfera
Atmosfera
 
Estrutura Interna Da Terra
Estrutura Interna Da TerraEstrutura Interna Da Terra
Estrutura Interna Da Terra
 
Adaptações dos seres vivos
Adaptações dos seres vivosAdaptações dos seres vivos
Adaptações dos seres vivos
 

Semelhante a 4 biomas

Biomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasilBiomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasil
Adriana Gomes Messias
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
Esequias Bueno
 
Biomas do Brasil (Ecossistemas terrestres) e Ecossistemas Aquáticos
Biomas do Brasil (Ecossistemas terrestres) e Ecossistemas Aquáticos Biomas do Brasil (Ecossistemas terrestres) e Ecossistemas Aquáticos
Biomas do Brasil (Ecossistemas terrestres) e Ecossistemas Aquáticos
Adna Myrella
 
Principais ecossistemas brasileiros
Principais ecossistemas brasileirosPrincipais ecossistemas brasileiros
Principais ecossistemas brasileiros
Patricia Alcantara
 
Geografia vegetação aprovação virtual
Geografia vegetação aprovação virtualGeografia vegetação aprovação virtual
Geografia vegetação aprovação virtual
Paulo Henrique Netinho
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
Paulo Vitor
 
Ecossistemas Brasileiros.pdf
Ecossistemas Brasileiros.pdfEcossistemas Brasileiros.pdf
Ecossistemas Brasileiros.pdf
AndressaCosta90
 
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAISSAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
Conceição Fontolan
 
Taiany e Victor
Taiany e VictorTaiany e Victor
Taiany e Victor
inclusaodigital2011
 
Vegeta. brasileira 2010
Vegeta. brasileira 2010Vegeta. brasileira 2010
Vegeta. brasileira 2010
petrivanacarvalho
 
Domínio morfoclimático
Domínio morfoclimáticoDomínio morfoclimático
Domínio morfoclimático
Adriana Gomes Messias
 
Biomas , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Biomas  , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADOBiomas  , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Biomas , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Conceição Fontolan
 
Biomas.ppt
Biomas.pptBiomas.ppt
Biomas.ppt
RedneyAlesi
 
Biomas.ppt
Biomas.pptBiomas.ppt
Biomas.ppt
Biomas.pptBiomas.ppt
Biomas.ppt
LinoReis1
 
Os grandes biomas terrestres e aquáticos
Os grandes biomas terrestres e aquáticosOs grandes biomas terrestres e aquáticos
Os grandes biomas terrestres e aquáticos
Fábio Oliveira
 
Domínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileirosDomínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileiros
Alessandra Vieira da Silva
 
Biomas brasileiros completo (1)
Biomas brasileiros completo (1)Biomas brasileiros completo (1)
Biomas brasileiros completo (1)
norivalfp
 
Biomas do Brasil
Biomas do BrasilBiomas do Brasil
Biomas do Brasil
Fábio Ianomami
 
Principais biomas brasileiros
Principais biomas brasileirosPrincipais biomas brasileiros
Principais biomas brasileiros
Luis Augusto
 

Semelhante a 4 biomas (20)

Biomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasilBiomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasil
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 
Biomas do Brasil (Ecossistemas terrestres) e Ecossistemas Aquáticos
Biomas do Brasil (Ecossistemas terrestres) e Ecossistemas Aquáticos Biomas do Brasil (Ecossistemas terrestres) e Ecossistemas Aquáticos
Biomas do Brasil (Ecossistemas terrestres) e Ecossistemas Aquáticos
 
Principais ecossistemas brasileiros
Principais ecossistemas brasileirosPrincipais ecossistemas brasileiros
Principais ecossistemas brasileiros
 
Geografia vegetação aprovação virtual
Geografia vegetação aprovação virtualGeografia vegetação aprovação virtual
Geografia vegetação aprovação virtual
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 
Ecossistemas Brasileiros.pdf
Ecossistemas Brasileiros.pdfEcossistemas Brasileiros.pdf
Ecossistemas Brasileiros.pdf
 
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAISSAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
 
Taiany e Victor
Taiany e VictorTaiany e Victor
Taiany e Victor
 
Vegeta. brasileira 2010
Vegeta. brasileira 2010Vegeta. brasileira 2010
Vegeta. brasileira 2010
 
