SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 44
Baixar para ler offline
Cerimonial e protocolo em
eventos
Profª Drª Rita Giraldi
Conceitos
• Cerimonial: rigorosa observância de certas
formalidades em eventos oficiais, entre autoridades
nacionais e estrangeiras; conjunto de formalidades
de atos solenes e festas públicas
• Protocolo: é a ordem hierárquica que determina
normas de conduta dos governos e seus
representantes em ocasiões oficiais ou particulares.
Codifica as regras do cerimonial com o objetivo de
oferecer e privilegiar prerrogativas e imunidades a
quem de direito e na ocasião adequada
Bandeiras
• São símbolos nacionais e
inalteráveis:
Bandeira
Nacional, Hino Nacional,
Armas Nacionais e Selo
Nacional
• Bandeira
Nacional:
hasteada em todas as
manifestações
de
sentimento patriótico de
caráter
oficial
ou
particular
Posição das bandeiras
• A Bandeira Nacional
ocupa a posição central
ou mais próxima do
centro e à direita deste,
quando com outras
bandeiras
• À Bandeira Nacional
nunca
se
bate
continência
Hino nacional
• Será executado:
– Obrigatoriamente em todas as cerimônias oficiais
da Nação, Estado e Município e quando do
hasteamento da Bandeira Nacional;
– Facultativamente na abertura de sessões cívicas,
cerimônias religiosas;
– Em cerimônias de caráter internacional, executase o hino Nacional Brasileiro depois do estrangeiro
por cortesia;
– Nunca se aplaude ao final da execução
Composição da mesa
1 - Autoridade de maior
precedência
2 - Segunda maior autoridade
3 – Anfitrião
4 a 9 - demais convidados,
respeitada a precedência
Composição da mesa
1 – Presidente do ato ou maior
autoridade
2 – Segunda maior autoridade
3 – Anfitrião (quando não for o
presidente)
4 – Terceira autoridade na
precedência
5 – Quarta autoridade
6 – n, n’ – ordem em que
continua a montagem, para
mesas de 7 lugares, 9
lugares, etc.

n

4

2

1

3

5

n'
Composição da mesa

n

3

1

2

4

n'

1 – Presidente do ato ou maior
autoridade
2 – Anfitrião (quando não for o
presidente do ato)
3 – Segunda maior autoridade
4 – Terceira maior autoridade
5 – n, n’ – continuação da montagem
para 8, 10 pessoas, etc.
Composição da mesa

4

2

H

0

1

3

5

0 – Anfitrião
H – Homenageado
1 – Representante do
Presidente da República
Composição da mesa de trabalho
1 – Maior autoridade
2 a n' – Demais participantes
Precedência
• "PRAECEDERE“ (lt)  significa sentar na frente, donde
derivam: "passar na frente" e "situar-se antes".
• A PRECEDÊNCIA constitui a base do protocolo. É o conceito
ou ordem hierárquica de disposição de autoridades, de
instituições, de bandeiras, de honras, ou de grupos sociais.
• Regras:
– primeiro os mais velhos,
– depois as mulheres e
– por último os homens.
Mestre de cerimônias
• Início da figura do Mestre de Cerimônias nobres à
frente, súditos atrás, assessores ao lado, o anunciador
dessas solenidades estava sempre em destaque
• Encontramos sua presença entre os gregos, três mil
anos a.C., anunciando as fases das reuniões que
aconteciam nos anfiteatros.
• Mil anos a.C., a China e o Japão utilizavam o Mestre de
Cerimônias, para a narração dos torneios de arco e
flecha ele utilizava a força e ritmo da voz para
destacar as equipes mais importantes, calcado num
conceito de poder e nobreza.
Mestre de cerimônias
• Em nossa era, ele aparece na figura do
encarregado de anunciar.
• Vestido de acordo com os costumes da época,
anunciava a entrada dos convidados em festas
da nobreza batendo três vezes um bastão
sobre um batente, produzindo um som alto e
seco.
Mestre de cerimônias
• Assim, foi se firmando a figura do Mestre de
Cerimônias.
• Sempre em posição de destaque, iniciando e
conduzindo as fases de uma solenidade
• Hoje  é uma das pessoas mais importantes para
a implantação de um evento, pois a partir de sua
presença "as coisas começam a acontecer".
• O Mestre de Cerimônias não deve ser confundido
com o Chefe do Cerimonial
Mestre de cerimônias
• O Chefe do Cerimonial ou Coordenador de Eventos é
responsável pelo planejamento, coordenação e organização
do evento, em todas as suas fases, além do protocolo de
implantação com as precedências e tratamentos de acordo
com a legislação específica, planejando o roteiro da
solenidade.
• O Mestre de Cerimônias é aquele que, a partir desse roteiro,
produzirá o script final, anunciando as fases do evento.
Mestre de cerimônias
• Características:
– Precisa de conhecimento, treinamento e aperfeiçoamento
de sua função; necessita saber o que faz, como sair de
imprevistos, como se dirigir e conquistar a platéia, sem
aparecer.
– Sem aparecer, porque mesmo conduzindo o
acontecimento, existem os anfitriões, os convidados
especiais, os conferencistas e a platéia. São esses os donos
do evento.
Mestre de cerimônias
• Vaidade, prepotência e arrogância não fazem parte da
função do Mestre de Cerimônias.
• Também humildade excessiva, timidez, medo do
público e pânico não combinam com ele.
• Precisa ter: determinação e entusiasmo, que
convençam a platéia que está apresentando aquilo que
corresponde às suas expectativas, complementados
por clareza e objetividade, utilizando acima de tudo,
aquilo que temos de mais forte: o dom da palavra.
Regras de apresentação
• As formas de tratamento se constituem nos
modos pelos quais nos dirigimos às autoridades,
quer por meio de correspondência oficial, quer
de forma verbal em atos solenes.
• As formas de tratamento obedecem a uma
secular tradição.
• O pronome de tratamento deve ser usado na
seqüência do diálogo.
• O vocativo é usado para chamar a pessoa a qual
se dirige e também se emprega como
destinatário no cabeçalho do documento
Regras de apresentação
• Regras simples para apresentação:
– os mais jovens aos mais velhos
– o homem a mulher
– a mulher solteira a casada

