SlideShare uma empresa Scribd logo
LEI DO TRABALHO LE 675
Por trabalho só se devem entender as
ocupações materiais?
“Não; o Espírito trabalha, assim como corpo.
Toda ocupação útil é trabalho.”
A CRUZ
... E Jesus disse:
“Meu Pai
trabalha até
agora, e eu
trabalho
também.”
A exaltação da cortesia
Caderno de Mensagens
À frente da multidão de sofredores e desalentados,
relacionou o Mestre as bem-aventuranças,
destacando, com ênfase, a declaração de que os
mansos herdariam a Terra.
A afirmativa, porém, soou entre os discípulos de maneira
menos agradável.
Tal asserção não seria encorajamento à ociosidade
mental até mesmo a preguiça?
Se o evangelho reclamava espíritos valorosos na sementeira das
verdades renovadoras, como acomodar a promessa com a
necessidade do destemor?
Se o mal era atrevido e contundente, em todos os climas e
posições, como estabelecer o triunfo inadiável do bem através da
incapacidade de reagir, embora pacificamente?
Nessas interrogações imprecisas, reuniu-se a assembleia familiar
no domicílio de Pedro.
Iniciado os comentários edificantes da noite, entreolhavam-se os
discípulos entre a indagação e a curiosidade.
O Divino amigo parecia perceber os motivos da
Expectação em torno, mas esperava,
sereno, que os seguidores se pronunciassem.
Foi então que Judas, rompendo o véu de respeito que aureolava
a presença do Mestre, inquiriu, loquaz:
- Senhor, por que atribuíste aos mansos a posse final da Terra?
Os corações acovardados gozarão de semelhante benção?
Os incapazes de testemunhar a fé, nos momentos graves
De luta e sacrifício, serão igualmente bem-aventurados?
Jesus não respondeu, de imediato.
Vagueou o olhar, através dos circunstantes, como a
pedir-lhes a exposição de quaisquer dúvidas
que lhe povoassem a alma.
Rio Jordão
Pedro cobrou ânimo e perguntou:
- Sim, Mestre: se um malfeitor visitar-me a casa, não devo recordar-
lhe os imperativos do acatamento recíproco?
- Entregar-me-ei sem qualquer admoestação fraternal aos seus
delituoso caprichos, a pretexto de guardar a mansidão que te
referiste?
O Cristo sorriu, como tantas vezes, e enunciou, calmo:
- Enganam-se todos, naturalmente. Eu não fiz o elogio da
preguiça, que se mascara de humildade, nem da covardia que se
veste de cordura para melhor acomodar-se às conveniências
humanas. As criaturas que se afeiçoam a semelhantes artifícios
sofrerão duramente os instrumentos espirituais de que o mundo
se utiliza para reajustar os caracteres tortuosos e indecisos.
Exaltei, na realidade, a cortesia de que
somos credores uns dos outros.
Mar de Galiléia
Bem-aventurados os homens de trato ameno que sabem
usar a energia construtiva entre o gesto de bondade e o
verbo da compreensão!
Mar de Galiléia
Bem-aventurados os filhos do equilíbrio e da
gentileza que aprendem a negar o mal,
sem ferir o irmão ignorante que os solicita sem
saber o que pede!
Mar de Galiléia
EXEMPLO
Abençoados os que repetem mil vezes a mesma lição, sem
alarde, para que o próximo lhes aproveite a influenciação
na felicidade justa de todos!
EXEMPLO
Bem-aventurados aqueles que sabem tratar o rico e o
pobre, o sábio e o inculto, o bom e o mau com espírito de
serviço e entendimento dando a cada um,
de conformidade com seus méritos e necessidades e
deixando os sinais de melhoria, de elevação, bem-estar e
contentamento por onde cruzam!
Em verdade vos digo que a eles pertencerá o domínio espiritual
da Terra, porque todo aquele que acolhe os semelhantes,
dentro das normas do amor e do respeito, é senhor dos
corações que se aperfeiçoam no mundo!
Alívio e alegria transbordaram do ânimo geral e, de olhos fitos,
agora, nas águas imensas do grande lago, o Senhor pediu a
Mateus encerrasse o fraterno entendimento da noite,
pronunciando uma prece.
Do livro : Jesus no Lar de Neio Lúcio
Por Chico Xavier

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 7 - A Semente
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 7 - A SementeSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 7 - A Semente
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 7 - A Semente
Ricardo Azevedo
 
Gratidão - A sintonia da Regeneração
Gratidão - A sintonia da RegeneraçãoGratidão - A sintonia da Regeneração
Gratidão - A sintonia da Regeneração
Ricardo Azevedo
 
