SlideShare uma empresa Scribd logo
Trabalho da disciplina de História   Professora Ana Paula Torres As Datas mais importantes da História de Portugal
Datas a apresentar… ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],1128 1143 1385 1415 1434 1487 1494 1498 1500 1578 1640 1755 1807 1820 1910 1926 1961 1974 1985 1536
Batalha de S. Mamede 24 de Junho de 1128 Batalha travada entre D. Afonso Henriques e sua mãe, D. Teresa (apoiada na nobreza da Galiza). Depois de sair vitorioso, a 6 de Abril de 1129, D. Afonso Henriques auto-  -proclama-se soberano do Condado Portucalense.
Tratado de Zamora 5 de Outubro de 1143 Este tratado resultou da conferência de paz entre D. Afonso Henriques e seu primo, Afonso VII. Data da independência de Portugal Início da Dinastia Afonsina D. Afonso Henriques presta apenas obediência ao Papa e, na região que governa, nenhum outro poder é superior ao dele.
Batalha de Aljubarrota 14 de Agosto de 1385 D. João I de Portugal D. Nuno Álvares Pereira combateram O exército castelhano comandado por D. Juan I de Castela Desta batalha resultou A derrota definitiva dos Castelhanos, o fim da crise de 1383-1385 e a consolidação do novo rei de Portugal, D. João I. Apesar da  vitória portuguesa, a paz só foi conseguida em 1411
Conquista de Ceuta  22 de Agosto de 1415 ,[object Object],D. João I enviou Um embaixador à Sicília com o intuito de espiar. A comandar essa expedição foram Afonso de Mendonça e D. Álvaro Camelo Motivos da conquista: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Dobragem do Cabo Bojador 1434 Gil Eanes É enviado por   Infante D. Henrique Objectivo : conseguir dobrar o Cabo Bojador, que nunca tinha sido dobrado devido aos frequentes nevoeiros, ventos fortes e temores dos marinheiros.   Transpõe o Cabo, avança algumas milhas e, como prova do seu sucesso, colhe rosas silvestres que leva ao Infante.
Dobragem do Cabo da Boa Esperança 1488 D. João II Pêro da Covilhã e Afonso de Paiva foram enviados ao Oriente, por terra, para recolherem informações sobre a navegação e o comércio no Oceano Índico. Bartolomeu Dias, navegando com três caravelas, foi além do limite a que Diogo Cão chegara e continuou ao longo da costa.  Bartolomeu Dias , depois de uma violenta tempestade, ultrapassou em 1488 o limite sul do continente africano, o chamado Cabo da Boa Esperança. Estabelecia-se assim a ligação entre o Oceano Atlântico e o Oceano Índico e abria-se a esperança de chegar à Índia.
Tratado de Tordesilhas 7 de Junho de 1494 É assinado por Portugal e Castela, definindo a partilha do chamado Novo Mundo. Foi assinado entre D. João II de Portugal e os Reis católicos (Rainha Isabel de Castela e o Rei Fernando de Aragão). Estabelecia a divisão do mundo em dois hemisférios, a partir de um meridiano que passava a 370 léguas a ocidente das ilhas de Cabo Verde. Tudo o que fosse descoberto a Oriente dessa linha ficaria a pertencer a Portugal e tudo o que fosse descoberto a Ocidente ficaria a pertencer a Espanha. Este tratado deu-se como forma de divisão dos territórios descobertos, pois ambos os países queriam chegar à Índia D. João II
Descoberta do caminho marítimo para a Índia 20 de Maio de 1498 8 de Junho de 1497 20 de Maio de 1498 No reinado de D. Manuel I, partem três embarcações chefiadas por Vasco da Gama. Chegada a Calecute. Estabelece-se caminho marítimo para a Índia Vasco da Gama foi, de facto, o primeiro europeu a descobrir o caminho marítimo para a Índia.
Descoberta do Brasil 22 de Abril de 1500 A armada de Pedro Álvares Cabral parte, em Março, com 1300 tripulantes com o objectivo de chegar à Índia. Devido a um temporal, a armada foi obrigada a mudar a sua rota para sudoeste, chegando à América do Sul. Ilha de  Vera Cruz
Estabelecimento da Inquisição 23 de Maio de 1536 A pedido de D. João III Instala-se Inquisição Comportamentos considerados condenáveis   Repressão de heresias
Batalha de Alcácer-Quibir 1578 Portugueses liderados por D. Sebastião Mouros de Marrocos Derrota dos portugueses Desaparecimento do rei   D. Sebastião ,  nascendo assim o   mito do   Sebastianismo ´´ Enfim acabarei a minha vida e verão todos que fui tão afeiçoado á minha Pátria que não só me contentei de morrer nela, mas com ela. Luís de Camões.
Restauração da Independência 1 de Dezembro de 1640 Feriado comemorado em Portugal, para assinalar a recuperação da independência nacional face a Espanha, em 1640   Um grupo de conspiradores   Nobreza Juristas Início da Dinastia de Bragança D. João IV
Terramoto de Lisboa 1 de Novembro de 1755 TERRAMOTO 10.000 vítimas Grande destruição da cidade de Lisboa Seguido de um tsunami Múltiplos incêndios Foi um dos mais mortíferos da História mundial   Marquês de Pombal restaurou a cidade
´´ No projecto de reconstrução de Lisboa devem prever-se ruas com maior largura (…) e menor altura dos edifícios, não excedendo de dois pavimentos sobre as lojas (…). Também parece preciso atender--se com antecedência aos condutos da água (…) para alimento dos povos, para a extinção dos incêndios e para adorno das praças (…). O que resta ainda determinar é (…) se hão-de fazer pórticos ou colunatas em algumas ruas (…) fazendo-se no Terreiro do Paço como espero.´´ Carta de Manuel da Maia ao Marquês de Pombal
Primeira Invasão Napoleónica 18 de Outubro de   1807   Portugal não aceita o  Bloqueio Continental Um exército francês comandado pelo General Junot invade Portugal A família real foge para o Brasil Com a ajuda do exército inglês, comandado por Wellington, as tropas francesas são derrotadas e obrigadas a abandonar Portugal.
Revolução Liberal do Porto 24 de Agosto 1820 A burguesia mercantil, via os seus negócios ameaçados com a  abertura dos portos brasileiros ao comércio internacional ,[object Object],[object Object],[object Object],Dá-se então um movimento revolucionário liberal que marcou o fim do Antigo Regime e instituiu uma Monarquia Constitucional.
1908 - Regicídio de D. Carlos IV e do seu filho herdeiro D. Luís Filipe, Duque de Bragança.  Instabilidade política D. Manuel II
Proclamação da República 5 de Outubro de 1910 Intervenientes: Baixas patentes das Forças Armadas e pequena burguesia O Governo rendeu-se, os republicanos proclamaram a República e D. Manuel II foi exilado
 
