SlideShare uma empresa Scribd logo
XX ENCONTRO NACIONAL DE IRRIGAÇÃO DA
CAFEICULTURA DO CERRADO
IMPORTÂNCIA DOS RECURSOS HÍDRICOS
PARA A PRODUÇÃO DE ALIMENTOS
- ASPECTOS DE PLANEJAMENTO E GESTÃO -
Eng. Mário Cicareli Pinheiro
MARÇO DE 2014
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
• A relação SOLO – ÁGUA – PLANTA.
• A importância da irrigação: na história da humanidade, no
mundo e no Brasil.
• As características físicas do Cerrado: clima, topografia, solo.
• As ofertas hídricas no Cerrado: águas superficiais e águas
subterrâneas.
• Cotejo entre oferta e demanda.
• As obras de infraestrutura hídrica.
• A gestão de águas no Brasil.
• Comentários gerais.
TEMAS A SEREM ABORDADOS
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
RELAÇÕES SOLO-ÁGUA-PLANTA
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
DEMANDA DE ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO
Referência: Gestão da Água no Regadio, Shakib Shahidian, Universidade de Évora
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
A IMPORTÂNCIA DA IRRIGAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
A IMPORTÂNCIA DA IRRIGAÇÃO
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
IRRIGAÇÃO NO MUNDO E NO BRASIL
SITUAÇÃO DO BRASIL
ÁREA CULTIVÁVEL  120.000.000 ha
ÁREA IRRIGADA  3.500.000 ha
ÁREA POTENCIAL PARA IRRIGAÇÃO  29.000.000 ha
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
O CONSUMO DE ÁGUA NA IRRIGAÇÃO
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
O CONCEITO DE PEGADA HÍDRICA
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
CARACTERÍSTICAS CLIMATOLÓGICAS DO CERRADO
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
OS SOLOS DO TRIÂNGULO MINEIRO
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
O RELEVO DO TRIÂNGULO MINEIRO
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
ASPECTOS FÍSIOGRÁFICOS NA REGIÃO DE ARAGUARI
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
PRECIPITAÇÃO MÉDIA NO TRIÂNGULO MINEIRO
Fonte: EPAMIG
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
DADOS CLIMATOLÓGICOS DE UBERABA
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
BALANÇO HÍDRICO – ESTAÇÃO CLIMATOLÓGICA DE PATROCÍNIO
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
BALANÇO HÍDRICO – ESTAÇÃO CLIMATOLÓGICA DE PATROCÍNIO
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
OFERTAS HÍDRICAS – CICLO HIDROLÓGICO
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
OFERTAS HÍDRICAS
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
O CICLO HIDROLÓGICO NA BACIA HIDROGRÁFICA
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
BACIA HIDROGRÁFICA TÍPICA DO CERRADO
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
OCORRÊNCIA DE ÁGUA SUBTERRÂNEA
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
ÁGUA SUBTERRÂNEA E AS
NASCENTES E CURSOS DE
ÁGUA
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
VEREDA TÍPICA
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
MORFOLOGIA DOS CURSOS DE ÁGUA
NAS CHAPADAS DE TERRENOS
ARENOSOS
Fonte: Boaventura, 2007.
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
Fonte: Boaventura, 2007
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
BALANÇO HÍDRICO DE SISTEMAS AQUÍFEROS - GERAL
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
EQUAÇÕES DO BALANÇO HÍDRICO
BALANÇO HÍDRICO NA SUPERFÍCIE DO SOLO
Precipitação - Escoamento - Abstrações Iniciais = Infiltração
BALANÇO HÍDRICO NA ZONA DE AERAÇÃO DO SOLO
Infiltração - Evapotranspiração - Interflow = Recarga ± DVol
BALANÇO HÍDRICO DA RESERVA RENOVÁVEL
Recarga - Fluxo de Base = ± DVol
DVol = 0, no longo termo
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
PASSOS METODOLÓGICOS
ESTUDOS
HIDROLÓGICOS
ESTUDOS
HIDROGEOLÓGICOS
AVALIAÇÃO DAS DISPONIBILIDADES
HÍDRICAS
CÁLCULO DA NECESSIDADE
DE REGA
DEMANDAS DE OUTROS
USUÁRIOS
CÁLCULO DA DEMANDA DO
EMPREENDIMENTO
COTEJO
DISPONIBILIDADES HÍDRICAS X DEMANDA
DIAGNÓSTICO E PROGNÓSTICO
DO USO DA ÁGUA
PLANEJAMENTO DE OBRAS
GERENCIAMENTO DA OPERAÇÃO EM
TEMPO REAL
COTEJO OFERTA HÍDRICA VERSUS DEMANDA
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
AVALIAÇÃO DE DISPONIBILIDADES HÍDRICAS
ESTAÇÕES FLUVIOMÉTRICAS NO TRIÂNGULO MINEIRO
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
REGISTRO DAS ESTAÇÕES FLUVIOMÉTRICAS
- REGIME DOS CURSOS DE ÁGUA -
0
500
1000
1500
2000
2500
3000
3500
1/1/1973
1/1/1974
1/1/1975
1/1/1976
12/31/1976
12/31/1977
12/31/1978
12/31/1979
12/30/1980
12/30/1981
12/30/1982
12/30/1983
12/29/1984
12/29/1985
12/29/1986
12/29/1987
12/28/1988
12/28/1989
12/28/1990
12/28/1991
12/27/1992
12/27/1993
12/27/1994
12/27/1995
12/26/1996
12/26/1997
12/26/1998
12/26/1999
12/25/2000
12/25/2001
12/25/2002
12/25/2003
12/24/2004
12/24/2005
12/24/2006
12/24/2007
Vazão(m³/s).
Data
Estação Fluviométrica Rio Palma em Rio da
Palma
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
VARIAÇÃO SAZONAL DAS VAZÕES DOS CURSOS DE ÁGUA
CHEIAS
ESTIAGENS
Os valores máximos das cheias e os mínimos das estiagens dependem das
características físicas das bacias hidrográficas e das condições de uso e
ocupação do solo
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
REGIMES DIFERENCIADOS DE CURSOS DE ÁGUA
BACIA DO RIO UBERABA
BACIA DO RIO CLARO
