SlideShare uma empresa Scribd logo
Suinocultura
Aula 8. Suinocultura
Sistemas de Produção (Criação):
• Implantação e Planejamento
• Manejo da Reprodução
• Instalações
Aula 8. Suinocultura
Sistemas de Produção (Criação):
Possibilidades:
A-) Ciclo Completo (contempla B+C)
B-) Unidade de Produção de Leitões (UPL)
C-) Unidade de Terminação
D-) Sistema Intensivo de Suínos Criados ao Ar Livre (SISCAL)
Aula 8. Suinocultura
Implantação e Planejamento: Levantar/Avaliar
• Custos de implantação do sistema escolhido
• Tecnologias utilizadas
• Metas de produção (Índices Zootécnicos)
• Mercado (potencial consumidor)
Aula 8. Suinocultura
Implantação e Planejamento:
Aula 8. Suinocultura
Implantação e Planejamento:
Projeto: delinear de acordo com volume gerado de dejetos
Obras: Legislação Federal, Estadual e Municipal (de acordo)
Determinações a serem cumpridas:
Distâncias mínimas: corpos d´águas (rios, açudes, córregos)
Distâncias mínimas: estradas, residências, APP´s
Aula 8. Suinocultura
Implantação e Planejamento:
Aula 8. Suinocultura
Implantação e Planejamento:
• Constituição Federal Brasileira – 1998, Art. 225
• Decreto Federal n° 0750/93 – Mata Atlântica
• Lei Federal n° 9.605/98 – Lei dos Crimes Ambientais, Art. 60
• Decreto Federal n° 24.645 de 10/07/34 e alterações - Código das Águas
• Código Florestal Federal – Lei 4.771/65 e alterações
• Lei Federal 6.766/79 – Disciplinamento do Solo Urbano
• Legislações e Códigos Sanitários Estaduais e Municipais
Aula 8. Suinocultura
Implantação e Planejamento:
Legislações Estaduais e Municipais, geralmente exigem:
1-) Licença Prévia (LP) – que possibilita a instalação do
empreendimento em determinado local
2-) Licença de Instalação (LI) – que faz a análise do projeto
quanto à conformidade com a legislação ambiental
3-) Licença de Operação (LO) – que concede a a licença de
funcionamento após conferência do projeto com base na LI
Aula 8. Suinocultura
Implantação e Planejamento: Demanda de Água
Tabela 1. Estimativa de consumo de água (litros/dia), de acordo com o tipo de bebedouro para a produção de um
suíno de 100 kg de peso vivo.
Fonte: Penz et. al (1995)
Peso Corporal, kg Bebedouro
Desperdício
Bom Ruim
Consumo diário de água (l)
5-10 0,91 1,59 0,68
11-100 4,98 8,32 3,34
Consumo total de água(l)
5-10 11,11 25,39 14,28
11-100 542,82 906,88 364,06
Economia - - 378,34
Aula 8. Suinocultura
Implantação e Planejamento: Volume de Dejetos
Tabela 2. Produção média diária de dejetos de suínos
Fonte: Oliveira et. al (1993)
* Considerando esterco com 40% de matéria seca
Categoria de Suínos Esterco* (kg/animal/dia) Esterco (+ urina kg/ animal/dia) Dejetos líquidos (l/ animal/dia)
Suínos de 25-100 kg 2,3 4,9 7
Porcas em Gestação 3,6 11,0 16
Porcas em Lactação 6,4 18,0 27
Machos 3,0 6,0 9
Leitões desmamados 0,35 0,95 1,4
Média 2,35 5,8 8,6
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Prevenção de doenças = correto manejo das instalações
Objetivo: reduzir pressão de infecção (ambientes saturados)
Evitar transmissão de organismos patogênicos entre diferentes
idades
Planejar instalações: fluxo de lotes = intervalo
Calcular: n° de salas para cada fase (categoria)
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Intervalo entre lotes: 7 a 21 dias (mais comum)
Idade ao desmame: 21 ou 28 dias
Creche: saída 63 a 70 dias
Venda: depende do mercado que se pretende atender (peso)
Gestação: 114 dias (3 meses + 24 dias)
Intervalo entre lotes (vazio sanitário): 7 dias (1 lav.+ 1 desinf.
+ 5 descanso)
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Definidas as variáveis, é possível fazer o cálculo do n° de
salas necessárias para cada fase/categoria
Opções:
Intervalo de 7 dias (= desmame com 21 dias)
Intervalo de 21 dias (= desmame com 28 dias)
Fórmula:
n° salas = (período de ocupação + vazio sanit.)/intervalo lotes
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Cálculo: intervalo de 7 dias c/ desmame aos 21 dias
Maternidade:
Alojamento das fêmeas pré-parto: 7 dias
Período de aleitamento: 21 dias
Período de ocupação: 7 dias + 21 dias = 28 dias
Vazio sanitário: 7 dias
Intervalo entre lotes: 7 dias
Fórmula: (PO + VS)/(Intervalo)
Fórmula: n° de salas = (28+7)/7
n° de salas = 5
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Cálculo: intervalo de 7 dias c/ desmame aos 21 dias
Creche:
Desmame: 21 dias
Saída da creche: 63 dias (3 x 21)
Período de ocupação: 63 dias - 21 dias = 42 dias
Vazio sanitário: 7 dias
Intervalo entre lotes: 7 dias
Fórmula: (PO + VS)/(Intervalo)
Fórmula: n° de salas = (42+7)/7
n° de salas = 7
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Cálculo: intervalo de 7 dias c/ desmame aos 21 dias
Terminação (Crescimento):
Saída da creche: 63 dias
Venda (abate): 168 dias (8 x 21)
Período de ocupação: 168 dias - 63 dias = 105 dias
Vazio sanitário: 7 dias
Intervalo entre lotes: 7 dias
Fórmula: (PO + VS)/(Intervalo)
Fórmula: n° de salas = (105+7)/7
n° de salas = 16
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Vantagens x Desvantagens (Ciclo: 7 x 21):
Vantagens Desvantagens
• Pouca variação na idade dos
leitões do mesmo lote
• Fácil retorno ao cio
• Maior uso das instalações
• Preservação do estado nutricional
das porcas
• Custo elevado para rebanho
pequeno ou médio devido ao
grande n° de salas
• as semanas repetem-se as
atividades de lavagem,
desinfecção, partos, aplicação de
ferro, castração, desmame, etc
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Cálculo: intervalo de 21 dias c/ desmame aos 28 dias
Maternidade:
Alojamento das fêmeas pré-parto: 7 dias
Aleitamento: 28 dias
Período de ocupação: 7 dias + 28 dias = 35 dias
Vazio sanitário: 7 dias
Intervalo entre lotes: 21 dias
Fórmula: (PO + VS)/(Intervalo)
Fórmula: n° de salas = (35+7)/21
n° de salas = 2
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Cálculo: intervalo de 21 dias c/ desmame aos 28 dias
Creche:
Desmame: 28 dias
Saída da creche: 70 dias
Período de ocupação: 70 dias - 28 dias = 42 dias
Vazio sanitário: 7 dias
Intervalo entre lotes: 21 dias
Fórmula: (PO + VS)/(Intervalo)
Fórmula: n° de salas = (42+7)/21
n° de salas = 2,33 = 2
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Cálculo: intervalo de 21 dias c/ desmame aos 28 dias
Terminação (Crescimento):
Saída da creche: 70 dias
Venda (Abate): 168 dias
Período de ocupação: 168 dias - 70 dias = 98 dias
Vazio sanitário: 7 dias
Intervalo entre lotes: 21 dias
Fórmula: (PO + VS)/(Intervalo)
Fórmula: n° de salas = (98+7)/21
n° de salas = 5
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Terminação (Crescimento):
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Vantagens x Desvantagens (Ciclo: 21 x 28):
Vantagens Desvantagens
• adequado para pequenos e
médios rebanhos (menor n° de
salas)
• organização das atividades
definidas semana por semana
• maior n° de suínos por lote,
facilitando transporte e atividades
de manejo
• possibilidade de realização de
vazio sanitário em rebanhos
menores
• retorno ao cio coincide com
intervalo entre lotes
• concentração das coberturas
• maior variação na idade dos
leitões do mesmo lote
• menor uso das instalações
• maior desgaste das porcas
devido a desmame aos 28 dias
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Cálculo: n° de porcas de lotes de porcas
Fórmula:
n° lotes de porcas = Intervalo entre partos/Intervalo entre lotes
NLP = IEP : IEL
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Cálculo: n° de porcas de lotes de porcas p/ 7 dias intervalo
Intervalo da desmama ao cio: 7 dias
Gestação: 114 dias