• Na etiqueta tradicional, diz que as pessoas menos
importantes são apresentadas às pessoas de maior
destaque
• As pessoas devem ser apresentadas com nome e
sobrenome, a não ser em situações informais (rua,
praia) . Também não se deve apresentar ninguém
como “minha mulher” ou “meu marido”. Não usar
“Sra. Fulano de Tal “, ela possui nome e individualidade
Formas de tratamento
Autoridade

Pronome de Tratamento

Vocativo

Presidente da República

Vossa Excelência

V.Exa.

Vossa Eminência

V.Ema.

Excelentíssimo Senhor
Presidente ........
Senhor Governador
Senhor Prefeito
Santíssimo Padre Cardeais

Senhor Juiz ou Meritíssimo Vossa Magnificência
Juiz
Reitores de Universidades

V.M.

Senhor... Senhora...
Presidentes e Diretores de
Autarquias Federais,
Estaduais e Municipais

V.Sa.

Vossa Senhoria
Endereçamento de correspondência
• O endereçamento (no envelope) e o modo de
citar a presença de autoridades será o mesmo:
• Vossa Excelência Excelentíssimo Senhor (a)...
Vossa Senhoria Senhor (a)... Vossa Eminência
Eminentíssimo Senhor... Vossa Reverendíssima
Reverendíssimo Senhor... Vossa Magnificência
Magnífico Reitor (a)...
Formas de tratamento
• Não são mais empregados os superlativos
Digníssimo e Ilustríssimo.
• Acrescente-se que Doutor não é forma de
tratamento, e sim título acadêmico. Não deve ser
usado indiscriminadamente.
• Seu emprego deve restringir-se apenas a
comunicações dirigidas a pessoas que tenham tal
grau por terem concluído curso de pós-graduação
universitária (nível doutorado).
• Nos demais casos, o tratamento Senhor confere a
desejada formalidade às comunicações.
Convites
• Deve constar:
– Quem convida / Motivo / Tipo de evento/ Horário/
Local
– Data (em convites formais usa-se escrevê-la por
extenso – sete de setembro de 2010)
– Traje (para civis) e uniforme (para militares)
– R.S.V.P. (sigla das palavras francesas: Répondez s’il
vous plaît - Responda, por favor) ou
– Regrets only : fórmula americana, só responde a
pessoa que recusa o convite, não responder significa
automaticamente que está confirmada sua presença.
Trajes
• Tipos de trajes masculinos:
• esporte: camisa sem gravata ou suéter de malha
• alto-esporte: é usado em eventos mais solenes que geralmente
ocorrem a tarde ou a noite. Devem usar um terno escuro, camisa e
gravatas discretas
• passeio: terno (para pessoas mais formais) ou calça clara com
blazer escuro, com gravata (para os mais informais). Até as dezoito
horas, cores claras, como bege ou cinza. A partir daí, só preto ou
azul-marinho. O grafite é uma boa opção para todas as ocasiões.
• passeio completo: terno escuro com camisa branca e uma gravata
super discreta.
• black-tie: smoking. Summer só se estiver um dia muito quente, em
pleno verão e numa festa ao ar livre. E, gravata e faixa sempre
pretas. Qualquer variação pode ser perigosa.
• gala: smoking ou casaca
Trajes
•
•
•
•
•

Tipos de trajes femininos:
esporte: calça comprida, pantalonas, conjuntos de saia e blusa
alto-esporte: vestido ou tailleur, sapatos do tipo escarpin e bolsa pequena
passeio: vestidos, tailleur, sapatos escarpin de salto médio, bolsa pequena
recepção: os mesmos do traje passeio, só que confeccionados em tecidos
nobres como crepe, tafetá, veludo, jérsei, organza e brocados. Aqui
podem-se usar enfeites de cabeça, como tiaras com pedras ou uma fivela
de pérolas, exceção feita para festas com membros da nobreza presentes.
• black tie: vestidos e mais sofisticação. Valem os bordados com pedrarias e
o lamé. Pantalonas largas com tecidos nobres e transparências podem ser
usadas
• gala: vestido longo, com bainha abaixo do tornozelo; pode até ter uma
pequena cauda, conforme o grau de formalidade da ocasião. Conjunto de
saia e blusa é incorreto.
Recepção em eventos sociais
• Entrada do Salão de festas em eventos sociais:

1 – Anfitrião

1 – Anfitrião

2 – Anfitriã

2 – Anfitriã

3 – Co-anfitrião (se for o caso)

3 – Homenageado (e a esposa, se
for o caso)

4 – Co-anfitriã (se for o caso)

4 – Co-anfitrião

5 – Convidada (Sra Silva)

