SlideShare uma empresa Scribd logo
N’ Os Lusíadas, Luís
de Camões conta a
história gloriosa do
povo português.
Ambos, autor e obra,
representam ao mais
alto nível a literatura
portuguesa e
marcaram,
decididamente a
Camões viveu durante o século XVI, um
período da história marcado por grandes
alterações socioculturais.
Hoje a sua obra é
mundialmente conhecida. Não se sabe
muito acerca da sua vida; sabemos que
nasceu por volta de 1524 e que morreu
em 1580.
Pensa-se que terá sido em Moçambique
que terminou a sua epopeia – Os
Lusíadas – publicada em 1572, com o
apoio do rei Dom Sebastião.
CONTEXTUALIZAÇÃO DA ÉPOCA
Para melhor estudar Os Lusíadas temos de
compreender melhor a época em que Camões viveu.
No século XVI aconteceram descobertas
extraordinárias.
No campo das artes, Brunelleschi (século XV) foi talvez
o mas importante arquitecto e um artista
extraordinariamente completo, pois também era
pintor, escultor, dominava conhecimentos matemáticos
complexos e conhecia a poesia de Dante.
Brunelleschi
Dante
A pintura renascentista inova com a
introdução da perspectiva, o uso do claro-
escuro, da tela e da tinta a óleo.
Botticelli, Leonardo Da Vinci,
Michelângelo e Rafael são alguns dos
mais importantes nomes desta altura.
Botticelli
Da Vinci
Michelângelo
Nesta época assistimos a um grande movimento
cultural, científico e de ideias, que se costuma sintetizar em
três conceitos:
Renascentismo, Humanismo e Classicismo.
O nascimento de Vénus, Botticelli
Na Idade Média (até meados do séc. XV em Portugal), a sociedade era regulada por
ideias teocêntricas. O Humanismo vem recolocar o Homem no centro das atenções.
Não se trata de uma rejeição de Deus, mas de uma valorização do próprio Homem.
Camões é exemplo de um humanista, um homem de “honesto estudo” e “longa
experiência”.
Na tentativa de dignificar o Homem, foi necessário desenvolver valores diferentes dos
defendidos na Idade Média. É assim que surge o movimento denominado
Renascimento: voltam a nascer os ideias das culturas greco-latinas (Antiguidade
Clássica).
A este sentimento de admiração pela Antiguidade Clássica e a este desejo de imitar
e superar os seus valores chamamos Classicismo.
Humanismo:
Chamou-se humanismo o movimento cultural
iniciado na Itália e que se espalhou pela Europa, no
período que corresponde à transição da Idade
Média à Idade Moderna.
No Humanismo, o Homem encontra-se no centro
das atenções, dando lugar ao antropocentrismo
(antropos significa Homem), que se opõe ao
teocentrismo medieval (Deus no centro).
Trata-se de um movimento intelectual europeu que
procurou vigorosamente descobrir e reabilitar a
literatura e o pensamento da Antiguidade Clássica
e que tem como interesse central o Homem, no
pleno desenvolvimento das suas virtualidades e
empenhado na ação.
O termo Humanismo literário é usado
comumente para designar o estudo das letras
humanas em oposição à Teologia.
Na Idade Média, predomina a conceção
teocêntrica, em que tudo gira em torno dos
valores religiosos. A partir do Humanismo
desenvolve-se uma nova concepção de vida:
-os eruditos defendem a reforma total do
homem;
- acentuam-se o valor do homem na terra,
tudo o que possa tornar conhecido o ser
humano;
- preocupam-se com o desenvolvimento da
personalidade humana, das suas faculdades
criadoras;
-têm como objetivo atualizar, dinamizar e dar
uma nova vida aos estudos tradicionais;
- empenham-se em fazer a reforma
educacional.
RENASCIMENTO
