SlideShare uma empresa Scribd logo
Desenvolvimentos  recentes de novos produtos para o setor automotivo na Usiminas Caso foco: Aço Complex Phase para  rodas automotivas
“ O desenvolvimento de novos produtos na siderurgia é usualmente “puxado pela demanda”, cabendo freqüentemente aos clientes “mais sofisticados”, notadamente os do complexo automotivo, requisitar inovações. Nesse contexto, a intensidade dos esforços tecnológicos varia significativamente entre os segmentos produtores da siderurgia, em resposta aos graus diferenciados de exigência dos consumidores.”  Relatóro setorial da Finep Siderurgia nacional USIMINAS NOVOS PRODUTOS Indústria Automotiva
A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS NOVOS PRODUTOS RECENTES CASO FOCO
O que é Novo Produto (AÇO) para a Usiminas? Trata-se de uma  qualidade de aço  que não é disponível na carteira de produtos, não havendo similaridade com nenhuma outra qualidade em produção. É um Produto que não está padronizado ou que não tem sua comercialização liberada sob consulta prévia de clientes.  A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
A gestão do desenvolvimento de novos produtos(DNP) foi criada na Usiminas para atender a norma ISO 9001/TS 16949, no requisito 7.3, referente ao  Projeto e Desenvolvimento de Novos Produtos, que dentre outros requerimentos estão as análises de Marketing, de viabilidade, estratégias de desenvolvimento, controle e validação de projeto e a retroalimentação do processo. A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
Estrutura Organizacional   – Estrutura por processos. Coordenação é de responsabilidade da Superintêndencia de Marketing, sendo cada  projeto de novo produto  divido em equipes de  projetos de produtos. Equipes de Projetos   – Matricial, com participação integral dos setores de Marketing(líder), P&D, Controle Metalúrgico, Assistência Técnica e participação parcial das áreas de Produção, Vendas, Logística e PCP. Os integrantes participam no processo desde a geração de idéias, até a comercialização final do novo produto. A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
Análise preliminar de Marketing Fluxograma do processo DNP A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS Idéias e oportunidades Abertura do projeto Desenvolvimento industrial Análise Final  de Marketing Lançamento Padronização ou liberação sob consulta Encerramento Retroali- mentação Retroali- mentação
Principais origens  do DNP Demandas/necessidades de clientes . Movimentos/produtos da concorrência. Oportunidades vislumbradas em encontros técnicos internos e externos. Projetos de P&D exploratórios. Tendências de novos aços ( Exemplo: Projeto ULSAB ) A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
Lançamento do novo produto Após a realização da análise de marketing final e paralelamente à padronização ou liberação sob consulta, a Superintendência de Marketing elabora um programa de lançamento para o novo produto tanto internamente quanto externamente, de acordo com o tipo de produto e estratégia a ser implementada.   Tipos de ações de lançamento: Treinamento da força de vendas; Jornais/informativos internos das Usinas dee Ipatinga/ Cubatão; Apresentações nas reuniões comerciais e técnicas; Seminários internos; Intranet; Apresentações de trabalhos em congressos; Apresentações em clientes; Catálogos e folders; Catálogo de produtos - internet; A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
Encerramento do Projeto A coordenação geral do DNP formaliza a conclusão do projeto retirando o novo produto da carteira de produtos em desenvolvimento, após a realização do plano de lançamento.  A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
Retroalimentação Durante as etapas de desenvolvimento industrial e Análise de Marketing, Metalurgia e Controle Integrado e Marketing acompanham a performance do novo produto em testes no cliente com relação aos requisitos técnicos e a evolução da demanda do mercado, respectivamente, de forma que pequenos desvios no projeto proposto são corrigidos e realimentados no sistema, através de discussões em reuniões periódicas, bem como disponíveis nos relatórios de informe técnicos e de marketing.   Oficializado o encerramento do projeto, a Superintendência de Marketing realiza o acompanhamento das performances comerciais do novo produto a partir do ano seguinte do lançamento, através da evolução dos volumes comercializados, faturamento e rentabilidade no relatório de Sistema de Gestão de Produtos. A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
NOVOS PRODUTOS RECENTES
Produtos lançados pela Usiminas nos últimos 4 anos NOVOS PRODUTOS RECENTES
Novos Produtos Lançados nos últimos 4 anos Embora o grande alvo do desenvolvimento de novos produtos seja o setor automotivo, percebe-se que o fornecimento desses aços não é ainda elevado devido à necessidade das montadoras e autopeças se adaptarem a esses aços (de comportamento mecânico e metalúrgico diferente aos convencionais). Porém, a tendência é de crescimento com o lançamento de novos modelos de automóveis. NOVOS PRODUTOS RECENTES
ESTUDO DE CASO: Aço Complex Phase RW800 para  rodas automotivas
Rodas são importantes componentes de automóveis que devem exibir boa resistência à fadiga, adequada resistência à impactos, boa soldabilidade, atraente flangeabilidade, além boa constância dimensional para resultar em estabilidade dos veículos. As rodas de aço são compostas de duas partes:  aro  e  disco . ESTUDO DE CASO
Produção do Aro Produção do Disco ESTUDO DE CASO
- Considerada como uma parte integrada do  design  do veículo, a roda de aço é um desafio constante para que se atinjam estilos mais atraentes - Demandas de eficiência energética e legislação ambiental forçam os fabricantes s investir em “Tecnologias Verdes” para reduzir o peso dos veículos e o consumo de combustíveis -  A redução de custo, assim como a redução de peso, é a maior impulsionadora na manutenção de vantagem competitiva Uso eficaz de Aços Avançados de Alta Resistência Fonte: Meritor ESTUDO DE CASO Redução de Peso Design Redução de Custo
