SlideShare uma empresa Scribd logo
BOAS PRÁTICAS DE
FABRICAÇÃO
Unidade de Latas e
Tampas
TREINAMENTO
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
RELAÇÃO DOS
PROCEDIMENTOS QUE
DEVEM SER ADOTADOS
PELAS PESSOAS
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
1. Higiene Pessoal
 Os exames médicos admissionais,
periódicos e demissionais devem ser
realizados segundo a Norma
regulamentadora NR7 da Secretaria
de Segurança e Saúde no Trabalho.
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 As mãos devem ser higienizadas com produtos de
limpeza e desinfecção especificados e aprovados
antes do início do trabalho, após uso dos sanitários
e antes das refeições.
1. Higiene Pessoal
 Todos os funcionários devem manter um alto grau de limpeza pessoal
(banho diário, cabelos limpos, barba feita, dentes escovados, unhas
limpas, etc.).
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 As unhas devem ser mantidas curtas e limpas.
1. Higiene Pessoal
 Os cabelos devem estar limpos e totalmente
protegidos com touca ou boné quando forem
realizar trabalhos e retrabalhos com tampas e
latas.
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 Somente é permitido fumar na área de fumantes.
Não é permitido fumar em sanitários, refeitório ou
qualquer outra área fora da área de fumantes.
1. Higiene Pessoal
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
Os uniformes devem estar limpos.
Os calçados devem ser fechados,
antiderrapantes e devem ser mantidos
limpos e em boas condições.
2. Uniformes e acessórios
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 A touca deve estar limpa e de uso individual.
 As luvas são de uso pessoal e devem estar
sempre limpas para o manuseio das latas e tampas
 Fazer higienização freqüente do protetor auricular
tipo plug.
2. Uniformes e acessórios
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 Não deve ser permitido o uso de
alianças, anéis, brincos, colares,
pulseiras, ou qualquer outro adorno.
2. Uniformes e acessórios
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 Devem ser realizados treinamentos de todos os colaboradores
(diretos e indiretos) e visitantes em Boas práticas de Fabricação.
 Devem ser estabelecidos procedimentos documentados para
identificação de necessidade de treinamento e esses devem ser
registrados.
3. Hábitos Comportamentais
BPF
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
Fumar, comer, beber, manipular o cabelo ou qualquer ato de higiene
pessoal não devem ser realizadas nas áreas de produção.
 Na área de produção não se deve mascar chicletes, comer balas
ou manter palitos na boca. Não é permitido o consumo de alimentos
e bebidas fora das dependências do restaurante.
3. Hábitos Comportamentais
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 Antes de tossir ou espirrar deve-se afastar dos produtos, em
seguida lavar as mãos.
Não usar panos industriais como toalha de rosto e como lenço.
Roupas e pertences pessoais (carteiras, chaves, documentos,
etc) devem ser guardados em armários próprios
nos vestiários.
3. Hábitos Comportamentais
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
RELAÇÃO DOS
PROCEDIMENTOS QUE
DEVEM SER ADOTADOS
PELA EMPRESA
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
A área externa não deve conter água empoçada, objetos em
desuso e lixo descoberto. Deve possuir calçadas contornando o
prédio. E toda vegetação deve ter uma distância mínima da fábrica,
para evitar entrada de pragas na fabrica.
4. Área externa
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
Os conveyors transportadores de tampas e latas devem ser
cobertos para evitar a contaminação dos nossos produtos.
Estas coberturas devem ser periodicamente limpas e mantidas
em boas condições.
5 . Edificações
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
Os tetos e forros devem ser mantidos limpos e em bom estado de
conservação, livres de mofos e aberturas.
O piso em áreas úmidas deve ter escoamento para evitar acúmulo
de águas (poças).
5 . Edificações
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 As janelas devem ser mantidas fechadas e quando abertas devem ser
dotadas de telas e essas telas devem permitir remoção para limpeza.
 As portas são mantidas fechadas, não devem possuir vãos e devem ser
instaladas proteções nas portas para evitar frestas que permitam a entrada
de insetos.
Quando necessário são instaladas cortinas de ar para evitar que em
caso de abertura das portas os insetos entrem na fábrica
5 . Edificações
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
6. Instalações Sanitárias
Os sanitários devem ser higiênizados periodicamente, ter avisos
de higiene e limpeza, papel descartável e sabonete para limpeza
das mãos.
 Os vasos sanitários devem ser dotados de
descarga eficiente.
Coletor de Papel higiênico (providos de tampa) com saco plástico
interno devem estar disponíveis ao lado do vaso sanitário.