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
ANÁLISE ESTATÍSTICA DAS VAZÕES DE ESTIAGEM
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
AVALIAÇÃO DE DISPONIBILIDADES HÍDRICAS
0
1
10
100
01/10/77 19/04/78 05/11/78 24/05/79 10/12/79 27/06/80 13/01/81 01/08/81
Data
Vazão(m³/s)
Vazão de Demanda
Fluxo Residual
DEMANDA INFERIOR ÀS VAZÕES MÍNIMAS DE ESTIAGEM  CAPTAÇÃO A FIO-D’ÁGUA
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
AVALIAÇÃO DE DISPONIBILIDADES HÍDRICAS
DEMANDA SUPERIOR ÀS VAZÕES MÍNIMAS DE ESTIAGEM  RESERVATÓRIO DE REGULARIZAÇÃO
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
RESERVATÓRIO DE REGULARIZAÇÃO
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA – ESTUDO DE CASO
BACIA DO RIO CLARO - UBERABA
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
SIMULAÇÃO DINÂMICA DA
ALOCAÇÃO DO USO DA ÁGUA
NA BACIA
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
Referência: Moreira (2013)
OCUPAÇÃO DA BACIA E USO DA ÁGUA
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
IMPACTO DO USO DA ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO – SUDOESTE DA BAHIA
0
100
200
300
400
500
600
700
1/1/1977
1/1/1978
1/1/1979
1/1/1980
12/31/1980
12/31/1981
12/31/1982
12/31/1983
12/30/1984
12/30/1985
12/30/1986
12/30/1987
12/29/1988
12/29/1989
12/29/1990
12/29/1991
12/28/1992
12/28/1993
12/28/1994
12/28/1995
12/27/1996
12/27/1997
12/27/1998
12/27/1999
12/26/2000
12/26/2001
12/26/2002
12/26/2003
12/25/2004
12/25/2005
12/25/2006
12/25/2007
12/24/2008
12/24/2009
12/24/2010
12/24/2011
12/23/2012
12/23/2013
Vazão(m³/s).
Data
Estação Fluviométrico Rio Grande em São Sebastião
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
OBRAS DE INFRAESTRUTURA HÍDRICA
BARRAGENS E CANAIS
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
LEI FEDERAL No. 9.433 DE 08.01.1997
Instituiu a Política e o Sistema Nacional de Recursos Hídricos.
Fundamentos básicos:
• A água é um bem de domínio público;
• Em situações de escassez, o uso prioritário dos recursos hídricos é o
consumo humano e a dessedentação de animais;
• A gestão dos recursos hídricos deve proporcionar o uso múltiplo das
águas;
• A água é um recurso natural limitado, dotado de valor econômico;
• A bacia hidrográfica é a unidade territorial para a implementação da
Política Nacional de Recursos Hídricos;
• A gestão dos recursos hídricos deve ser descentralizada e contar com a
participação do Poder Público, dos usuários e das comunidades.
A GESTÃO DAS ÁGUAS NO BRASIL
- ASPECTOS LEGAIS E INSTITUCIONAIS -
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
A GESTÃO DAS ÁGUAS NO BRASIL
- ASPECTOS LEGAIS E INSTITUCIONAIS -
LEI FEDERAL No. 9.433 DE 08.01.1997
Instrumentos:
• Planos de Recursos Hídricos;
• Enquadramento dos corpos de água em classes, segundo os usos
preponderantes das águas;
• Outorga dos direitos de uso dos recursos hídricos;
• Cobrança pelo uso de recursos hídricos;
• Compensação a municípios (vetado);
• Sistema de informações sobre recursos hídricos.
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
SISTEMA NACIONAL DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
IGAM – Instituto Mineiro de Gestão das Águas
Limites para derivação:
• Captação a fio-d’água: 50 % ou 30% da vazão
mínima Q7,10
• Reservatório de regularização: capacidade do
volume útil com manutenção de fluxo residual
mínimo igual a 70% da vazão mínima Q7,10.
GESTÃO DAS ÁGUAS EM MINAS GERAIS
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
A CRISE HÍDRICA DO ANO 2015
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
A GESTÃO DA CRISE HÍDRICA POR INSTRUMENTOS LEGAIS
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
• A região do Cerrado apresenta condições
favoráveis para a agricultura;
• Existe potencial para a prática da agricultura
irrigada na região do Cerrado;
• Entretanto, a disponibilidade de terras
agricultáveis é superior à disponibilidade de
água;
• O aproveitamento das águas deve ser feito de
forma integrada entre os recursos superficiais
e subterrâneos.
COMENTÁRIOS GERAIS
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
• O conhecimento sobre as ofertas hídricas
ainda é precário na região do Cerrado;
• Falta monitoramento das vazões naturais e
das vazões captadas;
• Nos planos de bacias hidrográficas, é
importante a previsão das obras de
infraestrutura hídrica;
• É necessária a inclusão dos usos para irrigação
nos planos de bacias hidrográficas.
COMENTÁRIOS GERAIS
INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br
MÁRIO CICARELI PINHEIRO
Engenheiro Civil, especializado em Obras Hidráulicas (UFRJ, 1977).
Mestrado e Doutorado pela COPPE/UFRJ.
Engenheiro da CEMIG, Chefe da Divisão de Hidrometeorologia Operacional (1979
a 1986).
Diretor da empresa HIDROSISTEMAS Engenharia de Recursos Hídricos Ltda.
(1986 a 1989).
Diretor do DMAE – Monte Carmelo, Departamento Municipal de Água e Esgotos
(1989 a 1990).
Professor Adjunto da Escola de Engenharia da UFMG (1990 em diante).
Diretor da empresa POTAMOS Engenharia e Hidrologia Ltda. (1993 em diante).
Endereço: mario.cicareli@potamos.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Agricultura de Precisão
Agricultura de PrecisãoAgricultura de Precisão
Agricultura de Precisão
Portal Canal Rural
 
Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3
UERGS
 
Aula código florestal atual
Aula código florestal atualAula código florestal atual
Aula código florestal atual
João Alfredo Telles Melo
 
Irrigação
IrrigaçãoIrrigação
Irrigação
Dil J. Messias
 
Apostila fruticultura
Apostila fruticulturaApostila fruticultura
Apostila fruticultura
Rogger Wins
 
Agricultura no Brasil
Agricultura no BrasilAgricultura no Brasil
Agricultura no Brasil
Vanessa Albano
 
Aula código florestal
Aula código florestalAula código florestal
Aula código florestal
João Alfredo Telles Melo
 
Origem da agricultura e revolução verde
Origem da agricultura e revolução verdeOrigem da agricultura e revolução verde
Origem da agricultura e revolução verde
igor-oliveira
 
Hidrosfera
HidrosferaHidrosfera
Hidrosfera
profleofonseca
 
Sistemas agroflorestal ( safs )
Sistemas agroflorestal ( safs )Sistemas agroflorestal ( safs )
Sistemas agroflorestal ( safs )
Murphy Cooper
 
Sistemas Agrícolas
Sistemas AgrícolasSistemas Agrícolas
Sistemas Agrícolas
joao paulo
 
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdfAULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
ClaudiaSiano
 
Silvicultura
SilviculturaSilvicultura
Silvicultura
Taís Leandro
 
Apresentação cultivo protegido
Apresentação   cultivo protegidoApresentação   cultivo protegido
Apresentação cultivo protegido
Andrei Sampedro
 
Lei nº 9.433 de 1997 recursos hidricos
Lei nº 9.433 de 1997   recursos hidricosLei nº 9.433 de 1997   recursos hidricos
Lei nº 9.433 de 1997 recursos hidricos
lino1250
 
A Agricultura
A AgriculturaA Agricultura
A Agricultura
Diogo Mateus
 
O Agronegócio Brasileiro
O Agronegócio BrasileiroO Agronegócio Brasileiro
O Agronegócio Brasileiro
Lucas Maciel Gomes Olini
 
Influência de fatores climáticos na agricultura
Influência de fatores climáticos na agriculturaInfluência de fatores climáticos na agricultura
Influência de fatores climáticos na agricultura
Geagra UFG
 
Revolução verde, transgênico e agronegócio
Revolução verde, transgênico e agronegócioRevolução verde, transgênico e agronegócio
Revolução verde, transgênico e agronegócio
João José Ferreira Tojal
 
Recuperação, conservação e preservação de nascentes
Recuperação, conservação e preservação de nascentesRecuperação, conservação e preservação de nascentes
Recuperação, conservação e preservação de nascentes
CBH Rio das Velhas
 

Mais procurados (20)

Agricultura de Precisão
Agricultura de PrecisãoAgricultura de Precisão
Agricultura de Precisão
 
Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3Evolução da agricultura aula 3
Evolução da agricultura aula 3
 
Aula código florestal atual
Aula código florestal atualAula código florestal atual
Aula código florestal atual
 
Irrigação
IrrigaçãoIrrigação
Irrigação
 
Apostila fruticultura
Apostila fruticulturaApostila fruticultura
Apostila fruticultura
 
Agricultura no Brasil
Agricultura no BrasilAgricultura no Brasil
Agricultura no Brasil
 
Aula código florestal
Aula código florestalAula código florestal
Aula código florestal
 
Origem da agricultura e revolução verde
Origem da agricultura e revolução verdeOrigem da agricultura e revolução verde
Origem da agricultura e revolução verde
 
Hidrosfera
HidrosferaHidrosfera
Hidrosfera
 
Sistemas agroflorestal ( safs )
Sistemas agroflorestal ( safs )Sistemas agroflorestal ( safs )
Sistemas agroflorestal ( safs )
 
Sistemas Agrícolas
Sistemas AgrícolasSistemas Agrícolas
Sistemas Agrícolas
 
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdfAULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
 
Silvicultura
SilviculturaSilvicultura
Silvicultura
 
Apresentação cultivo protegido
Apresentação   cultivo protegidoApresentação   cultivo protegido
Apresentação cultivo protegido
 
Lei nº 9.433 de 1997 recursos hidricos
Lei nº 9.433 de 1997   recursos hidricosLei nº 9.433 de 1997   recursos hidricos
Lei nº 9.433 de 1997 recursos hidricos
 
A Agricultura
A AgriculturaA Agricultura
A Agricultura
 
O Agronegócio Brasileiro
O Agronegócio BrasileiroO Agronegócio Brasileiro
O Agronegócio Brasileiro
 
Influência de fatores climáticos na agricultura
Influência de fatores climáticos na agriculturaInfluência de fatores climáticos na agricultura
Influência de fatores climáticos na agricultura
 
Revolução verde, transgênico e agronegócio
Revolução verde, transgênico e agronegócioRevolução verde, transgênico e agronegócio
Revolução verde, transgênico e agronegócio
 
Recuperação, conservação e preservação de nascentes
Recuperação, conservação e preservação de nascentesRecuperação, conservação e preservação de nascentes
Recuperação, conservação e preservação de nascentes
 

Destaque

recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
Nilton Goulart
 
Aula- Recursos hídricos- Exercícios comentados
Aula- Recursos hídricos- Exercícios comentadosAula- Recursos hídricos- Exercícios comentados
Aula- Recursos hídricos- Exercícios comentados
joao paulo
 
Cartilha quebra vento
Cartilha quebra ventoCartilha quebra vento
Cartilha quebra vento
caslemos24
 
Aula8
Aula8Aula8
Perfil Desenhado
Perfil DesenhadoPerfil Desenhado
Perfil Desenhado
Paloma Guimarães
 
Qualidade total em manejo de pastagens
Qualidade total em manejo de pastagensQualidade total em manejo de pastagens
Qualidade total em manejo de pastagens
Josmar Almeida Junior
 
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
AgroTalento
 
Aula de interação dos elementos do clima com os fatores do clima
Aula de interação dos elementos do clima com os fatores do climaAula de interação dos elementos do clima com os fatores do clima
Aula de interação dos elementos do clima com os fatores do clima
Gabriel Lecoque Francisco
 