O Renascimento desenvolveu-se em países da Europa
Central e Ocidental, como a Itália, passando por
Florença, Siena e posteriormente Roma e alastrando
a toda a península italiana..
Nos sécs. XIV a XVI veio a difundir-se e a ter ecos em
praticamente todos os países do continente europeu.
As figuras de proa deste movimento, gostavam de se
apresentar como críticos do ‘obscurantismo’
medieval, numa atitude de contestação à tradicional
influência da religião na cultura, no pensamento e na
vida quotidiana ocidental.
O termo Renascimento está ligado ao facto de, neste
período, os eruditos europeus terem voltado a sua
atenção para as grandes obras da antiguidade
clássica, que consideravam terem sido esquecidas
durante a Idade Média.
CLASSICISMO
O classicismo toma por modelos as formas,
regras e temas da arte da antiguidade greco-
romana (arte como imitação da natureza;
cânones de proporção e medida, simetria,
equilíbrio; importância da mitologia).
A sua linguagem formal, desenvolvida ao longo
do século XVI e até finais do século XVIII,
encontra paralelismos na pintura, na arquitectura
e na literatura, sem, no entanto, corresponder a
um movimento unitário ou concertado no tempo
ou no espaço.
David, Miguel Ângelo
RENASCIMENTO
Onde?
- Nas cidades italianas, espalhando-se,
depois pela Europa Central e Ocidental
Quando?
- Séculos XV/XVI
Características:
-Utilização da cultura greco-latina como modelo artístico e literário;
-Naturalismo: valorização da natureza e utilizada como modelo de
inspiração;
-Antropocentrismo e humanismo – valorização do Homem como
imagem de perfeição e centro do conhecimento;
- Espírito crítico e valorização da observação e da experiência.
RENASCIMENTO
CiênciaArtes plásticas
-Espírito crítico;
-Valorização da
experiência;
-Novos contributos
científicos:
- Geografia;
- Astronomia;
- Cartografia;
- Botânica;
- Anatomia;
- Medicina;
Pintura
-Perspetiva e técnica
do sfumato;
- Composição em
pirâmide (volume);
-Representação de
temas mitológicos,
religiosos e paisagens.
- Retrato;
- Rigor anatómico;
Escultura
-Representação
realista do corpo
humano;
-Estátuas equestres;
-Rigor anatómico.
Arquitetura
-Elementos greco-
romanos:
-Arcos de volta
perfeita;
-Cúpulas…
-Rafael
-Boticelli
-Leonardo Da Vinci
Miguel Ângelo.
-Bramante
-Miguel Ângelo
- Da Vinci
- Miguel Ângelo
- Donatello
-Da vinci
HUMANISMO
Movimento de renovação cultural
que surge em Itália, no séc. XV.
3. Nas Universidades transmitem-se novos
conhecimentos;
2. As Universidades impulsionaram o
pensamento Humanista;
1. A invenção da imprensa facilitou
a sua difusão;Expansão
Grande representante Erasmo de Roterdão
Características
4. Utilização das línguas vernáculas.
3. Interesse pela ciência e pelo progresso
técnico;
2. Inspiração na cultura greco-latina;
1. Exaltação do ser humano;
HOMEM MEDIEVAL
Ser
inferior,
dependente
da
vontade
de Deus
Toda a sua
vida é
comandada
pela Igreja
Tudo é
obra de
Deus
TEOCENTRISMO
HOMEM RENASCENTISTA
Criação
divina,
símbolo
máximo da
perfeição
Interesse
pela cultura
greco-
romana;
valorização
do Homem
Tudo pode
conhecer e
explicar
ANTROPOCENTRISMO
Pietá, Miguel Ângelo
Gioconda, Leonardo Da Vinci
camoes
É nesta atmosfera que surgem Os Lusíadas. Devemos ter em conta que a
epopeia constitui o mais elevado género literário cultivado pelos gregos e pelos romanos
(Antiguidade Clássica).
camoes
camoes
camoes
camoes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