Domínio morfoclimático
Domínio morfoclimáticoDomínio morfoclimático
Domínio morfoclimático
 
Biomas , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Biomas  , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADOBiomas  , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Biomas , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
 
Biomas.ppt
Biomas.pptBiomas.ppt
Biomas.ppt
 
Biomas.ppt
Biomas.pptBiomas.ppt
Biomas.ppt
 
Biomas.ppt
Biomas.pptBiomas.ppt
Biomas.ppt
 
Os grandes biomas terrestres e aquáticos
Os grandes biomas terrestres e aquáticosOs grandes biomas terrestres e aquáticos
Os grandes biomas terrestres e aquáticos
 
Domínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileirosDomínios morfoclimáticos brasileiros
Domínios morfoclimáticos brasileiros
 
Biomas brasileiros completo (1)
Biomas brasileiros completo (1)Biomas brasileiros completo (1)
Biomas brasileiros completo (1)
 
Biomas do Brasil
Biomas do BrasilBiomas do Brasil
Biomas do Brasil
 
Principais biomas brasileiros
Principais biomas brasileirosPrincipais biomas brasileiros
Principais biomas brasileiros
 

Mais de Nataliana Cabral

3 estratégias de disfarce
3   estratégias de disfarce3   estratégias de disfarce
3 estratégias de disfarce
Nataliana Cabral
 
2 relações ecológicas
2   relações ecológicas2   relações ecológicas
2 relações ecológicas
Nataliana Cabral
 
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
Nataliana Cabral
 
A Corrente do Bem
A Corrente do BemA Corrente do Bem
A Corrente do Bem
Nataliana Cabral
 
Emílio, ou da educação
Emílio, ou da educaçãoEmílio, ou da educação
Emílio, ou da educação
Nataliana Cabral
 
Energia limpa uma questão de necessidade
Energia limpa   uma questão de necessidadeEnergia limpa   uma questão de necessidade
Energia limpa uma questão de necessidade
Nataliana Cabral
 
Aplicação dos Metais do Grupo I
Aplicação dos Metais do Grupo IAplicação dos Metais do Grupo I
Aplicação dos Metais do Grupo I
Nataliana Cabral
 

Mais de Nataliana Cabral (7)

3 estratégias de disfarce
3   estratégias de disfarce3   estratégias de disfarce
3 estratégias de disfarce
 
2 relações ecológicas
2   relações ecológicas2   relações ecológicas
2 relações ecológicas
 
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas1   conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
1 conceitos básicos de ecologia e relações ecológicas
 
A Corrente do Bem
A Corrente do BemA Corrente do Bem
A Corrente do Bem
 
Emílio, ou da educação
Emílio, ou da educaçãoEmílio, ou da educação
Emílio, ou da educação
 
Energia limpa uma questão de necessidade
Energia limpa   uma questão de necessidadeEnergia limpa   uma questão de necessidade
Energia limpa uma questão de necessidade
 
Aplicação dos Metais do Grupo I
Aplicação dos Metais do Grupo IAplicação dos Metais do Grupo I
Aplicação dos Metais do Grupo I
 