Desde o surgimento dos automóveis, as rodas têm sido fabricadas de diversos materiais, tais como: Madeira; Aço (fundido, chapas ou fios); Ligas de Alumínio (fundido, chapas ou forjado); Ligas de Magnésio; Compósitos (Termoplásticos reforçados); Misturas dos materiais citados acima. Roda de  aço prensado (1910) Roda de arames de aço (1920)  Roda de Liga Leve(1924)  ESTUDO DE CASO
Dos anos 30 aos 80, as rodas automotivas foram dominadas por aço “estampado”. Os diâmetros das rodas caíram de 36’’ para 16’’, enquanto a largura subiu de 3’’ para 6’’.Os processos de “estampagem dos discos e laminação dos aros tornaram-se de alta produção e baixo custo. Aços C-Mn comuns (LE = 240 MPa mín.  LR = 350 MPa mín.) Aplicação em aros e discos ESTUDO DE CASO
Em meados da década de 70 surgiu a necessidade, com as crises do Petróleo, de se reduzir peso dos veículos automotores: Introdução de aços de alta resistência para Rodas Veiculares. •  America do Norte e Japão :  Aços ARBL (endurecidos por precipitação e refino de grão: principalmente com adição de Nb). •  Europa :  Aços Dual Phase (Inicialmente DP550 –com Si) e Bainíticos. ESTUDO DE CASO
Meados dos anos 1980’s – Usiminas desenvolve parceria com Meritor para desenvolvimentos de aços “especiais”. Direcionadores:   redução de peso e aumento da segurança das Rodas. Aço de Alta Resistência e Baixa Liga  RW450  (HSLA, LR=450MPa) – aplicação em aros e discos . Aumento de resistência por refino de grão e precipitação de carbonitretos ESTUDO DE CASO
Início dos anos 1990  - Duas linhas de desenvolvimento: Continuar a aumentar a resistência de aços HSLA (aços microligados ao Nb e Ti), com restrições de conformabilidade. Começar a usar aços endurecidos por transformação de fases (produzidos por resfriamento controlado na linha de tiras a quente), com melhor conformabilidade. ESTUDO DE CASO
1992: AÇO BAINÍTICO RW550  (parceria com Merritor) Classe de aços avançados de alta resistência (AHSS) – LR = 550 MPa, para aplicação em aros e discos Aumento de resistência por transformação de fases Conformabilidade, soldabilidade e comportamento em expansão de furos mais adequados; excelente desempenho em fadiga. 1994: AÇO DUAL PHASE RW600DP  (parceria com Merritor) Aumento de resistência pela substituição da bainita pela  martensita na microestrutura do aço, através de resfriamento controlado na linha de tiras a quente;  Usado em discos, propicia uma redução de peso de 5 to 8 % (em relação ao aço bainítico). ESTUDO DE CASO
2006 ~ 08: mais uma Inovação:  Desenvolvimento do Aço Complex Phase RW800  (c/ Meritor)  Microestrutura: matriz ferrítica, com ilhas de bainita e martensita, obtida por laminação e resfriamento controlados. Granulação fina, obtida através da utilização de elementos microligantes ,como Nb e Ti. Aços Multifásicos são mais comumente usados pela Indústria Japonesa, que consegue reduções de peso de aros de 8% to 16% (em comparação com o aço bainítico). Aço ideal para aplicação em aros, devido à boa conformabilidade, soldabilidade e resistência ao impacto (absorção de energia). ESTUDO DE CASO
Aços complex phase laminados a quente estão atualmente disponíveis para vários tipos de aplicações (peças da carroceria, do chassis etc.),   além de rodas;  O aço Complex Phase desenvolvido em conjunto com a ArvinMeritor foi para ser aplicado na fabricação das rodas de aço (aros). ESTUDO DE CASO
ESTUDO DE CASO
Tamanho de grão ferrítico médio    5   m ESTUDO DE CASO CEQ[FBW] = C+Mn/5+Si/15+Cr/9+7Nb(1-10C)+V(50C-1)/3+1,3Ti(1-5C)+Mo(1-6C)/2+29Nb(11C-1 ) = 0,52% Feq = (C-0,03)[(Si) 2 +(Mn/10) 2 +(3AL) 2 +(2Cr/2) 2 ] = 0,04% RW8000 LE (MPa) LR (MPa) (%) 680 (min) 780 (min) 16
Ensaio de Fadiga Radial (ArvinMeritor)  – Aço CP X Aço C-Mn Espessura – 2,35 mm  /  Carga aplicada – 20.355 N (60% acima da carga da roda atual) (Roda do Estudo de Caso 1) Aço CP RW800  Resistência à Fadiga Great Designs in Steel – May 13’2009 ESTUDO DE CASO USI-RW-800 B10% - 683,370 USI-RW-350 B10% - 166,902
Impacto (ArvinMeritor) – Aço Multifásico X Bainítico X Microligado Deformação do aro e do disco Roda do Estudo de Caso 2 –  Espessura 2,30 mm Aço Multifásico RW800 Resistência ao Impacto Great Designs in Steel – May 13’2009 ESTUDO DE CASO Segundo SAEJ175
Possibilidades de Redução de Peso Roda Atual : Aro – Aço Bainítico – espessura mín. 3,10 mm Disco – Aço Bainítico – espessura mín. 2,90 mm Peso da Roda Atual = 10,0 kg Roda com Aço CP RW800 : Aro – Aço Multifásico – espessura mín. 2,30 mm Disco – Aço Bainítico – espessura mín. 2,90 mm Peso da Roda Proposta = 8,5 kg REDUÇÃO DE 1,5 kg POR RODA (   15%) Aproximadamente 7,5 kg/ veículo (*) Great Designs in Steel – May 13’2009 ESTUDO DE CASO
Possibilidades de redução de peso com o aço CP: Great Designs in Steel – May 13’2009 ESTUDO DE CASO ARO   Microligado ao Nb   Bainitico 10%   Bainítico     Complex Phase 8 a 16%
Potencial de produção de rodas de Aço (dados de 2008) 5 x 3.220.475  =  16.102.375  Fonte: Autodata Carros populares:  39% Sedas pequenos: 19% No mínimo: 9.334.378 rodas de aço ESTUDO DE CASO
A Usiminas tem o setor automotivo como um foco para seus produtos. Há grande esforço de DNP para esse setor. O processo de DNP na Usiminas envolve vários setores da empresa, sendo coordenado pela Superintendência de MKT. Nos últimos 4 anos mais de uma dezena de aços foram desenvolvidos para o setor automotivo. Mostrou-se um recente desenvolvimento: aço Complex Phase, classe de 800MPa de resistência, destinado especialmente para rodas de veículos automotores. Esse material pode propiciar até 26% de redução de peso em aros de roda. Comentários Finais

