SlideShare uma empresa Scribd logo
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  perdoadas e cujos pecados são cobertos!".
Lição 2: O CARÁTER DO CRISTÃO (1)
Introdução às bem-aventuranças
Texto Básico: Mateus 5.1-12
Texto Devocional: Salmo 1.1-6
Versículo-Chave: Salmo 32.1
"Bem-aventurado aquele cujas transgressões são
perdoadas e cujos pecados são cobertos!".
Alvo da Lição: Ao estudar esta lição, você
entenderá que povo abençoado é aquele cujo
Deus é o Senhor.
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças 2
✓Dicionário Michaelis: Estado de espírito de quem se encontra alegre ou
satisfeito; alegria, contentamento, fortúnio, júbilo.
✓Sócrates: Entendia que o homem não era só o corpo, mas, principalmente,
a alma. Assim, felicidade era o bem da alma, que só podia ser atingido por
meio de uma conduta virtuosa e justa.
✓Epicuro: satisfação dos desejos.
✓Confúcio: Harmonia entre as pessoas.
✓Budismo: liberação do sofrimento e pela superação do desejo, através do
treinamento mental.
✓Freud: só existe felicidade parcial pois, no mundo real, a pessoa pode ter
experiências como o fracasso.
✓Jeremy Bentham: experiência de prazer e a ausência de dor. É dele a ideia
do Cálculo Felicífico, que considera, entre outras coisas, a intensidade, a
duração, as dores e as consequências do ato prazeroso.
✓Schopenhauer: desejo que era satisfeito.
Obs. Em seguida surge um novo desejo.
COMO SE COSTUMA DEFINIR FELICIDADE?*
3
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter
do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
Olhando para o MUNDO:
✓Qual o conceito que o mundo tem de felicidade?
✓Para nossa sociedade, o que é uma pessoa bem-sucedida?
Olhando para a BÍBLIA:
✓Existem características que o Cristão deve desenvolver?
✓As qualidades indicadas no Sermão do Monte são opcionais ou obrigatórias
para TODOS os cristãos?
✓As bênçãos indicadas no Sermão do Monte são materiais ou espirituais?
✓É possível ser bem-aventurado sem a ação de Deus?
✓As bem-aventuranças dependem das circunstâncias da vida?
✓O que é o Reino de Deus? Este reino já existe hoje ou só existirá no futuro?
✓Quem foram os ouvinte do Sermão do Monte?
REFLEXÕES INICIAIS
4
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
I. A identidade do
Mestre
• Iniciou seu ministério
com 30 anos;
• Nasceu em Bélem;
• Viveu em Nazaré
(cidade pequena);
PROFESSOR: Aquele que ensina.
MESTRE: Homem superior e de muito
saber, que serve de base, de guia.
II. A personalidade do
Mestre
• Caráter íntegro:
Discurso alinhado com
sua vida.
• Autoridade absoluta:
ensino original e
próprio.
• Obediência perfeita:
Cumpriu a Lei e fez a
vontade do Pai.
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças 5
a) Começou com as coisas simples até chegar às complexas.
Utilizou a analogia dos pássaros do céu, dos lírios do campo, da casa
construída na rocha e na areia – Mt 6:26-28; 7:24-26.
b) b) Partiu do conhecido para o desconhecido.
Usou a figura do sal, da luz, da traça, da ferrugem, do ladrão, do
argueiro no olho – “Mt 5:13-14; 6:19; 7:3.
c) c) Sempre fez uso da pergunta.
“Para que serve o sal?”; “Qual a recompensa em amar os que vos
amam?”; “Pode alguém colher uvas do espinheiro?” – Mt 5:13.46;
7:16.
d) d) Contou histórias.
Mt 7:24-27. Conversou, discutiu, dramatizou, ilustrou, planejou,
aplicou. Suas lições tinham começo meio e fim.
II. A pedagogia do Mestre
Ao ensinar, Jesus demonstrava ter pleno conhecimento:
1. da matéria: o mundo, o homem e toda a verdade;
2. da natureza humana: Ele conhecia o íntimo de seus ouvintes
e se interessou mais por pessoas do que por coisas;
3. dos métodos de ensino.
6
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
1 – Seus discípulos
Mateus 5.1-12: (1) Ao ver as multidões, Jesus subiu ao monte e sentou-se. Os
seus discípulos aproximaram-se dele, (2) e ele começou a ensiná-los, dizendo:
O discípulo de Jesus deve ser diferente: Mateus 6.7-8
(7) Quando orarem, não falem por falar, como fazem os gentios. Pois eles
pensam que por muito falar serão ouvidos. (8) Portanto, não sejam como eles,