5 – Co-anfitriã

6 – Convidado (Sr Silva)

6 – Convidada (Sra Silva)
7 – Convidado (Sr Silva)
Recepção em eventos sociais
• Lugares à mesa:
Cabeceira Inglesa

Cabeceira Francesa
Tipos de serviços
• Entende-se por modalidade a forma de
execução destes, ou seja, a maneira como os
clientes acessam os alimentos
• Existem várias modalidades de serviços, i. é,
várias formas como as pessoas podem ser
servidas ou se servirem.
Tipos de serviços
1. Serviço à francesa
• Este serviço é conhecido no Brasil também como
serviço diplomata.
• Caracteriza este serviço a apresentação da
travessa à esquerda do cliente onde, ele próprio
se serve com a ajuda do talher de serviço.
• As vantagens recaem no fato de que o cliente
serve-se conforme seu desejo. O trabalho do
empregado, embora facilitado é mais fatigante. É
um serviço lento, incomodo para ambas as partes
e a divisão dos alimentos é menos eqüitativa.
Tipos de serviços
2. Serviço à inglesa:
– Algumas modalidades de servir o cliente à mesa,
nos restaurantes originam-se nos hábitos
familiares de determinadas épocas. É o caso do
serviço à inglesa, quando o chefe de família era
quem servia todos as pessoas sentadas à mesa,
fossem elas de casa ou não.
– Ele pode ser executado de duas maneiras:
Tipos de serviços
• Serviço a inglesa direto
– Este serviço não deve ser confundido com o serviço à francesa.
– Nele, o garçon serve o cliente diretamente da travessa ao prato,
colocado à frente deste último.
– É uma modalidade praticada com freqüência nos restaurantes de
categoria, pois agiliza o trabalho, embora exija do garçom muita
agilidade e destreza.
– Operações a serem seguidas pelo garçom:
– Servir o "couvert", se for o caso;
– Compor o mise em place da mesa, de acordo com o numero de
clientes e com o tipo de comida e bebida solicitado;
Tipos de serviços
– Preparar o guéridon enquanto o cliente estiver degustando o couvert.
– Retirar da mesa os pratos usados no serviço do couvert
– Providenciar os pratos de mesa, geralmente aquecidos na estufa, colocandoos diante de cada comensal;
– Retirar o pedido da cozinha e, após conferi-lo, transportá-lo para sala e dar
seqüência ao serviço junto ao cliente.
– Apresentar a travessa ao cliente que solicitou o pedido, pelo lado esquerdo.
Aguardar alguns instantes para que o mesmo possa apreciar a montagem e
conferir o pedido;
– Proceder o serviço, dispondo adequadamente os alimentos no prato do
cliente. Ter o cuidado de deixar o prato do cliente com uma boa apresentação,
cuidando, também, para distribuir as guarnições proporcionalmente ao
número de comensais.
– As vantagens recai num serviço rápido, as desvantagens é que é um serviço
difícil ao empregado e o cliente é quase impossibilitado de escolher.
Tipos de serviços
Serviço à inglesa indireto (com "guéridon")
– Nesta modalidade de serviço, o prato é composto no guéridon;
– A diferença do serviço à inglesa direto consiste em montar o prato no
guéridon;
– Deve-se ter o cuidado de transportar o prato, mantendo o dedo
polegar bem na borda do mesmo e, colocando o prato já montado à
frente do cliente, pelo lado direito com o logotipo "vis-à-vis"do
comensal.
– Na reposição das iguarias, usar o serviço à inglesa direto.
– Há vantagens neste tipo de serviço:
• dá plena liberdade de movimento ao trabalho do garçom, que pode, inclusive,
compor melhor o prato sob ponto de vista da sua apresentação;
• evita perturbar o cliente, inclusive na conversa que o mesmo mantém com seu
acompanhante.
• As vantagens recaem num serviço rápido e elegante. O empregado deve
utilizar um bom gosto no empratamento. A desvantagem é a aquisição do
guéridon.
Tipos de serviços
• . Serviço empratado ou à americana
– Este serviço começou a ser praticado quando do
aparecimento do snack bar e a seguir do coffee shop.
– A iguaria já vem servida no prato que vai ser colocado
ao cliente, sendo o próprio cozinheiro quem o faz.
– É o serviço mais fácil e segue as regras dos outros
serviços.
– As vantagens deste serviço é que é rápido e elegante.
Circulação dos garçons

Servir primeiro às senhoras e por último o anfitrião
Circulação dos garçons

Servir primeiro o anfitrião e anfitriã e depois as senhoras e
por fim os senhores
Tipos de mise en place
• Expressão de origem francesa e que significa
arrumação, colocação em ordem.
• Deste modo pode-se aplicar o termo para o bar, o
room service, para o restaurante ou uma recepção.
• A mise en place é feita de modo a agilizar os serviços
no momento do atendimento da solicitação feita pelo
cliente.
• Neste ponto, a perfeita definição por parte do
estabelecimento, da mise en place que deve ser
seguida, para cada ponto a ser realizado o serviço,
auxilia enormemente a agilização dos trabalhos.
Tipos de mise en place
• Todas as recepções, sejam elas em almoço ou
em jantar, sejam formais ou informais, exigem
planejamento geral que tem por finalidade
criar no local um ambiente harmonioso em
que se enquadrem perfeitamente a mesa com
seus acessórios
• O serviço realizado pelo pessoal de serviço e o
menu com as bebidas e comidas adequadas.
Tipos de mise en place
• Por conseguinte, na arrumação e na decoração
do ambiente e da mesa deve prevalecer como
regra geral um tom de beleza serena, de
harmonia na combinação dos objetos, de
conforto utilitário na escolha dos acessórios, de
boa qualidade e simplicidade na seleção
culinária.
• Excluem-se, portanto, de um ambiente agradável
a ostentação, o excessivo rigor protocolar e a
evidente intenção de deslumbrar os convivas.
Tipos de mise en place
•