Duração média aleitamento: 21 dias
Intervalo entre lotes: 7 dias
Fórmula: IEP/IEL
NLP = (7+114+21) : 7 = 20,28 = 20 lotes
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Cálculo: n° de porcas de lotes de porcas p/ 21 dias intervalo
Intervalo da desmama ao cio: 7 dias
Gestação: 114 dias
Duração média aleitamento: 28 dias
Intervalo entre lotes: 21 dias
Fórmula: IEP/IEL
NLP = (7+114+28) : 21 = 7,09 = 7 lotes
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
O n° de matrizes por lote depende do tamanho do rebanho
Exemplo:
200 matrizes
Intervalo entre lotes: 7 dias
Logo: 20 lotes de porcas
200 matrizes : 20 lotes = 10 porcas por lote
Para intervalo de 7 dias por lote:
Aula 8. Suinocultura
Implantação de Planejamento:
Para intervalo de 7 dias:
Maternidade: 5 salas
Creche: 7 salas
Terminação: 16 salas
5 salas de maternidade com 10 fêmeas em cada
7 salas de creche com 100 leitões (100:7) = 14 leitões/sala
16 salas de terminação com 100 leitões (100:16) = 6
leitões/sala
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Machos:
Não devem ter contato com leitoa antes dos 5 meses de idade
Ração: 2 a 2,5 kg/cab/dia até início da vida reprodutiva
Iniciar treino para cobertura aos 7 meses – leva o animal
várias vezes na baia de cobrição antes da cobertura
Antes da cobertura realizar limpeza e esgotamento do
prepúcio
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Machos:
Utilizar fêmea calma, com bom cio e do mesmo tamanho do
macho para 1ª cobertura
Evitar piso escorregadio nas coberturas
2 montas/semana (1 fêmea) – machos de 7 a 9 meses
4 montas/semana (2 fêmeas) – machos de 10 a 12 meses
6 montas/semana – machos acima de 1 ano
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução: Detecção do Cio
Introdução de 1 macho/dia durante 10 minutos/baia de fêmeas
Para fêmeas em gaiolas usar cachaço + teste de pressão
lombar
Diagnóstico de cio: ideal 2 x ao dia, a cada 12 horas
Detecção de cio: 1 hora após alimentação
Gaiolas: macho deve “passear” entre os corredores (promover
contato com fêmea)
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução: Detecção do Cio
Massagear flanco e costas da fêmea
Cio: fêmea para rigidamente e treme as orelhas; mostra
interesse pelo macho (reflexo de imobilidade)
Fêmea não pode se assustar com tratador (evitar movimentos
bruscos)
Reflexo de imobilidade: períodos de 8 a 12 minutos
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Maturidade sexual (fêmeas): 5,5 a 6,5 meses
Fêmeas: chegam nas propriedades ao redor de 160 dias
Manifestam 1° cio próximo a 170 dias (devem ser monitoradas
a partir do 2° dia de chegada)
Evitar contato com machos excessivo (atrapalha puberdade)
Fêmeas devem ver machos (mas não sentir seu cheiro)
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Estímulo da puberdade:
Utilizar bom cachaço com + de 10 meses, não muito pesado
Ciclo estral: 21 dias
Idade mínima para cobertura: 7 meses e 130 kg de peso
Fêmeas que não manifestarem cio 45 dias pós manejo de
indução devem ser descartadas
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Duração lactação (ótimo): 21 a 23 dias
Em geral porcas voltam ao cio 4 a 5 dias pós-desmama
Porcas pós-desmama: alojar em baias com 5 a 10 animais
Próxima dos machos
Ideal: 3 m2
/porca
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Cobertura: monta controlada
Duração: 5 a 10 minutos
Fêmea x Cachaço: tamanhos proporcionais
Baia de cobertura: cuidado com lesões (cantos vivos, piso
escorregadio)
Tronco de monta: alternativa
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Inseminação Artificial (IA):
Realizar na presença do macho
Adotar 2 montas/porca ou 2 inseminações/porca
Intervalo de 24 hs para monta natural ou 12 a 24 hs para IA
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Para Inseminação Artificial, adotar a tabela abaixo:
Obs: 3ª IA somente se porca aceitar
IDC (Intervalo: Desmama – Cio) Detecção Cio 1º DIA 2º DIA 3º DIA
Porcas com IDC até 4 dias
Manhã Cio 3ª IA
Tarde 1ª IA 2ª IA
Porcas com IDC de 5 a 6 dias
Manhã Cio
Tarde 1ª IA 2ª IA
Leitoas
Manhã Cio 2ª IA
Tarde 1ª IA
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Gestação: cuidados
Primeiros 30 dias – preferencialmente alojar porcas e leitoas
em boxes
Se alojadas em baias coletivas: 2m2
/leitoas 3 m2
/porcas
Atenção com stress térmico: perdas embrionárias
Fornecer ração em 2 tratos/dia
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Gestação: cuidados
Água à vontade e com temperatura inferior a 20°C
Do 18° dia ao 24° dia, passar com cachaços em porcas
inseminadas ou cobertas para verificar retorno ao cio (falha
na cobertura)
Diagnóstico de gestação: ultra-som 30 a 50 dias (pós
cobertura)
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Gestação: cuidados
Diagnóstico de gestação: visual com 90 dias pós-cobertura
Movimentar fêmeas pelo menos 4 x ao dia (2 para
alimentação) e 2 para estimular consumo de água e micção
Controlar temperatura corporal (acima 39,8°C, aplicar
antitérmicos)
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Maternidade:
Transferência dos animais: 7 dias antes do parto
Sala de maternidade: 18 a 20°C (temperatura controlada)
Privar porcas de ração no dia do parto, fornecendo somente
água (15 a 20 L/dia) – evitar constipação
Monitorar parto: porcas s/ contração = aplicar ocitocina
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Maternidade: Cela Parideira
Deve ter fácil acesso pela parte traseira
Deve ter grade de proteção para evitar esmagamentos
Piso isolante, para evitar perda de calor (contato com leitões)
Limpeza: mínimo 2x/dia (cedo/tarde)
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Leitões Recém-Nascidos: Cuidados no parto
Papel toalha ou panos limpos e desinfetados
Barbante em solução de iodo 5 a 7% ou glicerinado
Iodo glicerinado – desinfecção do umbigo
Seringa + agulha
Alicate para corte de dentes
Tesoura para corte do umbigo
Luvas descartáveis
Dispositivo para contenção dos leitões
Medicamentos
Balde plástico para lixo
Balde plástico para placenta, restos de placenta e leitões mumificados
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução: Cuidados no parto
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução:
Leitões Recém-Nascidos: Castração
Deve ser realizada antes de 12 dias de vida
Bisturi + fio desinfetante + balde
Trabalho com auxiliar (homem) ou estrutura/contenção
Desinfetar região do escroto
1 ou 2 cortes sobre região dos testículos
Retirá-los por tração
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução: Índices
Indicador Valor Crítico(1) Meta
Nº leitões nascidos vivos/parto <10,0 >10,8
Peso médio dos leitões ao nascer (kg) <1,4 >1,5
Taxa de leitões nascidos mortos (%) >5,0 <3,0
Taxa de mortalidade de leitões (%) >8,0 <7,0
Leitões desmamados/parto <9,2 >10,0
Média leitões desmamados/porca/ano <19,3 >23,0
Ganho médio de peso diário dos leitões (g) <200 >250
Peso dos leitões aos 21 dias (kg) <5,6 >6,7
(1) Indica necessidade de identificar as causas e adotar medidas
corretivas.
Aula 8. Suinocultura
Manejo da Reprodução: Descarte de fêmeas
Evitar porcas velhas (+ 6 crias)
Reposição de 30 a 40% (anual)
Devem ser descartadas quando:
Não retornarem ao cio 15 dias pós desmame
Danos severos nos aprumos (cascos)
Falha de fecundação
2 repetições consecutivas de cio
Dificuldade de parto
Ocorrência de qualquer doença
Ocorrência de metrite, mastite
Abortos
Aula 8. Suinocultura
Próxima aula:
• Instalações
• Manejo Nutricional
• Boas Práticas de Produção

