SlideShare uma empresa Scribd logo
Orçamento Empresarial
PROFA. DRA. NATÁLIA DINIZ MAGANINI
Orçamento - planejamento
2
O principal objetivo das organizações é o lucro, podemos
concordar com os autores e considerar o orçamento como um
instrumento de planejamento empresarial, pois, ao se
projetarem as receitas e os gastos, podemos obter também uma
projeção de lucro. Dessa forma, por intermédio do orçamento, é
feito um planejamento econômico-financeiro para se atingir o
lucro desejado no ano seguinte.
Orçamento - planejamento
3
Como o orçamento é projetado para o período de um ano, trata-
se de um instrumento de planejamento de curto prazo. Devido
ao aumento da concorrência, que se acentuou nas últimas
décadas, ocasionado, entre outros motivos, pelo processo de
globalização, as organizações não devem fazer somente um
planejamento de curto prazo. Torna-se necessário também fazer
um planejamento de longo prazo, mais conhecido como
planejamento estratégico.
Exemplo de
dúvida e
solução para
a elaboração
de um
orçamento
4
Instrumento de controle
5
Análise dos Relatórios Gerenciais
6
Princípios para a implantação de
orçamento
7
Envolvimento da alta administração
Sistema de custeio bem definido
Comunicação integral: o processo de comunicação na organização
deve ser ágil e eficiente (em relação aos equipamentos de
informática) e participativo e sem barreiras (em relação às pessoas:
chefes versus subordinados).
Expectativas realistas: na definição das metas de receitas e de
gastos, deve ser evitado tanto o conservadorismo exagerado
(metas fáceis geram acomodação) quanto o otimismo irracional
(metas extremamente difíceis geram stress acentuado).
Princípios para a implantação de
orçamento
8
Destacar diferenças significativas: na comparação entre “orçado versus
realizado”, devem ser analisadas apenas as diferenças significativas; do
Portanto, sugere-se que
contrário os chefes perderão muito tempo
sejam
analisando
estipuladas
distorções
“faixas de
insignificantes.
tolerância”.
Participação nos lucros: o comprometimento e o envolvimento dos
funcionários serão muito mais significativos caso a organização desenvolva
um programa de distribuição de resultados associado ao cumprimento das
metas, tanto individuais quanto departamentais, ou seja, deve-se reconhecer
o esforço individual dos funcionários e também do departamento do qual faz
parte.
Orçamento: benefícios
9
Caso os princípios sejam seguidos, o orçamento
gerará diversos benefícios:
Integração dos funcionários
departamentos;
 Delegação de poderes;
 Avaliação detalhada do desempenho.
e dos
Orçamento: limitações
10
Apesar dos benefícios,
devem ser levadas em conta:
algumas limitações
O orçamento se baseia em estimativas sujeitas
a erro;
 A execução do orçamento não é automática.
Orçamento: método de elaboração
11
Em organizações de grande porte, a área de
Orçamento (Controladoria), fica responsável pela
condução do processo orçamentário.
A Controladoria é responsável por conduzir o
fazê-lo sozinho.
deverá fazer
Cada um dos
seus próprios
processo; não
departamentos
orçamentos.
Orçamento: método de elaboração
12
O processo de elaboração de um orçamento
empresarial deve começar dois ou três meses
antes do início de um novo exercício contábil.
Sua condução e operacionalização, que é
realizada pela área de Orçamento, deve seguir
seis etapas:
Orçamento: método de elaboração
13
Orçamento
1º) A área de
departamento comercial a projeção anual
solicita ao
de
vendas (quantidades e preços de cada um dos
produtos);
2º) A projeção de vendas é repassada aos outros
departamentos, para que eles a utilizem como
base para projetar seus gastos anuais;
Orçamento: método de elaboração
14
3º) O departamento de orçamento
Resultado
elabora a
do
projeção da Demonstração do
Exercício (DRE) para o ano seguinte;
4º) A DRE projetada é levada à Alta Administração
para aprovação. Mudanças podem ser sugeridas e
negociadas com os departamentos;
Orçamento: método de elaboração
15
5º) Após este processo de “lapidação”, a projeção
da DRE é aprovada pela Alta Administração e os
orçamentos são distribuídos aos departamentos;
6º) A execução dos orçamentos pelos
departamentos é acompanhada pela área de
Orçamento durante todo o exercício contábil.
Benefícios versus limitações do Orçamento
Empresarial
16
Caso fosse o principal gestor de
uma organização, mesmo
sabendo de suas limitações,
implantaria um processo
orçamentário? Por quê?
2º) No estudo da administração, as
palavras orçamento e cotação de preços
têm o mesmo significado? Comente.
3º) As organizações devem adotar alguns
princípios antes de iniciar a elaboração de
seu processo orçamentário? Por quê?
17