08. Aula de História Geral - Renascimento Cultural
08. Aula de História Geral - Renascimento Cultural08. Aula de História Geral - Renascimento Cultural
08. Aula de História Geral - Renascimento Cultural
Darlan Campos
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
Gilmar Rodrigues
 
Renascimento 1º Unidade (2º ano)
Renascimento 1º Unidade (2º ano)Renascimento 1º Unidade (2º ano)
Renascimento 1º Unidade (2º ano)
Cleiton Cunha
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
RenascimentoRenascimento
O Renascimento Cultural e Científico
O Renascimento Cultural e CientíficoO Renascimento Cultural e Científico
O Renascimento Cultural e Científico
João Medeiros
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
Janaína Tavares
 
Renascimento cultural e cientifico
Renascimento cultural e cientificoRenascimento cultural e cientifico
Renascimento cultural e cientifico
Adriana Gomes Messias
 
O renascimento
O renascimentoO renascimento
O renascimento
Fátima da História
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Ana Batista
 
O renascimento
O renascimentoO renascimento
O renascimento
Yana Sofia
 
renascimento cultural 7º ano
  renascimento cultural 7º ano  renascimento cultural 7º ano
renascimento cultural 7º ano
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
Renascimento - Filosofia
Renascimento - FilosofiaRenascimento - Filosofia
Renascimento - Filosofia
Carson Souza
 
4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii
4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii
4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii
Samuel Henriques
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
ammfiles
 
MóDulo 5 A Cultura Do Palacio
MóDulo 5  A Cultura Do PalacioMóDulo 5  A Cultura Do Palacio
MóDulo 5 A Cultura Do Palacio
Goreti Quaresma
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Grazi Oliveira
 
Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e Científico
Claudenilson da Silva
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Janayna Lira
 
Renascimento e Humanismo
Renascimento e HumanismoRenascimento e Humanismo
Renascimento e Humanismo
Dalton Lopes Reis Jr.
 

Mais procurados (20)

08. Aula de História Geral - Renascimento Cultural
08. Aula de História Geral - Renascimento Cultural08. Aula de História Geral - Renascimento Cultural
08. Aula de História Geral - Renascimento Cultural
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 
Renascimento 1º Unidade (2º ano)
Renascimento 1º Unidade (2º ano)Renascimento 1º Unidade (2º ano)
Renascimento 1º Unidade (2º ano)
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
O Renascimento Cultural e Científico
O Renascimento Cultural e CientíficoO Renascimento Cultural e Científico
O Renascimento Cultural e Científico
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 
Renascimento cultural e cientifico
Renascimento cultural e cientificoRenascimento cultural e cientifico
Renascimento cultural e cientifico
 
O renascimento
O renascimentoO renascimento
O renascimento
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
O renascimento
O renascimentoO renascimento
O renascimento
 
renascimento cultural 7º ano
  renascimento cultural 7º ano  renascimento cultural 7º ano
renascimento cultural 7º ano
 
Renascimento - Filosofia
Renascimento - FilosofiaRenascimento - Filosofia
Renascimento - Filosofia
 
4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii
4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii
4040101 historia-geral-ppt-renascimento-ii
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
MóDulo 5 A Cultura Do Palacio
MóDulo 5  A Cultura Do PalacioMóDulo 5  A Cultura Do Palacio
MóDulo 5 A Cultura Do Palacio
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e Científico
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento e Humanismo
Renascimento e HumanismoRenascimento e Humanismo
Renascimento e Humanismo
 

Destaque

Plan reestructuración bankia
Plan reestructuración bankiaPlan reestructuración bankia
Plan reestructuración bankia
idealista/news
 
observatorio emancipación jóvenes españoles-1t2013
observatorio emancipación jóvenes españoles-1t2013observatorio emancipación jóvenes españoles-1t2013
observatorio emancipación jóvenes españoles-1t2013
idealista/news
 
programa reformas españa
programa reformas españaprograma reformas españa
programa reformas españa
idealista/news
 
Coesão e Coerência
Coesão e CoerênciaCoesão e Coerência
Coesão e Coerência
Blenda Guimarães
 
Website Validation
Website ValidationWebsite Validation
Website Validation
mdabate
 
Manual Historia V
Manual Historia VManual Historia V
Manual Historia V
gabriel
 
MENSAJERIA
MENSAJERIAMENSAJERIA
MENSAJERIA
Vivi Montana
 
“A ::= aAa / a” in PEG
“A ::= aAa / a” in PEG“A ::= aAa / a” in PEG
“A ::= aAa / a” in PEG
Masaki Hara
 

Destaque (9)