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula1 -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]
Aula1  -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]Aula1  -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]
Aula1 -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]
Rômulo Alexandrino Silva
 
Aula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptxAula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptx
JoilsonEcheverria
 
Produção de Gado de corte
Produção de Gado de corteProdução de Gado de corte
Produção de Gado de corte
jessica zambonato
 
Panorama da suinocultura no Brasil e no mundo
Panorama da suinocultura no Brasil e no mundoPanorama da suinocultura no Brasil e no mundo
Panorama da suinocultura no Brasil e no mundo
Marília Gomes
 
Avicultura de postura
Avicultura de posturaAvicultura de postura
Avicultura de postura
Julihilda Araujo
 
Raças de suínos
Raças de suínosRaças de suínos
Raças de suínos
Michel Oliveira
 
Gado corte
Gado corteGado corte
[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem
[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem
[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem
AgroTalento
 
Panorama da avicultura
Panorama da aviculturaPanorama da avicultura
Panorama da avicultura
Marília Gomes
 
Produçao animal
Produçao animalProduçao animal
Produçao animal
mvezzone
 
Aula 1 ezoognósia
Aula 1 ezoognósiaAula 1 ezoognósia
Aula 1 ezoognósia
UFSC
 
7 instalações para bovinos de leite
7   instalações para bovinos de leite7   instalações para bovinos de leite
7 instalações para bovinos de leite
garciagotaeficiente
 
Instalações de aves
Instalações de avesInstalações de aves
Instalações de aves
Layane Ribeiro Mascarenhas
 
Noções de Melhoramento Animal de Bovinos de Corte
Noções de Melhoramento Animal de Bovinos de CorteNoções de Melhoramento Animal de Bovinos de Corte
Noções de Melhoramento Animal de Bovinos de Corte
André Ferreira
 
Nutrição e instalação para aves de postura
Nutrição e instalação para aves de posturaNutrição e instalação para aves de postura
Nutrição e instalação para aves de postura
Nayara Michelle
 
Avicultura de Corte (2).pdf
Avicultura de Corte (2).pdfAvicultura de Corte (2).pdf
Avicultura de Corte (2).pdf
GeovanaVasconcelos8
 
1 introdução à zootecnia
1 introdução à zootecnia1 introdução à zootecnia
1 introdução à zootecnia
gepaunipampa
 
Manejo de leitões 1
Manejo de leitões 1Manejo de leitões 1
Manejo de leitões 1
Marília Gomes
 
Aula 1 Zootecnia Geral.ppt
Aula 1 Zootecnia Geral.pptAula 1 Zootecnia Geral.ppt
Aula 1 Zootecnia Geral.ppt
RodrigoMenck2
 
Manual de Formação de Pastagem
Manual de Formação de PastagemManual de Formação de Pastagem
Manual de Formação de Pastagem
Pablo Henrique Batista Souza
 

Mais procurados (20)

Aula1 -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]
Aula1  -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]Aula1  -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]
Aula1 -suinocultura_[modo_de_compatibilidade]
 
Aula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptxAula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptx
 
Produção de Gado de corte
Produção de Gado de corteProdução de Gado de corte
Produção de Gado de corte
 
Panorama da suinocultura no Brasil e no mundo
Panorama da suinocultura no Brasil e no mundoPanorama da suinocultura no Brasil e no mundo
Panorama da suinocultura no Brasil e no mundo
 
Avicultura de postura
Avicultura de posturaAvicultura de postura
Avicultura de postura
 