Recepções à Mesa – Jantar Formal
Tipos de mise en place
Tipos de mise en place
Tipos de mise en place
Tipos de mise en place

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manual de Protocolo e Etiqueta
Manual de Protocolo e EtiquetaManual de Protocolo e Etiqueta
Manual de Protocolo e Etiqueta
Paulo Cabral
 
Princípios de cerimonial e protocolo
Princípios de cerimonial e protocoloPrincípios de cerimonial e protocolo
Princípios de cerimonial e protocolo
Paulo Marquêz
 
ComunicaçãO Internacional Com Estrangeiros protocolo
ComunicaçãO Internacional Com Estrangeiros protocoloComunicaçãO Internacional Com Estrangeiros protocolo
ComunicaçãO Internacional Com Estrangeiros protocolo
Nuno Granada
 
Organização de eventos
Organização de eventosOrganização de eventos
Organização de eventos
Marta Jorge
 
Imagem Pessoal Vs Postura Profissional protocolo
Imagem Pessoal Vs Postura Profissional protocoloImagem Pessoal Vs Postura Profissional protocolo
Imagem Pessoal Vs Postura Profissional protocolo
Nuno Granada
 
Circuito de correspondência
Circuito de correspondênciaCircuito de correspondência
Circuito de correspondência
Soraia Cardozo
 
Cerimonial e protocolo
Cerimonial e protocoloCerimonial e protocolo
Cerimonial e protocolo
nataliafonsek
 
Imagem pessoal e comunicação com o cliente
Imagem pessoal e comunicação com o clienteImagem pessoal e comunicação com o cliente
Imagem pessoal e comunicação com o cliente
Maria Lurdes Ramos
 
183519659 manual-ufcd-6225-tecnicas-de-normalizacao-documental
183519659 manual-ufcd-6225-tecnicas-de-normalizacao-documental183519659 manual-ufcd-6225-tecnicas-de-normalizacao-documental
183519659 manual-ufcd-6225-tecnicas-de-normalizacao-documental
Ana Brandão
 

Mais procurados (20)

Manual de Protocolo e Etiqueta
Manual de Protocolo e EtiquetaManual de Protocolo e Etiqueta
Manual de Protocolo e Etiqueta
 
Princípios de cerimonial e protocolo
Princípios de cerimonial e protocoloPrincípios de cerimonial e protocolo
Princípios de cerimonial e protocolo
 
Aula 1 Cerimonial - Tipos e Estilos de Mesas
Aula  1 Cerimonial - Tipos e Estilos de MesasAula  1 Cerimonial - Tipos e Estilos de Mesas
Aula 1 Cerimonial - Tipos e Estilos de Mesas
 
ComunicaçãO Internacional Com Estrangeiros protocolo
ComunicaçãO Internacional Com Estrangeiros protocoloComunicaçãO Internacional Com Estrangeiros protocolo
ComunicaçãO Internacional Com Estrangeiros protocolo
 
Cerimonial apostila-2
Cerimonial   apostila-2Cerimonial   apostila-2
Cerimonial apostila-2
 
Organização de eventos
Organização de eventosOrganização de eventos
Organização de eventos
 
Uso de bandeiras em eventos
Uso de bandeiras em eventosUso de bandeiras em eventos
Uso de bandeiras em eventos
 
Eventos
EventosEventos
Eventos
 
Projeto De Eventos
Projeto De EventosProjeto De Eventos
Projeto De Eventos
 
Cerimonial - Karime Kamel
Cerimonial - Karime KamelCerimonial - Karime Kamel
Cerimonial - Karime Kamel
 
Etiqueta e Protocolo
Etiqueta e ProtocoloEtiqueta e Protocolo
Etiqueta e Protocolo
 
Imagem Pessoal Vs Postura Profissional protocolo
Imagem Pessoal Vs Postura Profissional protocoloImagem Pessoal Vs Postura Profissional protocolo
Imagem Pessoal Vs Postura Profissional protocolo
 
Atendimento ao cliente no Serviço de restauraçao
 Atendimento ao cliente no Serviço de restauraçao Atendimento ao cliente no Serviço de restauraçao
Atendimento ao cliente no Serviço de restauraçao
 
Cerimonial e Etiqueta profissional
Cerimonial e Etiqueta profissionalCerimonial e Etiqueta profissional
Cerimonial e Etiqueta profissional
 
Circuito de correspondência
Circuito de correspondênciaCircuito de correspondência
Circuito de correspondência
 
Tipos de eventos
Tipos de eventosTipos de eventos
Tipos de eventos
 
Cerimonial e protocolo
Cerimonial e protocoloCerimonial e protocolo
Cerimonial e protocolo
 
Cerimonial e Protocolo para Eventos com Leonardo Lares
Cerimonial e Protocolo para Eventos com Leonardo LaresCerimonial e Protocolo para Eventos com Leonardo Lares
Cerimonial e Protocolo para Eventos com Leonardo Lares
 