Utilizando o DRIA-0111: Agrometeorologia dos Cultivares:
Utilizando o DRIA-0111: Agrometeorologia dos Cultivares: Utilizando o DRIA-0111: Agrometeorologia dos Cultivares:
Utilizando o DRIA-0111: Agrometeorologia dos Cultivares:
Luis Andia
 
Planejamento forrageiro das áreas de pastagem Fazenda Sta Inês
Planejamento forrageiro das áreas de pastagem Fazenda Sta InêsPlanejamento forrageiro das áreas de pastagem Fazenda Sta Inês
Planejamento forrageiro das áreas de pastagem Fazenda Sta Inês
Josmar Almeida Junior
 
Ventos
VentosVentos
Ventos
CarlosWagner
 
Irrigação revisão e 2 bim 2013
Irrigação revisão e 2 bim 2013Irrigação revisão e 2 bim 2013
Irrigação revisão e 2 bim 2013
IF Baiano - Campus Catu
 
Aula_Evapotraspiração
Aula_EvapotraspiraçãoAula_Evapotraspiração
Aula_Evapotraspiração
CarlosWagner
 
[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem
[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem
[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem
AgroTalento
 
Evapotranspiracao
EvapotranspiracaoEvapotranspiracao
Evapotranspiracao
Gilson Adao
 
Orientações inad semana saúde na escola 2013_04_03
Orientações inad semana saúde na escola 2013_04_03Orientações inad semana saúde na escola 2013_04_03
Orientações inad semana saúde na escola 2013_04_03
Cre Educação
 
Rafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - FenaçãoRafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique Reis
 
Ecofisiologia de plantas forrageiras
Ecofisiologia de plantas forrageirasEcofisiologia de plantas forrageiras
Ecofisiologia de plantas forrageiras
Daniel Staciarini Corrêa
 
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuáriaLeguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Daniel Staciarini Corrêa
 
Apostila implementos preparo de solo
Apostila implementos preparo de soloApostila implementos preparo de solo
Apostila implementos preparo de solo
Luiz Oliveira
 

Destaque (20)

recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
 
Aula- Recursos hídricos- Exercícios comentados
Aula- Recursos hídricos- Exercícios comentadosAula- Recursos hídricos- Exercícios comentados
Aula- Recursos hídricos- Exercícios comentados
 
Cartilha quebra vento
Cartilha quebra ventoCartilha quebra vento
Cartilha quebra vento
 
Aula8
Aula8Aula8
Aula8
 
Perfil Desenhado
Perfil DesenhadoPerfil Desenhado
Perfil Desenhado
 
Qualidade total em manejo de pastagens
Qualidade total em manejo de pastagensQualidade total em manejo de pastagens
Qualidade total em manejo de pastagens
 
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
 
Aula de interação dos elementos do clima com os fatores do clima
Aula de interação dos elementos do clima com os fatores do climaAula de interação dos elementos do clima com os fatores do clima
Aula de interação dos elementos do clima com os fatores do clima
 
Utilizando o DRIA-0111: Agrometeorologia dos Cultivares:
Utilizando o DRIA-0111: Agrometeorologia dos Cultivares: Utilizando o DRIA-0111: Agrometeorologia dos Cultivares:
Utilizando o DRIA-0111: Agrometeorologia dos Cultivares:
 
Planejamento forrageiro das áreas de pastagem Fazenda Sta Inês
Planejamento forrageiro das áreas de pastagem Fazenda Sta InêsPlanejamento forrageiro das áreas de pastagem Fazenda Sta Inês
Planejamento forrageiro das áreas de pastagem Fazenda Sta Inês
 
Ventos
VentosVentos
Ventos
 
Irrigação revisão e 2 bim 2013
Irrigação revisão e 2 bim 2013Irrigação revisão e 2 bim 2013
Irrigação revisão e 2 bim 2013
 
Aula_Evapotraspiração
Aula_EvapotraspiraçãoAula_Evapotraspiração
Aula_Evapotraspiração
 
[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem
[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem
[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem
 
Evapotranspiracao
EvapotranspiracaoEvapotranspiracao
Evapotranspiracao
 
Orientações inad semana saúde na escola 2013_04_03
Orientações inad semana saúde na escola 2013_04_03Orientações inad semana saúde na escola 2013_04_03
Orientações inad semana saúde na escola 2013_04_03
 
Rafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - FenaçãoRafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - Fenação
 
Ecofisiologia de plantas forrageiras
Ecofisiologia de plantas forrageirasEcofisiologia de plantas forrageiras
Ecofisiologia de plantas forrageiras
 
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuáriaLeguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
 
Apostila implementos preparo de solo
Apostila implementos preparo de soloApostila implementos preparo de solo
Apostila implementos preparo de solo
 

Semelhante a Importância dos Recursos Hídricos para a Produçãod e Alimentos e Gestão das Águas para Agricultura - Fenicafé 2015

A origem das aguas
A origem das aguasA origem das aguas
A origem das aguas
Pessoal
 
Plenaria - Status Projetos Hidroambientais
Plenaria  - Status Projetos HidroambientaisPlenaria  - Status Projetos Hidroambientais
Plenaria - Status Projetos Hidroambientais
CBH Rio das Velhas
 
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdfDiagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
EdineiaKoelerGege
 
Legislação ambiental e a proteção dos recursos hídricos
Legislação ambiental e a proteção dos recursos hídricosLegislação ambiental e a proteção dos recursos hídricos
Legislação ambiental e a proteção dos recursos hídricos
nucleosul2svma
 
Situação dos projetos executados - Agência Peixe Vivo
Situação dos projetos executados - Agência Peixe VivoSituação dos projetos executados - Agência Peixe Vivo
Situação dos projetos executados - Agência Peixe Vivo
CBH Rio das Velhas
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
Nilton Goulart
 
Gestao rh aula1
Gestao rh aula1Gestao rh aula1
Gestao rh aula1
Alfonso Gómez Paiva
 
