SlideShare uma empresa Scribd logo
VERA DANTAS 2011




B1. OBJECTIVOS
PEDAGÓGICOS
Objectivos Gerais


No Final do Módulo os Formandos deverão ter
    adquirido competências para:



   Reconhecer a importância de Objectivos de
    Formação no processo de Ensino / Aprendizagem;

   Definir Objectivos de Formação;
Objectivos Gerais continuação




   Identificar os diferentes Níveis e Domínios dos
    Objectivos.


   Distinguir as Componentes dos Objectivos
    Operacionais.

   Aplicá-los de modo a facilitar a aprendizagem.
Objectivos Específicos

No final da sessão os Formandos deverão:

   Perceber o que são Objectivos Pedagógicos e
    quais a regras para a sua Formulação.



   Identificar a importância da definição de
    objectivos numa sessão de formação.
Objectivos Específicos continuação


   Distinguir os diferentes Níveis de definição dos
    Objectivos Pedagógicos.


   Redigir objectivos pedagógicos em termos
    operacionais.

   Hierarquizar objectivos segundo os domínios
    do saber.
Definição Objectivos de
Formação
   Descrição de um conjunto de metas a atingir, que
    condicionam:
                - os métodos;
                - os instrumentos;
                - os modelos de trabalho;
                - os comportamentos…
… que o Formador e o Formando devem assumir
    durante o processo de formação.
Definição Objectivos de Formação Continuação



Os objectivos devem responder às seguintes
  questões:


   •   O que se quer alcançar?
   •   Onde se quer chegar?
   •   Com que meios se pretende agir?
Formulação dos Objectivos

   Claros – com interpretação única;

   Pertinentes – coerentes com a sua finalidade;

   Executáveis – alcançáveis de acordo com as
    exigências requeridas;

   Mensuráveis – possíveis de serem avaliados,
    determinando o nível de concretização.
Principais funções / vantagens
dos Objectivos


  1.   São Factores de Clarificação.

  2.   São um Meio de Comunicação.

  3.   São instrumentos de orientação do
       Formador.
Principais funções / vantagens dos Objectivos
continuação



   4.   São um Guia importante para o
        Formando.

   5.   São factores de maior objectividade na
        avaliação.

   6.   São um instrumento de rentabilização
        da formação.
Principais funções / vantagens dos Objectivos
continuação


    1. São Factores de Clarificação

   Permitem ao Formando saber o que se
    espera dele no final da formação.

   Torna possível eliminar as ambiguidades que
    muitas vezes rodeia uma acção de formação.

   São garantia de maior congruência entre os
    resultados desejados e alcançados.
Principais funções / vantagens dos Objectivos
continuação

    2. São um Meio de Comunicação

   O Formador sabe o que pedir aos seus
    Formandos.

   Os Formandos sabem o que se espera deles.

   Os Avaliadores sabem o que poderão exigir.

   Os Clientes ou Empregadores sabem com que
    aptidões podem contar por parte dos seus
    empregados.
Principais funções / vantagens dos Objectivos
continuação

    3. São instrumentos de orientação do
      Formador


   Auxiliam na escolha dos métodos e técnicas.


   São um guia no planeamento das actividades
    de aprendizagem, condução de sessões e
    avaliação dos resultados.
Principais funções / vantagens dos Objectivos
continuação

    4. São um Guia importante para o Formando

Permitem ao formando:
   Situar-se em relação ao fim a atingir;

   Tomar consciência do que lhe vai ser exigido;

   Distinguir o essencial do acessório;

   Possuir um ponto de referência para avaliar e
    controlar os seus progressos.
Principais funções / vantagens dos Objectivos
continuação


Saber com que finalidade se realizam as actividades

de aprendizagem

    É factor de:

   Motivação para o trabalho;

   Boa aceitação das mensagens;

   Facilitação da sua compreensão e assimilação.
Principais funções / vantagens dos Objectivos
continuação


    5. São factores de maior objectividade na
       avaliação

   Fornecem referências e critérios para a
    avaliação;


   Evitam as incertezas quanto ao que deverá
    ser avaliado;
Principais funções / vantagens dos Objectivos
continuação