Ditadura Militar 28 de Maio de 1926 Através do golpe militar de 28 de Maio dirigido pelo General Gomes da Costa   instaurou-se em  Portugal  um regime militar autoritário: Ditadura Militar Deu-se devido: À instabilidade política, social e económica da I República  Derrubada a 1º República, a Ditadura Militar demonstrou-se, no entanto, instável
Estado Novo  (1930 a 1974) Salazarismo (1930 a 1969) Marcelismo (1969 a 1974) Salazar Marcelo Caetano Ditadura Censura PIDE (Polícia  Política) Controle  da Juventude Prisões  e tortura Não há  liberdade
Guerra Colonial 4 de Fevereiro de 1961 até 1974 Forças Armadas Portuguesas Províncias Ultramarinas de Angola, Guiné e Moçambique Estas exigiam a sua independência A Revolução dos cravos em Portugal determinou o seu fim
Revolução dos Cravos   25 de Abril de 1974 Derrubou o regime ditatorial que vigorava em Portugal desde 1926 Sem grande resistência das forças leais ao governo Movimento dirigido pelo MFA
 
 
 
Adesão à C.E.E.  União Europeia  12 de Junho de 1985 A adesão plena de Portugal à C.E.E. só se deu no dia 1 de Janeiro de 1986 Assinatura do tratado de adesão à comunidade europeia Apoios financeiros à: Indústria Agricultura
Trabalho realizado por: Ana Rita Jorge nº 1 Frederico Gavaia nº 11 Helena Managil nº12 Sofia Quaresma nº25 11ºC Ano Lectivo de 2006/2007 Viva Portugal !
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

6º tema i - da união ibérica a d. josé i
6º   tema i - da união ibérica a d. josé i6º   tema i - da união ibérica a d. josé i
6º tema i - da união ibérica a d. josé i
liedson
 
Restauração
RestauraçãoRestauração
Restauração
Maria Gomes
 
União ibérica & restauração
União ibérica & restauraçãoUnião ibérica & restauração
União ibérica & restauração
Rainha Maga
 