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 4ª Aula Finanças Corporativas - Orçamento Empresarial.pptx

1 guia pratico do orcamento empresarial
1 guia pratico do orcamento empresarial1 guia pratico do orcamento empresarial
1 guia pratico do orcamento empresarial
Paulo fattori
 
Treasy guia pratico do orcamento empresarial
Treasy   guia pratico do orcamento empresarialTreasy   guia pratico do orcamento empresarial
Treasy guia pratico do orcamento empresarial
flavioxconsult
 
Como elaborar um orçamento
Como elaborar um orçamentoComo elaborar um orçamento
Como elaborar um orçamento
Waldir Calazans
 
Apostila controladoria 5 _v2
Apostila controladoria 5 _v2Apostila controladoria 5 _v2
Apostila controladoria 5 _v2
controladoriacontab
 
Orçamento de caixa
Orçamento de caixaOrçamento de caixa
Orçamento de caixa
Felipe Leo
 
Orçamento Operacional
Orçamento OperacionalOrçamento Operacional
Orçamento Operacional
Edivan Barreto
 
Planejamento orçamentário
Planejamento orçamentárioPlanejamento orçamentário
Planejamento orçamentário
fevechi
 
Apostila de administração financeira e orçamentária ii
Apostila de administração financeira e orçamentária iiApostila de administração financeira e orçamentária ii
Apostila de administração financeira e orçamentária ii
GJ MARKETING DIGITAL
 
Gestao orcamental
Gestao orcamentalGestao orcamental
Gestao orcamental
Universidade Pedagogica
 
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Elisângela Oliveira
 
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
Augere consultoria empresarial  consultoria financeiraAugere consultoria empresarial  consultoria financeira
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
Silvana Pires
 
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
Augere consultoria empresarial  consultoria financeiraAugere consultoria empresarial  consultoria financeira
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
João Henrique Begnini
 
O Papel do Orçamento Empresarial
O Papel do Orçamento EmpresarialO Papel do Orçamento Empresarial
O Papel do Orçamento Empresarial
Gisele Oliveira
 
Finance NEC
Finance NECFinance NEC
Apostila de treinamento_sigapco_1
Apostila de treinamento_sigapco_1Apostila de treinamento_sigapco_1
Apostila de treinamento_sigapco_1
Ronaldo Silva
 
Melhores práticas de planejamento orçamentário
Melhores práticas de planejamento orçamentárioMelhores práticas de planejamento orçamentário
Melhores práticas de planejamento orçamentário
Valini & Associates
 
Sistema de Gestão Financeira e Orçamentária - S.GFO
Sistema de Gestão Financeira e Orçamentária - S.GFOSistema de Gestão Financeira e Orçamentária - S.GFO
Sistema de Gestão Financeira e Orçamentária - S.GFO
Edson Motta, MSc, MBA, PMP®, ITIL®
 
Gestão dos projetos de melhorias operacionais
Gestão dos projetos de melhorias operacionaisGestão dos projetos de melhorias operacionais
Gestão dos projetos de melhorias operacionais
Tito Livio M. Cardoso
 
Aula 10 bsc
Aula 10   bscAula 10   bsc
Trabalho de Planejamento Estrategico
Trabalho de Planejamento EstrategicoTrabalho de Planejamento Estrategico
Trabalho de Planejamento Estrategico
adeilmapoliana
 

Semelhante a 4ª Aula Finanças Corporativas - Orçamento Empresarial.pptx (20)

1 guia pratico do orcamento empresarial
1 guia pratico do orcamento empresarial1 guia pratico do orcamento empresarial
1 guia pratico do orcamento empresarial
 
Treasy guia pratico do orcamento empresarial
Treasy   guia pratico do orcamento empresarialTreasy   guia pratico do orcamento empresarial
Treasy guia pratico do orcamento empresarial
 
Como elaborar um orçamento
Como elaborar um orçamentoComo elaborar um orçamento
Como elaborar um orçamento
 