Raças de suínos
Raças de suínosRaças de suínos
Raças de suínos
 
Gado corte
Gado corteGado corte
Gado corte
 
[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem
[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem
[Palestra] Armindo Kichel: Manejo de Pastangem
 
Panorama da avicultura
Panorama da aviculturaPanorama da avicultura
Panorama da avicultura
 
Produçao animal
Produçao animalProduçao animal
Produçao animal
 
Aula 1 ezoognósia
Aula 1 ezoognósiaAula 1 ezoognósia
Aula 1 ezoognósia
 
7 instalações para bovinos de leite
7   instalações para bovinos de leite7   instalações para bovinos de leite
7 instalações para bovinos de leite
 
Instalações de aves
Instalações de avesInstalações de aves
Instalações de aves
 
Noções de Melhoramento Animal de Bovinos de Corte
Noções de Melhoramento Animal de Bovinos de CorteNoções de Melhoramento Animal de Bovinos de Corte
Noções de Melhoramento Animal de Bovinos de Corte
 
Nutrição e instalação para aves de postura
Nutrição e instalação para aves de posturaNutrição e instalação para aves de postura
Nutrição e instalação para aves de postura
 
Avicultura de Corte (2).pdf
Avicultura de Corte (2).pdfAvicultura de Corte (2).pdf
Avicultura de Corte (2).pdf
 
1 introdução à zootecnia
1 introdução à zootecnia1 introdução à zootecnia
1 introdução à zootecnia
 
Manejo de leitões 1
Manejo de leitões 1Manejo de leitões 1
Manejo de leitões 1
 
Aula 1 Zootecnia Geral.ppt
Aula 1 Zootecnia Geral.pptAula 1 Zootecnia Geral.ppt
Aula 1 Zootecnia Geral.ppt
 
Manual de Formação de Pastagem
Manual de Formação de PastagemManual de Formação de Pastagem
Manual de Formação de Pastagem
 

Destaque

Suínocultura
SuínoculturaSuínocultura
Suínocultura
Med. Veterinária 2011
 
Slide suínos
Slide suínosSlide suínos
Slide suínos
Larissa Lobo
 
20066667 suinocultura
20066667 suinocultura20066667 suinocultura
20066667 suinocultura
Thiago Silverio
 
projeto de suinocultura (trabalho do curso de técnico agrícola)
projeto de suinocultura (trabalho do curso de técnico agrícola)projeto de suinocultura (trabalho do curso de técnico agrícola)
projeto de suinocultura (trabalho do curso de técnico agrícola)
Luis Deleprane
 
Prova n2
Prova n2Prova n2
Prova n2
Rogger Wins
 
Manejo femeas suinos
Manejo femeas suinos Manejo femeas suinos
Manejo femeas suinos
jsanil
 
Raças suinas 01
Raças suinas 01Raças suinas 01
Raças suinas 01
Kairo Gonzaga
 
322e69d080
322e69d080322e69d080
322e69d080
afermartins
 
Apostila suinocultura
Apostila suinoculturaApostila suinocultura
Apostila suinocultura
claudioagroecologia
 
Producao de suinos
Producao de suinosProducao de suinos
Producao de suinos
Felisberto Fmuandissa
 
Uma abordagem sobre a produção agroecológica de suínos
Uma abordagem sobre a produção agroecológica de suínosUma abordagem sobre a produção agroecológica de suínos
Uma abordagem sobre a produção agroecológica de suínos
João Felix
 
Boa práticas de suínos 2011
Boa práticas de suínos 2011Boa práticas de suínos 2011
Boa práticas de suínos 2011
Ana Alice Gouvêa
 
Sistema de tratamento_para_dejetos_suinos
Sistema de tratamento_para_dejetos_suinosSistema de tratamento_para_dejetos_suinos
Sistema de tratamento_para_dejetos_suinos
FCV - Faculdade Cidade Verde
 
Conceitos gerais sobre o sistema digestivo
Conceitos gerais sobre o sistema digestivoConceitos gerais sobre o sistema digestivo
Conceitos gerais sobre o sistema digestivo
Domingos Oliveira
 
129784651 nogueira.antrocnose
129784651 nogueira.antrocnose129784651 nogueira.antrocnose
129784651 nogueira.antrocnose
Pelo Siro
 
Poluição do solo por dejetos de animais (suinos e aves)
Poluição do solo por dejetos de animais (suinos e aves)Poluição do solo por dejetos de animais (suinos e aves)
Poluição do solo por dejetos de animais (suinos e aves)
Paola Brutti
 
Paisagens agrarias 1
Paisagens agrarias 1Paisagens agrarias 1
Paisagens agrarias 1
Pelo Siro
 
Fisiologia gastrointestinal
Fisiologia gastrointestinal Fisiologia gastrointestinal
Fisiologia gastrointestinal
Cassiano Ricardo Gomes da Silva
 
Parecer técnico suinocultura
Parecer técnico suinoculturaParecer técnico suinocultura
Parecer técnico suinocultura
Rogger Wins
 
1265324596 introducao as_pam
1265324596 introducao as_pam1265324596 introducao as_pam
1265324596 introducao as_pam
Pelo Siro
 

Destaque (20)

Suínocultura
SuínoculturaSuínocultura
Suínocultura
 
Slide suínos
Slide suínosSlide suínos
Slide suínos
 
20066667 suinocultura
20066667 suinocultura20066667 suinocultura
20066667 suinocultura
 
projeto de suinocultura (trabalho do curso de técnico agrícola)
projeto de suinocultura (trabalho do curso de técnico agrícola)projeto de suinocultura (trabalho do curso de técnico agrícola)
projeto de suinocultura (trabalho do curso de técnico agrícola)
 
Prova n2
Prova n2Prova n2
Prova n2
 
Manejo femeas suinos
Manejo femeas suinos Manejo femeas suinos
Manejo femeas suinos
 
Raças suinas 01
Raças suinas 01Raças suinas 01
Raças suinas 01
 
322e69d080
322e69d080322e69d080
322e69d080
 
Apostila suinocultura
Apostila suinoculturaApostila suinocultura
Apostila suinocultura
 
Producao de suinos
Producao de suinosProducao de suinos
Producao de suinos
 
Uma abordagem sobre a produção agroecológica de suínos
Uma abordagem sobre a produção agroecológica de suínosUma abordagem sobre a produção agroecológica de suínos
Uma abordagem sobre a produção agroecológica de suínos
 
Boa práticas de suínos 2011
Boa práticas de suínos 2011Boa práticas de suínos 2011
Boa práticas de suínos 2011
 
Sistema de tratamento_para_dejetos_suinos
Sistema de tratamento_para_dejetos_suinosSistema de tratamento_para_dejetos_suinos
Sistema de tratamento_para_dejetos_suinos
 
Conceitos gerais sobre o sistema digestivo
Conceitos gerais sobre o sistema digestivoConceitos gerais sobre o sistema digestivo
Conceitos gerais sobre o sistema digestivo
 
