SlideShare uma empresa Scribd logo
TRINTA E TRÊS LIÇÕES DA SURATA YUSUF



                          Shaykh Abdur Rahmaan Naasir Al-Sa`di

                          “Tayseer Al-Kareem Ar-Rahmaan”




As-Shaykh Abdurahmaan Ibn Naasir As-Sa’dee declara em seu tafsir “Tayseer Al-
Kareem Ar-Rahmaan” (pg. 408 - 412) referindo-se ao ultimo versículo da surata em que
Allah subhanahu wa ta’la diz “Na verdade, em suas estórias há uma lição para os
homens de compreensão”.

Esta estória provém da melhor das estórias porque se refere às várias fases da vida;
da provação à tribulação, do ser testado ao ser abençoado, da humilhação à grandeza,
da escravidão à realeza, da divisão à unidade, da dor à alegria, do supérfluo à fome, da
fome à abundância, das dificuldades ao conforto, e da negação à afirmação. Portanto,
abençoado seja Aquele que a revelou da melhor forma possível.

Dentre as lições que podemos tirar desta surata estão:

   1. Saber interpretar os sonhos é um ramo muito importante do conhecimento que
       Allah concede, dentre Seus servos, àquele que O satisfaz. E muitos deles
       (sonhos) são baseados em símbolos que são ambíguos no sentido e na
       descrição. Pois, na verdade, a importância do sol, da lua e das estrelas
       curvando-se para Yusuf é porque tais luzes são a beleza do céu e delas
       emanam o benefício. Da mesma forma, os profetas e os estudiosos são a beleza
       desta terra e por eles a humanidade é guiada através da escuridão assim como
       faz a luz das estrelas do sol e da lua. Além do mais, uma vez que a fonte desta
       luz é sua mãe e pai, por isso é muito conveniente que a lua e o sol simbolizem
       seus pais porque deles emana a luz maior da qual ele e seus irmãos
       descendem. Portanto, o sol, que é um substantivo feminino, simboliza sua mãe e
       a lua, que é um substantivo masculino, simboliza seu pai e as estrelas seus
       irmãos.
2. A importância do sonho de seu companheiro de prisão, que o viu espremendo as
    uvas, é porque, de um modo geral, aquele que realiza tal tarefa é servo de
    alguém. Assim, ele interpretou que aquele companheiro de prisão deveria ser o
    servo do rei e isto lhe garantiria sua liberdade da prisão. Com relação ao
    significado do sonho da pessoa que viu pássaros comendo pão no alto de sua
    cabeça, Yusuf interpretou este sonho como um indicativo de que ela seria
    crucificada porque o crânio protege o cérebro e quando a pessoa é crucificada e
    o corpo é deixado ao relento o cérebro fica exposto e os pássaros o comem.

3. Lá também se encontram evidências da veracidade da missão de Muhammad
    (que a paz esteja com ele) como profeta pois ele contou ao seu povo esta longa
    estória e nunca leu qualquer livro e nem aprendeu com qualquer um deles.

4. A pessoa deve se distanciar o máximo possível de situações que a conduzam
    para uma saída ruim. Também a permissibilidade de não revelar o medo da
    pessoa poderia prejudicá-la, com base na declaração de Ya’qub a Yusuf: “Ele
    (o pai) disse: ‘Ó meu filho! Não conte aos seus irmãos a sua visão para que
    eles não conspirem contra você.’”

5. A permissibilidade de uma pessoa citar alguém como forma de um
    aconselhamento sincero, algo que não é bom, com base no versículo “para que
    eles não conspirem contra você.”

6. As bênçãos que Allah concede ao servo não se limitam simplesmente a um
    indivíduo em particular, ao contrário, são bênçãos que o envolvem e à sua
    família e aos amigos. E o benefício obtido decorre daquela pessoa, conforme a
    declaração de Allah: “E assim teu Senhor o escolherá e lhe ensinará a
    interpretação dos sonhos (e outras coisas) e agraciará com Sua mercê
    você e a descendência de Ya’qub (Jacó) porque Ele agraciou antes seus
    pais, Abrão e Ishaque (Isaac), pois Ele é Onisciente e Sapiente”.

7. A importância de ser cauteloso com as conseqüências ruins dos pecados, uma
    vez que um pecado leva a vários outros. Porque os irmãos de Yusuf tentaram
    várias conspirações quando quiseram separá-lo de seu pai, mentiram diversas
    vezes, falsificaram o sangue na camisa, chegaram de noite fingindo que
    choravam e tudo isto foi o resultado de um único pecado, uma coisa levando a
    outra.

8. O que realmente importa na vida do servo é um final feliz e não um começo
   inadequado. Porque os filhos de Ya’qub fizeram o que fizeram no começo, que
   foi um ato realmente condenável, mas o medo deles acabou por determinar um
   arrependimento sincero, o perdão integral de Yusuf e do pai e a du’a para que
   fossem perdoados e recebessem a misericórdia de Allah.

9. Alguns males são menores do que outros e cometer o mal menor é sempre
    melhor. Porque quando os irmãos de Yusuf concordaram em matá-lo ou atirá-lo
no poço um deles disse “Não matem Yusuf (José) mas se tiverem de fazer
   alguma coisa atirem-no no fundo do poço.” Assim, essa sugestão foi melhor do
   que a proposta pelos outros irmãos (apesar de ainda ser uma coisa má) e com
   isso diminuiu a intensidade do pecado cometido por eles.

10.Não há pecado se a pessoa que comprar, vender ou usar qualquer coisa que
   seja considerada mercadoria de acordo com as regras predominantes de
   mercado. Pois os irmãos de Yusuf o venderam, o que é haram, transação não
   permitida, depois ele foi encontrado por uma caravana de pessoas que o
   levaram para o Egito onde foi vendido como escravo e, apesar disto tudo, Allah
   se referiu a ele como “mercadoria”.

11.Deve-se tomar cuidado para não ficar isolado com mulheres que podem ser a
   causa de fitnah, assim como se deve ter cautela com o amor de alguém que
   pode ser prejudicial. Pois a esposa do rei fez o que fez por causa de sua paixão
   por Yusuf, que a levou a tentar seduzi-lo, a dizer mentiras sobre ele e a causar
   sua prisão por um longo tempo.

