SlideShare uma empresa Scribd logo
ADOLESCÊNCIA
CURSO DE MEDICINA/UCPEL
Núcleo de Pediatria
Profª Luiza Helena Novaes
ADOLESCÊNCIA
Por que estudá-la?
• contingente populacional expressivo e crescente:
 30% da população no Brasil;
• características típicas de conduta;
• morbimortalidades específicas
 acidentes de transporte,
 homicídios, suicídios,
 AIDS, gravidez
ADOLESCÊNCIA: Conceito
OMS – etapa evolutiva que se estende dos 10-20 anos
de idade, caracterizada por intensas transformações
biopsicossociais, em uma busca pelo jovem de seu
lugar e papel na sociedade.
ECA – lei n° 8069, 13/07/90, faixa
etária 12-18 anos
ADOLESCÊNCIA: Conceito
HEBIATRIA – subespecialidade
pediátrica, regulamentada desde 1998
pela Sociedade Brasileira de Pediatria;
Associação Médica Brasileira em 1999
afirmou ser área de atuação do
pediatra.
Hebe: deusa da juventude na mitologia grega
ADOLESCÊNCIA: Conceito
PUBERDADE: é o componente biológico da fase de
adolescência; surgem os caracteres sexuais secundários
por ação hormonal e culmina com a aquisição da
capacidade reprodutiva.
ADOLESCÊNCIA: Conceito
ADOLESCÊNCIA: modificações hormonais e
comportamentais (biopsicossociais)
Lembrar: os primeiros indícios da
puberdade – protrusão do mamilo e
aumento testicular – assinalam o
início da adolescência. O final da
puberdade coincide com a aquisição
da capacidade reprodutiva, fusão das
epífises ósseas, mas não significa o
final da adolescência.
ADOLESCÊNCIA: Etapas
ETAPA INICIAL: 10-14 ANOS, distância dos pais,
menor interesse por assuntos familiares, aproximação
com os iguais, mesmo sexo, necessidade de
privacidade e de adaptação às mudanças corporais;
inseguros em relação a saúde e doença, atendimento
com os pais predominantemente.
ADOLESCÊNCIA: Etapas
ETAPA MÉDIA: 15-17 ANOS, máxima identificação
com os iguais, exposição a situações de risco,
onipotência, puberdade completa, conflitos com a nova
imagem corporal, início das experiências sexuais.
Comportamento mais próximo do adulto, atendimento
individualizado, com participação ativa, confiante na
relação com o hebiatra, sem imposição dos pais.
ADOLESCÊNCIA: Etapas
ETAPA TARDIA: 17 a 20 ANOS, surgimento de
valores e comportamento do tipo adulto,
reaproximação com os pais por identificação de
papéis, relacionamentos mais afetuosos e íntimos,
busca de estabilidade social e econômica, definição de
carreiras, atendimento individualizado.
Fenômeno recente: “adolescência prolongada”, faixa etária
20-24 anos.
ADOLESCÊNCIA: A consulta
Dificuldades dos adolescentes:
• recusa em comparecer a consulta, desconhecimento do hebiatra;
• dificuldades ou recusa em verbalizar os problemas;
• comunicação extraverbal – gestos, olhares, atitudes;
• receio de que a consulta sirva para descoberta de “segredos”
pelos pais;
• recusa em cumprir prescrições e de retornar às consultas e
seguimentos.
ADOLESCENTE: A consulta
DICA: uma boa tática é iniciar a
anamnese com perguntas
genéricas!
• O que gosta de fazer nas horas de folga?
• O que mais gosta e o que menos gosta na escola?
• É praticante de esportes competitivos?
• Que sonhos e desejos têm para o futuro?
ADOLESCÊNCIA: A consulta
LEMBRAR – os adolescentes
costumam construir no
imaginário, hipertrofias
deformadoras de suas
dificuldades, demandando
gastos inúteis de energia,
sofrimento e conseqüências
catastróficas para si próprios.
ADOLESCÊNCIA: A consulta
Dificuldades dos pais:
• escala de prioridades diferente do adolescente;
• expectativa de usar o hebiatra como um canal para transmitir
ao adolescente suas queixas, conselhos;
• expectativa de que o hebiatra repasse informações sobre o
adolescente;
• tendência de relatar mais os aspectos negativos do
comportamento do adolescente do que os positivos
ADOLESCÊNCIA: A consulta
DICA: vale a regra de pedir aos pais para
lembrarem de sua época de adolescentes e
repensarem as situações críticas que
também enfrentaram, em uma tentativa
de evitar a perpetuação de erros e
preconceitos.
ADOLESCÊNCIA: A consulta
Dificuldades do hebiatra:
• insegurança com atitude hostil ou
permissiva;
• falta de hábito de dirigir-se diretamente ao
adolescente;
• falta de treinamento para não aceitar o papel que os
pais tentam impor;
• tempo de consulta insuficiente;