D.sebastião
D.sebastiãoD.sebastião
D.sebastião
Leonor Louro
 
A Revolução de 1640 e a Guerra da Restauração
A Revolução de 1640 e a Guerra da RestauraçãoA Revolução de 1640 e a Guerra da Restauração
A Revolução de 1640 e a Guerra da Restauração
guest68cbf4
 
A morte de D. Sebastião e a crise de sucessão, a união ibérica e a restauração
A morte de D. Sebastião e a crise de sucessão, a união ibérica e a restauraçãoA morte de D. Sebastião e a crise de sucessão, a união ibérica e a restauração
A morte de D. Sebastião e a crise de sucessão, a união ibérica e a restauração
Anabela Sobral
 
1 de dezembro de 1640 power point
1 de dezembro de 1640   power point1 de dezembro de 1640   power point
1 de dezembro de 1640 power point
Ana Paiva
 
Brasil fuga da corte
Brasil fuga da corteBrasil fuga da corte
Brasil fuga da corte
Douglas Barraqui
 
Crise 1383 1385-
Crise 1383 1385-Crise 1383 1385-
Crise 1383 1385-
Ana Pereira
 
Cronologia historia do brasil
Cronologia historia do brasilCronologia historia do brasil
Cronologia historia do brasil
Bryan Jonathan
 
A Morte de D. Sebastião e a Questão da Sucessão
A Morte de D. Sebastião e a Questão da SucessãoA Morte de D. Sebastião e a Questão da Sucessão
A Morte de D. Sebastião e a Questão da Sucessão
guestc43874e
 
União ibérica
União ibéricaUnião ibérica
União ibérica
Pedro Henrique
 
Uniao iberica
Uniao ibericaUniao iberica
Uniao iberica
Dina Pécurto
 
A Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRica
A Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRicaA Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRica
A Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRica
Hist8
 
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e EmancipacionistasRevoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
Valéria Shoujofan
 
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º impérioUnidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Anabela Sobral
 
RestauraçãO Da IndependêNcia De Portugal
RestauraçãO Da IndependêNcia De PortugalRestauraçãO Da IndependêNcia De Portugal
RestauraçãO Da IndependêNcia De Portugal
Sílvia Mendonça
 
Da UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia Portuguesa
Da UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia PortuguesaDa UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia Portuguesa
Da UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia Portuguesa
guest8d9c061
 
1 de Dezembro de 1640
1 de Dezembro de 16401 de Dezembro de 1640
1 de Dezembro de 1640
ShadowProPT
 

Mais procurados (19)

6º tema i - da união ibérica a d. josé i
6º   tema i - da união ibérica a d. josé i6º   tema i - da união ibérica a d. josé i
6º tema i - da união ibérica a d. josé i
 
Restauração
RestauraçãoRestauração
Restauração
 
União ibérica & restauração
União ibérica & restauraçãoUnião ibérica & restauração
União ibérica & restauração
 
D.sebastião
D.sebastiãoD.sebastião
D.sebastião
 
A Revolução de 1640 e a Guerra da Restauração
A Revolução de 1640 e a Guerra da RestauraçãoA Revolução de 1640 e a Guerra da Restauração
A Revolução de 1640 e a Guerra da Restauração
 
A morte de D. Sebastião e a crise de sucessão, a união ibérica e a restauração
A morte de D. Sebastião e a crise de sucessão, a união ibérica e a restauraçãoA morte de D. Sebastião e a crise de sucessão, a união ibérica e a restauração
A morte de D. Sebastião e a crise de sucessão, a união ibérica e a restauração
 
1 de dezembro de 1640 power point
1 de dezembro de 1640   power point1 de dezembro de 1640   power point
1 de dezembro de 1640 power point
 
Brasil fuga da corte
Brasil fuga da corteBrasil fuga da corte
Brasil fuga da corte
 
Crise 1383 1385-
Crise 1383 1385-Crise 1383 1385-
Crise 1383 1385-
 
Cronologia historia do brasil
Cronologia historia do brasilCronologia historia do brasil
Cronologia historia do brasil
 
A Morte de D. Sebastião e a Questão da Sucessão
A Morte de D. Sebastião e a Questão da SucessãoA Morte de D. Sebastião e a Questão da Sucessão
A Morte de D. Sebastião e a Questão da Sucessão
 
União ibérica
União ibéricaUnião ibérica
União ibérica
 
Uniao iberica
Uniao ibericaUniao iberica
Uniao iberica
 
A Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRica
A Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRicaA Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRica
A Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRica
 
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e EmancipacionistasRevoltas Nativistas e Emancipacionistas
Revoltas Nativistas e Emancipacionistas
 