12.Ele poderia ter desejado aquela mulher, no entanto, resistiu em nome de Allah, o
   que o aproximou mais de Allah. Porque este tipo de desejo está entre as
   sugestões maliciosas da alma e é algo que acontece naturalmente à maioria da
   humanidade. No entanto, o amor e temor de Allah sobrepujaram a tentação para
   a satisfação dos desejos. Assim, ele está entre aqueles “que temem estar
   diante de seu Senhor e reprimiu os desejos impuros e a luxúria”. E,
   também, entre os “sete a quem Allah protegerá com Sua Sombra no Dia do
   Juízo, quando não haverá outro abrigo senão Sua Sombra: um homem que é
   seduzido por uma bela mulher e na posição (para a relação sexual ilegal) mas
   que diz: ‘Temo Allah’”.

13.Sempre que o iman entrar no coração e a pessoa se dedicar com sinceridade a
   Allah, Ele a defenderá de todos os tipos de males e vulgaridade por causa de
   seu iman e de sua sinceridade, conforme declaração de Allah: “Assim fizemos
   para afastá-lo do mal e da obscenidade. Por certo ele era um dos Nossos
   sinceros servos”.

14.Sempre que o servo vir uma situação que possa levá-lo a fitnah ou ser causa de
   pecado, ele deve fugir o máximo possível para salvar-se do pecado.

15.Yusuf era dotado de uma beleza interna e externa. Foi sua beleza externa que
   fez a esposa do rei agir daquela forma e fez com que as outras mulheres
   ferissem as mãos, enquanto diziam, “Como Allah é Perfeito (ou Valha-nos
   Deus)! Ele não é deste mundo. Não é senão um anjo nobre.” Sua beleza
   interna provinha de sua grande castidade e autocontrole apesar dos vários
   apelos para que pecasse. Por isto a esposa do rei disse “Procurei seduzi-lo
   mas ele resistiu”.
16.Quando existe uma atmosfera para o pecado, o servo deve sempre recorrer a
   Allah e distanciar-se de sua própria força e poder, conforme declaração de
   Yusuf. “Se não afastares de mim as suas conspirações me sentirei inclinado a
   elas e serei um (daqueles que pecam e merecem censura) dos ignorantes.”

17.Saber e inteligência levam a pessoa a praticar o bem, ao mesmo tempo em que
   a afasta do mal. Por outro lado, a ignorância incita o ignorante a se submeter
   aos seus desejos mesmo que isto possa significar sua ruína.

18.Assim como o servo adora Allah nos tempos de bonança, de igual forma ele
   deve adorá-Lo nas horas difíceis. Pois Yusuf estava sempre invocando Allah,
   por isso quando ele foi preso continuou a fazer dawah. Ele chamou os dois
   jovens para o tawhid e os preveniu contra o shirk. Daí que, com sua perspicácia,
   Yusuf percebeu que eles haviam se sensibilizado com sua dawah pelo que eles
   lhe disseram “Nós achamos que você é um dos Mushinum (praticante do
   bem)”. Assim, esta era uma oportunidade de ouro para a dawah. Ele aproveitou
   para chamá-los para Allah antes de interpretar os seus sonhos para que seu
   objetivo (chamar para o Islam) fosse mais frutífero. Então, em primeiro lugar,
   Yusuf esclareceu os dois jovens que tudo o que tinham percebido nele em
   relação ao caráter nobre e conhecimento profundo era o resultado da crença em
   Allah e lhes indicava a adoração (tawhid). E ele abandonou o caminho daqueles
   que não acreditam em Allah e no Juízo Final. Assim, primeiro ele lhes deu
   dawah por intermédio de suas ações e depois lhes deu dawah por intermédio de
   suas palavras que mostravam a eles a corrupção do shirk e a realidade do
   tawhid.

19.A importância das prioridades. Porque quando os dois jovens lhe pediram para
   interpretar seus sonhos, havia outras questões mais importantes que eles
   precisavam conhecer antes de terem o pedido atendido. Este é o sinal de um
   professor dotado de grande inteligência e habilidade para guiar e ensinar
   corretamente, porque quando os rapazes perguntaram sobre seus sonhos, ele
   primeiro os chamou para Allah antes da interpretação dos sonhos.

20.Não se considera depender de outros (em lugar de Allah); se acontecer de uma
   pessoa estar em uma situação difícil e procurar a ajuda de alguém que ela acha
   que possa aliviar sua situação porque para esta pessoa não há censura se ela
   agir assim. Isto porque sempre foi um costume das pessoas buscar ajuda entre
   si em tais questões. Por isso, Yusuf disse àquele que sabia estar a salvo,
   “Recorda-te de mim ao teu senhor (seu rei, para que me tire da prisão)”.

21.Aquele que ensina deve tentar sempre ser sincero quando ensina e não deve
   usar seu cargo como meio para obter riqueza, posição ou benefícios pessoais.
   Além do mais, não deve se negar a transmitir o conhecimento ou dar conselho
   mesmo que aquele a quem ensina ou aconselha não faça o que ele (professor)
   pediu. Porque, na verdade, Yusuf (que a paz esteja com ele) aconselhou a um
   dos jovens que mencionasse sua situação ao rei mas ele se esqueceu de fazê-
lo. No entanto, decorrido o tempo e quando o rei precisou de Yusuf, alguém foi
   enviado a ele. Apesar disto, Yusuf não o puniu por ter esquecido de mencionar
   sua situação ao rei, pelo contrário, respondeu à pergunta que tinha sido feita.

22.Não há censura para a pessoa que se defende contra uma falsa acusação.
   Melhor dizendo, é algo louvável. Porque Yusuf recusou-se a deixar a prisão até
   que sua inocência fosse provada.

23.A interpretação de sonhos é um ramo das ciências islâmicas e a pessoa é
   recompensada por estudá-la e ensiná-la. A interpretação de sonhos também se
   encontra na categoria de fatwa porque ele disse aos dois jovens: “Assim é o
   caso julgado em relação ao que vocês pediram” (tas’taftiyaan – procurou uma
   fatwa). O rei disse “Explique-me meu sonho (aftoonee – dê-me uma fatwa) e
   o jovem disse a Yusuf “Explique-nos (aftinaa – dê-nos uma fatwa) o
   significado (do sonho) das sete vacas gordas.” Portanto, não é permitido
   interpretar os sonhos senão com o conhecimento (shari’ah).