porque o seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de lhe pedirem.
As bem-aventuranças não são regulamentos, mas uma descrição de como
uma pessoa cristã deve viver.
IMPORTANTE:
a) TODOS os cristãos devem demonstrar essas qualidades.
b) Todos os cristãos devem demonstrar TODAS essas qualidades.
I – QUEM SÃO OS OUVINTES
7
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
Pergunta: As qualidades listadas são materiais ou espirituais?
Lucas 6.20-21: (20) Ele olhou para os seus discípulos e disse: “Bem-
aventurados os pobres, pois a vocês pertence o reino de Deus. (21) Bem-
aventurados os que agora têm fome, pois serão satisfeitos.
Resposta: As qualidades são ESPIRITUAIS:
IMPORTANTE – Na interpretação bíblica devemos considerar, dentre outros
pontos:
• O contexto da passagem;
• A existência de passagens paralelas, isto é, se a mesma história está sendo
contada em outro lugar, com ênfase em outros detalhes.
✓Em Lucas consta somente “pobres”, mas em Mateus consta “pobres em
espírito”.
✓Em Lucas consta “os que agora têm fome” mas em Mateus consta “os que
têm fome e sede de justiça”.
II – QUAIS AS QUALIDADES RECOMENDADAS?
8
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
(1) Felicidade (2) Felicidade Vazia
Compare estes dois exemplos de felicidade descritos na Bíblia
SALOMÃO - Foi rei e sábio. Escreveu mais de 1.000 cânticos, 3.000
provérbios. Tinha 1.400 carros e 12.000 mil cavalos. Tinha 700 esposas e 300
concubinas. Mas, no fim da vida, exclamou (Eclesiastes 2.10-11):
(10) Não neguei aos meus olhos nada que desejaram; não me recusei a dar
prazer algum ao meu coração. De fato, o meu coração se alegrou em todo o
meu trabalho; essa foi a recompensa de todo o meu esforço. (11) Entretanto,
quando avaliei tudo o que as minhas mãos haviam feito e o trabalho que eu
tanto me esforçara para realizar, vi que tudo era inútil; é correr atrás do
vento. Não há nenhum proveito no que se faz debaixo do sol.
DISCÍPULOS DE JESUS - João 16.22:
Assim acontece com vocês: agora é hora de tristeza para vocês, mas eu os
verei outra vez, e vocês se alegrarão, e ninguém tirará essa alegria de vocês.
III – QUAIS SÃO AS BÊNÇÃOS PROMETIDAS?
9
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
(3) A verdadeira felicidade (1)
a) Bem-aventurança é algo que somente Deus pode dar.
Não temos recursos para produzir uma condição espiritual aceitável para
Deus.
Sl 144.15 Bem-aventurado o povo assim abençoado! Bem-aventurado o povo
cujo Deus é o Senhor!
b) Bem-aventurança é um estado que Deus deseja que seu povo desfrute.
Deus DESEJA abençoar o ser humano. No relato da criação consta que "Deus
os abençoou" (Gn 1.28), assegurando o favor divino sobre eles.
Na Benção Aarônica (Nm 6.24-26): (24) O Senhor o abençoe e o guarde; (25) o
Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre você e lhe conceda graça; (26) o
Senhor volte o rosto para você e lhe dê paz. (27) Assim, eles invocarão o meu
nome sobre os israelitas, e eu os abençoarei.
III – QUAIS SÃO AS BÊNÇÃOS PROMETIDAS?
10
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
(3) A verdadeira felicidade (2)
c) Bem-aventurança não depende das circunstancias.
Filipenses 4.11-13: (11) Não estou dizendo isso porque esteja necessitado, pois
aprendi a contentar-me em toda e qualquer circunstância. (12) Sei o que é
passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi a passar por toda e
qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome; tendo muito ou
passando necessidade. (13) Tudo posso naquele que me fortalece.
2 Coríntios 12.10: Por isso, por Cristo, alegro-me nas fraquezas, nos insultos,
nas privações, nas perseguições, nas angústias; pois, quando sou fraco, então
é que sou forte.
d) Bem-aventurança é relacionada com a obediência à palavra de Deus.
Lucas 11.27-28: (27) Enquanto Jesus dizia essas coisas, uma mulher da
multidão exclamou: ― Bem-aventurada é a mulher que te deu à luz e te
amamentou. (28) Ele respondeu: ― Antes, bem-aventurados aqueles que