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 Colaboradores da área industrial devem ter um armário
disponível no vestiário e ele é responsável pela organização e
limpeza do mesmo. Não devem ser estocados alimentos ou bebidas
nos vestiários.
6. Instalações Sanitárias
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
Os recipientes para lixo, localizados nas áreas de processo, devem ser
removidos diariamente.
As áreas externas de colocação de lixo devem ser isoladas, de fácil
limpeza e exclusiva para este fim.
Coletores de lixo devem ser mantidos tampados e deve ser promovida a
limpeza periódica dos mesmos.
7. Serviços Gerais
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 As luminárias devem ser mantidas limpas e devem possuir proteção
para evitar que em caso de quebra de uma lâmpada, os resíduos venham
a cair sobre os produtos e/ou pessoas.
As lâmpadas devem possuir proteção contra explosões (quando
aplicável) e quedas.
 A iluminação deve ser adequada de acordo com os requisitos da Crown
Holding.
7. Serviços Gerais
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
As conexões elétricas devem ser isoladas para possibilitar fácil limpeza
Instalações elétricas devem ser embutidas ou aparentes e, neste caso,
estar perfeitamente recobertas por canos isolantes e apoiados nas paredes
ou tetos, não se permitindo cabos pendurados.
7. Serviços Gerais
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
Deve ser realizada limpeza de caixa d’água e realizada análise
de potabilidade de água de acordo com a legislação vigente.
7. Serviços Gerais
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
A área de fabricação deve ser mantida em condições que não causem
contaminação dos produtos e deve estar livre de materiais não
empregados no processo.
Procedimentos operacionais padrão devem ser elaborados para cada
etapa do processo e devem contemplar os resultados esperados, as
principais atividades e ações corretivas e os operadores devem estar
treinados.
8. Higiene Operacional
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 As matérias-primas e insumos devem ser armazenados em condições
que impeçam a alteração do produto e danos à sua embalagem.
As matérias-primas e insumos a serem processados devem estar
separados dos produtos finais. E os materiais diretos separados dos diretos
para a fabricação.
9. Armazenamento de matéria-prima,
insumos e embalagens
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 As matérias-primas e insumos rejeitados devem ser segregados dos
demais e identificados com a bandeira HFI.
Os armazéns devem trabalhar no sistema FIFO (primeiro que entra,
primeiro que sai).
 Deve ser estabelecido um sistema de rastreabilidade
para insumos e produtos acabados
9. Armazenamento de matéria-prima,
insumos e embalagens
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
Embalagens de insumos e outros produtos não devem ser
empregadas para fins diferentes daqueles que foram
originariamente destinados.
11. Processo
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 LATAS: não podem estar com bocas expostas para evitar que poeiras
e insetos tenham contato com o interior da mesma.
 TAMPAS: As bags não podem estar rasgadas e o filme protetor não
pode estar violado.
 Umidade: a umidade em paletes de latas e tampas pode facilitar a
proliferação de fungos e consequentemente alteração de sabor e odor.
12. Armazenamento de produto acabado
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 Os produtos acabados devem ser armazenados ao abrigo da luz e
outros intempéries da natureza, em condições que impeçam a
contaminação e/ou desenvolvimento de pragas e que impeçam a
alteração do produto e danos á sua embalagem.
 As empilhadeiras devem ser mantidas em boas condições de uso, sem
vazamento de gás. Não podem ser movidas a diesel.
Isto poderia causar alteração de sabor de nossos
produtos
12. Armazenamento e transporte
de produto acabado.
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 O veículo de transporte de latas e tampas deve ser feito em caminhão
e em container apropriado e deve ser inspecionado antes do embarque
das tampas e latas. Não deve apresentar evidência de presença de
pragas, vazamentos, umidade, materiais estranhos e odores
desagradáveis.
 O Carregamento de caminhões deve ser feito em
área coberta.
12. Armazenamento e transporte
de produto acabado.
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
 Deve-se adotar sistema de manutenção preventiva e corretiva
 Deve ser evitado o uso excessivo de lubrificantes nos
equipamentos e quando for necessária a utilização controlar para
evitar que os excessos caiam na lata ou tampa.
13. Manutenção
BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO
Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007
NOSSA MISSÃO
Sermos reconhecidos como a
melhor empresa de embalagens
metálicas, para bebidas, do mundo.
Agradecemos
a
participação