• ausência de sala especial e horário exclusivo;
• falta de costume de trabalhar em equipe.
ADOLESCÊNCIA: A consulta
DICA: ser firme, mas não
autoritário; tolerante sem ser
omisso; empático, mas não
sedutor; e liberal, sem ser
permissivo!
ADOLESCÊNCIA
Condições básicas para o
atendimento
• gostar de adolescentes;
• bom nível de conhecimento;
• postura ética com sensibilidade e respeito;
• ausência de preconceitos;
• disponibilidade e receptividade;
• garantia de confidência e sigilo;
• reconhecimento de limites
ADOLESCÊNCIA
Limite da confidencialidade
Risco de morte para o paciente ou terceiros:
• suicídio, doenças, fuga de casa;
• procedimentos notificação obrigatória - maus tratos;
• intenção de abortar;
• gravidez;
• abuso de drogas;
• anorexia e bulimia nervosa;
• ferimentos de cunho criminoso, atos violentos;
• ameaça de homicídio.
ADOLESCÊNCIA
ATENÇÃO !
O Código de Ética Médica
Capítulo IX – Segredo Médico – artigo 103:
“É vedado ao médico: revelar segredo profissional
referente a paciente menor de idade, inclusive a seus
pais ou responsáveis legais, desde que o menor tenha a
capacidade de avaliar seu problema e de conduzir-se
por seus próprios meios para solucioná-los, salvo
quando a não revelação possa acarretar danos ao
paciente”.
ADOLESCÊNCIA
Condições básicas para o atendimento
• definir limites profissionais para o paciente e família;
• permitir aos pais a participação na consulta;
• saber momento adequado da consulta individual;
• dividir responsabilidades com o adolescente e família;
• facilitar e incentivar as relações familiares.
ADOLESCÊNCIA
DICA: é necessário refletir e
debater em conjunto as
questões explícitas que
preocupam a família e não
importam aos adolescentes,
assim como as questões
implícitas que transtornam o
adolescente, e a família nega
ou ignora ou não se interessa!
ADOLESCÊNCIA
Condições básicas para o atendimento
• saber encaminhar de forma segura,
neutra, no momento certo, assuntos
como drogas, contracepção, gestação,
DST, para orientação e prevenção;
• respeitar o pudor do adolescente, com
explicações das etapas do exame físico,
com exclusão daquelas não
concordantes até momento propício.
ADOLESCÊNCIA: A consulta
• por apresentar queixas físicas, reais ou imaginárias;
• por apresentar dificuldades de ajustamento social na
escola, no trabalho, com companheiros, transtornos de
conduta, mau rendimento escolar;
• por dificuldades na área da sexualidade ou por queixas
psicológicas – preocupações, angústias, distúrbios do
sono, da alimentação, do humor.
Por que vem à consulta o
adolescente?
ADOLESCÊNCIA : Anamnese
Itens obrigatórios!
• família: estrutura e dinâmica familiar;
• educação: escolaridade, problemas;
• trabalho: profissão, horas, problemas;
• alimentação: tipo, alergias, peso;
• sexualidade: puberdade, atividade sexual,
dúvidas, tabus, preconceitos;
• afeto: relacionamentos, filhos;
• ambições: projetos futuros - vida e
profissão;
• uso/abuso de drogas lícitas/ilícitas;
• pensamento ou tentativa de suicídio.
ADOLESCÊNCIA
DICA: evitar o uso de gírias, porque o
adolescente deseja um profissional à sua
frente e não um de seus pares; não utilizar
linguagem infantil e diminutivos que os
remetam à infância; evitar comentários
jocosos que interfiram na sua auto-estima!
ADOLESCÊNCIA: Exame físico
Nem sempre é possível fazê-lo completo na 1ª
consulta!
Itens obrigatórios:
• estágio de desenvolvimento puberal;
• avaliação do estado nutricional;
• inspeção o mais completa possível.
ADOLESCÊNCIA
Problemas comportamentais:
“situações fora de controle”
• quebra na relação afetiva com pais e irmãos;
• insucesso em objetivos escolares e profissionais;
• perda de apoio dos pais;
• descuido pessoal persistente;
• promiscuidade sexual;
• rejeição de amigos e colegas;
• interrupção de atividades físicas e esportivas;
• furto contumaz, vandalismo, roubos em lojas;
• mentiras sistemáticas;
• condutas autodestrutivas.
ADOLESCÊNCIA: Bibliografia
1. Ferreira, J.P. et al. Pediatria. Diagnóstico e
Tratamento. Porto Alegre: Artmed, 2003.
2. Tratado de Pediatria. Sociedade Brasileira de
Pediatria. Barueri, SP: Manole, 2007.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção BásicaPré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção Básica
marianagusmao39
 