ouvem a palavra de Deus e lhe obedecem.
III – QUAIS SÃO AS BÊNÇÃOS PROMETIDAS?
11
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
Há mais de 100 referências ao “reino dos
céus” ou ao “reino de Deus”.
Há diferença entre estes dois reinos?
IV – QUE É O REINO
12
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
O que é o reino do céu. Canal Desenhando a Bíblia. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=pxPVhEerml4>.
Quatro fatos sobre esse reino (1):
(1) É um reino eterno (Sl 145,13; Dn 4,34-35; 1Cr 29,10-11; 1Tm 1,17; 6,15-
16)
Salmo 145.13: O teu reino é reino eterno, e o teu domínio permanece de
geração a geração. O Senhor é fiel em todas as suas promessas e é bondoso
em tudo o que faz.
(2) É um reino espiritual.
Depois da ressurreição, Jesus apareceu aos seus discípulos falando "acerca
do reino de Deus" (At 1.6). Mas os discípulos estavam preocupados com as
questões políticas e questionaram "Senhor, é neste tempo que vais restaurar
o reino a Israel?".
A Pilatos, Jesus afirmou: “O meu Reino não é deste mundo” Jo 18.36.
REFLEXÃO: Será que hoje existem cristãos mais preocupados com questões
políticas/territoriais/econômicas do que com o reino espiritual?
IV – QUE É O REINO
13
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
Quatro fatos sobre esse reino (2):
(3) É um reino contemporâneo.
O reino de Deus, só será totalmente consumado depois da segunda vinda de
Cristo. Mas Cristo já inaugurou o reino na sua primeira vinda.
Lucas 17.20-21: (20) Certa vez, tendo sido interrogado pelos fariseus sobre
quando viria o reino de Deus, Jesus respondeu: ― O reino de Deus não vem
de modo visível. (21) Tampouco se dirá: “Aqui está ele!” ou “Lá está!”. Porque
o reino de Deus está entre vocês.
(4) É um reino dinâmico.
O reino de Deus se manifesta na vida do cristão, pois Deus reina absoluto em
sua vida. Por causa da minha união espiritual e dinâmica com o Rei, posso
viver segundo as normas do reino. O reino de cristo em e pela vida do povo
de Deus não é estático, mas dinâmico.
Colossenses 1.13: Pois ele nos resgatou do domínio das trevas e nos
transportou para o reino do seu Filho amado.
Mateus 13.11: Ele respondeu: ― A vocês foi dado o conhecimento dos
mistérios do reino dos céus, mas não a eles.
IV – QUE É O REINO
14
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
IV – QUE É O REINO
15
O que é o reino do céu. Canal Desenhando a Bíblia. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=pxPVhEerml4>.
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
Conclusão
Hoje fizemos um estudo introdutório das bem-aventuranças.
Na próxima lição vamos estudá-las individualmente.
Ao fim da nossa vida ouviremos o seguinte:
Mateus 25.34: Então, o Rei dirá aos que estiverem à sua
direita: “Venham, benditos do meu Pai! Recebam como
herança o reino que foi preparado para vocês desde a criação
do mundo.
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças 16
Para saber mais:
Livro: Contracultura Cristã. A mensagem do Sermão do Monte. John R. W. Stott. ABU Editora
Vídeo: A Teologia do Reino de Deus - Luiz Sayão
https://www.youtube.com/watch?v=VReSGDpu8tY
Vídeo: Valores Absolutos do Reino de Deus - Hernandes Dias Lopes
https://www.youtube.com/watch?v=9L25Frh1e84
Vídeo: O Reino de Deus - Russell Shedd
https://www.youtube.com/watch?v=yBYVVameTVQ
* Fonte:
Michaelis - Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Disponível em <https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-
brasileiro/felicidade/>.
Filosofia e Felicidade. Disponível em <https://educacao.uol.com.br/disciplinas/filosofia/filosofia-e-felicidade-o-que-e-ser-feliz-segundo-os-
grandes-filosofos-do-passado-e-do-presente.htm>.
O que é ser feliz? Disponível em <https://noticias.unb.br/artigos-main/6074-o-que-e-ser-feliz>.
Felicidade na Filosofia. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/Felicidade_na_Filosofia>.
Cálculo felicífico. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A1lculo_felic%C3%ADfico>.
EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças 17