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 34_Boas Práticas SET_07.ppt

1. pac 07 controle integrado de pragas (cip)
1. pac 07  controle integrado de pragas (cip)1. pac 07  controle integrado de pragas (cip)
1. pac 07 controle integrado de pragas (cip)
Daniel Jovana Joaquim
 
Rotulagem ambiental
Rotulagem ambientalRotulagem ambiental
Rotulagem ambiental
Sandro Marcio
 
Design responsabilidade social e sustentabilidade
Design responsabilidade social e sustentabilidadeDesign responsabilidade social e sustentabilidade
Design responsabilidade social e sustentabilidade
Nuno Tasso de Figueiredo
 
Fabricação de Refrigerantes - Coca Cola
Fabricação de Refrigerantes - Coca ColaFabricação de Refrigerantes - Coca Cola
Fabricação de Refrigerantes - Coca Cola
Maria Carolina
 
Release rótulo bula plastificado
Release rótulo bula plastificado Release rótulo bula plastificado
Release rótulo bula plastificado
Novelprint | Rótulos e Etiquetas Autoadesivas
 
Higiene e segurança alimentar na industria de sorvetes
Higiene e segurança alimentar na industria de sorvetesHigiene e segurança alimentar na industria de sorvetes
Higiene e segurança alimentar na industria de sorvetes
Alessandra Lima
 
apostila embrapa bpf armazenamento.pdf
apostila embrapa bpf armazenamento.pdfapostila embrapa bpf armazenamento.pdf
apostila embrapa bpf armazenamento.pdf
GiselePauloSora
 
Qualidade dos produtos e armazenagem_compressed.pdf
Qualidade dos produtos e armazenagem_compressed.pdfQualidade dos produtos e armazenagem_compressed.pdf
Qualidade dos produtos e armazenagem_compressed.pdf
RogrioSantiago7
 
Apresentação Sadia
Apresentação SadiaApresentação Sadia
Apresentação Sadia
Pedro Medeiros
 
Pop
PopPop
Manual de Boas Práticas de Produção de Buriti
Manual de Boas Práticas de Produção de BuritiManual de Boas Práticas de Produção de Buriti
Manual de Boas Práticas de Produção de Buriti
naturacampus
 
436
436436
Programa de "Limpeza e Saneamento" .pptx
Programa de "Limpeza e Saneamento" .pptxPrograma de "Limpeza e Saneamento" .pptx
Programa de "Limpeza e Saneamento" .pptx
LucliaCuranPedrini1
 
Bpf Treinamento
Bpf TreinamentoBpf Treinamento
Bpf Treinamento
Lidiane Marcele Scandelai
 
BRLimparEFacil.pdf
BRLimparEFacil.pdfBRLimparEFacil.pdf
BRLimparEFacil.pdf
Helder Matos
 
Códigos de Boas Práticas.ppt
Códigos de Boas Práticas.pptCódigos de Boas Práticas.ppt
Códigos de Boas Práticas.ppt
WellingtonBarbosa63
 
A Pratica dos 5Ss contribui também para controlar a corrosão.
A Pratica dos 5Ss contribui também para controlar a corrosão.A Pratica dos 5Ss contribui também para controlar a corrosão.
A Pratica dos 5Ss contribui também para controlar a corrosão.
ScienceTec & CorrTec-Engineering
 
Geren. meio amb. ibd biodinamica
Geren. meio amb. ibd  biodinamicaGeren. meio amb. ibd  biodinamica
Geren. meio amb. ibd biodinamica
Ediorgenes Paes
 
Gerenciamentode resíduos sólidos
Gerenciamentode resíduos sólidosGerenciamentode resíduos sólidos
Gerenciamentode resíduos sólidos
Walter Morona
 
1456
14561456
1456
Pelo Siro
 

Semelhante a 34_Boas Práticas SET_07.ppt (20)

1. pac 07 controle integrado de pragas (cip)
1. pac 07  controle integrado de pragas (cip)1. pac 07  controle integrado de pragas (cip)
1. pac 07 controle integrado de pragas (cip)
 
Rotulagem ambiental
Rotulagem ambientalRotulagem ambiental
Rotulagem ambiental
 
Design responsabilidade social e sustentabilidade
Design responsabilidade social e sustentabilidadeDesign responsabilidade social e sustentabilidade
Design responsabilidade social e sustentabilidade
 