24.Se a pessoa não for pretensiosa ou desonesta, não deve ser criticada por
   informar os outros sobre suas qualidades louváveis, desde que com isto ela
   pretenda trazer um benefício geral, com base na declaração de Yusuf “Confia-
   me os armazéns do país; eu os guardarei com plena sabedoria.” Da mesma
   forma, a liderança não é algo que seja censurável se aquele que a detiver
   cumprir com os direitos de Allah e os direitos de Seus servos no melhor de sua
   capacidade.

25.Allah é muito generoso com Seus servos, dando-lhes o melhor desta vida e da
   outra. O meio de se conquistar o melhor da próxima vida é tendo iman e taqwa.
   O servo deve sempre invocar a Allah por suas recompensas e graças e não
   deve se desapontar quando vir as pessoas gozando dos prazeres deste mundo
   dos quais ele seja incapaz de compartilhar. Antes, deve pedir a Allah por Suas
   grandes recompensas e graças na próxima vida, conforme Sua declaração “E
   por certo a recompensa da outra vida é preferível para aqueles que
   acreditam e temem Allah e mantêm suas obrigações para com Ele”.

26.É da sunnah dos profetas hospedar o convidado e tratá-lo condignamente
   baseado na declaração de Yusuf “Não notaram que eu vos cumulo à medida
   e que sou o melhor dos anfitriões?”

27.Ter pensamentos negativos sobre alguém nem sempre é proibido desde que
   acompanhados de provas que amparem a suspeita. Porque, em verdade,
   Ya’qub disse a seus filhos depois que eles chegaram alegando que um lobo
   havia comido Yusuf “Qual, vós mesmos criaram uma fábula”. E ele disse,
   olhando o irmão mais próximo “Posso confiá-lo a vós como anteriormente
   vos confiei seu irmão (Yusuf)?”
28.Se alguém não quiser que uma outra pessoa saiba de algo que ela tem ou que
   pretenda fazer, deve usar de meios sutis de distração mas que não contenha
   qualquer mentira.Como Yusuf fez quando colocou a ânfora de ouro na sacola de
   seu irmão e depois o retirou levando os outros irmãos a acharem que aquele
   irmão o tinha roubado. Após o que ele disse “Allah me perdoe, não reteremos
   senão aquele em cujo poder encontramos nossa ânfora”. Observe-se que
   ele não disse “Encontramos nossa ânfora com ele” ou “Ele roubou algo que
   era nosso”. Ao contrário, ele falou de uma forma genérica que poderia se
   aplicar tanto àquela situação como a outras e não há nada de errado com o que
   ele fez. Apesar disto, Yusuf fez com que eles achassem que o irmão tinha
   roubado a ânfora de ouro e assim o irmão mais novo pudesse permanecer com
   ele, que era o objetivo.

29.Não é permitido a uma pessoa prestar testemunho senão sobre o que ela tiver
   pleno conhecimento. E esse conhecimento pode advir do fato de ela ter
   presenciado o fato ou de ter sido informada por alguém confiável, com base no
   que disseram os irmãos de Yusuf “Não declaramos senão aquilo que
   sabemos”.

30.A permissibilidade de informar os outros sobre as dificuldades que alguém está
   passando, enquanto isto não for feito de uma forma que indique que a pessoa
   está incomodada com o mandamento de Allah, pois os irmãos de Yusuf se
   queixaram “Ó governante! A miséria se abateu sobre nós e nossa família”.
   E Yusuf não contestou esta afirmação.

31.Os méritos de taqwa e de sabr (paciência) porque todo benefício nesta vida e na
   outra é o resultado de taqwa e do sabr, conforme disse Allah “Na verdade,
   Allah, nos agraciou porque quem teme e é paciente sabe que Allah jamais
   frustra a recompensa dos Muhsinun (benfeitores)”

32.Aquele a quem Allah abençoou após viver um estado de pobreza ou aflição deve
   reconhecer a generosidade de Allah sempre se lembrando de sua condição
   anterior. Assim, ele será capaz de agradecer a Allah toda vez que se lembrar de
   dos tempos de dificuldade, conforme disse Yusuf (que a paz esteja com ele),”Ele
   me beneficiou quando me tirou da prisão e ao trazer vocês (todos aqui) do
   deserto depois de Satanás ter mostrado a discórdia entre mim e meus irmãos”.

33.O servo deve sempre exaltar Allah por ter permitido que permanecesse
   perseverante no iman, praticando boas ações que fazem com que o iman
   continue firme. Também deve sempre pedir a Allah para que tenha um final feliz,
   com o aperfeiçoamento de Sua Graça sobre ele, como base na du’a de Yusuf
   (que a paz esteja com ele) “Senhor meu! Tu me agraciaste com a soberania
   e me ensinaste a interpretação dos sonhos; Ó Criador dos céus e da terra!
   Tu és meu Wali (Protetor, Socorredor, Guardião, etc.) neste mundo e no
   outro, faze com que eu morra como muçulmano e junta-me aos justos”.
Foi pela vontade de Allah, foi o que Ele me possibilitou falar com relação aos benefícios
e lições obtidos desta estória abençoada. Contudo, para aquele que medita, tem a
certeza de descobrir outros benefícios advindos da surata além dos acima
mencionados. Assim, pedimos a Allah, o mais Elevado, que nos abençoe com o
conhecimento benéfico e ações que sejam aceitáveis por Ele, pois Ele é o mais
generoso e mais misericordioso.