Imagem pessoal e comunicação com o cliente
Imagem pessoal e comunicação com o clienteImagem pessoal e comunicação com o cliente
Imagem pessoal e comunicação com o cliente
 
183519659 manual-ufcd-6225-tecnicas-de-normalizacao-documental
183519659 manual-ufcd-6225-tecnicas-de-normalizacao-documental183519659 manual-ufcd-6225-tecnicas-de-normalizacao-documental
183519659 manual-ufcd-6225-tecnicas-de-normalizacao-documental
 

Semelhante a 11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi

Download - Cerimônia
Download - CerimôniaDownload - Cerimônia
Download - Cerimônia
APaC Elo 2
 
Etiqueta social e profissional apostila
Etiqueta social e profissional   apostilaEtiqueta social e profissional   apostila
Etiqueta social e profissional apostila
Sumã Pedrosa
 

Semelhante a 11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi (11)

Pps etiq cerimprot.
Pps etiq cerimprot.Pps etiq cerimprot.
Pps etiq cerimprot.
 
Download - Cerimônia
Download - CerimôniaDownload - Cerimônia
Download - Cerimônia
 
Assessoria 2.0 Cerimonial e protocolo
Assessoria 2.0 Cerimonial e protocoloAssessoria 2.0 Cerimonial e protocolo
Assessoria 2.0 Cerimonial e protocolo
 
Cerimonial IFPR
Cerimonial IFPRCerimonial IFPR
Cerimonial IFPR
 
Etiqueta social e profissional apostila
Etiqueta social e profissional   apostilaEtiqueta social e profissional   apostila
Etiqueta social e profissional apostila
 
ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
 
Redação em Relações Públicas - Redação de convites
Redação em Relações Públicas - Redação de convitesRedação em Relações Públicas - Redação de convites
Redação em Relações Públicas - Redação de convites
 
Conduta social
Conduta social Conduta social
Conduta social
 
É um conjunto de regras cerimoniosas de trato entre as pessoas e que são defi...
É um conjunto de regras cerimoniosas de trato entre as pessoas e que são defi...É um conjunto de regras cerimoniosas de trato entre as pessoas e que são defi...
É um conjunto de regras cerimoniosas de trato entre as pessoas e que são defi...
 
Minicurso 20
Minicurso 20Minicurso 20
Minicurso 20
 
Dress code
Dress codeDress code
Dress code
 

Mais de Rita de Cássia GIRALDI

2 Os diversos tipos de eventos e suas principais Profª Drª Rita C. Giraldi
2  Os diversos tipos de eventos e suas principais Profª Drª Rita C. Giraldi2  Os diversos tipos de eventos e suas principais Profª Drª Rita C. Giraldi
2 Os diversos tipos de eventos e suas principais Profª Drª Rita C. Giraldi
Rita de Cássia GIRALDI
 

Mais de Rita de Cássia GIRALDI (10)

10 Planejamento financeiro de eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
10 Planejamento financeiro de eventos Profª Drª Rita C. Giraldi10 Planejamento financeiro de eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
10 Planejamento financeiro de eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
 
9 Estrutura organizacional de eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
9 Estrutura organizacional de eventos Profª Drª Rita C. Giraldi9 Estrutura organizacional de eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
9 Estrutura organizacional de eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
 
8 criação de eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
8 criação de eventos Profª Drª Rita C. Giraldi8 criação de eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
8 criação de eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
 
7 Processos de planejamento em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
7 Processos de planejamento em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi7 Processos de planejamento em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
7 Processos de planejamento em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
 
6 Ambientação e decoração Profª Drª Rita C. Giraldi
6 Ambientação e decoração Profª Drª Rita C. Giraldi6 Ambientação e decoração Profª Drª Rita C. Giraldi
6 Ambientação e decoração Profª Drª Rita C. Giraldi
 
5 Particularidade dos serviços nos diferentes eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
5 Particularidade dos serviços nos diferentes eventos Profª Drª Rita C. Giraldi5 Particularidade dos serviços nos diferentes eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
5 Particularidade dos serviços nos diferentes eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
 
4 Vantagens e desvantagens de cada tipo de evento Profª Drª Rita C. Giraldi
4 Vantagens e desvantagens de cada tipo de evento Profª Drª Rita C. Giraldi4 Vantagens e desvantagens de cada tipo de evento Profª Drª Rita C. Giraldi
4 Vantagens e desvantagens de cada tipo de evento Profª Drª Rita C. Giraldi
 
3 Histórico dos eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
3 Histórico dos eventos Profª Drª Rita C. Giraldi3 Histórico dos eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
3 Histórico dos eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
 
2 Os diversos tipos de eventos e suas principais Profª Drª Rita C. Giraldi
2  Os diversos tipos de eventos e suas principais Profª Drª Rita C. Giraldi2  Os diversos tipos de eventos e suas principais Profª Drª Rita C. Giraldi
2 Os diversos tipos de eventos e suas principais Profª Drª Rita C. Giraldi
 
1 As diferentes óticas do conceito evento Profª Drª Rita C. Giraldi
1 As diferentes óticas do conceito evento Profª Drª Rita C. Giraldi1 As diferentes óticas do conceito evento Profª Drª Rita C. Giraldi
1 As diferentes óticas do conceito evento Profª Drª Rita C. Giraldi
 