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º impérioUnidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
Unidade zero da união ibérica à restauração e o nascer do 2º império
 
RestauraçãO Da IndependêNcia De Portugal
RestauraçãO Da IndependêNcia De PortugalRestauraçãO Da IndependêNcia De Portugal
RestauraçãO Da IndependêNcia De Portugal
 
Da UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia Portuguesa
Da UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia PortuguesaDa UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia Portuguesa
Da UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia Portuguesa
 
1 de Dezembro de 1640
1 de Dezembro de 16401 de Dezembro de 1640
1 de Dezembro de 1640
 

Destaque

El leon
El leonEl leon
El leon
bepazu
 
KM Brasil 2010 - Gramado - RS
KM Brasil 2010 - Gramado - RSKM Brasil 2010 - Gramado - RS
KM Brasil 2010 - Gramado - RS
Luciano Palma
 
Infoturistfebrer2015def
Infoturistfebrer2015defInfoturistfebrer2015def
Infoturistfebrer2015defviuvallmoll
 
プルトニウムのリスクと安全管理
プルトニウムのリスクと安全管理プルトニウムのリスクと安全管理
プルトニウムのリスクと安全管理
usatyu
 
Dicionário de política
Dicionário de políticaDicionário de política
Dicionário de política
CarlaRosario
 
Google Partners - Certification-GAIQ
Google Partners - Certification-GAIQGoogle Partners - Certification-GAIQ
Google Partners - Certification-GAIQ
Nirmal Balakrishnan
 
Volei
VoleiVolei
Volei
verduribes
 
Musica filme nosso_lar
Musica filme nosso_larMusica filme nosso_lar
Musica filme nosso_lar
rjcacupe
 
Caricaturas jpii
Caricaturas jpiiCaricaturas jpii
Caricaturas jpii
kazenada
 
La moral kantiana
La moral kantianaLa moral kantiana
La moral kantianaJavier
 
Utilização da BE Novembro 2010
Utilização da BE  Novembro 2010Utilização da BE  Novembro 2010
Utilização da BE Novembro 2010
biblioteca escolar
 
Programa nadal 2012
Programa nadal 2012Programa nadal 2012
Programa nadal 2012viuvallmoll
 
Maddie
MaddieMaddie
Maddie
S Kennedy
 
Pildora tic contraseñas
Pildora tic   contraseñasPildora tic   contraseñas
Pildora tic contraseñas
Jaime Trinidad Ortiz Diaz-Miguel
 
Ea preparacion administracion medicamentos
Ea preparacion administracion medicamentosEa preparacion administracion medicamentos
Ea preparacion administracion medicamentos
María García
 
Emocion y actitud
Emocion y actitudEmocion y actitud
Emocion y actitud
Euler Ruiz
 
Redes Sociales como herramientas de negocio
Redes Sociales como herramientas de negocioRedes Sociales como herramientas de negocio
Redes Sociales como herramientas de negocio
Jonathan Corona
 
Proyecto de informatica
Proyecto de informaticaProyecto de informatica
Proyecto de informatica
Vale Yanes
 
30 aplicaciones facebook y twitter negocio
30 aplicaciones facebook y twitter negocio30 aplicaciones facebook y twitter negocio
30 aplicaciones facebook y twitter negocio
Barcelona Web Marketing
 
ScanSaaS Facebook for bedrifter kampanje
ScanSaaS Facebook for bedrifter kampanjeScanSaaS Facebook for bedrifter kampanje
ScanSaaS Facebook for bedrifter kampanje
ScanSaaS
 

Destaque (20)

El leon
El leonEl leon
El leon
 
KM Brasil 2010 - Gramado - RS
KM Brasil 2010 - Gramado - RSKM Brasil 2010 - Gramado - RS
KM Brasil 2010 - Gramado - RS
 
Infoturistfebrer2015def
Infoturistfebrer2015defInfoturistfebrer2015def
Infoturistfebrer2015def
 
プルトニウムのリスクと安全管理
プルトニウムのリスクと安全管理プルトニウムのリスクと安全管理
プルトニウムのリスクと安全管理
 
Dicionário de política
Dicionário de políticaDicionário de política
Dicionário de política
 
Google Partners - Certification-GAIQ
Google Partners - Certification-GAIQGoogle Partners - Certification-GAIQ
Google Partners - Certification-GAIQ
 
Volei
VoleiVolei
Volei
 
Musica filme nosso_lar
Musica filme nosso_larMusica filme nosso_lar
Musica filme nosso_lar
 