 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Porque Deus perdoou o adultério de Davi.docx
Porque Deus perdoou o adultério de Davi.docxPorque Deus perdoou o adultério de Davi.docx
Porque Deus perdoou o adultério de Davi.docx
Carlos Rodrigues
 
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
Gerson G. Ramos
 
Apocrifos do Rei Salomão
Apocrifos do Rei  SalomãoApocrifos do Rei  Salomão
Apocrifos do Rei Salomão
RODRIGO ORION
 
Livro de Enoque
Livro de Enoque Livro de Enoque
Livro de Enoque
Sandersonpires7
 
A História de Sansão
A História de SansãoA História de Sansão
A História de Sansão
Luiz Carlos E Sara
 
Evangelhos apócrifos apocalipse de elias
Evangelhos apócrifos   apocalipse de eliasEvangelhos apócrifos   apocalipse de elias
Evangelhos apócrifos apocalipse de elias
Alan Cruz
 
Livro de daniel cap 6
Livro de daniel cap 6Livro de daniel cap 6
Livro de daniel cap 6
Francisco Sousa
 
Sobre o dia em sansão morreu
Sobre o dia em sansão morreu Sobre o dia em sansão morreu
Sobre o dia em sansão morreu
welingtonjh
 
Livro de Enoque 1, 2 e 3
Livro de Enoque 1, 2 e 3Livro de Enoque 1, 2 e 3
Livro de Enoque 1, 2 e 3
Nelson Marins
 
133 o livro de enoque (1)
133 o livro de enoque (1)133 o livro de enoque (1)
133 o livro de enoque (1)
Alexandre Januario Lemos
 
Enoque 1 e 2.pdf
Enoque 1 e 2.pdfEnoque 1 e 2.pdf
Enoque 1 e 2.pdf
Val Dias
 
KANON 52 e KANON 9 DO LIVRO OM - O LIVRO DOS LIVROS - O LIVRO DE ENOQUE
KANON 52 e KANON 9 DO LIVRO OM - O LIVRO DOS LIVROS - O LIVRO DE ENOQUEKANON 52 e KANON 9 DO LIVRO OM - O LIVRO DOS LIVROS - O LIVRO DE ENOQUE
KANON 52 e KANON 9 DO LIVRO OM - O LIVRO DOS LIVROS - O LIVRO DE ENOQUE
Rita Mitozo
 
Slide
SlideSlide
Aqui tem um servico de inteligencia
Aqui tem um servico de inteligenciaAqui tem um servico de inteligencia
Aqui tem um servico de inteligencia
Vilma Longuini
 

Mais procurados (14)

Porque Deus perdoou o adultério de Davi.docx
Porque Deus perdoou o adultério de Davi.docxPorque Deus perdoou o adultério de Davi.docx
Porque Deus perdoou o adultério de Davi.docx
 
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
 
Apocrifos do Rei Salomão
Apocrifos do Rei  SalomãoApocrifos do Rei  Salomão
Apocrifos do Rei Salomão
 
Livro de Enoque
Livro de Enoque Livro de Enoque
Livro de Enoque
 
A História de Sansão
A História de SansãoA História de Sansão
A História de Sansão
 
Evangelhos apócrifos apocalipse de elias
Evangelhos apócrifos   apocalipse de eliasEvangelhos apócrifos   apocalipse de elias
Evangelhos apócrifos apocalipse de elias
 
Livro de daniel cap 6
Livro de daniel cap 6Livro de daniel cap 6
Livro de daniel cap 6
 
Sobre o dia em sansão morreu
Sobre o dia em sansão morreu Sobre o dia em sansão morreu
Sobre o dia em sansão morreu
 
Livro de Enoque 1, 2 e 3
Livro de Enoque 1, 2 e 3Livro de Enoque 1, 2 e 3
Livro de Enoque 1, 2 e 3
 
133 o livro de enoque (1)
133 o livro de enoque (1)133 o livro de enoque (1)
133 o livro de enoque (1)
 
Enoque 1 e 2.pdf
Enoque 1 e 2.pdfEnoque 1 e 2.pdf
Enoque 1 e 2.pdf
 
KANON 52 e KANON 9 DO LIVRO OM - O LIVRO DOS LIVROS - O LIVRO DE ENOQUE
KANON 52 e KANON 9 DO LIVRO OM - O LIVRO DOS LIVROS - O LIVRO DE ENOQUEKANON 52 e KANON 9 DO LIVRO OM - O LIVRO DOS LIVROS - O LIVRO DE ENOQUE
KANON 52 e KANON 9 DO LIVRO OM - O LIVRO DOS LIVROS - O LIVRO DE ENOQUE
 
Slide
SlideSlide
Slide
 
Aqui tem um servico de inteligencia
Aqui tem um servico de inteligenciaAqui tem um servico de inteligencia
Aqui tem um servico de inteligencia
 

Destaque

DIREITOS RELIGIOSOS PARA MUÇULMANOS
DIREITOS RELIGIOSOS PARA MUÇULMANOSDIREITOS RELIGIOSOS PARA MUÇULMANOS
DIREITOS RELIGIOSOS PARA MUÇULMANOS
Cristiane Freitas
 
Numerais arabe egipcio flash card
Numerais arabe egipcio flash cardNumerais arabe egipcio flash card
Numerais arabe egipcio flash card
Cristiane Freitas
 
2. 'aqídah ahl us-sunnah wal-jamá'ah pt
2. 'aqídah ahl us-sunnah wal-jamá'ah pt2. 'aqídah ahl us-sunnah wal-jamá'ah pt
2. 'aqídah ahl us-sunnah wal-jamá'ah pt
Cristiane Freitas
 
Tecnologia do abraço
Tecnologia do abraçoTecnologia do abraço
Tecnologia do abraço
Cristiane Freitas
 
O caminho para o alcorao
O caminho para o alcoraoO caminho para o alcorao
O caminho para o alcorao
Cristiane Freitas
 
FRUTEIRAS EM FLOR
FRUTEIRAS EM FLORFRUTEIRAS EM FLOR
FRUTEIRAS EM FLOR
Cristiane Freitas
 
Tecnologi
TecnologiTecnologi
A verdade sobre Jesus
A verdade sobre JesusA verdade sobre Jesus
A verdade sobre Jesus
Cristiane Freitas
 

Destaque (8)

DIREITOS RELIGIOSOS PARA MUÇULMANOS
DIREITOS RELIGIOSOS PARA MUÇULMANOSDIREITOS RELIGIOSOS PARA MUÇULMANOS
DIREITOS RELIGIOSOS PARA MUÇULMANOS
 
Numerais arabe egipcio flash card
Numerais arabe egipcio flash cardNumerais arabe egipcio flash card
Numerais arabe egipcio flash card
 