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são perdoadas e cujos pecados são cobertos!".

1 a bblia ensina que deus existe
1  a bblia ensina que deus existe1  a bblia ensina que deus existe
1 a bblia ensina que deus existe
392306
 
O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristo
dimas campos
 
O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristo
dimas campos
 
UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE MORDOMIA.pdf
UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE MORDOMIA.pdfUMA BREVE REFLEXÃO SOBRE MORDOMIA.pdf
UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE MORDOMIA.pdf
Secretaria de Estado da Tributação do RN
 
Lição 05 o reino de deus através da igreja
Lição 05   o reino de deus através da igrejaLição 05   o reino de deus através da igreja
Lição 05 o reino de deus através da igreja
estevao01
 
Escola de ministérios
Escola de ministériosEscola de ministérios
Escola de ministérios
Marcio Gonçalves
 
Dispensações
DispensaçõesDispensações
Dispensações
Edison Junior
 
O PROJETO ORIGINAL DO REINO DE DEUS
O PROJETO ORIGINAL DO REINO DE DEUS O PROJETO ORIGINAL DO REINO DE DEUS
O PROJETO ORIGINAL DO REINO DE DEUS
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
 
Lição 10 - Precisamos de Vigilância Espiritual
Lição 10 - Precisamos de Vigilância EspiritualLição 10 - Precisamos de Vigilância Espiritual
Lição 10 - Precisamos de Vigilância Espiritual
Éder Tomé
 
Lição 2 - Jesus Cristo e Missões nos Salmos
Lição 2 - Jesus Cristo e Missões nos SalmosLição 2 - Jesus Cristo e Missões nos Salmos
Lição 2 - Jesus Cristo e Missões nos Salmos
Éder Tomé
 
Lição 10 - Eu creio que posso fazer a diferença.
Lição 10 - Eu creio que posso fazer a diferença.Lição 10 - Eu creio que posso fazer a diferença.
Lição 10 - Eu creio que posso fazer a diferença.
Jheisson Batista Ferreira
 
Escola de ministérios
Escola de ministériosEscola de ministérios
Escola de ministérios
Marcio Gonçalves
 
Lição 09 - O Legado Missionário da Igreja Primitiva
Lição 09 - O Legado Missionário da Igreja PrimitivaLição 09 - O Legado Missionário da Igreja Primitiva
Lição 09 - O Legado Missionário da Igreja Primitiva
Éder Tomé
 
03 - Joel, o derramamento do Espírito Santo
03 - Joel, o derramamento do Espírito Santo03 - Joel, o derramamento do Espírito Santo
03 - Joel, o derramamento do Espírito Santo
Ailton da Silva
 
Oração: a força do reavivamento resumo 232013
Oração: a força do reavivamento resumo 232013Oração: a força do reavivamento resumo 232013
Oração: a força do reavivamento resumo 232013
Gerson G. Ramos
 
Resumo de atoa do apóstolos, apartar do ponto de vista pentecostes clássico.
Resumo de atoa do apóstolos,  apartar do ponto de vista pentecostes clássico.Resumo de atoa do apóstolos,  apartar do ponto de vista pentecostes clássico.
Resumo de atoa do apóstolos, apartar do ponto de vista pentecostes clássico.
ValmirAngelo
 