Trabalho sobre a lei 9433 97
Trabalho sobre a lei 9433 97Trabalho sobre a lei 9433 97
Trabalho sobre a lei 9433 97
THIAGO_12
 
Compatibilizando os Usos da Água, por Osman Fernandes da Silva, Agência Nacio...
Compatibilizando os Usos da Água, por Osman Fernandes da Silva, Agência Nacio...Compatibilizando os Usos da Água, por Osman Fernandes da Silva, Agência Nacio...
Compatibilizando os Usos da Água, por Osman Fernandes da Silva, Agência Nacio...
Instituto Besc
 
Termo de Cooperação para solução do conflito pelo uso da água na bacia do rib...
Termo de Cooperação para solução do conflito pelo uso da água na bacia do rib...Termo de Cooperação para solução do conflito pelo uso da água na bacia do rib...
Termo de Cooperação para solução do conflito pelo uso da água na bacia do rib...
CBH Rio das Velhas
 
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
Anne Bezerra
 
Situação dos projetos executados com recursos da cobrança - Agência Peixe Viv...
Situação dos projetos executados com recursos da cobrança - Agência Peixe Viv...Situação dos projetos executados com recursos da cobrança - Agência Peixe Viv...
Situação dos projetos executados com recursos da cobrança - Agência Peixe Viv...
CBH Rio das Velhas
 
Aula 1-2023-Rev.01.pdf
Aula 1-2023-Rev.01.pdfAula 1-2023-Rev.01.pdf
Aula 1-2023-Rev.01.pdf
Marco Antonio Jacomazzi
 
Analise gestao recursos_hidricos_brasil_1
Analise gestao recursos_hidricos_brasil_1Analise gestao recursos_hidricos_brasil_1
Analise gestao recursos_hidricos_brasil_1
gbruck53
 
Água
Água   Água
Seminário BID - Construção Verde no Brasil, Edificações e Espaços Públicos Ma...
Seminário BID - Construção Verde no Brasil, Edificações e Espaços Públicos Ma...Seminário BID - Construção Verde no Brasil, Edificações e Espaços Públicos Ma...
Seminário BID - Construção Verde no Brasil, Edificações e Espaços Públicos Ma...
Fluxus Design Ecológico
 
Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito
Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito
Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito
CBH Rio das Velhas
 
Bacia hidrográfica do rio doce
Bacia hidrográfica do rio doceBacia hidrográfica do rio doce
Apresentação AGB Peixe Vivo - Plenária CBH Rio São Francisco - 4 e 5 jul - BH
Apresentação AGB Peixe Vivo - Plenária CBH Rio São Francisco - 4 e 5 jul - BHApresentação AGB Peixe Vivo - Plenária CBH Rio São Francisco - 4 e 5 jul - BH
Apresentação AGB Peixe Vivo - Plenária CBH Rio São Francisco - 4 e 5 jul - BH
Agência Peixe Vivo
 
Mineração de água copia
Mineração de água   copiaMineração de água   copia
Mineração de água copia
Jonathan Muller
 

Semelhante a Importância dos Recursos Hídricos para a Produçãod e Alimentos e Gestão das Águas para Agricultura - Fenicafé 2015 (20)

A origem das aguas
A origem das aguasA origem das aguas
A origem das aguas
 
Plenaria - Status Projetos Hidroambientais
Plenaria  - Status Projetos HidroambientaisPlenaria  - Status Projetos Hidroambientais
Plenaria - Status Projetos Hidroambientais
 
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdfDiagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
 
Legislação ambiental e a proteção dos recursos hídricos
Legislação ambiental e a proteção dos recursos hídricosLegislação ambiental e a proteção dos recursos hídricos
Legislação ambiental e a proteção dos recursos hídricos
 
Situação dos projetos executados - Agência Peixe Vivo
Situação dos projetos executados - Agência Peixe VivoSituação dos projetos executados - Agência Peixe Vivo
Situação dos projetos executados - Agência Peixe Vivo
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
 
Gestao rh aula1
Gestao rh aula1Gestao rh aula1
Gestao rh aula1
 
Trabalho sobre a lei 9433 97
Trabalho sobre a lei 9433 97Trabalho sobre a lei 9433 97
Trabalho sobre a lei 9433 97
 
Compatibilizando os Usos da Água, por Osman Fernandes da Silva, Agência Nacio...
Compatibilizando os Usos da Água, por Osman Fernandes da Silva, Agência Nacio...Compatibilizando os Usos da Água, por Osman Fernandes da Silva, Agência Nacio...
Compatibilizando os Usos da Água, por Osman Fernandes da Silva, Agência Nacio...
 
Termo de Cooperação para solução do conflito pelo uso da água na bacia do rib...
Termo de Cooperação para solução do conflito pelo uso da água na bacia do rib...Termo de Cooperação para solução do conflito pelo uso da água na bacia do rib...
Termo de Cooperação para solução do conflito pelo uso da água na bacia do rib...
 
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
 
Situação dos projetos executados com recursos da cobrança - Agência Peixe Viv...
Situação dos projetos executados com recursos da cobrança - Agência Peixe Viv...Situação dos projetos executados com recursos da cobrança - Agência Peixe Viv...
Situação dos projetos executados com recursos da cobrança - Agência Peixe Viv...
 
Aula 1-2023-Rev.01.pdf
Aula 1-2023-Rev.01.pdfAula 1-2023-Rev.01.pdf
Aula 1-2023-Rev.01.pdf
 
Analise gestao recursos_hidricos_brasil_1
Analise gestao recursos_hidricos_brasil_1Analise gestao recursos_hidricos_brasil_1
Analise gestao recursos_hidricos_brasil_1
 
Água
Água   Água
Água
 
Seminário BID - Construção Verde no Brasil, Edificações e Espaços Públicos Ma...
Seminário BID - Construção Verde no Brasil, Edificações e Espaços Públicos Ma...Seminário BID - Construção Verde no Brasil, Edificações e Espaços Públicos Ma...
Seminário BID - Construção Verde no Brasil, Edificações e Espaços Públicos Ma...
 
Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito
Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito
Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito
 
Bacia hidrográfica do rio doce
Bacia hidrográfica do rio doceBacia hidrográfica do rio doce
Bacia hidrográfica do rio doce
 
Apresentação AGB Peixe Vivo - Plenária CBH Rio São Francisco - 4 e 5 jul - BH
Apresentação AGB Peixe Vivo - Plenária CBH Rio São Francisco - 4 e 5 jul - BHApresentação AGB Peixe Vivo - Plenária CBH Rio São Francisco - 4 e 5 jul - BH
Apresentação AGB Peixe Vivo - Plenária CBH Rio São Francisco - 4 e 5 jul - BH
 
Mineração de água copia
Mineração de água   copiaMineração de água   copia
Mineração de água copia
 

Mais de Revista Cafeicultura

Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdfPanaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Revista Cafeicultura
 
Acb denuncia tc e mm 2019
Acb denuncia  tc e mm 2019Acb denuncia  tc e mm 2019
Acb denuncia tc e mm 2019
Revista Cafeicultura
 
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Revista Cafeicultura
 
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagensGotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Revista Cafeicultura
 
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
Revista Cafeicultura
 
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Revista Cafeicultura
 
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio Heitor Cantarella IAC
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio  Heitor Cantarella  IACAdubação do cafeeiro: Nitrogênio  Heitor Cantarella  IAC
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio Heitor Cantarella IAC
Revista Cafeicultura
 
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico Eng Agr José Br...
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico  Eng Agr José Br...Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico  Eng Agr José Br...
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico Eng Agr José Br...
Revista Cafeicultura
 
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Revista Cafeicultura
 
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Revista Cafeicultura
 
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Revista Cafeicultura
 
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Revista Cafeicultura
 
Fernando cunha Palestra fale melhor e venda mais
Fernando cunha  Palestra fale melhor e venda maisFernando cunha  Palestra fale melhor e venda mais
Fernando cunha Palestra fale melhor e venda mais
Revista Cafeicultura
 
Cecafé Relatório das Exportações de café mensal-janeiro-2019
Cecafé Relatório das  Exportações de café mensal-janeiro-2019Cecafé Relatório das  Exportações de café mensal-janeiro-2019
Cecafé Relatório das Exportações de café mensal-janeiro-2019
Revista Cafeicultura
 
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Revista Cafeicultura
 
Regulamento Cup of Excellence 2018
Regulamento Cup of Excellence 2018Regulamento Cup of Excellence 2018
Regulamento Cup of Excellence 2018
Revista Cafeicultura
 
Uso racional da água na agricultura
Uso racional da água na agriculturaUso racional da água na agricultura
Uso racional da água na agricultura
Revista Cafeicultura
 
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-caféCampanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Revista Cafeicultura
 
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Revista Cafeicultura
 
Roberto Felicor Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Roberto Felicor  Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...Roberto Felicor  Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Roberto Felicor Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Revista Cafeicultura
 

Mais de Revista Cafeicultura (20)

Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdfPanaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
Panaroma da Cafeicultura do Planalto da Conquista 2023-2024 e 2024-2025.pdf
 
Acb denuncia tc e mm 2019
Acb denuncia  tc e mm 2019Acb denuncia  tc e mm 2019
Acb denuncia tc e mm 2019
 
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
Cup of Excellence - 2019 resultado-final (1)
 
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagensGotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
Gotejo enterrado na cafeicultura, vantagens e desvantagens
 
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
CIRCULAR SUP/ADIG N° 41/2019-BNDES Programa BNDES para Composição de Dívidas ...
 
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
Novas cultivares de café: resistência aos fatores bióticos e abióticos e qual...
 
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio Heitor Cantarella IAC
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio  Heitor Cantarella  IACAdubação do cafeeiro: Nitrogênio  Heitor Cantarella  IAC
Adubação do cafeeiro: Nitrogênio Heitor Cantarella IAC
 
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico Eng Agr José Br...
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico  Eng Agr José Br...Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico  Eng Agr José Br...
Ferrugem do Cafeeiro no Brasil - Evolução e controle químico Eng Agr José Br...
 
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
Técnicas para melhorar a fração biológica do solo para a utilização na cafeic...
 
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
Como construir o perfil do solo e os benefícios fisiológicos na planta ng. ag...
 
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
Tecnologia: Modernidade operacional da cafeicultura do Futuro Dr. rouverson p...
 
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
Do viveiro ao campo: Manejo e identificação dos principais nematoides do cafe...
 
Fernando cunha Palestra fale melhor e venda mais
Fernando cunha  Palestra fale melhor e venda maisFernando cunha  Palestra fale melhor e venda mais
Fernando cunha Palestra fale melhor e venda mais
 
Cecafé Relatório das Exportações de café mensal-janeiro-2019
Cecafé Relatório das  Exportações de café mensal-janeiro-2019Cecafé Relatório das  Exportações de café mensal-janeiro-2019
Cecafé Relatório das Exportações de café mensal-janeiro-2019
 
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
Resultado da fase da Pré-Seleção do Cup of Excellence - Brazil Excellence - B...
 
Regulamento Cup of Excellence 2018
Regulamento Cup of Excellence 2018Regulamento Cup of Excellence 2018
Regulamento Cup of Excellence 2018
 
Uso racional da água na agricultura
Uso racional da água na agriculturaUso racional da água na agricultura
Uso racional da água na agricultura
 
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-caféCampanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
Campanha de combate a Broca-do-café - Vazio Sanitário da broca-do-café
 
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
Panorama macroeconômico do Brasil em Outubro de 2017
 
Roberto Felicor Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Roberto Felicor  Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...Roberto Felicor  Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
Roberto Felicor Coocatrel Estratégias para um manejo sustentável da Broca-do...
 