2. 'aqídah ahl us-sunnah wal-jamá'ah pt
2. 'aqídah ahl us-sunnah wal-jamá'ah pt2. 'aqídah ahl us-sunnah wal-jamá'ah pt
2. 'aqídah ahl us-sunnah wal-jamá'ah pt
 
Tecnologia do abraço
Tecnologia do abraçoTecnologia do abraço
Tecnologia do abraço
 
O caminho para o alcorao
O caminho para o alcoraoO caminho para o alcorao
O caminho para o alcorao
 
FRUTEIRAS EM FLOR
FRUTEIRAS EM FLORFRUTEIRAS EM FLOR
FRUTEIRAS EM FLOR
 
Tecnologi
TecnologiTecnologi
Tecnologi
 
A verdade sobre Jesus
A verdade sobre JesusA verdade sobre Jesus
A verdade sobre Jesus
 

Mais de Cristiane Freitas

A NOVA CALIFORNIA - LIMA BARRETO
A NOVA CALIFORNIA - LIMA BARRETOA NOVA CALIFORNIA - LIMA BARRETO
A NOVA CALIFORNIA - LIMA BARRETO
Cristiane Freitas
 
A história tecida à mão da Palestina e da Jordânia
A história tecida à mão da Palestina e da JordâniaA história tecida à mão da Palestina e da Jordânia
A história tecida à mão da Palestina e da Jordânia
Cristiane Freitas
 
Tapetes de oraçao islamica e sua simbologia
Tapetes de oraçao islamica e sua simbologiaTapetes de oraçao islamica e sua simbologia
Tapetes de oraçao islamica e sua simbologia
Cristiane Freitas
 
Nomes Arabes com significado em Portugues
Nomes Arabes com significado em PortuguesNomes Arabes com significado em Portugues
Nomes Arabes com significado em Portugues
Cristiane Freitas
 
O Egito Antigo - da Pre Dinastia ao Novo Reino
O Egito Antigo  - da Pre Dinastia ao Novo ReinoO Egito Antigo  - da Pre Dinastia ao Novo Reino
O Egito Antigo - da Pre Dinastia ao Novo Reino
Cristiane Freitas
 
Brasil - 500 anos de povoamento
Brasil - 500 anos de povoamentoBrasil - 500 anos de povoamento
Brasil - 500 anos de povoamento
Cristiane Freitas
 
O Egito Antigo - 3500aC - 2005dC
O Egito Antigo - 3500aC - 2005dCO Egito Antigo - 3500aC - 2005dC
O Egito Antigo - 3500aC - 2005dC
Cristiane Freitas
 
Delicious Dates -
Delicious Dates - Delicious Dates -
Delicious Dates -
Cristiane Freitas
 
Travel can be fun! leeson plan
Travel can be fun! leeson planTravel can be fun! leeson plan
Travel can be fun! leeson plan
Cristiane Freitas
 
01 - A Sura da Abertura
01 - A Sura da Abertura01 - A Sura da Abertura
01 - A Sura da Abertura
Cristiane Freitas
 
O Alcorao SAgrado em Portugues e Arabe
O Alcorao SAgrado em Portugues e ArabeO Alcorao SAgrado em Portugues e Arabe
O Alcorao SAgrado em Portugues e Arabe
Cristiane Freitas
 
Risk managment in aviation environment
Risk managment in aviation environmentRisk managment in aviation environment
Risk managment in aviation environment
Cristiane Freitas
 
Cargo security
Cargo securityCargo security
Cargo security
Cristiane Freitas
 
Dicionario arabe egipcio
Dicionario arabe egipcioDicionario arabe egipcio
Dicionario arabe egipcio
Cristiane Freitas
 
A oração no islam
A oração no islamA oração no islam
A oração no islam
Cristiane Freitas
 
A ultima religiao divina islam
A ultima religiao divina   islamA ultima religiao divina   islam
A ultima religiao divina islam
Cristiane Freitas
 
Fundamentos do islam
Fundamentos do islamFundamentos do islam
Fundamentos do islam
Cristiane Freitas
 
Uma anfora de agua
Uma anfora de aguaUma anfora de agua
Uma anfora de agua
Cristiane Freitas
 
SUPLICAS ISLAMICAS PARA CADA OCASIAO
SUPLICAS ISLAMICAS PARA CADA OCASIAOSUPLICAS ISLAMICAS PARA CADA OCASIAO
SUPLICAS ISLAMICAS PARA CADA OCASIAOCristiane Freitas
 

Mais de Cristiane Freitas (20)

A NOVA CALIFORNIA - LIMA BARRETO
A NOVA CALIFORNIA - LIMA BARRETOA NOVA CALIFORNIA - LIMA BARRETO
A NOVA CALIFORNIA - LIMA BARRETO
 
A história tecida à mão da Palestina e da Jordânia
A história tecida à mão da Palestina e da JordâniaA história tecida à mão da Palestina e da Jordânia
A história tecida à mão da Palestina e da Jordânia
 
Tapetes de oraçao islamica e sua simbologia
Tapetes de oraçao islamica e sua simbologiaTapetes de oraçao islamica e sua simbologia
Tapetes de oraçao islamica e sua simbologia
 
Nomes Arabes com significado em Portugues
Nomes Arabes com significado em PortuguesNomes Arabes com significado em Portugues
Nomes Arabes com significado em Portugues
 
O Egito Antigo - da Pre Dinastia ao Novo Reino
O Egito Antigo  - da Pre Dinastia ao Novo ReinoO Egito Antigo  - da Pre Dinastia ao Novo Reino
O Egito Antigo - da Pre Dinastia ao Novo Reino
 
Brasil - 500 anos de povoamento
Brasil - 500 anos de povoamentoBrasil - 500 anos de povoamento
Brasil - 500 anos de povoamento
 
O Egito Antigo - 3500aC - 2005dC
O Egito Antigo - 3500aC - 2005dCO Egito Antigo - 3500aC - 2005dC
O Egito Antigo - 3500aC - 2005dC
 
Delicious Dates -
Delicious Dates - Delicious Dates -
Delicious Dates -
 
Travel can be fun! leeson plan
Travel can be fun! leeson planTravel can be fun! leeson plan
Travel can be fun! leeson plan
 