Revisão do discipulado
Revisão do discipuladoRevisão do discipulado
Revisão do discipulado
Valdinar Viana
 
doutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdf
doutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdfdoutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdf
doutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdf
Tiago Silva
 
doutrinas bíblicas
doutrinas bíblicasdoutrinas bíblicas
doutrinas bíblicas
faculdadeteologica
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
faculdadeteologica
 

Semelhante a 2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são perdoadas e cujos pecados são cobertos!". (20)

1 a bblia ensina que deus existe
1  a bblia ensina que deus existe1  a bblia ensina que deus existe
1 a bblia ensina que deus existe
 
O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristo
 
O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristo
 
UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE MORDOMIA.pdf
UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE MORDOMIA.pdfUMA BREVE REFLEXÃO SOBRE MORDOMIA.pdf
UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE MORDOMIA.pdf
 
Lição 05 o reino de deus através da igreja
Lição 05   o reino de deus através da igrejaLição 05   o reino de deus através da igreja
Lição 05 o reino de deus através da igreja
 
Escola de ministérios
Escola de ministériosEscola de ministérios
Escola de ministérios
 
Dispensações
DispensaçõesDispensações
Dispensações
 
O PROJETO ORIGINAL DO REINO DE DEUS
O PROJETO ORIGINAL DO REINO DE DEUS O PROJETO ORIGINAL DO REINO DE DEUS
O PROJETO ORIGINAL DO REINO DE DEUS
 
Lição 10 - Precisamos de Vigilância Espiritual
Lição 10 - Precisamos de Vigilância EspiritualLição 10 - Precisamos de Vigilância Espiritual
Lição 10 - Precisamos de Vigilância Espiritual
 
Lição 2 - Jesus Cristo e Missões nos Salmos
Lição 2 - Jesus Cristo e Missões nos SalmosLição 2 - Jesus Cristo e Missões nos Salmos
Lição 2 - Jesus Cristo e Missões nos Salmos
 
Lição 10 - Eu creio que posso fazer a diferença.
Lição 10 - Eu creio que posso fazer a diferença.Lição 10 - Eu creio que posso fazer a diferença.
Lição 10 - Eu creio que posso fazer a diferença.
 
Escola de ministérios
Escola de ministériosEscola de ministérios
Escola de ministérios
 
Lição 09 - O Legado Missionário da Igreja Primitiva
Lição 09 - O Legado Missionário da Igreja PrimitivaLição 09 - O Legado Missionário da Igreja Primitiva
Lição 09 - O Legado Missionário da Igreja Primitiva
 
03 - Joel, o derramamento do Espírito Santo
03 - Joel, o derramamento do Espírito Santo03 - Joel, o derramamento do Espírito Santo
03 - Joel, o derramamento do Espírito Santo
 
Oração: a força do reavivamento resumo 232013
Oração: a força do reavivamento resumo 232013Oração: a força do reavivamento resumo 232013
Oração: a força do reavivamento resumo 232013
 
Resumo de atoa do apóstolos, apartar do ponto de vista pentecostes clássico.
Resumo de atoa do apóstolos,  apartar do ponto de vista pentecostes clássico.Resumo de atoa do apóstolos,  apartar do ponto de vista pentecostes clássico.
Resumo de atoa do apóstolos, apartar do ponto de vista pentecostes clássico.
 
Revisão do discipulado
Revisão do discipuladoRevisão do discipulado
Revisão do discipulado
 
doutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdf
doutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdfdoutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdf
doutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdf
 
doutrinas bíblicas
doutrinas bíblicasdoutrinas bíblicas
doutrinas bíblicas
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
 

Último

controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
LaerciodeSouzaSilva1
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
luartfelt
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 

Último (20)

controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 

2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são perdoadas e cujos pecados são cobertos!".