Caricaturas jpii
Caricaturas jpiiCaricaturas jpii
Caricaturas jpii
 
La moral kantiana
La moral kantianaLa moral kantiana
La moral kantiana
 
Utilização da BE Novembro 2010
Utilização da BE  Novembro 2010Utilização da BE  Novembro 2010
Utilização da BE Novembro 2010
 
Programa nadal 2012
Programa nadal 2012Programa nadal 2012
Programa nadal 2012
 
Maddie
MaddieMaddie
Maddie
 
Pildora tic contraseñas
Pildora tic   contraseñasPildora tic   contraseñas
Pildora tic contraseñas
 
Ea preparacion administracion medicamentos
Ea preparacion administracion medicamentosEa preparacion administracion medicamentos
Ea preparacion administracion medicamentos
 
Emocion y actitud
Emocion y actitudEmocion y actitud
Emocion y actitud
 
Redes Sociales como herramientas de negocio
Redes Sociales como herramientas de negocioRedes Sociales como herramientas de negocio
Redes Sociales como herramientas de negocio
 
Proyecto de informatica
Proyecto de informaticaProyecto de informatica
Proyecto de informatica
 
30 aplicaciones facebook y twitter negocio
30 aplicaciones facebook y twitter negocio30 aplicaciones facebook y twitter negocio
30 aplicaciones facebook y twitter negocio
 
ScanSaaS Facebook for bedrifter kampanje
ScanSaaS Facebook for bedrifter kampanjeScanSaaS Facebook for bedrifter kampanje
ScanSaaS Facebook for bedrifter kampanje
 

Semelhante a 20 Datas Da HistóRia De Portugal

Mercantilismo e Expansão Ultramarina
Mercantilismo e Expansão UltramarinaMercantilismo e Expansão Ultramarina
Mercantilismo e Expansão Ultramarina
Auxiliadora
 
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Sandra Madeira
 
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Annarrocha
 
Século XIV até século XVI
Século XIV até século XVISéculo XIV até século XVI
Século XIV até século XVI
Catarina Sequeira
 
Cronologia da-historia-de-portugal
Cronologia da-historia-de-portugalCronologia da-historia-de-portugal
Cronologia da-historia-de-portugal
josepinho
 
Expansão marítima e comercial pdf
Expansão marítima e comercial pdfExpansão marítima e comercial pdf
Expansão marítima e comercial pdf
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
História de portugal1
História de portugal1História de portugal1
História de portugal1
EB Foros de Amora
 
História de Portugal
História de PortugalHistória de Portugal
História de Portugal
Vitor Matias
 
Comerciointernacional resumo
Comerciointernacional resumoComerciointernacional resumo
Comerciointernacional resumo
Mateus Tanita
 
História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugal
davidetavares
 
Expansão maritima e comercial europeia
Expansão maritima e comercial europeiaExpansão maritima e comercial europeia
Expansão maritima e comercial europeia
Adriana Gomes Messias
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
Nilton Sá
 
Historia de portugal
Historia de portugalHistoria de portugal
Historia de portugal
Sinziana Socol
 
A Crise Do Império Português
A Crise Do Império PortuguêsA Crise Do Império Português
A Crise Do Império Português
Carlos Vieira
 
A revolta do 1º de dezembro de 1640
A revolta do 1º de dezembro de 1640A revolta do 1º de dezembro de 1640
A revolta do 1º de dezembro de 1640
Leonel Gomes
 
Uniaoiberica
UniaoibericaUniaoiberica
Uniaoiberica
Marta Pereira
 
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu inessalgado
 
A crise do império português no oriente
A crise do império português no orienteA crise do império português no oriente
A crise do império português no oriente
borgia
 
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
borgia
 
A historia de portugal
A historia de portugalA historia de portugal
A historia de portugal
gracindacasais
 

Semelhante a 20 Datas Da HistóRia De Portugal (20)

Mercantilismo e Expansão Ultramarina
Mercantilismo e Expansão UltramarinaMercantilismo e Expansão Ultramarina
Mercantilismo e Expansão Ultramarina
 
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9
 
Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9Histria de-portugal-1222350041054449-9
Histria de-portugal-1222350041054449-9
 
Século XIV até século XVI
Século XIV até século XVISéculo XIV até século XVI
Século XIV até século XVI
 
Cronologia da-historia-de-portugal
Cronologia da-historia-de-portugalCronologia da-historia-de-portugal
Cronologia da-historia-de-portugal
 
Expansão marítima e comercial pdf
Expansão marítima e comercial pdfExpansão marítima e comercial pdf
Expansão marítima e comercial pdf
 