Último

Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 

4 biomas

  • 2. O que é Bioma? São as grandes formações vegetais encontradas nos diferentes continentes. Os biomas agregam diversos tipos de ecossistemas que compõem diferentes florestas do mundo e ainda outras formações não florestais, como o deserto. A distribuição dos biomas terrestres está diretamente ligada ao clima, uma vez que são diferentes condições de temperatura, chuva e incidência de luz solar nas várias regiões do planeta que determinam a existência dos diferentes tipos de vida. Desse modo, praticamente cada tipo climático corresponde a um bioma, marcado por uma determinada cobertura vegetal. 2
  • 3. Biomas Mundiais  Floresta Tropical;  Savanas;  Florestas temperadas;  Campos Temperados;  Desertos;  Tundra;  Taiga;  Chaparral;  Alpes.
  • 5. Floresta Tropical Florestas tropicais têm como característica principal as chuvas constantes. São locais de alta biodiversidade, isto é, com muita riqueza de espécies, como a Floresta Amazônica. 5
  • 7. Savana A vegetação predominante são as gramíneas, plantas rasteiras que parecem grama, além de poucas árvores altas e alguns arbustos isolados. O clima é tropical, com estação seca. 7
  • 9. Florestas temperadas São florestas tropicais que apresentam um período de forte seca. Uma característica bastante marcante nesta floresta é que cerca de 70% das folhas das árvores caem no período sem chuva. 9
  • 11. Campos Temperados Ocorrem em todos os continentes. Esses biomas possuem precipitação anual de 250 a 750 mm e os verões são muito mais quentes que os invernos, com nítida diferença nas estações podendo sofrer secas sazonais. A vegetação predominante é herbácea, geralmente baixa. De todos os biomas esse é o mais utilizado e transformado por ações humanas, muitos dos alimentos são produzidos nestes biomas. 11
  • 13. Desertos Local com pouca precipitação, isto é, onde chove muito pouco. Só animais muito adaptados à falta de água conseguem viver neste ambiente. As temperaturas do deserto apresentam grandes variações, podendo atingir 50ºC durante o dia e -1ºC à noite. 13
  • 15. Tundra É a vegetação das regiões de clima polar, com espécies que se reproduzem rapidamente e suportam baixas temperaturas. Essa vegetação é um enorme bioma que ocupa aproximadamente um quinto da superfície terrestre. Apresenta verões muito curtos e temperatura média entre -8ºC e -4ºC. 15
  • 17. Taiga Também conhecida por floresta de coníferas ou floresta boreal, é encontrada no norte do Alasca, no Canadá, no sul da Groenlândia, em parte da Noruega, na Suécia, na Finlândia, na Sibéria e no Japão. O clima é frio e quase não chove. As principais árvores são os pinheiros. 17
  • 19. Chaparral Esta floresta lembra um matagal e é encontrada principalmente no estado da Califórnia, nos Estados Unidos, e na porção norte da península de Baja Califórnia, no México. É um bioma característico de clima mediterrâneo, com invernos suaves e úmidos, verões quentes e secos. 19
  • 21. Alpes Formado por conjunto de montanhas, as cordilheiras. A vegetação varia de acordo com a localização da cordilheira e está adaptada a baixas temperaturas. 21
  • 23. Biomas Brasileiros  Floresta Amazônica;  Mata Atlântica;  Cerrado;  Caatinga;  Pantanal;  Pampa;  Floresta de Araucárias;  Floresta de Cocais;  Manguezais.
  • 25. Floresta Amazônica Maior e mais diversa floresta tropical do planeta, com quase 7 milhões de km2 e abrigando mais de um terço das espécies existentes no mundo. Sendo que, mais da metade deste bioma está localizado em terras brasileiras. A Amazônia não é só uma floresta, lá está localizado a maior bacia hidrográfica do mundo, a bacia amazônica, com mais de 1.100 afluentes. A Amazônia pode ser dividida em dois tipos de relevo: as várzeas que se estendem ao longo dos rios e estão sempre inundadas e as florestas de terra firme, que cobrem a maior parte da floresta. 25
  • 27. Floresta Amazônica Possui uma das mais ricas biodiversidades do mundo, nessa floresta reside uma grande variedade de seres vivos, vegetal e animal. Alguns registros e pesquisas revelam que na Floresta Amazônica, existem aproximadamente cerca de 1.800 espécies diferentes de aves, 2.500 de peixes, 320 de mamíferos e dezenas de espécies de répteis, anfíbios e insetos. No entanto, esses números apresentados não são totalmente definitivos, pois por falta de pesquisas, muitas espécies de animais ainda continuam desconhecidas pela classe científica e pelo público em geral. 27