Apostila controladoria 5 _v2
Apostila controladoria 5 _v2Apostila controladoria 5 _v2
Apostila controladoria 5 _v2
 
Orçamento de caixa
Orçamento de caixaOrçamento de caixa
Orçamento de caixa
 
Orçamento Operacional
Orçamento OperacionalOrçamento Operacional
Orçamento Operacional
 
Planejamento orçamentário
Planejamento orçamentárioPlanejamento orçamentário
Planejamento orçamentário
 
Apostila de administração financeira e orçamentária ii
Apostila de administração financeira e orçamentária iiApostila de administração financeira e orçamentária ii
Apostila de administração financeira e orçamentária ii
 
Gestao orcamental
Gestao orcamentalGestao orcamental
Gestao orcamental
 
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
 
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
Augere consultoria empresarial  consultoria financeiraAugere consultoria empresarial  consultoria financeira
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
 
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
Augere consultoria empresarial  consultoria financeiraAugere consultoria empresarial  consultoria financeira
Augere consultoria empresarial consultoria financeira
 
O Papel do Orçamento Empresarial
O Papel do Orçamento EmpresarialO Papel do Orçamento Empresarial
O Papel do Orçamento Empresarial
 
Finance NEC
Finance NECFinance NEC
Finance NEC
 
Apostila de treinamento_sigapco_1
Apostila de treinamento_sigapco_1Apostila de treinamento_sigapco_1
Apostila de treinamento_sigapco_1
 
Melhores práticas de planejamento orçamentário
Melhores práticas de planejamento orçamentárioMelhores práticas de planejamento orçamentário
Melhores práticas de planejamento orçamentário
 
Sistema de Gestão Financeira e Orçamentária - S.GFO
Sistema de Gestão Financeira e Orçamentária - S.GFOSistema de Gestão Financeira e Orçamentária - S.GFO
Sistema de Gestão Financeira e Orçamentária - S.GFO
 
Gestão dos projetos de melhorias operacionais
Gestão dos projetos de melhorias operacionaisGestão dos projetos de melhorias operacionais
Gestão dos projetos de melhorias operacionais
 
Aula 10 bsc
Aula 10   bscAula 10   bsc
Aula 10 bsc
 
Trabalho de Planejamento Estrategico
Trabalho de Planejamento EstrategicoTrabalho de Planejamento Estrategico
Trabalho de Planejamento Estrategico
 

Mais de Pedro Luis Moraes

Aula de Gestão de Riscos Ambientais.pptx
Aula de Gestão de Riscos Ambientais.pptxAula de Gestão de Riscos Ambientais.pptx
Aula de Gestão de Riscos Ambientais.pptx
Pedro Luis Moraes
 
3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt
3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt
3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Síntese da Aula de Previdência Social INSS.ppt
Síntese da Aula de Previdência Social  INSS.pptSíntese da Aula de Previdência Social  INSS.ppt
Síntese da Aula de Previdência Social INSS.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .ppt
Aula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .pptAula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .ppt
Aula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .ppt
Pedro Luis Moraes
 
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.pptcriaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Politica e Programa de Seg_2017 (1).pptx
Politica e Programa de Seg_2017 (1).pptxPolitica e Programa de Seg_2017 (1).pptx
Politica e Programa de Seg_2017 (1).pptx
Pedro Luis Moraes
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
Pedro Luis Moraes
 
Aula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptx
Aula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptxAula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptx
Aula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptx
Pedro Luis Moraes
 
Aula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.ppt
Aula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.pptAula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.ppt
Aula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).ppt
Aula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).pptAula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).ppt
Aula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).ppt
Pedro Luis Moraes
 
DIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
DIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptxDIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
DIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
Pedro Luis Moraes
 
Direito do Trabalho e criança e adolescente.ppt
Direito do Trabalho e criança e adolescente.pptDireito do Trabalho e criança e adolescente.ppt
Direito do Trabalho e criança e adolescente.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula de jornada de trabalho - reforma.ppt
Aula de jornada de trabalho - reforma.pptAula de jornada de trabalho - reforma.ppt
Aula de jornada de trabalho - reforma.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.ppt
Aula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.pptAula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.ppt
Aula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdf
Aula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdfAula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdf
Aula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdf
Pedro Luis Moraes
 
ateoriaz-141031172001-conversion-gate02.ppt
ateoriaz-141031172001-conversion-gate02.pptateoriaz-141031172001-conversion-gate02.ppt
ateoriaz-141031172001-conversion-gate02.ppt
Pedro Luis Moraes
 