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Novo marketing estratégico
Novo marketing estratégico Novo marketing estratégico
Novo marketing estratégico
Fabiano Duarte
 
Software Product Lines: An Analysis of Tools that Support Application Require...
Software Product Lines: An Analysis of Tools that Support Application Require...Software Product Lines: An Analysis of Tools that Support Application Require...
Software Product Lines: An Analysis of Tools that Support Application Require...
Tarcísio Couto
 
AdWords Konferenz_2012: Marcus Tober - AdWods & SEO
AdWords Konferenz_2012: Marcus Tober - AdWods & SEOAdWords Konferenz_2012: Marcus Tober - AdWods & SEO
AdWords Konferenz_2012: Marcus Tober - AdWods & SEO
e-dialog GmbH
 
TWT Trendradar: SEA-Kampagne von Volkswagen
TWT Trendradar: SEA-Kampagne von Volkswagen TWT Trendradar: SEA-Kampagne von Volkswagen
TWT Trendradar: SEA-Kampagne von Volkswagen
TWT
 
Channel y phase vocoder
Channel y phase vocoderChannel y phase vocoder
Channel y phase vocoder
Yasmany Esquivel Carrasco
 
Phase IV
Phase IVPhase IV
Phase IV
jorgepo
 
Suivi des Boisements Compensateurs - 2014 - CNPF
Suivi des Boisements Compensateurs - 2014 - CNPFSuivi des Boisements Compensateurs - 2014 - CNPF
Suivi des Boisements Compensateurs - 2014 - CNPF
LISEA
 
SEA Manager @projektwerk.com in Hamburg gesucht
SEA Manager @projektwerk.com in Hamburg gesuchtSEA Manager @projektwerk.com in Hamburg gesucht
SEA Manager @projektwerk.com in Hamburg gesucht
Projektwerk Projektbörse
 
Vortrag 50plus 2011_o
Vortrag 50plus 2011_oVortrag 50plus 2011_o
Vortrag 50plus 2011_o
QualityNews Redaktion
 
Phase 12
Phase 12Phase 12
Phase 12
Nakawe Arce
 
Définir une politique de Search Marketing : Comment optimiser la visibilité d...
Définir une politique de Search Marketing : Comment optimiser la visibilité d...Définir une politique de Search Marketing : Comment optimiser la visibilité d...
Définir une politique de Search Marketing : Comment optimiser la visibilité d...
relevant_traffic_france
 
Lighthouses-Farois-Phares
Lighthouses-Farois-PharesLighthouses-Farois-Phares
Lighthouses-Farois-Phares
Helga
 
Rencontre de presse 13.02.2012
Rencontre de presse 13.02.2012Rencontre de presse 13.02.2012
Rencontre de presse 13.02.2012
Febelfin
 
Investigación
InvestigaciónInvestigación
Investigación
Rosa Elena Cabrera
 
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Construção Sustentável
 
Conférence e-Tourisme 2008
Conférence e-Tourisme 2008Conférence e-Tourisme 2008
Conférence e-Tourisme 2008
Technofutur TIC
 
Quelles synergies dégager entre des campagnes SEA et le travail d'optimisatio...
Quelles synergies dégager entre des campagnes SEA et le travail d'optimisatio...Quelles synergies dégager entre des campagnes SEA et le travail d'optimisatio...
Quelles synergies dégager entre des campagnes SEA et le travail d'optimisatio...
Peak Ace
 