    6. São um instrumento de rentabilização da
      formação

Permitem:


   Um controlo mais objectivo do desenvolvimento
    e resultados das acções de formação;


   Oportunidade de revisões e reformulações.
Níveis de definição dos Objectivos

       Existem 4 níveis principais
   Finalidades (Ministério do Emprego e Formação
    Profissional e Comissão Europeia)

   Metas (Centros de Formação Profissional e/ou
    “Gestores do Programa”)

   Objectivos Gerais (dos Formadores)

   Objectivos Específicos (para os Formandos)
Níveis de definição dos Objectivos continuação



  Finalidades (Nível mais alto de generalidade)

     Constituem os grandes Objectivos, a linha
      directriz para a globalidade da formação.

Exemplo:

Para satisfazer as necessidades do IPJ, os seus
monitores deverão ser formados em Sistemas e
Tecnologias da Informação.
Níveis de definição dos Objectivos continuação



Metas / Fins (Nível mais baixo das Finalidades)


   Expressam de forma precisa os resultados
    esperados, isto é, o perfil de saída da
    formação.
Níveis de definição dos Objectivos continuação



    Metas / Fins continuação
Exemplo:

Após o curso de formação, os Formandos deverão
ser capazes de:

   • Processar textos em ambientes diversos;

   • Digitalizar e tratar imagens;

   • Trabalhar com folhas de cálculo.
Níveis de definição dos Objectivos continuação


Objectivos Gerais
(Resultados Esperados / Competências a adquirir)


   Visão competências a adquirir;
   Expressão os resultados Esperados;
   Situam-se ao nível da realização das acções;
   Visão capacidades mais complexas;
   Não são directamente observáveis.
Níveis de definição dos Objectivos continuação



    Objectivos Gerais continuação

Exemplo:

No final da formação os Formandos deverão ser
capazes de Operar com computadores do tipo PC,
processando um texto de 3 páginas em Word,
deixando-o correctamente processado e sem mais
de 3 gralhas.
Níveis de definição dos Objectivos continuação



Objectivos Específicos
(comportamentos esperados no final da formação)



   Visão competências a desenvolver

   Expressão comportamentos esperados

   Correspondem a capacidades mais elementares

   Devem ser directamente observáveis
Níveis de definição dos Objectivos continuação



    Objectivos Específicos continuação


Exemplo:

No final da formação e perante um computador do
tipo PC, o Formando deverá ser capaz de citar as
funções a utilizar para processar um texto em Word,
sem errar mais do que uma função.
Níveis de definição dos Objectivos continuação


Outras classificações

Objectivos Terminais: Objectivos que os
  Formandos deverão ser capazes de realizar no
  final da Formação.

Objectivos Intermédios: São etapas de
  formação, a que correspondem Objectivos que
  no fim levam aos Objectivos terminais.
Níveis de definição dos Objectivos continuação


Outras classificações continuação

Objectivos de Nível Mínimo: Visão a obtenção
  de competências mínimas– são obrigatórios
  para todos os Formandos.

Objectivos de Desenvolvimento: Visão a
  ampliação das competências mínimas,
  ultrapassando as exigências básicas – são
  facultativas.
Operacionalização dos Objectivos

    Um Objectivo operacional deverá integrar 3
     componentes:
   Comportamento Esperado
    O que o Formando deverá ser capaz de fazer
   Condições de Realização
    Em que condições o fará
   Os Critérios de Êxito
    Que “qualidade” de desempenho
Operacionalização dos Objectivos continuação



    Comportamento Esperado
    (o que o Formando deverá ser capaz de fazer)


Deve ser formulado em termos de Comportamento
  Observável

o   Quem pratica a acção – Sujeito (Formando)
o   Qual a acção praticada – Verbo Operatório
o   Qual o resultado da acção - Produto
Operacionalização dos Objectivos continuação



   Comportamento Esperado continuação

      “O Formando deverá ser capaz de
        construir três triângulos”.
Operacionalização dos Objectivos continuação



   Condições de Realização
   (em que condições o fará)


Várias circunstâncias em que o comportamento
  esperado se deve manifestar.
      o Amplitude do problema a resolver;
      o Equipamentos
      o Locais
      o Meios ou Materiais
      o Exigências Especiais
Operacionalização dos Objectivos continuação