EADE - O Calvário, a Crucificação e a Ressureição de Jesus
EADE - O Calvário, a Crucificação e a Ressureição de JesusEADE - O Calvário, a Crucificação e a Ressureição de Jesus
EADE - O Calvário, a Crucificação e a Ressureição de Jesus
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
Paulo e abigail
Paulo e abigailPaulo e abigail
Paulo e abigail
Andre Estevao
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 19 - Conquista Íntima
Série Evangelho no Lar - Cap. 19 - Conquista ÍntimaSérie Evangelho no Lar - Cap. 19 - Conquista Íntima
Série Evangelho no Lar - Cap. 19 - Conquista Íntima
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 13 - Estações Necessárias
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 13 - Estações NecessáriasSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 13 - Estações Necessárias
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 13 - Estações Necessárias
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 10 - Sentimentos Fraternos
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 10 - Sentimentos FraternosSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 10 - Sentimentos Fraternos
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 10 - Sentimentos Fraternos
Ricardo Azevedo
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço Cristão
Evangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço CristãoEvangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço Cristão
Evangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço Cristão
Ricardo Azevedo
 
Boletim 110513
Boletim   110513Boletim   110513
Boletim 110513
Marcio Lira
 
Obesidade da alma !
Obesidade da alma !Obesidade da alma !
Obesidade da alma !
Leonardo Pereira
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 9 - Homens de Fé
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 9 - Homens de FéSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 9 - Homens de Fé
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 9 - Homens de Fé
Ricardo Azevedo
 
Entre o céu e a terra
Entre o céu e a terraEntre o céu e a terra
Entre o céu e a terra
Antonio SSantos
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso Cap. 1 - Mãos à Obra
Evangelho no Lar - Pão Nosso Cap. 1 - Mãos à ObraEvangelho no Lar - Pão Nosso Cap. 1 - Mãos à Obra
Evangelho no Lar - Pão Nosso Cap. 1 - Mãos à Obra
Ricardo Azevedo
 
Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)
Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)
Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)
Rogério Prevedel
 
Paulo e estevão
Paulo e estevãoPaulo e estevão
Paulo e estevão
Martha Rodrigues
 
MENSAGEM DE FRANCISCO DE ASSIS PARA DIVALDO FRANCO
MENSAGEM DE FRANCISCO DE ASSIS PARA DIVALDO FRANCOMENSAGEM DE FRANCISCO DE ASSIS PARA DIVALDO FRANCO
MENSAGEM DE FRANCISCO DE ASSIS PARA DIVALDO FRANCO
Grupo Espírita Mensageiros
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 8 - Ansiedades
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 8 - AnsiedadesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 8 - Ansiedades
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 8 - Ansiedades
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 26 - Trabalhos Imediatos
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 26 - Trabalhos ImediatosSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 26 - Trabalhos Imediatos
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 26 - Trabalhos Imediatos
Ricardo Azevedo
 

Mais procurados (18)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 7 - A Semente
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 7 - A SementeSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 7 - A Semente
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 7 - A Semente
 
Gratidão - A sintonia da Regeneração
Gratidão - A sintonia da RegeneraçãoGratidão - A sintonia da Regeneração
Gratidão - A sintonia da Regeneração
 
EADE - O Calvário, a Crucificação e a Ressureição de Jesus
EADE - O Calvário, a Crucificação e a Ressureição de JesusEADE - O Calvário, a Crucificação e a Ressureição de Jesus
EADE - O Calvário, a Crucificação e a Ressureição de Jesus
 
Paulo e abigail
Paulo e abigailPaulo e abigail
Paulo e abigail
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 19 - Conquista Íntima
Série Evangelho no Lar - Cap. 19 - Conquista ÍntimaSérie Evangelho no Lar - Cap. 19 - Conquista Íntima
Série Evangelho no Lar - Cap. 19 - Conquista Íntima
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 13 - Estações Necessárias
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 13 - Estações NecessáriasSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 13 - Estações Necessárias
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 13 - Estações Necessárias
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 10 - Sentimentos Fraternos
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 10 - Sentimentos FraternosSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 10 - Sentimentos Fraternos
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 10 - Sentimentos Fraternos
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço Cristão
Evangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço CristãoEvangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço Cristão
Evangelho no Lar - Pão Nosso - No Serviço Cristão
 
Boletim 110513
Boletim   110513Boletim   110513
Boletim 110513
 
Obesidade da alma !
Obesidade da alma !Obesidade da alma !
Obesidade da alma !
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 9 - Homens de Fé
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 9 - Homens de FéSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 9 - Homens de Fé
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 9 - Homens de Fé
 