01 - A Sura da Abertura
01 - A Sura da Abertura01 - A Sura da Abertura
01 - A Sura da Abertura
 
O Alcorao SAgrado em Portugues e Arabe
O Alcorao SAgrado em Portugues e ArabeO Alcorao SAgrado em Portugues e Arabe
O Alcorao SAgrado em Portugues e Arabe
 
Risk managment in aviation environment
Risk managment in aviation environmentRisk managment in aviation environment
Risk managment in aviation environment
 
Cargo security
Cargo securityCargo security
Cargo security
 
Dicionario arabe egipcio
Dicionario arabe egipcioDicionario arabe egipcio
Dicionario arabe egipcio
 
A oração no islam
A oração no islamA oração no islam
A oração no islam
 
A ultima religiao divina islam
A ultima religiao divina   islamA ultima religiao divina   islam
A ultima religiao divina islam
 
Fundamentos do islam
Fundamentos do islamFundamentos do islam
Fundamentos do islam
 
Uma anfora de agua
Uma anfora de aguaUma anfora de agua
Uma anfora de agua
 
Oracao para ocasioes
Oracao para ocasioesOracao para ocasioes
Oracao para ocasioes
 
SUPLICAS ISLAMICAS PARA CADA OCASIAO
SUPLICAS ISLAMICAS PARA CADA OCASIAOSUPLICAS ISLAMICAS PARA CADA OCASIAO
SUPLICAS ISLAMICAS PARA CADA OCASIAO
 