Último

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 

Último (20)

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 

Importância dos Recursos Hídricos para a Produçãod e Alimentos e Gestão das Águas para Agricultura - Fenicafé 2015

  • 1. XX ENCONTRO NACIONAL DE IRRIGAÇÃO DA CAFEICULTURA DO CERRADO IMPORTÂNCIA DOS RECURSOS HÍDRICOS PARA A PRODUÇÃO DE ALIMENTOS - ASPECTOS DE PLANEJAMENTO E GESTÃO - Eng. Mário Cicareli Pinheiro MARÇO DE 2014
  • 2. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br • A relação SOLO – ÁGUA – PLANTA. • A importância da irrigação: na história da humanidade, no mundo e no Brasil. • As características físicas do Cerrado: clima, topografia, solo. • As ofertas hídricas no Cerrado: águas superficiais e águas subterrâneas. • Cotejo entre oferta e demanda. • As obras de infraestrutura hídrica. • A gestão de águas no Brasil. • Comentários gerais. TEMAS A SEREM ABORDADOS
  • 3. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br RELAÇÕES SOLO-ÁGUA-PLANTA
  • 4. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br DEMANDA DE ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO Referência: Gestão da Água no Regadio, Shakib Shahidian, Universidade de Évora
  • 5. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br A IMPORTÂNCIA DA IRRIGAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE
  • 6. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br A IMPORTÂNCIA DA IRRIGAÇÃO
  • 7. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br IRRIGAÇÃO NO MUNDO E NO BRASIL SITUAÇÃO DO BRASIL ÁREA CULTIVÁVEL  120.000.000 ha ÁREA IRRIGADA  3.500.000 ha ÁREA POTENCIAL PARA IRRIGAÇÃO  29.000.000 ha
  • 8. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br O CONSUMO DE ÁGUA NA IRRIGAÇÃO
  • 9. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br O CONCEITO DE PEGADA HÍDRICA
  • 10. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br CARACTERÍSTICAS CLIMATOLÓGICAS DO CERRADO
  • 11. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br OS SOLOS DO TRIÂNGULO MINEIRO
  • 12. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br O RELEVO DO TRIÂNGULO MINEIRO
  • 13. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br ASPECTOS FÍSIOGRÁFICOS NA REGIÃO DE ARAGUARI
  • 14. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br PRECIPITAÇÃO MÉDIA NO TRIÂNGULO MINEIRO Fonte: EPAMIG
  • 15. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br DADOS CLIMATOLÓGICOS DE UBERABA
  • 16. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br BALANÇO HÍDRICO – ESTAÇÃO CLIMATOLÓGICA DE PATROCÍNIO
  • 17. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br BALANÇO HÍDRICO – ESTAÇÃO CLIMATOLÓGICA DE PATROCÍNIO
  • 18. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br OFERTAS HÍDRICAS – CICLO HIDROLÓGICO
  • 19. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br OFERTAS HÍDRICAS
  • 20. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br O CICLO HIDROLÓGICO NA BACIA HIDROGRÁFICA
  • 21. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS
  • 22. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br BACIA HIDROGRÁFICA TÍPICA DO CERRADO
  • 23. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br OCORRÊNCIA DE ÁGUA SUBTERRÂNEA
  • 24. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br ÁGUA SUBTERRÂNEA E AS NASCENTES E CURSOS DE ÁGUA
  • 25. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br VEREDA TÍPICA
  • 26. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br MORFOLOGIA DOS CURSOS DE ÁGUA NAS CHAPADAS DE TERRENOS ARENOSOS Fonte: Boaventura, 2007.
  • 27. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br Fonte: Boaventura, 2007
  • 28. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br BALANÇO HÍDRICO DE SISTEMAS AQUÍFEROS - GERAL
  • 29. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br EQUAÇÕES DO BALANÇO HÍDRICO BALANÇO HÍDRICO NA SUPERFÍCIE DO SOLO Precipitação - Escoamento - Abstrações Iniciais = Infiltração BALANÇO HÍDRICO NA ZONA DE AERAÇÃO DO SOLO Infiltração - Evapotranspiração - Interflow = Recarga ± DVol BALANÇO HÍDRICO DA RESERVA RENOVÁVEL Recarga - Fluxo de Base = ± DVol DVol = 0, no longo termo
  • 30. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br PASSOS METODOLÓGICOS ESTUDOS HIDROLÓGICOS ESTUDOS HIDROGEOLÓGICOS AVALIAÇÃO DAS DISPONIBILIDADES HÍDRICAS CÁLCULO DA NECESSIDADE DE REGA DEMANDAS DE OUTROS USUÁRIOS CÁLCULO DA DEMANDA DO EMPREENDIMENTO COTEJO DISPONIBILIDADES HÍDRICAS X DEMANDA DIAGNÓSTICO E PROGNÓSTICO DO USO DA ÁGUA PLANEJAMENTO DE OBRAS GERENCIAMENTO DA OPERAÇÃO EM TEMPO REAL COTEJO OFERTA HÍDRICA VERSUS DEMANDA
  • 31. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br AVALIAÇÃO DE DISPONIBILIDADES HÍDRICAS ESTAÇÕES FLUVIOMÉTRICAS NO TRIÂNGULO MINEIRO
  • 32. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br REGISTRO DAS ESTAÇÕES FLUVIOMÉTRICAS - REGIME DOS CURSOS DE ÁGUA - 0 500 1000 1500 2000 2500 3000 3500 1/1/1973 1/1/1974 1/1/1975 1/1/1976 12/31/1976 12/31/1977 12/31/1978 12/31/1979 12/30/1980 12/30/1981 12/30/1982 12/30/1983 12/29/1984 12/29/1985 12/29/1986 12/29/1987 12/28/1988 12/28/1989 12/28/1990 12/28/1991 12/27/1992 12/27/1993 12/27/1994 12/27/1995 12/26/1996 12/26/1997 12/26/1998 12/26/1999 12/25/2000 12/25/2001 12/25/2002 12/25/2003 12/24/2004 12/24/2005 12/24/2006 12/24/2007 Vazão(m³/s). Data Estação Fluviométrica Rio Palma em Rio da Palma
  • 33. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br VARIAÇÃO SAZONAL DAS VAZÕES DOS CURSOS DE ÁGUA CHEIAS ESTIAGENS Os valores máximos das cheias e os mínimos das estiagens dependem das características físicas das bacias hidrográficas e das condições de uso e ocupação do solo