Entre o céu e a terra
Entre o céu e a terraEntre o céu e a terra
Entre o céu e a terra
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso Cap. 1 - Mãos à Obra
Evangelho no Lar - Pão Nosso Cap. 1 - Mãos à ObraEvangelho no Lar - Pão Nosso Cap. 1 - Mãos à Obra
Evangelho no Lar - Pão Nosso Cap. 1 - Mãos à Obra
 
Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)
Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)
Mensagem de Bezerra de Menezes (by Divaldo P. Franco)
 
Paulo e estevão
Paulo e estevãoPaulo e estevão
Paulo e estevão
 
MENSAGEM DE FRANCISCO DE ASSIS PARA DIVALDO FRANCO
MENSAGEM DE FRANCISCO DE ASSIS PARA DIVALDO FRANCOMENSAGEM DE FRANCISCO DE ASSIS PARA DIVALDO FRANCO
MENSAGEM DE FRANCISCO DE ASSIS PARA DIVALDO FRANCO
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 8 - Ansiedades
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 8 - AnsiedadesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 8 - Ansiedades
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 8 - Ansiedades
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 26 - Trabalhos Imediatos
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 26 - Trabalhos ImediatosSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 26 - Trabalhos Imediatos
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 26 - Trabalhos Imediatos
 

Semelhante a 2015 08-21 - Palestra O Semeador - Lei do Trabalho

Missionarios da luz
Missionarios da luzMissionarios da luz
Missionarios da luz
livroparabaixar
 
Fonte viva
Fonte vivaFonte viva
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
Joao Minelli Neto
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Ricardo Azevedo
 
3 missionarios da-luz-1945
3 missionarios da-luz-19453 missionarios da-luz-1945
3 missionarios da-luz-1945
paulasa pin
 
33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros
pohlos
 
Nossolar
NossolarNossolar
Nossolar
Renato Cardoso
 
13 o trabalhador fracassado
13   o trabalhador fracassado13   o trabalhador fracassado
13 o trabalhador fracassado
Fatoze
 
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
Patricia Farias
 
Paonossol8
Paonossol8Paonossol8
Paonossol8
Manoel Gamas
 
Fonte de paz (psicografia chico xavier espíritos diversos)
Fonte de paz (psicografia chico xavier   espíritos diversos)Fonte de paz (psicografia chico xavier   espíritos diversos)
Fonte de paz (psicografia chico xavier espíritos diversos)
Ricardo Akerman
 
Aflito, Porem Bem Aventurado
Aflito,  Porem Bem Aventurado Aflito,  Porem Bem Aventurado
Aflito, Porem Bem Aventurado
Clea Alves
 
O homem de bem Por Pedro Aganian
O homem de bem Por Pedro Aganian O homem de bem Por Pedro Aganian
O homem de bem Por Pedro Aganian
Bruno Amaro
 
Eae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das EpístolasEae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das Epístolas
PatiSousa1
 
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Patricia Farias
 
SEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOSSEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOS
Isnande Mota Barros
 
Ansiedades. Jrcordeiro.
Ansiedades. Jrcordeiro.Ansiedades. Jrcordeiro.
Ansiedades. Jrcordeiro.
José Roberto Cordeiro
 
Evangelho Cap5 item18
Evangelho Cap5 item18Evangelho Cap5 item18
Evangelho Cap5 item18
Patricia Farias
 
Para quem serviria o evangelho
Para quem serviria o evangelhoPara quem serviria o evangelho
Para quem serviria o evangelho
Helio Cruz
 
A lição da vigilância
A lição da vigilânciaA lição da vigilância
A lição da vigilância
Fatoze
 

Semelhante a 2015 08-21 - Palestra O Semeador - Lei do Trabalho (20)

Missionarios da luz
Missionarios da luzMissionarios da luz
Missionarios da luz
 
Fonte viva
Fonte vivaFonte viva
Fonte viva
 
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
 
3 missionarios da-luz-1945
3 missionarios da-luz-19453 missionarios da-luz-1945
3 missionarios da-luz-1945
 
33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros
 
Nossolar
NossolarNossolar
Nossolar
 
13 o trabalhador fracassado
13   o trabalhador fracassado13   o trabalhador fracassado
13 o trabalhador fracassado
 
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
Livro dos Espiritos 657 e ESE cap6_item5
 
Paonossol8
Paonossol8Paonossol8
Paonossol8
 
Fonte de paz (psicografia chico xavier espíritos diversos)
Fonte de paz (psicografia chico xavier   espíritos diversos)Fonte de paz (psicografia chico xavier   espíritos diversos)
Fonte de paz (psicografia chico xavier espíritos diversos)
 