129784651 nogueira.antrocnose
129784651 nogueira.antrocnose129784651 nogueira.antrocnose
129784651 nogueira.antrocnose
 
Poluição do solo por dejetos de animais (suinos e aves)
Poluição do solo por dejetos de animais (suinos e aves)Poluição do solo por dejetos de animais (suinos e aves)
Poluição do solo por dejetos de animais (suinos e aves)
 
Paisagens agrarias 1
Paisagens agrarias 1Paisagens agrarias 1
Paisagens agrarias 1
 
Fisiologia gastrointestinal
Fisiologia gastrointestinal Fisiologia gastrointestinal
Fisiologia gastrointestinal
 
Parecer técnico suinocultura
Parecer técnico suinoculturaParecer técnico suinocultura
Parecer técnico suinocultura
 
1265324596 introducao as_pam
1265324596 introducao as_pam1265324596 introducao as_pam
1265324596 introducao as_pam
 

Semelhante a 131663983 suinos

Primeira semana de um leitão recém-nascido
Primeira semana de um leitão recém-nascidoPrimeira semana de um leitão recém-nascido
Primeira semana de um leitão recém-nascido
Arie Halpern
 
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
BeefPoint
 
Seneda palestra siraa_2018
Seneda palestra siraa_2018Seneda palestra siraa_2018
Seneda palestra siraa_2018
buzzcp
 
Parecer técnico suinocultura
Parecer técnico suinoculturaParecer técnico suinocultura
Parecer técnico suinocultura
Rogger Wins
 
Você ainda acredita que bST é tudo igual?
Você ainda acredita que bST é tudo igual?Você ainda acredita que bST é tudo igual?
Você ainda acredita que bST é tudo igual?
MilkPoint
 
Phibro - Saúde, produção e qualidade do leite final
Phibro - Saúde, produção e qualidade do leite finalPhibro - Saúde, produção e qualidade do leite final
Phibro - Saúde, produção e qualidade do leite final
MilkPoint
 
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Cristian Carla de Campos
 
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptxManejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
helidaleao
 
Manejo de leitões 2
Manejo de leitões 2Manejo de leitões 2
Manejo de leitões 2
Marília Gomes
 
Ricardo slide
Ricardo slideRicardo slide
Ricardo slide
Agricultura Sao Paulo
 
manejo de aves- tamires.pdf
manejo de aves- tamires.pdfmanejo de aves- tamires.pdf
manejo de aves- tamires.pdf
TamiresFelipe3
 
Apostila 8 - Caractersticas do Confinamento
Apostila  8 - Caractersticas do ConfinamentoApostila  8 - Caractersticas do Confinamento
Apostila 8 - Caractersticas do Confinamento
Portal Canal Rural
 
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...
AgriPoint
 
Estudo somatotropina boostin
Estudo somatotropina boostinEstudo somatotropina boostin
Estudo somatotropina boostin
AgriPoint
 
Artigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteiras
Artigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteirasArtigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteiras
Artigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteiras
Magna Coroa Lima
 
AULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptx
AULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptxAULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptx
AULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptx
NathaliaCastro58
 
Apresentação terceira 2016
Apresentação terceira 2016 Apresentação terceira 2016
Apresentação terceira 2016
Jose Ferrão
 
A Seleção do Nelore Lemgruber na Fazenda Mundo Novo
A Seleção do Nelore Lemgruber na Fazenda Mundo NovoA Seleção do Nelore Lemgruber na Fazenda Mundo Novo
A Seleção do Nelore Lemgruber na Fazenda Mundo Novo
ANCP Ribeirão Preto
 
Projecto Porco Alentejano - ApresentaçãO (Proj. Agro-Pec.))
Projecto Porco Alentejano - ApresentaçãO (Proj. Agro-Pec.))Projecto Porco Alentejano - ApresentaçãO (Proj. Agro-Pec.))
Projecto Porco Alentejano - ApresentaçãO (Proj. Agro-Pec.))
David Quintino
 
Eficiência na reproduçãoem pequenos ruminantes domésticos na lógica da inovação
Eficiência na reproduçãoem pequenos ruminantes domésticos na lógica da inovaçãoEficiência na reproduçãoem pequenos ruminantes domésticos na lógica da inovação
Eficiência na reproduçãoem pequenos ruminantes domésticos na lógica da inovação
aweick
 

Semelhante a 131663983 suinos (20)

Primeira semana de um leitão recém-nascido
Primeira semana de um leitão recém-nascidoPrimeira semana de um leitão recém-nascido
Primeira semana de um leitão recém-nascido
 
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
11 091022 Pietro Baruselli Tecnicas Reproducao
 
Seneda palestra siraa_2018
Seneda palestra siraa_2018Seneda palestra siraa_2018
Seneda palestra siraa_2018
 
Parecer técnico suinocultura
Parecer técnico suinoculturaParecer técnico suinocultura
Parecer técnico suinocultura
 
Você ainda acredita que bST é tudo igual?
Você ainda acredita que bST é tudo igual?Você ainda acredita que bST é tudo igual?
Você ainda acredita que bST é tudo igual?
 
Phibro - Saúde, produção e qualidade do leite final
Phibro - Saúde, produção e qualidade do leite finalPhibro - Saúde, produção e qualidade do leite final
Phibro - Saúde, produção e qualidade do leite final
 
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
Manejo reprodutivo na pecuária de leite e corte prof. hugo 2016 2
 
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptxManejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
Manejo-e-alimentação-da-vaca-em-lactação.pptx
 
Manejo de leitões 2
Manejo de leitões 2Manejo de leitões 2
Manejo de leitões 2
 
Ricardo slide
Ricardo slideRicardo slide
Ricardo slide
 
manejo de aves- tamires.pdf
manejo de aves- tamires.pdfmanejo de aves- tamires.pdf
manejo de aves- tamires.pdf
 
Apostila 8 - Caractersticas do Confinamento
Apostila  8 - Caractersticas do ConfinamentoApostila  8 - Caractersticas do Confinamento
Apostila 8 - Caractersticas do Confinamento
 
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...
 
Estudo somatotropina boostin
Estudo somatotropina boostinEstudo somatotropina boostin
Estudo somatotropina boostin
 
Artigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteiras
Artigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteirasArtigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteiras
Artigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteiras
 
AULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptx
AULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptxAULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptx
AULA SOBRE COLOSTRO ANIMAIS DE PRODUÇÃO.pptx
 
Apresentação terceira 2016
Apresentação terceira 2016 Apresentação terceira 2016
Apresentação terceira 2016
 
A Seleção do Nelore Lemgruber na Fazenda Mundo Novo
A Seleção do Nelore Lemgruber na Fazenda Mundo NovoA Seleção do Nelore Lemgruber na Fazenda Mundo Novo
A Seleção do Nelore Lemgruber na Fazenda Mundo Novo
 
Projecto Porco Alentejano - ApresentaçãO (Proj. Agro-Pec.))
Projecto Porco Alentejano - ApresentaçãO (Proj. Agro-Pec.))Projecto Porco Alentejano - ApresentaçãO (Proj. Agro-Pec.))
Projecto Porco Alentejano - ApresentaçãO (Proj. Agro-Pec.))
 