  • 2. Lição 2: O CARÁTER DO CRISTÃO (1) Introdução às bem-aventuranças Texto Básico: Mateus 5.1-12 Texto Devocional: Salmo 1.1-6 Versículo-Chave: Salmo 32.1 "Bem-aventurado aquele cujas transgressões são perdoadas e cujos pecados são cobertos!". Alvo da Lição: Ao estudar esta lição, você entenderá que povo abençoado é aquele cujo Deus é o Senhor. EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças 2
  • 3. ✓Dicionário Michaelis: Estado de espírito de quem se encontra alegre ou satisfeito; alegria, contentamento, fortúnio, júbilo. ✓Sócrates: Entendia que o homem não era só o corpo, mas, principalmente, a alma. Assim, felicidade era o bem da alma, que só podia ser atingido por meio de uma conduta virtuosa e justa. ✓Epicuro: satisfação dos desejos. ✓Confúcio: Harmonia entre as pessoas. ✓Budismo: liberação do sofrimento e pela superação do desejo, através do treinamento mental. ✓Freud: só existe felicidade parcial pois, no mundo real, a pessoa pode ter experiências como o fracasso. ✓Jeremy Bentham: experiência de prazer e a ausência de dor. É dele a ideia do Cálculo Felicífico, que considera, entre outras coisas, a intensidade, a duração, as dores e as consequências do ato prazeroso. ✓Schopenhauer: desejo que era satisfeito. Obs. Em seguida surge um novo desejo. COMO SE COSTUMA DEFINIR FELICIDADE?* 3 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
  • 4. Olhando para o MUNDO: ✓Qual o conceito que o mundo tem de felicidade? ✓Para nossa sociedade, o que é uma pessoa bem-sucedida? Olhando para a BÍBLIA: ✓Existem características que o Cristão deve desenvolver? ✓As qualidades indicadas no Sermão do Monte são opcionais ou obrigatórias para TODOS os cristãos? ✓As bênçãos indicadas no Sermão do Monte são materiais ou espirituais? ✓É possível ser bem-aventurado sem a ação de Deus? ✓As bem-aventuranças dependem das circunstâncias da vida? ✓O que é o Reino de Deus? Este reino já existe hoje ou só existirá no futuro? ✓Quem foram os ouvinte do Sermão do Monte? REFLEXÕES INICIAIS 4 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
  • 5. I. A identidade do Mestre • Iniciou seu ministério com 30 anos; • Nasceu em Bélem; • Viveu em Nazaré (cidade pequena); PROFESSOR: Aquele que ensina. MESTRE: Homem superior e de muito saber, que serve de base, de guia. II. A personalidade do Mestre • Caráter íntegro: Discurso alinhado com sua vida. • Autoridade absoluta: ensino original e próprio. • Obediência perfeita: Cumpriu a Lei e fez a vontade do Pai. EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças 5
  • 6. a) Começou com as coisas simples até chegar às complexas. Utilizou a analogia dos pássaros do céu, dos lírios do campo, da casa construída na rocha e na areia – Mt 6:26-28; 7:24-26. b) b) Partiu do conhecido para o desconhecido. Usou a figura do sal, da luz, da traça, da ferrugem, do ladrão, do argueiro no olho – “Mt 5:13-14; 6:19; 7:3. c) c) Sempre fez uso da pergunta. “Para que serve o sal?”; “Qual a recompensa em amar os que vos amam?”; “Pode alguém colher uvas do espinheiro?” – Mt 5:13.46; 7:16. d) d) Contou histórias. Mt 7:24-27. Conversou, discutiu, dramatizou, ilustrou, planejou, aplicou. Suas lições tinham começo meio e fim. II. A pedagogia do Mestre Ao ensinar, Jesus demonstrava ter pleno conhecimento: 1. da matéria: o mundo, o homem e toda a verdade; 2. da natureza humana: Ele conhecia o íntimo de seus ouvintes e se interessou mais por pessoas do que por coisas; 3. dos métodos de ensino. 6 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
  • 7. 1 – Seus discípulos Mateus 5.1-12: (1) Ao ver as multidões, Jesus subiu ao monte e sentou-se. Os seus discípulos aproximaram-se dele, (2) e ele começou a ensiná-los, dizendo: O discípulo de Jesus deve ser diferente: Mateus 6.7-8 (7) Quando orarem, não falem por falar, como fazem os gentios. Pois eles pensam que por muito falar serão ouvidos. (8) Portanto, não sejam como eles, porque o seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de lhe pedirem. As bem-aventuranças não são regulamentos, mas uma descrição de como uma pessoa cristã deve viver. IMPORTANTE: a) TODOS os cristãos devem demonstrar essas qualidades. b) Todos os cristãos devem demonstrar TODAS essas qualidades. I – QUEM SÃO OS OUVINTES 7 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