Preço ines soares
Preço   ines soaresPreço   ines soares
Preço ines soares
Ines Soares
 
Google Adwords - Von der Agenturauswahl über Setup bis zur Optimierung
Google Adwords - Von der Agenturauswahl über Setup bis zur OptimierungGoogle Adwords - Von der Agenturauswahl über Setup bis zur Optimierung
Google Adwords - Von der Agenturauswahl über Setup bis zur Optimierung
SoQuero GmbH
 

Destaque (20)

Novo marketing estratégico
Novo marketing estratégico Novo marketing estratégico
Novo marketing estratégico
 
Software Product Lines: An Analysis of Tools that Support Application Require...
Software Product Lines: An Analysis of Tools that Support Application Require...Software Product Lines: An Analysis of Tools that Support Application Require...
Software Product Lines: An Analysis of Tools that Support Application Require...
 
AdWords Konferenz_2012: Marcus Tober - AdWods & SEO
AdWords Konferenz_2012: Marcus Tober - AdWods & SEOAdWords Konferenz_2012: Marcus Tober - AdWods & SEO
AdWords Konferenz_2012: Marcus Tober - AdWods & SEO
 
TWT Trendradar: SEA-Kampagne von Volkswagen
TWT Trendradar: SEA-Kampagne von Volkswagen TWT Trendradar: SEA-Kampagne von Volkswagen
TWT Trendradar: SEA-Kampagne von Volkswagen
 
Channel y phase vocoder
Channel y phase vocoderChannel y phase vocoder
Channel y phase vocoder
 
Phase IV
Phase IVPhase IV
Phase IV
 
Suivi des Boisements Compensateurs - 2014 - CNPF
Suivi des Boisements Compensateurs - 2014 - CNPFSuivi des Boisements Compensateurs - 2014 - CNPF
Suivi des Boisements Compensateurs - 2014 - CNPF
 
SEA Manager @projektwerk.com in Hamburg gesucht
SEA Manager @projektwerk.com in Hamburg gesuchtSEA Manager @projektwerk.com in Hamburg gesucht
SEA Manager @projektwerk.com in Hamburg gesucht
 
Vortrag 50plus 2011_o
Vortrag 50plus 2011_oVortrag 50plus 2011_o
Vortrag 50plus 2011_o
 
Phase 12
Phase 12Phase 12
Phase 12
 
Définir une politique de Search Marketing : Comment optimiser la visibilité d...
Définir une politique de Search Marketing : Comment optimiser la visibilité d...Définir une politique de Search Marketing : Comment optimiser la visibilité d...
Définir une politique de Search Marketing : Comment optimiser la visibilité d...
 
Lighthouses-Farois-Phares
Lighthouses-Farois-PharesLighthouses-Farois-Phares
Lighthouses-Farois-Phares
 
Rencontre de presse 13.02.2012
Rencontre de presse 13.02.2012Rencontre de presse 13.02.2012
Rencontre de presse 13.02.2012
 
Microsoft Unified Communications aus Kundensicht
Microsoft Unified Communications aus KundensichtMicrosoft Unified Communications aus Kundensicht
Microsoft Unified Communications aus Kundensicht
 
Investigación
InvestigaciónInvestigación
Investigación
 
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
 
Conférence e-Tourisme 2008
Conférence e-Tourisme 2008Conférence e-Tourisme 2008
Conférence e-Tourisme 2008
 
Quelles synergies dégager entre des campagnes SEA et le travail d'optimisatio...
Quelles synergies dégager entre des campagnes SEA et le travail d'optimisatio...Quelles synergies dégager entre des campagnes SEA et le travail d'optimisatio...
Quelles synergies dégager entre des campagnes SEA et le travail d'optimisatio...
 
Preço ines soares
Preço   ines soaresPreço   ines soares
Preço ines soares
 
Google Adwords - Von der Agenturauswahl über Setup bis zur Optimierung
Google Adwords - Von der Agenturauswahl über Setup bis zur OptimierungGoogle Adwords - Von der Agenturauswahl über Setup bis zur Optimierung
Google Adwords - Von der Agenturauswahl über Setup bis zur Optimierung
 

Semelhante a 20090715 64congresso Bh Kleiner Merra

Villares Metals Usinabilidade Aço Moldes abm mar10
Villares Metals Usinabilidade Aço Moldes abm mar10Villares Metals Usinabilidade Aço Moldes abm mar10
Villares Metals Usinabilidade Aço Moldes abm mar10
Moldes ABM
 
Inovação e sustentabilidade nos plásticos da engenharia
Inovação e sustentabilidade nos plásticos da engenhariaInovação e sustentabilidade nos plásticos da engenharia
Inovação e sustentabilidade nos plásticos da engenharia
RadiciGroup
 
Aço astm a36
Aço astm a36Aço astm a36
Aço astm a36
Luciano Medinaceli
 
ManualDimensionamentodePerfisFormadosaFrio_web.pdf
ManualDimensionamentodePerfisFormadosaFrio_web.pdfManualDimensionamentodePerfisFormadosaFrio_web.pdf
ManualDimensionamentodePerfisFormadosaFrio_web.pdf
Warlei Xavier
 
Metal patente - Soldagem
Metal patente -  SoldagemMetal patente -  Soldagem
Metal patente - Soldagem
Seta SA Extrativa Tanino de Acácia
 