Eficiência na reproduçãoem pequenos ruminantes domésticos na lógica da inovação
Eficiência na reproduçãoem pequenos ruminantes domésticos na lógica da inovaçãoEficiência na reproduçãoem pequenos ruminantes domésticos na lógica da inovação
Eficiência na reproduçãoem pequenos ruminantes domésticos na lógica da inovação
 

Mais de Pelo Siro

1195593414 substancias quimicas
1195593414 substancias quimicas1195593414 substancias quimicas
1195593414 substancias quimicas
Pelo Siro
 
11955889 121.derrames 1
11955889 121.derrames 111955889 121.derrames 1
11955889 121.derrames 1
Pelo Siro
 
1196259117 primeiros socorros
1196259117 primeiros socorros1196259117 primeiros socorros
1196259117 primeiros socorros
Pelo Siro
 
1199995673 riscos profissionais
1199995673 riscos profissionais1199995673 riscos profissionais
1199995673 riscos profissionais
Pelo Siro
 
119625756 motsser2
119625756 motsser2119625756 motsser2
119625756 motsser2
Pelo Siro
 
119999888 revisoes
119999888 revisoes119999888 revisoes
119999888 revisoes
Pelo Siro
 
119558341 123.avaliacao de_riscos
119558341 123.avaliacao de_riscos119558341 123.avaliacao de_riscos
119558341 123.avaliacao de_riscos
Pelo Siro
 
2146
21462146
2146
Pelo Siro
 
2079
20792079
2079
Pelo Siro
 
2080
20802080
2080
Pelo Siro
 
2064
20642064
2064
Pelo Siro
 
2061
20612061
2061
Pelo Siro
 
2060
20602060
2060
Pelo Siro
 
2032
20322032
2032
Pelo Siro
 
2031
20312031
2031
Pelo Siro
 
2019
20192019
2019
Pelo Siro
 
2018
20182018
2018
Pelo Siro
 
2017
20172017
2017
Pelo Siro
 
2015
20152015
2015
Pelo Siro
 
2014
20142014
2014
Pelo Siro
 

Mais de Pelo Siro (20)

1195593414 substancias quimicas
1195593414 substancias quimicas1195593414 substancias quimicas
1195593414 substancias quimicas
 
11955889 121.derrames 1
11955889 121.derrames 111955889 121.derrames 1
11955889 121.derrames 1
 
1196259117 primeiros socorros
1196259117 primeiros socorros1196259117 primeiros socorros
1196259117 primeiros socorros
 
1199995673 riscos profissionais
1199995673 riscos profissionais1199995673 riscos profissionais
1199995673 riscos profissionais
 
119625756 motsser2
119625756 motsser2119625756 motsser2
119625756 motsser2
 
119999888 revisoes
119999888 revisoes119999888 revisoes
119999888 revisoes
 
119558341 123.avaliacao de_riscos
119558341 123.avaliacao de_riscos119558341 123.avaliacao de_riscos
119558341 123.avaliacao de_riscos
 