    Critérios de Êxito
    (que “qualidade” de desempenho)

Níveis de qualidade que o comportamento (ou o
  seu produto) do Formando deverá apresentar
  para ser considerado aceitável e garantir que o
  Objectivo foi alcançado.

o   Critérios de Qualidade
o   Critérios de Quantidade
Operacionalização dos Objectivos continuação



       Critérios de Êxito         continuação


    Critérios de Qualidade - Indicam as
      características observáveis mas não
      mensuráveis, que o trabalho deve apresentar.

Exemplo:

O Formando deverá substituir as partes deterioradas de
um papel de parede sem destruir as partes boas e
acertando no respectivo padrão.
Operacionalização dos Objectivos continuação



      Critérios de Êxito       continuação


   Critérios de Quantidade - Fixam padrões de
     realização facilmente mensuráveis como:
     tempo, rapidez, precisão, etc.
Exemplo:

O Formando deverá realizar, sem recurso a máquina de
calcular, 10 operações de multiplicar com números de 4
algarismos, no tempo máximo de 10 minutos.
Domínio / Aplicação dos Objectivos

A definição de Objectivos tem em vista a
  aquisição por parte dos Formandos de
  determinadas capacidades ou comportamentos
  de tipo muito diverso.


   Domínio Cognitivo – Saber / Conhecimento

   Domínio Afectivo – Saber Ser / Saber Estar

   Domínio Psicomotor – Saber Fazer
Domínio / Aplicação dos Objectivos continuação



  Domínio Cognitivo        (saber / conhecimento)


     Domínio da actividade intelectual ou mental
     Domínio do conhecimento e do pensamento

1. Conhecer os sinais de trânsito.
2. Reflectir sobre a melhoria das regras de trânsito.
3. Deverá enumerar, por escrito, sem consultar a
  legislação, as leis do código de trânsito
Domínio / Aplicação dos Objectivos continuação


      Domínio Afectivo       (saber ser / saber estar)


         Domínio dos fenómenos de sensibilidade
         Domínio do sentir, dos sentimentos e das
          emoções.

1. Respeitar as regras de trânsito.
2. Irritar-se com quem não cumpre as regras de
  trânsito.
3. Valorizar a importância dos trabalhos de Grupo
Domínio / Aplicação dos Objectivos continuação



      Domínio Psicomotor        (saber / conhecimento)


         Domínio das actividades motoras ou
          manipulativas
         Domínio da acção.

1. Andar de bicicleta.
2. Mudar a roda de um automóvel.
3. Desenhar 3 triângulos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Corrigenda de Avaliação PIP
Corrigenda de Avaliação PIPCorrigenda de Avaliação PIP
Corrigenda de Avaliação PIP
Debora_Marques
 
PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]
PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]
PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]
J P
 
Normas e forma do relatório/ reflexão crítica
Normas e forma do relatório/ reflexão críticaNormas e forma do relatório/ reflexão crítica
Normas e forma do relatório/ reflexão crítica
Cristina Couto Varela
 
Proposta de intervenção pedagógica - PIP - Cristiano Lage
Proposta de intervenção pedagógica - PIP - Cristiano LageProposta de intervenção pedagógica - PIP - Cristiano Lage
Proposta de intervenção pedagógica - PIP - Cristiano Lage
Cristiano Esperto Lage
 
Plano de sessão
Plano de sessãoPlano de sessão
Plano de sessão
Ronaldo Otero
 
manuais de formação ufcd Catalogo informanuais janeiro 2021
manuais de formação ufcd Catalogo informanuais janeiro 2021manuais de formação ufcd Catalogo informanuais janeiro 2021
manuais de formação ufcd Catalogo informanuais janeiro 2021
Informanuais ®
 
Plano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIPPlano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIP
Debora_Marques
 
Slides módulo 4
Slides módulo 4Slides módulo 4
Slides módulo 4
Isabel Grazina
 
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Cátia Elias
 
ReflexãO Individual Ana Santos
ReflexãO Individual   Ana SantosReflexãO Individual   Ana Santos
ReflexãO Individual Ana Santos
AnaSAnaO
 