Desenvolvimento de aço com usinabilidade melhoria para moldes para plástico d...
Desenvolvimento de aço com usinabilidade melhoria para moldes para plástico d...Desenvolvimento de aço com usinabilidade melhoria para moldes para plástico d...
Desenvolvimento de aço com usinabilidade melhoria para moldes para plástico d...
Lepuufu
 
Apresentação Abmt5 Sidnei
Apresentação Abmt5 SidneiApresentação Abmt5 Sidnei
Apresentação Abmt5 Sidnei
sidneiitaboray
 
20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca
20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca
20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca
Fabiana Tarabal
 
Catalogo metal de adição.pdf
Catalogo metal de adição.pdfCatalogo metal de adição.pdf
Catalogo metal de adição.pdf
maysom
 
SLIDES-FUNDIÇÃO.pdf
SLIDES-FUNDIÇÃO.pdfSLIDES-FUNDIÇÃO.pdf
SLIDES-FUNDIÇÃO.pdf
barbara369277
 
Catalogo fm
Catalogo fmCatalogo fm
Catalogo fm
Igor Hoshihara
 
Catalogo
CatalogoCatalogo
Catalogo
Denis Aurélio
 
Estampagem
EstampagemEstampagem
Estampagem
Eduardo Melchior
 
Barra de aço
Barra de açoBarra de aço
Barra de aço
Fernando Dias
 
Gestamp - Paulo Coimbra - Oportunidades para a Indústria
Gestamp - Paulo Coimbra - Oportunidades para a IndústriaGestamp - Paulo Coimbra - Oportunidades para a Indústria
Gestamp - Paulo Coimbra - Oportunidades para a Indústria
Pe Business
 
TT aços ferramenta
TT aços ferramentaTT aços ferramenta
TT aços ferramenta
João Carmo Vendramim
 
Handbook steel building
Handbook steel buildingHandbook steel building
Handbook steel building
Gringo-kid
 
CATÁLOGO TIMKEN ROLAMENTOS GERAL
CATÁLOGO TIMKEN ROLAMENTOS GERALCATÁLOGO TIMKEN ROLAMENTOS GERAL
CATÁLOGO TIMKEN ROLAMENTOS GERAL
Kesley de Souza
 
Estruturas de aço_aula1
Estruturas de aço_aula1Estruturas de aço_aula1
Estruturas de aço_aula1
Clenilton Lima Ximenes
 
Curso basico de lingotamento continuo
Curso basico de lingotamento continuoCurso basico de lingotamento continuo
Curso basico de lingotamento continuo
Cristiano Faustino Almeida
 

Semelhante a 20090715 64congresso Bh Kleiner Merra (20)

Villares Metals Usinabilidade Aço Moldes abm mar10
Villares Metals Usinabilidade Aço Moldes abm mar10Villares Metals Usinabilidade Aço Moldes abm mar10
Villares Metals Usinabilidade Aço Moldes abm mar10
 
Inovação e sustentabilidade nos plásticos da engenharia
Inovação e sustentabilidade nos plásticos da engenhariaInovação e sustentabilidade nos plásticos da engenharia
Inovação e sustentabilidade nos plásticos da engenharia
 
Aço astm a36
Aço astm a36Aço astm a36
Aço astm a36
 
ManualDimensionamentodePerfisFormadosaFrio_web.pdf
ManualDimensionamentodePerfisFormadosaFrio_web.pdfManualDimensionamentodePerfisFormadosaFrio_web.pdf
ManualDimensionamentodePerfisFormadosaFrio_web.pdf
 
Metal patente - Soldagem
Metal patente -  SoldagemMetal patente -  Soldagem
Metal patente - Soldagem
 
Desenvolvimento de aço com usinabilidade melhoria para moldes para plástico d...
Desenvolvimento de aço com usinabilidade melhoria para moldes para plástico d...Desenvolvimento de aço com usinabilidade melhoria para moldes para plástico d...
Desenvolvimento de aço com usinabilidade melhoria para moldes para plástico d...
 
Apresentação Abmt5 Sidnei
Apresentação Abmt5 SidneiApresentação Abmt5 Sidnei
Apresentação Abmt5 Sidnei
 
20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca
20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca
20090715 64congresso Bh Fabiano Fonseca
 
Catalogo metal de adição.pdf
Catalogo metal de adição.pdfCatalogo metal de adição.pdf
Catalogo metal de adição.pdf
 
SLIDES-FUNDIÇÃO.pdf
SLIDES-FUNDIÇÃO.pdfSLIDES-FUNDIÇÃO.pdf
SLIDES-FUNDIÇÃO.pdf
 
Catalogo fm
Catalogo fmCatalogo fm
Catalogo fm
 
Catalogo
CatalogoCatalogo
Catalogo
 
Estampagem
EstampagemEstampagem
Estampagem
 
Barra de aço
Barra de açoBarra de aço
Barra de aço
 
Gestamp - Paulo Coimbra - Oportunidades para a Indústria
Gestamp - Paulo Coimbra - Oportunidades para a IndústriaGestamp - Paulo Coimbra - Oportunidades para a Indústria
Gestamp - Paulo Coimbra - Oportunidades para a Indústria
 
TT aços ferramenta
TT aços ferramentaTT aços ferramenta
TT aços ferramenta
 
Handbook steel building
Handbook steel buildingHandbook steel building
Handbook steel building
 