2146
21462146
2146
 
2079
20792079
2079
 
2080
20802080
2080
 
2064
20642064
2064
 
2061
20612061
2061
 
2060
20602060
2060
 
2032
20322032
2032
 
2031
20312031
2031
 
2019
20192019
2019
 
2018
20182018
2018
 
2017
20172017
2017
 
2015
20152015
2015
 
2014
20142014
2014
 

131663983 suinos

  • 2. Aula 8. Suinocultura Sistemas de Produção (Criação): • Implantação e Planejamento • Manejo da Reprodução • Instalações
  • 3. Aula 8. Suinocultura Sistemas de Produção (Criação): Possibilidades: A-) Ciclo Completo (contempla B+C) B-) Unidade de Produção de Leitões (UPL) C-) Unidade de Terminação D-) Sistema Intensivo de Suínos Criados ao Ar Livre (SISCAL)
  • 4. Aula 8. Suinocultura Implantação e Planejamento: Levantar/Avaliar • Custos de implantação do sistema escolhido • Tecnologias utilizadas • Metas de produção (Índices Zootécnicos) • Mercado (potencial consumidor)
  • 6. Aula 8. Suinocultura Implantação e Planejamento: Projeto: delinear de acordo com volume gerado de dejetos Obras: Legislação Federal, Estadual e Municipal (de acordo) Determinações a serem cumpridas: Distâncias mínimas: corpos d´águas (rios, açudes, córregos) Distâncias mínimas: estradas, residências, APP´s
  • 8. Aula 8. Suinocultura Implantação e Planejamento: • Constituição Federal Brasileira – 1998, Art. 225 • Decreto Federal n° 0750/93 – Mata Atlântica • Lei Federal n° 9.605/98 – Lei dos Crimes Ambientais, Art. 60 • Decreto Federal n° 24.645 de 10/07/34 e alterações - Código das Águas • Código Florestal Federal – Lei 4.771/65 e alterações • Lei Federal 6.766/79 – Disciplinamento do Solo Urbano • Legislações e Códigos Sanitários Estaduais e Municipais
  • 9. Aula 8. Suinocultura Implantação e Planejamento: Legislações Estaduais e Municipais, geralmente exigem: 1-) Licença Prévia (LP) – que possibilita a instalação do empreendimento em determinado local 2-) Licença de Instalação (LI) – que faz a análise do projeto quanto à conformidade com a legislação ambiental 3-) Licença de Operação (LO) – que concede a a licença de funcionamento após conferência do projeto com base na LI
  • 10. Aula 8. Suinocultura Implantação e Planejamento: Demanda de Água Tabela 1. Estimativa de consumo de água (litros/dia), de acordo com o tipo de bebedouro para a produção de um suíno de 100 kg de peso vivo. Fonte: Penz et. al (1995) Peso Corporal, kg Bebedouro Desperdício Bom Ruim Consumo diário de água (l) 5-10 0,91 1,59 0,68 11-100 4,98 8,32 3,34 Consumo total de água(l) 5-10 11,11 25,39 14,28 11-100 542,82 906,88 364,06 Economia - - 378,34
  • 11. Aula 8. Suinocultura Implantação e Planejamento: Volume de Dejetos Tabela 2. Produção média diária de dejetos de suínos Fonte: Oliveira et. al (1993) * Considerando esterco com 40% de matéria seca Categoria de Suínos Esterco* (kg/animal/dia) Esterco (+ urina kg/ animal/dia) Dejetos líquidos (l/ animal/dia) Suínos de 25-100 kg 2,3 4,9 7 Porcas em Gestação 3,6 11,0 16 Porcas em Lactação 6,4 18,0 27 Machos 3,0 6,0 9 Leitões desmamados 0,35 0,95 1,4 Média 2,35 5,8 8,6
  • 12. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Prevenção de doenças = correto manejo das instalações Objetivo: reduzir pressão de infecção (ambientes saturados) Evitar transmissão de organismos patogênicos entre diferentes idades Planejar instalações: fluxo de lotes = intervalo Calcular: n° de salas para cada fase (categoria)
  • 13. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Intervalo entre lotes: 7 a 21 dias (mais comum) Idade ao desmame: 21 ou 28 dias Creche: saída 63 a 70 dias Venda: depende do mercado que se pretende atender (peso) Gestação: 114 dias (3 meses + 24 dias) Intervalo entre lotes (vazio sanitário): 7 dias (1 lav.+ 1 desinf. + 5 descanso)
  • 14. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Definidas as variáveis, é possível fazer o cálculo do n° de salas necessárias para cada fase/categoria Opções: Intervalo de 7 dias (= desmame com 21 dias) Intervalo de 21 dias (= desmame com 28 dias) Fórmula: n° salas = (período de ocupação + vazio sanit.)/intervalo lotes
  • 15. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Cálculo: intervalo de 7 dias c/ desmame aos 21 dias Maternidade: Alojamento das fêmeas pré-parto: 7 dias Período de aleitamento: 21 dias Período de ocupação: 7 dias + 21 dias = 28 dias Vazio sanitário: 7 dias Intervalo entre lotes: 7 dias Fórmula: (PO + VS)/(Intervalo) Fórmula: n° de salas = (28+7)/7 n° de salas = 5
  • 16. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Cálculo: intervalo de 7 dias c/ desmame aos 21 dias Creche: Desmame: 21 dias Saída da creche: 63 dias (3 x 21) Período de ocupação: 63 dias - 21 dias = 42 dias Vazio sanitário: 7 dias Intervalo entre lotes: 7 dias Fórmula: (PO + VS)/(Intervalo) Fórmula: n° de salas = (42+7)/7 n° de salas = 7
  • 17. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Cálculo: intervalo de 7 dias c/ desmame aos 21 dias Terminação (Crescimento): Saída da creche: 63 dias Venda (abate): 168 dias (8 x 21) Período de ocupação: 168 dias - 63 dias = 105 dias Vazio sanitário: 7 dias Intervalo entre lotes: 7 dias Fórmula: (PO + VS)/(Intervalo) Fórmula: n° de salas = (105+7)/7 n° de salas = 16
  • 18. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Vantagens x Desvantagens (Ciclo: 7 x 21): Vantagens Desvantagens • Pouca variação na idade dos leitões do mesmo lote • Fácil retorno ao cio • Maior uso das instalações • Preservação do estado nutricional das porcas • Custo elevado para rebanho pequeno ou médio devido ao grande n° de salas • as semanas repetem-se as atividades de lavagem, desinfecção, partos, aplicação de ferro, castração, desmame, etc
  • 19. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Cálculo: intervalo de 21 dias c/ desmame aos 28 dias Maternidade: Alojamento das fêmeas pré-parto: 7 dias Aleitamento: 28 dias Período de ocupação: 7 dias + 28 dias = 35 dias Vazio sanitário: 7 dias Intervalo entre lotes: 21 dias Fórmula: (PO + VS)/(Intervalo) Fórmula: n° de salas = (35+7)/21 n° de salas = 2
  • 20. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Cálculo: intervalo de 21 dias c/ desmame aos 28 dias Creche: Desmame: 28 dias Saída da creche: 70 dias Período de ocupação: 70 dias - 28 dias = 42 dias Vazio sanitário: 7 dias Intervalo entre lotes: 21 dias Fórmula: (PO + VS)/(Intervalo) Fórmula: n° de salas = (42+7)/21 n° de salas = 2,33 = 2
  • 21. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Cálculo: intervalo de 21 dias c/ desmame aos 28 dias Terminação (Crescimento): Saída da creche: 70 dias Venda (Abate): 168 dias Período de ocupação: 168 dias - 70 dias = 98 dias Vazio sanitário: 7 dias Intervalo entre lotes: 21 dias Fórmula: (PO + VS)/(Intervalo) Fórmula: n° de salas = (98+7)/21 n° de salas = 5
  • 22. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Terminação (Crescimento):
  • 23. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Vantagens x Desvantagens (Ciclo: 21 x 28): Vantagens Desvantagens • adequado para pequenos e médios rebanhos (menor n° de salas) • organização das atividades definidas semana por semana • maior n° de suínos por lote, facilitando transporte e atividades de manejo • possibilidade de realização de vazio sanitário em rebanhos menores • retorno ao cio coincide com intervalo entre lotes • concentração das coberturas • maior variação na idade dos leitões do mesmo lote • menor uso das instalações • maior desgaste das porcas devido a desmame aos 28 dias
  • 24. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Cálculo: n° de porcas de lotes de porcas Fórmula: n° lotes de porcas = Intervalo entre partos/Intervalo entre lotes NLP = IEP : IEL