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - FlyerFormação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Dianova
 
Grelha de observação
Grelha de observaçãoGrelha de observação
Grelha de observação
Daniela Lema Barros
 
Teste de Avaliação PIP
Teste de Avaliação PIPTeste de Avaliação PIP
Teste de Avaliação PIP
Debora_Marques
 
Portefólio RVCC
Portefólio RVCCPortefólio RVCC
Portefólio RVCC
João Lima
 
1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)
1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)
1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)
Helena Sabino Salvaterra
 
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Acácio Duarte
 
Processo rvcc nível básico espera activa
Processo rvcc nível básico   espera activaProcesso rvcc nível básico   espera activa
Processo rvcc nível básico espera activa
cnocastrodaire
 
Reflexão+final
Reflexão+finalReflexão+final
Reflexão+final
alexandranuneslopes
 
Projeto de intervenção pedagógica
Projeto de intervenção pedagógica Projeto de intervenção pedagógica
Projeto de intervenção pedagógica
Thacia Carpenter
 
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Debora_Marques
 

Mais procurados (20)

Corrigenda de Avaliação PIP
Corrigenda de Avaliação PIPCorrigenda de Avaliação PIP
Corrigenda de Avaliação PIP
 
PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]
PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]
PRA - Portefólio Reflexivo Aprendizagens [RVCC]
 
Normas e forma do relatório/ reflexão crítica
Normas e forma do relatório/ reflexão críticaNormas e forma do relatório/ reflexão crítica
Normas e forma do relatório/ reflexão crítica
 
Proposta de intervenção pedagógica - PIP - Cristiano Lage
Proposta de intervenção pedagógica - PIP - Cristiano LageProposta de intervenção pedagógica - PIP - Cristiano Lage
Proposta de intervenção pedagógica - PIP - Cristiano Lage
 
Plano de sessão
Plano de sessãoPlano de sessão
Plano de sessão
 
manuais de formação ufcd Catalogo informanuais janeiro 2021
manuais de formação ufcd Catalogo informanuais janeiro 2021manuais de formação ufcd Catalogo informanuais janeiro 2021
manuais de formação ufcd Catalogo informanuais janeiro 2021
 
Plano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIPPlano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIP
 
Slides módulo 4
Slides módulo 4Slides módulo 4
Slides módulo 4
 
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
 
ReflexãO Individual Ana Santos
ReflexãO Individual   Ana SantosReflexãO Individual   Ana Santos
ReflexãO Individual Ana Santos
 
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - FlyerFormação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
Formação Pedagógica Inicial de Formadores - Flyer
 
Grelha de observação
Grelha de observaçãoGrelha de observação
Grelha de observação
 
Teste de Avaliação PIP
Teste de Avaliação PIPTeste de Avaliação PIP
Teste de Avaliação PIP
 
Portefólio RVCC
Portefólio RVCCPortefólio RVCC
Portefólio RVCC
 
1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)
1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)
1237823952 portefolio reflexivo_de_aprendizagem_(pra)
 
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
Relat reflex crítica - acacio duarte - Integração de Ferramentas Digitais no ...
 
Processo rvcc nível básico espera activa
Processo rvcc nível básico   espera activaProcesso rvcc nível básico   espera activa
Processo rvcc nível básico espera activa
 
Reflexão+final
Reflexão+finalReflexão+final
Reflexão+final
 
Projeto de intervenção pedagógica
Projeto de intervenção pedagógica Projeto de intervenção pedagógica
Projeto de intervenção pedagógica
 
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
 

Semelhante a 1299158038 objectivos pedagogicos

Definir Objectivos
Definir ObjectivosDefinir Objectivos
Definir Objectivos
guest6e2200
 
referencial detalhado do curso de pós-graduação gestao coordenação da formação
referencial detalhado do curso de pós-graduação gestao coordenação da formaçãoreferencial detalhado do curso de pós-graduação gestao coordenação da formação
referencial detalhado do curso de pós-graduação gestao coordenação da formação
in formação | INRH - Consultadoria em Recursos Humanos, Lda.
 