Aflito, Porem Bem Aventurado
Aflito,  Porem Bem Aventurado Aflito,  Porem Bem Aventurado
Aflito, Porem Bem Aventurado
 
O homem de bem Por Pedro Aganian
O homem de bem Por Pedro Aganian O homem de bem Por Pedro Aganian
O homem de bem Por Pedro Aganian
 
Eae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das EpístolasEae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das Epístolas
 
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
Livro dos Espiritos 549 e ESE cap 5
 
SEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOSSEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOS
 
Ansiedades. Jrcordeiro.
Ansiedades. Jrcordeiro.Ansiedades. Jrcordeiro.
Ansiedades. Jrcordeiro.
 
Evangelho Cap5 item18
Evangelho Cap5 item18Evangelho Cap5 item18
Evangelho Cap5 item18
 
Para quem serviria o evangelho
Para quem serviria o evangelhoPara quem serviria o evangelho
Para quem serviria o evangelho
 
A lição da vigilância
A lição da vigilânciaA lição da vigilância
A lição da vigilância
 

Último

Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 

Último (20)

Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 

2015 08-21 - Palestra O Semeador - Lei do Trabalho

  • 1. LEI DO TRABALHO LE 675 Por trabalho só se devem entender as ocupações materiais? “Não; o Espírito trabalha, assim como corpo. Toda ocupação útil é trabalho.”
  • 2. A CRUZ ... E Jesus disse: “Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.”
  • 3. A exaltação da cortesia Caderno de Mensagens
  • 4. À frente da multidão de sofredores e desalentados, relacionou o Mestre as bem-aventuranças, destacando, com ênfase, a declaração de que os mansos herdariam a Terra.
  • 5. A afirmativa, porém, soou entre os discípulos de maneira menos agradável. Tal asserção não seria encorajamento à ociosidade mental até mesmo a preguiça?
  • 6. Se o evangelho reclamava espíritos valorosos na sementeira das verdades renovadoras, como acomodar a promessa com a necessidade do destemor? Se o mal era atrevido e contundente, em todos os climas e posições, como estabelecer o triunfo inadiável do bem através da incapacidade de reagir, embora pacificamente?
  • 7. Nessas interrogações imprecisas, reuniu-se a assembleia familiar no domicílio de Pedro. Iniciado os comentários edificantes da noite, entreolhavam-se os discípulos entre a indagação e a curiosidade.
  • 8. O Divino amigo parecia perceber os motivos da Expectação em torno, mas esperava, sereno, que os seguidores se pronunciassem.
  • 9. Foi então que Judas, rompendo o véu de respeito que aureolava a presença do Mestre, inquiriu, loquaz: - Senhor, por que atribuíste aos mansos a posse final da Terra? Os corações acovardados gozarão de semelhante benção? Os incapazes de testemunhar a fé, nos momentos graves De luta e sacrifício, serão igualmente bem-aventurados?
  • 10. Jesus não respondeu, de imediato. Vagueou o olhar, através dos circunstantes, como a pedir-lhes a exposição de quaisquer dúvidas que lhe povoassem a alma.
  • 11. Rio Jordão Pedro cobrou ânimo e perguntou: - Sim, Mestre: se um malfeitor visitar-me a casa, não devo recordar- lhe os imperativos do acatamento recíproco? - Entregar-me-ei sem qualquer admoestação fraternal aos seus delituoso caprichos, a pretexto de guardar a mansidão que te referiste?
  • 12. O Cristo sorriu, como tantas vezes, e enunciou, calmo: - Enganam-se todos, naturalmente. Eu não fiz o elogio da preguiça, que se mascara de humildade, nem da covardia que se veste de cordura para melhor acomodar-se às conveniências humanas. As criaturas que se afeiçoam a semelhantes artifícios sofrerão duramente os instrumentos espirituais de que o mundo se utiliza para reajustar os caracteres tortuosos e indecisos.
  • 13. Exaltei, na realidade, a cortesia de que somos credores uns dos outros.
  • 14. Mar de Galiléia Bem-aventurados os homens de trato ameno que sabem usar a energia construtiva entre o gesto de bondade e o verbo da compreensão!
  • 15. Mar de Galiléia Bem-aventurados os filhos do equilíbrio e da gentileza que aprendem a negar o mal, sem ferir o irmão ignorante que os solicita sem saber o que pede!
  • 17. Abençoados os que repetem mil vezes a mesma lição, sem alarde, para que o próximo lhes aproveite a influenciação na felicidade justa de todos!
  • 19. Bem-aventurados aqueles que sabem tratar o rico e o pobre, o sábio e o inculto, o bom e o mau com espírito de serviço e entendimento dando a cada um, de conformidade com seus méritos e necessidades e deixando os sinais de melhoria, de elevação, bem-estar e contentamento por onde cruzam!
  • 20. Em verdade vos digo que a eles pertencerá o domínio espiritual da Terra, porque todo aquele que acolhe os semelhantes, dentro das normas do amor e do respeito, é senhor dos corações que se aperfeiçoam no mundo!
  • 21. Alívio e alegria transbordaram do ânimo geral e, de olhos fitos, agora, nas águas imensas do grande lago, o Senhor pediu a Mateus encerrasse o fraterno entendimento da noite, pronunciando uma prece.
  • 22. Do livro : Jesus no Lar de Neio Lúcio Por Chico Xavier