CATÁLOGO TIMKEN ROLAMENTOS GERAL
CATÁLOGO TIMKEN ROLAMENTOS GERALCATÁLOGO TIMKEN ROLAMENTOS GERAL
CATÁLOGO TIMKEN ROLAMENTOS GERAL
 
Estruturas de aço_aula1
Estruturas de aço_aula1Estruturas de aço_aula1
Estruturas de aço_aula1
 
Curso basico de lingotamento continuo
Curso basico de lingotamento continuoCurso basico de lingotamento continuo
Curso basico de lingotamento continuo
 

Mais de Fabiana Tarabal

Edital batalha boc
Edital batalha bocEdital batalha boc
Edital batalha boc
Fabiana Tarabal
 
Dcninovatecpresentationfinal 101110124949-phpapp01
Dcninovatecpresentationfinal 101110124949-phpapp01Dcninovatecpresentationfinal 101110124949-phpapp01
Dcninovatecpresentationfinal 101110124949-phpapp01
Fabiana Tarabal
 
Bioterapêuticos 22 abril 2010 português[1]
Bioterapêuticos 22 abril 2010   português[1]Bioterapêuticos 22 abril 2010   português[1]
Bioterapêuticos 22 abril 2010 português[1]
Fabiana Tarabal
 
Dcn inovatec presentation final
Dcn inovatec presentation finalDcn inovatec presentation final
Dcn inovatec presentation final
Fabiana Tarabal
 
12f
12f12f
12e
12e12e
12a
12a12a
11b
11b11b
11a
11a11a
9b
9b9b
8e
8e8e
7f
7f7f
7e
7e7e
7d
7d7d
6c
6c6c
5c
5c5c
5b
5b5b
4a
4a4a
3b
3b3b
3a
3a3a

Mais de Fabiana Tarabal (20)

Edital batalha boc
Edital batalha bocEdital batalha boc
Edital batalha boc
 
Dcninovatecpresentationfinal 101110124949-phpapp01
Dcninovatecpresentationfinal 101110124949-phpapp01Dcninovatecpresentationfinal 101110124949-phpapp01
Dcninovatecpresentationfinal 101110124949-phpapp01
 
Bioterapêuticos 22 abril 2010 português[1]
Bioterapêuticos 22 abril 2010   português[1]Bioterapêuticos 22 abril 2010   português[1]
Bioterapêuticos 22 abril 2010 português[1]
 
Dcn inovatec presentation final
Dcn inovatec presentation finalDcn inovatec presentation final
Dcn inovatec presentation final
 