Fabricação de Refrigerantes - Coca Cola
Fabricação de Refrigerantes - Coca ColaFabricação de Refrigerantes - Coca Cola
Fabricação de Refrigerantes - Coca Cola
 
Release rótulo bula plastificado
Release rótulo bula plastificado Release rótulo bula plastificado
Release rótulo bula plastificado
 
Higiene e segurança alimentar na industria de sorvetes
Higiene e segurança alimentar na industria de sorvetesHigiene e segurança alimentar na industria de sorvetes
Higiene e segurança alimentar na industria de sorvetes
 
apostila embrapa bpf armazenamento.pdf
apostila embrapa bpf armazenamento.pdfapostila embrapa bpf armazenamento.pdf
apostila embrapa bpf armazenamento.pdf
 
Qualidade dos produtos e armazenagem_compressed.pdf
Qualidade dos produtos e armazenagem_compressed.pdfQualidade dos produtos e armazenagem_compressed.pdf
Qualidade dos produtos e armazenagem_compressed.pdf
 
Apresentação Sadia
Apresentação SadiaApresentação Sadia
Apresentação Sadia
 
Pop
PopPop
Pop
 
Manual de Boas Práticas de Produção de Buriti
Manual de Boas Práticas de Produção de BuritiManual de Boas Práticas de Produção de Buriti
Manual de Boas Práticas de Produção de Buriti
 
436
436436
436
 
Programa de "Limpeza e Saneamento" .pptx
Programa de "Limpeza e Saneamento" .pptxPrograma de "Limpeza e Saneamento" .pptx
Programa de "Limpeza e Saneamento" .pptx
 
Bpf Treinamento
Bpf TreinamentoBpf Treinamento
Bpf Treinamento
 
BRLimparEFacil.pdf
BRLimparEFacil.pdfBRLimparEFacil.pdf
BRLimparEFacil.pdf
 
Códigos de Boas Práticas.ppt
Códigos de Boas Práticas.pptCódigos de Boas Práticas.ppt
Códigos de Boas Práticas.ppt
 
A Pratica dos 5Ss contribui também para controlar a corrosão.
A Pratica dos 5Ss contribui também para controlar a corrosão.A Pratica dos 5Ss contribui também para controlar a corrosão.
A Pratica dos 5Ss contribui também para controlar a corrosão.
 
Geren. meio amb. ibd biodinamica
Geren. meio amb. ibd  biodinamicaGeren. meio amb. ibd  biodinamica
Geren. meio amb. ibd biodinamica
 
Gerenciamentode resíduos sólidos
Gerenciamentode resíduos sólidosGerenciamentode resíduos sólidos
Gerenciamentode resíduos sólidos
 
1456
14561456
1456
 

Último

Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitosApostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Sandro Marques Solidario
 
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptxWorkshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
marcosmpereira
 
AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024
AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024
AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024
Consultoria Acadêmica
 
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdfDimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
RodrigoQuintilianode1
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
Consultoria Acadêmica
 
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
Consultoria Acadêmica
 
Estruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificação
Estruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificaçãoEstruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificação
Estruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificação
caduelaia
 
Introdução ao GNSS Sistema Global de Posicionamento
Introdução ao GNSS Sistema Global de PosicionamentoIntrodução ao GNSS Sistema Global de Posicionamento
Introdução ao GNSS Sistema Global de Posicionamento
GeraldoGouveia2
 
Análise preliminar motorista-APR-motorista.doc
Análise preliminar motorista-APR-motorista.docAnálise preliminar motorista-APR-motorista.doc
Análise preliminar motorista-APR-motorista.doc
cristiano docarmo
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
Consultoria Acadêmica
 
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docxSFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
bentosst
 

Último (11)

Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitosApostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
 
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptxWorkshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
 
AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024
AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024
AE03 - SISTEMAS DISTRIBUIDOS E REDES UNICESUMAR 52/2024
 
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdfDimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
 
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
 
Estruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificação
Estruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificaçãoEstruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificação
Estruturas de Madeiras: Dimensionamento e formas de classificação
 
Introdução ao GNSS Sistema Global de Posicionamento
Introdução ao GNSS Sistema Global de PosicionamentoIntrodução ao GNSS Sistema Global de Posicionamento
Introdução ao GNSS Sistema Global de Posicionamento
 
Análise preliminar motorista-APR-motorista.doc
Análise preliminar motorista-APR-motorista.docAnálise preliminar motorista-APR-motorista.doc
Análise preliminar motorista-APR-motorista.doc
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
 