Notas do Editor

  1. Todos que aqui estão se dispuseram a trabalhar hoje e doar um pouco de si mesmos, do seu tempo, e de sua energia, de seu ectoplasma, de seus fluidos, para auxiliar e aprender nesta manhã. Todos os dias estamos trabalhando…tudo trabalha, tudo está em constante movimento, o planeta, as pessoas, as mentes, as dimensoes, o mundo espiritual..tudo. Nós não paramos, nao podemos parar, porque do nosso trabalho depende nossa evolucao. Nós trabalhamos no plano spiritual, e trabalhamos quando reencarnamos no plano material. (o espermatozoiode leva 72 horas para fecundar o ovulo e sofre varias transformacoes no decorrer deste pouco tempo). O trabalho que dá para o espírito reencarnar.. O trabalho que dá para o espírito desencarnar… e tudo está interligado… ESSE Cap. XXVIII - IV. Dá-nos o pão de cada dia. Dá-nos o alimento indispensável à sustentação das forças do corpo; mas, dá-nos também o alimento espiritual para o desenvolvimento do nosso Espírito. O bruto encontra a sua pastagem; o homem, porém, deve o sustento à sua própria atividade e aos recursos da sua inteligência, porque o criaste livre. Tu lhe hás dito: "Tirarás da terra o alimento com o suor da tua fronte." Desse modo, fizeste do trabalho, para ele, uma obrigação, a fim de que exercitasse a inteligência na procura dos meios de prover às suas necessidades e ao seu bem-estar, uns mediante o labor manual, outros pelo labor intelectual. Sem o trabalho, ele se conservaria estacionário e não poderia aspirar à felicidade dos Espíritos superiores.
  2. A CURA EM BETESDA - O Sinal em Betesda – A cura do paralitico – Novo testamento Próximo à porta das ovelhas, um tanque, chamado em hebreu de Betesda, o qual tem cinco alpendres. Nestes jazia grande multidão de enfermos: cegos, mancos e ressicados, esperando o movimento das águas. Porquanto um anjo descia, em certo tempo, ao tanque, e agitava a água; e o primeiro que ali descesse, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse. E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo. E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado, havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são? O enfermo respondeu-lhe: Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me coloque no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. Jesus disse-lhe: Levanta-te e toma a tua cama, e anda. Logo aquele homem ficou são, e tomou a sua cama, e partiu. E aquele dia era Sábado.” O discurso provocado pelo milagre. “Então os judeus disseram àquele que tinha sido curado: É Sábado, não te é lícito levar a cama. Ele respondeu-lhes: Aquele que me curou, ele próprio disse: Toma a tua cama, e anda. Perguntaram-lhe, pois: Quem é o homem que te disse: Toma a tua cama, e anda? E o que fora curado não sabia quem era; porque Jesus se havia retirado, em razão de, naquele lugar, haver grande multidão. Depois, Jesus encontrou-o no Templo, e disse-lhe: Eis que já estás são; não peques mais, para que te não suceda alguma coisa pior. E aquele homem foi, e anunciou aos judeus que Jesus era o que o curara. E, por esta causa, os judeus perseguiram a Jesus, e procura vam matá - lo, porque fazia estas coisa no sábado. E Jesus lhes respondeu: Meus Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. Somente mais um exemplo de que não paramos de trabalhar e não podemos parar de trabalhar... Se temos o evangelho de Jesus como o nosso roteiro de vida, de existência, então não podemos seguir somente o que nos interessa e sim como um todo. Sempre, a todo momento temos um trabalho a fazer.
  3. 1 – Gestos e Verbos 2 – Ter equilíbrio e gentileza, pois às vezes quem nos procura está precisando aliviar suas más tendências. 3 – Se nós repetirmos o bem, o outro acaba aprendendo. 4 – Pode ser feito com todos, ricos, pobres, bons maus, novos, idosos, etc.