Saúde do Adolescente
Saúde do AdolescenteSaúde do Adolescente
Saúde do Adolescente
Centro Universitário Ages
 
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescenteAbuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Luisa Sena
 
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEFAleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
TesisMaster
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
Alexandre Donha
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
blogped1
 
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção BásicaDiagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
marianagusmao39
 
2 visita domiciliar
2  visita domiciliar2  visita domiciliar
2 visita domiciliar
Marcos EAna
 
Aula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasAula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra crianças
Diego Alvarez
 
Puericultura
PuericulturaPuericultura
Puericultura
Rodrigo Abreu
 
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentesPalestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Michelle Moraes Santos
 
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
Slide projeto violencia e abuso sexual   renataSlide projeto violencia e abuso sexual   renata
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
Fabiana Subrinho
 
O que é violência sexual
O que é violência sexualO que é violência sexual
O que é violência sexual
Alinebrauna Brauna
 
Direito do idosos
Direito do idososDireito do idosos
Direito do idosos
Cristina de Souza
 
Agosto Dourado 2021: Proteger a Amamentação
Agosto Dourado 2021: Proteger a AmamentaçãoAgosto Dourado 2021: Proteger a Amamentação
Transtornos Mentais da Criança e do Adolescente
Transtornos Mentais da Criança e do AdolescenteTranstornos Mentais da Criança e do Adolescente
Transtornos Mentais da Criança e do Adolescente
Andressa Macena
 
Autismo
AutismoAutismo
Nova CADERNETA da GESTANTE - Ministério da Saúde
Nova CADERNETA da GESTANTE - Ministério da SaúdeNova CADERNETA da GESTANTE - Ministério da Saúde
Nova CADERNETA da GESTANTE - Ministério da Saúde
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Aula 3 prénatal
Aula 3 prénatalAula 3 prénatal
Aula 3 prénatal
Rejane Durães
 

Mais procurados (20)

Pré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção BásicaPré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção Básica
 
Saúde do Adolescente
Saúde do AdolescenteSaúde do Adolescente
Saúde do Adolescente
 
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescenteAbuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
 
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEFAleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
 
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção BásicaDiagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
 
2 visita domiciliar
2  visita domiciliar2  visita domiciliar
2 visita domiciliar
 
Aula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasAula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra crianças
 
Puericultura
PuericulturaPuericultura
Puericultura
 
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentesPalestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
 
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
Slide projeto violencia e abuso sexual   renataSlide projeto violencia e abuso sexual   renata
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
 
O que é violência sexual
O que é violência sexualO que é violência sexual
O que é violência sexual
 
Direito do idosos
Direito do idososDireito do idosos
Direito do idosos
 
Agosto Dourado 2021: Proteger a Amamentação
Agosto Dourado 2021: Proteger a AmamentaçãoAgosto Dourado 2021: Proteger a Amamentação
Agosto Dourado 2021: Proteger a Amamentação
 
Transtornos Mentais da Criança e do Adolescente
Transtornos Mentais da Criança e do AdolescenteTranstornos Mentais da Criança e do Adolescente
Transtornos Mentais da Criança e do Adolescente
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Nova CADERNETA da GESTANTE - Ministério da Saúde
Nova CADERNETA da GESTANTE - Ministério da SaúdeNova CADERNETA da GESTANTE - Ministério da Saúde
Nova CADERNETA da GESTANTE - Ministério da Saúde
 