Plan reestructuración bankia
Plan reestructuración bankiaPlan reestructuración bankia
Plan reestructuración bankia
 
observatorio emancipación jóvenes españoles-1t2013
observatorio emancipación jóvenes españoles-1t2013observatorio emancipación jóvenes españoles-1t2013
observatorio emancipación jóvenes españoles-1t2013
 
programa reformas españa
programa reformas españaprograma reformas españa
programa reformas españa
 
Coesão e Coerência
Coesão e CoerênciaCoesão e Coerência
Coesão e Coerência
 
Website Validation
Website ValidationWebsite Validation
Website Validation
 
Redacao
RedacaoRedacao
Redacao
 
Manual Historia V
Manual Historia VManual Historia V
Manual Historia V
 
MENSAJERIA
MENSAJERIAMENSAJERIA
MENSAJERIA
 
“A ::= aAa / a” in PEG
“A ::= aAa / a” in PEG“A ::= aAa / a” in PEG
“A ::= aAa / a” in PEG
 

Semelhante a camoes

Pré renascimento
 Pré renascimento Pré renascimento
Pré renascimento
greghouse48
 
A volta ao Mundo
A volta ao MundoA volta ao Mundo
A volta ao Mundo
vaniasilvaaa
 
Cap06 classicismo
Cap06 classicismoCap06 classicismo
Cap06 classicismo
whybells
 
Contextualização Lusíadas
Contextualização LusíadasContextualização Lusíadas
Contextualização Lusíadas
Antónia Mancha
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
José Ferreira
 
Trabalho do Renascimente
Trabalho do RenascimenteTrabalho do Renascimente
Trabalho do Renascimente
rebeccabishop
 
Renascimento
Renascimento Renascimento
Renascimento
caty1998
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
guest2306886
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
António Cunha
 
O renascimento cultural
O renascimento culturalO renascimento cultural
O renascimento cultural
Valdirene Sousa
 
Aula 4- Renascimento cultural.pptx
Aula 4- Renascimento cultural.pptxAula 4- Renascimento cultural.pptx
Aula 4- Renascimento cultural.pptx
RobsonAbreuProfessor
 
Apresentação renascimento cultural e cientifico
Apresentação renascimento cultural e cientificoApresentação renascimento cultural e cientifico
Apresentação renascimento cultural e cientifico
HeitorCarvalho19
 
Apresentação renascimento cultural e cientifico.pptx
Apresentação renascimento cultural e cientifico.pptxApresentação renascimento cultural e cientifico.pptx
Apresentação renascimento cultural e cientifico.pptx
HeitorCarvalho19
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
Inês Oliveira
 
Renascimento, Classicismo e Humanismo
Renascimento, Classicismo e HumanismoRenascimento, Classicismo e Humanismo
Renascimento, Classicismo e Humanismo
complementoindirecto
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
alexandroschmitt
 
Renascimento.pdf
Renascimento.pdfRenascimento.pdf
Renascimento.pdf
ssusera065a2
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
valdeniDinamizador
 
Slide Humanismo (2) (1).pptx
Slide Humanismo (2) (1).pptxSlide Humanismo (2) (1).pptx
Slide Humanismo (2) (1).pptx
FbioFernandesNeres
 
Fabiele e Cleise - Classicismo- 1M9
Fabiele e Cleise - Classicismo- 1M9Fabiele e Cleise - Classicismo- 1M9
Fabiele e Cleise - Classicismo- 1M9
Ntevaiaescola
 

Semelhante a camoes (20)

Pré renascimento
 Pré renascimento Pré renascimento
Pré renascimento
 
A volta ao Mundo
A volta ao MundoA volta ao Mundo
A volta ao Mundo
 
Cap06 classicismo
Cap06 classicismoCap06 classicismo
Cap06 classicismo
 
Contextualização Lusíadas
Contextualização LusíadasContextualização Lusíadas
Contextualização Lusíadas
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
 
Trabalho do Renascimente
Trabalho do RenascimenteTrabalho do Renascimente
Trabalho do Renascimente
 
Renascimento
Renascimento Renascimento
Renascimento
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
 
O renascimento cultural
O renascimento culturalO renascimento cultural
O renascimento cultural
 
Aula 4- Renascimento cultural.pptx
Aula 4- Renascimento cultural.pptxAula 4- Renascimento cultural.pptx
Aula 4- Renascimento cultural.pptx
 