33 licoes da surata Yusuf

  • 1. TRINTA E TRÊS LIÇÕES DA SURATA YUSUF Shaykh Abdur Rahmaan Naasir Al-Sa`di “Tayseer Al-Kareem Ar-Rahmaan” As-Shaykh Abdurahmaan Ibn Naasir As-Sa’dee declara em seu tafsir “Tayseer Al- Kareem Ar-Rahmaan” (pg. 408 - 412) referindo-se ao ultimo versículo da surata em que Allah subhanahu wa ta’la diz “Na verdade, em suas estórias há uma lição para os homens de compreensão”. Esta estória provém da melhor das estórias porque se refere às várias fases da vida; da provação à tribulação, do ser testado ao ser abençoado, da humilhação à grandeza, da escravidão à realeza, da divisão à unidade, da dor à alegria, do supérfluo à fome, da fome à abundância, das dificuldades ao conforto, e da negação à afirmação. Portanto, abençoado seja Aquele que a revelou da melhor forma possível. Dentre as lições que podemos tirar desta surata estão: 1. Saber interpretar os sonhos é um ramo muito importante do conhecimento que Allah concede, dentre Seus servos, àquele que O satisfaz. E muitos deles (sonhos) são baseados em símbolos que são ambíguos no sentido e na descrição. Pois, na verdade, a importância do sol, da lua e das estrelas curvando-se para Yusuf é porque tais luzes são a beleza do céu e delas emanam o benefício. Da mesma forma, os profetas e os estudiosos são a beleza desta terra e por eles a humanidade é guiada através da escuridão assim como faz a luz das estrelas do sol e da lua. Além do mais, uma vez que a fonte desta luz é sua mãe e pai, por isso é muito conveniente que a lua e o sol simbolizem seus pais porque deles emana a luz maior da qual ele e seus irmãos descendem. Portanto, o sol, que é um substantivo feminino, simboliza sua mãe e a lua, que é um substantivo masculino, simboliza seu pai e as estrelas seus irmãos.
  • 2. 2. A importância do sonho de seu companheiro de prisão, que o viu espremendo as uvas, é porque, de um modo geral, aquele que realiza tal tarefa é servo de alguém. Assim, ele interpretou que aquele companheiro de prisão deveria ser o servo do rei e isto lhe garantiria sua liberdade da prisão. Com relação ao significado do sonho da pessoa que viu pássaros comendo pão no alto de sua cabeça, Yusuf interpretou este sonho como um indicativo de que ela seria crucificada porque o crânio protege o cérebro e quando a pessoa é crucificada e o corpo é deixado ao relento o cérebro fica exposto e os pássaros o comem. 3. Lá também se encontram evidências da veracidade da missão de Muhammad (que a paz esteja com ele) como profeta pois ele contou ao seu povo esta longa estória e nunca leu qualquer livro e nem aprendeu com qualquer um deles. 4. A pessoa deve se distanciar o máximo possível de situações que a conduzam para uma saída ruim. Também a permissibilidade de não revelar o medo da pessoa poderia prejudicá-la, com base na declaração de Ya’qub a Yusuf: “Ele (o pai) disse: ‘Ó meu filho! Não conte aos seus irmãos a sua visão para que eles não conspirem contra você.’” 5. A permissibilidade de uma pessoa citar alguém como forma de um aconselhamento sincero, algo que não é bom, com base no versículo “para que eles não conspirem contra você.” 6. As bênçãos que Allah concede ao servo não se limitam simplesmente a um indivíduo em particular, ao contrário, são bênçãos que o envolvem e à sua família e aos amigos. E o benefício obtido decorre daquela pessoa, conforme a declaração de Allah: “E assim teu Senhor o escolherá e lhe ensinará a interpretação dos sonhos (e outras coisas) e agraciará com Sua mercê você e a descendência de Ya’qub (Jacó) porque Ele agraciou antes seus pais, Abrão e Ishaque (Isaac), pois Ele é Onisciente e Sapiente”. 7. A importância de ser cauteloso com as conseqüências ruins dos pecados, uma vez que um pecado leva a vários outros. Porque os irmãos de Yusuf tentaram várias conspirações quando quiseram separá-lo de seu pai, mentiram diversas vezes, falsificaram o sangue na camisa, chegaram de noite fingindo que choravam e tudo isto foi o resultado de um único pecado, uma coisa levando a outra. 8. O que realmente importa na vida do servo é um final feliz e não um começo inadequado. Porque os filhos de Ya’qub fizeram o que fizeram no começo, que foi um ato realmente condenável, mas o medo deles acabou por determinar um arrependimento sincero, o perdão integral de Yusuf e do pai e a du’a para que fossem perdoados e recebessem a misericórdia de Allah. 9. Alguns males são menores do que outros e cometer o mal menor é sempre melhor. Porque quando os irmãos de Yusuf concordaram em matá-lo ou atirá-lo
  • 3. no poço um deles disse “Não matem Yusuf (José) mas se tiverem de fazer alguma coisa atirem-no no fundo do poço.” Assim, essa sugestão foi melhor do que a proposta pelos outros irmãos (apesar de ainda ser uma coisa má) e com isso diminuiu a intensidade do pecado cometido por eles. 10.Não há pecado se a pessoa que comprar, vender ou usar qualquer coisa que seja considerada mercadoria de acordo com as regras predominantes de mercado. Pois os irmãos de Yusuf o venderam, o que é haram, transação não permitida, depois ele foi encontrado por uma caravana de pessoas que o levaram para o Egito onde foi vendido como escravo e, apesar disto tudo, Allah se referiu a ele como “mercadoria”. 11.Deve-se tomar cuidado para não ficar isolado com mulheres que podem ser a causa de fitnah, assim como se deve ter cautela com o amor de alguém que pode ser prejudicial. Pois a esposa do rei fez o que fez por causa de sua paixão por Yusuf, que a levou a tentar seduzi-lo, a dizer mentiras sobre ele e a causar sua prisão por um longo tempo. 12.Ele poderia ter desejado aquela mulher, no entanto, resistiu em nome de Allah, o que o aproximou mais de Allah. Porque este tipo de desejo está entre as sugestões maliciosas da alma e é algo que acontece naturalmente à maioria da humanidade. No entanto, o amor e temor de Allah sobrepujaram a tentação para a satisfação dos desejos. Assim, ele está entre aqueles “que temem estar diante de seu Senhor e reprimiu os desejos impuros e a luxúria”. E, também, entre os “sete a quem Allah protegerá com Sua Sombra no Dia do Juízo, quando não haverá outro abrigo senão Sua Sombra: um homem que é seduzido por uma bela mulher e na posição (para a relação sexual ilegal) mas que diz: ‘Temo Allah’”. 13.Sempre que o iman entrar no coração e a pessoa se dedicar com sinceridade a Allah, Ele a defenderá de todos os tipos de males e vulgaridade por causa de seu iman e de sua sinceridade, conforme declaração de Allah: “Assim fizemos para afastá-lo do mal e da obscenidade. Por certo ele era um dos Nossos sinceros servos”. 14.Sempre que o servo vir uma situação que possa levá-lo a fitnah ou ser causa de pecado, ele deve fugir o máximo possível para salvar-se do pecado. 15.Yusuf era dotado de uma beleza interna e externa. Foi sua beleza externa que fez a esposa do rei agir daquela forma e fez com que as outras mulheres ferissem as mãos, enquanto diziam, “Como Allah é Perfeito (ou Valha-nos Deus)! Ele não é deste mundo. Não é senão um anjo nobre.” Sua beleza interna provinha de sua grande castidade e autocontrole apesar dos vários apelos para que pecasse. Por isto a esposa do rei disse “Procurei seduzi-lo mas ele resistiu”.