História de portugal1
História de portugal1História de portugal1
História de portugal1
 
História de Portugal
História de PortugalHistória de Portugal
História de Portugal
 
Comerciointernacional resumo
Comerciointernacional resumoComerciointernacional resumo
Comerciointernacional resumo
 
História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugal
 
Expansão maritima e comercial europeia
Expansão maritima e comercial europeiaExpansão maritima e comercial europeia
Expansão maritima e comercial europeia
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
 
Historia de portugal
Historia de portugalHistoria de portugal
Historia de portugal
 
A Crise Do Império Português
A Crise Do Império PortuguêsA Crise Do Império Português
A Crise Do Império Português
 
A revolta do 1º de dezembro de 1640
A revolta do 1º de dezembro de 1640A revolta do 1º de dezembro de 1640
A revolta do 1º de dezembro de 1640
 
Uniaoiberica
UniaoibericaUniaoiberica
Uniaoiberica
 
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
 
A crise do império português no oriente
A crise do império português no orienteA crise do império português no oriente
A crise do império português no oriente
 
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
 
A historia de portugal
A historia de portugalA historia de portugal
A historia de portugal
 

Mais de Professores História

Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926
Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926
Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926
Professores História
 
Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926
Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926
Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926
Professores História
 
12º EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx
12º   EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx12º   EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx
12º EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx
Professores História
 
As experiências das vanguardas
As experiências das vanguardasAs experiências das vanguardas
As experiências das vanguardas
Professores História
 
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
Professores História
 
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
Professores História
 
12º A Cultura De Massas Ii
12º   A Cultura De Massas   Ii12º   A Cultura De Massas   Ii
12º A Cultura De Massas Ii
Professores História
 
12º A Cultura De Massas Ii
12º   A Cultura De Massas   Ii12º   A Cultura De Massas   Ii
12º A Cultura De Massas Ii
Professores História
 
20 Datas Da HistóRia De Portugal
20 Datas Da HistóRia De Portugal20 Datas Da HistóRia De Portugal
20 Datas Da HistóRia De Portugal
Professores História
 
20 Datas Da HistóRia De Portugal
20 Datas Da HistóRia De Portugal20 Datas Da HistóRia De Portugal
20 Datas Da HistóRia De Portugal
Professores História
 
20 Datas Da HistóRia De Portugal
20 Datas Da HistóRia De Portugal20 Datas Da HistóRia De Portugal
20 Datas Da HistóRia De Portugal
Professores História
 
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
Professores História
 
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
Professores História
 
Guerra Civil Portuguesa
Guerra Civil PortuguesaGuerra Civil Portuguesa
Guerra Civil Portuguesa
Professores História
 
A Crise Religiosa
A Crise ReligiosaA Crise Religiosa
A Crise Religiosa
Professores História
 
A Crise Religiosa
A Crise ReligiosaA Crise Religiosa
A Crise Religiosa
Professores História
 
A Crise Religiosa
A Crise ReligiosaA Crise Religiosa
A Crise Religiosa
Professores História
 
A Pintura Do Renascimento
A Pintura Do RenascimentoA Pintura Do Renascimento
A Pintura Do Renascimento
Professores História
 
A Reconquista
A ReconquistaA Reconquista
A Reconquista
Professores História
 
La Sixtina Museovaticano
La Sixtina MuseovaticanoLa Sixtina Museovaticano
La Sixtina Museovaticano
Professores História
 

Mais de Professores História (20)

Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926
Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926
Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926
 
Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926
Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926
Luta política em Oeiras entre 1908 e 1926
 
12º EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx
12º   EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx12º   EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx
12º EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx
 
As experiências das vanguardas
As experiências das vanguardasAs experiências das vanguardas
As experiências das vanguardas
 
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
 
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres12º   O Modernismo Na Pintura  Ana Paula Torres
12º O Modernismo Na Pintura Ana Paula Torres
 
12º A Cultura De Massas Ii
12º   A Cultura De Massas   Ii12º   A Cultura De Massas   Ii
12º A Cultura De Massas Ii
 
12º A Cultura De Massas Ii
12º   A Cultura De Massas   Ii12º   A Cultura De Massas   Ii
12º A Cultura De Massas Ii
 
20 Datas Da HistóRia De Portugal
20 Datas Da HistóRia De Portugal20 Datas Da HistóRia De Portugal
20 Datas Da HistóRia De Portugal
 
20 Datas Da HistóRia De Portugal
20 Datas Da HistóRia De Portugal20 Datas Da HistóRia De Portugal
20 Datas Da HistóRia De Portugal
 