  • 8. Pergunta: As qualidades listadas são materiais ou espirituais? Lucas 6.20-21: (20) Ele olhou para os seus discípulos e disse: “Bem- aventurados os pobres, pois a vocês pertence o reino de Deus. (21) Bem- aventurados os que agora têm fome, pois serão satisfeitos. Resposta: As qualidades são ESPIRITUAIS: IMPORTANTE – Na interpretação bíblica devemos considerar, dentre outros pontos: • O contexto da passagem; • A existência de passagens paralelas, isto é, se a mesma história está sendo contada em outro lugar, com ênfase em outros detalhes. ✓Em Lucas consta somente “pobres”, mas em Mateus consta “pobres em espírito”. ✓Em Lucas consta “os que agora têm fome” mas em Mateus consta “os que têm fome e sede de justiça”. II – QUAIS AS QUALIDADES RECOMENDADAS? 8 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
  • 9. (1) Felicidade (2) Felicidade Vazia Compare estes dois exemplos de felicidade descritos na Bíblia SALOMÃO - Foi rei e sábio. Escreveu mais de 1.000 cânticos, 3.000 provérbios. Tinha 1.400 carros e 12.000 mil cavalos. Tinha 700 esposas e 300 concubinas. Mas, no fim da vida, exclamou (Eclesiastes 2.10-11): (10) Não neguei aos meus olhos nada que desejaram; não me recusei a dar prazer algum ao meu coração. De fato, o meu coração se alegrou em todo o meu trabalho; essa foi a recompensa de todo o meu esforço. (11) Entretanto, quando avaliei tudo o que as minhas mãos haviam feito e o trabalho que eu tanto me esforçara para realizar, vi que tudo era inútil; é correr atrás do vento. Não há nenhum proveito no que se faz debaixo do sol. DISCÍPULOS DE JESUS - João 16.22: Assim acontece com vocês: agora é hora de tristeza para vocês, mas eu os verei outra vez, e vocês se alegrarão, e ninguém tirará essa alegria de vocês. III – QUAIS SÃO AS BÊNÇÃOS PROMETIDAS? 9 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
  • 10. (3) A verdadeira felicidade (1) a) Bem-aventurança é algo que somente Deus pode dar. Não temos recursos para produzir uma condição espiritual aceitável para Deus. Sl 144.15 Bem-aventurado o povo assim abençoado! Bem-aventurado o povo cujo Deus é o Senhor! b) Bem-aventurança é um estado que Deus deseja que seu povo desfrute. Deus DESEJA abençoar o ser humano. No relato da criação consta que "Deus os abençoou" (Gn 1.28), assegurando o favor divino sobre eles. Na Benção Aarônica (Nm 6.24-26): (24) O Senhor o abençoe e o guarde; (25) o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre você e lhe conceda graça; (26) o Senhor volte o rosto para você e lhe dê paz. (27) Assim, eles invocarão o meu nome sobre os israelitas, e eu os abençoarei. III – QUAIS SÃO AS BÊNÇÃOS PROMETIDAS? 10 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
  • 11. (3) A verdadeira felicidade (2) c) Bem-aventurança não depende das circunstancias. Filipenses 4.11-13: (11) Não estou dizendo isso porque esteja necessitado, pois aprendi a contentar-me em toda e qualquer circunstância. (12) Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi a passar por toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome; tendo muito ou passando necessidade. (13) Tudo posso naquele que me fortalece. 2 Coríntios 12.10: Por isso, por Cristo, alegro-me nas fraquezas, nos insultos, nas privações, nas perseguições, nas angústias; pois, quando sou fraco, então é que sou forte. d) Bem-aventurança é relacionada com a obediência à palavra de Deus. Lucas 11.27-28: (27) Enquanto Jesus dizia essas coisas, uma mulher da multidão exclamou: ― Bem-aventurada é a mulher que te deu à luz e te amamentou. (28) Ele respondeu: ― Antes, bem-aventurados aqueles que ouvem a palavra de Deus e lhe obedecem. III – QUAIS SÃO AS BÊNÇÃOS PROMETIDAS? 11 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