Aula 3 prénatal
Aula 3 prénatalAula 3 prénatal
Aula 3 prénatal
 

Destaque

Adolescência
AdolescênciaAdolescência
Adolescência
Ana Alpuim
 
A adolescência
A adolescênciaA adolescência
A adolescência
Roberto Nobre
 
O Adolescente
O AdolescenteO Adolescente
O Adolescente
Daniane Bornea Friedl
 
Pia adolescentes de ontem e hoje
Pia  adolescentes de ontem e hojePia  adolescentes de ontem e hoje
Pia adolescentes de ontem e hoje
maglomaria
 
Indisciplina
IndisciplinaIndisciplina
Indisciplina
anappauladias
 
Stress na Adolescência
Stress na AdolescênciaStress na Adolescência
Stress na Adolescência
Airton Dos Santos
 
Adolescente
AdolescenteAdolescente
Adolescente
Edna Mattos
 
Semana da pátria cidadania é participação
Semana da pátria   cidadania é participaçãoSemana da pátria   cidadania é participação
Semana da pátria cidadania é participação
Rua Heitor Liberato, 1172, Itajaí, Santa Catarina - Brasil
 
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedadeAula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Ana Filadelfi
 
Conselho de saúde
Conselho de saúdeConselho de saúde
Conselho de saúde
Cms Rubiataba
 
Adolescência trabalho portugues
Adolescência   trabalho portuguesAdolescência   trabalho portugues
Adolescência trabalho portugues
Miguel Monteiro
 
Adolescência e família
Adolescência e famíliaAdolescência e família
Adolescência e família
ariadnemonitoria
 
Palestra AdolescêNcia E FamíLia
Palestra   AdolescêNcia E FamíLiaPalestra   AdolescêNcia E FamíLia
Palestra AdolescêNcia E FamíLia
ccespirita
 
Adolescência, identidade e cidadania
Adolescência, identidade  e cidadaniaAdolescência, identidade  e cidadania
Adolescência, identidade e cidadania
ariadnemonitoria
 
Adolescencia na perspectiva da Saúde
Adolescencia na perspectiva da SaúdeAdolescencia na perspectiva da Saúde
Adolescencia na perspectiva da Saúde
Heloísa Ximenes
 
Adolescência e identidade
Adolescência e identidadeAdolescência e identidade
Adolescência e identidade
Josiane Amaral
 
1 apresentação reunião de pais
1 apresentação reunião de pais1 apresentação reunião de pais
1 apresentação reunião de pais
Colmanetti
 
Consumo de alcool na adolescencia
Consumo de alcool na adolescenciaConsumo de alcool na adolescencia
Consumo de alcool na adolescencia
alcoolnaadolescencia2012
 
Os problemas dos adolescentes
Os problemas dos adolescentesOs problemas dos adolescentes
Os problemas dos adolescentes
Adriana Cahongo
 
Reunião de pais
Reunião de paisReunião de pais
Reunião de pais
Daniela Marckevitz
 

Destaque (20)

Adolescência
AdolescênciaAdolescência
Adolescência
 
A adolescência
A adolescênciaA adolescência
A adolescência
 
O Adolescente
O AdolescenteO Adolescente
O Adolescente
 
Pia adolescentes de ontem e hoje
Pia  adolescentes de ontem e hojePia  adolescentes de ontem e hoje
Pia adolescentes de ontem e hoje
 
Indisciplina
IndisciplinaIndisciplina
Indisciplina
 
Stress na Adolescência
Stress na AdolescênciaStress na Adolescência
Stress na Adolescência
 
Adolescente
AdolescenteAdolescente
Adolescente
 
Semana da pátria cidadania é participação
Semana da pátria   cidadania é participaçãoSemana da pátria   cidadania é participação
Semana da pátria cidadania é participação
 
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedadeAula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
Aula 10 O adolescente na escola, na família e na sociedade
 
Conselho de saúde
Conselho de saúdeConselho de saúde
Conselho de saúde
 
Adolescência trabalho portugues
Adolescência   trabalho portuguesAdolescência   trabalho portugues
Adolescência trabalho portugues
 
Adolescência e família
Adolescência e famíliaAdolescência e família
Adolescência e família
 