Aula Resumo de Metodologia para Engenharia.ppt
Aula Resumo de Metodologia para Engenharia.pptAula Resumo de Metodologia para Engenharia.ppt
Aula Resumo de Metodologia para Engenharia.ppt
Pedro Luis Moraes
 
AULA DE Redação de trabalho científico.pptx
AULA DE Redação de trabalho científico.pptxAULA DE Redação de trabalho científico.pptx
AULA DE Redação de trabalho científico.pptx
Pedro Luis Moraes
 
Aula de Metodologia Trabalho Científico.ppt
Aula de Metodologia Trabalho Científico.pptAula de Metodologia Trabalho Científico.ppt
Aula de Metodologia Trabalho Científico.ppt
Pedro Luis Moraes
 

Mais de Pedro Luis Moraes (20)

Aula de Gestão de Riscos Ambientais.pptx
Aula de Gestão de Riscos Ambientais.pptxAula de Gestão de Riscos Ambientais.pptx
Aula de Gestão de Riscos Ambientais.pptx
 
3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt
3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt
3ª Aula de Gestão de Riscos Trabalhistas - Contrato de trabalho.ppt
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Síntese da Aula de Previdência Social INSS.ppt
Síntese da Aula de Previdência Social  INSS.pptSíntese da Aula de Previdência Social  INSS.ppt
Síntese da Aula de Previdência Social INSS.ppt
 
Aula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .ppt
Aula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .pptAula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .ppt
Aula Os 6Ds da Tecnologia Exponencial .ppt
 
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.pptcriaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
criaoegestodeindicadoresprocesso-1aparte-140214060240-phpapp01.ppt
 
Politica e Programa de Seg_2017 (1).pptx
Politica e Programa de Seg_2017 (1).pptxPolitica e Programa de Seg_2017 (1).pptx
Politica e Programa de Seg_2017 (1).pptx
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
 
Aula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptx
Aula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptxAula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptx
Aula 9 - análise crítica de artigos científicos.pptx
 
Aula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.ppt
Aula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.pptAula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.ppt
Aula Direito do Trabalho - EMPREGADOR.ppt
 
Aula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).ppt
Aula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).pptAula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).ppt
Aula de JUSTA CAUSA DO EMPREGADO (1).ppt
 
DIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
DIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptxDIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
DIREITO AO DESCANSO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO.pptx
 
Direito do Trabalho e criança e adolescente.ppt
Direito do Trabalho e criança e adolescente.pptDireito do Trabalho e criança e adolescente.ppt
Direito do Trabalho e criança e adolescente.ppt
 
Aula de jornada de trabalho - reforma.ppt
Aula de jornada de trabalho - reforma.pptAula de jornada de trabalho - reforma.ppt
Aula de jornada de trabalho - reforma.ppt
 
Aula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.ppt
Aula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.pptAula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.ppt
Aula de CESSAÇÃO CONTRATO - 2a parte.ppt
 
Aula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdf
Aula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdfAula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdf
Aula de TGA Teoria Neoclassica e Classica .pdf
 
ateoriaz-141031172001-conversion-gate02.ppt
ateoriaz-141031172001-conversion-gate02.pptateoriaz-141031172001-conversion-gate02.ppt
ateoriaz-141031172001-conversion-gate02.ppt
 
Aula Resumo de Metodologia para Engenharia.ppt
Aula Resumo de Metodologia para Engenharia.pptAula Resumo de Metodologia para Engenharia.ppt
Aula Resumo de Metodologia para Engenharia.ppt
 
AULA DE Redação de trabalho científico.pptx
AULA DE Redação de trabalho científico.pptxAULA DE Redação de trabalho científico.pptx
AULA DE Redação de trabalho científico.pptx
 
Aula de Metodologia Trabalho Científico.ppt
Aula de Metodologia Trabalho Científico.pptAula de Metodologia Trabalho Científico.ppt
Aula de Metodologia Trabalho Científico.ppt
 