12f
12f12f
12f
 
12e
12e12e
12e
 
12a
12a12a
12a
 
11b
11b11b
11b
 
11a
11a11a
11a
 
9b
9b9b
9b
 
8e
8e8e
8e
 
7f
7f7f
7f
 
7e
7e7e
7e
 
7d
7d7d
7d
 
6c
6c6c
6c
 
5c
5c5c
5c
 
5b
5b5b
5b
 
4a
4a4a
4a
 
3b
3b3b
3b
 
3a
3a3a
3a
 

20090715 64congresso Bh Kleiner Merra

  • 1. Desenvolvimentos recentes de novos produtos para o setor automotivo na Usiminas Caso foco: Aço Complex Phase para rodas automotivas
  • 2. “ O desenvolvimento de novos produtos na siderurgia é usualmente “puxado pela demanda”, cabendo freqüentemente aos clientes “mais sofisticados”, notadamente os do complexo automotivo, requisitar inovações. Nesse contexto, a intensidade dos esforços tecnológicos varia significativamente entre os segmentos produtores da siderurgia, em resposta aos graus diferenciados de exigência dos consumidores.” Relatóro setorial da Finep Siderurgia nacional USIMINAS NOVOS PRODUTOS Indústria Automotiva
  • 3. A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS NOVOS PRODUTOS RECENTES CASO FOCO
  • 4. O que é Novo Produto (AÇO) para a Usiminas? Trata-se de uma qualidade de aço que não é disponível na carteira de produtos, não havendo similaridade com nenhuma outra qualidade em produção. É um Produto que não está padronizado ou que não tem sua comercialização liberada sob consulta prévia de clientes. A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
  • 5. A gestão do desenvolvimento de novos produtos(DNP) foi criada na Usiminas para atender a norma ISO 9001/TS 16949, no requisito 7.3, referente ao Projeto e Desenvolvimento de Novos Produtos, que dentre outros requerimentos estão as análises de Marketing, de viabilidade, estratégias de desenvolvimento, controle e validação de projeto e a retroalimentação do processo. A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
  • 6. Estrutura Organizacional – Estrutura por processos. Coordenação é de responsabilidade da Superintêndencia de Marketing, sendo cada projeto de novo produto divido em equipes de projetos de produtos. Equipes de Projetos – Matricial, com participação integral dos setores de Marketing(líder), P&D, Controle Metalúrgico, Assistência Técnica e participação parcial das áreas de Produção, Vendas, Logística e PCP. Os integrantes participam no processo desde a geração de idéias, até a comercialização final do novo produto. A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
  • 7. Análise preliminar de Marketing Fluxograma do processo DNP A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS Idéias e oportunidades Abertura do projeto Desenvolvimento industrial Análise Final de Marketing Lançamento Padronização ou liberação sob consulta Encerramento Retroali- mentação Retroali- mentação
  • 8. Principais origens do DNP Demandas/necessidades de clientes . Movimentos/produtos da concorrência. Oportunidades vislumbradas em encontros técnicos internos e externos. Projetos de P&D exploratórios. Tendências de novos aços ( Exemplo: Projeto ULSAB ) A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
  • 9. Lançamento do novo produto Após a realização da análise de marketing final e paralelamente à padronização ou liberação sob consulta, a Superintendência de Marketing elabora um programa de lançamento para o novo produto tanto internamente quanto externamente, de acordo com o tipo de produto e estratégia a ser implementada.   Tipos de ações de lançamento: Treinamento da força de vendas; Jornais/informativos internos das Usinas dee Ipatinga/ Cubatão; Apresentações nas reuniões comerciais e técnicas; Seminários internos; Intranet; Apresentações de trabalhos em congressos; Apresentações em clientes; Catálogos e folders; Catálogo de produtos - internet; A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
  • 10. Encerramento do Projeto A coordenação geral do DNP formaliza a conclusão do projeto retirando o novo produto da carteira de produtos em desenvolvimento, após a realização do plano de lançamento. A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
  • 11. Retroalimentação Durante as etapas de desenvolvimento industrial e Análise de Marketing, Metalurgia e Controle Integrado e Marketing acompanham a performance do novo produto em testes no cliente com relação aos requisitos técnicos e a evolução da demanda do mercado, respectivamente, de forma que pequenos desvios no projeto proposto são corrigidos e realimentados no sistema, através de discussões em reuniões periódicas, bem como disponíveis nos relatórios de informe técnicos e de marketing.   Oficializado o encerramento do projeto, a Superintendência de Marketing realiza o acompanhamento das performances comerciais do novo produto a partir do ano seguinte do lançamento, através da evolução dos volumes comercializados, faturamento e rentabilidade no relatório de Sistema de Gestão de Produtos. A GESTÃO DE DNP NA USIMINAS
  • 13. Produtos lançados pela Usiminas nos últimos 4 anos NOVOS PRODUTOS RECENTES
  • 14. Novos Produtos Lançados nos últimos 4 anos Embora o grande alvo do desenvolvimento de novos produtos seja o setor automotivo, percebe-se que o fornecimento desses aços não é ainda elevado devido à necessidade das montadoras e autopeças se adaptarem a esses aços (de comportamento mecânico e metalúrgico diferente aos convencionais). Porém, a tendência é de crescimento com o lançamento de novos modelos de automóveis. NOVOS PRODUTOS RECENTES
  • 15. ESTUDO DE CASO: Aço Complex Phase RW800 para rodas automotivas
  • 16. Rodas são importantes componentes de automóveis que devem exibir boa resistência à fadiga, adequada resistência à impactos, boa soldabilidade, atraente flangeabilidade, além boa constância dimensional para resultar em estabilidade dos veículos. As rodas de aço são compostas de duas partes: aro e disco . ESTUDO DE CASO
  • 17. Produção do Aro Produção do Disco ESTUDO DE CASO