Palestra AdolescêNcia E FamíLia
Palestra   AdolescêNcia E FamíLiaPalestra   AdolescêNcia E FamíLia
Palestra AdolescêNcia E FamíLia
 
Adolescência, identidade e cidadania
Adolescência, identidade  e cidadaniaAdolescência, identidade  e cidadania
Adolescência, identidade e cidadania
 
Adolescencia na perspectiva da Saúde
Adolescencia na perspectiva da SaúdeAdolescencia na perspectiva da Saúde
Adolescencia na perspectiva da Saúde
 
Adolescência e identidade
Adolescência e identidadeAdolescência e identidade
Adolescência e identidade
 
1 apresentação reunião de pais
1 apresentação reunião de pais1 apresentação reunião de pais
1 apresentação reunião de pais
 
Consumo de alcool na adolescencia
Consumo de alcool na adolescenciaConsumo de alcool na adolescencia
Consumo de alcool na adolescencia
 
Os problemas dos adolescentes
Os problemas dos adolescentesOs problemas dos adolescentes
Os problemas dos adolescentes
 
Reunião de pais
Reunião de paisReunião de pais
Reunião de pais
 

Semelhante a 29.adolescencia

adolescencia.ppt
adolescencia.pptadolescencia.ppt
adolescencia.ppt
AlefyLima2
 
adolescencia.ppt
adolescencia.pptadolescencia.ppt
adolescencia.ppt
RosaDEMatos
 
adolescencia.ppt
adolescencia.pptadolescencia.ppt
adolescencia.ppt
GabrieleMachado16
 
adolescencia (1).ppt
adolescencia (1).pptadolescencia (1).ppt
adolescencia (1).ppt
NaiaraMendes13
 
Violência Doméstica contra Crianças
Violência Doméstica contra CriançasViolência Doméstica contra Crianças
Violência Doméstica contra Crianças
David Nordon
 
Terapia do Esquema para Transtornos Alimentares.pdf
 Terapia do Esquema para Transtornos Alimentares.pdf Terapia do Esquema para Transtornos Alimentares.pdf
Terapia do Esquema para Transtornos Alimentares.pdf
RodrigoNovaes30
 
Aula 01 -_cuidados_com_a_saãºde_do_adolescente
Aula 01 -_cuidados_com_a_saãºde_do_adolescenteAula 01 -_cuidados_com_a_saãºde_do_adolescente
Aula 01 -_cuidados_com_a_saãºde_do_adolescente
Joelma Alves
 
2019 sbp -consulta_adolescente_-_abordclinica_orienteticas
2019 sbp  -consulta_adolescente_-_abordclinica_orienteticas2019 sbp  -consulta_adolescente_-_abordclinica_orienteticas
2019 sbp -consulta_adolescente_-_abordclinica_orienteticas
gisa_legal
 
Workshop sexualidade e deficiência
Workshop  sexualidade e deficiênciaWorkshop  sexualidade e deficiência
Workshop sexualidade e deficiência
SER_2011
 
Comportamentos de risco fam%e dlias
Comportamentos de risco fam%e dliasComportamentos de risco fam%e dlias
Comportamentos de risco fam%e dlias
Escola E.B.2,3 de Jovim Gondomar
 
Projeto didático interdisciplinar
Projeto didático interdisciplinarProjeto didático interdisciplinar
Projeto didático interdisciplinar
Uniasselvi soares
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescência
cmatos2010
 
TP_Borderline_TE.pptx
TP_Borderline_TE.pptxTP_Borderline_TE.pptx
TP_Borderline_TE.pptx
Fred Clementino
 
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIADROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
Fernanda Marinho
 
Apresentaçao pscicologia medica pediatria
Apresentaçao pscicologia medica pediatriaApresentaçao pscicologia medica pediatria
Apresentaçao pscicologia medica pediatria
TamilaLima
 
Drogas e família
Drogas e famíliaDrogas e família
Drogas e família
Bruno Morais Lopes
 
PSICOLOGIA DA EDUCACAO - SEXUALIZACAO.pptx
PSICOLOGIA DA EDUCACAO - SEXUALIZACAO.pptxPSICOLOGIA DA EDUCACAO - SEXUALIZACAO.pptx
PSICOLOGIA DA EDUCACAO - SEXUALIZACAO.pptx
MaysaCarlaDaConceioS
 