11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi

  • 1. Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita Giraldi
  • 2. Conceitos • Cerimonial: rigorosa observância de certas formalidades em eventos oficiais, entre autoridades nacionais e estrangeiras; conjunto de formalidades de atos solenes e festas públicas • Protocolo: é a ordem hierárquica que determina normas de conduta dos governos e seus representantes em ocasiões oficiais ou particulares. Codifica as regras do cerimonial com o objetivo de oferecer e privilegiar prerrogativas e imunidades a quem de direito e na ocasião adequada
  • 3. Bandeiras • São símbolos nacionais e inalteráveis: Bandeira Nacional, Hino Nacional, Armas Nacionais e Selo Nacional • Bandeira Nacional: hasteada em todas as manifestações de sentimento patriótico de caráter oficial ou particular
  • 4. Posição das bandeiras • A Bandeira Nacional ocupa a posição central ou mais próxima do centro e à direita deste, quando com outras bandeiras • À Bandeira Nacional nunca se bate continência
  • 5. Hino nacional • Será executado: – Obrigatoriamente em todas as cerimônias oficiais da Nação, Estado e Município e quando do hasteamento da Bandeira Nacional; – Facultativamente na abertura de sessões cívicas, cerimônias religiosas; – Em cerimônias de caráter internacional, executase o hino Nacional Brasileiro depois do estrangeiro por cortesia; – Nunca se aplaude ao final da execução
  • 6. Composição da mesa 1 - Autoridade de maior precedência 2 - Segunda maior autoridade 3 – Anfitrião 4 a 9 - demais convidados, respeitada a precedência
  • 7. Composição da mesa 1 – Presidente do ato ou maior autoridade 2 – Segunda maior autoridade 3 – Anfitrião (quando não for o presidente) 4 – Terceira autoridade na precedência 5 – Quarta autoridade 6 – n, n’ – ordem em que continua a montagem, para mesas de 7 lugares, 9 lugares, etc. n 4 2 1 3 5 n'
  • 8. Composição da mesa n 3 1 2 4 n' 1 – Presidente do ato ou maior autoridade 2 – Anfitrião (quando não for o presidente do ato) 3 – Segunda maior autoridade 4 – Terceira maior autoridade 5 – n, n’ – continuação da montagem para 8, 10 pessoas, etc.
  • 9. Composição da mesa 4 2 H 0 1 3 5 0 – Anfitrião H – Homenageado 1 – Representante do Presidente da República
  • 10. Composição da mesa de trabalho 1 – Maior autoridade 2 a n' – Demais participantes
  • 11. Precedência • "PRAECEDERE“ (lt)  significa sentar na frente, donde derivam: "passar na frente" e "situar-se antes". • A PRECEDÊNCIA constitui a base do protocolo. É o conceito ou ordem hierárquica de disposição de autoridades, de instituições, de bandeiras, de honras, ou de grupos sociais. • Regras: – primeiro os mais velhos, – depois as mulheres e – por último os homens.
  • 12. Mestre de cerimônias • Início da figura do Mestre de Cerimônias nobres à frente, súditos atrás, assessores ao lado, o anunciador dessas solenidades estava sempre em destaque • Encontramos sua presença entre os gregos, três mil anos a.C., anunciando as fases das reuniões que aconteciam nos anfiteatros. • Mil anos a.C., a China e o Japão utilizavam o Mestre de Cerimônias, para a narração dos torneios de arco e flecha ele utilizava a força e ritmo da voz para destacar as equipes mais importantes, calcado num conceito de poder e nobreza.
  • 13. Mestre de cerimônias • Em nossa era, ele aparece na figura do encarregado de anunciar. • Vestido de acordo com os costumes da época, anunciava a entrada dos convidados em festas da nobreza batendo três vezes um bastão sobre um batente, produzindo um som alto e seco.
  • 14. Mestre de cerimônias • Assim, foi se firmando a figura do Mestre de Cerimônias. • Sempre em posição de destaque, iniciando e conduzindo as fases de uma solenidade • Hoje  é uma das pessoas mais importantes para a implantação de um evento, pois a partir de sua presença "as coisas começam a acontecer". • O Mestre de Cerimônias não deve ser confundido com o Chefe do Cerimonial
  • 15. Mestre de cerimônias • O Chefe do Cerimonial ou Coordenador de Eventos é responsável pelo planejamento, coordenação e organização do evento, em todas as suas fases, além do protocolo de implantação com as precedências e tratamentos de acordo com a legislação específica, planejando o roteiro da solenidade. • O Mestre de Cerimônias é aquele que, a partir desse roteiro, produzirá o script final, anunciando as fases do evento.
  • 16. Mestre de cerimônias • Características: – Precisa de conhecimento, treinamento e aperfeiçoamento de sua função; necessita saber o que faz, como sair de imprevistos, como se dirigir e conquistar a platéia, sem aparecer. – Sem aparecer, porque mesmo conduzindo o acontecimento, existem os anfitriões, os convidados especiais, os conferencistas e a platéia. São esses os donos do evento.
  • 17. Mestre de cerimônias • Vaidade, prepotência e arrogância não fazem parte da função do Mestre de Cerimônias. • Também humildade excessiva, timidez, medo do público e pânico não combinam com ele. • Precisa ter: determinação e entusiasmo, que convençam a platéia que está apresentando aquilo que corresponde às suas expectativas, complementados por clareza e objetividade, utilizando acima de tudo, aquilo que temos de mais forte: o dom da palavra.