  • 18. - Considerada como uma parte integrada do design do veículo, a roda de aço é um desafio constante para que se atinjam estilos mais atraentes - Demandas de eficiência energética e legislação ambiental forçam os fabricantes s investir em “Tecnologias Verdes” para reduzir o peso dos veículos e o consumo de combustíveis - A redução de custo, assim como a redução de peso, é a maior impulsionadora na manutenção de vantagem competitiva Uso eficaz de Aços Avançados de Alta Resistência Fonte: Meritor ESTUDO DE CASO Redução de Peso Design Redução de Custo
  • 19. Desde o surgimento dos automóveis, as rodas têm sido fabricadas de diversos materiais, tais como: Madeira; Aço (fundido, chapas ou fios); Ligas de Alumínio (fundido, chapas ou forjado); Ligas de Magnésio; Compósitos (Termoplásticos reforçados); Misturas dos materiais citados acima. Roda de aço prensado (1910) Roda de arames de aço (1920) Roda de Liga Leve(1924) ESTUDO DE CASO
  • 20. Dos anos 30 aos 80, as rodas automotivas foram dominadas por aço “estampado”. Os diâmetros das rodas caíram de 36’’ para 16’’, enquanto a largura subiu de 3’’ para 6’’.Os processos de “estampagem dos discos e laminação dos aros tornaram-se de alta produção e baixo custo. Aços C-Mn comuns (LE = 240 MPa mín. LR = 350 MPa mín.) Aplicação em aros e discos ESTUDO DE CASO
  • 21. Em meados da década de 70 surgiu a necessidade, com as crises do Petróleo, de se reduzir peso dos veículos automotores: Introdução de aços de alta resistência para Rodas Veiculares. • America do Norte e Japão : Aços ARBL (endurecidos por precipitação e refino de grão: principalmente com adição de Nb). • Europa : Aços Dual Phase (Inicialmente DP550 –com Si) e Bainíticos. ESTUDO DE CASO
  • 22. Meados dos anos 1980’s – Usiminas desenvolve parceria com Meritor para desenvolvimentos de aços “especiais”. Direcionadores: redução de peso e aumento da segurança das Rodas. Aço de Alta Resistência e Baixa Liga RW450 (HSLA, LR=450MPa) – aplicação em aros e discos . Aumento de resistência por refino de grão e precipitação de carbonitretos ESTUDO DE CASO
  • 23. Início dos anos 1990 - Duas linhas de desenvolvimento: Continuar a aumentar a resistência de aços HSLA (aços microligados ao Nb e Ti), com restrições de conformabilidade. Começar a usar aços endurecidos por transformação de fases (produzidos por resfriamento controlado na linha de tiras a quente), com melhor conformabilidade. ESTUDO DE CASO
  • 24. 1992: AÇO BAINÍTICO RW550 (parceria com Merritor) Classe de aços avançados de alta resistência (AHSS) – LR = 550 MPa, para aplicação em aros e discos Aumento de resistência por transformação de fases Conformabilidade, soldabilidade e comportamento em expansão de furos mais adequados; excelente desempenho em fadiga. 1994: AÇO DUAL PHASE RW600DP (parceria com Merritor) Aumento de resistência pela substituição da bainita pela martensita na microestrutura do aço, através de resfriamento controlado na linha de tiras a quente; Usado em discos, propicia uma redução de peso de 5 to 8 % (em relação ao aço bainítico). ESTUDO DE CASO
  • 25. 2006 ~ 08: mais uma Inovação: Desenvolvimento do Aço Complex Phase RW800 (c/ Meritor) Microestrutura: matriz ferrítica, com ilhas de bainita e martensita, obtida por laminação e resfriamento controlados. Granulação fina, obtida através da utilização de elementos microligantes ,como Nb e Ti. Aços Multifásicos são mais comumente usados pela Indústria Japonesa, que consegue reduções de peso de aros de 8% to 16% (em comparação com o aço bainítico). Aço ideal para aplicação em aros, devido à boa conformabilidade, soldabilidade e resistência ao impacto (absorção de energia). ESTUDO DE CASO
  • 26. Aços complex phase laminados a quente estão atualmente disponíveis para vários tipos de aplicações (peças da carroceria, do chassis etc.), além de rodas; O aço Complex Phase desenvolvido em conjunto com a ArvinMeritor foi para ser aplicado na fabricação das rodas de aço (aros). ESTUDO DE CASO
  • 28. Tamanho de grão ferrítico médio  5  m ESTUDO DE CASO CEQ[FBW] = C+Mn/5+Si/15+Cr/9+7Nb(1-10C)+V(50C-1)/3+1,3Ti(1-5C)+Mo(1-6C)/2+29Nb(11C-1 ) = 0,52% Feq = (C-0,03)[(Si) 2 +(Mn/10) 2 +(3AL) 2 +(2Cr/2) 2 ] = 0,04% RW8000 LE (MPa) LR (MPa) (%) 680 (min) 780 (min) 16
  • 29. Ensaio de Fadiga Radial (ArvinMeritor) – Aço CP X Aço C-Mn Espessura – 2,35 mm / Carga aplicada – 20.355 N (60% acima da carga da roda atual) (Roda do Estudo de Caso 1) Aço CP RW800 Resistência à Fadiga Great Designs in Steel – May 13’2009 ESTUDO DE CASO USI-RW-800 B10% - 683,370 USI-RW-350 B10% - 166,902
  • 30. Impacto (ArvinMeritor) – Aço Multifásico X Bainítico X Microligado Deformação do aro e do disco Roda do Estudo de Caso 2 – Espessura 2,30 mm Aço Multifásico RW800 Resistência ao Impacto Great Designs in Steel – May 13’2009 ESTUDO DE CASO Segundo SAEJ175
  • 31. Possibilidades de Redução de Peso Roda Atual : Aro – Aço Bainítico – espessura mín. 3,10 mm Disco – Aço Bainítico – espessura mín. 2,90 mm Peso da Roda Atual = 10,0 kg Roda com Aço CP RW800 : Aro – Aço Multifásico – espessura mín. 2,30 mm Disco – Aço Bainítico – espessura mín. 2,90 mm Peso da Roda Proposta = 8,5 kg REDUÇÃO DE 1,5 kg POR RODA (  15%) Aproximadamente 7,5 kg/ veículo (*) Great Designs in Steel – May 13’2009 ESTUDO DE CASO
  • 32. Possibilidades de redução de peso com o aço CP: Great Designs in Steel – May 13’2009 ESTUDO DE CASO ARO Microligado ao Nb Bainitico 10% Bainítico Complex Phase 8 a 16%
  • 33. Potencial de produção de rodas de Aço (dados de 2008) 5 x 3.220.475 = 16.102.375 Fonte: Autodata Carros populares: 39% Sedas pequenos: 19% No mínimo: 9.334.378 rodas de aço ESTUDO DE CASO
  • 34. A Usiminas tem o setor automotivo como um foco para seus produtos. Há grande esforço de DNP para esse setor. O processo de DNP na Usiminas envolve vários setores da empresa, sendo coordenado pela Superintendência de MKT. Nos últimos 4 anos mais de uma dezena de aços foram desenvolvidos para o setor automotivo. Mostrou-se um recente desenvolvimento: aço Complex Phase, classe de 800MPa de resistência, destinado especialmente para rodas de veículos automotores. Esse material pode propiciar até 26% de redução de peso em aros de roda. Comentários Finais