Deficiência Mental e Intelectual
Deficiência Mental e Intelectual Deficiência Mental e Intelectual
Deficiência Mental e Intelectual
Jose Luiz França
 
Depressão infantil 2014
Depressão infantil 2014Depressão infantil 2014
Depressão infantil 2014
kmillaalves
 
Perturbações
PerturbaçõesPerturbações
Perturbações
PPA12F
 

Semelhante a 29.adolescencia (20)

adolescencia.ppt
adolescencia.pptadolescencia.ppt
adolescencia.ppt
 
adolescencia.ppt
adolescencia.pptadolescencia.ppt
adolescencia.ppt
 
adolescencia.ppt
adolescencia.pptadolescencia.ppt
adolescencia.ppt
 
adolescencia (1).ppt
adolescencia (1).pptadolescencia (1).ppt
adolescencia (1).ppt
 
Violência Doméstica contra Crianças
Violência Doméstica contra CriançasViolência Doméstica contra Crianças
Violência Doméstica contra Crianças
 
Terapia do Esquema para Transtornos Alimentares.pdf
 Terapia do Esquema para Transtornos Alimentares.pdf Terapia do Esquema para Transtornos Alimentares.pdf
Terapia do Esquema para Transtornos Alimentares.pdf
 
Aula 01 -_cuidados_com_a_saãºde_do_adolescente
Aula 01 -_cuidados_com_a_saãºde_do_adolescenteAula 01 -_cuidados_com_a_saãºde_do_adolescente
Aula 01 -_cuidados_com_a_saãºde_do_adolescente
 
2019 sbp -consulta_adolescente_-_abordclinica_orienteticas
2019 sbp  -consulta_adolescente_-_abordclinica_orienteticas2019 sbp  -consulta_adolescente_-_abordclinica_orienteticas
2019 sbp -consulta_adolescente_-_abordclinica_orienteticas
 
Workshop sexualidade e deficiência
Workshop  sexualidade e deficiênciaWorkshop  sexualidade e deficiência
Workshop sexualidade e deficiência
 
Comportamentos de risco fam%e dlias
Comportamentos de risco fam%e dliasComportamentos de risco fam%e dlias
Comportamentos de risco fam%e dlias
 
Projeto didático interdisciplinar
Projeto didático interdisciplinarProjeto didático interdisciplinar
Projeto didático interdisciplinar
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescência
 
TP_Borderline_TE.pptx
TP_Borderline_TE.pptxTP_Borderline_TE.pptx
TP_Borderline_TE.pptx
 
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIADROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
 
Apresentaçao pscicologia medica pediatria
Apresentaçao pscicologia medica pediatriaApresentaçao pscicologia medica pediatria
Apresentaçao pscicologia medica pediatria
 
Drogas e família
Drogas e famíliaDrogas e família
Drogas e família
 
PSICOLOGIA DA EDUCACAO - SEXUALIZACAO.pptx
PSICOLOGIA DA EDUCACAO - SEXUALIZACAO.pptxPSICOLOGIA DA EDUCACAO - SEXUALIZACAO.pptx
PSICOLOGIA DA EDUCACAO - SEXUALIZACAO.pptx
 
Deficiência Mental e Intelectual
Deficiência Mental e Intelectual Deficiência Mental e Intelectual
Deficiência Mental e Intelectual
 
Depressão infantil 2014
Depressão infantil 2014Depressão infantil 2014
Depressão infantil 2014
 