  • 18. Regras de apresentação • As formas de tratamento se constituem nos modos pelos quais nos dirigimos às autoridades, quer por meio de correspondência oficial, quer de forma verbal em atos solenes. • As formas de tratamento obedecem a uma secular tradição. • O pronome de tratamento deve ser usado na seqüência do diálogo. • O vocativo é usado para chamar a pessoa a qual se dirige e também se emprega como destinatário no cabeçalho do documento
  • 19. Regras de apresentação • Regras simples para apresentação: – os mais jovens aos mais velhos – o homem a mulher – a mulher solteira a casada • Na etiqueta tradicional, diz que as pessoas menos importantes são apresentadas às pessoas de maior destaque • As pessoas devem ser apresentadas com nome e sobrenome, a não ser em situações informais (rua, praia) . Também não se deve apresentar ninguém como “minha mulher” ou “meu marido”. Não usar “Sra. Fulano de Tal “, ela possui nome e individualidade
  • 20. Formas de tratamento Autoridade Pronome de Tratamento Vocativo Presidente da República Vossa Excelência V.Exa. Vossa Eminência V.Ema. Excelentíssimo Senhor Presidente ........ Senhor Governador Senhor Prefeito Santíssimo Padre Cardeais Senhor Juiz ou Meritíssimo Vossa Magnificência Juiz Reitores de Universidades V.M. Senhor... Senhora... Presidentes e Diretores de Autarquias Federais, Estaduais e Municipais V.Sa. Vossa Senhoria
  • 21. Endereçamento de correspondência • O endereçamento (no envelope) e o modo de citar a presença de autoridades será o mesmo: • Vossa Excelência Excelentíssimo Senhor (a)... Vossa Senhoria Senhor (a)... Vossa Eminência Eminentíssimo Senhor... Vossa Reverendíssima Reverendíssimo Senhor... Vossa Magnificência Magnífico Reitor (a)...
  • 22. Formas de tratamento • Não são mais empregados os superlativos Digníssimo e Ilustríssimo. • Acrescente-se que Doutor não é forma de tratamento, e sim título acadêmico. Não deve ser usado indiscriminadamente. • Seu emprego deve restringir-se apenas a comunicações dirigidas a pessoas que tenham tal grau por terem concluído curso de pós-graduação universitária (nível doutorado). • Nos demais casos, o tratamento Senhor confere a desejada formalidade às comunicações.
  • 23. Convites • Deve constar: – Quem convida / Motivo / Tipo de evento/ Horário/ Local – Data (em convites formais usa-se escrevê-la por extenso – sete de setembro de 2010) – Traje (para civis) e uniforme (para militares) – R.S.V.P. (sigla das palavras francesas: Répondez s’il vous plaît - Responda, por favor) ou – Regrets only : fórmula americana, só responde a pessoa que recusa o convite, não responder significa automaticamente que está confirmada sua presença.
  • 24. Trajes • Tipos de trajes masculinos: • esporte: camisa sem gravata ou suéter de malha • alto-esporte: é usado em eventos mais solenes que geralmente ocorrem a tarde ou a noite. Devem usar um terno escuro, camisa e gravatas discretas • passeio: terno (para pessoas mais formais) ou calça clara com blazer escuro, com gravata (para os mais informais). Até as dezoito horas, cores claras, como bege ou cinza. A partir daí, só preto ou azul-marinho. O grafite é uma boa opção para todas as ocasiões. • passeio completo: terno escuro com camisa branca e uma gravata super discreta. • black-tie: smoking. Summer só se estiver um dia muito quente, em pleno verão e numa festa ao ar livre. E, gravata e faixa sempre pretas. Qualquer variação pode ser perigosa. • gala: smoking ou casaca
  • 25. Trajes • • • • • Tipos de trajes femininos: esporte: calça comprida, pantalonas, conjuntos de saia e blusa alto-esporte: vestido ou tailleur, sapatos do tipo escarpin e bolsa pequena passeio: vestidos, tailleur, sapatos escarpin de salto médio, bolsa pequena recepção: os mesmos do traje passeio, só que confeccionados em tecidos nobres como crepe, tafetá, veludo, jérsei, organza e brocados. Aqui podem-se usar enfeites de cabeça, como tiaras com pedras ou uma fivela de pérolas, exceção feita para festas com membros da nobreza presentes. • black tie: vestidos e mais sofisticação. Valem os bordados com pedrarias e o lamé. Pantalonas largas com tecidos nobres e transparências podem ser usadas • gala: vestido longo, com bainha abaixo do tornozelo; pode até ter uma pequena cauda, conforme o grau de formalidade da ocasião. Conjunto de saia e blusa é incorreto.
  • 26. Recepção em eventos sociais • Entrada do Salão de festas em eventos sociais: 1 – Anfitrião 1 – Anfitrião 2 – Anfitriã 2 – Anfitriã 3 – Co-anfitrião (se for o caso) 3 – Homenageado (e a esposa, se for o caso) 4 – Co-anfitriã (se for o caso) 4 – Co-anfitrião 5 – Convidada (Sra Silva) 5 – Co-anfitriã 6 – Convidado (Sr Silva) 6 – Convidada (Sra Silva) 7 – Convidado (Sr Silva)
  • 27. Recepção em eventos sociais • Lugares à mesa: Cabeceira Inglesa Cabeceira Francesa
  • 28. Tipos de serviços • Entende-se por modalidade a forma de execução destes, ou seja, a maneira como os clientes acessam os alimentos • Existem várias modalidades de serviços, i. é, várias formas como as pessoas podem ser servidas ou se servirem.