Submodulo 8.2
Submodulo 8.2Submodulo 8.2
FORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.ppt
FORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.pptFORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.ppt
FORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.ppt
PedroAlmeida86143
 
MBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas Gerenciais
MBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas GerenciaisMBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas Gerenciais
MBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas Gerenciais
Marco Viveiros
 
Taxionomia de blun
Taxionomia de blunTaxionomia de blun
Taxionomia de blun
antonio ALVES
 
FIF_M5 - Objetivos.pptx
FIF_M5 - Objetivos.pptxFIF_M5 - Objetivos.pptx
FIF_M5 - Objetivos.pptx
CarlaRamos895009
 
Coaching 2
Coaching 2Coaching 2
Coaching 2
Nuno Freitas
 
Formacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdf
Formacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdfFormacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdf
Formacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdf
FelizardoBonifcioJoo1
 
Submodulo 8.1
Submodulo 8.1Submodulo 8.1
Administração por Objetivo
Administração por ObjetivoAdministração por Objetivo
Administração por Objetivo
Elliah Pernas
 
Indicadores de Desempenho - Ferramenta da Qualidade
Indicadores de Desempenho - Ferramenta da QualidadeIndicadores de Desempenho - Ferramenta da Qualidade
Indicadores de Desempenho - Ferramenta da Qualidade
Ideia Consultoria
 
Rjv palestras
Rjv palestrasRjv palestras
Rjv palestras
Richard Vasques
 
Sintese Turma2 Drec Sessao5 Formadoras 03 Dez
Sintese Turma2 Drec Sessao5 Formadoras 03 DezSintese Turma2 Drec Sessao5 Formadoras 03 Dez
Sintese Turma2 Drec Sessao5 Formadoras 03 Dez
catiarodriguessousa
 
Resultados Efetivos com Treinamento On-The-Job
Resultados Efetivos com Treinamento On-The-JobResultados Efetivos com Treinamento On-The-Job
Resultados Efetivos com Treinamento On-The-Job
Giba Dal Prá
 
Aula 08 recursos humano
Aula 08 recursos humanoAula 08 recursos humano
Aula 08 recursos humano
Homero Alves de Lima
 
Normas trabalho aap
Normas trabalho aapNormas trabalho aap
Normas trabalho aap
Márcia Sá
 
Estruturando um modelo de gestão de competências utilizando a ISO 10.015
Estruturando um modelo de gestão de competências utilizando a ISO 10.015Estruturando um modelo de gestão de competências utilizando a ISO 10.015
Estruturando um modelo de gestão de competências utilizando a ISO 10.015
Claudemir Oribe
 
6 - Os objectivos do processo
6 - Os objectivos do processo6 - Os objectivos do processo
6 - Os objectivos do processo
psicologiaestoi
 
ICDA_4.ª sessão_2junho.pptx
ICDA_4.ª sessão_2junho.pptxICDA_4.ª sessão_2junho.pptx
ICDA_4.ª sessão_2junho.pptx
ureaSofiaCruzMedeiro
 

Semelhante a 1299158038 objectivos pedagogicos (20)

Definir Objectivos
Definir ObjectivosDefinir Objectivos
Definir Objectivos
 
referencial detalhado do curso de pós-graduação gestao coordenação da formação
referencial detalhado do curso de pós-graduação gestao coordenação da formaçãoreferencial detalhado do curso de pós-graduação gestao coordenação da formação
referencial detalhado do curso de pós-graduação gestao coordenação da formação
 
Submodulo 8.2
Submodulo 8.2Submodulo 8.2
Submodulo 8.2
 
FORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.ppt
FORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.pptFORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.ppt
FORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.ppt
 
MBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas Gerenciais
MBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas GerenciaisMBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas Gerenciais
MBA SGI UNISANTA - Disciplina: Ferramentas Gerenciais
 
Taxionomia de blun
Taxionomia de blunTaxionomia de blun
Taxionomia de blun
 
FIF_M5 - Objetivos.pptx
FIF_M5 - Objetivos.pptxFIF_M5 - Objetivos.pptx
FIF_M5 - Objetivos.pptx
 
Coaching 2
Coaching 2Coaching 2
Coaching 2
 
Formacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdf
Formacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdfFormacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdf
Formacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdf
 