  • 34. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br REGIMES DIFERENCIADOS DE CURSOS DE ÁGUA BACIA DO RIO UBERABA BACIA DO RIO CLARO
  • 35. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br ANÁLISE ESTATÍSTICA DAS VAZÕES DE ESTIAGEM
  • 36. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br AVALIAÇÃO DE DISPONIBILIDADES HÍDRICAS 0 1 10 100 01/10/77 19/04/78 05/11/78 24/05/79 10/12/79 27/06/80 13/01/81 01/08/81 Data Vazão(m³/s) Vazão de Demanda Fluxo Residual DEMANDA INFERIOR ÀS VAZÕES MÍNIMAS DE ESTIAGEM  CAPTAÇÃO A FIO-D’ÁGUA
  • 37. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br AVALIAÇÃO DE DISPONIBILIDADES HÍDRICAS DEMANDA SUPERIOR ÀS VAZÕES MÍNIMAS DE ESTIAGEM  RESERVATÓRIO DE REGULARIZAÇÃO
  • 38. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br RESERVATÓRIO DE REGULARIZAÇÃO
  • 39. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA – ESTUDO DE CASO BACIA DO RIO CLARO - UBERABA
  • 40. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br SIMULAÇÃO DINÂMICA DA ALOCAÇÃO DO USO DA ÁGUA NA BACIA
  • 41. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br Referência: Moreira (2013) OCUPAÇÃO DA BACIA E USO DA ÁGUA
  • 42. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br IMPACTO DO USO DA ÁGUA PARA IRRIGAÇÃO – SUDOESTE DA BAHIA 0 100 200 300 400 500 600 700 1/1/1977 1/1/1978 1/1/1979 1/1/1980 12/31/1980 12/31/1981 12/31/1982 12/31/1983 12/30/1984 12/30/1985 12/30/1986 12/30/1987 12/29/1988 12/29/1989 12/29/1990 12/29/1991 12/28/1992 12/28/1993 12/28/1994 12/28/1995 12/27/1996 12/27/1997 12/27/1998 12/27/1999 12/26/2000 12/26/2001 12/26/2002 12/26/2003 12/25/2004 12/25/2005 12/25/2006 12/25/2007 12/24/2008 12/24/2009 12/24/2010 12/24/2011 12/23/2012 12/23/2013 Vazão(m³/s). Data Estação Fluviométrico Rio Grande em São Sebastião
  • 43. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br OBRAS DE INFRAESTRUTURA HÍDRICA BARRAGENS E CANAIS
  • 44. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br LEI FEDERAL No. 9.433 DE 08.01.1997 Instituiu a Política e o Sistema Nacional de Recursos Hídricos. Fundamentos básicos: • A água é um bem de domínio público; • Em situações de escassez, o uso prioritário dos recursos hídricos é o consumo humano e a dessedentação de animais; • A gestão dos recursos hídricos deve proporcionar o uso múltiplo das águas; • A água é um recurso natural limitado, dotado de valor econômico; • A bacia hidrográfica é a unidade territorial para a implementação da Política Nacional de Recursos Hídricos; • A gestão dos recursos hídricos deve ser descentralizada e contar com a participação do Poder Público, dos usuários e das comunidades. A GESTÃO DAS ÁGUAS NO BRASIL - ASPECTOS LEGAIS E INSTITUCIONAIS -
  • 45. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br A GESTÃO DAS ÁGUAS NO BRASIL - ASPECTOS LEGAIS E INSTITUCIONAIS - LEI FEDERAL No. 9.433 DE 08.01.1997 Instrumentos: • Planos de Recursos Hídricos; • Enquadramento dos corpos de água em classes, segundo os usos preponderantes das águas; • Outorga dos direitos de uso dos recursos hídricos; • Cobrança pelo uso de recursos hídricos; • Compensação a municípios (vetado); • Sistema de informações sobre recursos hídricos.
  • 46. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br SISTEMA NACIONAL DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS
  • 47. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br IGAM – Instituto Mineiro de Gestão das Águas Limites para derivação: • Captação a fio-d’água: 50 % ou 30% da vazão mínima Q7,10 • Reservatório de regularização: capacidade do volume útil com manutenção de fluxo residual mínimo igual a 70% da vazão mínima Q7,10. GESTÃO DAS ÁGUAS EM MINAS GERAIS
  • 48. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br A CRISE HÍDRICA DO ANO 2015
  • 49. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br A GESTÃO DA CRISE HÍDRICA POR INSTRUMENTOS LEGAIS
  • 50. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br • A região do Cerrado apresenta condições favoráveis para a agricultura; • Existe potencial para a prática da agricultura irrigada na região do Cerrado; • Entretanto, a disponibilidade de terras agricultáveis é superior à disponibilidade de água; • O aproveitamento das águas deve ser feito de forma integrada entre os recursos superficiais e subterrâneos. COMENTÁRIOS GERAIS
  • 51. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br • O conhecimento sobre as ofertas hídricas ainda é precário na região do Cerrado; • Falta monitoramento das vazões naturais e das vazões captadas; • Nos planos de bacias hidrográficas, é importante a previsão das obras de infraestrutura hídrica; • É necessária a inclusão dos usos para irrigação nos planos de bacias hidrográficas. COMENTÁRIOS GERAIS
  • 52. INTELIGÊNCIA EM RECURSOS HÍDRICOS http://www.potamos.com.br MÁRIO CICARELI PINHEIRO Engenheiro Civil, especializado em Obras Hidráulicas (UFRJ, 1977). Mestrado e Doutorado pela COPPE/UFRJ. Engenheiro da CEMIG, Chefe da Divisão de Hidrometeorologia Operacional (1979 a 1986). Diretor da empresa HIDROSISTEMAS Engenharia de Recursos Hídricos Ltda. (1986 a 1989). Diretor do DMAE – Monte Carmelo, Departamento Municipal de Água e Esgotos (1989 a 1990). Professor Adjunto da Escola de Engenharia da UFMG (1990 em diante). Diretor da empresa POTAMOS Engenharia e Hidrologia Ltda. (1993 em diante). Endereço: mario.cicareli@potamos.com.br