  • 28. Floresta Amazônica 28 Tucano-de-bico-preto (Ramphastos vitellinus) Borboleta-azul (Morpha menelaus menelaus) Arara-vermelha (Ara macao)
  • 29. Mata Atlântica Já cobriu cerca de 15% do território nacional. Hoje, restam apenas cerca de 7% da cobertura original da Mata. A Mata Atlântica, juntamente com a Amazônia, compreende um terço da área de florestas tropicais da Terra. Este bioma se formou sobre uma extensa cadeia de montanhas que acompanha quase todo o litoral brasileiro. Nela são encontrados diversos animais ameaçados de extinção. 29
  • 31. Mata Atlântica Possui uma grande riqueza em sua fauna e flora abrigando centenas de espécies, sendo muitas endêmicas, isto é, que são apenas encontradas em seu território. O bioma possui atualmente cerca de 20 mil espécies de plantas (8 mil delas são endêmicas), 992 espécies de pássaros, 372 de anfíbios, 350 de peixes, 270 espécies conhecidas de mamíferos (podendo haver outras ainda não catalogadas) e 197 espécies de répteis. O Brasil possui 633 espécies de animais que estão em pleno risco de extinção e deste número 383 estão presentes na Mata Atlântica. 31
  • 32. Mata Atlântica 32 Mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia) Onça-pintada (Panthera onca) Pau-brasil (Caesalpinia echinata)
  • 33. Cerrado Se caracteriza por diversas fisionomias. Estas formações variam desde o cerradão, que se assemelha a uma floresta, no entanto mais seca, passando pelo cerrado mais comum no Brasil central, com árvores baixas e esparsas, até o campo cerrado, campo sujo e campo limpo com uma progressiva redução da densidade arbórea. Ali, ainda encontram-se as florestas de galeria que seguem os cursos dos rios. Apesar de possuir uma aparência árida e ter solo pobre apresenta uma rica biodiversidade, sendo considerado o bioma de savana mais diverso do planeta com mais de 10 mil espécies de plantas. 33
  • 35. Cerrado O conjunto de animais que fazem parte do elenco do cerrado é único. Desde mamíferos até insetos, este bioma reúne uma capacidade incrível de singularidade. As árvores são bastante peculiares, também estando presentes os pequenos arbustos. Seus caules e galhos são retorcidos, distribuindo-se por um vasto campo coberto por gramíneas, passando a uma altura de mais de 15 metros, em média. As suas raízes são profundas, com cascas duras e grossas. 35
  • 36. Cerrado 36 Tapirus ou Antas (Tapirus terrestris) Beija-flor-de-gravata-verde (Augastes scutatus) Guariroba (Syagrus oleracea)
  • 37. Caatinga É o único ecossistema tipicamente brasileiro e pode ser encontrado em regiões de clima semiárido com baixíssimas incidências de chuva, o que caracteriza a aparência de sua vegetação. Apesar de raso e conter uma grande quantidade de pedras, o solo é razoavelmente fértil. No entanto, as secas prolongadas que às vezes podem durar mais de um ano e o da maioria dos rios serem sazonais, com exceção do rio São Francisco, a agricultura na região só se torna viável com a construção de açudes e irrigação do solo. 37
  • 39. Caatinga A fauna é bastante rica e possui espécies variadas como o gambá, asa branca, (inclusive ameaçada de extinção), entre outras como cachorro do mato, arara azul insetos, aracnídeos e roedores diversos. São cerca de 45 espécies diferentes de serpentes, 44 espécies de anuros (sapos e rãs), 47 de lagartos sendo 7 de anfíbios e 4 espécies de quelônios (família das tartarugas). 39
  • 40. Caatinga 40 Gambá-de-orelha-branca (Didelphis albiventris) Arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) Calango-de-cauda-verde (Ameivula venetacaudus)
  • 41. Caatinga A flora é caracterizada pela pouca incidência de chuvas na região, o que deixa as plantas com aspecto frágil. Elas geralmente possuem galhos retorcidos e raízes longas, para poder alcançar a água necessária no lençol freático, algumas usam de recursos como pouca ou nenhuma folhagem e espinhos para diminuir a transpiração e assim a perda de água. Os estratos presentes são: Herbáceo (com plantas de altura inferior a 2 metros), o Arbustivo (com plantas que vão de 2 a 5 metros) e o Arbóreo (com árvores que podem atingir de 8 a 12 metros de altura). 41
  • 42. Caatinga 42 Mandacaru (Cereus jamacaru) Cumaru-nordestino (Amburana cearensis) Braúna-do-sertão (Schinopsis brasiliensis)
  • 44. Pantanal É uma área de inundação contínua, sendo o Pantanal Mato-grossense a maior planície de inundação contínua do planeta. A região é uma área de transição e, por isso, apresenta um grande mosaico de ecossistemas terrestres. 44