  • 4. 16.Quando existe uma atmosfera para o pecado, o servo deve sempre recorrer a Allah e distanciar-se de sua própria força e poder, conforme declaração de Yusuf. “Se não afastares de mim as suas conspirações me sentirei inclinado a elas e serei um (daqueles que pecam e merecem censura) dos ignorantes.” 17.Saber e inteligência levam a pessoa a praticar o bem, ao mesmo tempo em que a afasta do mal. Por outro lado, a ignorância incita o ignorante a se submeter aos seus desejos mesmo que isto possa significar sua ruína. 18.Assim como o servo adora Allah nos tempos de bonança, de igual forma ele deve adorá-Lo nas horas difíceis. Pois Yusuf estava sempre invocando Allah, por isso quando ele foi preso continuou a fazer dawah. Ele chamou os dois jovens para o tawhid e os preveniu contra o shirk. Daí que, com sua perspicácia, Yusuf percebeu que eles haviam se sensibilizado com sua dawah pelo que eles lhe disseram “Nós achamos que você é um dos Mushinum (praticante do bem)”. Assim, esta era uma oportunidade de ouro para a dawah. Ele aproveitou para chamá-los para Allah antes de interpretar os seus sonhos para que seu objetivo (chamar para o Islam) fosse mais frutífero. Então, em primeiro lugar, Yusuf esclareceu os dois jovens que tudo o que tinham percebido nele em relação ao caráter nobre e conhecimento profundo era o resultado da crença em Allah e lhes indicava a adoração (tawhid). E ele abandonou o caminho daqueles que não acreditam em Allah e no Juízo Final. Assim, primeiro ele lhes deu dawah por intermédio de suas ações e depois lhes deu dawah por intermédio de suas palavras que mostravam a eles a corrupção do shirk e a realidade do tawhid. 19.A importância das prioridades. Porque quando os dois jovens lhe pediram para interpretar seus sonhos, havia outras questões mais importantes que eles precisavam conhecer antes de terem o pedido atendido. Este é o sinal de um professor dotado de grande inteligência e habilidade para guiar e ensinar corretamente, porque quando os rapazes perguntaram sobre seus sonhos, ele primeiro os chamou para Allah antes da interpretação dos sonhos. 20.Não se considera depender de outros (em lugar de Allah); se acontecer de uma pessoa estar em uma situação difícil e procurar a ajuda de alguém que ela acha que possa aliviar sua situação porque para esta pessoa não há censura se ela agir assim. Isto porque sempre foi um costume das pessoas buscar ajuda entre si em tais questões. Por isso, Yusuf disse àquele que sabia estar a salvo, “Recorda-te de mim ao teu senhor (seu rei, para que me tire da prisão)”. 21.Aquele que ensina deve tentar sempre ser sincero quando ensina e não deve usar seu cargo como meio para obter riqueza, posição ou benefícios pessoais. Além do mais, não deve se negar a transmitir o conhecimento ou dar conselho mesmo que aquele a quem ensina ou aconselha não faça o que ele (professor) pediu. Porque, na verdade, Yusuf (que a paz esteja com ele) aconselhou a um dos jovens que mencionasse sua situação ao rei mas ele se esqueceu de fazê-
  • 5. lo. No entanto, decorrido o tempo e quando o rei precisou de Yusuf, alguém foi enviado a ele. Apesar disto, Yusuf não o puniu por ter esquecido de mencionar sua situação ao rei, pelo contrário, respondeu à pergunta que tinha sido feita. 22.Não há censura para a pessoa que se defende contra uma falsa acusação. Melhor dizendo, é algo louvável. Porque Yusuf recusou-se a deixar a prisão até que sua inocência fosse provada. 23.A interpretação de sonhos é um ramo das ciências islâmicas e a pessoa é recompensada por estudá-la e ensiná-la. A interpretação de sonhos também se encontra na categoria de fatwa porque ele disse aos dois jovens: “Assim é o caso julgado em relação ao que vocês pediram” (tas’taftiyaan – procurou uma fatwa). O rei disse “Explique-me meu sonho (aftoonee – dê-me uma fatwa) e o jovem disse a Yusuf “Explique-nos (aftinaa – dê-nos uma fatwa) o significado (do sonho) das sete vacas gordas.” Portanto, não é permitido interpretar os sonhos senão com o conhecimento (shari’ah). 24.Se a pessoa não for pretensiosa ou desonesta, não deve ser criticada por informar os outros sobre suas qualidades louváveis, desde que com isto ela pretenda trazer um benefício geral, com base na declaração de Yusuf “Confia- me os armazéns do país; eu os guardarei com plena sabedoria.” Da mesma forma, a liderança não é algo que seja censurável se aquele que a detiver cumprir com os direitos de Allah e os direitos de Seus servos no melhor de sua capacidade. 25.Allah é muito generoso com Seus servos, dando-lhes o melhor desta vida e da outra. O meio de se conquistar o melhor da próxima vida é tendo iman e taqwa. O servo deve sempre invocar a Allah por suas recompensas e graças e não deve se desapontar quando vir as pessoas gozando dos prazeres deste mundo dos quais ele seja incapaz de compartilhar. Antes, deve pedir a Allah por Suas grandes recompensas e graças na próxima vida, conforme Sua declaração “E por certo a recompensa da outra vida é preferível para aqueles que acreditam e temem Allah e mantêm suas obrigações para com Ele”. 26.É da sunnah dos profetas hospedar o convidado e tratá-lo condignamente baseado na declaração de Yusuf “Não notaram que eu vos cumulo à medida e que sou o melhor dos anfitriões?” 27.Ter pensamentos negativos sobre alguém nem sempre é proibido desde que acompanhados de provas que amparem a suspeita. Porque, em verdade, Ya’qub disse a seus filhos depois que eles chegaram alegando que um lobo havia comido Yusuf “Qual, vós mesmos criaram uma fábula”. E ele disse, olhando o irmão mais próximo “Posso confiá-lo a vós como anteriormente vos confiei seu irmão (Yusuf)?”
  • 6. 28.Se alguém não quiser que uma outra pessoa saiba de algo que ela tem ou que pretenda fazer, deve usar de meios sutis de distração mas que não contenha qualquer mentira.Como Yusuf fez quando colocou a ânfora de ouro na sacola de seu irmão e depois o retirou levando os outros irmãos a acharem que aquele irmão o tinha roubado. Após o que ele disse “Allah me perdoe, não reteremos senão aquele em cujo poder encontramos nossa ânfora”. Observe-se que ele não disse “Encontramos nossa ânfora com ele” ou “Ele roubou algo que era nosso”. Ao contrário, ele falou de uma forma genérica que poderia se aplicar tanto àquela situação como a outras e não há nada de errado com o que ele fez. Apesar disto, Yusuf fez com que eles achassem que o irmão tinha roubado a ânfora de ouro e assim o irmão mais novo pudesse permanecer com ele, que era o objetivo. 29.Não é permitido a uma pessoa prestar testemunho senão sobre o que ela tiver pleno conhecimento. E esse conhecimento pode advir do fato de ela ter presenciado o fato ou de ter sido informada por alguém confiável, com base no que disseram os irmãos de Yusuf “Não declaramos senão aquilo que sabemos”. 30.A permissibilidade de informar os outros sobre as dificuldades que alguém está passando, enquanto isto não for feito de uma forma que indique que a pessoa está incomodada com o mandamento de Allah, pois os irmãos de Yusuf se queixaram “Ó governante! A miséria se abateu sobre nós e nossa família”. E Yusuf não contestou esta afirmação. 31.Os méritos de taqwa e de sabr (paciência) porque todo benefício nesta vida e na outra é o resultado de taqwa e do sabr, conforme disse Allah “Na verdade, Allah, nos agraciou porque quem teme e é paciente sabe que Allah jamais frustra a recompensa dos Muhsinun (benfeitores)” 32.Aquele a quem Allah abençoou após viver um estado de pobreza ou aflição deve reconhecer a generosidade de Allah sempre se lembrando de sua condição anterior. Assim, ele será capaz de agradecer a Allah toda vez que se lembrar de dos tempos de dificuldade, conforme disse Yusuf (que a paz esteja com ele),”Ele me beneficiou quando me tirou da prisão e ao trazer vocês (todos aqui) do deserto depois de Satanás ter mostrado a discórdia entre mim e meus irmãos”. 33.O servo deve sempre exaltar Allah por ter permitido que permanecesse perseverante no iman, praticando boas ações que fazem com que o iman continue firme. Também deve sempre pedir a Allah para que tenha um final feliz, com o aperfeiçoamento de Sua Graça sobre ele, como base na du’a de Yusuf (que a paz esteja com ele) “Senhor meu! Tu me agraciaste com a soberania e me ensinaste a interpretação dos sonhos; Ó Criador dos céus e da terra! Tu és meu Wali (Protetor, Socorredor, Guardião, etc.) neste mundo e no outro, faze com que eu morra como muçulmano e junta-me aos justos”.
  • 7. Foi pela vontade de Allah, foi o que Ele me possibilitou falar com relação aos benefícios e lições obtidos desta estória abençoada. Contudo, para aquele que medita, tem a certeza de descobrir outros benefícios advindos da surata além dos acima mencionados. Assim, pedimos a Allah, o mais Elevado, que nos abençoe com o conhecimento benéfico e ações que sejam aceitáveis por Ele, pois Ele é o mais generoso e mais misericordioso.