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docxSFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
 

34_Boas Práticas SET_07.ppt

  • 1. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Unidade de Latas e Tampas TREINAMENTO
  • 2. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 RELAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS QUE DEVEM SER ADOTADOS PELAS PESSOAS
  • 3. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 1. Higiene Pessoal  Os exames médicos admissionais, periódicos e demissionais devem ser realizados segundo a Norma regulamentadora NR7 da Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho.
  • 4. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  As mãos devem ser higienizadas com produtos de limpeza e desinfecção especificados e aprovados antes do início do trabalho, após uso dos sanitários e antes das refeições. 1. Higiene Pessoal  Todos os funcionários devem manter um alto grau de limpeza pessoal (banho diário, cabelos limpos, barba feita, dentes escovados, unhas limpas, etc.).
  • 5. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  As unhas devem ser mantidas curtas e limpas. 1. Higiene Pessoal  Os cabelos devem estar limpos e totalmente protegidos com touca ou boné quando forem realizar trabalhos e retrabalhos com tampas e latas.
  • 6. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  Somente é permitido fumar na área de fumantes. Não é permitido fumar em sanitários, refeitório ou qualquer outra área fora da área de fumantes. 1. Higiene Pessoal
  • 7. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 Os uniformes devem estar limpos. Os calçados devem ser fechados, antiderrapantes e devem ser mantidos limpos e em boas condições. 2. Uniformes e acessórios
  • 8. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  A touca deve estar limpa e de uso individual.  As luvas são de uso pessoal e devem estar sempre limpas para o manuseio das latas e tampas  Fazer higienização freqüente do protetor auricular tipo plug. 2. Uniformes e acessórios
  • 9. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  Não deve ser permitido o uso de alianças, anéis, brincos, colares, pulseiras, ou qualquer outro adorno. 2. Uniformes e acessórios
  • 10. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  Devem ser realizados treinamentos de todos os colaboradores (diretos e indiretos) e visitantes em Boas práticas de Fabricação.  Devem ser estabelecidos procedimentos documentados para identificação de necessidade de treinamento e esses devem ser registrados. 3. Hábitos Comportamentais BPF
  • 11. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 Fumar, comer, beber, manipular o cabelo ou qualquer ato de higiene pessoal não devem ser realizadas nas áreas de produção.  Na área de produção não se deve mascar chicletes, comer balas ou manter palitos na boca. Não é permitido o consumo de alimentos e bebidas fora das dependências do restaurante. 3. Hábitos Comportamentais
  • 12. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  Antes de tossir ou espirrar deve-se afastar dos produtos, em seguida lavar as mãos. Não usar panos industriais como toalha de rosto e como lenço. Roupas e pertences pessoais (carteiras, chaves, documentos, etc) devem ser guardados em armários próprios nos vestiários. 3. Hábitos Comportamentais
  • 13. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 RELAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS QUE DEVEM SER ADOTADOS PELA EMPRESA
  • 14. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 A área externa não deve conter água empoçada, objetos em desuso e lixo descoberto. Deve possuir calçadas contornando o prédio. E toda vegetação deve ter uma distância mínima da fábrica, para evitar entrada de pragas na fabrica. 4. Área externa
  • 15. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 Os conveyors transportadores de tampas e latas devem ser cobertos para evitar a contaminação dos nossos produtos. Estas coberturas devem ser periodicamente limpas e mantidas em boas condições. 5 . Edificações
  • 16. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 Os tetos e forros devem ser mantidos limpos e em bom estado de conservação, livres de mofos e aberturas. O piso em áreas úmidas deve ter escoamento para evitar acúmulo de águas (poças). 5 . Edificações
  • 17. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  As janelas devem ser mantidas fechadas e quando abertas devem ser dotadas de telas e essas telas devem permitir remoção para limpeza.  As portas são mantidas fechadas, não devem possuir vãos e devem ser instaladas proteções nas portas para evitar frestas que permitam a entrada de insetos. Quando necessário são instaladas cortinas de ar para evitar que em caso de abertura das portas os insetos entrem na fábrica 5 . Edificações
  • 18. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 6. Instalações Sanitárias Os sanitários devem ser higiênizados periodicamente, ter avisos de higiene e limpeza, papel descartável e sabonete para limpeza das mãos.  Os vasos sanitários devem ser dotados de descarga eficiente. Coletor de Papel higiênico (providos de tampa) com saco plástico interno devem estar disponíveis ao lado do vaso sanitário.