  • 46. Pantanal Apesar da grande biodiversidade, com 1.647 espécies de plantas e mais de 1.000 espécies de vertebrados superiores, o Pantanal apresenta baixo endemismo, conceito de espécies exclusiva de uma determinada região. 46
  • 47. Pantanal Tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) 47 Piúva (Handroanthus impetiginosus) - árvore nativa da Mata Atlântica brasileira. Jaburu (Jabiru mycteria)
  • 48. Pampa Bioma de campo temperado que ocorre no sul do Brasil. Esses campos são dominados por gramíneas que variam entre 10 e 50 cm de altura e o solo é naturalmente fértil. O pampa gaúcho, que corresponde a 63% do território do Rio Grande do Sul, é um dos maiores centros de biodiversidade campestre do mundo. 48
  • 50. Pampa Na parte brasileira do bioma, existem cerca de 3 000 espécies de plantas vasculares, sendo que aproximadamente quatrocentas são gramíneas, como capim-mimoso, pelo menos 385 espécies de aves, como pica-paus, caturritas e anus-pretos e noventa de mamíferos terrestres, como guaraxains, veados e tatus. 50
  • 51. Pampa 51 Capim-mimoso (Axonopus purpusii) Caturrita (Myiopsitta monachus) Guaraxaim (Cerdocyon thous)
  • 52. Floresta de Araucárias Bioma com chuva durante o ano todo, normalmente em altitudes elevadas, e que contém espécies de angiospermas mas também de coníferas. É caracterizada pela presença da Araucaria angustifolia que nela imprime um aspecto próprio e único. 52
  • 54. Floresta de Araucárias É um dos ecossistemas mais ricos em relação à biodiversidade de espécies animais, contando com indivíduos endêmicos, raros, ameaçados de extinção, espécies migratórias, cinegéticas e de interesse econômico da Floresta Atlântica e Campos Sulinos. Apresenta 3 estratos bem definidos: Arbóreo, Arbustivo e o Herbáceo. 54
  • 55. Floresta de Araucárias 55 Macuco (Tinamus solitarius) Tiê-sangue (Ramphocelus bresilius) Araucária (Araucaria angustifólia)
  • 56. Floresta de Cocais É um interespaço transicional brasileiro, que fica entre a floresta amazônica e a caatinga e ocupa os estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Pará e o norte do Tocantins. Tem esse nome pela alta quantia de cocais, principalmente o babaçu e a carnaúba. 56
  • 58. Floresta de Cocais A fauna é muito diversificada, tendo, porém, poucos mamíferos de grande porte. Ao nível do solo há poucos animais, vivendo a maioria nas copas das árvores. Nas água dos rios podem ser encontrados o boto, a ariranha e o tamanduá-bandeira. A vegetação é composta de florestas tropicais e amazonenses secundários, ou, florestas "reconstituídas pós-desmatamento“. 58
  • 59. Floresta de Cocais 59 Ariranha (Pteronura brasiliensis) Babaçu (Orbignya martiana) Acará Bandeira (Pterophyllum scalare)
  • 60. Manguezais É um ecossistema típico de áreas costeiras alagadas em regiões de clima tropical ou subtropical. O Mangue é o tipo de vegetação predominante nos manguezais. O Brasil possui a maior faixa de manguezal do planeta com cerca de 20 mil km² que se estendem desde o nordeste até o sul do país. Seu solo é bastante rico em nutrientes e matéria orgânica com características lodosas e, composto por raízes e material vegetal parcialmente decomposto (turfa). 60
  • 62. Manguezais O manguezal desenvolve-se nos estuários e na foz dos rios sendo um berçário para muitas espécies de animais. É composto por apenas três tipos de árvores: o mangue-bravo ou vermelho, o mangue-seriba ou seriúba e o mangue-branco, que podem chegar a até 20 metros de altura em alguns lugares do país. 62
  • 63. Manguezais 63 Carcará (Caracara plancus) Caranguejo-uçá (Ucides cordatus) Mangue-vermelho (Rhizophora mangle)
  • 64. Ecótono (Ecótone) Consiste em áreas de transição ambiental, onde comunidades ecológicas diferentes entram em contato. Podem ser mudanças bruscas na vegetação em diferentes gradientes ecológicos, e assim são considerados potenciais indicadores de respostas a mudanças climáticas e reguladores de fluxos nos ambientes e, por isso, possuem uma grande biodiversidade sendo encontrados organismos pertencentes aos ecossistemas em contato ou a espécies endêmicas do próprio ecótono 64
  • 65. Ecótono (Ecótone) Caniçais são uma forma comum de ecótono que ocorre em litoral de lagos. O fundo do lago tende a acumular matéria orgânica que é, então, colonizado por árvores, obrigando os juncos a adentrar no lago. 65