Apresentação renascimento cultural e cientifico
Apresentação renascimento cultural e cientificoApresentação renascimento cultural e cientifico
Apresentação renascimento cultural e cientifico
 
Apresentação renascimento cultural e cientifico.pptx
Apresentação renascimento cultural e cientifico.pptxApresentação renascimento cultural e cientifico.pptx
Apresentação renascimento cultural e cientifico.pptx
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
 
Renascimento, Classicismo e Humanismo
Renascimento, Classicismo e HumanismoRenascimento, Classicismo e Humanismo
Renascimento, Classicismo e Humanismo
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 
Renascimento.pdf
Renascimento.pdfRenascimento.pdf
Renascimento.pdf
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Slide Humanismo (2) (1).pptx
Slide Humanismo (2) (1).pptxSlide Humanismo (2) (1).pptx
Slide Humanismo (2) (1).pptx
 
Fabiele e Cleise - Classicismo- 1M9
Fabiele e Cleise - Classicismo- 1M9Fabiele e Cleise - Classicismo- 1M9
Fabiele e Cleise - Classicismo- 1M9
 

camoes

  • 1. N’ Os Lusíadas, Luís de Camões conta a história gloriosa do povo português. Ambos, autor e obra, representam ao mais alto nível a literatura portuguesa e marcaram, decididamente a
  • 2. Camões viveu durante o século XVI, um período da história marcado por grandes alterações socioculturais. Hoje a sua obra é mundialmente conhecida. Não se sabe muito acerca da sua vida; sabemos que nasceu por volta de 1524 e que morreu em 1580. Pensa-se que terá sido em Moçambique que terminou a sua epopeia – Os Lusíadas – publicada em 1572, com o apoio do rei Dom Sebastião.
  • 3. CONTEXTUALIZAÇÃO DA ÉPOCA Para melhor estudar Os Lusíadas temos de compreender melhor a época em que Camões viveu. No século XVI aconteceram descobertas extraordinárias. No campo das artes, Brunelleschi (século XV) foi talvez o mas importante arquitecto e um artista extraordinariamente completo, pois também era pintor, escultor, dominava conhecimentos matemáticos complexos e conhecia a poesia de Dante. Brunelleschi Dante
  • 4. A pintura renascentista inova com a introdução da perspectiva, o uso do claro- escuro, da tela e da tinta a óleo. Botticelli, Leonardo Da Vinci, Michelângelo e Rafael são alguns dos mais importantes nomes desta altura. Botticelli Da Vinci Michelângelo
  • 5. Nesta época assistimos a um grande movimento cultural, científico e de ideias, que se costuma sintetizar em três conceitos: Renascentismo, Humanismo e Classicismo. O nascimento de Vénus, Botticelli
  • 6. Na Idade Média (até meados do séc. XV em Portugal), a sociedade era regulada por ideias teocêntricas. O Humanismo vem recolocar o Homem no centro das atenções. Não se trata de uma rejeição de Deus, mas de uma valorização do próprio Homem. Camões é exemplo de um humanista, um homem de “honesto estudo” e “longa experiência”. Na tentativa de dignificar o Homem, foi necessário desenvolver valores diferentes dos defendidos na Idade Média. É assim que surge o movimento denominado Renascimento: voltam a nascer os ideias das culturas greco-latinas (Antiguidade Clássica). A este sentimento de admiração pela Antiguidade Clássica e a este desejo de imitar e superar os seus valores chamamos Classicismo.
  • 7. Humanismo: Chamou-se humanismo o movimento cultural iniciado na Itália e que se espalhou pela Europa, no período que corresponde à transição da Idade Média à Idade Moderna. No Humanismo, o Homem encontra-se no centro das atenções, dando lugar ao antropocentrismo (antropos significa Homem), que se opõe ao teocentrismo medieval (Deus no centro). Trata-se de um movimento intelectual europeu que procurou vigorosamente descobrir e reabilitar a literatura e o pensamento da Antiguidade Clássica e que tem como interesse central o Homem, no pleno desenvolvimento das suas virtualidades e empenhado na ação.