Submodulo 8.1
Submodulo 8.1Submodulo 8.1
Submodulo 8.1
 
Administração por Objetivo
Administração por ObjetivoAdministração por Objetivo
Administração por Objetivo
 
Indicadores de Desempenho - Ferramenta da Qualidade
Indicadores de Desempenho - Ferramenta da QualidadeIndicadores de Desempenho - Ferramenta da Qualidade
Indicadores de Desempenho - Ferramenta da Qualidade
 
Rjv palestras
Rjv palestrasRjv palestras
Rjv palestras
 
Sintese Turma2 Drec Sessao5 Formadoras 03 Dez
Sintese Turma2 Drec Sessao5 Formadoras 03 DezSintese Turma2 Drec Sessao5 Formadoras 03 Dez
Sintese Turma2 Drec Sessao5 Formadoras 03 Dez
 
Resultados Efetivos com Treinamento On-The-Job
Resultados Efetivos com Treinamento On-The-JobResultados Efetivos com Treinamento On-The-Job
Resultados Efetivos com Treinamento On-The-Job
 
Aula 08 recursos humano
Aula 08 recursos humanoAula 08 recursos humano
Aula 08 recursos humano
 
Normas trabalho aap
Normas trabalho aapNormas trabalho aap
Normas trabalho aap
 
Estruturando um modelo de gestão de competências utilizando a ISO 10.015
Estruturando um modelo de gestão de competências utilizando a ISO 10.015Estruturando um modelo de gestão de competências utilizando a ISO 10.015
Estruturando um modelo de gestão de competências utilizando a ISO 10.015
 
6 - Os objectivos do processo
6 - Os objectivos do processo6 - Os objectivos do processo
6 - Os objectivos do processo
 
ICDA_4.ª sessão_2junho.pptx
ICDA_4.ª sessão_2junho.pptxICDA_4.ª sessão_2junho.pptx
ICDA_4.ª sessão_2junho.pptx
 