  • 29. Tipos de serviços 1. Serviço à francesa • Este serviço é conhecido no Brasil também como serviço diplomata. • Caracteriza este serviço a apresentação da travessa à esquerda do cliente onde, ele próprio se serve com a ajuda do talher de serviço. • As vantagens recaem no fato de que o cliente serve-se conforme seu desejo. O trabalho do empregado, embora facilitado é mais fatigante. É um serviço lento, incomodo para ambas as partes e a divisão dos alimentos é menos eqüitativa.
  • 30. Tipos de serviços 2. Serviço à inglesa: – Algumas modalidades de servir o cliente à mesa, nos restaurantes originam-se nos hábitos familiares de determinadas épocas. É o caso do serviço à inglesa, quando o chefe de família era quem servia todos as pessoas sentadas à mesa, fossem elas de casa ou não. – Ele pode ser executado de duas maneiras:
  • 31. Tipos de serviços • Serviço a inglesa direto – Este serviço não deve ser confundido com o serviço à francesa. – Nele, o garçon serve o cliente diretamente da travessa ao prato, colocado à frente deste último. – É uma modalidade praticada com freqüência nos restaurantes de categoria, pois agiliza o trabalho, embora exija do garçom muita agilidade e destreza. – Operações a serem seguidas pelo garçom: – Servir o "couvert", se for o caso; – Compor o mise em place da mesa, de acordo com o numero de clientes e com o tipo de comida e bebida solicitado;
  • 32. Tipos de serviços – Preparar o guéridon enquanto o cliente estiver degustando o couvert. – Retirar da mesa os pratos usados no serviço do couvert – Providenciar os pratos de mesa, geralmente aquecidos na estufa, colocandoos diante de cada comensal; – Retirar o pedido da cozinha e, após conferi-lo, transportá-lo para sala e dar seqüência ao serviço junto ao cliente. – Apresentar a travessa ao cliente que solicitou o pedido, pelo lado esquerdo. Aguardar alguns instantes para que o mesmo possa apreciar a montagem e conferir o pedido; – Proceder o serviço, dispondo adequadamente os alimentos no prato do cliente. Ter o cuidado de deixar o prato do cliente com uma boa apresentação, cuidando, também, para distribuir as guarnições proporcionalmente ao número de comensais. – As vantagens recai num serviço rápido, as desvantagens é que é um serviço difícil ao empregado e o cliente é quase impossibilitado de escolher.
  • 33. Tipos de serviços Serviço à inglesa indireto (com "guéridon") – Nesta modalidade de serviço, o prato é composto no guéridon; – A diferença do serviço à inglesa direto consiste em montar o prato no guéridon; – Deve-se ter o cuidado de transportar o prato, mantendo o dedo polegar bem na borda do mesmo e, colocando o prato já montado à frente do cliente, pelo lado direito com o logotipo "vis-à-vis"do comensal. – Na reposição das iguarias, usar o serviço à inglesa direto. – Há vantagens neste tipo de serviço: • dá plena liberdade de movimento ao trabalho do garçom, que pode, inclusive, compor melhor o prato sob ponto de vista da sua apresentação; • evita perturbar o cliente, inclusive na conversa que o mesmo mantém com seu acompanhante. • As vantagens recaem num serviço rápido e elegante. O empregado deve utilizar um bom gosto no empratamento. A desvantagem é a aquisição do guéridon.
  • 34. Tipos de serviços • . Serviço empratado ou à americana – Este serviço começou a ser praticado quando do aparecimento do snack bar e a seguir do coffee shop. – A iguaria já vem servida no prato que vai ser colocado ao cliente, sendo o próprio cozinheiro quem o faz. – É o serviço mais fácil e segue as regras dos outros serviços. – As vantagens deste serviço é que é rápido e elegante.
  • 35. Circulação dos garçons Servir primeiro às senhoras e por último o anfitrião
  • 36. Circulação dos garçons Servir primeiro o anfitrião e anfitriã e depois as senhoras e por fim os senhores
  • 37. Tipos de mise en place • Expressão de origem francesa e que significa arrumação, colocação em ordem. • Deste modo pode-se aplicar o termo para o bar, o room service, para o restaurante ou uma recepção. • A mise en place é feita de modo a agilizar os serviços no momento do atendimento da solicitação feita pelo cliente. • Neste ponto, a perfeita definição por parte do estabelecimento, da mise en place que deve ser seguida, para cada ponto a ser realizado o serviço, auxilia enormemente a agilização dos trabalhos.
  • 38. Tipos de mise en place • Todas as recepções, sejam elas em almoço ou em jantar, sejam formais ou informais, exigem planejamento geral que tem por finalidade criar no local um ambiente harmonioso em que se enquadrem perfeitamente a mesa com seus acessórios • O serviço realizado pelo pessoal de serviço e o menu com as bebidas e comidas adequadas.
  • 39. Tipos de mise en place • Por conseguinte, na arrumação e na decoração do ambiente e da mesa deve prevalecer como regra geral um tom de beleza serena, de harmonia na combinação dos objetos, de conforto utilitário na escolha dos acessórios, de boa qualidade e simplicidade na seleção culinária. • Excluem-se, portanto, de um ambiente agradável a ostentação, o excessivo rigor protocolar e a evidente intenção de deslumbrar os convivas.
  • 40. Tipos de mise en place • Recepções à Mesa – Jantar Formal
  • 41. Tipos de mise en place
  • 42. Tipos de mise en place
  • 43. Tipos de mise en place
  • 44. Tipos de mise en place