20 Datas Da HistóRia De Portugal
20 Datas Da HistóRia De Portugal20 Datas Da HistóRia De Portugal
20 Datas Da HistóRia De Portugal
 
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
 
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
 
Guerra Civil Portuguesa
Guerra Civil PortuguesaGuerra Civil Portuguesa
Guerra Civil Portuguesa
 
A Crise Religiosa
A Crise ReligiosaA Crise Religiosa
A Crise Religiosa
 
A Crise Religiosa
A Crise ReligiosaA Crise Religiosa
A Crise Religiosa
 
A Crise Religiosa
A Crise ReligiosaA Crise Religiosa
A Crise Religiosa
 
A Pintura Do Renascimento
A Pintura Do RenascimentoA Pintura Do Renascimento
A Pintura Do Renascimento
 
A Reconquista
A ReconquistaA Reconquista
A Reconquista
 
La Sixtina Museovaticano
La Sixtina MuseovaticanoLa Sixtina Museovaticano
La Sixtina Museovaticano
 

20 Datas Da HistóRia De Portugal

  • 1. Trabalho da disciplina de História Professora Ana Paula Torres As Datas mais importantes da História de Portugal
  • 2.
  • 3. Batalha de S. Mamede 24 de Junho de 1128 Batalha travada entre D. Afonso Henriques e sua mãe, D. Teresa (apoiada na nobreza da Galiza). Depois de sair vitorioso, a 6 de Abril de 1129, D. Afonso Henriques auto- -proclama-se soberano do Condado Portucalense.
  • 4. Tratado de Zamora 5 de Outubro de 1143 Este tratado resultou da conferência de paz entre D. Afonso Henriques e seu primo, Afonso VII. Data da independência de Portugal Início da Dinastia Afonsina D. Afonso Henriques presta apenas obediência ao Papa e, na região que governa, nenhum outro poder é superior ao dele.
  • 5. Batalha de Aljubarrota 14 de Agosto de 1385 D. João I de Portugal D. Nuno Álvares Pereira combateram O exército castelhano comandado por D. Juan I de Castela Desta batalha resultou A derrota definitiva dos Castelhanos, o fim da crise de 1383-1385 e a consolidação do novo rei de Portugal, D. João I. Apesar da vitória portuguesa, a paz só foi conseguida em 1411
  • 6.
  • 7. Dobragem do Cabo Bojador 1434 Gil Eanes É enviado por Infante D. Henrique Objectivo : conseguir dobrar o Cabo Bojador, que nunca tinha sido dobrado devido aos frequentes nevoeiros, ventos fortes e temores dos marinheiros. Transpõe o Cabo, avança algumas milhas e, como prova do seu sucesso, colhe rosas silvestres que leva ao Infante.
  • 8. Dobragem do Cabo da Boa Esperança 1488 D. João II Pêro da Covilhã e Afonso de Paiva foram enviados ao Oriente, por terra, para recolherem informações sobre a navegação e o comércio no Oceano Índico. Bartolomeu Dias, navegando com três caravelas, foi além do limite a que Diogo Cão chegara e continuou ao longo da costa. Bartolomeu Dias , depois de uma violenta tempestade, ultrapassou em 1488 o limite sul do continente africano, o chamado Cabo da Boa Esperança. Estabelecia-se assim a ligação entre o Oceano Atlântico e o Oceano Índico e abria-se a esperança de chegar à Índia.
  • 9. Tratado de Tordesilhas 7 de Junho de 1494 É assinado por Portugal e Castela, definindo a partilha do chamado Novo Mundo. Foi assinado entre D. João II de Portugal e os Reis católicos (Rainha Isabel de Castela e o Rei Fernando de Aragão). Estabelecia a divisão do mundo em dois hemisférios, a partir de um meridiano que passava a 370 léguas a ocidente das ilhas de Cabo Verde. Tudo o que fosse descoberto a Oriente dessa linha ficaria a pertencer a Portugal e tudo o que fosse descoberto a Ocidente ficaria a pertencer a Espanha. Este tratado deu-se como forma de divisão dos territórios descobertos, pois ambos os países queriam chegar à Índia D. João II
  • 10. Descoberta do caminho marítimo para a Índia 20 de Maio de 1498 8 de Junho de 1497 20 de Maio de 1498 No reinado de D. Manuel I, partem três embarcações chefiadas por Vasco da Gama. Chegada a Calecute. Estabelece-se caminho marítimo para a Índia Vasco da Gama foi, de facto, o primeiro europeu a descobrir o caminho marítimo para a Índia.