4ª Aula Finanças Corporativas - Orçamento Empresarial.pptx

  • 1. Orçamento Empresarial PROFA. DRA. NATÁLIA DINIZ MAGANINI
  • 2. Orçamento - planejamento 2 O principal objetivo das organizações é o lucro, podemos concordar com os autores e considerar o orçamento como um instrumento de planejamento empresarial, pois, ao se projetarem as receitas e os gastos, podemos obter também uma projeção de lucro. Dessa forma, por intermédio do orçamento, é feito um planejamento econômico-financeiro para se atingir o lucro desejado no ano seguinte.
  • 3. Orçamento - planejamento 3 Como o orçamento é projetado para o período de um ano, trata- se de um instrumento de planejamento de curto prazo. Devido ao aumento da concorrência, que se acentuou nas últimas décadas, ocasionado, entre outros motivos, pelo processo de globalização, as organizações não devem fazer somente um planejamento de curto prazo. Torna-se necessário também fazer um planejamento de longo prazo, mais conhecido como planejamento estratégico.
  • 4. Exemplo de dúvida e solução para a elaboração de um orçamento 4
  • 7. Princípios para a implantação de orçamento 7 Envolvimento da alta administração Sistema de custeio bem definido Comunicação integral: o processo de comunicação na organização deve ser ágil e eficiente (em relação aos equipamentos de informática) e participativo e sem barreiras (em relação às pessoas: chefes versus subordinados). Expectativas realistas: na definição das metas de receitas e de gastos, deve ser evitado tanto o conservadorismo exagerado (metas fáceis geram acomodação) quanto o otimismo irracional (metas extremamente difíceis geram stress acentuado).
  • 8. Princípios para a implantação de orçamento 8 Destacar diferenças significativas: na comparação entre “orçado versus realizado”, devem ser analisadas apenas as diferenças significativas; do Portanto, sugere-se que contrário os chefes perderão muito tempo sejam analisando estipuladas distorções “faixas de insignificantes. tolerância”. Participação nos lucros: o comprometimento e o envolvimento dos funcionários serão muito mais significativos caso a organização desenvolva um programa de distribuição de resultados associado ao cumprimento das metas, tanto individuais quanto departamentais, ou seja, deve-se reconhecer o esforço individual dos funcionários e também do departamento do qual faz parte.
  • 9. Orçamento: benefícios 9 Caso os princípios sejam seguidos, o orçamento gerará diversos benefícios: Integração dos funcionários departamentos;  Delegação de poderes;  Avaliação detalhada do desempenho. e dos
  • 10. Orçamento: limitações 10 Apesar dos benefícios, devem ser levadas em conta: algumas limitações O orçamento se baseia em estimativas sujeitas a erro;  A execução do orçamento não é automática.
  • 11. Orçamento: método de elaboração 11 Em organizações de grande porte, a área de Orçamento (Controladoria), fica responsável pela condução do processo orçamentário. A Controladoria é responsável por conduzir o fazê-lo sozinho. deverá fazer Cada um dos seus próprios processo; não departamentos orçamentos.
  • 12. Orçamento: método de elaboração 12 O processo de elaboração de um orçamento empresarial deve começar dois ou três meses antes do início de um novo exercício contábil. Sua condução e operacionalização, que é realizada pela área de Orçamento, deve seguir seis etapas:
  • 13. Orçamento: método de elaboração 13 Orçamento 1º) A área de departamento comercial a projeção anual solicita ao de vendas (quantidades e preços de cada um dos produtos); 2º) A projeção de vendas é repassada aos outros departamentos, para que eles a utilizem como base para projetar seus gastos anuais;
  • 14. Orçamento: método de elaboração 14 3º) O departamento de orçamento Resultado elabora a do projeção da Demonstração do Exercício (DRE) para o ano seguinte; 4º) A DRE projetada é levada à Alta Administração para aprovação. Mudanças podem ser sugeridas e negociadas com os departamentos;
  • 15. Orçamento: método de elaboração 15 5º) Após este processo de “lapidação”, a projeção da DRE é aprovada pela Alta Administração e os orçamentos são distribuídos aos departamentos; 6º) A execução dos orçamentos pelos departamentos é acompanhada pela área de Orçamento durante todo o exercício contábil.
  • 16. Benefícios versus limitações do Orçamento Empresarial 16 Caso fosse o principal gestor de uma organização, mesmo sabendo de suas limitações, implantaria um processo orçamentário? Por quê?
  • 17. 2º) No estudo da administração, as palavras orçamento e cotação de preços têm o mesmo significado? Comente. 3º) As organizações devem adotar alguns princípios antes de iniciar a elaboração de seu processo orçamentário? Por quê? 17