Perturbações
PerturbaçõesPerturbações
Perturbações
 

29.adolescencia

  • 1. ADOLESCÊNCIA CURSO DE MEDICINA/UCPEL Núcleo de Pediatria Profª Luiza Helena Novaes
  • 2. ADOLESCÊNCIA Por que estudá-la? • contingente populacional expressivo e crescente:  30% da população no Brasil; • características típicas de conduta; • morbimortalidades específicas  acidentes de transporte,  homicídios, suicídios,  AIDS, gravidez
  • 3. ADOLESCÊNCIA: Conceito OMS – etapa evolutiva que se estende dos 10-20 anos de idade, caracterizada por intensas transformações biopsicossociais, em uma busca pelo jovem de seu lugar e papel na sociedade. ECA – lei n° 8069, 13/07/90, faixa etária 12-18 anos
  • 4. ADOLESCÊNCIA: Conceito HEBIATRIA – subespecialidade pediátrica, regulamentada desde 1998 pela Sociedade Brasileira de Pediatria; Associação Médica Brasileira em 1999 afirmou ser área de atuação do pediatra. Hebe: deusa da juventude na mitologia grega
  • 5. ADOLESCÊNCIA: Conceito PUBERDADE: é o componente biológico da fase de adolescência; surgem os caracteres sexuais secundários por ação hormonal e culmina com a aquisição da capacidade reprodutiva.
  • 6. ADOLESCÊNCIA: Conceito ADOLESCÊNCIA: modificações hormonais e comportamentais (biopsicossociais) Lembrar: os primeiros indícios da puberdade – protrusão do mamilo e aumento testicular – assinalam o início da adolescência. O final da puberdade coincide com a aquisição da capacidade reprodutiva, fusão das epífises ósseas, mas não significa o final da adolescência.
  • 7. ADOLESCÊNCIA: Etapas ETAPA INICIAL: 10-14 ANOS, distância dos pais, menor interesse por assuntos familiares, aproximação com os iguais, mesmo sexo, necessidade de privacidade e de adaptação às mudanças corporais; inseguros em relação a saúde e doença, atendimento com os pais predominantemente.
  • 8. ADOLESCÊNCIA: Etapas ETAPA MÉDIA: 15-17 ANOS, máxima identificação com os iguais, exposição a situações de risco, onipotência, puberdade completa, conflitos com a nova imagem corporal, início das experiências sexuais. Comportamento mais próximo do adulto, atendimento individualizado, com participação ativa, confiante na relação com o hebiatra, sem imposição dos pais.
  • 9. ADOLESCÊNCIA: Etapas ETAPA TARDIA: 17 a 20 ANOS, surgimento de valores e comportamento do tipo adulto, reaproximação com os pais por identificação de papéis, relacionamentos mais afetuosos e íntimos, busca de estabilidade social e econômica, definição de carreiras, atendimento individualizado. Fenômeno recente: “adolescência prolongada”, faixa etária 20-24 anos.
  • 10. ADOLESCÊNCIA: A consulta Dificuldades dos adolescentes: • recusa em comparecer a consulta, desconhecimento do hebiatra; • dificuldades ou recusa em verbalizar os problemas; • comunicação extraverbal – gestos, olhares, atitudes; • receio de que a consulta sirva para descoberta de “segredos” pelos pais; • recusa em cumprir prescrições e de retornar às consultas e seguimentos.
  • 11. ADOLESCENTE: A consulta DICA: uma boa tática é iniciar a anamnese com perguntas genéricas! • O que gosta de fazer nas horas de folga? • O que mais gosta e o que menos gosta na escola? • É praticante de esportes competitivos? • Que sonhos e desejos têm para o futuro?
  • 12. ADOLESCÊNCIA: A consulta LEMBRAR – os adolescentes costumam construir no imaginário, hipertrofias deformadoras de suas dificuldades, demandando gastos inúteis de energia, sofrimento e conseqüências catastróficas para si próprios.
  • 13. ADOLESCÊNCIA: A consulta Dificuldades dos pais: • escala de prioridades diferente do adolescente; • expectativa de usar o hebiatra como um canal para transmitir ao adolescente suas queixas, conselhos; • expectativa de que o hebiatra repasse informações sobre o adolescente; • tendência de relatar mais os aspectos negativos do comportamento do adolescente do que os positivos
  • 14. ADOLESCÊNCIA: A consulta DICA: vale a regra de pedir aos pais para lembrarem de sua época de adolescentes e repensarem as situações críticas que também enfrentaram, em uma tentativa de evitar a perpetuação de erros e preconceitos.
  • 15. ADOLESCÊNCIA: A consulta Dificuldades do hebiatra: • insegurança com atitude hostil ou permissiva; • falta de hábito de dirigir-se diretamente ao adolescente; • falta de treinamento para não aceitar o papel que os pais tentam impor; • tempo de consulta insuficiente; • ausência de sala especial e horário exclusivo; • falta de costume de trabalhar em equipe.