  • 11. Descoberta do Brasil 22 de Abril de 1500 A armada de Pedro Álvares Cabral parte, em Março, com 1300 tripulantes com o objectivo de chegar à Índia. Devido a um temporal, a armada foi obrigada a mudar a sua rota para sudoeste, chegando à América do Sul. Ilha de Vera Cruz
  • 12. Estabelecimento da Inquisição 23 de Maio de 1536 A pedido de D. João III Instala-se Inquisição Comportamentos considerados condenáveis Repressão de heresias
  • 13. Batalha de Alcácer-Quibir 1578 Portugueses liderados por D. Sebastião Mouros de Marrocos Derrota dos portugueses Desaparecimento do rei D. Sebastião , nascendo assim o mito do Sebastianismo ´´ Enfim acabarei a minha vida e verão todos que fui tão afeiçoado á minha Pátria que não só me contentei de morrer nela, mas com ela. Luís de Camões.
  • 14. Restauração da Independência 1 de Dezembro de 1640 Feriado comemorado em Portugal, para assinalar a recuperação da independência nacional face a Espanha, em 1640 Um grupo de conspiradores Nobreza Juristas Início da Dinastia de Bragança D. João IV
  • 15. Terramoto de Lisboa 1 de Novembro de 1755 TERRAMOTO 10.000 vítimas Grande destruição da cidade de Lisboa Seguido de um tsunami Múltiplos incêndios Foi um dos mais mortíferos da História mundial Marquês de Pombal restaurou a cidade
  • 16. ´´ No projecto de reconstrução de Lisboa devem prever-se ruas com maior largura (…) e menor altura dos edifícios, não excedendo de dois pavimentos sobre as lojas (…). Também parece preciso atender--se com antecedência aos condutos da água (…) para alimento dos povos, para a extinção dos incêndios e para adorno das praças (…). O que resta ainda determinar é (…) se hão-de fazer pórticos ou colunatas em algumas ruas (…) fazendo-se no Terreiro do Paço como espero.´´ Carta de Manuel da Maia ao Marquês de Pombal
  • 17. Primeira Invasão Napoleónica 18 de Outubro de 1807 Portugal não aceita o Bloqueio Continental Um exército francês comandado pelo General Junot invade Portugal A família real foge para o Brasil Com a ajuda do exército inglês, comandado por Wellington, as tropas francesas são derrotadas e obrigadas a abandonar Portugal.
  • 18.
  • 19. 1908 - Regicídio de D. Carlos IV e do seu filho herdeiro D. Luís Filipe, Duque de Bragança. Instabilidade política D. Manuel II
  • 20. Proclamação da República 5 de Outubro de 1910 Intervenientes: Baixas patentes das Forças Armadas e pequena burguesia O Governo rendeu-se, os republicanos proclamaram a República e D. Manuel II foi exilado
  • 21.  
  • 22. Ditadura Militar 28 de Maio de 1926 Através do golpe militar de 28 de Maio dirigido pelo General Gomes da Costa instaurou-se em Portugal um regime militar autoritário: Ditadura Militar Deu-se devido: À instabilidade política, social e económica da I República Derrubada a 1º República, a Ditadura Militar demonstrou-se, no entanto, instável
  • 23. Estado Novo (1930 a 1974) Salazarismo (1930 a 1969) Marcelismo (1969 a 1974) Salazar Marcelo Caetano Ditadura Censura PIDE (Polícia Política) Controle da Juventude Prisões e tortura Não há liberdade
  • 24. Guerra Colonial 4 de Fevereiro de 1961 até 1974 Forças Armadas Portuguesas Províncias Ultramarinas de Angola, Guiné e Moçambique Estas exigiam a sua independência A Revolução dos cravos em Portugal determinou o seu fim
  • 25. Revolução dos Cravos 25 de Abril de 1974 Derrubou o regime ditatorial que vigorava em Portugal desde 1926 Sem grande resistência das forças leais ao governo Movimento dirigido pelo MFA
  • 26.  
  • 27.  
  • 28.  
  • 29. Adesão à C.E.E. União Europeia 12 de Junho de 1985 A adesão plena de Portugal à C.E.E. só se deu no dia 1 de Janeiro de 1986 Assinatura do tratado de adesão à comunidade europeia Apoios financeiros à: Indústria Agricultura
  • 30. Trabalho realizado por: Ana Rita Jorge nº 1 Frederico Gavaia nº 11 Helena Managil nº12 Sofia Quaresma nº25 11ºC Ano Lectivo de 2006/2007 Viva Portugal !
  • 31.