  • 12. Há mais de 100 referências ao “reino dos céus” ou ao “reino de Deus”. Há diferença entre estes dois reinos? IV – QUE É O REINO 12 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças O que é o reino do céu. Canal Desenhando a Bíblia. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=pxPVhEerml4>.
  • 13. Quatro fatos sobre esse reino (1): (1) É um reino eterno (Sl 145,13; Dn 4,34-35; 1Cr 29,10-11; 1Tm 1,17; 6,15- 16) Salmo 145.13: O teu reino é reino eterno, e o teu domínio permanece de geração a geração. O Senhor é fiel em todas as suas promessas e é bondoso em tudo o que faz. (2) É um reino espiritual. Depois da ressurreição, Jesus apareceu aos seus discípulos falando "acerca do reino de Deus" (At 1.6). Mas os discípulos estavam preocupados com as questões políticas e questionaram "Senhor, é neste tempo que vais restaurar o reino a Israel?". A Pilatos, Jesus afirmou: “O meu Reino não é deste mundo” Jo 18.36. REFLEXÃO: Será que hoje existem cristãos mais preocupados com questões políticas/territoriais/econômicas do que com o reino espiritual? IV – QUE É O REINO 13 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
  • 14. Quatro fatos sobre esse reino (2): (3) É um reino contemporâneo. O reino de Deus, só será totalmente consumado depois da segunda vinda de Cristo. Mas Cristo já inaugurou o reino na sua primeira vinda. Lucas 17.20-21: (20) Certa vez, tendo sido interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, Jesus respondeu: ― O reino de Deus não vem de modo visível. (21) Tampouco se dirá: “Aqui está ele!” ou “Lá está!”. Porque o reino de Deus está entre vocês. (4) É um reino dinâmico. O reino de Deus se manifesta na vida do cristão, pois Deus reina absoluto em sua vida. Por causa da minha união espiritual e dinâmica com o Rei, posso viver segundo as normas do reino. O reino de cristo em e pela vida do povo de Deus não é estático, mas dinâmico. Colossenses 1.13: Pois ele nos resgatou do domínio das trevas e nos transportou para o reino do seu Filho amado. Mateus 13.11: Ele respondeu: ― A vocês foi dado o conhecimento dos mistérios do reino dos céus, mas não a eles. IV – QUE É O REINO 14 EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
  • 15. IV – QUE É O REINO 15 O que é o reino do céu. Canal Desenhando a Bíblia. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=pxPVhEerml4>. EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças
  • 16. Conclusão Hoje fizemos um estudo introdutório das bem-aventuranças. Na próxima lição vamos estudá-las individualmente. Ao fim da nossa vida ouviremos o seguinte: Mateus 25.34: Então, o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: “Venham, benditos do meu Pai! Recebam como herança o reino que foi preparado para vocês desde a criação do mundo. EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças 16
  • 17. Para saber mais: Livro: Contracultura Cristã. A mensagem do Sermão do Monte. John R. W. Stott. ABU Editora Vídeo: A Teologia do Reino de Deus - Luiz Sayão https://www.youtube.com/watch?v=VReSGDpu8tY Vídeo: Valores Absolutos do Reino de Deus - Hernandes Dias Lopes https://www.youtube.com/watch?v=9L25Frh1e84 Vídeo: O Reino de Deus - Russell Shedd https://www.youtube.com/watch?v=yBYVVameTVQ * Fonte: Michaelis - Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Disponível em <https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues- brasileiro/felicidade/>. Filosofia e Felicidade. Disponível em <https://educacao.uol.com.br/disciplinas/filosofia/filosofia-e-felicidade-o-que-e-ser-feliz-segundo-os- grandes-filosofos-do-passado-e-do-presente.htm>. O que é ser feliz? Disponível em <https://noticias.unb.br/artigos-main/6074-o-que-e-ser-feliz>. Felicidade na Filosofia. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/Felicidade_na_Filosofia>. Cálculo felicífico. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A1lculo_felic%C3%ADfico>. EBD PIB Penha - O Sermão do Monte - Lição 2: O caráter do Cristão (1) - Introdução às bem-aventuranças 17