  • 25. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Cálculo: n° de porcas de lotes de porcas p/ 7 dias intervalo Intervalo da desmama ao cio: 7 dias Gestação: 114 dias Duração média aleitamento: 21 dias Intervalo entre lotes: 7 dias Fórmula: IEP/IEL NLP = (7+114+21) : 7 = 20,28 = 20 lotes
  • 26. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Cálculo: n° de porcas de lotes de porcas p/ 21 dias intervalo Intervalo da desmama ao cio: 7 dias Gestação: 114 dias Duração média aleitamento: 28 dias Intervalo entre lotes: 21 dias Fórmula: IEP/IEL NLP = (7+114+28) : 21 = 7,09 = 7 lotes
  • 27. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: O n° de matrizes por lote depende do tamanho do rebanho Exemplo: 200 matrizes Intervalo entre lotes: 7 dias Logo: 20 lotes de porcas 200 matrizes : 20 lotes = 10 porcas por lote Para intervalo de 7 dias por lote:
  • 28. Aula 8. Suinocultura Implantação de Planejamento: Para intervalo de 7 dias: Maternidade: 5 salas Creche: 7 salas Terminação: 16 salas 5 salas de maternidade com 10 fêmeas em cada 7 salas de creche com 100 leitões (100:7) = 14 leitões/sala 16 salas de terminação com 100 leitões (100:16) = 6 leitões/sala
  • 29. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Machos: Não devem ter contato com leitoa antes dos 5 meses de idade Ração: 2 a 2,5 kg/cab/dia até início da vida reprodutiva Iniciar treino para cobertura aos 7 meses – leva o animal várias vezes na baia de cobrição antes da cobertura Antes da cobertura realizar limpeza e esgotamento do prepúcio
  • 30. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Machos: Utilizar fêmea calma, com bom cio e do mesmo tamanho do macho para 1ª cobertura Evitar piso escorregadio nas coberturas 2 montas/semana (1 fêmea) – machos de 7 a 9 meses 4 montas/semana (2 fêmeas) – machos de 10 a 12 meses 6 montas/semana – machos acima de 1 ano
  • 31. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Detecção do Cio Introdução de 1 macho/dia durante 10 minutos/baia de fêmeas Para fêmeas em gaiolas usar cachaço + teste de pressão lombar Diagnóstico de cio: ideal 2 x ao dia, a cada 12 horas Detecção de cio: 1 hora após alimentação Gaiolas: macho deve “passear” entre os corredores (promover contato com fêmea)
  • 32. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Detecção do Cio Massagear flanco e costas da fêmea Cio: fêmea para rigidamente e treme as orelhas; mostra interesse pelo macho (reflexo de imobilidade) Fêmea não pode se assustar com tratador (evitar movimentos bruscos) Reflexo de imobilidade: períodos de 8 a 12 minutos
  • 33. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Maturidade sexual (fêmeas): 5,5 a 6,5 meses Fêmeas: chegam nas propriedades ao redor de 160 dias Manifestam 1° cio próximo a 170 dias (devem ser monitoradas a partir do 2° dia de chegada) Evitar contato com machos excessivo (atrapalha puberdade) Fêmeas devem ver machos (mas não sentir seu cheiro)
  • 34. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Estímulo da puberdade: Utilizar bom cachaço com + de 10 meses, não muito pesado Ciclo estral: 21 dias Idade mínima para cobertura: 7 meses e 130 kg de peso Fêmeas que não manifestarem cio 45 dias pós manejo de indução devem ser descartadas
  • 35. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Duração lactação (ótimo): 21 a 23 dias Em geral porcas voltam ao cio 4 a 5 dias pós-desmama Porcas pós-desmama: alojar em baias com 5 a 10 animais Próxima dos machos Ideal: 3 m2 /porca
  • 36. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Cobertura: monta controlada Duração: 5 a 10 minutos Fêmea x Cachaço: tamanhos proporcionais Baia de cobertura: cuidado com lesões (cantos vivos, piso escorregadio) Tronco de monta: alternativa
  • 37. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Inseminação Artificial (IA): Realizar na presença do macho Adotar 2 montas/porca ou 2 inseminações/porca Intervalo de 24 hs para monta natural ou 12 a 24 hs para IA
  • 38. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Para Inseminação Artificial, adotar a tabela abaixo: Obs: 3ª IA somente se porca aceitar IDC (Intervalo: Desmama – Cio) Detecção Cio 1º DIA 2º DIA 3º DIA Porcas com IDC até 4 dias Manhã Cio 3ª IA Tarde 1ª IA 2ª IA Porcas com IDC de 5 a 6 dias Manhã Cio Tarde 1ª IA 2ª IA Leitoas Manhã Cio 2ª IA Tarde 1ª IA
  • 39. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Gestação: cuidados Primeiros 30 dias – preferencialmente alojar porcas e leitoas em boxes Se alojadas em baias coletivas: 2m2 /leitoas 3 m2 /porcas Atenção com stress térmico: perdas embrionárias Fornecer ração em 2 tratos/dia
  • 40. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Gestação: cuidados Água à vontade e com temperatura inferior a 20°C Do 18° dia ao 24° dia, passar com cachaços em porcas inseminadas ou cobertas para verificar retorno ao cio (falha na cobertura) Diagnóstico de gestação: ultra-som 30 a 50 dias (pós cobertura)
  • 41. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Gestação: cuidados Diagnóstico de gestação: visual com 90 dias pós-cobertura Movimentar fêmeas pelo menos 4 x ao dia (2 para alimentação) e 2 para estimular consumo de água e micção Controlar temperatura corporal (acima 39,8°C, aplicar antitérmicos)
  • 42. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Maternidade: Transferência dos animais: 7 dias antes do parto Sala de maternidade: 18 a 20°C (temperatura controlada) Privar porcas de ração no dia do parto, fornecendo somente água (15 a 20 L/dia) – evitar constipação Monitorar parto: porcas s/ contração = aplicar ocitocina
  • 43. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Maternidade: Cela Parideira Deve ter fácil acesso pela parte traseira Deve ter grade de proteção para evitar esmagamentos Piso isolante, para evitar perda de calor (contato com leitões) Limpeza: mínimo 2x/dia (cedo/tarde)
  • 44. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Leitões Recém-Nascidos: Cuidados no parto Papel toalha ou panos limpos e desinfetados Barbante em solução de iodo 5 a 7% ou glicerinado Iodo glicerinado – desinfecção do umbigo Seringa + agulha Alicate para corte de dentes Tesoura para corte do umbigo Luvas descartáveis Dispositivo para contenção dos leitões Medicamentos Balde plástico para lixo Balde plástico para placenta, restos de placenta e leitões mumificados
  • 45. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Cuidados no parto
  • 46. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Leitões Recém-Nascidos: Castração Deve ser realizada antes de 12 dias de vida Bisturi + fio desinfetante + balde Trabalho com auxiliar (homem) ou estrutura/contenção Desinfetar região do escroto 1 ou 2 cortes sobre região dos testículos Retirá-los por tração
  • 47. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Índices Indicador Valor Crítico(1) Meta Nº leitões nascidos vivos/parto <10,0 >10,8 Peso médio dos leitões ao nascer (kg) <1,4 >1,5 Taxa de leitões nascidos mortos (%) >5,0 <3,0 Taxa de mortalidade de leitões (%) >8,0 <7,0 Leitões desmamados/parto <9,2 >10,0 Média leitões desmamados/porca/ano <19,3 >23,0 Ganho médio de peso diário dos leitões (g) <200 >250 Peso dos leitões aos 21 dias (kg) <5,6 >6,7 (1) Indica necessidade de identificar as causas e adotar medidas corretivas.
  • 48. Aula 8. Suinocultura Manejo da Reprodução: Descarte de fêmeas Evitar porcas velhas (+ 6 crias) Reposição de 30 a 40% (anual) Devem ser descartadas quando: Não retornarem ao cio 15 dias pós desmame Danos severos nos aprumos (cascos) Falha de fecundação 2 repetições consecutivas de cio Dificuldade de parto Ocorrência de qualquer doença Ocorrência de metrite, mastite Abortos
  • 49. Aula 8. Suinocultura Próxima aula: • Instalações • Manejo Nutricional • Boas Práticas de Produção