1299158038 objectivos pedagogicos

  • 1. VERA DANTAS 2011 B1. OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS
  • 2. Objectivos Gerais No Final do Módulo os Formandos deverão ter adquirido competências para:  Reconhecer a importância de Objectivos de Formação no processo de Ensino / Aprendizagem;  Definir Objectivos de Formação;
  • 3. Objectivos Gerais continuação  Identificar os diferentes Níveis e Domínios dos Objectivos.  Distinguir as Componentes dos Objectivos Operacionais.  Aplicá-los de modo a facilitar a aprendizagem.
  • 4. Objectivos Específicos No final da sessão os Formandos deverão:  Perceber o que são Objectivos Pedagógicos e quais a regras para a sua Formulação.  Identificar a importância da definição de objectivos numa sessão de formação.
  • 5. Objectivos Específicos continuação  Distinguir os diferentes Níveis de definição dos Objectivos Pedagógicos.  Redigir objectivos pedagógicos em termos operacionais.  Hierarquizar objectivos segundo os domínios do saber.
  • 6. Definição Objectivos de Formação  Descrição de um conjunto de metas a atingir, que condicionam: - os métodos; - os instrumentos; - os modelos de trabalho; - os comportamentos… … que o Formador e o Formando devem assumir durante o processo de formação.
  • 7. Definição Objectivos de Formação Continuação Os objectivos devem responder às seguintes questões: • O que se quer alcançar? • Onde se quer chegar? • Com que meios se pretende agir?
  • 8. Formulação dos Objectivos  Claros – com interpretação única;  Pertinentes – coerentes com a sua finalidade;  Executáveis – alcançáveis de acordo com as exigências requeridas;  Mensuráveis – possíveis de serem avaliados, determinando o nível de concretização.
  • 9. Principais funções / vantagens dos Objectivos 1. São Factores de Clarificação. 2. São um Meio de Comunicação. 3. São instrumentos de orientação do Formador.
  • 10. Principais funções / vantagens dos Objectivos continuação 4. São um Guia importante para o Formando. 5. São factores de maior objectividade na avaliação. 6. São um instrumento de rentabilização da formação.
  • 11. Principais funções / vantagens dos Objectivos continuação 1. São Factores de Clarificação  Permitem ao Formando saber o que se espera dele no final da formação.  Torna possível eliminar as ambiguidades que muitas vezes rodeia uma acção de formação.  São garantia de maior congruência entre os resultados desejados e alcançados.
  • 12. Principais funções / vantagens dos Objectivos continuação 2. São um Meio de Comunicação  O Formador sabe o que pedir aos seus Formandos.  Os Formandos sabem o que se espera deles.  Os Avaliadores sabem o que poderão exigir.  Os Clientes ou Empregadores sabem com que aptidões podem contar por parte dos seus empregados.
  • 13. Principais funções / vantagens dos Objectivos continuação 3. São instrumentos de orientação do Formador  Auxiliam na escolha dos métodos e técnicas.  São um guia no planeamento das actividades de aprendizagem, condução de sessões e avaliação dos resultados.
  • 14. Principais funções / vantagens dos Objectivos continuação 4. São um Guia importante para o Formando Permitem ao formando:  Situar-se em relação ao fim a atingir;  Tomar consciência do que lhe vai ser exigido;  Distinguir o essencial do acessório;  Possuir um ponto de referência para avaliar e controlar os seus progressos.
  • 15. Principais funções / vantagens dos Objectivos continuação Saber com que finalidade se realizam as actividades de aprendizagem É factor de:  Motivação para o trabalho;  Boa aceitação das mensagens;  Facilitação da sua compreensão e assimilação.
  • 16. Principais funções / vantagens dos Objectivos continuação 5. São factores de maior objectividade na avaliação  Fornecem referências e critérios para a avaliação;  Evitam as incertezas quanto ao que deverá ser avaliado;
  • 17. Principais funções / vantagens dos Objectivos continuação 6. São um instrumento de rentabilização da formação Permitem:  Um controlo mais objectivo do desenvolvimento e resultados das acções de formação;  Oportunidade de revisões e reformulações.
  • 18. Níveis de definição dos Objectivos Existem 4 níveis principais  Finalidades (Ministério do Emprego e Formação Profissional e Comissão Europeia)  Metas (Centros de Formação Profissional e/ou “Gestores do Programa”)  Objectivos Gerais (dos Formadores)  Objectivos Específicos (para os Formandos)
  • 19. Níveis de definição dos Objectivos continuação Finalidades (Nível mais alto de generalidade)  Constituem os grandes Objectivos, a linha directriz para a globalidade da formação. Exemplo: Para satisfazer as necessidades do IPJ, os seus monitores deverão ser formados em Sistemas e Tecnologias da Informação.
  • 20. Níveis de definição dos Objectivos continuação Metas / Fins (Nível mais baixo das Finalidades)  Expressam de forma precisa os resultados esperados, isto é, o perfil de saída da formação.
  • 21. Níveis de definição dos Objectivos continuação Metas / Fins continuação Exemplo: Após o curso de formação, os Formandos deverão ser capazes de: • Processar textos em ambientes diversos; • Digitalizar e tratar imagens; • Trabalhar com folhas de cálculo.