  • 19. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  Colaboradores da área industrial devem ter um armário disponível no vestiário e ele é responsável pela organização e limpeza do mesmo. Não devem ser estocados alimentos ou bebidas nos vestiários. 6. Instalações Sanitárias
  • 20. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 Os recipientes para lixo, localizados nas áreas de processo, devem ser removidos diariamente. As áreas externas de colocação de lixo devem ser isoladas, de fácil limpeza e exclusiva para este fim. Coletores de lixo devem ser mantidos tampados e deve ser promovida a limpeza periódica dos mesmos. 7. Serviços Gerais
  • 21. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  As luminárias devem ser mantidas limpas e devem possuir proteção para evitar que em caso de quebra de uma lâmpada, os resíduos venham a cair sobre os produtos e/ou pessoas. As lâmpadas devem possuir proteção contra explosões (quando aplicável) e quedas.  A iluminação deve ser adequada de acordo com os requisitos da Crown Holding. 7. Serviços Gerais
  • 22. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 As conexões elétricas devem ser isoladas para possibilitar fácil limpeza Instalações elétricas devem ser embutidas ou aparentes e, neste caso, estar perfeitamente recobertas por canos isolantes e apoiados nas paredes ou tetos, não se permitindo cabos pendurados. 7. Serviços Gerais
  • 23. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 Deve ser realizada limpeza de caixa d’água e realizada análise de potabilidade de água de acordo com a legislação vigente. 7. Serviços Gerais
  • 24. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 A área de fabricação deve ser mantida em condições que não causem contaminação dos produtos e deve estar livre de materiais não empregados no processo. Procedimentos operacionais padrão devem ser elaborados para cada etapa do processo e devem contemplar os resultados esperados, as principais atividades e ações corretivas e os operadores devem estar treinados. 8. Higiene Operacional
  • 25. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  As matérias-primas e insumos devem ser armazenados em condições que impeçam a alteração do produto e danos à sua embalagem. As matérias-primas e insumos a serem processados devem estar separados dos produtos finais. E os materiais diretos separados dos diretos para a fabricação. 9. Armazenamento de matéria-prima, insumos e embalagens
  • 26. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  As matérias-primas e insumos rejeitados devem ser segregados dos demais e identificados com a bandeira HFI. Os armazéns devem trabalhar no sistema FIFO (primeiro que entra, primeiro que sai).  Deve ser estabelecido um sistema de rastreabilidade para insumos e produtos acabados 9. Armazenamento de matéria-prima, insumos e embalagens
  • 27. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 Embalagens de insumos e outros produtos não devem ser empregadas para fins diferentes daqueles que foram originariamente destinados. 11. Processo
  • 28. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  LATAS: não podem estar com bocas expostas para evitar que poeiras e insetos tenham contato com o interior da mesma.  TAMPAS: As bags não podem estar rasgadas e o filme protetor não pode estar violado.  Umidade: a umidade em paletes de latas e tampas pode facilitar a proliferação de fungos e consequentemente alteração de sabor e odor. 12. Armazenamento de produto acabado
  • 29. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  Os produtos acabados devem ser armazenados ao abrigo da luz e outros intempéries da natureza, em condições que impeçam a contaminação e/ou desenvolvimento de pragas e que impeçam a alteração do produto e danos á sua embalagem.  As empilhadeiras devem ser mantidas em boas condições de uso, sem vazamento de gás. Não podem ser movidas a diesel. Isto poderia causar alteração de sabor de nossos produtos 12. Armazenamento e transporte de produto acabado.
  • 30. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  O veículo de transporte de latas e tampas deve ser feito em caminhão e em container apropriado e deve ser inspecionado antes do embarque das tampas e latas. Não deve apresentar evidência de presença de pragas, vazamentos, umidade, materiais estranhos e odores desagradáveis.  O Carregamento de caminhões deve ser feito em área coberta. 12. Armazenamento e transporte de produto acabado.
  • 31. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007  Deve-se adotar sistema de manutenção preventiva e corretiva  Deve ser evitado o uso excessivo de lubrificantes nos equipamentos e quando for necessária a utilização controlar para evitar que os excessos caiam na lata ou tampa. 13. Manutenção
  • 32. BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO Elaborado por: Maria Carolina G Dio – Setembro/2007 NOSSA MISSÃO Sermos reconhecidos como a melhor empresa de embalagens metálicas, para bebidas, do mundo.