  • 16. ADOLESCÊNCIA: A consulta DICA: ser firme, mas não autoritário; tolerante sem ser omisso; empático, mas não sedutor; e liberal, sem ser permissivo!
  • 17. ADOLESCÊNCIA Condições básicas para o atendimento • gostar de adolescentes; • bom nível de conhecimento; • postura ética com sensibilidade e respeito; • ausência de preconceitos; • disponibilidade e receptividade; • garantia de confidência e sigilo; • reconhecimento de limites
  • 18. ADOLESCÊNCIA Limite da confidencialidade Risco de morte para o paciente ou terceiros: • suicídio, doenças, fuga de casa; • procedimentos notificação obrigatória - maus tratos; • intenção de abortar; • gravidez; • abuso de drogas; • anorexia e bulimia nervosa; • ferimentos de cunho criminoso, atos violentos; • ameaça de homicídio.
  • 19. ADOLESCÊNCIA ATENÇÃO ! O Código de Ética Médica Capítulo IX – Segredo Médico – artigo 103: “É vedado ao médico: revelar segredo profissional referente a paciente menor de idade, inclusive a seus pais ou responsáveis legais, desde que o menor tenha a capacidade de avaliar seu problema e de conduzir-se por seus próprios meios para solucioná-los, salvo quando a não revelação possa acarretar danos ao paciente”.
  • 20. ADOLESCÊNCIA Condições básicas para o atendimento • definir limites profissionais para o paciente e família; • permitir aos pais a participação na consulta; • saber momento adequado da consulta individual; • dividir responsabilidades com o adolescente e família; • facilitar e incentivar as relações familiares.
  • 21. ADOLESCÊNCIA DICA: é necessário refletir e debater em conjunto as questões explícitas que preocupam a família e não importam aos adolescentes, assim como as questões implícitas que transtornam o adolescente, e a família nega ou ignora ou não se interessa!
  • 22. ADOLESCÊNCIA Condições básicas para o atendimento • saber encaminhar de forma segura, neutra, no momento certo, assuntos como drogas, contracepção, gestação, DST, para orientação e prevenção; • respeitar o pudor do adolescente, com explicações das etapas do exame físico, com exclusão daquelas não concordantes até momento propício.
  • 23. ADOLESCÊNCIA: A consulta • por apresentar queixas físicas, reais ou imaginárias; • por apresentar dificuldades de ajustamento social na escola, no trabalho, com companheiros, transtornos de conduta, mau rendimento escolar; • por dificuldades na área da sexualidade ou por queixas psicológicas – preocupações, angústias, distúrbios do sono, da alimentação, do humor. Por que vem à consulta o adolescente?
  • 24. ADOLESCÊNCIA : Anamnese Itens obrigatórios! • família: estrutura e dinâmica familiar; • educação: escolaridade, problemas; • trabalho: profissão, horas, problemas; • alimentação: tipo, alergias, peso; • sexualidade: puberdade, atividade sexual, dúvidas, tabus, preconceitos; • afeto: relacionamentos, filhos; • ambições: projetos futuros - vida e profissão; • uso/abuso de drogas lícitas/ilícitas; • pensamento ou tentativa de suicídio.
  • 25. ADOLESCÊNCIA DICA: evitar o uso de gírias, porque o adolescente deseja um profissional à sua frente e não um de seus pares; não utilizar linguagem infantil e diminutivos que os remetam à infância; evitar comentários jocosos que interfiram na sua auto-estima!
  • 26. ADOLESCÊNCIA: Exame físico Nem sempre é possível fazê-lo completo na 1ª consulta! Itens obrigatórios: • estágio de desenvolvimento puberal; • avaliação do estado nutricional; • inspeção o mais completa possível.
  • 27. ADOLESCÊNCIA Problemas comportamentais: “situações fora de controle” • quebra na relação afetiva com pais e irmãos; • insucesso em objetivos escolares e profissionais; • perda de apoio dos pais; • descuido pessoal persistente; • promiscuidade sexual; • rejeição de amigos e colegas; • interrupção de atividades físicas e esportivas; • furto contumaz, vandalismo, roubos em lojas; • mentiras sistemáticas; • condutas autodestrutivas.
  • 28. ADOLESCÊNCIA: Bibliografia 1. Ferreira, J.P. et al. Pediatria. Diagnóstico e Tratamento. Porto Alegre: Artmed, 2003. 2. Tratado de Pediatria. Sociedade Brasileira de Pediatria. Barueri, SP: Manole, 2007.