  • 22. Níveis de definição dos Objectivos continuação Objectivos Gerais (Resultados Esperados / Competências a adquirir)  Visão competências a adquirir;  Expressão os resultados Esperados;  Situam-se ao nível da realização das acções;  Visão capacidades mais complexas;  Não são directamente observáveis.
  • 23. Níveis de definição dos Objectivos continuação Objectivos Gerais continuação Exemplo: No final da formação os Formandos deverão ser capazes de Operar com computadores do tipo PC, processando um texto de 3 páginas em Word, deixando-o correctamente processado e sem mais de 3 gralhas.
  • 24. Níveis de definição dos Objectivos continuação Objectivos Específicos (comportamentos esperados no final da formação)  Visão competências a desenvolver  Expressão comportamentos esperados  Correspondem a capacidades mais elementares  Devem ser directamente observáveis
  • 25. Níveis de definição dos Objectivos continuação Objectivos Específicos continuação Exemplo: No final da formação e perante um computador do tipo PC, o Formando deverá ser capaz de citar as funções a utilizar para processar um texto em Word, sem errar mais do que uma função.
  • 26. Níveis de definição dos Objectivos continuação Outras classificações Objectivos Terminais: Objectivos que os Formandos deverão ser capazes de realizar no final da Formação. Objectivos Intermédios: São etapas de formação, a que correspondem Objectivos que no fim levam aos Objectivos terminais.
  • 27. Níveis de definição dos Objectivos continuação Outras classificações continuação Objectivos de Nível Mínimo: Visão a obtenção de competências mínimas– são obrigatórios para todos os Formandos. Objectivos de Desenvolvimento: Visão a ampliação das competências mínimas, ultrapassando as exigências básicas – são facultativas.
  • 28. Operacionalização dos Objectivos Um Objectivo operacional deverá integrar 3 componentes:  Comportamento Esperado O que o Formando deverá ser capaz de fazer  Condições de Realização Em que condições o fará  Os Critérios de Êxito Que “qualidade” de desempenho
  • 29. Operacionalização dos Objectivos continuação Comportamento Esperado (o que o Formando deverá ser capaz de fazer) Deve ser formulado em termos de Comportamento Observável o Quem pratica a acção – Sujeito (Formando) o Qual a acção praticada – Verbo Operatório o Qual o resultado da acção - Produto
  • 30. Operacionalização dos Objectivos continuação Comportamento Esperado continuação “O Formando deverá ser capaz de construir três triângulos”.
  • 31. Operacionalização dos Objectivos continuação Condições de Realização (em que condições o fará) Várias circunstâncias em que o comportamento esperado se deve manifestar. o Amplitude do problema a resolver; o Equipamentos o Locais o Meios ou Materiais o Exigências Especiais
  • 32. Operacionalização dos Objectivos continuação Critérios de Êxito (que “qualidade” de desempenho) Níveis de qualidade que o comportamento (ou o seu produto) do Formando deverá apresentar para ser considerado aceitável e garantir que o Objectivo foi alcançado. o Critérios de Qualidade o Critérios de Quantidade
  • 33. Operacionalização dos Objectivos continuação Critérios de Êxito continuação Critérios de Qualidade - Indicam as características observáveis mas não mensuráveis, que o trabalho deve apresentar. Exemplo: O Formando deverá substituir as partes deterioradas de um papel de parede sem destruir as partes boas e acertando no respectivo padrão.
  • 34. Operacionalização dos Objectivos continuação Critérios de Êxito continuação Critérios de Quantidade - Fixam padrões de realização facilmente mensuráveis como: tempo, rapidez, precisão, etc. Exemplo: O Formando deverá realizar, sem recurso a máquina de calcular, 10 operações de multiplicar com números de 4 algarismos, no tempo máximo de 10 minutos.
  • 35. Domínio / Aplicação dos Objectivos A definição de Objectivos tem em vista a aquisição por parte dos Formandos de determinadas capacidades ou comportamentos de tipo muito diverso.  Domínio Cognitivo – Saber / Conhecimento  Domínio Afectivo – Saber Ser / Saber Estar  Domínio Psicomotor – Saber Fazer
  • 36. Domínio / Aplicação dos Objectivos continuação Domínio Cognitivo (saber / conhecimento)  Domínio da actividade intelectual ou mental  Domínio do conhecimento e do pensamento 1. Conhecer os sinais de trânsito. 2. Reflectir sobre a melhoria das regras de trânsito. 3. Deverá enumerar, por escrito, sem consultar a legislação, as leis do código de trânsito
  • 37. Domínio / Aplicação dos Objectivos continuação Domínio Afectivo (saber ser / saber estar)  Domínio dos fenómenos de sensibilidade  Domínio do sentir, dos sentimentos e das emoções. 1. Respeitar as regras de trânsito. 2. Irritar-se com quem não cumpre as regras de trânsito. 3. Valorizar a importância dos trabalhos de Grupo
  • 38. Domínio / Aplicação dos Objectivos continuação Domínio Psicomotor (saber / conhecimento)  Domínio das actividades motoras ou manipulativas  Domínio da acção. 1. Andar de bicicleta. 2. Mudar a roda de um automóvel. 3. Desenhar 3 triângulos.