  • 8. O termo Humanismo literário é usado comumente para designar o estudo das letras humanas em oposição à Teologia. Na Idade Média, predomina a conceção teocêntrica, em que tudo gira em torno dos valores religiosos. A partir do Humanismo desenvolve-se uma nova concepção de vida: -os eruditos defendem a reforma total do homem; - acentuam-se o valor do homem na terra, tudo o que possa tornar conhecido o ser humano; - preocupam-se com o desenvolvimento da personalidade humana, das suas faculdades criadoras; -têm como objetivo atualizar, dinamizar e dar uma nova vida aos estudos tradicionais; - empenham-se em fazer a reforma educacional.
  • 9. RENASCIMENTO O Renascimento desenvolveu-se em países da Europa Central e Ocidental, como a Itália, passando por Florença, Siena e posteriormente Roma e alastrando a toda a península italiana.. Nos sécs. XIV a XVI veio a difundir-se e a ter ecos em praticamente todos os países do continente europeu. As figuras de proa deste movimento, gostavam de se apresentar como críticos do ‘obscurantismo’ medieval, numa atitude de contestação à tradicional influência da religião na cultura, no pensamento e na vida quotidiana ocidental. O termo Renascimento está ligado ao facto de, neste período, os eruditos europeus terem voltado a sua atenção para as grandes obras da antiguidade clássica, que consideravam terem sido esquecidas durante a Idade Média.
  • 10. CLASSICISMO O classicismo toma por modelos as formas, regras e temas da arte da antiguidade greco- romana (arte como imitação da natureza; cânones de proporção e medida, simetria, equilíbrio; importância da mitologia). A sua linguagem formal, desenvolvida ao longo do século XVI e até finais do século XVIII, encontra paralelismos na pintura, na arquitectura e na literatura, sem, no entanto, corresponder a um movimento unitário ou concertado no tempo ou no espaço. David, Miguel Ângelo
  • 11. RENASCIMENTO Onde? - Nas cidades italianas, espalhando-se, depois pela Europa Central e Ocidental Quando? - Séculos XV/XVI Características: -Utilização da cultura greco-latina como modelo artístico e literário; -Naturalismo: valorização da natureza e utilizada como modelo de inspiração; -Antropocentrismo e humanismo – valorização do Homem como imagem de perfeição e centro do conhecimento; - Espírito crítico e valorização da observação e da experiência.
  • 12. RENASCIMENTO CiênciaArtes plásticas -Espírito crítico; -Valorização da experiência; -Novos contributos científicos: - Geografia; - Astronomia; - Cartografia; - Botânica; - Anatomia; - Medicina; Pintura -Perspetiva e técnica do sfumato; - Composição em pirâmide (volume); -Representação de temas mitológicos, religiosos e paisagens. - Retrato; - Rigor anatómico; Escultura -Representação realista do corpo humano; -Estátuas equestres; -Rigor anatómico. Arquitetura -Elementos greco- romanos: -Arcos de volta perfeita; -Cúpulas… -Rafael -Boticelli -Leonardo Da Vinci Miguel Ângelo. -Bramante -Miguel Ângelo - Da Vinci - Miguel Ângelo - Donatello -Da vinci
  • 13. HUMANISMO Movimento de renovação cultural que surge em Itália, no séc. XV. 3. Nas Universidades transmitem-se novos conhecimentos; 2. As Universidades impulsionaram o pensamento Humanista; 1. A invenção da imprensa facilitou a sua difusão;Expansão Grande representante Erasmo de Roterdão Características 4. Utilização das línguas vernáculas. 3. Interesse pela ciência e pelo progresso técnico; 2. Inspiração na cultura greco-latina; 1. Exaltação do ser humano;
  • 14. HOMEM MEDIEVAL Ser inferior, dependente da vontade de Deus Toda a sua vida é comandada pela Igreja Tudo é obra de Deus TEOCENTRISMO HOMEM RENASCENTISTA Criação divina, símbolo máximo da perfeição Interesse pela cultura greco- romana; valorização do Homem Tudo pode conhecer e explicar ANTROPOCENTRISMO
  • 18. É nesta atmosfera que surgem Os Lusíadas. Devemos ter em conta que a epopeia constitui o mais elevado género literário cultivado pelos gregos e pelos romanos (Antiguidade Clássica).